Você está na página 1de 26

Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021

INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085


Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0

INSTRUÇÃO OPERACIONAL
Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0

1. OBJETIVO
Este documento tem como objetivo estabelecer o procedimento a ser adotado
pela Locabens, pelo cliente e suas subcontratadas, referente as atividades a serem
executadas desde a montagem até a desmontagem da grua POTAIN.

2. ABRANGÊNCIA
Aplicável a todas as atividades realizadas durante o processo de montagem,
desmontagem e ascensão da grua a serem executadas pela Locabens junto com
cliente e suas empresas subcontratadas.

3. REFERÊNCIAS

Manual Potain, NR 18, NR 35 e NR 10.

4. RESPONSABILIDADES
A gerência da obra, usuária dos serviços de empresas subcontratadas para
realizar atividades relacionadas com a montagem da grua POTAIN, através de toda
sua linha de comando é responsável por fazer cumprir o presente procedimento.

5. REQUISITOS GERAIS DE SMS


1. Todo encarregado ou supervisor antes do início das atividades deverá realizar
o Dialogo Diário de Segurança (DDS) e leitura da Análise Prevencionista de
Risco (APR)
2. Os equipamentos e ferramentas deverão ser inspecionados antes do inicio das
atividades.
3. Nenhum trabalhador poderá permanecer na área de trabalho sem fazer uso dos
equipamentos de proteção individual (EPI).
4. Deve-se garantir uma comunicação permanente entre todas as frentes de
trabalho e seus supervisores com os serviços de emergência a fim de prover as
condições necessárias para garantir a atenção e controle de emergências.
5. Os montadores não poderão utilizar anéis, brincos e correntes que por sua
característica possam ficar enganchados na estrutura ou em um acessório.
6. Todos os trabalhadores presentes na frente de serviço devem estar em alerta
permanente, com os sons dos alarmes e alarmes de ré dos equipamentos e/ou
máquinas.
7. Deve-se colocar sinalização de segurança que indiquem os riscos existentes e
isolar áreas criticas conforme descrito na APR.
Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0

8. Antes de levantar uma carga manualmente o trabalhador deverá verificar o peso


da mesma, evitando realizar o levantamento por apenas uma pessoa quando
este ultrapassar a 23 kg. Se o peso for superior a este valor, deverá solicitar a
ajuda de outro trabalhador ou fazer uso de um equipamento mecânico ou
elétrico.
9. A equipe de trabalho no campo deverá verificar permanentemente as condições
da superfície do piso por onde se deslocam evitando desta forma quedas
acidentais ou por obstrução de material.
10. Assegurar durante o turno de trabalho a manutenção da ordem e da limpeza do
Local de trabalho.

6. REQUISITOS OPERACIONAIS DE SEGURANÇA

6.1. TRABALHOS EM ALTURA

1. Todas as ferramentas que passam ser usadas durante a execução de trabalhos


em altura deverão estar resguardadas em porta ferramentas ou asseguradas
mediante amarração em um ponto fixo, para evitar a queda das mesmas a níveis
inferiores.

2. Nos trabalhos em altura superior a 1,5 metros sobre o nível do solo será
obrigatório o uso de cinto de segurança, sendo que em locais aonde não existam
pontos fixos para fixação do cinto deverão ser instaladas linhas de vida
conforme normas vigentes.

3. Não se realizará içamento de pessoal ou material quando os ventos forem


superior a 42 m/s ou houver a ocorrência de chuvas e/ou descargas
atmosféricas.
4. Em caso de chuva e/ou descargas atmosféricas a atividade de montagem
deverá ser suspensa até que haja novamente condições climáticas para a
continuação dos trabalhos.

5. Posteriormente a chuva se deverá realizar uma avaliação tanto do terreno


quanto da estrutura, a fim de avaliar as condições para a continuação da
montagem.

6. Devem-se fornecer escadas portáteis para uso nesta atividade e as mesmas


deverão ser inspecionadas visualmente todos os dias antes de serem utilizadas.

6.2. MANOBRAS DE IÇAMENTOS DE CARGA


Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0

1. No momento da montagem da estrutura metálica da grua deverá usar os cabos


e manilhas adequados de acordo com a capacidade e que cumpra com as
certificações de qualidade, se proíbe o uso de cordas para içamentos.

2. As cargas devem possuir um cabo guia para manobrar a estrutura e evitar a


proximidade de pessoas abaixo da carga suspensa.

3. Antes de iniciar as manobras de içamento de cargas deve-se elaborar um plano


de rigging, o qual deve ser revisado e autorizado pelo setor competente.

4. O plano de rigging deve ser revisado e discutido no local de içamento e


montagem, pelo operador, sinalizador (rigger) e supervisor de operações.

5. O raio de giro do guindaste de apoio a montagem deve ser delimitado por cones
e fitas para evitar que pessoas e equipamentos sejam atingidos durante a
operação.

6. Em nenhum momento os trabalhadores devem se posicionar abaixo da carga e


o operador não deverá passar com a carga por cima deles.

7. Ao posicionar a estrutura imediatamente se colocaram todos os pinos e seus


respectivos retentores.

8. Os indicadores e sinais ao operador do guindaste ou grua somente deverá ser


feito pelo sinalizador devidamente qualificado para a tarefa.

9. As peças a serem utilizadas na montagem da grua devem ser armazenadas de


maneira a não interferir com as vías de trânsito e acessos.

10. Está totalmente proibido a permanência e trânsito de pessoas dentro da área


isolada durante o içamento de cargas.

11. No momento da montagem das estruturas de maior dimensão e alcance (lança,


contra lança, contrapesos, etc.) o pessoal que esta trabalhando em níveis
inferiores deverá ser retirado da área até que se finalizem estas atividades.

7. MAPA DE PROCESSO
Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0
Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0

8. SEQUENCIA DE MONTAGEM
Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0

8.1. BASE

8.1.1. BASE FIXA

Para fixação da grua, a engenharia Locabens disponibiliza os esforços que a grua


gera em sua base (de acordo com o manual POTAIN) para dimensionamento do bloco
de concreto armado que receberá os chumbadores da grua. Este dimensionamento é
de responsabilidade da obra. È disposto também o projeto de implantação para o
dimensionamento do guindaste auxiliar para montagem e desmontagem da grua, além
de informações complementares como esquema de aterramento, esquema elétrico e
demais características técnicas do equipamento.

Procedimento: Assim que a estrutura metálica do bloco for concluída a equipe de


montagem da Locabens pode posicionar os chumbadores (agendar este serviço com o
Setor Operacional Locabens com 10 dias de antecedência) e a obra poderá iniciar à
concretagem da base. Após a cura do concreto as sapatas (pés de encastramento) da
grua podem ser fixadas nos chumbadores, como mostra a figura abaixo.
Antes de iniciar a montagem é importante certificar que o concreto esteja curado e
nivelado. Caso haja algum desalinhamento na base, verificar tabela de tolerância e
nivelar com grout.

OBRIGATÓRIO: Esta montagem deve ser supervisionada e controlada.

8.1.2. BASE ASCENSIONAL

Para fixação da grua, a engenharia Locabens disponibiliza os esforços que a grua


gera em sua base (de acordo com o manual POTAIN) para que a obra reforce as lajes
em que serão fixadas as sapatas para colocação dos dois quadros de ascensão da grua.

Procedimento: Assim que a laje estiver pronta para receber o quadro de ascensão
a equipe de montagem da Locabens poderá posicionar os quadros de ascensão fixando-
os então o processo de montagem da torre poderá ser iniciado.

OBRIGATÓRIO: Esta montagem deve ser supervisionada e controlada.


Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0

Quadro de ascensão.

8.1.3. BASE SOBRE CHASSI

Para implantação da grua, a engenharia Locabens disponibiliza os esforços que a


grua gera em sua base para a obra dimensionar e executar eventuais reforços
necessários para receber a grua.

8.1.3.1. BASE SOBRE CHASSI ESTÁTICO

Verifica-se o nivelamento do solo para o posicionamento do chassi, em seguida é


montado o lastro da base e então a torre pode ser montada.

8.1.3.2. BASE SOBRE TRILHOS

A Locabens fica responsável por dimensionar os perfis, comprimentos e eventuais


curvas dos trilhos. Ao passo que a obra fica responsável por dimensionar e executar
toda a estrutura (a partir dos esforços elaborados pela Engenharia Locabens) para
receber estes trilhos, além da instalação dos trilhos seguindo as seguintes diretrizes
POTAIN:
Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0
Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0
Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0

8.2. MONTAGEM DO ELEMENTO BASE


Procedimento: Com o auxílio do guindaste, o elemento base é posicionado na base e
pinado manualmente, em seguida é verificado o prumo de acordo com a seguinte
tolerância:

Tipo de Torre 1,20 x 1,20 m 1,60 x 1,60 m 2,00 x 2,00 m

Tolerância para o
desnível entre os 3 mm 4 mm 5 mm
apoios da base

Montadores: Em cima da base da grua e próximos ao guindaste auxiliar.

Fixação do elemento base.

8.3. MONTAGEM DA TORRE

Os elementos da torre são unidos por 8 pinos e 4 contra-pinos (gulpilhas), como


mostra a imagem abaixo:
Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0

Procedimento: Com o auxílio do guindaste, o primeiro elemento de torre é colocado


em cima do elemento base e assim por diante até chegar ao último elemento. A
colocação dos pinos será feita manualmente. Dependendo da capacidade do guindaste,
esta montagem pode ser feita com sequências de até 4 elementos emendados.

Montadores: No último elemento de torre montado e próximo ao guindaste auxiliar.

8.4. MONTAGEM DA PEÇA GUIA (GAIOLA DE TELESCOPAGEM)


A peça guia é montada no corpo da torre para que a mesma consiga telescopar. Ela
pode ser montada no dia da montagem da grua ou no ato da telescopagem.
Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0

8.5. MONTAGEM DA ROTAÇÃO

8.5.1. GRUAS COM LANÇA FIXA COM PIVOT

Para gruas de lança fixa com pivot, o mesmo pode ser montado junto ou separado
da mesa de giro.

Procedimento: Com o auxílio do guindaste, a mesa de giro é posicionada em cima do


último elemento de torre fixando seus pinos manualmente e em seguida monta-se o
pivot na mesa de giro. No entanto, para gruas de pequeno e médio porte, a mesa de
giro pode já estar unida ao pivot.
Montadores: No último elemento de torre montado e próximo ao guindaste auxiliar.

a: Suporte Superior b: Suporte Inferior

8.5.2. GRUAS DE LANÇA FIXA SEM PIVOT

Para gruas de lança fixa sem pivot monta-se somente a mesa de giro.

Procedimento: Com o auxílio do guindaste, a mesa de giro é posicionada em cima do


último elemento de torre fixando seus pinos manualmente. Para gruas de pequeno
porte, a mesa de giro já é integrada à contra-lança.

Montadores: No último elemento de torre montado e próximo ao guindaste auxiliar.


Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0

8.5.3. GRUAS DE LANÇA MÓVEL

Para gruas de lança móvel monta-se a mesa de giro e a mesma recebe a cabine, a
contra-lança e posteriormente o cavalete (pivot).
Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0

8.6. MONTAGEM DA CABINE:

Procedimento: Com o auxílio do guindaste, a cabine será fixada na mesa de giro.

Montadores: Nesta fase três montadores estão na mesa de giro e um próximo ao


guindaste auxiliar.

Fixação da cabine

8.7. MONTAGEM DO CONTRA-LANÇA:


Procedimento: Com o auxílio do guindaste, a contra-lança é posicionada e fixada à
mesa de giro colocando seus pinos manualmente.

Montadores: Nesta fase os montadores estão na: mesa de giro / cabine, no Pivot, na
contra lança e próximos ao guindaste auxiliar.
Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0

Montagem do contra lança.

8.7.1. GRUAS DE LANÇA FIXA COM PIVOT

Após a fixação da contra lança é necessário pinar os tirantes Do pivot na contra-


lança.

8.7.2. GRUAS DE LANÇA FIXA SEM PIVOT


As gruas de lança fixa sem pivot nao possuem tirantes, são fixadas apenas pelos
pinos.

8.7.3. GRUAS DE LANÇA MOVEL

Para gruas de lança movel monta-se a contra-lança e logo em seguida monta-se o


cavalete.

8.8. MONTAGEM DO CONTRA PESO DE EQUILÍBRIO:

Procedimento: Com o auxílio do guindaste, o contra peso é posicionado e travado no


contra lança.

Montadores: Nesta fase os montadores estão na: contra lança e próximos ao guindaste
auxiliar.

8.9. MONTAGEM DA LANÇA:

Apoiado em solo nivelado seguirá com a montagem de seus módulos na


sequência prevista pelo fabricante. Quando a lança estiver completamente montada, a
mesma poderá ser içada e fixada na grua.

Procedimento: Com o auxílio do guindaste, a lança é fixada a mesa de giro


posicionando seus pinos manualmente.

Montadores: Nesta fase os montadores estão na: mesa de giro, na lança e próximos
ao guindaste auxiliar.
Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0

Montagem da lança.

8.9.1. GRUAS COM PIVOT

Para gruas com pivot a após a fixação da lança é necessário pinar o tirante da lança no
pivot.

8.9.2. GRUAS SEM PIVOT

Para gruas sem pivot a grua não necesita de pivot.

8.10. MONTAGEM DOS CONTRA PESOS:


Procedimento: Com o auxílio do guindaste, são colocados e travados os contra pesos
na contra - lança. O içamento dos contra pesos acontecerá individualmente (em cada
içamento apenas um contra peso subirá).

Montadores: Nesta fase os montadores estão na contra lança e próximos ao guindaste


auxiliar.

Montagem do contra peso.

8.11. LIGAÇÃO ELÉTRICA


Após a montagem da Grua é feita a ligação da parte elétrica da mesma. Nesta fase
a Grua é ligada na rede elétrica, e todos os seus comandos são testados e o teste de
carga ja pode ser realizado.
Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0

8.11.1. TESTE DE CARGA

O teste de carga limita os comandos da grua para que a mesma possa ser operada
com segurança e dentro dos limites estabelecidos no manual Potain.
O teste de carga limita todos os graus de liberdade da grua, torque, peso, rotação e
distrbuição, como mostra as figuras.

Limitadores de curso da Grua MC 85

9. ENTREGA TÉCNICA
Depois que a grua é montada e o teste de carga é realizado a grua esta liberada
para operar.

10. MANUTENÇÃO PREVENTIVA


A manutenção preventiva ocorre mensalmente, e é responsabilidade da equipe de
manutenção Locabens agendar as datas com os responsaveis da obra. Esta
programação é feita a partir da entrega técnica da grua.

11. ASCENSÃO DA GRUA


Quando a altura de montagem da grua não consegue atender a obra por completa,
e necessário uma ascensão.

11.1. GRUA DE BASE FIXA

A grua de base fixa necesita de ancoragens para realizar sua ascensão


(telescopagem).
Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0

11.1.1. ANCORAGEM

Após a montagem da grua, a Engenharia Locabens realiza o projeto de ancoragem


e telescopagem, com base nos projetos enviados pelo cliente e coordenadas reais do
posicionamento da grua (x,y,z), para que os responsáveis pela obra possam
dimensionar e executar eventuais reforços na laje para que a mesma possa suportar os
esforços produzidos pela ancoragem, como mostra a imagem abaixo.
As gruas Potain têm como padrão, em cada ancoragem, o uso de 3 pontos de
fixação por intermédio de vigas metálicas.

Procedimento: A Equipe de Montagem Locabens realiza a motagem do quadro de


ancoragem, monta as vigas de ancoragem no quadro e equilibra a grua, em seguida
realiza-se a marcação dos furos e a obra fica responsavel pela furação, logo que a
furação e realizada a equipe de montadores faz a fixação das sapatas na laje e a grua
está pronta para telescopagem.

11.1.2. TELESCOPAGEM

A Engenharia Locabens, elabora o projeto de subidada da grua, com base nos


projetos enviados pelo cliente e pelas cotas de niveis reais de posicionamento da grua,
que por sua vez é automontante, e este processo é chamado Telscopagem. Como
mostra a figura abaixo.
Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0

Procedimento: A Equipe de Montadores Locabens realizam a subida da peça guía e


equilibram a Grua, em seguida é realizada a abertura da grua e adiciona-se um
elemento por vez, no final da telescopagem a grua é fechada e a equipe desce a peça
guía para sua posição inicial.

11.2. GRUA DE BASE ASCENSIONAL

Para Gruas de base ascensional, a Engenharia Locabens Realiza um processo de


ascensão com base nos projetos enviados pelo cliente para que o mesmo programe
eventuais reforços para que a laje consiga suportar os esforços produzidos pela grua.

Procedimento: A Equipe de Montagem Locabens monta o quadro de ascensão na laje


programada, equilibra a grua, fixa o quadro de ascensão e realiza a ascensão da grua
por intermédio de um pistão hidráulico localizado em seu quadro superior. A torre da
grua deve estar sempre fixada por dois quadros, conforme imagem abaixo:

12. PROCESSO DE DESMONTAGEM


A programação de desmontagem é uma ação realizada pelo Cliente em conjunto
com o Operacional Locabens, e esta desmontagem pode ocorrer com auxilio de um
guindaste convencional ou guindaste Derrick.
Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0

12.1. DESMONTAGEM COM GUINDASTE AUXILIAR

A desmontagem com guindaste auxiliar é uma operação mais simples e rapida pois
o guindaste auxiliar é de fácil desmobilização, necesita somente da locação do
guindaste auxiliar e do agendamento com o Operacional Locabens.

12.1.1. SEQUENCIA DE DESMONTAGEM

12.1.1.1. RETIRADA DOS CONTRA PESOS

Procedimento: Com o auxílio do guindaste, os contra pesos são destravados e


retirados do contra lança.

Montadores: Nesta fase os montadores estão na: contra lança e próximos ao


guindaste auxiliar.

12.1.1.2. DESMONTAGEM DA LANÇA

A lança será desmontada no seu comprimento total de modo que, o mesmo seja
apoiado em solo nivelado e posteriormente seguirá com a desmontagem de seus
módulos na sequência prevista pelo fabricante.

Procedimento: Com o auxílio de o guindaste, a lança é desafixada da mesa de giro


retirando seus pinos manualmente.

Para gruas com pivot antes da retirada da lança é necessário desafixar o tirante.

Montadores: Nesta fase os montadores estão na: mesa de giro, na lança e


próximos ao guindaste auxiliar.
Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0

Retirada da lança.

12.1.1.3. DESMONTAGEM DO CONTRA PESO DE EQUILÍBRIO

Procedimento: Com o auxílio do guindaste, o contra peso é destravado e retirado


da contra lança.

Montadores: Nesta fase os montadores estão na: contra lança e próximos ao guindaste
auxiliar.

Retirada do contra peso de equilíbrio.

12.1.1.4. ESMONTAGEM DA CONTRA – LANÇA

Procedimento: Com o auxílio do guindaste, a contra lança é retirada da mesa de giro


retirando seus pinos manualmente.

Antes da desmontagem é necessário desafixar o tirante da contra lança.

Montadores: Nesta fase os montadores estão na mesa de giro / cabine, no Pivot, na


contra lança e próximos ao guindaste auxiliar.
Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0

Retirada do contra lança.

12.1.1.5. DESMONTAGEM DA ROTAÇÃO

Procedimento: Com o auxílio do guindaste, o suporte superior é desafixado da mesa


de giro e posteriormente a mesa de giro é retirada de cima do último elemento de torre
retirando seus pinos manualmente. Para gruas com pivô, mesmo também é retirado.

Montadores: No último elemento de torre montado e próximo ao guindaste auxiliar.

a: Suporte Superior b: Suporte Inferior

12.1.1.6. DESMONTAGEM DA CABINE

Procedimento: Com o auxílio do guindaste, a cabine será retirada da mesa de giro.

Montadores: Nesta fase os montadores estão na: mesa de giro e próximos ao


guindaste auxiliar
Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0

Retirada da cabine.

12.1.1.7. DESMONTAGEM DAS SEÇÕES DA TORRE

Procedimento: Com o auxílio do guindaste, é destravados os 8 pinos e os 4 contra –


pinos e em seguida o primeiro elemento de torre é retirado e assim por diante até chegar
ao último elemento de cima do elemento base. A retirada dos pinos será feita
manualmente.

Montadores: No último elemento de torre montado e próximo ao guindaste auxiliar.

Retirada dos elementos.

12.1.1.8. DESMONTAGEM DO ELEMENTO BASE

Procedimento: Com o auxílio do guindaste, o elemento base é retirado dos


chumbadores.

Montadores: Em cima da base de concreto armado e próximos ao guindaste auxiliar.


Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0

Retirada do elemento base.

12.2. DESMONTAGEM COM GUINDASTE DERRICK

Para à desmontagem com Derrick a Engenharia Locabens elabora um projeto de


desmontagem, feito isso o projeto de desmontagem deve ter o aceite do responsavel
pela obra que deverá fazer o reforço necessário em sua laje para a instalação do
guindaste Derrick.

12.2.1. SEQUENCIA DE DESMONTAGEM

12.2.1.1. MONATGEM DO DERRICK

O Derrick e montado com auxilio da grua na ultima jage da obra.

12.2.1.2. RETIRADA DO CONTRA PESO DE EQUILIBRIO

A Equipe de Montagem destrava o contra peso de equilíbrio e retira o mesmo com


o Derrick.

12.2.1.3. DESMONTAGEM DA LANÇA

lança é desmontada, com auxilio do Derrick, com seu comprimento total, porem há
a possibilidade de desmontar a lança e descer ela por partes.

12.2.1.4. RETIRADA DOS CONTRA PESOS

A Equipe de Montadores destrava os contra pesos da contra-lança e retiram os


mesmos com o guindaste Derrick.
Cliente: ENGEFORM Data: 16/09/2021
INSTRUÇÃO OPERACIONAL Obra: HOSPITAL CARIACICA Equip.: MC 085
Código: LBES-EGF014-IO-G1-C085F-01=0 Rev.: 0

12.2.1.5. DESMONTAGEM DO ELEMENTO BASE

A Equipe de Montadores desafixam o elemento base da base e o Derrick retira o


mesmo.

12.2.1.6. DESMONTAGEM DA CONTRA-LANÇA

A Equipe de Montadores, desafixam o tirante, quando a grua contém os mesmo, retiram


os pinos de fixação e tiram o contra-lança com o auxilio do Derrick

12.2.1.7. DESMONTAGEM DA ROTAÇÃO

O Drrick desmonta a parte por parte da rotação, começando com o pivot, quando a
grua possui o mesmo, em seguida a mesa de giro é desmontada e retirada da torre.

12.2.1.8. DESMONTAGEM DAS SEÇÕES DA TORRE

A Equipe de Montadores retiram os pinos e contra pinos, que fixão cada um


elemento ao outro, e o Derrick por sua vez retira um elemento por vez.

12.2.1.9. DESMONTAGEM DO DERRICK

O Derrick é desmontado por outro Derrick menor ou por um pau de carga.

Você também pode gostar