Você está na página 1de 12

C A D E R N O

H0901
SEQUÊNCIA DIGITAL 1
1º BIMESTRE 2022
CIÊNCIAS HUMANAS 9º ano do Ensino Fundamental

Nome da Escola
Nome do Aluno
Data Turma

UTILIZE O LEITOR RESPOSTA ABAIXO DESSA LINHA ENQUADRANDO A CÂMERA APENAS NAS BOLINHAS

A B C D
01
02
03
04
05
06
07
08
09
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
H0901

01) (H090445I7) Leia o texto abaixo.

[...] O Diretório dos Índios, conhecido como Diretório Pombalino (Lei de 1755), assinado por
Dom José, Rei de Portugal, foi uma política indigenista de Estado com poder de organização social
e pressão política sobre a vida dos ameríndios na Região Norte do Brasil. No que tange à questão
das diretrizes do documento colonial, observa-se que o objetivo era aplicar fundamentalmente
uma ética disciplinadora e moralizadora do nativo por meio da construção dos aldeamentos
coletivos e do trabalho persistente na agricultura como forma de catequizá-los e civilizá-los. [...]
ALMEIDA, Antonio Cavalcante. Aspectos das políticas indigenistas no Brasil. Interações 19 (3). Campo Grande, 2018. Disponível em:
<https://bityli.com/zbYeT>. Acesso em: 2 fev. 2022. Fragmento.

De acordo com esse texto, as políticas indigenistas do século XVIII visavam


A) integrar os costumes indígenas à cultura oficial da colônia.
B) romper com a estrutura cristã da colônia portuguesa.
C) submeter as práticas indígenas à lógica colonizadora.
D) valorizar as distintas crenças religiosas da colônia.

02) (H090447I7) Leia o texto abaixo.

Proclamação da República

[...] as manifestações públicas começaram a se tornar comuns e críticas ao imperador


cresciam. Um atentado contra o carro do imperador, em julho de 1889, motivou o Império a proibir
manifestações públicas em defesa da república, mas o Brasil estava em um caminho sem volta,
pois o grupo de insatisfeitos era muito grande.
Em novembro de 1889, a conspiração estava em curso e contava com nomes como Aristides
Lobo, Benjamin Constant, Quintino Bocaiuva, Rui Barbosa, Sólon Ribeiro, entre outros. O que
faltava para os conspiradores era a adesão do marechal Deodoro da Fonseca, um militar influente
e primeiro presidente do Clube Militar. [...]
NEVES, Daniel. Proclamação da República. Brasil Escola, s.d. Disponível em: <https://bityli.com/rKbON>. Acesso em: 2 fev. 2022.
Adaptado para fins didáticos. Fragmento.

De acordo com esse texto, uma das causas da Proclamação da República brasileira foi a
A) ampliação da influência religiosa.
B) desconfiança no exército nacional.
C) inserção social dos negros libertos.
D) instabilidade da estrutura política.

03) (H090449I7) Leia o texto abaixo.

[...] Em junho de 1931, uma nuvem de fumaça gigantesca, que vinha de uma enorme fogueira,
pairava sobre a cidade de Santos, no Litoral de São Paulo, por onde escoava boa parte das
exportações do café brasileiro. Acesa durante as festas juninas, a fogueira duraria até o fim do
ano – mas tinha pouco a ver com a comemoração de São João. Ela fora iniciada para queimar os
estoques de café, então responsável por 70% das exportações brasileiras, que se acumularam
com a retração do mercado externo. Enquanto o fogo durou, consumiu milhões de sacas. O
aroma do café torrado era tão forte que ultrapassava as fronteiras municipais. Era contido apenas
pelas encostas da Serra do Mar, que se estende pela costa paulista. [...]
Disponível em: <https://bityli.com/HnNbX>. Acesso em: 2 fev. 2022. Fragmento.

Com base nesse texto, a queima dos estoques de café pelo governo brasileiro buscava
A) controlar os impactos da crise econômica mundial.
B) estimular o processo econômico de industrialização.
C) incentivar as relações econômicas internacionais.
D) romper com as atividades econômicas agrícolas.
1 BL01H09
H0901

04) (H090452I7) Leia o texto abaixo.

A sociedade durante a República Velha

[...] São Paulo e Rio de Janeiro passaram por uma profunda urbanização, criando avenidas,
iluminação pública, transporte coletivo (bondes), teatros, cinemas e, principalmente, afastando
as populações pobres dos centros das cidades. Mas não foi apenas nestas duas cidades que
houve mudanças, já que a mesma situação se verificou em Manaus, Belém e cidades do interior
paulista, como Ribeirão Preto e Campinas.
Esse processo contou também com a vinda ao Brasil de milhões de imigrantes europeus e
asiáticos para trabalharem tanto nas indústrias quanto nas grandes fazendas. O fluxo migratório
na República Velha alterou substancialmente a composição da sociedade, intensificando a
miscigenação, fato que, aos olhos das elites do país, poderia levar a um embranquecimento da
população [...]
PINTO, Tales. A sociedade durante a República Velha. Brasil Escola, s.d. Disponível em: <https://bityli.com/uGTtA>.
Acesso em: 2 fev. 2022. Fragmento.

De acordo com esse texto, a urbanização no contexto da República Velha representou a


A) elaboração de um projeto político para criação de empregos.
B) manutenção das desigualdades sociais do período imperial.
C) preocupação com a integração dos bairros populares.
D) superação do racismo relacionado ao escravismo colonial.

05) (H090451I7) Leia o texto abaixo.

[...] A Guerra do Paraguai é assunto que sempre causou fortes divergências entre os
historiadores. No entanto, estudos realizados a partir da década de 1990 levaram ao surgimento
de uma nova interpretação sobre as causas do conflito. [...]
As causas da Guerra do Paraguai concentravam-se, principalmente, na década de 1860,
quando os diferentes interesses defendidos pelos governos paraguaio e brasileiro levaram
a desentendimentos que fizeram o Paraguai atacar o Brasil. Esses desentendimentos
intensificaram-se a partir da posse de Francisco Solano López como ditador do Paraguai, em
1862. [...]
SILVA, Daniel Neves. Guerra do Paraguai. História do Mundo, s.d. Disponível em: <https://bityli.com/jqkNz>. Acesso em: 3 fev. 2022.
Adaptado para fins didáticos. Fragmento.

Com base nesse texto, a participação do Brasil na Guerra do Paraguai foi motivada pela
A) autoridade brasileira na administração paraguaia.
B) democratização econômica e política do continente.
C) influência de fatores políticos e territoriais.
D) união brasileira com a nação uruguaia.

2 BL01H09
H0901

06) (H090453I7) Leia o texto abaixo.

[...] Em 1910, através do Decreto nº 8.072, e em razão das repercussões dos graves conflitos
entre indígenas e colonos, a União criou o Serviço de Proteção aos Índios e Localização dos
Trabalhadores Nacionais – SPILTN, vinculado ao Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio,
e nomeou como seu diretor o Marechal Rondon. [...] Até a criação deste Serviço de Proteção aos
Índios, a ação oficial face ao indígena orientava-se totalmente para a satisfação dos interesses
econômicos e sociais dominantes, que usurpavam dos indígenas suas terras e sua força de trabalho.
O SPI apresentou algumas contradições que merecem destaque. Ao mesmo tempo em que
propunha respeitar as terras e a cultura indígena, sua ação transferia os indígenas, liberando
territórios indígenas para a colonização. Os métodos e técnicas educacionais adotados
estabeleciam mecanismos de homogeneização e nacionalização dos povos indígenas. [...]
LIMA, Layanna Giordana Bernardo. A questão agrária e os povos indígenas: um breve histórico das políticas indigenistas no Brasil.
Revista Humanidades e Inovação v.6, n.17, 2019. Disponível em: <https://bityli.com/IbJig>. Acesso em: 3 fev. 2022.
Adaptado para fins didáticos. Fragmento.

Com base nesse texto, a criação do SPI representou a


A) ampliação dos limites territoriais indígenas.
B) atuação de caráter político frente às questões indígenas.
C) integração das tradições indígenas à cultura brasileira.
D) valorização da força de trabalho indígena.

07) (H090454I7) Leia o texto abaixo.

[...] Desde meados do século XIX, as mulheres buscaram romper o cerco que as envolvia e
conquistar seus direitos civis e políticos. O voto feminino foi um dos temas tratados pelos deputados
que elaboraram a primeira Constituição Republicana (1891). Contudo, o texto final acabou não
deixando clara a situação política da mulher. Ele não proibia explicitamente o voto feminino, mas
também não o garantia de maneira clara. A proposital ambiguidade de sua redação possibilitou que
a grande maioria dos legisladores e o próprio poder judiciário interpretassem ao seu bel prazer o
que pretendiam os constituintes. Isso excluiu as mulheres do processo político-eleitoral por várias
décadas. [...]
Disponível em: <https://bityli.com/OInTk>. Acesso em: 3 fev. 2022. Fragmento.

De acordo com esse texto, o contexto político da Primeira República brasileira era caracterizado pela
A) ausência de movimentos feministas.
B) desprestígio do serviço doméstico.
C) inexistência de conflitos de gênero.
D) negação da cidadania das mulheres.

3 BL01H09
H0901

08) (H090450I7) Leia o texto abaixo.

“Política do Café com Leite” é uma expressão utilizada para caracterizar um procedimento
político típico de um período da história do Brasil [...]. Esse procedimento consistia na alternância
no cargo de Presidente da República entre as oligarquias dos dois estados mais poderosos da
época, o estado de São Paulo e o estado de Minas Gerais. [...]
O regime republicano, inspirado no modelo dos Estados Unidos e, em parte, no modelo
positivista de Auguste Comte, descentralizou o poder. As antigas províncias converteram-se em
estados da Federação, com autonomia para decisões políticas, econômicas e militares. [...]
Porém, em vez de ter dado vazão a um pleno funcionamento da República Federativa, a autonomia
dos estados levou à sobreposição de alguns estados (os mais poderosos economicamente) sobre
o próprio poder federal. [...]
FERNANDES, Cláudio. Política do Café com Leite. Brasil Escola, s.d. Disponível em: <https://bityli.com/LDMZg>.
Acesso em: 2 fev. 2022. Fragmento.

De acordo com esse texto, a política da Primeira República brasileira era caracterizada pela
A) atuação das elites industriais.
B) estabilidade das relações sociais.
C) influência das elites agrárias.
D) participação da camada popular.

09) (H090448I7) Leia o texto abaixo.

[...] O pensamento positivista postula a existência de uma marcha contínua e progressiva e que
a humanidade tende a progredir constantemente. O progresso, que é uma constatação histórica,
deve ser sempre reforçado, de acordo com o que Auguste Comte, criador do positivismo, chamou
de Ciências Positivas. [...]
Essa teoria ressoou na política brasileira, mais especificamente no início do período da Primeira
República, pois o marechal Deodoro da Fonseca (primeiro presidente do Brasil) e outros políticos
que participaram do governo tinham fortes influências positivistas. [...]
PORFÍRIO, Francisco. Positivismo. Brasil Escola, s.d. Disponível em: <https://bityli.com/ipPlq>. Acesso em: 2 fev. 2022. Fragmento.

Com base nesse texto, o Positivismo influenciou na Proclamação da República brasileira a partir da
A) ascendência entre a aristocracia.
B) crítica à hierarquia militar.
C) defesa da política do Padroado.
D) notoriedade dentro do exército.

4 BL01H09
H0901

10) (H090446I7) Leia o texto abaixo.

A vinda da família real para o Brasil mudou, também, a fisionomia do Rio de Janeiro. A cidade
que os estrangeiros acharam suja, feia e malcheirosa começou a se expandir e cuidar de sua
aparência, abrindo-se às modas europeias. [...]
[...] Permanecia, entretanto, o trabalho escravo, necessário às atividades braçais nas casas,
sobrados e chácaras dos senhores.
Muitos dos donos de escravos [...] não os utilizavam apenas no serviço doméstico. Para aumentar
seus rendimentos, empregavam seus escravos como “negros de ganho” e “negros de aluguel”. [...]
No entanto, a presença dos escravos e dos homens livres pobres na cidade atemorizava a
Corte, deixando em permanente sobressalto a população branca e proprietária. Era, além do mais,
uma preocupação constante para a Intendência de Polícia da Corte, tirando o sono daqueles que
eram conhecidos como os “branquinhos do Reino”. [...]
A VIDA na Corte: Transformações da Cidade. MultiRio, s.d. Disponível em: <https://bityli.com/tjmFc>. Acesso em: 3 fev. 2022.
Adaptado: Reforma Ortográfica. Adaptado para fins didáticos. Fragmento.

De acordo com esse texto, a estrutura do Rio de Janeiro com a chegada da Corte portuguesa demonstrava a
A) autonomia da estrutura política colonial.
B) inserção das pessoas negras na vida pública.
C) intensificação da intolerância racial.
D) superação das desigualdades econômicas.

11) (G092858I7) Leia o texto abaixo.

Embora a população da África ainda seja jovem, o continente terá que enfrentar o envelhecimento
das pessoas, processo que deve ser mais rápido que nos países desenvolvidos e trazer desafios
no campo da atenção aos idosos, explica um estudo publicado [...] pelo Instituto Nacional de
Estudos Demográficos (Ined) da França.
Atualmente, os menores de 15 anos representam 40% da África – que tem 1 bilhão de
habitantes –, contra 27% na média da população mundial, destaca a pesquisa.
Mas, nos próximos 40 anos, a proporção de pessoas com 60 anos ou mais (5,5% em 2010)
deverá “dobrar em vários países africanos se a fertilidade continuar diminuindo no ritmo atual”,
acrescentou o levantamento. [...]
ÁFRICA deve enfrentar envelhecimento rápido da população, aponta estudo. G1, 2012. Disponível em: <https://glo.bo/3gLgYjB>.
Acesso em: 15 fev. 2022. Adaptado para fins didáticos. Fragmento.

De acordo com esse texto, o continente africano passará por um processo de


A) aumento da expectativa de vida.
B) crescimento da mortalidade infantil.
C) diminuição da densidade demográfica.
D) redução da população absoluta.

5 BL01H09
H0901

12) (G090918F5) Leia o texto e observe o mapa abaixo.

[...] Dentre as muitas divisões que o mundo


é sujeitado, as principais são: divisão em
hemisférios (norte/sul e oriental/ocidental), em
continentes (América, Europa, África, Ásia e
Oceania), e assim por diante.
Mas o mundo é regionalizado também do
ponto de vista histórico, tomando como base os
continentes já conhecidos. Nessa abordagem,
o mundo é divido em três: Velho Mundo, Novo
Mundo e Novíssimo Mundo. [...]

Disponível em: <https://bit.ly/3rY2OBP>. Acesso em: 18 fev. 2022. Disponível em: <https://bit.ly/3LJOq8f>. Acesso em: 18 fev. 2022.
Fragmento. Adaptado para fins didáticos.

A divisão histórico-geográfica apresentada nesse texto e nesse mapa foi estabelecida a partir
A) da posição espacial dos continentes no planeta.
B) da visão colonialista do continente europeu.
C) do desenvolvimento econômico dos continentes.
D) do modo de produção adotado por cada continente.

13) (G092854I7) Observe a imagem abaixo.

Disponível em: <https://bit.ly/3LDBlxp>. Acesso em: 15 fev. 2022. Adaptado para fins didáticos.

De acordo com essa imagem, que retrata um croqui de algumas atividades econômicas realizadas no
território asiático, conclui-se que
A) a exploração de petróleo se concentra no litoral leste da Ásia.
B) as zonas econômicas especiais se encontram no oeste asiático.
C) o gás natural é encontrado ao longo de todo o território asiático.
D) os Tigres Asiáticos se destacam por atividades do setor secundário.

6 BL01H09
H0901

14) (G092856I7) Leia o texto abaixo.

[...] Ao longo dos últimos anos, diversos estudos tem mostrado a vulnerabilidade de zonas
costeiras diante das mudanças climáticas. O problema é que as cidades costeiras abrigam 40%
da população mundial. Em 2017, cientistas da NASA1 publicaram um artigo com a previsão de que
cerca de 300 cidades deixarão de existir até 2100. Essas cidades correm o risco de desaparecer
devido aos aumentos do nível médio do mar, da erosão costeira e de eventos extremos, como
furacões e inundações. [...]
Veneza (Itália): construída em um terreno pantanoso no meio de um sistema lagunar, sempre
foi adaptada a conviver com oscilações do nível do mar. No entanto, Veneza tem passado por
inundações mais intensas e frequentes nos últimos anos. O projeto Moisés, que consiste na
construção de um mega dique para proteger a cidade, não avança a mais de uma década. [...]

*Vocabulário:
1
NASA: em português, Administração Nacional do Espaço e da Aeronáutica.
BARNEZ, Carolina. 6 cidades que podem estar submersas até 2100. Tempo, 2020. Disponível em: <https://bit.ly/34YtNEi>.
Acesso em: 15 fev. 2022. Adaptado para fins didáticos. Fragmento.

Esse texto descreve transformações no espaço geográfico de Veneza, na Itália, que estão relacionadas
A) à poluição das bacias hidrográficas.
B) ao movimento das placas tectônicas.
C) aos efeitos do aquecimento global.
D) às erupções de atividades vulcânicas.

15) (G090917F5) Leia o texto abaixo.

Êxodo Rural

O Êxodo Rural pode ser definido como sendo o movimento migratório das populações que
vivem no campo para outras regiões.
De fato, este fenômeno pode ser de caráter migratório, limitando-se as fronteiras de um país,
ou pode estender para além delas (emigração).
A palavra “Êxodo” vem do grego e significa saída, partida ou caminho, e se refere sempre ao
movimento de um grande número de pessoas durante certo período. [...]
ÊXODO Rural. Toda Matéria, s.d. Disponível em: <https://bit.ly/36q0kUH>. Acesso em: 18 fev. 2022. Fragmento.

No continente europeu, a intensificação da dinâmica populacional descrita nesse texto esteve relacionada
A) à falta de solos férteis para a agricultura.
B) à ocorrência da Primeira Guerra Mundial.
C) ao incentivo à preservação ambiental.
D) ao processo de Revolução Industrial.

7 BL01H09
H0901

16) (G092853I7) Observe o mapa abaixo.

Disponível em: <https://bit.ly/35106Tn>. Acesso em: 15 fev. 2022. Adaptado para fins didáticos.

De acordo com esse mapa anamórfico, no período representado, qual região brasileira apresentou mais
casos de COVID-19?
A) Nordeste.
B) Norte.
C) Sudeste.
D) Sul.

17) (G092859I7) Leia o texto abaixo.

A área de ciência e tecnologia foi uma das que mais sofreram queda no volume de investimentos
no Brasil. Isso tem levado os nossos pesquisadores a deixar o país. É a chamada “fuga de cérebros”.
No saguão dos aeroportos internacionais, está parte da nata da ciência brasileira, com
passagem só de ida. [...]
Disponível em: <https://glo.bo/33mGo3O>. Acesso em: 15 fev. 2022. Fragmento.

Esse texto descreve um processo migratório no Brasil que promove a


A) ampliação de vagas de empregos formais.
B) contração do setor primário da economia.
C) expansão da ocorrência de êxodo rural.
D) redução da mão de obra qualificada.

8 BL01H09
H0901

18) (G090919F5) Leia o texto abaixo.

[...] Em setembro de 2020, o presidente da China, Xi Jinping, declarou à Assembleia das


Nações Unidas: “Nossa meta é chegar ao pico das emissões de CO2 antes de 2030 e neutralidade
carbônica antes de 2060”, acrescentando que “a covid-19 nos recorda que a humanidade deveria
lançar uma revolução verde”.
Uma vez que as emissões globais continuam crescendo, apesar da desaceleração econômica
ditada pela pandemia, o anúncio chinês foi amplamente saudado como comprometimento
climático mais importante desde o Acordo de Paris de 2015, visando a neutralidade de carbono
até meados do século. [...]
Impulsionados pela iniciativa de Pequim, os Estados vizinhos seguiram o exemplo nas semanas
seguintes, com o Japão anunciando a meta de zero de emissões de gases-estufa; e a Coreia do
Sul, a neutralidade de carbono até 2050. [...]
Disponível em: <https://bit.ly/3GVfxK5>. Acesso em: 18 fev. 2022. Fragmento.

O grupo de países asiáticos descritos nesse texto estabeleceram metas para


A) conter a evolução do processo de aquecimento global.
B) diminuir a utilização de fontes de energia renováveis.
C) frear a crescente prática do consumismo no continente.
D) restringir a comercialização de produtos biodegradáveis.

19) (G092857I7) Leia o texto abaixo.

[...] No dia 26 de dezembro de 2004, quando a terra tremeu sob as águas do Oceano Índico,
poucos podiam imaginar o alcance e a gravidade das consequências. O tsunami - uma série de
ondas gigantes [...] atingiria 14 países, a maioria na Ásia, com uma força devastadora.
Em meio à destruição, 226 mil pessoas morreram, e paisagens inteiras foram transformadas.
Não se tratava apenas da mais marcante tragédia causada pela natureza no século 21.
Segundo as Nações Unidas, era o “pior desastre natural já registrado”. [...]
Disponível em: <https://bbc.in/33nRJ3N>. Acesso em: 15 fev. 2022. Fragmento.

De acordo com esse texto, o tsunami que atingiu diversos países asiáticos em 2004 é um fenômeno que
ocorreu devido à
A) alteração das correntes marítimas.
B) erosão das cordilheiras meso-oceânicas.
C) intensificação do aquecimento global.
D) movimentação de placas tectônicas.

9 BL01H09
H0901

20) (G092855I7) Observe o mapa abaixo.

Disponível em: <https://bit.ly/3uXpCUx>. Acesso em: 15 fev. 2022. Adaptado para fins didáticos.

Com base nesse mapa climático da Europa, conclui-se que


A) a influência do clima de montanha está relacionado a posições latitudinais.
B) a maioria dos países está sob influência do clima temperado continental.
C) o clima mediterrâneo ocorre em regiões mais afastadas do litoral do continente.
D) o clima subpolar se concentra em posições mais ao sul do território europeu.

10 BL01H09

Você também pode gostar