Você está na página 1de 3
UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA UNIDADE ACADÊMICA DE ENGENHARIA DE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA UNIDADE ACADÊMICA DE ENGENHARIA DE MATERIAIS

DISCIPLINA: ESTRUTURAS CRISTALINAS (3E)

CÓDIGO DA DISCIPLINA: 2106082 PRÉ-REQUISITO (S) (CÓDIGO): QUÍMICA DE MATERIAIS CO-REQUISITO (S) (CÓDIGO):

CURSO (S) A QUE A DISCIPLINA É OFERTADA: Engenharia de Materiais NÚMERO DE CRÉDITOS: 04 CARGA HORÁRIA: 60 horas

EMENTA

PLANO DE CURSO

I – OBJETIVOS (geral e específico) - Transmitir conceitos básicos relativos aos diversos aspectos com relação ao detalhamento da estrutura cristalina de materiais. Este detalhamento básico destina-se a permitir ao aluno adquirir conhecimentos fundamentais para abordagens futuras sobre as inter-relações entre microestrutura e as propriedades dos materiais e sua durabilidade que serão abordados em todo o curso a partir da disciplina Ciências dos Materiais.

Para atingir este objetivo, os seguintes objetivos específicos devem ser atingidos:

1. Entender do tipo de força e energia de ligações e sua correlação com a estrutura e

propriedades dos materiais;

2. Adquirir noções básicas de cristalografia;

3. Conhecer as diferentes estruturas cristalinas e não-cristalinas dos materiais;

4. Entender e correlacionar direções e planos cristalográficos nas diversas estruturas

cristalinas e sua relação com a caracterização e propriedades dos materiais;

5. Diferenciar e entender os tipos de estruturas para os materiais metálicos, cerâmicos e

poliméricos e correlacionar com suas propriedades;

6. Selecionar um material para uma determinada aplicação com base do conhecimento de

suas estrutura e as possíveis propriedades que os mesmos apresentam;

7. Correlacionar o conteúdo científico adquirido com resultados experimentais realizados para

os materiais.

II - CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Forças e energias interatômicas nos materiais; Coordenadas atômicas; Estruturas (cristalina e não-cristalinas); Redes cristalinas; Planos e direções; Estrutura dos materiais (Cerâmicos, Metálicos e Poliméricos); Seleção de materiais e Atividades práticas.

Unidade I – Ligações atômica nos sólidos

1.1 – Números quânticos

1.2 - Forças e energia de ligações

1.3 - Ligações interatômicas primárias

1.4 – Ligações secundárias ou ligação de Van der Waals.

Unidade II – Coordenação Atômica

2.1 – Número de coordenação

Unidade III – Redes Cristalinas

3.1 - Descrição de rede;

3.2 - Células unitárias;

3.3 - Sistemas cristalográficos;

3.4 - Redes de Bravais;

3.5 - Simetria das redes;

3.6 - Grupos espaciais.

Unidade IV – Estrutura dos Materiais Metálicos

4.1 - Estruturas cristalinas metálica;

4.2 - Fator de empacotamento;

4.3 - Calculo da densidade atômica volumétrica.

4.4 - Sistemas de deslizamento;

4.5 - Empilhamento atômico;

4.6 - Polimorfismo.

Unidade V - Estrutura dos Materiais Cerâmicos

5.1 - Estruturas cristalinas cerâmicas;

5.2 - Classificação das estruturas;

5.3 - Calculo da densidade iônica volumétrica;

5.4 - Cerâmicas à base de silicatos;

5.5 - Cerâmicas à base de carbono;

5.6 - Polimorfismo.

Unidade VI – Planos e Direções Cristalográficas

6.1 - Coordenadas de ponto;

6.2 - Direções cristalográficas;

6.3 - Planos cristalográficos;

6.4 - Densidade linear e planar;

6.5 - Estruturas cristalinas compactas.

Unidade VII – Estruturas Cristalinas e Não-Cristalinas

7.1 - Monocristais;

7.2 -Materiais policristalinos;

7.3 - Anisotropia;

7.4 - Difração de raios-X – determinação de estruturas cristalinas;

7.5 - Sólidos não-cristalinos.

Unidade VIII - Estrutura dos Materiais Poliméricos

8.1 - Moléculas de hidrocarbonetos;

8.2 - Molécula dos polímeros;

8.3 - Estrutura Molecular;

8.4 - Configurações moleculares;

8.5 - Copolímeros;

8.6 - Elastômeros;

8.7 - Blendas;

8.8 - Compósitos;

8.9 - Cristalinidade dos polímeros.

Unidade IX – Seleção dos Materiais

9.1 -Considerações tecnológicas;

9.2 - Considerações científicas;

9.3 - Considerações econômicas;

9.4 - Considerações ambientais e sociais;

Unidade X – Atividades Práticas

III – METODOLOGIA (métodos e recursos)

- Aulas teóricas usando slides e quadro branco;

- Notas de aula para estudo complementar;

- Lista de exercícios;

- Aulas de discussão e dúvida sobre resolução dos exercícios;

- aula experimental.

IV – AVALIAÇÃO

- 1º avaliação prova escrita referentes as unidades I, II, III e IV;

- 2º avaliação prova escrita referente as unidades V, VI e VII;

- 3º avaliação prova escrita referente as unidades VIII e IX.

- 4º avaliação referente as listas de exercícios;

- 5º avaliação referente a participação em sala de aula;

- 6º avaliação referente ao relatório escrito da atividade prática.

Observação: a 1º, 2º e 3º avaliação prova escrita corresponde 80%, lista de exercícios 10% da nota e participação em sala de aula 10% da nota, obtendo-se assim a nota equivalente ao I, II e III estágio. O IV estágio será equivalente a nota do relatório escrito da(s) atividade(s) prática(s) realizada(s).

VI – REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. SCHACKELFORD, J. F., Introduction to Materials Science for Engineers, Macmillan

Publishing Company, New York, 1992. VAN VLACK, l. H., Princípio de Ciência e Tecnologia dos Materiais. Campus, Rio de Janeiro, 1984.

2. CALLISTER, Jr., W.D., Ciência e Engenharia de Materiais: Uma Introdução, 7. ed.

LTC, Rio de Janeiro, 2008.

3. CALLISTER, Jr., W.D., Fundamentos da Ciência e Engenharia de Materiais, 2. ed.

LTC, Rio de Janeiro, 2006. 4. SMITH, W.F. Princípios de Ciência e Engenharia dos Materiais. McGraw-Hill, Portugal, 1998.