Você está na página 1de 12

APOSTILA DE MATEMÁTICA

ENSINO MÉDIO
1. Conjuntos Numéricos

Definição de Conjuntos Numéricos


Ao agrupamento de elementos com características semelhantes damos o nome de conjunto. Quando estes elementos
são números, tais conjuntos são denominados conjuntos numéricos.
Neste tópico estudaremos os cinco conjuntos numéricos fundamentais, que são os conjuntos numéricos mais
amplamente utilizados.

Conjunto dos Números Naturais


Em algum momento da sua vida você passou a se interessar por contagens e quantidades. Talvez a primeira ocorrência
desta necessidade, tenha sido quando lá pelos seus dois ou três anos de idade algum coleguinha foi lhe visitar e
começou a mexer em seus brinquedos. Provavelmente, neste momento mesmo sem saber, você começou a se utilizar
dos números naturais, afinal de contas era necessário garantir que nenhum dos seus brinquedos mudasse de
proprietário e mesmo desconhecendo a existência dos números, você já sentia a necessidade de um sistema de
numeração.
Em uma situação como esta você precisa do mais básico dos conjuntos numéricos, que é o conjunto dos números
naturais. Com a utilização deste conjunto você pode enumerar brinquedos ou simplesmente registrar a sua quantidade,
por exemplo.
Este conjunto é representado pela letra N (  ). Abaixo temos uma representação do conjunto dos números naturais:
= { 0,1,2,3,4,5,6,7,8,9,10,11,12...}
Conjunto dos Números Inteiros
Mais adiante na sua vida em uma noite muito fria

a você tomou conhecimento da existência de números negativos, ao lhe falarem que naquele dia a temperatura estava
em dois graus abaixo de zero. Curioso você quis saber o que significava isto, então alguém notando o seu interesse,
resolveu lhe explicar:
Hoje no final da tarde já estava bastante frio, a temperatura girava em torno dos 3°  C, aí ela desceu para 2° C,
continuou esfriando e ela abaixou para 1° C e uma hora atrás chegou a 0° C. Se a temperatura continuava a abaixar e já
havia atingido o menor dos números naturais, como então representar uma temperatura ainda mais baixa?
Com exceção do zero, cada um dos números naturais possui um simétrico ou oposto. O oposto do 1 é o -1, do 2 o -2 e
assim por diante. O Sinal "-" indica que se trata de um número negativo, portanto menor que zero. Os números
naturais a partir do 1 são por natureza positivos e o zero é nulo.
O zero e os demais números naturais, juntamente com os seus opostos formam um outro conjunto, o conjunto dos
números inteiros e é representando pela letra Z (   ).
A seguir temos uma representação do conjunto dos números inteiros:

= {...,-10,-9,-8,-7,-6,-5,-4,-3,-2,-1,0,1,2,3,4,5,6,7,8,9,10,...}
Note que diferentemente dos números naturais, que embora infinitos possuem um número inicial, o zero, os números
inteiros assim como os demais conjuntos numéricos fundamentais não têm, por assim dizer, um ponto de início. Neste
conjunto o zero é um elemento central, pois para cada número à sua direita, há um respectivo oposto à sua esquerda.
Utilizamos o símbolo   para indicar que um conjunto está contido em outro, ou que é um subconjunto seu como o
conjunto dos números naturais é um subconjunto do conjunto dos números inteiros, temos que  .
Podemos também dizer que o conjunto dos números inteiros contém (   ) o conjunto dos números naturais
(   ).
Com exceção do conjunto dos números naturais, com os demais conjuntos numéricos fundamentais podemos utilizar
os caracteres "+" e "-" como abaixo:

Note também que   e que  .


1
Conjunto dos Números Racionais
Esperto por natureza você percebeu que havia mais alguma coisa além disto. No termômetro você viu que entre um
número e outro existiam várias marcações. Qual a razão disto?
Foi-lhe explicado então que a temperatura não muda abruptamente de 20° C para 21° C ou de -3° C para -4° C, ao
invés disto, neste termômetro as marcações são de décimos em décimos. Para passar de 20°  C para 21° C, por
exemplo, primeiro a temperatura sobe para 20,1° C, depois para 20,2° C e continua assim passando por 20,9° C e
finalmente chegando em 21° C. Estes são números pertencentes ao conjunto dos números racionais.
Números racionais são todos aqueles que podem ser expressos na forma de fração. O numerador e o denominador
desta fração devem pertencer ao conjunto dos números inteiros e obviamente o denominador não poderá ser igual a
zero, pois não há divisão por zero.
O número 20,1 por exemplo, pode ser expresso como  , assim como 0,375 pode ser expresso como   e 0,2 por ser
representado por  .
Note que se dividirmos quatro por nove, iremos obter 0,44444... que é um número com infinitas casas decimais, todas
elas iguais a quatro. Trata-se de uma dízima periódica simples que também pode ser representada como  , mas que
apesar disto também é um número racional, pois pode ser expresso como  .
O conjunto dos números racionais é representado pela letra Q (   ).
O conjunto dos números inteiros é um subconjunto do conjunto dos números racionais, temos então que  .

{...- 4;-3,5;-3;- ;-1;- ;0;1; 2; 2,5; 2,999...; 3,4859;4...}

A realização de qualquer uma das quatro operações aritméticas entre dois números racionais quaisquer terá como
resultado também um número racional, obviamente no caso da divisão, o divisor deve ser diferente de zero. Sejam
a e b números racionais, temos:
Conjunto dos Números Irracionais
Então mais curioso ainda você perguntou: "Se os números racionais são todos aqueles que podem ser expressos na
forma de fração, então existem aqueles que não podem ser expressos desta forma?"
Exatamente, estes números pertencem ao conjunto dos números irracionais. Provavelmente os mais conhecidos deles
sejam o número PI (   ), o número de Euler (   ) e a raiz quadrada de dois (   ). Se você se dispuser a calcular tal
raiz, passará o restante da sua existência e jamais conseguirá fazê-lo, isto porque tal número possui infinitas casas
decimais e diferentemente das dízimas, elas não são periódicas, não podendo ser expressas na forma de uma fração.
Esta é uma característica dos números irracionais.
A raiz quadrada dos números naturais é uma ótima fonte de números irracionais, de fato a raiz quadrada de qualquer
número natural que não seja um quadrado perfeito é um número irracional.   é um número irracional, pois 120 não
é um quadrado perfeito, ou seja, não há um número natural que multiplicado por ele mesmo resulte em cento e vinte,
já   é um número natural, pois  .
A letra I (   ) representa o conjunto dos número irracionais.
Utilizando o caractere especial "*", por exemplo, podemos representar o conjunto dos números irracionais
desconsiderando-se o zero por  .
O conjunto abaixo é um subconjunto do conjunto dos números irracionais:

Diferentemente do que acontece com os números racionais, a realização de qualquer uma das quatro operações
aritméticas entre dois números irracionais quaisquer não terá obrigatoriamente como resultado também um número
irracional. O resultado poderá tanto pertencer a  , quanto pertencer a  .

{...- 4;-3,5;-3;- ;-1;- ;0;1; ;2; 2,5; 2,999...; 3,4859;4...}

Conjunto dos Números Reais


O conjunto dos números reais é representado pela letra R (   ) e é formado pela união do conjunto dos números
racionais com o conjunto dos irracionais, que simbolicamente representamos por.
2
Conjuntos Numéricos Fundamentais em Diagrama
Abaixo temos a representação dos conjuntos numéricos fundamentais em um diagrama.

2.Plano Cartesiano

Plano Cartesiano foi criado pelo matemático René Descartes. Como ele associava a geometria à álgebra, esta foi a
forma que ele criou para representar graficamente expressões algébricas.
A sua utilização mais simples é a de representarmos graficamente a localização de pontos em um determinado plano.
Através dele também podemos representar um segmento de reta ou um triângulo, por exemplo.
O plano cartesiano é composto de duas retas perpendiculares e orientadas, uma horizontal e outra vertical.
Damos no nome de eixo x ou eixo das abscissas à reta horizontal. À vertical denominamos de eixo y ou eixo das
ordenadas.
A orientação positiva das retas é representa por uma seta como podemos ver na figura mais abaixo.

Representação de Pontos no Plano Cartesiano

A representação de pontos neste plano é feita através de pares ordenados, onde o primeiro número se refere à
abscissa e o segundo a ordenada.
Quadrantes do Plano Cartesiano
Vemos nesta figura que o eixo x e o eixo y dividem o plano em quatro regiões. A região do canto superior direito é
o primeiro quadrante, a região à sua esquerda, do outro lado do eixo y é o segundo quadrante. Abaixo deste temos
o terceiro quadrante e à sua direita, ou seja, abaixo do primeiro temos o quarto quadrante.

3
Os quadrantes são dispostos em sentido anti-horário.

Observe o ponto P ( -6,5)


Localizando pontos no Plano Cartesiano: 

A(4 ; 3) → x = 4 e y = 3 

B(1 ; 2) → x = 1 e y = 2 

C( –2 ; 4) → x = –2 e y = 4 

D(–3 ; –4) → x = –3 e y = –4 

E(3 ; –3) → x = 3 e y = –3

O Plano Cartesiano é muito utilizado na construção de gráficos de funções, onde os valores relacionados à x
constituem o domínio e os valores de y, a imagem da função. A criação do Sistema de Coordenadas Cartesianas é
considerada uma ferramenta muito importante na Matemática, facilitando a observação do comportamento de funções
em alguns pontos considerados críticos. 

Podemos associar o Plano Cartesiano com a latitude e a longitude, temas relacionados aos estudos geográficos e à
criação do atual sistema de posicionamento, o GPS. O Sistema de Posicionamento Global permite que saibamos nossa
localização exata na terra, desde que tenhamos em mão um receptor de sinais GPS, informando a latitude, a longitude
4
e a altitude com o auxilio de satélites em órbita da Terra. Um exemplo de utilização do GPS são os aviões, que para
não se colidirem são monitorados e informados em qual rota devem seguir viagem.

3. Potenciação

As principais operações são: adição, subtração, divisão e multiplicação. Utilizando o processo da


multiplicação podemos encontrar outra operação: a potenciação, que para a realização de seus cálculos é necessário
saber multiplicar. 

Os números envolvidos em uma multiplicação são chamados de fatores e o resultado da multiplicação é o produto,
quando os fatores são todos iguais existe uma forma diferente de fazer a representação dessa multiplicação que é a
potenciação. 

2 . 2 . 2 . 2 = 16 → multiplicação de fatores iguais. 

Podemos representar a mesma multiplicação da seguinte forma: 

2 . 2 . 2 . 2 = 24 = 16 


           ↓ 
Fatores iguais. 

Essa representação é conhecida como potenciação, portanto, sempre que tivermos fatores iguais, podemos montar uma
potência. 

Representamos uma potência da seguinte forma: 

A base sempre será o valor do fator. 


O expoente é a quantidade de vezes que o fator repete. 
A potência é o resultado do produto.

4.Expressões numéricas

Uma expressão numérica é uma seqüência de números associados por operações. Essas operações devem ser efetuadas
respeitando-se a seguinte ordem:
1) parênteses,( )
2) colchetes [ ]
3) Chaves{ }

Exemplo:
 
36 + 2+{25 + [ 18 – (5 – 2).3]} =
= 36 + 2+{ 25 + [18 – 3.3]} =
= 36 + 2+{25 + [18 – 9]} =
= 36 + 2+{25 + 9} =
= 36 +2+34 =
= 38+34 =
5
=72
Em expressões numéricas com sinais de associação.

1) Potenciações e radiciações, se houver.( na ordem que aparecer primeiro)


2) Multiplicações e divisões, se houver. .( na ordem que aparecer primeiro)
3) Adições e subtrações.( na ordem que aparecer primeiro)

 
Observem a expressão 25 + {14 – [25 x 4 + 40 – (20 ÷ 2 + 10)]} e acompanhem as sua respectiva resolução:

25 + {14 + [25 x 4 + 40 – (20 ÷ 2 + 10)]} → primeiro resolveremos a divisão interna aos parênteses.

25 + {14+ [25 x 4 + 40 – (10 + 10)]} → resolveremos a adição interna aos parênteses.

25 + {14 + [25 x 4 + 40 – (20)]} → eliminaremos os parênteses, como o sinal que os antecede é negativo,
inverteremos o sinal interno.

25 + {14+ [25 x 4 + 40 – 20]} → resolveremos a multiplicação interna aos colchetes.

25 + {14 + [100 + 40 – 20]} → resolveremos a adição e subtração, em qualquer ordem, internas aos colchetes.

25 + {14+ [120]} → eliminaremos os colchetes, como o sinal que os antecede é negativo, inverteremos o sinal
interno.

25 + {14 + 120} → resolveremos a subtração interna aos colchetes.

25 + { 134} → eliminaremos as chaves, como o sinal que as antecede é positivo, manteremos o sinal interno original.

25 + 106 → resolveremos a subtração

136 (Resultado Final)

5. Equação

Em matemática, uma equação é uma afirmação que estabelece uma igualdade entre duas expressões matemáticas.

São exemplos de equações as seguintes igualdades:

Nesses exemplos, as letras   são as incógnitas de suas equações. A incógnita de uma equação é
o número desconhecido que se quer descobrir.

A equação   pode ser interpretada como uma pergunta: "qual o número que somado com 8 dá 15?". Não
é necessário nenhum método ou fórmula para encontrar o valor de   nesse caso: basta pensar um pouco para se chegar
ao resultado  .

Resolver uma equação é encontrar todos os valores possíveis para a incógnita que tornem a igualdade verdadeira.

Uma solução da equação também é chamada raiz da equação.

6
Equação 1º grau

Utilizamos uma equação para calcular o valor de um termo desconhecido que será representado por uma letra,
cuja representação mais usual se dá por x, y e z. As equações possuem sinais operatórios como, adição, subtração,
multiplicação, divisão, radiciação e igualdade. O sinal de igualdade divide a equação em dois membros, os quais são
compostos de elementos constituídos por dois tipos: 
Elemento de valor constante: representado por valores numéricos. 
Elemento de valor variável: representado pela união de números e letras. 
Observe exemplos de equações do 1º grau com uma incógnita: 
x + 1 = 6 
2x + 7 = 18 
4x + 1 = 3x – 9 
10x + 60 = 12x + 52 

Para resolver uma equação, precisamos conhecer algumas técnicas matemáticas. Vamos, por meio de resoluções
comentadas, demonstrarem essas técnicas. 

Exemplo 1: 

4x + 2 = 8 – 2x 

Em uma equação devemos separar os elementos variáveis dos elementos constantes. Para isso, vamos colocar os
elementos semelhantes em lados diferentes do sinal de igualdade, invertendo o sinal dos termos que mudarem de lado.
Veja: 
4x + 2x = 8 – 2 
Agora aplicamos as operações indicadas entre os termos semelhantes. 
6x = 6 
O coeficiente numérico da letra x do 1º membro deve passar para o outro lado, dividindo o elemento pertencente ao 2º
membro da equação. Observe: 

x = 6 / 6 
x = 1 
6 = 6 → sentença verdadeira 
Todas as equações, de uma forma geral, podem ser resolvidas dessa maneira. 

Equação do 2° grau

Denomina-se equação do 2° grau, qualquer sentença matemática que possa ser reduzida à formaax2 + bx + c = 0,
onde x é a incógnita e a, b e c são números reais, com a ≠ 0. a, b e c são coeficientes da equação. Observe que o maior
índice da incógnita na equação é igual a dois e é isto que a define como sendo uma equação do segundo grau.
Resolução de equações do 2° grau
A resolução de uma equação do segundo grau consiste em obtermos os possíveis valores reais para a incógnita, que
torne a sentença matemática uma equação verdadeira. Tais valores são a raiz da equação.
7
Fórmula Geral de Resolução
Para a resolução de uma equação do segundo grau completa ou incompleta, podemos recorrer à fórmula geral de
resolução:

Esta fórmula também é conhecida como fórmula de Bhaskara.


O valor b2 -4ac é conhecido como discriminante da equação e é representado pela letra grega Δ. Temos então
que Δ = b2 -4ac, o que nos permitir escrever a fórmula geral de resolução como:

Exemplo de resolução de uma equação do segundo grau


Encontre as raízes da equação:  x² – 2x – 3 = 0
1º passo: determinar o valor do discriminante ou delta (?)

∆ = b² – 4 * a * c
∆ = (–2)² – 4 * 1 * (–3)
∆ = 4 + 12
∆ = 16

2º passo

6. Operações com números inteiros (Z)

O conjunto dos números inteiros é formado pelos algarismos inteiros positivos e negativos e o zero. Eles são
importantes para o cotidiano, principalmente nas situações envolvendo valores negativos, como escalas de
temperatura, saldos bancários, indicações de altitude em relação ao nível do mar, entre outras situações. As adições e
subtrações envolvendo estes números requerem a utilização de regras matemáticas envolvendo os sinais positivos (+) e
negativos (–). Devemos também dar ênfase ao estudo do módulo de um número, que significa trabalhar o valor
absoluto de um algarismo, observe: 

Adição e subtração de números inteiros sem a presença de parênteses. 

1ª propriedade → sinais iguais: soma e conserva o sinal. 

8
2ª propriedade → sinais diferentes: subtrai e conserva o sinal do número de maior módulo. 

+ 5 + 6 = + 11 →1ª propriedade 
+ 9 + 10 = +19 → 1ª propriedade 
– 6 + 2 = – 4 → 2ª propriedade 
+ 9 – 7 = +2 → 2ª propriedade 
– 3 – 5 = –8 →1ª propriedade 
–18 – 12 = –30 → 1ª propriedade

Adição e subtração de números inteiros com a presença de parênteses. 

Para eliminarmos os parênteses devemos realizar um jogo de sinal, observe: 

+ ( + ) = + 
+ ( – ) = – 
– ( + ) = – 
– ( – ) = + 

Após a eliminação dos parênteses, basta aplicarmos a 1ª ou a 2ª propriedade. 

+ (+9) + (–6) → + 9 – 6 → + 3 

– (– 8) – (+6) → +8 – 6 → +2 
+ (– 14) – (– 8) → –14 + 8 → – 6 

– (+ 22) − (– 7) → –22 + 7 → –15 

– ( + 9 ) + (– 12) → – 9 – 12 → – 21 

Multiplicação de números Inteiros

Produto de dois números inteiros com sinais diferentes. 

Quando realizamos a multiplicação: 

5 x 6 é o mesmo que 6 + 6 + 6 + 6+ 6. Então, para multiplicarmos dois números inteiros com sinais diferentes, iremos
utilizar a mesma idéia. 

(+5) * (– 2) 

(– 2) + (– 2) + (– 2) + (– 2) + (– 2) (Escrevendo uma adição de parcelas iguais) 

– 2 – 2 – 2 – 2 – 2 = – 10 (Simplificando a escrita e calculando o resultado) 

(+5) * (– 2) = –10 

O produto de dois números inteiros, diferente de zero, e de sinais diferentes é um número inteiro de: 

9
Valor absoluto igual ao produto dos valores absolutos dos fatores e sinal negativo (–). 

Produto de dois números inteiros com sinais iguais. 

Nesse caso há duas possibilidades: dos fatores serem positivos ou dos fatores serem negativos. 

Vamos calcular o produto de (+ 8) * (+5) = + 40 

Vamos calcular o produto de (– 6) * (– 15) = + 90 

O produto de dois números inteiros diferentes de zero e de sinais iguais é um número inteiro de: 

Valor absoluto igual ao produto dos valores absolutos dos fatores e sinal positivo (+). 

Elemento Neutro 

O elemento neutro da multiplicação é 1 ou + 1. 

Pois qualquer número inteiro multiplicado por 1 (positivo) será ele mesmo. 
Exemplo: 
(– 4) * 1 = – 4 
(+ 5) * (+ 1) = 5 
(–10) * (+1) = – 10 
(+ 9) * ( 1 ) = + 9 

A multiplicação dos números inteiros é mais simples que a adição e subtração, pois basta multiplicarmos os valores
absolutos e o sinal fica conforme a regra: 

( + ) * ( + ) = ( + ) 
( + ) * ( – ) = ( – ) 
( – ) * ( + ) = ( – ) 
( – ) * ( – ) = ( + ) 

Divisão de Números Inteiros. 

Segundo o dicionário Aurélio, divisão significa “partir ou distinguir em diversas partes; separar as diversas partes de.” 
Na divisão utilizamos praticamente o mesmo método da multiplicação. Devemos, em primeiro lugar, relembramos o
jogo de sinais: 
- Divisão de números com mesmo sinal = + 
- Divisão de números com sinais diferentes = - 
Numa divisão exata de dois números inteiros, o quociente é um número inteiro e o resto é igual a zero. 

►Quociente de dois números inteiros com sinais diferentes. 

(- 45) : (+ 5) = - 9 
(+45) : ( -5) = -9 

O quociente de uma divisão exata entre dois números inteiros, com divisor diferente de zero e sinais diferentes é um
número inteiro de: 
10
Valor absoluto: igual ao quociente dos valores absolutos dos termos. 
Sinal: negativo (-). 

►Quociente de dois números inteiros com sinais iguais. 

(- 60) : (- 10) = + 6 
(+ 60) : (+ 10) = + 6 

O quociente de uma divisão exata entre dois números inteiros, com divisor diferente de zero e sinais iguais é um
número inteiro de: 
Valor absoluto: igual ao quociente dos valores absolutos dos termos. 
Sinal: positivo (+). 

Acontece da mesma forma que na multiplicação, dividimos os valores absolutos e o sinal é conforme a regra: 
- : + = - 
+ : + = + 
- : - = + 
Observações: 
• Não existe divisão por zero. Exemplo: 15 : 0, pois não existe um número inteiro cujo produto por zero seja 15. 

• Zero dividido por qualquer número é sempre zero.


7.Matemática Financeira

Porcentagem
A porcentagem é de grande utilidade no mercado financeiro, pois é utilizada para capitalizar empréstimos e aplicações,
expressar índices inflacionários e deflacionários, descontos, aumentos, taxas de juros, entre outros. No campo da
Estatística possui participação ativa na apresentação de dados comparativos e organizacionais.

Os números percentuais possuem representações na forma de fração centesimal (denominador igual a 100) e quando
escritos de maneira formal devem aparecer na presença do símbolo de porcentagem (%). Também podem ser escritos
na forma de número decimal. Observe os números a seguir, eles serão demonstrados através das três formas possíveis:

A melhor forma de assimilar os conteúdos inerentes à porcentagem é com a utilização de exemplos que envolvem
situações cotidianas. Acompanhe os exemplos a seguir:

Exemplo 1 

Uma mercadoria é vendida em, no máximo, três prestações mensais e iguais, totalizando o valor de R$ 900,00. Caso
seja adquirida à vista, a loja oferece um desconto de 12% sobre o valor a prazo. Qual o preço da mercadoria na compra
à vista?

Podemos utilizar a razão centesimal ou o número decimal correspondente.

11
12% = 12/100 = 0,12

Utilizando razão centesimal


12/100 x 900 = 12x900/100 = 1080/100 = 10800/100 = 108 reais
900 – 108 = 792 reais

Utilizando número decimal


0,12 x 900 = 108 reais
900 – 108 = 792 reais 

A utilização de qualquer procedimento fica a critério próprio, pois os dois métodos chegam ao resultado de forma
satisfatória e exata. No caso do exemplo 1, o desconto no pagamento à vista é de R$ 108,00, portanto o preço é de R$
792,00.
Juros simples
 
    O regime de juros será simples quando o percentual de juros incidir apenas sobre o valor principal. Sobre os juros
gerados a cada período não incidirão novos juros. Valor Principal ou simplesmente principal é o valor inicial
emprestado ou aplicado, antes de somarmos os juros. Transformando em fórmula temos:
 
J=C.i.n
 
Onde:
J = juros
C = capital
i = taxa de juros
t = tempo
   
    Exemplo: Temos uma dívida de R$ 1000,00 que deve ser paga com juros de 8% a.m. pelo regime de juros simples e
devemos pagá-la em 2 meses. Os juros que pagarei serão:
J = 1000 x 0.08 x 2 = 160

12

Você também pode gostar