Você está na página 1de 13

30/11/2021

Ventilação Mecânica

VENTILAÇÃO MECÂNICA
NÃO INVASIVA (VNI)

Aline Almeida Gulart


Fisioterapeuta na UTI do Hospital Universitário Polydoro Ernani de São Thiago (HU-UFSC)
Doutora em Ciências do Movimento Humano – UDESC
Especialista em Fisioterapia em Terapia Intensiva Adulto - ASSOBRAFIR/COFFITO
Especialista em Fisioterapia Respiratória - ASSOBRAFIR/COFFITO
Coordenadora Científica da Regional SC - ASSOBRAFIR

DEFINIÇÃO
Aplicação de suporte ventilatório sem utilização de via aérea
artificial (TET, TQT), sendo a conexão entre o paciente e ventilador
por meio de uma interface

INSUFICIÊNCIA INSUFICIÊNCIA
RESPIRATÓRIA AGUDA RESPIRATÓRIA CRÔNICA

INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA
CRÔNICA AGUDIZADA

Barbas et al, J Bras Pneumol 40(4), 2013; Lamba et al, Crit Care Nurs Q 39(2):85-93, 2016

DEFINIÇÃO

1
30/11/2021

OBJETIVOS
Corrigir/amenizar hipoxemia
Corrigir/amenizar acidose respiratória
Aliviar o trabalho da musculatura respiratória
Reverter ou evitar a fadiga muscular respiratória
Prevenir a IOT e a TQT, reduzindo os riscos de pneumonia nosocomial
e lesões traqueais

Barbas et al, J Bras Pneumol 40(4), 2013

INDICAÇÕES

ERS/ATS, Eur Respir J 50:1602426, 2017

INDICAÇÕES
SÍNDROME DA APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO

Barbas et al, J Bras Pneumol 40(4), 2013

2
30/11/2021

INDICAÇÕES
VNI E EXERCÍCIO FÍSICO

Vitacca & Ambrosino, Respiration 97:3-11, 2019

INDICAÇÕES
TRE

Falha no TRE VNI FACILITADORA


Recomendada em DPOC PaCO 2 >
45mmHg

TRE bem VNI PREVENTIVA


sucedido Recomendada em pacientes com
fatores de risco para falência
respiratória

IResp VNI CURATIVA


Evidência de benefícios apenas em
pacientes cirúrgicos
Adaptado de Ferreyra et al, Minerva Anestesiol 77:921-6, 2011

INDICAÇÕES
VNI PROFILÁTICA
Hipercapnia
Insuficiência cardíaca congestiva
Tosse ineficaz ou secreção retida em vias aéreas
Mais do que um fracasso no TRE
Mais do que uma comorbidade
Obstrução das vias aéreas superiores
Idade > 65 anos
Aumento da gravidade (APACHE >12 no dia da extubação)
Tempo de ventilação mecânica > 72 horas
Paciente portador de doenças neuromusculares
Pacientes obesos
Barbas et al, J Bras Pneumol 40(4), 2013

3
30/11/2021

CONTRAINDICAÇÕES
ABSOLUTAS RELATIVAS

v Necessidade de IOT de v RNC, sonolência, agitação,


emergência ansiedade, intolerância
v Parada cardíaca ou v Instabilidade HMD, choque
respiratória (PAS < 90mmHg)
v Traumas cranianos e de
face e lesões de VAS
v Incapacidade de proteção
das VAS

Barbas et al, J Bras Pneumol 40(4), 2013; Schettino et al, J Bras Pneumol 33(Supl 2):S92-S105, 2017

10

CONTRAINDICAÇÕES
ABSOLUTAS RELATIVAS

v Necessidade de IOT de v Distensão abdominal,


emergência náuseas e vômitos
v Parada cardíaca ou v Infarto agudo do miocárdio
respiratória
v Risco de aspiração
v Anastomose de esôfago

Barbas et al, J Bras Pneumol 40(4), 2013; Schettino et al, J Bras Pneumol 33(Supl 2):S92-S105, 2017

11

CONTRAINDICAÇÕES
ABSOLUTAS RELATIVAS

v Necessidade de IOT de v Hemorragia digestiva alta


emergência
v Encefalopatia grave –
v Parada cardíaca ou
ECG < 10
respiratória

Barbas et al, J Bras Pneumol 40(4), 2013; Schettino et al, J Bras Pneumol 33(Supl 2):S92-S105, 2017

12

4
30/11/2021

VENTILADORES

13

VENTILADORES
CONVENCIONAIS ESPECÍFICOS
v Circuitos duplos v Circuito único
v Programas específicos de v Orifício de exalação
VNI
v Tolerância a vazamentos
v Compensação automática v Fonte externa de O2
de vazamento
v FiO2 pode ser ajustada no
próprio ventilador

14

VENTILADORES
CONVENCIONAIS ESPECÍFICOS
v A/C v Timed (T)
v SIMV v Spontaneous/Timed (S/T)
v PSV v Spontaneous (S)
v CPAP v CPAP

15

5
30/11/2021

cmH2O
PPico = 20 20 IPAP = 20
---
---
---
---
---
DELTA = PS = 15 ---
---
---
---
---
---
---
---
---
---

PEEP = 5 5 EPAP = 5

16

MODOS VENTILATÓRIOS
Bilevel / PSV CPAP
v Dois níveis de pressão v Um nível de pressão
v PEEP = EPAP
v PPico = IPAP
v PS = IPAP - EPAP

17

MODOS VENTILATÓRIOS
Bilevel / PSV CPAP
v Dois níveis de pressão v Um nível de pressão
v PEEP = EPAP
v PPico = IPAP
v PS = IPAP - EPAP

Nunca pode ser menor do


que o EPAP

18

6
30/11/2021

MODOS VENTILATÓRIOS
Bilevel / PSV CPAP
v Dois níveis de pressão v Um nível de pressão
v PEEP = EPAP
v PPico = IPAP
v PS = IPAP - EPAP

A diferença irá determinar


o volume

19

MODOS VENTILATÓRIOS
Bilevel / PSV CPAP
v Dois níveis de pressão v Um nível de pressão
v PEEP = EPAP
v PPico = IPAP
v PS = IPAP - EPAP

Titulados para um volume


de 6 a 8 ml/kg e FR <30rpm

20

MODOS VENTILATÓRIOS
Bilevel / PSV CPAP
v Dois níveis de pressão v Um nível de pressão
v PEEP = EPAP v PEEP = EPAP
v PPico = IPAP
v PS = IPAP - EPAP

↑ da troca gasosa
↑Va ↑ da troca gasosa s/ auxílio inspiratório
auxílio inspiratório específico

21

7
30/11/2021

INTERFACES
Almofada nasal / Pronga nasal
Máscara nasal
Máscara oral
Máscara oronasal / facial
Peça bucal
Máscara facial total / Total face / Full face
Capacete / Helmet face

Barbas et al, J Bras Pneumol 40(4), 2013

22

PRONGA NASAL

23

MÁSCARA NASAL

24

8
30/11/2021

MÁSCARA ORAL

25

MÁSCARA ORONASAL / FACIAL

26

PEÇA BUCAL

27

9
30/11/2021

MÁSCARA FACIAL TOTAL / TOTAL FACE

28

MÁSCARA FACIAL TOTAL / TOTAL FACE

29

CAPACETE / HELMET

30

10
30/11/2021

2016;315(22):2435-2441

31

VÁLVULA EXALATÓRIA

32

COMPLICAÇÕES

v Necrose de pele

v Irritação ocular
v Sangramento nasal

v Distensão abdominal (aerofagia)

v Ressecamento nasal, oral e conjuntivo

Barbas et al, J Bras Pneumol 40(4), 2013; Schettino et al, J Bras Pneumol 33(Supl 2):S92-S105, 2017

33

11
30/11/2021

SINAIS DE SUCESSO
Resposta no período entre 30min - 2h
↓ FR
↓ PaCO2 ↑ VC

↑ SaO2 ↑ PaO2

↑ Nível de ↓ Uso mm
consciência acessórios
Barbas et al, J Bras Pneumol 40(4), 2013; Schettino et al, J Bras Pneumol 33(Supl 2):S92-S105, 2017

34

SINAIS DE INSUCESSO
Resposta no período entre 30min - 2h
v Necessidade de FiO2 > 60%

v Queda rápida da oxigenação (SpO2 < 90%) após a retirada da máscara

v Ausência de melhora do quadro

NUNCA PROLONGAR O TEMPO PARA A IOT EM PACIENTES


QUE EVOLUEM COM INSUCESSO

Barbas et al, J Bras Pneumol 40(4), 2013; Schettino et al, J Bras Pneumol 33(Supl 2):S92-S105, 2017

35

FATORES ASSOCIADOS À FALHA


VC > 9 ml/kg de peso predito
VM > 11 L/min
HACOR score > 5 após 1h

FC pH Glasgow PaO2/FiO2 FR
< 121 0 ≥ 7,35 0 15 0 ≥ 201 0 ≤ 30 0
≥ 121 1 7,30 – 7,34 2 13 - 14 2 176 - 200 2 31 - 35 1
7,25 – 7,29 3 11 - 12 5 151 - 175 3 36 - 40 2
< 7,25 4 ≤ 10 10 126 - 150 4 41 - 45 3
101 - 125 5 ≥ 46 4
≤ 100 6

Frat et al, Crit Care Med 46: 208-215, 2018


He et al, Crit Care, 23:300, 2019
Duan et al, Int Care Med 43:192-9, 2017

36

12
30/11/2021

Paciente F.L.S., sexo F, 1,63m, interna na emergência por exacerbação aguda


(EA) da DPOC, com quadro de tosse produtiva com escarro purulento e dispneia
aos mínimos esforços. No momento, apresentando FR de 32 rpm, SpO 2 80%
com CNO 2 3L/min, tiragens intercostais e uso de musculatura acessória da
respiração + retração de fúrcula e rebaixamento do nível de consciência - RNC
(ECG = 10). A gasometria revelou o seguinte resultado:

pH = 7,32
PaCO2 = 65 mmHg
PaO2 = 58 mmHg
SaO2 = 87%
BIC = 33 mEq/L
BE = 7

37

a) Devido ao RNC este paciente apresenta contraindicação absoluta para o uso da


VNI, sendo, portanto, necessário considerar a IOT.
b) O uso da VNI é indicado para todos os pacientes com EA da DPOC,
independente da presença de contraindicação.
c) Este paciente apresenta fortes indicações de VNI como primeiro recurso: EA da
DPOC; FR > 25rpm; aumento do trabalho respiratório; insaturação com FiO2 >
30%; RNC (ECG = 10).
d) O RNC pode ser devido à hipercapnia e pode ser revertido ou atenuado com a
aplicação do modo BIPAP neste paciente. Se o ventilador de escolha for o
portátil, o volume corrente dependerá da diferença entre IPAP-EPAP, que
deverá ser titulada para manter um VC de 330 - 440ml. Para atenuar a
hipercapnia e reverter a consequente acidose, pode-se titular um volume mais
próximo de 440ml. O EPAP pode ser titulado um pouco acima de 6cmH2O para
melhorar a troca gasosa e reverter a hipoxemia, uma vez que somente o
aumento da FiO2 pode não ser suficiente para este quadro.

38

13

Você também pode gostar