1

Índice
Apresentação___________________________________________________________________3 Introdução_____________________________________________________________________4 Parte 1 Criação________________________________________________________________________6 Anjos _________________________________________________________________________7 Homem_______________________________________________________________________11 O Equilibrio____________________________________________________________________12 O “Elo Perdido” ________________________________________________________________13 Sacrifício _____________________________________________________________________13 Parte 2 Os Portais_____________________________________________________________________16 Camuflagem e Mimetismo_______________________________________________________17 Parte 3 Pré Dilúvio____________________________________________________________________19 Gigantes _____________________________________________________________________23 Pós- Dilúvio___________________________________________________________________26 Ninrode______________________________________________________________________26 A Torre de Babel_______________________________________________________________29 Semíramis____________________________________________________________________31 Annunakis____________________________________________________________________33 Egito________________________________________________________________________41 Pirâmides____________________________________________________________________45 Celtas_______________________________________________________________________49 Sinais_______________________________________________________________________52 Astrologia___________________________________________________________________55 Zodíaco_____________________________________________________________________56 Numerologia_________________________________________________________________63 Satanismo___________________________________________________________________64 Alta-Magia__________________________________________________________________65 Rituais______________________________________________________________________67 Hierarquia___________________________________________________________________68 Maçonaria___________________________________________________________________70 Illuminati____________________________________________________________________75 Nova Ordem Mundial__________________________________________________________76 Pedras Guias da Geórgia_______________________________________________________79 Rastros Químicos_____________________________________________________________82 Fome_______________________________________________________________________83 H.A.A.R.P.___________________________________________________________________87 Bibliografia__________________________________________________________________90

2

Apresentação
“porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes.” Efésios 6.12 Estas linhas que se seguem são resultado de anos de pesquisa, estudo e muita leitura, além da experiência que temos vivido na linha de frente desta batalha. Pelas próprias experiências, e as de outras tantas pessoas, que conheci pelos seus testemunhos, tenho tido um forte apoio da minha fé para colocar á disposição, de quem quer que seja, o que tenho aprendido. Vivi minha infância vendo manifestações sobrenaturais e cresci sofrendo pelas conseqüências de várias delas. Tenho tido a oportunidade de aprender a cada dia mais sobre este assunto, e creio que isto possa ajudar tanto á quem está no altar como a todos os sinceros cristãos que também enfrentam esta guerra conosco, além de abrir os olhos aos que ainda não enxergam esta dura realidade. As várias correntes religiosas da atualidade têm sido guiadas ao mesmo caminho; por “veículos” diferentes, com “cores” diferentes, mas pela mesma estrada: o ocultismo! Deus Criou um mundo ordenado, maravilhoso e que se corrompeu junto com o homem. Uma Nova Ordem está se formando, porém ela não foi idealizada agora em nosso tempo, nem tampouco tem sido preparada e dirigida por “meros mortais”. Conspiração ou não, o certo é que existe algo acontecendo em nossos dias que deve ser conhecido e entendido. O objetivo deste trabalho é que as pessoas possam entender melhor o propósito de Deus em suas vidas e não passem mais a viver por viver, mas sempre “prosseguindo para o ALVO, para o prêmio da soberana vocação em Cristo Jesus.” (Filipenses 3.14) Deus abençoe à todos em o nome do nosso Senhor Jesus Cristo!

3

Introdução
As pessoas têm vivido seus dias com suas preocupações rotineiras e que a cada dia mais ocupam seu tempo e atenção, sem entender que existe uma guerra ocorrendo diante de nossos olhos. Invisível, porém real, esta guerra tem feito muitas vítimas! Por anos de pesquisa, muita leitura, e pela experiência pessoal que obtivemos nestes anos de ministração – principalmente de libertação – além do apoio da nossa fé no Senhor Jesus, surgiram as linhas que se seguem, nos levando a conhecer um pouco mais de nosso adversário que tão tenazmente nos assedia para corrermos, com perseverança, a carreira da fé (Hebreus 12.1). Quem é este inimigo? Como surgiu? De onde veio? Quando? Quais são seus objetivos? Quais são suas armas? Quem são seus aliados? ... Analisando o contexto bíblico-histórico-científico seremos capazes de compreender melhor alguns acontecimentos e fenômenos, símbolos e sinais que passavam despercebidos no passado, porém hoje, tem assumido proporções muito maiores. Nosso inimigo não tem dado trégua, não se limita dentro do contexto espiritual que lhe seja favorável, antes, tem sido audacioso e cada vez mais tem alcançado espaço, até dentro de nosso território. A ciência, a história e a Bíblia juntas nos levarão as respostas. Estaremos conhecendo os rastros de atuação de nosso adversário, suas táticas e técnicas de engano e como ele tem agido diante de nossos olhos, ou longe deles, não apenas por medida de conhecimento, mas principalmente para podermos traçar melhor nossas estratégias de guerra com o fim de fazermos essa corrente do mal recuar, e assim conseguirmos libertar um maior número de vítimas. Recorremos a pesquisas e a relatos de pessoas que um dia foram soldados do outro lado da batalha, a fontes históricas e científicas. Referenciais para termos uma análise mais concreta de todos os acontecimentos que cercam nossas vidas todos os dias e que muitos ainda não conseguem enxergar. Tudo está absolutamente diante de nossos olhos; as músicas, os filmes, as propagandas, os livros, os desenhos animados para crianças, as frases do cotidiano, epidemias, desastres, atentados, drogas, apelo sexual, e até nas igrejas. Tudo está repleto de sinais e símbolos de mensagens e de atuação. Calma! Não é para entrar em pânico, mas é para que seus olhos se abram. O mundo não é, e nem foi tão pacífico quanto se pinta.
4

“Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis.” Efésios 6.13 O homem costuma discutir uma serie de teorias e teses a respeito de como o funciona o mundo espiritual, porém temos recebido evidencias de que a guerra que é travada por causa de nossas almas tem alcançado seu apogeu. A igreja tem estado muito aquém da realidade espiritual de nossos dias e isto tem trazido graves conseqüências à vida de todas as pessoas, dentro e fora da vida cristã. A revelação dos últimos tempos tem trazido uma preocupação muito mais séria do que as diferenças doutrinárias que “esquartejam” o Corpo de Cristo principalmente no que tange o front da batalha espiritual de nossos dias, os últimos dias. Deixemos de lado as diferenças e unamo-nos, ainda que isto seja impossível doutrinariamente, o façamos no espírito, “para que Satanás não alcance vantagem sobre nós, pois não lhe ignoramos os desígnios” (1 Coríntios 2.11) pois os dias são maus e ainda vivemos apenas “o princípio das dores”! Nosso tempo é curto, porém suficiente! “... maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo.” (1 Jo 4.4)

5

Parte 1
Criação “No princípio, criou Deus os céus e a terra.” Gênesis 1.1 A palavra arb ( b´ra) no original, refere-se ao “criar sem base”, ou “criar do nada”. Quando Deus criou o universo espiritual e físico, o fez sem depender de algo preexistente, não havia nada e Ele fez existir. Primeiro Deus criou os Céus, citado neste verso como Myms (ShaMaYiM), palavra que remete ao “universo”, “firmamento” . Porém levamos em conta, que este texto se refere à TODA a criação cósmica, inclusive as dimensões espirituais, com seus seres espirituais (isto remete à crença antiga de que os astros representavam criaturas espirituais, característica marcante das culturas antigas e que deu origem a astrologia,veremos isto mais adiante). Vemos em toda a Escritura algumas referencias aos seres espirituais representados pelos astros. Ex:
“Vê-lo-ei, mas não agora; contemplá-lo-ei, mas não de perto; uma estrela procederá de Jacó, de Israel subirá um cetro que ferirá as têmporas de Moabe e destruirá todos os filhos de Sete.” Números 24.17 “Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações!” Isaías 14.12

No primeiro exemplo temos a palavra bkwk (KoWKaB) que quer dizer literalmente “estrela” e muitas vezes o faz referindo-se a sabedoria e gloria de Deus, neste caso refere-se ao Senhor Jesus. No segundo exemplo temos a palavra llyh (HeYLeL) que se refere à “estrela d´alva” que é o planeta Vênus. Este versículo é referente à queda da babilônia, que foi o berço da astrologia. Os sacerdotes babilônicos acreditavam que as divindades utilizavam os astros como sinais claros de sua existência e atribuíam poderes a esses astros, sendo reconhecidos como a manifestação das divindades e de suas vontades. Vênus era associado à Ishtar, que era a deusa da fertilidade, das Símbolo de Ishtar conquistas, do amor. Esta era uma das maiores entidades cultuadas na babilônia, simbolizada por uma estrela de oito pontas, e no
6

contexto representa o querubim caído que ficou conhecido por “Lucifér” justamente por este texto que em latim é traduzido por “lucifer” na Vulgata de Jerônimo no quarto século. Temos aqui então exemplos claros de que o céu descrito no primeiro versículo bíblico se refere também á dimensão espiritual. Existe muito pouco, até mesmo dentro das Escrituras, referente a criação da dimensão espiritual. Os Judeus acreditam na existência de sete céus, ou sete dimensões.  Vilon (Nwlyw) 1º céu, visível ao homem  Raki´a (eyqr) 2º céu, Firmamento, onde estão os astros.  Shehaqim (myqxv) 3º céu, o ceio de Abraão.  Zebul (lwbz) 4º céu, a morada final dos justos.  Ma´om (Nwem) 5º céu, onde habitam os anjos.  Machon (Nwkm) 6º céu, Sheol, a morada dos mortos perversos.  Araboth (twbre) 7º céu, Morada do Eterno. O Apóstolo Paulo se refere ao 3º céu como lugar da habitação de Deus, Seus anjos e os salvos (1 Co 12.2), o que levou a crença cristã de apenas três dimensões que nos levam até Deus. Isto porque a palavra utilizada pelo apóstolo para descrever o paraíso é a mesma utilizada nos evangelhos quando o Senhor Jesus se refere ao ladrão da cruz, prometendo-lhe estar com Ele no paraíso. Os Judeus mantém a crença pré-cristã por não aceitarem Jesus como messias, e pela influencia da Cabala, a magia judaica. Anjos Do Hebraico Kalm (MaL´AK) e do grego aggelov (aggelos), ambas significando “mensageiro”, estes seres espirituais são citados nas Escrituras de uma forma muito peculiar. Podemos identificar algumas características descritas sobre sua organização e formação muito claramente definidas no Texto Sagrado, porém não entraremos em muitos detalhes. Sabemos que estes seres são dotados de capacidades especiais, pois podem assumir formas humanas, se comunicarem, e também possuem livre arbítrio como o ser humano. Isto é mais claro analisando os textos á seguir.

7

Podem ser vistos
“Levantou ele os olhos, olhou, e eis três homens de pé em frente dele. Vendo-os, correu da porta da tenda ao seu encontro, prostrou-se em terra” Gênesis 18.1

Podem tocar
“Então, naquela mesma noite, saiu o Anjo do SENHOR e feriu, no arraial dos assírios, cento e oitenta e cinco mil; e, quando se levantaram os restantes pela manhã, eis que todos estes eram cadáveres.” 2 Reis 19.35 “Eis, porém, que sobreveio um anjo do Senhor, e uma luz iluminou a prisão; e, tocando ele o lado de Pedro, o despertou, dizendo: Levanta-te depressa! Então, as cadeias caíram-lhe das mãos.” Atos 12.7

Podem ser ouvidos
“E, subitamente, apareceu com o anjo uma multidão da milícia celestial, louvando a Deus e dizendo: Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na terra entre os homens, a quem ele quer bem.” Lucas 2.13

Podem fazer escolhas
“e a anjos, os que não guardaram o seu estado original, mas abandonaram o seu próprio domicílio, ele tem guardado sob trevas, em algemas eternas, para o juízo do grande Dia.” Judas 6

Vemos que os anjos são organizados hierarquicamente também. Na Bíblia conhecemos 7 classes deles: Serafins (Is 6.2; Ap 4.8), Querubins (Gn 3.24,Ez 10.5; 28.14), Potestades (Ef 6.12, 1 Pe 3.22), Dominadores (Ef 6.12, Cl 1.16), Tronos ( Cl 1.16 ), Príncipes ou Arcanjos (Dn 10.21,Jd 9) e Anjos. Essa classificação foi defendida por Jerônimo, um dos pais da igreja, e quem traduziu as Escrituras do grego para o latim no 4º século. Outros teólogos defendem que existem 9 classes divididas em 3 tríades, ou grupos de três, sendo o primeiro grupo formado pelas hierarquias mais próximas de Deus (Serafins, querubins e tronos), a segunda formada pelos Espíritos territoriais (Dominações, virtudes e potestades) e a última por Ministradores (Principados, arcanjos e anjos), sendo esta outra classificação muito defendida pelas tradições esotéricas. Sabemos que Lucifer era da classe dos querubins e que este era uma das criaturas de maior proeminência no reino celestial, e que se deixando corromper pelo orgulho próprio convenceu a terça parte dos anjos a seguilo. Narra a escritura que estes seres rebeldes resistiram a autoridade de Deus e foram expulsos depois de uma renhida batalha na dimensão espiritual que resultou em sua queda e aprisionamento. Ezequiel narra como foi sua queda:

8

“Todas as aves do céu habitarão na sua ruína, e todos os animais do campo se acolherão sob os seus ramos, para que todas as árvores junto às águas não se exaltem na sua estatura, nem levantem o seu topo no meio dos ramos espessos, nem as que bebem as águas venham a confiar em si, por causa da sua altura; porque todos os orgulhosos estão entregues à morte e se abismarão às profundezas da terra, no meio dos filhos dos homens, com os que descem à cova. Assim diz o SENHOR Deus: No dia em que ele passou para o além, fiz eu que houvesse luto; por sua causa, cobri a profundeza da terra, retive as suas correntes, e as suas muitas águas se detiveram; cobri o Líbano de preto, por causa dele, e todas as árvores do campo desfaleceram por causa dele. Ao som da sua queda, fiz tremer as nações, quando o fiz passar para o além com os que descem à cova; todas as árvores do Éden, a fina flor e o melhor do Líbano, todas as que foram regadas pelas águas se consolavam nas profundezas da terra.” Ezequiel 31.14-16

Existem ainda outras passagens que nos relatam o fato:
“Tu eras querubim da guarda ungido, e te estabeleci; permanecias no monte santo de Deus, no brilho das pedras andavas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado até que se achou iniqüidade em ti. Na multiplicação do teu comércio, se encheu o teu interior de violência, e pecaste; pelo que te lançarei, profanado, fora do monte de Deus e te farei perecer, ó querubim da guarda, em meio ao brilho das pedras. Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; lancei-te por terra, diante dos reis te pus, para que te contemplem. Pela multidão das tuas iniqüidades, pela injustiça do teu comércio, profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu, e te reduzi a cinzas sobre a terra, aos olhos de todos os que te contemplam. Todos os que te conhecem entre os povos estão espantados de ti; vens a ser objeto de espanto e jamais subsistirás.” Ezequiel 28.14-19 “Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações! Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do Norte; subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo. Contudo, serás precipitado para o reino dos mortos, no mais profundo do abismo.” Isaías 14.12 - 14 “A terra estremeceu com o estrondo da sua queda; e, do seu grito, até ao mar Vermelho se ouviu o som.” Jeremias 49. 21 “e a anjos, os que não guardaram o seu estado original, mas abandonaram o seu próprio domicílio, ele tem guardado sob trevas, em algemas eternas, para o juízo do grande Dia;” Judas 6 “Viu-se, também, outro sinal no céu, e eis um dragão, grande, vermelho, com sete cabeças, dez chifres e, nas cabeças, sete diademas. A sua cauda arrastava a terça parte das estrelas do céu, as quais lançou para a terra; e o dragão se deteve em frente da mulher que estava para dar à luz, a fim de lhe devorar o filho quando nascesse.” Apocalipse 12.3 e 4

9

Acredita-se que a força de sua queda foi tão grande que causou a deformação da criação. Seria o evento que tornou a terra “sem forma e vazia” descrita em Gênesis 1.2. Muitos ligam este acontecimento com a extinção dos dinossauros, que os cientistas dizem ter ocorrido pela colisão de um asteróide com a terra, na costa Leste do México, onde hoje se localiza a cidade de Chicxulub (pronuncía-se “tictchulub”) na penísula de Iucatán. *Esta cratera mede 180 quilômetros de diâmetro, e de acordo com estudos, a energia liberada pelo impacto seria equivalente a 5 bilhões de bombas atômicas como a de Hiroxima, que correspondem a cerca de 100 mil gigatons de TNT( “A terra estremeceu com o estrondo da sua queda...”). Esta colisão desencadeou uma série de tragédias ecológicas. Com o impacto, alguns detritos foram arremessados até o espaço e entraram na órbita da Terra, permaneceram em órbita e foram novamente arremessados à superficie. Os incêndios em escala global e a liberação de grandes quantidades de gás carbônico (CO2) na atmosfera causaram o efeito estufa( “eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu, e te reduzi a cinzas sobre a terra...”). Com o calor, as moléculas de nitrogênio e oxigênio se quebraram e se combinaram com o hidrogênio formando o ácido nítrico (HNO3). Sucederam-se então longos períodos de chuva ácida, prejudicando ainda mais a vida terrestre( “No dia em
que ele passou para o além, fiz eu que houvesse luto; por sua causa, cobri a profundeza da terra, retive as suas correntes, e as suas muitas águas se detiveram; cobri o Líbano de preto, por causa dele, e todas as árvores do campo desfaleceram por causa dele.”). Paralela e

consecutivamente, o aumento da acidez e da temperatura dos oceanos afetou gravemente os ecossistemas marinhos. O primeiro indício de que essa teoria estaria correta surgiu em 1978 com a descoberta de uma fina camada de irídio nas rochas que se formaram no fim do período Cretáceo. O irídio é um elemento raro no planeta Terra, mas é encontrado com freqüência em asteróides e cometas. (*fonte: Wikipédia) Ainda não existem provas concretas de que este seria o evento que trouxe todo este cataclisma, além do mais, existem outras tantas teorias a esse respeito. Não se sabe quando nem onde Lucifer e a terça parte dos anjos teria caído, porém esta descrição se encaixa perfeitamente ao que está escrito nos textos citados acima. Se analisarmos as recostruções de como era a superficie terrestre entre os periodos próximos deste acontecimento, poderemos notar a nítida movimentação e desorganização do sistema natural.

10

Período Triássico

Período Jurássico

Período Cretáceo

Homem
“Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra. Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.” Gênesis 1.26-27

Novamente surge a palavra arb, “criar do nada”, porém Deus formou o homem do pó da terra. O que isto quer dizer? Quer dizer que a principal criação aqui não é a física, mas sim a espiritual. Entendamos primeiro que Deus é espírito, ou seja, um Ser espiritual que habita no plano espiritual:
“Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.” João 4.24

Isso indica que aqueles que desejam alcançar a Deus precisam habitar ou acessar a dimensão espiritual. Deus nos criou Sua imagem e semelhança, e colocou dentro de nós essa força, ou fôlego, da vida, que nos dá acesso a Sua pessoa:
“Então, formou o SENHOR Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente.” Gênesis 2.7

Aqui a palavra é hmvn (“NaSHaMaH”), que quer dizer “fôlego”. No dicionário Aurélio, vemos que esta palavra quer dizer: “1- Capacidade de reter ar nos pulmões. 2- Ânimo, coragem”. Isto nos faz entender que o espírito é o que nos torna capazes de reter, ou controlar a alma, ao mesmo tempo em que anima e encoraja. Temos instintos dentro da alma, que são

11

controlados pelo espírito. Diferente dos animais, que não possuem espírito e, portanto, agem por impulso do instinto de sobrevivência natural. O apóstolo Tiago mostra claramente a diferença de quem não tem este controle em sua epístola no capítulo 3 verso 15:
“Esta não é a sabedoria que desce lá do alto; antes, é terrena, animal e demoníaca.”

Fomos feitos semelhantes a Deus por termos este “fôlego de vida”. Quando Adão recebeu o “fôlego de vida”, se tornou diferente das outras criaturas, pois o que controlava suas emoções e ações era o seu “espírito”. Era assim que ele tinha acesso ao Espírito de Deus e podia vê-Lo e conversar com Ele. Quando caiu, Adão fez com que este controle fosse quebrado e houve uma interrupção no acesso a dimensão de Deus. Seria como uma “Pipa” que é ligada a quem a controla por uma linha. O vento a faz voar, porém quem a controla é a pessoa que segura a linha. Se a linha se rompe, o vento a leva. Mesmo com o pedaço da linha que resta, essa “pipa” vai ficar desorientada até que alguém a encontre e a ligue novamente para poder controlá-la. Imagine que a pipa é a alma e a linha o espírito. Deus mantinha tudo sob controle, até que a “linha” se rompeu pelo pecado, e advinha quem que tomou o controle? O equilíbrio O ser humano é uma Alma, que possui dois corpos, físico e espiritual. O corpo físico é o que conhecemos, a alma se restringe à nossa consciência e é onde habitam os sentidos naturais (visão, audição, tato, paladar e olfato) que nos permitem perceber as emoções (amor, raiva, alegria, tristeza, dor, prazer, etc...) e onde há o poder de escolha e a vida; o espírito é o corpo dimensional onde se encontram a razão e o intelecto, que nos ligam a Deus. É assim que funciona! A alma tem o poder de decidir, porém precisa do espírito para decidir de forma correta, se há uma interferência no contato entre a alma e o espírito, a alma fica desorientada, e não consegue se conectar com a dimensão espiritual da forma correta, assim perde-se o controle das emoções, o intelecto é neutralizado e o desastre é iminente! Para que exista equilíbrio é necessário que esta linha seja religada. O espírito é, basicamente, uma forma de energia, mas não é uma energia qualquer, é algo específico. Por ser uma energia, caracteristicamente tudo o que é espiritual também é carregado dessa energia. Tudo o que é espiritual funciona através dessa energia, e isso não exclui os demônios, que também são seres espirituais.

12

Temos vivenciado há um bom tempo sobre como os demônios conseguem influenciar e dominar a vida das pessoas. Vemos isto todos os dias em nossas igrejas. Atendemos pessoas com os mais diversos tipos de atuação negativa, que trazem o desequilíbrio em alguma área de sua vida, quando não em todas. Basicamente, podemos definir o equilíbrio espiritual quando o espírito humano é ligado ao Espírito de Deus somente. Sem Ele o equilíbrio é impossível! Os demônios precisam controlar a forma de canalizar essa energia para não acontecerem conseqüências desagradáveis aos seus planos, pois a intenção deles é fazer com que seja potencializada a força do desejo da alma já separada do espírito, trazendo um desequilíbrio emocional, para terem o controle sobre as vontades e desejos da pessoa. Só temos acesso à dimensão espiritual pelo nosso espírito, ele é a ferramenta dada por Deus para que possamos acessá-lo. O meio mais eficaz de isso ocorrer é quando nos sujeitamos a Ele, e é isto que conhecemos por fé. O “elo perdido” Adão tinha um controle que foi perdido através da queda, como já vimos. A partir daí o homem só conseguiria temporariamente acessar a dimensão espiritual através de um ritual: o sacrifício. Sacrifício Vemos que Abel e seu irmão Caim vieram diante de Deus com suas oferendas, porém Caim trouxe frutos e Abel trouxe um animal que seria imolado em sacrifício. A oferenda de Abel foi aceita e a de Caim não, por quê? O espírito é o “elo perdido” do contato entre o homem e Deus. Agora para acessar a dimensão espiritual seria necessária a utilização de uma carga de energia muito forte, capaz de penetrar na dimensão espiritual e ligar novamente o homem a ela. Seria como fazer uma “ligação direta” espiritual. O princípio é basicamente este, porém a única maneira de fazê-lo seria utilizar a carga energética, ou, a força vital de um ser vivo! Deus não aceitaria o sacrifício de outro ser humano, embora contenha uma carga energética muito maior, porém passou a aceitar os animais para tal. Quando o animal era sacrificado, liberava sua força vital, sua carga de energia, que era suficiente para “abrir caminho” para que o homem tivesse contato com Deus e recebesse o perdão de seus pecados, ou para apenas ter acesso à presença de Deus. Muitos acham isto extremamente cruel, porém devemos entender que não seria necessário se o homem não tivesse quebrado a ligação do espírito com Deus através do pecado!
13

Embora os animais não tenham espírito, a morte seria a única maneira capaz de liberar esta carga energética e refazer essa ligação. O corpo humano é capaz de produzir energia e é capaz de gerar energia equivalente a 120 Watts. Energia suficiente para ascender uma lâmpada! É claro que a carga energética espiritual não é a mesma da energia elétrica, porém este exemplo é para se ter um melhor entendimento de como nosso corpo é carregado de forças energéticas. Os demônios entendem muito bem este princípio, e se utilizam destes sacrifícios para entrar em contato com seus seguidores, só que vão mais além exigindo também os sacrifícios humanos. Segundo o ocultismo, o homem, por ter o espírito, possui uma força energética muito maior que a de um animal, e isso faz com que seja mais profundo o elo criado com a dimensão espiritual. Este conceito já era aplicado nas antigas crenças pagãs. O sacrifício animal já seria o suficiente para o homem ter acesso a Deus, porém os demônios queriam mais que apenas ter acesso ao homem, eles queriam ter liberdade para agir em nossa dimensão, e para isto precisariam de algo muito mais poderoso que apenas uma leve “descarga energética”, precisavam abrir fendas no limite entre a nossa dimensão e a deles para permanecerem o maior tempo possível, pois eles não são Onipresentes, como Deus. Entenda que o sacrifício era necessário para o homem ter acesso à Deus, Deus não precisava de artifícios, pois consegue agir em qualquer dimensão, em qualquer tempo. Os demônios por não possuírem estes atributos, ensinaram o homem a abrir estes espaços espirituais para entrar em nossa dimensão, por isto a necessidade de tanto rigor ritualístico exigido dentro das religiões de mistério. O pecado, ou insubmissão, abria brechas no âmbito espiritual, que causavam uma espécie de “descarga energética” do espírito, causando um desequilíbrio no lado emocional do ser humano. Por isso o que acontecia era uma matança de animais em resultado do pecado humano e chegou ao ponto de desagradarem até mesmo ao próprio Deus:
“O SENHOR eliminará das tendas de Jacó o homem que fizer tal, seja quem for, e o que apresenta ofertas ao SENHOR dos Exércitos. Ainda fazeis isto: cobris o altar do SENHOR de lágrimas, de choro e de gemidos, de sorte que ele já não olha para a oferta, nem a aceita com prazer da vossa mão” Malaquias 2.12-13

O único jeito era ser oferecido um sacrifício que conseguisse não só quebrar a barreira espiritual como também conseguisse ligar permanentemente o espírito humano à dimensão espiritual. Só uma pessoa poderia oferecer este sacrifício: Deus!

14

O diabo sabia que um homem comum não conseguiria suportar a dor que geraria este sacrifício, e tentou de todas as formas fazer com que fosse quebrado o elo que Jesus havia criado, desde seu nascimento, com a dimensão espiritual. Isto porque o Senhor Jesus estava aqui na mesma condição que todos nós, porém sem o pecado, que causava uma descarga energética espiritual (hoje sabemos pela medicina e pela biopsicoenergética que existe uma parte do nosso corpo que é formada por uma energia conhecida pelos cientistas de bioenergia, que seria o espírito. Dentro deste conceito, o corpo possui partes, geralmente onde existe uma quantidade grande de células nervosas, que permitem a carga e descarga desta energia – conhecida como vértices ou chakras pelos esotéricos - que vai se concentrando nas células do corpo. Conforme o indivíduo vai sofrendo descargas desta energia, vai perdendo a capacidade de reposição das células, causando o envelhecimento do corpo. Esta energia vai se esgotando, até que ocorra o falecimento dos órgãos). Assim que Ele foi sacrificado, liberou uma energia tão poderosa que chegou a trazer novamente à vida muitos dos que já haviam morrido. Houve um estrondoso terremoto, e se construiu uma ponte para a dimensão de Deus. Isto possibilitou a sua Ressurreição e trouxe à nossa dimensão o Espírito de Deus. Isso é muito forte! Depois deste sacrifício não seria mais necessário o sacrifício de animais para se ter acesso à presença de Deus. Esta é a força do sacrifício! O que muitos cristãos distorcem é que este foi um sacrifício feito de Deus para o homem, definitivo para este fim, não definitivo da parte do homem, mas de Deus. Devemos entender que para se manter este elo do homem para com Deus também é necessário o sacrifício do homem para Deus ( cf Mt 19.29; Lc 12.13-21, 33-34;13. 25-33; Atos 4. 32-37). Com a chegada do Espírito de Deus, o “elo” que estava perdido foi restaurado, e o espírito humano consegue exercer a função de tornar o homem acessível a Deus e vice-versa. Vemos isto claramente quando o Senhor Jesus afirma:
“Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim, será salvo; entrará, e sairá, e achará pastagem.” João 10.9

Hoje Ele é a porta que nos permite ter acesso à presença de Deus. Os demônios sabem disso, eles se utilizam desta energia, e a forma que eles encontraram de ter contato com os homens é através de aberturas de “portais”.
“Em verdade, em verdade vos digo: o que não entra pela porta no aprisco das ovelhas, mas sobe por outra parte, esse é ladrão e salteador.” João 10.1

15

Parte 2
Os “Portais” Vertentes esotéricas e ocultistas, inclusive científicas, acreditam que existem locais em nosso corpo que possuem energia capaz de elevar o contato do nosso espírito com a dimensão espiritual. São os “portais” que ligam a pessoa ao espiritual. Em várias vertentes orientais, como YOGA, por exemplo, ensinam que podemos alcançar outros níveis de espiritualidade ao abrirmos esses portais. Esses rituais de abertura também podem ser vistos nos rituais das religiões Afro, como candomblé e quimbanda; na pratica Vodu; no espiritismo, através dos “passes”; na medicina com a acupuntura e entre outras vertentes esotéricas como rosacruz, nova era, e é claro, na alta magia ou satanismo. No passado eram comuns certos tipos de rituais para que se tivesse contato com o espiritual, e vemos isto até no culto Judaico. Deus havia estabelecido algumas ordens dentro do culto no tabernáculo e uma série de rituais faziam com que o espiritual fosse acessado. Esses rituais tinham a função de elevar a carga espiritual da pessoa para que esta pudesse atravessar a barreira natural e ter contato com o sobrenatural, e isto acontecia da parte do povo de Deus para ter acesso a Ele, e também por parte dos pagãos, que tinham acesso aos demônios. Vemos nas Escrituras a citação de que Deus “abriu os olhos” de um falso profeta chamado Balaão. É claro que os “olhos” que foram abertos não eram os físicos, mas sim “olhos espirituais”, pois os físicos já estavam abertos para olhar o caminho. Podemos entender que Deus permitiu que Balaão tivesse acesso à dimensão espiritual e lhe permitisse com isto ver algo que não seria possível apenas pelo sentido natural da visão (Números 22.31). Em todo o velho testamento vemos citações semelhantes, e até no novo testamento (como é o caso do apóstolo João que recebeu as revelações no livro de
16

apocalipse). Vemos também outros casos como o da médium de En-Dor que vira um espírito que dizia ser o “profeta Samuel” já desencarnado (1 Sm 28.). Todos estes casos, porém, nos dão apenas uma alusão do que realmente isto significa. A forma usual de contato entre os demônios e os humanos é puramente espiritual, ele se utilizam destes “portais” para acessar a alma humana e potencializar suas emoções, seduzindo e enganando. Devemos entender também que estas dimensões espirituais não são distantes, mas coexistem em nossa dimensão, estão aqui, agora. Nós fomos limitados a enxergar apenas a dimensão física, por perdermos as características originais que existiam em Adão, por exemplo. Porém quando uma pessoa abre esses portais através de rituais específicos, passa a ter um contato muito intenso com essas dimensões. É assim que os demônios tem contato com seus seguidores. Camuflagem e mimetismo Outra artimanha do diabo é o disfarce! Se não for visto, não vai ser percebido; e se não há inimigo, pra que, ou contra quem resistir? É assim que ele tem trabalhado desde que caiu. Existem duas técnicas muito distintas de disfarce na natureza. A CAMUFLAGEM e o MIMETISMO. CAMUFLAGEM – é a técnica de disfarce que visa com que o objeto não seja percebido no ambiente. Pode ser definida pela cor, formato e textura. O fator determinante para que ocorra uma camuflagem característica e eficaz é o AMBIENTE. Seria inútil, por exemplo, um animal camuflar-se pela cor, se o predador não for sensível á visão. É o caso do camaleão, que consegue mudar sua cor para não ser percebido no ambiente. Da mesma forma, não seria necessário o predador se camuflar para não ser visto se a vítima não enxerga bem, que é o caso do peixe pedra, por exemplo, que se camufla em meio as pedras para pegar a presa sem que ela perceba que ele está ali. Para a camuflagem ter sucesso ela deve se misturar ao ambiente. O lugar em que os demônios mais se utilizam da camuflagem é nas religiões. Ele se camufla de ser iluminado, de uma divindade, ou de uma pessoa que faleceu e quer dar uma “ajudinha” pra quem ainda está por aqui. MIMETISMO - é a técnica de disfarce em que o objeto é visto, porém confundido com outro, é a arte da mímica. Por exemplo. Existem uma série de insetos inofensivos, que imitam a coloração da vespa para serem confundidos. Esta é a forma preferida dos demônios para agir dentro da igreja.
17

Lúcifer usa dessas artimanhas para enganar e distrair o homem com suas várias faces, se passando por Deus. Durante toda a história antiga os demônios se disfarçaram de deuses para receberem culto, pois não se tinha ainda o conhecimento da existência destes seres, portanto as manifestações sobrenaturais que traziam os demônios para nossa dimensão eram muitas vezes confundidas com manifestações de Deus. Depois que o Senhor Jesus revelou de quem se tratam os ídolos pagãos ele passou a se disfarçar por algo “não tão ruim” assim. O OPORTUNISMO é outra característica marcante da personalidade dos demônios, se der brecha, já era! Contudo, existe uma lei que rege o mundo em todas as suas dimensões. E embora os demônios não sejam lá muito respeitosos, são seres extremamente disciplinados em seguir essas leis, pois é a desobediência dessas regras por parte dos homens que dá lugar a ação deles. Eles são extremamente legalistas. Em toda a história nós podemos encontrar vestígios, rastros de ações demoníacas. Analisando o contexto histórico poderemos ter uma visão mais ampla da atuação destas características dos demônios.

18

Parte 3
Pré-dilúvio
“Como se foram multiplicando os homens na terra, e lhes nasceram filhas, vendo os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas, tomaram para si mulheres, as que, entre todas, mais lhes agradaram... Ora, naquele tempo havia gigantes na terra; e também depois, quando os filhos de Deus possuíram as filhas dos homens, as quais lhes deram filhos; estes foram valentes, varões de renome, na antiguidade.” Genesis 6.1-2

Já se sabe que homens de grande estatura existiram na antiguidade, estas imagens mostram isto. Porém o que é que aconteceu para que estes homens tomassem essas proporções gigantescas? A bíblia afirma que os “filhos de Deus” possuíram mulheres. Quem eram eles? Como no passado não se tinha idéia da queda dos seres angelicais, nem se tinha a mínima noção de quem eram esses seres, acreditava-se que toda manifestação sobrenatural vinha de Deus. O mal era fruto do “mau humor” de Deus, ou o bem fruto do Seu bom humor, etc. Daí chamarem essas criaturas de “filhos de Deus”. Já sabemos que os anjos possuem livre arbítrio como nós, e que a terça parte deles utilizou desta liberdade para se rebelarem contra o Criador. Quando o homem pecou, eles encontraram uma “brecha” para terem contato com o ser humano, e começava ai uma relação muito, muito perigosa! O homem havia sido criado com uma capacidade incrível de comunicação, raciocínio e força. Sua capacidade era tanto natural quanto sobrenatural. Com a queda, o homem foi perdendo aos poucos sua capacidade espiritual, lha restando em sua maior parte a natural. É triste sabermos que hoje o
19

homem possui apenas uma fração da capacidade que possuía quando foi criado. Os cientistas estimam que as pessoas que utilizam a maior capacidade de raciocínio hoje, usem apenas cerca de 10% de suas capacidades motoras. No passado os seres humanos ainda conseguiam manter algum contato espiritual pela capacidade que ainda conseguiam manter. Vemos isto pelo fato de que Deus fala com Caim, mesmo após a atitude deste de ter assassinado o irmão. Podemos com isto entender que o homem prédiluviano ainda conseguia manter contato com a dimensão espiritual mesmo caído espiritualmente. É neste contexto que os demônios se aproveitam para iniciar suas obras aqui na terra. Já vimos que espíritos são feitos de algum tipo de energia, e toda a energia pode transpor objetos, se for distribuída da forma correta, sabemos disto pelas várias formas de energias que conhecemos e que atuam em nosso meio, como a energia estática, ultravioleta, etc. Daniel Mastral, ex-satanista, explica isto muito bem em seu testemunho falando a respeito da “projeção astral” ou “desdobramento”, que é a capacidade de separar o espírito do corpo e fazer “viagens astrais”: “Segundo o que eu havia aprendido não existe nada sólido. Isto é, o

"sólido absoluto" não existe de verdade. Toda a matéria é composta por moléculas que, por sua vez, são compostas de átomos. E existem espaços entre um átomo e outro. Quando, pelo desdobramento, projetamos o nosso espírito é óbvio que ele não é composto por matéria nenhuma. Então é muito fácil compreender porque ele pode passar através de quase tudo. Assim como não se pode atravessar um pedaço de tecido com a mão, mas a água pode atravessá-lo, o mesmo acontece com o espírito. O corpo não atravessa e nem pode ir a muitos lugares, mas o espírito humano pode. O espírito atravessa os obstáculos como uma "radiação".” Filho do Fogo Vol 2 – pág 207
Ou seja, o espírito não possui matéria, mas pode se condensar em nossa dimensão para tomar forma, e é isto que os demônios fazem para se materializar. No livro “Sexo com o diabo”, Maria de Fátima relata abusos sexuais por um espírito que se materializava e a abusava quando feiticeira. No Livro “Ele veio para Libertar os Cativos”, a ex-satanista Elaine conta da materialização dos demônios e das relações sexuais com espíritos materializados, exatamente como Daniel Mastral narra em “Filho do fogo”.
20

O que acontece hoje acontecia também no passado. Os demônios se materializam, geralmente dentro de rituais específicos, para ter contato físico com o ser humano, e consegue isto através de um fenômeno físico. Por possuir carga energética muito forte o espírito consegue modificar moléculas e adicionar massa, condensando essa energia de forma equilibrada. Com isso puderam modificar geneticamente a estatura dos homens no passado, alterando seu mapa genético dentro do DNA, que carrega um conjunto de informações genéticas(claro que os homens não conheciam o fenômeno desta forma, o DNA só foi descoberto recentemente pela ciência). A radiação consegue, pela carga energética que possui, modificar o DNA de qualquer ser vivo. Isto é um fato científico. Quando um espírito encontra condições de ser canalizado, ou o que costumamos chamar de “incorporar”, ele condensa sua energia para um fim específico. Muitas vezes mesmo depois de deixar a pessoa consciente, a carga espiritual do demônio permanece ali no ambiente e é assim que ocorrem muitas destas ações diabólicas. No ocultismo é comum as pessoas se prepararem ritualisticamente por um determinado período para poderem canalizar as entidades, para concentrarem energia vital que será necessária para a canalização. Pois quando os demônios vão canalizar a pessoa precisam equilibrar o campo energético na dimensão física. Demônios de grau hierárquico menor possuem uma carga muito menor que principados e potestades, por exemplo, por isto conseguem alcançar este equilíbrio com muito mais facilidade. Porém isto não é tão simples quando se tratam de entidades de altas patentes. Principados e potestades necessitam de muito mais preparo do “canalizador”, pois pela carga energética que estes espíritos carregam, é necessário causar uma espécie de descarga energética na pessoa para que ele consiga o equilíbrio energético necessário para canalizar e podem desencadear uma série de conseqüências no corpo, podendo causar paradas cardíacas, entre outras consequências, e até a morte.

21

Foi no intuito de gerar um ser humano capaz de receber esta carga energética que os demônios começaram a fazer estas “experiências” genéticas no ser humano. Conseguiram um progresso muito grande! Outros exemplos de como os demônios podem modificar a matéria é por meio de enfermidades. Muitas vezes eles podem simplesmente alimentar ou canalizar uma bactéria ou fungo, ou outro ser vivo qualquer, que seja nocivo ao nosso organismo, ou também, através desta “condensação energética” alterar geneticamente uma célula, ou vírus, em seu DNA, causando tumores, ou vírus mutantes. Todos já ouvimos falar de “cirurgia espiritual”. O que ocorre nestes rituais é que o demônio que está presente na vida da pessoa traz sua carga energética e consegue com ela causar algum dano nocivo a saúde, ele então canaliza um médium, por exemplo, e retira aquela carga energética que ele mesmo colocou, assim a enfermidade desaparece. Pronto, milagre! Nada disso. Engano! Claro que nem em todas as situações de enfermidade são demônios que causam, podem ser ocasionadas por causas naturais, como o caso de câncer de pele, que pode surgir por exposição excessiva à radiação solar, mas é importante se entender que estes seres espirituais também podem influenciar uma mudança genética através desta ação! Os demônios são criaturas, e não podem criar vida, ou matéria, porém podem modificá-la. É importante frisar que essa influência energética ocorre pela presença do espírito de que é emanada esta carga. Por isto uma série de sintomas, ou sinais, pode evidenciar a presença de entidades na vida de uma pessoa. É assim que eles conseguem se materializar, condensando sua energia em matéria física. Seria como a água, por exemplo. Se a água é submetida à um calor intenso (calor é uma manifestação de atividade energética, onde ocorre transferência de energia de um corpo à outro) suas moléculas são divididas e ela se torna vapor, o vapor se dissipa facilmente, porém pode ser condensado e se tornar líquido se o calor da água cede ao ambiente. Esse fenômeno pode ser observado quando se toma banho quente no inverno, quando a temperatura do ambiente contém menos energia que a água quente, que se evapora. Quando o vapor cede energia ao ambiente, para haver equilíbrio, a água volta ao estado líquido e o ambiente fica úmido novamente, e é visualizada pelas gotinhas de água nas paredes ou nos vidros. É mais ou menos assim que acontece, a carga energética do espírito condensa a matéria formada pelos átomos e modifica a estrutura molecular da matéria podendo dar a ela formas diferentes. Isto pode ocorrer também num fenômeno chamado “licantropia”, em que pode haver uma
22

transmutação. Hoje é muito diferente do que antes, mas na idade média acreditava-se em criaturas como lobisomem e vampiros. Bem, estas estórias têm um “q” de verdade, porém é claro que o medo das testemunhas destes fatos aumentou um pouco a situação, além da criatividade de escritores e autores de filmes. Acredite você ou não, eles existem! Este fenômeno consiste na mudança de uma matéria existente em outra, uma espécie de “mutação”. Este fato também pode ser encontrado nas escrituras, quando o rei Nabucodonosor é “transmutado” em um animal.
“Falava ainda o rei quando desceu uma voz do céu: A ti se diz, ó rei Nabucodonosor: Já passou de ti o reino. Serás expulso de entre os homens, e a tua morada será com os animais do campo; e far-te-ão comer ervas como os bois, e passar-se-ão sete tempos por cima de ti, até que aprendas que o Altíssimo tem domínio sobre o reino dos homens e o dá a quem quer. No mesmo instante, se cumpriu a palavra sobre Nabucodonosor; e foi expulso de entre os homens e passou a comer erva como os bois, o seu corpo foi molhado do orvalho do céu, até que lhe cresceram os cabelos como as penas da águia, e as suas unhas, como as das aves. Daniel 4.31-33

Mas... Voltando ao assunto. Como um demônio consegue engravidar uma mulher? Simples. Os demônios se materializam tanto em forma masculina como em feminina. Eles têm a capacidade de se materializar da forma que for mais conveniente. Quando na forma feminina, ou súcubo, o demônio tem relação com um homem que fornece o sêmem, que é armazenado pelo demônio, onde vai sofrer alterações energéticas e genéticas, para depois ser introduzido em uma mulher, usando a forma masculina, ou íncubo. Os ocultistas acreditam também que a energia deixada pela materialização dos demônios, ou canalização deles, se dissipa muito lentamente, e pode continuar agindo na célula mesmo depois de inserida na mulher. Isto não é feito a esmo. Existiam, e existem, rituais específicos para este fim conhecidos como “rituais de fertilidade”. Foram assim que surgiram os gigantes. Gigantes Não é exclusividade do texto de gênesis a citação de criaturas de alta estatura na antiguidade, nem tampouco da bíblia. Em todas as civilizações antigas existia a figura do “herói” gigante. Para os Sumérios eram os “Anunnakis”; para os Gregos , os “titãs”; Para os Egípcios, os “netheru”; para os nórdicos,”Jotnar”, entre outras.

23

Atualmente, existem muitos fósseis de humanos de tamanho gigantesco achados em partes diferentes do globo, e que confirmam as narrativas bíblicas da existência deles.
“Os emins, dantes, habitavam nela, povo grande, numeroso e alto como os anaquins; também eles foram considerados refains, como os anaquins; e os moabitas lhes chamavam emins.” Deuteronômio 2.10-11 “Porque só Ogue, rei de Basã, restou dos refains; eis que o seu leito, leito de ferro, não está, porventura, em Rabá dos filhos de Amom, sendo de nove côvados (4 metros) o seu comprimento, e de quatro (1,78 ms), a sua largura, pelo côvado comum?” Deuteronômio 3.11 “Também vimos ali gigantes (os filhos de Anaque são descendentes de gigantes), e éramos, aos nossos próprios olhos, como gafanhotos e assim também o éramos aos seus olhos.” Números 13.33 “Houve ainda outra guerra em Gate; havia ali um homem de grande estatura, tinha vinte e quatro dedos, seis em cada mão e seis em cada pé; também este descendia dos gigantes.” 1 Crônicas 20:6

Em 2006, na índia, foi descoberta uma pegada com cerca de 79 cm de um homem, e que , pelos cálculos dos antropólogos indianos, deveria pesar cerca de 400 quilos, tendo mais de 5 metros de altura. Outras destas pegadas foram encontradas na Austrália e nos Estados Unidos. Esta pegada à esquerda é de uma mulher. Tem 45 cm e pelos cálculos ela devia pesar cerca de 454 quilos, e ter cerca de 3 metros de altura. Eles não eram apenas uma mutação. Formavam sociedades, cidades, reinos de homens de grande estatura. A bíblia relata que a crença destes povos eram extremamente ofensivas à Deus. Isto porque eles cultuavam os demônios que se materializavam em forma de deuses que influenciavam diretamente no ambiente e principalmente na natureza. Existia o deus das montanhas, da lua, do sol, das plantações, das colheitas, etc. o mais interessante é que o culto a esses deuses exigia duas coisas em comum: sacrifícios e orgias sexuais. Mas foi no período pré-diluviano que foi mais comum a existência deles! É interessante notar que em várias culturas encontramos referencia aos homens de grande estatura, veremos alguns detalhes mais adiante.

24

Depois do dilúvio, os demônios parecem ter perdido o interesse em chamar tanto a atenção, seria melhor trabalhar sem serem percebidos. Por isto se tornaram mais raros os aparecimentos de gigantes na historia. O gigante mais famoso da história, sem dúvida, foi Golias. A bíblia o descreve como sendo um homem de renome entre o povo filisteu, ferozes inimigos de Israel.
“Então, saiu do arraial dos filisteus um homem guerreiro, cujo nome era Golias, de Gate, da altura de seis côvados e um palmo (2,90 metros).” 1 Samuel 17:4

25

Pós-Dilúvio Depois da destruição causada pelas águas do dilúvio, Noé e sua família desembarcaram da arca com novas perspectivas. Os demônios haviam perdido território, pois as únicas pessoas que estariam habitando a terra seriam 8 pessoas, salvas pela arca construída por ordem Divina. O que poderia ocorrer de errado?

“Sendo Noé lavrador, passou a plantar uma vinha. Bebendo do vinho, embriagou-se e se pôs nu dentro de sua tenda. Cam, pai de Canaã, vendo a nudez do pai, fê-lo saber, fora, a seus dois irmãos. Então, Sem e Jafé tomaram uma capa, puseram-na sobre os próprios ombros de ambos e, andando de costas, rostos desviados, cobriram a nudez do pai, sem que a vissem. Despertando Noé do seu vinho, soube o que lhe fizera o filho mais moço e disse: Maldito seja Canaã; seja servo dos servos a seus irmãos.” Gênesis 9.20-25

Noé trouxe sobre sua própria família uma maldição que traria conseqüências desastrosas. Cam, ao receber a maldição, abriu uma porta para que os demônios novamente voltassem a agir, pois quem seria o agente da maldição, senão os demônios?
“Os filhos de Cam: Cuxe, Mizraim, Pute e Canaã. Os filhos de Cuxe: Sebá, Havilá, Sabtá, Raamá e Sabtecá; e os filhos de Raamá: Sabá e Dedã. Cuxe gerou a Ninrode, o qual começou a ser poderoso na terra. Foi valente caçador diante do SENHOR; daí dizer-se: Como Ninrode, poderoso caçador diante do SENHOR. O princípio do seu reino foi Babel, Ereque, Acade e Calné, na terra de Sinar. Daquela terra saiu ele para a Assíria e edificou Nínive, Reobote-Ir e Calá. E, entre Nínive e Calá, a grande cidade de Resém.” Gênesis 10.6-12

Aqui surge o nome de uma das maiores armas do diabo no mundo: Ninrode. Ninrode Os escritos rabínicos derivaram o nome Ninrode do verbo hebraico hrm (pronuncía-se – mmróh), que significa "rebelde". Assim, o Talmude Babilônico (Erubin 53a) declara: "Então, por que foi ele chamado de Ninrode? Porque
incitou todo o mundo a se rebelar (himrid) contra a Sua soberania." — Encyclopedia of Biblical Interpretation (Enciclopédia de Interpretação Bíblica), de Menahem M. Kasher, Vol. II, 1955, p. 79.

26

"O que Ninrode fez ao sair no encalço como caçador era o primeiro indício do que conseguiu como conquistador. [...] O significado, então, será que Ninrode foi o primeiro, depois do dilúvio, a fundar um reino, a unir os espalhados fragmentos do domínio patriarcal e a consolidá-los sob si próprio como único cabeça e senhor; e tudo isso em desafio a Deus, pois significava a intrusão violenta do poder camítico em território semítico." — Cyclopædia de M’Clintock e Strong 1894, Vol. VII, p. 109.

Flávio Josefo, historiador judeu contemporâneo dos apóstolos no primeiro século, faz uma citação de Ninrode em sua “História dos Hebreus”: “Esses ingratos, porém, esquecidos de que deviam a Ele todos os seus bens e atribuindo-os a si
mesmos, continuaram a desobedecer-lhe e acrescentaram à sua desobediência a impiedade de imaginar que era uma cilada que se lhes armava, a fim de que, estando divididos, pudesse Deus mais facilmente destruí-los. Ninrode, neto de Cam, um dos filhos de Noé, foi quem os levou a desprezar a Deus dessa maneira. Ao mesmo tempo valente e corajoso, persuadiu-os de que deviam unicamente ao seu próprio valor, e não a Deus, toda a sua boa fortuna. E, como aspirava ao governo e queria que o escolhessem como chefe, abandonando a Deus, ofereceu-se para protegê-los contra Ele (caso Deus ameaçasse a terra com outro dilúvio), construindo uma torre para esse fim, tão alta que não somente as águas não poderiam chegar-lhe ao cimo como ainda ele vingaria a morte de seus antepassados. O povo, insensato, deixou-se dominar pela estulta convicção de que lhes seria vergonhoso ceder a Deus, e começaram a trabalhar nessa obra com incrível ardor. A multidão e a atividade dos operários fez com que a torre em pouco tempo se elevasse a uma altura acima de qualquer expectativa, mas a sua debilidade fazia com que parecesse menos alta do que era de fato. Construíram-na de tijolos, cimentando-a com betume, para torná-la mais forte. Deus, irado com essa loucura, não quis no entanto exterminá-los, como fizera aos seus predecessores, cujo exemplo, aliás, lhes havia sido de todo inútil, mas pôs divisão entre eles, fazendo com que a única língua que falavam se multiplicasse num instante, de tal modo que não mais se entendiam. A confusão fez com que se desse ao lugar onde se havia construído a torre o nome de Babilônia, pois Babel em hebreu significa "confusão". Antiguidades Judaicas – Cap 4 - 16

Ninrode envolveu-se com os demônios de maneira tal, que intensificou a atividade espiritual em nossa dimensão, e os demônios se utilizaram disto com o intuito de alcançarem o nível de divindades. Desenvolveu estudos astrológicos e mapeou o céu com suas constelações, dando origem a astrologia, e com isto pode desenvolver os rituais de adoração aos seus deuses, que na verdade eram demônios, e se auto proclamou o “rei de toda a terra” (ba-al). Através de leituras astrológicas ele desenvolveu mapas, divididos em 12 casas, ou signos, que correspondiam aos deuses que moravam nas constelações (veremos isto mais detalhadamente adiante). Através desses mapas, feitos por leituras
27

astrais, os “deuses” se comunicavam com o homem, dando coordenadas. Claro que o intuito dos demônios aqui era de abrir caminho para convencer os homens de que eram “deuses” e davam algumas dicas estratégicas que fizeram de Ninrode um conquistador, “Varão de renome...”. A astrologia do passado entendia que cada casa zodiacal, era uma sinalização de determinada divindade e entendiam as mudanças de clima, de estação, ou outros acontecimentos naturais, como intervenção daquela divindade relacionada com determinada constelação. Assim eles conseguiam saber quais os períodos próprios para uma determinada atividade e associavam um Calendário estelar babilônico deus aquela atividade ou fenômeno. Por isso existia o deus do Sol, da Lua, das montanhas, do trovão, etc. Os principais 12 deuses tinham por referencia uma casa no perímetro chamado de Zodíaco.
Conquistas

A primeira cidade que teria construído teria seu próprio nome, mais tarde foi invadindo novas terras em busca de poder, e chegou a governar sobre as principais províncias da época: Ereque (Uruk), Acade (Akkad) e Calné (Nippur). Na terra de Sinar (Sumer) construiu as cidades de Ruinas do palácio de Nimrod Nínive, Calá e Reobote-Ir. Depois de alcançar status de Soberano, Ninrode decidiu juntar os povos, e construir uma cidade vertical, com o intuito de atingir o céu e tomar o lugar de Deus. Neste período já existiam sacerdotes devotados a oferecer sacrifícios rituais para os deuses. Como nesta época os demônios tinham acesso restrito a nossa dimensão, exigiam-se ainda muitos mais rituais para contatar
28

os “deuses”. Ninrode, em sua megalomania, teve despertado o desejo de construir um altar que não fosse só um lugar de culto aos deuses, aos quais se incluía, porem também fosse um lugar em que se pudesse manter contato constante com a dimensão espiritual. Para ele, os deuses moravam nas constelações, por isto este devia ser o seu lugar, queria levar seu trono aos céus e destronar o Deus de seus pais, como vingança, e tomar o Seu lugar. Deu início a construção do que seria o primeiro Zigurate, e que seria um dos maiores símbolos de rebelião contra Deus: a torre de Babel.
A torre de Babel

Conhecida pelos babilônicos como Etemenanki (Algo como “casa de deus na terra”), acredita-se que era o primeiro zigurate produzido. Vários registros históricos são relacionados a esta construção. Em 570 a.C. Nabucodonosor II descreveu seu estado: “Um antigo rei construiu o Templo das Sete Luzes da Terra, mas ele não completou a sua
cabeça. Desde um tempo remoto, as pessoas tinham-no abandonado, sem a ordem a expressar as suas palavras. Desde aquele tempo terramotos e relâmpagos tinham dispersado o seu barro secado pelo sol; os tijolos da cobertura tinham-se rachado, e a terra do interior tinha sido dispersada em montes. Merodach(Marduk), o grande senhor, excitou a minha mente para reparar este edifício.”

Heródoto, em 440 a.C. escreve: “A parede exterior da Babilónia é a principal defesa da cidade. Há, contudo, uma segunda
parede interior, de menor espessura que a primeira, mas não muito inferior a ela [parede exterior] em força. O centro de cada divisão da cidade era ocupado por uma fortaleza. Numa ficava o palácio dos reis, rodeado por um muro de grande força e tamanho: na outra estava o sagrado recinto de Júpiter Belus, um cerco quadrado de 201 m de cada lado, com portões de latão sólido; que também lá estavam no meu tempo. No meio do recinto estava uma torre de mampostería 29

sólida, de 201 m em comprimento e largura, sobre a qual estava erguida uma segunda torre, e nessa uma terceira, e assim até oito. A ascensão até ao topo está do lado de fora, por um caminho que rodeia todas as torres. Quando se está a meio do caminho, há um lugar para descansar e assentos, onde as pessoas se podem sentar por algum tempo no seu caminho até ao topo. Na torre do topo há um templo espaçoso, e dentro do templo está um sofá de tamanho invulgar, ricamente adornado, com uma mesa dourada ao seu lado. Não há estátua de espécie alguma nesse sítio, nem é a câmara ocupada de noite por alguém a não ser por uma mulher nativa, que, como os Caldeus, os sacerdotes deste deus, afirmam, é escolhida para si próprio pela divindade, de todas as mulheres da terra.”

Júpiter belus é a incorporação de Marduk para os romanos e do Zeus grego. A Torre histórica encomendada por Nabucodonosor a cerca de 560 a.C. na forma de um zigurate de oito níveis é vista pelos historiadores como tendo cerca de 2089 metros de altura e 100 de largura. A Torre de Babel Bíblica contudo, teria sido construída 2000 anos antes. A narrativa no livro do Gênesis não menciona a altura da torre, e por isso não tem sido um grande tema de debate entre fundamentalistas Cristãos. Há, porém, pelo menos duas fontes apócrifas que mencionam a altura da torre. O Livro dos Jubileus ( 200 a.C.) menciona a altura da torre como sendo de 5433 cúbitos e 2 palmos (2484 metros de altura = um prédio de 800 andares). Isto seria aproximadamente quatro vezes mais alto do que as estruturas mais altas do mundo de hoje e em toda a história humana. Tal afirmação seria considerada mítica para a maioria dos estudiosos, visto que construtores em tais tempos antigos seriam considerados incapazes de construir uma estrutura de quase 2,5 quilómetros de altura. A outra fonte extra-canonical é encontrada no Terceiro Apocalipse de Baruch ; menciona que a 'torre da discórdia' alcançava uma altura de 463 cúbitos (212 metros de altura = um prédio de 70 andares). Isto seria mais alto do que qualquer outra estrutura construída no mundo antigo, como a Pirâmide de Quéops em Gizé, Egito, e mais alta do que qualquer estrutura construída na história humana até à construção da Torre Eiffel em 1889. Uma torre de tal altura no mundo antigo teria sido tão incrível ao ponto de merecer a sua reputação e menção na Bíblia e outros textos históricos. A torre só não foi terminada por que Deus não quis. Mas a ousadia dessa empreitada mostra o conhecimento que estes povos tinham sobre resistencia de materiais, cálculo e clima. Se desenvolvia rapidamente o conhecimento, e os demônios cada vez mais ganhavam espaço na sociedade, que ainda os conhecia apenas como “deuses”. Ninrode, orientado por estes “deuses” cometeu incesto e se casou com sua própria mãe, Semíramis.

30

Semíramis Semíramis se tornou uma mulher muito poderosa e influente, era conhecedora das ciências esotéricas e da astrologia. Ela estava grávida, ainda, quando Ninrode morreu, segundo a tradição, assassinado por seu avo Cam, que o partiu em pedaços pela sua dissimulação. Ela divulgou que Ninrode renasceria em breve e quando seu filho nasceu chamou-o de Tamuz (“Filho Fiel”), que seria a reencarnação de Ninrode. Aí nascia a base da crença pagã. Tradicionalmente, Semíramis teria juntado os pedaços de Ninrode para ressuscitá-lo em um ritual, mas faltaria um pedaço (o órgão reprodutivo) o que a impossibilitou de trazê-lo a vida. Mais tarde isto se repetiria no mito de Ísis no Egito. O simbolismo criado a partir desta parte da história se perpetuaria até aos dias atuais. A mulher (Princípio gerativo Feminino) e o homem (Princípio gerativo masculino) que se fertilizam para trazer á luz um filho divino com o pai que é mutilado. Isto se propagou como um incêndio nas culturas antigas, e ritos de fertilidade se alastraram por quase todas as crenças antigas, com orgias e sacrifícios humanos, sempre alegoricamente ligados à história de Tamuz. Isto é apenas um meio que o diabo encontrou para confundir seus ídolos pagãos com a vinda do Senhor Jesus. Estes rituais se repetiram em todas as crenças politeístas da antiguidade. Ninrode e Semíramis foram apenas os estopins de uma grande jornada dos demônios para abrir “portais”, brechas espirituais para que eles pudessem entrar em nossa dimensão para se misturarem em nossa existência. Atribuem-se à eles o início do ocultismo, das escolas de mistérios, da maçonaria, do satanismo, da magia cerimonial e das artes esotéricas como a astrologia, entre outros. Todos estes tem como referencia a magia iniciada por Ninrode e Semíramis. O reinado de Ninrode serviu de base para a formação da primeira civilização conhecida, a dos Sumérios.
Sumérios

Esta civilização era comumente conhecida como sag-gi-ga (o povo de cabeças negras) e chamavam sua terra por Ki-en-gi, “Terra do conhecimento”. A palavra acadiana Shumer possivelmente representa esse nome num dialeto diferente. A respeito dos sumérios, acredita-se que foram invasores ou migrantes. Os Sumérios possuíam uma cultura superior

31

cientificamente, plenamente desenvolvida, a qual impunham aos semitas (descendentes de Sem), em parte ainda bárbaros. A astronomia suméria era extremamente avançada. Seus observatórios eram capazes de obter cálculos do ciclo lunar que diferiam somente 0.4 segundos dos nossos cálculos atuais. Foi encontrado também, na colina de Kuyundjick (a antiga Nínive), um cálculo com impressionantes 15 casas, com resultado final igual a 195.955.200.000.000(quatrilhões). Os gregos, no auge de seu saber, não se atreveram a ultrapassar o número 10.000, considerando tudo o que passasse deste valor como infinito. A base de cálculo que utilizavam era o sistema sexagesimal, dividido em base de 5 e base de 12. A base de 5 se utilizava dos dedos de uma mão para unidades e os da outra mão como memória de contagem. A base de 12 se utilizava das três falanges de cada dedo e do polegar como auxiliar de contagem, assim era possível contar até 12 em uma mão. A outra mão utilizava da mesma maneira como a base de cinco, como memória de contagem, possibilitando uma soma até o numero 60 (5x12= 60) daí o nome sexagesimal. Deixada posteriormente de herança para os babilonicos, a ciência dos sumérios contribuiu em grande parte para o ocidente e oriente. Criaram sistema de medidas de capacidade, de superfície e de pesos. Possuiam réguas graduadas, iguais ao nosso “metro”. E dividiram os dias em 24 horas iguais: 12 Danna (horas duplas –

Sistema Sexagesimal

solares e lunares). Foi através deste sistema que temos hoje a medida de tempo em horas, minutos e segundos divididos em unidades sexagesimais, e também de graus que demarcam ângulos e arcos. Uma tabuinha encontrada em Nippur pode ser considerada o primeiro manual de medicina do mundo! Nessa tabuinha, onde havia fórmulas químicas e fórmulas mágicas (encantamentos), usavam termos tão especializados que para traduzirem precisaram da ajuda de químicos. Na farmácia, usava-se substancias vegetais, animais e minerais. Laxantes, purgantes e diuréticos formavam a maioria dos remédios daquele povo. Determinadas cirurgias também eram postas em prática. Nas ruínas das cidades sumérias escavadas por arqueólogos desde o princípio do século XX, foram encontradas muitas centenas de inscrições e
32

textos deste povo sobre suas observações celestes. Entre estas inscrições existem listas específicas de constelações e posicionamento de planetas no espaço, bem como informações e manuais de observação. Existem textos específicos sobre o sistema solar e o movimento dos planetas em torno do Sol, na sua ordem correta. Os sumérios consideravam o sistema solar um conjunto de 12 planetas, contando o sol e a lua. O décimo planeta era chamado por eles de Nibiru, um planeta além de plutão com uma orbita muito extensa. Hoje existem pessoas que ainda acreditam na existência deste planeta - que alguns defendem ser um cometa - e associam os anunnakis – os gigantes dos sumérios - à seres extraterrestres vindos de Nibirú, os reptilianos.
Annunakis

Os mesopotâmeos acreditavam que os Annunaki (“aqueles que do céu a terra vieram”) eram um raça de deuses reptilianos que vinha de Nibirú, para explorar ouro de nossa terra a fim de trazer equilíbrio a atmosfera de seu planeta. Depois de uma revolta, os annunaki resolveram causar alterações genéticas nos cromagnos (raça de servos) dentro de vasos de barro, de onde surgiam os escravos: os seres humanos. Após o grande dilúvio, narrado no poema de gilgamés, os annunaki voltaram para o céu mas deixaram alguns vigias. Anu era o rei de 300 guardas que ficavam nos céus (estrelas) e 600 ficaram na terra desigandos segundo suas funções. Esta crença de que “deuses répteis” criaram o homem não é exclusividade dos sumérios. Os imperadores japoneses se declaravam filhos dos deuses dragões vindos do céu. Alguns aborígenes australianos acreditam numa raça reptiliana que vive dentro da terra e governa os homens, eles acreditam que o homen descende dessa raça. Na China, acreditam que Nqua, a Rainha serpente se reproduziu através dos homens. Na Índia, eles são chamados Nagas, de onde descendem as familias reais. No Oriente Médiio acreditavase que uma raça de serpentes criou o homen. Na África, os Chitauri (Gigantes), ou “filhos da serpente”, descendiam de uma raça divina vinda do céu. Os Maias diziam que seus antepassados eram o povo da serpente e os Aztecas diziam ter sido criados por uma mulher serpente. Os indios Hopi, na América, citam deuses que desceram do céu para procriarem com suas mulheres, dando origem a uma raça de guerreiros, os “irmãos serpente”. Os reis mesopotâmicos acreditavam ser descendentes de Anu. Eles deram origem aos reis do egito, os faraós (que diziam descender de Hórus). Alguns imperadores romanos, que descendiam de faraós, acreditavam descender de Júpiter, e deram origem a alguns monarcas europeus, que deram origem a nobreza, de onde descendem grandes líderes governamentais.
33

Hoje em dia muitos ufólogos defendem que os reptilianos são seres extraterrestres, e que pelo fato do ciclo de incidencia em que nibirú passa pela nossa órbita estar próximo, estes continuam preparando terreno para uma invasão e colonização da terra. Isto explicaria a aparição de OVNIs em várias partes do globo. Porém já existem vários documentários cientificos explicando que os ovnis são um disparate da industria bélica para disfarçar o desenvolvimento de aeronaves em formato discóide. Um dos mais importantes a respito deste assunto é o “Verdadeiros discos voadores” discovery channel. Porém isto é uma alusão difundida na mente das pessoas para que quando acontecer o arrebatamento as pessoas associem a causa do desaparecimento de milhares de cristãos com a ação reptiliana. Mais uma armação do diabo. Estes seres não passam de materializações de demonios se passando por deuses e isso desde o período dos Sumérios. Suas tabulas de argila contém informações preciosas sobre o Sistema Solar. O mais impressionante são os dados sobre Plutão – planeta só (re)descoberto em 1930! Eles possuíam conhecimentos sobre o tamanho, composições químicas e físicas de Plutão e afirmavam que este era na verdade um satélite de Saturno que se “desprendeu” e ganhou nova órbita. A Lua era por eles chamada de “pote de chumbo” e diziam que seu núcleo era uma cabaça de ferro. Durante o programa Apollo, a NASA confirmou estes dados. Muitas destas inscrições, cuja idade ultrapassa os 4500 anos de idade, estão agora conservadas no Museu do Antigo Oriente Próximo, um conjunto de 14 salas na ala sul do Museu de Pérgamo. O que os teria trazido tanto conhecimento? Os demônios são os mesmos que se apresentavam para estas civilizações buscando a adoração de seus seguidores. Tudo isto para dar as coordenadas do que e como devem fazer para abrir portas espirituais para a nossa dimensão. A maldade tem se multiplicado, a idolatria, o ódio,e toda a manifestação da personalidade do mal está crescendo. Por que? Porque constantemente foram sendo construídas “pontes”espirituais para que estes seres entrassem em nossa dimensão para preparar o terreno para o seu grande “plano Mestre”. Vemos que depois do dilúvio, eles encontraram espaço e voltaram a agir com muito mais força. Reza um escrito cuneiforme sumério: “E depois veio o dilúvio e após o dilúvio a realeza tornou a descer mais uma vez do céu…” Este trecho, de uma das placas encontradas, faz parte da mais antiga descrição do dilúvio que temos conhecimento. Mais antiga até que o poema épico de Gilgamés.

34

Os sumérios foram edificando ao longo dos séculos torres, pirâmides e casas com todo o conforto para seus “deuses” a quem ofereciam sacrifícios. (Lembra do Etemenanki?) Investigando a mitologia sumeriana e algumas plaquetas e quadros acádicos, vemos que os “deuses” sumerianos, e o símbolo de cada um deles era invariavelmente ligado a uma estrela. Nos quadros acádicos, as estrelas estão reproduzidas assim como desenharíamos hoje. O singular, porém é que estas estrelas são rodeadas de planetas de diversos tamanhos. Seu deus supremo, Marduk (Marte), segundo o que se sabe, teve construída em sua homenagem, uma estátua em ouro puro, de oitocentos talentos de peso; isso correspondia a uma imagem de 24 toneladas de ouro puro! Depois isto se repetiria na Grécia com a construção da estátua de Zeus (o Marduk dos gregos) em Olímpia. Uma estátua gigante de que foram utilizadas toneladas de ouro. Fidias retratou Zeus sentado em um trono, segurando na mão direita uma vitória e na esquerda um cetro enfeitado com uma águia (Este cetro, símbolo de soberania e poder - que posteriormente se tornou emblema das legiões romanas e utilizado por Concepção artística da estátua de Zeus de Fídias Hitler nas SS (Policia Nazista) assemelha-se à varinha mágica de Circe e ao caduceu de Hermes, ancestral das varinhas das fadas e das varas utilizadas por encantadores e mágicos dos faraós contra os malefícios.). Ninurta (Sírio) era o juiz do Universo. Este pronunciava sentenças sobre os mortais. Há placas com inscrições dirigidas à Marte, Sírio e às Plêiades. É importante notar que na religião mesopotâmica existiam 12 deuses principais, o que mais tarde se repetiu no Egito, na Grécia, na Bretanha, na Escandinávia e em muitas outras crenças politeístas. Isso tem por base os doze signos do Zodíaco, referentes as 12 casas dos deuses representados pelos astros e que se comunicavam pela leitura de mapas astrológicos. Suas descrições sobre as armas utilizadas por estes deuses para combater os inimigos, nos remontam a bomba atômica! Foram encontrados desenhos e até uma maquete de uma residência assemelhando-se a um abrigo antiatômico pré-fabricado, redondo e tosco e com uma única entrada

35

estranhamente emoldurada. Por que e como um povo de mais de 3 mil anos iria construir um abrigo anti-aéreo? Parece coisa de doido, porém em pleno século XX, na década de 20 foi encontrada uma cidade no vale do indo que ficou conhecida como “mohenjo Daro” (Monte dos Mortos – na língua local). Mohenjo Daro é um sítio arqueológico com mais de 4.000 anos de idade. Antiga sede de uma civilização, foi o local onde se adotou uma forma de escrita de tipo pictográfico, cujo significado nos é ainda desconhecido, e onde também se usavam roupas de algodão, Esqueletos encontrados no sitio arqueológico em mohenjo daro. as mais antigas já descobertas. Mohenjo Daro é um local onde não existem tumbas e o lugar onde estão os esqueletos é extremamente radioativo, indicando ação nuclear a 4 mil anos atrás! A maioria são esqueletos com traços de carbonização e calcinação de vítimas de morte repentina e violenta. Não foram encontradas armas e nenhum resto humano trazia feridas produzidas por armas de corte ou de guerra. As posições e os locais onde foram descobertas as ossadas indicam que as mortes foram repentinas, sem que houvesse tempo hábil para que as vítimas dessem conta do que estava ocorrendo. As vidas das pessoas foram ceifadas enquanto realizavam suas atividades diárias. Passaram do sono à morte junto a dezenas de elefantes, bois, cães, cavalos, cabras e cervos. Alguns hindus associam o acontecimento aos vimanas – naves descritas pelos escritos vedicos como os meios de transporte de um povo chamado Rama. Segundo decreve um épico hindú, o mahabharata (“ a grande história dos bharatas – “saqueadores” em hindú – referindo-se às tribos arianas que teriamm ocupado a Índia em 1700 a.c.) : "Gurkha, voando a bordo
de um Vimana de grande potência, lançou sobre a tríplice cidade um projétil único, carregado com a potência do Universo. Uma coluna incandescente de fumaça e fogo semelhante a 10 mil sóis se elevou em seu esplendor. Era uma arma desconhecida, o Raio de ferro, um gigantesco mensageiro da morte,que reduziu a cinzas toda a raça dos Vrishnis e dos Andhakas. Os corpos ficaram tão queimados que se tornaram irreconhecíveis; Os cabelos e unhas dos que sobreviveram caíram; A cerâmica quebrou sem causa aparente, e os pássaros ficaram brancos; ...Após algumas horas todos os alimentos estavam infectados...”

36

Parece até descrição do que aconteceu em hiroxima ou nagasaki em 1945, e não seria surpreendente se este escrito não fosse do séc 5 a.c.! Isto confirma que no passado poderia ter acontecido algo que desencadeou uma reação nuclear, e confirmaria os escritos sumérios, porém sabemos que não são deuses, nem alienígenas que utilizaram dessa energia, porém os próprios demônios que se faziam conhecer como divindades. Embora não se conheça a causa desse desastre, sabe-se que foi algo de força sobrenatural que aconteceu. Os deuses sumérios assumiriam identidades que seriam incorporadas em todas as culturas, porém existem exemplos nítidos de que povos que não tiveram o minimo contato com os povos mesopotamicos e cultuavam divindades semelhantes e atribuiam a estas as mesmas funções que os sumérios, como é o caso do politeismo chines; aztecas, incas e maias na América e dos povos aborígenes da Oceania. Esses espiritos assumiam posição religiosa, social e cultural dentro destes povos, influenciando a vida em todos os sentidos. Alguns exemplos são:

An - Anu ou An era o deus (“dingir”) do Céu, entre os Sumérios. Era filho de Anshar e
Ki-shar, e esposo de Antu ou Ninhurdag, com que gerou Enlil. O seu nome parece significar precisamente céu, ou alternativamente, o zénite do Sol. Era o deus mais venerável e velho entre os Anunnaki, fazendo parte de uma importante tríade divina, integrada também por Enlil, o deus dos ventos, e Enki (Ea), o deus das águas. Era um deus cultuado em toda a Suméria, havendo santuários seus espalhados por todas as cidades do País. Quando Tiamat voltou sua ira contra os deuses Anunnaki, Anu prometeu a quem aceitasse enfrentá-la, o seu trono e o governo do universo. Enki então aconselhou seu filho Marduk a aceitar a proposta de Anu e lutar contra Tiamat e seu companheiro, Kingu. Marduk venceu e recebeu de Anu o trono divino. An significa senhor na língua suméria. Quando os Acádios, de origem semita, liderados por Sargão da Acádia, dominaram a Baixa Mesopotâmia, adaptaram muitos dos deuses sumérios. An foi por estes cultivado sob a forma de Anu, e embora continuasse a ter um carácter nacional, passou a ser especialmente adorado na cidade de Uruk.

Inanna Ishtar - Ishtar é a deusa dos acádios, herança dos antecessores
sumérios, cognata da deusa Asterote dos filisteus, de Isis dos egípcios, Inanna dos sumérios e da Diana dos gregos. Mais tarde esta deusa foi assumida também na Mitologia Nórdica como Easter - a deusa da fertilidade e da primavera, e incorporada ao panteão do clero romano como a Senhora de Fátima –“ A Rainha dos Céus”. É irmã gêmea de Shamash e filha do importante deus Lua - Sin, e é representada pelo planeta Vênus. Considerados uma das maravilhas do mundo, os Portões de Ishtar, na Babilônia, foram transportados para um museu na Europa - Museu de Berlim. Todo o culto aos deuses é feito por rituais. Ishtar tinha alguns rituais de caráter sexual, uma vez que era a deusa da fertilidade, outros rituais tinham a ver com libações e outras ofertas corporais. 37

Um ritual importante ocorria no equinócio da primavera, onde os participantes pintavam e decoravam ovos (símbolo da fertilidade) e os escondiam e enterravam em tocas nos campos. Um resquício por trás desse antigo ritual talvez seja o dos ovos de Páscoa. Em muitas culturas o ovo é considerado um símbolo de fertilidade. 

Enki - Enki ou EA era entre os Sumérios o deus das águas doces (quer dos rios e
dos canais, quer da chuva), mas também o deus das águas subterrâneas, chamadas Absu), equivalentes ao caos primordial de outras culturas antigas. O nome Enki, de resto, significa mesmo senhor da Terra (En, uma corrupção de An, significa senhor, e Ki siginifica terra). Os seus símbolos iconográficos eram o peixe, a cabra e a serpente, os quais foram combinados num único animal, o mítico Capricórnio (o qual se tornou um dos doze signos do Zoodíaco, cuja ideologia teve a sua base na civilização suméria). Segundo O Livro Perdido de Enki, ditado pelo próprio (cuneiforme, já traduzido), EnkiEa foi lider do primeiro grupo dos Anunnaki (Nefilim da Bíblia) a vir a Terra há 450.000 anos em busca de ouro para suprir uma deficiência da atmosfera de Nibiru, seu planeta. Fundou a cidade de Eridu (“Lar na Lonjura”)na Mesopotâmia começando a colonização. Descobriu ouro na África, dando ínicio a mineração em grande escala, logo os Anunnaki se rebelaram, pois não era seu ofício, Enki viu que lá já havia um Ser (homo erectus) que se aperfeiçoado poderia suportar o jugo dos Anunnaki, em laboratório. Após inumeros erros, ele e sua irmã Ninhursag cruzaram as duas civilizações criando o trabalhador primitivo com capacidade de procriar e obedecer chamando de Senhor quem o criou. Os defeituosos Enki não eliminava, ensinava-os algo que pudessem fazer. Tomou também duas belas para si, uma foi a mãe de Adão e a outra de Eva, surgindo aí, há 300.000 anos a geração Adapa (homo sapiens). Mais tarde, preocupado com o destino que os Anunnaki queriam dar a humanidade, o Senhor de Eridu perpetuou sua descendência na Terra, tendo outro filho com uma humana; Noé (Utnapishtim ou Ziusudra), citado também na Epopéia de Gilgamesh, que foi avisado por Ele sobre o Dilúvio (10.500 a.C). Pode ser que o biblico Enak se referira a Enki, e este seria um pai dos Gigantes na terra! Um dos simbolos da casa de Enki era a serpente, por este motivo existe quem defenda que este deus seria também a serpente do Éden que levou Eva a comer do "fruto proibido".

Enlil - A tradução do seu nome em sumério dá precisamente «Senhor do Vento»
(«EN» = Senhor; «LIL» = Vento, Ar); uma interpretação "por sentido" do nome seria «Senhor do Comando». Era particularmente venerado na cidade de Nippur; no entanto, embora esta fosse a cidade especialmente consagrada ao seu culto (acreditando-se que era no templo dessa cidade que o deus vivia), esta era uma divindade que tinha um carácter nacional em toda a Suméria. De resto, durante um período anterior a 3000 a.C., Nippur tornou-se um centro político muito importante. Inscrições encontradas neste lugar nas escavações realizadas entre 1888 e 1900 por Mrs Peters e Haynes, sobre a tutela da Universidade da Pensilvânia, mostraram que Enlil era o líder de um extenso e populoso panteão de deuses e deusas. Estas inscrições encontradas referem-se a ele como Rei das Terras, Rei dos Céus e da Terra ou Pai dos Deuses; este último título, de resto, era também atribuído, 38

henoteisticamente, a Enki, deus que, em dada altura da história suméria, acabado por ser suplantado, em termos de culto, por Enlil. O seu templo ou "pavilhão" em Nippur tinha o nome de Ekur («EK» = casa e «UR» = montanha, ou seja, «a casa da montanha»). Esta palavra continuou a ser usada por outras civilizações posteriores para designar templo em geral. Existe inclusivamente quem queira associar este templo à torre de Babel, uma vez que esta sugere uma construção enorme semelhante a uma montanha. Enlil fazia parte dos Anunnaki (an.un.na.ki – aqueles que do céu à terra vieram) Enlil era filho do deus An (céu) e da deusa KI (terra). A terra estava sob o comando de Enki, que teria sido o primeiro da família dos Anunnaki a chegar a este lugar.

Quando a Suméria começou a desenvolver sua vida cosmopolita surgiu a necessidade de expansão, e de um lider que levasse o povo a conquistas de terras e riquezas, tanto atacando como se defendendo. Foi aí que surgiu a figura do lugal, que significa “grande homem”, e era a palavra utilizada para Rei na suméria. O Lugal, no início, era uma função temporária e depois com a expansão se tornou vitalícia e hereditária. É interessante notar que depois do período que Ziusudra ( o Noé sumério) reina, vem o dilúvio e cai drásticamente o periodo regido pelo Lugal, sugerindo uma queda no tempo de vida de cada rei, acompanhando o relato bíblico que depois do dilúvio o homem viveria menos. Segundo a lista dos reis sumérios, datada do séc 24 a.C., o primeiro Lugal a ter o controle sobre toda a região sumeria foi Etana de Kish - o que subiu ao céu e consolidou os reinos estrangeiros. É interessante notarmos este título, porque não era qualquer um que “subia aos céus”. Essa expressaõ refere-se aos portais que davam acesso aos demonios e é uma descrição do grau de contato com as entidades, que davam instruções diretas, que fez deste rei um homem de renome. Outros reis se destacaram porém o homem que se tornou o grande nome nesta lista é o de Sargão I, que passou o reino à terra da acádia e unificou toda a região mesopotamica em um único reino. Sargão da Acádia Na Bíblia são citados ainda os nomes de TiglatePileser III( 2 Rs 15.29; 2 Rs 16.7,10; 1 Cr 5.6,26; 2 Cr 28.20), Salmaneser IV ( 2Rs 18.9), Sargão II ( Is 20.1), Senaqueribe ( 2 Rs 18.13; Is 37.37), Esarhaddon (Ed 4.2) e Nabucodonossor II (2 Rs 24.1; Dn 1.1)

39

Tiglat-Pileser III

Senaqueribe

A história da mesopotâmia se segue com os reinados da Acádia, Babilônia e Pérsia. Vemos relação entre os fatos acontecidos em diversos impérios e tempos, sendo que cada um deles forma como um quebra cabeça, peça por peça vão se juntando para formar uma imagem. O diabo já teria aprendido algumas lições até aqui: 1. O homem é facilmente fascinado pelo Esarhadon poder. 2. A religião faria com que os portais se abrissem com mais rapidez e tornaria possível a permanência maior dos demônios em nossa dimensão. 3. O poder político tinha altíssima influência para dirigir as massas. 4. Juntar os três faria um estrago! E não podemos deixar passar duas das civilizações que são peças de suma importância nesse esquema: o Egito e os Celtas.

40

Egito O termo grego Aiguptov (Aiguptos) se refere aos territórios divididos ao norte e ao sul, que formavam o Baixo e Alto Egito e que significa “dupla fronteira”, chamado de Myrum (“MitZRaYM” – dois estreitos) pelos hebreus e de onde vem o nome atual em árabe, e que os egípcios chamavam de “Ta-Sheme'aw” (Terra do junco). Porém os egípcios a conheciam mesmo como “KeMe-T” (Terra negra). O Egito antigo surgiu de populações que se fixaram na região banhada pelas águas do rio Nilo. Vemos que a formação de populações antigas era fundamentada ísis (Esq) Ramsés ll (Centro) e Osíris (Dir) principalmente pela característica da região ser banhada por rios ou lagos que lhe forneceriam condição de se estabelecer. Essas comunidades foram se desenvolvendo e trouxeram com elas algumas influencias do ensinamento religioso do norte, da Mesopotâmia. Associa-se a Hermes Trimegisto (O três vezes grande) o início da crença egípcia. Ele era rei, sacerdote e deus; o que mais tarde seria identificado com o surgimento do faraó. Como dissemos no início, as vertentes religiosas usam meios diferentes de se propagar, porém tem a mesma mensagem. Neste período histórico a religião era base fundamental da sociedade, e era algo extremamente importante para a sobrevivência, não somente pela crença em si, mas principalmente pela experiência religiosa que aquelas pessoas tinham. Não era a filosofia e imaginação daquelas pessoas que criava deuses e mais deuses, porém uma experiência sobrenatural fazia com que estes seres fossem surgindo dentro das crenças destes povos. Claro que as histórias mitológicas são fantasiosas porém possuem um fundo verdadeiro, era o meio de que os demônios precisavam para enganar o homem a abrir caminhos, e bem podemos entender como isto aconteceu. Recapitulando: Deus criou o universo, físico e espiritual, criou seres espirituais dotados de livre arbítrio. Um destes seres, Lucifer, se rebelou e
41

levou consigo a terça parte deles, que se tornaram os demônios, que foram expulsos da dimensão de Deus e foram aprisionados em outra dimensão para aguardarem o juízo. Quando Deus criou o homem, Sua imagem e semelhança, o criou numa dimensão física e espiritual. Estas dimensões, embora unidas e harmoniosas, eram diferentes entre si. O homem rompeu esta barreira por desobedecer à Deus e permitiu a ação da dimensão em que os demônios estavam, liberando, por tempo limitado a ação destes em nossa dimensão. Os demônios foram utilizando os conhecimentos que tinham sobre a nossa dimensão para abrir contato com o ser humano, e assim foram sendo capazes de permanecer cada vez mais em nossa dimensão trazendo suas influencias para o nosso mundo. Onde havia perfeita harmonia, agora havia a atuação maligna destes seres. Claro que jamais Lucifer revelaria sua face obscura para enganar e seduzir o homem, que por sua vez continuou se afastando cada vez mais de Deus para manter contato com os demônios. Este, se aproveitando da ignorância do homem, foi dando informações importantíssimas sobre as dimensões que deveriam ser acessadas para uma maior atuação espiritual. Lucifer e seus demônios agora eram adorados como deuses, recebiam culto, rituais, eram agora o que desejavam ser antes, pelo menos por um pouco. Foram fazendo experiências, e aprenderam as mais eficazes formas de fazer com que o homem abrisse caminho para seus planos se concretizarem em nossa dimensão. Os portais foram sendo abertos, as dimensões espirituais acessadas, e os demônios, pouco a pouco, foram ganhando espaço na sociedade, na cultura, e principalmente na religião. Foi assim que nasceram as sociedades primitivas, no engano! Deus já possuía um plano para redimir o homem, só que para que o “tempo” espiritual se enquadrasse com o limite temporal de nossa dimensão foram surgindo as gerações descendentes de Adão, de onde Deus prometera vir aquele que pisará na cabeça da serpente (Gn 3.15). O único povo com quem os demônios não conseguiam contato era com os descendentes de Sete, Filho de Adão de quem viria futuramente nascer Abraão e o povo que Deus faria separado para Si, de onde nasceria o Senhor Jesus. Se o homem cada vez mais se aproximava dos demônios para ter conhecimento e poder, agora existia um povo que Deus separou para ter contato com Ele. Este povo Lucifer não podia tocar! Sabendo disto Lucifer arquitetou um plano, uma estratégia. Sabia que o povo de Deus vivia como nômade no deserto, e calculou uma maneira de trazer a destruição deste povo. Aí nasceu o Egito.

42

Sabe-se que desde aproximadamente 4000 a.c. se iniciou o período prédinastico, onde foi se formando a sociedade e se organizando como estado para então assumir a posição de império. Cerca de 3000 a.c. surgem as primeiras dinastias de reis, a monarquia absolutista nasce com o reinado do Faraó

Faraó

Tut-ankh- Amom

Mais que um simples rei, o faraó era também o administrador máximo, o chefe do exército, o primeiro magistrado e o sacerdote supremo do Egito (sendo-lhe, mesmo, atribuído caráter divino), baseando-se no ensinamento Hermético. Em muitos casos, cabia ao faraó decidir, sozinho, a política a seguir. Na prática era frequente que delegasse a execução das suas decisões a uma corte composta essencialmente por:

 Escribas, que registravam os decretos, as transações comerciais e o resultado das colheitas, funcionando como oficiais administrativos e burocracia de Estado.  Generais dos exércitos e outros oficiais militares, que organizavam as campanhas das guerras que o Faraó pretendesse empreender;  Um Tjati (Vizir), que funcionava como primeiro-ministro, e auxiliava o faraó nas mais variadas funções, da justiça as campanhas militares.  Sacerdotes, incumbidos de prestar homenagem aos deuses, no lugar do faraó; De acordo com a mitologia egípcia, o próprio corpo do faraó tinha carácter divino, já que o seu sangue teria origem no seu antepassado mítico, “o deus Hórus”. O estatuto e papel do Faraó são, portanto, hereditários, transmitindo-se pelo sangue. Apesar do papel subalterno das mulheres nesta sociedade, os egípcios preferiram, por vezes, ser dirigidos por uma mulher de “sangue divino (como Hatchepsut)” que por um homem que o não seja (sendo interessante que até Hatchepsut é representada em esculturas ostentando uma farta barba, símbolo de masculinidade e sabedoria). As linhagens

43

faraónicas nunca chegaram, contudo, a prolongar-se durante muito tempo, interrompidas que eram por invasores e golpes de estado. Quando o reinado de um faraó perfizesse um longo número de anos (em geral, trinta anos), era comum organizar-se uma Festa-Sed, com o fim, ritual, de restabelecer o seu vigor, de forma a mostrar ao povo que o seu governante ainda era capaz de comandar os destinos da nação. Existia também a Festa de Opet, rituais celebrados para a renovação do faraó e dos “deuses”, era realizada todos os anos. Estas celebrações podem ter sido criadas pelo faraó Amenófis III e ampliado por Ramsés II, onde a estátua do deus Amon-Rá era levada de Karnak a Luxor e retornava em uma barcaça. Um tipo de romaria egípcia. E quanto mais os Faraós fortaleciam seu poder, mais recursos canalizavam para construção de seus túmulos,que tinham mais funções ritualísticas que propriamente funerárias, e estas construções eram feitas em boa parte na época das cheias do Nilo. Isto tem a ver com os rituais de fertilidade que ocorriam no periodo das plantações quando o nilo enchia, pois deixava toda a regiao banhada por suas aguas muito férteis. Mais uma vez, o poder religioso e o poder político estão juntos, o rei é também sacerdote, deus, e o que mais desejar. A pior parte não é esta, mas sim da raiz desta crença. Achados arqueológicos confirmam que a iniciação do faraó era composta de uma cerimonia realizada dentro de salas secretas onde somente o faraó e os sacerdotes podiam permanecer. Ninguém conhece ao certo qual era o ritual de iniciação do faraó, segundo alguns ex-satanistas, o satanismo atual mantém documentado secretamente este e outros rituais ocultos. O que se sabe é que o faraó entrava nas salas rituais de uma maneira e saía dominado pela divindade que o escolhera para fazer seu reinado. Era uma canalização da entidade que permanecia no corpo do faraó e governava através dele. Os nomes dos faraós geralmente levavam o nome de seus “guias”. Por exemplo: Tutancâmom = tut – ankh – Amom Podemos notar que existiram diferenças na forma de reinar dos faraós a cada dinastia, construções colossais eram as especialidades destes reis, porém o que mais nos chama a atenção foram as obras do período entre 2700 a 2400 a.C., que compreende a III e IV dinastia, quando foram construidas as piramides.
44

Pirâmides

As pirâmides são monumentos detalhadamente construidos. A Primeira referencia que se conhece deste tipo de construção, peculiarmente utilizada pelos egípcios, é a pirâmide escalonada construida pelo faraó Zózer (2667 a.C. -2648 a.C.), projetada pelo seu Vizir Imhotep. O segundo rei da 3ª dinastia foi o responsável por uma das primeiras Pirâmide escalonada de Djoser (Zózer) construções colossais em pedras que se conhece, e foi construída no mesmo período em se construía muito longe dalí o Stonehenge. Posteriormente Quéops, Kefren e Miquerinos, na 4ª dinastia, finalizariam as construções das piramides de Gizé. Algo que jamais se repetiria nem no Egito, nem em nenhum outro lugar na antiguidade. A pirâmide de Queóps possue mais de dois milhões de blocos de pedra que chegam a pesar mais de duas toneladas cada um, sendo que alguns passam de dez toneladas. As medidas da base e da altura, quando calculadas chega-se à um número quase extao do π (pí = 3, 14). Ela possui 230,38m de base e 146,6 metros de altura. (230,38 x 2) ÷ 146,6 = 3,1429... Os lados da pirâmide apontam para os pontos cardeais e possuem apenas uma margem de erro de apenas 0,015%. Hoje são necessários cálculos e equipamentos precisos para se alcançar este tipo de resultado. As câmaras internas da pirâmide estavam vazias, não tinham função funerária, como acreditam alguns. O Dr. Selim Hassan, em 1935, escreveu um artigo dizendo que encontrara uma passagem subterrânea que passa sob uma estrada que liga a segunda pirâmide com a esfinge, com câmaras laterais e salões. Estas ligações, câmaras e salas nada mais eram do que recintos de rituais e aprendizado ocultista, já praticado naquela época. Outros pesquisadores resolveram investigar sobre os recintos interiores das pirâmides e
45

descobriram que o alinhamento delas sugere um apontamento a alguns astros. As constelações mudam de ciclo aproximadamente a cada 26.000 anos, e calculando-se a posição delas comparada a posição das pirâmides no ano 2500 a.C. quando foram construídas, chegou-se a conclusão de que um dos canais da Grande pirâmide apontava para Sírio (estrela associada à Ísis), outro canal apontava para uma estrela do cinturão de Órion (onde se acreditava ser residência de Osíris), porém existem pontos divergentes nas posições, o que leva a crer que as posições originais datam de muito antes. Os pesquisadores acreditam que, apesar das pirâmides terem sido terminadas em cerca de 2.500 a.C., foram projetadas cerca de 8.000 anos antes, por volta de 10.500 a.C. pelo cálculo de posição dos astros em relação a elas. Este período antecede o da criação do homem. Segundo os egiptólogos Andrew Collins e Nigel Skinner Simpson, a relação entre as pirâmides e as estrelas segue um plano de construção muito elaborado. Eles têm estudado há alguns anos a relação entre os ápices das pirâmides com a constelação de Cisne e chegaram a conclusão de que a construção das pirâmides não foi aleatória, mas que eles possuem um alinhamento preciso com fenômenos astronômicos em que se definiam agendas políticas, econômicas e religiosas. Astrônomos do Observatório de Helwan, no Cairo, em um estudo de 650 templos, alguns dos quais datando de 3000 a.C., concluíram que todos eles foram alinhados de acordo com algum evento astronomicamente significativo, por exemplo, o solstício ou equinócio, ou o surgimento de Sírius, a estrela mais brilhante no céu. Em 1993, Robert Bauval e Adrian Gilbert, em seu livro best-seller “O Mistério de Orion”, viram as três estrelas do cinturão de Orion (as “Três Marias”) como definidoras do plano básico das Pirâmides de Gizé. A hipótese foi recebida com entusiasmo cauteloso, pois nem todos aceitavam a “Teoria da Correlação de Orion”. Enquanto trabalhava com Collins para compreender a importância da constelação do Cisne na mentalidade antiga (observação: a constelação do Cisne é facilmente
46

Posição das estrelas reproduzida por uma fotografia atual de Orion

visível nos céus da região Norte do Brasil, durante o verão), Rodney Hale se perguntou o que aconteceria se as três principais estrelas da “asa” do Cisne – Gienah (Epsilon Cygni), Sadr (Gamma Cygni) e Deneb (Delta Cygni) – que formam um arranjo semelhante ao das estrelas do cinturão de Orion, fossem sobrepostas à área das pirâmides de Gizé. O resultado foi este:

Mapa de Lepsius, de 1842, mostrando as estrelas da constelação do Cisne, em vermelho, sobrepostas às pirâmides de Gizé. (Copyright da imagem: Nigel Skinner-Simpson, 2009. Cortesia da sobreposição: Rodney Hale, 2009).

A brilhante Deneb pondo-se no ápice da Segunda Pirâmide, como era vista do cume de Gebel Gibli durante a época da construção das pirâmides. Observe o fluxo de estrelas da Via Láctea em torno da base da própria pirâmide. (Copyright da imagem: Andrew Collins/Rodney Hale, 2009).

Coincidência? Claro que não! Elas foram projetadas e construídas sob a supervisão das entidades que governavam o Egito através do faraó. Isto aconteceu na 4ª dinastia, no mesmo

47

período em que foi construído o Stonehenge na Bretanha , entre 2800 e 2000 a.C., e a esfinge.). Por quê? Porque Lucifer, que projetou aquela obra, tinha um objetivo específico para aquele período, com aqueles faraós, o de abrir portais dimensionais através daquelas construções. No círculo ocultista acredita-se que aquele período foi o de maior progresso para o acesso dos demônios para nossa dimensão. Pois rituais eram concentrados naquelas construções para abrir caminho aos “deuses”. Os egípcios criam na vida após a morte, e se preparavam em rituais que seguiam a risca a orientação dos “deuses”, descritas no “livro dos mortos”. Tudo tinha que ser seguido à risca, todas as construções de túmulos, necrópoles, estátuas, monumentos ritualísticos, tudo feito com esmero, nada era feito com desleixo ou imperfeição, sempre com riqueza de detalhes. Depois daquele período começaram a surgir novas “divindades”, até aparecer a personificação do mal, pela primeira vez, através de seth - o deus do mal. Diz o ditado: por onde passa um boi, passa uma boiada... Assim a influencia desses espíritos foi aumentando o que tornou aquela nação num verdadeiro QG dos demônios. Os graus hierárquicos das divindades foram sendo distribuídos pelo culto egípcio em templos e construções. Os demônios dominavam todas as camadas da sociedade egípcia através do culto que era prestado à eles. Passaram a tomar posições territoriais, e a medida que o império invadia novas terras, se abria caminho para ter mais espaço em nossa dimensão. É interessante notar que Deus infiltrou ali o Seu povo através de José, que aos poucos foi ganhando destaque até se tornar governador do Egito! Ele bem que tentou destruir os planos de Deus, agiu de forma cada vez mais tirana, que foi mais intenso na 19ª dinastia com o reinado de Ramsés ll. Os espíritos territoriais formavam uma organização hierárquica para desferir um golpe fatal no povo hebreu devido ao nível de abertura em que seus seguidores haviam feito passagens para nosso mundo. Os faraós eram pessoas que eram preparadas para receber esse tipo de influencia e quanto mais isto crescia, crescia também a atuação dos demônios em nossa dimensão. Quando surgiu Moisés, depois de quatrocentos e trinta anos de escravidão e sofrimento, finalmente o povo de Deus poderia ser liberto daquele lugar, já não precisava mais dali. Moisés enfrentou os demônios de alta hierarquia do inferno através de Ramsés ll.

48

Celtas Outro povo de que se sabe muito pouco, porém o que se sabe é importante para conhecermos qual influencia os demônios tinham sobre aquela gente e por que. As pessoas mais influentes dentro desta sociedade, sem dúvida, eram os druidas. Estes eram os sábios, conselheiros e aqueles que dirigiam o rumo da sociedade celta. Possuíam conhecimentos científicos, astrológicos e de medicina, o que os inseria na mais alta classe da sociedade. Eram politeístas, ou seja, cultuavam várias divindades, das quais o principal era “Beal” o deus sol. Esta divindade teria afinidade com os deuses solares de outros povos como o baal fenício. Existe, contudo, uma distância milenar entre estes povos para que haja uma absorção tão fiel entre estes cultos solares. Porém existe um diferencial das outras crenças politeístas, raramente utilizavam imagens. Eles utilizavam em seu culto círculos de pedras, os megálitos, onde reverenciavam seus “deuses” em ligação com a natureza. Os megálitos são monumentos formados pela ação humana (não se sabe como) em que se utilizam pedras de pesos e medidas altíssimos. Geralmente deslocados em grandes distâncias. Destes monumentos, o mais famoso é o de Stonehenge na Inglaterra, que era o principal local de culto dos celtas.
Stonehenge

A construção deste monumento foi iniciada em cerca de 4500 a.C., muito antes da chegada dos celtas, e acredita-se que foram necessários cerca de 2000 anos para ser completado, em 2500 a.C., mesmo período das construções das pirâmides, porém é o maior referencial da crença Celta.

49

Possui quatro círculos de pedras que foram construídas em três períodos. Estas pedras estão dispostas de maneira que indiquem posições astrológicas, são exatamente proporcionais a outros megálitos existentes no mundo. Foram encontradas estruturas semelhantes em outros lugares da Europa, China, América do Norte e Norte da África. Todos eles com funções astrológicas. Acredita-se que estes monumentos foram locais de culto e sacrifícios rituais destes povos, assim também teria esta função o Stonehenge, pois bem no centro se localiza um altar de pedra, e todos sabemos qual a função de um altar. O Stonehenge é formado por quatro círculos de pedra, sendo que algumas pedras chegam a pesar 45 toneladas com 5 metros de altura. Elas marcam o alinhamento solar, os ciclos da lua, e a posição de ambos no solstício e no equinócio. Outro fato interessante associado ao Stonehenge são os círculos ingleses. São desenhos que surgem durante a noite nos campos de cereais da
50

imediações de salisbury, mesma região onde situa-se o Stonehenge. Algumas pessoas tentaram registrar como surgem estas misteriosas figuras ficando em vigília nas plantações aguardando por algum tipo de luz ou objeto não identificado, porém se frustraram ao perceber que passaram a noite em claro sem ver nada diferente no local e se depararem com desenhos a poucos metros de seu acampamento no dia seguinte, feitos como que por uma energia invisível aos olhos humanos, no silencio da madrugada. Segundo os pesquisadores seria impossível estas figuras, tão perfeitamente desenhadas nas plantações, serem feitas por mãos humanas. Isto pelo fato de não haver nenhuma indicação de corte nos ramos, que apenas se dobram nas juntas por efeito de uma espécie de radiação, sem que haja corte, queimadura ou quebra. Os cereais afetados por essa radiação crescem incrivelmente 40% mais rápido do que os demais, e mesmo inclinados continuam a se desenvolver. As juntas se apresentam inchadas como resultado dessa “radiação” e suas sementes sofrem uma espécie de “superadubação”. Os megálitos, especialmente este, tinham a função de dar coordenadas para atribuições ocultistas em posições de astros, para abertura de portais dimensionais, e isto é que o Stonehenge é: um portal, assim como as pirâmides. No início do século passado, os arqueólogos e pesquisadores concluíram que este monumento faz referência aos signos zodíacos, por suas pedras perfiladas fazerem ligação umas com as outras, possibilitando serem feitas interpretações astrológicas da posição dos astros. Estes monumentos foram construídos a fim de se fazer um ponte entre a dimensão espiritual e a nossa e Lucifer teria ensinado o homem a fazer certas leituras astrais. Claro que não seria visível a manifestação desses fenômenos a qualquer pessoa, são necessários rituais extremamente detalhados para que isto aconteça. Os druidas possuíam esta capacidade, assim como os faraós e seus sacerdotes, e hoje mantém esta tradição os próprios satanistas. Os celtas cultuavam também a Lua, normalmente no sexto dia. Eles realizavam rituais especiais várias vezes por ano. O primeiro era o “Imbolc” – celebrado em 1º de fevereiro em homenagem a deusa Brigidh no início do plantio na primavera; o “Beltane” (fogo de deus), realizado em 1º de maio – mês cinco - em que eram acesas tochas no alto das montanhas em saudação ao sol da primavera. O “Lughnassad” era celebrado em 1º de agosto em homenagem ao deus Lugh nas colheitas do outuno. Outro era o “Samh´im” (fogo da paz) que acontecia sempre no 1º dia de novembro – mês onze (nessa época o halloween não se comemorava ainda em 31/10) e permanece até hoje na Escócia com o nome de Hallow-eve. A religião romana incorporou estes costumes nas festas dedicadas aos santos. Outros eventos
51

aconteciam no Solstício de Inverno (YULE), Equinócio da Primavera, Solstício de Verão e Equinócio de Outono. Embora os druidas, com toda a sua sabedoria e cultura, não tenham deixado nada registrado de seus ensinamentos, testemunhas que conheceram seus costumes nos legaram fragmentos deles. O mais famoso deles é Júlio César, que afirma em uma de suas observações a respeito dos celtas de que havia rituais em que pessoas eram colocadas vivas dentro de estátuas enormes e ocas com o fim de serem queimadas vivas lá dentro em sacrifício aos deuses. Sinais Já vimos anteriormente que o homem foi criado por Deus com características especiais, que através da queda foram se perdendo e diminuindo. Hoje o homem possui somente cerca de 10% de sua total capacidade, pois ficou a menor parte dela, a física. O “elo perdido” é a parte espiritual, que somente vem se desenvolver quando o homem tem contato com o espiritual. Quando uma pessoa passa a ter contato com a dimensão espiritual é como se ela tivesse um nascimento, ou renascimento espiritual, por isso o Senhor Jesus disse que precisamos nascer de novo, da água e do Espírito.
“A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. Perguntou-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, voltar ao ventre materno e nascer segunda vez? Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito.” João 3.3-6

Note que o Senhor enfatiza algo chamado de “nascimento” (surgir, derivar, começar vida exterior). Existe o nascimento físico, na carne; e o nascimento espiritual, que no cristão é realizado pelo Espírito de Deus. Quando uma pessoa passa a ter contato com Deus, através de Seu Espírito, ela religa a “linha da pipa” com Deus, nascendo, ou renascendo, do Espírito. Quando a pessoa passa, através de rituais obscuros, a ter contato com os demônios, ela “nasce” espiritualmente através deles. Daí surgir o termo filhos de Deus e filhos do diabo. No satanismo eles se auto intitulam “filhos do fogo”, e acreditam na existência dessas duas filiações, sendo que uma pessoa que não tem o desenvolvimento espiritual, nem para o bem nem para o mal, é apenas uma bastarda! É no que eles acreditam. Embora a bíblia não tenha muitas referências diretas a esses fatos, o certo é que não existe meio termo, ou se é filho de Deus ou da carne. Somos filhos de Deus quando nascemos do Espírito de Deus.
52

“Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus,
a saber, aos que crêem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.” Romanos 1.12-13

Quando uma pessoa nasce de Deus isso ocorre por meio de uma entrega pessoal, e o Espírito de Deus sela a pessoa através do que é chamado batismo com o Espírito Santo. Este selo é uma referência espiritual, já que ocorre no espírito da pessoa. Essa marca traz mudanças significativas na conduta da pessoa, confirmando o fato de ela ter nascido novamente. O novo nascimento e o batismo com o Espírito Santo possibilitam que a pessoa possa conhecer intimamente a Deus, como filho, não somente como servo. A isso chamamos de Encontro com Deus. Com os filhos do diabo ocorre um processo semelhante, claro que o diabo não tem capacidade de criar nada, por isso imita a ação de Deus, para iludir aqueles que o servem. Portanto quando uma pessoa se entrega a Lucifer, este “religa” clandestinamente a pessoa ao mundo espiritual, e “sela” ela com uma entidade, já que o diabo não é como o Espírito Santo, Onipresente; e então passa através destes rituais e da abertura de portais a ter contato com seus servos. Deus, em sua Onipresença, não necessita de rituais para ser acessado, porém os demônios precisam de uma sinalização espiritual para que consigam ir ao encontro de seus seguidores, e isto só é possível por meio de rituais específicos. Porém, existem entre os eleitos de Deus, pessoas que são capacitadas de uma forma muito especial. São pessoas incomuns, mesmo em meio aos que são filhos de Deus elas se destacam. Não são mais de Deus do que os outros, nem mais importantes, porém possuem algo que já nasce com elas, uma espécie de sinal. Estas pessoas não são predestinadas, no sentido de que serão manipuladas por Deus para realizarem uma missão, porém acredita-se que algo muito importante surge com seu nascimento o que as torna pessoas dotadas de capacidades especiais. Este selo nem poderia ser uma predestinação, principalmente pelo fato de todo ser humano ser dotado de livre arbítrio, e se Deus fizesse isto estaria indo contra Sua própria palavra. Porém seria uma espécie de selo, o qual a pessoa não poderia revogar, podendo fazer uso de seu livre arbítrio para aceitá-lo ou não (Jr 1.4-5). O que se sabe é que estes tais selados sempre cumprem o seu papel, sempre dizem “sim”. Temos como exemplo, Moisés, Elias, Isaías, João Batista Jesus e outros que vieram posteriormente. Vemos que cada uma destas pessoas passou por

53

diversas provas, dificuldades, tentações, momentos extremamente difíceis, porém cumpriram sua função exatamente como o esperado. “Os demônios sempre vão desafiar a Onisciência, a Onipotência e a Onipresença de Deus. Embora tais indivíduos possam ter sido escolhidos, possam ter sido marcados por Deus, independentemente disso nada impede que os demônios manipulem as situações, criando uma teia de dificuldades... contando justamente com o livre-arbítrio do ser humano!” (Gerreiros da Luz – Pág 394) Entendemos que Deus não tira o livre arbítrio destas pessoas, mas é claro que Deus conhece algo dentro delas, em seu caráter, que as tornam pessoas seladas, escolhidas, e que garante a aceitação de Sua escolha, afinal, Deus é Onisciente! Elas foram escolhidas para um propósito específico. Outros são aqueles que são chamados e que exercem outras funções dentro do corpo. No novo testamento é comum vermos a comparação da igreja ao corpo humano. Somos o corpo de Cristo. O corpo possui vários tipos de órgãos, tecidos, membros, etc. cada um com uma função específica. Todos são importantes, porém cada um exerce uma função diferente. Temos duas pernas, poderíamos viver com uma, mas seria muito mais difícil, necessitamos das duas para andarmos bem, para termos equilíbrio, assim também o corpo, precisa de seus membros, independente de sua função (1 Co 12.4-31).
“4 Ora, os dons são diversos, mas o Espírito é o mesmo. 5 E também há diversidade nos serviços, mas o Senhor é o mesmo. 6 E há diversidade nas realizações, mas o mesmo Deus é quem opera tudo em todos. 7 A manifestação do Espírito é concedida a cada um visando a um fim proveitoso. 8 Porque a um é dada, mediante o Espírito, a palavra da sabedoria; e a outro, segundo o mesmo Espírito, a palavra do conhecimento; 9 a outro, no mesmo Espírito, a fé; e a outro, no mesmo Espírito, dons de curar; 10 a outro, operações de milagres; a outro, profecia; a outro, discernimento de espíritos; a um, variedade de línguas; e a outro, capacidade para interpretá-las. 11 Mas um só e o mesmo Espírito realiza todas estas coisas, distribuindo-as, como lhe apraz, a cada um, individualmente. 12 Porque, assim como o corpo é um e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, constituem um só corpo, assim também com respeito a Cristo. 13 Pois, em um só Espírito, todos nós fomos batizados em um corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres. E a todos nós foi dado beber de um só Espírito. 14 Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos. 15 Se disser o pé: Porque não sou mão, não sou do corpo; nem por isso deixa de ser do corpo. 16 Se o ouvido disser: Porque não sou olho, não sou do corpo; nem por isso deixa de o ser. 17 Se todo o corpo fosse olho, onde estaria o ouvido? Se todo fosse ouvido, onde, o olfato? 18 Mas Deus dispôs os membros, colocando cada um deles no corpo, como lhe aprouve. 19 Se todos, porém, fossem um só membro, onde estaria o corpo? 20 O certo é que há muitos membros, mas um só corpo.

54

21 Não podem os olhos dizer à mão: Não precisamos de ti; nem ainda a cabeça, aos pés: Não preciso de vós. 22 Pelo contrário, os membros do corpo que parecem ser mais fracos são necessários; 23 e os que nos parecem menos dignos no corpo, a estes damos muito maior honra; também os que em nós não são decorosos revestimos de especial honra. 24 Mas os nossos membros nobres não têm necessidade disso. Contudo, Deus coordenou o corpo, concedendo muito mais honra àquilo que menos tinha, 25 para que não haja divisão no corpo; pelo contrário, cooperem os membros, com igual cuidado, em favor uns dos outros. 26 De maneira que, se um membro sofre, todos sofrem com ele; e, se um deles é honrado, com ele todos se regozijam. 27 Ora, vós sois corpo de Cristo; e, individualmente, membros desse corpo. 28 A uns estabeleceu Deus na igreja, primeiramente, apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois, operadores de milagres; depois, dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas. 29 Porventura, são todos apóstolos? Ou, todos profetas? São todos mestres? Ou, operadores de milagres? 30 Têm todos dons de curar? Falam todos em outras línguas? Interpretam-nas todos? 31 Entretanto, procurai, com zelo, os melhores dons. E eu passo a mostrar-vos ainda um caminho sobremodo excelente.”

Como dito antes, podem ocorrer alguns fenômenos quando nasce um selado. Estes fenômenos ocorrem geralmente no limite espaço/tempo e se materializam, por algum motivo desconhecido, no universo. São fenômenos observados através da movimentação do universo, de seus fenômenos astrológicos. O diabo sabe disso, e seus “filhos” também. Eles usavam mapas astrológicos para localizar os selados, para verificarem as ocorrências de algum momento específico já predito. Por isso os demônios ensinaram a observação dos astros aos seus seguidores. Fatos curiosos são observados à luz da Bíblia. Por exemplo: Você pode perceber que sempre houve uma manifestação natural quando algo importante acontece na história. O Dilúvio, as secas do Nilo no período de José, as pragas no Egito foram todas manifestações naturais de uma guerra espiritual, a destruição de Sodoma e Gomorra, a chuva de pedras e o detimento do sol e da lua na batalha de Gibeão por Josué, a estrela do oriente no nascimento do Senhor Jesus, as trevas em Sua morte, o terremoto em Sua ressureição. Estes fatos nos mostram que existem relações entre acontecimentos espirituais que se manifestam de forma física. Para isto se utilizam da astrologia.
Astrologia

Já vimos que os demônios relacionam sua comunicação ao posicionamento de astros e constelações. Isto acontecia com muita freqüência no passado, e não diminuiu no presente.
55

A astrologia é uma forma de identificar fenômenos cosmológicos como sinalizações de ações espirituais. O esoterismo é a ramificação ocultista que mais se utiliza desta ferramenta. Na astrologia existem princípios muito relativos à crença mesopotâmica, pois a astrologia surgiu deste lugar. Porém o que relaciona a astrologia aos demônios é o fato de que cada constelação do zodíaco, cada uma das 12 casas, é regida por uma entidade, existindo uma estrela ou outro astro que seja diretamente relacionado a esta entidade. Tudo o que ocorre dentro do perímetro de uma determinada constelação tem relação com a entidade regente e demonstra sua influencia no determinado quadrante de pesquisa. Por exemplo: Se uma pessoa nasce em um determinado local, na hora tal, do mês tal, do ano tal; observa-se a posição astral naquele quadrante. Qual a posição de determinada constelação em relação aquele local e período de tempo, quais os alinhamentos e conjugações astrais e quais fenômenos podem ser observados naquele exato momento. Tudo isto vai levar à uma determinada influencia por parte de uma ou mais entidades. Ao sinal correspondente à esta entidade denomina-se signo astral. Os signos são localizados pelo zodíaco.
Zodiaco

De maneira muito simplificada: É o conjunto de constelações que são observados através da eclíptica (caminho percorrido pelo sol durante o ano, o único perímetro em que podem ocorrer eclipses, por isso “eclíptica”). Foi desenvolvida uma divisão das constelações que ocorre neste perímetro em 12 casas zodiacais, entendendo-se que cada uma era regida por uma divindade. As constelações eram tidas como sinalizações dos deuses e o meio pelo qual eles se comunicavam com o homem. Na astrologia babilônica se reconhecia a influencia de 5 planetas, do Sol e da Lua e que eram associados aos seguintes espíritos:  Marduk = Júpiter (Nibirú)  Ishtar = Vênus  Ninib = Saturno  Nabu = Mercúrio  Nergal = Marte  Shamash = Sol  Sin = Lua Shamash, Sin e Ishtar formavam uma trindade fértil (Sol, Lua e Terra). Estes 7 corpos celestes davam compreensão sobre a influencia de cada uma destas entidades espirituais sobre o nosso mundo.

56

A partir daí desenvolveram calendários baseados também nesta divisão, e dividiram um ciclo solar (mês) nos 4 ciclos lunares (semanas) divididos em 7 movimentos solares (dias) em que o sol se movimentava gradativamente em 12 horas iguais (do nascer ao por do Sol – quando ele morre; do por do sol ao nascer – Quando ele ressuscita). A cada dia da semana foi associada uma divindade:  Domingo – Shamash (dia do Sol)  Segunda-feira – Sin (dia da Lua)  Terça-feira – Nergal (dia de Marte)  Quarta-feira – Nabu (dia de Mercúrio)  Quinta-feira – Marduk (dia de Júpiter)  Sexta-feira – Ishtar (dia de Vênus)  Sábado – Ninib (dia de Saturno) Esta divisão ainda vive hoje em alguns idiomas, como o Inglês: Sunday (dia do sol - sun) =Domingo Monday (dia da lua - moon) = Segunda-feira (Lunes – em Espanhol) Em Espanhol : Martes (Marte) = Terça-feira Miércules (Mercúrio) = Quarta-feira Viernes (Vênus) = Sexta-feira Os sinais das influencias zodiacais foram também divididos de acordo com as estações, associados à elementos diretamente ligados as dimensões da existência:  Fogo – espírito, ou corpo dimensional.  Terra – corpo físico  Ar – consciência  Água – alma, ou corpo emocional Os astrólogos entendem que existimos através deste quatro elementos em um mundo de três dimensões (largura, altura e comprimento). Multiplicando-se 4 por 3 o resultado é 12, por isto os signos representam 12 dimensões diferentes. De acordo com as posições das constelações em relação ao momento (Ano, Mês, Dia, Hora, Minuto) e Local (Continente, País, Estado, Cidade, Bairro, Rua) era possível fazer uma leitura de algum acontecimento, ou de uma mensagem enviada pelas entidades que regem aquela constelação. A compreensão destes sinais possibilitou o conhecimento de três modalidades de signos. 1. Cardinal – correspondem ao início de cada estação. 2. Fixo – correspondem ao auge de cada estação. 3. Mutável – correspondem ao fim de cada estação.
57

Com o tempo a relação astrológica foi tendo efeito maior dentro da ritualística em acesso aos demônios que representavam cada divindade do passado, e isto hoje é muito difundido dentro do satanismo. Cada dimensão astral representa uma dimensão espiritual ligada à um chakra correspondente, ligada à um demônio dominante, acessado por portais, como já dissemos, e que dão acesso à essas dimensões através de rituais específicos, se utilizando destes símbolos astrológicos:

Simbolo Áries Touro Gêmeos Caranguejo Leão

Elemento Qualidade Gênero Fogo Terra Ar Água Fogo Terra

Astro

Cardinal Masculino Marte Fixa Feminino Vênus

Mutável Masculino Mercúrio Cardinal Feminino Fixa Masculino Lua Sol

Mutável Feminino Mercúrio

Virgem Libra Ar Água Escorpião Sagitário Capricórnio Aquário Fogo Terra Ar Água Peixes Mutável Masculino Júpiter Cardinal Feminino Saturno Fixa Masculino Saturno Cardinal Masculino Vênus Fixa Feminino Plutão

Mutável Feminino Netuno

Rituais e movimentos militares eram todos feitos a partir da comunicação com os demônios através de leituras astrais. A astrologia só não era mais
58

importante que a magia ritualística, onde os demônios se comunicavam diretamente com os sacerdotes. Por esta influencia, as casas zodiacais indicavam a influencia direta de determinada entidade sobre um acontecimento. Quando acontecia um nascimento, acreditava-se que aquela entidade regente no momento do nascimento seria o que influenciaria na personalidade do recém nascido por toda a vida. Posteriormente foram sendo atribuídas características psicológicas sob influencia da casa regente do signo. Isto mesmo! Cada signo representa um demônio que influencia a vida da pessoa que se submete a ele adotando seu signo como regente, independente de usa crença! Mais uma vez isto ocorre por que os demônios não são onipresentes como Deus, por isto eles necessitam de um revesamento. Por isto de os ocultistas celebrarem rituais rigorosamente em locais, dias e horários específicos, para uma entidade específica. Para localizar os pontos em que estas manifestações vão ocorrer eles se utilizam de um fenômeno espiritual pelo qual em um determinado momento, em algum lugar, se torna possível o contato com a dimensão espiritual. Existem outros tipos de portais, pois nem todos os demônios agem em nossa dimensão. São portais que não são permanentes, mas temporários. Eles são utilizados para que seres humanos atravessem a barreira dimensional, não os demônios. Isto acontece por que estes demônios que ainda não atravessaram as dimensões para agirem diretamente em nossa dimensão ainda estão aprisionados. Para se ter contato com algumas destas entidades se faz necessário um ritual muito preciso para se encontrar o local exato da passagem para a dimensão dos demônios. Daniel Mastral dá um bom exemplo de como isso ocorre: “Vamos supor que alguém esteja num Gira-Gira (aquele brinquedo de criança que todo
mundo conhece). Imagine agora que em volta do Gira-Gira existe um tapume de madeira que o circunda completamente, formando um anel, um cilindro, ao redor dele. A distância entre o Gira-Gira e essa parede de madeira é, digamos, de um metro. Somente em um único ponto deste cilindro de madeira existe uma janelinha que pode ser aberta, e por onde pode passar o corpo da pessoa que está no Gira-Gira. O Gira-Gira está executando um movimento circular, uniforme, sem variações. Contudo, o anel de madeira ao redor também está rodando em torno do Gira-Gira, só que no sentido oposto, ao contrário. E numa velocidade que não é constante. Quem é quem nessa analogia? O Gira-Gira é a Terra, onde nós estamos, um Mundo que existe na 4ª Dimensão. O que existe à volta da Terra é o Universo, que está em expansão;... Dentro deste exemplo, temos de apenas num determinado ponto e num determinado momento — e apenas nessas condições — teremos um encaixe perfeito entre o Gira-Gira e aquele único ponto que pode, se "forçado", dar lugar àquela única janelinha daquele outro objeto circular à volta. Este é o momento em que a pessoa pode saltar e atravessar aquele
59

Portal aberto. Se você for antes do tempo, bate com a cara no cilindro... se for depois.... bate com a cara no cilindro Calcular e saber o momento em que a Janela vai se abrir não vem ao caso, são cálculos complexos alicerçados na Cabala, na Astronomia, na Astrologia. O que importa saber é que uma Janela Temporal destas pode ser aberta em qualquer lugar do Planeta, dentro de uma casa, ao ar livre... o que interessa é o momento certo.(...) O segredo das Janelas Temporais está no momento certo de acessá-las, mas ambém na maneira certa de atravessá-las. Tudo isso se traduz por meio de Ritos e cerimônias tremendamente específicas; lembre sempre do Gira-Gira; repetimos: um dos segredos destes Portais é o momento de forçar a passagem, construir o canal. O outro é o "jeito" de atravessar. Tudo isso está contido no Rito.” Rastros do oculto pág. 263-265

Essas rupturas dimensionais causam efeitos no mundo natural, e se fazem perceber por fenômenos como eclipses, alinhamento de planetas, posições lunares ou solares, etc. Sempre fatos muito raros, de grande importância. Se você já assistiu o filme “Stargate” é mais ou menos como acontece no filme. Os satanistas conhecem bem estes rituais e conhecem o lugar que é acessado por estes rituais de “região das masmorras”, por ser onde estão aprisionados estes demônios que serão acessados pelo ritual. Segundo alguns ex-satanistas este tipo de ritual só pode ser feito por pessoas escolhidas “a dedo”, e os métodos utilizados para o ritual somente são revelados diretamente aos sumo sacerdotes pelos demônios de alta hierarquia. Existem alguns rituais semelhantes em culturas contemporâneas que demonstram como isso pode acontecer. Estes rituais acontecem desde a antiguidade, por isto Deus proibiu que o povo de Israel tivesse contato com o culto dos povos pagãos que habitavam Canaã no período da conquista. “Quando entrares na terra que o SENHOR, teu Deus, te der, não aprenderás a fazer conforme as
abominações daqueles povos. Não se achará entre ti quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; nem encantador, nem necromante, nem mágico, nem quem consulte os mortos; pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao SENHOR; e por estas abominações o SENHOR, teu Deus, os lança de diante de ti. Deuteronômio 18.9-12

Era por essas praticas que os demônios conseguiam espaço, por isto Deus as proibia. Esses rituais se perpetuaram em todas as culturas antigas que permitiam contato entre os demônios e o ser humano e foi assim que surgiram os ídolos adorados no passado e o que causou a construção de monumentos como as pirâmides e o Stonehenge no passado. Ainda hoje eles se utilizam desses meios, mas não com a mesma freqüência. Eles rastreiam algum acontecimento de importância espiritual através destes rituais. Foi assim que aconteceu no tempo de Moises. Não foi por mero acaso que o faraó ordenou que se matassem todas as crianças recém nascidas justamente no período de nascimento de Moises.
60

Os magos do faraó, alertados pelas entidades - que já sabiam que alguma coisa importante ia acontecer neste período com a declaração de Deus a Abraão de que o povo seria escravizado e liberto (Gn 17. 13-14) – observaram os eventos astrológicos, checando constantemente se algum fenômeno ocorreria. Quando algo fosse encontrado o faraó deveria ser avisado urgentemente. Isto aconteceu quando Moisés nasceu! Claro que eles não podem prever com muita antecedência, porém os demônios, que também observam esses fenômenos, dão as coordenadas para que através destes rituais seja encontrado algum vestígio de um acontecimento importante. Os demônios, por não estarem presos ao espaço/tempo aprenderam como identificar alguns destes sinais. Os egípcios já possuíam o conhecimento e faziam uso da licantropia, da materialização dos demônios, da hierarquia dessas entidades, da numerologia, astronomia, astrologia, das aberturas de portais, etc. Isso tudo foi sendo passado através de rituais para várias culturas. Os celtas receberam isto milênios mais tarde, porém com várias adaptações muito desenvolvidas. Nestes rituais é comum o uso de entorpecentes, para se bloquear os sentidos naturais. Pois quando a pessoa está consciente, se bloqueia a sensibilidade natural, necessária para que os demônios produzam alguma experiência sobrenatural. Os nossos cinco sentidos funcionam como uma barreira natural, eles nos mantém em estado de alerta, quando alguma substância entorpece e desequilibra nosso estado natural, surge o que os ocultistas chamam de sexto sentido, e é dele que os demônios se utilizam para contatar o ser humano. Outro fato semelhante se deu no nascimento do Senhor Jesus. Alguns magos vindos do oriente - que se entende pela mesopotâmia, região dos sumérios, babilônicos, etc. – conseguiram reconhecer um sinal através de uma estrela. Através dos tempos estes magos se tornaram alvo de várias modificações, entre elas a de serem contados como três pela natureza de seus presentes, porém segundo a tradição foram 12 (!). O termo “magos” se refere ao fato de serem conhecedores da ciência, da astrologia e astronomia. Orígenes (183 – 254 d.C.) supôs que esta estrela se tratava do cometa Halley, que não possuía esse nome ainda na época. Porém isso confronta os registros astronômicos dos chineses de 4 a.C., causando um erro de 11 anos na data atribuída ao nascimento de Jesus, porém ficou estabelecido que teria sido um cometa não periódico. Tycho-Brahe, astrônomo dinamarquês descobriu o fenômeno que mais tarde seria conhecido como Nova e Supernova, em que ocorre um colapso
61

na estrela e ela explode podendo atingir uma luminosidade 10 bilhões de vezes mais forte que a do sol, para depois desaparecer. Seu núcleo residual normalmente se torna uma anã branca. Foram notadas ocorrências de Novas em 5 a.C., com isto essa é uma teoria que é muito bem aceita por pesquisadores como sendo a estrela de Belém. O astrônomo J. Kepler calculou que se tratava de uma conjunção de Júpiter e Saturno, que apareceram no mesmo meridiano celeste na costelação de Peixes em 7 a.C., agrupados com Marte, o que causaria o brilho intenso. Porém todas estas teorias possuem argumentos falhos, dada a importância desta estrela ter ocorrido e não haver registros específicos pelos astrônomos da época, em nenhuma outra nação vizinha. Porém o astrônomo britânico Mark Ridger lançou a teoria de que se tratava de uma série de eventos que ocorreram simultaneamente causando a estrela de Belém. Ele dividiu em quatro estágios o surgimento da estrela: 1º - tripla conjugação de Júpiter e Saturno na constelação de Peixes em 7 a.C., como Kepler defendeu, porém destacou que Peixes é signo da Judéia e qualquer evento ali reportaria os magos a este local. 2º - Agrupamento dos planetas Júpiter, Saturno e Marte em fevereiro de 6 a.C. 3º -Conjugação de Júpiter e da lua em fevereiro de 5 a.C. 4º - defende o aparecimento de uma Supernova, porém passou despercebida por não ser tão intensa para despertar interesse nessa região. Porém os magos teriam observado estes fenômenos e teriam se dirigido para a Judéia, e ao chegarem em Jerusalém a Nova estaria posicionada ao sul indicando a posição de Belém. Esta teoria é muito forte, porém não esclarece o conhecimento daqueles magos em relação a importância do nascimento do Rei dos Judeus, como demonstra o texto Sagrado, e foi bombardeado por Michael Moinar, um astrônomo norte americano que afirmava que o signo da Judéia não era Peixes, mas Capricórnio. Os magos puderam fazer uma leitura não somente do fenômeno ocorrido, mas também de seu significado. Isso foi possível pelos cálculos astrológicos desses fenômenos. Existiam sinais muito fortes do surgimento do Messias e os filhos do diabo observavam estes sinais. Outra ferramenta utilizada para interpretação desses fenômenos é a numerologia cabalística.

62

Numerologia

Os Judeus no passado relacionavam a ação de Deus a números que se repetiam com freqüência, entendendo os números como sinalização de um evento ou como uma assinatura de Deus. A cabala, como é conhecida a magia judaica, se utiliza da numerologia, por isto chamada “cabalística”, que é referencia para a alta magia de hoje. À Deus são atribuídos os números 7 e 3. Deus criou o universo em 7 dias; 7 são os dias da semana; Deus é triuno, portanto distinto em 3 pessoas em uma divindade só; temos um ano em 12 meses (1+2=3), cada ano dividido em 4 ciclos sazonais de 3 meses (4+3=7); o número da perfeição é 777 (7+7+7=21 ( 2+1=3)); o Senhor tinha 12 discípulos (1+2=3); 12 eram as tribos de Israel; etc. Tudo o que se refere à pessoa de Deus foi associado à esses números. Assim também ocorre no ocultismo, onde eles tem por sagrado os números 9 e 5. O numero do homem, da corrupção, é 6; o numero da Besta é 666 (6+6+6= 18 (1+8 = 9); a natureza humana é regida por 5 sentidos, e a sensibilidade espiritual é o 6º sentido; o símbolo mágico de maior força dentro do ocultismo é o pentagrama, a estrela de 5 pontas; o segundo símbolo mágico mais forte é o hexagrama, a estrela de 6 pontas; etc. Na astrologia cabalística, tem-se por referencia certos números também. Exemplo:”Em 2009, Vênus em posição de grande proximidade da Terra, se encontra no mesmo grau que o Sol, em Áries, no dia 27 (2+7=9) de março (3), sexta-feira (6). Vênus rege o quarto chakra, ou portal do coração. Segundo esta leitura, a conjunção entre Vênus Retrógrado e o Sol, a 6 de Áries, por seu alinhamento com a Terra, sugere a abertura de um Portal no Céu, que se abre uma única vez a cada oito anos (1+8=9). A cada um ano e oito meses (1+8=9) Vênus Retrógrado e o Sol se encontram de novo, mas em outras posições do Zodíaco, de modo a completarem um ciclo de cinco conjunções em oito anos (8+5= 14 (1+4=5). Essas conjunções distam entre si na eclíptica, em aproximadamente 72 graus (7+2=9), formando uma estrela de cinco pontas perfeita (Pentagrama). O coração humano, em perfeito estado de saúde, bate em média 72 vezespor minuto. São 72 anos que o Sol leva para retrogradar um grau na eclíptica. A divisão de um círculo (360 graus(3+6+0=9)) por 72 ( 360÷72=5), desenha a Estrela de Cinco Pontas de Vênus.” (texto tirado da internet, destaques inseridos entre parentesis para melhor compreensão do texto) Deus não permitia ao Seu povo se utilizar destes conhecimentos por que não são necessários dentro do contexto espiritual daquele que segue a Ele.

63

São ensinamentos dados pelos demonios aos homens que desejam se conectar com o submundo espiritual, a dimensão dos demonios. Não necessitamos nos aprofundar nestes conhecimentos por que não vão nos trazer nenhum benefício, limito a estes exemplos uma noção melhor de como os demonios se comunicam com o homem desde a antiguidade até os dias atuais. Satanismo Assim como existem várias crenças pseudo cristãs (que aparentam ser cristãs, mas estão distantes do cristianismo bíblico, como Testemunhas de Jeová, Mórmons, Adventismo do 7º dia, Congregação cristã, entre outros), existem também muitas ramificações ocultistas, aparentemente ligadas ao culto satânico, porém são apenas ferramentas de engano, uma distração. O que conhecíamos por satanismo era muito restrito ao que é divulgado por estas crenças, porém Deus tem nos mostrado nestes últimos anos que existe algo muito mais organizado e latente inserido nas entranhas da sociedade, escondido debaixo do tapete, mas que está sendo revelado por pessoas que Deus preservou para testemunharem suas conversões e nos trazerem informações dessa atuação satânica no mundo. Antes de 1966, a irmandade, como é conhecida a organização satanista que organiza mundialmente o culto à Lucifer, não era tão conhecida. Depois dessa data a crença satanista foi divulgada inicialmente nos Estados Unidos por Anthon LaVey. Antes disso era conhecido apenas como Alta Magia, termo definido pelo mago ocultista Eliphas Levi Zahed ( Alphonse Louis Constant 08/02/1810 31/05/1875) , que em 1859 escreveu uma série de rituais onde se podiam invocar demônios e fazer feitiços através da prática da Magia. Voltaríamos nos primórdios das crenças que já falamos para elucidar este tema. A origem real do satanismo está no desenrolar da magia ocultista desde os tempos antigos, como já vimos anteriormente. As praticas do satanismo hoje são idênticas ao que nos vimos na Suméria, Babilônia, Egito, Pérsia, e pelos Celtas. Desde os cultos aos “deuses” mesopotâmicos, a magia Egípcia, a Wicca dos druidas, a magia tem a mesma fonte: o diabo. Ele se utilizou dos ensinamentos esotéricos e astrológicos para seduzir o homem, mostrar que está presente de uma forma palpável, se mascarando dentro de uma divindade que não existe para receber culto e adoração dos homens. No satanismo ele não se disfarça, se revela. Se revela de uma forma mentirosa, mas se utilizando de algumas verdades convenientes ao seu propósito destruidor.
64

Alta Magia

Se Ninrode é o “Abraão” da magia, Hermes Trimegisto é o “Moisés”. Hermes se tornaria o revelador de mistérios; o Iluminador segundo os platonianos. No século 3 ainda se falava de seus ensinamentos ocultistas, contidos em cerca de quarenta livros gregos (um deles continha as bases de iniciação egípcia). Seus escritos serviram de base para muitos alquimistas, um dos mais importantes era a “tábua de esmeralda”: 1. Ele (prazer) é o verdadeiro, sem mentira e muito verídico. 2. Aquilo que está em baixo (Feminino) é como aquilo que está em cima (Masculino), e aquilo que está em cima é como aquilo que está em baixo para fazer milagres (gerar vida) com uma só coisa (Ato sexual). 3. E como todas as coisas vieram e vem de um (prazer), assim todas as coisas nasceram nesta coisa única por adaptação (ato sexual). 4. O sol (Masculino) é seu pai, a lua (Feminino) sua mãe, o vento o carregou em seu ventre, a terra o alimentou (culto a fertilidade). 5. O pai de tudo, o telemo, está aqui. Sua força será completa se for convertida em terra. 6. Separarás a terra do fogo, o sutil do espesso, delicadamente, com grande engenho (ritual). 7. Ele sobe da terra ao céu e, mais uma vez, desce à terra e recebe a força das coisas superiores (espirituais) e inferiores (terrenas). 8. Assim terás toda a glória do mundo e toda a obscuridade se afastará de ti. 9. É a força forte de toda a força (lema do satanismo-“poder a força”), pois vencerá toda coisa sutil e penetrará em toda coisa sólida. 10.Assim foi criado o mundo Os ensinamentos de Hermes foram preservados pelos sacerdotes egípcios por meio de uma técnica peculiar dos ocultistas. Os iniciados eram escolhidos a dedo e passavam por provas morais e votos de silêncio sob pena de morte por divulgação de um mínimo detalhe dos mistérios, algo vivido hoje dentro da maçonaria, por exemplo. Os livros de Hermes sobre a sabedoria solar são as bases da crença do antigo Egito. O Hermetismo foi muito difundido na idade média sob a forma de ciência, adquirindo status honroso dentro da sociedade, abrangendo o cotidiano, ocultismo, magia, esoterismo, astrologia e alquimia (Ciencia Hermética).

65

Estes ensinamentos deram origem aos rituais ocultistas, que se misturaram com os rituais pagãos vindos do tempo de Ninrode. Toda ritualística ocultista se baseia no seguinte princípio: Desequilíbrio. Utilizam nos rituais a música, drogas e sexo. Isto desde os primórdios. A música suaviza o ambiente e cria uma ambientação sensorial através da emoção distinta ao rito que vai ser celebrado. No caso das orgias a música geralmente se iniciava suave, se tornando frenética com o tempo causando efeito estimulante alimentado pelas bebidas ou drogas, que entorpecem os sentidos naturais; a desinibição leva a libertinagem sexual desenfreada, em orgias geralmente dissimuladas. O ápice era o contato com o espírito que se materializava ou canalizava um sacerdote e recebia uma oferenda, geralmente sacrifício humano. Os rituais são necessários para sinalizar a dimensão espiritual onde se encontra o demônio que está se invocando, pois precisam destes artifícios para abrir o elo com o rito. Este é o meio que ele usou para canalizar a força espiritual do ser humano em favor de suas estratégias. O ideal do diabo desde que foi expulso do Reino de Deus sempre foi vingar-se do Criador. Encontrou um espaço em nossa dimensão, que cada vez cresce mais. Os satanistas de hoje, não são pessoas que acreditam estar servindo a um espírito de luz, ou que são enganados por crenças diversas. Eles sabem quem estão servindo, conhecem seus propósitos e estão dispostos a irem até as últimas consequências, claro que estão iludidos por uma série de mentiras à respeito do “depois”, mas são conscientes do que fazem. São rigorosamente selecionados para se tornarem os “filhos do fogo”, passam por diversas situações em que são testados e observados até serem aceitos pelos demônios que vão acompanhá-los em sua trajetória. Desde a antiguidade os demônios foram trazendo ensinamentos secretos somente aqueles que eram eleitos para isto. Vimos isto acontecendo com mais força no Egito e nos Celtas, porém hoje esse conhecimento se espalhou mundo afora. O satanismo hoje é uma rede muito abrangente nas mais variadas escalas sociais, políticas e religiosas. Existem muitas crenças que remetem ao satanismo, porém são apenas pequenas divisões das quais eles permitem que subsistam para causar ceticismo sobre sua real existência. Pois normalmente os grupos que se intitulam como satânicos são grupos pequenos e desorganizados, que normalmente produzem situações que causam um grande descrédito da maioria das pessoas. Eles se utilizam também de outras religiões, que não passam de distração para sua atuação oculta na sociedade.
66

Os verdadeiros satanistas fazem parte de um sistema muito bem organizado chamado de Irmandade. É a irmandade que controla e dirige o culto ao diabo em todo mundo. Está inserida no contexto social e possuem entre seus adeptos pessoas que exercem várias atividades na sociedade como: médicos, advogados, professores, esportistas, cientistas, comerciantes, políticos, empresários, etc.
Rituais

Seus rituais incluem datas que combinam com cerimônias da antiguidade celebradas em referencia aos ensinamentos passados através dos tempos e obedecem uma rigorosa disciplina para terem efeito. Alguns dos mais importantes são estes:  O equinócio de Outono - 21 de Março (SÁTOR)  Solstício de Inverno - 21 de Junho (ÁREPO)  O equinócio da Primavera – 21 de Setembro (TENET)  Sabath – 31 de Outubro (ÓPERA)  Solstício de Verão – 21 de Dezembro (ROTAS) Estes cinco rituais são ligados pelas palavras mágicas entre parêntesis. Estas palavras possuem significado muito expressivo dentro da alta magia e formam um “quadrado mágico”.

S A T O R

A R E P O

T E N E T

O P E R A

R O T A S

Estas palavras formam um quadrado que independente da direção em que se lê, formam-se as mesmas palavras. Cada palavra possui uma representação numerológica cabalística em contexto astrológico, ou seja, se encaixa somente em um determinado momento em relação ao tempo e lugar. Trocando em miúdos, elas são uma espécie de sinal a respeito das entidades que se aproximam daquela região, seria uma sinalização do que está acontecendo espiritualmente e que se refletirá fisicamente naquele período. “Na verdade, o símbolo de cada um dos cinco capitães que compõem a Guarda de Honra do Príncipe a quem se oferece a Festa. Por exemplo, SÁTOR é a Festa do Outono e portanto, cultua Leviathan. As letras desta palavra explicitam os Principados que estarão acompanhando este Príncipe na região
67

durante algum tempo. "S" de Shiva; "A" de Abadom; "T" de Thamúz; "O" de O-Yama; "R" de Rimmon.” Filho do Fogo Vol. 2 pág.224 A maioria dos simbolismos e rituais, a organização e orientação dos demônios e dos que os servem, fazem referencia ao pentagrama. A estrela de cinco pontas tem vários significados e utilizações, além de ser muito comum em todas as associações ocultistas. O número 5 se refere, basicamente aos elementos (Fogo,Terra, Água, Ar e Espírito). O 5º elemento é Lucifer. Não é a toa que os 5 elementos são representados por uma estrela, referencia a astrologia e ao cosmos, o elo de ligação entre o físico e o espiritual; o homem e Lucifer. Ele faz referencia aos 5 principais demônios da hierarquia: Lucifer – Astaroth – Asmodeu – Belzebu – Leviathan. Os quadrados mágicos também se referem á ele, palavras e rituais, todos tem ele por referencia. Estes rituais têm por objetivo, comunicar-se com os demônios e estabelecer metas. Os rituais mais fechados exercem funções mais específicas e exigem preparo muito rigoroso.
Hierarquia

Existe no satanismo uma submissão extremamente forte sobre a hierarquia, tanto dos humanos como dos demônios. Claro que os demônios submetem o homem a um grau hierárquico inferior, pois eles são “deuses” para os satanistas. Pelo que consta na maioria dos escritos ocultistas e nos relatos de exsatanistas, os demônios mantiveram suas posições como quando eram anjos. Como chefe dos querubins lúcifer permanece sendo a maior autoridade entre eles. Depois vem 4 príncipes, que também ocupavam posição de destaque antes da queda, que por sua vez são “escoltados” por cinco Principados do que eles chamam de “Guarda de Honra”. E assim se sucedem em graus hierárquicos distintos. Existem várias sub-classes desses demônios, pois existem muitas funções exercidas por cada um deles. As divisões territoriais cabem aos príncipes, que se posicionam em um território de acordo com a estação do ano, cada um dos 4 se utiliza de um elemento físico: água, terra, fogo e ar; e se revezam nas estações do ano em cada área de abrangência. Estes, por sua vez, comandam principados, que são os demônios que tomam conta de um determinado território específico como um país, por exemplo, ou uma região. Depois destes vem as potestades, que são os que vão ter um atuação muito mais específica, comandando outras classes de demônios de classes inferiores. Após estes estão os domínios, que se especializam em uma determinada área, com uma forma de atuação
68

específica. Tem demônios que são especializados em uma atividade que se subdivide. Sua hierarquia funciona num esquema mais ou menos assim:

69

Os satanistas são os eleitos pelo diabo para fazer essa corrente chegar ao seu apogeu. Ele fez testes, experiências, utilizou de todos os recursos que podia e pode para alcançar um único objetivo. O tempo de atingi-lo está próximo, mais próximo que nunca, e vemos isto nos noticiários, nas revelações que nos mostram a face de seus subordinados e que escancaradamente trabalham sem serem percebidos pela maioria. Eles trabalham organizadamente, detalhadamente, esforçadamente, mas sabem que tem um adversário “osso duro de roer”: A igreja do Senhor Jesus. Eles estão infiltrados em todos os meios: comunicação, política, religião, etc; para fazer o que for necessário na preparação do seu ápice: A chegada do AntiCristo. O satanismo se ramifica em uma serie de organizações, ligadas diretamente à irmandade ou influenciada por ela. Uma destas organizações, e uma das que mais recebe influencia é a Maçonaria.
C

Maçonaria Com aproximadamente 40 mil lojas, como são conhecidos seus templos, em todo o mundo, com cerca de 6 milhões de maçons espalhados pelos 5 continentes, cerca de 0,01% da população mundial. Os maçons, em sua maioria, são pessoas que procuram na entidade uma atividade filantrópica, porém isto é apenas uma máscara que esconde o verdadeiro sentido desta organização. Estão intimamente ligados a interesses políticos e sócioeconômicos da Irmandade. A grande Maioria de nossos políticos são maçons, pessoas de influência, grandes empresários, pessoas de destaque na sociedade, juízes, advogados formam uma rede que desfruta de uma legítima tranqüilidade em agir às escondidas, sem serem percebidos.
70

É assim que surgem leis, estatutos, é assim que a economia gira, em torno da vontade dos “filhos da viúva”. Na antiguidade os ritos maçônicos eram conhecidos como “ritos dionisíacos”, relacionados ao culto de Dionísio. Na era cristã passaram a ser chamados de “Gnósticos”. Trabalham num sistema incisivo de recrutamento e adotam a cabala como núcleo filosófico. Os cultos de mistério que dariam origem a Maçonaria surgem no Antigo Egito em cerca de 2500 a.C. William Schnoebelem, ex-maçom, expõe os vários períodos desta organização ocultista e define sua linha histórica desta maneira:  Cultos de Mistério – 2500 – 200 a.C.  Religiões Cabalistas – 100 a.C A cabala defende que as dimensões espirituais se dividem em três pilares do que eles chamam de “árvore da vida”. Severidade (Feminino) = Ma (“Am” = Mãe) Equilíbrio (magia oculta) Tolerância (Masculino) = ba (“Ab” = Pai) A “mãe” se refere à corrupção, o “pai” aos patriarcas do povo judeu, e o equilíbrio é atingido através do ocultismo (Essa simbologia remete ao culto sexual, em que o masculino se une ao feminino para gerar vida!).
Árvore da Vida – extraída de um livro de rituais.

 Gnosticismo – 50 – 300 d.C. Esta foi uma das crenças mais combatidas pelo cristianismo apostólico e pela igreja Imperial, e foi em defesa da fé que os 318 bispos se reuniram em Nicéia no ano 325 para firmar o credo apostólico, fechar o cânon neo-testamentário e definir a crença cristã pautada somente nas Escrituras.  Sociedade pré-Islãmica e alquímica – 200 – 600 d.C. Perto de Nínive e da moderna Bagdá, existia um grupo chamado Yetzidis que adoravam um “anjo-pavão”, e que tinham ensinamentos ocultos sobre essa divindade cujo nome secreto era “Shaitan”, uma variante árabe para a palavra “Shatan” do hebraico, que se refere á Satanás. O Pavão era o símbolo de Shaitan pelo seu orgulho.

71

Alguns acreditam que os Yetzidis tinham ligação com Hassan I Sabah, que é considerado o “pai das conspirações modernas”. Ele foi o líder de uma divisão do islamismo chamada Ismaelianismo, considerado como heresia pelo Islam. Criou uma divisão de soldados que eram induzidos por uso de drogas como o haxixe, em algo posteriormente conhecido por “programação mental”. Esse grupo de Soldados de Elite era chamado de Hashishim, que deu origem a palavra “assassino”, por seus soldados serem extremamente dispostos até a morrer por seu lider. Suas últimas palavras foram: Nada é verdadeiro, tudo é permitido! Expressão que se tornou lema iluminista e posteriormente foi adotado pelo satanismo de La Vey. Hassan é também considerado “pai da espionagem”.  Culto Hashinshin – 1000 d.C.  OS Templários – 1116 – 1307 d.C. Inicialmente era um grupo de monges treinados para defender os viajantes europeus que iam em visita à terra Santa. Seu primeiro Grande Mestre foi Huges de Payens. Posteriormente seriam uma espécie de força-tarefa para libertar a palestina do regime Islâmico governado por Saladino, chamadas de Cruzadas. Os “pobres cavaleiros do Templo” se associaram com os Hashinshin, e começaram a se aprofundar no culto de mistérios, o que os levou a grandes fortunas que surgiram ninguém sabe de onde. O fato é que as cruzadas foram um fracasso, mas os Templários voltaram para a Europa extremamente ricos e poderosos. Em 13 de Outubro de 1307 veio o duro golpe. O rei Filipe IV, da França e o Papa Clemente V se uniram contra os Templários e prenderam todos eles, todas as suas terras foram confiscadas, porém jamais encontraram suas fortunas. Seu último Grande Mestre, Jacques de Molay, se adiantara ao ataque queimando muitos de seus registros e de seus rituais, onde Cavaleiros templários carregando a acredita-se que adoravam um homemimagem do Baphomet. bode chamado Baphomet.  Rosacrucianismo – 1500 d.C.
72

Christian Rosenkreutz (lê-se “Rosencriuts”) foi o fundador da “fraternidade da Rosa Cruz” no século 14, após estudar ocultismo no Oriente Médio, segundo o tratado “Fama Fraternitatis”, encontrado em 1614. Hoje é conhecida como A.M.O.R.C. (Antiga e Mistica Ordem Rosae Crucis). Os ensinamentos esotéricos dos rosacruzes foram o estopim do que mais tarde seria a maçonaria. Cultos de mistério e ensinamentos de rituais ocultistas realizado apenas para iniciados sob juramentos ameaçadores divididos em graus de ascenção. Adotam a magia hermética como um de seus principais fundamentos filosóficos, por isto seus templos contém muita simbologia do Antigo Egito.  Jesuítas – 1534 d.C. Idealizada pelo espanhol Inigo Lopez de Recalde em 1534, só foi aceita pelo catolicismo em 1540. Inigo lutou contra os franceses na Batalha de Pampeluna, na qual foi ferido gravemente na perna. Voltou ao castelo de seu pai em Guipuzcoa e começou a receber orientações espirituais do clero, onde dedicou-se a leitura dos únicos livros que dispunha: A vida de Cristo e A vida dos Santos. Começou a sofrer de alucinações pelas dores que lhe causava o ferimento da perna, e apresentar sinais de neurose e problemas emocionais. Adotou o pseudônimo de Inácio de Loyola (do castelo de Loyola, onde nasceu) e foi canonizado pelo papa Gregório XV em 1691. Idealizou uma ordem formada por monges guerreiros aos quais chamava de “los alumbrados”, ou “os iluminados”, título que não agradou ao papa, mudando seu nome para Companhia de Jesus. Registrou seus ensinos em “Exercícios espirituais de Santo Inacio de Loyola”, que contém o que seriam os exercícios de controle mental. A Ordem dos Jesuítas, ou Companhia de Jesus, sempre teve fundo político. É uma Ordem intelectualizada, utilizou-se da inquisição (embora esta estivesse a cargo dos dominicanos); criou o probabilismo (doutrina que defende a permissão de todos os atos e doutrinas que se apóiem em uma autoridade ou em uma “razão justificável”); pregou a restrição mental e a idéia de que os fins justificam os meios e passou a se utilizar dos meios de espionagem utilizados pelos Hashinshin. São orientados por uma eminência conhecida como “Papa Negro”. Seu juramento se encontra no livro Congregacional de Relatórios na página 3.362 que resumidamente diz:
73

“ Prometo na presença de Deus e da Virgem Maria e de ti meu pai espiritual, superior da Ordem Geral dos Jesuítas (...) e pelas entranhas da Santíssima Virgem, defender a doutrina contra os usurpadores protestantes, liberais e maçons sem hesitar. Prometo e declaro que farei e ensinarei a guerra lenta e secreta contra os hereges (...) tudo farei para extirpá-los da face da terra não pouparei idade, nem sexo, nem cor (...) farei arruinar, extirpar, estrangular e queimar vivos esses hereges. Farei arrancar seus estômagos e o ventre de suas mulheres e esmagarei a cabeça de suas crianças contra a parede a fim de extirpar a raça. Quando não puder fazer isto publicamente, usarei secretamente o veneno da chávena de chá, a corda de estrangular, o laço, o punhal e a bala de chumbo. Com este punhal molhado no meu sangue farei minha rubrica como testemunho. Se eu for falso ou perjuro, podem meus irmãos, os soldados do papa, cortar minhas mãos e pés, minha garganta de orelha a orelha; minha barriga seja aberta e queimada com enxofre, e que minha alma seja torturada pelos demônios para sempre no inferno.”

 Maçonaria – 1600 d.C. A maçonaria teve início nas construções da idade média, a palavra Maçon vem do Frances “Mason” e quer dizer “pedreiro”. Os construtores em sua maioria eram pessoas que não possuíam documentos e referencias, para ser identificado como artífice era necessário ter o conhecimento dos sinais. Só assim ele seria identificado como um “mason”. Cada grau de profissional tinha um toque específico que só o “Gran Maitre” conhecia. Acredita-se que com a perseguição do clero, os templários sobreviventes esconderam-se sob a sombra das construções, e passaram a se utilizar dos toques e sinais dos pedreiros para serem identificados sem fazer alarde. Em 1717 na Inglaterra, na Taverna da Macieira, em Londres, foi realizada a primeira reunião oficial da Grande Loja, no dia 24 de Junho, o dia mais sagrado dos Templários e um grande feriado satânico, por isto este local ficou conhecido como “Loja Mãe”. Porém em 1775 nasceria o “Grande Oriente” na frança moldando o que seria a maçonaria moderna. Albert Pike e Joseph Mazzini moldaram a maçonaria dentro do conceito Iluminista e a tornaram o que é hoje.  Illuminati – 1776 d.C. A irmandade possui um “braço direito” que também tem ligação direta com a maçonaria: o Illuminati.

74

Illuminati

Na noite de 30 de abril para 1º de maio de 1776, a chamada Noite de Walpurgis, um grupo de homens estava reunido em um bosque na Baviera, no sul da Alemanha, para a criação da sociedade secreta chamada Illuminati ou Iluminados da Baviera. Adam Weishaupt, professor de Direito Canônico na Universidade de Ingoldstadt, foi o fundador desta Ordem. Apesar da sua família ser de origem judaica, Weishaupt converteu-se ao Catolicismo e ingressou no Colégio de Jesuítas, onde logo destacou-se graças a sua fantástica memória e inteligência. Na biblioteca de seu avô, Adam tomou contato com obras de filósofos franceses e livros sobre a maçonaria, começando a se interessar por estudar sociedades secretas e organizações similares. Quando a Igreja descobriu os interesses ocultos de Weishaupt, ele foi expulso da sua instituição. Não se pode dizer que Adam tenha sentido muito esta expulsão, já que estava convencido de que o plano de Deus para a humanidade e seu desenvolvimento era débil e impraticável em um mundo dominado pelo materialismo do século 18. Assim, decidiu trocar de lado na sua crença e buscar outro tipo de iluminação espiritual, justamente a contrária daquela buscada pelo Cristianismo: o Satanismo. Seus primeiros adeptos foram 4 alunos de sua própria cátedra, que inicialmente se dedicaram à norma básica de somente aceitar a adesão de pessoas bem situadas social ou economicamente. Por isso, buscou e encontrou desde o primeiro momento o apoio econômico de um banqueiro internacional que passou para a história como um dos homens mais ricos do planeta: Meyer Amschel Rothschild. Rothschild foi peça fundamental no desenvolvimento iluminista. Este homem desenvolveu sua fortuna adquirida por meios escusos, que passou para os filhos. Seu sucessor, Natã Rothschild, agiu astutamente para conseguir tomar 80% das riquezas da Inglaterra numa única jogada de mestre. Na batalha da guerra Napoleônica em Waterloo, as perspectivas inglesas eram as piores. Natã começou a vender freneticamente suas posses, e o restante dos investidores gritavam alucinados desfazendo-se de seus patrimônios pensando ver na atitude do Rothschild uma “salvação”. O que eles não esperavam era que Natã começasse através de seus subalternos, a comprar os papéis que agora valiam frações mínimas. Ao chegar a notícia de que Napoleão caíra na batalha, os Rothschild já detinham uma riqueza vinte vezes maior e se tornaram a casa bancária mais rica da Europa. A estratégia de crescimento seletivo de Weishaupt deu certo e logo apareceu o primeiro adepto de nivel social elevado, um barão protestante de Hannover chamado Adolph Franz Fridriech Ludwig Von Knigge, que havia
75

sido iniciado na maçonaria regular e acabou por iniciar Weishaupt na Loja Maçônica de Munique. Em pouco tempo, os Illuminati passaram a liderar lojas maçônicas e abriram diversas lojas na Alemanha, Áustria, Suiça, Hungria, França e Itália. Apenas 2 anos depois da sua criação, havia somente 20 estudantes universitários, todos os demais pertenciam à nobreza, política, ou exerciam profissões liberais como Medicina e Direito. Os símbolos que figuravam como representantes da Ordem de Weishaupt eram uma pirâmide cortada no ápice com um olho aberto em seu interior, o chamado “Olho que Tudo Vê” e a proclamação da Nova Ordem Mundial. Nova Ordem Mundial Tem-se Ninrode como primeiro defensor da institucionalização de um único governo mundial, depois disso, surgiram os Impérios – Regime de domínio territorial de vasta expansão – como os Egípcios, os babilônicos, os Persas, os Gregos e os Romanos, todos com a idéia fixa de um único regime adotado mundialmente. O mais abrangente de todos foi o Império Romano.

Imagens: Sociedade Bíblica do Brasil

76

O Império Romano estendeu seu domínio do Oriente ao Ocidente, ou seja, do nascente ao por do Sol. O termo Ocidente vem de “occidens” e significa “cortar”, “matar”. Logo, Ocidente é o poente, é o Sol se põe na terra, onde ele “morre”, ou como os gregos preferiam, fazia a “katábasi” (ir ao solo). Assim o Sol viajava ás profundezas e “ressuscitava” no dia seguinte ao “oriens”(renovo). O culto ao “Solum”(só um) era uma referencia para as conquistas das legiões romanas, que levavam sua “luz” aos bárbaros. Com o passar do tempo esta idéia migraria por todas as faces ocultistas que já vimos e chegaria ao iluminismo de Adam Weishaupt. Ele idealizou uma sociedade que viveria dentro de outra sociedade misturando os conceitos místicos do islamismo, magia cabalística, controle mental jesuíta e os segredos maçônicos sobre a imortalidade. O marco dos “iluminados” foi, sem dúvida, a revolução francesa. Com a queda da bastilha e sem nenhum pudor, profanaram a catedral de Notre Dame (“Nossa senhora”) colocando uma meretriz seminua em cima do altar, coroando-a com a “razão” e colocando em sua mão a tocha do iluminismo, simbolizando a liberdade racional. Esta distinta “senhora” está hoje visível em Nova York, retratada como Estátua da Liberdade! Weishaupt criou um conceito chamado de “lei dos Cinco” – Referencia ao pentagrama – e que foi apoiado por cinco homens: Kölmer, amigo de Weishaupt, Francis Dashwood (membro do clube ”fogo do inferno”), Alphonse Donatién DeSade (“sádico” é a palavra originada por seus atos), Meyer Amschel Rothschild (banqueiro) e Weshaupt. Só “gente boa”! Um dos símbolos mais significativos da magia illuminati é o sinal de Dagon, uma mão estendida com a palma para frente, como um sinal de “pare”, mostrando os cinco dedos. Segundo essa lei, a história gira em torno de cinco estágios, que se bem entendidos podem ser manipulados. Eles são: 1. Caos (Verwirrung) – Refere-se ao estágio da humanidade sem controle, pagã, tendo uma divindade feminina, a mãe. 2. Discórdia (Zweitracht) – Refere-se ao surgimento de uma classe dominante que põe controle a desordem do caos, com a introdução da adoração á um deus masculino. 3. Confusão (Unordnung) – É o período em que se busca o equilíbrio das duas divindades, surgindo um deus infante, ou um “filho de deus”. 4. Burocracia (Beantenherrschaft) -Weishaupt acreditou que haveria um vazio espiritual neste estágio, e que absolutamente nenhuma deidade deveria ser reconhecida. O único deus passa a ser a
77

burocracia dominante. O povo não pode suportar este vazio e escapa para a fantasia, as drogas ou a loucura. Os governantes devem continuar parecendo controlar e conhecer tudo, e o encargo sobre a classe inferior escrava os torna inadequados para fazer qualquer coisa. Perdem seus empregos, terminam em pensões ou hospitais. É durante essa fase que ocorre a destruição da classe média (nada familiar com nossos dias!). Sem a classe média para gerar capital, a inteira desordem acaba na... 5. Consequência (Grummet) – Com a falência da burocracia, perde-se o controle e tudo volta ao caos novamente. Weishaup e seus iluminados, acreditavam que poderiam desta maneira controlar o mundo, e colocaram em ação seu plano. Estavam em vias de derrubar toda a coroa européia quando em 1785, um de seus mensageiros que carregava sinais codificados sobre a conspiração illuminati foi golpeado por um raio numa tempestade no meio do caminho. Os documentos foram achados e decodificados, sendo reveladas quais eram as reais intenções iluministas. A perseguição teria levado os illuminati ao fim, não fora sua estreita ligação com a maçonaria, que permitiria a sobrevivência do iluminismo ás ocultas. Outro grande nome do ocultismo é o de Edward Alexander Crowley, que também fazia parte dos Illuminati. Crowley dizia ter tido visões de um anjo chamado Aiwas em 1904, que o revelou que Jesus tinha sido destronado e que estava para surgir o “filho coroado e conquistador” que tomaria o lugar de Deus na terra. Ele passou a se utilizar de rituais para trazer este tal ao nosso mundo e o chamou de “culto do filho fascinante”. Theodor Reuss, líder da O.T.O. (Ordo Templi Orientis) os templários do oriente, revelou a Crowley o “segredo” da imortalidade e que ele só poderia ser alcançado através de “magia sexual tântrica”, ou seja, através de violação sexual de crianças! Isto porque eles acreditam que através deste ritual, a juventude da criança seria “sugada” pelo agressor, através dos túneis de thypon (um tipo de chakra localizado na região anal, no reto) que daria acesso à outras dimensões de onde poderiam extrair força vital, ou seja, que viveriam eternamente alimentando-se sexualmente de crianças indefesas. O diabo não brinca em serviço! Crowley chegou ao ponto de gabar-se de ter violentado mais de 150 meninos em um só ano, o que lhe rendeu o título de “o homem mais perverso do mundo”. Alguns analistas constataram que crianças defloradas na infância envelhecem mais rapidamente que o normal.
78

Isto foi revelado por Crowley no livro de “T.H.o.T.H”, onde são representadas as dimensões cabalísticas no Qliphot, a “árvore do mal”. Esta é uma das bases da arqueometria, utilizada para difundir sinais e códigos em construções de templos e construções comuns carregadas de símbolos mágicos para se tornarem habitação de demônios. Um dos símbolos mais significativos é o trapézóide: Este símbolo arquiométrico simboliza a substituição espiritual, e é considerado o ideal para a manifestação de demônios. Foram constatados na Europa, que as casas de telhado neste formato são as que mais sofrem problemas de assombrações e eventos sobrenaturais. O triângulo inacabado significa a falta da “pedra angular” (Efésios 2.20), o Senhor Jesus, que pelos illuminati é preenchida pelo “olho que tudo vê”, a 3ª visão, o olho de Lucifer. Lucifer é a “pedra angular” dos Toda essa porcaria é inclusa nos rituais e na illuminati programação mental de crianças e adultos dentro da “sociedade” iluminista. Uma sobrevivente dos illuminati, que usa o pseudônimo de Svali, relatou em uma entrevista que a programação mental utilizada pelos illuminati é muito comuns em sinais inseridos nos filmes, musicas e desenhos animados com o intuito de programar mentalmente principalmente crianças e adolescentes, que hoje são o maior foco da mídia. Hoje além dos Rothschild, existem mais 12 famílias detentoras das posses da riqueza mundial, que governam instituições financeiras e o banco mundial. As 13 Famílias são a base da organização fundada por Weishaupt e hoje são dominantes em todas as áreas da sociedade, principalmente na Europa e Estados Unidos. Com estas organizações em pleno vigor, detendo 70% das riquezas mundiais, dominando as elites e as principais organizações do globo, não seria nada difícil manipular massas e preparar a implantação de um governo único para todo o mundo regido pelo seu líder, o AntiCristo. Claro que isto não é feito às claras, mas sorrateiramente, em encontros secretos, reuniões de portas fechadas, e o que podemos encontrar de vestígios de sua atuação, são alguns rastros deixados pela ação de seus planos. Um destes vestígios é o monumento das Pedras Guias da Geórgia.

79

Pedras Guias da Geórgia.

É um monumento erguido no condado de Elbert, estado da Geórgia- EUA, em 1979 de forma misteriosa. Um certo senhor “R.C. Christian”, pseudônimo adotado pelo contratante da construção, dizia representar um grupo de dignitários americanos residentes fora do estado da Geórgia que desejavam construir um monumento em prol da conservação ambiental. No local, encontra-se uma inscrição contando a história da construção e dizendo que o tal “Mr. Christian” adotou este pseudônimo por ter sido cristão. É formado por cinco grandes pedras de granito da região, que é tido como um dos melhores de todo o mundo. Nas pedras estão gravadas 10 frases, em 8 idiomas diferentes (Árabe, Chinês, Espanhol, Hebraico, Hindi, Inglês, Russo e Swahili.)e uma mensagem gravada em 4 línguas antigas (Babilônio Cuneiforme,Grego Clássico,Hieróglifos Egípcios e Sânscrito).

80

As 10 Frases são: 1. Manter a humanidade abaixo de 500.000.000 em perpétuo balanço com a natureza. 2. Guiar a reprodução de maneira sábia, aperfeiçoando as condições físicas e a diversidade. 3. Unir a humanidade em uma única nova língua. 4. Regular a Paixão – Fé – Tradição e todas as coisas com razão moderada. 5. Proteger pessoas e nações com leis e cortes justas. 6. Levar todas as nações a regras internas e resolverem disputas externas em uma corte mundial. 7. Evitar leis insignificantes e oficiais desnecessários. 8. Balancear direitos pessoais com deveres sociais. 9. Prezar a verdade – beleza – amor buscando harmonia com o infinito. 10. Não ser um câncer na terra. Deixar espaço para a natureza. Deixar espaço para a natureza. Acredita-se que este monumento revela quais serão as diretrizes principais do governo mundial quando for instaurada a Nova Ordem Mundial. Claro que para alcançar estes objetivos descritos nestas frases serão necessários esforços internacionais, de vários órgãos e entidades para conseguir regular tudo isto uniformemente no mundo todo. O primeiro passo é alcançar o controle de massas. Porém obter este controle em mais de 6,7 Bilhões de pessoas é impossível. Daí o plano de redução da população para 500 milhões, o que significa que 6,2 Bilhões de pessoas no mundo inteiro deixariam de existir, cerca de 90% da população mundial deve MORRER! Como fazer isto sem causar pânico, sem alarmar?
81

Existem várias formas de agir sem despertar alarme na população, uma delas é a regra de 3. Cria-se um problema, divulga-se exaustivamente até causar pânico e então dão a solução. Que torna a massa amigável a idéia exposta como solução. Como as elites governamentais e financeiras do mundo estão sob o controle das organizações ligadas as famílias mais ricas do mundo, é obvio que leis e situações são decididas de acordo com a conveniência de seus planos. A maioria das ações utilizadas para esta meta está enquadrada em políticas internacionais de controle populacional, alimentação, defesa, segurança e saúde.
Rastros Químicos

Você já deve ter visto no céu um rastro deixado por um avião, que permanece por horas até se condensar na atmosfera se misturando as nuvens. Pois é, estes rastros são causados por uma nebulização química lançada no ar por aviões preparados para este fim. No passado eram tidas como pesquisas de toxicidade e absorção por parte de reagentes na atmosfera, eram lançados em forma gelatinosa e caíam junto com a chuva de forma muito estranha, causando o alarme em regiões onde foram utilizadas estes testes. Em 7 de agosto de 1994 aconteceu um fato curioso numa cidade chamada Oakville, nos Estados Unidos. Uma chuva de uma espécie de gelatina contaminou as pessoas da cidade com uma infecção intravenal. Levada ao laboratório, constataram que havia glóbulos brancos humanos na substância e duas espécies de bactérias que se instalam no
82

sistema digestivo. As primeiras suspeitas seriam de que teria vazado a substância de algum avião comercial, seria uma boa explicação para as células humanas, porém o comitê de aviação descartou esta hipótese pelo fato de o excremento dos aviões ser misturado a uma substancia de cor azulada enquanto que a geléia toxica era branca. A mídia se calou após este evento, até conseguirem a polimerização do material, fazendo com que este se pareça com vapor d´água no céu. O material que é lançado no ar por estes aviões é altamente tóxico e o objetivo é baixar a imunidade das pessoas, fazendo-as mais sensíveis as doenças, e intoxicações. Por isto vemos a cada dia um aumento no índice de pessoas que ficam debilitadas facilmente por qualquer tipo de contágio. Alergias que surgem com maior intensidade, doenças que renascem das cinzas, envelhecimento precoce, chuvas ácidas, aumento de poluentes no ar, diminuição na camada de ozônio. É claro que para desviar a atenção colocam a culpa nas indústrias, nos automóveis, etc. Mas esta é só uma parte do plano.
Fome

Em novembro de 2009 veio à tona um escândalo envolvendo líderes das principais nações do mundo, inclusive da ONU, mostrando que havia uma fraude no relatório sobre clima. Os cientistas da ONU e suas filiadas expuseram que as mudanças climáticas são causadas por responsabilidade exclusiva da ação do homem. Desde espécies da fauna que se extinguiram ou estão em vias de se extinguirem, tudo o que acarreta num clima hostil no planeta, seria de responsabilidade humana. Aos olhos destas pessoas: “Existe gente demais no planeta”! Já vimos que uma das medidas de despopulação é a contaminação do ar pelos rastros químicos. Outra seria pela alimentação. A ONU foi criada depois da segunda guerra com o intuito de organizar o mundo que caminhava para um caos globalizado do pós-guerra. Surgiu depois do tribunal de Nuremberg, onde foram julgados os crimes de guerra cometidos pelo regime nazista e seus aliados. I.G. Farbem foi a mega indústria alemã responsável pela produção do gás usado nas câmaras de gás, do aço para construção das linhas férreas e dos campos de concentração, munição e até materiais farmacêuticos entre outros materiais utilizados pelo regime. Esta mega indústria se dissolveu em três gigantes: a BASF, BAYER e a HOECHST. Fritz demMeer, Presidente da I.G. Farbem, foi preso pelos crimes contra a humanidade. Ele foi o autor da frase existente na entrada do campo de extermínio em Auschwitz: Arbeit Macht Frei (O trabalho liberta!).
83

Ele foi condenado em 1948 a apenas 6 anos de prisão por ter cooperado com as SS,e por crimes contra a humanidade. Dentro da prisão considerou que a importância da sobrevivência do mundo está na alimentação. Se dominar a comida, domina o mundo! Isto foi passado pelo próprio deMeer as Nações Unidas, que criaram o Comitê Codex Alimentarius, fundado pela OMS (Organização Mundial de Saúde)e pela FAO (Organização para Agricultura e Alimentos), ambas ligadas a ONU, em 1962. Desde então existe um programa do comitê, que tinha o prazo máximo de implantação até 31 de Dezembro de 2009, quando entrou em vigor o Codex no mundo inteiro. Para tanto foram criados vários comitês organizados por setores alimentícios, em cada região, país e continente. Estes comitês regulamentam a produção de alimentícios, permitem ou proíbem a produção de alimentos e substâncias utilizadas em alimentícios. Controlam cada passo da produção, processamento, industrialização e consumo de alimentos em todos os países cadastrados. O codex promulgou mais de 400 diretrizes de praticamente tudo o que possa ser considerado alimento, apenas os farmacêuticos ficaram de fora. Em 4 de Julho de 2005 foi apresentado ao Codex uma diretriz para Vitaminas e Minerais, e foi ratificado, aprovado por consenso, a Obrigatoriedade de aplicação do codex à todos os países membros da OMC (Organização Mundial do Comércio). Surge a pergunta: o que a Organização Mundial do COMÉRCIO tem a ver com a regulamentação de vitaminas, minerais e alimentícios em geral? Foi aceito que se dois países estão em disputa na OMC, e um destes países não está regulado com o Códex, ele perde automaticamente a disputa para o País que está regulamentado, não importando a gravidade do assunto. Isto fez com que muitos líderes mundiais, quase que desesperadamente se regulassem de acordo com as normas do comitê para não correr este risco. Porém qual o mal em ter a regulamentação do Códex? O códex regula os alimentícios de forma a priorizar o conceito financeiro de produtores e indústrias, não do consumidor, não tem a ver com a saúde, ou nutrição, mas sim de negócios. Nesta diretriz apresentada em 1994, o Códex declara que todos os nutrientes e minerais são toxinas. E para tratar destas toxinas em nosso organismo eles permitem que se use toxicologia , e permitem outras substâncias que vão nos “defender” das vitaminas e minerais! O Flúor é uma destas substâncias. Foi utilizado pela primeira vez em GULAG (Administração Geral dos Campos da União Soviética) em que todos
84

os prisioneiros que bebiam água fluoretada, como nós, se tornavam complacentes, ou seja, perdiam a capacidade de reação. Uma das maiores beneficiadas pelo códex é a gigante Monsanto. Esta indústria química produz os mais “eficazes” herbicidas, entre eles o mais conhecido é o Roundup. A Monsanto criou vários tipos de sementes geneticamente modificados para serem resistentes ao Roundup, porém com isto ela criou um monopólio industrial e causou a dependência de muitos produtores de grãos no mundo, controlando a produção do que por ela for mais lucrativo (confira o documentário “The world according to Monsanto” – O mundo segundo a Monsanto, dirigido pela pesquisadora Marie-Monique Robin e co-produzido pela thale produções, The Nationmal Film Board of Canadá e WDR.). A Monsanto é apoiada pelo códex. O códex propõe que todos os animais que nos servem de alimento sejam tratados com antibióticos clínicos, para serem combatidos os nutrientes, junto com hormônios de crescimento. Ele estipula limites para substâncias químicas nos alimentos, porém estes limites são muito altos. Em 2001, 176 países proibiram o uso de 12 substâncias altamente poluentes, conhecidas por POP´s (Poluentes Orgânicos Persistentes). 9 destas substâncias são tidas como pesticidas, porém 7 destas substancias altamente tóxicas foram liberadas pelo Códex como Diodrina,Aldrina e Hexaclorobenzina. Uma estimativa epidemiológica da OMS e da FAO dizia que quando implementada globalmente a diretriz de Vitaminas e Minerais, resultará em no mínimo 3 bilhões de mortes! 1 bilhão vai morrer de fome, e os outros 2 Bilhões de doenças proveniente de desnutrição, má alimentação e intoxicação alimentar, câncer, doenças cardiovasculares, Diabetes entre outras doenças. Ele já está funcionando, existem pessoas que desejam ardentemente parar o processo de regulamentação pelo códex, como a Dra. Rima Laibow, que expos todas estas questões em seu site www.healthfreedomusa.org. Porém não existe só o codex para atuar causando este massacre. Segundo a Dra. Laibow, a OMS trabalha desde 1974 em vacinas para causar esterilidades permanentes, em controle populacional e alimentício. Ela também afirma que nas vacinas que estão sendo utilizadas em todo o mundo existe uma toxina chamada Escualeno. É uma substancia utilizada para aumentar a resposta do organismo à vacina, porém pode causar reações em todo o corpo. Porém a pior de todas as noticias é a existência de um vírus vivo atenuado instalado em uma vacina que será utilizada por via oral causando uma pandemia de proporções gigantescas. Por isto a desconfiança das pessoas em vacinar-se.

85

É claro que ao atingir este nível, não haverá doses de vacina suficientes para toda a população. Esta situação causaria uma revolta interna. Nos Estados Unidos, por exemplo, faria entrar em ação a Lei Marcial que torna o Presidente dos EUA dotado de pleno poder para tomar as providencias necessárias de controle interno, organizado pela Agencia Federal de Gerenciamento de Emergência, a temida FEMA. Cerca de 420 mil militares entrarão em cena para conter a revolta interna, e já existem dentro do território americano centenas de postos de controle, e presídios de segurança máxima, locais protegidíssimos para manter as pessoas presas. E os milhões de mortos pela Pandemia? Serão acomodados nos mais de 5 Milhões de caixões estocados em todo o território Americano pela FEMA (isto referindo-se apenas aos E.U., porém estes postos estão sendo encontrados em vários lugares do mundo). Foi criado um comando específico no Exército americano chamado NorthCom, preparado para fazer o traslado das pessoas em casos como este. Segundo a Dra. Libow: “em 2003 eu tive uma paciente, chefe de estado que me disse: Você sabe que está quase na hora de começar o grande sacrifício! Eu disse: o quê? E ela me respondeu: o grande Sacrifício! Perguntei: de que está falando? E ela disse: está na hora dos inúteis comedores serem sacrificados! São as pessoas que estão consumindo nossos recursos naturais não renováveis. E perguntei: Quem são as pessoas que decidem isso? E ela respondeu: nós os Aristocratas! Perguntei: quem está por trás disto? E ela me respondeu: Você já ouviu falar dos Bilderbergs, é claro?! Eu indaguei: são eles que estão no topo? Ela disse: não. Segundo esta mulher existe um conselho de 7 homens e eles tomam as decisões ao longo do prazo que eles querem que algo aconteça. Que país deve se levantar ou cair, qual economia deve prosperar. E é importante saber que eles não tem credo religioso, não tem afiliação política nem ligação com qualquer nação. Eles atuam segundo as suas próprias regras!” Esses “sete” são apresentados neste esquema referente aos illuminati.

Os 13 degraus do Iluminismo.

86

H.A.A.R.P.

Na cidade de Gakona, Alasca, território dos Estados Unidos, existe um programa científico chamado H.A.A.R.P. ( High Frequency Advanced Auroral Research Program – Programa de Investigação de Aurora Ativa em Alta Frequência).

São 180 antenas que juntas produzem um efeito de 1 bilhão de ondas de Rádio de Alta frequência, que penetram na ionosfera e interagem com a corrente dos eletrojets aureais ( uma força energética ativa na atmosfera) acima dos 90 Km de altura se encontra a Ionosfera, que chega até os 350 Km.

Os pulsos emitidos estimulam a ionosfera e reagem causando ondas que penetram na atmosfera e na terra. Funciona como um projeto militar científico, para encontrar armas escondidas, túneis subterrâneos, comunicação com submarinos, etc. Esta força consegue mudar ondas de rádio em baixa e muito-baixa frequência. A intenção do H.A.A.R.P. é utilizar a potência do eletrojet aureal para enviar ondas de alta freqüência para a ionosfera. Só que os eletrojets agem de forma a mudar condições climáticas, e podem interromper comunicações elétricas, por exemplo. Neste sentido, o H.A.A.R.P. funcionaria como uma arma geofísica.
87

Ele funcionaria como um grande “aquecedor atmosférico”, e poderia utilizar a Ionosfera como espelho, podendo redirecionar seus efeitos à qualquer ponto do planeta. Seria uma arma capaz de intensificar tempestades, prolongar estiagens e prejudicar o clima de um inimigo sem que este se desse conta. Alguns cientistas acreditam que aparelhos como este poderiam alcançar freqüências de rádio freqüentes dentro do cérebro e conseguir alterar o comportamento humano através de controle mental (a complacência gerada pela água cloretada é uma das auxiliares nestas pesquisas.). O cientista Nick Begich e a jornalista Jeanne Manning realizaram uma profunda investigação sobre este projeto que resultou no livro “Angels don´t play this HAARP” (Os anjos não tocam esta HAARP) Cientistas da Universidade de Stanford, asseguram que o clima mundial poderia ser controlado mediante a transmissão de sinais de rádio relativamente pequenas ao cinturão de Van Allen. Com uma arma capaz de mudar o clima, poderiam ser atingidas varias partes do globo, causando fenômenos naturais, perdas de alimentos, doenças, influência ativa na personalidade das pessoas, entre outros desastres. Existem no mundo outros projetos semelhantes, ligados ao projeto H.A.A.R.P.

88

Todas estas “ferramentas” globais são estritamente importantes para causarem a aceitação do Governo Mundial, que só emergirá após a retirada do Espírito Santo da terra, Aquele que impede a revelação do AntiCristo. O Governo Mundial já teve seu início, o plano de despopulação está em andamento, tudo está preparado! E você?

89

Bibliografia
Léxico de Hebraico Portugues (2002) – Sociedade Bíblica do Brasil Léxico Grego de Strong – Portugûes (2002) – Sociedade Bíblica do Brasil Aurélio Buarque de Holanda (2004) – minidicionário eletrônico 7ª edição Versão 5.12 – Positivo informática Ltda. Wikipédia – Enciclopédia online Mastral, E. D. ( 2001) – Filho do Fogo Vol.1 - Editora Naós Sexo com o diabo (2010) – Maria de Fátima da Cruz Carvalho – Unipro Editora Menahem M. Kasher (1995) - Encyclopedia of Biblical Interpretation Vol. II Cyclopædia de M’Clintock e Strong Vol. VII (1894) Josefo, Flávio (2004) – História dos Hebreus – CPAD Wikipédia – Enciclopédia eletrônica Mastral, E. D – Rastros do Oculto – Editora Naós Mastral, Eduardo e Isabela – Guerreiros da Luz – Editora Naós Julien, Nadia (2002) – Minidicionario Compacto de Mitologia – Editora Rideel Internet – Illuminati Schnoebelen, Willian (1991) – Maçonaria – Do outro lado da Luz - CLC Editora Weiss, Karl (1998) – A Igreja que veio de Roma – Editora Gráfica Universal Ltda. Internet – Pedras guias da Georgia Internet – Rastros químicos Internet – Fome Internet – H.A.A.R.P.

90

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful