Você está na página 1de 8

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS

CÂMPUS DE PALMAS
Professor: Washington Lima
Eletromagnetismo 01
Prática

Isaque da Silva Morais

Relatório 02

PALMAS-TO
2022
Isaque da Silva Morais
.

Prática II – Relatório

Relatório sobre o laboratório de


Eletromagnetismo 01 apresentado ao
curso de Engenharia Elétrica da
Universidade Federal do Tocantins, como
parte dos requisitos para a obtenção da
nota.

Professor: Washington Lima

PALMAS-TO
2022
Introdução
Será exposto a seguir procedimentos e experiências realizadas no laboratório de
eletromagnetismo no dia 1 de abril de 2022. De modo que, a observação e estudo dos
circuitos elétricos das lâmpadas a seguir, será fundamental para o entendimento da
prática II.
Importante ressaltar que todos os experimentos aconteceram com a presença do
professor Washington Lima, no qual, o mesmo forneceu todo suporte e auxilio para
que os procedimentos fossem executados de acordo com o roteiro da aula.

Objetivos
Este presente trabalho teve como objetivos a montagem circuitos de lâmpadas em
série e parelho, observar as curvas Vxl para as lâmpadas e a familiarização da
variação da resistividade com a temperatura.

Materiais e métodos
Primeiro, busca-se entender quais materiais foram utilizados nas experiências
realizada no laboratório. Os materiais manuseados foram: uma placa de ensaio, dois
multímetros, 3 lâmpadas, alguns fios e uma fonte que podia variar entre 0V e 6V. De
modo que, os valores da resistência medida das lâmpadas sejam R 1=3.1Ω, R2=2.9Ω
e R3=1.7Ω

Imagem 01: R1 medido Imagem 02: R2 medido Imagem 03: R3 medido

Fonte: Autor Próprio Fonte: Autor Próprio Fonte: Autor Próprio


Para encontrar o valor da resistência medida em Ω, utilizou-se o multímetro na escala
ideal.

Procedimentos
Com o auxílio do multímetro e da placa de ensaio, verificando sempre as escalas no
multímetro, mediu-se a resistência de todas as lâmpadas apresentados. De acordo
com roteiro de aula, procedeu-se o início para a montagem dos circuitos. No primeiro
circuito as lâmpadas estão associadas em paralelo, conforme a esquematização:
Circuito 1 – Circuito em paralelo

O segundo circuito também apresenta os mesmos componentes do primeiro circuito.


Entretanto, as associadas das lâmpadas agora é em série. De modo que sua
esquematização seja:
Circuito 2 – Circuito em série

Fundamentando-se ao roteiro e efetuando-se uma comparação e observação entre


o circuito 1 e circuito 2, pode-se chegar a seguinte tabela:
Tabela 1 – Dados Coletados
Lâmpada 1 Lâmpada 2 Lâmpada 3

Circuito 1 Circuito 2 Circuito 1 Circuito 2 Circuito 1 Circuito 2

Tensã Corrent Tensã Corrent Tensão Corrent Tensão Corrent Tensão Corrent Tensão Corrent
o e o e e e e e

5.99V 0.98A 3.38V 0.172A 5.91V 0.29A 2.09V 0.173A 5.87V 0.46A 0.9V 0.174A

Resistência Medida Resistência Medida Resistência Medida

3.1Ω 2.9Ω 1.7Ω

Resistência Resistência Resistência Resistência Resistência Resistência


Calculada Calculada Calculada Calculada Calculada Calculada

6.11Ω 19.65Ω 20.38Ω 12.08Ω 12.76Ω 5.17Ω

Dando-se continuidade ao roteiro, há a necessidade de montar um terceiro circuito.


Onde existe apenas uma lâmpada, no qual o valor de sua resistência medida se
igual a 3Ω (R1), e sua tensão na fonte varie entre 0V e 6V conforme a
esquematização:

Circuito 3 - Lâmpada

Com esses circuitos pode-se calcular e medir os valores da corrente, tensão,


variação da resistência como função da temperatura e até mesmo permite a
construção de um gráfico da resistência V/I x I.
De acordo com o roteiro, há a necessidade da criação de uma gráfico V x I para
evidenciar a diferença entre a situação de baixa e alta corrente. Com isso, pode
surge o gráfico:
Gráfico 01:

Fonte: Autor Próprio

Conforme o roteiro de aula, há a necessidade da criação de um gráfico V/I x I.


Gráfico 02:

Fonte: Próprio Autor

Para temperaturas abaixo de 3000ºC, a variação da resistência de um corpo (com


dimensões ficas) como função da temperatura pode ser dada pela expressão:
𝑅 = 𝑅0 (1 + 𝛼(𝑇 − 𝑇0 ))
Onde R0 é a resistência na temperatura ambiente (T 0,) T é a temperatura em ºC e α
é coeficiente de temperatura da resistividade, que para o tungstênio vale 4,5x10 -3 ºC-
1
. Considerando-se essa aproximação e as medidas de tensão e corrente na
lâmpada pode-se calcular a temperatura do filamento da lâmpada para cada uma
das tensões aplicadas. Conforme a tabela 02.
Tabela 02:
V I R=V/I T(ºC)
0,0V ---- --- ---
0,5V 0,069A 7.92Ω 368,44ºC
1,0V 0,093A 10.75Ω 570,66ºC
2,0V 0,133A 15.03Ω 877,33C
3,0V 0,165A 18.1Ω 1104ºC
4,0V 0,193A 20.98Ω 1304ºC
5,0V 0,2A 25.1Ω 1599,55ºC
6,0V 0,22A 27.81Ω 1795,11ºC

Discussões do resultados
Utilizando o gráfico 01 para uma análise precisa, pode-se concluir que a lâmpada
não é considerada um dispositivo ôhmico, pois não obedece à lei de Ohm, ou seja, a
razão entre a tensão entre os terminais da lâmpada e a corrente que o atravessa
não se mantém constante. A curva do gráfico 1 não é caracterizada por uma reta, de
modo que evidencia que a lâmpada não se comporta como um dispositivo ôhmico.
Pode-se observar também que, em tensão de 1V a corrente deu o valor de 0,093A,
se realmente houvesse respeito a primeira lei de ohm quando o valor da tensão se
igualar a 6V, a corrente, segundo a 1° lei de ohm, deveria corresponder 0,558A,
entretanto, esse não valor da corrente não corresponde com o gráfico 1.
Analisando-se o gráfico 2, chega-se pode observar que existe uma região de tensão
que a lâmpada se comporta como um resistor ôhmico. Essa região de tensão se
encontra entre 2V a 4V. A resistência não coincide o valor exatamente, porém essa
diferença é apenas alguns décimos. Nessa zona de tensão a razão entre a tensão e
a corrente mantem aproximadamente constantes.
Questões
1- Se você fosse usar as lâmpadas para iluminação qual circuito você usaria?
Justifique.
Resposta: Se não existisse a possibilidade de fazer uma associação em paralelo
com as três lâmpadas (em paralelo brilha a que tem menor resistência), eu
escolheria a lâmpada 1 já que sua resistência é a maior comparada as demais, pois
em série brilha mais que tem a resistência maior.
2- O valor obtido para a resistência, utilizando a expressão V/I, coincide com a
resistência da lâmpada medida com um multímetro? Justifique a resposta.
Resposta: Não, pois quando a resistência foi medida o circuito estava desligado. Já
quando foi encontrado o valor da expressão V/I o circuito estava em funcionamento.

Você também pode gostar