Você está na página 1de 3

Princípios de Eletrônica Analógica

Aluno (a): Marcos Rodrigues de Brito Data:10/08/2022 .

Avaliação Pratica
INSTRUÇÕES:
 Esta Avaliação contém 1 (uma) questão, totalizando 10 (dez) pontos;
 Baixe o arquivo disponível com a Atividade Pratica;
 Você deve preencher dos dados no Cabeçalho para sua identificação:
o Nome / Data de entrega.
 As respostas devem ser digitadas abaixo de cada pergunta;
 Ao terminar grave o arquivo com o nome Atividade Prática;
o Quando solicitado
 Envio o arquivo pelo sistema no local indicado;
 Em caso de dúvidas consulte o seu Tutor.

O LDR é um dispositivo que tem sua resistência alterada de acordo com a intensidade luminosa
que incide sobre ele. Sua resistência, quando há pouca incidência de luz, é na ordem de gran-
deza de 1MΩ e, quando iluminado, 100Ω.
Você trabalha com projetos de instalações elétricas e seu cliente quer um sistema inteligente
que ative a iluminação externa de sua residência quando chegar o anoitecer, entretanto, não
quer um sistema muito caro. Considere que o LDR está sendo usado no lugar do resistor R1. Vo-
cê dispõe de resistores de 10kΩ, 1MΩ e 10MΩ.

Qual deve ser a tensão de entrada para que o comportamento do circuito seja o esperado? To-
dos os resistores disponíveis são adequados? Se o LDR estivesse no lugar de R2, o comporta-
mento seria o mesmo? Justifique todos os questionamentos.
Atenção: suponha que o amplificador operacional seja alimentado com VCC = +15V e VEE = 0V,
em que sua tensão de saturação positiva é +13V e a tensão de saturação negativa é 0V. Na saí-
da do amplificador operacional, está ligada a bobina de um relé que pode ser acionado com ten-
sões entre 10V e 24V. Considere que a fonte de alimentação é perfeitamente CC.
Nesse tipo de comparador, quando a tensão de entrada for maior que a tensão de re-
ferência positiva, a saída saturará positivamente (13V) e, quando a tensão de entrada for
menor que a tensão de referência, a saída será 0V.
Explicação:
Como o LDR foi colocado no divisor de tensão que gera a referência, existem, então,
duas possíveis referências de tensão, uma quando não há luz incidindo no LDR (R1 = 1MΩ),
e outra quando há luz incidindo no componente (R1 = 100Ω). Logo:
Vref(noite) = (15V)(R2)/(R2 + 1 MΩ)
Vref(dia) = (15V) (R2)/(R2 + 100Ω)
Deve-se, então, dimensionar R2 e v, de forma que obedeça à seguinte inequação pa-
ra que, à noite, a saída do comparador seja +13V e, de dia, 0V.
Assim:
Vref(dia) > vin > Vref(noite)

R2 / R1 10k ohms 1M ohms 100M ohms


Vref noite 1M ohms 14,85V 7,5V 1,36V
Vref dia 100 ohms 0,15V 0V 0V

A tensão de entrada deve ter seu valor maior que o da tensão de referência à noite, e
menor que a tensão de referência do dia. O único caso em que pode haver algum problema
é se for utilizado o resistor R2 = 10MΩ, pois a faixa de possibilidades para o vin é menor que
nos demais casos, sendo, assim, o resistor menos recomendado.
A tensão de entrada pode ser obtida a partir de um divisor de tensão da tensão de
alimentação positiva do amplificador operacional.
Caso o LDR seja colocado no lugar do resistor R2, os valores das tensões de refe-
rência seriam dados, então, pelas equações:
Vref(noite) = (15V)(1 MΩ)/(1 MΩ + R1)
Vref(dia) = (15V) (100Ω)/(100Ω + R1)

R2 /R1 10 ohms 1M ohms 100M ohms


Vref noite 1M ohms O,15V 7,5V 13,64V
Vref dia 100 ohms 14,85V 15,V 15V

Como a tensão de entrada deve ter seu valor maior que o da tensão de referência à
noite e menor que a tensão de referência do dia, é impossível, nesse caso, escolher um úni-
co valor para a tensão de entrada. Na configuração da figura, seria inviável sua realização
sem complexos circuitos que alterariam a referência de acordo com o LDR. Seria viável no
caso de utilizar um circuito comparador inversor, no qual a tensão de entrada deveria ser
maior que a do dia e menor que a da noite.
Como a fonte de alimentação é perfeitamente CC, o capacitor de desvio (CBY) pode ser
desconsiderado.

Você também pode gostar