Você está na página 1de 67

1

2
INTRODUÇÃO

Normalmente, o Direito Administrativo é um dos ramos


em que advogados, bacharéis e estudantes possuem maiores
dificuldades de atuar, seja por sua complexidade ou pela es-
pecificidade de cada legislação municipal, estadual ou fede-
ral.

Porém, se você pensar pelo lado positivo, isso pode ser


uma excelente oportunidade de atuação, já que quanto me-
nos profissionais entendem do assunto, menos concorrentes
você terá.

Logicamente, o assunto licitação não foge à regra e são


poucos profissionais que estão preparados para atuar em cada
uma de suas etapas. Por falar nisso, você sabia que essa é uma
excelente oportunidade para correspondentes?

Normalmente, os interessados em processos licitatórios


participam de certames fora de sua sede e, ao invés de se
deslocarem até a localidade para participar das audiências
públicas, podem contar com correspondentes para repre-
sentá-los. Inclusive, esse é um tipo de diligência que, em
regra, não é exclusiva de advogados.

O assunto ficou mais interessante, não é? Pensando nis-


so, criamos este e-book detalhando os principais pontos da
licitação para que você esteja preparado para participar de
uma, seja como licitante ou representante.

3
4
Geralmente, quando uma empresa privada precisa contra-
tar algum serviço, realizar uma obra ou fazer alguma compra
ou alienação, o responsável realiza uma pesquisa de preço
no mercado ou decide por alguma marca já conhecida.

Porém, quando o Estado precisa de uma contratação, para


assegurar a legitimidade do processo, a Constituição Federal
(CF/88) prevê no inciso XXI do artigo 37 que é necessá-
rio realizar uma licitação.

Ou seja, da mesma forma que para ser nomeado em um


cargo público é necessário ser aprovado em concurso ou
eleito pelo povo, a contratação de serviços ou produtos tam-
bém deve, obrigatoriamente, observar alguns requisitos le-
gais. Assim, em 1993 foi publicada a Lei nº 8.666 para re-
gulamentar o previsto na Constituição Federal e instituir as
normas que devem ser observadas.

Desse modo, para garantir que os benefícios para a socie-


dade sejam priorizados e evitar que o dinheiro público seja
utilizado de forma indevida, em uma licitação devem ser
utilizados critérios objetivos para selecionar a proposta mais
vantajosa dentre as apresentadas de acordo com a necessi-
dade que se busca suprir.

Assim, por meio de uma licitação, o ente público irá


5
receber proposta do maior número de profissionais ou em-
presas possíveis, que estejam dispostas a realizar a neces-
sidade oferecendo o melhor serviço, pelo melhor custo-
benefício possível.

6
7
Segundo o artigo 1º da CF/88, a administração direta e
indireta dos Poderes da União, Estado, Distrito Federal e
Municípios somente poderão contratar produtos ou serviços
mediante licitação, que podem ser compreendidas como:

 Direta: os órgãos diretamente controlados pelos entes


estatais como os Ministérios Federais, Tribunais de Justiça
ou Senado Federal.

 Indireta: são pessoas jurídicas criadas para exercerem al-


guma atividade de responsabilidade do Poder Público como
autarquias, fundações e empresas públicas ou sociedades de
economia mista. Alguns exemplos de administração indi-
reta são o Banco Central, Banco do Brasil, Petrobras, com-
panhias energéticas e de água etc.

8
9
Os princípios são de extrema importância e de força reco-
nhecida em nossa constituição, logo, como qualquer ato da
Administração Pública, a licitação deve observar os princí-
pios previstos no artigo 37 da CF/88, que podem ser lem-
brados pelo acróstico LIMPE, ou seja:

 Legalidade: A Administração Pública somente pode


fazer o que estiver autorização por lei, ou seja, para que pos-
sa atuar, precisa de uma lei que a autorize;

 Impessoalidade: Não pode existir confusão entre o


administrador e a função que exerce, logo, nenhum admi-
nistrador público pode obter vantagens pessoais decorrente
de seus atos;

 Moralidade: A administração deve sempre atuar ob-


servando a moral e buscar os melhores resultados;

 Publicidade: Todo ato administrativo deve ser publi-


cado (para que o cidadão possa acompanhar, caso queira),
trazendo transparência de sua atuação;

 Eficiência: A Administração Pública deve buscar o


melhor custo benefício, controlando receitas e despesas.


10
Além dos princípios da Administração Pública, a Lei
8.666/93 também em seu art. 3º outros princípios que de-
vem ser observados, como:

 Isonomia e Igualdade: Os dois princípios são seme-


lhantes e estipulam que é vedado o tratamento diferenciado
por questões pessoais, bem como não podem existir cláusu-
las que tratem os iguais de maneira diferente ou os diferen-
tes de maneiras semelhantes;

 Probidade Administrativa: Esse princípio determina


que a Administração Pública atue de acordo com as regras
estabelecidas por lei, sempre objetivando o interesse públi-
co, com um comportamento ético e honesto;

 Vinculação ao instrumento convocatório: A lici-


tação deve observar as normas e exigências estipuladas no
edital, ou seja, qualquer ato que seja realizado sem sua pre-
visão está sujeito à nulidade;

 Julgamento objetivo: Por fim, é o princípio que ga-


rante um julgamento baseado em critérios objetivos, sem
qualquer tipo de intervenção pessoal ou subjetiva.

Assim, para garantir a probidade do processo, os agentes


responsáveis não podem admitir, tolerar, prever ou incluir
11
cláusulas ou condições que façam com que a licitação perca
seu caráter de “competição”, independentemente da natu-
ralidade, sede, domicílio ou qualquer outra condição irrele-
vante à escolha.

12
13
Um dos princípios da licitação é a legalidade, então para
garantir o seu perfeito funcionamento e não restar dúvidas,
a Lei 8.666/93 trouxe uma série de definições dos termos
que são utilizados:

 Obra: Toda construção, reforma, fabricação, recupe-


ração ou ampliação;

 Serviço: Toda atividade com o objetivo de garantir


alguma utilizada de interesse da administração. Por exem-
plo:

 Demolição  Adaptação
 Conserto  Manutenção
 Instalação  Transporte
 Montagem  Locação de bens
 Operação  Publicidade
 Conservação  Seguro
 Reparação  Trabalhos técnico-
 Adaptação profissionais

14
 Compra: Toda aquisição remunerada de bens;

 Alienação: Toda transferência de bens a terceiros;

 Obras, serviços e compras de grande vulto: Qual-


quer uma dessas contratações que seja superior a 25 vezes o
limite previsto no artigo 23, ou seja, 35,7 milhões de reais
para obras e serviços de engenharia e 16,250 milhões de re-
ais para compras e demais serviços;

 Seguro-Garantia: Garantia fornecida pela empresa


de que suas obrigações serão fielmente cumpridas;

 Execução direta: Aquela realizada diretamente pela


Administração Pública utilizando seus próprios meios;

 Execução indireta: Quando o órgão contrata terceiro


para sua realização, que podem ser realizadas no seguintes
regimes:

- Empreitada por preço global: toda a contratação é feita


por um valor único;
- Empreitada por unitário: o preço é contratado para
cada unidade determinada;

Por exemplo: O preço global para a construção de um


15
prédio de 10 andares é de um milhão de reais e o preço uni-
tário é de 200 mil por andar.

 Tarefa: o preço é ajustado para pequenos trabalhos por


preço certo;

 Empreitada integral: é contratado o empreendimen-


to em sua integralidade (todas as etapas da obra, serviços e
instalações necessárias).

 Projeto Básico: Documento que traz os elementos


necessários para determinar qual o serviço ou obra a ser rea-
lizada, possibilitando possível análise de custo, definição de
métodos e prazos necessários para a execução da licitação.
Normalmente é apresentado no próprio edital para que os
participantes possam ter fundamentos ao construírem suas
propostas.

 Projeto Executivo: O conjunto de elementos neces-


sários e suficientes para a conclusão integral da obra;

 Contratante: O órgão que está contratando os servi-


ços ou produtos;

 Contratado: A pessoa física ou jurídica que foi selecio-
nada.
16
17
Agora que você já sabe o básico sobre as licitações, vamos
aprofundar um pouco mais no assunto. O texto legal previu
cinco modalidades taxativas de licitações, sendo proibida a
criação de outras modalidades ou a sua combinação.

 Concorrência: modalidade que pode participar qual-


quer interessado que comprove possuir requisitos mínimos
para execução do contrato;

 Tomada de preços: modalidade que ocorre entre os


interessados devidamente cadastrados ou que atendam às
exigências em até três dias antes da data estipulada para o
recebimento das propostas;

 Convite: é a modalidade utilizada para contratos de


menor valor em que, no mínimo, três interessados (atuantes
no ramo do contrato), são escolhidos e convidados.

- A convocação deverá ser publicada para que outros


candidatos, no prazo de até 24 horas da data estipulada
para a apresentação das propostas, possam manifestar
seu interesse em participar;

- A convocação deverá ser publicada para que outros


candidatos, no prazo de até 24 horas da data estipulada

18
para a apresentação das propostas, possam manifestar
seu interesse em participar;

- Se existirem mais de três possíveis interessados


(além dos convidados), a cada nova licitação semelhan-
te, a lista de convite deverá, além dos três obrigató-
rios, conter mais um convidado. Assim, se na primeira
licitação foram convidadas três pessoas, na segunda
deverão ser convidadas quatro, e assim por diante.

- Porém, caso não exista o número mínimo de con-


vidados, essa situação deverá ser justificada no proces-
so e o convite poderá ser feito com número inferior.

 Concurso: modalidade utilizada para a contratação de


interessado em realizar trabalho técnico, científico ou artís-
tico. Neste caso, os vencedores terão direito a prêmios ou
remuneração;

 Leilão: modalidade na qual os interessados participam


para poderem comprar bens móveis, imóveis (adquiridos
por processos judiciais ou dação em pagamento - entrega
de um bem para quitar um débito) ou produtos apreendidos
ou penhorados.

19
- O vencedor será aquele que oferecer o maior lance,
desde que igual ou superior à avaliação do item.

Como a licitação deve ser sempre objetiva, para se esco-


lher qual tipo será usada, basta observar o artigo 23 da Lei
8.666/93, que determina:

 Obras e serviços de engenharia poderão ser feitos

- Convite: até 150 mil reais;


- Tomada de preços: até um milhão e meio de reais;
- Concorrência: acima de um milhão e meio de reais.

 Compras e demais serviços poderão ser feitos por:

- Convite: até 80 mil reais;


- Tomada de preços: até 650 mil reais;
- Concorrência: acima de 650 mil reais.

Um ponto importante: se você observar, o convite pode


ser feito para licitações de até 150 mil ou 80 mil reais (de-
pendendo da contratação) e a tomada de preços até 1,5 mi-
lhões ou 650 mil reais (dependendo da contratação), logo,
nos casos em que é possível o convite, também é possível a

20
tomada de preços, pois o limite não é excludente nesse caso.
O mesmo raciocínio é válido para a concorrência, como o
seu valor é superior às demais, poderá ser usada em qualquer
outro tipo de licitação.

O que irá influenciar na escolha é a complexidade exigida


por cada tipo, sendo a concorrência muito mais burocrática
que o convite. Logicamente, a Administração Pública não
poderá parcelar uma licitação para que cada parte fique den-
tro dos limites do convite ou tomada de preços. Por exem-
plo, se o total de uma obra será 200 mil reais, não poderá
ser feita duas licitações por convite no valor de R$ 100 mil
cada.

Igualmente, seja qual for o valor, no caso de compra ou


alienação de bens imóveis, concessão de direito real de uso
(quando uma das partes “empresta” algum bem para que
um terceiro utilize) e licitações internacionais, deverão ser
realizadas por concorrência.

Por fim, caso seja um consórcio público (uma pessoa jurí-


dica criada para licitações que envolvam mais de uma esfera
da administração), os limites estipulados poderão ser consi-
derados o dobro se for formado por até três entes e o triplo
quando for número maior.

21
Além das modalidades, a lei também estipula algumas re-
gras para os principais tipos de licitação:

a) Obras e Serviços

As licitações para obras e prestação de serviços deverão ser


divididas em três etapas e somente poderá ser iniciada a sua
execução de cada uma, após a conclusão e aprovação da an-
terior:

 Projeto básico aprovado;


 Projeto executivo;
 Execução do objeto.

Além disso, também deverão ter obrigatoriamente um or-


çamento detalhado em planilhas que demonstrem todos os
custos unitários, comprovar a existência de uma previsão de
recursos suficientes para o pagamento dos contratados e o
seu produto estiver contemplado no plano plurianual (plano
no qual são estabelecidas as diretrizes, objetivos e metas no
período de quatro anos). Inclusive, essas informações po-
derão ser solicitadas por qualquer cidadão à Administração
Pública.

Vale lembrar que ambos os projetos deverão considerar


principalmente a segurança, o interesse público, possibili-
22
dade de contratações locais, adoção de normas técnicas de
saúde e segurança do trabalho, os impactos ambientais e a
economia na execução (desde que não prejudique a sua du-
rabilidade).

Nesse tipo de licitação, não poderão participar:

 O autor ou empresa responsável pelo projeto básico ou


executivo. Contudo, poderão participar como consultores
ou técnicos na função de fiscalização, supervisão ou geren-
ciamento a serviço da contratante;

 A empresa na qual o autor do projeto seja dirigente, ge-


rente, acionista ou detentor de mais de 5% do capital com
direito de voto;

 Servidor ou dirigente do ente contratante ou responsável


pela licitação.

b) Compras

No caso das compras, sempre deverão ser feitas a adequa-


ção do objeto e a indicação dos recursos para seu pagamen-
to, devendo sempre que possível observar:

 O princípio da padronização, ou seja, compatibilidade


23
entre os produtos e o seu desempenho;

 Trazer a definição das unidades e quantidades a serem


adquiridas com base no provável consumo e utilização;

 Por meio de registro de preço (Decreto nº 7.892/13), ou


seja, a contratada se compromete a garantir o mesmo preço
para futuras compras durante o prazo da licitação;

- Por exemplo, caso um hospital público precise com-


prar máscaras de proteção pelo período de um ano, mas
não saiba o quanto irá necessitar, teoricamente teria duas
opções: realiza uma compra em quantidade menor e fu-
turamente abre uma nova licitação, ou então, compra
uma quantidade maior e corre o risco de sobrar equipa-
mentos. Então, por meio do registro de preço, poderá
comprar uma quantidade menor e a contratada se com-
promete a manter o mesmo preço caso sejam necessárias
novas compras;

- O registro de preço deverá ser feito após ampla pes-


quisa de mercado e caso seja incompatível com o aplica-
do no mercado, qualquer cidadão poderá impugná-lo;

- Para que possam ser vistoriados, deverão ser publica-


dos trimestralmente em imprensa oficial.
24
 Deverá ser feita com as mesmas condições de aquisição e
pagamento que realizadas no setor privado;

 Ser subdividida em tantas parcelas quanto necessário;

 Ter como base os preços praticados pelos órgãos e enti-


dades da Administração Pública;

 Devem especificar o bem de maneira completa sem in-


dicação de marca;

 As condições para serem guardados e armazenados de


forma que não ocorra a sua deterioração.

Por fim, para garantir sua lisura, mensalmente deverão ser


publicadas por cada ente, em órgão oficial ou em quadro de
avisos de acesso público, a relação de todas as compras, dei-
xando claro o que foi comprado, o preço de cada unidade,
a quantidade adquirida, o nome do vendedor e o valor total
da compra.

c) Alienações

Por fim, da mesma forma que nas compras, no caso de


alienações de bens públicos, deverá existir uma licitação,
devendo ser comprovado a existência de interesse público e
25
sua avaliação.

No caso de imóveis deverá ser feita por concorrência e


para os órgãos da administração direta, autarquias e funda-
ções, também dependerá de autorização legislativa, poden-
do a licitação ser dispensada em ambos os casos se for:

 Dação em pagamento (entrega de um bem para quitação


de uma dívida);

 Doação exclusivamente para outros entes da administra-


ção pública;

 Permuta por outro imóvel quando a sua localização e


instalações forem necessários para que a administração pos-
sa realizar suas atividades essenciais;

 Investidura que se dividem em dois tipos:

- Alienação para proprietários de imóveis vizinhos de


áreas de obra pública que se tornem inaproveitáveis se
consideradas isoladamente, por no mínimo o preço da
avaliação, desde que não ultrapasse 750 mil reais;

- Alienação aos possuidores de direitos de imóveis re-


sidenciais construídos anexos a usinas hidrelétricas que

26
sejam dispensáveis e não possam ser revertidos ao final
da concessão.

 Venda para outro órgão de qualquer esfera do governo;

 Alienação, aforamento (transferência do domínio me-


diante ao pagamento anual de um valor certo e invariável),
concessão de direito real de uso, locação ou permissão de
imóveis construídos, destinados ou utilizados em programas
habitacionais e regularização fundiária de interesse social;

- Caso o bem seja de uso comercial, somente poderá


ser alienado até o limite de 250 m².

 Legitimação da posse de terras públicas que se tornaram


produtivas pelo trabalho do indivíduo e de sua família (art.
29 da lei 6.838/ 76);

 Alienação e concessão de direito real de uso de terras pú-


blicas da União e do Incra, onde incidam ocupações, até o
limite de 2.500 ha;

 Concessão de direito de propriedade ou direito real de


uso para:

27
- Outro ente da Administração Pública; ou
- Pessoa natural que tenha implementado o mínimo de
plantio e explore a área rural, por meio de uma ocupação
mansa e pacífica no limite de até 2.500 ha.

Por sua vez, a alienação para bens móveis dependerá de


avaliação prévia e licitação, podendo ser dispensada caso seja:

 Doação, exclusivamente para fins e uso de interesse so-


cial;

 Permuta entre órgãos da Administração Pública;

 Venda de ações negociadas na bolsa e títulos;

 Venda de bens produzidos ou comercializados por outros


entes da Administração Pública;

 Venda de materiais produzidos ou comercializados para


outros entes da Administração Pública, que não estejam sen-
do utilizados.

 Caso a avaliação do bem seja inferior a 1,5 milhões de


reais, poderá ser feita por leilão.

28
No caso de uma doação os bens não podem ser alienados
pelo beneficiário e, uma vez cessada a condição, os bens de-
verão retornar ao doador.

Por fim, se o bem tiver sido adquirido por procedimento


judicial ou dação em pagamento, o mesmo poderá ser alie-
nado, desde que observadas a sua avaliação, comprovação da
necessidade ou utilidade do ato e deverá ser feita por con-
corrência ou leilão.

29
30
Como quase toda regra em Direito possui uma exceção,
na licitação não seria diferente. Nesse sentido, o artigo 24
estipula que não será necessário realizar uma licitação:

 Caso o valor do objeto do convite seja inferior a 15 mil


reais ou 8 mil reais (dependendo da contratação, conforme
página 20):

- Nesse caso, também vale a lógica de que o mesmo ob-


jeto não pode ser parcelado no intuito de não ultrapassar
o limite;

- Se a contratação for de consórcio público, sociedade


de economia mista, empresa pública, autarquia ou fun-
dação, os limites serão aumentados para 30 mil e 16 mil
respectivamente.

 Nos casos de guerra ou grave perturbação da ordem:

- Situações que colocam em risco a ordem pública do


país, como nos casos de greve policial e consequente au-
mento drástico da criminalidade.

 Nos casos de emergência ou calamidade pública, desde


que a licitação seja necessária para o atendimento da situa-
ção, no intuito de minimizar os prejuízos ou garantir a se-
gurança de pessoas, obras, serviços, equipamentos e outros
31
bens (públicos ou particulares);

- Também será dispensada para a conclusão de parcelas


de obras e serviços que possam ser concluídas em até 180
dias, improrrogáveis, a contar da ocorrência da emergên-
cia ou calamidade.

 Caso já tenha sido realizada uma licitação, nenhum can-


didato tenha se apresentado e, além disso, fique comprova-
do que criar um novo edital traria prejuízos para a adminis-
tração;

 Quando a União precisar intervir na economia para re-


gular preços (atuar ativamente para que os preços não pos-
sam ser elevados demasiadamente) ou normalizar o abaste-
cimento;

 Quando todas as propostas apresentadas forem em valor


superior ao praticado no mercado. Nesse caso será conce-
dido o prazo de oito dias úteis para que possam readequar
os preços e, caso não seja possível, a administração poderá
contratar diretamente bens ou serviços;

 Para a aquisição de bens ou serviços de órgão ou entida-


de que faça parte da Administração Pública, criado para esse
fim específico e anterior à vigência da Lei;

32
 Nos casos em que houver risco de comprometimento da
segurança nacional, desde que estabelecido em decreto pre-
sidencial após o Conselho de Defesa Nacional ser ouvido;

 Para a compra ou locação de um imóvel quando a loca-


lização e instalações forem necessários para que a adminis-
tração possa realizar suas atividades essenciais;

 Para contratar o restante de obra, serviço ou fornecimen-


to que não foi finalizado por rescisão contratual;

- Nesse caso, a prestação deverá ser feita nas mesmas


condições da licitação originária e deverá ser observada
a ordem dos candidatos, então em primeiro lugar deve
ser chamado quem ficou em segundo lugar, e assim por
diante.

 Para a compra de perecíveis, enquanto está sendo reali-


zada a licitação para o seu fornecimento;

- Uma prefeitura precisa comprar alimentos para uma


escola, logo, enquanto a licitação não é concluída, os mes-
mos poderão ser adquiridos diretamente.

 Para contratação de entidade dedicada à recuperação so-


cial de presos, com inquestionável reputação e sem fins lu-

33
crativos;

 Quando as ofertas forem vantajosas para o poder público


para aquisição de bens ou serviços em contratos internacio-
nais aprovados pelo Congresso Nacional;

 Para aquisição ou restauração de obras de arte ou objetos


históricos, desde que compatíveis ou inerentes às finalida-
des do órgão;

 Para contratação de empresa que irá imprimir diários ofi-


ciais, formulários padronizados e técnicas oficiais;

 Para prestação de serviço de informática por órgão ou


entidade da Administração Pública criada para esse fim;

 Quando for necessário adquirir junto ao fornecedor ori-


ginal do serviço ou produto componentes necessários para
manutenção de equipamentos durante o período de garan-
tia, se essa exigência for indispensável para sua vigência;

 Para compras ou contratações de serviços de até 80 mil


reais para o abastecimento de navios, embarcações, unida-
des aéreas ou tropas quando estiverem em localidades dife-
rentes de sua sede para operações ou treinamentos;

34
 Para aquisição de material de uso das Forças Armadas
(salvo uso pessoal ou administrativo);

 Para contratação de associação de portadores de defici-


ência física (sem fins lucrativos) para prestar serviços ou for-
necer mão de obra, desde que o preço seja compatível com
o mercado;

 Para aquisição ou contratação de produto para pesquisa e


desenvolvimento de até o máximo de 300 mil reais;

 Para contratação de energia elétrica e gás natural de con-


cessionário, permissionário ou autorizado;

- Concessão: somente pessoa jurídica pode participar e


deve ser feita por concorrência;

- Permissão: podem participar pessoas jurídicas e natu-


rais e pode ser feita por qualquer modalidade.

 Na contratação de empresa pública ou de economia mis-


ta, diretamente com suas subsidiárias e controladas, desde
que o preço seja compatível com o mercado;

 Para celebração de contratos de prestação de serviços com


organizações sociais (entidades sem fins lucrativos criadas

35
pela Lei 9.637/98);

 Nas contratações feitas por Instituição Científica e Tec-


nológica ou agência de fomento para transferência de tec-
nologia ou licenciamento de direito de uso ou exploração
de criação protegida;

 Na criação de consórcios públicos (formados por vários


entes federativos) para prestação de serviços públicos de for-
ma associada;

 Para contratação de catadores de materiais recicláveis em


áreas que exista coleta seletiva de lixo;

 Para fornecimento de bens e serviços nacionais que sejam


de alta complexidade tecnológica e necessários para a defesa
nacional;

 Para aquisição de bens e serviços para as forças armadas


em operações de paz no exterior;

 Para prestação de serviços de assistência técnica referen-


tes ao Programa Nacional de Assistência Técnica e Exten-
são Rural na Agricultura Familiar e na Reforma Agrária,
nos moldes da Lei 12.188/2010;

36
 Em contratações para programas de incentivo à inovação
e à pesquisa científica e tecnológica nos termos dos artigos,
3º, 4º, 5º e 20 da Lei nº 10.973/04;

 Nas contratações em que existem a transferência de tec-


nologia de produtos estratégicos para o SUS;

 Nas contratações de entidades privadas sem fins lucrati-


vos para implementação de cisternas ou outras tecnologias
sociais de acesso à água para famílias rurais de baixa renda
em áreas secas ou de falta regular de água;

 Para aquisição de insumos estratégicos para a saúde de


fundações criadas especificamente para esse fim em data an-
terior à vigência da lei;

 Para construção, ampliação, reforma ou aprimoramento


de estabelecimentos penais, quando em situações de grave
e iminente risco à segurança pública.

37
38
Por sua vez, a lei traz em seu artigo 25 as hipóteses de
inexigibilidade, ou seja, ao contrário da dispensa na qual é
possível realizar, mas o administrado está desobrigado de
fazê-la, trata de situações nas quais é impossível realizar a
licitação.

Assim, traz um rol exemplificativo (podem haver outras


hipóteses não previstas em lei):

 Quando à contratação somente for possível de uma em-


presa exclusiva, nesse caso, essa situação deverá ser compro-
vada por atestado;

- A exclusividade não pode dizer respeito à marca. Por


exemplo, não pode ser considerada inexigível a licitação
para a compra de iPhones, sob a alegação de que somen-
te é possível comprar o aparelho da marca Apple, pois o
produto é um smartphone;

- Um exemplo de inexigibilidade ocorre quando o Es-


tado precisa adquirir uma máquina de exames que so-
mente a empresa X produz. Neste caso, não seria lógi-
co realizar uma licitação, já que nenhuma outra empresa
poderia participar.

39
 Para contratação de empresas ou profissionais de notória
especialização, quais sejam:

- Estudos técnicos, planejamentos e projetos básicos ou


executivos;

- Pareceres, perícias e avaliações em geral;

- Assessorias ou consultorias técnicas e auditorias finan-


ceiras ou tributárias;

- Fiscalização, supervisão ou gerenciamento de obras


ou serviços

- Patrocínio ou defesa de causas judiciais ou adminis-


trativas;

- Treinamento e aperfeiçoamento de pessoal;

- Restauração de obras de arte e bens de valor histórico;

- Não é aplicável para serviços de publicidade e divul-


gações.

40
 Para contratação de profissional artístico consagrado pela
crítica especializada ou opinião pública:

- Logicamente, para contratar um show do Roberto


Carlos não é lógico realizar uma licitação, pois somente
o Roberto Carlos pode fazer esse show.

Atento ao risco de desvios de verba pública, nas hipóteses


de inexigibilidade, caso ocorra algum superfaturamento, se-
rão responsabilizados solidariamente pelos danos: a Fazenda
Pública, o fornecedor ou prestador de serviços e o agente
público responsável.

41
42
O procedimento de uma licitação se inicia com a abertu-
ra de um processo administrativo, que irá conter toda a do-
cumentação pertinente ao certame, incluindo autorização
para sua execução e indicação de forma resumida de qual
será o seu objeto e dos recursos disponíveis para as despesas
necessárias.

Assim, à medida que as etapas forem ocorrendo, deverão


ser anexadas ao mesmos, os seguintes documentos:

 Edital ou convite;
 Comprovante das publicações do edital;
 Ato de designação de comissão, leiloeiro ou responsável
pelo convite;
 Original das propostas e documentos;
 Atas, relatórios e deliberações da Comissão Julgadora;
 Pareceres sobre a licitação, sua dispensa ou inexigibilida-
de;
 Atos de adjudicação do objeto e sua homologação;
 Recursos eventualmente apresentados, com suas mani-
festações e decisões;
 Despacho de anulação ou revogação da licitação, quando
for o caso;
 Termo de contrato ou instrumento equivalente;
 Comprovantes de outras publicações que vierem a ocor-
rer;
43
 Todos os demais documentos relativos à licitação.

Se o valor da licitação ou conjunto de licitações simul-


tâneas ou sucessivas for superior a 150 milhões de reais, o
processo deverá se aberto com audiência pública concedida
pelo licitador, com antecedência de 15 dias úteis antes da
publicação do edital. Além disso, a sua realização deverá ser
divulgada com antecedência mínima de 10 dias úteis para
que os interessados tenham acesso a todas as informações
pertinentes e possam se manifestar.

 Licitações simultâneas são aquelas que possuem objetos


similares e serão realizadas em intervalos menores de 30 dias;

 Licitações sucessivas são aquelas que também possuem


objetos similares, mas o edital tenha uma data de, no máxi-
mo, 120 dias contados do término do último contrato.

A Administração Pública poderá exigir nas licitações de


contratação de serviço, que um percentual mínimo da mão
de obra seja de presidiários ou ex-presidiários.

Qualquer cidadão poderá impugnar o edital por irregula-


ridades no prazo de até cinco dias úteis da data de abertura
dos envelopes de habilitação, os quais serão julgados em até
3 dias úteis.
44
a) O edital da licitação

Para que a licitação possa ocorrer, existem algumas regras


procedimentais que devem ser observadas. Em primeiro lu-
gar, deve ocorrer no local em que o órgão interessado esti-
ver, salvo se por algum motivo de interesse público. Então,
se a licitação é para a construção de uma escola para a pre-
feitura municipal de Belo Horizonte, o procedimento de-
verá ocorrer na própria cidade. Porém, isso não impede que
interessados que possuam sede em outro local participem.

Uma vez que o ente decida ser necessária sua realização,


serão publicados os resumos dos editais, que deverão conter
o local onde os interessados poderão obter o texto integral
do documento, sendo que pelo menos uma vez:

 No Diário Oficial da União, se existir qualquer atuação


de órgão Federal;

 No Diário Oficial do Estado ou Distrito Federal, se a li-


citação for feita por órgão Estadual, do Distrito Federal ou
Municipal;

 Em jornal diário de grande circulação no Estado da lici-


tação. Caso exista um jornal de grande circulação no mu-
nicípio ou região, também deverá ser publicado.
45
Uma vez publicado o edital, se inicia o prazo para o recebi-
mento da proposta que será de:

 45 dias para:

 Concursos;
 Concorrência, desde que seja por empreitada integral ou
for do tipo “melhor técnica” ou “técnica e preço”.

 30 dias para:

 Outros tipos de concorrência;


 Tomada de preços, quando for do tipo “melhor técnica”
ou “técnica e preço”.

 15 dias para outros tipos de tomada de preços ou leilão.


 5 dias úteis para convite.

O objeto da licitação poderá ser parcelado em tantas ve-


zes quanto for comprovado ser tecnicamente e economica-
mente viável, ou seja, o órgão público poderá, por exemplo,
em uma obra parcelar a sua construção. Assim, será realiza-
da uma licitação para a construção do prédio, outra para a
instalação elétrica/hidráulica e uma terceira para pintura.

Caso a licitação parcelada seja de obras, serviços ou compra


46
de bens, cada uma deverá ser feita por licitações distintas
para cada objeto. Sobre o edital, ele deverá conter:

 No seu preâmbulo:

 O número de registro;
 O nome da repartição licitante;
 A modalidade que será feita;
 O regime de execução;
 O tipo de licitação;
 Descrição clara e objetiva do objeto.

 Prazo e condições para:

 Assinatura do contrato;
 Retirada dos instrumentos;
 Execução do contrato;
 Entrega do objeto.

 Sanções para o caso de inadimplemento;

 Local onde poderá ser examinado e adquirido o proje-


to básico e executivo (se existir);

 Condições para participação e formas de apresentação


da proposta;
47
 Critérios de julgamento, que devem ser claros e com
parâmetros objetivos;

 Locais, horários e códigos de acesso dos meios de co-


municação nos quais serão fornecidos elementos, informa-
ções e esclarecimentos sobre a licitação;

 Critério de aceitabilidade dos preços unitário e global,


permitida a fixação de valores máximos;

 Critérios de reajuste do preço;

 Previsão em separado dos limites para pagamento de


instalação e mobilização para execução de obras ou serviços;

 Condições de pagamento, que devem constar:

 Prazo de pagamento não superior a 30 dias a contar da


data final do cumprimento de cada etapa;
 Cronograma do pagamento máximo por período;
 Critérios de atualização financeira;
 Compensações e penalizações por eventuais atrasos;
 Descontos por eventuais antecipações;
 Exigência de seguro quando necessário.

 Indicação dos instrumentos e normas necessárias para


48
recursos;
 Condições do recebimento do seu objeto;
 Outras indicações referentes à licitação;
 Anexos:

 Projeto básico e/ou executivo;


 Orçamento estimado em planilhas;
 Minuta do contrato a ser firmado com o vencedor;
 Especificações complementares e normas de execução
pertinentes.

b) A habilitação dos interessados

Para participar de uma licitação, o interessado deverá se


habilitar ao certame e apresentar os seguintes documentos
que são taxativos, ou seja, até podem não ser exigidos, mas
outros além desses não podem:

 Habilitação jurídica:

 Documento de identificação do representante legal;


 Registro comercial se for empresa individual;
 Contrato social devidamente registrado ou estatuto so-
cial com os documentos de eleição dos administradores;
 No caso de sociedade civil, a inscrição do ato constituti-
vo com prova da diretoria em exercício;
49
 Decreto de autorização para empresas estrangeiras e re-
gistro ou autorização de funcionamento, se sua atividade
exigir.

 Qualificação técnica:

 Registro ou inscrição na entidade profissional;


 Comprovante de aptidão para desempenho das ativida-
des, ou seja, uma declaração fornecida por terceiros, que
comprovem que a empresa já prestou o serviço ou forneceu
produtos objeto da licitação;
 Qualificação dos membros da equipe que irão prestar o
trabalho;
 Comprovante de que recebeu os documentos e tomou
conhecimento de todas as informações e condições para o
cumprimento da licitação (fornecido pelo órgão licitador);
 Prova de atendimento de requisitos especiais exigidos
por lei.

 Qualificação econômica-financeira:

 Balanço patrimonial e demonstrações contábeis do últi-


mo exercício social;
 Certidão negativa de falência ou concordata para pessoa
jurídica;
 Certidão negativa de execução patrimonial para pessoa
50
física;
 Garantia de até 1% do valor do contrato que poderá ser
feita por:
 Caução em dinheiro ou títulos da dívida pública;
 Seguro-garantia;
 Fiança bancária;
 Importante não confundir com o percentual da garantia
do contrato, o qual deverá ser fornecido em até 5% do valor
do contrato, podendo chegar a 10% em contratos de gran-
de vulto.

 Comprovante de regularidade fiscal:

 Inscrição no CPF ou no Cadastro Geral de Contribuin-


tes (CGC);
 Inscrição no cadastro de contribuintes estadual e muni-
cipal (se existir);
 Regularidade relativa à Seguridade Social e FGTS;
 Inexistência de débitos junto à Justiça do Trabalho.

 Comprovante que não possui menores de 18 anos tra-


balhando em atividades perigosas, insalubres ou em período
noturno, bem como nenhum trabalhador menor de 16 anos
em qualquer condição, salvo se aprendiz maior de quatorze
anos.

51
Todos os documentos exigidos poderão ser apresentados
em original ou por cópia autenticada em cartório ou por
servidor. Contudo, no caso de convite, concurso, forneci-
mento de bens para pronta entrega, leilão e contratação de
produto para pesquisa e desenvolvimento para pronta en-
trega, os documentos poderão ser dispensados.

Um ponto que deve ser destacado é que não serão exi-


gidas nenhuma taxa ou emolumento prévio para realizar a
habilitação, salvo os valores para ter acesso à cópia do edital
que serão limitados ao valor da reprodução.

c) O Procedimento e Julgamento

Após a publicação do edital e recebimento das habilitações


de interessados, deverá ser observado o seguinte procedi-
mento:

 Abertura dos envelopes contendo os documentos de


habilitação e sua consequente avaliação, devendo ser ser fei-
ta em ato público, previamente marcado com a participa-
ção dos interessados, e no final será lavrada uma ata assinada
pelos presentes;
 Devolução dos envelopes fechados com as propostas
de interessados que não estão habilitados;

52
 Abertura dos envelopes com as propostas dos concor-
rentes habilitados, caso não exista recurso ou o mesmo te-
nha sido julgado ou desistido. Uma vez iniciada essa fase,
nenhum licitante poderá ser desclassificado por motivos re-
lativos à habilitação, salvo se por algum motivo superve-
niente.

 Verificação se cada proposta atende aos requisitos do


edital;

 Julgamento e classificação das propostas de acordo com


os critérios pré-estabelecidos;

 O julgamento não poderá considerar elementos, crité-


rios ou fatores sigilosos ou subjetivos, devendo ser julgado
de acordo com os critérios já pré-estabelecidos no edital;
 Caso ocorra empate, deverá ser observado os critérios de
desempate, que estão logo após esse tópico;
 Persistindo o empate, o vencedor será escolhido por sor-
teio.

 Deliberação do licitador para a homologação e adjudi-


cação (ato em que atribui o objeto ao vencedor).
Os critérios de desempate para a contratação de bens ou
serviços, será nessa ordem:

53
 Se os mesmos são produzidos no Brasil;
 Se a empresa é brasileira;
 Se a empresa investe em pesquisa e desenvolvimento da
tecnologia no Brasil;
 Se a empresa cumpre com a reserva de cargos prevista
para pessoas com deficiência ou reabilitado da Previdência
Social (aqueles que estão incapacitados para o trabalho e es-
tão se readaptando profissionalmente) e atende às regras de
acessibilidade.

Além disso, na licitação, no intuito de incentivar a renda


e geração de empregos no país, poderá ser criada uma mar-
gem de preferência, ou seja, concedida certas vantagens,
como aceitar um preço maior para empresas que:

 Produzam produtos ou serviços nacionais de acordo com


as normas técnicas brasileiras;
 Se a empresa cumpre com a reserva de cargos previstas
para pessoas com deficiência ou reabilitado da Previdência
Social (aqueles que estão incapacitados para o trabalho e es-
tão se readaptando profissionalmente) e atende às regras de
acessibilidade.
 Essa margem poderá ser ampliada para outros países do
Mercosul.

Vale lembrar, que essas margens serão definidas pelo Exe-


54
cutivo Federal e a soma dos preços não poderá ultrapassar
25% dos produtos e serviços estrangeiros. Além disso, de-
verá ser divulgado na internet, ao final de cada ano, a re-
lação de empresas que foram favorecidas pelos critérios de
desempate ou margens de preferência.

Ainda, o edital deverá sempre privilegiar microempresas


ou empresas de pequeno porte (aquelas que faturam até 360
mil ou 4,8 milhões de reais por ano).

Logicamente, caso a quantidade produzida ou prestada


por empresas nacionais não seja suficiente para suprir a ne-
cessidade da licitação, os critérios de desempate poderão ser
desconsiderados.

Por sua vez, se a licitação for para implantação, manu-


tenção ou aperfeiçoamento de tecnologias e comunicações
consideradas estratégicas pelo Executivo Federal, ou seja,
aqueles que caso deixem de ser prestados possam causar da-
nos consideráveis à administração, poderá ser feita exclusi-
vamente para empresas nacionais.

Com base no princípio da publicidade, as propostas apre-


sentadas somente serão sigilosas até o momento em que fo-
rem abertas, ou seja, todos os atos e documentos devem ser
públicos, os quais poderão ser acompanhadas por qualquer
55
cidadão, desde que não perturbe ou impeça o trabalho.

Por fim, todos os valores deverão ser apresentados na mo-


eda nacional (real), salvo se forem para concorrência inter-
nacional e os pagamentos deverão ser feitos de acordo com
a ordem cronológica de pagamento previamente estabele-
cidas para cada fonte.

Então, se uma obra era para ser paga em janeiro de 2020,


a administração poderá efetuar o pagamento de outra em-
presa na qual estava prevista para março de 2020. Porém,
poderá haver o pagamento fora de ordem desde que exista
razões relevantes de interesse público, previamente justifi-
cado pelo órgão e após publicação dessa informação.

d) Critérios de escolha

Além dos tipos e modalidades de licitação, existem tam-


bém os critérios que poderão ser utilizados para a escolha da
proposta vencedora, quais sejam:

 Menor preço: o vencedor será aquele que cumprir os


requisitos e ofertar o menor preço;
 Maior lance ou oferta: semelhante ao menor preço,
no caso de alienação de bens ou concessão de direito real de
uso, o vencedor será aquele que oferecer o maior valor;
56
 Melhor técnica: deverá ser adotado em serviços pre-
dominantemente intelectuais. Assim, em primeiro momen-
to serão abertos os envelopes contendo as propostas técni-
cas e, uma vez aprovadas, serão abertos os envelopes com
as propostas de preços para que possam ser negociados com
base no orçamento disponível. Caso não seja possível che-
gar a um acordo, será feito o mesmo procedimento para o
segundo classificado e assim por diante.

 Técnica e preço: ocorre de maneira semelhante à me-


lhor técnica, porém, as propostas também serão avaliadas
com base em critérios valorativos. Assim, a classificação se
dará com base na somatória entre a técnica e a proposta.

e) Os contratos

Uma vez definido o vencedor, para dar vínculo legal à li-


citação, o contrato deverá ser assinado com a Administração
Pública estabelecendo (art. 55):

 Qualificação das partes;


 O objeto;
 O regime de execução e a forma de fornecimento;
 O preço e as condições de pagamento;
 Prazo de início da execução, conclusão, entrega, obser-
vação e recebimento definitivo;
57
 Qual será o crédito para arcar com as despesas;
 As garantias para assegurar a execução, quando exigidas;
 Direitos e responsabilidades, penalidades e multas;
 Casos de rescisão;
 Condições para importação, data e taxa de câmbio para
conversão, quando for o caso;
 Vinculação ao edital de licitação ou ao termo que dis-
pensou ou inexigiu ao convite e à proposta;
 Legislação aplicável à execução do contrato;
 Obrigação do contratante de manter todas as condições
necessárias para sua habilitação e qualificação.

Uma vez que todos estejam de acordo, o contrato será la-


vrado na própria repartição licitante e somente poderá ser
feito de forma verbal, para compras de pagamento imedia-
to de até 4 mil reais, para aquelas despesas que não podem
aguardar o prazo necessário para uma licitação.

Esse tipo de contrato administrativo possui algumas pe-


culiaridades, podendo ser alterado unilateralmente pela Ad-
ministração quando o projeto for modificado no intuito
de melhor adequar a técnica aos objetivos, bem como para
modificação do valor contratual por acréscimo ou diminui-
ção do objeto. Ela também poderá aumentar ou diminuir o
contrato em até 25% do valor inicial e em até 50% no caso
de reforma de edifício ou equipamento.
58
O contrato também poderá ser rescindido por acordo das
partes quando:

 For conveniente a substituição da garantia de execução;


 Quando for necessário modificar o regime de execução
ou modo de fornecimento por inaplicabilidade dos termos
originais;
 Quando for necessário modificar a forma de pagamento
por circunstâncias supervenientes, não podendo ser altera-
do o valor inicial;
 Para manter o equilíbrio econômico-financeiro inicial,
casos supervenientes que aconteçam e possam trazer preju-
ízos incalculáveis.

Igualmente, para garantir a execução do contrato, a mes-


ma será acompanhada e fiscalizada por representante da
Administração, podendo ser contratado um terceiro para
assisti-lo ou auxiliá-lo.

Uma vez que a execução for encerrada, o objeto será re-


cebido de maneira:

 Provisória:

 Para obras e serviços, pelo responsável pelo acompanha-


mento e fiscalização, mediante termo assinado pelas partes
59
em até 15 dias da comunicação escrita do encerramento;
 Para compras ou locação de equipamentos, para efeito de
verificação de conformidade do material.

 Definitiva:

 Para obras e serviços, pelo responsável pelo acompanha-


mento e fiscalização e em termo assinado pelas partes em até
90 dias após a vistoria que comprove a adequação do objeto;
 Para compras ou locação de equipamentos, após a verifi-
cação da qualidade e quantidade da entrega.

O recebimento provisório poderá ser dispensado nos ca-


sos de perecíveis, profissionais, obras e serviços de até 80 mil
reais.

Caso a obra, serviço ou fornecimento seja executado em


desconformidade com o contrato, a Administração Pública
poderá rejeitar a entrega. Assim, o contrato poderá ser res-
cindido por:

 Não cumprimento ou cumprimento irregular do


contrato;
 A impossibilidade de concluir o objeto nos prazos esti-
pulados;
 Atraso injustificado no início da execução;
60
 Paralisação da execução sem justa causa e prévia comu-
nicação;
 Subcontratação total ou parcial do objeto, cessão ou trans-
ferência do contrato, bem como fusão, cisão ou incorpora-
ção quando não admitidas no edital;
 Não atendimento de determinações da autoridade fisca-
lizadora;
 Cometimento de faltas reiteradas na execução;
 Decretação de falência ou insolvência civil;
 Dissolução da sociedade ou falecimento do contratado;
 Alterações na finalidade ou estrutura do contratado que
prejudiquem a execução;
 Por interesse público determinada pela autoridade máxi-
ma da esfera administrativa responsável;
 Ocorrência de caso fortuito ou força maior que impeça
sua execução. Cabe destacar, que em todos os casos ante-
riores a rescisão poderá ser unilateral da Administração Pú-
blica.
 Supressão por parte da Administração do contrato em li-
mite superior a 25% do valor inicial e em até 50%, no caso
de reforma de edifício ou equipamento;
 Suspensão da execução por prazo superior a 120 dias por
ordem escrita da Administração, salvo em casos excepcio-
nais, quando o contratado poderá optar pela suspensão do
cumprimento de todas as obrigações até que a situação seja
normalizada;
61
 Atraso no pagamento devido por partes já executadas su-
perior a 90 dias, salvo em casos excepcionais;
 Não liberação da Administração Pública da área, local ou
objeto para execução do contrato;
 Caso fique comprovado o trabalho de menores de 18 anos
em atividades perigosas, insalubres ou em período noturno,
bem como nenhum trabalhador menor de 16 anos, salvo se
aprendiz maior de 14 anos.

Caso a rescisão se dê por ato unilateral da Administração


Pública, poderá executar a garantia e reter os créditos até
o limite dos prejuízos causados e caso queira, o objeto do
contrato deverá ser entregue na condição que se encontra,
podendo utilizar o local, instalação, material e pessoal em-
pregados para a sua continuidade.

62
63
Para que os atos da Administração Pública não sejam au-
toritários ou sem possibilidade de revisão, a Lei nº 8.666/93
prevê a possibilidade de apresentação de recursos adminis-
trativos, podendo ser:

 Recurso no prazo de cinco dias úteis a contar da inti-


mação do ato ou lavratura da ata quando houver discordân-
cia quanto:

 À habilitação ou inabilitação do licitador (com efeito sus-


pensivo);
 Ao julgamento das propostas (com efeito suspensivo);
 À anulação ou revogação da licitação;
 Ao indeferimento do pedido de inscrição, alteração ou
cancelamento de registro cadastral;
 À rescisão do contrato;
 À aplicação de penas de advertência, suspensão temporá-
ria e multa.

 Representação, no prazo de cinco dias úteis, da inti-


mação de decisão relacionada ao objeto da licitação ou con-
trato;
 Pedido de reconsideração de decisão do Ministro do
Estado ou Secretário Estadual/Municipal no prazo de 10 dias
úteis da intimação do ato.

64
Caso seja interposto, os demais licitantes poderão impug-
ná-lo no prazo de cinco dias úteis e após esse prazo, a auto-
ridade poderá em cinco dias úteis reconsiderar a sua decisão
ou subir para a autoridade superior.
No caso da licitação ter sido realizada na modalidade “carta
convite” os prazos serão de apenas dois dias úteis.

65
CONCLUSÃO

Nessa nova Era do Direito 4.0, em que cada vez mais


se exige dos profissionais uma multidisciplinaridade,
pensar e investir na capacitação é de extrema importância
para se destacar em um mercado tão concorrido como o do
Direito.

Agora, você viu os principais pontos da licitação e pode


perceber que o assunto não é tão complexo quanto pare-
cia ser. Claro que existem requisitos legais, que você deve
tomar muita atenção, mas nada como uma boa dose de
estudo e prática que não possam te deixar pronto(a) para
uma nova área de atuação.

66
Conecte-se conosco!

    

Dúvidas?
Acesse a nossa
Central de Ajuda

JURISCORRESPONDENTE.COM.BR

67

Você também pode gostar