Você está na página 1de 2

Universidade Federal do Paraná

Bacharelado em Física
Métodos de Física Teórica I, 2022.1
Prof. Giovani L. Vasconcelos
2a Lista de Exercícios

1. Sejam A = ∂ 2 w/∂x2 , B = ∂ 2 w/∂x∂y, C = ∂ 2 w/∂y 2 . Pelo cálculo de funções de duas


variáveis, w(x, y), temos um ponto de sela se
B 2 − AC > 0.
Com f (z) = u(x, y) + iv(x, y), aplique as condições de Cauchy-Riemann e mostre que
nem u(x, y) nem v(x, y) têm um máximo ou um mínimo em uma região finita do plano
complexo. (Vide problema 6.2.4, Arfken, 6ed.)

2. Ache a função analítica


w(z) = u(x, y) + iv(x, y)
se (a) u(x, y) = x3 −3xy 2 , (b) v(x, y) = e−y sin x. (Vide problema 6.2.5, Arfken, 6ed.) Em
cada um dos casos acima, faça as substituições x = z+z̄ 2
e y = z−z̄
2i
, e mostre que a função
z+z̄ z−z̄ z+z̄ z−z̄
 
f (z, z̄) = u 2 , 2i + iv 2 , 2i de fato não depende de z̄; ou seja, a dependência
em z̄ se cancela em cada um dos casos.

3. Usando f (reiθ ) = R(r, θ)eiΦ(r,θ) , na qual R(r, θ) e Φ(r, θ) são funções reais diferenciáveis
de r e θ, mostre que as condições de Cauchy-Riemann em coordenadas polares se tornam

∂R R ∂Φ 1 ∂R ∂Φ
(a) = , (b) = −R .
∂r r ∂θ r ∂θ ∂r
Sugestão: Estabeleça a derivada primeiro com δz radial e em seguida com δz tangencial.
(Vide problema 6.2.8, Arfken, 6ed.)

4. Conforme discutido em classe, em escoamentos potencias incompressíveis o campo de


velocidade, V~ = (Vx , Vy ), do fluido é dada por V~ (x, y) = ∇φ,
~ onde φ(x, y) é o potencial
de velocidade. Da condição de incompressibilidade (equação da continuidade), ∇· ~ V~ = 0,
segue que ∇2 φ = 0. Definimos então o potencial complexo por w(z) = φ(x, y) +
iψ(x, y), onde ψ(x, y), chamada de função de corrente, é a função que é harmonicamente
conjugada a φ(x, y). Mostre que a velocidade complexa, w ′ (z), corresponde a
w ′ (z) = Vx − iVy .

5. Calcule os campos de velocidade dos escoamentos descritos pelos potenciais complexos


w(z) dados abaixo. Para cada caso esboce as linhas de corrente do escoamento, ou seja,
as linhas do campo de velocidade V~ (x, y). Lembre que as curvas de nível da função de
corrente, ψ(x, y) = constante, representam as linhas de corrente do campo de velocidade
V~ = (Vx , Vy ).
(a) (Campo uniforme.) w(z) = Ueiα z, U ∈ R, 0 < α < 2π.
(b) (Fonte ou sorvedouro puntiforme.) w(z) = (Q/2π) ln z, Q ∈ R.
(c) (Vórtice puntiforme.) w(z) = (Γ/2πi) ln z, Γ ∈ R.
(d) (Escoamentos em cantos e quinas.) w(z) = z α , α > 1, considere os casos 1 < α < 2
e α > 2.

6. Usando que f (z) = u(x, y)+iv(x, y), onde u(x, y) e v(x, y) são funções reais diferenciáveis
de x e y, mostre que as equações de Cauchy-Riemann são obtidas a partir da exigência
df
de que a derivada dz = lim∆z→0 f (z+∆z)−f
∆z
(z)
exista e seja independente da escolha de ∆z
Sugestão: Estabeleça a derivada primeiro com ∆z na horizontal, ou seja, ∆z = ∆x, e em
seguida com ∆z na direção vertical, ou seja, ∆z = i∆y, e iguale os dois resultados.

7. As funções u(x, y) e v(x, y) são respectivamente, as partes real e imaginária de uma função
analítica w(z), ou seja, w(z) = u(x, y) + iv(x, y).
(a) Admitindo que as derivadas requeridas existem, mostre que

∇ 2 u = ∇2 v = 0

Soluções da equação de Laplace, tais como u(x, y) e v(x, y), são denominadas funções
harmônicas. Por isso dizemos que u(x, y) e v(x, y) são funções harmonicamente con-
jugadas.
(b) Mostre que
∂u ∂v ∂u ∂v
+ =0
∂x ∂y ∂y ∂x
e dê uma interpretação geométrica. (Vide problema 6.2.1, Arfken, 6ed.)

8. Agora que já mostramos que a parte real u(x, y) e a parte imaginária v(x, y) de uma
função analítica w(z) satisfazem, cada uma por si, a equação de Laplace, mostre que
ambas, u(x, y) e v(x, y), não podem ter nem um máximo nem um mínimo no interior
de qualquer região na qual w(z) é analítica. (Ou seja, elas só podem ter pontos de sela,
conforme discutido no primeiro problema acima.) (Vide problema 6.2.3, Arfken, 6ed.)

Você também pode gostar