Você está na página 1de 12

Universidade Federal de Alfenas – UNIFAL

Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia


Campus Poços de Caldas

ICT 27 - Mecânica dos Fluidos

UNIDADE III
CINEMÁTICA DOS FLUIDOS

PROFS.: Marcos Rodrigues / Érika Ramos


Cinemática dos Fluidos
 Tipos de escoamentos;
 Experimento de Reynolds;
 Conceituação de volume de controle;
 Balanço global de massa;
 Vazão e velocidade média;
 Equação da continuidade;
 Medição de velocidade e vazão.

Objetivos específicos:
Ao final da Unidade III o aluno deverá ser capaz de: identificar o
tipo de escoamento e volume de controle, calcular balanços de
massa, vazão e velocidade dos escoamentos.
1. Introdução ao escoamento de fluidos
Escoamento – é a deformação contínua de um fluido que sofre
a ação de uma força tangencial, por menor que ela seja.
Fluido em repouso – atuam somente as forças de campo.
Fluido em movimento – atuam as forças de campo, normais e
também forças de cisalhamento.
Equação da conservação da quantidade de movimento para um
fluido puro.

Newton: As forças existem aos pares e quando ocorre um


desbalanceamento entre as forças existe uma modificação da
quantidade de movimento do corpo.

𝐹 = 𝐹𝑖

𝐹𝑖 = 𝑓𝑜𝑟ç𝑎 𝑑𝑒 𝑖𝑛é𝑟𝑐𝑖𝑎
0 massa do corpo
𝑑 𝑑𝑣 𝑑𝑚 constante
𝐹𝑖 = 𝑚𝑣 = 𝑚 +𝑣
𝑑𝑡 𝑑𝑡 𝑑𝑡
𝑑𝑣
𝐹𝑖 = 𝑚 = 𝑚𝑎
𝑑𝑡
Em um fluido em movimento atuam forças de campo e forças de superfície
s = superfície e k = campo
Deste modo: 𝐹𝑖 = 𝐹𝑘 + 𝐹𝑠

𝐹𝑖 = 𝜌𝑎𝑑𝑉 𝐹𝑘 = 𝜌𝑘𝑑𝑉 𝐹𝑠 = − 𝑇. 𝑛𝑑𝑆

Representa a resultante
sobre o corpo

𝜌𝑎𝑑𝑉 = 𝜌𝑘𝑑𝑉 − 𝑇. 𝑛𝑑𝑉


Mas: 𝑇 = 𝑃𝐼 + 𝜏

PI = tensão normal estática, devido à pressão do fluido;


 = tensão dinâmica ou viscosa (existe somente para fluido
em movimento).

𝑃 0 0 𝜏11 𝜏12 𝜏13 𝜏11 + 𝑃 𝜏12 𝜏13


𝑇 = 𝑃𝐼 + 𝜏 = 0 𝑃 0 + 𝜏21 𝜏22 𝜏23 = 𝜏21 𝜏22 + 𝑃 𝜏23
0 0 𝑃 𝜏31 𝜏32 𝜏33 𝜏31 𝜏32 𝜏33 + 𝑃

O balanço pode ser


𝜌𝑎𝑑𝑉 = 𝜌𝑘𝑑𝑉 − 𝑃𝐼𝑛𝑑𝑆 − 𝜏. 𝑛𝑑𝑆
escrito como:
Aplicando o teorema de Gauss  transforma integrais de
superfície em integrais de volume.

𝑃𝐼. 𝑛𝑑𝑆 = 𝛻𝑃𝑑𝑉 𝑒 𝑇. 𝑛𝑑𝑉 = 𝛻. 𝜏𝑑𝑉

𝜌𝑎𝑑𝑉 = 𝜌𝑘𝑑𝑉 − 𝛻𝑃𝑑𝑉 − 𝛻. 𝜏𝑑𝑉

𝜌𝑎 − 𝜌𝑘 + 𝛻𝑃 + 𝛻. 𝜏 𝑑𝑉 = 0
Equação do movimento para fluidos puros

𝑓𝑜𝑟ç𝑎 𝑑𝑒 𝑖𝑛é𝑟𝑐𝑖𝑎 𝑓𝑜𝑟ç𝑎 𝑑𝑒 𝑝𝑟𝑒𝑠𝑠ã𝑜


𝑣𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒 𝑣𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒

𝜌𝑎 − 𝜌𝑘 + 𝛻𝑃 + 𝛻. 𝜏 𝑑𝑉 = 0
𝑓𝑜𝑟ç𝑎 𝑑𝑒 𝑐𝑎𝑚𝑝𝑜 𝑓𝑜𝑟ç𝑎 𝑣𝑖𝑠𝑐𝑜𝑠𝑎
𝑣𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒 𝑣𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒
Escoamento de fluidos
1.1 Regimes de escoamento
a) Escoamento laminar:
- As camadas de fluido deslizam umas sobre as outras (lâminas); não
há mistura macroscópica de fluido.
- A velocidade do escoamento em um determinado ponto não varia com
o tempo.
- Ocorre quando o fluido escoa em baixas velocidades
Escoamento de fluidos

b) Escoamento turbulento:
- Aparecimento de turbilhões no seio do fluido, provocando a mistura.
- A velocidade num ponto oscila com o tempo ao redor de um valor médio.
Escoamento de fluidos
1.2. Número de Reynolds (1883)

Laminar se Re < 2000;


Forças Inerciais .D.v D.v
Re    Turbulento se Re > 2400;
Forças Vis cos as  
Transição 2000 < Re < 2400.
Exercício de fixação
Água ( = 1 cP , (H2O) = 1 g/cm3) escoa em uma tubulação de 1 cm de
diâmetro interno. Qual a máxima velocidade admitida para que o escoamento
ainda possa ser considerado laminar? Como esse escoamento seria
observado no equipamento do “Experimento de Reynolds”?

Você também pode gostar