Você está na página 1de 118

@ViverMontessori apresenta

MONTESSORI
PARA BEBÊS
Desenvolvimento Infantil

0 A 18 MESES

VOLUME 1
Julho de 2021

Edição
OLÁ!
Se você está lendo esse e-book é porque entrou em
contato com o Viver Montessori de alguma forma, então,
prazer! Se você ainda não me conhece, me chamo Larissa
Serqueira, sou Pedagoga formada pela Universidade
Federal do Amazonas, Guia Montessori para primeira
infância 0 a 6 anos formada pelo Centro Educacional
Menino Jesus/SC e mãe de dois pequenos.

O Viver Montessori presta consultoria à famílias e escolas


que desejem adotar o Método Montessori e como forma de
agradecimento à comunidade, resolvemos compartilhar
alguns conhecimentos em forma de e-book.

Aqui você vai encontrar, numa leitura leve e breve, alguns


conhecimentos importantes para entender melhor a sua
criança e algumas dicas de atividades que irão contribuir
com o desenvolvimento dela.

Esse material foi feito com muito carinho e cuidado e


contém algumas imagens extraídas da internet. Se alguma
das imagens utilizadas aqui for sua, não deixe de nos
informar para colocarmos os devidos créditos ou fazer a
@ViverMontessori

remoção caso seja de seu interesse!


Pedimos a gentileza de não compartilhar o e-book com
terceiros, valorize e incentive a produção autoral e a
continuidade do projeto @ViverMontessori.

É isso, espero que esse conteúdo possa ser útil para você e
sua família assim como foi para minha, afinal as ideias
propostas aqui são testadas diariamente na vida dos meus
pequenos.

Você também pode encontrar mais do meu trabalho nas


minhas redes sociais! Lá compartilho conteúdos mais
estruturados e também um pouco da minha vida com as
minhas crianças, tenho certeza que você poderá gostar!

Clique diretamente nos ícones abaixo e me siga na sua


rede social favorita!

Se você tiver outras dicas, críticas ou sugestões, escreva


para contato@vivermontessori.com.
@ViverMontessori

Um beijo,
Larissa Serqueira
ÍNDICE
INTRODUÇÃO

Nesse primeiro momento vamos conversar sobre


alguns conceitos que irão te ajudar a entender a
VISÃO
criança e a colocar as atividades propostas em
prática de forma mais efetiva!

0 A 6 MESES

Nesses primeiros meses os bebês ainda são muito


OLFATO
passivos, então muitas das atividades envolverão
a intervenção do adulto e serão feitas no chão. As
atividades sensoriais serão bem enfáticas.

6 A 12 MESES

A mobilidade dos bebês começa a ganhar forças


OLFATO
e seu protagonismo nas atividades aumenta.
Nessa fase ocorre o refinamento das habilidades
adquiridas na fase anterior.

12 A 18 MESES
@ViverMontessori

É um período em que as crianças demonstram


OLFATO
evolução nas suas habilidades de comunicação.
As atividades de linguagem terão ênfase nesta
fase.
A HISTÓRIA POR
TRÁS DO MÉTODO

Aqui vamos te ajudar a conhecer um


pouquinho mais sobre Maria
Montessori, sua história e como ela
@ViverMontessori

desenvolveu o método.
CONTEXTUALIZANDO
QUEM FOI MARIA MONTESSORI?
Nascida em 31 de agosto de 1870, em Chiaravalle na Itália,
Maria Montessori era uma mulher à frente do seu tempo.
Iniciou sua graduação pela Engenharia, em uma época em
que o único trabalho permitido para mulheres era a
pedagogia.

Terminou o curso com sucesso, mas acabara se


apaixonando pela biologia e decidiu tornar-se médica, em
uma Roma onde apenas homens cursavam faculdade de
medicina.

Formou-se especialista em psiquiatria e seu primeiro


trabalho foi como co-diretora de uma instituição para
crianças com necessidades especiais cujo objetivo era
apenas treinar professores. Mas Montessori viu muito mais
naquelas crianças, ditas como incapazes de aprender.

Inspirada pelo trabalho de Seguin e Itard, começou a criar o


que seria hoje os nossos materiais de desenvolvimento.
@ViverMontessori

ori:
ntess
ia Mo
f il m e Mar bini
Cena
do i bam
a v it a per
un
CONTEXTUALIZANDO
QUEM FOI MARIA MONTESSORI?
Por meio da utilização desses materiais, as crianças
internadas na escola aprenderam tanto e se
desenvolveram tão bem, que Montessori sentiu-se confiante
para inscrevê-las nos testes nacionais de educação da
Itália, cujos resultados foram superiores aos das crianças
"normais". Abismada diante do absurdo quadro à sua frente,
Montessori perguntou-se o que havia de tão errado com a
educação nas escolas tradicionais.

Montessori então começa a ter grande destaque no cenário


italiano: defendeu sua tese no Congresso Médico Nacional,
em Turim; palestrou no Congresso Nacional de Pedagogia;
envolveu-se com a Liga para a Educação de Crianças com
Retardo - termo forte hoje em dia, mas comum na época,
assumiu o posto de professora da Escola de Pedagogia da
Universidade de Roma; até que foi convidada para
desenvolver o projeto educacional no bairro de San Lorenzo,
na periferia da Itália em 1907.

Era para ser uma creche sem maiores pretensões, mas a


Casa dei Bambini iria se mostrar o palco da maior
@ViverMontessori

revolução educacional do mundo. O resultados obtidos na


casa a deixaram boquiaberta e a levaram para as capas
dos jornais e revistas de todo o mundo.
CONTEXTUALIZANDO
QUEM FOI MARIA MONTESSORI?
Daí em diante, seguem-se viagens pelo mundo, nas quais
Montessori ministra cursos e palestras sobre seu método,
abrindo escolas e treinando professores.

Com setenta e seis anos, Montessori falou para a UNESCO


sobre “Educação e Paz” e em 1949 recebeu a primeira de
três indicações ao Prêmio Nobel da Paz.

Sua última atividade registrada foi em 1951, com oitenta e


um anos, quando participou do 9º Congresso Montessori
Internacional. Em 1952, na Holanda, morreu de hemorragia
cerebral, antes do octogésimo segundo aniversário, na
companhia de Mário Montessori, seu filho, a quem deixou o
legado de seu trabalho. @ViverMontessori
CONTEXTUALIZANDO
UM MÉTODO DE AJUDA À VIDA
Montessori apresentou um novo conceito em educação: o
objetivo principal do professor não é ensinar, mas sim
observar, conhecer a criança, descobrir seus interesses e
permitir a manipulação da realidade ao seu redor.
(Pedagogia Científica, 1912, pg. 9)

Ela defendia que a educação deve resultar de uma


abordagem científica que seja capaz de respeitar as leis do
desenvolvimento da criança e do adolescente e suas fases
evolutivas. Ela desenvolveu seu método com base na
observação, experimentação, levantamento de hipóteses e
teses, preceitos básicos de um estudo científico.

Embora os alunos façam o trabalho acadêmico todos os


dias, o currículo Montessori expande sua visão numa
educação integral, holística, na qual o desenvolvimento
emocional, social, motor e acadêmico têm o mesmo valor.
@ViverMontessori
CONTEXTUALIZANDO
MONTESSORI EM CASA
Você vai descobrir nas próximas páginas que é possível
trazer toda a essência da filosofia montessoriana para
dentro da sua casa pois o método serve à uma filosofia.

Então, muito antes de falarmos de metodologia


educacional, temos que estar alinhados com a sua filosofia
e para isso basta força de vontade e um adulto disposto a
observar e compreender a infância de uma maneira mais
integral.

A partir deste ponto, vamos começar entendendo um


pouco mais sobre o desenvolvimento infantil sob a ótica de
Maria Montessori.

Mesmo com muitos de seus fundamentos tendo sido


desenvolvidos há mais de 100 anos, eles continuam muito
atuais, principalmente agora que temos a neurociência
para validar vários de seus estudos.

É possível, mesmo sem ser um profissional da área, viver a


essência da filosofia montessoriana em casa, de forma
@ViverMontessori

muito simples e tranquila.


PILARES

Alguns pilares fundamentam o


Método Montessori, agora vamos
@ViverMontessori

conhecer cada um deles.


PILARES
Ao desenvolver seu método, Maria Montessori foi bastante
cuidadosa em determinar cada passo da sua teoria. Sendo
assim, podemos estabelecer alguns pilares que sustentam
o método.

Ao longo do tempo, vários estudiosos e seguidores de Maria


Montessori nos ajudaram na interpretação desses pilares,
então podemos encontrar listas com mais ou menos
pilares.

Mas, para começar, é unânime o reconhecimento de 3


pilares principais:
Criança
equilibrada

Ambiente Adulto
preparado consciente

Além desses, podemos identificar ainda:


Autoeducação
@ViverMontessori

Educação como ciência


Educação cósmica

Vamos cohecer cada um deles agora!


ADULTO PREPARADO
O adulto consciente e/ou preparado pode ser o professor, o pai
ou a mãe, o cuidador, a vovó e o vovô. É todo adulto que
convive com a criança e/ou que partilhe de sua educação.

O Método Montessori é voltado para a criança, de fato. Mas é o


adulto que precisa muito mais dele pois, para produzir os efeitos
educacionais propostos por Montessori, o adulto deve ser o
primeiro a se preparar, tal como guardião da criança.

O adulto preparado começa olhando para dentro de si.


Abandonando crenças limitantes e a convicção de que só
porque as coisas sempre foram feitas de um jeito, não há um
maneira diferente de fazê-las. Pensando fora da caixa.

O adulto preparado observa o mundo pelos olhos da criança,


observa o caminho que ela está a seguir e prepara tudo o que
for possível para que ela o trilhe com segurança e
independência. É como se fosse um farol iluminando a estrada.

" A preparação que o nosso método exige do professor (adulto) é o auto-


exame, a renúncia à tirania. Ele deve expelir do coração toda ira e
@ViverMontessori

orgulho, deve saber humilhar-se e revestir-se de caridade.


Nisso consiste a preparação interior, o ponto de partida e a meta."

Maria Montessori
AMBIENTE PREPARADO
Aquele que se propuser a ajudar o desenvolvimento psíquico
humano deve partir do fato de que a mente absorvente da
criança se orienta na direção do ambiente; e, especialmente, no
início da vida, deve tomar cuidados especiais para que o
ambiente ofereça interesse e atrativos para esta mente que se
deve dele nutrir para a própria construção.

Como já vimos, existem diferentes períodos de desenvolvimento


psíquico e, em cada um deles, o ambiente tem um papel
importante; mas, em nenhum, ele assume a importância que tem
logo depois do nascimento.

Maria Montessori

@ViverMontessori
AMBIENTE PREPARADO
O ambiente preparado não é um quarto cheio de brinquedos,
ou uma cozinha com trava nas gavetas ou uma sala com
proteção nas tomadas.

Bem, ao menos não é SÓ isso. Segurança é priomordial sim,


mas não é sobre isso que estamos falando.

Imagine que você está numa floresta e esteja com sede, onde
está a água? No chão, certo? Se você precisar repousar, talvez
você se sentaria à sombra de uma árvore. Que está no chão,
certo?

Então porque insistimos em tirar o mundo do alcance da


criança se a satisfação das necessidades básicas do ser
humano deveriam estar à sua disposição?

Devemos nos esforçar em devolver o ambiente para a criança,


onde tudo seja organizado e preparado para a ação infantil.

Sendo assim, o ambiente preparado é um ambiente ACESSÍVEL.


Se hoje temos pequenas mesas e cadeiras nas salas de aula da
educação infantil, certamente é por obra de Montessori, que em
@ViverMontessori

1906 foi a primeira educadora a providenciar mobília


proporcional ao tamanho de seu alunos.
AMBIENTE PREPARADO
O ambiente é o segundo principal componente do Método
Montessori. Nas escolas é constituído pelos materiais de
desenvolvimento, exercícios educacionais, das crianças e
educadores.

E em casa, é constituído de tudo aquilo necessário para viver.

Segundo Paula Lillard, em seu livro Método Montessori: uma


introdução para pais e professores existem 6 componentes
básicos num ambiente montessoriano, eles lidam com
conceitos de:

Liberdade: A criança deve receber atividades que


incentivem a independência e não deve ser ajudada pelos
outros em atos que ela mesma possa aprender a fazer.
Estrutura e Ordem: A criança aprende a confiar em seu
ambiente e em seu poder para interagir com ele de um
modo positivo.
Realidade e Natureza: A criança deve ter a oportunidade de
internalizar os limites da natureza e da realidade para que
possa se liberar de suas fantasia e ilusões.
@ViverMontessori

@forestmontessori
AMBIENTE PREPARADO
Beleza e Atmosfera: O ambiente deve ser simples mas de
bom desing e de qualidade para que sua beleza e
atmosfera incentivem uma resposta positiva e espontânea à
vida.
Materiais de desenvolvimento: Eles auxiliam a
autocostrução do conhecimento e o desenvolvimento
psíquico da criança, dando a ela estímulos que prendem
sua atenção e iniciam um processo de concentração.
Vida em comunidade: Tudo no ambiente é voltado para as
necessidades infantis físicas, intelectuais e emocionais,
desenvolvendo um senso de pertencimento e
responsabilidade para com o ambiente e com os outros.

Ou seja, o ambiente é um ponto muito importante para o


desenvolvimento do seu bebê e é muito interessante que ele
tenha um espaço próprio desde que nasce. Então promova um
espaço no chão que seu bebê possa se movimentar livremente,
pode ser através de emborrachados ou um colchão mais
firminho, o importante é que ela tenha liberdade para se
movimentar e ter brinquedos que o estimule a tentar pegar.
@ViverMontessori
AMBIENTE PREPARADO
A medida que seu bebê vai crescendo comece a adaptar
outros ambientes da casa, utilize bancos ou abaixe alguns
móveis. A dica de ouro para observar quais adaptações
são necessárias é imitar a estatura do seu filho. Se ele
ainda é um bebê coloque o rosto próximo do chão.
O que você vê? É um ambiente que te passa calma e
tranquilidade? Tem algum objeto interessante para
explorar?

@ViverMontessori
AUTOEDUCAÇÃO
A autoeducação é a capacidade da criança aprender sozinha.

Mas diferente da teoria construtivista do conhecimento, para a


autoeducação funcionar a criança precisa estar inserida em um
contexto e em um ambiente que proporcione essa
aprendizagem.

As crianças aprendem muitas coisas sozinhas apenas


observando o comportamento humano, como andar, falar,
pegar... Ela vê pessoas que andam e falam e seu guia interior a
instiga a tentar fazer o mesmo.

Esse guia interior é como algo biológico, que está no DNA


humano, programado para se desenvolver em determinado
momento sob determinado estímulo.

Por essa razão os materiais e as atividades montessorianas são


feitos especialmente para a manipulação pelas crianças, de
forma livre e independente, dotados de um mecanismo
chamado "controle de erro."

O controle de erro é um indicativo de algo que não está certo,


@ViverMontessori

como as peças de um quebra-cabeças. Na posição errada


elas não se encaixam e isso pode ser percebido facilmente.
AUTOEDUCAÇÃO
Ao manipular os materiais a criança não precisará da
ajuda do adulto para identificar o erro e assim poderá
corrigí-lo sozinha e assim aprender ou aprimorar suas
habilidades.

Isso não significa "abandonar" a criança no ambiente e


esperar que ela aprenda tudo sozinha. O adulto também
possui um papel de guia, ele pode instruí-la num primeiro
momento quanto ao uso correto do material.

Mas, depois disso, somente quando é solicitado pela criança.

Só devemos intervir quando a criança realmente precisa de


ajuda, caso contrário, atrapalharemos seu raciocínio lógico e
seu desenvolvimento. @ViverMontessori
AUTOEDUCAÇÃO
CONTROLE DE ERRO
Em resumo: as crianças podem perceber sozinhas quando
uma coisa não está correta, sem a interferência ou
correção do adulto quando ela erra, a isso damos o nome
de controle de erro.

Por isso, devemos introduzir em nossas atividades


mecanismos que possibilitem essa percepção, seja usando
tamanhos, cores ou o que a atividade demandar.

Se ela brinca com um brinquedo de encaixe, por exemplo. A


peça redonda não irá entrar no buraquinho triangular e
assim ela sabe que aqui não está certo e irá procurar uma
opção melhor. Ao encontrar o buraquinho redondo e a peça
encaixar ela vai perceber que algo funcionou melhor e irá
encontrar o sucesso.

Para os bebês, o próprio ambiente também pode vir dotato


de controle de erro, como quando esbarra em uma cadeira,
o barulho vai alertá-lo sobre o erro e assim ele pode
corrigí-lo.
@ViverMontessori

Se um copo de vidro cair no chão, claramente o


estardalhaço vai fazê-lo perceber que deve segurar o copo
com mais firmeza da próxima vez.
EDUCAÇÃO COMO CIÊNCIA
Maria Montessori, sendo a médica cientista que foi, procurou
fundamentar seu método na ciência, nada foi feito na base
do achismo, essa é uma das razões pelas quais seu
método se chama Pedagogia Científica.

Um estudo científico para ser reconhecido precisa passar por


algumas etapas, são elas: observação, problematização,
formulação da hipótese, experimentação e teoria. E o método
de Montessori passou por todas elas.

Qualquer profissional pode ser um cientista em seu ambiente de


trabalho. A sala de aula é nosso laboratório, nós somos o
pesquisador e as crianças são nosso objeto de estudo. Isso se
aplica também em casa! Sua sala, seu ambiente, pode ser seu
laboratório e você como pai/mãe/cuidador pode ser o cientista
da sua criança.

Estude-a, observe-a, compreenda-a!

Devemos observar, analisar, interferir, anotar, formular


perguntas e testar possíveis soluções... É nosso dever
@ViverMontessori

pesquisar, estudar e nos munir de informações sobre


desenvolvimento infantil se queremos proporcionar o
melhor para nossas crianças.
EDUCAÇÃO CÓSMICA
Por definição, o termo de origem grega kósmos designa o
Universo como ordem, como um todo organizado, um
sistema bem ordenado em oposição ao caos e à
desordem.

Cósmica significa abrangente, holística (como um todo) e


com propósitos. “Educação Cósmica” difere da Educação
Tradicional, pois tem como objetivo ir além da aquisição de
conhecimento e do desenvolvimento de uma criança ou de
um adolescente. Trecho por: Aldeia Montessori

Na educação tradicional os conceitos de mundo são


tratados do EU para o TODO. Em Montessori é o inverso.
Começamos do TODO para o EU. Universo > Terra >
Continentes > Países > Estado > Cidade > Bairro > Casa.

Isso porque, dessa forma, estamos desenvolvendo a


consciência de que somos parte do mundo e de que tudo está
interligado.
@ViverMontessori

Desde que nasce, uma criança já está inserida numa educação


universal, ela já ocupa um espaço geográfico no mundo.
EDUCAÇÃO CÓSMICA
Em casa, a aplicação de uma educação transdisciplinar é muito
mais simples do que parece!

Vamos imaginar que estamos fazendo um bolo: você precisará


ler a receita e identificar os ingredientes (Português e
Linguagem), você precisará separar esses ingredientes nas
quantidades necessárias para a receita (Matemática), você
precisará misturar esses ingredientes líquidos e sólidos, adicionar
um componente que, combinado com a temperatura, irá fazer o
bolo crescer (Física e Química).

Nesse simples exemplo podemos ver quantas disciplinas


estamos usando AO MESMO TEMPO. E isso que é
transdisciplinaridade, quando você estabelece relações entre os
conhecimentos, explora cada um deles de forma não
convencional, não apenas nos livros, mas na vida real.

Ao termos essa visão transdisciplinar do conhecimento


poderemos ver a educação das crianças em casa de forma
muito mais leve, pois a todo momento temos oportunidades de
ensinar algo para as crianças sem que elas precisem estar
@ViverMontessori

sentadas em uma cadeira, com um livro, apenas ouvindo


alguém falar.
EDUCAÇÃO CÓSMICA
E, uma vez que ela existe no mundo, ela deve aprender a existir
nesse mundo. O ambiente é modificado pela criança e a
modifica, a todo momento.

E ao contrário do que o adulto pensa, a criança se encanta em


conhecer o mundo, mesmo ainda pequena.

A Educação Cósmica como parte do currículo


Montessoriano confere uma transdisciplinaridade do
conhecimento. Geografia, História, Ciências...está tudo
interligado e um mesmo tema pode ser abordado sob a
ótica de cada uma das disciplinas fazendo com que a
criança desenvolva conexões entre elas.

Além disso, a partir dos 6 anos, a Educação Cósmica se


utiliza das Cinco Grandes Lições desenvolvidas por
Montessori para contar a história do homem no mundo. São
elas:
A História do Universo
A História da Vida
A História do Homem
@ViverMontessori

A História da Escrita
A História dos Números
CRIANÇA EQUILIBRADA
O resultado da aplicação de todos esses pilares é a Criança
Equilibrada.

Isso é o que acontece quando procuramos agir sob a ótica dos


5 princípios anteriores, quando respeitamos a criança e seu
desenvolvimento.

Vimos que a criança tem um guia interior, e quando esse guia


interior é livre para explorar um ambiente preparado e seguro, e
é conduzido por um adulto paciente, ela encontra seu equilibrio
interior.

Isso por que, dessa forma, a criança tem a possibilidade de se


expressar e de realizar atividades que conectem e que
satisfaçam a mão, a mente e a alma. O resultado disso é o
nascimento da concentração.

Quando a criança pode agir de acordo com seu guia interior e


suas ações então alinhadas com sua necessidade de
desenvolvimento, ela encontra a concentração.
@ViverMontessori

Por isso é tão importante não interrompermos a concentração


da criança, mesmo que ela esteja repetindo uma atividade
incontáveis vezes, concentrada.
CRIANÇA EQUILIBRADA
É por meio do desenvolvimento dessa concentração que a
criança revela sua verdadeira natureza: pacífica, amorosa,
generosa.

Quando a criança tem a oportunidade de desenvolver


a concentração logo ela se torna mais calma, mais tranquila,
mais alegre. Ela aprende a controlar e coordenar seus
movimentos, como, por exemplo, nas atividades de vida prática.
Ela encontra o equilíbrio. É um processo e leva tempo. Não
acontece em poucas semanas.

Isso quer dizer que a criança vai se manter calma e serena


o dia todo? Não.

Isso quer dizer que a criança encontrará mais momentos de


equilíbrio durante a sua ação. Pois ela está em um ambiente
preparado e lida com um adulto que enxerga na sua ação o
esforço para se desenvolver.
@ViverMontessori
O MÉTODO SOB
O OLHAR DA
NEUROCIÊNCIA

Hoje em dia a neurociência pode


provar vários dos conceitos
propostos por Montessori há 150
@ViverMontessori

anos!
COMO O CÉREBRO APRENDE?
Nos três primeiros meses de vida do bebê acontece um
processo chamado de mielinização. Isto é, os neurônios
ganham um revestimento aderente que acelera a
transmissão da comunicação entre neurônios e permite um
desenvolvimento mais rápido das funções cerebrais e da
comunicação do cérebro com o resto do corpo.

Essa comunicação é feita


por meio das sinapses,
que são como conexões entre
os neurônios.

Os estímulos sensoriais - tato, audição, paladar, visão e


olfato - afetam diretamente a quantidade de sinapses
feitas no cérebro, por isso o tamanho da sua importância.

É por meio desses estímulos que podemos contribuir para


desenvolvimento de nossos bebês.

Nessa idade, apesar de todos os sentidos terem a sua


importância, a audição e a visão terão grande destaque,
mas você poderá perceber que todos andam juntos e que
@ViverMontessori

muitas vezes um único estímulo pode abranger vários


sentidos.
MAS O QUE É ESTIMULAR?
Por definição estimular é despertar o ânimo, o interesse
de; encorajar, incentivar. Proponha para criança e deixe à
sua disposição em torno de 5 a 7 atividades no máximo
por ambiente. Devemos ter o cuidado para não
superestimulá-las e acabar causando o efeito rebote: o
de ela não se interessar por nada.

Retire o excesso de brinquedos, principalmente aqueles


que não contribuam para o desenvolvimento da sua
criança. Fuja daqueles brinquedos que "brincam
sozinhos", ou seja, de mecanismo simples e repetitivo,
que não necessitam da interação da criança uma vez
que estejam ligados.

Estimular não é complicado e brincar é muito divertido!


Você não precisa se estressar
elaborando atividades
complexas. Explore o que você
tem em casa, como um potinho
transparente com macarrão
colorido, por exemplo.
Permita-se olhar para o
@ViverMontessori

mundo e as coisas à sua volta


com a delicadeza e a
curiosidade de uma criança.
O seu bebê pode te ensinar
muitas coisas, basta
estar atento à ele!
PERÍODOS SENSÍVEIS
Depois de muitos e muitos anos observando crianças de
diferentes lugares do mundo, Maria Montessori identificou
que elas tem épocas em que estão mais predispotas a
aprender determinada habilidade e também
apresentam necessidades específicas a serem
atendidas, a estas denominou períodos sensíveis.

Sendo assim, podemos ajudá-la promovendo estímulos


alinhados a cada período sensível ou buscando atender
e compreender as necessidades dela dentro de cada
etapa.

Então agora que você já sabe como o cérebro aprende


e como ajudar o cérebro a aprender, vou te mostrar um
esquema onde fica mais claro sobre quando as crianças
aprendem.

Esse esquema vai te acompanhar até os 6 anos de


idade do seu filho! E vai se mostrar muito útil ao te ajudar
a entender toda a sua jornada de desenvolvimento.
@ViverMontessori
PERÍODOS SENSÍVEIS
0 1 2 3 4 5 6
Matemática

Escrita
Período Sensível

Leitura

Refinamento dos sentidos

Graça e cortesia

Música e ritmo

Ordem

Detalhes

Desenvolvimento dos sentidos

Movimento

Linguagem

Idade

Esse é o momento ideal para observar a sua criança e ir


tentando identificar em qual período ela está e contribuir
de forma mais eficaz para o seu desenvolvimento.

Por exemplo, no período sensível do movimento, que vai


@ViverMontessori

de 0 a 4/5 anos, a criança tem necessidade de se


mexer, é o seu desenvolvimento interno falando: -Ei,
corre! Você precisa correr para desenvolver seu corpo.
Então permita que ela corra!
PERÍODOS SENSÍVEIS
LINGUAGEM

Note como seu bebê ou


PERCEBER?
Esse período olha fixamente para
OCORRE?
QUANDO

sensível ocorre sua boca enquanto


COMO

desde o você está falando.


nascimento até Sua criança gosta de
os 6 anos de contar histórias?
idade. Escute-as atentamente
e se envolva nelas.

Os bebês já conseguem reconhecer sons dentro da


OCORRE?

barriga da mãe, mas a partir do nascimento ele


COMO

passa a conviver com pessoas que falam! Nós não


os ensinamos a falar, as crianças absorvem através
dos sentidos todas as características da língua
materna.

Cantar, falar, pronunciar corretamente as palavras,


AJUDAR?

ler histórias. Sempre fale no nível do olhar da


COMO

criança, ou seja, se abaixe para que ela consiga


perceber suas expressões faciais e os movimentos
da boca.
@ViverMontessori
PERÍODOS SENSÍVEIS
MOVIMENTO

Essa é fácil! Sua


PERCEBER?
Esse perído criança vai sempre
OCORRE?
QUANDO

ocorre desde o tender para ações de


COMO

nascimento e vai movimento! Brincar,


até os 5 anos, correr, pular, subir e
aproximadament descer escadas,
e. repetidamente, se
equilibrar nas coisas...

Desde que nasce a criança busca a independência


OCORRE?

física, primeiro ela aprende a ter controle dos


COMO

membros agarrando coisas, aprende a rolar, a


sentar, a engatinhar e por fim andar! Em um curto
espaço de tempo ocorre uma grande transformação
na vida da criança por meio do movimento.

Cuidado para não limitar demais as ações da sua


AJUDAR?

criança, ela precisa de movimento para se


COMO

desenvolver! Não permita-se associar uma criança


"boazinha" com uma criança quieta! Faça
caminhadas (no tempo da criança), pare para
cheirar as flores, promova um ambiente onde ela
possa se movimentar livremente e de forma segura.
@ViverMontessori
PERÍODOS SENSÍVEIS
DESENVOLVIMENTO DOS SENTIDOS

Esse período é
Este é um período
dividido em duas
PERCEBER?
sensível nato, o bebê
OCORRE?

partes: de 0 a 3
QUANDO

absorve o mundo à sua


COMO

anos ocorre o
volta por meio dos
desenvolvimento
sentidos. Faz parte da
dos sentidos e
vida dele e não há
de 3 a 6 anos o
atitude específica para
refinamento
identificá-lo.
deles.

A educação sensorial começa desde o nascimento e


OCORRE?

os exercícios para o desenvolvimento dos sentidos


COMO

são especialmente importantes pois no mesmo


período ocorre o desenvolvimento do sistema
nervoso. As crianças aprendem o que vivem,
essencialmente.

Para ajudar no seu desenvolvimento, ofereça um


AJUDAR?

amplo leque de atividades sensoriais ao seu bebê


COMO

de acordo com sua idade. O tato, o olfato, a


audição, a visão e o paladar são as portas de
entrada para a aprendizagem do seu filho. No nosso
e-book para bebês você encontra várias idéias de
atividades para desenvolver cada um deles.
@ViverMontessori
PERÍODOS SENSÍVEIS
DETALHES

Sua criança gosta de


PERCEBER?
observar formiguinhas ou
OCORRE?

Esse perído vai


QUANDO

catar as pequenas folhas


COMO

de 1 a 4 anos,
que caem no chão
aproximadamen-
durante um passeio?
te
Gosta de brincar com
miniaturas como
carrinhos e animais?
OCORRE?
COMO

Conforme a coordenação mão-olho vai ficando mais


refinada o bebê ou a criança vai ficando cada vez
mais interessada em manipular objetos pequenos.

A ajuda aqui vem da permissão do adulto para a


AJUDAR?

criança manipular objetos pequenos. É claro que às


COMO

vezes pode ser perigoso, mas certifique-se de que


realmente a criança colocará o objeto na boca
antes de interferir na sua ação, ela pode estar só
querendo cheirá-lo, por exemplo. Faça atividades
como um terrário para formigas ou catar feijões.
@ViverMontessori
PERÍODOS SENSÍVEIS
ORDEM

Sua criança gosta de


PERCEBER?
empilhar ou enfileirar
OCORRE?

Esse perído
QUANDO

objetos? Ela costuma


COMO

ocorre entre 2 e retornar os objetos que está


5 anos, usando para o lugar de
aproximadamen- origem? Ela fica incomodada
ao fazer alguma atividade
te.
fora de sua rotina?
OCORRE?

Esse estágio se caracteriza pelo interesse das


COMO

crianças pela rotina e pelo desejo por consistência


e repetição, Isso vale para a forma como agimos
também. Tudo deve ter seu devido lugar. Nessa fase
a criança precisa de previsibilidade.

Estabeleça uma pequena rotina. Não precisa ser


AJUDAR?

rígida com horários, mas sim com a ordem e ritmo


COMO

das atividades.

Prepare um ambiente organizado, que ele saiba


onde ficam as coisas e incentive-o a guardá-las de
volta no lugar quando terminar de usá-las.
@ViverMontessori
PERÍODOS SENSÍVEIS
MÚSICA E RITMO

O bebê reage ao som da


PERCEBER?
OCORRE?

Esse perído vai voz de alguém conhecido?


QUANDO

Ele se anima ao ouvir uma


COMO

dos 2 ao 6 anos,
canção ou brincar com um
aproximadamen- objeto que faça barulho?
te. Ele gosta de dançar ou se
mexer ao som de alguma
música?

A audição é um dos primeiros sentidos a ser


OCORRE?

desenvolvido ainda no útero. A melodia que


COMO

empregamos na voz permite também traduzir as


nossas emoções e o bebê também está sensível a
esse fato. Se a música fizer parte de sua vida, o
bebê demonstrará interesse espontâneo no
desenvolvimento do volume, ritmo e melodia do som.

Muitas são as atividades com esse propósito e você


encontra várias delas no nosso e-book! Mas cantar,
AJUDAR?

ouvir música e brincar de roda são algumas delas.


COMO

Você também pode fazer em casa maracas


utilizando garrafas com grãos que produzam
diferentes sons e etc. É um bom momento para
observar os talentos musicais do seu filho e quem
sabe descobrir um grande artista!
@ViverMontessori
PERÍODOS SENSÍVEIS
GRAÇA E CORTESIA

Já chegou visita na sua


PERCEBER?
casa e sua criança quis
OCORRE?

Esse perído vai


QUANDO

levar os copos d'água?! Ao


COMO

dos 2 ao 6 anos, caminhar na rua, ela colhe


aproximadamen- florzinhas para dar a
te. alguém? Ela se oferece
para ajudar em algo?
Geralmente lembra de falar
"por favor" e "obrigado"?

A criança irá se interessar por imitar alguns


OCORRE?

comportamentos atenciosos e educados dos adultos


COMO

à sua volta. Por isso é impotante nesse momento a


postura do adulto, pois este está servindo de
exemplo, a criança estará internalizando essas
qualidades em sua personalidade.

A ajuda a este período sensível vem através do


AJUDAR?

exemplo do adulto. Fique atento para suas atitudes


COMO

e forneça bons exemplos de respeito e


solidariedade, para com pessoas, animais e plantas.
Além disso, dessa forma ela também aprende que
deve ser tratada com respeito e educação e
esperará isso dos outros.
@ViverMontessori
PERÍODOS SENSÍVEIS
ESCRITA E LEITURA

Sua criança pede para


Ambos começam
PERCEBER?
você ler alguma
OCORRE?

aos 3 anos, mas o


QUANDO

embalagem, etiqueta ou o
período sensível
COMO

seu próprio nome?


da escrita vai até
Ela demonstra interesse
os 5 anos
por papel e caneta
enquanto o da
frequentemente?
leitura segue até
Quer rabiscar a parede?
os 6 anos.

Diferente do que vemos na educação tradicional,


OCORRE?

onde a alfabetização ocorre a partir dos 6 anos, em


COMO

Montessori percebemos que a criança começa a se


interessar pela escrita e leitura a partir dos 3 anos,
além disso é usada a base fonética, ou seja, as
crianças aprendem o alfabeto através do som que
cada letra faz.

Promova que seu filho desenvolva um vocabulário vasto. Ao


invés de falar o nome das letras, esse é "B" (bê) de bola,
AJUDAR?

apresente o som que a letra faz, /b/ (bâ). Promova


atividades que foquem na coordenação motora fina e no
COMO

movimento de pinça dos dedinhos. O objetivo é desenvolver


o corpo e a mão de forma indireta através de exercícios de
vida prática. Inclua sua criança nas atividades que
envolvam a escrita, como por exemplo, identificar letras nas
embalagens, nas placas na rua, etiquetar os objetos na
casa, fazer a lista do mercado ou escrever uma receita.
@ViverMontessori
PERÍODOS SENSÍVEIS
MATEMÁTICA

A matemática é a
linguagem de expressão da
PERCEBER?
OCORRE?

organização da mente.
QUANDO

Nesse momento sua


COMO

Esse período
criança pode gostar de
acontece entre 3 separar quantidades de
e 6 anos. objetos iguais, ou separar
ingredientes para uma
receita, ou dividir os
biscoitos com você.
OCORRE?

Através da absorção dos estímulos sensoriais e da


COMO

observação do meio a criança passa a armazenar e


categorizar essas informações na mente. Tudo isso
serve à preparação indireta do que Montessori
chamou de Mente Matemática.

A observação sempre será a forma mais importante


AJUDAR?

de ajudar uma criança no seu período sensível.


COMO

Você pode começar brincando de contar os


membros da família, pratos, separar meias, roupas
por tipo e tamanho, incentive a sua criança a
identificar as quantidades, faça atividades que
envolvam separar e contar coisas.
@ViverMontessori
DESENVOLVIMENTO
PSICOMOTOR
Assim como os períodos sensíveis, temos também outros
pontos a observar, como o desenvolvimento psicomotor
da criança. Este depende da maturação do sistema
nervoso e envolve várias áreas como a social, intelectual,
emocional, comunicação e afetividade e consiste na
evolução das capacidades cognitivas e motoras da
criança, de forma a se tornarem cada vez mais
complexas.

Abaixo você vai encontrar uma faixa progressiva das


habilidades adquiridas pelos bebês até os 18 meses que
são marcos de desenvolvimento bem fáceis de
identificar. Lembrando mais uma vez que as idades
representadas na faixa são uma referência, idades
estimadas nas quais se espera que criança seja capaz
de desenvolver tal habilidade.

O modelo abaixo foi desenvolvido com base no


apresentado por Maria Montessori em seu livro Mente
Absorvente, nele podemos observar claramente a
relação entre o desenvolvimento da psiqué e do físico da
@ViverMontessori

criança, a forma como a mão se torna instrumento de


construção da inteligência e como está intimamente
ligado ao desenvolvimento do corpo.
DESENVOLVIMENTO PSICOMOTOR
0 1 2 3 4 5 6
Equilíbrio

Controla
a cabeça
Gira e rola de lado
Arrasta-se em Posição lateral com
Barriga para cima Quando está deitado com a apoiando peito e Senta com ajuda
cara para baixo pode levantar contato com o chão apoio de cotovelo
Barriga para o lado a cabeça e as costas estômago
Meses
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16
Mão

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16
Meses
Possui movimento Começa a observar Começa a pega Evolução do Movimenta Transfere objetos de
instintivo de pega a mão intencional agarrar intencionalmente a uma mão para a
mão outra

0 1 2 3 4 5 6
@ViverMontessori
DESENVOLVIMENTO PSICOMOTOR
7 8 9 10 11 12
Equilíbrio

Pousa todo o pé no
Senta sozinho Rasteja de barriga Engatinha Ergue-se sobre os Caminha na ponta Dá passos laterais chão
joelho com apoio e dos pés
para baixo com apoio
fica em pé com apoio Caminha sozinho
Meses
Mão

Meses
O ato de agarrar é Pega objetos Agarra objetos com Aumenta a pressão As mãos trabalham
Controla os dedos
dirigido pelo desejo pequenos com o os braços no agarrar com as juntas
polegar e o indicador mãos
(pinça)

7 8 9 10 11 12
@ViverMontessori
DESENVOLVIMENTO PSICOMOTOR
13 14 15 16 17 18
Equilíbrio

Caminha
Usa o máximo Procura apoio em Início da
transportando algo
esforço objetos para subir independência
pesado
pessoal
Meses
Mão

Meses
Primeira atividade da As mãos Força Força Muda de lugar Atividades de
mão no sentido do trabalham juntas objetos com uma vida prática
trabalho Os braços Os braços ajudam finalidade
sustentam objetos com o agarrar e
pesados trepar

13 14 15 16 17 18
@ViverMontessori
COMO OBSERVAR
Dedicar-se à observação da sua criança é tão
importante quanto várias outras tarefas, e não é apenas
"prestar alguma atenção" enquanto você faz alguma
outra coisa, é se concentrar em observar as atitudes e
reações dela diante de suas ações. As crianças tem
muito a nos ensinar se prestarmos atenção de verdade
nelas.

Crie o hábito de parar por alguns minutos, sentar-se


próximo à criança e anotar em um caderninho se for
preciso. É um exercício que exige prática como qualquer
outro, você precisa refinar o seu olhar e isso só se
aprende praticando. Essas anotações irão te ajudar a
descobrir os interesses da criança; encontrar padrões de
comportamento.

Observe quais brinquedos ela escolhe com frequência,


como ela os usa, prefere brincar sozinho ou com outras
crianças? Seus movimentos pela casa, são silenciosos
ou desordenados? Existe algum cômodo da casa onde
ele prefere estar? Como é sua relação com os outros
membros da família, como reage a visitas?
@ViverMontessori
COMO OBSERVAR
Na hora das refeições, demonstra alguma preferência
por algum alimento? Consegue comer com a colher ou
prefere usar as mãos? Ele consegue beber sem
derramar? Seu filho gosta de conversar nesse
momento? Quanto tempo ele se mantém concentrado
em uma atividade?

Durante sua observação, não interfira no que seu filho


está fazendo. Permaneça em silêncio e tente aprender a
partir do que ele está fazendo. Tente identificar as razões
pelas quais ele se interessa ou não pelo que está
fazendo. São as cores, sons ou tamanho dos objetos? Se
ele deixar cair um objeto, aguarde para ver qual sua
reação e não pegue pra ele.

Reúna esses registros acerca da observação da sua


criança e tente relacionar quais são suas preferências,
seus interesses, os sinais que ele dá quando está
cansado por exemplo.

Quando desaceleramos temos a chance de perceber


@ViverMontessori

que toda ação da criança tem uma finalidade.


Permita-se REagir menos antes de apenas agir por
impulso.
SOBRE BRINCAR
" A brincadeira é o trabalho da criança e este é o que há de mais
precioso no mundo."

Maria Montessori

Montessori explica que, diferente do trabalho do adulto, que


faz esforços para construção de algo exterior, o trabalho da
criança é interior, este muito mais importante que o do
adulto, constrói a própria vida, constrói a si mesma, constrói
o próprio adulto, a humanidade.

Por trabalho da criança Montessori define como sendo o:

" Esforço concentrado com propósito que resulta em alegria."

Maria Montessori

Segundo a Declaração Universal dos Direitos da Criança, a


criança deve desfrutar plenamente de jogos e brincadeiras
os quais deverão estar dirigidos para educação; a
@ViverMontessori

sociedade e as autoridades públicas se esforçarão para


promover o exercício deste direito.
SOBRE BRINCAR
O trabalho do adulto está ligado ao exterior, o importante
para ele, é produzir algo e quando termina o que estava
fazendo, toma medidas para garantir que o resultado seja
duradouro, e que o esforço tenha valido a pena.

Sendo assim, os adultos trabalham segundo a lei do menor


esforço, segundo a qual o homem procura obter o máximo
de produção trabalhando o mínimo possível. Ou seja, maior
produção com menor consumo de energia.

Por outro lado, a criança é um ser natural por excelência e


também é um trabalhador e produtor. Embora não possa
participar do trabalho do adulto, tem um trabalho seu a
desenvolver, uma grande, importante e difícil missão: a de
produzir o homem!

Então o trabalho da criança é interior, inconsciente,


realizado por uma energia vital que desenvolve um trabalho
criativo. O adulto aperfeiçoa o ambiente, mas a criança
aperfeiçoa o ser.
@ViverMontessori

Ao contrário do adulto, as crianças buscam se esforçar ao


máximo no seu trabalho pois ela não está interessada no
"fim" e sim "nos meios" que utilizará para o seu
desenvolvimento, pois no seu trabalho o processo é o que
realmente importa e não o resultado final.
SOBRE BRINCAR
Por isso as crianças costumam repetir várias vezes as suas
atividades.

Outra clara e indubitável diferença entre o trabalho do


adulto e o da criança consiste no fato de que este último
não admite recompensas nem concessões; é necessário
que a criança cumpra por si mesma a tarefa de crescer, e
a cumpra até o final. Ninguém pode assumir os esforços da
criança e crescer por ela.

Podemos dizer, assim, que a alegria da criança está em


realizar; que a satisfação real é dar o máximo esforço à
tarefa em mãos; que a felicidade consiste em uma
atividade do corpo e da mente bem-direcionada no sentido
da excelência; que a força da mente, do corpo e do espírito
é adquirida pelo exercício (repetição) e pela experiência.
@ViverMontessori
MENTE ABSORVENTE
Outro conceito bem trabalhado por Maria Montessori é o
de Mente Absorvente.

Durante toda a primeira infância o cérebro da criança


está suscetível a mudanças e adaptações. É o que hoje
a neurociência chama de Plasticidade Cerebral, isto é, as
capacidades adaptativas do Sistema Nervoso Central –
sua habilidade para modificar sua organização estrutural
própria e funcionamento.

A criança está o tempo todo recebendo os estímulos do


ambiente e está se estruturando internamente,
entendendo como as coisas funcionam, criando as
conexões cerebrais que a acompanharam por toda a
vida.

Podemos comparar a mente da criança à uma esponja,


mas não a da pia, e sim a do Mar! A esponja do mar não
precisa que ninguém a aperte para que possa absorver
algo, assim como a criança não precisa que a gente a
estimule para para absorver o mundo. É natural,
@ViverMontessori

biológico.
MENTE ABSORVENTE
Ela faz isso de duas formas:

Entre 0 e 3 anos, a criança faz isso de forma


inconsciente. É a chamada Mente Absorvente
Inconsciente. Nesse período ela ABSORVE todas as
coisas ao seu redor, e tudo isso faz PARTE dela, de sua
personalidade. É como a linguagem: não a
ensinamos a falar nossa língua, ela simplesmente
está lá, internalizada na criança.

E isso vale para qualquer criança no mundo! A prova


disso é que uma criança alemã fala alemão tão
naturamente quanto nós falamos o português. A
linguagem é absorvida, faz parte do que a criança É e
não do que ela APRENDE.

É importante ressaltar que ABSORVER é diferente de


APRENDER. Quando aprendemos algo temos a presença
de um esforço direcionado para a aquisição de alguma
habilidade. Enquanto a criança absorve o mundo ela não
faz esforço nenhum pra isso, é natural.
@ViverMontessori
MENTE ABSORVENTE

Temos então o segundo período, que vai de 3 a 6 anos,


nele temos a presença da Mente Absorvente
Consciente. Como o próprio nome diz, agora a criança
tem consciência do que ela está absorvendo e ela faz
disso um aprendizado. Suas ações serão motivadas
para aprender uma nova habilidade.

Se observarem uma criança de três anos, verão que ela está


sempre brincando com alguma coisa. Isto significa que ela vai
elaborando com as suas mãos e metendo na sua consciência
aquilo que sua mente absorveu anteriormente. Através desta
experiência do ambiente, sob a forma de brincadeira, ela
examina as coisas e as impressões que recebeu na sua mente
inconsciente. Através do trabalho torna-se consciente e constrói
o Homem, o adulto.

Maria Montessori

Por isso o ato de observar a criança é tão importante, pois


onde nossos olhos veem algo sem sentido ou bobo, os
@ViverMontessori

olhos da criança veem instrumento de desenvolvimento.


PLANOS DE
DESENVOLVIMENTO
Através de suas observações Montessori percebeu que o
desenvolvimento da infância à maturidade não era uma
linha reta em direção à perfeição, para ela existia os planos
de desenvolvimento e a cada novo plano existiriam novas
necessidades e comportamentos.

O desenvolvimento do indivíduo ocorre a partir de


sucessivas conquistas de independências e o nosso papel
enquanto pais, é oferecer as condições adequadas para
garantir que isso aconteça.

Ela organizou o desenvolvimento humano em 4 partes, de


acordo com a independência consquistada naquela faixa
etária, então:

De 0 a 6 anos: Independência Física e Biológica


"Ajuda-me a fazer por mim mesmo".
De 6 a 12 anos: a Independência Intelectual
"Ajuda-me a pensar por mim mesmo".
De 12 a 18 anos: Independência Social
@ViverMontessori

"Ajuda-me a pensar junto com você".


De 18 a 24 anos ou mais: Independência Profissional
"Ajuda-me a pensar em você".
PLANOS DE
DESENVOLVIMENTO
Podemos representar os 4 planos de desenvolvimento
conforme a figura abaixo:

0 6 12 18 24+

anos
3 9 15 21
Cada triângulo representa 6 anos de vida. Os triângulos em
vermelho representam os períodos de maior
transformação, enquando os em azul são os de maior
estabilidade.

Isso fica claro quando comparamos crianças de diferentes


idades. Por exemplo: um bebê de 1 ano é bastante diferente
de uma criança de 5 anos, ainda que ambas estejam
dentro do mesmo plano.
@ViverMontessori

Mas ao observarmos uma criança de 9 anos e outra de 11


anos, as diferenças, principalmente físicas, são mais sutis.
PLANOS DE
DESENVOLVIMENTO
Além disso, cada triângulo pode ser dividido em duas
partes: temos a fase da aquisição da habilidade e a parte
do aperfeiçoamento da habilidade.

to
en
Aq

am
uis

fin
içã

Re
o

Então já vimos aqui que (1) existem planos de


desenvolvimento do indivíduo e que cada um deles é
dividido em duas partes - a aquisição e refinamento das
habilidades, você já conhece um pouco sobre a (2) mente
absorvente - consciente e inconsciente e agora ficará mais
fácil para você entender a relação desses conceitos com
os (3) períodos sensiveis.
@ViverMontessori

A seguir, vamos conhecer cada plano individualmente e


quais as suas características mais marcantes.
PLANOS DE
DESENVOLVIMENTO
AJUDA-ME A FAZER POR MIM MESMO
O primeiro plano a ocorrer é o da independência física e
biológica e vai do nascimento aos seis anos de idade. Veja
como isso faz sentido: é comum vermos criança dessa
idade querendo fazer sozinhas o que nós, adultos, fazemos,
como andar, falar, usar o banheiro, vestir nossas roupas e
sapatos!

0 6 anos
nto
Aq

e
am
uis

fin

cie te
içã

so te
Ab nscie

nte
n
Re
Me ente
Inc

n
rve
o

Me
sor
o

nte
v

ns
Ab

3
Co
nte

anos

Olha só quanta coisa temos nessa representação gráfica!


Assim fica até mais fácil compreender a magnitude e a
@ViverMontessori

importância da primeira infância para a vida de um


indivíduo.
PLANOS DE
DESENVOLVIMENTO
AJUDA-ME A FAZER POR MIM MESMO
O conceito do primeiro plano de desenvolvimento fica
muito claro quando pensamos no que acontece com a
criança na primeira infância, podemos identificar alguns
períodos de "crise", mas entenda esse termo como períodos
críticos no sentindo de importância, momentos
determinantes:

1. Primeiro vem a crise do nascimento, quando o bebê se


desliga do corpo da mãe (1º passo rumo à
independência).
2. Depois a crise da alimentação, quando ele começa a
poder se alimentar de outras fontes que não o leite
(materno ou não/2º passo)
3. Depois ele aprende a andar e a falar (3º e 4ª passos
de muitos outros que virão!).

O primeiro plano de desenvolvimento é sem dúvidas o mais


transformador da vida do indivíduo, sendo assim devemos
reconhecer todas as conquistas dele nesse período, sendo
@ViverMontessori

elas:
Desenvolvimento sensorial
Desenvolvimento motor
Interiorização da cultura e aquisição da linguagem
Desenvolvimento da personalidade
Despertar do desenvolvimento social
PLANOS DE
DESENVOLVIMENTO
AJUDA-ME A PENSAR POR MIM MESMO
O segundo plano de desenvolvimento a ocorrer é o da
Independência Intelectual e vai dos 6 anos aos 12 anos de
idade.

Durante todo esse período ocorre o que Montessori chamou


de Mente Racional, a criança começa a racionalizar as
coisas. Essa é aquela fase que as crianças nos enchem de
perguntas, não é mesmo? Querem saber o porque de
todas as coisas!

Elas querem entender o mundo à sua volta e saber o


porque das coisas serem como são, causa e efeito. É uma
fase de muita imaginação e criatividade e propícia para a
orientação de princípios e valores, já que ela está formando
sua inteligência moral.

6 12
anos
@ViverMontessori
to
en
Aq

am
uis

fin
içã

Re
o

9
PLANOS DE
DESENVOLVIMENTO
AJUDA-ME A PENSAR POR MIM MESMO
A representação desse plano é um triângulo tracejado pois
é um período de menor intensidade de mudanças. quando
comparada aos 0 a 6 anos de idade.

As mudanças físicas são visíveis, "tudo" se alonga e agora


ela tem a necessidade de explorar a sociedade e o mundo.

O segundo plano é caracterizado pela transição do


sensorial (real) para o abstrato. Nesse momento surgem
as primeiras noções de ética e moral e a necessidade de
entender as relações entre todas as coisas (educação
cósmica.

Em resumo então, as novas conquistas da criança de 6-12


anos são:

Desenvolvimento emocional: passa a compreender as


emoções e seus efeitos.
Inteligência moral: começa a formar seu caráter
@ViverMontessori

através dos exemplos que recebe.


Autonomia da aplicação do conhecimento: como ler e
escrever, resolver pequenos problemas, consciência do
espaço-tempo.
Expansão da imaginação e criatividade.
PLANOS DE
DESENVOLVIMENTO
AJUDA-ME A PENSAR COM VOCÊ
Aaah, a adolescência! Junto com ela chega o terceiro
plano de desenvolvimento e a necessidade por
independêcia social!

Nessa fase o indivíduo busca desenvolver sua mente


humanista e se estabelecer como membro da sociedade.

12 18 anos
to
en
Aq

am
uis

fin
içã

Re
o

15 anos

A transição da infância para a vida adulta é cheia de


transformações intensas, por isso o triângulo que
representa esse plano volta a ser de linhas contínuas.
@ViverMontessori

O desenvolvimento físico é marcado pelo amadurecimento


do corpo e o psíquico pela necessidade de integração
social.
PLANOS DE
DESENVOLVIMENTO
AJUDA-ME A PENSAR COM VOCÊ
É um período de transformações tão intensas que pode ser
comparado ao 1º plano (0 a 6 anos).

Nessa fase o indivíduo deseja ir além dos limites familiares


e estabelecer vínculos sociais externos e começa a
entender seu papel nessa sociedade.

Nessa idade o adolescente experimenta emoções muito


fortes sem saber porque, são muito sensíveis e inseguros,
há uma diminuição na capacidade intelectual e uma
dificuldade de concentração, há algum tipo de indisciplina
e rebelião. Eles têm uma forte necessidade de dormir, mas
o alto nível de melatonina os mantém acordados.

O apoio de adultos de confiança é crucial nessa fase pois


estão aprendendo a negociar a expectativa da sociedade
e questionando o que seria uma vida ideal. É hora de voltar
a fazer algum trabalho manual e, se possível, receber por
isso, agora eles sabem que podem contribuir e ser valiosos
@ViverMontessori

para a sociedade através do trabalho.


PLANOS DE
DESENVOLVIMENTO
AJUDA-ME A PENSAR EM VOCÊ
O quarto plano é definido como o plano da maturidade,
nele o indivíduo deseja alcançar sua independência
profissional, mas também moral e espiritual.

É o momento do desenvolvimento da mente especialista.

18 24+
nto
Aq

me
uis

anos
içã

a
fin
o

Re

21
O indivíduo que chega à universidade já está "formado" (se
tudo tiver corrido bem nos planos anteriores), então o
último triângulo pontilhado representa essa estabilidade.

Basta agora se preparar e se especializar para oferecer um


@ViverMontessori

serviço à sociedade.
PLANOS DE
DESENVOLVIMENTO
AJUDA-ME A PENSAR EM VOCÊ
Além dessa especialização profissional, o período também
é propício para o fortalecimento moral e espiritural, para
promover o encontro do indivíduo com o seu propósito e
alcançar o desejo de trabalhar para o bem da
humanidade.

O indivíduo também começa a descobrir a sua forma de


contribuição social. A abelha sai de casa em busca do
néctar (objetivo direto) mas no caminho de volta para
casa, ela sem intenção, sai espalhando o pólen que faz
florescer a vida (objetivo indireto). O mesmo acontece
com o jovem, ele pode ter uma profissão formal mas ainda
sim contribuir de outra maneira para a sociedade.

Essa busca por descobrir seu propósito individual, forma


então um ser humano cujas aspirações vão além apenas
da tentação em tirar proveito pessoal mas sim em
alcançar o desejo de trabalhar para o bem da
humanidade. De ajudar e servir em prol do seu papel
@ViverMontessori

cósmico. Importante ressaltar que o processo de descobrir


seu papel cósmico pode perdurar por toda a vida.
DICAS PARA AS
ATIVIDADES

Para finalizar nossa introdução, aqui


vão algumas dicas para te ajudar a
colocar em prática as atividades que
@ViverMontessori

vamos propor a seguir!


VIDA PRÁTICA
É claro que a vida acadêmica das nossas crianças é
importante, mas tão importante quanto isso é a própria
VIDA. Para alcançar grandes feitos as crianças precisam
estar preparadas para chegar lá e uma das formas de
preparar a criança para a VIDA é permitir que ela faça
parte da vida da família e da casa.

As atividades de vida prática desenvolvem os sistemas


cognitivos, socioafetivo e motor da criança. São aquelas
atividades do dia-a-dia que, aos nossos olhos, são tão
habituais mas que para criança pode significar grandes
oportunidades de aprendizado.

Sendo assim prepare os ambientes da sua casa de


maneira que a criança possa interagir de forma segura e
eficiente e permita-a realizar atividades simples do dia-a-
dia da casa.

Elas podem ser divididas em:


Cuidados pessoais
Cuidado com o ambiente
@ViverMontessori

Alimentação
Atividades preparatórias (para escrita)
Graça e cortesia
COMO APRESENTAR
AS ATIVIDADES?
A apresentação de uma atividade é parte muito importante
do processo de ensino-aprendizagem pois é ela que vai
determinar como a criança deve executar a atividade.

Reserve tempo suficiente para essa apresentação,


certifique-se de que a criança está disposta e convide-a
para a atividade.

Passo-a-passo da apresentação:

Faça movimentos exageradamente lentos.


Durante a apresentação dos movimentos, permaneça
em silêncio.
Fale o mínimo possível e quando falar, fale devagar,
pausadamente.
Capriche nas expressões faciais e evidencie ao máximo
cada pequeno movimento que você fizer.
Observe a atenção da criança.
Deixe a criança fazer a atividade. Diga-lhe: “Agora é a
sua vez".
Quando a criança começa a trabalhar, você se afasta.
@ViverMontessori

Observe de longe. Tome notas.


Não interfira em tudo. Não corrija.
Se a criança precisa de ajuda para guardar os
materiais, volte e lhe mostre como, ou a ajude a fazê-lo.
E NÃO SE ESQUEÇA!
Seja criativo(a)!

As atividades propostas aqui possuem as mais diversas


variações! A ideia é que você possa conhecê-las e adaptar
com o que você tem em casa e descobrir, junto com a sua
criança, novas formas de brincar e utilizar uma mesma
atividade ou elemento.

Você pode, por exemplo, ir aumentando o grau de


dificuldade de uma mesma atividade conforme sua criança
cresce ou substituir os materiais utilizados por outros que
consigam produzir o mesmo efeito.

@ViverMontessori
0-6
MESES

Mãos na massa!
Confira agora dicas de atividades
para estimular o desenvolvimento do
@ViverMontessori

seu bebê.
DESENVOLVENDO
OS SENTIDOS 0 A 6 MESES
VISÃO

A visão do bebê se desenvolve gradativamente. As


primeiras imagens exibidas no córtex visual dos bebês
são em preto e branco e muito embaçadas, por isso
imagens com alto contraste (preto e branco) são as
mais apropriadas para bebês de até três meses.

Aos 6 meses os traços ficam ainda mais nítidos e o bebê


já consegue diferenciar rostos conhecidos, como o do pai
e o da mãe.

A partir dos 8 meses, tanto o traço quanto as cores das


imagens ficam mais precisos e o bebê enxerga ainda
mais longe.

A distância focal dos olhos de um recém-nascido


coincide exatamente com o espaço entre o seu rosto e o
de sua mãe durante a amamentação.
@ViverMontessori
COMO USAR OS ESTÍMULOS VISUAIS

Colocar o bebê sobre uma superfície


plana e confortável (mas não muito
fofa) de bruços ou de peito para
cima. Posicione um espelho ou um
quadro de contrastes.

Você pode usar também figuras


reais, já para ensinar a criança sobre
o mundo real. Móbiles de borboletas,
pássaros, seres que se movem
através de correntes de ar assim
como fazem na vida real, no céu ou
como fazem na água. @ViverMontessori
USANDO OS MÓBILES

Nos primeiros meses, um móbile simples sobre um colchão


no chão é o suficiente para  ajudar o bebê a desenvolver as
habilidades necessárias para explorar o mundo
visualmente.

Gradualmente, ele vai desenvolvendo o foco em um objeto


em movimento, e, aos poucos, alcança a percepção de cor
e de profundidade

Como todo estímulo, não indicamos deixá-los no momento


que o bebê vai dormir, e nem utilizar por longos períodos.
Observe o interesse do seu bebê e use isso como seu guia.

Nos primeiros anos de vida, os humanos são os "materiais"


mais influenciáveis e importantes do ambiente. Os rostos
das pessoas que convivem com o bebê são as experiências
visuais mais importantes, pois ele irá associar as vozes com
os rostos em sua mente.
@ViverMontessori
USANDO OS MÓBILES

Veja alguns tipos de móbiles:

Móbile Munari (2 a 4 semanas): no


primeiro móbile temos formas simples
e planas, com grande contraste. Ele
incentiva o foco e tempo de
visualização ininterrupta ainda
desenvolve a concentração.
Móbile Octaedro (5 a 7 semanas): os
bebês começam a perceber as cores
primárias, com destaque para o
vermelho. As três cores primárias
fornecem limites que permitem uma
maior organização mental.
Móbile Gobbi (8 a 10 semanas):
Apresenta a gradação sutil de uma
mesma cor, profundidade e
proporção das bolas que estão
dispostas em diferentes alturas,
estimulando o refinamento do sentido.
Móbile Dançarinos (10 a 12
@ViverMontessori

semanas): é composto de quatro


formas estilizadas, cada uma
constituída por três elementos: a
cabeça, braços e pernas.
DESENVOLVENDO
OS SENTIDOS 0 A 6 MESES
AUDIÇÃO

A partir do terceiro mês de gestação os bebês já


conseguem desenvolver e perceber alguns sons fora do
útero. A melodia que empregamos na voz permite
também traduzir as nossas emoções e o bebê também
está sensível a esse fato. Sendo assim, a audição é um
importante sentido que deve ser exageradamente usado
para acalmar o bebê e construir vínculo.

Diferente do que acontece com a visão, a audição dos


bebês é mais acurada desde o nascimento.

O bebê vai desenvolver sua habilidade auditiva conforme


sua faixa etária.

Com três meses – O bebê acorda ao ouvir um barulho


forte e atende ao som da voz de alguém conhecido.
Aos seis meses – Reage movimentando os olhos, já
atende e se vira na direção de vozes conhecidas.
Entre seis meses a um ano – Consegue pronunciar
algumas sílabas simples e tenta reproduzir o que
@ViverMontessori

escuta.
Com um ano a dois anos – Consegue falar algumas
palavras e já interage com os adultos. Eles aprendem
a falar naturalmente, na medida em que ouvem os
pais e os amigos.
USANDO OS SONS NO DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA

Use a melodia da sua voz para desenvolver a


capacidade de comunicação do seu bebê e
para o acalmar. O importante é que ele te
ouça falar e o tom da sua voz.

Conversando: Fale sobre o que está


fazendo, isso quer dizer, narre tudo que vai
fazer, (sem alterar o tom de voz como
geralmente fazemos quando falamos com
um animal de estimação) antecipe seus
movimentos através de um bate papo
descontraído. Ao longo do tempo dê
pequenas pausas entre cada frase e
perceba que seu bebê irá começar a
"responder" através de um balbucio ou
através de uma simples expressão facial
diferente

Usando um brinquedo de cada vez que


produza sons diferentes
@ViverMontessori

– mostrar os sons da casa, como do


cachorro, passarinho, da panela, dos carros
na rua,– sair com ele para que tenha contato
com sons de novos ambientes, na feira, no
supermercado, no zoológico, nos parques.
USANDO OS SONS NO DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA

Cantando: O timbre da voz humana carrega um conjunto


único de melodia, ritmo e dinâmica que o som mecânico
de um aparelho de som não consegue replicar.

- Outra dica é fazer o mesmo som – cantar uma mesma


melodia, por exemplo – em situações cotidianas, como
tomar banho, mamar, dormir isso já ajudará a estabelecer
um rotina.

Cantar de frente para o bebê, para que este consiga ver


as expressões faciais e gestos que o adulto realiza;

Cantar num local sem ruídos de fundo, como de rádio ou


TV.
Experimente também iniciar uma conversa com um bebê
de poucos meses dessa forma: Quando a criança emitir um
som, imite - o tom e a duração do som: o bebê "maaa ga"
e o adulto "maaa ga". Experimente e fique impressionado
com a resposta do bebê.
@ViverMontessori
DESENVOLVENDO
OS SENTIDOS 0 A 6 MESES
TATO

O tato é o primeiro dos sentidos que se desenvolve, isso


ocorre a partir da sétima semana de gestação.

Ele não está ligado apenas ao desenvolvimento tátil e motor


do bebê, mas também ao emocional, ou seja, está
envolvido nas sensações do seu filho enquanto você o pega
no colo, amamenta, faz carinho ou cafuné ou dá aquele
banho gostoso. 

Já fora da barriga, o desenvolvimento ainda irá passar por


diversas fases para amadurecer totalmente.

2 a 3 meses: Com essa idade, o bebê ainda não


consegue pegar as coisas por conta própria, mas gosta
quando os objetos são colocados na mão dele.
Consegue perceber a diferença entre o que é duro e o
que é macio.
4 meses: Começa a esticar a mão e pegar objetos
@ViverMontessori

sozinho.
5 meses: Começa a conseguir levantar objetos e
segurá-los com as duas mãos.
6 meses: Começa a passar objetos de uma mão para a
outra, gosta de brinquedos com os quais possa interagir.
COMO DESENVOLVER O TATO NO SEU BEBÊ

Muitas atividades de 0 a 6 meses


serão feitas no chão então a dica é:

Pendure móbiles baixo o


suficiente;
Disponha de bolinhas de várias
texturas;
Materiais que possuam texturas
diferentes;
Coloque as mãos contra os
pézinhos do bebê e estimule-o a
chutar.

@ViverMontessori

@nikitaprojetosludicos
DESENVOLVENDO
OS SENTIDOS 0 A 6 MESES
OLFATO

Ainda na barriga, o bebê usa o nariz, tanto para treinar a


respiração quanto para detectar cheiros, inclusive do líquido
amniótico. Pesquisas apontam que o líquido absorve parte
do gosto e do cheiro dos alimentos que a mãe ingere.

O mesmo também ocorre com o leite materno, então é


possível estabelecer uma familiaridade entre ambos os
cheiros, o que vai ser percebido pelo bebê. Assim dá para
entender porque o bebê vira a cabeça quando está no colo
da mãe, “guiado” pelo cheiro do leite.

Observa-se que o olfato é processado no cérebro na


mesma parte que controla a memória. O artigo publicado
na revista científica “Current Biology”, em 2009, confirmou a
hipótese de uma representação privilegiada do cérebro
para as primeiras associações olfatórias.
@ViverMontessori
DESENVOLVENDO
OS SENTIDOS 0 A 6 MESES
EXPERIÊNCIA DE ODORES

Como: Use um saleiro ou um potinho


que dê para sentir o cheiro do que há
dentro quando fechado. Preencha
com itens que possuam cheiro forte,
como casca de laranja, hortelã,
canela em pau e etc. Depois, ofereça
ao bebê para sentir o cheiro. Você
pode começar a atividade com o
bebê que já senta e ir repetindo
conforme ele for crescendo. A partir
daqui podem ser realizadas várias
atividades, tais como vendar os olhos
e adivinhar o cheiro; com dois frascos
de cada um dos cheiros tentar
encontrar os pares de olhos
vendados, etc.

Por quê: Além do estímulo do olfato,


@ViverMontessori

você pode conversar com seu bebê


sobre os itens e seus cheiros e depois
deixá-lo explorá-los sozinho.
DESENVOLVENDO
OS SENTIDOS 0 A 6 MESES
PALADAR

O paladar é, provavelmente, o mais complexo dos cinco


sentidos! Se você refletir sobre os alimentos que você gosta
e os que não gosta, certamente vai descobrir que existem
muitos fatores que determinam as suas preferências. Por
exemplo, a textura que o alimento tem na boca, o cheiro ou
até mesmo a aparência!

De fato, olfato e paladar são os dois sentidos mais


interconectados. Lembra quando explicamos que o olfato
se desenvolve antes de os bebês nascerem? Bem, o
paladar também aparece antes mesmo do nascimento!

O paladar se desenvolve no terceiro trimestre da gravidez,


quando o bebê começa a sentir “sabores” por meio do
líquido amniótico. Ao nascer, já é capaz de distinguir o doce,
acredita? Mas é por volta dos 6 meses que esse sentido
fica mais refinado, devido as papinhas doces e salgadas.
@ViverMontessori
SABORES

Essa primeira fase fecha com chave de


ouro com a introdução alimentar.
Pode-se dizer que é uma das
experiências sensoriais mais completas.
Você conversa, apresenta os alimentos,
que tem cores, texturas, cheiros e
sabores diferentes. Experiemente:

Fazer gelinhos de frutas


Ser criativo na apresentação dos
alimentos, apostar no método BLW é
uma boa pedida.

@ViverMontessori
NA PRÁTICA

Atividades do dia-a-dia são mais ricas


do que você pode imaginar! Inclua seu
bebê na rotina da casa e torne cada
@ViverMontessori

atividade um momento de conexão e


desenvolvimento pessoal.
BANHO DO BEBÊ

O banho do bebê é uma oportunidade riquíssima de


você utilizar todos os estímulos sensoriais na vida
prática. Você pode descrever o que está fazendo e
conversar, temos a presença forte do toque, o contato
com a água, tem a presença do cheiro suave dos
produtos. O seu bebê está absorvendo tudo que está
ao seu redor a todo tempo, faça bom proveito de
cada oportunidade.

@ViverMontessori
USO DO SLING

Liberados desde o primeiro mês de vida


dos pequenos, e até que os pais e a
criança se sintam confortáveis para
usar, os slings aliam acolhimento e
liberdade, trazendo diversos benefícios
para os bebês e para os pais também.
Tais como:

Estreitar o vínculo entre mãe/pai e


bebê.
Permitir que o bebê fique na posição
vertical após as mamadas.
Proporcionar maior liberdade para
pais e mães que podem ficar com as
mãos livres, enquanto dão colo para o
pequeno.
Fazer com que o peso do bebê seja
distribuído corretamente pelo corpo
do carregador, o que evita coluna
torta e braço dolorido.
Com a proximidade, é possível
@ViverMontessori

perceber e solucionar qualquer


problema que o pequeno possa ter.
O calor do corpo e a posição que o
bebê fica, aliviam cólicas e refluxos.
VAI E VEM

Segure o bebê com a barriguinha para baixo, apoiada


em seus antebraços, e balance-o de um lado para o
outro. Além de estimular o sistema vestibular e a
sustentação da cabeça, esse movimento ajuda a
alternância visual ao oferecer uma gama de coisas a
observar.
Pode ser usada também como uma forma de aliviar
nos momentos de cólica.

@ViverMontessori
AINDA TEM
MAIS!

Aqui vai uma pequena lista de outras


coisas que seu bebê também pode fazer
@ViverMontessori

nesta idade!
Você pode fazer massagem,
incluindo óleos essenciais;

Usar chás ou essências para


perfumar o banho do bebê;

Você pode usar aplicativos de ruído


branco que imitam o som de dentro
do útero para acalmar o bebê nos
primeiros meses;

Brinque de fazer caretas, eles


adoram! Lembre-se te manter a
distância de 25 cm para que ele
possa lhe enxergar direito.
@ViverMontessori
6 - 12
MESES

Nessa fase ocorre o refinamento das


habilidades adquiridas na fase
anterior. Podemos aumentar o grau de
estímulos e trabalhar o vocabulário
@ViverMontessori

ensinando novas palavras a cada


atividade do dia-a-dia.
DESENVOLVENDO
OS SENTIDOS 6 A 12 MESES
CAUSA E EFEITO

Como: Use materiais que rolem, como um carrinho ou


cilindros de madeira, que podem ou não ter um gizo e
tilindarem enquanto andam. O mesmo vale para qualquer
material que tenha uma relação de causa e efeito, como a
caixinha com a bolinhas.

Por quê: Esta atividade desenvolve a coordenação


motora ampla através do movimento de empurrar. É
ótima para bebês que começam a demonstrar que estão
preparados para engatinhar e assim poderão perseguir o
material.
@nikitaprojetosludicos

@ViverMontessori
DESENVOLVENDO OS
SENTIDOS 6 A 12 MESES
CESTO DE TESOUROS

Como: Prepare uma cesta com diferentes objetos da casa


que possuam características sensoriais diferentes, como:
metal, vidro, madeira, tecido.

Por quê: Esta atividade desenvolve a percepção de


diferentes texturas, temperaturas, cheiros e peso.
Também estimula o interesse e a concentração, o estudo
daquele objeto e para que ele serve, percepção de
mundo.

@ViverMontessori
DESENVOLVENDO
OS SENTIDOS 6 A 12 MESES
ATIVIDADES COM TECIDO

Como: Selecione vários retalhos


de tecido de diferentes cores,
texturas e gramaturas de
aproximadamente um metro.

Brinque de "Cadê a mamãe" e


se esconda com os tecidos;
Esconda objetos com os
tecidos;
Passe o tecido sobre a pele do
bebê;
Amarre tiras em um bambolê.

Por quê: Ao brincar de “Cadê a


mamãe” você trabalha a prática
e o entendimento do conceito de
objeto e permanência, que a
mamãe sai, mas volta. Você
@ViverMontessori

também pode esconder objetos


e incentivá-lo a procurar coisas
que não estão à vista.
DESENVOLVENDO
OS SENTIDOS 6 A 12 MESES
CAIXA DE PERMANÊNCIA

Como: Utilize uma caixa com um


furo no centro e uma abertura na
lateral e uma bolinha. É
recomendável que dentro da
caixa haja uma pequena rampa
para ajudar a bolinha a rolar para
a abertura.

Por quê: Para aperfeiçoar a


percepção de causa e efeito,
além do conceito de objeto-
permanência.

Dica: Use estilete para


fazer conseguir fazer
esse corte no papelão.
@ViverMontessori
DESENVOLVENDO
OS SENTIDOS 9 A 12 MESES
ENCAIXES

Como: Utilize materiais de encaixe com formas geométricas


ou, como na imagem, selecione objetos que tem em casa e
recorte formas geométricas em uma caixa de papelão para
que eles possam encaixar!

Por quê: Aqui vamos trabalhar a coodenação viso-


motora, isto é, mão-olho; estimular a percepção de
correspondência; exercitar a reversibilidade; desenvolver
atenção e concentração. Nesse momento não se deve
esperar grandes coisas, mas essas atividades poderão
sofer um "upgrade" na próxima fase.

@ViverMontessori
LINGUAGEM
ENRIQUECENDO O VOCABULÁRIO

Como: Utilize-se das atividades anteriores, faça algumas


alterações e comece a nomear essas coisas. Por exemplo,
faça uma cesta de tesouros só com animais e nomeie
cada um deles (elefante, macaco...). Use os materiais de
encaixar e nomeie cada um deles (triângulo, círculo...).

A partir dos 12 meses você poderá também relacionar as


miniaturas dos bichinhos com os cartões.

Por quê: Esse é um período sensível das crianças para a


linguagem e assim vamos enriquecendo o vocabulário
dela até que ela esteja apta a oralizar suas primeiras
palavras.
@ViverMontessori
NA PRÁTICA

Atividades do dia-a-dia são mais ricas


do que você pode imaginar! Inclua seu
bebê na rotina da casa e torne cada
@ViverMontessori

atividade um momento de conexão e


desenvolvimento pessoal.
SOLTAR PEDAÇOS DE FRUTAS

Estimular a autonomia da criança na hora de se


alimentar pode ser uma atividade cheia de valor.
Providencie uma bandeja com um pote para a fruta
inteira e outro para os pedaços. Separe frutas como
uvas ou tangerina e peça para criança soltar seus
pedaços e colocar dentro do potinho. Nessa atividade
a criança exercita a coordenação motora e a
concentração.

Recomendamos o início da introdução alimentar


através do método BLW.

@ViverMontessori
MOVER OU LEVANTAR PESO

A partir do momento que a criança já a caminha de


maneira mais estável, ela tem a necessidade de
exercitar os movimentos brutos e refinar a
coordenação motora grossa. Você irá perceber seu
interesse em mover uma cadeira ou carregar algo que
lhe demande bastante esforço. Um exemplo disso
pode ser te ajudar a carregar as compras do mercado
para dentro de casa.

@ViverMontessori
AINDA TEM
MAIS!

Aqui vai uma pequena lista de outras


coisas que seu bebê também pode fazer
@ViverMontessori

nesta idade!
Se virar para lá e para cá te
ajudando a colocar a fralda;

Caso a criança não queira mais ficar


deitado para trocar a fralda, que tal
comprar uma fralda shortinho e
deixar ela mesma tentar se vestir?

Descascar uma banana;

Comer pequenos lanches sozinha,


como frutinhas;

Te ajudar a se ensaboar no banho,


passando a mãozinha pelo corpo;

Segurar a própria mamadeira ou


copo, ou a colher, mesmo que faça
bagunça!
@ViverMontessori
12 - 18
MESES

É um período em que as crianças


demonstram evolução nas suas
habilidades motoras e de
@ViverMontessori

comunicação.
DESENVOLVENDO OS
SENTIDOS 12 A 18 MESES
NATUREZA

Como: Uma caminhada no
parque é suficiente para estimular
vários sentidos.

Por quê: Estimule a percepção


de mundo na sua criança. Foque
em chamar a atenção da sua
criança para o cheiro da grama
e das flores, para o som dos
pássaros, a textura das árvores e
folhas, a cor das plantas.
@ViverMontessori
DESENVOLVENDO OS
SENTIDOS 12 A 18 MESES
DA DESPENSA PARA A EDUCAÇÃO

Como: Pegue duas jarrinhas de vidro grosso e encha-a até


a metade com feijão, ou grão-de-bico. Grãos maiores são
boas opções por não entrarem nas narinas ou ouvidos.
Mostre como despejar os grãos de uma jarra para outra.

Por quê: Os feijões produzem um som agradável, assim


como a sensação tátil. Enfatize a importância de colocar
os feijões de volta na jarra caso alguns sejam
derrubados.

@ViverMontessori
DESENVOLVENDO OS
SENTIDOS 12 A 18 MESES
CHEIRINHO BOM!

Como: Utilize pequenos sachês para colocar elementos que


tenham cheiro marcante como café e lavanda ou bolinhas
de algodão com algumas gotinhas de essências.

Por quê: As crianças tem o sentido do olfato muito mais


sensível que a maioria dos adultos. Atividades com esta
ajudam a criança a refinar esse sentido.

@ViverMontessori
DESENVOLVENDO OS
SENTIDOS 12 A 18 MESES
ENCAIXES CASEIROS

Como: 

Use uma forma de cupcakes com


bolinhas;
Use uma garrafinha com
pompons;
Fure um buraquinho na
embalagem de ovos e use palitos
de picolé para encaixar.

Por quê: Existem muitos brinquedos


que você pode comprar para
cumprir esse papel, mas veja a
quantidade de opções que você
tem na sua prória casa!

Mal sabe você que ao trabalhar a


coordenação motora fina do seu
@ViverMontessori

filho você já o está preparando


para a escrita!
DESENVOLVENDO OS
SENTIDOS 12 A 18 MESES
ATIVIDADES COM ESPONJA E ÁGUA

Como: 

Use duas tigelas, uma com água


e outra vazia e faça a criança
transpor toda a água de uma
tigela para outra usando a
esponja;
Use duas tigelas, ambas cheias
de água, em uma delas recorte
pedaços de esponja, ofereça um
pegador de gelo e faça a criança
transpor os pedaços de uma
tigela para outra.

Por quê: Nas duas atividades você


exercita a coordenação motora
grossa e promove o fortalecimento
das mãos pelo movimento de
apertar. Além de ter assunto para
@ViverMontessori

conversar, sobre como e por que a


esponja flutua.
DESENVOLVENDO OS
SENTIDOS 15 MESES
ATIVIDADES COM BOTÕES

Como: Selecione vários botões e


escolha uma característica para ser
seu controle de erro, o tamanho ou a
cor, por exemplo. Depois use
potinhos de plástico com uma fenda
recortada na tampa.

Estimular o encaixe do botão


dentro da fenda;
Relacionar a cor dos botões com
as cores dos potes;
Usar um pote fosco para que a
criança não veja o botão dentro.

Por quê: Todas essas atividades


estimulam a coordenação motora
fina através do movimento de
pinça dos dedos. Ainda é possível
@ViverMontessori

aprender sobre as cores e mais


uma vez o conceito de objeto-
permanência.
NA PRÁTICA

Atividades do dia-a-dia são mais ricas


do que você pode imaginar! Inclua seu
bebê na rotina da casa e torne cada
@ViverMontessori

atividade um momento de conexão e


desenvolvimento pessoal.
VESTIR UM CASADO

Como:

Coloque o casaco no chão como demonstra a


figura.
A criança encaixa os braços nas mangas.
Em seguida ergue os braços por cima da cabeça.
E o casaco cai sobre seu corpo.
Fazendo pequenos ajustes para finalizar.

@ViverMontessori
PENTEAR O CABELO

Prepare um cantinho à altura da crianças com um


espelho e os materiais necessários para que ela possa
pentear o cabelo, como escova, colares, cremes,
acessórios. É importante observar que os materiais
contém elementos que servem para ambos os sexos.

Nesse momento estamos estimulando a criança a


desenvolver o autocuidado e a perceber-se no espelho.

@ViverMontessori
LIMPAR UMA MESA

Fim do jantar ou de uma atividade e a mesa ficou suja?


Prepare um canto com esponja, bacia, pano, sabão, jarra
plástica, balde plástico (usar todos os elementos da
mesma cor para marcar a proposta) e deixe à
disposição dela. A criança desenvolve a coordenação
motoria fina e a percepção visual ao passo que
aprendem que são parte de um todo na casa e que a
ordem e a limpeza é agradável ao ambiente.

@ViverMontessori
AINDA TEM
MAIS!

Aqui vai uma pequena lista de outras


coisas que seu bebê também pode fazer
@ViverMontessori

nesta idade!
Encher um copo de água ou leite
usando um pequeno jarro;

Encher tijela com cereais;

Adicionar leite aos cereais;

Beber de um copo de vidro (usar


pequenas quantidades para evitar
derramar grandes porções);

Escovar os dentes com ajuda de


alguém;

Ajudar a arrumar os brinquedos;

Trazer a fralda;

Colocar a própria roupa no cesto de


roupa suja;

Escolher entre duas opções de roupa


@ViverMontessori

para vestir;

Tirar as meias.
QUER SABER MAIS?
Quando se trata da educação de nossas crianças
referências nunca são demais, certo?! Aqui vão mais
algumas dicas de onde você pode encontrar informações
e aprofundar seus estudos em Montessori!

Livros da própria Maria Montessori (inclusive, esses


dois são nossa principal recomendação para você
que está começando!):
O Segredo da Infância
Mente Absorvente

Entendendo o ser humano: a importância dos três


primeiros anos de vida. (Understanding the Human
Being: The Importance of the First Three Years of Life)
de Silvana Quattro Montanaro. A Dra. Montanaro foi a
pioneira em divulgar globalmente as percepções de
Maria Montessori e sua colaboradora próxima Gianna
Gobbi, avivando esse conhecimento com seu próprio
estudo psicológico profundo da gravidez e os
primeiros três anos após o nascimento.
@ViverMontessori
QUER SABER MAIS?
A Criança Alegre: Sabedoria Montessori do
Nascimento aos Três Anos, de Susan Mayclin
Stephenson. Após 50 anos no campo da educação
Montessori, Susan publicou sete livros de interesse
para pais e professores. Ela recebeu os diplomas AMI
(Association Montessori Internationale) para as
idades de 0-3, 3-6, 6-12, um mestrado na Loyola
University em Baltimore e estudou múltiplas
inteligências com o Dr. Howard Gardner na Harvard
University. Susan é examinadora de curso da AMI,
palestrante em conferências e consultora escolar.

Método Montessori na educação dos filhos, de Tim


Seldin. Tim Seldin é autor, educador e presidente da
Fundação Montessori e presidente do Conselho
Internacional de Montessori. Seus mais de quarenta
anos de experiência na educação montessori incluem
vinte e dois anos como diretor da escola Barrie em
Silver Spring, Maryland, da qual ele também
frequentou.
@ViverMontessori
PRA TERMINAR
Se você chegou até aqui só podemos dizer: obrigada!

Foi super desafiador tentar reunir todo um conjunto de


experiências e pesquisas, tanto familiares quanto
pedagógicas, em um formato tão breve e simples, mas a
satisfação de finalizar esse projeto fez tudo valer a pena.

Esperamos que vocês possam fazer uso das dicas


propostas aqui e não se preocupem se o seu filho não
responder como esperado logo de cara! Cada criança é
um ser único e não podemos esperar que todas se
comportem da mesma maneira.

Refine o seu olhar observador, essa seria nossa última


dica. Assim, observando e entendendo sua criança, sua
relação com ela será ainda mais prazerosa!

Nos vemos no Volume II deste e-Book, Montessori para


bebês de 18 a 36 meses, já disponível para venda!

Um beijo,
@ViverMontessori

Larissa Serqueira
e Thaisa Maia
AS AUTORAS
Larissa Serqueira
Natural do Amazonas, Larissa Serqueira é mãe de duas crianças,
Pedagoga de formação, trabalha há 12 anos na área de educação,
gerenciando franquias e concessões em diversos seguimentos tais
como: cursos profissionalizantes, ensino superior e pós graduação.
Há 6 anos se dedica também ao estudo da infância, especializou-se no
Método Montessori, morou na Itália, pesquisou e estudou a influência de
Maria Montessori na educação mundial. Carrega no seu DNA a paixão
pela infância e acredita que a educação é um processo que deve iniciar
no nascimento, construindo assim uma base para uma vida mais
consciente e pacífica. Atualmente desenvolve consultoria em todo Brasil
a famílias e escolas que desejam adotar o Método Montessori.

Thaisa Maia
Amazonense de apenas 25 anos e Economista por formação, percebeu
muito cedo que compreender as crianças é uma responsabilidade não
apenas dos pais, mas de todos aqueles que convivem com elas.
Entusiasta do Método Montessori há muitos anos, resolveu transformar a
paixão em profissão e agora trilha um novo caminho na Pedagogia e na
formação Montessori.
@ViverMontessori
Para comprar com lojas parceiras e consultar
cupons de desconto disponíveis:
contato@vivermontessori.com

Você também pode gostar