Você está na página 1de 15

Relatório da INSPEÇÃO DIMENSIONAL DOS COMPONENTES DO TQ-7705 UNIDADE DE

MOEMA – ORINDIÚVA SP.


1. OBJETIVO

1.1. Efetuar inspeção dimensional nos acessórios do tanque relacionados neste relatório,
conforme “ROTEIRO DE INSPEÇÕES E TESTES PARA TANQUES DE
ARMAZENAMENTOS E PROCESSO”.

1.2. PARÂMETROS DO TQ-7705

1.2.1. Norma de fabricação: desconhecida;


1.2.2. Data da montagem do tanque: 1982 informado por relatório inspeção anterior;
1.2.3. Fabricante: não informado;
1.2.4. Perímetro externo do tanque: 62.700 mm, realizado no ensaio dimensional nesta
intervenção;
1.2.5. Diâmetro externo do tanque: 23.120 mm;
1.2.6. Diâmetro interno do tanque: 23.050 mm;
1.2.7. Espessura da chapa da virola número 01: 12,5 mm;
1.2.8. Altura do tanque externamente: 11.950 mm; realizado no ensaio dimensional nesta
intervenção;
1.2.9. Altura do tanque internamente: 11.990 mm conforme dimensional nesta intervenção;
1.2.10. Espessura nominal da chapa do fundo: 9,5 mm, conforme ensaio ultrassônico por ME;
1.2.11. Tipo de teto: fixo cônico, suportado por coluna tipo vigas “U” 255 mm x 70 mm;
1.2.12. Material: aço carbono, mas sem conhecimento da especificação da chaparia;
1.2.13. Construção do teto: chapas sobrepostas;
1.2.14. Construção do costado: chapas soldadas de topo. Espessura Virola 01 12,5 mm. Virolas 02
@ 09 relatórios de ME;
1.2.15. Construção do fundo: reto com chapas soldadas por tiras longitudinais e transversais na
união entre elas. Espessura nominal 9,5 mm.
1.2.16. Chapas anulares externas: espessuras encontradas por ME 5,9 @ 8,4 mm;
1.2.17. Revestimento externo: pintura com descascamentos e sujeiras generalizada, sobretudo nas
virolas superiores e no teto, neste mais atacado numa coroa circular formada por um segmento de
um metro da borda do teto para seu vértice;
1.2.18. Revestimento interno: não existe;
1.2.19. Tipo de fundação: base de concreto;
1.2.20. Detector de vazamento: não existe;
1.2.21. Produto armazenado: Etanol anidro;
1.2.22. Densidade: 0,79 g/cm³;
1.2.23. Temperatura: ambiente;
1.2.24. Escala de pressão: não informado (verificar quando calibrarem a válvula).

1.3. A inexistência de referências geométricas por falta de desenhos de projeto ou montagem


do equipamento levou a inspeção a elaborar um sistema para referenciar as localizações dos
componentes ligados ao tanque, para isto tomou-se como referência o norte geográfico que coincide
mais ou menos com a localização da boca de visita de diâmetro nominal 20”, voltada para esse ponto
cardeal a qual foi posicionada como 0,0 mm e 0° geométrico.

1.4. Após conhecimento do perímetro dimensionado, acima da solda externa em ângulo, ligação
da chapa da virola 01 com a chapa anular, definiu-se as posições geométricas para 0º, 90°, 180° e

1
270°. A partir destas referências, pode-se localizar bocais, câmara de espuma, aterramentos elétricos
do costado e do teto bem próximas do real. Os bocais do teto foram localizados comparando com as
tangentes ao costado do tanque. A PSV 622766, válvula de segurança, com a função de aliviar alta
pressão, evitar pressão negativa além do permissível e prova contra fogo, localiza-se no vértice do
teto (ponto mais alto);

1.5. EQUIVALÊNCIA ENTRE A LOCALIZAÇÃO E A POSIÇÃO DOS ACESSÓRIOS


AO LONGO DO PERÍMETRO DO TANQUE

1.5.1. 1º corresponde a 201,6 mm ou


1.5.2. 1 mm corresponde 0,00495º.

1.6. A altura do tanque foi dimensionada externamente por trena tipo fita métrica, entre a chapa
anular e a aba superior da viga “U” 100 x 40 e internamente pela trena laser a partir da solda na borda
superior da virola 09 até a chapa anular interna no fundo do tanque.

1.7. O diâmetro externo e o interno, foram calculados utilizando o perímetro, a espessura da


primeira virola que também possibilitou encontrar as posições angulares dos acessórios ligados ao
equipamento cujos valores podem ser consultados na tabela 01.

2. INSTRUMENTOS UTILIZADOS

2.1. TRENA LASER;


2.2. TRENA PLANA DE 50.000 mm;
2.3. TRENA PLANA DE 5.000 mm;
2.4. TRENA CÔNCAVA 3.000 mm;
2.5. ESQUADRO;
2.6. ESCALA METÁLICA 1.000 mm;
2.7. NÍVEL DE BOLHA;
2.8. MARTELO DE BOLA.

Nota:
a) Considerar todas as medidas apresentadas nos croquis em mm, exceto onde
indicado ao contrário;
b) Os croquis não foram elaborados numa escala oficial.

3. ACESSÓRIOS INSPECIONADOS
3.1. VISTA DO EQUIPAMENTO PLANTA BAIXO SEM ESCALA
A figura 01 apresenta a localização dos componentes dimensionados ao longo do costado e do teto
do tanque, enquanto a tabela 01 identifica e posiciona ao longo do perímetro as posições métricas e
angulares desses componentes.

2
Figura 01: Localização dos bocais, aterramentos elétricos, câmara de espuma e outros componentes ao
longo do costado e teto do tanque, relacionados na tabela 01

LOCALIZAÇÃO
LOCALIZAÇÃO ANGULAR
ITEM ACESSÓRIO DIMENSIONAL
(º)
(mm)
0 Boca de visita BV 0 0,0
1 Aterramento elétrico do teto 17,0 3.427
2 Aterramento elétrico do costado 62,5 12.600
2a Boca de visita do teto 74,5 15.019
3 Aterramento elétrico do costado 83,0 16.733
4 Escada marinheiro antiga 92,0 18.547
5 Indicador de nível desativado 94,0 18.950
6 Aterramento elétrico do teto 109,0 21.974
7 Entrada de ETANOL 4” 134,0 27.014
Entrada de ETANOL hidratado
8 desativada
136 27.417
Entrada de ETANOL hidratado
9 desativada
138 27.821
10 Aterramento elétrico do costado 138 27.821
11 Aterramento elétrico do costado 170 34.272
12 Aterramento elétrico do teto 200 12.600
13 Aterramento elétrico do costado 227 45.763
14 Bocal da câmara de espuma 234 47.174
15 Aterramento elétrico do costado 259 52.214
16 Aterramento elétrico do teto 288 58.061
17 Saída de ETANOL Ø 6” 315 63.504
18 Bocal da PSV Topo do teto NA
TABELA 01: Relação dos acessórios instalados no tanque

3
4. REGISTRO DOS ACESSÓRIOS DIMENSIONADOS
4.1. ENTRADA DE ETANOL VIA TETO DO TQ-7705 NA TANGENTE 134°.
O valor das cotas indicadas no croqui da figura 02, encontram-se também na tabela 02. Interligado a este bocal
estão conectados dois spools, que foram desativados.

Tabela 02: cotas da figura 02. entrada de etanol via teto


VALOR
COTA
(mm)
A 14,0
B 12,0
C
12,0
D 12,0
E 170
F 190
G 12,0

Figura 02: Bocal de entrada do etanol via teto do TQ-7705


na posição aproximada de 134°, visualizado pelo costado do
tanque.

4.2. BOCA DE VISITA


Localizada na posição 0°. Diâmetro nominal 20”. Os Flanges da BV e flange cego foram fabricados
de chapa, o pescoço provavelmente deva também ter sido. Valores das cotas encontram-se no próprio
croqui.

4
s

Figura 03: Boca de visita posicionada a 0° na primeira


virola do TQ-7705

4.3. CÂMARA DE ESPUMA


Diâmetro nominal 10”, localizada na tangente 234°. Embora não seja este o relatório para descrever
fisicamente como se encontrava este acessório na ocasião da inspeção dimensional, registra-se aqui
também que a solda de união da câmara ao costado apresenta falta de penetração na raiz internamente
ao tanque e que também não foi instalado um colar de reforço nesta conexão, conforme previsto nas
normas de projeto, inexistência do colarinho de reforço, sendo o dimensional praticado somente nos
componentes internos devido a não montagem de andaime decidido pelo cliente. Julga-se necessário
a inspeção externa das soldas de união entre as curvas interna x externa.

5
Figura 04: croqui da inspeção dimensional nos componentes
da câmara e distribuidor de espuma no interior do tanque.°

4.4. CÁLCULO DA ALTURA DE ENTRADA DA CÂMARA DE ESPUMA

4.4.1. . .= . −( . é )
4.4.2. = 11.990 − (170 + 273 + 136) = 11.411 .
4.4.3. Número de abertura dos distribuidores: 15 (quinze);
4.4.4. Dimensões das aberturas e intervalos entre eles: conforme croqui da figura 04 = 10.890 mm
4.4.5. 15 × 490 + 3540 = 10.890 .

4.5. BOCAL DE SAÍDA DO ETANOL PARA SUCÇÃO DAS BOMBAS, DIÂMETRO


NOMINAL 6”, LOCALIZADO NA POSIÇÃO 315°.

Este bocal encontra-se abaixo do fundo do tanque ligado à bacia de contenção do etanol na sucção
das bombas.
O tubo correspondente ao pescoço do Bocal apresentou corrosão alveolar externa severa no trecho
compreendido entre o anel de concreto e sua inserção na bacia visto no croqui da figura 05.

6
Figura 05: Bocal saída de etanol para a sucção das bombas. Diâmetro
nominal 6”, localizado na posição 315°.

4.6. BOCAL PARA A VÁLVULA DE PRESSÃO, VÁCUO COM CORTA-CHAMA LOCALIZADA


NO VÉRTICE DO TETO

A válvula encontra-se com a pintura em vermelho em boas condições, mas possuindo fendilhamentos
que não atingem o substrato.
Na figura 06 estão registrados os valores encontrados no dimensional do bocal da válvula identificada
como PSV-622766;
Não foi constatado lacre nem identificação no corpo da válvula a qual se encontra com os parafusos
dos flanges soltos.

7
Tabela 03

COTAS PSV – 622766


A 190,0 mm
B 190,0 mm

C 190,0 mm

D 190,0 mm

E 19,0 mm

Cotas adquiridas no bocal da válvula de


Figura 06: bocal para a PSV-622766 localizadas no
pressão e vácuo com corta-chama mostrada
vértice do teto
na figura 06

4.7. BOCAL PARA AMOSTRADOR MANUAL DE ETANOL

Anel anti-faísca do Amostrador, apresenta-se íntegro.


As cotas para este Amostrador estão registradas na tabela 05 e mostradas na figura 07.

Figura 07: Amostrador manual de ETANOL

8
Tabela 05: Cotas adquiridas no Amostrador manual de etanol
VALOR
COTAS Obs.
(mm)
C 160 -
E 3.040 -
F 259 -
G 287
H 100 Pescoço Ø 4”
I 223 -
K 20 -
Seno 5° = 0,087 Ver linha “G” desta tabela -

4.8. CÁLCULO DA POSIÇÃO PARA O MEDIDOR MANUAL

Tabela 06: dados para cálculos do ponto de medição manual

ITEM COMPONENTE VALORES


01 Altura do tanque aba superior da viga à chapa anular 11.990 mm

02 Ângulo da inclinação borda do teto até linha de centro da BV do teto 5°

03 Seno de 5° 0,087

04 Cota da borda do teto até linha de centro da BV do teto 3.299mm

05 Declividade devida inclinação de 5° 287 mm


Altura do ponto de medição manual (altura do TQ + altura devida
06 12.277 mm
inclinação de 5°

9
4.9. BOCAL PARA A CHAVE DE NÍVEL MUITO ALTO E RADAR

Na ocasião da inspeção dimensional, o radar não se encontrava no seu lugar de instalação.

Figura 08: Bocal para a chave de nível muito alto e radar

Tabela 06: Bocal para o transmissor chave de nível muito alto e radar
VALOR VALOR
COTA COTA
(mm) (mm)
A 157 H 100
B 160 I 287
C 160 J 50
D 162 K 20
E 3.040 L 23
F 259 M 518
G 287 N 2560

10
4.10. CÁLCULO DA POSIÇÃO PARA O INDICADOR DE NÍVEL MUITO ALTO E
RADAR

Tabela 07: dados para cálculos do ponto de medição para nível muito alto e para o radar

ITEM COMPONENTE VALORES


01 Altura do tanque aba superior da viga à chapa anular 11.990 mm
02 Ângulo da inclinação borda do teto até linha de centro da BV do teto 5°
03 Seno de 5° 0,087
04 Cota da borda do teto até linha de centro da BV do teto 3.299mm
05 Declividade devida à inclinação de 5° 287 mm
06 Comprimento do sensor de nível muito alto 2.580 mm
Altura do nível muito alto e radar (altura do TQ + altura devida inclinação
07 12.277 mm
de 5°

4.11. INCLINAÇÃO NA CHAPARIA DO TETO


Ao caminhar sobre a chaparia do teto, observou-se que algumas das chapas encontram-se estufadas
para cima, principalmente na região mais alta onde o desnível medido foi de 3° a 4° localizadas a 1,5
m do bocal da PSV- 622766.
Na inspeção da chaparia internamente foram encontradas flechas de 50 mm até 95 mm distanciadas
de 1,5 metro até o bocal da PSV-622766, conforme mostram as figuras 09, 10 e 11.

Figura 09 - Flecha com 95 mm medida entre a Figura 10 - Flecha entre uma viga poligonal e a
viga 1 e a chapa do teto a 1,5 m do bocal PSV chapa interna do teto a ± 3,0 m do bocal da PSV

11
Figura 11: Declividade verificada na chaparia do teto tendo como referência sua borda no sentido
bocal da PSV.

4.12. ANÁLISE DA FIGURA 11

No ponto “A” as deformações para cima das chapas do teto apresentam flechas com valores de 50 a
95 mm, medidas internamente e no ponto “B” não apresentam deformações, apenas inclinação de 4°,
inclinação esta utilizada para calcular a declividade do teto para considerar os pontos de instalação
da chave de nível alto, Radar (fita termométrica) e amostrador manual de produto;

4.13. COMPONENTES DE SUSTENTAÇÃO DO TETO DO TQ-7705


As Figuras 12, 13 e 14 mostram o sistema de sustentação do teto do tanque, onde pode-se considerar
a corrosão como sendo de leve intensidade, embora a cor do óxido de ferro dê uma impressão de
corrosão em estágio avançada, haja vista a ainda existência de grandes áreas com a carepa de
laminação formada durante o processo de fabricação das chapas e perfis.

Figura 13: Vista sapata de apoio Figura 14: Vista das vigas poligonais e
Figura 12: Visão geral da coroa e
das vigas de sustentação do teto cantoneiras de sustentação do teto
vigas de sustentação do teto
(duas) próximo à boca de visita do teto.

12
4.14. BASE DE CONCRETO DO TANQUE:
A base foi construída com anel de concreto. Embora o terreno (solo) do dique encontra-se muito
irregular ao redor do tanque foi registrado na tabela 07 as cotas do anel de concreto da base do TQ
nas posições geográficas indicadas.

Tabela 07: base do tanque


DIMENSÃO DA
0° 90° 180° 270° MÉDIA
BASE
LARGURA DO ANEL
CONCRETO 0,3 0,29 0,29 0,27 0,29
(m)
ALTURA DO ANEL
DE CONCRETO 0,29 0,19 0,29 0,41 0,29
(m)

4.15. TALUDE DE CONTENÇÃO DO DIQUE


O sistema de contenção do produto é do tipo muretas erguidas com tijolos tipo blocos, formando um
quadrado e atuando como talude, possui duas escadas para acesso, uma pelo lado sul e outra pelo
leste geográfico. O terreno encontra-se muito irregular em toda a área do dique devido à provável
compactação de terras existentes no passado.
A tabela 08 registra as cotas das alturas e larguras das muretas nos seus quatro lados.

Tabela 08: distância entre as muretas e a média de suas alturas


LADO LADO LADO
DIMENSÃO LADO SUL MÉDIA
NORTE LESTE OESTE
DA MURETA (m) (m)
(m) (m) (m)
LARGURA
33,30 33,30
(m)
MÉDIA DAS
1,33 1,33 1,23 1,22 1,28
ALTURAS (m)

4.16. DADOS DO DIQUE

Tabela 09: dados para cálculos do volume do dique

ITEM COMPONENTE VALORES


Altura média das muretas, (NORTE, SUL, LESTE E OESTE) de contenção
01 1,28 m
do dique
02 Largura das muretas NORTE /SUL e LESTE/OESTE do dique 33,30 m
03 Largura do anel de concreto 0,29 m
04 Altura média da base 0,29 m
05 Raio externo do tanque 11,50 m
06 Raio total tanque mais anel de concreto (0,29 m + 11,50 m) 11,80 m
07 Volume do tanque 5.000 m³
08 Volume calculado do dique 1.293,0 m³

4.17. VOLUME DO DIQUE

13
4.17.1. ( ) = 1 × 2 ( ) = 33,30 × 33,30 ( ) = 1.109,0 ²
4.17.2. = ( )× = 1.109,0 ² × 1,28 = 1.419,0 ³

4.18. VOLUME DA BASE DO TANQUE EM RELAÇÃO AO ANEL DE CONCRETO.

4.18.1. =( + ) × é
4.18.2. =( + )² ×
4.18.3. = (0,30 + 11,5 )² ×
4.18.4. = 139,0 ² ×
4.18.5. = 139,0 ² × 3,14
4.18.6. = 436,50 ²
4.18.7. ( + ) = 436,0 × 0,29
4.18.8. ( + ) = 126,0 ³
4.18.9. = 1.419,0 − 126,0 ³
4.18.10.
4.18.11. = 1.293,0 ³

4.19. MEMORIAL DESCRITIVO DO TANQUE TQ-7705

Na figura 15 estão registrados os valores calculados dos pontos mais importantes, solicitados pelo
cliente e a figura 16 mostra um croqui do TQ-7705.

Figura 15 – MEMORIAL DESCRITIVO DO TQ-7705

14
Figura 16 – desenho do TQ-7705

EQUIPE de área: Sérgio de Oliveira;


Junior;
Jonas;
Antonio Cordeiro.Mendes

15

Você também pode gostar