Você está na página 1de 12

SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO
......................................................................................................3

2. OBJETIVOS
...........................................................................................................4

3. O QUE É SISTEMA URINÁRIO?


..............................................................................4

Rins....................................................................................................................4

Ureteres.............................................................................................................5

Bexiga................................................................................................................5

Urinária..............................................................................................................5

Uretra ................................................................................................................5
4. QUAIS AS DOENÇAS DO SISTEMA URINÁRIO?
......................................................................6

NEFRITE..............................................................................................................6

INFECÇÃO URINÁRIA...........................................................................................6

CÁLCULO RENAL .................................................................................................6

OBSTRUÇÃO URINÁRIA.......................................................................................6

TUMORES RENAIS MALIGNOS .............................................................................6

INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA..........................................................................7

5. HEMODIÁLISE....................................................................................................7

O QUE É HEMODIÁLISE? ....................................................................................7

QUEM NECESSITA FAZER ESSE TRATAMENTO?


.............................................................7
QUAIS OS RISCOS?..............................................................................................8

6. REFERENCIAL TEÓRICO
.........................................................................................9

7. CONCLUSÃO......................................................................................................9

8. REFERÊNCIAS
BIBLIOGRÁFICAS............................................................................9

INTRODUÇÃO
O tema abordado retrata informações sobre o Sistema Urinário e suas funções,
características, doenças e etc. Além de remover resíduos, o sistema urinário é um
eficiente regulador homeostático, responsável pela manutenção da composição química
do meio interno de vários tipos de animais. Os rins participam do controle da
quantidade de água e das concentrações plasmáticas de íons e do equilíbrio ácido-base
(manutenção do pH do sangue em níveis normais).

OBJETIVOS
• Objetivo geral: Analisar a capacidade de cada aluno em um conjunto, e com
isso divulgar o conhecimento adquirido em sala de aula de diferentes maneiras.
• Objetivo específico: Na busca de trazer mais informações relacionadas ao
tema de forma interessante e mais criativa, com explicações aprofundadas e
diferentes experimentos.

O QUE É SISTEMA URINÁRIO?

O sistema urinário, ou aparelho urinário, é o sistema responsável por produzir,


armazenar temporariamente e eliminar a urina, um composto que garante a eliminação
de substâncias que estão em excesso no organismo e resíduos oriundos do metabolismo.
A seguir falaremos mais sobre esse importante sistema, que é essencial para garantir a
manutenção do equilíbrio interno do nosso corpo.

Os órgãos do sistema urinário são: dois rins, dois ureteres, a bexiga urinária e a uretra.
Eles atuam de maneira conjunta, garantindo a filtração do sangue, a produção da urina e
sua eliminação. A seguir, temos os órgãos que compõem o sistema urinário e suas
respectivas funções.

→ Rins
Os rins são encontrados em número de dois no nosso corpo, sendo eles os órgãos
responsáveis pela produção da urina. Estão localizados junto à parede posterior do
abdômen, abaixo do diafragma.

Possuem cerca de 10 cm de comprimento, peso aproximado de 120 a 280 g e formato


que lembra um feijão, apresentando uma borda convexa e uma borda côncava. Na parte
côncava, é possível observar uma região denominada de hilo, local onde entram e saem
vasos sanguíneos, entram nervos e saem os ureteres.

Quando observamos internamente, vemos que os rins possuem duas regiões bem
distintas: um córtex e uma medula. O córtex está localizado mais externamente,
enquanto a medula está localizada mais internamente e é visualizada como uma região
mais escuras. A porção superior e expandida do ureter é denominada de pelve renal e
comunica-se com a medula renal. A pelve ramifica-se em direção à medula em cálices
maiores, que se ramificam em cálices menores

As unidades funcionais dos rins são os chamados néfrons, os quais são constituídos pelo
corpúsculo renal e pelos túbulos renais. O corpúsculo renal, também chamado de
corpúsculo de Malpighi, é formado por um glomérulo (enovelado de capilares)
envolvido por uma cápsula (cápsula de Bowman). Os túbulos renais partem da cápsula e
apresentam-se como uma sequência de túbulos: túbulo proximal, alça de Henle e túbulo
distal. Esse último abre-se no ducto coletor.

Os néfrons são classificados em corticais e justamedulares. Os néfrons corticais são


aqueles que apenas uma porção adentra a medula renal, enquanto os néfrons
justamedulares estendem-se mais profundamente na medula.

“→ Ureteres
Os ureteres são ductos que levam a urina do rim para a bexiga. São encontrados em
nosso corpo dois ureteres, cada um partindo de um dos rins. Em média, os ureteres
apresentam de 25 a 30 cm de comprimento e 4 a 5 mm de diâmetro.

→ Bexiga urinária
A bexiga urinária é um órgão muscular oco que serve de reservatório para a urina e
gradativamente distende-se conforme esse produto acumula-se. Há músculos próximos
ao local de junção entre a uretra e a bexiga, que atuam regulando a micção.

→ Uretra
A uretra é um órgão que garante a eliminação da urina para o meio externo. No homem,
a uretra apresenta um comprimento médio de 20 cm e pode ser dividida em três
porções: prostática, membranosa e cavernosa ou peniana. A prostática passa próxima à
bexiga e no interior da próstata, a membranosa possui apenas um centímetro de
extensão e conecta-se com a cavernosa, que se localiza no interior do corpo cavernoso
do pênis. A uretra da mulher apresenta cerca de 4 cm de comprimento.
QUAIS AS DOENÇAS DO SISTEMA URINÁRIO?

• NEFRITE

Trata-se de uma inflamação na parte filtrante do rim, conhecida como glomérulo. A


nefrite aguda é mais comum de ocorrer devido à infecção por bactérias . Quem
contrai essa doença tem grandes chances de se curar espontaneamente.

No caso da nefrite crônica, o quadro de inflamação é mais grave. É possível notar


um aumento na quantidade de proteína e de sangue na urina e constatar que há uma
elevação da pressão arterial. Em casos mais graves de nefrite crônica, pode-se observar
também náuseas e vômitos, fadiga extrema mesmo após um descanso e cãibras,
principalmente à noite.

• INFECÇÃO URINÁRIA

Essa doença é mais frequente entre as mulheres e geralmente acontece na bexiga.


Entretanto, a infecção se torna mais grave quando atinge os rins. Os sintomas,
basicamente, são dor, ardência e urgência para urinar. Febre, dor lombar e calafrios
também podem acompanhar casos mais graves desta doença.

• CÁLCULO RENAL

Quando minerais e outras substâncias se aglutinam e são depositados nos rins, pode
formar o cálculo renal. Essa doença provoca dor intensa, geralmente no lado do
abdômen e nas costas. Pode vir acompanhada de náuseas.

• OBSTRUÇÃO URINÁRIA

A parada de cálculos no interior das vias urinárias (ureteres, bexiga e uretra)


dificulta a passagem da urina e causa a sua obstrução. Um sintoma característico dessa
doença é a falta ou pequena quantidade de volume da urina e a dor ao urinar. Se não
tratada adequadamente poderá levar a perda do rim.

• TUMORES RENAIS MALIGNOS


Essa doença é conhecida como câncer dos rins. As células sofrem mutações,
dividem-se incontrolavelmente e acabam destruindo o tecido do órgão, levando a sua
falência funcional. Os principais sintomas são sangue presente na urina e obstrução
urinária. Em casos mais avançados da doença são palpadas massas abdominais e dor
lombar intensa.

• INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA

Essa doença consiste na incapacidade dos rins de filtração. Por conta disso, há
uma retenção de ureia no corpo. Ela pode provocar anemia, hipertensão arterial e outras
complicações.

Essas são as principais doenças dos rins. Para se prevenir de qualquer quadro
infeccioso tanto nos rins quanto em outros órgãos, recomenda-se a prática
regular de atividade física e a ingestão de bastante água.

HEMODIÁLISE

• O QUE É HEMODIÁLISE?
Hemodiálise é o procedimento através do qual uma máquina filtra e limpa o
sangue, fazendo parte do trabalho que o rim doente não pode fazer. O
procedimento retira do corpo os resíduos prejudiciais à saúde, como o excesso
de sal e de líquidos. Também controla a pressão arterial e ajuda o organismo a
manter o equilíbrio de substâncias como sódio, potássio, ureia e creatinina.

• QUEM NECESSITA FAZER ESSE TRATAMENTO?


A hemodiálise está indicada para pacientes com insuficiência renal aguda ou
crônica graves. A indicação de iniciar esse tratamento é feita pelo médico
especialista em doenças dos rins (nefrologista). É possível começar o tratamento
para insuficiência renal com medicamentos que controlam os sintomas e
estabilizam a doença. Nos casos em que os remédios não são suficientes e a
doença progride, pode ser necessário iniciar a hemodiálise. Esta decisão é
tomada em conjunto com o paciente e o seu médico nefrologista. A diálise não
tem como objetivo tratar a doença renal, mas sim, substituir a função dos rins
que estão com seu funcionamento prejudicado. O paciente realiza três sessões
por semana, que podem durar em torno de 4 horas ou conforme prescrição
médica. Segundo a literatura podem variar os parâmetros da sessão como tempo,
frequência e outras necessidades conforme o quadro clínico do paciente e a
análise da equipe médica. Crianças e adultos de grande porte podem necessitar
de um tempo maior.
Numa sessão de quatro horas, o paciente pode perder de nada até 10 litros de
líquidos, sendo que a média de perda é de 3 a 4 litros.

• QUAIS OS RISCOS?
As complicações podem ocorrer por conta do longo período de tempo no
tratamento de hemodiálise. As principais implicações podem ocorrer no sistema
cardiovascular (coração e vasos sanguíneos) e nos ossos, onde a alimentação tem
papel fundamental na qualidade de vida do paciente.
REFERENCIAL TEÓRICO

O Sistema Urinário ou Aparelho Urinário é responsável pela produção e eliminação


da urina, possui a função de filtrar as “impurezas” do sangue que circula no
organismo. O Sistema Urinário é composto por dois rins e pelas vias urinárias,
formada por dois ureteres, a bexiga urinária e a uretra.

A infecção urinária é a doença mais frequentemente associada ao sistema urinário e


pode acontecer tanto em homens quanto em mulheres independente da idade. No
entanto, outras doenças podem afetar o sistema urinário, como insuficiência renal,
doença renal crônica, cálculos renais e câncer de bexiga e de rim, por exemplo.

O diagnóstico de doenças do sistema urinário deve ser feito pelo urologista ou


nefrologista de acordo com o sinais e sintomas apresentados pela pessoa.
Normalmente é indicada a realização de exame de urina e urocultura, para verificar
se há qualquer alteração nesses exames e se há infecções.

CONCLUSÃO

É de bastante importância termos o sistema urinário de forma saudável e para isso, para
a prevenção de várias doenças é necessário um grande abastecimento de água, no
objetivo de ajudar na manutenção dos nossos rins e com isso evitar possíveis infecções.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
• https://brasilescola.uol.com.br/biologia/sistema-excretor.htm
• https://dediq.com.br/doencas-nos-rins-conheca-as-principais-e-por-que-elas-
acontecem/
• https://padrao.com.br/blog/?p=477
• https://bvsms.saude.gov.br/hemodialise/

Você também pode gostar