Você está na página 1de 3

TRIBUNAL DE JUSTIÇA

COMARCA DE RONDONÓPOLIS

DIRETORIA DO FÓRUM

PORTARIA Nº 42, DE 11 DE FEVEREIRO DE 2011

DJe-MT de 21/03/2011 (nº 8.531, pág. 117)

DISPÕE SOBRE PROVIDÊNCIAS A SEREM OBSERVADAS, PELO CARTÓRIO DISTRIBUIDOR, ANTES DA DISTRIBUIÇÃO DOS PROCESSOS FÍSICOS.

O Dr. Antônio Veloso Peleja Júnior, MM. Juiz Diretor do Foro da Comarca de Rondonópolis, no uso de suas atribuições legais e regulamentares,

considerando que a distribuição de petições iniciais sem a juntada de documentos indispensáveis ocasiona morosidade nos feitos judiciais;

considerando que a distribuição de feitos idênticos aos já ajuizados ocasiona litispendência;

considerando que a distribuição de processos idênticos a outros extintos sem julgamento de mérito fere a distribuição livre e isonômica;

documentos;

considerando

a

necessidade

de

padronização

das

petições

e

considerando o disposto na Seção 3, itens 3.2.1 a 2.3.5 e artigos 253 e 254, ambos do Código de Processo Civil;

considerando o artigo 10, § 2º, da Lei 8.906/94;

considerando,

finalmente,

o

princípio

constitucional

da

duração

razoável do processo e da efetividade da jurisdição, resolve:

Art. 1º - Determinar ao Cartório Distribuidor as seguintes providências quando do recebimento da petição inicial e documentos:

1.1 - As petições iniciais apresentadas para distribuição deverão conter o número do CPF ou CNPJ dos autores e requeridos; o número do Registro Geral, e a classificação da ação, segundo a nomenclatura prevista nas Tabelas Processuais Unificadas criadas pela Resolução nº 46/2007-CNJ, do Conselho Nacional de Justiça, e disponibilizada no endereço eletrônico www.tj.mt.gov.br, ícone "CNJ-Tabelas Processuais". (item 2.3.1, Seção 3, CNGC)

1.1.1

- As petições iniciais deverão estar acompanhada da guia de

recolhimento, exceto nos casos de justiça gratuita e de isenção legal, bem como de cópias necessárias a intimação/citação da parte contrária, nos termos do artigo 5º, inciso II, da Lei 7.603/2001 (item 2.3.1.1, Seção 3, CNGC);

1.1.1.1 - Em caso de expedição de mandados de citação é necessária uma contrafé para cada réu e em caso da expedição de cartas precatórias são necessárias duas contrafés;

1.1.2 - As petições iniciais e quaisquer documentos protocolizados no

foro judicial deverão obedecer a seguinte padronização:

I - deverão ser elaboradas em papel sulfite "A4", com espaço reservado de no mínimo 10 (dez) centímetros de cabeçalho na página inicial, entre o endereçamento e o texto, e com 03 (três) centímetros de margem do lado esquerdo; 2,5 (dois e meio) centímetro de margem direita; 03 (três) centímetro de margem superior e 02 (dois) centímetro de margem inferior, para autuação e juntada;

II - todos os documentos que acompanham as petições protocoladas, por exemplo, extratos, pequenos documentos, notas fiscais, etc., deverão ser colados, por ordem, em papel sulfite "A4";

III - os papéis referidos neste subitem poderão ser previamente perfurados, obedecendo ao padrão universal de dois furos, devidamente centralizados (item 2.3.1.2, Seção 3, CNGC).

1.1.3 - As petições iniciais e documentos apresentados ao distribuidor e ao protocolo, quando em desacordo com as regras acima elencadas, somente serão recebidas em casos excepcionais, e mediante autorização do Juiz Diretor do Foro. (2.3.1.3, Seção 3, CNGC)

Art. 2º - Deverá o Cartório Distribuidor, no ato da Distribuição, observar a conexão, continência, existência de ação idêntica ou de processo anterior extinto sem julgamento do mérito e em tal caso determinar a distribuição por dependência (art. 253, I, II e III, Código de Processo Civil):

2.1 - quando se relacionarem, por conexão ou continência, com outra já

ajuizada;

2.2 - quando, tendo sido extinto o processo, sem julgamento de mérito,

for reiterado o pedido, ainda que em litisconsórcio com outros autores ou que sejam

parcialmente alterados os réus da demanda;

Art. 3º - É defeso distribuir a petição não acompanhada do instrumento do mandato, salvo(art. 254, Código de Processo Civil):

3.1 - se o requerente postular em causa própria;

3.2 - se a procuração estiver junta aos autos principais;

3.3 - no caso previsto no art. 37 do Código de Processo Civil.

Art. 4º - Deverá o Cartório Distribuidor, para os fins do artgo 10, § 2º, Lei 8.906/94, comunicar à Ordem dos Advogados do Brasil a intervenção judicial que exceder de cinco causas por ano informando o nome e o número da OAB de origem do causídico.

Art. 5º - Comunique-se ao Cartório Distribuidor, Ordem dos Advogados do Brasil, Ministério Público, Defensoria Pública e Núcleos de Prática Jurídica.

Publique-se, registre-se e cumpra-se.

Rondonópolis, 11 de fevereiro de 2011

ANTÔNIO VELOSO PELEJA JÚNIOR - Diretor do Foro