Você está na página 1de 3

Aluno(a): Everton Antunes Benevides Filho Disciplina: Leitura e Produção de Texto

Professor: Rodrigo Seixas Jornalismo – 1º Semestre - UFG

RESENHA CRÍTICA “JOGOS DE LINGUAGEM E EFEITOS DE SENTIDO DA


COMUNICAÇÃO JORNALÍSTICA.”

MOTTA, L. G. F.. Jogos de linguagem e efeitos de sentido da comunicação jornalística.


Estudos em Jornalismo e Mídia (UFSC), Florianópolis, Santa Catarina, v. Vol. 1, n.2, p.
117-134, 2004.

Luis Gonzaga Motta, jornalista e professor da Universidade Nacional de


Brasília, analisa a conjuntura da comunicação jornalística e os âmbitos que a
constituem. Segundo o autor, por mais que haja o compromisso de objetividade do
jornalismo, o qual se mune de funções linguísticas objetivas e de economia de termos, a
fim de transmitir informações da maneira mais objetiva possível; o caráter subjetivo e
interpretativo da comunicação jornalística também se faz presente. O autor discute as
demais áreas, além da objetividade, que marcam a produção jornalística e o processo
pelo qual se comunica nesta área.
Motta buscou avaliar o processo comunicativo do periodismo e reavaliar
algumas concepções equivocadas construídas acerca do fazer jornalístico, as quais
garantem a total objetividade e imparcialidade do profissional e a isenção de duplos-
sentidos. Embora haja esse consenso, Gonzaga Motta traz de maneira coesa as
justificativas para o caráter pragmático, simbólico e cognitivo de produção de sentidos
do jornalismo.
O texto é estruturado em cinco subtítulos, os quais denotam os diversos âmbitos
influentes na comunicação jornalística que o autor pretende justificar. No primeiro, Luis
Gonzaga, apresenta, de acordo com embasamentos nas áreas das ciências das
linguagens, a diferenciação entre o caráter referencial da língua, cujo objetivo é
transmitir informações de maneira verossímil, e emotivo, o qual preza pela transmissão
de emoções e sensações de um sujeito e suas implicações subjetivas. Contudo, o
jornalista ressalta que a dissociação entre estas não é definitiva e ambas as funções
podem ocorrer em um mesmo âmbito comunicativo (no caso abordado, o jornalismo).
No segundo tópico, o autor ainda argumenta que o caráter conotativo se faz
presente no processo jornalístico. A informação primeira, a qual é pautada pela
objetividade, habita o texto, mas por meio de processos de inferência, a mensagem
secundária, ou seja, conteúdos implícitos em uma mensagem, também se permitem
desvelar por meio de fatores extra-linguísticos e subjetividades do jornalista e leitor. No
terceiro e quarto tópicos, Luis Gonzaga aborda o caráter pragmático — de contexto —
da comunicação e a propriedade cognitiva — capaz de implicar sentimentos a quem lê,
vê ou ouve uma produção, respectivamente.
No quinto subtítulo, o autor evidencia o campo simbólico do ser humano e a
necessidade de produção de símbolos capazes de criar interpretações. Logo, o autor
defende que não se deve descartar a presença de símbolos no jornalismo, visto que o
homem faz uso destes para compreender o que está no seu entorno.
A obra tem papel fundamental ao propor o caráter objetivo do jornalismo
acompanhado de funções emotivas e que estas, por meio de vários âmbitos, produzem
sentidos implícitos ao seu público. Ao estabelecer as operações pragmática, simbólica e
de inferência no jornalismo, o autor estabelece uma nova visão do gênero e abre espaço
para enxergar a prática jornalística além da esfera objetiva.
Contudo, Gonzaga Motta introduz o conceito de pactuação entre o jornalista e o
leitor, mas não coincidentemente, visto que essa visão desatualizada é abordada por
meio de citação ao Filósofo H. Paul Grice 1, quem aborda os princípios de objetividade e
brevidade jornalística e sobretudo a credibilidade da comunicação jornalística
amplamente aceita pelo público, a fim de que haja a comunicação da mensagem. Essa
premissa já não é realidade, visto que diversas mídias sofrem descrédito ante à
sociedade, impulsionadas por motivos políticos e ideológicos. Logo, a avaliação do
autor necessita de uma revisão desta convenção e a análise das implicações que esta
mudança poderá causar no processo comunicacional e de produção de sentidos.
Portanto, Luis Gonzaga Motta exerceu papel relevante para o campo
comunicacional do jornalismo ao quebrar paradigmas convencionados há muito em
sociedade, entretanto careceu reavaliar outros, devido ao perfil dinâmico da sociedade,
enquanto leitora, seletiva e detentora de opiniões sobre os veículos de comunicação.
Mas esse fator não desmerece o avanço na discussão de uma comunicação dotada de
símbolos e mensagens subentendidas que produzem efeitos em quem as consome e
interpreta.

1
MOTTA, L. G. F.. Jogos de linguagem e efeitos de sentido da comunicação
jornalística. Estudos em Jornalismo e Mídia (UFSC), Florianópolis, Santa Catarina, v.
Vol. 1, n.2, p. 126-127, 2004.
REFERÊNCIAS

Você também pode gostar