Você está na página 1de 1

Aluno (a): Calebe Damas Nogueira

Turma: 2º A

Tema: O sedentarismo existente na sociedade brasileira

Gênero Textual: Dissertativo-argumentativo

Data: 19/04/2020

Nº de Matrícula: 0012617

Professor (a): Lucia

Conforme dados oferecidos pela Organização Mundial de Saúde (OSM), o Brasil é o país com
o maior índice de sedentarismo de toda a América Latina e o quinto maior do mundo, sendo que
47% da população não faz exercícios físicos o suficiente para manter uma vida saudável. Tais
números alarmantes explicitam o quão grave é esse impasse para a sociedade brasileira. Sua causa
está relacionada aos avanços tecnológicos atuais e ele é a causa de muitos problemas de saúde.
Dessa forma, são necessárias medidas que alterem tal panorama.

Primeiramente, como constam nas ondas de Shumpeter, advindas da teoria do economista


austríaco Joseph Schumpeter, nos últimos 70 anos, o mundo vivenciou dois grandes ápices de
inovações, sendo o último deles relacionado aos softwares, mídias e redes digitais. Tais avanços
tecnológicos estão diretamente relacionados ao sedentarismo na sociedade brasileira, pois tornaram
a vida e o cotidiano desta mais prático, e, consequentemente, marcado pela falta de exercícios e
atividades físicas. Isso pode ser exemplificado com questões como a troca de caminhadas pelo uso
de automóveis, de esportes pela televisão ou de uma visita por uma ligação. Desse modo, é notável
que as novidades tecnológicas foram determinantes para que o estilo de vida da população sofresse
uma grande alteração.

Em segundo plano, nota-se que, conforme a Organização das Nações Unidas (ONU),
aproximadamente 300 mil brasileiros morrem por ano pela falta de exercícios físicos. Nesse
contexto, pode-se inferir que o sedentarismo pode ser classificado como um problema de saúde
pública, em vista que tais mudanças nos padrões de vida da sociedade resultam em alguns sérios
fatores negativos para o corpo humano. Alguns exemplos destes são diabetes, hipertensão,
aumento de peso, atrofia muscular ou até mesmo a morte. Portanto, é evidente que os danos
causados são graves e devem ser reduzidos a fim de que os quadros de saúde nacionais melhorem.

Diante do exposto, é imprescindível que medidas sejam tomadas a fim de que o atual
quadro de sedentarismo na sociedade brasileira se altere. Para que isso ocorra, o Ministério da
Saúde deve promover campanhas que evidenciem a importância da prática de atividades físicas e os
riscos de uma vida sedentária. Tal medida deve ocorrer por meio de alertas nas mídias sociais e
televisivas para que tenha um grande alcance e a fim de que os benefícios de costumes saudáveis
sejam definitivamente expostos – tais alertas devem ser de fácil compreensão de modo que sejam
entendidos por todas as faixas etárias, de maneira geral. Dessa forma, a nação poderá desfrutar de
uma melhor qualidade de vida e índices, como os oferecidos pela OMS, poderão cair efetivamente.

Você também pode gostar