Você está na página 1de 9

PLANO DE GERENCIAMENTO DE

RESIDUOS SOLIDOS

FORMOSA- GO
❖ EMPRESA RESPONSÁVEL

PLAMAP ENGENHARIA ®
Serviços Ambientais
e Segurança.

➢ Endereço: Rua 802 Nº 11 Setor Universitário, CEP: 75706-210 Catalão – GO.


➢ Telefone: (64) 9 9259-5076 / (64) 3411-7764
➢ E-mail: contato@plamapengenharia.com
➢ Website: www.plamapengenharia.com

❖ RESPONSÁVEL TÉCNICO

➢ Roberto Oliveira Ribeiro


➢ Engenheiro Sanitarista e Ambiental
➢ CREA: 1015628605D-GO
➢ CTF/AIDA: 6934328
1. Identificação do empreendimento

Quadro 1: Identificação do Empreendedor


Razão Social: BRASAL REFRIGERANTES S/A CNPJ: 01.612.795/0006-66

Nome Fantasia: BRASAL REFRIGERANTES

Endereço: Av. Brasília, nº 1505, Município: Formosa UF: GO


Formosinha
Fax: E-mail:
CEP: 73930-000 Telefone: (62) 3488-1181
Número do Processo: Número de Licença Ambiental: em análise

Área total Construída: 1.600,00 m² Número de Funcionários: 107

Descrição das Atividades/CNAE: 46.35.4.02 – Comércio atacadista de cerveja, chope e


refrigerante.

2. Diagnóstico Atual

Procedimentos Adotados

Segregação

Os resíduos gerados na unidade são segregados por tipo de material (papel e papelão,
plástico, etc) no momento da geração (dentro do processo).
A empresa possui lixeiras de coleta seletiva localizadas na parte interna da empresa.

Coleta

A coleta dos resíduos gerados no setor administrativo é realizada pelos funcionários


responsáveis pela limpeza.
Os resíduos gerados no depósito de mercadorias, quando atingem a capacidade máxima
das lixeiras são depositados nas caçambas localizadas no próprio depósito da empresa.

Acondicionamento

Os resíduos gerados em todos os setores da empresa são acondicionados em bombona-


reservatório abertas na parte de cima, localizados no pátio da empresa, conforme apresentado na
foto abaixo.
Foto 01 – Acondicionamento dos resíduos.

As embalagens plásticas geradas no setor do depósito são acondicionadas a granel em


bags, que estão utilizados para revestir as bombonas-reservatório, que estão localizadas em piso
impermeável com cobertura no pátio.

Os resíduos da limpeza do depósito e setor administrativo estão acondicionados em


tambores cobertos, que estão sob o piso impermeável.

Armazenamento/ Transporte/ Destinação Final

Todos os resíduos gerados ficam armazenados na área externa pertencente à empresa e


ficam aguardando destinação adequada. São transportados e destinados à empresas de reciclagem.

3. Identificação e classificação dos resíduos

Quadro 2: Identificação e classificação dos resíduos


Descrição do Resíduo Classe do Origem do
Natureza do Resíduo Resíduo Quantidade
Resíduo Codificação (NBR (L, Kg,T,
(sólido, líquido, (NBR 10.004/2004 e
Resíduo 10.004/2004)
Resolução CONAMA
Unid)
gasoso, pastoso)
313/2002)
não reciclável
(A006) ou misturado
II A Setores Adm. 10 kg
(A007) (papel, plásticos
Sólido etc.)

Sólido (A006) Papel/Papelão II A DEPÓSITO 62,60 kg


Sólido (A007) Plástico II A DEPÓSITO 98,50 kg
NOTA: Todos os resíduos devem ser classificados e codificação conforme o Anexo II da Resolução CONAMA
nº 313 (2002) e com base na norma NBR 10.004 (ABNT, 2004) e suas atualizações. * Não foi gerado resíduo
eletrônico no período de referência.

Fluxograma do Processo Produtivo

FLUXOGRAMA DO PROCESSO PRODUTIVO

RECEBIMENTO DE
MERCADORIAS CONFERÊNCIA

ARMAZENAGEM

REC. PEDIDOS
(CANAIS DE
VENDA)

SEPARAÇÃO DOS
EXPEDIÇÃO
PEDIDOS
Figura 1: Identificação em destaque (amarelo) das etapas de geração de resíduos.

4. Acondicionamento e Armazenamento

Quadro 3: Identificação do acondicionamento e armazenamento


Descrição do Resíduo

Codificação Local de
Acondicionamento Armazenamento
(NBR 10.004/2004 e Geração
Resíduo
Resolução
CONAMA 313/2002)

não reciclável
(A006) ou misturado Setores Local coberto
E07
(A007) (papel, plásticos Adm. Impermeável
etc.)

Local coberto
(A006) Papel/Papelão DEPÓSITO E03
Impermeável

Local coberto
(A007) Plástico DEPÓSITO E03
Impermeável

Tratamento e Destinação Final


Quadro 4: tratamento e destinação final
Descrição do Resíduo
Tratamento/Destinação Final
Codificação Quantidade (L,
(NBR
10.004/2004 e Kg,T, Unid)
Resíduo
Resolução Método Empresa
CONAMA
313/2002)
Não reciclável Serviço de Limpeza
(A006) ou misturado Urbana
10 kg
(A007) (papel, plásticos
etc.) B05

(A006) Papel/Papelão 62,60 kg R13 Recicle Metais LTDA

(A007) Plástico 98,50 kg R13 Recicle Metais LTDA

5. Programa de Redução na Fonte Geradora

A fim de reduzir pontos de desperdícios e perdas durante o processo produtivo, um


método bastante utilizado no trabalho de comunicação a todos os funcionários é conhecido,
popularmente, como o dos 3R´s, que transforma o resíduo em insumo até o máximo de sua
capacidade como matéria-prima, através da utilização dos 3R´s:

- Redução;
- Reaproveitamento;
- Reciclagem.

A Redução é a introdução de novas tecnologias na exploração, transporte e


armazenamento de matérias-primas, com o objetivo de reduzir ou, se possível, eliminar o
desperdício dos recursos retirados da natureza.
Quanto ao Reaproveitamento, entende-se como a reintrodução, no processo produtivo, de
produtos já não apropriados para o consumo, visando à sua recuperação e recolocação no
mercado, evitando assim seu encaminhamento para o lixo.
Já a Reciclagem, consiste na reintrodução, no processo produtivo, dos resíduos, quer esses
sejam sólidos, líquidos ou gasosos para que possam ser reelaborados, dentro de um processo
produtivo, gerando assim um novo produto. Também neste caso, o objetivo é evitar o
encaminhamento de resíduos para o lixo.
Uma forma de divulgação e conscientização do PGRS perante funcionários e alunos é a
constante presença nas Semanas Internas de Prevenção de Acidentes do Trabalho – SIPAT, onde
este tema é discutido e ilustrado aos participantes.
Minimização da Geração – Ações Preventivas

As ações preventivas propostas neste PGRS são:


- Melhorias nos processos produtivos internos visando a não geração e diminuição da
geração de resíduos;
- Treinamentos periódicos com os colaboradores nas linhas de produção visando evitar
desperdícios de embalagens durante o processo logístico;
- Conscientização e responsabilidade ambiental dos funcionários;
- Criação de uma comissão interna para assuntos ambientais;
- Criação de ferramentas que avaliem a eficiência das ações desempenhadas;
- Criação de programas internos com a participação de todos os colaboradores.

6. Recursos Humanos

A empresa contará com equipe que atuará no monitoramento do PGRS, bem como na
propagação da conscientização ambiental.

7. Diretrizes e estratégias para adoção de procedimentos operacionais de


gerenciamento de resíduos sólidos

A política de gestão de resíduos deve compatibilizar o controle sanitário e a proteção ao


meio ambiente com processos eficientes, buscando os menores custos operacionais.
A implantação do PGRS visa contribuir com a redução dos resíduos a serem
encaminhados para disposição final. Pode-se afirmar que a redução do volume de resíduo a ser
disposto ao meio ambiente é a proposta de gerenciamento mais adequada, independentemente de
suas características específicas. Os funcionários envolvidos podem diminuir os custos com o
tratamento e disposição, gerando lucro com a venda dos materiais recicláveis e interferindo
menos no meio ambiente.
Com base nos levantamentos apresentados anteriormente, elaborou-se técnicas e
procedimentos, a fim de padronizar o gerenciamento de resíduos de forma a atender às normas e
à legislação pertinente ao escopo das atividades a serem realizadas.
Antes da disposição dos resíduos, será dada prioridade à minimização da geração dos
mesmos, reutilização e reciclagem.

Procedimentos e Técnicas
A empresa adota as seguintes ações:
▪ Separação dos resíduos logo após a sua geração, evitando assim a contaminação e
descaracterização destes e/ou de outros resíduos a partir do contato entre os mesmos;
▪ Incentivo e implantação efetiva do sistema de coleta seletiva dos resíduos;
▪ Controle da licença dos recolhedores e comprovantes de destinação.

Destinação Final dos Resíduos Sólidos

A destinação final ambientalmente adequada dos resíduos sólidos, de acordo com a Lei
n° 12.305 de 02 de agosto de 2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, inclui a
reutilização, a reciclagem, a compostagem, a recuperação entre outras tecnologias adequadas, de
modo a evitar danos ou riscos à saúde pública e minimizar os impactos ambientais.

Nota:
O empreendimento deve exigir das empresas contratadas no ato da retirada dos resíduos
certificado de coleta de resíduos e documentos fiscais, os quais deverão ficar arquivados à
disposição dos órgãos ambientais.

8. Educação Ambiental

Serão realizados treinamentos aos colaboradores da empresa abordando os seguintes


tópicos:

▪ Coleta seletiva;

▪ Minimização na geração de resíduos;

▪ Manuseio correto dos resíduos com EPI’s;

▪ Cuidados com acidentes e contaminações na hora do manuseio dos resíduos;

▪ Consciência e responsabilidade ambiental.

9. Plano de Monitoramento

Propõe-se a criação de uma comissão interna de assuntos ambientais, a fim de discutir a


evolução do Gerenciamento de Resíduos e propor alternativas e adequações, bem como a solução
de eventuais problemas, quando necessário, contando com os principais envolvidos com o manejo
e gestão dos resíduos gerados na empresa.
A empresa deverá implantar um sistema de registro da geração do resíduo, especificando
a origem e a quantidade dos mesmos. O acompanhamento das ações de implantação do PGRS se
dará através da apresentação da Declaração Anual de Resíduos Sólidos – DARS, instituída nessa
Instrução Normativa sem prejuízo de outras exigências estabelecidas pelas autoridades
competentes. O responsável pela sistemática de gerenciamento dos resíduos na empresa deverá
manter os registros atualizados da geração, classificação e destinação final dos resíduos sólidos.

10. CONCLUSÕES E CONSIDERAÇÕES FINAIS

Neste Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos procuramos abordar todas as


peculiaridades ambientais relativas ao empreendimento em questão no município de Formosa –
GO. E assim propor a empresa um melhor gerenciamento dos resíduos gerados, com o
intuito de mitigar os impactos gerados.

11. RESPONSÁVEL TÉCNICO

_________________________________________
ROBERTO OLIVEIRA RIBEIRO
Engenheiro Sanitarista e Ambiental
CREA: 1015628605D-GO

Você também pode gostar