Você está na página 1de 6

INTRODUÇÃO

Se você trabalha em um negócio de alimentação, já deve ter se deparado com um


ambiente muito quente não é mesmo?
Ambientes fechados acumulam calor produzido pelo aquecimento do telhado e pelos
processos internos do estabelecimento comercial.

Isso pode ocorrer devido à falta de um sistema de ventilação instalado, por falha do
equipamento ou até mesmo se o projeto não estiver adequado para realidade do local.

Durante a confecção dos alimentos são liberados gases, vapores e odores que devem ser
captados e tratados para que ocorra a troca de ar, deixando o ambiente mais confortável.

No entanto, porém, o dimensionamento incorreto dos ventiladores tem acarretado


grandes consequências dentre elas a queima do motor ventilador o que por sua vez
afeta o sistema de ventilação acarretando assim baixa produtividade para o negócio,
além de prejuízos devido ao excesso de temperatura como condensação, umidade,
vapores, odores, fumaça, mofo, entre outros poluentes. Mas o que é ventilação?

1
Significado de Ventilação

A ventilação é um termo que define a renovação do ar em qualquer ambiente. Este


processo pode ocorrer natural ou artificialmente.
O processo de ventilação de um ambiente fechado consiste na constante circulação do
ar. Tal circulação pode ocorrer apenas internamente ou através de trocas entre o ar
interno e o externo. Ao ventilar um local, o objetivo é que o ar circule e que a
temperatura ambiente esteja estável.
Existem duas formas principais de se ventilar um ambiente: natural e artificialmente.
A ventilação natural consiste na entrada de correntes de ar no ambiente através da
diferença de pressão ou de temperatura que move o vento. Para que ocorra esta troca de
ar, é preciso estudar o bioclima da região e estruturar um projeto de arquitetura que
possibilite uma ventilação eficaz. As principais técnicas utilizadas são a ventilação
cruzada, ventilação natural induzida e o efeito chaminé. Já a forma artificial de
ventilar o ambiente consiste na instalação de equipamentos que façam a troca mecânica
do ar, como o ar-condicionado e o ventilador.
Deve ser usado o Sistema de Exaustão que irá captar, tratar, conduzir os vapores e gases
da cozinha para a atmosfera, e o Sistema de Insuflamento de Ar Externo que fará a
reposição do ar exaurido pelo sistema de exaustão.

Quando o ambiente de trabalho não oferece conforto térmico natural deve ser realizado
por meio artificial, como, ventiladores, circuladores, exaustores e coifas. Entretanto
deve-se ter alguns cuidados na escolha dos ventiladores ou exaustores para que se
prolongue a vida útil dos mesmo e possam cumprir o seu objetivo.

2
Causa da queima dos motores

A elevada temperatura é o fator principal na queima dos motores. Os motores devem


obedecer e suportar apenas as temperaturas pré-estabelecidas pelos fabricantes.

Segundo a primeira lei da Termodinâmica ► Energia é conservada – ela pode ser


transformada, mas não pode ser criada ou destruída.

Q=∆E+W

Portanto o motor elétrico ao efetuar trabalho mais a diferencia de Energia, produz


aquecimento, calor este que é dissipado pela carcaça e sua vizinhança. Se não tivermos
em conta o limite máximo de calor suportado por este motor elétrico, mais o calor
produzido pelo forno ou fogão industrial, ocasionara altas temperaturas e
consequentemente a queima do motor elétrico, uma vez que o ar aspirado incide
diretamente ao motor elétrico no caso do ventilador conforme podemos observar na
figura 1.

Fig 1. Motor ventilador em caixa. Fig. 2. Dados do Ventilador

Conforme podemos confirmar nos dados recolhidos; TROIA é um ventilador centrifugo


de modelo DTC 15.15, com um motor integrado de 3.00 kW, com uma velocidade
máxima de 1200 rpm, potência máxima de 5.0 kW, e com um nível de eficiência de (N)
42.2, feito para funcionar em ambientes até 60ºC. Logo, não é um ventilador para altas

3
temperaturas e esses fatores, como a escolha errada e o mal dimensionamento, têm
levado a queima dos motores.

O incumprimento destes padrões tem levado a estas consequências conforme as figuras


a seguir.

Fig. 3

Fig. 4,5. Ventilador inadequado para a exaustão de altas temperaturas.

4
Solução para a queima dos motores elétricos

Os ventiladores de extração de altas temperaturas devem ser ventiladores com motores


elétricos para alta temperaturas e de preferência acoplados fora da caixa. A figura a
seguir nos dá uma ideia destes tipos de ventiladores.

Fig. 6

Ventilador
Revestimento em chapa de aço.
Turbina com pás em chapa de aço galvanizado.
Fecho que permite extrair o corpo de forma fácil e rápida.
Caixa de bornes externa.

Motor
Motor com rolamentos de esferas de longa duração, Proteção IPX4.
Monofásicos 220-240V. 50Hz

5
Temperatura de funcionamento: -10°C +250°C

Acabamento
Anticorrosivo com pintura ignífuga.

Estes sim são ventiladores propício para estes tipos de instalações.

Mas devido ao alto custo destes ventiladores, iremos reaproveitar a estrutura do


ventilador antigo (TROIA) e adquiriremos um novo motor elétrico com as caraterísticas
acima mencionadas, e instalaremos fora da caixa, fixado em um suporte pré-fabricado
interligado por uma correia.

Desde modo solucionaremos o problema uma vez que as altas temperaturas não
incidirão diretamente ao motor elétrico.

Você também pode gostar