Você está na página 1de 30

GRANDEZAS ELÉTRICAS BÁSICAS

POR QUE A ELETRICIDADE É UMA FORMA DE


ENERGIA TÃO IMPORTANTE?

• Porque pode ser gerada em grandes


quantidades e com custo razoável.

• Porque pode ser transmitida a grandes


distâncias sem necessidade de veículos
de transporte ou tubulações.

• Porque pode ser transformada em outras formas de energia com muita facilidade e
alto rendimento.
Aquecedor
Lâmpada

Motor elétrico Alto falante


ESTRUTURA ATÔMICA DA MATÉRIA
As propriedades elétricas dos materiais podem ser
explicadas a partir de sua estrutura atômica
Ernest Rutherford
(1871 - 1937)
Um modelo simples: o átomo de Rutherford

Para o estudo de Eletrotécnica só Lacunas podem ser tratadas como se


interessam os elétrons da órbita mais fossem cargas positivas
externa.
CONDUTORES E ISOLANTES

CONDUTORES ISOLANTES

Pequenas quantidades de energia são Elétrons-livres só podem ser gerados à


suficiente para produzir elétrons-livres custa de altas quantidades de energia

Mesmo à temperatura ambiente, a A densidade de elétrons-livres é muito


densidade de elétrons-livres é alta pequena, qualquer que seja a temperatura

Exemplos: cobre, alumínio e ouro Exemplos: borracha, madeira, papel


Alguns termos podem ter duplo significado:

Dispositivo que usa


- Carga elétrica CARGA a energia fornecida
Elétron por uma fonte
Motor elétrico

Material que favorece Elemento usado na


a passagem de CONDUTOR interconexão de
corrente elétrica dispositivos
Cobre Fios e cabos

Elemento usado para


Material que dificulta a
bloquear a corrente em
passagem de corrente ISOLANTE
circuitos elétricos
Tântalo elétrica Isolador
COMO SE ESPECIFICA A CORRENTE?
A corrente é caracterizada por dois parâmetros:

MÓDULO* SENTIDO

É dado pela variação da carga q Mostra o deslocamento das cargas


que passa pelo condutor em durante portadoras da corrente
o intervalo de tempo t
É indicado através de uma seta
q colocada próxima ao condutor
i
t

Um sinal negativo antecedendo o módulo da corrente indica que seu


sentido é o oposto àquele indicado pela seta

- 2A 2A
Exemplo:
=
* Alguns eletricistas chamam o módulo da corrente de amperagem.
Uma dúvida pertinente:
QUE TIPO DE CARGA SE MOVIMENTA
NOS CONDUTORES?

POR QUE O SENTIDO CONVENCIONAL É MAIS USADO?

• Por tradição histórica


• Por se adequar ao conceito de “carga básica positiva” usado em Física.
MEDIDORES DE CORRENTE: AMPERÍMETROS

Miliamperímetro analógico

Amperímetro digital de painel

Multímetro digital “alicate”


ALGUNS EFEITOS E APLICAÇÕES DA CORRENTE

Geração de campos Efeitos fisiológicos


Aquecimento magnéticos

• Aquecedores elétricos • Motores elétricos • Equipamentos de


segurança
• Chuveiros elétricos • Transformadores
• Tratamento médico
• Lâmpadas incandescentes • Chaves elétricas
• Fusíveis e disjuntores • Instrumentos de medida

• Perdas nos condutores • Interferências • Choque elétrico


(Efeito Joule)
ENTENDENDO GRÁFICOS: CC CA

CORRENTE CONTÍNUA (CC) CORRENTE ALTERNADA (CA)

NA PRÁTICA
NA PRÁTICA
CA é aquela que apresenta forma
CC é aquela que mantém o
de onda sinusoidal
sentido e o módulo inalterados
COMO SE ESPECIFICA A TENSÃO?
A tensão é caracterizada através de 2 parâmetros:

MÓDULO POLARIDADE

Dado pela razão entre a energia Indica o sentido de deslocamento das


fornecida à uma carga para movimentá- cargas elétricas portadoras de corrente
la e o módulo q desta carga:
Indicada por um par de sinais + e -.
u
q

Um sinal negativo antecedendo o módulo da tensão indica que sua


polaridade é o oposto daquela indicado pelos sinais + e -.
MEDIDORES DE TENSÃO: VOLTÍMETROS E
OSCILOSCÓPIOS

Voltímetro analógico de painel

Voltímetro digital de painel

Osciloscópio
COMO A TENSÃO É GERADA?
 Reações químicas  Fenômenos eletromagnéticos

• pilhas elétricas
• baterias
• célula de combustível • alternadores
• dínamos

 Conversão fotovoltaica  Efeito Peltier-Seebeck

 Efeito Piezelétrico

• painel solar (fotovoltaico)


CC e CA: DE NOVO?

O termo CC virou sinônimo de funções invariáveis com o tempo


Tensão CC é aquela que mantém inalterados o módulo e a polaridade

Pilhas elétricas Bateria automotiva

O termo CA virou sinônimo de funções que varia de forma sinusoidal


Tensão CA é aquela cuja forma de onda é cíclica e se assemelha a uma senóide

Alternador

Gerador a gasolina
CONVERSÃO CC/CA
RETIFICAÇÃO: transformação CA CC
É muito utilizada em equipamentos portáteis e circuitos que necessitam alimentação CC.

Computador

Carregador de pilhas Eliminador de pilhas Motor de CC

INVERSÃO: transformação CC CA
É usada em circuitos que têm saída CA mas que são alimentados por fontes CC.

Gerador eólico*

No-break Painel solar*

* alguns modelos e/ou situações


CC X CA: Prós e Contras

TIPO DE TENSÃO PRÓS CONTRAS

• Portabilidade. • Custo proibitivo para grandes


• Custo baixo para pequenas quantidades de energia.
quantidades de energia. • Máquinas de CC são mais
CONTÍNUA • Possibilidade de caras e necessitam de mais
armazenamento (baterias). manutenção.
• Perdas apenas por efeito • Inversão mais complexa e
Joule onerosa que a retificação.

• Facilidade/bom custo de • Perdas por indutância e


geração. capacitância na transmissão e
• Máquinas de CA são mais distribuição.
baratas (motores de indução). • Choques elétricos mais
ALTERNADA • Facilidade de alteração de perigosos
níveis (transformadores). • Impossibilidade de
• Facilidade na transmissão e armazenamento direto
distribuição.
• Retificação simples e barata
ESTRUTURA DOS SISTEMAS DE ENERGIA ELÉTRICA

GERAÇÃO

Usinas • Hidrelétricas
• Termelétricas TRANSMISSÃO
• Nucleares
• Eólicas

DISTRIBUIÇÃO

Linhas de transmissão

CONSUMIDOR
Linhas de distribuição
TÍPICO SISTEMA DE TRANSMISSÃO/DISTRIBUIÇÃO DE
ENERGIA ELÉTRICA
ENERGIA
É um conceito intuitivo, que indica a capacidade de um sistema realizar trabalho. Em
Eletrotécnica pode ser interpretada como a grandeza capaz de alterar o comportamento
das cargas elétricas de um circuito.

UNIDADE: 1 Joule (J) SÍMBOLO:

Em Eletricidade é comum usar-se o quilowatt-hora (kWh)

A energia elétrica pode ser obtida a partir de outras formas de energia (mecânica,
solar, nuclear, etc.)

Ela também pode ser facilmente convertida em outras formas de energia

Mecânica
Térmica

ELÉTRICA

Luminosa Sonora

Formação de campos
eletromagnéticos
RELAÇÃO ENTRE A ENERGIA E O NOSSO BOLSO
O consumo (de energia elétrica) é um dos componentes da estrutura
tarifária.
Os consumidores são divididos em
• grupos – de acordo com os níveis da tensão de alimentação
• classes – de acordo com a natureza da atividade exercida
O valor do kWh é diferenciado de acordo com o grupo e a classe do consumidor

O que se paga mensalmente às companhias concessionárias é a energia


elétrica consumida.

MEDIDORES DE ENERGIA ELÉTRICA


Mecânicos Eletrônicos

Analógico

Digital
POTÊNCIA
A potência (p) expressa a “velocidade” com que a energia em um dispositivo está sendo
transformada em um dispositivo ou sistema.

p
t
UNIDADE: Watt (W)

Múltiplos e submúltiplos comuns: megawatt (MW) = 1.000.000 W = 106 W


quilowatt (kW) = 1.000 W = 103 W
miliwatt (mW) = 0,001 W = 10-3 W

Cálculo da potência em equipamentos elétricos

q
p p u i
t q t

A potência instantânea pode ser determinada pelo produto da


tensão pela corrente a cada instante
MEDIDORES DE POTÊNCIA ELÉTRICA:
WATTÍMETROS

Wattímetro digital

Wattímetro analógico

Alicate wattímetro digital


TERMINOLOGIA USADA NOS SISTEMAS
TARIFÁRIOS
DEMANDA = potência

CONSUMO = energia

CONSUMO

EXEMPLO 19-20h: 0,1 kW x 1 h = 0,1 kWh


Lâmpadas de 100 W ligadas 20-21h: 0,2 kW x 1 h = 0,2 kWh
em horários diferentes 21-22h: 0,3 kW x 1 h = 0,3 kWh

0,6 kWh

Demanda máxima: 300W

DEMANDA 100 W 200 W 300 W Consumo total: 0,6kWh


(0,1 kW) (0,2 kW) (0,3 kW)
POTÊNCIA ELÉTRICA POTÊNCIA MECÂNICA
Exemplo de um sistema elétrico: o motor elétrico

ENTRADA SAÍDA

Potência Potência
elétrica mecânica

cavalo-vapor (cv) = 736 W


Watt
Perdas horse-power (hp) 747 W

RENDIMENTO ( ): indica o quanto de potência (ou energia) é perdido na operação do


sistema

Ps Ps = potência na saída
Pe Pe = potência na entrada

Nos cálculos efetuados, as potências de entrada e saída devem estar expressas


nas mesmas unidades
CARACTERÍSTICAS NOMINAIS TÍPICAS DE ALGUNS
APARELHOS ELETRO/ELETRÔNICOS
Fonte: BRASIL - Ministério de Minas e Energia
Potência média Dias estimados Consumo médio mensal
Aparelhos Média utilização/dia
(W) uso/mês (kWh)
Aquecedor de ambiente 1550 15 8h 186
Ar-condicionado 7.500 btu 1000 30 8h 120
Ar-condicionado 10.000 btu 1350 30 8h 162
Ar-condicionado 15.000 btu 2000 30 8h 240
Ar-condicionado 18.000 btu 2100 30 8h 252
Boiler 100 l 2030 30 6h 365,4
Boiler 200 a 500 l 3000 30 6h 540,0
Bomba d'água 1/4 cv 335 30 30 min 5,02
Bomba d'água 1/2 cv 613 30 30 min 9,20
Bomba d'água 1 cv 1051 30 30 min 15,77
Chuveiro elétrico (*) 3500 30 40 min 70,0
Computador/impressora/estabilizador 180 30 3h 16,2
Ferro elétrico automático 1000 12 1h 12,0
Fogão elétrico 4 chapas 9120 30 4h 1094,4
Forno à resistência grande 1500 30 1h 45,0
Forno à resistência pequeno 800 20 1h 16,0
Forno microondas 1200 30 2O min 12,0
Freezer (**) 130 30 10 h 39

* Considerados 5 (cinco) banhos de 8 (oito) minutos cada


** O tempo médio de utilização de 10h/dia para o freezer se refere ao período em que o compressor está ligado, para manter o interior na
temperatura desejada.
CARACTERÍSTICAS NOMINAIS TÍPICAS DE ALGUNS
APARELHOS ELETRO/ELETRÔNICOS (cont.)
Potência média Consumo médio mensal
Aparelhos Elétricos Dias estimados uso/mês Média utilização/dia
(W) (kWh)

Geladeira 1 porta (*) 90 30 10 27


Geladeira 2 portas (*) 130 30 10 39
Lâmpada fluorescente compacta - 11w 11 30 5h 1,65
Lâmpada fluorescente compacta - 15 w 15 30 5h 2,2
Lâmpada fluorescente compacta - 23 w 23 30 5h 3,5
Lâmpada incandescente - 40 w 40 30 5h 6,0
Lâmpada incandescente - 60 w 60 30 5h 9,0
Lâmpada incandescente -100 w 100 30 5h 15,0
Lavadora de louças 1500 30 40 min 30,0
Lavadora de roupas 500 12 1h 6,0
Máquina de furar 350 1 1h 0,35
Secadora de roupa grande 3500 12 1h 42,0
Secadora de roupa pequena 1000 8 1h 8
Torneira elétrica 3500 30 30 min 52,5
TV em cores - 14" 60 30 5h 9,0
TV em cores - 29" 110 30 5h 16,5
TV portátil 40 30 5h 6,0
Ventilador de teto 120 30 8h 28,8
Ventilador pequeno 65 30 8h 15,6
Videocassete 10 8 2h 0,16
* O tempo médio de utilização de 10h/dia para a geladeira se refere ao período em que o compressor está ligado, para manter o interior na
temperatura desejada.

Você também pode gostar