Você está na página 1de 2

ÉTICA Prof.

Imerson NÃO MARCAR NADA NO TEXTO


A ética é a casa do homem, diziam os primeiros filósofos gregos no século VI a. C. Ética surge do grego ethos
que significa "modo de ser" ou "caráter". Para eles, o ethos agia e acolhia os indivíduos-cidadãos, aqueles
responsáveis pelos destinos da polis (cidade). Nesta permanência os homens sentiam-se em segurança. Isto
significa que, vivendo de acordo com as leis, os cidadãos poderiam tomar a sociedade melhor e também
encontrar nela seu cuidado. A ética surgiu como consequência das leis edificadas pelos hábitos e das virtudes
e hábitosgerados pelo caráter dos homens. As práticas apontam o conjunto denormas e regras adquiridas
por hábito. O ethos refletem à palavra mos (moris) da língua latina, da qual se origina o termo moral. Ética e
moral são, do ponto de vista etimológico, sinônimos. Todavia, hoje podemos assegurar uma diferença entre
um e outro, porque a ética se coordena como uma parte da filosofia que trata da moral ou da moralidade do
ser humano. Isto é, a moral se apresenta nos dias de hoje como um objeto da ética. A iniciar pelas origens do
pensamento grego, o mundo do ethos envolve a coletividade (intersubjetividade) e a individualidade
(subjetividade) dos indivíduos favorecidos de sentimento e razão.  
Para falar sobre um dos ramos da filosofia dedicado aos assuntos morais que norteiam um meio social, é
necessário refletir sobre os dilemas da conduta dos indivíduos, na contemporaneidade, em todos os âmbitos
sociais, a começar na família, na escola, no trabalho e assim sucessivamente. Pensar nos descaminhos dos
seres humanos, refletidos na violência, na exclusão, no egoísmo e na indiferença pela sorte do semelhante e
até mesmo da sociedade. Na atualidade a ética abrange uma vasta área, podendo estar relacionada com
temas ligados ao ambiente familiar, escolar, profissional, econômico, social e político. Existem códigos de ética
profissional que indicam como o indivíduo deve se comportar no âmbito da sua profissão. Nos dias atuais com
um mundo cada vez mais globalizado e competitivo, as pessoas preocupam-se com a ética nos seus negócios
mostrando-se cada vez mais eficazes para competir com sucesso e obter resultados positivos. Um outro
exemplo a ser citado é na arena política onde a sociedade tem exigido cada vez mais a moralidade de seus
agentes e representantes e cada vez mais “condenando” as ações que saqueiam os cofres públicos tirando do
povo o recurso que deveria ser empregados na prestação de serviços a população (educação, saúde,
segurança, infraestrutura).Na arena política vale destacar a importância que os conceitos de democracia e
direitos humanos assumiram que são também, simultaneamente, de caráter moral: como por exemplo, a
partir da discussão em torno dos conceitos de liberdade, igualdade e justiça social. Mas o que é certo, o que é
errado? Existe uma série de discussões políticas relativas aos direitos de grupos sociais as quais devem ser
percebidas como questões morais: a questão do aborto, por exemplo, que ocasiona grande polêmica quando
posto em pauta, os direitos dos deficientes, a eutanásia, entre outras questões. São temas complexos que
perpassaram o tempo e hoje resultam em discussões que esbarram no senso ético para a resolução de cada
situação em seu tempo. Diretamente relacionada ao aspecto político, a ética nos remete também à noção de
cidadania e a vida em comunidade com o objetivo da realização das pessoas. A ética na cidadania busca refletir
sobre o comportamento humano sob o ponto de vista das noções de bem e de mal, de justo e injusto,
abrangendo as normas morais e as normas jurídicas; a ética na cidadania busca um meio em que as pessoas
possam interagir na sociedade obedecendo tais leis morais para um bom desempenho da comunidade
humana. Se nós partirmos do princípio de que ninguém nasce com preceitos morais internalizados, temos que
admitir que é pela educação que o indivíduo tem a chance de construir sua personalidade moral E em uma
sociedade competitiva e individualista como a que vivemos, pode parecer utopia aspirar por valores como a
justiça, baseados na reciprocidade e no compromisso pessoal. Assistimos todos os dias ao retrato de um país
que esqueceu esse “princípio da vida”. Nem é preciso dizer quem mais sofre com esse descompromisso. Nesse
descompasso, patologias sociais como as desigualdades e a corrupção se proliferam ficando cada vez mais
aguçando a crise dos valores morais e sociais. E isso atinge a humanidade, de modo geral. A ética supõe-se a
necessidade da reflexão sobre valores sociais em meio a crise estabelecida reduzida ao individualismo e à
competitividade, por isso, se torna necessário, mais do que nunca, uma preocupação com o social. Sim,
porque a crise da Humanidade é uma crise moral. Evidencia-se aqui, a falta de ética nos vários âmbitos. A
discussão sobre a justiça social é também uma discussão moral, admitindo que os valores das ações sociais
estejam deturpados devido à lógica do sistema vigente. Bem e mal, certo e errado, justo e injusto cederam
lugar ao sentimento de sobrevivência, do “salva-se quem puder” ou do interesse pessoal e particular numa
sociedade exploradora, que mascara a liberdade, condição fundamental para a realização de ações morais.
Ademais, vivemos em uma sociedade globalizada, onde o mundo se tornou uma grande aldeia global. Em
época alguma se atingiu um nível de inter-relacionamento que nos permitisse falar em um mercado mundial
que determina a produção, a distribuição e o consumo de bens, e em uma cultura da virtualidade real, que liga
todos os pontos do globo e influencia comportamentos. E em meio a esse processo fala-se ainda de uma “ética
do mercado”.Em meio a todos estes aspectos sociais e globais, faz-se necessário que cada ser humano esteja
consciente de que não bastam as reflexões, é preciso mudar conceitos, ter condutas condizentes com o que
harmoniza a sociedade em todos os seus segmentos. Não se pode desconsiderar que, tanto no âmbito das
relações humanas, quanto no político, econômico, enfim, social, constantemente são feitos julgamentos de
forma moral.
Basta observar que um grande espaço nas discussões entre amigos, na família ou no trabalho abrange aqueles
sentimentos que pressupõem juízos morais: indignação, rancor, sentimentos de culpa e vergonha. Também no
domínio político julga-se moralmente de forma contínua, e valeria a pena considerar que aparência teria uma
disputa política não conduzida pelo menos por categorias morais.
Contudo, não há receitas para o agir bem: o compromisso consigo, com os outros, com as novas
gerações exige um estado de alerta constante. Viver sob os moldes da moral não é tarefa simples nem fácil,
mas há a possibilidade de participar de um mundo moral. E o que podemos tirar de lição é que os problemas
éticos presenciados na atualidade não vão se resolver apenas por tentativas isoladas de educação ou instrução
ética dos indivíduos. É preciso vontade individual e política de alterar as condições sociais geradores das
mazelas sociais como a violência, a corrupção, a exploração, vicissitudes dos que estão à margem da
sociedade. Em outras palavras: não basta “reformar o indivíduo” para “reformar a sociedade”; é preciso
reformar a ambos. Um projeto moral desligado de um projeto político sucumbiria ao fracasso. Os dois
processos caminham juntos, pois formar o ser humano plenamente moral, ético, só é possível na sociedade
que também se esforça para ser justa e democrática, com direitos igualitários a todos, sem exceção.
E sendo a ética a ciência que estuda o comportamento humano (como o entedia o filósofo grego
Aristóteles) com ênfase tantos nos valores individuais como nos valores do individuo perante a comunidade a
qual pertence, faz-se mister exigir de cada um e da sociedade seriedade e dignidade nos seus atos sejam eles
políticos, sociais, culturais, religiosos ou morais. É sempre importante fazer uma análise de como a ética se faz
presente em nossa vida, nos dias atuais, pois se observa que certos valores que cada indivíduo assimila no
decorrer de sua formação como pessoa, muitas vezes adquiridos em sua família, escola, enfim, tais valores
procuram nos guiar através de nossas escolhas, entre o certo e o errado, o bem e o mal, possuímos uma
liberdade de escolha que nos faz mais responsáveis por nossas ações e que vem a nos incentivar a colocar em
prática nosso respeito e dignidade, levando em conta o bem comum de todos a nossa volta.
COPIAR E RESPONDER NO CADERNO 1) qual o significado de ética? 2) O que se esperava da ação ética? 3)
como surgiu a ética? 4) o que reflete o ethos? 5)0 Por que é necessário reflletir sobre a conduta humana? 6)
que abrange a ética? 7) o que busca a ética na cidadania? 8) Nascemos com preceitos morais? Explique. 9) o
que se supõe da ética?

Você também pode gostar