Você está na página 1de 8

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO AMBIENTAL - RFA

Nº RFA-2022-036 INDEXADO AO(S) PROCESSO(S): Denúncia 2022/67


1 – ATENDIMENTO
PERÍODO: INÍCIO: TÉRMINO:
12/07/2022 11:02h 11:40h

2 – IDENTIFICAÇÃO
RAZÃO SOCIAL/PESSOA FÍSICA: CPF/CNPJ:
Thiago Sousa Azevedo 059.501.875-04
ENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIA:
Rua Floriano Peixoto, Conde – BA, Cep.:48300-000.
PARTICIPANTES DA FISCALIZAÇÃO:
Paulo da Paz Conceição e Luis Eduardo Costa de Almeida
FUNÇÃO:
EQUIPE SEMMA
TEL: (75)999958358 FAX: E-MAIL:
semmade.fiscalizacao@gmail.com

3 – LOCAL DA INSPEÇÃO (Rua, nº, bairro, localidade)


Rua Floriano Peixoto, Conde – BA, Cep.:48300-000.

PONTO DE REFERÊNCIA: Atual Sacolão ao lado da padaria KiPão


COORDENADAS GEODÉSICAS RECURSOS HÍDRICOS:
(WGS84 – UTM24S) Oceano Atlântico
651112 m E 8693674 m N BACIA HIDROGRÁFICA:
Rio Itapicuru
LOCALIDADE EM UNIDADE DE CONSERVAÇÃO – UC ( x ) SIM ( ) NÃO
NOME: APA (ÁREA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL) LITORAL NORTE DO
ESTADO DA BAHIA
ZONA: ZEP I (ZONA DE EXPANSÃO)

4 – HISTÓRICO
Ação Data Ente
Denúncia anônima 2022/67 06/07/20 SEMMA
22
Fiscalização 12/07/20 SEMMA
22
Notificação 2022/076 12/07/20 SEMMA
22

5 – DESCRIÇÃO DA FISCALIZAÇÃO

No dia 12 de julho de 2022, das 11:02h às 11:40h no exercício da


Fiscalização Ambiental, a Secretaria de Gestão de Meio Ambiente– SEMMA realizou
uma ação no local denominado Rua Floriano Peixoto, neste município de Conde –
BA, em atenção a Denúncia n°2022-067 protocolada em 06/07/2022. A denúncia
está caracterizada com a construção comercial com ampliação sem alvará de
reforma.
Para a ação, a fiscalização fez o uso de um receptor GPS de Navegação
Garmin etrex 10 para o rastreio de coordenadas, uma trena de fibra de vidro para a
tomada de medidas geométricas, uma máquina fotográfica Sony para o registro de
provas, e caderno de anotação.
No local, acima referenciado, constatou o andamento da reforma do
empreendimento comercial do Sacolão.A obra já estava em andamento e já
avançada.A SEMMA entrou em contato com o responsável pela construção, que foi
identificado como THIAGO SOUSA AZEVEDO , inscrito no CPF: 059.501.875-04 já
devidamente qualificado. Cumpre ressaltar que a construção ora identificada está
inserida em via pública, mas sem nenhuma documentação de reforma.
Por fim, registra que, em buscas aos registros da SEMMA verifica-se não
ter sido emitida alvará de reforma permissiva a localização e execução da obra ora
relatada.

6 – CONCLUSÃO E DESDOBRAMENTOS
Conforme constatou a fiscalização, se trata de reforma comercial, sem a
devida autorização, neste caso, o alvará de reforma, documento obrigatório emitido
pelo órgão responsável pela gestão ambiental municipal, a saber, SEMMA, com isto,
apura-se que houve a infração ambiental de natureza formal, LEVE, por não vir a
causar risco ou dano à saúde, à flora, à fauna, nem provoque alterações sensíveis
ao meio ambiente, sendo a sua classificação enquadrada no inciso I, art. 228 da Lei
municipal nº. 870 de 09 de maio de 2014; Art. 62 da Lei Complementar n° 924 de 29
de dezembro de 2017; Art. 36 da Lei Municipal n° 583 de 22 de dezembro de 1993;
Art. 18 da Lei Municipal Complementar n° 924 de 29 de dezembro de 2017 e no
Inciso I, parágrafo único do Art. 254 do Decreto nº 14.024 de 06 de junho de 2012:

Lei Municipal n° 870 de 09 de maio de 2014. Art. 228 - Para


a aplicação da pena de multa às infrações em matéria
ambiental são classificadas em:

I - Leves - as eventuais ou as que não venham a causar risco


ou dano à saúde, à flora, à fauna, nem provoque alterações
sensíveis ao meio ambiente;

Lei Complementar n° 924 de 29 de dezembro de 2017, Art.


62. Qualquer serviço, obra ou instalação, de iniciativa pública
ou privada, que requeira intervenção sobre o passeio, alteração
de calçamento e meio-fio ou escavação do leito da via ou
logradouro público exigirá prévia licença do órgão municipal
competente para a sua realização.

Lei Municipal n° 583 de 22 de dezembro de 1993, Art. 36 –


Toda e qualquer obra, particular ou pública, só poderá ser
iniciada após licenciada ou autorizada pela prefeitura, que
expedirá o respectivo Alvará, observadas as prescrições desta
lei.

Lei Municipal Complementar n° 924 de 29 de dezembro de


2017, Art. 18 - Todas as obras, de ação pública ou privada,
apenas poderão ser executadas após aprovação do projeto e
concessão da licença de obras pelo órgão municipal
competente, de acordo com as exigências deste capítulo.

Decreto nº 14.024 de 06 de junho de 2012, Art. 254 Constitui


infração administrativa ambiental toda ação ou omissão,
voluntária ou involuntária, que viole as regras jurídicas de uso,
gozo, promoção, proteção e recuperação do meio ambiente,
que, resulte:

Parágrafo único - Consideram-se ainda, dentre outras, como


infrações administrativas:

I - Executar obras, instalar, implantar, alterar, testar ou operar


equipamentos ou empreendimentos, bem como exercer
atividades ou explorar recursos naturais de quaisquer espécies
sem as necessárias anuências, autorizações, ou licenças
ambientais ou registros, quando a estes sujeitos, ou em
desacordo com os mesmos;

Por ocasião dessa infração foi aplicado o auto de NOTIFICAÇÃO 2022-


076 solicitando que o proprietário apresentasse as documentações
pertinentes.Ressalta-se que a obra é passível de regularização, apesar de
estar sendo realizada de forma irregular.

Por fim, cabe à SEMMA a abertura de um processo administrativo para a


correção das infrações ambientais, sem prejuízo das demais penalidades civis e
criminais cabíveis.

7 - DISPOSITIVO NORMATIVO INFRINGIDO

● Lei Municipal nº. 870 de 09 de maio de 2014, art. 79, inciso III;

● Lei Municipal n° 583 de 22 de dezembro de 1993, art. 36;

● Lei Municipal Complementar n° 924 de 29 de dezembro de 2017, art. 18° e


art. 64;

● Decreto Estadual nº 14.024 de 06 de junho de 2012, art. 254, parágrafo único,


inciso I.

8 - INFRAÇÕES COMETIDAS
●Execução de Reforma sem Alvará.

9 – CIRCUNSTÂNCIAS ATENUANTES

Lei municipal nº 870 de 09 de maio de 2014

Art. 229 - São consideradas circunstâncias atenuantes:

III - Colaboração com os agentes e técnicos encarregados da


fiscalização e do controle ambiental;

10 – CIRCUNSTÂNCIAS AGRAVANTES

Lei municipal nº 870 de 09 de maio de 2014

Art. 230 - São consideradas circunstâncias agravantes:


V - Deixar o infrator de tomar as providências ao seu alcance,
quando tiver conhecimento do ato lesivo ao meio ambiente;

11 - FUNDAMENTOS LEGAIS

✔ Lei municipal nº. 870 de 09 de maio de 2014;


✔ Lei Municipal n° 583 de 22 de dezembro de 1993;
✔ Lei Municipal Complementar n° 924 de 29 de dezembro de 2017;
✔ Decreto Estadual nº 14.024 de 06 de junho de 2012.

12 - RELATÓRIO FOTOGRÁFICO
Imagem 01 – Execução de Reforma sem Alvará.. Data: 18/08/2022
Fonte: Google Earth.

Imagem 02 – Antes da reforma.Fonte:Google Maps.


Imagem 03 –Depois da Reforma.Data: 18/08/2022
Fonte: Fiscalização SEMMA.

13 - RESPONSÁVEIS PELA FISCALIZAÇÃO

____________________________ __________________________________
Paulo da Paz Conceição Denize Mattos da Silva
Coordenador Defesa Civil Matrícula- 5763
Decreto 138/2022 Agente fiscal do Meio Ambiente

15 – RESPONSABILIDADE TÉCNICA
__________________________________________
Ari da Silva Manaia
Matrícula -5761
Coordenador de Fiscalização
Decreto 138/2022

Conde-BA, 18 de agosto de 2022.

Você também pode gostar