Você está na página 1de 14

II Colóquio Discurso e

Práticas culturais -
Dipracs online
COMENDO O PAÍS TROPICAL

Thiago Pondé (UFBA)


Aline Carvalho (UFRJ)
Tropifagia: comendo o país tropical

SUMÁRIO Epistemologias do Sul global

Produção de conhecimento sensível/Cena


Tropifágica - Acervo Comendo o País Tropical
e Curto Circuito Sonoro

Considerações finais
Tropifagia: ●


2010 – 2017: Cena Tropifágica
2016: Pesquisa no Pós Cultura/UFBA
Comendo o país tropical
● 2020: EdUFBA
Tropifagia: comendo o país tropical
● O Brasil como símbolo
● A dimensão criativa e filosófica da arte
● As diversas culturas humanas que nos compõem como país

● Marco cultural-histórico:
Antropofagia; Tropicália; Cultura Viva

● Marco teórico e procedimentos metodológicos:


Conhecimento pós moderno (B. S. Santos)
Premissas de um paradigma emergente
Epistemologias
do Sul global
Epistemologias do Sul global e
ciência popular na América Latina

● Paulo Freire (Brasil)


● Orlando Fals Borda (Colômbia)
● Gloria Anzaldúa (México)
● Silvia Cusicanqui (Bolívia)
● Maritza Montero (Venezuela)
● Ignacio Martín-Baró (El Salvador)
Produção de “A pauta do artista é uma folha em
conhecimento branco”.
sensível (Gilberto Gil, 2020, p.109)

“O sensível: cosmovisão do humano”.


(Pondé & Carvalho, 2020, p.175).
- Por uma outra filosofia: pensar a estética a partir da obra nietzscheana
(1992).
- As três dimensões do conceito tropifagia (Pondé & Carvalho, 2020).
- A questão brasileira: a ética de fundo emotivo (Holanda, 1963).
- A prática artística como agente de mediação sensível das diversidades.
- A experiências dos intercâmbios culturais (a noção de interidentidade).
“A vivência da arte e da sensibilidade enquanto dispositivo de reterritorialização das
existências faz-se possível nessa nova conjuntura filosófica, (...), considerando sujeitos
como criadores de sentidos estéticos – o potencial artista que todo sujeito é”. (Pondé &
Carvalho, 2020, p.194).
Cena Tropifágica (2010- 2017)
- Acervo Comendo o País
Tropical (2016) e Curto
Circuito Sonoro (2016).
FOTOS

Curto Circuito Sonoro (2016)

Encontro com Gilberto Gil (2010)

Foto de Ricardo Castro

Foto de Guilherme Barcelos


CONSIDERAÇÕES FINAIS

- Tropifagia como uma experiência em diálogo com


epistemologias do Sul Global.

- Pensar e disputar o Brasil diante da atual conjuntura


sociopolítica.

- O papel da sensibilidade e da arte nas interlocuções


entre a diversidade.
REFERÊNCIAS
Andrade, O. de (1970). Obras completas: do pau-brasil à antropofagia e às utopias (2º ed.). Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira.

Anzaldúa, G. (1999). Borderlands / La Frontera: The New Mestiza (2º ed.). San Francisco: Aunt Lute Books.

Cusicanqui, S. R. (2020). Ch'ixinakax utxiwa: On Decolonising Practices and Discourses. Cambridge: Polity Books.

Fals Borda, O. & Rahman, M.A. (Eds.). (1991). Acción y conocimiento: Cómo romper el monopolio con Investigación-Acción
Participativa. Bogotá: Cinep.

Freire, P. (1981). Pedagogia do Oprimido (9º ed.). São Paulo: Paz e Terra.

Fricker, M. (2007). Epistemic injustice: Power and the ethics of knowing. Oxford: Oxford University Press.
REFERÊNCIAS
Guimarães Santos, B. R. (2017). Injustiças epistêmicas, Dominação e Virtudes. In: F. De M. Müller & K. M. Etcheverry
(eds.). Ensaios sobre epistemologia do testemunho (p. 143-172). Porto Alegre: Editora Fi

Holanda, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. Brasília: Ed. UnB, 1963.

Lane, S. T. M. (2002). A Psicologia Social na América Latina: por uma ética do conhecimento. In: R. H. F. Campos & P.
Guareschi. Paradigmas em Psicologia Social: a perspectiva latino-americana (pp. 56-65). Petrópolis: Vozes, 2002.

Martín-Baró, I. (1986). Hacia una psicologia de la liberación. Boletín de la Revista de la Asociación Venezolana de
Psicología Social (AVEPSO). XII(3), 6-17.

Montero, M. (2010). De la ética del individualismo a la ética de la otredad: la noción de Otro y la liberación de la
psicología. Postconvencionales, nº1, p. 83-97.

Nietzsche, F. (1992). O Nascimento da Tragédia ou Helenismo e Pessimismo. (J. Guinsburg, Trad.). São Paulo:
Companhia das Letras, 1992.

Pondé, T. & Carvalho, A. (2020). Tropifagia: comendo o país tropical. Salvador: EdUFBA.
REFERÊNCIAS
Quijano, A. (2010). Colonialidade do poder e classificação social. In B. de S. Santos & M. P. Meneses (Orgs.). Epistemologias
do Sul (pp. 84-130). São Paulo: Cortez

Santos, B. de S. (1987). Um discurso sobre as ciências (5a. ed). Porto: Edições Afrontamento.

Santos, B. de S. (1993). Modernidade, identidade e cultura de fronteira. Tempo Social: Revista Sociológica da USP, v. 5 (1-
2), 31-52.

Santos, B. de S. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. Revista Novos estudos -
CEBRAP, São Paulo, n. 79, p. 71-94, Nov. 2007

Santos, B.V. & Meneses, M.P. (Orgs.). (2010). Epistemologias do Sul. São Paulo: Ed. Cortez.

Silveira, Nise da. (2017). Imagens do inconsciente. Petrópolis: Vozes.

Você também pode gostar