Você está na página 1de 30

Unidade II

EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Profa. Lucy Almeida


Ecocidadania e movimentos sociais

Crise ambiental do mundo globalizado:


 A crise ambiental do mundo globalizado
trouxe a necessidade de se desenvolver
a ecocidadania, que une a
sustentabilidade à qualidade de vida e
não pode ser enfrentada de maneira
simplista e superfcial, é necessário
destrinchar a complexidade inerente ao
tema.
Ecocidadania e movimentos sociais

 Processo de conscientização que requer


um esforço conjunto e integrado de
diversos profissionais, sejam eles
ligados direta ou indiretamente à área
educacional.
 Conhecimento aprofundado dos
aspectos técnico-científicos e também
de suas causas socioeconômicas.
Afastando deste modo, o risco do
esvaimento por modismo ou apenas por
discurso.
discurso
Aspectos filosóficos-conceituais

A herança de Tibilisi: as metas atingidas


pela EA e delineadas em Tibilisi foram:
 abordagem interdisciplinar da Educação
Ambiental nas escolas;
 caracterizar o ambiente em seus
aspectos social e natural;
 estabelecer meios de conscientização
ambiental e ação crítica;
 capacitar o cidadão na busca de
soluções para os problemas ambientais
ambientais.
Aspectos filosóficos-conceituais

Conclusão:
 A discussão da problemática ambiental
requer análise conjunta e integrada
do meio social e do meio natural.

MEIO MEIO
SOCIAL NATURAL
Proposta pedagógica em EA

 Práticas sociais comprometidas com o


meio ambiente utilizando-se como
potencializador do processo a
sensibilização e a motivação a a
corresponsabilidade.
 Processo que requer capacitação
docente eficaz e contínua de modo que
os professores possam reelaborar
permanentemente as múltiplas
informações que recebem e decodificá-
las de modo adequado para os alunos.
alunos
Proposta pedagógica em EA:
aspectos do processo de
transformação socioambiental

 Conscientização:
 crise ambiental x crise civilizatória
 co-autores de seu agravamento x
processo exequível de implementação
de soluções;
 Mudanças de comportamento: resgate
de valores;
 Participação dos educandos:
ensino/aprendizagem.
 Capacidade de avaliação: senso crítico
do aluno;
 Desenvolvimento de competências:
fração de responsabilidade.
Interatividade

Não faz parte do conjunto de metas a serem alcançadas


pela Educação Ambiental, segundo as orientações da
Conferência Intergovernamental de Tbilisi:
a) O desenvolvimento de uma nova óptica ambiental que
redefina o ambiente em termos do meio social e do
meio natural.
b) D
Demonstrar
t à
às pessoas a existência
i tê i d de uma ííntima
ti
relação entre suas ações cotidianas e qualidade
ambiental.
c) Concentrar os esforços de conscientização e
desenvolvimento de atitudes pró-ambientais
fundamentalmente no contexto escolar formal.
d) Dotar as pessoas de um senso crítico que as permita
agir de modo a prevenir e remediar impactos
ambientais.
e) Incentivar governos e entidades não-governamentais a
investirem recursos para o desenvolvimento e
implementação de programas de Educação Ambiental.
Educação formal e não formal

 Educação formal: originada de um


sistema socialmente sancionado, no qual
os participantes tem de desenvolver
múltiplas formas de aprendizado e de
competências.
 Educação não formal: caracterizada pelo
aprendizado voluntário, não havendo,
neste caso, a obrigatoriedade típica do
ensino formal.
Educação formal e não formal:
locais e atividades

Educação formal Educação não-


formal
Salas de aula de instituições Visitas recreativas a parques,
públicas e privadas. museus e zoológicos.

Cursos, seminários e
Cursos Cursos, seminários e
Cursos
workshops que emitem workshops que não emitem
certificados ou certificados ou
licenciamentos. licenciamentos.
Visitas a ambientes naturais Acampamentos.
como parte do currículo
escolar.
Visitas programadas pela Programas turísticos.
escola a parques, museus e
zoológicos.
Educação formal e não formal

 A educação formal transcorre em


ambientes educacionais específicos, tais
como as salas de aula de escolas e
universidades, embora o ensino formal
possa transcorrer também em uma
viagem de campo ou em uma sala de
reuniões de um hotel;
 Por outro lado, a educação não-formal
dispensa ambientes específicos, e pode
ter lugar em parques, zoológicos e
museus embora estes também possam
museus,
ser locais para o desenvolvimento de
atividades de educação formal
Programas de EA:
desenvolvimento e implementação

 A EA acontece em todos os tipos de


ambientes e não é restrita a um único
público-alvo. Os educadores devem
considerar as fases de desenvolvimento
e as motivações dos seus alunos,
e conhecer as principais características
do ambiente onde transcorrerá a prática
educacional.
 Os programas em EA são extremamente
variáveis, pois dependem diretamente do
perfil dos participantes e envolve
basicamente duas etapas:
desenvolvimento e
implementação.
Programas de EA:
desenvolvimento e implementação

 O desenvolvimento de programas, seja


em Educação Ambiental ou em qualquer
outra área, requer, como etapa
obrigatória que precede a aplicação, a
seleção e o planejamento das atividades.
Nesta etapa
etapa, são estabelecidas metas e
objetivos, são determinados os
conteúdos específicos do programa, o
material educativo é produzido e/ou
selecionado, e são planejados os
métodos a serem empregados no
processo de ensino/aprendizagem.
Programas de EA:
desenvolvimento e implementação

 Em alguns casos, o desenvolvimento e a


implementação do programa são dois
processos separados e distintos. No
entanto, o ideal é que desenvolvimento e
implementação sejam trabalhados em
conjunto em um processo contínuo
conjunto,
onde os participantes do programa
sejam ativamente envolvidos no
planejamento e aplicação do programa.
De uma maneira ou de outra, a avaliação
do programa implementado fornece
subsídios para melhorias futuras.
Interatividade

As afirmativas abaixo dizem respeito às diretrizes


específicas da Educação Ambiental para educação formal.
I. Em todos os níveis da educação formal, a Educação
Ambiental se beneficia da interdisciplinaridade
mantida com as disciplinas regulares.
II. Uma alfabetização ambiental bem sucedida
proporciona
i ao educando
d d a aquisição
i i ã de
d um forte
f t
senso crítico e de independência.
III. É recomendável restringir o aprendizado ambiental às
características e questões ambientais nas quais o
educando esteja diretamente envolvido.
Das afirmativas acima, pode-se dizer que:
a)) apenas I e II estão
tã corretas.
t
b) apenas II e III estão corretas.
c) apenas I e III estão corretas.
d) apenas I está correta.
e) I, II e III estão corretas.
Interdisciplinariedade,
transversalidade e
multidisciplinariedade: abordagem

Abordagem Interdisciplinar:
 Ideias temáticas são usadas para
investigar um tópico ou questão
interdisciplinar. Essa abordagem integra
disciplinas de estudo e permite aos
alunos fazer conexões com questões do
cotidiano que são relevantes a eles. Os
limites disciplinares são esmaecidos
Interdisciplinariedade,
transversalidade e
multidisciplinariedade: abordagem

Abordagem Transdisciplinar:
 os alunos investigam amplas áreas de
interesse que exemplificam um tema. O
estudo é feito se utilizando de uma
combinação de disciplinas apropriadas
para estudar o tema. Não há limites entre
as disciplinas.
Interdisciplinariedade,
transversalidade e
multidisciplinariedade: abordagem

Abordagem Multidisciplinar Integrada:


 conceitos, princípios e tópicos são
usados, dentro dos limites de cada
disciplina, para exemplificar uma ideia
temática .
Interdisciplinariedade,
transversalidade e
multidisciplinariedade: conceito

 A interdisciplinaridade, não pretende a


unificação dos saberes, mas deseja a
abertura de um espaço de mediação
entre conhecimentos e articulação de
saberes, na qual as disciplinas estejam
em situação de mútua coordenação e
cooperação, construindo um marco
conceitual e metodológico comum para a
compreensão de realidades complexas.
Interdisciplinariedade,
transversalidade e
multidisciplinariedade: conceito

 A ideia de transdisciplinaridade
radicaliza a ideia de reacomodação e
unificação dos conhecimentos
disciplinares, com relativo
desaparecimento de cada disciplina.
Assim cada campo especializado do
Assim,
saber envolvido no estudo de certo
fenômeno seria fundido em um amplo
corpo de conhecimentos universais e
não especializados que poderiam ser
aplicados a quaisquer fenômenos.
Interdisciplinariedade,
transversalidade e
multidisciplinariedade: conceito

 O conceito de multidisciplinaridade diz


respeito à situação em que diversas
disciplinas, com base em seu quadro
teórico-metodológico, colaboram no
estudo ou tratamento de dado fenômeno.
Os limites disciplinares são mantidos e
não se supõe, necessariamente, a
integração conceitual ou metodológica
das disciplinas no âmbito de um novo
campo do conhecimento. Congressos e
simpósios são exemplos de situações
em que se lança mão do debate
multidisciplinar.
Interatividade

Meio ambiente é considerado pelos PCN como um


tema transversal porque?
a) merece uma abordagem exclusiva no contexto
educacional, independente das demais
disciplinas.
b) merece uma abordagem integrada no contexto
educacional, a ser trabalhado em todas as
disciplinas.
c) não é um assunto de caráter naturalmente
interdisciplinar ou transdisciplinar.
d)) não faz p
parte do cotidiano das pessoas,
p ,
portanto merece ser inserido na rotina diária.
e) é um tema cuja abordagem deve ocorrer
necessariamente fora das salas
de aula.
Diretrizes específicas para
programas em EA

Voltados para a 1ª Infância:


 1ª Meta: desenvolver a consciência e a
apreciação da beleza do mundo natural.
 2ª Meta: tomar consciência dos
conceitos de ciclos, diversidade e inter-
inter
relações na natureza.
 3ª Meta: desenvolver um senso de
apreciação e respeito pela integridade do
mundo natural.
Diretrizes específicas para
programas em EA

 4ª Meta: desenvolver um senso de


cuidado pelo Planeta Terra e uma
compreensão de como diferentes tipos
de poluição podem ser prejudiciais à
Terra.
 5ª Meta: desenvolver uma consciência de
que as pessoas são parte do mundo
natural, e não separada dele.
 6ª Meta: desenvolver uma compreensão
de como contribuir para o bem estar da
Terra.
Diretrizes específicas para
programas em EA

Voltados para a Educação formal:


 1ª Vertente: habilidades de análise e
questionamento
 2ª Vertente: conhecimento dos sistemas
e processos ambientais
 3ª Vertente: Competências para a
compreensão e resolução de questões
ambientais.
 4ª Vertente: Responsabilidade cívica e
pessoal.
pessoal
Diretrizes específicas para
programas em EA

Voltados para a Educação não formal:


Alfabetização ambiental nominal
 Reconhecem termos básicos usados nos
comunicados sobre o meio ambiente e
podem definir os seus significados.
 Possuem consciência e sensibilidade em
relação ao ambiente, além de respeito
pelos sistemas naturais. Também se
preocupam com os impactos ambientais
negativos provocados pela humanidade.
 Apresentam conhecimento rudimentar
sobre os sistemas naturais e de sua
interação com os sistemas
sociais humanos.
Diretrizes específicas para
programas em EA

Alfabetização ambiental funcional


 Possuem conhecimento e compreensão
amplos das interações existentes entre
os sistemas sociais humanos e sistemas
naturais.
 São conscientes sobre e preocupados
com as interações negativas entre os
sistemas natural e humano, no que se
refere a uma ou mais questões.
 Podem analisar, sintetizar e avaliar
informações sobre as questões
ambientais, utilizando-se, para isso, de
fontes primárias e secundárias.
 Compartilham suas descobertas
e sentimentos com os outros.
Diretrizes específicas para
programas em EA

Alfabetização ambiental operacional


 Avançam para além da alfabetização
funcional no que se refere à amplitude e
profundidade de habilidades e
compreensões.
 Avaliam rotineiramente os impactos e
consequências das ações.
 Reúnem e sintetizam as informações
pertinentes.
 Demonstram um forte senso de
responsabilidade na prevenção e
remediação da degradação ambiental.
 Atuam em diversos níveis, do
local ao global.
Interatividade

É recomendável que a Educação Ambiental voltada para a


primeira infância procure atingir algumas metas. Assinale a
alternativa incorreta sobre estas metas:
a) Uma das metas principais deste tipo de programa deve
ser o desenvolvimento de um sentido de respeito e
apreciação da beleza do mundo natural.
b) As crianças devem aprender desde cedo que as ações
humanas podem interferir de modo negativo no meio
ambiente.
c) A curiosidade natural manifestada pelas crianças nessa
fase da vida deve ser explorada para se desenvolver
múltiplos entendimentos a respeito do mundo natural.
d) É importante incentivar, nas crianças pequenas, o
sentimento de que elas fazem parte de um grande
sistema que engloba o meio social e o meio natural.
e) Não é preciso ensinar às crianças atitudes pró-
ambientais, uma vez que essa meta é naturalmente
atingida como consequência do conjunto de
entendimentos desenvolvido.
ATÉ A PRÓXIMA!

Você também pode gostar