Você está na página 1de 5

Escola Básica e Secundária Dr.

Ângelo Augusto da Silva


Teste de MATEMÁTICA A 12.º Ano

Duração: 90 minutos Março/ 2016


Classificação

Nome ________________________ N.º ___ T: __ ____________


O Prof.__________________
(Luís Abreu)

1.ª PARTE
Para cada uma das seguintes questões de escolha múltipla, selecione a resposta correta de entre as alternativas que lhe
são apresentadas e escreva-a na sua folha de prova. Se apresentar mais do que uma resposta a questão será anulada, o
mesmo acontecendo em caso de resposta ambígua.

1. Sejam f a função, de domínio , definida por f (x)  e2 x e y


g a função representada na figura ao lado.

2
Tal como a figura sugere, o gráfico de g interseta o eixo
g
Oy no ponto de ordenada 2 . A reta t é tangente ao gráfico
da função g no ponto de abcissa 0. A reta t interseta o eixo
-4 O x
Ox no ponto de abcissa 4 .
'
 f 
Qual o valor de   (0) ?
g
5 3 9
(A) 0 (B)  (C) (D) 
8 4 8

2. Sejam m e n duas funções tais que:  m  n  '( x)  2n '( x), x  .


Em qual das figuras podem estar representadas os gráficos das funções m e n?

(A) y (B) y (C) y (D) y


m m
m

O
O n x O x n x m O
n x
n

3. Seja h uma função contínua em .


O gráfico de h tem como assíntota oblíqua a bissetriz dos quadrantes pares.
Sabe-se que lim h( x )  0
x 

Qual das seguintes equações tem necessariamente uma solução?

1
(A) h( x )  0 (B) h( x )  1 (C) h( x )  3 (D) h( x )  ln  
2

Internet: www.xkmat.pt.to
4. Considere a função f, representada na figura ao lado, cujo gráfico admite como assíntotas as
retas de equações y  0 e y  2 .
y
1 2
As assíntotas do gráfico da função são:
f f
1 O
(A) y  0 e y  2 (B) x  1 e y  -1 x
2
1
(C) x  1 , y  e y 0 (D) x  2 e y  1
2

5. Considere as funções h e j cujos gráficos estão parcialmente representados nas figuras.


As retas de equações y  2 e x  0 são assíntotas dos gráficos de h e j, respetivamente.

y y
j

2
h
O x O x

lim j( x )
x 0
O valor de é:
lim  h( x )  2
x 

(A) 0 (B) 2 (C)  (D) 

2.ª PARTE
Apresente o seu raciocínio de forma clara, indicando os cálculos efetuados e as justificações necessárias.
Quando não é indicada a aproximação que se pede para um resultado, pretende-se o valor exato.

1. Considere a função, real de variável real, definida por f ( x)  e3 x  5e x

1.1. Represente na forma de intervalo de números reais os valores que verificam a condição
f ( x)  0 .

1.2. Determine o valor exato de f (  ln 2) .

1.3. Na figura está parte da representação gráfica da função f y


f
e uma reta horizontal r de equação y  3 .
Os pontos E e D são os pontos de interseção do gráfico F
da função f e da reta r. Os pontos D e F têm a mesma O 1 x
abcissa.
Recorrendo, sempre que necessário, às potencialidades E -2 D
r
gráficas da calculadora, determine com aproximação às
décimas, a área do trapézio OEDF  , em que O
representa a origem do referencial.
Nota: Nas coordenadas dos vértices em que é necessário fazer
arredondamentos, utilize três casas decimais.
Internet: www.xkmat.pt.to
 1
 se x  0
2. Considere a função g , de domínio \ 0 , definida por g ( x )   ln( x  1)
 1x
e  x se x  0

2.1. Estude a função g quanto à existência de assíntotas do seu gráfico, escrevendo as suas
equações, caso existam.

2.2. Escreva a equação da reta tangente ao gráfico da função g no ponto de abcissa 1 .

2.3. Mostre que a equação g ( x )  ln x tem pelo menos uma solução no intervalo 2,3 .

2.4. Utilize as capacidades gráficas da calculadora para determinar a solução referida na


alínea anterior. Apresente o resultado com aproximação às décimas.
Na resposta deve incluir o(s) gráfico(s) visualizado(s) na calculadora, devidamente identificados.

3. Seja j a função definida por: j( x)  x  | ln x |


Caracterize a função derivada de j.

4. Determine, se existir, o seguinte limite:


e2 x  9
lim
xln 3 x  ln 3


5. Seja f uma função de domínio , cujo gráfico admite uma assíntota paralela à bissetriz dos

quadrantes pares. Seja h uma função de domínio tal que:
 1  x 
h( x )  f ( x )  2 x  ln 1   
 x  
Sabendo que o gráfico de h admite uma assíntota não vertical, prove que ela é paralela à
bissetriz dos quadrantes ímpares.

Fim

Cotações:
10 pontos cada
Questões 1.1. 1.2. 1.3. 2.1. 2.2. 2.3. 2.4 3. 4. 5. Total
questão. Total :
Pontos 50 10 10 10 25 15 10 10 25 20 15 200

Internet: www.xkmat.pt.to
Formulário

Comprimento de um arco de circunferência Probabilidades


 .r (  amplitude, em radianos, do ângulo ao   x1 p1  ...  xn pn
centro; r – raio)
  ( x1   ) 2 p1  ...  ( xn   ) 2 pn
Áreas de figuras planas Se X é N(μ,σ) , então:
Diagonal maior  Diagonal menor
Losango: P(     X     )  0,6827
2
P(   2  X    2 )  0,9545
Base maior  Base menor
Trapézio:  Altura P(   3  X    3 )  0,9973
2
Polígono regular: Semiperímetro  Apótema
Regras de Derivação

Sector circular:
 r2
(α – amplitude, em radianos,  u  v   u  v '
2
do ângulo ao centro; r – raio)  u×v   u×v  u×v
Áreas de superfícies  u  u×v  u×v
 rg   
Área lateral de um cone: v v2
(r – raio da base; g – geratriz)
(u n )  n×u n1×u (n  )
Área de uma superfície esférica: 4 r
2

(r – raio)  sen u   u× cos u


Volumes
 cos u   u× sen u
u
Pirâmide:
1
 Área da base  Altura  tg u  
3 cos 2 u

Cone:
1
3
 Área da base  Altura  eu   u× eu

4 (au )  u×au × ln a (a  \{1})
Esfera:  r (r – raio)
3
u
3  ln u  
u
Progressões u 
(log a u )  (a  \{1})
Soma dos n primeiros termos de uma progressão  un  : u× ln a
u1  un Limites notáveis
Progressão aritmética: n
2 n
 1
lim  1    e
1 r n
 n
Progressão geométrica: u1 
1 r
sen x
lim 1
Trigonometria x 0 x

ex 1
sen (a + b) = sen a .cos b + sen b. cos a lim 1
cos (a + b) = cos a .cos b − sen a. sen b x 0 x
tga  tgb ln( x  1)
tg (a + b) = lim 1
1  tga.tgb x 0 x
ln x
Complexos
lim 0
x x
(  cis  )n   ncis (n. ) ex
lim   (p  )
  2k x  xp
n  cis    cis n , k  0,...,n-1
n
Internet: www.xkmat.pt.to Página 5 de 5
Soluções:

1.ª PARTE
1. (D) 2. (A) 3. (B) 4. (B) 5. (C)

2.ª PARTE

 ln 5  19
1.1. x   ,  1.2.  1.3. 2,3 u.a.
 2  8
2.1 x  0 , y   x  1 e y  0
 1 
2.2. y     1 x 2.4. 2,3
 e 
 1
1  x se 0  x  1
3. j '( x )  
1  1 se x  1
 x
4. 18
h( x )
5. m  lim 1
x  x

Internet: www.xkmat.pt.to

Você também pode gostar