Você está na página 1de 8

Experimento 03 - Medição de Corrente e Tensão

Lucas de Almeida Martins – 2018020328, Thiago Santos Oliveira – 2019028144

Resumo: O relatório a seguir discorre sobre o experimento realizado em sala de aula, o qual tem
como o objetivo condicionar sinais para a medição de tensão e corrente em um circuito com uma
carga. Para isso, utilizou-se ferramentas como o osciloscópio para a compreensão das grandezas do
sistema, de forma que o condicionamento pudesse ser realizado com os valores de pico mais precisos
possíveis, a fim de respeitar as limitações impostas nas medições de cada grandeza.

Palavras-chave: medição, corrente, tensão.

Introdução

Condicionar os sinais medidos de acordo com o instrumento de medição, com as


especificações dos componentes utilizados, com a natureza da grandeza a ser estudada é fundamental
em qualquer sistema de aquisição de dados. Portanto, neste experimento, deve-se aplicar esses
conceitos na prática da medição da tensão e corrente, como demonstrado nas imagens abaixo:

Figura 01 - Circuito para medição da tensão e corrente.

O objetivo da prática é dimensionar os resistores R1, R2 e Rm, de forma que a queda de


tensão medida neles não ultrapasse 200mV e seja a mais próxima possível desse valor para que as
formas de onda possam ser vistas no osciloscópio. Para o cálculo de R1 e R2 utiliza-se a seguinte
relação:

1. V out =V carga∗R 2 /( R¿¿ 2+ R 1)¿


onde Vout é a tensão medida, que é limitada pelo valor de 200mV. Para o cálculo de R1 e R2
considera-se um valor muito R1 >> R2 para assegurar que Vout < 200mV. Nesse caso, não precisou-
se considerar a potência dissipada no resistor, visto que a corrente que passa por R1 e R2 é muito
baixa. Porém, para o cálculo de Rm, teve-se de se considerar a potência máxima suportada pelo
resistor, então, resolveu-se o seguinte sistema:

2. Rm∗i< 200 mV
2
3. Rm∗i <250 mW

Materiais e métodos

1. Circuito da Lâmpada

Para a fabricação do circuito de alimentação da lâmpada, utilizou-se um botão interruptor, um


fusível de 1A, uma lâmpada de 9W, um conector para a tomada e um para a lâmpada, cabos e seus
conectores.

Figura 02 - Visão de cima do circuito da lâmpada.


Figura 03 - Visão debaixo do circuito da lâmpada.

2. Tomada

A tomada é utilizada para alimentar o circuito acima, com uma tensão de 128Vrms.

3. Osciloscópio

Utilizou-se o osciloscópio para observar as formas de onda da corrente e da tensão. Para isso,
utilizou-se duas pontas de prova 1x, não utilizou-se atenuação pois os sinais eram pequenos para a
resolução do osciloscópio.

4. Protoboard

A protoboard foi utilizada para montar-se os circuitos de divisor de tensão e a associação em


paralelo de resistores para atingir-se um valor de resistência mais baixo que o menor resistor
disponível no laboratório, a fim de atingir os requisitos da medição da corrente pelo Rm.

Resultados

A primeira etapa do projeto consiste em medir a corrente que passa pela carga. Foi realizada a
medição com o multímetro e a corrente obtida possuía um valor de 46.3mA. Também utilizou-se o
osciloscópio para a medição dos valores de pico da corrente, para isso, mediu-se a diferença dos
canais 1 e 2 do osciloscópio em um resistor de 56Ω, como pode ser visto na imagem abaixo. para a
resolução era muito pequena para ser observada no osciloscópio. A montagem e o resultado podem
ser observados nas figuras abaixo.
Figura 04 - Montagem realizada para a medição da corrente do circuito.

Figura 05 - Resultado do canal math para a medição da corrente do circuito.


Como pode ser observado no osciloscópio, o pico de tensão no resistor de 56Ω é de 4V,
portanto, a corrente de pico do circuito pode ser obtida dividindo 4V por 56Ω. Dessa forma temos que
a corrente de pico no circuito é de 71,4mA.

A segunda etapa constitui-se do dimensionamento do resistor Rm ou Rshunt. De acordo com


as equações 2 e 3, calculou-se um valor de resistência de, aproximadamente, 1,5Ω. Como o menor
valor de resistência que possuíamos disponível era de 5,7Ω, fez-se uma associação em paralelo com 4
desses resistores para obtermos uma resistência de 1,5Ω. A seguir, encontram-se a montagem e os
resultados das simulações no osciloscópio.

Figura 06 - Montagem realizada para a medição da tensão no resistor Rshunt.


Figura 07 - Resultado do canal math para a medição da tensão no Rshunt.

Para a determinação de R1 e R2, escolheu-se um valor alto para R1, de forma que sua tensão
fosse muito maior que em R2. Portanto, assumindo um valor de 9MΩ para R1 e usando a equação 1,
tem-se que o valor de R2 deve ser de 10kΩ. Novamente, a montagem e os resultados do osciloscópio,
que garantem que os valores medidos se enquadram nos requisitos definidos previamente, encontram-
se nas imagens a seguir.

Figura 08 - Montagem realizada para a medição da tensão no resistor R2.


Figura 09 - Resultado do canal math para a medição da tensão no R2.

Como pode se observar na imagem acima, a resolução do osciloscópio não foi suficiente para
que pudéssemos analisar a curva da tensão no divisor de tensão. Porém, com o uso de um multímetro,
verificou-se que as demandas foram cumpridas.

Figura 10 - Medição do multímetro para a tensão em R2.

Discussão e Conclusão

Com esse experimento observou-se, principalmente, a importância de se conhecer


minuciosamente as grandezas do seu sistema, pois, inicialmente, utilizamos apenas o multímetro para
medir as grandezas do sistema e obtínhamos apenas os valores RMS. O que seria suficiente, se a
curva da tensão da lâmpada fosse uma senóide perfeita, dessa forma, para a obtenção do valor de pico,
bastaria a multiplicação do valor do multímetro por √ ❑. Porém, como observado nas imagens do
osciloscópio, a curva apresentada pela lâmpada não é uma senóide perfeita e não conseguimos usar
apenas essa relação para determinar seus valores. Portanto, para limitar a tensão medida nos resistores
para um valor de 200mV, foi observado o valor de pico no osciloscópio. Só depois dessa mudança,
começamos a obter resultados práticos condizentes com os cálculos realizados.

Referências

1. Slides do professor Dalton M. Colombo, disponibilizados na turma de Sistemas de Medição na


plataforma Teams.

Você também pode gostar