Você está na página 1de 9

Como calcular a espessura mínima de

um tampo semielíptico
conforme Código ASME Seção VIII Divisão 1
Como calcular a espessura mínima de
um tampo semielíptico
conforme Código ASME Seção VIII Divisão 1

DEFINIÇÕES
𝐷 : Diâmetro interno
ℎ1 : Espessura da parte reta do tampo
ℎ2 : Altura interna do tampo sem a parte reta, ou seja, o semieixo
menor da elipse
𝐿 : Raio interno da região esférica
𝑟 : Raio de junção
𝑡 : Espessura mínima para pressão interna
𝑡𝑚𝑖𝑛 : Espessura mínima requerida
𝑒 : Perda de espessura por conformação
𝑡𝑠 : Espessura mínima especificada, após conformação do tampo.
𝑡𝑠 deve ser ≥ 𝑡
𝑐 : Sobre espessura de corrosão
𝑆 : Tensão admissível
𝐸 : Eficiência da junta
𝑃 : Pressão Interna
𝐾 : Fator dependente da proporção 𝐷Τℎ2 do tampo semielíptico
Como calcular a espessura mínima de
um tampo semielíptico
conforme Código ASME Seção VIII Divisão 1

CONSIDERAÇÕES
Válido apenas para pressão interna.
O cálculo da espessura mínima conforme UG-16(b) e as verificações
do App. 1-4(f) não estão considerados.
Esse método não pode ser utilizado para verificar pressão externa.

Os valores de tensão de tração máxima admissível (S) para diferentes


materiais são fornecidos pela norma ASME BPVC Section II, Part D,
Subpart 1.

Conversão unidades de pressão:


1 bar = 0,1 MPa
1 kgf/cm² = 0,0980665 MPa
1 psi = 0,00689476 MPa

Eficiência das juntas de acordo com UW-12.


Como calcular a espessura mínima de
um tampo semielíptico
conforme Código ASME Seção VIII Divisão 1
Espessura mínima para pressão interna de um tampo semielíptico ASME
2:1, com 𝑡𝑠 Τ𝐿 ≥ 0,002 após a conformação, por UG-32(c):

𝑃×𝐷
𝑡=
2 × 𝑆 × 𝐸 − 0,2 × 𝑃

Onde:
𝐷 = 4 × ℎ2

Uma aproximação aceitável para o tampo semielíptico 2:1 é um tampo


torisférico com:
𝑟 = 0,17 × 𝐷
𝐿 = 0,90 × 𝐷

Espessura mínima requerida


𝑡𝑚𝑖𝑛 = 𝑡 + 𝑒
NOTA: Considera-se usualmente a perda de espessura por conformação igual a 20% da
espessura nominal (bitola) da chapa utilizada.
Para um valor mais preciso, consulte o fabricante do tampo.
Como calcular a espessura mínima de
um tampo semielíptico
conforme Código ASME Seção VIII Divisão 1
Espessura mínima para pressão interna de um tampo semielíptico ASME
genérico com 𝑡𝑠 Τ𝐿 ≥ 0,002 após a conformação, por App 1-4(c):
𝑃×𝐷×𝐾
𝑡=
2 × 𝑆 × 𝐸 − 0,2 × 𝑃
Onde:
2
1 𝐷
𝐾 = × 2+
6 2 × ℎ2

Para a relação de semieixos mais comum 2:1, K é igual a 1. Mas a relação


pode variar entre 1:1 a 3:1. Veja a tabela 1-4.1:

Espessura mínima requerida


𝑡𝑚𝑖𝑛 = 𝑡 + 𝑒
NOTA: Considera-se usualmente a perda de espessura por conformação igual a 20% da
espessura nominal (bitola) da chapa utilizada.
Para um valor mais preciso, consulte o fabricante do tampo.
Como calcular a espessura mínima de
um tampo semielíptico
conforme Código ASME Seção VIII Divisão 1
Exemplo:
Um vaso de pressão é construído do material SA 285 Gr. C e tem um
diâmetro interno de 1000mm. Determine a espessura nominal do
tampo semielíptico ASME 2:1, que deverá ser projetado para operar
nas seguintes condições:

Juntas do Tipo 1, sem


Inspeção radiográfica:
𝐸 = 0,7

➢ Pressão Interna de Projeto = 0,50 MPa


➢ Pressão hidrostática máxima = 0,02 MPa
➢ Temperatura de Projeto = 250 °C
➢ Corrosão = 1,5 mm
➢ Perda por conformação = 2,0 mm
Como calcular a espessura mínima de
um tampo semielíptico
conforme Código ASME Seção VIII Divisão 1
Resolução:
As tensões admissíveis do SA-285 Gr. C estão tabuladas nas páginas
12 a 15, linha 3, da tabela 1A (ASME BPVC.II.D.M-2019).
𝑆250 °𝐶 = 108 𝑀𝑃𝑎

Pressão Interna do Projeto


𝑃 = 𝑃𝑖 + 𝑃𝑠 = 0,50 + 0,02 = 0,52 𝑀𝑃𝑎
Onde:
𝑃 : Pressão interna total [MPa]
𝑃𝑖 : Pressão interna de projeto [MPa]
𝑃𝑠 : Pressão hidrostática [MPa]

Geometria do Tampo – Parte Reta


𝐷𝑛𝑜𝑣𝑜 1000
𝑅= +𝑐 = + 1,5 = 501,5 𝑚𝑚
2 2
Onde:
𝑅 : Raio interno corroído [mm]
𝐷𝑛𝑜𝑣𝑜 : Diâmetro interno novo [mm]
𝑐 : Sobre espessura de corrosão [mm]
Como calcular a espessura mínima de
um tampo semielíptico
conforme Código ASME Seção VIII Divisão 1
Resolução:
Geometria do Tampo – Parte Abaulada
A altura interna do tampo semielíptico novo é obtido da seguinte forma:
𝐷𝑛𝑜𝑣𝑜 2 𝐷𝑛𝑜𝑣𝑜 1000
= ֜ ℎ2𝑛𝑜𝑣𝑜 = = = 250 𝑚𝑚
2ℎ2𝑛𝑜𝑣𝑜 1 4 4

As dimensões do tampo após corrosão total são calculadas da seguinte maneira:


𝐷 = 𝐷𝑛𝑜𝑣𝑜 + 2 × 𝑥 = 1000 + 2 × 1,5 = 1003 𝑚𝑚
ℎ2 = ℎ2𝑛𝑜𝑣𝑜 + 𝑐 = 250 + 1,5 = 251,5 𝑚𝑚

Espessura Mínima – Parte Reta


𝑃×𝑅 0,52 × 501,5
𝑡1 = = = 3,463 𝑚𝑚
𝑆 × 𝐸 − 0,6 × 𝑃 108 × 0,7 − 0,6 × 0,52
𝑃×𝑅 0,52 × 501,5
𝑡2 = = = 1,722 𝑚𝑚
2 × 𝑆 × 𝐸 + 0,4 × 𝑃 2 × 108 × 0,7 + 0,4 × 0,52
𝑡 = 𝑚𝑎𝑖𝑜𝑟 𝑡1 , 𝑡2 = 𝑚𝑎𝑖𝑜𝑟 3,463 , 1,722 = 3,463 𝑚𝑚

𝑡𝑚𝑖𝑛 = 𝑡 + 𝑐 = 3,463 + 1,500 = 4,963 𝑚𝑚


Como calcular a espessura mínima de
um tampo semielíptico
conforme Código ASME Seção VIII Divisão 1
Resolução:
Espessura Mínima – Parte Abaulada
2 2
1 𝐷 1 1003
𝐾 = × 2+ = × 2+ = 0,996
6 2 × ℎ2 6 2 × 251,5

𝑃×𝐷×𝐾 0,52 × 1003 × 0,996


𝑡= = = 3,459 𝑚𝑚
2 × 𝑆 × 𝐸 − 0,2 × 𝑃 2 × 108 × 0,7 − 0,2 × 0,52
𝑡𝑚𝑖𝑛 = 𝑡 + 𝑐 + e = 3,459 + 1,500 + 2,000 = 6,959 𝑚𝑚

Espessura Nominal do Tampo


A espessura nominal a ser adotada deve ser maior ou igual a maior
espessura mínima requerida:
𝑡𝑛 ≥ 𝑡𝑚𝑖𝑛 = 6,959 𝑚𝑚
A chapa comercial, em milímetros, com espessura imediatamente
superior a 6,959 𝑚𝑚 é igual a:
𝑡𝑛 = 8,00 𝑚𝑚

Você também pode gostar