Você está na página 1de 6

Introdução à Gestão das Operações Introdução à Gestão das Operações

Concepção
do Produto Controlo do Processo e da Produção
Planeamento
(Funciona- de Processos Equipamento de Produção
lidade, Planeamento
Projecto, (Preparação da Produção Processos de Fabrico Produto
Protótipos do Trabalho, (corte, enformação, injecção,
(Programação soldadura, fundição, montagem) Final
A gestão tem como finalidade assegurar a execução de objectivos da Testes) Métodos e
Tempos)
e afectação de
recursos) (Máq.-Ferramenta, equip. auxiliar)
empresa através da utilização integrada de recursos (Retroacção, Supervisão, Optimização)

A gestão da produção ou das operações define e aplica os


procedimentos necessários à transformação de materiais, informação CUSTOS E CAPACIDADES

e conhecimento em produtos e serviços, acrescentando-lhes valor,


Criatividade
utilizando os recursos disponíveis num horizonte temporal pré- (Ideias, conceitos)

determinado Necessidades de mercado


(Especificação do Produto)

Inovação
(Invenção, I&DT)

Funções típicas num sistema produtivo

Introdução à Gestão das Operações Introdução à Gestão das Operações


Evoluç
Evolução histó
histórica da competitividade industrial Evoluç
Evolução histó
histórica da competitividade industrial

Os factores que influenciam a definição e o desenvolvimento da estratégia Conhecer como no passado se processou a mudança e identificar as suas
competitiva das empresas estão em rápida mudança causas permite compreender as motivações da alteração da envolvente e
antecipar a direcção dessa evolução
“... accelerating change is the only thing which is stable.”. Evolução do mercado

Alteração do nível de formação/educação


Alteraçãode
Alteração deestruturas
estruturassociais
sociaiseede
devalores
valores Aumento da idade média da população
Alteraçção da envolvente

Importância da satisfação pessoal em


detrimento do dever e da aceitação
@
das empresas

Progresso tecnológico acelerado


Progresso tecnológico acelerado Redução do ciclo de vida dos produtos
Elevado ritmo de inovação tecnológica
• Elevada procura • Maior concorrência • Internacionalização • Mercados voláteis
• Concorrência fraca • Aumento de exigências • Forte concorrência • Restrições legais
Maioresexigências
Maiores exigênciasnos
nosprodutos
produtoseeserviços
serviços Elevadas exigências e expectativas do
mercado (qualidade, prazos, integração,
ambiente) 1950 1970 1990 +2000
Globalização e mercados específico
Altera

Alteraçãoda
Alteração daestrutura
estruturados
dosmercados
mercados
Alterações políticas com impacto nas
condições de mercado
Elevado ritmo de evolução das tecnologias • Produção em massa • Mercado de compradores • Ritmo de inovação • Mass costumization
Evolução das tecnol. de comunicação de informação / comunicação • Variantes / complexidade • Ambiente • Globalização
Evolução das tecnol. de comunicação
Facilidade de acesso à informação

Introdução à Gestão das Operações Introdução à Gestão das Operações


Evoluç
Evolução histó
histórica da competitividade industrial Evoluç
Evolução histó
histórica da competitividade industrial

O aumento das exigências determinou a alteraç


alteração da abordagem à qualidade.
qualidade

Inicialmente a qualidade era sinónimo de conformidade e de funcionalidade e a Evolução das condições no mercado de trabalho
forma de a assegurar era essencialmente baseada no controlo de qualidade final

35 – 40 h
A qualidade passou a ser integrada no processo produtivo surgindo o conceito de
garantia da qualidade
• Divisão de tarefas • Carência de mão-de - • Prosperidade • Concorrência severa
• Simplicidade do trabalho obra • Sociedade do lazer • Alteração das
• Complexidade do condições políticas
Evoluiu para a certificação de sistemas da qualidade, como a forma de garantir trabalho
e evidenciar para o exterior a capacidade de produzir com qualidade, de forma
1950 1970 1990 +2000
sistemática e reprodutível.

Finalmente, surge a mais recente abordagem à qualidade como a satisfação • Abundância de mão-de- • Fluxos migratórios • Elevados custos da mão- • Flexibilidade do trabalho
obra não qualificada • Qualificação de-obra • Motivação e
total do cliente, para o que é necessário integrar a qualidade como um factor de • Elevada qualificação autonomia
cultura das organizações. • Aprendizagem

1
Introdução à Gestão das Operações Introdução à Gestão das Operações
Evoluç
Evolução histó
histórica da competitividade industrial Evoluç
Evolução histó
histórica da competitividade industrial

Evolução da estrutura organizacional O objectivo é criar as condições para, sem perda de eficiência, majorar a
flexibilidade e a capacidade de adaptação a mudanças na envolvente.

Inovação
Capacidade de desenvolver

• Complexidade • Elevada
A competitividade de uma novos produtos/serviços e de
os explorar eficazmente
• Poucas variantes • Eficiência nos processos
• Divisão funcional de tarefas • Planeamento complexo complexidade empresa está relacionada com a
• Reduzida Adaptabilidade
transparência
rapidez com que consegue reagir Capacidade de adaptação e
e adaptar-se à mudança e mesmo de exploração das
mudanças inesperadas no
1950 1970 1990 +2000 de antecipar essa mudança ambiente competitivo

adoptando uma atitude pro- Eficiência operacional


Capacidade de produzir
activa em oposição à postura produtos/serviços com custo,
qualidade e flexibilidade de nível
• Organização funcional • Organização em • Grupos de trabalho • Estruturas magras
tradicional de reactividade “world class”

matriz • Células • Responsabilização


• Estruturas de
aprendizagem

Introdução à Gestão das Operações Introdução à Gestão das Operações


Evoluç
Evolução histó
histórica da competitividade industrial Evoluç
Evolução histó
histórica da competitividade industrial

As actividades produtivas são suportadas por um conjunto de O equilíbrio estabelecido entre os atributos de competitividade, as
tecnologias e de recursos humanos e são caracterizadas por um tecnologias e os recursos humanos é dinâmico. Mais ainda, a alteração
conjunto de atributos relevantes em qualquer processo de decisão das condições da envolvente industrial afecta esse equilíbrio.

Tecnologias Exemplos:
Ambiente a grande ênfase colocada no custo de produção tem vindo a ser
Não é possível a optimização simultânea de contrabalançada pela necessidade de satisfação total do cliente garantida
todos os atributos, tornando-se necessário Custo
através da aplicação de técnicas de gestão da qualidade total.
Qualidade
estabelecer equilíbrios, onde o peso de cada
atributo depende das necessidades do mercado, enquanto que no passado se considerava fundamental assegurar a utilização
da concorrência e, em última análise, da da capacidade dos recursos produtivos, considerados na perspectiva de
envolvente socio-económica equipamentos, actualmente esse conceito tem sido alargado para o objectivo
Flexibilidade Tempo
de explorar exaustivamente todos os recursos materiais e imateriais.
Recursos humanos

Introdução à Gestão das Operações Introdução à Gestão das Operações


Evoluç
Evolução histó
histórica da competitividade industrial Evoluç
Evolução histó
histórica da competitividade industrial

Durante a década de 80, as máquinas-ferramenta apenas despendiam 700-800 horas


. por ano em trabalho efectivo de maquinagem
Alteração perspectivada nos atributos de competitividade
Para uma disponibilidade teórica de 365 dias × 24 horas,
mudança de
apenas em cerca de 8% do tempo se gerava valor ferramenta
preparação da Tempo
acrescentado. máquina posicionar peça
maquinagem
Utilização de Custo
Nos últimos anos estas tecnologias atingiram ganhos no efectiva
recursos
desempenho de cerca de 500% (maiores velocidades e
potências, automatização de funções). Mas esse ganho é não utilização de
turnos férias e fins-de-
insignificante no plano de utilização anual da maioria das semana
máquinas-ferramenta. máquina não Qualidade Global Ambiente
operacional
Melhorar significativamente a ocupação da máquina passa
pela solução de laboração em turnos. Mas estes têm a sua
viabilidade económica condicionada à existência de um
mercado capaz de absorver a produção. Recursos humanos Flexibilidade / Agilidade

Assim, num ambiente altamente competitivo, justifica-se o esforço de engenharia e de organização Futuro
no sentido da redução ou eliminação dos tempos não produtivos (claramente todos excepto o
referente à maquinagem efectiva). Hoje

2
Introdução à Gestão das Operações Introdução à Gestão das Operações
Atributos da competitividade industrial Atributos da competitividade industrial

Características dos atributos tempo, custo, flexibilidade, ambiente e qualidade Características dos atributos tempo, custo, flexibilidade, ambiente e qualidade

A velocidade de produção depende do tempo de cada uma das fases elementares do


O atributo tempo refere-se simultaneamente à: processo de fabrico e dos tempos de espera entre operações sucessivas.

Diferentes componentes de tempo que ao nível fabril constituem o tempo total de


• Velocidade de produção ou cadência de produção, medida em unidades
fabrico:
produzidas por unidade de tempo;
• processo
• Rapidez com que o sistema de concepção e/ou de fabrico consegue responder • preparação da máquina, montagem e ajuste de ferramentas (setup da série de fabrico)
a alterações do produto ou do volume de produção requerido (atributo
• carga e descarga de peças (setup da peça)
Flexibilidade).
• controlo de qualidade
Act. sem valor acrescentado
• movimentação e espera Negociação
Planeamento Act. de valor acrescentado
• outros
Engenharia
Fabrico
Expedição

Tempo total de produção

Introdução à Gestão das Operações Introdução à Gestão das Operações


Atributos da competitividade industrial Atributos da competitividade industrial

Características dos atributos tempo, custo, flexibilidade, ambiente e qualidade Características dos atributos tempo, custo, flexibilidade, ambiente e qualidade

A organização das actividades de


Nos últimos anos o atributo tempo adquiriu a sua segunda dimensão relacionada com a desenvolvimento do produto e de planeamento

rapidez com que a empresa consegue desenvolver novos produtos (ou alterar produtos industrialização do processo, de modo concepção

Convencional
projecto

existentes) e colocá-los no mercado. sequencial e rígido, deixa de ser aplicado projecto detalhado
planeamento dos recursos
sempre que a rapidez de introdução de de fabricação

A redução do tempo de desenvolvimento do produto ou serviço não depende da maior novos produtos é determinante na
concepção do produto
velocidade de produção mas sim da redução do “tempo para o mercado”. competitividade. tempo

concepção do produto
planeamento
A eficácia da concepção de um produto, que seja realizável num sistema produtivo que é
Engenharia Simultânea

concepção redução do tempo


planeado, instalado e testado em simultâneo com o processo de concepção e projecto requesitos
alternativas
projecto para a inovação

detalhado do produto, passou a ser exigida pela necessidade de antecipadamente atingir engenharia simultânea como um projecto geral projecto detalhado

o mercado. princípio de organização baseado na selecção


avaliação componentes

cooperação activa de diferentes planeamento


projecto
optimizado
melhoramentos
no projecto

especialistas com diferentes elaboração


competências e na distribuição pelos planeamento dos recursos de fabricação
aquisição
elementos da equipa das
responsabilidades e tarefas identificadas
para o cumprimento do objectivo comum.

Introdução à Gestão das Operações Introdução à Gestão das Operações


Atributos da competitividade industrial Atributos de competitividade industrial

Características dos atributos tempo, custo, flexibilidade, ambiente e qualidade Características dos atributos tempo, custo, flexibilidade, ambiente e qualidade

A engenharia simultânea, o trabalho em equipa e as ferramentas de engenharia


suportadas nas tecnologias da informação contribuem para a redução efectiva do tempo
Uma possível estruturação básica (que não custos
para a inovação (entendida como a capacidade de colocar no mercado produtos indirectos
a única) das diversas parcelas de custo que de produção
inovadores e competitivos )
contribuem para o custo de produção materiais
custo
Evolução dos tempos de lançamento em directos

fabrico (desenvolvimento do produto e mão de obra custo de


industrialização) directa
Produto Passado Presente Futuro directo
produção
equipamentos
Automóvel 84 meses 24 meses < 18 directos de
meses
Avião comercial 8 - 10 5 anos 2,5 anos engenharia
produção
anos directa

Equipamento 2 anos 6 meses <6 outros


electrónico meses encargos
directos

3
Introdução à Gestão das Operações Introdução à Gestão das Operações
Atributos de competitividade industrial Atributos de competitividade industrial

Características dos atributos tempo, custo, flexibilidade, ambiente e qualidade Características dos atributos tempo, custo, flexibilidade, ambiente e qualidade

Os custos de projecto constituam uma pequena parcela do custo total do produto, da Os parâmetros processuais afectam os custos de produção.
ordem dos 5% a 7%, Em regra, o aumento da taxa de produção poderá aumentar o custo unitário directo, uma
Mas cerca de 75% a 85% desse custo é induzido e pré-determinado na fase de vez que afectará algumas das parcelas de custo atrás referidas.
desenvolvimento do produto.
21 10 Inter-relação dos custos e tempos de
100% 19 Vc - velocidade económica de corte 9 fabrico: o caso do torneamento

Custo de maquinagem (UM)


As decisões de projecto reduzem

Tempo de maquinagem
Vt - velocidade de máxima produção
17 8
os graus de liberdade do 80%
15 7
processo de fabrico e Pré-definição dos custos totais profundidade

(min)
13 6
Custos (%)

de corte
condicionam as alternativas nas 60%
Evolução dos custos
11 5
fases posteriores mais Economia potencial
40% 9 4
operacionais orientadas para o
7 3
aprovisionamento, preparação, 20%
5 2 velocidade
planeamento, fabrico e
150 250 Vc350 450 550 Vt 650 de rotação
montagem. 0% avanço
0 Estudos 2 4Industrialização
6 8 Produção
10 Velocidade de corte (m/min)
Custo T empo

Introdução à Gestão das Operações Introdução à Gestão das Operações


Atributos de competitividade industrial Atributos de competitividade industrial

Características dos atributos tempo, custo, flexibilidade, ambiente e qualidade Características dos atributos tempo, custo, flexibilidade, ambiente e qualidade

passado
Os custos associados à posse de inventários são uma componente importante nos O fabrico Just-in-Time (Produção
custos de produção e, na medida em que são quase sempre considerados custos Magra) como uma abordagem de planeamento planeamento
fabrico

$
( inventário de
da encomenda do fabrico
indirectos, tendem a ser ignorados. melhoria contínua ao sistema M
segurança)

Para minimizar a posse de materiais está em causa reduzir o tempo de ciclo total de produtivo no sentido de identificar e E 18 semanas

produção, considerado como o tempo que decorre desde que as matérias-primas entram eliminar o desperdício R presente
C
no sistema produtivo até que saem para o mercado como produtos acabados. A redução de
planeamento planeamento
D inventários
Os materiais só devem permanecer no sistema o tempo estritamente necessário e Contribui fortemente para a redução O
da encomenda do fabrico

suficiente para serem valorizadas e transformados em produtos acabados. do ciclo total de produção eliminando
actividades sem valor acrescentado
Negociação
Planeamento E como tal contribui para a redução
Engenharia Act. sem valor acrescentado
do custo total de produção fabrico
Fabrico Act. de valor acrescentado (Just-In-Time)
Expedição
$
Tempo total de produção
2 semanas
Potencial de redução do aprovisionamento

tempo de ciclo

Introdução à Gestão das Operações Introdução à Gestão das Operações


Atributos de competitividade industrial Atributos de competitividade industrial

Características dos atributos tempo, custo, flexibilidade, ambiente e Características dos atributos tempo, custo, flexibilidade, ambiente e
qualidade qualidade

Dimensões da flexibilidade ao nível da engenharia e da gestão de operações: Como avaliar a flexibilidade?


• Flexibilidade estratégica: capacidade da empresa mudar a sua estratégia de
negócio (relação produto-processo-mercado) e/ou de produção sem degeneração • Número de inovações introduzidas por unidade de tempo;
significativa no desempenho económico.
• Tempo necessário à transição do estado A para o B do sistema produtivo;
• Flexibilidade de volume: capacidade de variar o volume de produção de um ou
mais produtos sem redução significativa de margens de lucro. • Variação dos custos de produção para uma determinada flutuação do mercado;
• Flexibilidade de gama: capacidade de introduzir e descontinuar produtos e • Medidas de satisfação do cliente;
componentes do mercado, de introduzir modificações nos produtos de modo a inovar, • Evolução da colocação da empresa no mercado (competição pela qualidade versus
a introduzir produtos diferenciados e a explorar oportunidades. competição pelo preço)
• Flexibilidade de “mix”: capacidade de alteração do “mix” de produção de uma
determinada família de produtos (capacidade de aceitar ordens de fabrico em
sequência aleatória).
• Flexibilidade para suportar o mau funcionamento do sistema produtivo e os
erros de previsão.

4
Introdução à Gestão das Operações Introdução à Gestão das Operações
Atributos de competitividade industrial Atributos de competitividade industrial

Características dos atributos tempo, custo, flexibilidade, ambiente e qualidade Características dos atributos tempo, custo, flexibilidade, ambiente e qualidade

Forte pressão para introduzir melhorias contínuas nos produtos e serviços em termos da: Qualidade Total: estratégia e cultura da empresa
funcionalidade, operacionalidade,
fiabilidade, facilidade de manutenção, Fundamentos
disponibilidade, segurança,
• Centralização no Cliente
estética ergonomia ...
Gestão dos Processos
em ciclos de desenvolvimento curtos que garantam o lançamento antecipado no mercado.
• Melhoria Contínua
Envolvimento e Mobilização de Todos
Controlo da Qualidade (controlo por amostragem do produto e controlo estatístico do
processo): conjunto de técnicas e actividades de carácter operacional utilizadas com vista a • Objectivos de Qualidade e Orientação do Progresso
responder às exigências relativas à qualidade
Gestão e Garantia da Qualidade: política de gestão e de implementação de um sistema
de qualidade necessário para assegurar que um produto ou serviço atinge um determinado
nível de qualidade ao custo mínimo

Introdução à Gestão das Operações Introdução à Gestão das Operações


Atributos de competitividade industrial Atributos de competitividade industrial

Características dos atributos tempo, custo, flexibilidade, ambiente e qualidade Características dos atributos tempo, custo, flexibilidade, ambiente e qualidade

Produção
Os impactes ambientais são cada vez mais inaceitáveis, determinando a
implementação de legislação mais restritiva e alavancando os custos inerentes reduzir os impactes ambientais ENERGIA

dos fluxos de energia e MATERIAL RECICLAGEM


à remoção e tratamento dos resíduos de produção, cujo aumento possui DE ENERGIA E
actualmente um impacte significativo nos custos totais de produção. materiais DE MATERIAL

A globalização da competição conduz a imperativos de redução de custos e de


aumento de produtividade, aparentemente numa direcção conflituosa com a PRODUTO RESÍDUOS

pressão exercida no sentido de melhorar o desempenho ambiental.


Reaproveitamento

Reciclagem
O grande desafio é conseguir reduzir os níveis de poluição, de geração de
desperdícios e de consumo de recursos, para níveis compatíveis com a
UTILIZAÇÃO
sustentabilidade do ambiente a longo prazo, minimizando ao mesmo tempo as
reduções de competitividade e de rentabilidade.

depósito de resíduos
GESTÃO DE RESÍDUOS

Introdução à Gestão das Operações Introdução à Gestão das Operações


Atributos de competitividade industrial Atributos de competitividade industrial

Características dos atributos tempo, custo, flexibilidade, ambiente e qualidade Características dos atributos tempo, custo, flexibilidade, ambiente e qualidade

Produção Mais Limpa (PML) Benefícios da Produção Mais Limpa (PML)


aplicação contínua de uma estratégia ambiental, integrada e preventiva, aplicada tanto
a produtos como processos, com o intuito de reduzir os riscos para o Homem e para o Benefícios de cariz económico associados à PML
Ambiente. • Melhoria da produtividade
• Economia de energia e de matérias primas
• Redução de necessidade de armazenar
A PML dirige-se para a:
desperdícios/resíduos e materiais tóxicos
• Redução do consumo de materiais especialmente se não-renováveis; • Redução de responsabilidades
• Selecção de novos materiais com funcionalidades equivalentes mas com • Redução de custos de controlo de poluição
menor impacto ambiental; • Foco na melhoria contínua
• Redução ou eliminação de consumíveis; • Força de trabalho motivada
• Prevenção da poluição eliminando as suas causas; • Melhores condições de saúde e de segurança
• Promoção da reciclagem interna; • Imagem pública melhorada
• Domínio tecnológico dos processos no sentido de os desenvolver e explorar
majorando a sua eficiência.

5
Introdução à Gestão das Operações Introdução à Gestão das Operações
Atributos de competitividade industrial Funç
Função da Gestão de Operaç
Operações

Características dos atributos tempo, custo, flexibilidade, ambiente e qualidade

Exemplo da alteração de elementos de liga para redução dos impactos A função gestão de operações pode ser considerada como as actividades de gestão de
um sistema integrado que, a partir de um conjunto de “inputs”, os transforma,
Sabe-se que os latões utilizados em componentes em contacto com a água, sofrem processos de acrescentando-lhes valor de forma a que sejam desejáveis para um consumidor.
deszincificação e a água é contaminada com o chumbo constituinte. Os latões do tipo 60/40 possuem
um teor em chumbo entre 1 e 2% com o objectivo de melhorar a maquinabilidade da liga. Os corpos de
contadores de água, válvulas, torneiras e outros acessórios para canalizações são normalmente
Inputs
vazados em coquilha metálica ou em moldação de areia e são posteriormente acabados por (Capital, Trabalho,
Função operações Outputs
Informação, (sistema produtivo) (Bens e Mercado
maquinagem o que justifica a preocupação na utilização de uma liga de corte fácil. A Directiva 80/778, Mercado
Equipamento, Energia, Transformação Serviços)
EEC regulou e reduziu os níveis de chumbo permitidos nos sistemas Europeus de água potável. Outro Materiais)
F in g
dos problemas associados à deszincificação deste tipo de ligas é a consequente perda de resistência an tin
ça rke
mecânica do material. Consideradas as condições de serviço deste tipo de produtos, facilmente se s Ma
compreende o interesse industrial em reduzir a deszincificação. Após um intenso esforço de I&D foi
possível reduzir o teor em chumbo destas ligas sem perda significativa da maquinabilidade, surgindo
como elemento de liga alternativo, para assegurar a maquinabilidade, o bismuto.

Introdução à Gestão das Operações


Planeamento estratégico Informação externa
da produção Funç
Função da Gestão de Operaç
Operações

Informação do
planeamento estratégico

Informação da procura
Planeamento agregado
da produção Informação técnica

Plano agregado da Planeamento do


produção processo

Planeamento da Gamas de fabrico


produção é i

Plano de Plano director de


produção produção

Plano de necessidades
de produção

Plano de cargas
detalhadas

Escalonamento da
produção

Lançamento em fabrico

Informação de
resultados de produção

Controlo da produção Informação do controlo


da produção