Você está na página 1de 12

Colégio Técnico de Lorena

SEGURANÇA

DO

TRABALHO
Apresentado pelo Maria Fernanda,

Qimin, Gabriely e Thiago


Sumário
01 Introdução 06 Conceito de defensivos agrícolas

02 Conceito de Toxicologia 07 A Abamectina

03 Ecotoxicologia 08
Toxicologia da Abamectina
Vias de absorção dos agentes

04 09 Conclusão
químicos no organismo

05 Doença profissional
Introdução
Durante o nosso dia-a-dia, estamos acostumados a

consumir diversos tipos de legumes, verduras e

frutas, sem nem mesmo saber a procedência desses

determinados alimentos. O processo agrícola é um

dos mais interessantes e um dos mais,

potencialmente nocivos ao organismo humano, uma

vez que para que a qualidade e quantidade dos

produtos sejam conservados, a utilização de diversos

tipos de defensivos agrícolas são levados em conta.

O objetivo desse trabalho é explicar como esses

agrotóxicos podem interferir no nosso corpo e

também apresentar uma substância química que em

algum momento da vida, o homem está suscetível a

ingerir.
Toxicologia e a Biotoxicologia
Toxicologia
A toxicologia é a ciência que estuda os

efeitos nocivos produzidos pelas

substâncias químicas sobre seres

humanos, animais e plantas.


Biotoxicologia
Assemelha-se com a Toxicologia, porém
essa área do conhecimento defini ações
efetivas para remediar as consequências
causadas pelas substâncias tóxicas de
algum incidente, ou ecossistemas, já
impactadas pela poluição, sejam capazes
de recuperar serviços e funções.
Absorção por via oral ou digestiva:

Vias de
Absorção no trato gastrointestinal. A maior parte da
absorção ocorre no intestino delgado passando ao
sistema circulatório pela veia porta, sendo, portanto,

absorção dos

transportada diretamente ao fígado

Absorção por via respiratória:

agentes

Via mais rápida de ingresso ao organismo. Os gases

chegam ao pulmão e são transferidos aos brônquios,

onde são absorvidos e realizam trocas gasosas nos

químicos no

alvéolos capilares, e passam o gás para o sangue.

Durante esse processo material particulado também

podem ingressar ao organismo pela via respiratória.

organismo
Absorção por via cutânea:
Ingresso ao corpo humano por meio do tecido

cutâneo. Quanto maior a espessura da pele da região,

maior é a absorção e vice-versa. O abdômem, região

com pouca espessura de pele, possui rápida absorção

de compostos. Outro fator que modifica a absorção, é

o período de contato com o agente químico.


Doença Profissional
01 Conceito
Doenças profissionais são causadas pelo exercício peculiar/específico

de determinado serviço.

02 Exemplos
Tendência de frentistas de terem danos na saúde por estarem em constante
contato com a substância chamada de Benzeno, ou trabalhadores do setor

primário que frequentemente lidam com defensivos agrícolas.


Defensivos agrícolas
São produtos químicos, físicos ou

biológicos usados no controle de

seres vivos considerados nocivos

ao homem, sua criação e suas

plantações.

Existem diversos tipos de

defensivos agrícolas, e entre eles

têm aqueles que controlam plantas

invasoras, insetos, fungos,

bactérias, ácaros, e ratos.

Também são considerados

defensivos agrícolas os reguladores

de crescimento, que aceleram o

amadurecimento e floração de

plantas.
A Abamectina
Inseticida e anti-helmíntico amplamente utilizado,

indicado no controle de importantes pragas

causadoras de danos representativos nas

plantações de algodão, batata, café, citros, coco,

feijão, maça, melancia, morango, pepino, soja,

tomate, etc.

É um produto de fermentação natural da

habitação do solo. E é a única substância de sua

família usada tanto na indústria química como a

farmacêutica.
Toxicologia da
X Efeitos Agudos
Abamectina Foram realizados teste com ratos a fim de observar os

efeitos agudos desse defensivo agrícola. Os

Extremamente tóxico e é um produto


experimentos eram focados nas três pricipais vias de

perigoso, não é inflamável e nem corrosivo. absorção

Pode ser tóxico se ingerido; nocivo se


Exposição oral: tremores leves, espasmos musculares e

inalado e em contato com a pele e o

produto provoca irritação ocular grave.


convulsões nos ratos entre 1 e 2 horas após a

administração da Abamectina.

Abamectina é pouco absorvida pelo trato


Exposição inalatória: tremores, ataxia e

gastrointestinal dispnéia de leve a severa.

Uso restrito às culturas


Exposição dérmica: não apresentaram nenhum sinais

agrícolas, alvos e doses


clínicos de toxicidade nas primeiras 24 horas. Não
registrado houve mortalidade. A necropsia revelou que três

animais apresentaram focos hemorrágicos nos

pulmões.
Conclusão
Conclui-se então, que a área de estudo da toxicologia é

essencial completamente aplicável na maioria dos

processos da indústria química. Um treinamento adequado

para os trabalhados desse setor é fundamental, juntamente

com os órgãos fiscalizadores e a população em geral

devem observar a concentração de defensivos agrícolas

nos alimentos consumidos fundamental a fim de preservar a

saúde e integridade tanto do funcionário como do produto

final que irá chegar na mesa da população.


Referências
01 https://www.agrolink.com.br/agrolinkfito/produto/abamectin-

nortox_3435.html

CARVALHO, N.L. et al. Abamectina: Uma reflexão sob alguns aspectos


02
toxicológicos. Semana do Conhecimento da UNIJUÍ, Panambi.

Disponível em:

https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/salaoconheciment

o/article/view/18504/17238
OBRIGADO!
Agradecimentos de: Maria Fernanda, Qimin,
Thiago e Gabriely a nossos colegas e ao nosso
professor Bruno Cortez. Muito obrigada pela
atenção.

Você também pode gostar