Você está na página 1de 7

PLANIFICAÇÃO NO PEA DE GEOGRAFIA

1. 1. Conceito de Planificação

Planificação: è um processo que consiste em preparar um conjunto de decisões, visando atingir


determinados objectivos (PILETTI, 2004). Planificação: é um processo de racionalização,
organização e coordenação da acção docente, articulando a actividade escolar e a
problemática do contexto social (LIBÂNEO, 2006).

A planificação no sentido geral é um processo através do qual uma instituição faz a


preparação, previsão e organização do desenvolvimento das suas actividades, em
conformidade com as normas, procedimentos.

1.2. Importância da Planificação

A planificação tem uma grande importância no PEA, visto que é através da mesma que os
conteúdos didácticos são transmitidos de forma viável e precisa, assim facilitando o alcance
dos objectivos traçados a nível central, local e mais em diante.

 Prevê os objectivos, conteúdos, métodos e meios de ensino;


 Facilita a preparação das aulas e as tarefas que se vão executar;
 Actualização dos conteúdos Evita a rotina e a improvisação;
 Contribui para a realização dos objectivos visados;
 Garante Economia de tempo e energia.

1.3. Planificar para quem? Ou para que serve a planificação?

Um professor quando explicita as razões pelas quais planifica está implicitamente a responder
esta pergunta. Em suma, planifica-se para:

 Os alunos, para que eles próprios possam saber o que estão a fazer e porquê, ou seja,
para perceberem melhor o “caminho” que estão a trilhar;

 O professor, pois é uma forma de organizar seu trabalho, reflectir sobre os conteúdos,
métodos materiais, espectativas e competências a desenvolver nos alunos;
 A escola, pois torna possível um trabalho consciente de todos os docentes e permite a
coordenação interdisciplinar;

 Os pais, para perceberem melhor porque é que os filhos aprendem determinados


conteúdos e desta forma poderem acompanha-los melhor e participar mais
conscientemente na vida escolar;

 A sociedade, porque hoje em dia, cada vez se fala mais em autonomia das escolas e
em participação activada comunidade, ou seja, da sociedade local.

1.4. Tipos de Planificação

Planificação a Longo Prazo: Faz-se ao iniciar um ano lectivo, onde o professor reflecte sobre o
processo PEA ao longo do ano, tanto no que diz respeito especificamente à sua disciplina
como, de uma forma geral, à acção das várias disciplinas consideradas como um todo na
acção educativa.

Planos a médio prazo: correspondentes a cada unidade de aprendizagem consideradas no


plano a longo prazo.

Planos a curto prazo: como os planos de aula, de pequena amplitude, que correspondem às
práticas quotidianas em que se vão concretizando os diferentes conteúdos dos planos a médio
prazo.

1.5. Níveis de Planificação

(i) Central, este nível consiste em prever acções relacionadas com o processo de ensino-
aprendizagem numa perspectiva nacional e é da responsabilidade do ministério da educação e
desenvolvimento humano.

(ii) Provincial, conforme a designação, este nível consiste em programar actividades


educacionais a nível da província, tendo em conta as suas características e necessidades
específicas. Esta subordina-se à planificação central.
(iii) Local, para tornar cada vez mais especifica e adequada ao contexto da escola e aos
alunos, surge a necessidade de uma planificação local que contempla a previsão das
actividades a nível Distrital e Escolar, à luz dos anteriores níveis.

1.6. Estrutura de Plano de Aula

 Indicar o tema central da aula;


 Estabelecer os objectivos da aula;
 Estabelecer os conteúdos que serão o objecto de estudo;
 Estabelecem-se os procedimentos e recursos de ensino, isto é, estabelecer as formas
de utilizar o conteúdo seleccionado para atingir os objectivos propostos.

1.7. Funções Didácticas

Introdução e Motivação: é fase onde o professor saúda os alunos, faz o controlo da


assiduidade dos alunos e da turma.

Mediação e Assimilação: esta função didáctica constitui a segunda etapa da aula a qual é
denominada por duas acções fundamentais, sendo a mediação e assimilação dos
conhecimentos, onde o professor dialoga com os mesmos e vice-versa.

Domínio e consolidação: durante a aula o aluno juntamente com o professor deve orientar-se
para repetir e resumir a aula, sistematizar, exercitar, aplicar e avaliar.

Controle e Avaliação: consiste nesta função em acompanhar todo processo de ensino -


aprendizagem avaliando as actividades conjuntas do professor e do aluno em função dos
objectivos definidos.

2. Planificação de Aula no PEA de Geografia

A planificação das aulas de Geografia deve considerar particularmente o objectivo geral da


disciplina, conhecer a organização do espaço geográfico e o funcionamento da natureza em
suas múltiplas relações, de modo a compreender o papel das sociedades em sua construção e
na produção do território, da paisagem e do lugar.
Portanto, no acto de planificação de aula de geografia é um processo de ensinar metódico e
orientado para um objectivo de aprendizagem do aluno de forma consciente, sob direcção
correcta do professor. As unidades e sub-unidades previstas em linhas gerais no programa de
ensino, vão ser especificadas e sistematizadas para uma situação real, a aula. Daí que a
preparação da aula ´seja uma tarefa indispensável.

É preciso definir atempadamente o tema, em cada aula deve ter objectivos claros, estrutura
lógica da matéria, função didáctica dominante, métodos de ensinar e aprender (actividades do
professor e dos alunos), cada aula deve ter meios didácticos e divisão do tempo.

Programas de Ensino (8ª a 12ª Classe) do SNE


Visão Geral dos Conteúdos do 1º Ciclo
8ª Classe 9ª Classe 10ª Classe
Unidade I: A Terra no Unidade I: População; Unidade I: Geografia Física
Universo de Moçambique
Unidade II: A Terra e Suas Unidade II: Agricultura e Unidade II: Geografia
Esferas Pecuária Económica de Moçambique
 Atmosfera; Unidade III: Industria
 Biosfera; Unidade IV: Transporte e Unidade III: Moçambique na
 Hidrosfera; Comunicação SADC
 Litosfera. Unidade V: Turismo
Unidade VI: Cidades

Visão Geral dos Conteúdos do 2º Ciclo

11ª Classe 12ª Classe


Unidade I: Introdução ao Pens. Geográfico Unidade I: População
Unidade II: Cosmografia Unidade II: Agricultura e Pecuária
Unidade III: Ambiente Bioclimático Unidade III: Indústria e Comercio
Unidade IV: Geomorfologia Unidade IV: Turismo
Unidade V: Pedogeografia Unidade V: Transportes e Comunicação
Unidade VI: Hidrogeografia Unidade VI: Urbanismo
3. Métodos e Meios de Ensino de Geografia

3.1. Métodos Básicos

Método expositivo: este método tem um papel relevante no PEA, em geral e da Geografia em
particular. Leitura em voz alta (que se usam com maior frequência ao nível de ensino primário e
secundário) e conferência (cuja aplicação é frequente no 2º ciclo do ensino secundário Geral e
no ensino superior). No ensino de Geografia a narração do professor pode ter carácter
descritivo ou explicativo. O carácter descritivo consiste em descrever determinados factos ou
fenómenos geográficos por parte do professor de forma a permitir que os alunos tenham a
representação mental dos mesmos.

Um professor ao descrever, por exemplo, um fenómeno ou um facto (erosão no bairro de


Namacula) deve procurar evidenciar as características, causas e consequências da erosão,
que permitam a construção de representação mental nos alunos. Tem como meta alcançar o
nível de percepção e compreensão dos alunos sobre a matéria exposta, sendo assim, a
exposição deve ser orientada e dirigida ao pensamento dos alunos. Neste procedimento o
professor deve fornecer aos alunos aspectos essenciais sobre o facto ou fenómeno geográfico
de modo que os alunos possam, mais tarde, chegar a conclusões e generalizações. Para o
êxito deste procedimento o professor deve ter em conta a idade dos alunos, devendo a sua
explicação ser breve e bastante clara.

Elaboração conjunta: é o método de ensino pelo qual a matéria se desenvolve em actividade


conjunta entre o professor e os alunos. O professor apoia-se numa exposição prévia. O
professor elabora o conhecimento com participação dos alunos. As duas partes têm função
activa no desenvolvimento da aula.

Método de trabalho independente: este método é útil nos casos em que os aprendentes podem
executar correctamente as tarefas dadas sem intervenção directa do professor. Tem como
efeito a aquisição de conhecimentos mais sólidos por parte dos alunos ou melhor, possibilita
que os alunos produzam os seus conhecimentos. Esta actividade deve partir das classes
iniciais para que os alunos se habituem a realizar determinadas tarefas, a reconhecer
problemas, proceder de forma metódica, superar dificuldades e confirmar resultados, de forma
gradual.
3.2. Métodos Específicos

São dois os métodos específicos no ensino de Geografia: métodos de observação directa e


métodos de observação indirecta.

 Observação Directa

Para o Ensino de Geografia, os métodos de observação directa são os que consistem na


observação, por parte dos alunos “de aquilo que pode facilmente diante dos olhos: como por
exemplo, conduzir uma classe a um vale ou rio de uma região rural cujos alunos tem de
desenhar e descrever as particularidades físicas ou culturais que notaram.

 Observação Indirecta

A geografia como ciência de descrição e interpretação de factos e fenómenos geográficos


como paisagens terrestres, naturais e humanizadas, o ideal seria poder ensinar Geografia aos
alunos fazendo referência a exemplos concretos; mas na prática, isso é impossível, em parte
porque, nessa eventualidade o ensino apenas incidiria em zonas geográficas limitadas e
também por razões de organização escolar. Assim, o ensino da Geografia, deve basear-se,
necessariamente, na maioria dos casos, no material de segunda mão como: os mapas, globos,
imagens, maquetas, películas (dentre outros).

4. Avaliação no Processo de Ensino e Aprendizagem de Geografia

Avaliar o aluno qualitativamente implica observá-lo continuamente, compreender como ele


chega a determinadas respostas, descrevendo, assim, o seu nível de compreensão em relação
ao conhecimento, mas entendendo que esta descrição não poderá ser expressa apenas por
notas ou conceitos. A avaliação no processo ensino-aprendizagem de geografia é de
fundamental importância no contexto escolar, pois dá informação e orientação sobre o
processo ensino. Além de fornecer informações ao aluno sobre suas limitações e sobre seu
aprendizado, proporciona ao professor a análise de sua prática pedagógica através de uma
constante reflexão crítica.
 Avaliação Diagnostica

Ocorre no início, durante e no final do desenvolvimento das aulas ou unidades didácticas. No


início, verificam-se as condições prévias dos alunos de modo a prepará-los para o estudo da
matéria nova. Esta etapa inicial é de sondagem de conhecimentos e de experiências já
disponíveis bem como de provimento dos pré-requisitos e de experiências já disponíveis.

Este tipo de avaliação tem funções de registos das verificações dos resultados escolares;
Controle sistemático e contínuo no decorrer das aulas, através de uma variedade de
actividades que permitem ao professor observar como os alunos e o professor estão
conduzindo-se.

 A avaliação Formativa

É aquela que tem como função controlar, devendo ser realizada durante todo o período lectivo,
com o intuito de verificar se os estudantes estão alcançando os objectivos propostos
anteriormente. Esta função da avaliação visa, basicamente, avaliar se o aluno domina
gradativamente e hierarquicamente cada etapa da aprendizagem, antes de avançar para outra
etapa subsequente de ensino-aprendizagem.

 Avaliação Sumativa

Tem como função básica a classificação dos alunos, sendo realizada ao final de um curso ou
unidade de ensino. Classificando os estudantes de acordo com os níveis de aproveitamento
previamente estabelecidos.

Existem outras formas ou instrumentos de avaliação utilizadas no PEA de Geografia como:

Prova escrita dissertativa: conjunto de questões ou temas que devem ser respondidos pelos
alunos com suas próprias palavras. Por exemplo: compare, relacione, sintetize, descreva,
resolva, apresente argumentos;

Questões de múltipla escolha: compostas de perguntas, seguidas de várias alternativas de


respostas. Podem ser de três tipos: apenas uma alternativa é correta; a resposta correta é a
mais completa; e há mais que uma alternativa correta ou incorrecta.

Você também pode gostar