Você está na página 1de 4

PORTUGUÊS — Prof.

Luis Tavares
AULA 08
Pronomes indefinidos: referem-se à 3.ª pessoa,
PRONOMES com sentido vago ou quantidade indeterminada:
Ninguém chegou ainda / Uns vieram, outros não
/ Tinham pouco dinheiro, mas compraram muitas
- São palavras que substituem substantivos ou coisas. / Quantas pessoas morrem de fome no
adjetivos, ou os situam no discurso.
mundo! / Cada um entende o que quer.
-
- Mantêm relação de concordância com os
Pronomes interrogativos: São os indefinidos que,
termos a que se referem.
quem, qual e quanto, quando empregados em
frases interrogativas: Quem veio aqui? / O que
Pronomes substantivos: ocupam lugar de
você está fazendo?
substantivo na frase: eu, eles, isto, o, lhe.
Pronomes relativos: são os que normalmente se
Pronomes adjetivos: ocupam posição de adjetivo referem a um termo anterior (antecedente),
na frase: meu carro, esta casa.
ligando duas orações: O rapaz de quem lhe falei
está aqui. / Farei tudo quanto puder para ajudá-
Pronomes pessoais: designam as pessoas do
lo. / Esta rua, cujas casas são tortas, é histórica.
discurso.
/ O relatório segundo o qual a firma faliu foi
- Caso reto: conjugam verbos, funcionam como
divulgado. / Quem com ferro fere com ferro será
sujeito e predicativo: eu, tu ele, nós, vós, eles
ferido. (sem antecedente = relativo universal).
- Caso oblíquo: funcionam como complemento:
me, te, se, nos, vos, o, lhe (átonos — sem
Contrações de pronomes pessoais:
preposição); mim, ti, si, ele, nós, vós (tônicos a) lhe + o = lho (Não darei o presente à garota
— com preposição).
Æ Não lho darei).
- Pronomes de tratamento: referem-se à 2.ª
b) me + o = mo (Ele ainda não mo deu).
pessoa, mas estabelecem relações de
c) te + o = to (Não to darei).
concordância em 3.ª pessoa.
você tratamento familiar
Combinações e ocorrência simultânea de
o senhor tratamento formal
pronomes pessoais oblíquos:
Vossa/Sua políticos, altas patentes
Excelência militares a) vos + o = vo-lo Æ Este presente, não vo-lo
Vossa/Sua reitores darei.
Magnificência b) nos + o = no-lo Æ Então não no-lo dê.
Vossa/Sua alguns oficiais militares, c) o pronome se não se combina, então:
Senhoria funcionários graduados, pessoas - A porta se lhes abrirá.
de cerimônia - Adite-se-lhe o seguinte artigo.
a gente informal - Dar-se-vos-á uma oportunidade.

Pronomes possessivos: indicam posse: meu, teu, COLOCAÇÃO PRONOMINAL


seu, nosso, vosso, deles. O pronome lhe, ainda
Há três posições possíveis para o pronome
que pessoal, pode indicar posse: O rapaz beijou-
oblíquo átono, no português:
lhe os lábios. (lhe=dela)
- Próclise: me deu, lhe fiz, o chamei.
Pronomes demonstrativos: indicam a posição dos
seres em relação às pessoas do discurso: Este
- Ênclise: deu-me, fiz-lhe, chamei-o.
livro / Esse livro / Aquele livro é meu. Isto, isso,
aquilo, mesmo, próprio, semelhante, tal. É ainda
- Mesóclise: Dar-se-á, Votar-se-ia, Ir-me-ei.
demonstrativo o pronome o, nos casos: O político
prometeu construir novas escolas, mas até hoje
não o fez / Os homens de extraordinários
Casos em que se usa próclise
talentos são ordinariamente os de menor juízo.
Na língua culta moderna, evita-se o uso do
- Opcionalmente, à exceção das formas verbais
pronome mesmo substantivado, em referência a
que iniciem períodos, casos em que se usará a
outro substantivo: “Antes de entrar no elevador,
ênclise ou a mesóclise.
verifique se o mesmo encontra-se neste andar”.
Venâncio 2000 — Bloco B-50 — 7.º andar — Brasília – DF Telefone/Fax: (61)3274-2401
1
PORTUGUÊS — Prof. Luis Tavares
c) Em se tratando de projetos sociais, este país
- Obrigatoriamente, quando houver fator de ainda carece de amadurecer.
próclise ou palavra atrativa:
a) palavras de valor negativo, interrogativo ou
indefinido; CLASSIFICAÇÕES DA PALAVRA SE
b) verbo em oração subordinada, sobretudo
próximo à conjunção; A palavra se pode desempenhar diversos papéis
c) verbo na forma de particípio, caso em que a sintáticos e morfológicos. Identifique, a seguir, a
ênclise é proibida; classe e a função do se em cada frase.
d) em frases optativas mais ou menos fixas.
a) O garoto machucou-se durante o jogo.
Exemplos:
a) Não lhe dei direito de falar aqui. b) Ela não se interessa por futebol.
b) Jamais o vi aqui.
c) O relatório diz que se encontraram c) Os namorados beijavam-se
irregularidades no processo. apaixonadamente.
d) Partiremos quando nos chamarem.
e) O colega tinha se dado bem com o chefe. d) Ele nunca se arrependia de seus atos.
f) O relatório questiona se se trata das mesmas
despesas. e) Nunca se viu nada igual naquela cidade.
g) Deus o abençoe. / Bons ventos o levem.
(mas Valha-me Deus). f) Quando se grita, perde-se a razão.

Casos em que se usa a ênclise g) Fui à porta verificar se a carta havia


chegado.
No português do Brasil, usa-se obrigatoriamente
a ênclise apenas em início de frase, quando o h) Só entrego o trabalho se o pagamento for
verbo não for de tempo futuro, caso em que se feito antecipadamente.
usa a mesóclise. Nos demais usos, se não houver
fator de próclise ou palavra atrativa, a ênclise é
opcional, mais comumente usada em textos CLASSIFICAÇÕES DA PALAVRA QUE
escritos formais.
Faça o mesmo em relação à palavra que.
a) Antes de entrar no elevador, verifique se o
mesmo encontra-se parado neste andar.
a) Acho que o time não jogou bem.
b) Vive-se bem naquela cidade.
c) Parecia-lhe que fora desrespeitado.
b) Desde que você chegou, minha vida mudou.
Casos em que se usa a mesóclise:
c) O trabalho de que lhe falei é muito bom.
Usa-se mesóclise obrigatoriamente apenas em
d) Este processo é que vai demorar muito.
início de período, quando os verbos estiverem em
formas de futuro, no indicativo. Os demais usos
e) Não sei que fazer com este dinheiro.
são desaconselhados em textos modernos.
a) Realizar-se-á uma investigação.
f) Por que você não sai um pouco?
b) Escrever-lhe-ia, se não me faltasse o tempo.
c) Reunir-nos-íamos naquela sala, mas faltou luz.
d) Far-se-á um belo trabalho.
e) Após a análise, elaborar-se-á um parecer.

Com locuções verbais:

a) Os deputados se tinham reunido para votar a


pauta.
b) O rapaz poderá se lembrar sempre deste dia.
Venâncio 2000 — Bloco B-50 — 7.º andar — Brasília – DF Telefone/Fax: (61)3274-2401
2
PORTUGUÊS — Prof. Luis Tavares
EXERCÍCIOS

1) CGU 2008

Qualquer que seja o efeito prático desses


fatores sobre as exportações brasileiras
para o mercado americano, o governo
brasileiro pouco ou nada poderá fazer
para contê-los.

Em “contê-los”, “-los” retoma o antecedente


“fatores”.
4) MRE 2002
2) MP/ENAP/SPU 2006

a) Em “tranformá-los” (l.7), a forma


pronominal “-los” retoma a idéia explicitada
em “outros indivíduos”.

b) Em “o que se combate” (l.7 e 8), o termo “o”


pode, sem prejuízo gramatical para o
período, ser substituído pelo pronome
aquilo.

3) MP/ENAP/SPU 2006

Venâncio 2000 — Bloco B-50 — 7.º andar — Brasília – DF Telefone/Fax: (61)3274-2401


3
PORTUGUÊS — Prof. Luis Tavares
6) MPOG 2003

5) MPOG 2003

Ao contrário da generalização teórica de


que mercados tendem a um equilíbrio
entre procura e oferta, a partir do qual
todos os agentes teriam apenas de reiterar
a mesma conduta para continuar
participando da divisão social do trabalho,
a realidade histórica indica que os
mercados apenas passam de um
desequilíbrio a outro.

A expressão “do qual” está sintaticamente


articulada e refere-se a “contrário”.

GABARITO:
1- CERTO
2- CERTO e CERTO
3- A
4- B
5- ERRADO
6- C

Venâncio 2000 — Bloco B-50 — 7.º andar — Brasília – DF Telefone/Fax: (61)3274-2401


4

Você também pode gostar