Você está na página 1de 3

Poemas elaborados pela professora Isabel Messias, com a colaborao da turma 6A, posteriormente musicados na aula de Msica, com

a professora Helena Brites. Apresentados comunidade pela comemorao do dia da Biodiversidade, turmas 6A e 6E. A Natureza Perdido numa imensido sem fim Nasceu um belo jardim Cheio de cores, cheiros e vida Numa alegre roda-viva. No jardim um belo canteiro De mil flores e seres pelo meio As borboletas danam velozes Os pssaros cantam a mil vozes. O vento sopra, a chuva cai O sol aquece e a noite vai A vida flui num mar de cores A Natureza desperta em silncio e odores. Os pssaros fazem seus ninhos E outros animais tambm Ao fim do dia bem juntinhos Dormem todos muito bem. Mistrios da Natureza gua, terra, vida e calor A biodiversidade beleza um carrossel de cor. Aves enfeitam o ar Animais de todas as cores Peixes povoam o mar Paisagens, jardins e flores. Do nascer ao fim do dia O paraso da Natureza Respira vida e magia Tem raro encanto e beleza. Crianas alegres brincam Entre as flores do seu jardim De azul e amarelo pintam As searas cor de jasmim.

A Serra dAire s portas de Rio Maior A Serra de Aire e Candeeiros Onde o alecrim em flor Ladeia os belos ribeiros. Observo de perto esta serra Que dia-a-dia me v crescer Com rochas pisadas e marcadas Por animais de outra era. Observo vales e encostas Ventos brandos, brisas frias Belas noites estreladas Sonoras cantilenas das guias Contemplando o pr-do-sol Sinto as guas a correr Riachos, cascatas, minerais Correndo por belos canais. De manh cedo na serra Ouo o canto do rouxinol O que me faz abrir a janela E ver a brilhar o sol. Num ribeiro um pato-real Ave bela e especial Ao longo do tempo esvoaa E eu vejo por trs da vidraa. Em grutas e rochedos Esconde-se de ns o coelho O coro saltita alegremente Ao som da gralha-de-bico-vermelho.

rama que linda rama!

(Serra dos candeeiros)

Refro rama que linda rama rama dos medronheiros Para ver boa paisagem Vai Serra dos Candeeiros A Serra dos Candeeiros de uma rara beleza Tudo o que nela se v fruto da natureza. A serpentear a Serra Existem os carreirinhos Onde passam todo o ano Milhares de peregrinos. Gralha-de-bico-vermelho Gatos-bravos e texugo Raposas, coelhos bravos Nesta Serra h de tudo. L bem no cimo da Serra Existem os velhos moinhos Moeram muita farinha Cansaram-se, esto velhinhos. Rosmaninho e alecrim E carrasco a verdejar Do um perfume sem fim A quem a for visitar.