Histerese magnética

1 - Conceitos relacionados
Intensidade de campo magnético, indução magnética, curva de histerese, lei de joule. corrente de saída iSA(t) desprezível, e a freqüência angular ω dos sinais de entrada e saída muito maior que a freqüência de corte ω0 do filtro RC, a tensão de saída é escrita como: 1 V s (t ) ≅ Vout (t ) ⋅ dt (1) RC ∫

2 – Objetivos
Verificar e medir a perda de energia por histerese em um transformador de tensão.

3 - Método utilizado
Em um circuito apropriado é aplicada uma diferença de potencial ao enrolamento primário do transformador, sendo medida com o uso do osciloscópio uma tensão proporcional a intensidade de campo magnético H em um canal e uma tensão proporcional a indução magnética B em outro canal, sendo formado na tela do osciloscópio o ciclo de histerese.

Sendo, ω = 2π ⋅ f a freqüência angular da tensão e 1 ω 0 = 2πf c = a freqüência de corte do filtro. RC

Em resumo, em condição de altas freqüências (ω>>ωC), o circuito RC realiza a integração da tensão de entrada. Por isso, este circuito é chamado de circuito integrador.
5.2. Histerese em um transformador

4 - Equipamentos
1 circuito RC integrador 1 autotransformador – variac 1 multímetro 1 osciloscópio com duas pontas de prova 1 transformador comercial 1 conjunto transformador didático 6 cabos PB-PB com 50 cm

5 - Fundamentos Teóricos
5.1. Filtro RC integrador O circuito do filtro RC pode ser utilizado como um integrador passivo simples, cujo diagrama é apresentado na Figura 1, sendo composto por um resistor R e um capacitor C.

O transformador é um equipamento largamente utilizado nos sistemas de transmissão de energia elétrica (linhas de alta tensão) e em aparelhos eletroeletrônicos de uso geral. Na Figura 2 é apresentado o diagrama de um transformador ideal, formado por duas bobinas de material condutor enroladas em um núcleo de material ferromagnético. As bobinas e o núcleo são isolados eletricamente entre si.

Figura 2 - Diagrama de um transformador de tensão.

Figura 1 - Filtro RC passa baixa.

À entrada do filtro é aplicado um sinal VEN e coletado na saída um sinal VSA. Considerando a

A bobina com Np espiras, na qual é aplicada a f.e.m. (força eletro motriz) ε ,por um gerador de tensão alternada, é chamada de enrolamento primário. A bobina com Ns espiras, na qual é gerada a f.e.m. a ser utilizada por um circuito de carga (R) é chamada enrolamento secundário. A tensão no enrolamento primário VP e no enrolamento secundário VS estão em fase e são

Toginho Filho, D. O.; Laureto, E; Catálogo de Experimentos do Laboratório Integrado de Física Geral Departamento de Física • Universidade Estadual de Londrina, Março de 2009.

No transformador. Laureto. O. Fazendo a integração da equação (7). um gráfico VC (VR) deve ser equivalente ao gráfico B ( H ). NP. Assim.Histerese magnética proporcionais aos respectivos números de espiras NP e NS. D. obtém-se: dφ dB (7) Vs = N S ⋅ S ≅ N s ⋅ A ⋅ dt dt H≅ A energia por unidade de volume perdida por histerese magnética em um ciclo é escrita como. usando a Lei de Faraday. Utilizando um resistor RP no circuito do enrolamento primário do transformador. Março de 2009. A relação entre estes quatro valores é escrita como.Diagrama com o uso do filtro RC integrador para medir a curva de histerese em um transformador de tensão. O fluxo em cada espira é a seção A do núcleo multiplicada pelo valor médio da indução magnética B . Considerando ωRS C >> 1 ω. a energia é transferida do enrolamento primário para o enrolamento secundário por meio do campo magnético. correntes de Foucault e outros efeitos. . V N (2) G= s = s Vp N p Sendo G o ganho entre a tensão de entrada e de saída. r r (5) ∫ H ⋅ dl = H ⋅ l ≅ N P ⋅ i P A integração de VS pode ser feita usando o circuito RSC apresentado na Figura 4. conforme diagrama apresentado na Figura 4. a tensão obtida na saída do filtro integrador é escrita. NP ⋅ VP (6) l ⋅ RP A tensão induzida no enrolamento secundário do transformador é resultante da variação do fluxo magnético φS no enrolamento secundário. Assim. Entretanto. E. Figura 3 . histerese magnética.Curva de histerese de um material ferromagnético. enquanto que a tensão VC (Vout) na saída do filtro é proporcional a B . devidas a movimentos ou vibrações.iP >> NS. a tensão VR sobre o resistor RP é proporcional a H . H é essencialmente proporcional à corrente iP no enrolamento primário. Catálogo de Experimentos do Laboratório Integrado de Física Geral Departamento de Física • Universidade Estadual de Londrina. a menos de fatores de escala convenientes para os eixos. U = ∫ B ⋅ dH (3) c . 1 Vout = VS ⋅ dt (9) (9) RS C ∫ Substituindo (9) em (8) obtém-se.iS resulta que i ≅ NP iP . sendo H a intensidade de campo magnético e B a indução magnética. além das perdas de energia nos fios das bobinas. Figura 4 . ou seja. Assim. o valor médio da intensidade de campo magnético pode ser escrita como. existem perdas no próprio núcleo ferromagnético. r Representando por H a componente média de H ao longo do percurso C de comprimento l. h.h . Em um gráfico B(H). RC B ≅ S Vou t (10) NS A Em resumo..). A Figura 3 mostra um ciclo de histerese típico. Considerando a corrente elétrica no enrolamento secundário desprezível. Toginho Filho. obtém-se: 1 B≅ VS ⋅ dt NS ⋅ A ∫ (8) A intensidade do campo magnético H pode ser estimado a partir da Lei de Ampére: r r H ⋅ dl = i (4) ∫ C Sendo i a corrente total enlaçada pelo percurso C de comprimento l ao longo do núcleo ferromagnético do transformador. a perda é a área do ciclo de histerese (c.

com colunas para o índice da medida.Montagem e procedimento experimental Para a realização deste experimento é utilizado como fonte de tensão um autotransformador (variac) e um circuito utilizado como filtro RC integrador. o valor da área ocupada pela figura de histerese no papel milimetrado. e VC a tensão medida nos terminais do capacitor. 2.h . 3. Avaliar o ajuste analisando os valores de R (coeficiente de correlação) e SD (desvio padrão do ajuste). o resistor RS de 100 kΩ. D. Prática 2 – Transformador didático 1. 50 e 60 volts aplicados ao enrolamento primário. Laureto. Reproduzir a figura da curva de histerese observada na tela do osciloscópio em uma folha de papel 1.Histerese magnética Medindo a tensão VR na entrada horizontal e a tensão VC na entrada vertical do osciloscópio. E. e o capacitor C de 1 µ F. 7. nomeando-a como energia perdida por ciclo. Catálogo de Experimentos do Laboratório Integrado de Física Geral Departamento de Física • Universidade Estadual de Londrina. 8. Acrescentar uma coluna na Tabela I. .h.Análise 6 . sob risco de acidente. A integral é obtida na tela do osciloscópio. Calcular a energia U perdida em cada ciclo a partir da área da figura de histerese. Prática 1 – Transformador comercial 1. anotando a escala do osciloscópio utilizada. 40. fazendo os comentários relevantes. A partir da Prática 1. o valor da tensão aplicada ao enrolamento primário e sua incerteza. Anotar os valores obtidos em uma tabela (Tabela I). 6. e os demais fatores determinados experimentalmente. 5. Analisar os resultados obtidos. 5. 7 . milimetrado. Medir a área da curva de histerese ocupada no papel milimetrado. RS o resistor e o capacitor C que formam o filtro RC no circuito do enrolamento secundário. Sendo RP o resistor presente no circuito do enrolamento primário. Fazer o ajuste dos pontos experimentais por uma função apropriada. Repetir os procedimentos 2 e 3 para valores de 30. 2. Ajustar a tensão de saída do variac aplicada ao enrolamento primário em 20 volts (medir com o multímetro). 6.A. Repetir os procedimentos 1 ao 5 da prática 1 com o transformador didático. O. A partir da Prática 2. utilizando 600 espiras no enrolamento primário e 1200 espiras no enrolamento secundário. Aplicando as equações (6) e (10) na Expressão (3). de acordo com o diagrama da Figura 4. pode-se obter o ciclo de histerese.. com os canais horizontal e vertical do osciloscópio em modo x. 9. NS o número de espiras no enrolamento secundário. c .y. o valor da tensão aplicada ao enrolamento primário e sua incerteza. a energia perdida por ciclo de oscilação é: RC N U = S ⋅ P ∫ VC ⋅ dVR (12) RP N S c. Março de 2009. 4. construir o gráfico de U (VP ) Gráficos 1 da dependência da energia perdida em cada ciclo em função da tensão no enrolamento primário. com colunas para o índice da medida. o valor da área ocupada pela figura de histerese no papel milimetrado. O volume total do núcleo da ordem de grandeza do produto entre o percurso l e a área da seção reta do núcleo l. Montar o aparato experimental de acordo com o diagrama da Figura 4. NP o número de espiras no enrolamento primário. . construir a Tabela I. construir a Tabela II. Nesta montagem é necessário que o conector neutro de entrada de tensão na placa seja ligado ao neutro do auto transformador. Anotar os valores obtidos em uma tabela (Tabela II). VR a tensão medida nos terminais do resistor RP. sendo o resistor RP de 1 kΩ. obtém-se a energia perdida por ciclo de oscilação e por unidade de volume do núcleo do transformador: 1 RS C N P U = ∫ B ⋅ dH ≅ ⋅ ⋅ VC ⋅ dVR (11) l ⋅ A RP N S c∫h. A partir das Tabelas I. 3. Toginho Filho. Reproduzir as Tabelas I no aplicativo de tratamento de dados. 2. 4.

3. 13.. nomeando-a como energia perdida por ciclo. 14. R. D. Walker. Appoloni. 15. . São Paulo. – “Fundamentos de Física 3” . E. C. D. A partir das Tabelas II.. . A..L.O. J.São Paulo: Livros Técnicos e Científicos Editora. 2004.R. Referências Bibliográficas 1.Roteiros de Laboratório– Laboratório de Física Geral II – 1a Parte (Apostila). Acrescentar uma coluna na Tabela II. Toginho Filho. D. D. 1978. Duarte. Laureto. Calcular a energia U perdida em cada ciclo a partir da área da figura de histerese. Fazer o ajuste dos pontos experimentais por uma função apropriada.. 4a Edição.D. Halliday..Eletromagnetismo”. Avaliar o ajuste analisando os valores de R (coeficiente de correlação) e SD (desvio padrão do ajuste). 4. R. 16. Março de 2009. Vassallo. Young.“Manual de Instrumentos de Medidas Eletrônicas”.. Freedman. Londrina. 1996. construir o gráfico de U (VP ) Gráficos 2 da dependência da energia perdida em cada ciclo em função da tensão no enrolamento primário. fazendo os comentários relevantes. Zapparoli. 10a Edição. J. O. Pearson/Addison Toginho Filho.Histerese magnética 10. São Paulo: Hemus Editora Ltda. “Sears e Zemansky Física III .. F. 11. Reproduzir a Tabelas II no aplicativo de tratamento de dados... 2. F. Catálogo de Experimentos do Laboratório Integrado de Física Geral Departamento de Física • Universidade Estadual de Londrina. Wesley. 12. Resnick. 2002.V. H. R. Analisar os resultados obtidos.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful