Você está na página 1de 3

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO


ASSESSORIA DE APOIO CURRICULAR E EDUCAÇÃO AMBIENTAL

DISCIPLINA ELETIVA

TÍTULO

Eu + você x nós = juntos somos mais fortes

DISCIPLINAS

Português, Sociologia, Matemática e AEE

PROFESSORES

Celidia aparecida soares


Jaqueline Cuzzuol
Sarah Meríseo
Romania

COMPETÊNCIAS GERAIS DA BNCC


(CG01) Conhecimento;
CG02) Pensamento científico, crítico e criativo;
(CG03) Repertório cultural;
(CG04) Comunicação.
TEMAS INTEGRADORES
TI01 – Direitos da Criança e do Adolescente,
TI09 – Vida Familiar e Social,
TI13 – Diversidade Cultural, Religiosa e Étnica,
TI15 – Ética e Cidadania,
TI18 – Educação Patrimonial
JUSTIFICATIVA

Para promover a formação integral do estudante no que concerne aos aspectos físicos, cognitivos e socioemocionais
(LDB, Art. 35-A, § 7º), a escola deve promover atitudes cooperativas e propositivas para o enfrentamento dos
desafios da comunidade, do mundo do trabalho e da sociedade em geral. A eletiva busca derrubar poeticamente os
muros que separam a escola da comunidade e trazer para o contexto escolar a produção artística do espaço urbano,
abrindo um canal afetivo entre os alunos e a comunidade, através da investigação do espaço de vivência dos
estudantes e sua transformação através da arte. Buscando a interdisciplinaridade, as Diretrizes Curriculares da
Educação Básica propõem que o ensino de Língua Estrangeira deve ter em vista as demandas do mundo do trabalho
e da internacionalização de toda ordem de relações, indo além das habilidades linguística, contribuindo para a
formação de sujeitos críticos e transformadores que serão inseridos na sociedade como participantes críticos e
ativos. Através da análise de documentários, vídeos, e músicas voltados para cultura urbana dos países falantes da
Língua Inglesa, os alunos podem aprender de forma espontânea, seguindo uma ordem natural de aprendizagem,
sendo esse método idealizado pelo linguista Stephen Krashen, que também leva em conta o filtro afetivo como
elemento crucial na aprendizagem de uma segunda língua.

OBJETIVOS
Construir no conteúdo escolar do ensino fundamental princípios de uma  educação voltada para cidadania, tendo
como pressuposto o conhecimento dos direitos e deveres;

Despertar no aluno o interesse pelo conhecimento de seus direitos e deveres de cidadania contidos no ECA; e no
professor para uma "pedagogia ética dos direitos e deveres".
GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
ASSESSORIA DE APOIO CURRICULAR E EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Problematizar os principais artigos do ECA numa perspectiva crítica, buscando entender porque eles não são
efetivados;

Disseminar no ambiente escolar o Estatuto da Criança e do Adolescente, contribuindo para formação e


conscientização de alunos e professores;

Auxiliar os professores e alunos a refletir e contextualizar o ECA a conjuntura sócio-político e econômica do próprio
país

HABILIDADES E COMPETÊNCIAS A SEREM DESENVOLVIDAS

Autonomia;
Solidariedade; Espírito
colaborativo;
Protagonismo;
Contextualização sociocultural;
Autoconfiança;

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Contextualização histórico-cultural;
Apresentação de conceitos: arte urbana, arte pública e arte política;
Apresentação de movimentos artísticos precursores, proveniente de países falantes de língua inglesa; Aulas
práticas para investigação do interesse da comunidade na produção;
Estudo do espaço;
Parceria com artistas locais;

METODOLOGIA

Debates;
Aulas expositivas;
Palestras e oficinas;
Apresentação de vídeos e documentários;

RECURSOS DIDÁTICOS NECESSÁRIOS

Projetor; Caixa
de som;
Microfone;
Iphone;
Notebook;
Livros;
Gibs;
PROPOSTA PARA A CULMINÂNCIA

Apresentação de teatro

AVALIAÇÃO

Participação e engajamento nas atividades propostas;


Autonomia e autogestão;
Assiduidade e frequência;
GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
ASSESSORIA DE APOIO CURRICULAR E EDUCAÇÃO AMBIENTAL

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BRASIL. Lei 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do


Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 16 jul. 1990a.

Cucinotta, M. G., Tilesi, C., Veneruso, S. (Produtores), Charef, M., Lund, K., Kusturica, E.,
Charef,M., Veneruso, S.,Woo, J.; Lee, S., Scott, J., Scott, R. (Diretores) (2005). Crianças
invisíveis. [filme].França/Itália

Disponível em:<http://www.institutomauriciodesousa.org.br/fazendo-a-diferenca/
publicacoes/a-turma-da-monica-em-o-estatuto-da-crianca-e-do-adolescente-2/>. Acesso
em 11 de fev de 2022.

HOUAISS, A; VILLAR, M. S. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

ROCHA, R. ROTH, O. Declaração Universal dos Direitos Humanos. São Paulo: Circulo do Livro S.A. 1986.

______. Os direitos das crianças segundo Ruth Rocha. São Paulo: Salamandra, 2002.

VIGOSTY, L.S. O desenvolvimento psicológico na infância, São Paulo: Martins Fontes, 2003 a

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1994.

Você também pode gostar