Você está na página 1de 2

RESUMO HISTÓRIA – A CRISE DE 1929 E A ASCENSAO DO TOTALITALISMO

O que aconteceu: Os países europeus conseguiram, até o final dos anos 1920, reconstruir as próprias
economias e indústrias. Consequentemente, passaram a importar menos dos Estados Unidos. No entanto, a
economia estadunidense estava adaptada àquele patamar altíssimo de produção. A consequência foi uma
superprodução de bens que causou a crise de 1929. Assim, em 1929 ocorreu a quebra da Bolsa de Valores de
Nova York, quando as ações das empresas estadunidenses sofreram uma queda brusca, e muitas empresas
faliram. Consequentemente, a produção industrial caiu pela metade e ocorreram demissões em massa, o que
levou o desemprego a atingir cerca de 15 milhões de pessoas, dando origem ao período de crise conhecido
como Grande Depressão, que adentrou a década de 1930.

Observe a cadeia de relações entre Primeira Guerra Mundial, destruição dos países europeus, crescimento da
economia estadunidense baseada na demanda europeia, diminuição dessa demanda no final da década de
1920 e, finalmente, o estouro da crise de 1929, uma crise capitalista de superprodução.

A crise para além dos Estados Unidos: O impacto da crise foi mundial, já que investidores dos mais diversos
países faziam negócios na Bolsa de Valores nova-iorquina.

Consequências da crise de 1929: Por conta da crise, cresceu muito o desemprego no país; sem renda, a
população desempregada, consequentemente, deixava de consumir, o que desacelerava outros setores da
economia, como o comércio e as indústrias que produziam para o mercado interno e que começavam a
fechar suas portas e a demitir funcionários.

A solução buscada pelo governo estadunidense para a crise: O presidente Franklin Roosevelt elaborou um
plano econômico chamado New Deal (“novo acordo”).

Pontos principais do New Deal: controle governamental de preços estratégicos, como o de certos gêneros
agrícolas; realização de obras públicas (estradas, pontes, viadutos) para gerar empregos; criação do salário-
desemprego para socorrer trabalhadores demitidos e evitar que os níveis de consumo caíssem radicalmente,
aquecendo assim o mercado do país.

Qual foi o país mais prejudicado pelas potências vencedoras? Qual documento marca essa história? Recorde
que esse documento foi Tratado de Versalhes (1919) e o país mais prejudicado foi a Alemanha. Imposição do
Tratado de Versalhes - pagamento de indenizações altíssimas para os vencedores e a limitação do exército e
da indústria na Alemanha. Isso gerou, em primeiro lugar, uma crise econômica profunda, com desemprego e
inflação altíssima; em segundo, um sentimento de humilhação e injustiça em grande parte da população
germânica.

A sociedade alemã após a Primeira Guerra Mundial organizou-se em um sistema político liberal que
ressaltava os valores de um sistema democrático representativo e que foi dominado pelo Partido Social-
Democrata (o maior partido da Alemanha na década de 1920). Esse período da história alemã ficou
conhecido como República de Weimar e estendeu-se de 1919 a 1933. Nesse contexto, o governo
democrático da República de Weimar passou a ser visto interna e externamente como fraco, principalmente
pelo grupo nazista que surgia nessa época.

As críticas ao partido social-democrata: Muitos criticavam o partido social-democrata pois eles permitiram
eleições, disputas entre partidos políticos, liberdade de imprensa, etc. Além disso, a República era vista como
submissa a potências como França e Inglaterra, pois havia aceitado os termos impostos no Tratado de
Versalhes. Foi nesse contexto que surgiu o nazismo, uma doutrina de extrema direita e totalitária, isto é, que
defendia uma submissão total do indivíduo às ordens do Estado.

Crescimento do nazismo: ao longo da década de 1920, o nazismo foi ganhando força nos quadros políticos da
Alemanha. Os membros do Partido Nazista organizavam-se como tropas militares extremamente
disciplinadas e devidamente uniformizadas. Essas tropas tinham como ideia central a obediência cega e
absoluta ao chefe do partido. Ao longo da década de 1920, realizaram passeatas como demonstração de
força e atacavam adversários políticos. O crescimento e fortalecimento do nazismo na Alemanha ao longo da
década de 1920, além de se apoiar na ótima capacidade retórica de Hitler, resultaram de uma estratégia
criada no sentido de infiltrar membros do partido em diferentes locais da sociedade para fortalecer a difusão
das ideias nas quais acreditavam. A partir disso, o raio de ação do nazismo na Alemanha alcançava diferentes
grupos, os quais aderiram ao discurso salvacionista de Hitler, que prometia reerguer a Alemanha ao patamar
de potência novamente.

O fortalecimento do nazismo na Alemanha tornou Hitler uma figura conhecida da política alemã. Em 1932,
foram realizadas eleições presidenciais no país. Hitler recebeu 36,8% dos votos e foi derrotado por Paul von
Hindenburg, que contou com 53% dos votos. No entanto, no ano seguinte, Hindenburg, pressionado, viu-se
obrigado a nomear Hitler ao cargo de chanceler da Alemanha, marcando o fim da República de Weimar. Em
1934, Hindenburg faleceu, e Hitler acumulou os títulos de chanceler e presidente da Alemanha. Isso deu
maiores poderes a Hitler, que concretizou a implantação de seu regime totalitário. Rapidamente, Hitler
expurgou a política alemã e eliminou todas as possíveis ameaças ao seu poder.

Nos anos seguintes, além de ter eliminado seus adversários, seja na direita não radical, seja na esquerda,
Hitler conseguiu recuperar a economia da Alemanha, iniciou o processo de militarização do país, desafiou os
termos do Tratado de Versalhes, formou uma massa de seguidores fanáticos e iniciou o processo de
expansão territorial do país.

A ideologia nazista é bastante complexa e


ampla, abordando diferentes questões. Os
grandes conceitos que fizeram parte desse
movimento são:
 antissemitismo;
 antiliberalismo;
 racismo;
 exaltação da guerra;
 eugenia (ideal de purificação da raça);
 exaltação da raça germânica;
 nacionalismo extremo;
 desejo de expansão territorial;

Você também pode gostar