Você está na página 1de 46
Datas para a historla de Ceara NA PRIMEIRA WETADE DO SECULO X¥III PELO DR. GUILHERME STUDART rte 1700 20 og Jaxerro—Carta Regia ao governador de Pernambu- corecommendando que preste todo o auxilio de que carecer ao Padre Miguel Carvalho,que tendo ido a Cérte por com- missao ¢ ordem do Bispo D. Frei Francisco de Lima, volta- va ao Brazil com tengo de ir missionar no Ceata. 22 ve Jaxeiro—Ordem Regia para D. Fernando M. Mas- carenhas n&o consentir que os missionarios usem dos indi- os pata outra cousa que n&o seja das que se requerem para a Miss4o e0 sustento, quenecessitam, Nessa carta se Ihe adverte tambem que havia queixa de que alguns missiona- rios usavam dos indios para lucro de bens temporaes, 29 pg Janeiro—Ordem regia sobre os Indios da Capitania © 08 servigos, que 0s missionarios podiam exigir d'clles. 23 pg Jangrro——Provisdo Regia para José de Barros Leite, provido no posto de capitdo-modr do Ceara, vencer ajuda de custo desde o dia do embarque. 23 pg Janstro—No logar Igoape procede-se 4 eleig&o da primeira camara do Ceara, a da villa de S. fosé de Ribamar, sahindo por juizes ordinarios Manocl da Costa Barros ¢ Christuvam Soares de Carvalho ; vereadores Joie da Costa de Aguiar, Antonio da Costa Peixoto ¢ Antonio Dias Freire. e pracurador Jo&io de Paiva de Aguiar. DO INSTITUTO DO CBARA’ 87 E’ concebido nestes termos 0 officio ao Governador ¢ Ca- pitéo General de Pernambuco, que dA conta do facto : « Meu Senhor.—Foi V. S. servido por S, Magestade que Deus Guarde Ordenar a que se fizesse villa n'esta capitania do Ceara Grande ¢ com o regimento de V.S. se ha feito a dita villa em que todos os moradores d’ellao houveram por bem a Jembranga do Sua Magestade, que Deus Guarde, em nos querer augmentar neste desterro, e com o amparo de V.S, se deve fazer tudo com melhor acerto pela impossibilidade da terra, que pata esta n&io & necessario tazel-o em tudo pre- sente a V. S. que largas noticias deve ter do estado della, e como em nds se fez cleigdo d’este presente anno da nova villa de S. José de Riba-mar que ainda se n&o hadecidido o logar separado onde ha de ser fundada por haver varias opinides, porém nés com os mais adjuntos fizemos eleigéo em o lugar chamado—lIguape—por nos parecer mais conveniente e sem- tos ao que V. S. far servido.—Com que mandamos de p ‘esente pelo cotreio que 0 capitéo-mér Fran- cisco Gil Ribeiro remette a V.S. buscar as nossas cartas de usanga para com ellas servirmos a Sua Magestade que Deus Guarde e seguir 9 que V. S, nos ordenar ¢ a brevidade do correio pedimos a V.S. seja breve, por quanto queremos fazer presente n'esta frota 4 Sua Magestade que Deus Guar- de alguns particulares muito necessarios a seu real servigo” AV. S. conceda Nosso Senhor largos annos de vida. Villa de S. José de Riba-mar 25 de Janeiro de 1700.—Ser- vidores de V. S. Manoel da Costa Barros, juiz ordinario ; Christovao Soares de Carvalho idem; Jo&o da Costa de Aguiar, vereador; Antonio da Costa Peixoto, idem; Antonio Dias Freire, idem; Jofio de Paiva Aguiar, procurador, > °6 ne Feverniro—E dessa data uma concessao de 3 legoas de tetva em comprido com 1/2 legoa de largo, para cada banda do rio Paneminha,felta aos Carmelitas da Reforma do Recife por Francisco Gil Ribeiro. 16 pE Marco—Nessa data sao passadas pelo Desembar- gador Manoel da Costa Ribeire as cartas de usanga dos pri- meiro Camaristas da Capitania. Remetteu-as a 24 0 governador de Pernambuco Dom Fernando Martits Mascarenhas de Lencastro,o qual ordenou 88 REVISTA TRIMENSAL na mesma occasido que a séde da villa fosse a pequena po- voagdo onde assistia o capitio-mér Francisco Gil Ribeiro. Sia estes os respectivos documentos : «Senhores Officiaes da camara da Villa deS. José de Riba- mar.—Recebi a carta de V. Mets, em que me dio conta da eleigho que esses povos fizeram das suas pessoas para 4 g0- vernanga dessa republica, em cujos lugares espero obreni V. Meés, de maneira que desempenhem as suas obrigagdes ¢ em tudo fagam oservigo de Sua Magestade, tratando do bem commum d'esses vassalos seus, Vao as cartas de usanga para V. Mcés. entrarem a servir; ea fundagao da villa se assentou fosse no mesmo lugar em que actualmente assiste essa pequena povoagdo na forma que 0 declaro e ordeno ao capitdo-mér Francisco Gil Ribeiro, e assim o devem V. Mcés. ter entendido para executarem tambem pela parte que lhes toca. Deus Guarde a’ V. Meés. muitos annos. Recife 24 de Margo de 1700.—D, Fernando Martins Mas- carenhas de Lencastre. «Carta de confirmagao da elei¢gfio dos officiaes da camara da nova villa de S. José de Riba-mar, capitania do Ceara. O Dr. Manoel da Casta Ribeiro, do desombargo de S. Ma- gestade, Ouvidor e Auditor geral do crime ¢ civel n’esta capi- tania de Pernambuco, por S. Magestade que Deus Guarde, Ouvidor da Alfandega para a causa des homens do, mar, Juiz Conservador da junta do commercio geraJ, Provedor da fazenda dos defunctos ¢ ausentes, Juiz das justificagdes, tude com algada pelo dito Senhor que Deus Guarde, ete. Fago saber aos que a presente carta de confirmagdo virem que a mim me enviou a dizer por sua peticin o capitiio Ma- noel da Costa Barros, 0 capitéo Christovao Soares de Car- valho que elles sahiram por juizes ordinarios da nova villa de 5. José de Riba-mar do Cearé eo tenente Antonio Dias Frei- ra, Antonio da Costa Peixoto e Jofio da Costa de Aguiar por vereadores ¢ 0 capitdo Jodo de Paiva Aguiar por procura- dor, ¢ que para cffcita de podevem cxercer os ditos cargos Ihes mandasse passar sua carta de usanga, 0 que tudo mostrou-se ser verdadeire, pelo que Ihe mandei passar a presente pela qual mando que exercitem os ditos cargos na bO INSTITUTO DO CBARA’ 89 forma que sahiram por cleic&o, ¢ hei por mettides de posse e se fara termo nas costas desta d'onde se lhes dard o jura- mento na férma que é uso, e os moradores d'aquelle districto e seus subditos que lhe obedegam ¢ guardem suas ordens du- rante o tempo do scu anno ¢ os honrem e estimem ¢ respei- tem como atacs officiacs do senado curnpram assim ¢ al nio facam. ‘Dada e passada n’ ‘este Recife de Pernambuco aos 16 dias do mez dé margo de 1700, que para firmeza de tudo the mandei passar a presente por mim assignada ¢ sellada com © scllo d’este Juizo ou sem elle ex-causa. —E eu Francisco da Costa Cordeiro eserivao © escrivi.-Manoel da Costa Ri- beiro,—Ao sello, ete., ete.—Manoel da Costa Ribeiro, 6 pe Mato—Moraes Navarra expde a El-Rei o que tem, obrado na campanha do Assi e queixa-se da opposigao que Ihe movem o capitdo-mér do Rio-Grande, Bernardo Vieira, o vigario da Capitania do Ceara, Jodo de Mattos Serra, ¢ 0 padre Joao da Costa, Recollecto da Congr ‘egagaio de S. Fe- lippe Ner 15 pr Mato-—A camara da villa de S. José de Riba-mar presenta a EFRei a conveniencia de situar-se no logar Igoape a villa, que estava ent&o junto 4 Fortaleza por ordem de Mas~ carenhas de Lencastro. A representagdo é assim conechide : « Ate o presente servio de parochia aos moradores desta capitania o oratorio dos soldados. E agora com a nova villa se ha de fazer igreja esta sem congrua se V. R. M. lhe no poser os moradores desta capitania s&o pobres e vivem muito aleangados. Por ordem do governador de Pernam- buco D. Fernando Mascarenhas se situou a villa de S. José de Riba-mar n’esta fortaleza debaixo das armas, sendo contra a opiniio de parte deste povo e dos presentes officiaes da camara por ser inconveniente por muitas razGes, principal- mente por ser o porto pouco capaz, havendo outro mais sufficiente ¢ que chama-se Iguape e junto delle muitas terras paralavra ¢ muitas agoas de abundancia e pescarias,eo porto facil para entrar ¢ sahir embarcagdes que por tal o tem bus- cado alguns piratas, por cujo respeite deve ser coberte com uma plata-forma com dez soldados, e quando V. R, M, seja 90 REVISTA TRIMENSAL servido se mude a villa parao dito porto serA de muita conve- niencia caugmento desta cigitasia,e atéa ordem de V.R.M. a nao sjuamos com 0 fundamento necessario. Estas s&o as cousas que nos parece necessarias ao bem da nossa repu- blica e o setvigo de V. R. M. eo que V. R. M. manda sera o mais acertado e mui prontissim:."1ente obedecermos. Guar- de Deus a V. R.M. Feita em camara da Villa de S. José de Riba-mar 15 de Maio de 1700. E rifo’ continha mais a dita carta que trasladei bem e flelmente, que estA assignada ao pé della, Manoel da Costa Barros, Christovao Soares, Joao da Costa Aguiar, Antonio da Costa Peixoto, Antonio Dias Freire, Jodo de Paiva Aguiar. E escrivao que 0 fiz e escrevi: Jorge Pereira. E da mesma data (15 de maio) um outro officio da cama- ra requerendo que passasse a ser feita na Capitania a arre- matacto dos dizimos, que por ordem do governo da Bahia eva feita no Rio Grande e que os limites do Ceara fossem pela norte as aguas vertentes ao Camussi, pelo sul a ribeira do Assu de accordo com o marco que o devide do Rio-Grande marco queé circumvisinho ao porto do Touro, e para o lado do sertio fosse limite o que as armas do Coara tem con- quistado e descuberto, Sao ainda dessa data mais duas cartas, uma reclamando providencias contra os roubos praticados pelos indios, e outra pedindo para si os mesmos privilegios da camara de Olinda e a administrag&o € governo das aldeias dos Indios, o que thes foi recusado em C. R. de 2 de Outubro sob fun- damento de n4o terem sido dados os privilegios da camara de Clinda as villas erectas ha pouco no reconcave da Bahia 2 po Oque era da competencia dos capities-méres a ad- ministragao dos indios. 16 pe Jutuo—Juramento e posse da primeira camara do Ceard. Em 16 de Agosto em nome do povo requereu o pro- curador que se procedesse 4 confecedo de Estatutos ou Posturas accommodadas ao terreno ¢ ao modo de vida dos moradores. E este o respectivo termo posse: «Termd que mandou fazer o capitdo-mdr Francisco Gil Ribeiro da posse e juramento que deu aos officiaes da camara DO INSTITUTO DO CEARA‘ 6h d'esta villa, conforme a ordem que tinham do Sr. Governador Capitio-general de Pernambus> e por esta carta de correr do Dr, Audictor e Ouvidor geral, etc, «Aos 16 dias do mez de Julho do anno de 1700 dei posse ¢ juramento aos officiaes da camara n'esta villa de S.José de Riba-mar, conforme o estylo e por fé de verdade mandou fazer este termo em que se assignou dito Capitao-mér.—E eu Jorge Pereira, eserivao da camara que 0 fiz e escrevi.— Francisco Gil Ribciro, » 25 nz Junuo—O governador de Pernambuco scientifica a ELRei que mandara degradado paia Angola aGongalo Gomes, um dos que feriram 0 missionario André Garro por se oppor ao rapto -de duas indias donzellas e que logo que chegasse do Assu, onde estava de presidio, Alvaro Teixeira, o outro eriminoso, seguiria tambem para ali a fazer-the companhia. Em 27 de Setembro El-Rei indaga do governador si Gon- galo Gomes foi degradado por sentenga ¢ si fez certa a sua culpa ,formalidade que dave ser invariavelmente preenchida pots ninguemt pode ser condemseado sem ser convench do e ouvido de defesa. 25 ve Serempro—Carta Regia recommendando ao gover- nador de Pernambuco que quando for possivel faga proceder ao exame do porto e entrada dos rios Parnahiba e Praim ¢ se dé conta do que resultar. 2 pe Ourusro—Carta Regia ordenando ao govermador de Pernambuco que dé os motives de sua escolha do local para a villa do Ceard ¢ indagando si nao sera melhor o sitio do Aquiraz segundo propoemn os officiaes da camara da villa de 5. José de Riba-mar. 12 pz Curusro—c, R. ao provedor da Fazenda do Rio- Grande, ordenando gue os dizimos do Ceara sejam arrema- tados em separado dos do Rie Grande, o que alids fora ja Yecommendado para a’ provedoria da Bahia por C. de 16 de Setembro de 1697. : 30 pe Ourupro: dessa data uma concesso de 5 legoas de terra na Capitania a Bento Pereira de Moraes, Domingos Ferreira Chaves, Chistovio Soares de Carvalho, Manoel Lobe de Albertim e Luiz Lobo de Albertim. Da mesma data sao uma concessdo de 3 legoas a Jodade 92 REVISTA TRIMPNSAL Barros Braga e uma outra de 8 legoas de comprido 92 de jargo a Estevdo de Sousa Palhano, Themothco do Valle Pessanha ¢ padre Jodo da Costa. 3 bE Novewpro—sS, Magestade ha por bem nomear por juiz privativo das causas dos indios ao Ouvidor Geral da Capitania para que lhes detira breve ¢ summariamente. 9 DE Novemmro—Miguel de Carvalho propde a EL-Rei a ida do ouvidor da Parahyba ao Ceard para syndicar do pro- cedimento de Moraes Navarre e seu terga com os Payacuis do padre Joao da Costa, Esse rancho de selvagens, que assis- tia na ribeira do Jaguaribe, era chefado por Mathias Peca, 23 pe Novempro—C. R. av governador do Maranhito avi- sando-o de que sendo necessaries alguns indios do Ceara pata a guerra do gentio de corso ou outras expedigGes do real servico podia pedil-os av governador Ue Pernambuco, a quem se daria tambem aviso dessa ordem. 23 pe Novempro—Alvara em forma de lei concedende a cada Miss& uma Jegoa de terra em quadro para sustentagae dos indios,e respectivo missiouarin com a declarag&o que cada aldeia se hade compor ay menos de cem casacs. 23 pe Novenpro—Carta Regia ao Governador de Pernam- buco mandando que, apezar de ama ordem om contrarig, elle autorise © capitéo-mbr do Ceara e os Religiosos da Com- panhia de Jesus a fornecerem ao governador do Maranhfio todos os indins que requisitar. 13 pe Dazennro—Carta Regia recommendando a D. Per- nando M. Mascarcnhas que preste todo auxilio ao ouviler geralda Parahybaa quem se tem ordenado que abandonands todo e qualquer servigo siga para o arraial du Asst ¢ prenda o Mestre de campo do tergo dos Paulistas Manoel de Moraes Navarro pelos ctimes commettidos contra os Payactis. 29 pr Dezramro—Carta Patente de nomeacao de Jorge de Barros Leite para capitioamor do Ceara por tres annos, Neste anne 1). Fernando Martins Mascarenhas nomeou Placido de Azevedo Faledo para capitio ¢ cabo do presidia do Jaguaribe, Faledo acompanhuu v Padre Jodo de Mattus Serra, preteite das missécs ao interior do sertdo, ¢ conseguiu com elle a re- dugdo dos tapuias Ieds ¢ Xixiros. OL REVISTA TRIMENSAL 13 pe Janeino—Concessao de data de sesmaria ao Padre Joao de Mattos Serra ¢ mais 6 companheiros no Rio das Pe- dras onde os gentios mataram os homens do Rio de S, Fran- cisco, O Riacho das Pedras é 0 antigo Oriabebd. 31 pe Jaxuo—Ordem Regia mandande que os capites- mores dos sertes tenham jurisdicgfa sobre os > indios do seu districto, 14 pe Aprit—A camara da villa de S. José de Ribamar pede a El-Rei a exemp¢fo em favor dos povoadores da ca- pitania dos foros de terra. 14 pe Apric—A camara da villa de S. José de Ribamar c- quer a El-Rei que passem a ser arrematados na Capitania os dizimos d'ella, que o eram até entdo no Rio Grande. 20 pz Auri—A camara cla villa de S. José de Ribamar re- solve mudar a villa do Jogar junto a Fortaleza para a barra do Rio Ceara,como se pode ver do saguinte documento : Aos 20 dias do mez de Abril deste presente anno de 1701 annos, em junta que fiserdio os juizss 6 vereadores © mais officiaes deste sermado desta villa de S. José de Riba-mar, acordaraa qu en virtude do capitulo da carta que se acha registrato no livro das registros deste senado a folhas 4 ver- $0 por seus antesessores, 0 qual capitulo foi escripto em uma carta que o governador de Pernambuzo D. Fernando de Mascarenhas de Alencastro escreveu so capitfio maior desta villa Francisco Gil Ribeiro por elle se conhese a faculdade que n’elle dé para se mudar esta d'ta villa para a parte mais conveniente cansultada pelo dito capitéo-maior ¢ o Re- verendo vigario desta capitania Jo%0 de Mattos Sera ¢ por eilzs foi dita consultavdo a barra do Ceara para a dita mu- danca e nesta mesma vereagio © ouveram por bem os ditos o’fiziacs di camara e dz assim o acordarem mandards fazer estetermo de vereazio, qu2 assignard9. E ex Jorg: Pereira escriva) da camara’ que o escrevi. Antonio da Costa Perei- ta. M. Nogueira Cardosa da Motta—Leonardo de Si—Gre gotio de Brito Frei Asatc—Nesta data diz Teixsira de Mailo (Epaem:- a Junta das Missdes en Pernambuco mandou erguer urna polé na Ribeira do Jaguarib2 para torturar os tapuyas, que praticavam hostilidades contra os moradores. DO INSTITUTO fO CBARA’ 96 6 mn Mato—Concessao de moeia legua de terra da capita- nia a Jodo Esteves,Jo&o Paes de Bulhdes ¢ Antonio deSeusa, 20 pa Jutuo—A camara de S. José de Ribamar renova a ceciso tomada a 20 de Abril,como se ve do seguinte: Aos vinte dias do mez de Julho deste presente anno de mil setecentos e um s2 juntardo em camara os juizes e verea- dores e mais officiazs desta villa de S. José de Riba-mar e acordaréo a madanga do pelourinho da parte donde esta posto, tirado para a barra do ceard, parte que esta consigna-— dae acceita na primeira vereagdo que se fezem 20 de abril como parecer do capitéo-maior desta capitania Francisco Gil Ribeiro fundador da dita villa e o mesmo do Reverendo vigario della Joéo dz Mattos Serra, sendo dita mudanga feita com consentimento e por ordem do governador e capi- tio geral de Pernambuco D. Fernando Mascaranhas de Alen- castro por carta que escreveo ao dito capitao-maior, cujo capitulo esta trasladado no livro dos registros deste senado a folhas quatro verso, por nossas antepassados, em cuja vir- tude fazemos dita mudanga da villa; acordaréo mais n‘esta dita vereag&o para o augtnento da villa mandarem passat mandado para o alcaide notificar as pessoas que costumao. deste povo por trabalhar diversos officios com licenca deste s2aado qu2 veahio usar ds ditos sous officios na dita villa, passands tambem edital para que o official de qualquer offi- cio que saia, ndo trabalhe fora da dita villa e querendo usar dito seo officie tire licenga deste scnado para trabalar na dita villa ¢ de assim o acordarom mandar&o. E cu Jorge Pereira escrivao da camara que escrivi—M. Nogueira Cardo- 83 — Joao de Barros Braga—Leonardo de SA—Gregorio de Brito Freire. 1 pe Sstempro—Confirmagiio por D. Fernando Martins Mascarenhas de Alencastro da data de sesmatia concedida em 26 de Fevereira do anno anterior aos Carmelitas da Re- forma do Recife. 6 pe WDazemnro—E d'essa data a escriptura de venda que fizeram D. Maria de Siqueira e seu filho Paschoal de Lima Theouosio de Gracismdo de duas legoas de terra, sitio do aAracaty, Ribeira do Jaguaribe. 15 pr Ditzemero—Carta Regia ao Governador de Pernam- 9G REVISTA TRIMRNSAL buco mandando dac inteira execugiio 4 sentenga contra Gon- galo Gomes Alvaro T: ‘a, austores dos ferimentos feitos ao Padre missionario André Garro, i702 16 pz Margo—Concessie de 1 3/4 de legoa de terras da capitania a Manoel Nogueira Cardoso. 1 pe Aurn—Em vereagac desse dia a camara da villa de S. José de Riba-mar oeeupou-se da situacdéo da villa,como se vé do documento seguinte : « Em © primeiro do mez de abril deste presente anno de mil setecentos e dous se ajuntarao os officiaes da camara por chamado do capitéo-maior desta capitania Francisco Gil Ribeiro o qual fez presente a este dito senado um capitu+ lo de uma carta que teve do general de Pernambuco D. Fer- de Maseavenhas de Alencastro para se conservar a situagio desta villa nesta Barra do Ceara d'onde esta situada, ¢ no mesmo dia por se achar ser © sitio della pertencente a ir- mandade de N. S. d'AssumpeAa padroeira da fortalesa desta villa a cujo respeito s2 aforou o dito sitio a mela pataca por cada casa que se fizer nesta villa com as mais condigées que sz ashar2 no term que fez este senado junto com o juiz, escrivdo, procurador ¢ alguns mordomos da dita irmandade eo Reverend vigario, o qual termo estd no livro deste sena- do e de que assim o houveréo obrado mandardo fazer este term que assig1ardo em camara, EB eu Jorge Pereira, escri- va) da camara que esereyi—Antoaio da Cos:a Pereira— Francisco da Gama da Silva — Leonardo de $4—Jofio de Barres—Gregorio, de Brito Freire. 16 pe Junno—E dessa data uma carta do governador de Pernambuco Francisco de Castro Moraes sobre a expulsao dos missionarios do Jaguaribe. 27 pe Acosto—Concess&o de tres legoas de terra na Ca- pitania a Joao de Barros Braga. ve Dezewpro—O juiz ordinario da villa de S. José de pba mar, capitie Domingos Pereira da Silva, abre devassa pela morte dada a Lourengo de Lucena no dia 12 eda qual fez-se vistoria a 13 nas casas de morada do capitdo-mor Gil DO INSTITUTO DO CEARA’ 7 Ribeiro. Foi reconhecido eriminoso o capitéo Antonio Dias de Carvalho. 90 pe Dazempro—Teixeira de Mello (Ephemerides p. 308) da nesse dia a posse do capit&o-mér Jorge de Barros Leite. Pade bem ser. O que nao é verdade é que a C. R. de tto- meacdo seja de 29 de Dezembro de 1699, como diz Joao Brigido a pg. 40 do seu Res. Chron. © Padre José Borges de Novaes, irmao do Padre José Tei- xeira de Miranda, comeca neste anno sua vida entre os Tra- mambés, dos quacs foi o primeiro missionario, ¢ para os quaes consiruiu ¢ benzeu no sitio Arcocatameri umam egreja soh a invocag&o de Nossa Senhora da Canceigao. 17033 12 pe Apri—Carta Regia para que venga 6 mantimente da lei 0 Padre Jo&o de Mattos Serra, provide pelo Bispo do Pernambuco na vigararia da villa de José de Riba-mar en gue jd se achava collado cou posse tontada. 18 pp Azrm—Concessao de terras de sesmaria no Riacho Pord, ilhargas do Bonabuiu, aos seus descubridores capitao Jofio da Costa Monteiro ¢ alferes Gabriel Coclho de SA. 11 ne Mato-—Carta Regia concedendo a Jorge de Barros Leite dispensa da posts de Capit&o-mér do Ceara. 15 vr Juxo—Proviséc Regia dispensando ao Desembar- gador Christovam Soares Reimao de dar qualquer informagio sobre a miss& oa que vae no Ceara, 4 pp SeTemero—E dessa data uma carta do Governador Geral do Estado do Brazil om Rodrigo da Costa ao Capi- téo-mér Jorge de Barros Leite sobre queixas a elle feitas pelo missionario Padre Joao Guinzel. 12 pe SEeremro—Concessao de 1 1/2 legoa de terra da Capitania a Domingos Lopes e Joo Coelho. 2 pe Drzemmxo—E dessa data uma carta do Governador Geral do Estado do Brazil ao Governador de Pernambuco Francisco de Castro Moraes relativamente aos disturbios ha- vidos entre 6 Capitio mér Jorge de Barros e os soldadas da Fortaleza do Ceara. . Uma das medidas por elle tomadas foi mandar que Pla- ver ~ REVISTA TRIMENSAL > cido de Azevedo Falco, que entao cra capit&o e cabo do pre- sidio de Jaguaribe, fosse a Fortaleza ¢ conduzisse 4 Pernam- ‘buco os amotinados, os quaes, com cffeito, ern numero de 18 para JA seguiram em uma sumaca. Nesse anno de 1703 Simplicio de Moura Velho e Domin- gos Pereira da Silva foram os juizes de Fortaleza. E’ deste anno a doagio feita a Bento Correa de Lima da Data do Pilay, na qual est encravada a actual cidade de Milagres. 170% 21 ve Jantizo—Concessdo de terras de sesmaria ao Co- ronel Gregorio de Brito Freire ¢ 1, Marianna de Brito no Rio Quixeramobim, que o Gentio chamava Rinavé. 23 pe Jansino—Concessdo de seis legoas de comprido com duas de largo em terras da Capitania a Marcelino Go- mes, Padre Jos$ Dias Paes e José Corréa de Lemos. 24 ne Jansiro—Concess%e de quatro legoas de terra da Capitania a Francisco Corréa de Lemos ¢ Manoel P. de Mo- raes. 4 pe Margo—O Governador de Pernambuco Francisco de Castro Moraes da conta para Lisboa do que obrou na occasido da sublevagdo da infantaria do presidio do Ceara contra o Capitiio-mor Jorge de Barros Leite. 12 pz Acosro —Resolug&o Regia nomezando Gabriel da. Silva do Lago para capitio-m4r do Ceara de accorde com o parecer de 9 de Agosto do-Conselho Ultramarino O nomeado acabava de ser provido no posta de Capitao- mtr da Capitania do Espirito Santo ¢ exercera 0 de Sargen- to-mér de Sergipe até IL de outubre de 1703. Competiu com elle Domingos Monteiro de Queiroz Go- varavu o Ceara 4 annos, 8 mezes ¢ 17 dias, Jo&o Brigido equivoca-se dando a nomeagaa de Gabriel da Silva do Lago a 23 de Agosto (Res. chron. p. 41). 3 SETEMBRO —Teixcira de Mello (Eph. pag. 304) da 3 DES nesse dia a posse do capitic-mér Jodo da Motta. 11 pr Dezemupro—Nomeag&o de Christovam de Mendonga para 9 posto de Mestre de Campo de um dos tergos da guar- DO INSTITCTO DO CEARA’ 99 nig&o de Pernambuco, vago pelo intretenimento de Manoe Lopes Galvo. Neste anno o Capitdo-mér Jo&io da Matta fez guerra aos gentios Icés e Caratihus,sendo cabo della o Capit&o Pedro de Mendonga. Joao da Motta, filho de Pedro da Motta e natural da Bahia‘ foi mandado pelo Governador de Pernambuco a substituir a Jorge de Barros Leite, Neste anno estiveram na Barra do Pacoty: tres navios es- trangeiros para reconhecer os quaes sahiu de Fortaleza com 10 homens Joao Roiz de Souza. 1705 9 pe Sstemsro—O Capitdo-mdr Jodo da Motta concede tres legoas de terras, a comegar das Rarreiras que ficam junto da entrada dos Cajuaes, buscando o morro do Tibao a Jeronymo da Silva. 9 ve Serempro—Concessio por data de sesmaria ao prior de convento de Goyanna fret Miguel da Assumpgiio de todas as sobras,que se acharem no riv Jaguaribe nas iJhar- gas da data de Manoel de Abreu Soares escus companheiros na parte do norte até o rio de Banabuitt. 20 pe Novempro—Concessao de terras de sesmaria no riacho Toré ou Tupuyaré a Manoel Vicira Brandao. 23 vs Dezemsro—Q Capitdo-mér do Ceara da conta a ELRei da pouca defeza em que se encontra a Capitania por haver nella somente um forte de madeira. Neste anno incendiou-se o arraial de S. Francisco Xavier. 1706 24 np Frveretro—O Capitéo-mér Gabriel da Silva do Lago apresenta 4 camara de 5. José de Riba-mar uma pro- posta para mudar-se a villa para junto da fortaleza de N, S. d'Assumpedo, proposta que foi aceita ¢ executada. 1 pe Marco—Concessiia ao Tenente Balthazar Antunes de Aguiar das terras onde se encontram um corrego e uma pequena lagoa chamada Mendoim (actual Mondubim). 100 REVISTA TRIMRNSAL 27 pr Juxno—E dessa data a escriptura de venda de uma sorte de terras sitas na Ribcira do Jaguaribe do Sargento- mér Manoel de Abreo Friellas e sua mulher 1). Izabel de Or- nellas a Gregorio de Gracismao. 10 ve JuLHo.—A camara de S. José de Ribarnar propde ao Governador de Pernambuco a transferencia da villa para o Aquiraz, perto da Barra do Iguape. - 17 pe Asosto—Concessia de terras de sesmaria no riacho Tapuyara a José Eduardo da Motta ¢ Maria Ferreira. 18 vz Acosto.—Carta regia declarando que os soldados depois de entrarem na Capitania estam sujeitos 4 jurisdic- Gao do capitio-mor para castigalos, e quando nfie possa proceder contra elles deve remettel-os ao Governador de Pernambuco. 18 pe Acosto.—Carta regia ordenando que se dé aos moradores as armas de que necessitarem com a condigao de as restituirem quando requsiitados, ficando no caso de nao entregalas obrigados ao pagamento do dobro do seu valor . 19 bE Acosto.—Carta regia mandando que se suspenda. a ida dos indios das aldeias para o Assv, em companhia dos Paulistas. 4 pz Serexwro—O Le. Francisco divares Bastos ¢ sua cunhada Josepha de Souza obtem por data de sesmaria 3 legoas de terra pelo riacho Catu acima (Aquiras). il pe Sstewsro,—O Governador de Pernambuco ordena que a villa seja de novo transferida para a barra do rio Ceara, donde ndo devera ter sahido. Em cumprimento dessa ordem a camara cm scessio de 23 de Outubro resolveu mudar a villa do logar junto a For- taleza para dita Barra, 27 ve Ssrempro.—-Concessiio de torras a Ignacio de Mattos de Almeida e Simplicio Dias adiante do rio Curu na parte, que chamavam Pedra da Velha. 12 pe Ourvero—Coricessao de terras de sesmtaria a José do Valle de Abreu e Coronel Joao de Barros Braga no rio Quixeramobim, pegando das tostadas de Agostinho de Fé sende. Aos mesmos e mais a D. Catharina Ferreira de Vi- veiros foi feita nova concessdo 2 dias depois, DO INSTITUTO nO CHARA‘ 101 30 pz OuTusro—Concessin de duas leguas de terra da Capitania ao Padre Joao Alves da Rocha. 13 pe Novemsro—Concessio ao Coronel Luiz de Scixas da Fonseca de 1 legoa de cumprido ¢ 1/2 para cada banda no rio Jaguaribe, sitio chamado dos Defuntos. Neste anno Francisco da Gama da Silva oceupsi o logar d2 juiz ordinario da Fortaleza. “Neste anno cerca de 400 homens armados, vindos da parte do Rio de S. Francisca, entraram pele sertdo dos Ca riris arrazando e destruindo casas ¢ curraes pertencentes aas moradores da Ribeira do Jaguaribe. Neste anno levantaram-se os indios Ivds e Cariris. Neste anno veio d2 presidio para a fortaleza do Ceard Capitéo Francisso Loges Galva), trazznda em sua cor nhia Domingos SimSes Jordas, 1707 27 pe Jangiro—Alvards comzedenis um officio de jus- tiga ou fazenda d259$090 a D, Maria Magdalena Lobo de Albertim e D. Joanna de Albartim Machado em atteagio aos bons servigos de seu pae Pedro Lelou, 25 ne Fevertiro—Gabriel da Silva do Lago ca: 2a Thomé Dias, principal dos indios da Parangaha, por data de sesmaria todas as sobras de terras, que se achassem da lagog Caracu corrend) para a Serra Sapupara ¢ pela costa da serra Maranguape. 12 pe Margo—Carta Regia ao Governador de Pernam- buco approvando sua proposta para que cesse 0 presidio de Jaguaribe por desnecessario e que 0 Cabo Manoel Dias Pi- nheiro, que IA assiste, passe no mesmo posto e soldo de - 43000 para o forte, que ficava se fazendo na praia do Pau Amarello, 28 pz Mato--Gabriel da Silva do Lago concede uma legua de terra de sestiaria na Ribeira do Jaguaribe 4 D. Maria de Siqueira, Theodosio de Gracismao, Gregorio de Gracismao e Florencio de Ornellas. 11 ps Jexno—O sargento Manoel Pires e@ Jods Lopes odtem por data de sesmaria I legua d2 terra de largo sobre 102 REVISTA TRIMENSAL 3 d3 comprido no Rio Pacoti junto 4s terras de Estevam Velho dz Moura. A data Ihes fora concedida pelo Capit&o- mor Gabriel do Lago, mas elles néo povoaram as terras ¢ a 9 do Agosto de 171% requereram que thes fosse ratificada a doagao. . 12 ps IutHo—Coacess%0 de uma data de sesmaria, a principiar da Lagoa da Aldeia velha chamada Tapzraoba, a Pedro de Mendonca, filha de Domingos Mendonca. 3 pe Acosro—Concessdo de seis leguas de terra na Ca- pitania a Jodo Pereita de Veras e Antonio Pereira de Veras. 29 pe Ourusro—Carta Regia ao Governador de Pernam- buco pedindo informagdo e seu parecer sobre a proposta que faz Manoel Nogueira Ferreira, capit&io-mov das entradas do scriaio do Jaguaribe, dos Capitéizs-mores da Parahiba, Ceara ¢ Rio Grande forneserem-he a gente precjsa para exe- cutar as ditas entradas, 15 pe Dezemaro: mar representa a El} © logar Aquiraz. 16 ps Duzems2zo—O Desembargador Soares Retm&o, que nesse anno chogou ao Ceara, mde e demarca a data de sesmartia concedida ao Capitéo Gregorio de Gracismao. Soares ReimAo foi hospedado por Joao de Barros Braga, que mandou consteuir-e mabilhou uma casa com esse fim. 1708 10 vp Faxemo—Carta Regia a9 governador de Pernam- buzo approvando os actos, que praticou para socegar as qsixas dos soldados que acompanhavam o D2szmbarga lor Soares Reimi e as.questé2s suscitadas entre o Capitio-mor do Ceara e 0 dito Desembargador e 0 P.* Visitador. 15 ve Junso—Sebastidia de Castro e Caldas, communica a ELRei que vae enviar ao Czard o Capit&o cagenhziro Diogo da Silveira Vellos> a clegar sitio para fundagSo da villa ¢ tractar da coastrucgd0 d2 uma fortaleza para defoza dos moradores, LL ps Acosro —Ao amanhzear dosse dia, que era sabbado, attentam contra a vida do Capitéo Carlos Ferreira na occa- sido em que elle estava no sitio do Outeiro a vér uma casa, camara da villa d2 S. José do Riba- pedind> a transferencia da villa para DO INSTITUTO PG CEARA’ 103 gue tinha mandado preparar para aposentos do Capitio de engenheiros,que era esperado por aquelles dias na Capitania. Carlos Ferreira estava ha dias no governo da capitania durante a ausencia de Gabriel da Silva do Lago, que fora a Pernambuco a chamade do governador. A arma empregada pelos assassinos foi espingarda. Os tivos partiram de detraz da casa de morada do Capitéo-mor Gabriel do Lago, pegando duas balas no brage direito da victima, que foi atravessado de parte a parte junto a axilla. Dous tabellides a 13 procederam na Fortaleza d’Assum- pefio ao corpo de delicto, estando presente o cirurgido Jorge da Silva, e 4 uma vistoria no terreno do crime-e suas visi- nhangas, verificando elles duas tocaias. Perto do local mora- vam o condestavel da fortaleza, José Correia Peralta, Pedro Carneiro, 0 alrnoxarife José Mendes Lima, Manoel de Britto e Helena de Britto. Por motivo do attentado os juizes ordinarios Antonio de Macedo Faria e 0 Licenciado Francisco Alvares Bastos jniciaram a 23 um processa, no qual serviram de escrivaes Gonsalves de Carvalho ¢ Jorge Pereira. -Féram testemunbas no processo o Alferes Antonio da Cunha, que foi quem deu 9 signal de alarma aos soldados, o- Capit3o Leonardo da Silva ¢ 08 soldados Manuel de An- drade, Gongalo Dias Meirelles ¢ Joao Dias Meirelles. Os dous ultimos foram os que em companhia do cabo de esquadra Jo&o Dias Villela correram a prender o almoxarife Jose Mendes Lima e Pedro Carneiro. Do processo verifica-se que os assassinos estavam, havia 15 dias, escondidos nas casas dos mandantes, Os criminosos foram rermettidos por Gabriel da Silva do Lago para Pernambuco, séndo que um delles atirando se ao mar-afagoa-se com o peso dos ferros, que 0 prendiam. . Sobre o assumpto é de todo interessante a seguinte Carta Regia, que faz parte da minha collecgao + « Governador de Pernambuco, O Capitéo-mér do Ceara Gabriel da Silva Lagos me deu conta em carta de 10 de Se- tembro do anne passade, com outra dos Officiaes da Cama- ra daquella Capitania (cuja copia com esta vos mando re- metter) em como ficando governando quella Capitania o 104 REVISTA TRIMENSAL capitis di guarnigis Carlos Ferre'ra, na ausencia que elle capitdo-m4r fizéra a Pernam’suco, lhe atiraram em uma noite a espingarda passandoJhe o brago direito com duas balas mosqueteiras, de qu> esc.1pou milagrosamente, ¢ ainda fi- cava com evidente tiseo de vida, causado tude por dar ajuda e favor a justica que foi a ribeira do Chord a prover na morte que Antonio Dias Freire, Joio da Cunha Silva ¢ outros mais aleivosamante fizeram a Affonso Paes Barreto, ¢ porque este caso é gravissimo o de mui prejudiciaes conse- quaieias si se dissimular cam o castigo dos agressores e de um téohoarrends delicto como ¢ atirarem com uma arma de fogo a quem os governava e faszrem-no passando a sua desordom a porem en terms a justiga, nesta consideragao m2 pareczu ordenar-vos (com> por esta o fago) que se 0 Ca- pitdo-m ir Gabriel da Silva do Lago nao tiver ido para con- tingar com as obrigazd23 d> seu posto o fazais logo recolher pira aquetla praca dandoth2 aquella ajuda e favor que pode sw nacessario para a prisia dos ditos delinquentes (sem embargo de que lh2 va sucessor) como se tem boa opiniao do seu valor, qu podera deter-s: mais nod.° posto dois me- 223 pra qu2 d2.3tro dalles possa conseguir a aprehans3o des- t23 rés3, recomm2adando-lhe que sera muito do meu real agrada que elle poaha tod o cuidado nesta deligencia e com toda a industria e pelos meios que entender podem ser mais praporcionados ao bom fim desta empresa, cujo servico fica 74 na minha real lembranga para attender muito dos seus particulares,elho advertireis que em semelhante e mais casos que succederem na sua Capitania deve logo dar-vos conta para que lhe possais da a providencia necessaria, por se nao dilatar um negocio t&9 relevante, e que presos que sejao estes criminosos os remetta com toda seguranga a essa Ca- pitania de Pernambuco com a devéssa que ge tiver titado deste: sticcesso ¢ ardenareis ao Ouvidor Geral veja essa de vassa que ha de vir com os presos e achando que ha nella bastante prova para a sua culpa a tome a fechar ¢ com os mesmos preses a remetta para a Bahia para se sentenciarem € quando nao haja bastante prova do delicto me dareis conta para mandar prover como for servido, Escripto em Lisboa a 18 de Julho de 1709, Rei. » DO INSTITUTO DO GBARA’ 108 Interrogada a victima de quem queixava-se ou a quem at tribuia a auctoria do crime, respondeu que indo ver si estava acabada uma casa, que tinha mandado fazer junto a do Capi- téo-mor Gabriel do Laga, a0 subir a ladeita vira junto a esta” ultima casa Pedro Carneiro e o almoxarife José Mendes Lima os quaes quando avistarain-o retiraram-se para o interior della ; chegado, chamara-vs batendo a porta e como ninguem apparecesse contornou a dita casa, entrou naquella que estava a construir e que ao sahir della recebera os tiros. Por este indicio, disse elle no interrogatorio, queixava-se dos ditos Pedro Carneiro e José Mendes Lima como tambem do meirinho Manoel Ferreira de Mattos por ser da parcialida- de delles e morar com José Mendes. Os autos do processso acham-se em meu poder, No livro Desaggravos do Brasil e Glorias de Per- narmbueo do P.¢ Loreto Coute,capitulo referente a biographia do missionario P.e Jodo Alvares da Encarnag&o,encontra-se uma noticia curiosa sobre esse ferimento do Capitéo’ Carlos Ferreira. 21 pe Acosto—A camara de S. José de Ribamar requet a El-Rei a creag&o deseis alcaides para prisdo dos criminosos yisto ndo screm suficientes os soldados do presidio. _ 28 pe Serempro—E’ d’essa data um Regimento expedido a0s capitdes-mores do Ceara por Sebastifio de Castro Caldas, em virtude de uma ordem regia de 5 de Outubro de 1706. Ovrusro—A_ villa de S. José de Ribamar é transferida da barra do Rio Cearé para o local hoje occupado pela cidade de Fortaleza e isso em virtude da decis%io tomada em sesso da camara de § do mesmo mez. 27 pE Novempro—O Capitio Thomé da Silva Campelim, filho do principal dos indios Cabedellos, tem por data de sesmaria 3 legoas de terra na capitania com | de largo para cada banda a comegar da lagoa Gerarahu. 11 pe Dezempro—E" d'essa data uma carta de doagio e sesmaria mandada passar a0 padre Acengo Gago pelo capi- tAo-mor Gabriel da Silva do Lago, NG REVISTA TRUMENSAL 1709 20 pe Janmmo—Domingos de Azevedo tem por data de sosmaria 3 leguas de terras da barra do Rio Cocd para cima com ] de largo em direc¢fo a Fortaleza, 4 pe Asrit—Carta Regia scientificando ao governador de Pernambuco que por nfo terem side preenchidas certas for- malidades deixara de ser confirmado Jodo Fernandes Lima no posto de capitio mor das povoagdes erectas de proximo na serra do Araripe, 30 pE Maro—Provisio Regia mandando pagar ao Me de Campo Domingos Roiz Carneiro a quantia de §4$000 por elle despendida em 1694 com 14 soldados do 3.0de infanteria da gente preta da guarnigdo de Pernuambuco, destinados por ordem de Cactano de Mello de Castro airem de muda paya o Ceara, 30 De Malo--Proviséo Regia sobre Domingos Roiz Car neiro, 27 pe Jusio—Provis&o Regia sobre Fern&o Carrilho. 27 pe Junuo—Alvara Regio mandando que Ferndo Car- tilho, soldado benemerito e honrado, venga na Capitania de Pernambuco, onde é morador, 9 mesmo soldo de 40000 mensaes que tinha como Locu-tenente no Estado do Mara- nhiie, Ferndo Carrilho serviu como militar desde 1660. 9 pe JutHo—Carta Regia ordenando ao Governador de Pernambuco que, 4 vista do que em carta de 20 de Junho de 1708 informou Gabriel da Silva do Lago, mande acrescentar por capitulo no Regimento desse capit&o-mor que os Capi t&cs de Guarnig¢&o Ihe devem obedecer, e dar soldados para 0 servigo publico. 10 pe Jetuo—Ordem Regia deferindo a proposta do ca- pitado-mor Gabriel da Silva do Lago para que os seldados, que vem de guarnigio para o presidio do Ceara, cessem de set alimentados pelos capitdes mores c sejam pagos adinheiro. Essa ordem foi miseravelmente sophismada pelos it mores como se pode ver por uma representa Rei pela Camara do Aquiraz em 30 de 18 dE JuLuo —Carta Regia ao Governador de Pernambuco para que faga voltar para o Ceara, caso jd o nko haja feito, DO INSTITUTO DO SEARA’ 107 Gabriel da Siiva do Lago afim de providenciar com energia © prender os autores do attentado commettido contra o capi- tam da guarnicdo Carlos Ferreira. 20 pe Jutno—Resolugdo R obrigando os Correge- dores cu Provedores a irem assistir 4s propostas para postos de ordenancas sempre qué para isso sua presenga for requi- sitada pela respectiva Camara. Neste anno principiou a etigir-se uma Egreja na Ribeira do Jaguaribe gragas a Jo4o de Barros Braga. 1710 15 ne Frvereiro—Concessio de terras de sesmaria no Rio Quixeremobim a Gil de Miranda, Francisco Diniz da Penha e P.¢ Antonio Fernandes. Antonio de Sousa Marinhs, filha d2 Antonio Mar- tins Palha e natural de Pernambuco, yeiu neste anno com a sua companhia d2 pr para a fortaleza do Ceard, conse- guindo compor os moradores da Ribeira do Jaguaribe com os tapuias de varias nagdes, que contra clles se haviam re- belado. Esse Antonio dz Sousa Mirinh> teve papel saliente no levante occorrids em 'Racife no tempo de Felix Machado. 7d) 24 pz Jayimo —Carta Regia dispensando par motivo de molestia ao Desembargador Soares Reimao de continuar no sorvico de medig&s e tombamento de terras do Rio-Grande e Ceara. 30 pe Jasumro —Cartas Regias ao governador de Pernam buco ¢ ouvidor de Parahyba avisando-os de que a correigdo do Ceara passava a pertencer aos ouvidores da Parahyba. 30 pe Jaxemo—Carta regia mandando transterir para o Aquiraz a villa de 3. José de Riba-mar entao situada junto 4 Fortaleza de N. S. d'Assumpgao. 3t axeuco— Carta Regia ad Ouvidor Geral da Capila- niade Parahiba sobre a escolha de um juiz pedaneo e escri- vao de notas na Ribeirado Jaguaribe. E a seguinte : 108 REVISTA TSIMENSAL « Ev Et-Rei vos envio muito saudar. 0 Desembarga dor Christovao Soares Reim&o me faz presente que a ribei- ra de Jaguaribe, que fica no districto da capitania do Ceard- grande, cuja correigao fui servido unira essa Quvidoria, como vos constara da crdem que sobre este particular se vos tem -passacio, necessita muito dc ser corregida pelas muitas mor- tes que nella se fazem e se nao castigam por serem tiradas as devassas pelos juizes que tiram as que querem € como Ihes parece, insinuando ser conveniente haver na dita ribeira um Juiz Pedaneo ¢ um eserivao de notas para os contractos, approvacées de testamentos e citagdes; me pareceu ordenar- vos que na primeira correigdo que fordes faser a capitania do Ceara vades a esta ribeira de Jaguaribe e nella escalhaes com aprasimento dos moradores della um homem bom que sirva de juiz com jurisdig&o, para tirar as devassas ¢ abrir testamentos, como tambem um escrivao para este effcito que seja tambem-de notas, o qual mandara requerer sua carta com informagéa vossa,eo juis servira s6 um anno, ¢ acabado elle a camara do Ceara elegerd outro quando fiser as suas cleigdes, para o que mandareis registrar nos livros della esta minha ordem. Eseripta em L.a a 31 deJanciro de 1711, Rei. 12 pz Mato—Carta Regia ao bispo de Pernambuco sobre apossar-se o vigario do Jaguaribe dos gados de evento. 28 pe Mato—Carta Regia ao governador de Pernambucc sobre Jorge da Silva, cirurgiao do presidio do Ceara. 29 ve Dezensko—O Capitio-mér Francisco Duarte de Vasconcellos concgde por data de sesmaria ao Licenciado Jor- ge da Silva tres leguas de terra de compride e uma de largo a comegar do Olho d'agua da Carayocanga, topando para a parte do rio Ceara na ilharga da serra com as terras de Nossa Senhora d’Assumpeao. 29 pe Dezempro—Concessao ao Li.° Jorge da Silva de 3 leguas de comprido e 1 de largo a comecar das fraldas das serras de Mavanguape até topar na ilharga da data de Nossa Senhora d’Assumpgdo para a parte do rio Ceara, 31 pe Dezempro—Carta Kegia ordenando ao ouvidor da Parahyba que escotha um homem na tibeira do Jaguaribe para servir alli de juiz com jurisdicgao de tirar devassas. ‘tO DO CRAKA 109 bd rsstiry 4712 20 pe Fevergimo — Francisco Duarte de Vasconcellos nomeja Manoel Monteiro de Miranda para juiz de orph&os de Aquiraz, 18 pe Anr.—Carta Regia ao governador de Pernambuco pedindo informagGes sobre as minas de ouro no sertéo dos Iods de que dera conta para Lisboa cm carta de 19 de De- zembro do anno anterior o capitio-mér da Parahyba. 10 pe Maro --Provimento passado por Francisco Duarte de Vasconcellos ao Ld. Manoel de Miranda de Vasconcellos para advogar nos au. itorios do Ceara, 27 pe Juxno~ Francisco Duarte de Vasconcelos prové a Jo%o da Cunha Lemas no poste do sargento-msr da ri- beira do Apody. 22 og Serempro—Francisco Duarte de Vasconcellos passa proviso de escrivao da Camara de Aquiraz a Manoel Gui- Jherme, 19 ng Dezenpro—Ordem regia mandando que 4C0 indios do Ceara sigam para o Maranhao a encorporar-se ds tropas d'ali, que vao bater o gentio de co"so. 22 pe Dezemnro —A camara da villa de S. José de Riba- mar representa a EL-Rei contra a pratica, que tem os capitaes- mores de prover as offitios da republica sem previa audien- cla e informacéo d’ella. 22 pe Dzzempro—A camara da villa de S. José de Riba- mar queixa-se a ELRei que o capitfo-mor Francisco Duarte de Vasconcellos esta a pagar em generas.e n@io em dinheiro a infantaria do presidio. . Neste anno o padre Joao de Mattos Monteiro indo da Bahia para Lisboa, donde era filho, n’uma embarcagao de aviso mandada pelo governador, foi preso pelos Francezes mesmo a barra da cidade. Neste anno o Pe José Teixeira de Miranda com os ses- indios da Meruoca ajudou a levantar o sitio, que 0 gentio bra. vo havia posto aos moradores da Ribeira do Acarahti indo por Capetlao da tropa, que levava por cabo o coronel José de Lemos. 110 REVISTA TRUMENSAT, 1713 + pe Feveremo—Cartas regias ao governador de Per- nambuco e ao capitdo-mdr do Ceara, sobre o provimento de officios ¢ patentes pelos capitées-mores do Ceara ¢ Rio Grande. 13 pe Fevereimo—O governador de Pernambuco, Felix José Machado, transini te a Duarte de Vaseoncellos a carta regia de 31 de Janeiro de 1711 relativa & transferencia da villa deS. José de Ribamar. 28 pz Marco—Ordem R. mandando, entre outras cousar; que o bispo D. Manoel Alvares da Costa saia da cidade de Olinda e va desterrado para o Ceara, como castigo 4 parte quc tomeu nos movimentos de Pernambuco. O bispo obteve por favor que em vez de ir para o Ceara scaffastasse 100 leguas de cidade de Olinda e escolheu enlZo ir para o Rio de S. Francisco, 0 que fez a 18 de Junho, le- vando em sua companhia entre outros o Oratoriano Antonio Martins. 28 nz Anem~—Felix José Machado ordena a Duarte de Vasconcellos que faga uma relagao de todos os officiacs de guerra e fazenda, residentes na capitania para ser remettida 4 Sua Magestade. 30 ne Mato —Havendo-se proposto a success&o de Fran- cisco Duarte de Vasconcellos na Capitania do Ceard Manoel da Fonseca Jayme, Placido de Azevedo Falcdo, Diogo Pc- reira de Mendonga, Antonio Vieira c Joao da Costa Silva o Consclho de Ultramar pesando os servigos dos respectivos candidatos apresenta 4 escolha real o nome de Manoel da Fonseca, 30 be Mato—Felix José Machado determina ao canitao- mor do Ccard que execute a ordem regia de 19 de Dezem- bro de 1712 sobre a ida de 400 indiosdo Ceara ao Maranhaio. Y pe Junuo—Portaria de Felix José Machado ao juiz or- dinario: da villa S. José de Riba-mar do Ceara mandando tivar summiario de testemunhas contra 0 vigario Jodo de Mattos Serra, 19 de Juntio—Carta do governador de Pernambuco av PO INSTIIUTO DO CFARA’ at juiz ordinario da villa de S. José de Riba-mar contrariando a portaria de 9 de Junho. 26 pe Jenno - Escolha de Manoel da Fonseca Jayme para capitdo-mor do Ceara. Era capitio de infantaria na praga de Olinda, Bernardo de Oliveira Pinto, filho de Manoel da Fonseca esua mulher D. Maria do Carmo de Proenga, capitéo de in- fantaria do Regimento de Olinda, foi o marido de D. Jeromy- ma de Albuquerque ¢, portanta, cunhada de Pedro de Albu- querque Mello, o capitio-mér e governador do Rio Grande do Norte. 27 ve Junno—Transfere-se para o Aquiraz a séde da villa de S, José de Riba-mar, que estava ent&o na Fortaleza. 17 pz Jutno—Resolucdo Regia em consulta do Conselha de Ultramar mandando dar de ajuda de custo a Manoel da Fonseca Jayme a quantia de 1008. 18 pg Acosto—Os indios Jagoaribaras, Anassés, Paiactis ¢ outros assaltam a villa do Aquiraz, fazendo grande mortan- dade nos habitantes. 24 pe OuruBro—Proviséo passada ao Lede, Manoel de Araujo Ferreira, por haver falta de letrados, para advogar nos auditorios do Ceara. 27 pe Novinsro—E d'essa data uma portaria de I José Machado ao capit&o-mér Placido de Azevedo Falc&io ordenando a arrecadag&io dos féros das doagdes de terra, a requerimento de Jodo do Rego Barros, provedor da fazen- da real de Pernambuco, Placido de Azevedo Falco, filho de Sebastizio Falc&o, era natural de Pernambuco. Neste anno Joéo de Barros Braga derrotou junto ao rio Chord os indios levantados depois de um dia de encar- nigado combate. Neste anno foram juizes ordinarios da Fortaleza Mancel Gongalves de Souza e Gregorio de Brito Freire. 1714 18 pe Abr L—Concessao de scis leguas de terra na Capi- tania ao casal de D. Victoria Rodrigues da Camara e D. Anna Rodrigues Faria, casada com Miguel de Faria, 112 REVISTA TRIMENSAL 22 pe Apri—Ordem regia renovando um decreto an- terior, que dispde que scja feita em dinheiro o pagamento da infanteria, que vae de presidio para a fortaleza do Ceara. 23 ve Juxo—Carta regia ao governador de Peinambuce sobre o provimento de officios ¢ patentes pelos capitéies-mo- res do Ceara e Rio Grande. 26 pr Spremuac—Carta do Vice-Rei Dom Pedro Antonio de Noronha, 2°, conde de Villa-Verde e le, Marquez de An- geja, para o Governador de Pernambuco, Felix José Macha- do a respeito de queixas contra elle feitas pelo Vigario Goral da Capitania do Ceara. 16 pz Novenxo—QO Senado da Camara do Aquiraz dirige- se 20 Vice-Rei do Estado do Brazil expondo as diversas pe- ripecias da fundagio da 14, villa da Capitania e pedindo que ella se mantenha no sitio do Aquiraz onde esta, 16 De Novempro—O Senado da Camara do Aquiraz diri- ge-se ag Vice-Rej do Estado do Brazil pedinda para provel-a de alguma ajuda de custo para se poder fabricar matriz e casa de camara. 16 pe Novempro—O Senado da Camara do Aquiraz recla- ma ao Vice Rei do Estado contra a exigencia, que faz o Se- cretario do Governador de Pernambuco de pagamento de arrendamento dos diversos officios sem ser delles donatario, motivo por que nfo ha na Capitania escrivdes providos com provisdes, 28 pr Novempro-—Provisiio Regia mandando o Provedor da Fazenda de Pernambuco pagar a Francisco Duarte de Vasconcellos 0 que elle despendeu, quando capit&o-mér do Cearé, com o sustento da infantaria do presidio. 28 pr Novempro—Ordem regia para o Capitdéo-general e governador de Pernambuco tomar as medidas necessarias a que os soldados do presidio do Ceard sejam pagos em di- nheiro e nfo em mantimentos como estavam sendo pagos pelo Capitéio-mér Duarte de Vasconcellos. Nesse anno Gregorio de Britto Freire foi juiz ordinario de Fortaleza, ho INSTITUTD DO CHARA’ 118: 1715 12 pe Feverzmo—Em carta dessa data a Camara do Aqui- raz requer ao Deg»r. Christovam Soares Reim4o que limite as bracas de terra pertencentes de difelto 4 villa; visto como o dono da terra, Antonio da Costa Barros, exige renda dos moradores ja situados e dos gue querem se situar. A carta é concebida nos seguintes termos: « Senhor Der. Dezsr. Christovam Soares Reim&o. Damos parte a VMcé. como fundador desta. villa do Aquitaze VMcé. foi og informou a Sua Magde. q Ds. guarde do logar onde ella esta situada, e como o dono da terra Antonio da Cos- ta Barros veio agora de proximo dessa praga de Pérnes sé afim de impedir aos moradores que est&o situados na da, villa, e aos que se querem situar; dizendo que a terra é sua @ q quer que Je paguem renda della nao, consentindo mais que a casa da camara e o pelourinho, e com a tardanga de VMcé. nds nfo sabemos determinar nesse caso, ¢ nao sendo a vinda breve como esperamos, VMcé. nos limite as bragas de terra q s4o dadas 2 similhantes villas, p*. que os ditos mo- radores fagam suas casas p*. augmento da ds, villa sem im- pedimento do senhorio da dita terra, como tambem estamos - levantanda matris a custa dos moradores, ¢ temos por noti- cia que nos querem impedir q n&éio venha o orago della q éo milagroso S. José q de presente esta no forte, como tambem aS coisas pertencentes a matriz; como tambem escrevemos ao Rd*, Cabido p.4 q nos conceda licenga ps. se benser a da, matris, no que sera vmeé nosso medianeira p’ com os des. senhores do Cabido pa. aleancarmos 0 que pedimos, ¢ tudo custo que nisto se fizer nos obrigamos a satisfazer a quem os des Senhores ordenarem. A pesséa de vmeé. guarde Ds. etc, Villa de S. José de Ribamar em veriago de 12 de Feve- reiro de 1716—Joao de Eseudeiros Barregao, Jo&o da Silva Salgado, Thomaz Homem de Sa, Pedro de Barros da Camara, Demingos Madeira Dinis. Na mesma data ¢ no mesmo sentido dirigiu-se a camara ao ouvidor da Parahyba, 21 be Feversro—Provisto Regia mandando dar 1008 U4 BRVISTA TRIMRNSAL réis de ajuda de custo a Manoel da Fonseca Jayme, que vae para o Ceara como capitdo-mér. +L pg Fevermiro -~Provisdo para Manoel da Fonseca’ Jay Ido desde o dia do embarqus em Lisboa, ° remo—E dessa data uma carta do Marquez de Angeja a D. Jacob de Souza ¢ Castro, governador dos in- dios da nag&o Tobajara. 18 pe Apri.—Ordem de Felix Machado a) capitéo-mér do Ceara determinando que dé ifteira execugdo 4 ordem re- gia de 22 de Abril do anno anterior com relagio a0 paga- mento dos soldados do presidio. 23 pE Aprit—Alvara Regio mandando accrescentar cem mil réis ao erdenado de Ouvidor de Pernambuco segundo requerera Joseph de Lima Castro, O ordenado era de 2008. tL pg Mato—Provistio mandando informar sobre a extin- ¢io do Capitées-mores do Ceara e Rio Grande ficando servin- d> de Capit&es-mores os Capitdes de Infantaria, que vao pre- sidiar. 20 pz Maw —Carta Patente nomeando Manoel Francez paiva capitéio de uma companhia de infantaria do Tergo de Olinda, de que era Mastre de Campo Antonio Borges da Fon- seca, na vaga de Patricio da Nobrega. . 19 ve Junuo—E” dessa data uma carta do Marquez de Angeja ao capitdo-mér do Ceara. 2 ve Jutno—O Cap". mor Franc, Duarte de Vesconc- los segue por a Ribeira do Jaguaribe,ficando encarregado dos despachos como Capit&o-regente Antonio de Souza Marinhé, 27 pe Acosto—O Capitiio-Regente Antonio de Souza Ma- rinho indiffere um requerimento em que o Capm. Bento Coe- tho de Moraes, do vegimento do Coronel Felix da Cunha Li- nhares, pedia indios e munigGes para fazer guerra ao gentio bravo. 31 pz Accsto—E" dessa data uma carta do governador de Pernambuco a Franc®. Duarte de Vasconcellos transmettindo a ordem em carta Regia de 8 de Fevereiro para se fazez guer- rae exterminar o gentio bravo. 11 pe Ovrurro—Carta do governador D, Lourengo de Al- meida avisando 4 camara do Aquiraz-de vir provide no pasto de capitéa-mor do Ceara Manoel da Fonseca Jayme. Do INSTTTUTO PO GUARA’ 415 3 pe Novemexo>—Manoel da Fonseca Jayme officia 4 Ca- mara do Aquiraz para que ella faga repor em 13 dias a fari- nha destinada para o sustento da infantaria ¢ por elle entre- gue por ordem del), Loarencode Almaida aJo3o da Fonseca Ferreira, que sahiu 2 encorporar-se como Coronel Francis- co de Montes Silva para 9 descobrim2nte dz minas. 14 De Novemero -~Carta da camara do Aqviraz ay gover- vernador de Pernambuco D. Lourengo de Almeida commu- nicando a passe da Manoel da Fonseca Jayme, agradecenda © provimanto dos officios de q:re ella carecia, ¢ requisitando aremessa de alguns lettrados, fim carta de 7 de Fevere'ra do anno s2guinte responde-the 1. Lourenco de Almeida n&> poder satisfazer a requisi¢ao de lettrados por falta absotuta delles. . 14 pz Novemerd—a camara do Aquiraz manifestando a Manoel da Fonseca Jayme a impossibilidad2 em que s2.acha dz satisfazer em 15 dias a r2quisigZo contida em carta de 3 iO Ci compromette-se a entregar a metade d2 farina (15 alqu_ires) por todo o mez de Dezembro ¢ a outra motad2 on dias de Ja- neire seguinte, 17 pe Dezemsro—Resolugio regia par onde s2 vé perten- cerem aos captides-méres do Ceard e Rio Grando os provi- mentos dos postos de ordenanga, offizias de justiga e ditas ‘de sesmaria. : 22 pp Dezzmero—O Conselho Ultramarino expede provi- ses aos capitdes-méres do Ceara e Rio Granda do Norte concedendo-thes firculdade de dar sesmarias e prover pastes de ordenangas c officios de justiga por tempo de um anno, tudo de accords com a resolugio regia de 17 de Dezembro. Neste anno vieram d2 guarnigho para a Fortaleza do Ceara o capitdo Antonio Vieira da Silva e Domingos Si- modes Jurdao. L7IG 12 pp Fevereiro—Carta da Camara do Aquiraz aq Rde. Catido do Recife sobre as condigdes ¢ necessidades espir't.1- aes da localidade. F’ concebida assim; «Benhores Rees, do Cabido, Damos parte a VSas, em co- mo vamos ‘evantaado uma matriz nesta villa do Aquirdz, a 116 REVISTA TATMENGAL qual foi assituada por ordem de S.| Magestade, p. qual nos & necessario licenga de VSes. p?, quaesqner sacerdote a pode- rem benzer como tambem fazemos a VS. presente em como esta Capia. por falta de missionarios esta padecendo a falta" dos officios divinos, como tambem o nosso Rd®, vigario Jodo de Mattos Serra haverd 3 annos que se acha por essa Cap.4 de Pernambuco, e sd se acha nesta Cap*. o Pe, Domin- gos Ferreira Chaves, missionario geral ¢ outro P.¢ missiona- rio da Caucaya, que de presente no barco, e estes mal podem acudir as suas Aldeyas q*. mais ao longe desta Capi. e ou- tro sim nos querem impedir os moradores do Forte as cou- sas q pertencem a da, matriz, como bem a ser orago della o milagroso S. José de Ribamar e outras cousas pertencentes a mm, matriz que se acham na egreja onde foi villa e espera- mos de VSas. nos mande ordem p*. podeamos haver nesta materia e em tudo ms. q é grande o servigo de Deus e utilde, desta Cap's, As pessdas de VS.0s guarde Ds. Va. de S. José de Ribamar do Aquirds em veriagdo de 12 de Fevereiro de 1716, Joo de Escudeiros Barreg%o, Jodo da Silva Salgado, Thomé Homem de Sa, Pedro de Barros da Camara, Domin- -gos Madeira Diniz.» 27 pe AGcosto—Ordem Regia mandando declarar que a jurisdicg&o, que se havia dado aos Padres da companhia, sobre os Indios das aldeias, se devia entender omnimoda no spiritual ¢ restricta no temporal. 1 pe Qurusro—Por carta de sesmaria d'essa data 1. Lou- rengo de Almeida concede.aos indios da aldeia deN. S. de Assumpoao da Ibiapaba 2 leguas de terra de comprido e 1 de largo. 5 pe Novempro—E’ dessa data uma carta do padre Joao de Mattos Serra na qual accusando o recehinsento de una outra que lhe escreveu a Camara do Aquiraz avisando-o da erecofo de uma capella na villa e pedindo para ir benzel-a e celebrar nella, responde que em qualquer dia da scmana vindoura Ira satisfazer 0 pedido. N’este anno fizeram-se reparos na fortaleza do Ceara. Neste anno chegaram de Pernambuco o padre Dr. Joao de Mattos Serra, antigo vigario do Ceard, e seu parente © padre Jo%o de Mattos Monteiro, A este sacerdote, que DO INSTITUTO DO GEAR’ 7 fot cura do districto do Acaratti, devem-se a capella de N. S. da Conceig&o, da quai foi administrador 0 coronel Felix da Cunha Linhares ¢ adeN. S. do Livramento, da qual foi administrador o capitaéo Domingos Machado Freire. Neste anno Francisco de Sa foi juiz ordinario da villa de Fortaleza. 1717 § DE Feverriro—Q juiz ordinario da villa de 8, José de Riba-mar, coronel Zacatias Vidal Pereira, em virtuce de um accordo dos officiacs da camara faz processar 0 precurador Pedra de Barros da Camara, natural de S. Antonio do Cab, Pernambuco, por crim de desobediencias. . Ao reo serviram de advogados os licenciados Mathias de Farias Lobo e Jorge da Silva. Por embargos de sentenga foi nullo todo 0 rocesso ¢ man- dado soltar o accusado em 11 de Julho de 1729,segundo des- pacho do juiz ordinaric, sargento-mSr Domingos Cameiro Pereira 25 pe Fevereimo—E’ dessa data uma carta de senado da camara do Aquiraz ao capitdo-mér Manoel da Fonseca Jayme reclamando a prisio de Manoel da Sitva Araujo, Belchier Lopes e Diogo Rodrigues que para escapar a justiga, pelos crimes que tinham commettido, haviam sentado praga. 2 be Marco—Havendo-se proposto a successaie de Manoel da Fonseca Jayme na Capitania do Ceard Salvador Alvares da Silva, Simao Moreira de Sousa, Manoel Martins Branda», Joa&o Monteiro de Carvalho ¢Luiz de Ferre‘raFretre,o Conse- Tho d2 Ultramar‘apreszata a e320h1 raalo primiro candi- dato. 3 pe Marco—Provisdo por que S. M. houve por bem que a Camara de Olinda pagasse pelos effeitos, que administra, a Francisco Duarte de Vasconcellos o que elle despendera com 0 sustento da infantaria do presidio do Ceara 9 pe AnwL—Escolba de Salvador Alvares da Silva para capitao mér do Ceara. 22 pe ABkiL—E’ dessa data uma longa representagdo da camara de Aquiraz ao governador de Pernambuco contra o 118 REVISTA TRETENSAL capitév-mér Manvel da Fonseca Jayme ¢ o padre Jo&o de Mattos Serra. 23 vg Apzu—Representagdo da camara do Aquiraz aos Senhores do governa do bispado contra o vigario Jodo de Mattos Serra que 4 reclanag feita para vir residir naquelle sitio respondeulhe que pavecia ridiculo andarent as re- Uiguias sagradas airds do pelourinho, e nega-se a vit Parochial-os, 25 pu AsriL— Patente de nomeag&o de Salvador Alvares da Silva para capitao-mér da capitania do Ceara. 27 pe Asri—Provisio regia para que Salvador Alvares da Silva, nomeado para capitdio-mér do Ce wa, venga soldo desde o dia em que, embarcar em Lisbos. a 26 ps Juydo—Carta do Governador d2 Pernambuco, D. Lourengo d'Albuquerque d'Alineida, com censuras A Cama- ta da villa do Aquiraz. E' concebida nos seguintes termos: « Recebi a carta de Ves. e vejo que segunda vez se me queixdc do cap.m-mér do Ceara, e¢ confesso*a Ves. que tém razio, mas é por que elle os n&o tem prezos a Ves, em ferros, ¢ remette-m'os para os mandar para Benguela, porque o mado procedimento com que Ves. tem servido ainda merece maior castigo. Vejo o que Vines. me dizem que o cap.™-msr nomenu escrivao da Camara sem fazer caso de Vie. para nomearem, e 83 por este ridiculo requerimento que V.mes. fazem for- mando diss3 uma grande queixa, merecidio Ves. ser muito bem castigados, com se hes metter em cabeza que a Ca- mara tem jurisdice%o para nomear escrivao, camo tambem a no tem para tomar conhecimento de quem sio serven- tuatios dos officios ; porém como Was, sb estudio em erear gados, nfo é muito que saibao o que ELRei nosso Senhor determina pela sua lei. Pelo que toca 4 Vines. nao admittirom soldados 4 escrivao da Camara toméra saber qual é a lei em que Vmes. se fun- dao; que um soldado assim como é capaz de ser general, assim tambem ¢ merecedor de ser escrivao da Camara de Lisbda, quanto mais da do Ceara, como n’elle tem servido escrivdes da Camara curraleiros de gado. nao fica com prejuizo nenhum de que um soldado seja escrivdu. DO INSTITUTO PO CRARA’ 119 Ves, tratem de proceder bem ¢ tenham entendido qua aquelle que me quizer alterar a Capitania e andar amotinando seus moradores com essas insolentes queixas, fazendo par- parcia‘idades’ com um cap™-mor, posto por El-Rei nosso Senhor hei de mandalo vir prezo, e depois de muito bene tratado o hei de degradar para Benguela, Deus Ge a Vines muntos annos. Pernambuew, 23 de Junho de 17{7 annos. D. Lourengo & Alntétda,» 28 pe Junno--O Cabido de Pernambuco em resposta as reclamagao dos camaristas do Aquiraz aconselha-os a que recorram a S. Magestade no assymptoe da mudanga da Egreja matriz assim como haviam feito para a mudanga da villa, e avisa-os que ordendra a ida para o Aquiraz do coad- juctor do Rd.° Vigaria com todos es poderes menos o de administrar o sacramento do matrimonio, que é da autorida- de do vigario. 22 pe Ourusra—Provis&o passada por Lourengo de Al- meida a Mathias de Faria Lobo para aclvogar nos auditorios de Ceara. 27 ne Novemtro-- Provisio passada por Manoel da Fon- seca Jayme a Lobo de Barros Rego para advogar nos audi- torios do Ceara. 28 pe Novesmro—José Soares de Sousa pede por data de sesmatia a legua de terra concedida por El-Rei aos in- dios Jaguaribaras e demarcada pelo Dezembargador Soares Reymiao (Aquiraz). 28 pe Dezeurro—Proviséo de escrivao de orphios da vila de S, José Riba-mar passada por Manoel da Fonseca Jayme ac capitéo Lourengo Rodrigues de Carvalho por det xagdo feita pelo Tenente Manoel de Araujo. 30 ne Devemrro—A Camara do Aquiraz agradece a El- Rei ter mandado transferirse para aquelle sitio a wlla de S. José de Rbamar, que se achava com muitos inconve- nienies circumvesinhe « fortatesa desta capitania de N. S. d'Assumpea. 30 pe Dezempro—A camara do Aquiraz pede a EL-Rei que faca effectiva a vinda paro aquelle logar do vigario Joao de 120 REVISTA TREMENSAL Mattos Serra com 03 respectives ormamantos, imagens ¢ con- frarias e pode eguatmante uma e3mola por servigo d2 Dus. 30 ps Dazemazo—A camara do Aquiraz queixa-se a El Rai dt md compankia que lhe tem feito o capitam-moér afa192! da Fonseca Jaim2 pois toda o seu cuidado e desvelo e funtamento do seu gaverno &somente desau- tovisar ao senado prendendé veriadores, almotaceis e juises impedindo e acabando os wizios a justipa e aug: mento dev». ¢ assint a atentorisa e intimida como seu poder. 30 pe Dezemero—A Camara do Aquiraz requer 4 Raina ¢ao Infante Francisco Xavier uma esmola de um ornamenta, uma custodia, uma lampada e um sino. 30: pz Dezempro—O Senado da Camara do Aquiraz pas- sa procuracio a André Lopes Laure, Rde. Dedo e ao Coronel Zacharias Vital Persira para perante S. Magestade e seus ministros requererem © que for de direito e de justiga a bem da capitania seus moradores ¢ a bem ¢ augmento da villa. Neste anno foi juiz ordinario de Forrafeza Francisco de Sa... Neste anno chega 4 aldeia de Areocatamerim dos indios Tremembés 0 Capitéio Pedro Roiz que fora mandado por D. Lourengo de Almeida ao rio Taypu a descubrir ouro, sendo hospedado pelo Pe, José Borges de Novas. 1718 20 pe Janero—O Padre Antonio Teixeira de Borba eo Tenente Manoel Teixcira obtem por data de sesmaria as terras do Catd concedidas 4 Francisco Alves Bastos ¢ sua cunhada Josepha de Sousa ¢ cahidas em prescripgac (setem- bro de 1708). 20 pz Janero—A pedido do jezuita padre Franciseo de Lyra, superior da missdo de Ibiapaba, Manoel da Fonseca Jayme faz concessfa de 7 legoas de terra acs indigenas, sendo 2 ao mestre de campo D. José de Vasconcellos, 2 ao capitaéo-mdér D, Sebastido Saraiva e 3 a D, Jacob de Souza Castro e 4s suns gentes. 17 ob Margo—Provisio Regia mandando dar uma ajuda DO INSTITUTO DO CHARA’ 121 de custo (50$000) a Salvador Alvares da Silva, que vae por Capit&o-mér do Ceara. 29 pe Marcgo—Provisdo Regia concedendo a Domingos Machado Freire, morador no sitio Pard, licenga para accusar por procurador em qualquer juizo em que corver a causa a0. capitdo Rodrigo da Costa accusado de ter mandado dar uns tiros em umas suas escravas. 15 pe Apri—Ordem Regia mandando rentetter para o Ceara e Angola os ciganos degradados do Reino. i7 pe Anri—A camara do Aquiraz pede ao Vigario J. de M. Serra gue mande seu coadjuctor assistir na villa. 7 ne Maio—O. R. sobre os capitdes-méres n@o prende- rem os Officiaes da camara. 2 ve Junto— Manoel da Fonseca Jayme concede por data de sesmaria ao chefe Algodao ¢ mais indios da aldeia da Parangaba terras da serra de Maranguapé. 15. ve Juxno-—Portaria de Manoel da Fonseca Jayme ar- denanda que Florenciode Carvalho accompanhe, na qualida- de de meirinho, ao juiz de orphdos tenente coranel Izidoro d: Souza Marinho que por diligencia de seu cargo segue para a Ribeira do Jaguaribe. 17 pe JywHo —Petigao do Rd.° Missionario das Missdes do Norte para que Ihe sejam dadas por data de sesmaria varias terras devolutas visinhas 4 Fortaleza. 8 ne JuLRo—O Capitiio-mér Manoel da Fonseca Jayme passa proviso de escrivdo das datas da capitania a Manoel Homem da Silva. 13 pe Ourusro—Resolugéo Regia em consulta do Con- selho Uliramarino ‘para se desannexar do Ceard para o Pi- auhy a aldeia da Serra da Ibiapaba e tomarem-se outras providencias propostas pelo Mestre de Campo da conquista do Maranhio ¢ Piauhy Bernardo Carvalho de Aguiar como meios de conter os indios do corso, 20 pe Ourvsro—Carta Regia a Bernardo Pereira Berredo communicando as resolugdes regias de 13 de Outubro. 20 pe Outvsre—Provisées ao governador do Maranhao e Capitdo-mér do Cearé relativas 4 guerra, que sob o commando da cabo e mestre de campo Bernardo de Car- f2 REVISTA TRIMENSAL yalho de Aguiar se deve fazer ao gentio corso, que tem davastado as capitanias do Maranhiio, Piautny ¢ Ceara, 24 pe Or rerro—E_ dessa data a proviso de Mampostei- vo de bulas passada em favor do capitdo Antoaio Nunes Fer- reira. 1 pe Nove wturo —Posse do capitéo-mdr Salvador Alvares da Silva, 34 pr Novewpro—Provimente passado em favor de Ma- noal de Araujo Ferreira para advogar nos auditorios da Capitania. + 7nz Dezexnro—O Capitéa-mér Salvador passa provisiio de juiz de orphdos a Jodo da Cunha Lemos por deixagiio do ten2nte eorone! Isidoro de Souza Marinho. l4 pe Dezempro—O capitao-msr Salvador Alz, da Silva concede ao indio D. José de Vasconcellos duas legoas de terra de comprido ¢ uma de largo na yarzea dz nome Sunv- nunga entre 0 rio Timonha e o riacho Tayiyi. 19 ps Dezemrro—QO Capitéo-mér Salvador Alvares pa sa provisio de eserivao de orph4cs ao capitdo Luiz Vi de Barros. Neste anno veio de Pernambuco commandar © presidio do Ceara Lucas Nunes. Esse militar por nomeagio de 23 de Novembro de 1746 substituiu a Antonio Larges da Fouse:a no posto dz Mestre de campo do teres pago de Olinda. i719 4 pe Mat>—Nomeagiio de Mathias de Faria ‘Lobo para ¢s- erivao da camara do Aquiraz, durante o impedimento do ef- festive, julgade em culpa pela camara. A portaria é assigna- da por Salvador Alvares da Silva. 29 pe Seremaro—Morte do Padre Joao Alvares da En- carnagdo, veneravel missionaria do Ceara, Nascera a 4 de Margo de 1634. Neste anno teve lugar a creacda do bispado do Para pelo Papa Clemente XL DO INSTITETO DO CBARA® 12 172 27 pe Jaxemo —V ouvidor geral e corregedor Francisco Pereira da Costa avisa aus officiaes da camara do Aquiraz que fazendo ten¢gdo de estar por todo o mez de Fevereiro na Ribeira do Jaguaribe precisa que os eserivAes vao aguardalo no porte do Aracaty, levando comsigo todas as devassas de morte pertencentes a dita Ribeira. Ha uma outra darta do mesmo aos mesmos, datada de 18 dc Margo ¢ do Aracaty, convidando-os a comparecetom 4 Sua presenga, 21 pe Feverzino—Os officiaes da camara da Villa des. José de Ribamar representam a el-ret a conveniencia de mudar-se para Fortaleza a villa, mindada situar no Aquiraz. 26 ps Mango — Ordem Regia mandando que 0 carrege- dor daParahyba exerga suas funcgdes tambem no Ceara. 19 pe Mi‘o—Havendo s2 proposto 4 susczssio de Salvador Alz. da Silva no posto d2 Capitdo-mr do Ceara Jo&s dz Basto ‘Tavares, Minocl Francez, José Pereira da Fonseca, a maioria do Conselho apresenta A escolha real 9 nome de Manoel Francez, 4 pe Jexno—Escolha de Manoa! Frances para Cap-tio- mov do Cea Manoel Franeez era capitao de infantaria do 3." da guar- nigdo de Olinda de que era Mestre d2 Campo Antonio ftor- ges da Fonseca. (Carta Patente dg 20 de Maio de 1715). Exercitou o posto de capitdo-mor do Ceara, por espago de 6 annos ¢ 2 mezes. 26 vz Jusno-~ Piovisio Regia mandando subir a 3008000 0 ordenado de Manoel da Fonseca e Silva, ouvidor da Para- hhyha. segundo elle requerera, visto como fOra aggregada & dita -onvidoria a correcgdo do Ceara e serties das Pira- nbas ¢ Pianed. 7 pe Jutuo — Concesso ao coronel Lourengo Alves Feitosa das terras comprehendidas entre o sitio dos Ira- puds pertencante a Francisca Nogusira Lima, e o sitio da Pitom etre ue havian sido des aos hom: ens de S. Francisco, Manvel Rodrigues Teixeira e Gaspar Moreira. Wan RUVISTA TRIMENSAL 16 pe Acosto.—Carta do Ouvidor lrancisco Pereira da Costa 4 camara do Aqniraz prevenindo-a que nao convém que seja advogado Manoel Monteiro de Miranda, homem mado e criminoso, ¢ que as diligencias, que se farem fazer em Jaguaribe, ser&o feitas pelos officiaes da dita Ribeira com precatoria_das justigas do Cearé e vice-versa. 23 pe AGosto—O Capit&io-mér Salvador Alz, da Silva concede aos indios D José de Vasconcellos, seu filho, meia legoa de terra de largo ¢ tres legoas de comprido no Sitio Jopepaba. 26 pE Asosto.~—Patente de nomeagdo de Manoel Francez para Capitéo-mér do Ceara. 4 pe Setensro—Em consulta d'este dia o Conselho de Ultramar representa a el-rei a conveniencia de crear-se uma ouvidoria no Ceara. 4 pe Seremero.—Provisdo Regia concedendo licenga por um anno a Joao da Motta, sargento-mér do Tergo da guar- nigio do Recife, para ir 4 capitania do Ceard arrecadar o rendimento de suas fazendas ali situadas. 15 pe Setempro.—O Corregedor e Ouvidor da Para- hyba, Francisco Pereira da Costa remette aos officiaes ca camara do Aquirdz o Decreto de 26 de Margo, mandando suspender os officiacs nomeados por Pernambuco, e orden que até segunda ordem os tabellides sirvam de escrivaes. 6 Ds Ourusro—Salvador Alz. da Silva concede uma sesmaria ao Alferes Pedro Velho de Souza, morador na ribeira do Apody na parte pertencente 4 capitania do Ceara. 29 pz Ourusro—Proposta assignada pelos conselheiros de Ultramar Joseph de Abreu, Roiz da Casta, Silva Corréa, Fernandes Varges, Gomes de Azevedo, Lemos e Jodo de Souza para adopgio de varias medidas em favor da paz no Ceara, inclusive a creacdo de uma ouvideria, cessando d'essa sorte muitos absurdos, entre os quaes o de tirar- se residencia aos capitdes-méres do Ceara em Pernambuco, a tepressio dos chamadous peralvilhos, o estabclecimento de parochos em numero nunca inferior a cinco ea vinda de casacs das ilhas para facilidade dos casamentos, 1L vs Novempzo.—A camara do Aquirdz communica ao Capitéo-mét Salvador Alves da Silva ter tido noticia de que