Você está na página 1de 14

AS 12 CAMADAS DA

PERSONALIDADE

Teoria sistematizada pelo professor Olavo de Carvalho,


fenômenos psicológicos descritos por Piaget, Freud, Jung,
Lacan, dentre outros também são abordados na teoria das 12
camadas de acordo com o professor, essa teoria é uma
análise das fases da vida, infância, adolescência, as etapas da
vida adulta e finalmente, o fim. Cabe ressaltar que ninguém
abandona completamente a influência de uma camada
específica, elas funcionam como se fossem camadas de uma
cebola que vão se sobrepondo e coexistindo, o que muda é
qual delas exerce a principal influência em nossas vidas
conhecer cada uma delas nos ajuda a enfrentar os desafios
que nos impedem de amadurecer.

O QUE É A PERSONALIDADE?

A teoria nos diz que sua personalidade é o que você tem de


próprio é aquilo que você chama de seu de maneira única e
forte, quanto menos personalidade mais você se confunde
com a massa com uma pessoa genérica, quanto mais
personalidade, mais você é inconfundível, único, singular.
PRIMEIRA CAMADA DA
PERSONALIDADE

Nesta camada quem predomina é o corpo, a constituição


física nos leva a ter aptidões diferentes, não nos lembramos,
mas na primeira camada dominamos o corpo, buscando a
unidade, ou seja, controlar braços; pernas; caminhar; dormir;
acordar, por isso, o sofrimento próprio dessa camada
envolve o corpo, dores físicas como fome; sono; as
deficiências e doenças. O principal objetivo nessa camada é
dominar a própria constituição física.
SEGUNDA CAMADA DA
PERSONALIDADE

Parte do que motiva as pessoas, é explicado quando se


entende a vida de seus antepassados, em seus sucessos e
fracassos, as pessoas apresentam inclinação a repetir o que
seus pais e avós fizeram, você consegue imaginar uma linha
costurando as gerações? A ponta que começou com os seus
parentes está agora com você. Outra coisa, já aconteceu de
você se perceber agindo de uma forma e nem saber o
porquê? Além de notar que seus antepassados também
fizeram o mesmo já dizia o cantor: “minha dor é perceber
que apesar de termos feito tudo o que fizemos, ainda somos
os mesmos e vivemos, ainda somos os mesmos e vivemos
como os nossos pais” essa é uma camada que nos
acompanha por toda a vida porque acontece uma
personalização de gostos, desejos e preferências.
O sofrimento próprio dessa camada envolve problemas
hereditários e não estão sob controle do indivíduo. O
principal objetivo nessa camada é provar e gostar das
experiências vividas a partir de sensações dos sentidos por
exemplo: o paladar, texturas e cores.
TERCEIRA CAMADA DA
PERSONALIDADE

Pela primeira vez surge uma motivação consciente, neste


caso, a do conhecimento primário para entender melhor,
imagine uma criança na fase dos “porquês” o conhecimento
não é buscado para se gabar ou para ter ganhos, ela
simplesmente quer conhecer por conhecer, só pela
descoberta.
O sofrimento próprio dessa camada envolve os fracassos no
aprendizado, a duração da dor é curta e a evolução natural
da criança supera isso. São dificuldades vencidas com o
tempo, exercícios e nutrição, e o principal objetivo nessa
camada é exercer a Liberdade no aprendizado para entender
como as coisas funcionam.
QUARTA CAMADA DA
PERSONALIDADE

Definitivamente a quarta camada é uma das mais famosas é nela que


surge a questão da felicidade ou infelicidade que na infância não era
uma questão consciente, mas apenas uma reação automática
provocada pelo mundo. Entra em cena o universo da afetividade, a
carência, e a noção de um afeto recebido ou não.

Se a criança não tiver recebido um tipo específico de afeto de seus


pais ou parentes ela poderá ter problemas na adolescência e na vida
adulta, elas precisam se sentir seguras e notar a presença do afeto.
Adultos que não superam a quarta camada tendem a ser vitimistas,
levar questões objetivas para o lado pessoal e sentimental veem-se
de forma especial e com direito a praticamente tudo, além de se
sentirem ofendidos injustiçados com facilidade.

O sofrimento próprio dessa camada que envolve a percepção da


infelicidade e o sentimento de rejeição. As pessoas aqui querem
sentir que os outros gostam dela para que consiga agir. O principal
objetivo nessa camada é encontrar a aceitação e segurança
emocional.
QUINTA CAMADA DA
PERSONALIDADE

Nessa camada, as pessoas buscam ter orgulho de si mesmas ao se


notarem como autoras da própria vida, elas veem o mundo como
uma realidade objetiva e concreta, não consentimentos, agora a
intenção é validar a força encontrar obstáculos e enfrentá-los. Pode
ser discussão verbal, disputa física ou implicância, como objetivo
principal não é mais se sentir amado e sim ter respeito por si mesmo,
é normal distanciar-se um pouco dos pais nesta etapa, ser briguento
e arrogante, um exemplo é o típico jovem que quer vencer, pensar
que é forte e que consegue.

O sofrimento próprio dessa camada envolve o sentimento de ser um


perdedor, a falta de capacidade pessoal gera auto decepção não é o
que os outros pensam, mas o que cada um pensa de si mesmo, e o
principal objetivo nessa camada é vencer disputas e ganhar
autoconfiança.
SEXTA CAMADA DA
PERSONALIDADE

Na sexta camada, a busca de uma Vitória que alcance um bem


objetivo, a pessoa usa a sua capacidade para trabalhar e ganhar
dinheiro, aquilo que importa é o lucro, dinheiro no bolso, a
motivação é pagar as contas e sustentar a família, não receber
elogios ou simplesmente vencer disputas. O foco não está em como
nos sentimos, mas o resultado material das nossas ações para fazer
uma comparação, quem está na sexta camada ouve críticas e busca
se aprimorar para atingir melhores resultados, quem está na quarta
camada se sente magoado. O sofrimento próprio dessa camada
envolve prejuízos objetivos materiais por exemplo: falta de dinheiro
para pagar as contas. O principal objetivo nessa camada é ter
resultados práticos positivos lucro e sustentabilidade.
SÉTIMA CAMADA DA
PERSONALIDADE

Nessa camada, a motivação é entregar algo para a sociedade, o


indivíduo percebe que tem que cumprir o seu dever pelo bem da
coletividade, a principal motivação da pessoa acordar e se levantar
da cama é entregar sua vida em serviço aos outros, não se trata de
uma massagem no próprio ego ou de dinheiro, quem chegou aqui
entendeu o que seu trabalho pelos outros é o seu lugar no mundo,
sua razão de existir. O cumprimento de seu dever, a manifestação de
seu amor pelas ações.

O sofrimento próprio dessa camada é não cumprir o papel que a


pessoa sabe que deve, é causar dor nos outros por ter falhado no
dever. O principal objetivo nessa camada é compreender quem se é
no grupo e ficar bem com isso.
OITAVA CAMADA DA
PERSONALIDADE

Quem somos nós diante da morte ? De frente para o fim,


continuamos a fazer as mesmas coisas e nos sentimos em paz com a
vida ou sentimos que precisamos mudar e recomeçar?

Se as coisas que nós fazemos não tem um valor diante da morte


precisamos encontrar uma solução sobre isso. Vale um aviso, largar
tudo e mudar é a atitude de quarta camada. Quem entende o seu
dever, busca mudanças de forma responsável e segura. Aqui a
pessoa se preocupa com a noção de verdade e com a reflexão sobre
o bem e o mal.

O sofrimento próprio dessa camada é o sofrimento consigo mesmo,


o peso de julgar a vida inteira culpando unicamente a si mesmo, e o
principal objetivo nessa camada é encontrar o sentido da vida diante
da morte.
NONA CAMADA DA
PERSONALIDADE

Chegamos na camada da vida intelectual. Saiba que até os


analfabetos podem chegar na camada da vida intelectual e podemos
ter os maiores mestres e doutores longe daqui. Seu interesse será
buscar a verdade a qualquer custo, independentemente do que
aconteça, é não ter paz até encontrar a resposta buscada. Isso é
considerado como mais importante mais do que receber elogios,
dinheiro ou prestar serviços.

O sofrimento próprio dessa camada é a ausência de uma solução a


um problema intelectual, e o principal objetivo é alcançar a criação
intelectual inserir sua forma de ver o mundo na sociedade.
DÉCIMA CAMADA DA
PERSONALIDADE

Tudo o que você faz na sua vida corresponde ao ideal de verdade.


Aqui percebemos que podemos ser maus e não caminhar na
verdade, que podemos ser imorais, nos vemos como representantes
da espécie humana dotados de auto consciência e responsabilidade
pelos outros., morrer pelo que acreditamos não é um absurdo na
décima camada.

O sofrimento próprio nela é a percepção de que se for imoral isso é


um verdadeiro rasgo na própria biografia, e o principal objetivo
nessa camada é obter os meios para exercer suas Ideias na
sociedade.

DÉCIMA PRIMEIRA CAMADA


DA PERSONALIDADE

Chegamos a penúltima camada da personalidade, essa é a camada


do eu histórico, algumas pessoas mudam a trajetória da história
mundial conscientemente porque sabem que suas ações não
morrem.
A motivação da 11ª camada é a Constituição de uma personalidade
duradoura através do tempo, nesse caso, suas ações serão julgadas
pela humanidade, afinal elas mudam o curso da história
independente do resultado positivo ou negativo de suas ações.

Napoleão Bonaparte; George Washington; Lênin; Stalin; Alexandre o


Grande; Gengis Khan são outros exemplos de personalidades que
mudaram a história conscientemente.

O sofrimento próprio dessa camada é falhar nos atos históricos


pretendidos e não impactar, não modificar o rumo das sociedades, e
o principal objetivo nessa camada é mudar conscientemente o curso
da história com suas próprias ações.

DÉCIMA SEGUNDA CAMADA


DA PERSONALIDADE

Finalmente chegamos a última camada da personalidade, essa é a


camada do sujeito transcendental, quem chegar nesta camada vai
priorizar quem ele é diante de Deus, a maior parte das pessoas tem
religião e vive uma espiritualidade “ritos” frequenta cultos, mas
mesmo estas pessoas termina o mês pensando em dinheiro, nos
problemas do mundo e na morte. Em qualquer camada é possível
gostar de Deus, mas nas camadas inferiores a motivação principal
por excelência não é Deus em si mesmo, na 12ª camada você sente o
tremor de ter de responder a um ser infinito enigmático; complexo;
inevitável é aqui que é um encontro com o sentido da vida.
Por excelência, os exemplos tradicionais dos que alcançaram essa
camada são os de Moisés, Maomé, Gandhi, Sidarta Gautama e os
Santos católicos, o sofrimento próprio dessa camada é decepcionar a
Deus, e o objetivo é alcançar a Redenção.

E assim fechamos o ciclo da vida humana as camadas explicam a vida


daquele que possui um corpo; se manifesta; aprende; supera a sua
necessidade afetiva; confronta o mundo em busca da Vitória;
Conquista habilidades úteis; descobre um dever social; vê-se diante
da morte; busca a verdade; busca vida moral; constitui um eu
histórico e alcança a transcendência diante de Deus.

Você também pode gostar