Você está na página 1de 46

ENEM 2022

Eixo temático: Saúde


O Eixo Saúde é um dos mais
importantes para o Enem e os
vestibulares tradicionais. Os
desdobramentos possíveis são muitos e
dialogam com as mais diferentes áreas.
É importante lembrar que os temas são
abordados de forma contextualizada,
a partir de uma perspectiva social, em
que as questões de saúde afetam a
vivência comunitária num âmbito
coletivo, e não apenas individualmente.
Quais conceitos poderão ser usados?

Medicina Preventiva A abordagem da medicina preventiva


leva em consideração todos os
aspectos do corpo humano e busca
substituir o modelo curativo, com
foco na doença, para um modelo de
manutenção da saúde e da qualidade
de vida das pessoas. Nesse sentido,
uma das principais ações é a
mudança de hábitos nocivos para o
corpo e mente.
Quais conceitos poderão ser usados?
Atenção Primária Conjunto de ações de saúde individuais,
familiares e coletivas que envolvem
à Saúde promoção, prevenção, proteção,
diagnóstico, tratamento, reabilitação,
redução de danos, cuidados paliativos e
vigilância em saúde, desenvolvida por
práticas de cuidado integrado e gestão
qualificada, realizada por equipe
multiprofissional e dirigida a uma
população em território definido, sobre as
quais a equipe tem responsabilidade
sanitária. Aqui está a Estratégia de Saúde
da Família.
Quais conceitos poderão ser usados?
Medicina de Família Especialidade médica em que há a
preparação dos médicos para atuar
e Comunidade nas APS. A medicina da família e da
comunidade tem como objetivo
formar médicos resolutivos, que
compreendam o contexto em que
o paciente está inserido,
respeitando as características da
comunidade, sendo um
instrumento da comunidade para
melhorias na Saúde.
A evolução do Sistema Único de Saúde
O Sistema Único de Saúde (SUS) é um dos maiores
sistemas de saúde pública do mundo. Ele garante
acesso integral, universal e gratuito para toda a
população do Brasil, abrangendo desde o simples
atendimento para avaliação da pressão arterial, até
o transplante de órgãos. Esse complexo sistema está
presente na vida de todos os brasileiros e completou
32 anos da Lei nº 8080/1990, que regulamentou uma
trajetória de muito esforço e desafios enfrentados,
diariamente, para proporcionar e garantir o direito
universal à saúde como dever do Estado.
A evolução do Sistema Único de Saúde
O sistema público de saúde, antes de 1988, atendia
a quem contribuía para a Previdência Social. A saúde
era centralizada e de responsabilidade federal, sem
a participação dos usuários. A população que
poderia usar recebia apenas o serviço de assistência
médico-hospitalar. Antes da implementação do SUS,
saúde era vista como ausência de doenças. Na
época, cerca de 30 milhões de pessoas tinham
acesso aos serviços hospitalares. As pessoas que
não tinham carteira assinada dependiam, muitas
vezes, da caridade e da filantropia.
A evolução do Sistema Único de Saúde
O SUS surgiu após a reabertura democrática, depois
de ampla pressão popular e do Movimento
Sanitarista Brasileiro. Em 1986, em Brasília, ocorreu
a 8ª Conferência Nacional de Saúde (8ª+8), com a
presença de ativistas, pesquisadores, trabalhadores
da saúde de todo país. Esse momento deu as bases
para o capítulo “Da Saúde”, na Constituição de 1988.
São mais de 30 anos da participação da comunidade
no monitoramento, fiscalização e deliberação sobre
as políticas públicas de saúde, por meio do Conselho
Nacional de Saúde (CNS), órgão fundamental para
que tenhamos o SUS como ele é.
A evolução do Sistema Único de Saúde
O SUS não é apenas assistência médico-hospitalar.
Também desenvolve, nas cidades, no interior, nas
fronteiras, portos e aeroportos, outras ações
importantes. Realiza vigilância permanente nas
condições sanitárias, no saneamento, nos
ambientes, na segurança do trabalho, na higiene dos
estabelecimentos e serviços. Regula o registro de
medicamentos, insumos e equipamentos, controla a
qualidade dos alimentos e sua manipulação.
Normaliza serviços e define padrões para garantir
maior proteção à saúde.
E a discussão do
rol taxativo?
Possibilidades de temas
so Sindemia: COVID-19 e
e u
ica is Saúde dos jovens Cigarro eletrônico desigualdade social
éd cia
a m so e tabagismo
tic de s e ISTs
É re
s
da
Doação de órgãos
e tecidos
Automedicação Eixo temático: Saúde
Envelhecimento
e cuidados na
Tratamento compulsório de terceira idade
dependentes químicos Atendimento à população
LGBT pelo SUS
Uso de medicamentos à base
de derivados da cannabis
Possibilidades de temas
a os Acesso a medicamentos
nt o
qu a s ISTs entre Alcoolismo como direito fundamental
as iv o
gm sit pessoas idosas
ti p o
Es soro
Alzheimer

Violência
obstétrica
Eixo temático: Saúde
Importância do
diagnóstico precoce
Adoecimento no do autismo
Amamentação e
mercado de trabalho Transtornos
Saúde masculina nutrição infantil
alimentares
Vamos a mais algumas
sugestões de repertório…
FILME: “M8 - Quando a
morte socorre a vida“
SÉRIE: “SOB PRESSÃO“
SÉRIES ESTRANGEIRAS
Como aplicar esses
repertórios aos possíveis
temas…
Tema: O agravamento da violência doméstica
no contexto da pandemia de coronavírus.
Introdução: Na série Grey’s Anatomy, a personagem Jo Wilson precisa
lidar com os traumas da violência sofrida em um relacionamento
abusivo, o que a leva a trocar de nome e a viver em constante estado de
alerta. Essa realidade, que também ocorre no Brasil, traz severos impactos
para a vida familiar, profissional e social, comprometendo o bem-estar e
a saúde de grupos já vulneráveis, a exemplo de deficientes, idosos e
mulheres, sobretudo no atual contexto da pandemia. Diante disso, é
preciso avaliar não só as origens desse problema, como também seus
efeitos para a sociedade.
Tema: O papel do profissional em saúde para o
estímulo à doação de órgãos e tecidos no Brasil.
Introdução: Devido ao Sistema Único de Saúde, o Brasil possui, hoje, o
maior programa público de transplante de órgãos do mundo. Entretanto,
apesar de tamanha importância, são inúmeros os obstáculos para que a
doação ocorra, sobretudo na abordagem às famílias, o que pode ser
comparado à série Grey’s Anatomy, em que as equipes médicas precisam
lidar com a resistência dos familiares e os estigmas que envolvem o tema.
Por isso, é indispensável que haja uma nova abordagem do assunto, para
que os profissionais desempenhem o seu papel frente aos desafios em
torno da doação de órgãos no país.
Tema: A importância da saúde pública para o
combate a epidemias no Brasil

D1: Diante desse cenário, a pandemia do novo coronavírus tem demostrado a


urgente necessidade de investimentos no setor público de saúde. Isso porque, em
momentos de crise sanitária, é esse setor que desempenha papel crucial no
atendimento e na recuperação dos pacientes de forma homogênea, o que colabora
para o controle de patologias, como já ocorreu com a febre amarela, o sarampo e o
HIV no Brasil, e, consequentemente, traz benefícios à saúde coletiva e ao bem-estar
social. Tal realidade é ilustrada pelos episódios “Plantão Covid”, da série brasileira
Sob Pressão, em que a luta dos profissionais de saúde do setor público é capaz de
salvar vidas, mesmo em face da brusca e imprevista demanda.
Tema: A importância da saúde pública para o
combate a epidemias no Brasil
D2: Em contrapartida, o insuficiente investimento nesse setor e os problemas
relacionados à gestão dos recursos consistem nos principais desafios enfrentados
no país. Desde o Novo Regime Fiscal, instituído pela PEC 55/2016, os investimentos
públicos foram limitados por 20 anos, o que colabora para o sucateamento do setor
estatal. Em razão disso, somada a uma gestão ineficiente dos recursos, a crise
impactou ainda mais profundamente a saúde pública, já que, em um contexto
como o atual, os investimentos precisam ser acentuados, para que se contenha a
letalidade do vírus e se possibilite um retorno à normalidade. Essa realidade de
sucateamento também é tratada pela série, o que reforça, pois, a
imprescindibilidade de mudança no atual cenário.
Publicações recentes de
páginas relacionadas à
saúde…
Campanhas importantes feitas pelo SUS
Campanhas importantes feitas pelo SUS
Campanhas importantes feitas pelo SUS
Campanhas importantes feitas pelo SUS
Sigam nossas redes sociais!
@minasdaredacao

Minas da Redação Podcast

Minas da Redação Podcast

Você também pode gostar