Você está na página 1de 165

APOSTILA PREPARATÓRIA

CONHECIMENTOS
PEDAGÓGICOS
PARA CONCURSOS

CARGO: PEDAGOGIA
 Teoria Esquematizada
 Mais de 300 questões
 Gabarito Comentado
 Pegadinhas de Provas
 Revisão no final de cada conteúdo

Jhennyfer Cavalcante
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

SUMÁRIO
METODOLOGIAS DE ESTUDOS DA APOSTILA DE CONHECIMENTOS PEDAGÓGICOS ........................ 5

Planejamento e Organização do Trabalho Pedagógico.......................................................................... 6

Concepção de Planejamento ............................................................................................................... 6

Organização do Trabalho Pedagógico .................................................................................................. 6

Importância do Planejamento ............................................................................................................. 9

Objetivos do Planejamento ............................................................................................................... 10

Dimensões Técnicas e Políticas do Planejamento ............................................................................... 11

SIMULADO 01 ................................................................................................................................... 12

GABARITO COMENTADO ............................................................................................................................ 13

Níveis de Planejamento .................................................................................................................... 15

Planejamento Educacional em Nível Estratégico................................................................................ 16

Planejamento Escolar em nível Operacional ...................................................................................... 16

Planejamento de Ensino e de Aula em Nível Operacional ................................................................... 17

SIMULADO 02 ................................................................................................................................... 18

GABARITO COMENTADO ............................................................................................................................ 19

Planejamento Participativo perspectiva do Projeto Político Pedagógico ............................................. 21

Perspectivas na Construção do Projeto Político Pedagógico ............................................................... 21

Fases do planejamento participativo ................................................................................................. 23

Ganhos com o Planejamento Participativo ........................................................................................ 23

SIMULADO 03 ........................................................................................................................ 24

GABARITO COMENTADO ............................................................................................................ 27

Projeto Político Pedagógico ou Proposta Pedagógica ......................................................................... 29

O que diz a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) sobreo PPP .................................................. 30

Mapa Mental - Projeto Político Pedagógico ....................................................................................... 36

2
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.
SIMULADO 04 ........................................................................................................................ 37

GABARITO COMENTADO ............................................................................................................ 39

Planejamento Curricular ................................................................................................................... 41

Currículo e Construção do Conhecimento.......................................................................................... 42

Entendendo o que falam os Documentos Oficiais .............................................................................. 43

Teorias sobre Currículo ..................................................................................................................... 46

Manifestações de Currículo............................................................................................................... 48

Planejamento Curricular e o Currículo Formal .......................................................................................... 48

MAPA MENTAL - PLANEJAMENTO CURRICULAR ................................................................................. 51

SIMULADO 05 ........................................................................................................................ 52

GABARITO COMENTADO ............................................................................................................ 55

Planejamento de Ensino ................................................................................................................... 58

Componentes do Processo Ensino-aprendizagem .............................................................................. 60

A Relação Professor / Aluno .............................................................................................................. 61

Tipologia de Conteúdos Educacionais de Acordo com ZABALA, 2010 .................................................. 62

Componentes do Processo de Ensino e Aprendizagem ....................................................................... 65

SIMULADO 06 ........................................................................................................................ 66

GABARITO COMENTADO ............................................................................................................ 68

Plano de Aula ................................................................................................................................... 71

Componente do Planejamento “Avaliação” ................................................................................................... 78

A AVALIAÇÃO SEGUNDO A LDB.................................................................................................... 79

NÍVEIS DA AVALIAÇÃO ......................................................................................................................... 80

AVALIAÇÃO DE LARGA ESCALA .................................................................................................... 82

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL ........................................................................................................ 83

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM ................................................................................................. 84

3
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.
AVALIAÇÃO FORMAL E INFORMAL ............................................................................................... 85

CLASSIFICAÇÕES DA AVALIAÇÃO NA PRÁTICA DOCENTE .............................................................. 86

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA ........................................................................................................... 86

A AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA (ANALÍTICA).................................................................................... 87

COMPONENTE DE APRENDIZAGEM (AVALIAÇÃO) ............................................................................. 92

BATERIA DE SIMULADOS ............................................................................................................. 93

1º BLOCO: PLANEJAMENTO ........................................................................................................ 94

GABARITO BLOCO 1 – PLANEJAMENTO ........................................................................................... 101

2º BLOCO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO .............................................................................. 102

GABARITO BLOCO 2 – PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO ........................................................... 106

3º BLOCO: TEORIAS DE CURRÍCULOS E MANIFESTAÇÃODE CURRÍCULO ..................................... 107

GABARITO BLOCO 3 – TEORIAS DE CURRÍCULOS E MANIFESTAÇÃO DE CURRÍCULO .................... 114

4º BLOCO: PLANEJAMENTO ESCOLAR / DE ENSINO / DE AULA .................................................. 115

GABARITO BLOCO 4 – PLANEJAMENTO ESCOLAR / DE ENSINO / DE AULA.................................. 118

5º BLOCO: COMPONENTES DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM ........................................ 119

GABARITO BLOCO 5 – COMPONENTES DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM ................. 123

6º BLOCO: AVALIAÇÃO....................................................................................................................... 124

GABARITO BLOCO 6 – AVALIAÇÃO .................................................................................................... 127

7º BLOCO - SIMULADO TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS .................................................................. 128

GABARITO BLOCO 7- TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS ..................................................................... 137

8º BLOCO- ANDRAGOGIA---------------------------------------------------------------------------------------------------138

SIMULADO ANDRAGOGIA---------------------------------------------------------------------------------------------------141

GABARITO BLOCO 8 – ANDRAGOGIA ------------------------------------------------------------------------------------151

9º BLOCO BASES PSICOLÓGICAS DE APRENDIZAGEM---------------------------------------------------------------152

SIMULADO BASES PSICOLÓGICAS-----------------------------------------------------------------------------------------155

4
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.
GABARITO BLOCO 9- BASES PSICOLÓGICAS--------------------------------------------------------------------------159

REFERÊNCIAS BIBIOGRÁFICAS--------------------------------------------------------------------------------------------160

Copyright © 2021Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados

Nenhuma parte deste material pode ser copiado, reproduzido ou concedido ou vendido
sob qualquer forma, sem autorização por escrito da autora.

Autora: Jhennyfer Cavalcante

Revisão: Sílvia Leite

Colaboração: Sildevânia Cavalcante

5
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

METODOLOGIAS DE ESTUDOS DA APOSTILA DE CONHECIMENTOS


PEDAGÓGICOS
5 PASSOS PARA ALCANÇAR A APROVAÇÃO!!

PRIMEIRO - Teoria esquematizada: aprenda a fazer seu próprio resumo, fichamento,


flashcards através de todo conteúdo abordado na apostila, de forma esquematizada, com
gráficos, tabelas, visão dos autores sobre o conteúdo e muito mais!

SEGUNDO - Revisão no final de cada conteúdo: você aprende de forma qualitativa


a fazer suas próprias revisões, fazendo levantamentos dos principais assuntos e palavras
chaves que ajudarão a desvendar o que as provas cobram quando se trata de concursos
públicos, carreiras educacionais. Aprende o que é cobrado na teoria para posteriormente
ser aplicado na prática em sala de aula como docente.

TERCEIRO - Baterias de simulados: você aprende a resolver questões de provas e a


entender como as bancas cobram o conteúdo. Não importa se você conhece todo o con-
teúdo cobrado em seu edital, o mais importante é saber acertar questões de provas, e te
ensinamos esse método através das nossas baterias de simulados, com questões de diversas
bancas, que ajudarão você a alcançar as primeiras colocações.

QUARTO - Gabarito comentado: na apostila, além de encontrar o gabarito com as


respostas das questões que você resolveu, você terá acesso a um gabarito comentado
explicando o conteúdo das questões e o motivo de estar certa ou errada. Dessa forma,
você aprende posteriormente a comentar suas próprias questões resolvidas, explicando
melhor o que foi aprendido. Esse método te ajudará significativamente a entender seus
erros, enão mais errar questões de concursos sobre a temática abordada.

QUINTO - Mapas mentais: aprenda a criar seus próprios mapas mentais que te aju-
darão a aumentar significativamente seus resultados de estudos. Os mapas mentais
servem para subsidiar no estudo ativo do conteúdo. Você mesmo monta seu próprio
esquema depois de ter estudado passo a passo as metodologias da apostila, teoria,
revisões, bateriasde simulados.

6
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Planejamento e Organização do Trabalho Pedagógico


O planejar sempre esteve no seu dia a dia. Ou seja, as pessoas pensam em planejar
o seu dia, em organizar sua rotina, planejar a ação para atingir os objetivos. E na educação
deve ocorrer da mesma forma. O planejamento deve ser algo presente na prática do
professor. Assim sendo, o que fazer e com o que fazer, considerando ainda que vai receber a
ação, ou seja, significa trazer as ações que serão desenvolvidas e a intencionalidade de
todas as atividades.

É importante levarmos em consideração que para que haja um ensino de qualida-


de dentro dos espaços escolares é preciso que não só a comunidade escolar mas também
toda sociedade esteja envolvida em um planejamento para a educação, que vai desde o
planejamento Educacional ao mais operacional, que ocorre em sala de aula com a cola-
boração do professor. Ou seja, é preciso um planejamento de ensino e de aula. Nesse
sentido, durante o módulo vamos abordar todos os níveis de planejamento, como estão
divididos e qual a função e importância de cada um deles. É importante abordar que todos
os planejamentos estão articulados, os quais na falta de um acaba havendo um déficit no
processo de ensino e aprendizagem dos educandos.

Concepção de Planejamento
Não existe um conceito universal sobre o que é o planejamento, mas juntando a
visão de diversos autores educacionais, podemos resumir o planejamento como o ato de
planejar, organizar, sistematizar, racionalizar a ação docente, ou seja, previsão do que será
feito durante o processo de ensino e aprendizagem. É importante abordar os objetivos ge-
rais que se quer alcançar (o que), como se vai alcançar esses objetivos (como fazer), quais
os recursos que serão utilizados para alcançá-los (com o que fazer), como será avaliada a
aprendizagem dos educandos e avaliar o que pode ser alterado no processo de planejar
(como avaliar).

Organização do Trabalho Pedagógico


Para que haja uma organização do planejamento é preciso dar importância a qua-
tro eixos que farão parte do processo de planejamento da escola. Inicialmente, é preciso
planejar com a comunidade escolar, entender a função social da escola, que tipo de alunos
se quer formar, identificar o marco situacional (onde estamos), o marco filosófico (onde
queremos chegar), lembrando que o planejamento escolar é emancipatório e participativo,
elaborado com a participação de docentes, discentes, pais, e todos envolvidos nesse pro-
cesso. Posteriormente, é preciso planejar quais currículos escolares irei trabalhar na escola,
em sala de aula e fora de sala de aula, lembrando que currículo pode ser entendido como
um conjunto de experiências, ou seja, conteúdos que são adivindos do contexto social do
aluno e contéudos situados historicamente, acumulados pela humanidade. Em seguida o
professor precisa planejar sua ação docente, por isso é importante que o professor planeje
em várias etapas e vários momentos do ano letivo, bimestre ou semestre.

Sendo assim, inicialmente o docente planeja com base no Planejamento Escolar e


Curricular da escola, criando seu Planejamento de Ensino, também chamado de Plano de
Curso ou Plano de Unidade Didática, o qual é pensado para um determinado período letivo.
Nesse sentido, dentro desse plano encontramos componentes que ajudarão a alcançar os

7
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

objetivos de ensinar e aprender, o qual veremos ao decorrer do módulo, componentes esses


chamados de componentes do processo ensino e aprendizagem. Cai muito em prova! Por
isso iremos estudar eles com maior ênfase. Mas vale lembrar que depois do Plano de Ensino
é preciso que o professor elabore seu Plano de Aula, o qual é pensado para uma aula. Esse
plano também possui componentes que irão auxiliar no processo da ação docente. São os
mesmos componentes do plano de ensino, mas pensados para uma aula somente, de
sentido micro.

O quadro abaixo exemplifica como se dá o planejamento e a organização do traba-


lho pedagógico:

Planejamento e Organização do Trabalho Pedagógico


PPP Planejamento
Planejamento Escolar Planejamento Curricular
do Docente
- Define a identidade da es- - Curriculo é um conjunto de - Planejamento de Ensino
cola experiências - Período Letivo
- Define tipos de sujeitos que - Conjunto de conteúdos - Processode Ensino e
queremos formar cognitivos e simbólicos Aprendizagem:
- É construído com apartici- - Contéudos advindos do - Componentes do P E
pação da comunidade esco- contexto social, articulados
lar - Plano de Aula
com os conteúdos acumula-
dos pela humanidade

RESUMINDO

→O ato de planejar é a previsão da prática docente. É definir os objetivos que se quer


alcançar. Por exemplo: que o aluno durante o processo aprenda os conteúdos
sistematizados, articulados com sua prática de vida, lembrando sempre em levar em
consideração o contexto social e cultural que o educando está inserido.

→ O ato de planejar é escolher as melhores metodologias que irão facilitar o processo


de ensino e aprendizagem, levando em consideração as necessidades individuais e do
grupo para que se tenha êxito na qualidade do ensinar e aprender. Por exemplo: rodas de
conversas, aulas expositivas dialogadas, lembrando que a aula expositiva dialogada não
é um modelo tradicional, visto que o diálogo existe na relação professor e aluno, aluno e
aluno.

→ O ato de planejar é selecionar os recursos, ou seja, quais materiais que vou utilizar
para realizar as atividades com os alunos. Por exemplo: materiais confeccionados pelos
próprios alunos, jogos pedagógicos, seminários e muitos outros recursos até mesmo fora
da sala de aula, visitas a museus, teatros, lembrando que o ato de ensinar e aprender vai
além dos muros da escola.

→ O ato de planejar requer que o professor defina como avaliar o educando, levando
em consideração suas singularidades, e a avaliação formativa. Exemplo: portfólios com
registros das atividades dos alunos.

8
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

O professor Celso Vasconcelos nos ajuda respondendo algumas perguntas sobre


planejamento, como:

Qual a relação entre o planejamento e o projeto político pedagógico?

Nesse processo de planejar as ações de ensino e aprendizagem existem diversos


produtos, como o projeto político pedagógico, o projeto curricular, o projeto de ensino e
aprendizagem ou o projeto didático, que podem ou não estar materializados em forma de
documentos. O ideal é que esteja. Quando falamos do planejamento anual das escolas,
temos como referência o projeto político pedagógico.

É possível fazer um planejamento sem conhecer projeto político pedagógico da escola?

Um projeto a escola sempre tem, mesmo que ele não esteja materializado em um
documento. Agora, o ideal é que esse projeto seja público e explicitado. Na hora do planeja-
mento anual ele deve ser usado como algo vivo, como um termômetro para toda a comu-
nidade escolar saber se o trabalho que está sendo planejado está se aproximando daqueles
ideais políticos e pedagógicos ou não.

ATENÇÃO!
O planejamento norteia a prática pedagógica, mas não é instrumento normativo, tam-
pouco deve ser burocrático, mecânico, rígido, neutro. Ao contrário, o planejamento tem
que ser uma ferramenta flexível, crítica, transformadora e responsável que observa a
realidade a sua volta, e com intencionalidade, dinamismo, compromisso paratornar suas
decisões e cumprir osobjetivos

PEGADINHA DE PROVA!
Ano 2017 Banca CESPEÓrgão: SEDF

O processo de ensino e aprendizagem exige planejamento, preparação e escolha


de caminhos metodológicos que visem à realização de uma ação educativa político-social
neutra.

ERRADO

Comentário da questão:

O planejamento não é neutro. O processo de planejamento não pode ser encarado


como uma técnica desvinculada da competência e do compromisso político do educador.
Além disso o ato de planejar não pode estar desvinculado da realidade do educando, onde
estão inseridos, levando em consideração suas histórias de vida, seus conhecimentos pré-
vios.

TOME NOTA!

9
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Importância do Planejamento
Agora que entendemos que o planejamento não é neutro, vamos compreender
melhor seus conceitos e a importância do planejamento. A ação docente e o sucesso escolar
do educando só têm êxito se houver um planejamento prévio da ação docente e do que será
feito durante o processo de ensino.

Planejamento é:

→ É reflexão

→ É processo mental

→ É abordagem teórica

→ É tomada de decisão

→ É previsão de uma ação

→ É intencionalidade

É reflexão porque visa refletir acerca do que se quer alcançar durante o processo
de ensino e aprendizagem, ou seja, alunos críticos reflexivos, capazes de transformar-se
individualmente e à sociedade na qual estão inseridos.

É processo mental porque precisa ser pensado coletivamente. Professor e aluno


fazem parte do processo de planejar, visto que esse processo mental precisa ser organizado
e sistematizado, passo a passo, levando em consideração para que ensinar, o que ensinar,
como ensinar, com o que ensinar e como avaliar.

É abordagem teórica porque para que se construa um planejamento é preciso levar


em consideração as concepções teóricas e suas contribuições na educação, com ênfase em
um modelo de planejamento emancipatório.

É tomada de decisão porque em se tratando de planejamento emancipatório é


importante valorizar um planejamento participativo, as intencionalidades da comunidade
escolar para com os educandos, para que posteriormente o professor possa elaborar seu
plano de ensino e de aula de acordo com o norte que foi abordado anteriormente, no
planejamento participativo escolar.

É previsão de uma ação porque para que haja resultados significativos, ou seja,
uma aprendizagem significativa. Vale ressaltar que a previsão da ação docente é primordial
no processo de ensinar e aprender, evitando improvisos, lembrando sempre que o
planejamento não é permanente, pode ser alterado ao decorrer do processo com vista a
promover uma aprendizagem significativa e de qualidade social.

É intencionalidade porque todo planejamento é intencional, não é neutro. Desse


modo todo planejamento visa alcançar um objetivo.Mas para isso precisa de um norte, uma
direção, por isso o ato de planejar é importante para o sucesso da comunidade escolar e
primordialmente para o educando.

1
0
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Nesse sentido, abordamos abaixo alguns objetivos do planejamento que mais caem
em prova.

Objetivos do Planejamento
• Resgatar a intencionalidade da ação educativa;

• Superar o caráter fragmentado das práticas educativas;

• Racionalizar os espaços e recursos para atingir os fins do processo educativo;

O que se pretende com o planejamento

Sucesso
escolar

Resultados Qualidade
Planejamento no ensino
positivos
e
aprendizagem

Escola de
qualidade
social

10
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Dimensões Técnicas e Políticas do Planejamento


Todo planejamento deve retratar a prática pedagógica da escola e do professor. No
entanto, a história da educação brasileira tem demonstrado que o planejamento educacio-
nal tem sido uma prática desvinculada da realidade social, marcada por uma ação mecâni-
ca, repetitiva e burocrática, contribuindo pouco para mudanças na qualidade da educação
escolar; por isso, faz-se necessário que você compreenda as duas dimensões que consti-
tuem o planejamento:

Dimensão política – toda ação humana é eminentemente uma ação política. O


planejamento não pode ser uma ação docente encarada como uma atividade neutra, des-
compromissada e ingênua. Mesmo quando o docente “não” planeja, ele traduz uma escolha
política. A ação de planejar é carregada de intencionalidades, por isso, o planejamento deve
ser uma ação pedagógica comprometida e consciente.

Dimensão técnica – o saber técnico é aquele que permite viabilizar a execução do


ensino, é o saber fazer a atividade profissional. No caso da prática do planejamento educa-
cional, o saber técnico determina a competência para organizar as ações que serão desen-
volvidas visando à aprendizagem dos alunos. Cabe ao professor saber fazer, elaborar,
organizar a prática docente. A dimensão técnica é a segunda aprendizagem: aprender a
fazer - para poder agir sobre o meio envolvente. A dimensão técnica do conhecimento é o
aprender (do aluno) a fazer fazendo. São momentos ou etapas do planejamento por ser uma
atividade de natureza prática.

Vamos ver como esse assunto cai em prova!

O processo de planejamento compreende duas dimensões técnica e política.

Comentário da Questão

CERTO. Como falamos, é importante saber que o planejamento tem suas intencionalidades,
objetivos, e visa alcançar um resultado, ou seja, o sucesso escolar dos estudantes. Visa
ainda melhorar a prática docente. Dessa forma o planejamento possui duas dimensões: a
política, toda ação humana é eminentemente uma ação política, mesmo quando o docente
“não” planeja, ele traduz uma escolha política; e a dimensão técnica do conhecimento, que
é o aprender do aluno a fazer fazendo, que diz respeito à ação, à prática do processo de
ensino e aprendizagem.

Agora vamos exercitar um pouco o que aprendemos!

11
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

SIMULADO 01
1. Planejar é sobretudo preencher formulários para o controle administrativo.

( ) CERTO ( ) ERRADO

2. O planejamento independe do nível de preparo e das condições socioculturais e indivi-


duais dos alunos

( ) CERTO ( ) ERRADO

3. O planejamento é um processo de racionalização e organização da ação docente.

( ) CERTO ( ) ERRADO

4. O planejamento diz respeito à função de formar o currículo em diferentes etapas.

( ) CERTO ( ) ERRADO

5. Planejamento do Currículo é o mesmo que planejamento de instrução.

( ) CERTO ( ) ERRADO

6. Os únicos níveis de organização da prática educativa que influenciam no planejamento


docente são o planejamento do professor e o planejamento escolar, que devem ser articu-
lados.

( ) CERTO ( ) ERRADO

7. Oacompanhamento do planejamento permite que se realizem alterações nasestratégias


ou ações previstas durante a execução paracorrigir o rumo do processo, visando o alcance
dos objetivos.

( ) CERTO ( ) ERRADO

8. Oplanejamento curricular é fruto deuma sucessão deetapas quevai desde asdefinições


adotadas pelo Ministério de Educação atéa realização do trabalho docente emsaladeaula.

( ) CERTO ( ) ERRADO

9. A prática educativa requer organização prévia por meio do planejamento das ações edu-
cativas e pedagógicas da escola. Uma vez estabelecido, esse planejamento educacional não
pode ser mudado, pois, constitui um documento formal.

( ) CERTO ( ) ERRADO

10. No processo de planejamento e organização do trabalho pedagógico, as ações estão cir-


cunstanciadas no âmbito dos vários elementos que compõem o universo escolar, devendo
ser dada importância máxima àquelas circunscritas à prática pedagógica do professor e à
sua formação.

( ) CERTO ( ) ERRADO

12
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

GABARITO COMENTADO
1 - ERRADO:

Planejar vai além de preencher formulários, planejar é intencionalidade, é previsão


da ação docente, visto que o ato de planejar deve ser posto em prática, para que o plane-
jamento não se torne algo apenas burocrático previsto para o controle administrativo da
atividade docente, visto que a teoria e a prática devem ser articuladas visando ao sucesso
escolar, que tem como foco o aluno e a aprendizagem.

2 - ERRADO:

Ao contrário, o planejamento depende do nível de preparo e das condições sócio-


culturais e individuais dos alunos. Falamos que o planejamento tem seus diferentes níveis e
etapas que vai desde o Planejamento Educacional até o Planejamento em sala de aula,
ambos estão articulados e se existe a ausência de um deles o processo de ensinar e
aprender se torna sem sucesso. Em se tratando das condições socioculturais dos alunos são
o ponto de partida para construir os conteúdos que serão incorporados no contexto escolar.

3 - CERTO:

A questão está de acordo com pensamento de Libânio, o qual defende que o pla-
nejamento não é neutro, é ato intencional, é preciso racionalizar a ação docente, organizar
em um processo sistemático, considerando o contexto social dos educandos, o tempo e
espaços escolares, e pensar em recursos dentro e fora da escola, pois a ação educativa vai
além dos muros da escola.

4 - CERTO:

O currículo deve ser formado em diferentes etapas, que vai das definições pelo
Ministério de Educação, Base Nacional Comum Curricular, Diretrizes Educacionais da Edu-
cação Básica às definições contidas na Proposta Pedagógica da Escola, o qual se
materializa no currículo, conteúdos que farão parte do processo de ensino e aprendizagem
de docentes e discentes.

5 - ERRADO:

Planejamento do currículo não é o mesmo que planejamento de instrução, visto


que essa concepção é de caráter de modelo tecnicista, de caráter burocrático, onde o ob-
jetivo é modelar o comportamento humano para o mercado de trabalho; professor e aluno
sãocumpridores de tarefa eos livros didáticos sãovistoscomomanuais de instrução na qual
o instrutor é o professor. Entretanto, o modelo que se adota hoje nas escolas públicas de
ensino é um modelo de educação progressista, emancipatória e transformadora defendida
por vários teóricos críticos como Paulo Freire, Makarenko, Manacorda, Miguel Arroyo e
Saviani com contribuições de Gramsci e Vygotsky. Por isso, o Planejamento não é neutro,
não tem caráter meramente de instrução, busca corrigir e inovar a prática docente,
professor e aluno contribuem no processo de planejar quando se trata de planejamento
de ensino.

13
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

6 - ERRADO:

Como falamos anteriormente, todos os planejamentos de ensino dependem um do


outro, todos os níveis de planejamento são articulados e devem obedecer sua ordem para
que o ensino e a aprendizagem se concretize significativamente. O plano de aula não pode
anteceder o plano de unidade didática, mais conhecido como plano de ensino ou plano de
curso, que deve ser para um determinado período letivo. Visto que o plano de aula é para
uma aula, primeiramente, precisamos pensar em um planejamento em sentido amplo,
educacional que vai desde o Plano Nacional de Educação construído pelo CNE - Conselho
Nacional de Educação, posteriormente pela Proposta Pedagógica, em seguida pelo Plano
Escolar, o Plano de Ensino e depois o Plano de Aula.

7 - CERTO:

O planejamento não é algo pronto, acabado, nem rígido, é flexível, visto que a flexibi
lidade ocorre quando é necessário fazer alterações no planejamento docente de ensino ou
de aula, para que se alcance os resultados esperados, visto que ao observar as necessidades
individuais e coletivas dos educandos vale considerar isso dentro do planejamento,
alterando como ensinar (estratégias) e com o que ensinar (recursos). Sendo assim, o
planejamento de ensino e de aula podem ser alterados com o objetivo de atingir o sucesso
do educando e da aprendizagem.

8 - CERTO:

Como vimos em outras questões, o planejamento respeita seus níveis, tipos e etapas
de planejamento, sendo seus tipos de planejamento o Educacional, o Escolar, o Curricular, o
de ensino (plano de unidade didática ou plano de curso) e o de aula. Com a falta de um deles
ocorre déficit no sucesso escolar.

9 - ERRADO:

A prática educativa requer sim a organização prévia por meio do planejamento das
ações didáticas e pedagógicas da escola (essa parte da questão está correta). Porém uma vez
estabelecido o planejamento, esse pode sim ser mudado. A questão diz que o planejamento
não pode ser alterado, que constitui um documento formal, rígido e acabado. Mas na
verdade o planejamento, como falamos, é flexível, é qualitativo e não quantitativo. Visa o
sucesso escolar do educando, da aprendizagem e da prática docente.

10 - ERRADO:

O professor não é o mais importante no universo escolar, visto que a ênfase é no


educando e na aprendizagem, segundo as DCNs para a Educação Básica.

14
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Agora que já conhecemos as concepções de planejamento, vamos entender melhor os


seus níveis de planejamento:

Níveis de Planejamento

15
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Planejamento Educacional em Nível Estratégico


O planejamento educacional consiste na tomada de decisões sobre a educação no
conjunto do desenvolvimento geral do país. O planejamento de um sistema educacional é
feito em nível sistêmico, isto é, em nível nacional, estadual e municipal. Consiste no proces-
so de análise e reflexão das várias facetas de um sistema educacional, para delimitar suas
dificuldades e prever alternativas de solução. O planejamento de um sistema educacional
reflete a política de educação adotada (HAYDT, 2006, p. 95).

O planejamento Educacional contém as intenções e estratégias de cada governo


para o enfrentamento das questões de acesso e permanência, com sucesso, dos alunos no
sistema educacional, em especial no sistema público de ensino. De acordo com Horta (1991),
o planejamento educacional constitui uma forma específica de intervenção do Estado em
educação, que se relaciona, de diferentes maneiras, historicamente condicionadas, com as
outras formas de intervenção do Estado em educação (legislação e educação pública),
visando à implantação de uma determinada política educacional do Estado, estabelecida
com a finalidade de levar o sistema educacional a cumprir funções que lhe são atribuídas
enquanto instrumento deste mesmo Estado.

Assim o planejamento educacional consiste, segundo Luckesi (2005, p.112), num


processo de abordagem racional e científica dos problemas de educação, incluindo a de-
finição de prioridades e levando em conta a relação entre os diversos níveis do contexto
educacional, a exemplo de Planejamento Educacional no Brasil, adotados pelo Plano
Nacional de Educação, no qual foram definidas 10 diretrizes, 20 metas e 254 estratégias com
o objetivo de melhorar o acesso, a permanência e a qualidade social da educação. Sendo
assim, o Plano Nacional de Educação (PNE) é uma ferramenta de planejamento de nível
estratégico que orienta a execução e o aprimoramento eficaz de políticas públicas no âmbito
da educação em todo território brasileiro.

Planejamento Escolar em nível Operacional


O Planejamento Escolar corresponde às ações sobre o funcionamento administra-
tivo e pedagógico da escola. Nesse sentido, este planejamento necessita da participação do
conjunto da comunidade escolar. Nos dias atuais, em que o trabalho pedagógico tem sido
solicitado em forma de projeto, o planejamento escolar pode estar contido no Projeto Político
Pedagógico (PPP). É importante lembrar que o modelo que se adota hoje pelas escolas
públicas é o modelo de Planejamento Participativo, emancipatório. Assim, todos fazem parte
da tomada de decisões na escola, definem a identidade da escola, resgatam suas histórias,
seus valores e definem que tipo de cidadão querem formar, com vista à descentralização de
poderes, uma vez que todos fazem parte da tomada de decisão. Dentro do Planejamento
Escolar que pode ser materializado no PPP chamado pela maioria dos autores de Proposta
Pedagógica, temos um modelo de planejamento chamado Planejamento Participativo.
Como já vimos toda a comunidade escolar participa da elaboração da Proposta Pedagógica.
Contudo, não existe somente uma perspectiva na elaboração do PPP, além da perspectiva
emancipatória, que falamos anteriormente com vista a participação de todos. Temos
também o estratégico empresarial. Vamos diferenciar essas duas perspectivas em um
quadro resumo.

16
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Planejamento de Ensino e de Aula em Nível Operacional


Como falamos, o nível operacional é voltado para a prática em sala de aula, é o
planejamento docente dos objetivos, conteúdos, procedimentos\metodológicos,
recursos e a avaliação que será usada nesse processo. É o momento de colocar em
prática todos os planejamentos abordados anteriormente.

Onde podemos encontrar o nível tático de planejamento?

O planejamento de nível tático envolve a empresa como uma totalidade, abrangen-


do todos os recursos e todas as áreas de atividade. Promove ações de nível intermediário
que envolve a organização de forma integral, ou seja, está relacionado a um departamento
ou a uma área específica. Assim, com base em uma visão por unidades de negócios ou
departamentos, com foco no médio prazo, as definições dos objetivos e resultados são bem
específicos.

No que se refere ao planejamento na área da educação podemos citar como


exemplo as secretárias de educação, que são de um departamento específico ou uma área
específica, sendo seus objetivos específicos definidos para aquela unidade que visa atender
às necessidades de suas unidades de ensino em nível intermediário, sendo o planejamento
elaborado em um departamento, pelos diretores, englobando a organização como um todo
e sua interação com o ambiente é caracterizado como de nível tático. Lembre-se! Se a
questão abordar que o planejamento é elaborado dentro de um departamento ou empresa
e que seus objetos são definidos em caráter específico, pode-se dizer que essas definições
correspondem ao nível tático de planejamento.

Algumas palavras podem te ajudar a separar as definições e características de cada


um dos níveis de planejamento. Em se tratando do nível estratégico, se refere a um nível
pensado para longo prazo, é macro, é amplo. A exemplo, no Brasil temos o PNE (Plano
Nacional de Educação). Já em se tratando do nível tático, se refere a um nível pensado em
objetivos específicos definidos dentro de um departamento, por exemplo: as secretárias de
educação dos estados e municípios e do Distrito Federal. Por último temos o nível
operacional que se refere ao planejamento realizado nas instituições de ensino e pelo
docente, por exemplo: o PPP, o plano de ensino e planos de aula.

Vamos testar seus conhecimentos sobre níveis de planejamento!

17
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

SIMULADO 02
1 - CESPE- UNIPAMPA- PEDAGOGO – 2013: O planejamento operacional trata cada aspecto
isoladamente eenfatiza atécnica eosinstrumentos, com ofoconaeficiência enaexecução
com vistas a soluções de problemas.
( ) CERTO ( ) ERRADO

2 - CESPE- DETRAN– DF PEDAGOGO– 2009: Onívelestratégico de umprocessodepla-


nejamento está relacionado a um departamento ou a uma área específicos.
( ) CERTO ( ) ERRADO

3 - CESPE- DETRAN- DF – PEDAGOGO – 2009: O nível estratégico de planejamento de um


processo de planejamento pressupõe um grau reduzido de incerteza.
( ) CERTO ( ) ERRADO

4 - CESPE - CEBRASPE – ANALISTA – ARÉA ADMINISTRATIVA- 2019: Cabe ao planejamento


tático prever ações de longo prazo que envolvam a organização de forma integral.
( ) CERTO ( ) ERRADO

5 - CESPE - DETRAN- DF – PEDAGOGO – 2009: No nível estratégico de planejamento se


estabelece a missão de uma instituição.
( ) CERTO ( ) ERRADO

6 - IADES - FUNDAÇÃO HEMOCENTRO DE BRASILIA – TÉCNICO DE RADIOLOGIA- 2017: O


planejamento estratégico apresenta maior flexibilidade que o planejamento tático, além de
apresentar menores riscos.
( ) CERTO ( ) ERRADO

7 - (IADES- 2017): Existe uma diferenciação na dimensão temporal do processo de planeja-


mento estratégico e de planejamento tático, já que o horizonte do planejamento estratégi-
co é sempre maior que o do planejamento tático.
( ) CERTO ( ) ERRADO

8 - INAIZ DO PARÁ – CREFITO 16º REGIÃO – ADMINISTRADOR- 2018: O planejamento


operacional aborda a organização como um todo, facilitando, dessa forma, que todos os
colaboradores possam visualizar as futuras ações.
( ) CERTO ( ) ERRADO

9- UFPR–PREF,DEALMIRANTETAMANDARÉ– PR- PEDAGOGO– 2015:


Háumahierarquia
do planejamento, dada em três níveis distintos: superior (estratégico), intermediário ( tático)
e inferior (operacional).
( ) CERTO ( ) ERRADO

10 - CESPE – TJ – DFT – PEDAGOGO – 2017: As decisões estabelecidas no nível operacional


sãoeminentemente de dimensão técnica, enquanto, no nível estratégico, elas são de cunho
político social.
( ) CERTO ( ) ERRADO

18
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

GABARITO COMENTADO

1 - CERTO:

O planejamento operacional trata cada aspecto isoladamente, pensado para as ações


que ocorrem em sala de aula e dentro dos espações escolares ou não, com foco na eficiên-
cia e na execução que se dá nos espaços educacionais com vista a soluções de problemas.

2 - ERRADO:

O nível de um processo de planejamento que está relacionado a um departa- mento


ou a uma área específica é o nível tático e não o nível operacional como aborda a questão.

3 - ERRADO:

Em se tratando do nível estratégico de planejamento não pressupõe um grau redu-


zido de incertezas, pois possuem objetivos mais amplos, gerais, pensados para todos os
sistemas deensino. Abordadiretrizes, metaseestratégias pensadasparaolongo prazo.

4 - ERRADO:

O planejamento tático é de nível intermediário, ou seja, médio prazo, e não de longo


prazocomo diz a questão. Esse se refere aoplanejamento estratégico o qual é mais macro,
sendo sua organização de forma integral pensada para alcançar metas, diretrizes e
estratégias para todos os sistemas de ensino.

5 - CERTO:

Exatamente no nível estratégico de planejamento se estabelece a missão da insti-


tuição.

6 - ERRADO:

O planejamento estratégico não apresenta maior flexibilidade e nem apresentar me-


nores riscos, visto que possuem metas que precisam ser executadas e alcançadas em deter-
minado período, ou seja, as metas são quantificáveis e possuem tempo para serem alcança-
das, portanto não são flexíveis. Seu tempo de alcance dos resultados são pré- estabelecidos,
por isso não são flexíveis como os demais níveis de planejamento.

7 - CERTO:

O horizonte do planejamento estratégico é sempre maior que o do planejamento


tático, sendo o estratégico pensado para longo prazo, como por exemplo o PNE de validade
decenal\plurianual pensado para 10 anos, enquanto que o tático é de nível médio,
intermediário.

8 - ERRADO:

O planejamento operacional não aborda a organização como todo, facilitando, des-


sa forma, que todos os colaboradores possam visualizar as futuras ações essas característi-

19
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

cas se referem ao nível mais amplo de planejamento, o qual é definidfo como sendo o
estratégico.

9 - CERTO:

Osníveisdeplanejamentoobedecemseus graus deexecução, sendooestratégicoo


primeiro nível, que é amplo, cujo horizonte é sempre maior. O planejamento estratégico
não é flexível pois visa alcançar as metas em determinado período. Em segundo plano
aborda-se o nível tático, que é tido como de nível intermediário, sendo materializados
dentro dos departamentos\empresas. Comoexemplotemos as secretárias de educação.
Em último plano temos o planejamento operacional o qual é estabelecido nas instituições
de ensino epelos docentes, sendo eles o PPP, oplano deensino e o plano de aula.

10 - CERTA:

As decisões estabelecidas no nível operacional são eminentemente de dimensão


técnica, ou seja, o saber técnico é aquele que permite viabilizar a execução do ensino, é o
saber fazer a atividade profissional. O saber técnico determina a competência para organizar
as ações que serão desenvolvidas, visando à aprendizagem dos alunos. Cabe ao professor
saber fazer, elaborar, organizar a prática docente. Em se tratando do nível estratégico, as
decisões possuem um caráter de cunho político-social, o que quer dizer que toda ação
humana é política, ou seja, a ação de planejar é carregada de intencionalidades, por isso
esse nível possui, diretrizes, metas e estratégias bem definidas, carregadas de
intencionalidades para alcançar resultados para uma sociedade como um todo.

ANOTAÇÕES

20
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Planejamento Participativo perspectiva do Projeto Político Pedagógico


Em se tratando da perspectiva de planejamento participativo (emancipatório) é o
processo que envolve a organização dotrabalho em grupo de umainstituição escolar. Tam-
bém tem como base o trabalho coletivo, com o objetivo de solucionar os problemas
comuns existentes no meio social. Nesse processo as pessoas envolvidas decidem,
discutem, refletem e questionam, ou seja, elas realmente participam e possuem um papel
transformador.

É interessante você saber que o planejamento participativo foi construído para gru-
pos e instituições cujo objetivo NÃO era o lucro e sim a transformação e construção da re-
alidade social. Nesse sentido ele envolve os atores do ambiente, transformando a realidade
a partir da participação, análise e reflexão detodos.

“A participação, sem seu sentido pleno caracteriza-se por uma força de atuação
consciente, pelo qual os membros de uma unidade social reconhecem e assumem seu po-
der de exercer influência na determinação da dinâmica dessa unidade social, de sua cultura
e de seus resultados, poder esse resultante de sua competência e vontade de compreender,
decidir e agir em torno de questões afetivas”. (LÜCK, 1996, p.18).

Sendo assim, o principal benefício desse tipo de planejamento não é o resultado


final e sim o desenvolvimento de todo o processo. Contemplar os diferentes olhares dentro
da realidade escolar permite a criação de vínculos entre pais, alunos, professores e funcio-
nários. Proporcionar um debate democrático auxilia na elaboração de critérios coletivos na
orientação do processo de planejamento, agregando significados comuns aos diferentes
agentes educacionais, colaborando comaidentificação dessescomo trabalho realizado na
escola. Quandonãoexiste aparticipação, ocorreafragmentaçãodessesdiferentes olhares
sobre a escola.

Perspectivas na Construção do Projeto Político Pedagógico

Estratégico Empresarial PPP Emancipatório

Possui um currículo homogêneo Visa a superação de conflitos

Visa eliminar conflitos É heterogêneo

Visa a centralização de poder Visa a descentralização de poder

21
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

PEGADINHA DE PROVA!

O Planejamento participativo visa a centralização de poder, visto que o poder de


decisão cabe exclusivamente aos gestores.

Comentário da questão:

22
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Fases do planejamento participativo


De acordo com Ferreira (1979), podemos identificar três fases doprocesso decons-
trução, dentro do planejamento participativo:

→ A preparação do plano escolar,

→ O acompanhamento da execução das operações pensadas no plano escolar,

→ A revisão de todo o processo.

Podemos dizer que o planejamento pode ser visto como um processo ininterrupto de
planejar, acompanhar, avaliar e replanejar, tendo como papel principal transformar uma
dada realidade. Desse modo, para a elaboração de um planejamento participativo, A ideia é
que todos possam crescer juntos, transformando a realidade de forma coordenada.

Sendo assim, professores, pais, alunos e todos os envolvidos no ambiente escolar


participam, articulando teoria e prática, produzindo assim novos conhecimentos a partir da
realidade local. Lembramos que a ação de planejar não pode ser neutra.

Ganhos com o Planejamento Participativo


→ Quando há oportunidade para todos participarem, abre-se também um leque
de oportunidades com diferentes experiências e olhares sobre o assunto que está sendo
abordado.

→ Amplia-se a capacidade de ação juntamente com a de resolução de problemas,


que serão discutidos a partir de vários pontos de vista.

→ Permite reunir ideias, dividir opiniões e compartilhar probabilidades, não dei-


xando que situações estáticas e engessadas perdurem, fazendo com que haja transforma-
ção e um trabalho com maior qualidade.

Vamos ver como isso cai em prova!

Teste seus conhecimentos.

23
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

SIMULADO 03
1 - Ano: 2017 Banca: CESPE Órgão: SEDF Prova: Técnico de Gestão Educacional

A respeito do planejamento participativo, julgue o próximo item.

O planejamento participativo contribui para que os envolvidos se sintam corresponsáveis


pelo que acontece na escola.

( ) CERTO

( ) ERRADO

2 - Ano: 2017 Banca: CESPE Órgão: SEDF Prova: Técnico de Gestão Educacional – Secre-
tário Escolar

A respeito do planejamento participativo, julgue o próximo item.

Os sujeitos do planejamento participativo integram o objeto sobre o qual se propõem a re-


fletir e sua participação torna-os mais sensíveis para com as necessidades da escola.

( ) CERTO

( ) ERRADO

3 - Ano: 2017 Banca: CESPE Órgão: SEDF Prova: Técnico de Gestão Educacional – Secre-
tário Escolar

A respeito do planejamento participativo, julgue o próximo item.

Ao criar espaços para discussão de conflitos e dificuldades, o planejamento participativo


impacta negativamente a gestão escolar porque levanta problemas para os gestores educa-
cionais, sobrecarregando-os.

( ) CERTO

( ) ERRADO

4 - Ano: 2017 Banca: CESPE Órgão: SEDF Prova: Técnico de Gestão Educacional – Secre-
tário Escolar

A respeito do planejamento participativo, julgue o próximo item.

Estruturar um processo de planejamento participativo demanda descrever perfis de par-


ticipação, definir a quantidade de participantes, organizar um plano de reuniões e impor
formas de controle e de avaliação.

( ) CERTO

( ) ERRADO

24
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

5 - TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS CESPE

Acerca do planejamento participativo, julgue o item a seguir.

O acompanhamento do planejamento permite que se realizem alterações nas estratégias ou


ações previstas durante a execução para corrigir o rumo do processo, visando o alcance dos
objetivos.

( ) CERTO

( ) ERRADO

6. ANO:2019 BANCA: IF SUL RIO-GRANDENSE:


Marcelo Soares Pereira da Silva no seu tex- to – Planejamento: concepções – aponta que o
planejamento participativo não possui um caráter meramente técnico e instrumental. Parte
de uma leitura de mundo crítica e aponta para a construção coletiva da escola e da própria
sociedade.

O planejamento participativo traz, segundo o autor, duas dimensões fundamentais:

A- O trabalho coletivo e o compromisso com objetivos e metas.

B- O trabalho intermitente e o compromisso com objetivos e metas.

C- O trabalho coletivo e o compromisso com a transformação social.

D- O trabalho intermitente e o compromisso com a transformação social.

7 - ANO:2013 BANCA CESPE ORGÃO: CNJ:


A convivência harmoniosa entre os membros de uma comunidade escolar constitui um
princípio de planejamento participativo.

( ) CERTO

( ) ERRADO

8 - QUADRIX- 2018 – SEDF– PROFESSORSUBSTITUTO– ATIVIDADES:


A efetivação do Projeto Político Pedagógico da escola dá-se por meio da organização do currículo no
contexto educacional. Para que isso seja possível, se faz necessária a prática do planejamento em seus
diferentes níveis. Acerca desse tema, julgue o próximo item.

O planejamento participativo requer uma integração entre a escola e a comunidade na qual


ela está inserida, tendo como fundamento a prática democrática.

( ) CERTO

( ) ERRADO

25
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

9 - QUADRIX- 2018 – SEDF – PROFESSOR SUBSTITUTO – ATIVIDADES

(Adaptada)

O planejamento participativo independe do projeto político pedagógico.

( ) CERTO

( ) ERRADO

10 - SELECON – 2018- PREFEITURA DE CUIABÁ – MT - PROFESSOR – PEDAGOGO

Na perspectiva emancipatória o PPP preocupa-se em instaurar uma forma de organização


do trabalho pedagógico que supere os conflitos, buscando eliminar as relações competiti-
vas, corporativas e autoritárias.

( ) CERTO

( ) ERRADO

11 - SELECON – 2018- PREFEITURA DE CUIABÁ – MT - PROFESSOR – PEDAGOGO

Na implementação do PPP, a tendência emancipatória é ade eliminação dos conflitos entre


indivíduos ou grupos para garantia da sua eficiência e eficácia.

( ) CERTO

( ) ERRADO

12 - CESPE – 2010 – ABIN – OFICIAL TÉCNICO DE INTELIGÊNCIA – ÁREA PEDAGOGIA

Julgue os itens a seguir, relativos a Projeto Político Pedagógico, que, nas empresas pode
ser considerado processo de permanente reflexão e discussão a respeito dos problemas da
organização, com o propósito de propor soluções que viabilizem a efetivação dos objetivos
almejados.

A lógica estratégica e a visão emancipatória, perspectivas que podem orientar a construção


de projetos político pedagógicos em ambientes escolares ou corporativos, não afetam a
essência desses projetos.

( ) CERTO

( ) ERRADO

26
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

GABARITO COMENTADO

1 - CERTO

Esta ação faz com que todos os participantes sejam responsáveis pelo desenvolvimento do
planejamento.

2 - CERTO

Quando há oportunidade para todos os sujeitos participarem, abre-se também um leque


de oportunidades com diferentes experiências e olhares sobre o assunto que está sendo
abordado

3 - ERRADO

Esta é uma perspectiva errada sobre o planejamento participativo. Os gestores devem pro-
porcionar a participação dos demais nas decisões a serem tomadas visando sempre um
melhor desenvolvimento do trabalho educativo.

4 - ERRADO

O planejamento participativo não visa impor formas de controle e de avaliação, e sim propor,
sugerir, fazer levantamentos de formas de controle e de avaliação, visto que a perspectiva
participativa visa a opinião de todos os envolvidos no processo de tomada de decisão. Por
isso a palavra impor deixou o item errado, deixou essa perspectiva com caráter hierárquico,
poder de decisão centralizado em uma única pessoa, o que não é a concepção de
planejamento participativo e sim estratégico doempresarial.

5 - CERTO

O planejamento é flexível! É um processo contínuo de planejar, acompanhar, avaliar e repla-


nejar, tendo como função transformar uma dada realidade.

6 - LETRA C

A visão de mundo crítica faz com que a educação seja vista em uma perspectiva de trans-
formação social, sendo assim o planejamento participativo visa uma construção coletiva,
ou seja, trabalho coletivo.

7 - ERRADO

Falamos que quem deseja eliminar conflitos é a perspectiva estratégico empresarial de PPP,
ou seja visa a convivência harmoniosa entre os membros, visando a manutenção, em con-
traposição a perspectiva emancipatória participativa que visa desvelar os conflitos em uma
visão crítica para depois superá-los, ou seja desvelar conflitos, visando a transformação
social.

27
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

8 - CERTO

Oplanejamento participativo requer a participação não sóda equipe pedagógica, mas tam-
bém dos pais, alunos, órgãos colegiados, ou seja, toda a comunidade escolar é envolvida
no processo de tomada de decisões. Para que o PPP seja emancipatório participativo é
necessária a participação detodos.

9 - ERRADO

O planejamento participativo, ao contrário do que diz a questão, depende do Projeto Políti-


co Pedagógico, pois é noplanejamento participativo quese elabora a proposta pedagógica
da escola.

10 - CERTO

A perspectiva emancipatória de elaboração do PPP é exatamente desvelar conflitos para


depois superar esses conflitos e não simplesmente eliminá-los como na perspectiva estra-
tégico empresarial.

11 - ERRADO

Como falamos na questão anterior, o PPP emancipatório visa superar conflitos. A


perspectiva que visa eliminar os conflitos é a estratégico empresarial.

12 - CERTO

A lógica emancipatória orienta a construção de projetos político pedagógicos em ambien-


tes escolares ou corporativos e não afetam a essência desses projetos, pelo contrário, visa
com a participação coletiva superar os conflitos existente, seja no ambiente escolar ou cor-
porativo.

28
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Projeto Político Pedagógico ou PropostaPedagógica

Agora que entendemos melhor o que é um Planejamento Participativo dentro do


Planejamento Escolar, o qual é o segundo tipo de planejamento, vamos entender mais sobre
o Projeto Político Pedagógico que é construído na perspectiva de planejamento participativo.

Projeto Político Pedagógico como é chamado pela maioria dos autores educacio-
nais ou Proposta Pedagógica como é chamado pela maioria das legislações brasileira, como
a LDB, sendo os dois termos de significados iguais. Leve os dois termos para certar questões
em sua prova! Nesse sentido o PPP é o projeto responsável por juntar as atividades e
procedimentos a serem realizados durante um determinado período. Por isso ele é
construído e vivenciado em todos os momentos, por todos os envolvidos com o processo
educativo da escola.

O Significado das Palavras Projeto Político Pedagógico

→ É projeto porque busca um rumo, uma direção, ou seja, um ato intencional,


com sentido explícito.

→É político pois aescola éumlugar de formaçãoconsciente, responsáveisecrí-


ticos, que atuarão individual e coletivamente na sociedade, modificando os rumos que se-
guirá, no sentido de compromisso com a formação do cidadão para um tipo de sociedade.

→ É pedagógico porque estrutura as atividades e projetos necessários ao proces-


so de aprendizagem e ao bom relacionamento entre escola e comunidade.

Por isso, todo projeto pedagógico daescola é, também, umprojeto político por estar
intimamente articulado ao compromisso sociopolítico com os interesses reais e coletivos
da população majoritária.

29
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

O que diz a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) sobre o PPP

Os estabelecimentos de ensino, Os docentes incumbir-se-ão de:


respeitadas as normas comuns e
as do seu sistema de ensino, terão I - participar da elaboração da
a incumbência de: proposta pedagógica do
estabelecimento de ensino;
I - elaborar e executar sua
proposta pedagógica;

Os sistemas de ensino definirão as normas de gestão democrática do ensino


público na educação básica, de acordo com as suas peculiaridades e con-
forme os seguintes princípios:

I - Participação dos profissionais de educação na elaboração do projeto pe-


dagógico da escola.

Na LDB, destacam-se três grandes eixos diretamente relacionados à construção do


projeto pedagógico para a melhoria da qualidade de ensino. Dentre eles podemos destacar:

Flexibilidade: vincula-se à autonomia, possibilitando à escola organizar o seu pró-


prio trabalho pedagógico.

Avaliação: reforça um aspecto importante a ser observado nos vários níveis do en-
sino (Artigo 9º, inciso VI).

Liberdade: expressa-se no âmbito do pluralismo de ideias e de concepções pedagó-


gicas (Artigo 3º, inciso III) e da proposta de gestão democrática do ensino publico (Artigo 3º,
inciso VIII), a ser definida em cada sistema de ensino.

De acordo com o Artigo da Autora Hilma Passos Veiga, o PPP possui cinco princípios
basilares para a construção desse planejamento participativo:

→ IGUALDADE
→ LIBERDADE
→ QUALIDADE
→ GESTÃO DEMOCRÁTICA
→ VALORIZAÇÃO DO MAGISTÉRIO

30
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Se você conseguir gravar essas palavras vai conseguir identificar quais e o que sig-
nifica os princípios do PPP. Vamos entender cada um deles abaixo.

IGUALDADE

De condições para acesso e permanência na escola, princípio esse expresso também


na LDB artº 3.

LIBERDADE

É um principio expresso na LDB assim como a gestão democrática e está associada à


ideia de autonomia. Assim, a liberdade deve ser considerada também como liberdade para
aprender, ensinar, pesquisar e divulgar a arte e o saber direcionados para uma
intencionalidade definida coletivamente..

QUALIDADE

A qualidade do ensino. Segundo as DCNs uma escola de qualidade social visa a não
retenção, evasão e distorção ano e série. Ou seja, uma escola de qualidade social alcança
o acesso e permanência dos alunos na escola.

GESTÃO DEMOCRÁTICA

Busca a participação de toda a comunidade escolar, através dos pais, gestores,


orientadores, coordenadores, órgãos colegiados. Juntos vão superar os conflitos existentes
na comunidade escolar.

VALORIZAÇÃO DO MAGISTÉRIO

Se vincula a formação continuada dos docentes, com o objetivo de continuação de


seus estudos para que possam aperfeiçoar sua prática docente, seus saberes didáticos aca-
dêmicos, em articulação com a teoria e prática.

O Projeto Político Pedagógico e suas Dimensões

O projeto Político Pedagógico é definido pelas escolas e possuem quatro dimensões


de suas autonomias.

PEDAGOGICA ADMINISTRATIVA

Suas ações são definidas de acor- Se refere a organização como um


do com a necessidade do ensino e todo da escola e suas formas de
aprendizagem. funcionamento.

31
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

FINANCEIRA JURÍDICA

A escola possui autonomia para Para que a escola funcione é ne-


administrar seus recursos que fo- cessário verificar as normais e as
ram recebidos. legislações.

DIMENSÃO POLÍTICA

Toda ação humana é politica e intencional.O planejamento não pode ser uma ação
docente neutra, sem compromisso. Mesmo quando o docente não planeja, ele traduz al-
gum tipo de escolha política. A ação de planejar é carregada de intencionalidade, por isso, o
planejamento deve ser uma ação pedagógica comprometida e deve haver conscientização.

DIMENSÃO PEDAGÓGICA

Se refere ao ensino e aprendizagem, às práticas docentes. É o saber fazer a atividade


profissional. Em se tratando da prática educacional, o saber técnico metodologogico
determina a competência para organizar as ações que serão desenvolvidas visando à
aprendizagem dos alunos. Nesse momento, cabe ao professor saber fazer, elaborar,
organizar a prática docente.

Vamos revisar o que aprendemos sobre as perspectivas do PPP.

Empresarial Emancipatória

Visa a centralização de poder; Visa a descentralização de poderes;

Tem cárater normativo estabelecidas Considera as especificidades dos sujei-


por poderes de nível superior; tos;

Nãoexiste umprocessodeprodução co- Busca a dialogicidade;


letiva;
É articulado com o PPP da escola;
Preocupa-se mais com o produto do que
com o processo; A unicidade entre a dimensão técnica e
política é essencial;
O trabalho coletivo não tem vez.
Articulação escolar com a família e co-
munidade;

O trabalho pedagógico é coletivo.

32
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

PEGADINHA DE PROVA!
CESPE-2011- SAEB-BA

Na elaboração do projeto político pedagógico, a cargo de gestores e professores,


devem ser consideradas tanto as necessidades dos alunos quanto as de promoção do en-
volvimento de todos na melhoria da qualidade da educação.

ERRADO

Comentário da Questão

O erro se encontra em a cargo de gestores e professores, ou seja, a elaboração do


PPP não fica a cargo desses dois profissionais. Uma vez que a construção do PPP da escola
pública é promordial à participação coletiva, visto que existe uma descentralização de
poderes, todos fazem parte do processo de tomadas de decisões, escolhas, metas e
objetivos que se quer alcançar.

O que Hilma Passos Veiga fala sobre PPP em seu Artigo

Para que se concretize as intencionalidades da comunidade escolar para o tipo de


aluno se quer formar e resgatar a identidade da escola, é necessário abordar 7 elementos
necessários para a concretização dos objetivos educacionais, sendo eles listados abaixo:

→ Finalidades

→ Estrutura Organizacional

→ Currículo

→ Tempo Escolar

→ Processo de Decisão

→ Relações de Trabalho

→ Avaliação

Lembre-se sempre dessas palavras para que você se lembre também como esses
elementos são convertidos em ação para o alcance da realização do PPP.

Agora vamos explicá-los abaixo:

33
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

1. FINALIDADES

Se refere aos objetivos, o que se quer alcançar, ou seja, os resultados, nos quais se
incluem o sucesso escolar, o ensino e a aprendizagem.

2. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

A instituição escolar não pode ser descompromissada e nem bagunçada, suas ações
são voltadas a uma prática compromissada, por isso sua estrutura é organizada.

3. CURRÍCULO

Se materializa no Projeto Político Pedagógico e são articulados aos conteúdos


cognitivos e ao conjunto de experiências. Por isso na construção do PPP deve ser
considerada a articulação desses conteúdos.

4. TEMPO ESCOLAR

Para que o que está escrito no PPP seja concretizado através de ações pedagógicas é
preciso administrar os tempos escolares, lembrando sempre que o planejamento é flexível.

5. PROCESSO DE DECISÃO

No PPP emancipatório existe a descentralização de poderes. Ou seja, a tomada de


decisões é de todos, os envolvidos desvelam conflitos existentes na instituição de ensino para
que posteriormente possam juntos enfrentar esses conflitos.

6. RELAÇÕES DE TRABALHO

As relações de trabalhos devem possuir caráter cooperativos. Em toda a


comunidade as relações de trabalhos não devem ser autoritárias. É possível que todos
expressem suas opiniões com a intenção de melhorar a organização do trabalho
pedagógico.

7. AVALIAÇÃO

A avaliação é um ato complexo mas também dinâmico. Deve estar de acordo com a
avaliação prevista no projeto político pedagógico. Imprime uma direção às ações dos
docentes e alunos.

34
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Vamos entender como se dá a Elaboração e Execução do PPP, em se tratando dos


marcos que foram citados no processo de avaliação como elemento de ação do PPP.

MARCO SITUACIONAL

Visa responder a seguinte pergun-


ta:

Onde estamos?

MARCO CONCEITUAL

Em que concepção teórico meto-


dológica iremos nos embasar?

MARCO OPERACIONAL

Onde queremos chegar?

O que queremos alcançar?

Quais resultados queremos alme-


jar?

Veiga e Carvalho afirmam que:

O grande desafio da escola, ao construir sua autonomia, deixan- do


de lado seu papel de mera “repetidora” de programas de “treinamento”, é ou- sar
assumir o papel predominante na formação dos profissionais. (1994, p. 50)

35
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Mapa Mental Projeto Político Pedagógico

é construído

Dimensão pedagógica

O que não pode ser feito:


Dimensão Política

É Politico: intencional

É Pedagógico: ensino e
aprendizagem

36
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

SIMULADO 04
1. SELECON – 2018- Prefeitura de Cuiabá -MT – Professor Pedagogo
Segundo Veiga (2007), há vários caminhos para a construção do projeto político pedagógi-
co e a autora enfatiza os movimentos do processo de construção do projeto, marcado por
três atos distintos e interdependentes – ato situacional, ato conceitual, ato operacional.
Quanto ao ato conceitual, pode-se afirmar que diz respeito à concepção de sociedade,
homem, educação, escola, currículo, ensino, aprendizagem.
( ) CERTO ( ) ERRADO

2. SELECON – 2018- Prefeitura de Cuiabá -MT – Professor Pedagogo


Segundo Veiga (1996) “O projeto político pedagógico, ao se construir em processo demo-
crático de decisões deve ser construído primeiro pelos gestores da escola.
( ) CERTO ( ) ERRADO

3. SELECON – 2018- Prefeitura de Cuiabá -MT – Professor Pedagogo


Na perspectiva emancipatória o PPP preocupa-se em instaurar uma forma de organização
do trabalho pedagógico que supere conflitos, buscando eliminar as relações competitivas,
corporativas e autoritárias.
( ) CERTO ( ) ERRADO

4. CESPE – 2008- TJ – DFT – Analista Judiciário – Pedagogia


Na implementação do PPP, a tendência emancipatória é a eliminação dos conflitos entre
indivíduos ou grupos para garantia da sua eficiência e eficácia.
( ) CERTO ( ) ERRADO

5. CESPE – 2011 - Correios – Analista de Correios- Pedagogo

A respeito do projeto político pedagógico (PPP), julgue os itens a seguir.


O PPP caracteriza-se por ser um documento estritamente administrativo, no qual devem
estar expressos os objetivos de aprendizagem, as metas das instituições educativas bem
como os métodos pedagógicos para o cumprimento do currículo.
( ) CERTO ( ) ERRADO

6. CESPE – 2011- Correios – Analista de Correios – Pedagogo

A respeito do projeto político pedagógico (PPP), julgue os itens a seguir.

A elaboração do PPP compete aos gestores públicos, que devem observar não só a legislação
educacional vigente, mas também as aspirações da sociedade contemporânea, no
estabelecimento das concepções pedagógicas que fundamentarão as ações educacionais,
de cuja execução devem participar apenas os profissionais das instituições educativas.
( ) CERTO ( ) ERRADO

37
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

7. CESGRANRIO – 2010 – Prefeitura de Salvador – BA – Coordenador Pedagógico – Adap-


tada

O Projeto Político-Pedagógico é um instrumento teórico-metodológico que representa o


ideário de uma instituição de ensino, tendo como característica a participação coletiva. A
construção do Projeto Político-Pedagógico deverá incluir a participação de todos os sujei-
tos da escola nas etapas de elaboração, execução e avaliação.

( ) CERTO ( ) ERRADO

8. CESPE – 2011 – SAEB – BA – Todos os cargos – Ed. Física, Arte, Português, Inglês e Es-
panhol.

O projeto político-pedagógico resulta do agrupamento de diversos planos de ensino e ati-


vidades orientadoras das ações sistemáticas de professores, gestores e alunos.

( ) CERTO ( ) ERRADO

9. CESPE – 2011 – SAEB – BA – Todos os cargos – Ed. Física, Arte, Português, Inglês e Es-
panhol.

Na elaboração do projeto político-pedagógico, a cargo de gestores e professores, devem ser


considerados tanto as necessidades dos alunos, quanto as da comunidade a que a escola
pertence, como forma de promoção do desenvolvimento de todos na melhoria da qualida-
de da educação.

( ) CERTO ( ) ERRADO

10. CESPE – 2011 – SAEB – BA – Todos os cargos – Ed. Física, Arte, Português, Inglês e
Espanhol.

Trata-se de um documento oficial que orienta a gestão administrativa e financeira dos es-
paços escolares, devendo ser do conhecimento detodos os atores do processo educativo.

( ) CERTO ( ) ERRADO

11. CESPE – 2011 – SAEB – BA – Todos os cargos – Ed. Física, Arte, Português, Inglês e
Espanhol.

Trata-se de um plano em que se detalham objetivos, diretrizes e ações do processo educa-


tivo a ser desenvolvido na escola, e com base no qual são tomadas as decisões, encaminha-
das questões e analisados os resultados alcançados tanto no plano administrativo quanto
no plano pedagógico.

( ) CERTO ( ) ERRADO

38
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

GABARITO COMENTADO

1 - CERTO:

O ato conceitual diz respeito à concepção de mundo, homem, sociedade, educação,


lembrando que conceituar é explicar algo, é dá nome a algo.

2 - ERRADO:

O PPP na perspectiva emancipatória em um planejamento participativo deve ser


construído coletivamente e a tomada de decisão dever ser feita coletivamente também,
sendo assim, este planejamento não deve ser construído primeiro pelos gestores.

3 - CERTO:

A perspectiva emancipatória do PPP visa exatamente superar conflitos e eliminar as


relações competitivas, corporativas e autoritárias, ou seja visa a descentralização de pode-
res, no qual todos participam na tomada de decisões.

4 - CERTO:

Para que o PPP alcance a eficiência e eficácia do seu trabalho é preciso desvelar os
conflitos existente dentro de suas instituições para que posteriormente possa haver a supe-
ração desses conflitos.

5 - ERRADO:

O PPP não é um documento estritamente administrativo, vai além de um simples


agrupamento de planos, visto que esse planejamento participativo visa a previsão dos obje-
tivos, metas e ação que será realizada pela instituição escolar durante o período de sua
execução.

6 - ERRADO:

Para a construção do PPP é preciso que todos os envolvidos na comunidade escolar


participem nas tomadas de decisões, apontar conflitos para superá-los, definir objetivos e
estratégias para alcançá-los. Por isso é importante que esse planejamento seja feito
coletivamente, não apenas pelos profissionais das instituições educativas. Os pais, alunos,
órgãos colegiados também fazem parte desse processo de planejar.

7 - CERTO:

A construção do Projeto Político-Pedagógico deverá incluir a participação de todos


os sujeitos da escola nas etapas de elaboração, execução e avaliação, pois definir a identida-
de da escola é de extrema importância, fazendo levantamento como: quem somos, nossas
histórias, onde estamos, onde queremos chegar, qual escolha teórico metodológico quere-
mos nos basear

39
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

8 - ERRADO:

Como falamos anteriormente, o PPP vai além de um simples agrupamento de pla-


nos, não é voltado somente para as ações dos professores e alunos mas também para toda a
comunidade escolar, todos que fazem parte da instituição escolar: os órgãos colegiados,
todos os profissionais de educação, como gestores, orientadores, coordenadores,
professores, pais, alunos e os demais atores envolvidos na comunidade escolar.

9 - ERRADO:

Falamos anteriormente que dentro do processo do planejamento participativo (PPP),


perspectiva emancipatória, a tomada de decisão é detodos, e não fica a cargo dos gestores
e professores, é claro que terá um condutor que irá conduzir a direção do projeto, porém
todos os atoresda comunidade escolar fazem parte no processodeelaboração, execução
e avaliação do projeto político-pedagógico.

10 - ERRADO:

Vamos sempre nos lembrar que o projeto político-pedagógico vai além de um sim-
ples agrupamentos de planos, vai além de um plano estritamente administrativo. Ou seja,
não se trata somente de um documento oficial que orienta a gestão administrativa e
financeira dos espaços escolares, vai além de teoria. É planejar a ação, devendo ser de
conhecimento de todos os atores do processo educativo.

11 - CERTO:

A questão estaria errada se abordasse o PPP como um simples agrupamento de


planos, não dando espaço para ser uma previsão da ação, de metas, de objetivos a serem
alcançados, de definição da identidade da escola. Aliás o projeto político-pedagógico é a
identidade da escola, nesse sentido o PPP é um plano do qual deverão ser analisados os
resultados alcançados, tanto no plano administrativo quanto no plano pedagógico.

40
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Planejamento Curricular
O planejamento curricular se materializa no Projeto Político Pedagógico. Desse
modo o currículo refere-se à organização do conhecimento escolar. Nesse sentido, é preciso
planejar os conteúdos que serão ensinados e aprendidos durante o processo de execução
do PPP, levando em consideração os conteúdos advindos das experiências dos educandos,
dos contextos sociais em que estão inseridos, que a comunidade escolar está inserida. A
ideia é articular os conteúdos cognitivos e simbólicos, ou seja, historicamente acumulados
pela humanidade, conteúdos sistematizados aos conteúdos advindos da prática de vida do
educando.

Assim, o planejamento curricular abrange o planejamento das experiências vividas


pelos alunos em uma escola (PILETTI, 1991). É o processo de tomada de decisões sobre a
dinâmica da ação escolar. É previsão sistemática e ordenada de toda a vida escolar do aluno.
Portanto, essa modalidade de planejar constitui um instrumento que orienta a ação educativa
na escola, pois a preocupação é com a proposta geral das experiências de aprendizagem
que a escola deve oferecer ao estudante, através dos diversos componentes curriculares
(VASCONCELLOS, 1995, p. 56).

Cada escola deve elaborar seu planejamento de currículo, inserindo todos os com-
ponentes escolares que, direta ouindiretamente, fazem parte doprocesso educativo, como
diretor, supervisor pedagógico, orientador educacional e professores. Assim, definirão jun-
tos os objetivos finais, o conteúdo básico e irão delinear os métodos e as estratégias de
avaliação. Nesse sentido o planejamento curricular se materializa dentro do projeto
político-pedagógico da instituição escolar, visto que nesse planejamento participativo se
planeja os currículos, ou seja, os conteúdos, os conjuntos de experiências dos alunos.

De acordo com Luckesi (2006, p.112), o planejamento curricular é uma tarefa mul-
tidisciplinar que tem por objetivo a organização de um sistema de relações lógicas e psico-
lógicas dentro de um ou vários campos de conhecimento, de tal modo que se favoreça ao
máximo o processo ensino-aprendizagem. É, dessa forma, a previsão de todas as atividades
que o educando realiza sob a orientação da escola para atingir os fins da educação.

Nesse processo dinâmico e dialético, novo saberes e experiências são considerados


na relação com os conhecimentos produzidos pelas ciências, sendo educandos e educa-
dores protagonistas na elaboração, desenvolvimento e avaliação dos processos de ensinar,
aprender, pesquisar e avaliar, tendo o currículo como referência. Historicamente, o conceito
de currículo expressa ideias como conjunto de disciplinas/matérias, relação de atividades a
serem desenvolvidas pela escola, resultados pretendidos de aprendizagem, relação de con-
teúdos claramente delimitados e separados entre si, com períodos de tempos rigidamente
fixados e conteúdos selecionados para satisfazer alguns critérios avaliativos. Nessas repre-
sentações, os programas escolares e o trabalho escolar como um todo são tratados sem
amplitude, desprovidos de significados e as questões relacionadas à função social da escola
são deixadas em plano secundário, transformando o currículo num objeto que esgota em si
mesmo, como algo dado e não como um processo de construção social no qual se possa
intervir.

Nessa perspeciva, atualmente o planejamento curricular dá lugar ao contexto


social em que os alunos estão inseridos, seu contexto sociocultural, suas histórias, seus
conhecimentos prévios para que posteriormente possa planejar os currículos da
instituição. Para que isso ocorra é importante abordar as manifestações de currículos que

41
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.
podem ser classifica- das em currículo oficial, formal ou prescrito, real e oculto. Vamos
entender cada um deles.

Currículo e Construção do Conhecimento


Entendendo a visão dos autores.

Como pode ser entendido o currículo na visão de alguns autores:

Primeiramente é importante abordar que o currículo, mais do que uma simples enu-
meração de conteúdos e diretrizes a serem trabalhadas em sala de aula pelos professores
ao longo das diferentes fases da vida escolar dos estudantes, é uma construção histórica e
também cultural que sofre, ao longo do tempo, transformação em suas definições. Por esse
motivo, para o professor, é preciso não só conhecer os temas concernentes ao currículo de
suas áreas de atuação, como também o sentido expresso por sua orientação curricular.

Por esse motivo, o conceito de currículo na educação foi se transformando ao longo


do tempo, e diferentes correntes pedagógicas são responsáveis por abordar a sua dinâmica
e suas funções. Assim, diferentes autores enumeram de distintas formas as várias teorias
curriculares, de forma que abordaremos a seguir as correntes apontadas por Silva (2003)¹.
No entanto, vale ressaltar que existem outras formas e perspectivas, a depender do autor
escolhido.

A concepção de currículo na obra de Dermeval Saviani indica possibilidades reais


para se pensar o currículo, visando o desenvolvimento da pedagogia histórico-crítica como
uma concepção de formação humana na perspectiva da transição do capitalismo para o
socialismo e, deste, para o comunismo. Nesse sentido, iniciamos esse artigo explicitando
alguns princípios curriculares para a seleção dos conteúdos do ensino e para o trato com o
conhecimento. Na sequência, discutimos como esses princípios articulam-se à teoria mar-
xista da liberdade. Afinal, na sociedade capitalista o trabalho gera a anulação da liberdade
do trabalhador, posto que este é obrigado, pelas condições objetivas de vida, a vender sua
atividade para poder sobreviver. Ao mesmo tempo e contraditoriamente, o trabalho na so-
ciedade capitalista é a fonte de enormes avanços em termos das possibilidades de constru-
ção de uma sociedade na qual os seres humanos possam viver e atuar de maneira livre e
universal. E para que haja um currículo é preciso existir um planejamento curricular e que
esse planejamento curricular se materialize dentro do Projeto Político-Pedagógico. É
importante destacar que existem três tipos de manifestações de currículo que não se dá
apenas explicitamente dentro da escola, ou seja materializado no planejamento curricular.
Desse modo, inicialmente, a primeira manifestação de currículo encontramos nos documen-
tos oficiais ao qual é prescrito o conjunto de experiências, conteúdos cognitivos e simbólicos
que se quer através dos sistemas de educação. Encontramos o currículo oficial nas DCNs e
na BNCC. Esses dois documentos possuem força de lei, por isso devem ser seguidos por
todas as instituições de ensino para que elaborem seu planejamento curricular.

Depois do currículo oficial, destaca-se o currículo real que ocorre em sala de aula,
como conjunto de experiências advindos da realidade dos alunos, articulados com os
conteúdos sistematizados. E vale ressaltar ainda o currículo oculto o qual é implícito, passa
despercebido da prática docente intencional, são as regras, normas, relações hierárquicas,
atitudes, formas de organização da sala de aula.

42
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Para entendermos melhor cada um deles vamos separá-los em tópicos para que
você possa reforçar sua compreensão sobre o assunto e possa acertar as questões de prova.
É importante entender que dentro do planejamento curricular podemos encontrar dois tipos
de manifestações do currículo, o real que ocorre na sala de aula e o implícito que passa
despercebido. E para que isso ocorra, inicialmente é preciso existir a manifestação oficial,
formal, explícita de currículo, que advêm dos documentos oficiais.

Entendendo o que falam os Documentos Oficiais


Os documentos oficiais quetratam sobrecurrículo costumam assumir perspectivas
crítica e pós crítica de currículo, ou seja, consideram o campo de disputa em torno de
sua construção, o que torna algo não neutro, além da importância do debate em torno de
questões identitárias como sexualidade, etnia, raça, religiosidade, multiculturalismo,
diversidade.

As Diretrizes Curriculares Nacionais, que orientam as escolas brasileiras na organi-


zação, articulação, no desenvolvimento enaavaliação de proposta pedagógica, emseu Art.
13 § 2º define currículo como “ conjunto de valores e práticas que proporcionam a produ-
ção e socialização de significados no espaço social e que contribuem para a construção de
identidades sociais e culturais do estudante. É campo conflituoso de produção de cultura e
devebuscararticular vivências esaberesdosalunoscomosconhecimentoshistoricamente
acumulados”. Deve ter uma opção de escola que rompe com a ilusão da homogeneidade.

A organização do percurso formativo, aberto e contextualizado, deve ser construída


em função das peculiaridades do meio e das características, interesses e necessidades dos
estudantes, incluindo não só os componentes curriculares centrais obrigatórios, previstos na
legislação e nas normas educacionais, mas outros, também, de modo flexível e variável,
conforme cada projeto escolar.

As DCNs e a BNCC dão ênfase para que haja uma Base Nacional Comum a ser
complementada por uma parte diversificada, onde possuem características diferentes, mas
não podem ser opostas, distantes uma da outra e sim articuladas. Desse modo a base
nacional comum e a parte diversificada não podem ser consideradas como dois blocos
distintos, pois juntos complementam os currículos que serão ensinados e aprendidos em
todo processo de ensino e aprendizagem.

BASE NACIONAL COMUM E A PARTE DIVERSIFICADA

A base nacional comum na Educação Básica constitui-se de conhecimentos acu-


mulados pela humanidade o qual são expressos nas políticas públicas e publicados nas
instituições produtoras do conhecimento científico e tecnológico, podendo ser encontrato em
diversos locais de aprendizagem e na produção artística, nas diferentes formas de ci -
dadania e nas diferentes formas de expressão da sociedade.

43
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Integram a base nacional comum segundo o Art. 14 das DCN’s:

A Língua Portuguesa; e Matemática (Em toda a Educação Básica)

O conhecimento do mundo físico, natural, da realidade social e política, especial-


mente do Brasil, o estudo da História e das Culturas Afro-Brasileira e Indígena (Ensino
Fundamental e Médio)

A Arte, em suas diferentes formas de expressão, incluindo-se a música (Educa-


ção Básica)

A Educação Física; O Ensino Religioso ( Ensino Fundamental)

Esses componentes que compõem a Base Nacional Comum são organizados pelos
sistemas estaduais, municipais e distritais de educação em forma de áreas de conhecimen-
to, disciplinas, blocos temáticos, preservando-se a singularidade dos diferentes campos do
conhecimento, por meio dos quais se desenvolvem o exercício da cidadania, considerando
o tempo em que o aluno aprende.

A parte diversificada enriquece e complementa a base nacional comum, prevendo o


estudo das características regionais e locais da sociedade, da cultura, da economia e da
comunidade escolar, perpassando todos os tempos e espaços curriculares
independentemente do ciclo da vida no qual os sujeitos tenham acesso à escola. A parte
diversificada pode ser organizada em temas gerais, na forma de temáticos e conteúdos se-
lecionados colegiadamente pelos sistemas educativos ou pela unidade escolar.

Muita Atenção ao que dizem as DCN’s!

→ Art. 15. A LDB inclui o estudo de, pelo menos, uma língua estrangeira moderna na
parte diversificada, cabendo sua escolha à comunidade escolar, dentro das possibilidades
da escola, que deve considerar o atendimento das características locais, regionais, nacio-
nais e transnacionais.

→ Art. 16. Leis específicas, que complementam a LDB, determinam que sejam incluídos
componentes não disciplinares, como temas relativos ao trânsito, ao meio ambiente e à
condição e direitos do idoso.

TOME NOTA!

→ A base nacional comum e a parte diversificada não podem se constituir em dois


blocos distintos, com disciplinas específicas para cada uma dessas partes, mas devem ser
organicamente planejadas e geridas de tal modo que as tecnologias de informação e comu-
nicação perpassem transversalmente a proposta curricular, desde a Educação Infantil até o
Ensino Médio, imprimindo direção aos projetos político-pedagógicos.

→ Através da interdisciplinaridade e a contextualização devem ser assegurados a


transversalidade do conhecimento de diferentes disciplinas e eixos, passando por todo o
currículo e proporcionando a interlocução entre os conhecimentos e seus diferentes
campos.

44
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

ATENÇÃO! CAI EM PROVA!

Você sabe o que é interdisciplinaridade e transversalidade?

Interdisciplinaridade

O trabalho pedagógico pode ser desenvolvido por meio de uma abordagem teórico
metodológica em que a ênfase incide sobre o trabalho de integração de diferentes áreas do
conhecimento, ou seja, as disciplinas se articulam em torno de uma área do conhecimento,
uma temática que contribui para o ensino e aprendizagem de ambas.

Transversalidade

É abordagem epistemológica dos objetos de conhecimento na prática educativa;


uma articulação entre aprender conhecimentos teoricamente acumulados (conteúdos
acumulados pela humanidade) e assuntos de relevância social que são trazidos da vida
real.

A Interdisciplinaridade e Transversalidade segundo as DCN’s

Art. 13. §4º” A transversalidade é entendida como uma forma de organizar o trabalho
didático pedagógico em que temas e eixos temáticos são integrados às disciplinas e às áreas
ditas convencionais, de forma a estarem presentes em todas elas.

§ 5º A transversalidade difere da interdisciplinaridade e ambas complementam-se,


rejeitando a concepção de conhecimento que toma a realidade como algo estável, pronto e
acabado.

§ 6º A transversalidade refere-se à dimensão didático-pedagógica, e a interdiscipli-


naridade, à abordagem epistemológica dos objetos de conhecimento.”

PEGADINHA DE PROVA!
ANO:2017 – CESPE – SEDF – PROFESSOR

Em relação às Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Básica, julgue os


itens a seguir:

A política curricular é uma política de Estado e prioriza a sistematização de um cur-


rículo científico, relegando para segundo plano as práticas sociais.

Comentário da Questão

ERRADO: A política curricular de estado não prioriza o currículo científico em detrimento


das práticas sociais, visto que a escola de Educação Básica é o espaço em que se ressignifica
e se recria a cultura herdada, reconstruindo-se as identidades culturais, em que se aprende
a valorizar as raízes próprias das diferentes regiões do País.

45
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Hora da Revisão

Paraque o planejamento educacional se concretize, plano nacional de educação,


suas metas e diretrizes, é preciso que exista um planejamento curricular, ou seja, os con-
teúdos que serão ensinados e aprendidos na relação professor e aluno. Desse modo o
planejamento dos currículos, conteúdos, conjunto de experiências devem ser
materializados dentro do Projeto Político Pedagógico da escola, o qual identifica a
identidade da escola, seusobjetivos, seuconjunto deexperiências, currículos. Porisso, a
instituição escolar e os docentes precisam de um planejamento mais amplo no qual
possam se basear para construir seu próprio planejamento curricular.

Os documentos oficiais como as Diretrizes Curriculares Nacionais e a Base Nacio-


nal Comum Curricular subsidiam as instituições de ensino e os docentes para elaboração
de seus currículos. Nesse sentido os documentos oficiais entendidos como formal e pres-
crito o qual possuem força de lei, a exemplo das DCN’s e a BNCC dão ênfase a um currículo
que considere a multidimensionalidade, o multiculturalismo, os temas relacionados às
realidades sociais dos educandos. Desse modo, enfatizam a articulação de uma base
nacional comum, conhecimentos sistematizados a uma parte diversificada que contemple
temas transversais os quais são voltados para temas da realidade social.

Falamos também que a BNCC e a parte diversificada não podem ser constituídas
como dois blocos distintos pois ambas complementam o conjunto de experiências (currí-
culo), que envolvem o processo de ensino e aprendizagem.

Desse modo os currículos podem ser entendidos como conjunto de experiências,


conjuntos de conteúdos cognitivos e simbólicos, conteúdos advindos da experiência dos
educando, da vida real, parte diversificado, com conteúdos acumulados pela humanidade,
sistematizados.

Teorias de Currículo
Falamos que o Planejamento Curricular, planejamento materializado no projeto po-
lítico pedagógico da instituição, conhecido como planejamento escolar, é em sentido am- plo
segundo as DCN’s conjunto de experiências. Conhecemos também a visão de alguns
autores através de suas citações. Agora convido você a entender as teorias de currículo, o
qual contribuem ou não para a execução de um currículo educacional, escolar, de ensino e
de aula, formal ou informal.

Para entender como o currículo é vivenciado atualmente é preciso compreender


como se deu historicamente. Nesse sentido é importante abordar que toda escola está in-
serida em uma determinada sociedade, que por sua vez está situada em determinado con-
texto histórico. Assim, osconceitos educacionais são polissêmicos evariam deacordo com
fatores históricos e sociais.

Tomas Tadeu Silva (2010) afirma que um discurso sobre o currículo, mesmo que
pretenda apenas descrevê-lo “tal como ele é realmente”, o que efetivamente faz é produzir
uma noção particular de currículo. Do ponto de vista pós-estruturalista a “teoria” descreve

46
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

como uma descoberta algo que ela própria criou, ela primeiro cria e depois descobre.
Aquilo que ela cria acaba aparecendo como uma descoberta.

Assim, a “teoria” sobre currículo aparece pela primeira vez nos anos 1920 em co-
nexão com o processo de industrialização, encontrando sua máxima expressão no livro de
Bobbitt, The Curriculum (1918). Sua inspiração teórica é a administração científica de Taylor.

A partir daí vários estudos sobre currículo ganham espaços na academia, suscitando
em três teorias no decorrer da história: Tradicional, Crítico e Pós-crítico.

TRADICIONAL (O QUE DEVO ENSINAR?)

Segundo Silva (2009), a teoria tradicional de currículo busca a neutralidade, tendo


como escopo principal promover a identificação dos objetivos da educação escolarizada,
formando o trabalhador especializado ou, proporcionando uma educação geral e acadêmi-
ca.

CRÍTICO (POR QUE ENSINAR ISSO?)

Busca superar a concepção tradicional ao afirmar que há relações de poder envolvi-


das, é algo político. Denuncia a escola como um instrumento de reprodução do status quo.
O foco dessa corrente são as desigualdades sociais provocadas pelas disputas de classes e
reproduzidas no currículo escolar.

PÓS-CRÍTICO (PARA QUEM ENSINAR?)

Para Silva (2009, p. 29-30), as teorias críticas do currículo efetuam uma completa
inversão nos fundamentos das teorias tradicionais. As teorias críticas sobre o currículo, em
contraste, começam por colocar em questão precisamente os pressupostos dos presentes
arranjos sociais e educacionais. As teorias críticas desconfiam do status quo, responsabili-
zando-o pelas desigualdades e injustiças sociais. Veja o quadro de palavras que se relacio-
nam com cada Teoria do currículo.

TRADICIONAL CRÍTICA PÓS-CRÍTICA

Neutro Classificatório Não neutro Resistência Gênero

Linear, vertical Behaviorista Interacionista Libertação Multiculturalismo

Padronizado Eficiência Currículo Contextualizado Identidade


oculto Classe social
Autoritário Rígido Raça
Emancipador Flexível
Memorização Didática Etnia
Transgressor Michael Apple
Fragmentado Empirista Subjetividade
Ideologia Giroux
Tecnicista Bobbtt Sexualidade
Marxista Althusser
Mecânico Taylor Alteridade

47
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Manifestações de Currículo
Entendemos que o planejamento de currículo é diferente em diferentes momentos histó-
ricos e variam de acordo com fatores históricos e sociais. Podendo ser definidos pelas suas
teorias marcadas historicamente, como teoria tradicional, teoria crítica e teoria pós crítica.
Nesse sentido currículo também poder ser manifestado em três diferentes formas, sendo
estas formal, real e oculto.

Currículo Oficial Formal ou Prescrito

São os currículos – conteúdos, conjuntos de experiência- elaborado pelos mais alto esca-
lão, ou seja pelo Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação, e são encontrados
nos documentos oficiais manifestados na Base Nacional Comum Curricular, nas Diretrizes
Curriculares da Educação Básica. São prescritos os conteúdos cognitivos e simbólicos, ou
seja a Base Nacional Comum articulados com a Parte Diversificada que é entendida pelos
temas transversais advindos dos contextos sociais dos educandos.

Planejamento Curricular e o Currículo Formal


Diz respeito aos currículos que serão escolhidos para ser compostos no planejamento es-
colar (PPP), lembrando que o planejamento curricular se materializa no projeto político-pe-
dagógico. Desse modo, a comunidade escolar deve fazer um levantamento da realidade dos
alunos para a escolha dos seus currículos, lembrando que esses conjuntos de experiências
deve estar de acordo com a Base Nacional Comum Curricular e as Diretrizes Educacionais
(DCNs).

Currículo Real

É aquele que ocorre dentro de sala de aula, são as experiências vividas, os conjuntos de
ensino e aprendizagem, os conteúdos sistematizados acumulados pela humanidade,
articulados com o conjunto experiências advindos da vida acadêmica do educando e do seu
contexto social e sua prática vivida, cabendo ressaltar que o currículo deixou de ser
meramente um conjunto de disciplinas/matérias para ser o que realmente nasceu para ser
na sociedade, um conjunto de experiências, saberes, práticas vividas, dentro e fora de sala
de aula, considerando a diversidade cultural e os direitos humanos, um currículo inclusivo
que elimine a seletividade e considera a diversidade e os diretos humanos, sociais, culturais,
políticos e civis.

Currículo Oculto ou Implícito

É aquele que está implícito nas práticas educativas, no processo ensino e aprendizagem, se
refere às atitudes, valores e comportamentos dos docentes e discentes, ou seja, às práticas
e experiências compartilhadas na escola e na sala de aula. São as normas, regras, rituais,
hábitos do cotidiano escolar que acabam por governar as relações hierárquicas.

48
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Podemos encontrar o currículo oculto em algumas situações como:

• Imagens nos livros didáticos relacionado a determinado tema, são exemplos de um


tipo de currículo intitulado oculto, pois não estão explicitados em documentos.

• A forma de organização da sala de aula, em que as cadeiras estão enfileiradas, com o


objetivo de romper com o diálogo com os alunos são consideradas um exemplo de mani-
festações do currículo oculto.

Desse modo, o currículo oculto diz respeito àquelas aprendizagens que fogem ao controle
da própria escola e do professor e passam quase despercebidas, mas que têm uma força
formadora muito intensa. Segundo LIBÂNEO (2001), o currículo oculto são as atividades que
ocorrem na escola afetando a aprendizagem dos alunos e o trabalho do professor, que se
originam da experiência cultural, dos valores e significados que as pessoas assumem do seu
meio cultural e levam à escola.

PEGADINHA DE PROVA!

Qual desses itens você marcaria como correto?

FCC – 2015 – DPE – SP – PEDAGOGO

Os teóricos críticos entendem o currículo como:

a) experiências escolares que se desdobram em torno do conhecimento, em meio às


relações sociais, e que contribuem para a construção das identidades dos estudantes.

b) Organização do ensino por meio de uma grade de conteúdos, na qual se define a


quantidade de aulas por disciplinas para cada ano de ensino.

c) Planos pedagógicos elaborados pelos professores da unidade escolar, em concor-


dância com as determinações da secretaria de educação.

d) Conjunto de objetivos a serem alcançados no final do ano, por meio dos conteú-
dos a serem ensinados e aprendidos durante o processo de ensino.

e) Projeto político-pedagógico elaborado pelas escolas, com a colaboração dos


professores e de especialistas de ensino e aprovado pelos órgãos regionais de educação.

Gabarito Comentado

Letra A é a resposta correta, visto que currículo de forma geral pode ser entendido
como um conjunto de experiências escolares, experiências nas relações sociais, experiên-
cias que contribuem para a construção das identidades dos estudantes, vai além de conte-
údos de disciplinas existentes em uma grade curricular.

49
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

TOME NOTA!

SOBRE CURRICULO ESCOLAR

É Organização É entendido como

Organiza o trabalho das conjunto de experiências


instituições de ensino e segundo as DCN’s
dos professores.

O que não é

Não é meramente conteúdos


expressos em uma disciplina
ou grade curricular.

Lembrar sempre
O que é construído no
currículo Currículo define o quê
ensinar.
As experiências
Considera a diversidade.
Os Ensinamentos
Considera o contexto
As aprendizagens socio cultural

50
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

MAPA MENTAL PLANEJAMENTO CURRICULAR


CURRÍCULO
É entendido como

Conjunto de conteúdos

No Planejamento
Curricular da Escola

Teorias de Currículo

TRADICIONAL CRÍTICA PÓS CRÍTICA


(O QUE DEVE ENSINAR?) (Pra quem se deve ensinar?)

MANUTENÇÃO DO CRITICA O MODELO DE DIVERSIDADE E


STATUS QUO MANUTENÇÃO

Manifestações de Currículo

FORMAL, PRESCRITO: REAL OCULTO

Ex: organização da sala,


dos tempo e espaços
escolares.

51
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

SIMULADO 05
Vamos ver como isso cai em prova! Teste seus conhecimentos!

1 – IFB – PROFESSOR – PEDAGOGIA 2017

O currículo refere-se aos programas e conteúdos de cada componente curricular e também


expressa os princípios e metas do projeto educativo de uma instituição. Considerando uma
perspectiva crítica do currículo, marque a alternativa correta.

A) O currículo deve ser utilizado para a reprodução de uma visão de mundo hegemônica.

B) O currículo é um documento formal e estabelecido pelo sistema educacional que deve


ser seguido pelas instituições de ensino, pois visa uma igualdade educacional.

C) O conhecimento estabelecido na organização curricular do currículo é neutro, cabe ao


professor dar uma direção a esse conhecimento.

D) O conhecimento estabelecido na organização curricular do currículo deve levar em con-


sideração as relações entre os sujeitos e o espaço tempo em que se situam.

E) É importante evitar, sistematicamente, que situações ocorridas na escola tragam contex-


tos diferentes daqueles que estão devidamente planejados e incluídos no currículo.

2 - A ênfase nos conceitos pedagógicos de ensino, aprendizagem, avaliação, metodologia,


didática, organização, planejamento, eficiência e objetivos é própria da teoria crítica de
currículo.

( ) CERTO

( ) ERRADO

3- FUNCAB – 2013 – IF – RR – PROFESSOR – PEDAGOGIA

No currículo tradicional, a avaliação mais valorizada é a:

a) comportamental.

b) somativa

c) progressiva

d) diagnóstica

e) processual

52
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

CESPE – CARGOS DE PROFESSOR – PREF. IPOJUCA- PE- 2009

As atividades educativas escolares caracterizam-se por serem atividades intencionais que


respondem a alguns propósitos e perseguem a consecução de algumas metas. Uma das
tarefas do projeto curricular é proceder à análise, classificação, identificação e formulação
das intenções que presidem o projeto educacional. C. Coll. Psicologia e currículo. São Paulo:
Ática, 1997, p.66 (com adaptações).

Tendo o texto acima como referência inicial e considerando a multiplicidade de aspectos que
ele suscita, julgue os itens seguintes.

4 - Por currículo entende-se, exclusivamente, o aglomerado de disciplinas e conteúdos de-


senvolvidos em uma etapa da educação ou em um curso específico.

( ) CERTO

( ) ERRADO

5 - O currículo da educação básica é estipulado na proposta dos Parâmetros Curriculares


Nacionais (PCN), por isso não pode ser adaptado pelas escolas.

( ) CERTO

( ) ERRADO

6 - A construção coletiva das propostas pedagógicas da escola inclui a construção do cur-


rículo.

( ) CERTO

( ) ERRADO

7 - O currículo oculto é aquele estabelecido pelos sistemas de ensino nas propostas curri-
culares dos estados e munícipios.

( ) CERTO

( ) ERRADO

8 - O currículo escolar representa o cruzamento de culturas.

( ) CERTO

( ) ERRADO

9 – No currículo escolar está explícito os valores e atitudes desejadas pela comunidade


escolar.

( ) CERTO ( ) ERRADO

53
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

CESPE – ANALISTA JUDICIÁRIO – PEDAGOGIA – CNJ- 2013 ( ADAPTADA)

Julgue os próximos itens relativos ao currículo e construção do conhecimento.

10 - Para entender o conceito de currículo, é preciso separá-lo da prática e do contexto em


que se encontra, pois ele é uma sistematização técnica de conteúdos institucionalizados.
( ) CERTO

) ERRADO
EEeERRAER
RAERRADO

) CERTO

) ERRADO

) CERTO

) ERRADO

) CERTO

) ERRADO

) CERTO

) ERRADO

( ) CERTO

( ) ERRADO

16 - Na perspectiva emancipatória de currículo, não é permitida a inclusão de atividades não


previstas inicialmente para não haver prejuízos em relações aos tempos planejados.

( ) CERTO

( ) ERRADO

54
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

GABARITO
COMENTADO

55
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

GABARITO COMENTADO
1 - Letra D:
A organização curricular deve levar em consideração as relações entre os sujeitos
e o espaço e tempo em que se situam. Nesse sentido o planejamento curricular requer a
articulação deconteúdos inseridos nocontexto dos educandos com os conteúdos sistema-
tizados, considerar seucontexto sociocultural, suamulticulturalidade, suatrajetória devida.

2 - ERRADO:
A ênfase nos conceitos pedagógicos de ensino, aprendizagem, avaliação, metodo-
logia, didática, organização, planejamento, eficiência e objetivos são da teoria tradicional e
não crítica de currículo, pois a teoria tradicional tem como objetivo o que ensinar, em
detrimento da teoria crítica que possui como ênfase ideologia, relações de poder, conscien-
tização, classes sociais, currículo oculto e resistência.

3- Letra C:

No currículo tradicional a avaliação mais valorizada é a somativa, pois na metodolo-


gia tradicional se preocupa com o resultado final, ou seja, visa medir, quantificar, classificar
a aprendizagem e o aluno através de notas, em detrimento do currículo crítico e pós crítico
que visa o processo de ensino e aprendizagem dos docentes e discentes, tendo como ênfase
a avaliação formativa que tem o objetivo de formar os educandos em sua
multidimensionalidade, ou seja, cognitiva, socio emocional, afetiva, físico motor...

4 - ERRADO:

O currículo não se restringe a um aglomerado de disciplinas e conteúdos desenvol-


vidos em uma etapa da educação ou em um curso específico. Como estudamos, o currículo
são conjuntos de experiências, conjuntos de conteúdos cognitivos e simbólicos transmitidos
de forma implícita ou explicita, ou seja, não se relaciona meramente a um conteúdo contido
em uma disciplina de uma grade curricular.

5- ERRADO:

O currículo oficial entendido como formal ou prescrito atualmente é estabelecido


pelas Diretrizes Curriculares para Educação (DCN’s) articulada com a Base Nacional Comum
Currícular (BNCC). Esses dois normativos possuem forma de lei e as instituições escolares
devem segui-lo e podem ser adaptados pelas escolas de acordo com sua singularidades e
peculiaridade, pois as instituições de ensino são heterogêneas, diferentes, conforme o
contexto sociocultural onde estão inseridos seus alunos, sua realidade. Sendo assim, cada
instituição irá adaptar seu planejamento curricular, de acordo como o currículo oficial para
entender as especificidades de sua comunidade escolar

6 - CERTO:

Em uma perspectiva emancipatória/participativa a construção coletiva das


propostas pedagógicas da escola inclui a construção do currículo. Sendo assim, essa
perspectiva irá dar voz e vez a todos os inseridos da comunidade escolar para que juntos
construam o PPP, identidade da escola, e o planejamento curricular, conjunto de
experiências, visto o que já estudamos, em detrimento da perspectiva estratégico
empresarial que se restringe a um agente que irá tomará decisões dentro do planejamento.

56
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.
Na construção coletiva de currículo existe uma descentralização de decisões, ou seja, todos
possuem um papel decisor no processo de planejar.

7 - ERRADO:

O currículo oculto não é aquele estabelecido pelos sistemas de ensino nas propos-
tas curriculares dos estados e munícipios, esse se chama currículo oficial\formal\prescrito
tem força de lei e deve ser base para que as instituições construam seu planejamento cur-
ricular. O currículo oculto está implícito, são as normas, regras, hábitos, práticas, relações
hierárquicas, procedimentos, rituais, formas deorganização da sala, ou seja, maneira como
as carteiras são arrumadas, organização dotempo e espaços escolares. Está relacionado
às atitudes e valores que acabam por inculcar ideologias.

8 - CERTO:

O currículo escolar representa o cruzamento de culturas, ou seja, ele é multicul- tural,


além de considerar o contexto social em que sua instituição está inserida, também considera
a heterogeneidade dos educandos e suas singularidades. Na teoria pós crítica de currículo
a pergunta é: para quem ensinar, daí a importância do cruzamento de culturas, a ênfase nas
raças, etnias, gênero, alteridade, subjetividade, multiculturalismo.

9 - CERTO:

Em se tratando do Planejamento Curricular, o qual se materializa no Projeto po- lítico


pedagógico, no currículo escolar estão explícitos os valores e atitudes desejadas pela
comunidade escolar. Desse modo, é importante que toda intencionalidade, objetividade do
que se quer alcançar esteja expressa dentro do planejamento curricular materializado no
documento de identidade da escola, chamado de projeto político pedagógico\proposta
pedagógica.

10 - ERRADO:

Para entender o conceito de currículo, não é preciso separá-lo da prática e do con-


texto em que se encontra, é imprescindível que ambos estejam articulados, pois ele não é
uma sistematização técnica de conteúdos institucionalizados, é flexível, ou seja, pode ser
adaptado para atender às demandas da sociedade em que a instituição escolar está inserida,
com o objetivo de se alcançar o sucesso escolar.

11 - CERTO:

Entende-se por currículo silenciado tudo aquilo que poderia fazer parte do currícu-
lo, porém foi negado, exatamente, ou seja, algo que se tornou inoportuno ou inconvenien-
te, visto que o currículo ser adaptado para atender a real necessidade dos seus
educandos.

57
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

12 - CERTO:

No sentido etimológico currículo quer dizer: caminho, trajeto, percurso ou rota a


seguir. Etimologia éoestudo gramatical daorigem ehistória das palavras, deonde surgiram
e como evoluiram ao longo dos anos.

13 - CERTO:

O termo currículo vai muito além de uma simples grade curricular, esse conceito de
currículo cai muito em prova induzindo o candidato ao erro. Se disser que o currículo se
resume a uma simples grade curricular o item estará errado. A questão disse que o currículo
vai muito além de uma grade curricular e está certo, entende-se por currículo o conjunto de
experiências que os educandos já possuem ou estão em processo de construção.

14 - ERRADO:

O currículo real não é aquele que foi estabelecido pelo MEC e tem que ser aplicado
nas escolas, esse conceito se trata do currículo oficial, entendido também como formal ou
prescrito. Em se tratando do currículo real entende-se por aquilo que de fato é trabalhado
em sala de aula, em decorrência da efetivação do que foi planejado.

15 - CERTO:

Como estudamos anteriormente, as teorias de currículo são tradicional, crítica e pós


crítica. Sendo que a tradicional dá ênfase nos conteúdos ou seja, o que ensinar?; a crítica dá
ênfase nos questionamentos, por que esse conteúdo e não outro? explicitando as relações
de poder, e; por fim, a pós crítica que se preocupam em pra quem ensinar, ênfase no
multiculturalismo, raça , etnia, gênero.

16 - ERRADO:

Na perspectiva emancipatória de currículo, é permitida a inclusão de atividades não


previstas inicialmente. Essas adaptações não causam prejuízos em relações aos tempos
planejados, visto que o planejamento que visa à transformação social com foco no aluno e
no ensino e aprendizagem, e não somente no produto, resultado final, é flexível. Assim, o
planejamento pode ser adaptado.

58
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Planejamento de Ensino
Agora que entendemos sobre o Planejamento Educacional que corresponde ao
Plano Nacional de Educação, ou seja, é uma política de Estado, que possuem metas,
objetivos, e diretrizes pensadas para dez anos, esse planejamento é nível estratégico ou
seja é amplo, de longo prazo, sendo decenal. Posteriormente temos o planejamento
escolar\institucional, é o Projeto Político Pedagógico, que corresponde aos objetivos da
instituição, define sua identidade e o rumo e a direção a seguir, é de nível tático, ou seja não
é de longo prazo e nem de pequeno prazo. É pensado para um determinado período e define
objetivos com a comunidade escolar, sendo ele: que tipo de alunos se quer formar, onde a
instituição está e onde quer chegar, falamos sobre o planejamento curricular o qual se
materializa no PPP da escola, pois nele se define o conjunto de experiência que o educando
irá conhecer e aprender durante o processo de ensino e aprendizagem e durante o período
letivo, também considerado de nível tático. Agora vamos conhecer o planejamento de ensino
o qual é feito pelo professor.

Pode-se dizer que o planejamento de ensino é uma especificação do planejamento


curricular, já que traduz em termos mais concretos o que o professor irá realizar em sala de
aula e como irá alcançar os objetivos educacionais propostos. Seu nível de planejamento é
o operacional, pois se materializa dentro da sala de aula, através do ensino e aprendizagem,
através das experiências entre professor e aluno e aluno e aluno.

O professor, ao realizar seu planejamento de ensino, antecipa de forma coerente e


organizada todas as etapas do trabalho escolar, não permitindo que as atitudes propostas
percam sua essência, ou seja, o seu trabalho a ser realizado encaixa-se em uma sequência,
uma linha de raciocínio, em que o professor tem a real consciência do que ensina e quais os
objetivos que espera atingir, para que nada fique disperso, ao acaso.

O planejamento de ensino passa a ser compreendido de forma estreitamente vin-


culada às relações que se produzem entre a escola e o contexto histórico-cultural em que
a educação se realiza. Desse modo, o planejamento de ensino é um elemento integrador
entre a escola e o ambiente social em que a escola e seus alunos estão inseridos.

Nesse planejamento deverá prever os seguintes itens:

→ objetivos específicos estabelecidos a partir dos objetivos educacionais;

→ conteúdos a serem adquiridos pelos alunos no sentido determinado pelos objetivos;

→ metodologias e recursos de ensino que estimulam as atividades de aprendizagem e;

→ procedimento de avaliação que possibilitem verificar, de alguma forma, até que pon-
to os objetivos foram alcançados. Nessa forma de planejamento de ensino a avaliação da
aprendizagem adquire especial relevância uma vez que não pode constituir-se unicamente
em forma de verificação do que o aluno aprendeu. Antes de qualquer coisa, deve servir
como parâmetro de avaliação do trabalho do próprio professor.

O planejamento de ensino é dividido em quatro etapas que são o conhecimento da


realidade, elaboração do plano, a execução do plano, e a avaliação e aperfeiçoamento do
plano. O conhecimento da realidade é o primeiro passo para o planejamento, pois é preciso

59
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

conhecer o aluno e seu meio para saber para quem se vai planejar, conhecendo as aspi-
rações, frustrações, necessidades e possibilidades dos alunos. Fazendo essa “sondagem” e
realizando o diagnóstico, isto é, analisando os dados coletados, podemos propor o que é
possível alcançar pelos alunos e até mesmo o que lhes interessa aprender.

A elaboração do plano de ensino é a segunda etapa que devemos percorrer. Nessa


etapa estaremos determinando o que é possível alcançar, como fazer para alcançar, e o que
julgamos possível alcançar, e ainda como avaliar os resultados. Para a elaboração desse
plano seguem-se seis passos que são a determinação dos objetivos, seleção e organização
dos conteúdos, seleção e organização dos procedimentos de ensino, seleção de recursos,
seleção de procedimentos de avaliação e estruturação do plano de avaliação.

O terceiro passo a ser percorrido pelo professor é a execução do plano, sendo que
esse consiste no desenvolvimento das atividades previstas. Algumas vezes é necessário fa-
zer alterações no planejamento, devido a reações dos alunos ou mesmo devido a circuns-
tâncias do ambiente, mas isso é normal. Assim uma característica de um bom planejamento
é a flexibilidade.

Por último devemos realizar a avaliação e o aperfeiçoamento do plano. Nessa etapa


a avaliação toma um sentido diferente da avaliação do ensino-aprendizagem, pois procu-
ramos avaliar, além dos resultados do ensino-aprendizagem, a qualidade do nosso plano,
nossa eficiência como professor e a eficiência do sistema escolar.

Segundo Nervi (1967, p. 56, apud GAMA; FIGUEREDO, s/d), estas são as característi-
cas essenciais do bom plano de ensino:

Coerentes: as atividades planejadas devem manter perfeita coesão entre si de modo


que não se dispersem em distintas direções; de sua unidade e correlação dependerá o al-
cance dos objetivos propostos.

Sequenciais: deve existir uma linha ininterrupta que integre gradualmente as distin-
tas atividades, desde a primeira até a última, de modo que nada fique jogado ao acaso.

Flexíveis: é outro pré-requisito importante que permite a inserção sobre a marcha


de temas ocasionais, subtemas não previstos e questões que enriqueçam os conteúdos por
desenvolver, bem como permitir alteração, de acordo com as necessidades ou interesses
dos alunos.

Precisão e objetividade: os enunciados devem ser claros, precisos, objetivos e sin-


taticamente impecáveis. As indicações não podem ser objetos de dupla interpretação, as
sugestões devem ser inequívocas.

Agora que entendemos melhor o que é o planejamento de ensino, o qual é de nível


operacional, pois se materializa nas práticas e experiências vividas e compartilhadas na sala
de aula, para que esse planejamento se torne real é preciso definir seus componentes que
farão parte desse processo, lembrando que o planejamento de ensino é pensado para um
determinado período letivo, semestre ou bimestre. Desse modo os componentes do
processo de ensino são: objetivo, conteúdos, metodologia, recursos e avaliação. Todos
devem estar articulados para que haja sucesso no processo de ensinar e aprender. Vamos
fazer um quadro exemplificando como pode ser feito o planejamento de ensino:

60
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

OBJETIVOS CONTÉUDOS METODOLOGIA RECURSOS AVALIAÇÃO


Qual o objetivo Quais os conte- Qual a metodo- Que recurso vou Como o docen-
que o Docente údos que se de- logia que irá fa- usar na aula? te vai avaliar os
deseja seja ensinar e cilitar o ensino alunos?
alcançar? aprender? para que o aluno
aprenda?
Qual o resultado
Esperado;
EX: Formar fra- EX: Dissílabas. EX: quebra cabe- Ex: registros de
ses com Dissíla- ça com palavras. atividades no
bas. caderno.

Ou seja, pelo quadro resumo aprendemos que o planejamento de ensino é um


instrumento que norteia a ação do professor:

PARA QUÊ OBJETIVO COMO METODOLOGIA RESULTADO

O QUÊ CONTEÚDO COM QUÊ RECURSOS AVALIAÇÃO

Componentes do Processo de Ensino-Aprendizagem


Entendemos por aula toda situação didática na qual se tem objetivos, conhecimentos,
problemas, desafios com fins instrutivos e formativos, que incitam as crianças e jovens a
aprender. Cada aula é única, pois ela possui seus próprios objetivos e métodos que devem ir
de acordo com a necessidade observada no educando. O planejamento de ensino e a aula é
norteada por uma série de componentes, que vão conduzir o processo didático, facilitando
tanto o desenvolvimento das atividades educacionais pelo educador como a compreensão e o
entendimento pelos indivíduos em formação; ela deve, pois, ter uma estruturação e
organização, afim de que sejam alcançados os objetivos de ensino. Ao preparar uma aula o
professor deve estar atento a quais interesses e necessidades almejam atender, o que
pretende com a aula, quais seus objetivos e o que é de caráter urgente naquele momento.
Sendo assim a organização e estruturação didática da aula têm por finalidade proporcionar um
trabalho mais significativo e bem elaborado para a transmissão dos conteúdos. O
estabelecimento desses caminhos proporciona ao professor um maior controle de processo e
aos alunos uma orientação mais eficaz, que vá de acordo com previsto.

PARA QUE SERVE OS ELEMENTOS DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM


O aluno é estimulado a aprender com a colaboração dos docentes e
ALUNOS
familiares.

APRENDER Ocorre através das relações socioafetivas.

É o primeiro componente a se definir, ou seja a definição do rumo a


OBJETIVOS
seguir

CONTEÚDO Devem ser selecionados de acordo com os objetivos

É a escolha da melhor metodologia para ensinar os educandos,


MÉTODOS
facilitando o processo de ensino.

61
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

A Relação Professor / Aluno


Entre os elementos que se deve considerar no processo de planejamento de ensino é
imprescindível considerar, para que haja sucesso no ensino e aprendizagem, é possível haver
a relação professor e aluno para que a aprendizagem seja significativa. Desse modo “a relação
educador e educando não deve ser uma relação de imposição, mas sim, uma relação de
cooperação, de respeito e de crescimento. O aluno deve ser considerado como um sujei- to
interativo e ativo no seu processo de construção de conhecimento. Assumindo o educa-
dor um papel fundamental nesseprocesso, como um indivíduomaisexperiente.” (VIGOTSKI)

PERSPECTIVAS NA RELAÇÃO PROFESSOR / ALUNO

TOME NOTA!

Aspecto Cognoscitivo Aspectos Socioemocionais

→ Forma de ensinar o conteúdo; → Relações socioafetivas;

→ Professor deve conhecer o grau → Existe diálogo;


de conhecimento dos seus alunos;
→ Vínculos afetivos;
→ Ter domínio.

PEGADINHA DE PROVA!
CESPE\CEBRASPE – SEE\DF – CARGO – PROFESSOR ATIVIDADES

Tendo em vista que a interação professor\aluno, crucial para a relação pedagógica e


para a efetivação do processo ensinar- aprender, é permeada por dois aspectos, o cognos-
citivo e o socioemocional, julgue o item a seguir, a cerca da relação professor\aluno.

A exigência de que o professor trace objetivos, organize o planejamento da aula e


busque formas de estabelecer uma comunicação que garanta a aprendizagem efetiva está
diretamente relacionada aos aspectos socioemocional.

ERRADO

62
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Comentário da Questão

A banca inverteu as perspectivas de relação professor e aluno, para induzir o can-


didato ao erro. Fique atento! Essas características correspondem aos aspectos
cognoscitivos, pois seus objetivos é o planejamento das ações que serão realizadas com
vista a alcançar o resultado que é a aprendizagem dos alunos, em detrimento dos aspectos
socioemocionais que correspondem às relações pessoais estabelecidas entre o educador e
a turma. A afetividade e o diálogo são características da perspectiva de relação
professor\aluno socioemocional. Lembre-se que esses dois aspectos são importantes dentro
do planejamento de ensino como elementos cruciais para a concretização do ensino e
aprendizagem, com vista a obter um ensino e aprendizagem significativos na vida do
educador e do educando.

COMPONENTES DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

Agora que entendemos os elementos que deve se dar importância no processo de


planejamento de ensino do docente, vamos entender melhor a função de cada componen-
te que faz parte desse planejamento e do processo de ensino e aprendizagem.

OBJETIVOS GERAIS

Se refere ao resultado que pretendo alcançar com a prática docente, com apoio dos
componentes que compõem o planejamento de ensino. É a primeira definição dentro de um
planejamento, pois visa alcançar um objetivo, é um norte, um rumo a seguir.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

É o momento de detalhamento dos objetivos gerais, ou seja, fazer levantamentos de


cada objetivo que se quer alcançar está relacionado aos alunos e ao resultado que
esperamos alcançar em relação aos educandos, o que queremos ensinar e aprender.

CONTEÚDOS

É o componente no qual se define que conteúdos queremos incluir no processo de


ensino e aprendizagem, lembrando que conteúdos não se restringem a uma lista de
conteúdos inseridas em uma grade curricular, é conjunto de experiência, conjunto de
conteúdos cognitivos e simbólicos, segundo Antônio Zabala os conteúdos podem ser
divididos em factuais, conceituais, procedimentais e atitudinais.

Tipologia de Conteúdos Educacionais de Acordo com ZABALA, 2010:


Conteúdos factuais

“por conteúdos factuais se entende o conhecimento de fatos, acontecimentos, situa-


ções, dados e fenômenos concretos e singulares: a idade de uma pessoa, a conquista de um
território, a localização oualtura de uma montanha, os nomes, os códigos, os axiomas, um
fato determinado num determinado momento, etc.” Por muitas vezes esse conteúdo tem
caráter arbitrário, portanto não necessitam de uma compreensão, aprende-se pela cópia e
memorização.(ZABALA, 2010, p.41)

63
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Conteúdos conceituais e princípios

“os conceitos e os princípios são termos abstratos. Os conceitos se referem ao con-


junto de fatos, objetos ou símbolos que têm características comuns, e os princípios se re-
ferem às mudanças que produzem num fato, objeto ou situação em relação a outros fatos,
objetos ou situações que normalmente descrevem relações de causa-efeito ou de correla-
ção.” (ZABALA, p.42, 2010).

Conteúdos procedimentais

“um conteúdo procedimental (...) é um conjunto de ações ordenadas e com um fim,


quer dizer, dirigidas para a realização de um objetivo. São conteúdos procedimentais: ler,
desenhar, observar, calcular, classificar, traduzir, recortar, saltar, inferir, espetar, etc.” (ZABA-
LA, 1998, p.43)

Objetivos das tipologia de conteúdos estudada por ZABALA:

Conteúdos factuais e conceituais:

Identificar, reconhecer, classificar, descrever, comparar, conhecer, explicar, relacio-


nar, situar (no espaço ou no tempo), lembrar, analisar, inferir, generalizar, comentar, inter-
pretar, tirar conclusões, esboçar, indicar, enumerar, assinalar, resumir, distinguir, aplicar.

Conteúdos procedimentais:

Manejar, confeccionar, utilizar, construir, aplicar, coletar, representar, observar, ex-


perimentar, testar, elaborar, desenhar, simular, demonstrar, reconstruir, planejar e executar.

Conteúdos atitudinais:

Comportar-se (de acordo com), respeitar, tolerar, apreciar, ponderar (positiva ou ne-
gativamente), aceitar, praticar, ser consciente de, reagir a, conformar-se com, agir, conhe-
cer, perceber, estar sensibilizado, sentir, prestar atenção à, interessar por, obedecer, permitir,
preocupar-se com, deleitar-se com, recrear-se, preferir, inclinar-se a, ter autonomia, pesqui-
sar, estudar. O termo conteúdos atitudinais engloba valores, normas e atitudes. (ZABALA,
1998, p.43) Os tipos de conteúdos estão geralmente associados a verbos que caracterizam
habilidades e competências (BERNINI, 2012).

Na área de meio ambiente, todos os tipos de conteúdos são importantes, mas desta-
cam-se os atitudinais. São necessárias a conscientização e mudança de postura em rela-
ção aos problemas ambientais. Existe a preocupação em promover o desenvolvimento de
valores e atitudes em prol de uma sociedade pautada por novos patamares civilizacionais
(LOUREIRO, 2009; GUIMARÃES, 2010).

64
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

PEGADINHA DE PROVA!

Ao realizar o planejamento o professor deve pensar e estruturar um conjunto de


objetivos e conteúdos que devem ser trabalhados no decorrer do período previsto no pla-
nejamento. São eles: conteúdos reais, conceituais, procedimentais, e atitudinais.

ERRADO

Comentário da Questão

O erro está em conteúdos reais, este não faz parte da tipologia de conteúdos defini-
da por Zaballa, o certo seria conteúdos factuais que refere-se à identificar, classificar ou
descrever algo, algum assunto que é estudado, o conhecimento de fatos, acontecimentos,
situações, dados e fenômenos concretos e singulares. Na maioria das vezes não passa pela
necessidade de entender o assunto mais sim decorá-lo, absorvê-lo.

Hora da Revisão
Os conteúdos e suas tipologias são importantes no planejamento de ensino, cabe ao
professor escolher qual se adequa melhor à realidade dos educandos, em seu contexto social.
Lembrando que os objetivos devem ser o primeiro a ser definido no processo de plane- jamento
de ensino, sendo eles gerais, mais amplos, e específicos, de acordo com as necessida- des de
aprendizagem dos alunos. Posteriormente se define os métodos que serão utilizados e seus
recursos para operacionalização do método, lembrando que os recursos pode ser en-
contrados não só em sala de aula, visto que a aprendizagem vai além dos espaços escolares.

Nesse sentido podemos encontrar recursos em visitas a espaços históricos e ge-


ográficos como museus, teatros e etc. Posteriormente o componente que se deve definir
é a avaliação, ou seja, como avaliar, visto que na visão progressista transformadora de
educação épossívelavaliarsemvisaraclassificação,aretençãodoseducandos,visandouma
avaliação formativa que considera o processo e o resultado como crucial no sucesso
escolar.

Vimos que dentro do planejamento de ensino, do docente, existem elementos que


devem ser levados em consideração para que o processo aconteça, são eles: o aluno como
centro do processo, a aprendizagem o qual se concretiza na relação professor\ aluno, ten-
do duas perspectivas, a cognoscitiva que correspondem a organização do planejamento do
professor, traçando objetivos e conteúdos, e a perspectiva socioemocional é o conhecimento
que se constrói coletivamente através das relações de afetividade e diálogo.

Para que ocorra um processo de ensinar e aprender, a aprendizagem é organizada em


dois momentos, sendo elas aprendizagem casual e organizada. A respeito da aprendizagem
casual não é intencional e ocorre em diferentes espaços sociais o qual o educando está inse-
rido, formando suas experiências de vida e de mundo. A aprendizagem organizada ocorre com
a contribuição dos saberes escolares. O professor é um mediador no processo, ajudando o
educando a organizar a aprendizagem casual que já possuía com a aprendizagem organi-
zada, articulada sistematicamente com os conteúdos escolares.

65
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Componentes do Processo de Ensino eAprendizagem

ATITUDINAIS

Aspectos
Aspectos cognoscitivos socioemocionais

66
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Agora é sua vez, preencha os esquemas de acordo com o que você aprendeu.
Componentes do Processo de Ensino e Aprendizagem
1. OBJETIVOS 2. ESPECÍFICOS

3. MÉTODOS 4. CONTEÚDOS

5. RECURSOS 6. AVALIAÇÃO 4.1 CONTEÚDOS

RELAÇÃO
PROFESSOR ALUNO

67
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

SIMULADO 06
Vamos testar seus conhecimentos!

1 - Faz parte do planejamento de ensino selecionar material didático, identificar tarefas a


serem executadas pelo professor e pelos alunos e replanejar o trabalho docente conforme
situações ocorridas nas salas.

( ) CERTO ( ) ERRADO

2 - O planejamento de ensino deve ser rígido e absoluto.

( ) CERTO ( ) ERRADO

3 - O processo de ensino e aprendizagem exige planejamento, preparação e escolha de ca-


minhos metodológicos que visem à realização de uma ação educativa político social neutra.

( ) CERTO ( ) ERRADO

4- A tipologia dos conteúdos defende que para que os conteúdos a serem ensinados em sala
de aula se diferenciem da forma tradicional é preciso pensar em um conjunto de aprendi-
zagens que sejam designadas como factuais, conceituais, procedimentais e atitudinais. Os
conteúdos conceituais relacionam-se a conceitos propriamente ditos e referem-se ao con-
junto de fatos objetos ou símbolos que possuem características comuns.

( ) CERTO ( ) ERRADO

5 - O plano de ensino deve ter coerência quanto a seus objetivos e aos meios para alcançá-
-los.

( ) CERTO ( ) ERRADO

6 - Os elementos constituintes, os objetivos e os conteúdos de um planejamento de ensino


devem, obrigatoriamente, estar interligados, mas as estratégias, não, pois estas são flexíveis.

( ) CERTO ( ) ERRADO

7 - Os objetivos específicos dosam o grau de dificuldades dos conteúdos que serão trabalha-
dos na prática pedagógica, de forma a explicitar, também, os resultados a serem atingidos.

( ) CERTO ( ) ERRADO

8 - Os objetivos gerais e específicos do planejamento de ensino não precisam necessaria-


mente estar vinculados entre si.

( ) CERTO ( ) ERRADO

68
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

9 - Considera-se recurso didático todo material audiovisual utilizado pelo professor no pro-
cesso de ensino e aprendizagem, exceto passeio e visitas a museus e zoológicos, que são
atividades pedagógicas vivenciais.

( ) CERTO ( ) ERRADO

10 - Os métodos de ensino são ações por meio das quais os professores organizam as ativi-
dades de ensino com o intuito de atingir objetivos. Considerando essa informação, assinale
a alternativa correta.

A) Os métodos de ensino adotados em sala de aula independem dos objetivos.

B) O método de ensino deve corresponder à necessária unidade: objetivos;

C) Conteúdos; métodos; e formas de organização do ensino;

D) Os métodos de ensino independem dos conteúdos e das disciplinas, por isso todos os
métodos podem ser utilizados em qualquer conteúdo.

11 - O planejamento de ensino corresponde ao conjunto de ações previsto para ser desen-


volvido pelos professores com a colaboração dos alunos.

( ) CERTO ( ) ERRADO

12 - A avaliação formativa deve ser utilizada ao longo do ano letivo, permitindo o acompa-
nhamento contínuo do processo de aprendizagem.

( ) CERTO ( ) ERRADO

13 - Entre os componentes do processo ensino e aprendizagem, envolvendo docente e


aluno, temos: o , que deve responder a pergunta: “Para que ensinar?
Os , que deve responder a pergunta: “O que aprender” ?; e o , que deve
responder a pergunta: ”Com o quê aprender?”

Assinale a opção cujo os itens completam corretamente as lacunas do fragmento acima.

A - recursos, conteúdos, objetivos

B - objetivo, conteúdo, recurso

C- recurso, conteúdo, método

69
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

GABARITO COMENTADO

1 - CERTO:

O planejamento existe para que se organize previamente o que será feito na práti-
ca docente, como: selecionar o material de didático com vista a atender as necessidades
dos educandos, replanejar seu trabalho docente para que haja sucesso escolar no ensino e
aprendizagem.

2 - ERRADO:

A questão não trouxe em uma perspectiva tradicional o qual é planejamento é rígi-


do e absoluto, e sim um planejamento transformador formativo abordando de forma ampla
que o planejamento deve ser flexível e pode ser alterado e adaptado para atender as
necessidades do educando o qual é o foco principal no processo de ensino e aprendizagem.

3 - ERRADO:

O processo de ensino e aprendizagem exige planejamento, preparação e escolha de


caminhos metodológicos que visem à realização de uma ação educativa, porém nenhum
planejamento é neutro, nem mesmo o planejamento tradicional pois visa alcançar um
objetivo, ou seja é intencional.

4 - CERTO:

Para que ocorra a diferença entre ensinar de forma tradicional é preciso pensar em
conjunto de conteúdos. Zabala trouxe esse conjunto de conteúdos como factuais, concei-
tuais, procedimentais e atitudinais. Os conteúdos conceituais se relacionam a conjunto de
fatos, objetos ou símbolos, situações que normalmente descrevem relações de causa-efeito
ou de correlação.

5 - CERTO:

Para que se possa iniciar um planejamento é imprescindível que se defina inicial-


mente o componente objetivo, pois nele se define quais os resultados se quer alcançar com
o processo de ensino e aprendizagem. Não se pode planejar sem definir primeiramente um
objetivo, um norte a seguir.

6 - ERRADO:

Todos os elementos devem estar interligados no planejamento de ensino, até mes-


mo as estratégias que fazem parte da metodologia, ou seja todos os componentes devem
estar interligados. Sendo assim, se um componente faltar haverá déficit no planejamento,
causando fracasso no ensino e aprendizagem.

7 - CERTO:

Os objetivos gerais vão definir quais resultados se quer alcançar. Em se tratando dos
objetivos específicos dosam o grau de dificuldades dos conteúdos que serão trabalhados
durante o processo, ou seja, como será a dificuldade para resolver ou elaborar a atividade,

70
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

visando alcançar um objetivo.

8 - ERRADO:

Como falamos, todos os componentes do processo de ensino e aprendizagem de-


vem estar articulados entre si. Nesse sentido, os objetivos gerais devem necessariamente
estar vinculados entre si.

9 - ERRADO:

Os recursos didáticos não são somente encontrados na escola, mais precisamente


na sala de aula. Podemos encontrar recursos didáticos além da instituição escolar, como
por exemplo em visitas a museus e zoológicos, teatros e outros locais que possam contribuir
e facilitar a compreensão das experiências escolares, ou seja, dos conteúdos.

10 - Letra B:

Para que se possa iniciar um planejamento é imprescindível que se defina inicial-


mente o componente objetivo, pois nele se define quais os resultados se quer alcançar com
o processo de ensino e aprendizagem. Não se pode planejar sem definir primeiramente um
objetivo, um norte a seguir.

11 - CERTO:

Muitos candidatos que não conhecem a fundo os estudos sobre planejamento


acabamerrandoquestões comoessa, ou seja queoplanejamentoérealizado somentepelo
professor. Ao contrário, o planejamento de ensino é realizado pelo professor com a
colaboração dos alunos, pois as necessidades dos educandos devem ser sanadas de
acordo com o pla- nejamento de ensino.

12 - CERTO:

A avaliação formativa ocorre durante todo o processo, seus aspectos são quali-
tativos sobre os quantitativos. As avaliações podem ser por meio de portifólios de
registros da criança, das atividades do caderno, atividades realizadas dentro e fora da
sala de aula, há a participação dos alunos e em grupo na realização das atividades e
projetos. Vale lembrar que a avaliação formativa visa formar os alunos em sua
integralidade, assim não tem como objetivo a classificação, a retenção e seleção dos
educandos, mas simaformação da cidadania esuas multidimensionalidades com o todo.

13 - letra B (objetivo, conteúdo, recurso):

Entre os componentes do processo ensino e aprendizagem, envolvendo docente e


aluno, temos: o OBJETIVO, que deve responder a pergunta: “Para que ensinar? Os CONTEÚ-
DOS, que deve responder a pergunta: “O que aprender” ?; e o RECURSO, que deve responder
a pergunta: ”Com o quê aprender?”

71
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Hora da Revisão

Vamos revisar o que aprendemos sobre os componentes do planeja-


mento de ensino, crucial para o processo de ensino e aprendizagem:

Primeiramente traçamos os objetivos que se quer alcançar, ou seja o


resultado, a definição dos objetivos nos remete a pergunta: Para que ensinar?

Todos os elementos devem estar articulados uns aos outros e primor-


dialmente aos objetivos, pois sem objetivos não há definição de um rumo a
seguir para o alcance do resultado final.

A metodologia é definida conforme os objetivos a serem alcançados.


Desse modo, devem selecionar quais os recursos melhores que facilitarão o
processo de ensino e aprendizagem, lembrando que os recursos não se res-
tringem somente a livros didáticos, podendo ser explorados tanto na escola
como fora da instituição.

A avaliação, último componente crucial para a verificação do que foi


ensinado e aprendido, serve para avaliar o aluno, o que ele aprendeu, e a prá-
tica docente, para que possa ser revisto se necessário o planejamento, com
a finalidade de se adequar às necessidades reais de aprendizagem dos
educandos.

Lembre-se sempre, todos os componentes devem estar articulados e


devem ser abordados dentro do planejamento de ensino.

72
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Plano de Aula
O plano de aula é um detalhamento do plano de ensino. As unidades e subunida-
des (tópicos) que foram previstas em linhas gerais são agora especificadas e sistematizadas
para uma situação didática real. A preparação de aulas é uma tarefa indispensável e assim
como o plano de ensino, devem resultar em um documento escrito que servirá não só para
orientar ações do professor, como também para possibilitar constantes revisões e aprimora-
mentos de ano para ano. Em todas as profissões o aprimoramento profissional depende de
acumulação de experiências, conjugando a prática à reflexão criteriosa sobre ela, tendo em
vista uma prática constantemente transformadora para melhor.

Ao adentrar em uma sala de aula o professor deve sempre ter em mente o que irá
lecionar para aquela turma, ele deve saber o conteúdo, de que maneira vai abordar o assun-
to, quais os recursos didáticos necessários para aquela aula e, acima de tudo, ter uma aula
bem preparada. Todo esse preparo tem um nome específico e chama-se plano de aula. Um
plano de aula é um instrumento de trabalho do professor, nele o docente especifica o que
será realizado dentro da sala, buscando com isso aprimorar a sua prática pedagógica bem
como melhorar o aprendizado dos alunos.

O plano de aula funciona como um instrumento no qual o professor aborda de forma


detalhada as atividades que pretende executar dentro da sala de aula, assim como a relação
dos meios que ele utilizará para realização das mesmas. De maneira bem sintetizada pode-se
dizer que o plano de aula é uma previsão de tudo o que será feito dentro de classe em um
período determinado. É importante lembrar ao professor que a elaboração de um plano de
aula não o isenta de preparar as aulas a serem ministradas, pelo contrário, ele deve sempre
preparar uma boa aula, apresentando um esquema e uma seqüência lógica dos te- mas
trabalhados.

Um plano de aula tem como principal objetivo fazer a distribuição do conteúdo pro-
gramático que será trabalhado durante uma única aula, diferente do plano de ensino que é
pensado para um determinado período letivo, bimestre ou semestre. Este ainda é diferente
do plano de aula porque deverá constar o número de aula e o tempo necessário para cada
assunto abordado dentro da disciplina. É importante ressaltar que o plano de aula deve ser
encarado como uma necessidade e não como exigência ou obrigação imposta pela
coordenação do colégio.

De acordo com Libâneo “o planejamento escolar é uma tarefa docente que inclui
tantoa previsão dasatividades didáticas em termos de organização e coordenação em face
dos objetivos propostos, quanto a sua revisão e adequação no decorrer do processo de ensi-
no”. Portanto, o planejamento de aula é um instrumento essencial para o professor elaborar sua
metodologia conforme o objetivo a ser alcançado, tendo que ser criteriosamente ade- quado para
as diferentes turmas, havendo flexibilidade caso necessite de alterações.

Ainda assim, apesar da grande importância do planejamento de aula, muitos


professores optam por aulas improvisadas, o que é extremamente prejudicial no ambiente
de sala de aula, pois muitas vezes as atividades são desenvolvidas de forma desorganizada,
não ha- vendo assim, compatibilidade com o tempo disponível.

73
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Entre os elementos que devem compor um plano de aula estão:

→ Clareza e objetividade;

→ Atualização do plano periodicamente;

→ Conhecimento dos recursos disponíveis na escola;

→ Noção do conhecimento que os alunos já possuem sobre o conteúdo


abordado;

→ Articulação entre a teoria e a prática;

→ Utilização de metodologias diversificadas, inovadoras e que auxiliem noprocesso


de ensino-aprendizagem;

→ Sistematização das atividades com o tempo;

→ Flexibilidade frente a situações imprevistas;

→ Realização de pesquisas buscando diferentes referências, como revistas,


jornais, filmes entre outros;

→ Elaboração de aulas de acordo com a realidade sociocultural dos estudantes.

Portanto, o bom planejamento das aulas aliado à utilização de novas metodologias


(filmes, mapas, poesias, músicas, computador, jogos, aulas práticas, atividades dinâmicas,
etc.) contribui para a realização de aulas satisfatórias em que os estudantes e professores
se sintam estimulados, tornando o conteúdo mais agradável, com vistas a facilitar a com-
preensão. Esses se tratam de recursos que irão facilitar o processo de ensino e aprendizagem
pensado para uma aula.

Relembrando Libâneo: “O planejamento escolar é uma tarefa docente que inclui


tanto a previsão das atividades em termos de organização e coordenação em face dos
objetivos propostos, quanto a sua revisão e adequação no decorrer do processo de
ensino”. Nesse caso, não é diferente com o plano de aula, pois nele está constituído todos
os componentes que são abordados também no planejamento de ensino como: objetivos,
conteúdos, metodo- logias, recursos e avaliação, porém pensados para uma única aula, para
que haja organização da prática docente em sala de aula, ou seja, da rotina diária. Nesse
processo não existe planejamento neutro; é político no sentido de ser intencional.

Existe uma diferença entre planejamento e plano, o planejamento é a prática de pla-


nejar as ações previstas para alcançar resultado. Diferente do plano que é um documento,
que expressa o trabalho que será realizado para alcançar esses resultados, o sucesso escolar.

Para entendermos melhor sobre o Plano de aula vamos abordar os planejamentos


que já estudamos anteriormente, em sequência, conhecer os planejamentos que ocorrem
na instituição de ensino (escola) e a diferença entre esses planejamentos e o plano:

74
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

PLANEJAMENTO ESCOLAR PLANO DA ESCOLA

Se refere à ação de planejar, ocorre com a É um documento escrito. Se refere ao PPP


participação da comunidade escolar, ou da escola, Projeto político pedagógico. Na
seja, pais, alunos, professores, coordena- literatura brasileira os objetivos do PPP se
dores, orientadores, gestores e os órgãos apresentam de diferentes formas, entre
colegiados, grêmios estudantis, associa- elas: consolidar a autonomia das escolas;
ção de pais e mestres, conselho de classe, articular concepções de mundo, de edu-
conselho escolar. cação e de ensino definidas pela escola,
Juntos vão definir a identidade da esco- la, com o propósito de realizar sua função
respondendo às seguintes perguntas: onde social; fortalecer a gestão democrática nas
estamos, o que queremos, onde que- escolas, com o proposito de realizar sua
remos chegar. Através de marcos como, função social; afirmar a identidade da es-
conceitual, situacional e filosófico. cola, sua organização, suas metas e seus
planos.

PLANEJAMENTO CURRICULAR PLANO DE CURSO

Se refere à ação de planejar maisespecifi- É um documento pensado para um tipo de


camente o currículo, conteúdos, conjun- to curso, série/ano como por exem- plo: um
de experiências. Esse planejamento dos plano de curso para o 1º ano do ensino
currículos se materializa dentro do Pro- jeto fundamental, 1º ano do ensino mé- dio, 1º
Político Pedagógico (PPP), onde serão semestre do curso de pedagógica.
selecionados os conjuntos de conteúdos Diferente do planejamento curricular que é
cognitivos e simbólicos que farão parte no pensado para um determinado período
processo de ensino e aprendizagem. letivo, semestre ou bimestre, o plano de
Entende-se por currículo o conjunto de curso é um documento pensado para um
experiências, não se restringindo a um tipo de série, ano ou até mesmo semestre
conteúdo absoluto expresso em uma dis- de uma faculdade. Nele se define integra-
ciplina existente em uma grade curricular ção sequencial dos conteúdos didáticos,
detalhamento da proposta pedagógica
pensada para o curso, objetivos gerais e
específicos pensados para um tipo de cur-
so, ano ou série.

PLANEJAMENTO DE ENSINO PLANO DE ENSINO

Se refere à ação do planejamento docente É o documento do que foi definido no pla-


(do professor) e nele consta todos os com- nejamento de ensino, pode ser chamado
ponentes que farão parte do processo de de unidade didática, onde o docente define
ensino e aprendizagem, sendo eles: obje- quais conteúdos serão ensinados e apren-
tivos gerais, objetivos específicos, conteú- didos em uma ordem lógica, podendo ser
dos, métodos \estratégias, recursos e ava- adaptados e alterados para atender às ne-
liação. cessidades dos educandos.
Lembrando que todos esses componentes
estão articulados e devem obedecer sua
ordem de definição para que haja sucesso
no ato de planejar.

75
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Preencha os esquemas sobre planejamento educacional e escolar.


Planejamento Educacional Planejamento Escolar

Agora que entendemos que os planejamentos escolares, de ensino, de aula se


referem a ação de planejar o que se espera alcançar, os planos de ensino, de curso e de aula
se refere a um documento onde são definidos as suas intencionalidades.

TOME NOTA!

PLANEJAMENTO É A AÇÃO DE PLANEJAR A PRÁTICA DOCENTE.

PLANO É O DOCUMENTO ONDE SE MATERIALIZA O PLANEJAMENTO.

Lembrando que o planejamento não deve ser feito com a finalidade de apenas obe-
decer às normas expressas nas legislações para posteriormente ser engavetado ou silen-
ciado, visto que o planejamento norteia a prática docente, o ensino e a aprendizagem e
alcançar o sucesso escolar.

Para que os planos sejam efetivamente instrumentos para a ação, devem ser como
guia de orientação e devem apresentar ordem sequencial, objetividade, coerência, flexibi-
lidade.

76
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Ordem Sequencial dos Planos

1º PLANO DA ESCOLA (PPP)

É um documento mais global; expressa orientações gerais que sintetizam, de um


lado, as ligações da escola com o sistema escolar mais amplo e, de outro, as ligações do
projeto político pedagógico da escola com os planos de ensino propriamente ditos.

2º PLANO DE CURSO

Vimos anteriormente que é um documento pensado para um tipo de curso, série\


ano, como por exemplo: um plano de curso para o 1º ano do ensino fundamental, 1º ano do
ensino médio, 1º semestre do curso de pedagia. Diferente do planejamento curricular que é
pensado para um determinado período letivo, semestre ou bimestre, o plano de cur-so é um
documento pensado para um tipo de série, ano ou até mesmo semestre de uma faculdade.
Nele se define a integração sequencial dos conteúdos didáticos, detalhamento da proposta
pedagógica pensada para o curso, objetivos gerais e específicos pensados para um tipo de
curso, ano ou série.

3º PLANO DE ENSINO

Ou plano de unidade didática é a previsão dos objetivos e tarefas do trabalho do-


cente para o ano ou semestre; é o documento maior elaborado, dividindo por unidades
sequenciais, no qual aparecem objetivos específicos, conteúdos e desenvolvimentos meto-
dológicos.

4º PLANO DE AULA

Como falamos anteriormente, é o detalhamento do plano de ensino, porém pen-


sado para uma aula, as unidades que foram prevista em linhas gerais no plano de ensino
são apresentadas agora de forma mais especificada e sistematizada para uma única aula,
com vista a organizar os conteúdos, tempos e espaços escolares.

Entendendo Melhor o Plano de Curso

O Plano de Curso corresponde a um documento no qual é descrito o trabalho a ser


realizado por docente e discente em determinado período letivo, é um instrumento de
trabalho que possui o objetivo de referenciar os conteúdos, as metodologias, os procedi-
mentos e as técnicas a serem utilizadas no processo de ensino-aprendizagem concernentes
às unidades escolares. Sejam estas de ensino fundamental e médio, instituições de ensino
superior e cursos técnicos de qualquer nível.

A confecção do plano deve ocorrer na presença do grupo pedagógico da unida- de


escolar, atendendo à característica interdisciplinar e contextualizada estabelecida pelas
(DCNs) Diretrizes Curriculares e BNCC. A construção desse material gera entre os profissio-
nais uma nova postura, ocasionando debates voltados para a satisfação em promover ações
norteadoras, visando a um melhor nível de ensino dos conteúdos programáticos.

77
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Constituído, o plano de curso orienta o profissional no decorrer das atividades es-


colares, sequenciando os conteúdos primordiais, os eventos escolares, os materiais a serem
utilizados, os procedimentos avaliativos, entre outros. Devido à evidência do processo or-
ganizacional desse instrumento, as instituições educacionais vêm exigindo de seus colabo-
radores, a elaboração do mesmo.

O plano de curso precisa conter no mínimo as seguintes orientações:

→ Conclusão.

78
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Hora da Revisão

Aprendemos que o plano de aula é o detalhamento do plano de ensino e que am-


bos possuem os mesmos componentes que fazem parte do processo de ensino e apren-
dizagem. Sendo eles os objetivos, conteúdos, métodos, avaliação. Lembrando que o pla-
nejamento de ensino é para determinado período letivo, semestre ou bimestre e que o
plano de aula é para uma única aula. Desse modo o plano de aula busca orientar a prática
docente na rotina diária, organizando o tempo e espaços escolares, os recursos didáticos
a serem usados na aula, organizar as atividades que serão realizado durante a aula.

Vimos a diferença de planejamento e de plano, sendo o primeiro uma ação de


planejar resultados que queremos alcançar, e o segundo sendo um documento no qual se
materializa o planejamento. Nesse sentido o planejamento é a ação e o plano é um
documento no qual se materializa o planejamento. Lembrando que o plano não pode se
restringir a obedecer a uma norma de fazer um documento, para ser posteriormente silen-
ciado e esquecido, mas sim para fazer cumprir o que está previsto no plano, com o objetivo
de alcançar o sucesso escolar e a melhoria do trabalho pedagógico.

Falamos também sobre o plano de curso, o qual é previsto para uma determinada
turma, como por exemplo: 1º ano do ensino fundamental, 1º ano do ensino médio, 1º
semestre do curso de pedagogia. Se refere à materialização do planejamento no plano de
um curso determinado. Posteriormente falamos sobre o plano de unidade didática que é
a mesma nomenclatura chamada plano de ensino. O plano de unidade didática visa seguir
uma sequência ordena-da de conteúdos, elevando seus níveis e graus de dificuldades para
que o aluno possa compreender e colocar em prática tudo que foi envolvido dentro do
processo de ensino e aprendizagem. Muitas instituições de ensino adotam o plano de
ensino, também chamado plano de unidade didática, no lugar do plano de aula pois facilita
o processo de ensino e aprendizagem em sequência didáticas de aulas. Mas lembre-se, o
plano de aula também facilita a execução da prática docente, tanto dentro como fora dos
espaços escolares.

Todos os planejamentos buscam alcançar um resultado positivo em relação a


aprendizagem dos educandos, sendo que o plano é a materialização desses
planejamentos na forma de documentos que posteriormente servem de consulta aos
docentes para que realizem sua prática docente. Os alunos também participam na
elaboração dos planeja-mentos quando expressam suas dificuldades e dúvidas, assim
estão contribuindo para que o professor identifique quais os conjuntos de experiências que
farão parte dos planos a serem executados posteriormente.

Portanto, planejar não é algo burocrático e nenhum planejamento é neutro, pois


possuem uma intencionalidade, possuem uma escolha teórico metodológica - nem mes-
mo o método tradicional de ensino, pois possui a intencionalidade de conservar os
padrões da so-ciedade.

79
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Componente do Planejamento “Avaliação”


Em se tratando de conceito etimológico de avalição se refere a um substantivo fe-
minino que significa ato de avaliar, ou remete para efeito dessa avaliação. Pode ser sinônimo
de estimativa ou apreciação. Uma avaliação pode ser a estimativa do valor de alguma coisa
ou de algum trabalho. No mercado imobiliário, por exemplo, uma avaliação é feita por um
avaliador e consiste no valor comercial de uma propriedade.

Conceitos de autores importantes, mais cobrados em provas!

Para Vasconcellos (1995) LIBÂNEO, 1994, p. 195

(GIL, 2006, p. 247).

80
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

√ A avaliação é essencial à educação. Inerente e indissociável enquanto concebida


como problematização, questionamento, reflexão sobre a ação. Um professor que não ava-
lia constantemente a ação educativa, no sentido indagativo, investigativo, do termo, instala
sua docência em verdades absolutas, pré-moldadas e terminais. (p. 17)

√ A avaliação é reflexão transformada em ação. Ação essa que nos impulsiona para
novas reflexões. Reflexão permanente do educador sobre a realidade, e acompanhamento,
passo a passo do educando, na sua trajetória de construção de conhecimento (p.18)

A AVALIAÇÃO SEGUNDO A LDB


De acordo com a LDB 9394\96, artigo 24 inciso V, a verificação do rendimento esco-
lar observará os seguintes critérios:

→ A avaliação contínua e cumulativa do desempenho do aluno, com prevalência dos


aspectos qualitativos sobre os quantitativos e dos resultados ao longo do período sobre os
de eventuais provas finais;

→ Possibilidade de aceleração de estudos para alunos com atraso escolar;

ENTENDENDO MELHOR

Em relação ao que consta na LDB, a avaliação precisa dar primordial importância aos
aspectos qualitativos em detrimento dos quantitativos, visto que a qualidade da avaliação
deve ser apreciada, ou seja, o que os educandos conseguiram aprender e colocar em prática
em suas práticas escolares e de vida durante todo o processo de ensino e aprendizagem.

Avaliar não se restringe a obedecer uma ordem direta e vencer todo o conteúdo
proposto nas grades curriculares. Esse modelo de avaliação corresponde à metodologia
tradi-cional, ainda existente nas práticas docentes. Porém os normativos dão ênfase a que
as insti-tuições de ensino deem prevalência aos aspectos qualitativos da avaliação, de modo
que a avaliação tenha como objetivo formar os educandos em sua multidimensionalidade,
em todos seus aspectos, pois não basta formar o aluno somente no aspecto cognitivo, é
preciso contemplar os aspectos multi-dimensionais, que incluem o socioafetivo, físico motor,
sociocultural dentre outros.

81
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

NÍVEIS DA AVALIAÇÃO
Assim como existem vários níveis de planejamento, não é diferente com a avaliação.
Nesse sentido, temos a avaliação da aprendizagem, a institucional e a de larga escala ou de
redes.

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

Acontece na sala de aula. Na maioria das vezes o professor tem a intenção de avaliar
a aprendizagem dos estudantes. É um processo mediador na construção do currículo e se
encontra intimamente relacionado à gestão da aprendizagem dos alunos. Ou seja, o pro-
fessor ministrou a aula e precisa saber se o conhecimento foi construído pelo aluno ou não.

Neste nível, o professor não deve permitir que os resultados das provas periódicas,
geralmente de caráter classificatório, sejam supervalorizados em detrimento de suas obser-
vações diárias, de caráter diagnóstico. Assim, não se deve supervalorizar a avaliação soma-
tiva, mas sim a formativa.

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

É a avaliação que acontece na instituição de ensino, ou seja, na escola. Tem a fun-


ção de construir, reconstruir e aperfeiçoar o Projeto Políitico Pedagógico (PPP), promovendo
melhorias de qualidade, atendendo quatro objetivos diretos e básicos:

√ Alimentar o interesse pela auto avaliação de todos os envolvidos e interessados


no processo (professores, funcionários, alunos, egressos, familiares, comunidade, etc).

√ Conhecer melhor as tarefas pedagógicas e administrativas para direcioná-las à


função educacional;

√ Promover a sistematização das ações educacionais, propondo mudanças;

√ Divulgar os resultados para prestar contas à sociedade.

Éimportante queessa avaliação ocorra de forma contínua a fim deverificar oquefoi


plane-jado e o que é executado dentro da escola, provendo um feedback e uma
retroalimentação do que foi proposto para acontecer dentro do espaço.

AVALIAÇÃO DE LARGA ESCALA

Ocorre em um sistema e pode ser conhecida também como avaliação de rede\ex-


terna. Geralmente é feita em larga escala e têm objetivos e procedimentos diferenciados das
avaliações realizadas pelos professores nas salas de aula.

82
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Entre os objetivos deste nível de avaliação, pode-se destacar a certificação, o cre-


dencialmento, o diagnóstico e a rendição de contas, ou seja, o sistema como um todo. Além
da aprendizagem do estudante, avalia-se a formação dos professores, a estrutura escolar, e
socioeconômica. O principal objetivo dessa avaliação é entender o ensino ofertado. Essas
avaliações são, em geral, organizadas a partir de um sistema de avaliação cognitiva dos
alunos e são aplicadas de forma padronizada para uma grande número de pessoas, entre os
quais estão alunos, professores, diretores e coordenadores, por exemplo.

Esse nível de avaliação é tão importante que pode inclusive ajudar a criar novas
políticas públicas. Por exemplo, a Avaliação Nacional de Alfabetização (ANA) trouxe a infor-
mação de que nossos estudantes não estavam sendo alfabetizados até os oito anos. A partir
deste dado, estratégias foram definidas e políticas públicas criadas para que as crianças pu-
dessem ser alfabetizadas até os oito anos. Uma delas, inclusive foi antecipar a alfabetização
para a educação infantil.

Freitas (2009, p. 47) esclarece que “a avaliação em larga escala[...] é um instrumento


de acompanhamento global de redes de ensino com o objetivo de traçar séries históricas do
desempenho dos sistemas, que permitam verificar tendências ao longo do tempo, com a
finalidade de reorientar políticas públicas.”

QUADRO RESUMITIVO

Níveis

DAS INSTITUCIONAL LARGA ESCALA


APRENDIZAGENS

Acontece na sala de É definido em um Se refere às


aula e orienta o departamento ou seja avaliações externas
Professor. na escola. como por exemplo o
SAEB.

Qual a diferença de avaliação das aprendizagens e avaliação para as aprendizagens?

√ A avaliação da aprendizagem: tem caráter formal é materializada nas provas,


nas atividades, visa alcançar os aspectos cognitivos dos alunos.

√ A avaliação para as aprendizagens: possui caráter formativo, ou seja, visa for-


mar os educandos em todos seus aspectos, como: cognitivo, socioemocional, afetivo,
físico motor, dentre outros. Essa avaliação não tem como principal objetivo classificar
nem reter o aluno, mas sim formá-lo como um todo.

83
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

AVALIAÇÃO DE LARGA ESCALA


Vamos conhecer algumas avaliações de larga escala\de redes\externa

SAEB

Segundo o INEP o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) é um conjun-


to de avaliações externas em larga escala que permite ao Inep realizar um diagnóstico da
educação básica brasileira e de fatores que podem interferir no desempenho do estudante.

Por meio de testes e questionários, aplicados a cada dois anos na rede pública e em
uma amostra da rede privada, o Saeb reflete os níveis de aprendizagem demonstrados pe-
los estudantes avaliados, explicando esses resultados a partir de uma série de informações
contextuais.

O Saeb permite que as escolas e as redes municipais e estaduais de ensino avaliem a


qualidade da educação oferecida aos estudantes. O resultado da avaliação é um indicativo
da qualidade do ensino brasileiro e oferece subsídios para a elaboração, o monitoramento e
o aprimoramento de políticas educacionais com base em evidências.

As médias de desempenho dos estudantes, apuradas no Saeb, juntamente com as


taxas de aprovação, reprovação e abandono, apuradas no Censo Escolar, compõem o Índice
de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

MUDANÇA NO SAEB EM 2019

Segundo o INEP, às vésperas de completar três décadas de realização, o Saeb passa


por uma nova reestruturação para se adequar à Base Nacional Comum Curricular (BNCC).
A BNCC torna-se a referência na formulação dos itens do 2º ano (língua portuguesa e ma-
temática) e do 9º ano do ensino fundamental, no caso dos testes de ciências da natureza e
ciências humanas, aplicados de forma amostral.
As siglas ANA, Aneb e Anresc deixam de existir e todas as avaliações passam a ser
identificadas pelo nome Saeb, acompanhado das etapas, áreas de conhecimento e tipos de
instrumentos envolvidos.
A avaliação da alfabetização passa a ser realizada no 2º ano do ensino fundamental,
primeiramente de forma amostral. Começa a avaliação da educação infantil, em caráter de
estudo-piloto, com aplicação de questionários eletrônicos exclusivamente para professores e
diretores. Secretários municipais e estaduais também passam a responder questionários
eletrônicos.

MUDANÇAS NO SAEB EM 2021

O Sistema de Avaliação da Educação Básica Passa a ser anual e os resultados do exame


poderão ser reaproveitados para o ingresso no ensino superior.

Na educação infantil, a avaliação será feita a cada dois anos com o uso de questionários não
cognitivos de maneira eletrônica.

A portaria diz que o Inep, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio
Teixeira, deve realizar com a ajuda de estados e munícipios:

84
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

O SAEB não tem os seus resultados vinculados a alguma política meritocrática, mas
a sua política norteia os currículos escolares, consequentemente influenciam a organização
do trabalho nas escolas e também instaura um clima de competitividade entre as
escolas/sistemas, pois os seus resultados fazem parte do IDEB, que é amplamente
divulgado pela mídia.

ENADE

O ENADE é aplicado aos estudantes ingressantes e concluintes de cursos de gradu-


ação de áreas definidas pelo MEC, trienalmente. Até o ano de 2008 o ENADE, era aplicado
por amostragem. Com as notas do ENADE, o Instituo Nacional de Estudos e Pesquisas Edu-
cacionais Anísio Teixeira (INEP) gera o Conceito ENADE que atribui nota de 1 a 5 aos cursos.

O projeto das avaliações em larga escala tem em princípio o interesse de zelar pela
qualidade da educação e a sua melhora, mas no “contexto da prática” essas políticas são
interpretadas, e produz efeitos/consequências diferentes e significativas do planejado pela
política original, tornando-se uma política transversal nas instituições e sistemas de ensino,
que passa a balizar a suas ações. Podemos dar o exemplo do currículo da educação básica
embasado nos descritores do IDEB, o treino para a prova Brasil; no ensino superior a pre-
ocupação em preparar o aluno para o ENADE. Este são fatores negativos do
desdobramento das políticas de avaliação em larga escala no contexto escolar.

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL
Podemos entender por avaliação institucional aquela realizada na escola, a ins-
tituição estabelece metas e ações no seu Plano de Desenvolvimento Escolar. A avaliação
institucional tem sua legitimidade quando a escola estabelece a relação entre a sua política
educacional, o Projeto Pedagógico, sua organização, suas ações definidas no Plano de De-
senvolvimento da Escola e a prática do dia a dia da instituição.

Com isso, garante-se a lógica do trabalho da escola, sua sistematização.

A escola tem sua autonomia administrativa garantida na forma da LDB/96 e com isso
deve articular mecanismos para garantir tomadas de decisões fundamentadas.

Nesse contexto há necessidade da promoção da participação de todos os segmen-


tos da escola na discussão e definição dos processos que assegurem o padrão de qualidade
almejado por ela.

Atualmente a política de avaliação externa do Ministério da Educação, gerenciada


pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), aplica
os instrumentos de avaliação do rendimento dos alunos nas escolas, como a Prova Brasil,
que geram o Índice de Desenvolvimento da Escola (IDEB), esta avaliação é conhecida como
sendo de larga escala.

Este Índice serve como parâmetro para a escola verificar o rendimento escolar dos
alunos, além de que a escola deve ter também sua própria forma de mensuração e acompa-
nhamento da aprendizagem do aluno.

Porém ainda falta a avaliação que lhe proporcionará a visão do funcionamento

85
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.
de todos os aspectos da escola e de suas relações; aspecto importante para garantir a
demo- cracia na escola e assegurar a participação. A avaliação institucional proporciona
esta visão.

A avaliação institucional é uma das formas da gestão conhecer o que pensam os


diferentes segmentos, seus anseios, fragilidades e pontos fortes. Com as análises que os
resultados da aplicação da avaliação institucional permitem, o gestor tem condições de
promover e estimular a melhoria do desempenho de toda a equipe escolar, estabelecendo
a sintonia do trabalho e entre as pessoas.

Com esse processo a escola estabelece condições necessárias para a superação dos
problemas e conflitos internos, em prol da melhoria do processo educativo.

Com os resultados da avaliação institucional, o gestor viabiliza o acompanhamento


das ações previstas no PDE, estabelecendo a coerência entre essas e sua política educacio-
nal constante no Projeto Pedagógico.

Heloisa Lück (2009) propõe uma série de competências para a efetivação do acom-
panhamento, que denomina de monitoramento de processos educacionais e deve ser alia-
do à avaliação institucional. Destaca que os dois procedimentos são aspectos do mesmo
processo, qual seja, qualificar o trabalho da escola.

Há várias maneiras para se organizar a aplicação de instrumentos que compõem o


processo de avaliação institucional, alguns aspectos, porém, são de relevância comum a
qualquer tipo de organização: a garantia de que todos os segmentos da escola sejam ava-
liados e se auto avaliem, bem como o gestor escolar; a cientificidade do processo, seguindo
etapas como a coleta de dados, de maneira fidedigna, sigilosa, preservando o autor das in-
formações; a divulgação e utilização dos resultados da avaliação.

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM
A avaliação da aprendizagem ocorre na sala de aula e sob orientação do professor, é
uma tarefa complexa que não se resume à realização de provas e atribuições de notas.

Segundo Libâneo a avaliação possui três funções:

Pedagógica-didática

Se refere ao ensino e aprendizagem, o ensino que a escola proporciona aos alunos


e a aprendizagem que os alunos conseguem adquirir.

Diagnóstica

Ocorre no ínicio, avaliação diagnóstica; durante o processo, avaliação formativa; e


no final, avaliação somativa.

Controle

Refere-se aos meios e à frequência das verificações e de qualificação dos resultados


escolares. É sistemático e contínuo porque ocorre no processo de interação professor-aluno,
através de uma variedade de atividades. Diz respeito também à avaliação formativa.

86
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Segundo Libaneo a avaliação são de dois tipos:

FORMAL

É intencional e organizada, ocorre primordialmente nos espações escolares, através


de provas, testes, questionários e exercícios, são alguns exemplos da materialização da ava-
liação formal.

INFORMAL

Não é intencional, ocorre através das relações socioafetivas, do diálogo, nas rodas
de conversas, na família, na sociedade de até mesmo nos espaços escolares, porém não visa
somente os aspectos cognitivos.

AVALIAÇÃO FORMAL E INFORMAL


Segudo as (Diretrizes da Avaliação Educacional,SEDF 2016,pág.42) os
elementos formaisquecompõemaavaliação são os mais conhecidos porserem os quetêm
visibilidade. São considerados procedimentos\instrumentos formais de avalia- ção os que
deixam claro para os estudantes e seus familiares que, por meio deles, a avalia- ção está
acontecendo: testes, provas, listas de exercícios, deveres de casa, formulários, rela- tórios e
outros. De modo geral a escola dá ênfase aos procedimentos formais. Contudo, os que
compõem a avaliação informal merecem nossa reflexão por exercerem forte influência
sobre os resultados do processo avaliativo. São constituídos pelos juízos que os professores
fazem sobre os estudantes e vice-versa.
Estudos recentes apontam que a avaliação informal pode ser utilizada a favor do estudante,
do docente e das aprendizagens ou, ao contrário, contra todos eles. Diz-se que seu uso
formativo e, portanto, recomendável. Essa avaliação ocorre quando identificamos as
fragilidades e as potencialidades desses atores e as utilizamos em favor deles, sem compará-
los com outros. O ponto de partida e de chegada é fruto da avaliação diagnóstica, que deve
ser per-manente. Alertamos que seu uso negativo e, portanto, contraproducente ocorre
quando a avaliação informal gera rótulos como mau aluno, lento, preguiçoso, entre outros,
que nada contribuem para a melhoria do processo nem para o desenvolvimento do estudante.

Mesmo quando elogiamos publicamente um estudante, isso nem sempre é vá- lido
porque pode cumprir uma agenda subliminar para comparar e intimidar os demais que
não se encontram no nível esperado ou desejado por quem elogia. A intenção é que, ao
realizar esse filtro ético, o processo e o produto dessa avaliação não sejam minados por
elementos negativos oriundos da avaliação informal.

Mesmo quando não proferidos verbalmente, os elementos da avaliação informal


demarcam fortemente a relação diária dos docentes com os estudantes e, em consequên-
cia, influenciam os processos de ensino e aprendizagem que daí decorrem. Os estudantes
que têm tempo maior de convivência escolar com seus professores estão mais sujeitos às
consequências negativas da avaliação informal. O que levará ao propósito formativo da ava-
liação é a maneira como serão utilizadas tais informações urdidas nessas convivências.

As reuniões pedagógicas como os conselhos de classes são momentos propícios à


ocorrência de avaliação informal. É preciso que se reflita sobre seus benefícios, de modo
que se possa tirar proveito delas e não usá-las para desvalorizar a imagem dos estudantes

87
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

frente a todos os presentes. A avaliação informal deve ser sempre encorajada e jamais servir
para constranger e punir o estudante. Afinal de contas, o papel da escola é contribuir para a
formação do cidadão capaz de inserção social crítica, o que somente será obtido se a ava-
liação estiver a serviço das aprendizagens de todos.

Portanto, a avaliação informal formativa visa incluir para aprender e aprender para
desenvolver-se. O feedback ou retorno de informações aos aprendizes é indispensável para
o processo avaliativo formativo, sejam em sala de aula, seja fora dos espaços escolares.

Segundo Libâneo a aprendizagem pode ser casual ou intencional:

CASUAL ORGANIZADA
Não é organizada. São formadas pelas ex- É transmitida pela escola, é intencional, é
periências fora da escola que acabam por planejada, é sistemática. Ou seja, passa
desenvolver a aprendizagem do aluno. de um saber sincrético para um saber
sinté-tico, uma aprendizagem bagunçada
para organizada.

RELAÇÃO PROFESSOR- ALUNO E O COMPROMISSO SOCIAL E ÉTICO DO PROFESSOR E A


AVALIAÇÃO

Aspecto Cognoscitivo

Como falamos anteriormente no processo de ensino e aprendizaagem, não é dife-


rente no processo de avaliação, ou seja, são conteúdos e tarefas escolares, cognitivo.

Aspecto socioemocional

Novamente ressaltando, como falamos anteriormente no processo de ensino e


aprendizagem, não é diferente no processo de avaliação, ou seja, são as relação pessoais,
socioafetivas, ocorrem através da relação professor\aluno; diálogo também.

CLASSIFICAÇÕES DA AVALIAÇÃO NA PRÁTICA DOCENTE


Existem três classificações de avaliação na prática docente, sendo elas a diagnóstica,
formativa e somativa.Vamos entender melhor cada uma dessas avaliações e sua importan-
cia na educação dos educandos.

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA
Se refere à avaliação que ocorre no ínicio do ano letivo. Esta forma de avaliação é
utilizada objetivando pré-determinar a maneira pela qual o educador deverá encaminhar,
através do planejamento, a sua ação educativa. Terá como função estabelecer os limites
para tornar o processo de aprendizagem mais eficiente e eficaz. Esta didática pode ser con-
siderada como o ponto de partida para todo trabalho a ser desenvolvido durante o ano pelo
educador.

88
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Objetivos da avaliação diagnóstica

É possível observar que a avaliação diagnóstica possui três objetivos:

→ O primeiro é identificar a realidade de cada aluno que irá participar do processo;

→ O segundo é verificar se o aluno apresenta ou não habilidades e pré-requisitos


para o processo;

→ O terceiro objetivo está relacionado com a identificação das causas, de dificul-


dades recorrentes na aprendizagem. Assim é possível rever a ação educativa para sanar os
problemas.

Estudos de avaliação de autores importantes, mais cobrados em provas!

De acordo com os estudos de Bloom (1993), a avaliação do processo ensino-apren-


dizagem apresenta três tipos de funções: diagnóstica (analítica), formativa (controladora) e
somativa (classificatória).

A AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA (ANALÍTICA)


É adequada para o início do período letivo, porém não se restringe somente a esse
período, podendo ocorrer no início de vários períodos, como início de um bimestre,
semestre, início de cada processo de ensino e aprendizagem, pois permite conhecer a re-
alidade na qual o processo de ensino-aprendizagem vai acontecer. O professor tem como
principal objetivo verificar o conhecimento prévio de cada aluno, tendo como finalidade
constatar os pré-requisitos necessários de conhecimento ou habilidades imprescindíveis que
os estudantes possuem para o preparo de uma nova etapa de aprendizagem.

De acordo com Luckesi (2003), “para que a avaliação diagnóstica seja possível, é pre-
ciso compreendê-la e realizá-la comprometida com uma concepção pedagógica. No caso,
considerarmos que ela deva estar comprometida com uma proposta pedagógica histórico-
crítica, uma vez que esta concepção está preocupada com a perspectiva de que o educan-
do deverá apropriar-se criticamente de conhecimentos e habilidades necessárias à sua rea-
lização como sujeito crítico dentro desta sociedade que se caracteriza pelo modo capitalista
de produção. Na avaliação diagnóstica não se propõe e nem existe uma forma solta, isolada.
É condição de sua existência e articulação com uma concepção pedagógica progressista”.
(LUCKESI 2003, p.82).

89
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

AVALIAÇÃO FORMATIVA OU AVALIAÇÃO PARA APRENDIZAGENS

A avaliação formativa ocorre durante todo o ano letivo, durante o processo de en-
sino e aprendizagem. Essa avaliação é privilegiada tanto pelas legislações como LDB,
como nas instituições de ensino e pelo docente, pois visa forma os educando em sua
integrali- dade, multidmensionalidade, seu instrumento de avaliação são os registros de
tudo que o educando faz durante o processo, incluindo sua participação nesse processo,
como forma de avaliar a sua evolução. A avaliação formativa não se caracteriza como
classificar o aluno ou reprová-lo mas sim em avaliar o que foi ensinado e aprendido, tanto
pelo docente como pelo discente (educando).

Objetivos da avaliação formativa

→ Permite que o aluno tome conhecimento dos seus erros e acertos e encontre
es- tímulo para continuar os estudos de forma sistemática.

→ Permite ao professor detectar e identificar deficiências na forma de ensinar, auxi-


liando na reformulação do seu trabalho didático, visando aperfeiçoá-lo.

Suas finalidades

→ Para que esta forma de avaliação ocorra é necessário que seja controlada,
porque orienta o estudo do aluno ao trabalho do professor, também podemos dizer que é
motiva- dora porque evita as tensões causadas pelas avaliações tradicionais.

→ Para que seja realizada com eficiência, ela deve ser planejada em função de
todos os objetivos, deste modo o instrutor continuará seu trabalho ou irá direcionar de
modo que a maioria dos alunos alcance plenamente todos os objetivos propostos.

Por depender mais da sensibilidade e do olhar técnico do educador, esse formato


de avaliação fornece mais informações que permitem a customização do trabalho do
profes- sor com base nas necessidades de cada aluno. Nesse sentido a avaliação é um
instrumento de controle da qualidade, tendo como maior objetivo um ensino de excelência
em todos os níveis.

Ganhos com a avaliação formativa

A avaliação fomativa: possui a capacidade em gerar, com

rapidez, informações úteis

A avaliação formativa: buscar entender as dificuldades dos educandos e o que foi


possível aprender duran-te o processo.

A avaliação formativa: dá informações úteis sobre etapas vencidas e dificuldades


encontradas.

A avaliação formativa: Se refere a possibilitar conhecer cada um dos educandos,


estabelecendo uma base para as atividades de ensino aprendizagem.

A avaliação formativa: Estabelece um feedback

90
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.
Ou seja, o retorno de verificação de resultados é contínuo sobre o andamento do processo
de ensino e aprendizagem.

Avaliação Formativa

91
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

A Avaliação Formativa

Busca subsídios

Para a busca de informações para solução de problemas.

Os fatores endógenos são levados em conta

Se refere aos fatores internos. Situações educacionais são levadas em conta para
pro-ceder à avaliação. Ou seja, os fatores internos permitem ao docente avaliar o
desempenho dos estudantes e também o seu próprio trabalho.

Reflete valores e expectativas do professor em relação aos alunos.

Desse modo é um ato pedagógico, a avaliação revela as qualidades e perspectivas


do educador.

A avaliação deve ser diferente para os estudante?

Devemos avaliar de forma diferente. A avaliação não pode ser igual, visto que cada
estudando tem suas peculiaridades e singularidades. Uma turma nunca é homegênea e sim
heterogênea, diferente. Os alunos possuem culturas diferentes,dificuldades diferentes e es-
tão inseridos contextos diferentes.

Para que serve os resultados da avaliação somativa?

Os resultados da avaliação formativa servirão de base para identificar como o pro-


cesso de aprendizagem tem acontecido. As informações que essa avaliação revela permi-
tem o planejamento, o ajuste, o redirecionamento das práticas pedagógicas no intuito de
aprimorar asaprendizagens dosalunos. Ou seja, seusresultados servem paraapoiar, com-
preender, reforçar, facilitar, harmonizar as competências e aprendizagens dos alunos.

92
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

PEGADINHA DE PROVA!

CESPE- 2013-SEDF – CARGO – PROFESSOR

Uma vez observadas pelo professor as normas de avaliação da escola e as do sis-


tema de ensino no desenvolvimento da avaliação educacional, é desnecessário adequar a
avaliação aos objetivos, conteúdos e procedimentos de ensino.

ERRADO

Comentário da Questão

É imprescindível que o componente avaliação, dentro dos planejamento e planos,


esteja articulado entre objetivos, conteúdos, métodos ou procedimentos, sendo a avaliação
interligada a esses componentes, por isso é necessário adequá-lo a todos os outros elemen-
tos, para que ocorra o sucesso do ensino e aprendizagem.

AVALIAÇÃO SOMATIVA (classificatória)

Tem como função básica a classificação dos alunos, sendo realizada ao final de um
curso ou unidade de ensino, classificando os estudantes de acordo com os níveis de
aproveitamento previamente estabelecidos. Atualmente a classificação dos estudantes se
processa segundo o rendimento alcançado, tendo por base os objetivos previstos.

Para Bloom (1983), a avaliação somativa “objetiva avaliar de maneira geral o grau em
que os resultados mais amplos têm sido alcançados ao longo e final de um curso”. É através
deste tipo de avaliação que são fornecidos aos estudantes os chamados feedback que infor-
mam o nível de aprendizagem alcançado, se este for o objetivo central da avaliação somativa;
e presta-se à comparação de resultados obtidos, visando também a atribuição de notas.

Características da avaliação somativa

→ É expressa nas provas

→ Ocorre no final do processo

→ Tem o objetivo de classificar o aluno para uma série ou etapa.

→ A avaliação somativa não ocorre na pré-escola.

→ Presume caráter quantitativo em detrimento do qualitativo.

→ Visa atribuições de notas.

93
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Hora da Revisão

Inicialmente aprendemos que a avaliação é um processo de diagnós-


tico, de verificação da aprendizagem, de controle, de reavaliar a prática pe-
dagógica, desse modo para que a avaliação desempenhe diversas funções de
acordo com o momento em que ela é inserida e de acordo com as necessi-
dades dos educandos, é preciso identificá-las em seus diferentes níveis, seus
tipos e suas classificações.

Vimos que a avaliação possui três níveis sendo eles: da aprendizagem,


que ocorre na sala de aula, é mais corriqueira; avaliação institucional, que
ocorre na escola com objetivo de fazer levantamentos sobre a capacidade de
funcionamento da instituição e se essa é capaz de desenvolver a prática
educacional; docente, momento de autoavaliação; e falamos da avaliação de
larga escala, que possui o objetivo de subsidiar na elaboração da proposta
pedagógica da escola e elaborar suas avaliações tanto institucional como da
aprendizagem, é um suporte para fazer levantamentos de como se encontra
a situação dos graus de aprendizagem dos educandos em sentido amplo,
contribuindo para desenvolver percentuais de qualidade da educação como o
IDEB, Índice de Desenvolvimento da Educação Básica.

Abordamos sobre ostipos de avaliação. A partir dos estudos de Bloom,


a avaliação possui três funções principais, que consiste na função de diag-
nosticar os conhecimentos prévios dos alunos, para planejar, incutindo o
conhecimento anterior de cada um, também tem como função a avaliação
formativa que preza por controlar, verificando se os alunos estão atingindo
os objetivos propostos anteriormente, auxiliando o professor na
identificação de deficiências. Por último temos a função somativa que tem
como objetivo a classificação dos alunos no final de um módulo ou curso de
acordo com o rendimento de cada aluno.

Essas três funções da avaliação devem ser vinculadas ou conjugadas


para se garantir a eficiência e eficácia do sistema de avaliação e assim tendo
como resultado final a excelência do processo ensino-aprendizagem. Por ou-
tro lado, é importante lembrar, que é necessário em todos os casos levar em
conta a realidade administrativa da instituição como, por exemplo, o número
de alunos, objetivos, conhecimento técnico do professor, materiais, etc.

94
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

COMPONENTE DE APRENDIZAGEM (AVALIAÇÃO)

Avaliação segundo a LDB NÍVEIS DE AVALIAÇÃO

NORMATIVO

Avaliação segundo a Libâneo TIPOS DE AVALIAÇÃO

LIBÂNEO

Funções da Avaliação

Avaliação segundo Bloom

BLOOM

Dimensões da Avaliação

HOFFMAM

95
Copyright © 2020 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

BATERIA DE SIMULADOS

93
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

BLOCO 01: PLANEJAMENTO


CESPE – ABIN – OFICIAL TÉCNICO DE INTELIGÊNCIA – 2018

1 - Oplanejamento de aulaantecede hierarquicamente oplanejamentodaunidade didática.

( ) CERTO

( ) ERRADO

2 - O Plano Nacional de Educação é instrumento de planejamento educacional pertencente


ao nível operacional de planejamento.

( ) CERTO

( ) ERRADO

3 - O Planejamento estratégico é utilizado como metodologia para efetivar a participação


dos diferentes segmentos da comunidade educativa no processo de construção do plane-
jamento participativo.

( ) CERTO

( ) ERRADO

4 - Planejamento participativo e planejamento estratégico apresentam características co-


muns no que concerne à gestão dos processos escolares.

( ) CERTO

( ) ERRADO

CESPE – DEPEN – PEDAGOGIA- 2015

5 - O planejamento da ação docente deve ser articulado com o planejamento escolar e ins-
titucional.

( ) CERTO

( ) ERRADO

6 - O planejamento deve expressar uma unidade de ideias, princípios e ações.

( ) CERTO

( ) ERRADO

94
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

CESPE- IFB-CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR- 2011

7- O planejamento didático compreende a operacionalização do plano curricular.

( ) CERTO

( ) ERRADO

CESPE- INPI- ANALISTA DE PLANEJAMENTO – PEDSGOGIA – 2013

8 - O planejamento dos conteúdos de aprendizagem é o elemento mais importante para o


educador corporativo.

( ) CERTO

( ) ERRADO

CESPE- TJ- DFT- ANALISTA JUDICIÁRIO- PEDAGOGIA

9 - A organização ou instituição é considerada em sua totalidade para o planejamento no


nível estratégico.

( ) CERTO

( ) ERRADO

CESPE- SEDF- CONHECIMENTOS BÁSICOS – 2017

10 - Os únicos níveis de organização da prática educativa que influenciam no


planejamento docente são o planejamento do professor e o planejamento escolar, que
devem ser articu-lados.

( ) CERTO

( ) ERRADO

CESPE – TJ- ES- ANALISTA JUDICIÁRIO- PEDAGOGIA – 2011

11 - Segundo a abordagem tradicional de planejamento, que se apoia na teoria positivista,


as ações de planejamento cabem aos especialistas que ocupam os mais elevados níveis
hierárquicos.

( ) CERTO

( ) ERRADO

95
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

CESPE- TJ-DFT- ANALISTA JUDICIÁRIO- PEDAGOGIA

12 - A priorização da questão orçamentária em um planejamento prejudica o sucesso da


intervenção na realidade, oriunda de um planejamento participativo.

( ) CERTO

( ) ERRADO

CESPE- ABIN- OFICIAL TÉCNICO DE INTELIGÊNCIA – 2018

13 - O planejamento independe do nível de preparo e das condições socioculturais e indi-


viduais dos alunos.

( ) CERTO

( ) ERRADO

14 - O planejamento de ensino é rígido e absoluto

( ) CERTO

( ) ERRADO

15- O planejamento é um processo de racionalização e organização da ação docente.

( ) CERTO

( ) ERRADO

16 - O planejamento curricular define a seleção de conteúdos a serem ministrados em sala


de aula.

( ) CERTO

( ) ERRADO

17 - O planejamento diz respeito à função de formar progressivamente o currículo em dife-


rentes etapas.

( ) CERTO

( ) ERRADO

18 - O planejamento escolar expressa as funções da instituição em dado momento histórico


e social.

( ) CERTO

( ) ERRADO

96
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

CESPE- SEE- AL- PROFESSOR- 2013

19 - Atualizar o conteúdo e facilitar a preparação de aulas são funções do planejamento


escolar.

( ) CERTO

( ) ERRADO

20- O planejamento eficaz deve ser um instrumento rígido e absoluto para direcionar a prática docente.

( ) CERTO

( ) ERRADO

21- O planejamento, por si só, assegura o andamento do processo de ensino.

( ) CERTO

( ) ERRADO

22- No planejamento são identificadas as opções político-pedagógicas do docente e da escola.

( ) CERTO

( ) ERRADO

23- A elaboração do planejamento da instituição de ensino dispensa a participação do professor.

( ) CERTO

( ) ERRADO

24-O planejamento de ensino restringe-se ao momento de elaboração dos planos de trabalho pelo
educador.

( ) CERTO

( ) ERRADO

25-O foco exclusivo do planejamento participativo é a democratização das decisões.

( ) CERTO

( ) ERRADO

97
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

26 - O planejamento participativo distingue-se por seu caráter tradicionalista.

( ) CERTO

( ) ERRADO

CESPE- SEDF- TÉCNICO DE GESTÃO EDUCACIONAL – SECRETÁRIO ESCOLAR- 2017

27-O planejamento participativo contribui para que os envolvidos se sintam corresponsável


pelo que acontece na escola.

( ) CERTO

( ) ERRADO

CESPE- SEDUC- AM- PEDAGOGO- 2011

28 - Oprocessodeplanejamento compreende três dimensões: técnica, conceitual, política.

( ) CERTO

( ) ERRADO

CESPE- CNJ- ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA ADMINISTRATIVA- 2013

29 - A convivência harmoniosa entre os membros de uma comunidade escolar constitui um


princípio do planejamento participativo.

( ) CERTO

( ) ERRADO

30 - O planejamento participativo compreende o diagnóstico da realidade dos alunos.

( ) CERTO

( ) ERRADO

31 - A preparação, o desenvolvimento e o aperfeiçoamento são fases do planejamento de


ensino.

( ) CERTO

( ) ERRADO

98
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

CESPE- UNIPAMPA- TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS

32 - Atualmente, o planejamento nas escolas tem sido executado sob a forma de projeto
político-pedagógico, modalidade de planejamento resultante de uma construção coletiva
em que se negligenciam o diagnóstico e as avaliações da realidade.

( ) CERTO

( ) ERRADO

CESPE- SEE-AL- SECRETÁRIO ESCOLAR- 2013

33 - O planejamento curricular, que apresenta alto grau de incerteza, é um elemento perti-


nente ao nível estratégico de planejamento escolar.

( ) CERTO

( ) ERRADO

CESPE – DEPEN- PEDAGOGIA- 2013

34 - O principal objetivo do planejamento de ensino é garantir o cumprimento dos conteú-


dos estabelecidos na gradecurricular.

( ) CERTO

( ) ERRADO

35 - O desafio da escola, emuma perspectiva empresarial, é garantir a qualidade formal por


meio de um planejamento eficaz.

( ) CERTO

( ) ERRADO

CESPE - INSS - ANALISTA DE SEGURANÇA SOCIAL- PEDAGOGIA

36 - Na perspectiva tradicional de planejamento, a visão estratégica abrange todos os níveis


da organização.

( ) CERTO

( ) ERRADO

37 - Por considerarem a organização em sua totalidade, o planejamento institucional e o


nível estratégico estão diretamente relacionados.

( ) CERTO

( ) ERRADO

99
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

CESPE- ME- TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS- 2008

38 - A centralidade na dimensão orçamentária éa garantia de eficiência eeficácia na imple-


mentação de um planejamento participativo.

( ) CERTO

( ) ERRADO

CESPE-INCA-TECNOLOGIA JUNIOR-ANALISTA PEDAGÓGICO-2010-ADAPTADA

39-O planejamento educacional passou a ser concebido como instumento imprescindível na


eaboração de um projeto educativo.

( ) CERTO

( ) ERRADO

CESPE-ABIN-OFICIAL TÉCNICO DE INTELIGÊNCIA-2018

40- No que se refere ao planejamento currícular, julgue o próximo item.

O planejamento currícular é o mesmo que planejamento da instrução.

( ) CERTO

( ) ERRADO

100
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

GABARITO BLOCO 1 – PLANEJAMENTO

1-E 11 - C 21 - E 31 - C
2-E 12 - C 22 - C 32 - E
3-C 13 - E 23 - E 33 - C
4-E 14 - E 24 - E 34 - E
5-C 15 - C 25 - E 35 - C
6-C 16 - E 26 - E 36 - E
7-C 17 - C 27 - C 37 - C
8-E 18 - C 28 - C 38 - E
9-C 19 - C 29 - E 39 - C
10 - E 20 - E 30 - C 40- E

Nº ACERTOS Nº ERROS

101
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

BLOCO 02: PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO


ADAPTADAS

1 - SELECON- 2018- PREFEITURA DE CUIABÁ -MT-PROFESSOR -PEDAGOGO

Segudo Veiga (2007) o projeto de construção do projeto é marcado por três atos distintos e
interdependentes- o ato situacional, o conceitual e o ato operacional. Quanto ao ato
conceitu-al, pode-se afirmar que diz respeito à concepção de sociedade, homem,
educação, escola, currículo, ensino e aprendizagem.

( ) CERTO

( ) ERRADO

2 - Segundo Veiga (1996), “O projeto político-pedagógico, ao se construir em processo de-


mocrático de decisões, deve ser construído primeiro pelos gestores das escolas.

( ) CERTO

( ) ERRADO

3 - Na perspectiva emancipatória o PPP preocupa-se em instaurar uma forma de organiza-


ção do trabalho pedagógico que supere os conflitos, buscando eliminar as relações compe-
titivas, corporativas e autoritárias.

( ) CERTO

( ) ERRADO

CESPE-2008-TJ-DFT-ANALISTA JUDICIÁRIO-PEDAGOGIA

4 - Na implementação do PPP, a tendência emancipatória é a de eliminação de conflitos


entre os indivíduos ou grupos para a garantia da sua eficiência e eficácia.

( ) CERTO

( ) ERRADO

CETRO-2008-SEED-SP- SUPERVISOR ESCOLAR

5 - Fonseca (2001), ao refletir sobre PPP das escolas, seu significado e sentido, com vistas ao
sucesso escolar deve ser entendido como o conjunto articulado de propostas e planos em
função de finalidades fundadas em valores previamente explicitado e assumidos.

( ) CERTO

( ) ERRADO

102
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

COPEVE-UFAL-2011-PEDAGOGO

6 - A construção do PPP somente se dá na perspectiva da gestão democrática participativa,


para que esteja de fato voltada às necessidades de mudança na educação, no currículo e no
processo ensino-aprendizagem.

( ) CERTO

( ) ERRADO

CESPE-2011-CORREIOS -ANALISTA DE CORREIOS-PEDAGOGO

7 - OPPPcaracteriza-sepor ser um documento estritamente administrativo, no qual devem


estar expressos os objetivos de aprendizagens, as metas das instituições educativas bem
como os métodos pedagógicos para o cumprimento do currículo.

( ) CERTO

( ) ERRADO

8 - CESPE-2011- CORREIOS- ANALISTA DE CORREIOS-PEDAGOGO

A elaboração do PPP compete aos gestores públicos, que devem observar não só a legis-
lação educacional vigente, mas também as aspirações da sociedade contemporânea, no
estabelecimento das concepções pedagógicas que fundamentarão as ações educacionais,
de cuja execução devem participar apenas os profissionais das instituições educativas.

( ) CERTO

( ) ERRADO

CESPE-2010-ABIN- OFICIAL TÉCNICO DE INTELIGÊNCIA- ÁREA DE PEDAGOGIA

9 - Alógica estratégica eavisão emancipatória, perspectivas que podem orientar a constru-


ção de projetos político-pedagógico em ambientes escolares ou corporativos, não afetam
a essência desses projetos.

( ) CERTO

( ) ERRADO

103
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

NUCEPE- 2009-SEDUC-PI- PROFESSOR- INFORMÁTICA

10 - O PPP, pensado como instrumento de democratização da escola, postula a necessidade


de estabelecimento de relações democráticas no contexto escolar, bem como indica a ne-
cessidade de se respeitar a diversidade de características dos atores envolvidos no processo
educativo. Em relação ao referido projeto é correto afirmar:

I. desenvolve-se orientado por concepções de educação e de ensino;

II. prevê como a base para a atividade pedagógica os princípios tecnicistas;

III. efetiva-se no cotidiano, estando em constante reconstrução;

IV. prioriza as ações técnicos administrativas;

V. articula princípios pedagógicos e administrativos.

A respeito das afirmações constantes dos itens I a V, a alternativa CORRETA é:

A - Apenas as afirmações dos itens II, II e IV estão corretas.

B - Apenas as afirmações dos itens I,II e II estão corretas.

C - Apenas as afirmações constantes dos itens I, II e IV estão corretas.

D - Apenas as afirmações dos itens I, III e V estão corretas.

CESPE-2011-SAEB-BA-TODOS OS CARGOS-EDU.FÍSICA, ARTE, PORTUGUÊS, INGLÊS E ES-


PANHOL

11 - O projeto político-pedagógico resulta do agrupamento de diversos planos de ensino e


atividades orientadores das ações sistemáticas de professores, gestores e alunos.

( ) CERTO

( ) ERRADO

12 - Na elaboração do PPP, a cargo dos gestores e professores, devem ser consideradas tanto
as necessidades dos alunos quanto as da comunidade a que a escola pertence, como forma
de promoção do envolvimento de todos na melhoria da qualidade da educação.

( ) CERTO

( ) ERRADO

104
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

13 - Trata-se de documento oficial que orienta a gestão administrativa e financeira dos es-
paços escolares, devendo ser do conhecimento detodos os atores do processo educativo.

( ) CERTO ( ) ERRADO

14 - Trata-se de um plano em que se detalham objetivos, diretrizes e ações do processo


educativo a ser desenvolvido na escola, e com base no qual são tomadas as decisões, en-
caminhadas questões e analisado os resultados alcançados, tanto no plano administrativo
quanto no pedagógico.

( ) CERTO ( ) ERRADO

IF - PR - 2010 - PEDAGOGO

15- O Projeto Político Pedagógico deve estabelecer uma relação distinta entre a dimensão
política e a dimensão pedagógica da escola.

( ) CERTO ( ) ERRADO

16 - A gestão democrática é um dos princípios para a elaboração do Projeto político-peda-


gógico.

( ) CERTO ( ) ERRADO

17 - OProjeto político-pedagógico configura-se como umprocesso permanente de reflexão


e discussão dos problemas da escola, na busca de alternativas viáveis à efetivação de sua
intencionalidade.

( ) CERTO ( ) ERRADO

18 - Toda ação pedagógica é, também, uma ação política, não no sentido de uma doutrina
ou partido, mas no sentido da busca do bem comum e coletivo.

( ) CERTO ( ) ERRADO

19 - O projeto político-pedagógico da escola deve ser construído e vivenciado por todos os


envolvidos no processo educativo da escola. É uma ação intenciona, com objetivos implíci-
tos e um compromisso definido coletivamente.

( ) CERTO ( ) ERRADO

CESPE-DPU-TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS-2016

20 - O PPP é um guia para ação, que prevê e fornece uma direção política e pedagógica para
o trabalho educativo.

( ) CERTO ( ) ERRADO

105
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

GABARITO BLOCO 2 – PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO

1-C 11 - E
2-E 12 - E
3-C 13 - E
4-E 14 - C
5-C 15 - E
6-E 16 - C
7-E 17 - C
8-E 18 - C
9-C 19 - E
10 - D 20 - C

Nº ACERTOS Nº ERROS

106
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

BLOCO 03: TEORIAS DE CURRÍCULOS E MANIFESTAÇÃO DE CURRÍCULO


1 - VUNESP - TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS - UFSCAR - 2008

O currículo é o resultado de uma seleção que opera, em relação à cultura de uma socieda-
de, a partir de critérios neutros e objetivos, pelos quais se determina os conteúdos a serem
priorizados para transmissão às novas gerações.

( ) CERTO

( ) ERRADO

2 - UFScar - TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS - 2009

O currículo é um instrumento norteador do trabalho docente, sempre provisório e inacaba-


do aberto à produção de sentidos; um processo dinâmico que incorpora constantemente os
saberes e os elementos culturais de seus agentes.

( ) CERTO

( ) ERRADO

3 - UFScar - TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS - 2009

Considerando que o currículo é um processo de produção e\ou construção do conheci-


mento, a partir de experiências de vidas dos professores e alunos, situados num contexto
sócio-histórico mais amplo, assinale a alternativa compatível com essa definição.

a) A organização curricular deve levar em consideração as relações entre os agentes sociais


que dela participam num espaço e num tempo determinado e a definição de um suporte
teórico que a sustente.

b) O currículo escolar é responsável pela produção do conhecimento neutro entre o sujeito


individual e o sujeito dacomunidade.

c) O currículo caracteriza-se como o conjunto de disciplinas que compõem um curso orga-


nizadas em uma matriz curricular.

d) O currículo é um instrumento formal preconcebido, delimitado, definidor das atividades


que o professor deve realizar na escola.

e) O currículo não deve contribuir para o desenvolvimento e fortalecimento de identidades


culturais, pois dessa forma não estará situando osalunos como sujeitos conscientes dentro
do universo simbólico que os constitui sujeitos e cidadãos.

107
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

4-COPEC-UFAL-TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS-2009

O currículo é um dos locais privilegiados onde se entrecruzam saber e poder, representa-


ções e domínio, discurso e regulação. É também no currículo que se condensam relações
de poder e subjetividades sociais.

( ) CERTO

( ) ERRADO

5 - CESPE - SEDU - ES - PEDAGOGO - 2010 - ADAPTADA

O currículo compreende apenas a sistematização dos conhecimentos a serem transmitidos


no processo educativo.

( ) CERTO

( ) ERRADO

6 - AOCP -P EDAGOGO - 2012 - ADAPTADA

À palavra currículo associa-se distintas concepções, que derivam dos diversos modos de
como a educação é concebida historicamente, bem como das influências teóricas que a
afetam e se fazem hegemônicas em um dando momento.

( ) CERTO

( ) ERRADO

7 - A palavra currículo tem sido também utilizada para indicar efeitos alcançados na escola,
que não estão explicados nos planos e nas propostas, não sendo sempre, por isso, clara-
mente percebidos pela comunidade escolar.

( ) CERTO

( ) ERRADO

8 -O currículo é o coração da escola, o espaço central em que todos atuamos, o que nos
torna, nos diferentes níveis do processo educacional, responsáveis por sua elaboração.

( ) CERTO

( ) ERRADO

9 - O currículo constitui um dispositivo em que se concentram as relações entre a socieda-


de e a escola, entre os saberes e as práticas socialmente construídos e os conhecimentos
escolares.

( ) CERTO

( ) ERRADO

108
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

FGV-PEDAGOGO-2012-ADAPTADA

10 - O currículo pode ser pensado apenas como um rol de conteúdos a serem transmitidos
para um sujeito passivo.

( ) CERTO

( ) ERRADO

) CERTO

) ERRADO

TEORIA DE CURRÍCULO

) CERTO

) ERRADO

) CERTO

) ERRADO

) CERTO

) ERRADO

15 - A eficiência é a diretriz que conduz todo o planejamento da organização do trabalho


pedagógico.

( ) CERTO

( ) ERRADO

109
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

16 - O reconhecimento da existência de um currículo oculto é primordial para a identifica-


ção da ideologia presente no cotidiano escolar.

( ) CERTO

( ) ERRADO

17 - Asubjetividade e omulticulturalismo são traços marcantes das teorias baseadas nessa


concepção.

( ) CERTO

( ) ERRADO

18 - A neutralidade dos saberes é defendida para a garantia da cientificidade de seleção de


conteúdos.

( ) CERTO

( ) ERRADO

19 - A análise de relações de produção, busca da emancipação e da libertação das classes


dominadas direciona a organização curricular.

( ) CERTO

( ) ERRADO

CESPE-SEDF-PROFESSOR CLASSE A-2008

20 - Ensino, planejamento e eficiência são conceitos enfatizados pela teoria tradicional de


currículo.

( ) CERTO

( ) ERRADO

21 - A teoria crítica põe em relevo os conceitos de subjetividade, multiculturalismo e iden-


tidade.

( ) CERTO

( ) ERRADO

22 - Os conceitos de ideologia, emancipação e reprodução cultural são próprios da teoria


pós-critica.

( ) CERTO

( ) ERRADO

110
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

IF BA-PREF-IRECÊ-BA-PEDAGOGO-2010-ADAPTADA

23 - A teoria pós-crítica de currículo põe em relevo temas como gênero, raça, etnia, sexua-
lidade, subjetividade e multiculturalismo.

( ) CERTO

( ) ERRADO

MANIFESTAÇÕES DE CURRÍCULO

24 - FGV-ASSEMBLEIA LEGISLATIVA-RO-ANALISTA LEGISLATIVO-PEDAGOGIA-2018-A-


DAPTADA

O currículo real é aquele que se materializa dentro do espaço da sala de aula, com profes-
sores e alunos, a cada dia.

( ) CERTO

( ) ERRADO

25 - O currículo formal refere-se às influências que afetam a aprendizagem dos alunos e o


trabalho dos professores provenientes da experiência cultural de cada um.

( ) CERTO

( ) ERRADO

CESPE-TJ-CE-PEDAGOGO-2008

O currículo reflete intenções (objetivos) e ações (conhecimentos, procedimentos, valores,


formas de gestão, de avaliação, etc), tornadas realidades pelo trabalho dos professores e,
sob determinadas condições, providas pela organização escolar, tendo em vista a melhor
qualidade do processo ensino-aprendizagem.

LIBÂNEO,J,C Organização e gestão da escola - teoria e prática. Goiânia.2004,p 171 (adapta- da).

Acerca desse assunto tratado no texto acima, julgue os itens:

26 - O currículo oculto é aquele estabelecido pelos sistemas de ensino expresso em diretri-


zes curriculares.

( ) CERTO

( ) ERRADO

111
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

27 - Currículo real é aquele que de fato é trabalhado em sala de aula, em decorrência da


efetivação do que foi planejado.

( ) CERTO

( ) ERRADO

28 - As imagens de família presentes em determinados livros didáticos são exemplos de um


tipo de currículo intitulado oculto, pois não são explicitados em documentos.

( ) CERTO

( ) ERRADO

29 - O currículo pode ser compreendido em três dimensões, sendo a dimensão real a que
reflete o que acontece no dia a dia da sala de aula.

( ) CERTO

( ) ERRADO

CESPE-IPOJUCA-PEDAGOGO-2009

30 - O currículo oculto é aquele estabelecido pelos sistemas de ensino nas propostas curri-
culares dos estados e municípios.

( ) CERTO

( ) ERRADO

31 - O reconhecimento da existência de um currículo oculto é primordial para a identifica-


ção da ideologia presente no cotidiano escolar.

( ) CERTO

( ) ERRADO

QUADRIX-SEEDF-PROFESSOR SUBSTITUTO-2018- ADAPTADA

32 - Currículo oculto é um conceito do qual fazem parte rituais, relações hierárquicas, re-
gramentos e organização dos tempos e espaços escolares.

( ) CERTO

( ) ERRADO

112
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

FUNIVERSA-SESI-DF-PROFESSOR 1º AO 5º ANO-2010-ADAPTADA

33 - O currículo oculto é constituído por todas aqueles aspectos que, sem fazer parte do
currículo oficial, explícito, contribuem, de forma nítida e transparente, para aprendizagens
sociais relevantes.

( ) CERTO ( ) ERRADO

34 - O currículo oculto reproduz, por meio da cultura escolar, as estruturas sociais e a ide-
ologia dominante do capitalismo. Por isso, o currículo oculto não interfere na subjetividade
dos alunos.

( ) CERTO ( ) ERRADO

35 - Adisposição dascarteiras em filasindianas, emquecadaalunotemsuaatenção voltada


sempre para frente, com o fim único de interromper toda e qualquer forma de comunicação
entre os alunos, não pode ser considerada um exemplo de aspecto do currículo oculto.

( ) CERTO ( ) ERRADO

QUADRIX-SEEDF-PROFESSOR SUBSTITUTO-2018-ADAPTADA

36 - O currículo formal constitui o conjunto das aprendizagens construídas e das experiên-


cias vividas pelo estudante.

( ) CERTO ( ) ERRADO

37 - São manifestações de currículo: o currículo formal, o currículo real e o currículo oculto.

( ) CERTO ( ) ERRADO

38 - Fazem parte do currículo oculto; rituais e práticas; relações hierárquicas; regras e pro-
cedimentos, modos de organizar o espaço e o tempo da escola, a maneira como arruma-
mos as carteiras na sala de aula.

( ) CERTO ( ) ERRADO

39 - O currículo real é aquele estabelecido pelos sistemas de ensino.

( ) CERTO ( ) ERRADO

40 - Há uma distinção estabelecida entre vários níveis de currículo, cada qual com suas
especificidades. Sobre o currículo formal pode-se afirmar que são diretrizes normativas
prescritas.

( ) CERTO ( ) ERRADO

113
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

GABARITO BLOCO 3 – TEORIAS DE CURRÍCULOS E MANIFESTAÇÃO DE


CURRÍCULO
1-E 11 - E 21 - E 31 - C
2-C 12 - C 22 - E 32 - C
3-A 13 - E 23 - C 33 - C
4-C 14 - C 24 - C 34 - E
5-E 15 - E 25 - E 35 - C
6-C 16 - C 26 - E 36 - E
7-C 17 - E 27 - C 37 - C
8-C 18 - E 28 - E 38 - C
9-C 19 - C 29 - C 39 - E
10 - E 20 - C 30 - E 40 - C

Nº ACERTOS Nº ERROS

114
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

BLOCO 04: PLANEJAMENTO ESCOLAR / DE ENSINO / DE AULA


ADAPTADAS

1 - A realização de um trabalho sistematizado com base em uma visão estratégica e objetiva


da realidade é própria de planejamentos elaborados por meio da metodologia de projetos.

( ) CERTO

( ) ERRADO

2 - Oprocesso deplanejamento compreende três dimensões: técnica, conceitual e política.

( ) CERTO

( ) ERRADO

O3- A elaboração e execução constituem etapas separadas, que não se relacionam, da ela-
boração de um projeto.

( ) CERTO

( ) ERRADO

4 - Ao elaborar um projeto, os gestores devem certificar-se da compatibilidade dos objeti-


vos pretendidos com a metodologia a ser utilizada para alcançá-los.

( ) CERTO

( ) ERRADO

5 - Entre os elementos constitutivos do planejamento de ensino está o método que é o con-


junto de normas didáticas eatitudinais.

( ) CERTO

( ) ERRADO

6 - As disciplinas denominadas práticas pedagógicas ou deensino constituem elos entre os


conhecimentos teóricos e o empirismo na formação do pedagogo.

( ) CERTO

( ) ERRADO

115
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

7 - Ao planejar sua disciplina, o professor conta com recursos didáticos que podem ser ma-
teriais e (ou) humanos.

( ) CERTO

( ) ERRADO

8 - Todas as ações escolares devem ter origem nos planos curriculares.

( ) CERTO

( ) ERRADO

9 - Plano de curso é o conjunto de ações a serem desenvolvidas na vigência de determinado


período letivo.

( ) CERTO

( ) ERRADO

10 - Na elaboração do planejamento, a etapa na qual se busca conhecer a realidade a ser


modificada chama-se classificação.

( ) CERTO

( ) ERRADO

11 - Planejar é, sobretudo, preencher formulários para o controle administrativo da ação


educativa.

( ) CERTO

( ) ERRADO

12 - O planejamento independe do nível de preparo e das condições socioculturais e indi-


viduais dos alunos.

( ) CERTO

( ) ERRADO

13 - Faz parte do planejamento de ensino selecionar material didático, identificar tarefas a


serem executadas pelo professor e pelos alunos e replanejar o trabalho docente conforme
situações ocorridas nas aulas

( ) CERTO

( ) ERRADO

116
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

14 - O planejamento de ensino deve ser rígido e absoluto.

( ) CERTO

( ) ERRADO

15 - O planejamento é um processo de racionalização e organização da ação docente.

( ) CERTO

( ) ERRADO

16 - O planejamento diz respeito à função de formar progressivamente o currículo em dife-


rentes etapas.

( ) CERTO

( ) ERRADO

17 - O planejamento curricular expressa as funções da escola em dado momento histórico e


social.

( ) CERTO

( ) ERRADO

18 - No plano de aula, o professor deve especificar o que será realizado na sala, buscando
aprimorar a sua prática pedagógica, bem como melhorar o aprendizado dos alunos.

( ) CERTO

( ) ERRADO

19 - O plano de aula antecede hierarquicamente o plano de unidade didática.


( ) CERTO
( ) ERRADO

20 - O planejamento curricular é fruto de uma sucessão de etapas que vai desde as defini-
ções adotadaspelo Ministério da Educação atéarealização do trabalho docente emsalade
aula.

( ) CERTO

( ) ERRADO

117
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

GABARITO BLOCO 4 – PLANEJAMENTO ESCOLAR / DE ENSINO / DE AULA

1-C 11 - E
2-C 12 - E
3-E 13 - C
4-C 14 - E
5-C 15 - C
6-C 16 - C
7-C 17 - C
8-C 18 - C
9-C 19 - E
10 - E 20 - C

Nº ACERTOS Nº ERROS

118
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

BLOCO 05: COMPONENTES DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM


1 - QUADRIX-2018-SEDF-PROFESSOR SUBSTITUTO-ATIVIDADES

Considerando os métodos, as estratégias e as concepções de avaliação utilizados nos pro-


cessos de ensino-aprendizagem, julgue o próximo item.

No contexto da prática docente, as técnicas são componentes operacionais do método.

( ) CERTO

( ) ERRADO

2 - QUADRIX-2018- SEDUCE-GO-PROFESSOR DE NÍVEL III- BIOLOGIA

A avaliação somativa deve ser realizada no início do período letivo para indicar o quanto o
aluno já sabe a respeito dos conteúdos a serem ministrados.

( ) CERTO

( ) ERRADO

3 - A avaliação diagnóstica deve ser realizada ao final do ano letivo para contribuir com a
avaliação final do aluno.

( ) CERTO

( ) ERRADO

4 - A avaliação formativa deve ser utilizada ao longo do ano letivo, permitindo o acompa-
nhamento contínuo do processo de aprendizagem.

( ) CERTO

( ) ERRADO

5 - A avaliação por certificação de competências deve ser realizada para medição do que os
alunos conseguiram construir ao longo de um ano letivo.

( ) CERTO

( ) ERRADO

6 - A avaliação classificatória deve ser uma prática das escolas, pois informa, de modo segu-
ro, as habilidades desenvolvidas por cada aluno.

( ) CERTO

( ) ERRADO

119
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

FGV - 2019 - PREFEITURA DE ANGRA DOS REIS-RJ-MONITOR DE EDUCAÇÃO ESPECIAL

7 - Entre os componentes do processo de ensino-aprendizagem envolvendo docente e alu-


no, temos: o , que deve responder a pergunta: “Para que ensinar?”; o
, que deve responder a pergunta: “ O que aprender?; e o que deve responder a
pergunta: “Com o quê?”

Assinale a opção cujo os itens completam corretamente as lacunas do fragmento acima.

a) Recurso-conteúdo-objetivo

b) Objetivo-conteúdo-recurso

c) Conteúdo-recurso-objetivo

d) Recurso-conteúdo-método

IDECAN-2016-UFPB-PEDAGOGO

8 - Os objetivos educacionais constituem-se de uma ação intencional e sistemática e são


exi- gências que requerem do professor um posicionamento reflexivo, que o leve a
questiona- mentos sobre a sua própria prática.

( ) CERTO

( ) ERRADO

9 - Os conteúdos não precisam fazer parte dos saberes advindos do conjunto social forma-
do pela cultura, ciência, técnica e arte, sendo ainda o elemento de mediação no processo
de ensino.

( ) CERTO

( ) ERRADO

10- O método constitui as formas que o professor organiza suas atividades de ensino e de
seus alunos e regula as formas de interação entre ensino e aprendizagem, na qual os resul-
tados obtidos é assimilação consciente de conhecimentos e desenvolvimento das capaci-
dades cognoscitivas e operativas dos alunos.

( ) CERTO

( ) ERRADO

120
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

IF - PE - 2016 - PROFESSOR - INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

11 - Conteúdos, objetivos e métodos constituem uma unidade, não podendo ser conside-
rados isoladamente sendo o ensino inseparável das condições concretas de cada situação
didática.

( ) CERTO

( ) ERRADO

12 - Os conteúdos mesmo desvinculados dos objetivos, são insuficientes para efetivação do


trabalho docente e asseguram a assimilação de habilidades e conhecimentos.

( ) CERTO

( ) ERRADO

IBADE-2016-SEDUC-RO-PROFESSOR CLASSE C- SÉRIES INICIAIS

13 - Os recursos didáticos-pedagógicos são componentes do ambiente educacional esti-


muladores do educando, facilitando e enriquecendo o processo de ensino e aprendizagem.

( ) CERTO

( ) ERRADO

14 - Metodologia é todo material utilizado como auxílio no ensino-aprendizagem do conte-


údo proposto para ser aplicado pelo professor a seus alunos.

( ) CERTO

( ) ERRADO

CESPE – OFICIAL TÉCNICO DE INTELIGÊNCIA- PEDAGOGIA- ABIN-2010

15 - Na relação dos objetivos devem-se observar se a relação objetivo-conteúdo expressa


finalidades sociais e pedagógicas.

( ) CERTO

( ) ERRADO

16 - Os objetivos devem abranger critérios para a seleção de outros elementos que consti-
tuem o planejamento de ensino, como, por exemplo, conteúdos, procedimentos, recursos e
processos de avaliação.

( ) CERTO

( ) ERRADO

121
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

17 - A metodologia centrada na compreensão, reflexão e ação caracteriza a tendência edu-


cacional libertadora de Paulo Freire.

( ) CERTO

( ) ERRADO

18 - Ao realizar um planejamento o professor deve pensar e estruturar um conjunto de ob-


jetivos e conteúdos que devem ser trabalhados no decorrer do período previsto no planeja-
mento. São eles (Conteúdos reais, conceituais, procedimentais e atitudinais).

( ) CERTO

( ) ERRADO

QUADRIX-2019- PREFEITURA DE JATAÍ-GO- PROFISSIONAL DO MAGISTÉRIO-CLASSE III

19 - Assinale a alternativa que apresenta os passos didáticos de uma aula.

a) exposição da matéria, adequação curricular, apreensão, apropriação do conhecimento e


avaliação

b) preparação, aula expositiva, aprimoramento dos conhecimentos, compartilhamento e


avaliação.

c) introdução da matéria, treino, verificação da aprendizagem e avaliação da aprendizagem.

d) preparação da matéria, socialização dos conhecimentos e análise dos centros de interesse.

e) introdução da matéria, tratamento didático do conteúdo novo e aprimoramento de co-


nhecimentos e habilidades.

FUNDAB-2013-IF-RR-PROFESSOR-PEDAGOGIA

20 - No currículo tradicional, a avaliação mais valorizada é a:

a) comportamental

b) somativa

c) progressiva

d) diagnóstica

e) processual

122
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

GABARITO BLOCO 5 – COMPONENTES DO PROCESSO DE ENSINO E


APRENDIZAGEM
1-C 11 - E
2-E 12 - E
3-E 13 - C
4-C 14 - E
5-E 15 - C
6-E 16 - C
7-B 17 - C
8-C 18 - E
9-E 19 - E
10 - C 20 - B

Nº ACERTOS Nº ERROS

123
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

BLOCO 06: AVALIAÇÃO


1 - CESPE-UNB (Adaptadas)

A avaliação formativa é processual, contínua, cumulativa, abrangente e interdisciplinar, com


prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos.

( ) CERTO

( ) ERRADO

2 - A avaliação diagnóstica é utilizada quando se pretende encaminhar o aluno para a ava-


liação do psicopedagogo.

( ) CERTO

( ) ERRADO

3 - A avaliação da aprendizagem contribui para o planejamento do ensino, cujo foco é a


avaliação dos alunos e, para o planejamento do ensino, cujo foco é a avaliação do trabalho
do professor.

( ) CERTO

( ) ERRADO

4 - A função da avaliação formativa é checar se os objetivos das políticas públicas foram


atendidos.

( ) CERTO

( ) ERRADO

5 - A avaliação da aprendizagem pode assumir diversas funções, como a diagnóstica, a for-


mativa e a somativa, ocorrendo preponderantemente, antes, durante e depois do processo
formativo.

( ) CERTO

( ) ERRADO

6 - A avaliação somativa é uma avaliação de aprendizagem de acordo com a qual as notas


e conceitos são atribuídos ao aluno.

( ) CERTO

( ) ERRADO

124
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

7 - Aavaliação somativa funciona como parâmetro parachecagem das metas quea direção
da escola ainda necessita alcançar.

( ) CERTO

( ) ERRADO

8 - A avaliação do ensino consiste em os alunos atribuírem notas e conceitos aos desempe-


nhos dos professores.

( ) CERTO

( ) ERRADO

9 - A avaliação diagnóstica revela apenas os conhecimentos que o aluno nãoaprendeu.

( ) CERTO

( ) ERRADO

10 - A avaliação da aprendizagem aplicada a um aluno jamais deve ser usada para informar
os professores da escola como é o desempenho escolar dele.

( ) CERTO

( ) ERRADO

11 - Currículo e avaliação devem ser definidos separadamente

( ) CERTO

( ) ERRADO

12 - A avaliação da aprendizagem não pode interferir no modo como o professor planeja


sua prática pedagógica, pois seu foco é o desempenho do aluno, e não o do professor.

( ) CERTO

( ) ERRADO

13 - A avaliação escolar ocorre sempre de forma explícita em função da necessidade de


re- gistro dos resultados.

( ) CERTO

( ) ERRADO

125
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

14 - Os efeitos da avaliação da aprendizagem não se direcionam ao planejamento pedagó-


gico do ano letivo de sua aplicação, mas ao ano letivo posterior.

( ) CERTO

( ) ERRADO

15 - A avaliação formativa visa acompanhar, de forma contínua, o desempenho do aluno


durante o processo de ensino-aprendizagem.

( ) CERTO

( ) ERRADO

16 - A avaliação da aprendizagem baseia-se na concepção de educação que norteia a refle-


xão do aluno sobre seus acertos, de fundamental importância para a formação do cidadão.

( ) CERTO

( ) ERRADO

17 - A avaliação da aprendizagem no Ensino Fundamental e no Ensino Médio, adota uma


estratégias de progresso individual e contínuo que favorece o crescimento do educando,
preservando a qualidade necessária para sua formação escolar, sendo organizada de acordo
com as regras comuns a essas duasetapas.

( ) CERTO

( ) ERRADO

18 - O uso de um currículo crítico e transformador possibilita uma prática avaliativa classi-


ficatória e autoritária.

( ) CERTO

( ) ERRADO

19 - A função classificatória da avaliação tem o propósito de identificar as causas de repeti-


das dificuldades na aprendizagem.

( ) CERTO

( ) ERRADO

20 - A avaliação institucional deve ser realizada com base na proposta pedagógica da esco-
la, assim como do seu plano de trabalho, de maneira a possibilitar a análise de seus avanços
e localizar aspectos que merecem reorientação.

( ) CERTO

( ) ERRADO

126
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

GABARITO BLOCO 6 – AVALIAÇÃO

1-C 11 - E
2-E 12 - E
3-C 13 - E
4-E 14 - E
5-C 15 - C
6-C 16 - E
7-E 17 - C
8-E 18 - E
9-E 19 - E
10-E 20 - C

Nº ACERTOS Nº ERROS

127
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

BLOCO 7- SIMULADO TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS


1 - QUADRIX- SEEDF-PROFESSOR – ATIVIDADES-2018

Do ponto de vista da pedagogia, as diferentes concepções de educação podem ser agrupadas


em duas grandes tendências: a primeira seria composta pelas con- cepções pedagógicas que
dariam prioridade à teoria sobre a prática, subordinando esta àquela, sendo que, no limite,
dissolveriam a prática na teoria; e a segunda, inversamente, compor-se-ia das concepções
que subordinam a teoria à prática e, no limite, dissolvem a teoria na prática.

Tendo o texto acima como referência inicial, julgue os itens a seguir acerca das tendências
pedagógicas.

1 - Na concepção crítico-social dos conteúdos, a escola exerce o papel fundamental de di-


fusão dos conteúdos, de forma indissociável das realidades sociais.

( ) CERTO ( ) ERRADO

2 - A tendência liberal tecnicista atribui à escola o papel de modeladora de comportamen-


tos, a fim de formar sujeitos acríticos para o mercado de trabalho.

( ) CERTO ( ) ERRADO

3 - Para as tendências progressistas, os processos de ensino-aprendizagem devem conside-


rar o contexto sócio-histórico do estudante e a diversidade social.

( ) CERTO ( ) ERRADO

2 - QUADRIX- SEEDF-PROFESSOR – ATIVIDADES-2018

Em relação à pedagogia histórico-crítica de Saviani e a psicologia histórico-cultural de Vy-


gotski, julgue os itens a seguir.

4 - Nessa perspectiva, o papel da escola é o de modelar o comportamento humano por


meio de técnicas específicas.

( ) CERTO ( ) ERRADO

5 - Na relação professor-aluno, devem predominar a autoridade do professor e a atitude


receptiva do aluno.

( ) CERTO ( ) ERRADO

6 - Os métodos de ensino partem de um saber fundado na experiência dos estudantes e o


trabalho docente. Relaciona a prática vivida pelos estudantes com os conteúdos escolares.

( ) CERTO ( ) ERRADO

128
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

7 - Essa fundamentação pressupõe a ideia de que o ensino consiste em repassar conheci-


mentos para os estudantes e de que a capacidade de assimilação das crianças é igual a dos
adultos.

( ) CERTO ( ) ERRADO

8 - O trabalho pedagógico compreende que a transformação da prática social se inicia a


partir do reconhecimento dos educandos no processo educativo.

( ) CERTO ( ) ERRADO

QUADRIX- SEDUCE- GO- PROFESSOR- 2018-ADAPTADA

Segundo Libâneo, há professores interessados em um trabalho docente mais consequente,


professores capazes de perceber o sentido mais amplo de sua prática e de explicitar suas
convicções. Nesse contexto, é correto afirmar que, na tendência:

9 - liberal tradicional, a escola funciona como modeladora do comportamento humano por


meio de técnicas específicas, sendoque àeducaçãoescolar compete organizar oprocesso
de aquisição de habilidades, atitudes e conhecimentos específicos, úteis e necessários para
que os indivíduos se integrem na máquina do sistema social global.

( ) CERTO ( ) ERRADO

10 - liberal renovada progressivista, a escola tem por finalidade a formação de atitudes, ra-
zão pela qual deve estar mais preocupada com problemas psicológicos que com problemas
pedagógicos ou sociais. Todo esforço está em estabelecer um clima favorável a uma mu-
dança no indivíduo, isto é, a uma adequação pessoal às solicitações do ambiente.

( ) CERTO ( ) ERRADO

11- - progressista “crítico-social dos conteúdos”, a escola adota a tarefa primordial de


difundir conteúdos vivos, concretos e, portanto, indissociáveis das realidades sociais,
podendo con- tribuir para eliminar a seletividade social e torná-la democrática.

( ) CERTO ( ) ERRADO

12 - progressista libertadora, a escola exerce uma transformação na personalidade dos alu-


nos em um sentido libertário e autogestionário. A ideia básica é introduzir modificações
institucionais a partir dos níveis subalternos, que, em seguida, vão “contaminando” todo o
sistema.

( ) CERTO ( ) ERRADO

13 - progressista libertária, a escola tem por marca uma atuação não formal, em que a edu-
cação é uma atividade na qual professores e alunos, mediatizados pela realidade que apre-
endem e da qual extraem o conteúdo de aprendizagem, atingem um nível de consciência
dessa mesma realidade, a fim de nela atuarem, em um sentido de transformação social.

( ) CERTO ( ) ERRADO

129
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

14 - CRISTALINA-2018-PEDAGOGO

Acerca da relação entre educação e sociedade e de suas dimensões filosófica, sociocultural


e pedagógica, julgue o item abaixo.

A teoria freireana afirma que a visão ingênua da sociedade, reproduzida pela escola, é de
extrema importância para que as classes populares sejam libertas.

( ) CERTO ( ) ERRADO

(IMPARH/FORTALEZA-PEDAGOGO-2018- ADAPTADA

Sobre as Tendências Pedagógicas da prática escolar, no Brasil, julgue os itens abaixo:

15 - A Pedagogia Liberal sustenta a ideia de que a escola tem por função preparar os indiví-
duos para o desempenho de papéis sociais, de acordo com as aptidões individuais, por isso
os indivíduos precisam aprender a se adaptar aos valores e às normas vigentes na sociedade
de classes através do desenvolvimento da cultura individual.

( ) CERTO ( ) ERRADO

16 - As Pedagogias Liberais, manifestações de uma sociedade de classes, têm marcado a


história da educação brasileira, nas suas formas conservadora e renovada, representadas
pelas Pedagogias Tradicional, Libertária e Tecnicista.

( ) CERTO ( ) ERRADO

17 - Na Tendência Tradicional, a Pedagogia Liberal se caracteriza por acentuar o ensino


humanístico e subordina a educação à sociedade, tendo como função a preparação de“re-
cursos humanos” (mão de obra para a indústria).

( ) CERTO ( ) ERRADO

18 - CESPE - STJ - PEDAGOGO - 2015

No que se refere aos fundamentos da educação em suas dimensões filosófica, social, cultu-
ral, política e pedagógica, julgue o item subsequente.

Pode-se afirmar que a educação situa-se na categoria de trabalho material, que compreen-
de a produção de ideias, conceitos, valores, hábitos, atitudes ehabilidades.

( ) CERTO ( ) ERRADO

130
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

19 - (MATO GROSSO- Téc. em Assuntos Educacionais-2010)

Considerando as características de cada uma das tendências pedagógicas a seguir, enume-


re a segunda coluna de acordo com a primeira, relacionando os elementos citados.

1. Tendência Tradicional; 2. Tendência Renovada Progressivista; 3. Tendência Tecnicista; 4.


Tendência; Libertadora; 5. Tendência Libertária; 6. Tendência Crítico-social dos Conteúdos

( ) I. Baseia-se na participação grupal, estabelecendo mecanismos institucionais de


mudança (assembleias, conselhos, eleições, associações, etc.) que se fundamentam nos
princípios educativos autogestionários. Espera-se que a escola exerça uma transformação
na personalidade dos alunos.

( ) II. Configura-se numa educação crítica na medida em que questiona concretamen- te


a realidade das relações do homem com a natureza e com os outros homens, visando a
uma transformação social. Os conteúdos de ensino são extraídos da problematização da
prática de vida dos educandos.

( ) III. A atuação da escola consiste na preparação do aluno para o mundo adulto e suas
contradições, fornecendo-lhes um instrumental, por meio da aquisição de conteúdos e da
socialização, para uma participação organizada e ativa na democratização da sociedade.

( ) IV. O conhecimento resulta da ação a partir dos interesses e necessidades e por isso
os conteúdos são definidos em função de experiências que o sujeito vivencia frente a
desafios cognitivos e situações problemáticas. Dá-se mais valor aos processos mentais e
habilidades cognitivas do que a conteúdos organizados racionalmente.

( ) V. É matéria de ensino apenas o que é redutível ao conhecimento observável e men-


surável; os conteúdos decorrem, assim, da ciência objetiva, eliminando-se qualquer sinal de
subjetividade. Ênfase nos manuais, livros didáticos, módulos de ensino, dispositivos audiovi-
suais, etc.

( ) VI. A atuação da escola consiste na preparação intelectual e moral dos alunos para
assumir sua posição na sociedade. O compromisso da escola é com a cultura, os problemas
sociais pertencem à sociedade.

20 - CESPE - SEDF - ATIVIDADES - 2017

Julgue os próximos itens, relativos à didática, formação de professores e tendências pe-


dagógicas na educação. O caráter dogmático dos conteúdos é um princípio da tendência
pedagógica tradicional.

( ) CERTO ( ) ERRADO

21 - Ainda que o professor não adote nenhuma das tendências pedagógicas, seu fazer peda-
gógico é norteado por uma opção epistemológica em relação ao sujeito de aprendizagem.

( ) CERTO ( ) ERRADO

131
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

22 - Um dos princípios da tendência pedagógica progressivista é o da aprendizagem por


meio da prática.

( ) CERTO ( ) ERRADO

23 - As pedagogias contra-hegemônicas cultivavam ideias homogêneas de fundamentação


marxista.

( ) CERTO ( ) ERRADO

24 - Para a pedagogia crítico-social dos conteúdos, o papel da escola é difundir conteúdos


indissociáveis das realidades sociais.

( ) CERTO ( ) ERRADO

25 - Paraa pedagogia histórico-crítica, a prática educativa parte de uma situação hipotética


e tem como finalidade a prática social.

( ) CERTO ( ) ERRADO

26 - Com relação à influência do contexto sociocultural nas tendências pedagógicas, julgue


os itens a seguir.

No Brasil, há autores que consideram que as principais tendências pedagógicas pertencem


a duas categorias: as liberais, em uma perspectiva mais democrática de educação, e as
progressistas, fundamentadas em uma análise crítica da sociedade. A adoção tanto de uma
quanto de outra categoria nos sistemas de ensino brasileiros resultou na superação do mo-
delo que reproduz a divisão social do trabalho.

( ) CERTO ( ) ERRADO

27 - Na escola observam-se espaços, tempos, papéis sociais, relações de poder e de trabalho


decorrentes de convenções sociais e históricas que consolidam rotinas organizacionais que
perpassam diversas gerações.

( ) CERTO ( ) ERRADO

28 - QUADRIX - SEDF - PROFESSOR - 2017

No que se refere aos aspectos pedagógicos e sociais da prática educativa, julgue os itens a
seguir.

Na atualidade, aescola tem assumido várias funções sociais, mas não pode deixar de cum-
prir bem o seu papel fundamental de garantir aos alunos a apropriação dos conhecimentos
historicamente acumulados.

( ) CERTO ( ) ERRADO

132
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

29 - De acordo com a tendência progressista histórico-crítica, a educação deve estar cen-


tralizada no aluno e o professor deve garantir um relacionamento de respeito, promovendo
uma aprendizagem baseada na motivação e na estimulação de problemas.

( ) CERTO ( ) ERRADO

30 - Considerando-se os condicionantes sociopolíticos da escola, as tendências pedagógi-


cas foram classificadas em liberais (libertadora, libertária e crítico-social dos conteúdos) e
progressistas (renovada progressista, renovada não diretiva e tecnicista).

( ) CERTO ( ) ERRADO

31 - No Brasil, a visão crítico-reprodutivista desempenhou um importante papel nos anos


1970, pois suasanálises constituíram-se emarmasteóricas contraapolítica educacionaldo
regime militar.

( ) CERTO ( ) ERRADO

32 - Emuma perspectiva sociocultural, arelação entre educaçãoesociedadepodeser com-


preendida como um mecanismo de preservação daherança cultural geracional, permitindo
trocas de saberes entre as diferentes sociedades, bem como a recriação de valores, normas,
ideias, saberes, hábitos e crenças de determinado grupo.

( ) CERTO ( ) ERRADO

33 - Com base nos elementos que apoiam uma aprendizagem efetiva do aluno, julgue o
seguinte item.

O trabalho, como princípio educativo, é a primeira mediação entre o homem e a realidade


material e social. O ser humano é produtor de sua realidade e, por isso, se apropria dela e
pode transformá-la.

( ) CERTO ( ) ERRADO

34 - Na história da educação brasileira, é possível identificar diferentes concepções pedagó-


gicas, as quais denotam o modo de realizar o ato educativo. Considerando essa informação,
julgue os itens que se seguem.

Embora evidenciem diferentes ideias entre si, todas as concepções pedagógicas defendem
que o papel da escola é integrar os indivíduos à sociedade e prepará-los para o mercado de
trabalho.

( ) CERTO ( ) ERRADO

35 - A falta de condições objetivas é um dos impeditivos para a aplicação, em larga escala,


dos princípios norteadores da concepção progressista.

( ) CERTO ( ) ERRADO

133
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

36 - Na concepção pedagógica tradicional, os métodos de ensino baseiam-se nas carac-


terísticas individuais do aluno e na sua participação ativa nos contextos de aprendizagem.

( ) CERTO ( ) ERRADO

37 - ENADE - PEDAGOGO - 2014 - ADAPTADA

Nos itens a seguir, avalie a correspondência entre o teórico destacado e as características de


sua interpretação sobre a relação entre educação e sociedade.

I. Émile Durkheim - A educação tem a função de transmitir as tradições culturais e as regras


sociais. A educação contribui para a adaptação dos indivíduos à vida social, para que exer-
çam sua função social conforme, geralmente, sua origem de classe, e para a conservação
da sociedade.

II. Anísio Teixeira - A educação não é um privilégio. A política educacional brasileira deve
contemplar um sistema de administração em que se juntem as vantagens da descentraliza-
ção e autonomia com a integração e unidade dos três poderes – federal, estadual, municipal
– do país.

III. Theodore Schultz - Deve-se ressaltar a ideia de capital humano, propondo-se a formação
de indivíduos dotados de habilidades necessárias para o aumento da produtividade e dos
lucros do capital, reforçando-se alguns princípios liberais, como o individualismo e o direito
à propriedade.

IV. John Dewey - A educação é efeito da natureza, dos homens e das coisas; não é outra
coisa senão um hábito. Por sua vez, a sociedade é um pacto e o homem chega a ser cidadão
após educar-se com liberdade.

V. Jean-Jacques Rousseau - A educação deveria formar um novo homem, sintonizado com


um mundo em constantes transformações. Somente uma nova escola, que valorizasse a
experiência, criasse as condições para o desenvolvimento de um ser autônomo e fosse um
ambiente de vivência democrática, poderia educar indivíduos capazes de influir positiva-
mente na sociedade, tornando-a mais cooperativa e participativa, o que impõe considerar a
experiência um conceito central nesse processo.

São corretas as correspondências estabelecidas em:

a) I, II e III.

c) I, IV e V.

d) II, III e V.

b) I, III e IV.

e) II, IV e V.

134
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

38 - FCC – PREFEITURA DE MACAPÁ - AP - PEDAGOGO

Ao considerar os fins da educação, três eixos de compreensão são expressos pelas seguintes
tendências: Educação como redenção da sociedade; Educação como reprodução da socie-
dade e Educação como um meio de transformação da sociedade.

Segundo essas tendências, os fins da educação são, respectivamente, meios para:

A) a manutenção e conservação da sociedade, a reprodução da ordem social, a transforma-


ção da sociedade.

B) ampliação das desigualdades, a manutenção e conservação da sociedade, a reprodução


da sociedade.

C) a transformação da sociedade, a reprodução da sociedade, a manutenção e conservação


da sociedade.

D) fazer justiça social, garantir a sobrevivência da espécie, inserir a modernidade na produ-


ção industrial.

E) o empreendedorismo social, a filantropia nos países emergentes, a revolução tecnológi-


ca.

39 - VUNESP – PREFEITURA DE SUZANO - SP - PROFESSOR - 2015

Nas décadas de 1950 e 1960, o ensino da Arte no Brasil, sofreu a influência de um movi-
mento pedagógico para o qual a aprendizagem ocorre por descoberta e aprender fazendo é
fundamental para a aprendizagem, assim como o pesquisar e o solucionar problemas. A
educação era centrada no aluno, e o professor tinha papel de facilitador da aprendizagem. A
palavra de ordem no ensino da Arte era criatividade compreendida como a criação do novo,
com ênfase na originalidade, na flexibilidade, na influência e na iniciativa do aluno.

É correto asseverar que tais afirmações dizem respeito a uma abordagem relacionada à pe-
dagogia:

A) tecnicista.

B) crítico social dos conteúdos.

C) libertadora.

D) humanitária.

E) renovada.

135
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

40 - Ano: 2016 Banca: FACET Concursos Órgão: Prefeitura de Santa Rita - PB Prova: FACET
Concursos - 2016 - Prefeitura de Santa Rita - PB - Professor de Educação Física

Na tendência pedagógica liberal tradicional o relacionamento professor-aluno manifesta-se


numa prática em que o professor:

A) Exerce autoridade e exige atitude receptiva do aluno.

136
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

BLOCO 7-GABARITO TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS


1 - CERTO 11 - CERTO 21 - CERTO 31 - CERTO
2 - CERTO 12 - ERRADO 22 - CERTO 32 - CERTO
3 - CERTO 13 - ERRADO 23 - ERRADO 33 - CERTO
4 - ERRADO 14 - ERRADO 24 - CERTO 34 - ERRADO
5 - ERRADO 15 - CERTO 25 -ERRADO 35 - CERTO
6 - CERTO 16 - ERRADO 26 -ERRADO 36 - ERRADO
7 - ERRADO 17 - ERRADO 27 - CERTO 37 - Letra A
8 - CERTO 18 - ERRADO 28 - CERTO 38 - Letra A
9 - ERRADO 19 - 546231 29 - ERRADO 39 - Letra E
10 - ERRADO 20 - CERTO 30 -ERRADO 40 - LetraA

Nº ACERTOS Nº ERROS

137
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

BLOCO 8- ANDRAGOGIA

Conceito e desenvolvimento da Andragogia

A andragogia, desenvolvida por Malcolm Knowles, constitui um modelo de


educação de adultos fundamentado em premissas acerca das características dos
aprendentes adultos. A aplicabilidade aos contextos educativos diversificados e a
flexibilidade, que caracterizam a proposta andragógica, permitem a sua utilização
em populações e em organizações diversas, sendo essa uma importante ferramenta
a ser considerada na prática educativa de profissionais que lidam com capacitação e
com desenvolvimento de pessoas.

Para que surge a Andragogia

Andragogia surge como contradição ao modelo pedagógico, centrando-se numa


etapa de vida em que os interesses e as motivações são diferentes, passando da
aquisição fundamental de conhecimentos com base em conteúdos disciplinares para
o desenvolvimento de competências, através de:

Resolução de problemas
Experiências de vida

 A comunicação entre professor e aluno é recíproca e horizontal;


 O ensino é centrado no aluno, nas suas condições, motivações, aspirações e
oportunidades para desenvolver competências;
 O aluno é mais independente que a criança;
 O autodesenvolvimento é contínuo;
 O aprendizado deve atender as necessidades do aluno.

Diferença da EJA Educação de Jovens e Adultos para Andragogia

Diferentemente da Educação de Jovens e Adultos (modalidade de ensino que


perpassa os níveis da educação básica), a Andragogia significa ensino para Adultos, ou
seja, pode ser entendida como métodologias de ensino aos adultos, não só em
espaços escolares mas também nas empresas, através de cursos de treinamentos,
cursos profissionalizantes de capacitação e aperfeiçoamento, educação continuada e
até mesmo presente dentro da EJA e na educação a distância ( modalidades da
educação básica).

138
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Papel do professor na Andragogia

Facilitar a aprendizagem dos estudantes, ajudando-os a transformar as


informações em conhecimento.

Alguns Princípios da Andragogia

NECESSIDADE
AUTONOMIA

AUTODIRETIVIDADE
EXPERIÊNCIAS
PRÉVIAS

INTERATIVIDADE FEEDBACK

139
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

A Necessidade refere-se:

Esse princípio da andragogia nos remete a pensar que dentro do campo


andragógico deve ser levado em consideração as reais necessidades dos educandos,
seu contexto social em que está inserido, suas peculiaridades como individuo, e suas
reais necessidades, para ser incoorporado dentro dos espaços de aprendizagens,
seja nas empresas, nas instituições e ensino, ou na vida em sociedade.

A Autonomia refere-se:

Os adultos têm forte necessidade de se autodirigir, de decidir quando, como e


o que querem aprender. Desse modo na Andragogia leva-se em consideração os
interesses de cada indvíduo adequando a suas necessidades.

A Autodiretividade refere-se:

Assim como os adultos tem autonomia, também possui a autodiretividade,


capacidade de tomar decisões sobre o que deseja, até mesmo do que quer aprender
ou estudar.

As Experiências prévias refere-se:

Uma das premissas da andragogia é que os adultos apresentam numerosas


experiências de vida, segundo as quais constroem a base de seu aprendizado. Essas
experiências devem, portanto, ser incluídas no processo educativo.

O Feedeback refere-se:

Á oportunidade de praticar novos conhecimentos e de refletir sobre sua prática,


analisar e avaliar seu próprio desempenho.

140
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

BLOCO 8- SIMULADO – ANDRAGOGIA

1-Ano: 2018 Banca: AOCP Órgão: UNIR Prova: AOCP - 2018 - UNIR – Pedagogo

Andragogia é a vertente da educação no ensino de adultos. Sobre a andragogia,


julgue o item a seguir.

A andragogia tem como pressuposto que a comunicação entre professor e aluno é


recíproca e horizontal; que o ensino é centrado no aluno, nas suas condições,
motivações, aspirações e oportunidades para desenvolver competências; que o
aluno é mais independente que a criança; que o autodesenvolvimento é contínuo e
que o aprendizado deve atender as necessidades do aluno.

Certo ( ) Errado ( )

2-Ano: 2018 Banca: Quadrix Órgão: SEDF Prova: Quadrix - 2018 - SEDF - Professor
Substituto – Atividades

Considerando os métodos, as estratégias e as concepções de avaliação utilizados nos


processos de ensino‐aprendizagem, julgue o próximo item.
As estratégias didáticas da EJA devem considerar a andragogia, que prioriza o
trabalho com os saberes massificados pelo currículo ideal.

Certo ( ) Errado ( )

3-Ano: 2019 Banca: Quadrix Órgão: Prefeitura de Jataí - GO Prova: Quadrix - 2019 -
Prefeitura de Jataí - GO - Profissional do Magistério - Classe III

Acerca da andragogia, assinale a alternativa correta.


A) O processo de ensino‐aprendizagem deve considerar os problemas reais da vida
diária, sejam pessoais ou profissionais.
B) Os materiais e os recursos didáticos podem ser os mesmos da pedagogia das
crianças, desde que sejam adaptados para o adulto.
C) Por serem adultos, os alunos não são sensíveis a estímulos externos, como notas
e elogios.
D) A relação professor‐aluno é verticalizada e hierárquica.
E) O aluno deve se adaptar ao currículo, pois as atividades são centradas no ensino.

141
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

4-Ano: 2018 Banca: Quadrix Órgão: Prefeitura de Cristalina – GO

Assinale a alternativa que apresenta os princípios da andragogia.


A) necessidade, autodiretividade e feedback.
B) autodiretividade, experiências prévias e autoridade do professor.
C) necessidade, interatividade e verticalização das relações.
D) necessidade, autoridade do professor e feedback.
E) clima de segurança, respeito, disciplina e interatividade.

5-Ano: 2019 Banca: Quadrix Órgão: Prefeitura de Jataí - GO Prova: Quadrix - 2019 -
Prefeitura de Jataí - GO - Profissional do Magistério - Classe III

Em contraposição ao modelo pedagógico, a andragogia é fundada em vários


pressupostos, entre os quais estão:

A) necessidade do saber; necessidade de aprender; e necessidade de fazer.


B) necessidade de aprender; e necessidade do aprendiz.
C) necessidade do saber fazer; e pontos para aprender.
D) autoconceito do sujeito aprendente; e relevância das experiências acumuladas.
E) motivação para aprender; e teoria meritocrática como baliza para critérios de
avanço ou retenção.

6-Ano: 2019 Banca: Quadrix Órgão: Prefeitura de Jataí - GO Prova: Quadrix - 2019 –
Prefeitura de Jataí - GO - Profissional do Magistério - Classe III

Na perspectiva da andragogia, alunos adultos aprendem de forma diferente da das


crianças. Considerando essa informação, assinale a alternativa correta.

A) A EJA requer professores com competências e habilidades para promover a


adaptação dos materiais didáticos das crianças para o ensino de adultos.
B) A andragogia consiste em uma metodologia específica para os adultos, cujo êxito
nas aprendizagens é de 100%.
C) A educação de adultos requer profissionais e metodologias específicas para esse
público.
D) O conceito de andragogia foi criado com a intenção de fomentar a construção de
salas de aula diferenciadas, específicas para os adultos.
E) Ao propor estratégias andragógicas, deve‐se pensar que nem todo adulto tem a
mentalidade esperada para essa fase da vida.

142
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

7-Ano: 2015 Banca: CESPE / CEBRASPE Órgão: MPOG Prova: CESPE - 2015 - MPOG -
Técnico em Assuntos Educacionais - Cargo 6

A respeito da pedagogia e da andragogia, julgue o item subsecutivo.


Andragogia é a ciência que estuda a aprendizagem do adulto.

Certo ( ) Errado ( )

8-Ano: 2016 Banca: IDECAN Órgão: Prefeitura de Simonésia - MG Prova: IDECAN -


2016 - Prefeitura de Simonésia - MG - Pedagogo
A andragogia corresponde à ciência que estuda as melhores práticas para orientar
adultos a aprender. O modelo andragógico baseia-se, entre outros, nos seguintes
princípios, EXCETO:
A) Para o adulto, suas experiências são a base de seu aprendizado.
B) Adultos são mais motivados a aprender por valores externos a si.
C) Adultos carecem saber por que precisam aprender algo e qual o ganho que terão
no processo.
D) O adulto fica disposto a aprender quando a ocasião exige algum tipo de
aprendizagem relacionado a situações reais de seu dia a dia.

9-Ano: 2015 Banca: CESPE / CEBRASPE Órgão: MPOG Prova: CESPE - 2015 - MPOG -
Técnico em Assuntos Educacionais - Cargo 6

A respeito da pedagogia e da andragogia, julgue o item subsecutivo.

O contrato de aprendizagem é uma dinâmica desenvolvida pela andragogia, que


pode, também, ser utilizada na pedagogia.

Certo ( ) Errado ( )

10-Ano: 2015 Banca: CESPE / CEBRASPE Órgão: MPOG Prova: CESPE - 2015 - MPOG
- Técnico em Assuntos Educacionais - Cargo 6

A respeito da pedagogia e da andragogia, julgue o item subsecutivo.

Um dos princípios da andragogia é a utilização das experiências vividas pelos adultos


como recurso de aprendizagem significativa.

Certo ( ) Errado ( )

143
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

11-Ano: 2015 Banca: FGV Órgão: TJ-RO Prova: FGV - 2015 - TJ-RO - Pedagogo

Diversos autores na área da educação defendem que a andragogia se distingue em


termos de método, finalidades e objetivos de uma educação de crianças e
adolescentes. A alternativa que contém apenas pressupostos que caracterizam a
Andragogia é:

A) lógica centrada nos conteúdos, vontade de aprender, orientação da


aprendizagem;
B) papel da experiência, verticalidade, motivação;
C) vontade de aprender, orientação da aprendizagem, verticalidade;
D) motivação, autoeficácia e lógica centrada nos conteúdos;
E) papel da experiência, orientação da aprendizagem, motivação.

12-Ano: 2018 Banca: AOCP Órgão: UNIR Prova: AOCP - 2018 - UNIR – Pedagogo

Andragogia é a vertente da educação no ensino de adultos. Sobre a andragogia,


julgue o item a seguir.

A andragogia tem como pressuposto que a comunicação entre professor e aluno é


recíproca e horizontal; que o ensino é centrado no aluno, nas suas condições,
motivações, aspirações e oportunidades para desenvolver competências; que o
aluno é mais independente que a criança; que o autodesenvolvimento é contínuo e
que o aprendizado deve atender as necessidades do aluno.

Certo ( ) Errado ( )

13- Ano: 2015 Banca: CESPE / CEBRASPE Órgão: MPOG Prova: CESPE - 2015 - MPOG
- Técnico em Assuntos Educacionais - Cargo 6

A respeito da pedagogia e da andragogia, julgue o item subsecutivo.

O papel do professor, na andragogia, pode ser o mesmo que na pedagogia; nas duas
atuações, é fundamental manter a verticalidade e a hierarquização dos papéis de
professor e aluno

Certo ( ) Errado ( )

144
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

14- Ano: 2019 Banca: INSTITUTO AOCP Órgão: UFPB Prova: INSTITUTO AOCP - 2019
- UFPB - Pedagogo
Para a Andragogia, é função do professor

A) transmitir os conteúdos elaborados historicamente.


B) conduzir os processos de ensino e aprendizagem de forma a garantir o sucesso
dos estudantes, visto que os adultos são dependentes desse professor.
C) facilitar a aprendizagem dos estudantes, ajudando-os a transformar as
informações em conhecimento.
D) decidir o que os estudantes precisam aprender, como ensinar e definir a forma
de avaliação dos estudantes.
E) planejar boas aulas a serem ministradas por meio do assunto ou matéria.

15- Ano: 2015 Banca: CESPE / CEBRASPE Órgão: MPOG Prova: CESPE - 2015 - MPOG
- Técnico em Assuntos Educacionais - Cargo 23
Em relação à andragogia e às bases psicológicas da aprendizagem, julgue o item
subsequente.

A andragogia defende que sejam aplicados princípios metodológicos especiais na


educação de alunos adultos, por considerar que uma metodologia apropriada pode
compensar a deficiência das pessoas que não aprenderam na idade certa.

Certo ( ) Errado ( )

16- Ano: 2010 Banca: CESPE / CEBRASPE Órgão: INCA Prova: CESPE - 2010 - INCA -
Tecnologista Júnior – Analista Pedagógico

Texto associado

Na educação a distância, há dois tipos de docentes - o professor autor e o professor


tutor. Essa é uma das características que diferencia o curso a distância do curso
presencial. Cada um desses profissionais desempenha um papel específico no
sistema de educação a distância. A respeito desse tema, julgue o itens que se
seguem.

A educação a distância independe das teorias andragógicas.

Certo ( ) Errado ( )

145
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

17- Ano: 2020 Banca: VUNESP Órgão: EBSERH Prova: VUNESP - 2020 - EBSERH –
Pedagogo-Adaptada
Andragogia surge como contradição ao modelo pedagógico, centrando-se numa
etapa de vida em que os interesses e as motivações são diferentes, passando da
aquisição fundamental de conhecimentos com base em conteúdos disciplinares para
o desenvolvimento de competências, através da resolução de problemas e com o
recurso das experiências de vida.
Em relação à Andragogia, é correto afirmar que

A) os educandos apenas sabem que devem aprender aquilo que o professor lhes
ensina.
B) o professor vê no aluno um ser dependente, que marca também a autoimagem
daquele que aprende.
C) a disposição para aprender aquilo que o professor ensina tem como fundamento
critérios e objetivos internos à lógica escolar.
D) a motivação para aprendizagem é extrínseca ao sujeito que decorre de pressões
familiares, apreciações dos professores, classificações escolares.
E) a aprendizagem é encarada como resolução de problemas e tarefas da vida
quotidiana.

18- Ano: 2013 Banca: CESPE / CEBRASPE Órgão: INPI Prova: CESPE - 2013 - INPI -
Analista de Planejamento – Pedagogia-Adaptada

Com base nos pressupostos do pensamento andragógico, julgue os itens seguintes.

A andragogia e a pedagogia transformadora são modelos pedagógicos antagônicos,


inexistindo, entre eles, elementos que evidenciem semelhanças nos pressupostos
que os fundamentam.

Certo ( ) Errado ( )

19- Ano: 2018 Banca: CESPE / CEBRASPE Órgão: IPHAN Prova: CESPE - 2018 - IPHAN
- Técnico I - Área 11

Texto associado

Suponha que o IPHAN adote a plataforma moodle como ferramenta para a


realização de um treinamento para seus funcionários lotados em diversas regiões do
país. Considere que o curso a ser ministrado tenha sido estruturado em módulos
subsequentes com prazos determinados para execução de tarefas e avaliações
dentro do horário de trabalho. Os participantes que obtiverem desempenho exitoso
146
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.
ao final do curso terão algum tipo de benefício na carreira profissional.
A respeito dessa situação hipotética, julgue o item que se segue.

Os fundamentos desse curso devem priorizar conceitos pedagógicos em detrimento


dos andragógicos.

Certo ( ) Errado ( )

20- Ano: 2016 Banca: CETAP Órgão: Prefeitura de Abaetetuba - PA Prova: CETAP -
2016 - Prefeitura de Abaetetuba - PA - Professor - Anos Iniciais do Ensino
Fundamental
Analise as assertivas acerca da andragogia e marque a alternativa correta.

I- A andragogia é um modelo educacional inovador destinado às crianças, aos jovens


e aos adultos.
II- É caracterizada pela participação dos alunos, pela flexibilidade didática do
professor e pelo foco no processo de aprendizagem.
III- A relação entre o professor e os alunos está pautada no diálogo, no respeito e na
colaboração.
IV- O professor é considerado um facilitador da aprendizagem e a ênfase do ensino
está no conteúdo.

A) Estão corretas apenas as assertivas I e II.


B) Estão corretas apenas as assertivas II e III.
C) Estão corretas apenas as assertivas III e IV.
D) Estão corretas apenas as assertivas I e IV.
E) Todas as assertivas estão corretas.

21- Ano: 2018 Banca: AOCP Órgão: UEFS Prova: AOCP - 2018 - UEFS - Analista
Universitário - Pedagogia
A andragogia se baseia em alguns princípios, dentre eles, o da necessidade, da
autonomia e autodiretividade, das experiências prévias, da interatividade e do
feedback. O feedback refere-se:
A) ao fato dos adultos tenderem a ter orgulho de si mesmos, de suas conquistas,
experiências e conhecimentos e não gostarem de se sentir expostos perante
outras pessoas.
B) ao compartilhamento das experiências e conhecimentos acumulados como base
para a construção de novos conhecimentos.
C) ao fato do ensino ser relevante e estar relacionado com as atividades
profissionais e contribuir para a solução de problemas reais.
D) ao fato de haver necessidade de se prever as diferenças de estilo, tempo, lugar e
ritmo de aprendizagem.
147
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.
E) à oportunidade de praticar novos conhecimentos e de refletir sobre sua prática,
analisar e avaliar seu próprio desempenho.

22- Ano: 2019 Banca: INSTITUTO AOCP Órgão: UFPB Prova: INSTITUTO AOCP - 2019
- UFPB - Pedagogo
Diferentemente da Educação de Jovens e Adultos (modalidade de ensino que
perpassa os níveis da educação básica), a Andragogia significa ensino para Adultos.
Sobre esse assunto, assinale a alternativa INCORRETA.

A) Os adultos devem ser estimulados a participar na determinação de suas


necessidades educativas, o que favorece a automotivação, a autoavaliação e a
reflexão.
B) Os adultos acumulam experiências de vida que vão ser o fundamento de seu
aprendizado futuro.
C) Os adultos têm a intenção de iniciar o processo de aprendizagem desde que
compreendam a sua utilidade para determinadas situações do dia a dia.
D) Os adultos preferem aprender para resolver problemas e desafios, mais que
aprender simplesmente um assunto.
E) Os adultos apresentam disposição para aprender aquilo que o professor ensina,
que tem como fundamento critérios e objetivos internos à lógica escolar: a
finalidade de obter êxito e progredir, em termos escolares.

23- Ano: 2010 Banca: CESPE / CEBRASPE Órgão: ABIN Prova: CESPE - 2010 - ABIN -
Oficial Técnico de Inteligência – Área de Pedagogia-Adaptada

O processo de aprendizagem focado nos princípios e processos de aprendizagem


propostos pela andragogia qualifica o uso de tecnologias nas práticas educacionais e
na dinamização do conhecimento e da inovação nas empresas.

Certo ( ) Errado ( )

24- Ano: 2013 Banca: CESPE / CEBRASPE Órgão: INPI Prova: CESPE - 2013 - INPI -
Analista de Planejamento – Pedagogia-Adaptada

Uma das premissas da andragogia é que os adultos apresentam numerosas


experiências de vida, segundo as quais constroem a base de seu aprendizado. Essas
experiências devem, portanto, ser incluídas no processo educativo.

Certo ( ) Errado ( )

25- Ano: 2013 Banca: CESPE / CEBRASPE Órgão: INPI Prova: CESPE - 2013 - INPI -
Analista de Planejamento - Pedagogia
148
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Texto associado

Entre os elementos essenciais que caracterizam a andragogia como modelo para a


educação de adultos estão a participação dos alunos, a flexibilidade e o foco no
processo, em substituição à ênfase no conteúdo.

Certo ( ) Errado ( )

26- Ano: 2015 Banca: CESPE / CEBRASPE Órgão: MPOG Prova: CESPE - 2015 -
MPOG - Técnico em Assuntos Educacionais - Cargo 23

Em relação à andragogia e às bases psicológicas da aprendizagem, julgue o item


subsequente.

Na aprendizagem receptiva, espera-se que o aluno reúna e integre informações


novas à sua estrutura cognitiva, de modo a tornar significativa a aprendizagem.

Certo ( ) Errado ( )

27- Ano: 2015 Banca: CESPE / CEBRASPE Órgão: MPOG Prova: CESPE - 2015 - MPOG
- Técnico em Assuntos Educacionais - Cargo 23

Em relação à andragogia e às bases psicológicas da aprendizagem, julgue o item


subsequente.

O elogio do professor ao comportamento do aluno, quando este manifesta interesse


pelo estudo, é um exemplo da aplicação de contingência positiva para favorecer a
aprendizagem.
Certo ( ) Errado ( )

28- Ano: 2017 Banca: CESPE / CEBRASPE Órgão: SEDF Prova: CESPE - 2017 - SEDF -
Professor de Educação Básica - Atividades
Julgue o item que se segue, referente à educação de jovens e adultos (EJA).
A andragogia defende que os adultos, assim como as crianças, devem aprender o
que a sociedade espera que eles saibam, por meio de um currículo padronizado.

Certo ( ) Errado ( )

29- Ano: 2018 Banca: Quadrix Órgão: SEDF Prova: Quadrix - 2018 - SEDF - Professor
Substituto – Atividades

149
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Considerando os métodos, as estratégias e as concepções de avaliação utilizados nos


processos de ensino‐aprendizagem, julgue o próximo item.
As estratégias didáticas da EJA devem considerar a andragogia, que prioriza o
trabalho com os saberes massificados pelo currículo ideal.

Certo ( ) Errado ( )

30- Ano: 2016 Banca: CONSULPLAN Órgão: Prefeitura de Venda Nova do Imigrante
- ES Prova: CONSULPLAN - 2016 - Prefeitura de Venda Nova do Imigrante - ES -
Pedagogo
A andragogia, definida por Malcolm Knowles, no século XX, é uma ciência antiga que
estuda a educação para adultos com a finalidade de buscar uma aprendizagem
efetiva para o desenvolvimento de habilidades e conhecimento. Acerca dessa
ciência, assinale a afirmativa correta.
A) A experiência daquele que aprende é considerada de pouca utilidade. O que é
importante, pelo contrário, é a experiência do professor.

B) Na aprendizagem são sensíveis a estímulos da natureza externa, mas são os


fatores de ordem interna que os motivam para a aprendizagem.

C) A motivação para a aprendizagem é fundamentalmente resultado de estímulos


externos ao sujeito, como é o caso das classificações escolares e das apreciações
do professor.

D) A disposição para aprender aquilo que o professor ensina tem como fundamento
critérios e objetivos internos à lógica escolar, ou seja, a finalidade de obter êxito
e progredir em termos escolares.

150
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

BLOCO 8- SIMULADO ANDRAGOGIA


1 – CERTO 11 – Letra E 21 – Letra C
2 – CERTO 12 – CERTO 22 – Letra C
3 – Letra A 13 – CERTO 23 – CERTO
4 – Letra A 14 – CERTO 24 – CERTO
5 – Letra D 15 – ERRADO 25 –ERRADO
6 – Letra C 16 –Errado 26 –ERRADO
7 – CERTO 17 – Letra E 27 – CERTO
8 – Letra C 18 – ERRADO 28 – CERTO
9 - CERTO 19 –ERRADO 29 – ERRADO
10 - CERTO 20 – Letra B 30 –Letra B

Nº ACERTOS Nº ERROS

151
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

BLOCO 9- BASES PSICOLÓGICAS DE APRENDIZAGEM

CONHEÇA ALGUNS PSICOLÓGOS QUE CONTRIBUIRAM PARA A EDUCAÇÃO

152
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

153
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

154
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

SIMULADO BASES PISICOLÓGICAS DE APRENDIZAGEM


BANCA CESPE

Considerando as bases psicológicas da aprendizagem, julgue os itens a seguir.

1- A utilização de reforços positivos para aumentar a frequência de um


comportamento desejado é uma característica do Behaviorismo, que tem em
Skinner seu principal representante.

( ) Certo ( ) Errado

2- No estágio operatório-concreto, ocorre a construção do pensamento conceitual,


de hipóteses possíveis e de diferentes pontos de vista pelo indivíduo.

( ) Certo ( ) Errado

3- Gagné defende que o ser humano possui múltiplas inteligências e, por isso, os
indivíduos são mais ou menos competentes em diferentes áreas.

( ) Certo ( ) Errado

4- Para Piaget, a aprendizagem deve ser significativa, por meio de organizadores


prévios para o desenvolvimento de conceitos subsunçores.

( ) Certo ( ) Errado

5- Para Vigotsky, o processo de aprender gera e promove o desenvolvimento das


estruturas mentais superiores.

( ) Certo ( ) Errado

6- Segundo Vygotsky, zona de desenvolvimento proximal é a distância entre o que o


aluno é capaz de aprender e de fazer sozinho e o que ele é capaz de aprender e
fazer ao observar outras pessoas ou ao seguir orientações, o que delimita a margem
de incidência da ação educativa.

( ) Certo ( ) Errado

155
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

7-De acordo com o comportamentalismo, os processos de raciocínio e de


aprendizagem dos alunos são mais relevantes que os resultados obtidos.

( ) Certo ( ) Errado

8- A aprendizagem significativa é o elemento essencial ao processo educacional na


teoria de Wallon.

( ) Certo ( ) Errado

9-Para Gardner, tanto a inteligência como a aprendizagem são diversificadas e a


presença mais evidenciada de uma inteligência não nega a existência de outra.

( ) Certo ( ) Errado

10-Segundo a epistemologia genética de Piaget, a acomodação refere-se à mudança


da estrutura cognitiva para compreensão do meio.

( ) Certo ( ) Errado

11-Ausubel destaca o aprendizado experimental, o as o aspecto interacional, a


motivação e o interesse do aprendiz para uma aprendizagem bem sucedida.

( ) Certo ( ) Errado

12-A perspectiva epistemológica do interacionismo,representada pelo pensamento


de Piaget, nega o empirismo e o racionalismo. A ideia central da teoria de Piaget é a
de que o conhecimento precede à experiência.

( ) Certo ( ) Errado

13-Bruner é o principal representante da teoria das múltiplas inteligências, que


propõe a identificação das inteligências mais marcantes de cada aprendiz.

( ) Certo ( ) Errado

14-Ausubel afirma que existem funções que ainda não amadureceram, porém estão
em maturação, e que a aprendizagem ocorre por meio da mediação de outros
sujeitos.
( ) Certo ( ) Errado

156
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.
15-Comportamentos objetivamente observáveis e condicionantes operantes são
características do behaviorismo.
( ) Certo ( ) Errado

16-A autenticidade é uma característica importante na teoria de Carl Rogers, sendo


que o professordeve exercer o papel de facilitador do processo de aprendizagem.

( ) Certo ( ) Errado

17- Skinner afirma que a criança, durante a aquisição do conhecimento, utiliza-se de


dois processos simultâneos ao interagir com o seu meio: a organização interna e a
adaptação ao meio.

( ) Certo ( ) Errado

18-Para Vigotsky, as capacidades humanas não são inatas, mas sim o resultado da
interação do sujeito com o meio, e o professor deve ser um desequilibrador de
estruturas.

( ) Certo ( ) Errado

19-De acordo com o behaviorismo, o ser humano, durante sua vida, deve ser
estudado como produto das associações estabelecidas entre os estímulos do meio
e as respostas que são manifestadas pelo comportamento.

( )Certo ( ) Errado

20-Para Vygotsky, a aprendizagem ocorre quando uma nova informação ancora-se


em conceitos ou proposições relevantes preexistentes.

( ) Certo ( ) Errado

21-O gestaltismo enfatiza o contexto em que ocorre o estímulo e no qual o insight


tem origem e é percebido pelo aprendiz.

( ) Certo ( ) Errado

22-Para compreender as contribuições do pensamento de Vigotsky para a educação,


é necessário que se faça uma breve consideração acerca dos fundamentos
filosóficos subjacentes a suas ideias.

157
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

Vigotsky construiu uma psicologia marxista, buscando as bases dessa teoria para
explicar a formação da mente.

( ) Certo ( ) Errado

23-Skinner é o principal representante do behaviorismo, que afirma a importância


do uso de reforços positivos para facilitar a aprendizagem.

( ) Certo ( ) Errado

24-Contrapondo-se à ideia de reforço positivo e negativo, Ausubel cogitou um


condicionamento operante que pudesse extinguir um tipo de comportamento.

( ) Certo ( ) Errado

25-No estágio pré-operatório da teoria genética de Piaget, a criança começa a


construir conceitos por meio de estruturas lógicas.

( ) Certo ( ) Errado

26-O gestaltismo prevê três elementos primordiais para a aprendizagem: aquisição,


retenção e transferência, além de negar o conhecimento cumulativo.

( ) Certo ( ) Errado

27-Ao transpor para a escola a forma de funcionamento do sistema fabril, a


pedagogia tecnicista não perde de vista a especificidade da educação, sem ignorar
que a articulação entre escola e processo produtivo se dá de modo indireto.

( ) Certo ( ) Errado

28-A escola de Summerhill é uma das concretizações dos pressupostos da


concepção liberal renovada não-diretiva.

( ) Certo ( ) Errado

29- A Lei n.º 5.692/1971, que organizou a educação brasileira durante um longo
período, é uma manifestação da tendência liberal tecnicista nas políticas
educacionais.
( ) Certo ( ) Errado

158
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

BLOCO 9 GABARITO
BASES PISCOLÓGICAS DE APRENDIZAGEM

1 – CERTO 11 – ERRADO 21 – CERTO


2 – ERRADO 12 – ERRADO 22 – CERTO
3 – ERRADO 13 – ERRADO 23 – CERTO
4 – ERRADO 14 – ERRADO 24 – ERRADO
5 – CERTO 15 – CERTO 25 –ERRADO
6 – CERTO 16 –CERTO 26 –ERRADO
7 – ERRADO 17 – ERRADO 27 – CERTO
8 – ERRADO 18 – ERRADO 28 – CERTO
9 - CERTO 19 –CERTO 29 – CERTO
10 - CERTO 20 – ERRADO

Nº ACERTOS Nº ERROS

159
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS
LUCK, Heloísa. Dimensões da Gestão Escolar e suas competências. Curitiba: Editora Positi-
vo, 2008.

FERREIRA, F. W. Planejamento Sim e Não: um modo de agir num mundo em permanente


mudança. 11a Edição. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.

GANZELI, Pedro. O processo de planejamento participativo da unidade escolar. Professor do


departamento de Ciências da Educação, Faculdade de Ciências e Letras-UNESP.

ZABALA, A. A prática educativa, como ensinar. Artmed: Porto Alegre. Ed. 2010.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 21ª ed. São
Paulo: Paz e Terra, 2002.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1970.

LIBÂNEO, José C. Teoria histórico-cultural e metodologia de ensino: para aprender a pensar


geograficamente. Anais do XII Encuentro de Geógrafos de America Latina (EGAL). Montevi-
déu (Uruguai), 2009.

LIBÂNEO, José C. A didática e a aprendizagem do pensar e do aprender: a teoria histórico-


-cultural da atividade e a contribuição de Vasili Davydov. In: Revista Brasileira de Educação,
Rio de Janeiro, n. 27, 2004.

LIBÂNEO, José C. e FREITAS, Raquel A. M. da M. Vygotsky, Leontiev e Davídov: contribuições


da teoria histórico-cultural para a didática. In: SILVA, Carlos C. e SUANNO, Marilza V. R. Di-
dática e interfaces. Rio de Janeiro: Deescubra, 2007.

. O Que quer um currículo? Pesquisas pós-críticas em educação. Petrópolis: Vozes, 2001. [


Links ]

COSTA, M. Elementos para uma crítica das metodologias participativas de pesquisa. In: VEI-
GA-NETO, A. (org.) Crítica pós-estruturalista e educação. Porto Alegre: Sulina, 1995. p.109-
158.

GADOTTI, M. História das idéias pedagógicas. 5. ed. São Paulo: Ática, 1997. 319p.

GARDNER, H. A Nova Ciência da Mente: Uma História da Revolução Cognitiva. São Paulo:
EDUSP, 1995

ILLICH, I. Sociedade sem escolas. Petrópolis: Vozes, 1973 apud GADOTTI, M. História das
idéias pedagógicas. 5. ed. São Paulo: Ática, 1997. p297-299.

KELLER, T. M. R von A essência do Talmude. Rio de Janeiro: Edições Ouro, 1969 apud GA-
DOTTI, M. História das idéias pedagógicas. 5. ed. São Paulo: Ática, 1997. 319p.

MANGUEL, A. Uma história da leitura. São Paulo: Companhia das Letras, 1997. p.123.

160
Copyright © 2021 Jhennyfer Cavalcante. Todos os direitos reservados.

MONROE, P. História da educação.6.ed., São Paulo: Nacional, 1983.p.1 e 264-9 apud PILETTI,
C. & PILETTI N. História da educação. 7. ed. São Paulo: Ática, 1997. p.12 e 91.

MÜLLER. Sacred books of the east. v.37, p.449 apud PILETTI, C. & PILETTI N. História da edu-
cação. 7. ed. São Paulo: Ática, 1997. p19.

NUNES, R. A. da C. História da educação no século XVII. São Paulo: EPU, 1981. p.18. apud
PILETTI, C. & PILETTI N. História da educação. 7. ed. São Paulo: Ática, 1997. p.87

PIAGET, J, O Nascimento da Inteligência na Criança, 4.ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1982.

PIAGET, J. Para onde vai a educação? 10. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1988, p.14-7.
Apud GADOTTI, M. História das idéias pedagógicas. 5. ed. São Paulo: Ática, 1997. p.156-7.

PILETTI, C. & PILETTI N. História da educação. 7. ed. São Paulo: Ática, 1997. 240p.

ROSA, M. da G. de A história da educação através dos textos. São Paulo: Cultrix, 1997. apud
GADOTTI, M. História das idéias pedagógicas. 5. ed. São Paulo: Ática, 1997.p.48

ROUSSEAU, J.–J. Emílio ou da educação. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1968. p.60-2
apud PILETTI, C. & PILETTI N. História da educação. 7. ed. São Paulo: Ática, 1997. p.94.

VIEIRA, A. Os Sermões. São Paulo: Difel, 1968. p.99 apud FIORIN, J. L. & SAVIOLI, F. P. Para
entender o texto: leitura e redação. 5. ed. São Paulo: Ática, 1992. p.173.

161

Você também pode gostar