EMPREENDEDORISMO NO BRASIL

Jonatas André Schmalz Prof. Valmir Vieira Barbosa Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI Tecnologia em Processos Gerenciais (EMD1721) – Empreendedorismo 27/03/09 RESUMO Este trabalho apresenta o Empreendedorismo no Brasil, através de uma breve análise histórica, conceituação do que é ser empreendedor e empreendedorismo, e uma observação da situação atual do empreendedorismo no Brasil, onde pode-se concluir que um dos fatoes que ainda motiva o empreendedorismo no Brasil é a necessidade de emprego e como o povo brasileiro é muito criativo muitos se aventuram em ser proprietários dos seus negócios, porem sem possuir todas as habilidades de um empreendedor, e que pela falta de preparo e do fato de realmente não serem empreendedores acabam fechando o negócio pouco tempo após a sua abertura, ou seja muitos são visionários mas nem todos estão aptos a empreender a visão. Palavras-chave: Empreendedor; Empreendedorismo no Brasil; Perfil Empreendedor 1 INTRODUÇÃO Conceitualmente se falando de empreendedorismo todas as pessoas acham que sabem o que é empreendedorismo, e muitas pessoas se dizem empreendedoras ou ter capacidade de empreender e mais ainda muitas pessoas tem o desejo de serem empreendedoras. O Empreendedorismo no Brasil teve uma ascensão na década de 90, que juntamente com a privatização de muitas estatais e abertura de mercado interno para concorrência externa. Com esses fatos e o desenvolvimento muitos brasileiros ousaram ser empreendedores, mas o que realmente é empreendedorismo, e qual a situação do empreendedorismo no Brasil, este é o foco deste trabalho, buscando conceituar o que é ser empreendedor, o histórico, e apresentar a situação atual no Brasil.

2 HISTÓRICO DO EMPREENDEDORISMO
A palavra empreendedor (entrepreneur) surgiu na França por volta dos séculos XVII e XVIII, com o objetivo de designar aquelas pessoas ousadas que estimulavam o progresso econômico, mediante novas e melhores formas de agir. Entretanto, foi o economista francês Jean-Baptiste Say, que no início do século XIX conceituou o empreendedor como o indivíduo capaz de mover recursos econômicos de uma área de baixa para outra de maior produtividade e retorno. Mais tarde, o austríaco Joseph Schumpeter, um dos mais importantes economistas do século XX que definiria esse

Peter Ferdinand Drucker. e este conceito vem sendo modificado até hoje. administração. conectando teoria com a prática. por meio do desenvolvimento de nova tecnologia ou do aprimoramento de uma antiga – o real papel da inovação. segundo ele. como sendo uma pessoa criativa e capaz de fazer sucesso com inovações. assumindo os riscos financeiros. pagam empregados. O conceito de empreendedorismo está também muito relacionado aos pioneiros da alta tecnologia do Vale do Silício. através da Revolução Industrial. principalmente na geração de riquezas. Posteriormente. empreendedorismo “[. Ainda nos EUA. execução. como aqueles que organizam a empresa. do capitalista (aquele que fornecia o capital). planejam. principalmente. dirigem e controlam as ações desenvolvidas na organização. descrevendo os empreendedores como aqueles que aproveitam as oportunidades para criar as mudanças. É o profissional inovador que . Século XVII Os primeiros indícios de relação entre assumir riscos e empreendedorismo ocorreram nessa época. os empreendedores foram frequentemente confundidos com os administradores (o que ocorre até os dias atuais). provavelmente devido ao início da industrialização que ocorria no mundo.. inovadora. Esses indivíduos são os agentes de mudança na economia. é considerado por muitos como um dos criadores do termo empreendedorismo. a palavra empreendedorismo foi utilizada pelo economista Joseph Schumpeter em 1950.indivíduo como o que reforma ou revoluciona o processo “criativo-destrutivo” do capitalismo. na transformação de conhecimentos e bens em novos produtos – mercadorias ou serviços. Os empreendedores não devem se limitar aos seus próprios talentos pessoais e intelectuais para levar a cabo o ato de empreender. importante escritor e economista do século XVII. sendo analisados meramente de um ponto de vista econômico. Século XIX e XX No final do século XIX e início do século XX. Robert Hirsch. dedicando tempo e o esforço necessários. Richard Cantillon. É notória a atual ênfase dada ao empreendedorismo e a inovação como temas centrais nas melhores Universidades Norte-Americanas. psicológicos e sociais correspondentes e recebendo as consequentes recompensas da satisfação econômica e pessoal”. de se dedicar às atividades de organização. tendo sido um dos primeiros a diferenciar o empreendedor (aquele que assume riscos). com base na valorização da oportunidade e da superação de obstáculos. mas mobilizar recursos externos. considerado “o pai da administração moderna”. é que amplia a definição proposta por Jean-Baptiste Say. Século XVIII Nesse século o capitalista e o empreendedor foram finalmente diferenciados. aquele indivíduo que detém uma forma especial. sendo que uma das definições mais aceitas hoje em dia é dada pelo estudioso de empreendedorismo. gerando um novo método com o seu próprio conhecimento. ou especificar. (WIKIPÉDIA:2009) 3 EMPREENDEDORISMO O conceito de empreendedorismo é muito subjetivo e recente. o Babson College tornou-se um dos mais importantes pólos de dinamização do espírito empreendedor com enfoque no ensino de empreendedorismo na graduação e pós-graduação. mas sempre a serviço do capitalista. introduzindo a educação para o empreendedorismo através do currículo e das atividades extracurriculares. em que o empreendedor estabelecia um acordo contratual com o governo para realizar algum serviço ou fornecer produtos. para alcançar seus objetivos. (WIKIPÉDIA:2009) Empreendedor é o termo utilizado para qualificar.]“é o processo de criar algo diferente e com valor. valorizando a interdisciplinaridade do conhecimento e da experiência. na Califórnia..

(WIKIPÉDIA:2009) 4 PERFIL EMPREENDEDOR Atualmente há duas linhas a respeito do empreendedor: primeira afirma a existência do empreendedor nato. que é pragmático.para designar o fundador de uma empresa ou entidade. Também é utilizado – no cenário econômico . para se manter no mercado. formação. aquela pessoa que nasce com as aptidões necessárias para inovar com sucesso. nunca no passado e raramente no presente. adora consertar coisas. b) o Administrador. o fogo que alimenta o futuro.. vive no futuro. vive no passado. cria esquemas extremamente organizados para tudo. criando o que ainda não existia.]Gerber (2004). aquele que construiu tudo a duras custas. quais sejam: a) o Empreendedor. é visionário. (WIKIPÉDIA:2009) Novas habilidades vêm sendo exigidas dos profissionais para poderem enfrentar a globalização com responsabilidade. que é o executor. sonhador. saber liderar e trabalhar em equipe. almeja ordem. com sua forma de agir. nos negócios é o inovador. fica satisfeito no controle do fluxo de trabalho e é um individualista determinado. atualmente em qualquer área de atuação há necessidade de ser empreendedor. ser organizado.modifica. o criador de novos métodos para penetrar nos novos mercados. Independente das linhas que fazem surgir um empreendedor. Quem tem perfil empreendedor assume riscos e seu sucesso está na capacidade de conviver com eles e sobreviver a eles [. qualquer área do conhecimento humano. a formação empreendedora pode acontecer por influencia familiar. apresenta algumas diferenças dos três personagens que correspondem a papéis organizacionais. prática entre outras que acaba desenvolvendo a habilidade de empreender no indivíduo. vive no presente. está na disposição de assumir riscos e nem todos têm esta disposição. . c) o Técnico. competência e autonomia. ouvir as pessoas e captar informações. o grande estrategista. a segunda afirma que o empreendedor se trata de um ser social que influenciado pelo meio em que vive. As habilidades requeridas de um empreendedor podem ser classificadas em 3 áreas: Técnicas: envolve saber escrever.. estudo. que transforma a situação mais trivial em uma oportunidade excepcional. o resultado e a diferença entre uma pessoa empreendedora e outra que não é empreendedora.

ter auto-confiança ter intuição. operacional. características e atitudes. ser visionário para negócios futuros. necessita ter conhecimentos administrativos. O Brasil participa desde 2000. ser inovador.]” (WIKIPÉDIA:2009) Um empreendedor acredita que o modelo atual pode ser melhorado. facilidade nas negociações. [. junto com outros 21 países. ter flexibilidade. (O Caminho para o Sucesso: 2007) .Gerenciais: incluem as áreas envolvidas na criação e gerenciamento da empresa (marketing. humildade e principalmente ter paixão pelo que faz. Ele compreende que não será nada fácil traduzir esta frase em resultados e por isso. Características pessoais: uma pessoa empreendedora precisa ter características diferenciadas como: originalidade. através do Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade no Paraná (IBPQ). Além disso ainda necessita ser disciplinado. e não tanto do conhecimento técnico de gestão quanto se imaginava até pouco tempo atrás.3%. tolerar erros. ser otimista. é um administrador. planejamento e controle). instituição criada pela London Business School e pelo Babson College de Boston (EUA). o Brasil foi classificado como a primeira nação em iniciativa empreendedora. persistente. O País registrou uma taxa de empreendimentos na ordem de 11.. coragem. ter uma política para a empresa. administração. ficou na sétima posição na pesquisa.. ter diligência. ter iniciativa. ter ousadia. empreendedores gostam de mudanças e adoram não como resposta 4 EMPREENDEDORISMO NO BRASIL O empreendedorismo no Brasil ganhou força na década de 1990. Isso mostra o espírito empreendedor do povo brasileiro. prudência e comprometimento. durante a abertura da economia e conforme a Global Entrepreneurship Monitor GEM. “Pesquisas recentes realizadas nos Estados Unidos mostram que o sucesso nos negócios depende principalmente de nossos próprios comportamentos. GEM 2005 figurou entre as nações onde mais se iniciaram empresas. produção. Na sua primeira avaliação. já no ano seguinte com 28 países participando da pesquisa. finanças. o Brasil ficou em quinto lugar. assumir riscos. ter iniciativa. é a primeira pessoa a aceitar o desafio de mudar e a se responsabilizar caso algo falhe na trajetória do empreendimento. tomada de decisão.

apenas 14% dos empreendedores têm formação superior e 30% sequer concluíram o ensino fundamental. Marcos Schlemm. apoio financeiro. Mas crescer exige planejamento e uma boa base de sustentação. Na média dos países mais pobres. cerca de 70% das menções feitas por especialistas ouvidos pela GEM concentram-se em três condições: políticas governamentais. No Brasil há um empate nesse quesito. tampouco a necessidade de crédito os principais responsáveis pelo fechamento de uma empresa. (O Caminho para o Sucesso: 2007) Além disso. O crescimento descontrolado pode ser fatal à sobrevivência de um empreendimento. Em relação aos fatores que inibem o empreendedorismo no Brasil.GEM 2008 O Brasil (12. significando uma ampliação concreta das perspectivas. O empreendedor visa crescer. (WIKIPÉDIA: 2009) O sucesso parece óbvio. Assim.5%) e do México (13. saber com clareza onde. A falta de planejamento somado ao desconhecimento do negócio são fatores que. apenas um é por necessidade. o levantamento diferencia os empreendedores em função de sua motivação para desenvolver um negócio próprio. especialmente a elevada tributação e o excesso de burocracia. se por necessidade ou espírito empreendedor. (O Caminho para o Sucesso: 2007) No Brasil. Quanto mais alto for o nível de escolaridade de um país. 56% dos empreendedores entrevistados têm como fonte de recursos os parentes próximos e 53. maior será a proporção de empreendedorismo por oportunidade. bem como os motivos que levam uma empresa a ser fechada. nos países de renda per capita mais alta. por não explorar o tema empreendedorismo no ensino formal. políticas públicas e linhas de crédito. 58% dos empreendedores possuem formação superior. explicou o consultor sênior da GEM no Brasil. não só pela natureza dos eventos. para cada nove empresários que tocam um negócio por oportunidade. Ao contrário do que se houve. mas o que preocupa é que a maioria empreende por sobrevivência". atrás apenas da Argentina (16. conclui-se que o melhor a fazer é concentrar-se nas metas do planejamento estratégico e organizacional. De acordo com o mesmo estudo. Para se obter sucesso empresarial se faz necessário planejar bem. mas pela possibilidade sistemáticas que favoreçam estratégias multisetoriais.6% utilizam dinheiro . mas não é. Isso porque potencializa a qualificação.02%) é o terceiro mais empreendedor entre os países que fazem parte do G-20. quando e como chegar ao resultado esperado. A descontinuidade dos negócios. as informações constituem-se num valioso instrumento para planejar e coordenar as políticas administrativas salutares a qualquer tipo de empreendimento. O conhecimento bem aplicado leva ao sucesso. não é a carga tributária. enquanto que nos países desenvolvidos. foram analisados na pesquisa de 2006. como a dificuldade de acesso a crédito e política de juros altos. Já os empreendedores têm dificuldade de obter não apenas informações sobre legislação.8% das empresas. sendo assim. como também acesso ao próprio crédito para investimento. Estudos demonstram que se constitui erro grave focar diversas direções e esperar acertar no alvo. com mais freqüência. levam ao empreendedor a encerrar a atividade. definir objetivo e metas. "Verifica-se que. . atrair consumidores e ganhar o mercado.1%) O uso adequado da informação conduz ao conhecimento. essa relação é de três por motivação para cada um que tem a real necessidade de um negócio próprio para sobreviver. A média global de fechamento totaliza 3. e educação e treinamento.

6 REFERÊNCIAS O Caminho para o Sucesso. 2007. WIKIPÉDIA.jsp?materia=13657> Acesso em: 21 mar 2009.webartigos. .com/articles/1121/1/ empreendedorismo-no-brasil/pagina1.7% informaram ter arrumado um bom trabalho. daqueles que fecharam suas empresas. ao passo que 9. No mais. 2007. e como foi observado o Brasil um pais que pode ser considerado como um empreendimento que está em desenvolvimento.wikipedia. 31% alegaram excessiva competição e falta de clientes. Brasil é destaque em empreendedorismo.html> Acessado em: 21 mar 2009 DATT.com.próprio. Enciclopédia eletrônica.br/materia/materia. Felipe. um dos fatores que motiva o empreendedorismo é a necessidade de emprego e como o povo brasileiro é muito criativo muitos se aventuram em ser proprietários dos seus negócios. Disponível em:< em http://pt. porem sem possuir todas as habilidades de um empreendedor. e como pode se observar o empreendedorismo é recente em todo o mundo associado ao fato de ser um pais em desenvolvimento.Acesso em 21 de março de 2009.(DATT: 2007) 5 CONCLUSÃO Ao término deste estudo consideramos que empreendedorismo é a capacidade criativa de inovar com sucesso e manter-se no mercado. ou seja muitos são visionários mas nem todos estão aptos a empreender a visão. Deponível <http://www. Disponível em: < http://www. e que pela falta de preparo e do fato de realmente não serem empreendedores acabam fechando o negócio pouco tempo após a sua abertura.org/wiki/ Empreendedorismo >.universia.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful

Master Your Semester with Scribd & The New York Times

Special offer for students: Only $4.99/month.

Master Your Semester with a Special Offer from Scribd & The New York Times

Cancel anytime.