Você está na página 1de 234

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO PARÁ

TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022


PRESIDENTE
Desª. CÉLIA REGINA DE LIMA PINHEIRO
VICE-PRESIDENTE
Des. RONALDO MARQUES VALLE
CORREGEDORIA GERAL DE JUSTIÇA
Desª. ROSILEIDE MARIA DA COSTA CUNHA
CONSELHO DA MAGISTRATURA
Desª. CÉLIA REGINA DE LIMA PINHEIRO Desª. EZILDA PASTANA MUTRAN
Des. RONALDO MARQUES VALLE Desª. ROSI MARIA GOMES DE FARIAS
Desª. ROSILEIDE MARIA DA COSTA CUNHA Desª. EVA DO AMARAL COELHO
Desª. MARIA FILOMENA DE ALMEIDA BUARQUE

DESEMBARGADORES
RÔMULO JOSÉ FERREIRA NUNES MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES MAIRTON MARQUES CARNEIRO
LUZIA NADJA GUIMARÃES NASCIMENTO LEONAM GONDIM DA CRUZ JÚNIOR EZILDA PASTANA MUTRAN
VÂNIA VALENTE DO COUTO FORTES BITAR CUNHA RONALDO MARQUES VALLE MARIA ELVINA GEMAQUE TAVEIRA
VÂNIA LÚCIA CARVALHO DA SILVEIRA GLEIDE PEREIRA DE MOURA ROSILEIDE MARIA DA COSTA CUNHA
CONSTANTINO AUGUSTO GUERREIRO JOSÉ MARIA TEIXEIRA DO ROSÁRIO JOSÉ ROBERTO PINHEIRO MAIA BEZERRA JÚNIOR
MARIA DE NAZARÉ SILVA GOUVEIA DOS SANTOS MARIA DO CÉO MACIEL COUTINHO ROSI MARIA GOMES DE FARIAS
RICARDO FERREIRA NUNES MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO EVA DO AMARAL COELHO
LEONARDO DE NORONHA TAVARES ROBERTO GONÇALVES DE MOURA KÉDIMA PACÍFICO LYRA
CÉLIA REGINA DE LIMA PINHEIRO MARIA FILOMENA DE ALMEIDA BUARQUE AMILCAR ROBERTO BEZERRA GUIMARÃES
LUIZ GONZAGA DA COSTA NETO

SEÇÃO DE DIREITO PÚBLICO 2ª TURMA DE DIREITO PÚBLICO


Plenário da Seção de Direito Público Plenário de Direito Público
Sessões às terças-feiras Sessões às segundas-feiras
Desembargadora Luzia Nadja Guimarães Nascimento Desembargadora Luzia Nadja Guimarães Nascimento
Desembargadora Célia Regina de Lima Pinheiro Desembargador José Maria Teixeira do Rosário (Presidente)
Desembargador José Maria Teixeira do Rosário Desembargador Luiz Gonzaga da Costa Neto
Desembargador Roberto Gonçalves de Moura (Presidente) Desembargador Mairton Marques Carneiro
Desembargador Luiz Gonzaga da Costa Neto
Desembargador Mairton Marques Carneiro
Desembargadora Ezilda Pastana Mutran
Desembargadora Maria Elvina Gemaque Taveira
Desembargadora Rosileide Maria da Costa Cunha
SEÇÃO DE DIREITO PENAL
SEÇÃO DE DIREITO PRIVADO Plenário da Seção de Direito Penal
Plenário da Seção de Direito Privado Sessões às segundas-feiras
Sessões às quintas-feiras Desembargador Rômulo José Ferreira Nunes
Desembargador Constantino Augusto Guerreiro (Presidente) Desembargadora Vânia Valente do Couto Fortes Bitar Cunha
Desembargador Ricardo Ferreira Nunes Desembargadora Vânia Lúcia Carvalho da Silveira
Desembargador Leonardo de Noronha Tavares Desembargadora Maria de Nazaré Silva Gouveia dos Santos
Desembargadora Maria de Nazaré Saavedra Guimarães Desembargador Leonam Gondim da Cruz Júnior
Desembargadora Gleide Pereira de Moura Desembargador Ronaldo Marques Vale
Desembargadora Maria do Ceo Maciel Coutinho Desembargador Maria Edwiges de Miranda Lobato
Desembargadora Maria Filomena de Almeida Buarque Desembargador José Roberto Pinheiro Maia Bezerra Júnior (Presidente)
Desembargador Amilcar Roberto Bezerra Guimarães Desembargadora Rosi Maria Gomes de Farias
Juiz Convocado José Torquato de Araújo de Alencar Desembargadora Eva do Amaral Coelho
Juíza Convocada Margui Gaspar Bittencourt Desembargadora Kédima Pacífico Lyra
Juiz Convocado Altemar da Silva Paes

1ª TURMA DE DIREITO PRIVADO


Plenário de Direito Privado 1ª TURMA DE DIREITO PENAL
Sessões às segundas-feiras Plenário de Direito Penal
Desembargador Constantino Augusto Guerreiro Sessões às terças-feiras
Desembargador Leonardo de Noronha Tavares (Presidente) Desembargadora Vânia Lúcia Carvalho da Silveira
Desembargadora Maria do Ceo Maciel Coutinho Desembargador Maria Edwiges de Miranda Lobato (Presidente)
Desembargadora Maria Filomena de Almeida Buarque Desembargadora Rosi Maria Gomes de Farias
Juíza Convocada Margui Gaspar Bittencourt

2ª TURMA DE DIREITO PENAL


2ª TURMA DE DIREITO PRIVADO
Plenário de Direito Penal
Plenário de Direito Privado Sessões às terças-feiras
Sessões às terças-feiras
Desembargador Rômulo José Ferreira Nunes (Presidente)
Desembargador Ricardo Ferreira Nunes (Presidente)
Desembargadora Vânia Valente do Couto Fortes Bitar Cunha
Desembargadora Maria de Nazaré Saavedra Guimarães
Desembargador Leonam Gondim da Cruz Júnior
Desembargadora Gleide Pereira de Moura
Desembargador Ronaldo Marques Vale
Desembargador Amilcar Roberto Bezerra Guimarães
Juiz Convocado Altemar da Silva Paes
Juiz Convocado José Torquato de Araújo de Alencar

1ª TURMA DE DIREITO PÚBLICO 3ª TURMA DE DIREITO PENAL


Plenário de Direito Público Plenário de Direito Penal
Sessões às segundas-feiras Sessões às quintas-feiras
Desembargadora Célia Regina de Lima Pinheiro Desembargadora Maria de Nazaré Silva Gouveia dos Santos
Desembargador Roberto Gonçalves de Moura Desembargador José Roberto Pinheiro Maia Bezerra Júnior
Desembargadora Ezilda Pastana Mutran (Presidente) Desembargadora Eva do Amaral Coelho (Presidente)
Desembargadora Maria Elvina Gemaque Taveira Desembargadora Kédima Pacífico Lyra
Desembargadora Rosileide Maria da Costa
SUMÁRIO
PRESIDÊNCIA 3
CORREGEDORIA GERAL DE JUSTIÇA 21
COORDENADORIA DOS PRECATÓRIOS 41
UNIDADE DE PROCESSAMENTO JUDICIAL DAS TURMAS DE DIREITO PÚBLICO E PRIVADO- UPJ 43
CEJUSC
PRIMEIRO CEJUSC BELÉM 87
TURMAS DE DIREITO PENAL
UNIDADE DE PROCESSAMENTO JUDICIAL DAS TURMAS DE DIREITO PENAL - UPJ 89
COORDENADORIA DOS JUIZADOS ESPECIAIS
SECRETARIA DA 2ª VARA DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL 125
SECRETARIA DA VARA DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL E CRIMINAL DE MOSQUEIRO 128
SECRETARIA DE GESTÃO DE PESSOAS 129
FÓRUM CÍVEL
UPJ DAS VARAS CÍVEIS E EMPRESARIAIS DA CAPITAL - 5 VARA CÍVEL E EMPRESARIAL 139
UPJ DAS VARAS DA FAZENDA DA CAPITAL - 2 VARA DA FAZENDA 140
FÓRUM CRIMINAL
SECRETARIA DA 6ª VARA CRIMINAL DA CAPITAL 141
FÓRUM DE ICOARACI
SECRETARIA DA VARA DE FAMILIA DISTRITAL DE ICOARACI 142
SECRETARIA DA 2ª VARA CIVEL E EMPRESARIAL DISTRITAL DE ICOARACI 146
FÓRUM DE ANANINDEUA
SECRETARIA DA 4ª VARA CRIMINAL DE ANANINDEUA 147
EDITAIS
COMARCA DA CAPITAL - EDITAIS DE PROCLAMAS 149
UPJ DAS VARAS CÍVEIS E EMPRESARIAIS DA CAPITAL - 1 VARA - EDITAIS 151
COMARCA DE MARABÁ
SECRETARIA DA VARA AGRÁRIA DE MARABÁ 152
COMARCA DE SANTARÉM
UPJ DA VARA DE EXECUÇÃO PENAL DE SANTARÉM 153
UPJ DA VARA DO JUIZADO ESPECIAL DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER DE
SANTARÉM 154
COBRANÇA ADMINISTRATIVA DE SANTARÉM 195
COMARCA DE ALTAMIRA
SECRETARIA DA 1ª VARA CÍVEL E EMPRESARIAL DE ALTAMIRA 197
COBRANÇA ADMINISTRATIVA DE ALTAMIRA 199
COMARCA DE TUCURUÍ
COBRANÇA ADMINISTRATIVA DE TUCURUÍ 202
COMARCA DE CASTANHAL
SECRETARIA DA VARA AGRÁRIA DE CASTANHAL 204
COMARCA DE CURIONÓPOLIS
SECRETARIA DA VARA ÚNICA DE CURIONÓPOLIS 206
COMARCA DE AFUÁ
SECRETARIA DA VARA ÚNICA DE AFUÁ 216
COMARCA DE SENADOR JOSE PORFIRIO
SECRETARIA DA VARA ÚNICA DE SENADOR JOSE PORFIRIO 217
3
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

PRESIDÊNCIA

O Desembargador RONALDO MARQUES VALLE, Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do


Pará, em exercício, no uso de suas atribuições legais, RESOLVE:

PORTARIA Nº 3385/2022-GP. Belém, 12 de setembro de 2022. *Republicada por retificação.

CONSIDERANDO o expediente protocolizado neste Tribunal sob o nº PA-MEM-2022/41350,

DESIGNAR o servidor FÁBIO CRISTINO DA SILVA PEREIRA, Analista Judiciário - Área Judiciária,
matrícula nº 70637, para responder pelo Cargo em Comissão de Secretário, REF-CJS-8, junto à
Secretaria de Gestão de Pessoas deste Egrégio Tribunal de Justiça, durante o afastamento da titular,
Maria de Lourdes Carneiro Lobato, matrícula nº 56545, nos períodos de 12/09/2022 a 16/09/2022 e de
19/09/2022 a 20/09/2022.

PORTARIA Nº 3386/2022-GP. Belém, 12 de setembro de 2022. *Republicada por retificação.

CONSIDERANDO o expediente protocolizado neste Tribunal sob o nº PA-MEM-2022/41350,

DESIGNAR a servidora GRACE RAMOS CARDOSO LEÃO, Analista Judiciário - Área Judiciária, matrícula
nº 96083, para responder pelo Cargo em Comissão de Chefe da Assessoria Jurídica da Secretaria de
Gestão de Pessoas, REF-CJS-4, durante o impedimento do titular, Fábio Cristino da Silva Pereira,
matrícula nº 70637, nos períodos de 12/09/2022 a 16/09/2022 e de 19/09/2022 a 20/09/2022.

PORTARIA Nº 3394/2022-GP. Belém, 12 de setembro de 2022.

CONSIDERANDO a decisão proferida nos autos do requerimento nº TJPA-REQ-2022/11692,

EXONERAR, a pedido, a servidora TALITA VAZ ARAÚJO, Analista Judiciário - Área Judiciária, matrícula
nº 171891, do Cargo em Comissão de Diretor de Secretaria, REF-CJS-3, junto à Secretaria da Vara Única
da Comarca de Eldorado dos Carajás, a contar de 01/09/2022.

PORTARIA Nº 3395/2022-GP. Belém, 12 de setembro de 2022.

CONSIDERANDO a decisão proferida nos autos do requerimento nº TJPA-REQ-2022/11692,

NOMEAR a servidora MIKAELY RODRIGUES DE ALMONDES SILVA, Auxiliar Judiciário, matrícula nº


169706, para exercer o Cargo em Comissão de Diretor de Secretaria, REF-CJS-3, junto à Secretaria da
Vara Única da Comarca de Eldorado dos Carajás, a contar de 01/09/2022.

PORTARIA Nº 3396/2022-GP. Belém, 12 de setembro de 2022.

CONSIDERANDO a decisão proferida nos autos do expediente nº TJPA-MEM-2022/40618,

NOMEAR o bacharel HILÁRIO CARVALHO MONTEIRO JUNIOR, para exercer o Cargo em Comissão de
Assessor de Juiz, REF-CJS-2, junto ao Gabinete do Juízo da Vara Cível e Criminal Distrital de Mosqueiro,
a contar de 01/09/2022.

PORTARIA Nº 3397/2022-GP. Belém, 12 de setembro de 2022.

CONSIDERANDO os termos da Portaria nº 140/2013-CJE, publicada no DJe nº 5287 de 19/06/2013;


4
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

CONSIDERANDO o expediente protocolizado neste Tribunal sob o nº TJPA-MEM-2022/40504,

DESIGNAR o Senhor SÉRGIO AUGUSTO DE FREITAS FERREIRA, para desenvolver a função de


Conciliador Voluntário, junto ao Juizado Especial Cível e Criminal da Comarca de Muaná, sem ônus para o
Poder Judiciário do Estado do Pará.

PORTARIA Nº 3398/2022-GP. Belém, 12 de setembro de 2022.

CONSIDERANDO o expediente protocolizado neste Tribunal sob o nº TJPA-MEM-2022/41331,

DESIGNAR a servidora AMÉLIA BEMERGUY, Analista Judiciário - Área Judiciária, matrícula nº 121436,
para responder pelo Cargo em Comissão de Diretor de Secretaria, REF-CJS-3, junto à Secretaria da 6ª
Vara do Juizado Especial Cível da Capital, durante o afastamento da titular, Maria de Lourdes Sobrinho de
Souza Filha, matrícula nº 59404, retroagindo seus efeitos ao período de 16/08/2022 a 19/08/2022.

PORTARIA Nº 3399/2022-GP. Belém, 12 de setembro de 2022.

CONSIDERANDO o expediente protocolizado neste Tribunal sob o nº TJPA-MEM-2022/41327,

DESIGNAR a servidora BENILMA GUTERRES NOGUEIRA, Auxiliar Judiciário, matrícula nº 96261, para
responder pela função de Coordenadora de Núcleo, junto ao Núcleo de Movimentação Processual da
Unidade de Processamento Judicial das Varas Cíveis e Empresariais (UPJ) - 12ª a 15ª Varas Cíveis e
Empresariais da Capital, durante o afastamento por férias da titular, Walquíria de Menezes Nascimento,
matrícula nº 32794, no período de 19/09/2022 a 03/10/2022.

PORTARIA Nº 3400/2022-GP. Belém, 12 de setembro de 2022.

CONSIDERANDO o expediente protocolizado neste Tribunal sob o nº TJPA-MEM-2022/41497,

DESIGNAR a servidora PAULA CRISTINA FURTADO AGUIAR DA COSTA, Analista Judiciário - Área
Judiciária, matrícula nº 171051, para exercer a função de Secretária, junto ao Juizado Especial Cível e
Criminal da Comarca de Breves, durante o afastamento por férias do servidor Marlon da Gama Sanches,
matrícula nº 145424, no período de 09/09/2022 a 23/09/2022.

PORTARIA Nº 3401/2022-GP. Belém, 12 de setembro de 2022.

CONSIDERANDO o expediente protocolizado neste Tribunal sob o nº TJPA-MEM-2022/41269,

DESIGNAR a servidora JULIANA SOUSA RIBEIRO DE ALBUQUERQUE, matrícula nº 112607, para


responder pelo Cargo em Comissão de Secretária, REF-CJS-3, junto à Coordenadoria Geral dos Juizados
Especiais, durante o afastamento da titular, Marlena Bento Vasconcellos Chaves, matrícula nº 75850, no
período de 12/09/2022 a 16/09/2022.

Referência: TJPA-MEM-2022/37280

PJECOR: 0001222-78.2021.2.00.0814

Assunto: Renúncia e designação de interino para o Cartório de Registro Civil de Pessoas Naturais
da Vila Agropalma (CNS: 16.129-9)

DECISÃO

Trata-se de renúncia subscrita por MATEUS TAVARES DE QUEIROZ, titular do Cartório de Registro Civil
5
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

de Pessoas Naturais (RCPN) da Vila Agropalma (CNS: 16.129-9), em razão de aprovação em outro
concurso extrajudicial.

Informa que não tem substituto ou pessoa interessada em assumir a serventia ora renunciada, em razão
do atual estado econômico deficitário.

À fl. 21, a Corregedoria Geral de Justiça (CGJ) despachou no processo de renúncia determinando
remessa do feito ao Juiz Corregedor Permanente para manifestação acerca do pleito (ID 312174), que
homologou o pedido de renúncia e nomeou para responder como interino da Serventia Extrajudicial o
Senhor MARCOS VINICIUS CORDEIRO, Oficial Titular do Cartório do Único Ofício de Tailândia - Cartório
Cordeiro (ID 326758).

O renunciante informou que titular do Cartório de Tailândia Marcos Vinicius Cordeiro se negou a receber o
acervo do RCPN da Vila Agropalma, motivo pelo qual, em razão da urgência em tomar posse no novo
concurso e, por motivo de segurança, o acervo do referido Cartório fora alocado no Setor de Arquivo da
1ªVara Cível e Criminal da Comarca de Tailândia (ID 336459).

Às fls. 47-48, a Corregedoria Geral de Justiça (CGJ) requereu que os titulares dos municípios contíguos se
manifestassem sobre o interesse em responder interinamente pela serventia. Informou que constam dos
autos informação sobre a demanda por certidões concernentes aos atos já lavrados de RCPN, pendentes
de expedição, uma vez vaga a serventia.

Por fim, a CGJ determinou, in verbis:

1) a transferência provisória do acervo pertinente ao serviço de Vila dos Palmares, para a serventia mais
próxima, qual seja o Ofício Único de Tailândia, e AUTORIZO que o Titular deste expeça as certidões cujos
requerimentos lhes forem dirigidos, até segunda ordem;

2) Notificação do Juiz Corregedor Permanente para que promova e fiscalize a transferência do acervo,
bem assim as orientações pertinentes ao delegatário ora autorizado;

À fl. 61, o titular do Cartório do único Ofício da sede da Comarca Marcus Vinícius Sousa Cordeiro informou
que aceita o acervo do Cartório da Vila Agropalma, enfatizando a inviabilidade financeira da referida
serventia.

É o necessário relato. Decido.

É consenso que o Cartório, tendo em vistas os relevantes serviços públicos prestados à comunidade, não
pode ficar com suas atividades paralisadas, em virtude de vacância da serventia pela renúncia do
delegatário responsável, não podendo sofrer solução de continuidade.

O artigo 39, §2º da Lei Federal nº. 8.935/94, determina que: ¿Extinta a delegação a notário ou oficial de
registro, a autoridade competente declarará vago o respectivo serviço, designará o substituto mais antigo
para responder pelo expediente e abrirá concurso¿.

Com o advento do Provimento nº 77/2018-CNJ, restou determinado que a designação do oficial interino
deve recair sequencialmente sobre o Oficial Substituto mais antigo da serventia; delegatário em exercício
no mesmo município ou município contíguo e; como último critério, substituto de outra serventia bacharel
em direito. Senão vejamos:

Art. 2º Declarada a vacância de serventia extrajudicial, as corregedorias de justiça dos Estados e do


Distrito Federal designarão o substituto mais antigo para responder interinamente pelo expediente.

§ 1º A designação deverá recair no substituto mais antigo que exerça a substituição no momento da
6
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

declaração da vacância.

(...)

Art. 5º Não havendo substituto que atenda aos requisitos do § 2º do art. 2º e do art. 3º, a corregedoria de
justiça designará interinamente, como responsável pelo expediente, delegatário em exercício no mesmo
município ou no município contíguo que detenha uma das atribuições do serviço vago.

§ 1º Não havendo delegatário no mesmo município ou no município contíguo que detenha uma das
atribuições do serviço vago, a corregedoria de justiça designará interinamente, como responsável pelo
expediente, substituto de outra serventia bacharel em direito com no mínimo 10 (dez) anos de exercício
em serviço notarial ou registral.

Como se verifica dos autos, inexiste substituto mais antigo no Cartório de Registro Civil de Pessoas
Naturais (RCPN) da Vila Agropalma (CNS: 16.129-9), restando inviável sua designação.

Assim, impõe-se o atendimento à regra seguinte, definida no Provimento nº 77/2018/CNJ, qual seja, do
art. 5º, in verbis:

Art. 5º Não havendo substituto que atenda aos requisitos do § 2º do art. 2º e do art. 3º, a corregedoria de
justiça designará interinamente, como responsável pelo expediente, delegatário em exercício no mesmo
município ou no município contíguo que detenha uma das atribuições do serviço vago.

A Lei nº 8.935, de 18 de novembro de 1994, que regulamenta o art. 236 da Constituição Federal, que trata
dos serviços notariais e de registro (Lei dos cartórios) dispõe que:

Art. 26. Não são acumuláveis os serviços enumerados no art. 5º:

Parágrafo único. Poderão, contudo, ser acumulados nos Municípios que não comportarem, em razão do
volume dos serviços ou da receita, a instalação de mais de um dos serviços.

Art. 44. Verificada a absoluta impossibilidade de se prover, através de concurso público, a titularidade de
serviço notarial ou de registro, por desinteresse ou inexistência de candidatos, o juízo competente proporá
à autoridade competente a extinção do serviço e a anexação de suas atribuições ao serviço da mesma
natureza mais próximo ou àquele localizado na sede do respectivo Município ou de Município contíguo.

Da leitura dos artigos supracitados observa-se que, quando não comportarem, em razão do volume dos
serviços ou da receita, a instalação de mais de um dos serviços e, verificada a impossibilidade de prover o
cartório por desinteresse dos candidatos, a autoridade competente poderá extinguir os serviços e anexar
suas atribuições ao serviço da mesma natureza mais próximo ou àquele localizado na sede do respectivo
Município ou de Município contíguo.

No mesmo sentido, a Resolução nº 80 de 09/06/2009 do Conselho Nacional de Justiça determina:

Art. 7º Os Tribunais de Justiça dos Estados e do Distrito Federal e Territórios formalizarão, no prazo de 30
dias a contar da publicação desta resolução, por decisão fundamentada, proposta de acumulações e
desacumulações dos serviços notariais e de registro vagos (artigos 26 e 49 da Lei n. 8.935/1994), a qual
deverá ser encaminhada à Corregedoria Nacional de Justiça;

§ 2º Serão observados os seguintes critérios objetivos para as acumulações e desacumulações que


devam ser feitas nas unidades vagas do serviço de notas e de registro, assim como acima declaradas:

f) a fim de garantir o fácil acesso da população ao serviço de registro civil das pessoas naturais, as
unidades vagas existentes nos municípios devem ser mantidas e levadas a concurso público de provas e
7
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

títulos. No caso de não existir candidato, e for inconveniente para o interesse público a sua extinção, será
designado para responder pela unidade do serviço vaga o titular da unidade de registro mais próxima,
podendo ser determinado o recolhimento do acervo para a sua sede e atendendo-se a comunidade
interessada mediante serviço itinerante periódico, até que se viabilize o provimento da unidade vaga;

Em uníssimo, o Código de Normas dos Serviços Notariais e de Registro do Estado do Pará:

Art. 7º Verificada a absoluta impossibilidade de provimento por concurso público da titularidade de serviço
notarial ou de registro, seja por desinteresse ou inexistência de candidatos, poderão ser adotadas as
seguintes providências:

I - a extinção do serviço, mediante lei de iniciativa do Poder Judiciário;

II - a anexação precária do serviço a outro, preferencialmente da mesma espécie, do mesmo município ou


de município contíguo, por ato do órgão competente do Tribunal de Justiça.

§ 1º Autorizadas as providências previstas nos incisos I e II, o acervo da serventia extinta será
encaminhado ao serviço da mesma natureza mais próximo, ou àquele localizado na sede da respectiva
comarca ou de município contíguo, a critério do Juízo ou da Corregedoria de Justiça (Lei nº 8.935/94, art.
44), ou ao serviço anexado, respectivamente.

Destarte, o § 3º do art. 8º da Lei n° 6.881/2006, dispõe que a competência para a designação Cartorário
Interino é do Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, in verbis:

Art. 8º No prazo máximo de seis meses após a vacância ou criação do serviço notarial ou de registro será
aberto o procedimento de concurso de provimento ou de remoção.

¿§ 3º É de competência do Presidente do Tribunal de Justiça do Estado a nomeação do tabelião ou


registrador interino.¿

Pelo exposto, com base no inciso IV do art. 39 da Lei 8.935, de 18 de novembro de 1994, acato o pedido
de renúncia de MATEUS TAVARES DE QUEIROZ e, considerando a absoluta impossibilidade de se
prover a serventia, ainda que precariamente, em razão do volume dos serviços ou da receita, com fulcro
no disposto no art. 44 da Lei Federal nº 8.935/94 c/c o inciso II do art. 7º do Código de Normas dos
Serviços Notariais e de Registro do Estado do Pará, determino a anexação precária das atribuições do
Cartório de Registro Civil de Pessoas Naturais (RCPN) da Vila Agropalma (CNS: 16.129-9) ao Cartório do
Único Ofício de Tailândia (CNS: 06.851-0) e, com fulcro no artigo 5º do Provimento nº 77/2018 do
Conselho Nacional de Justiça, designo para responder pelo referido serviço MARCOS VINICIUS
CORDEIRO, Oficial Titular do Cartório do Único Ofício de Tailândia (CNS: 06.851-0), até outorga de
delegação a um concursado.

À Divisão de Apoio Técnico Jurídico da Presidência para cumprimento do decidido, devendo dar ciência
deste ato ao requerente; à Corregedoria Geral de Justiça; à Comissão Permanente para Elaboração da
Lista de Serventias Vagas; ao Juiz de Direito da Comarca para que dê ciência à delegatária designada e à
Divisão de Controle e Fiscalização de Arrecadação Extrajudicial da Secretaria de Planejamento,
Coordenação e Finanças para cobrança das pendências na prestação de contas.

Publique-se, registre-se e cumpra-se.

Belém-PA, 08 de setembro de 2022.

CÉLIA REGINA DE LIMA PINHEIRO

Desembargadora Presidente do TJPA


8
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

PORTARIA Nº 3119/2022-GP

A Desembargadora CÉLIA REGINA DE LIMA PINHEIRO, Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do


Pará, no uso de suas atribuições legais, etc,

CONSIDERANDO o expediente nº TJPA-MEM-2022/37280 subscrito por MATEUS TAVARES DE


QUEIROZ, por meio do qual comunica sua renúncia como delegatário interino no Cartório de Registro Civil
de Pessoas Naturais da Vila Agropalma (CNS: 16.129-9);

CONSIDERANDO tratar-se a renúncia decisão unilateral adotada pelo titular e insuscetível de apreciação
pela Presidência deste Poder,

RESOLVE:

Art. 1º Cessar a interinidade de MATEUS TAVARES DE QUEIROZ do Cartório de Registro Civil de


Pessoas Naturais da Vila Agropalma (CNS: 16.129-9).

Art. 2º Esta portaria entra em vigor na data da sua publicação.

Publique-se, registre-se e cumpra-se.

Belém-PA, 08 de setembro de 2022.

CÉLIA REGINA DE LIMA PINHEIRO

Desembargadora Presidente do TJPA

PORTARIA Nº 3120/2022-GP

A Desembargadora CÉLIA REGINA DE LIMA PINHEIRO, Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do


Pará, no uso de suas atribuições legais, etc,

CONSIDERANDO o expediente nº TJPA-MEM-2022/37280 subscrito por MATEUS TAVARES DE


QUEIROZ, por meio do qual comunica sua renúncia como delegatário interino no Cartório de Registro Civil
de Pessoas Naturais da Vila Agropalma (CNS: 16.129-9);

CONSIDERANDO o artigo 7º do Código de Normas dos Serviços Notariais e de Registro do Estado do


Pará o qual dispõe que: ¿Verificada a absoluta impossibilidade de provimento por concurso público da
titularidade de serviço notarial ou de registro, seja por desinteresse ou inexistência de candidatos, poderão
ser adotadas as seguintes providências: II - a anexação precária do serviço a outro, preferencialmente da
mesma espécie, do mesmo município ou de município contíguo, por ato do órgão competente do Tribunal
de Justiça¿,

RESOLVE:

Art. 1º ANEXAR as atribuições dos serviços do Cartório de Registro Civil de Pessoas Naturais da Vila
Agropalma (CNS: 16.129-9), de forma precária, ao Cartório do Único Ofício de Tailândia (CNS: 06.851-0),
nos termos do inciso II do artigo 7º do Código de Normas dos Serviços Notariais e de Registro do Estado
do Pará.

Art. 2º Esta portaria entra em vigor na data da sua publicação.

Publique-se, registre-se e cumpra-se.


9
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Belém-PA, 08 de setembro de 2022.

CÉLIA REGINA DE LIMA PINHEIRO

Desembargadora Presidente do TJPA

PORTARIA Nº 3121/2022-GP

A Desembargadora CÉLIA REGINA DE LIMA PINHEIRO, Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do


Pará, no uso de suas atribuições legais, etc,

CONSIDERANDO o expediente nº TJPA-MEM-2022/37280 subscrito por MATEUS TAVARES DE


QUEIROZ, por meio do qual comunica sua renúncia como delegatário interino no Cartório de Registro Civil
de Pessoas Naturais da Vila Agropalma (CNS: 16.129-9);

CONSIDERANDO o artigo 5º do Provimento nº 77/2018 do Conselho Nacional Justiça, bem como § 3º do


art. 8º da Lei n° 6.881/2006 que dispõe que a competência para a designação Cartorário Interino é do
Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Pará,

R E S O L V E:

Art. 1º DESIGNAR MARCOS VINICIUS CORDEIRO, Oficial Titular do Cartório do Único Ofício de
Tailândia (CNS: 06.851-0), para responder interinamente pelo Cartório de Registro Civil de Pessoas
Naturais da Vila Agropalma (CNS: 16.129-9), com fundamento no artigo 5º do Provimento nº 77/2018 do
Conselho Nacional Justiça, até ulterior deliberação.

Art. 2º Esta portaria entra em vigor na data da sua publicação.

Publique-se, registre-se e cumpra-se.

Belém-PA, 08 de setembro de 2022.

CÉLIA REGINA DE LIMA PINHEIRO

Desembargadora Presidente do TJPA

Protocolo n.º:TJPA-MEM-2022/38798 - PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR Nº 0002848-


69.2020.2.00.0814

Assunto: Perda da delegação - Designação de interinidade do Cartório do Único Ofício de Santana


do Araguaia (CNS: 06.737-1)

PROCESSADA: TEREZINHA CARREIRO VARÃO

DECISÃO

Tratam os autos de Processo Administrativo Disciplinar, instaurado por meio da Portaria nº 01/2020-GAB
da 1ª vara Cível e Criminal da Comarca de Conceição do Araguaia (ID 207647, fl.33), para apuração de
irregularidade em tese na conduta da Oficial TEREZINHA CARREIRO VARÃO, Titular do Cartório do
Único Ofício da Comarca de Santana do Araguaia (CNS nº 06.737-1), tendo sido precedida de atuação
policial, em que foi determinada a Verificação Preliminar de Informações (VPI), que tinha como objetivo
conseguir dados a respeito de valores abusivos cobrados pelo Cartório Extrajudicial de Santana do
Araguaia/PA.
10
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Relatam os autos que Terezinha Carreiro Varão juntamente com Teodoro Carvalho Varão Neto,
escrevente substituto, Paulo Carvalho Varão e Salomão Carreiro Varão Júnior, ambos escreventes, em
unidade de desígnios, estariam cometendo diversos delitos, consubstanciada em negociação de valores
para a expedição de certidões e outros atos cartorários em desacordo com as determinações legais e
administrativas.

Tais fatos foram relatados por diversas testemunhas, inicialmente por Ari Boch Edson Martin Auriena
Júnior, André Felipe Klein, presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Santana do Araguaia e Maria
Janete Rodoy Bocchi, bem como relataram outras fraudes referentes a emissão de selos que não
corresponderiam a data de sua efetiva emissão, mas a data anterior.

Consta da decisão que o representante do Ministério Público se manifestou favorável ao deferimento das
medidas cautelares solicitadas pela autoridade policial, inclusive afastamento das funções delegadas da
oficiala e escreventes do cartório.

Em decisão prolatada em 13/07/2020, o Juiz Corregedor Permanente da Comarca, com fundamento nos
arts. 282, I, II e art. 319, VI, todos do CPP, e, ainda, os arts. art. 1199 e arts. 31 ao 36, todos do
Provimento Conjunto nº 002/2019 -CJRMB/CJCI do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, determinou o
afastamento temporário da cúpula gerencial e administrativa do Cartório Varão de todas as atividades
finalísticas e de meio inseridas na delegação pública pelo prazo inicial de 90 (noventa) dias, confirmando
decisões cautelares anteriores dos seguintes indiciados: 1)TEREZINHA CARREIRO VARÃO,
corroborando a decisão interlocutória prolatada em19/06/2020; 2-) TEODORO CARVALHO VARÃONETO;
3-) PAULO CARVALHO VARÃO e; 4-) SALOMÃO CARREIRO VARÃO JÚNIOR.

Diante dos indícios de cometimento dos crimes de excesso de exação (art. 316, §1º, CP) ou excesso de
exação qualificada (art. 316, §2º, CP), estelionato (art. 171, CP), associação criminosa (art. 288, CP),
falsificação de selo ou sinal público majorada (art. 296, §1º, II e §2º, CP), falsidade ideológica majorada
(art. 299, parágrafo único, CP), lavagem de dinheiro (art. 1º, Lei 9613/98) e crime contra a ordem
econômica e tributária (art. 1º e 2º da Lei 8.137/90) a Corregedoria Geral de Justiça determinou a abertura
de Processo Administrativo Disciplinar contra a titular do Cartório do Único Ofício de Santana do Araguaia
com o objetivo de apurar os fatos noticiados pela autoridade policial local, decisão da lavra da Corregedora
das Comarcas do Interior à época, Desembargadora Diracy Nunes Alves, que culminou com a publicação
da Portaria nº 038/2020 - CJCI no Diário da Justiça Eletrônico, de 16/07/2020, por meio da Edição de nº
6946/2020.

Para apuração dos fatos, foram delegados poderes à Comissão Processante concedendo-lhe o prazo de
60 (sessenta) dias para sua conclusão.

Instaurado o processo administrativo disciplinar contra a responsável pelo Cartório Único de Santana do
Araguaia/PA, foi nomeado o presidente da Comissão Processante, bem como foram indicados dois nomes
para ser interventor do cartório referido, sendo que a interventora escolhida pela Presidência do Tribunal
de Justiça do Estado do Pará foi a Senhora Maria Dolores Oliva da Fonseca Neta.

Regularmente instruído o feito, constituída a Comissão Processante, foi designada audiência de instrução
para o dia 15/10/2020, sendo que não foi possível a sua realização, tendo em vista problemas de internet
que ocorriam corriqueiramente na comarca aquela época, razão pela qual foi designada nova data para a
realização da audiência.

Antes da realização da audiência que foi novamente designada, a delegatária processada pugnou pelo
adiamento da audiência, tendo em vista a situação de pandemia vivenciada globalmente, entretanto o MM.
Juiz CÉSAR LEANDRO PINTO MACHADO indeferiu o pedido, uma vez que a processada não apresentou
justificativa plausível.

Na data de 19/10/2020 foi realizada a audiência de instrução sendo que a parte processada não foi ouvida,
uma vez que não compareceu à audiência, tampouco apresentou justificativa plausível para o não
comparecimento, razão pela qual o presidente da Comissão Processante designou nova data de audiência
11
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

para o interrogatório da processada.

A Defesa não apresentou rol de testemunhas, sendo ouvida pela Comissão Processante uma testemunha,
qual seja, o Delegado Diego Máximo.

Em nova data de audiência, novamente não foi possível ouvir a processada, que pediu a dispensa de sua
participação em audiência, tendo comparecido seu advogado, após o juízo deferir o pedido de dispensa,
uma vez que é direito da processada de comparecer e/ou falar nos autos conforme sua conveniência.
Dessa forma deu-se continuidade à audiência ouvindo a testemunha Ari Boch.

Ao final da audiência, foi determinado que se oficiasse à interventora solicitando cópias de eventuais
relatórios enviados à esta Corregedoria no período da duração da intervenção no Cartório, bem como que
fosse oficiado ao Juiz Corregedor de Santana do Araguaia para que este enviasse cópias das últimas
correições realizadas.

Terminada a instrução em audiência, a Comissão Processante aguardou o cumprimento das diligências


determinadas, sendo juntados aos autos os seguintes documentos:

- Relatório de Correição no Cartório Extrajudicial de Santana do Araguaia, fls. 602/607 (16/08/2010).

- Relatório da Correição no Cartório Extrajudicial de Santana do Araguaia, fls. 610/614 (05/08/2010).

- Relatório de Correição no Cartório do Único Ofício de Santana do Araguaia, fls. 616/633 (06/08/2008).

- Atos de comunicação enviados à CJCI no período de intervenção, fls. 676/845.

Após a juntada dos documentos acima referidos, a defesa da processada formulou seguidos pedidos, seja
para a Comissão Processante, seja para esta Corregedoria de Justiça de retorno à atividade cartorária,
que não foi analisado por esta Corregedoria, uma vez que a decisão que determinou o afastamento da
referida delegatária foi prolatada pelo juízo criminal de Santana do Araguaia/PA, sendo este o juízo
competente para a análise do pedido.

Foi juntado aos autos ofício do Delegado de Polícia Dr. Luciano Freitas informando que a interventora em
exercício no Cartório Único de Santana do Araguaia/PA fora ameaçada, bem como informou o
indiciamento da processada e seu grupo familiar pelo envolvimento de 593 (quinhentos e noventa e três)
crimes.

Em continuidade, a Corregedoria de Justiça oficiou à Comissão Processante para que, no prazo de 10


dias, informasse sobre o andamento dos trabalhos, bem como para apresentar relatório final.

Por derradeiro, foi verificado pela Presidência da Comissão Processante que não tinha sido oportunizado à
parte processada o direito de apresentar alegações finais, o que foi feito, pelo prazo de 15 (quinze) dias.

Em seguida, a processada apresentou a sua defesa, nos termos do artigo 1.226, do Código de Normas do
Tribunal de Justiça do Estado do Pará, alegando, preliminarmente, que o presente processo administrativo
disciplinar encontrava eivado de vício, uma vez que o prazo para o seu término ultrapassou 120 dias,
acarretando prejuízo à defesa, além de não ter sido possível a realização de seu interrogatório.

Afirmou, ainda, que o interrogatório seria o último ato a ser praticado no processo administrativo
disciplinar. Alegou também, a inépcia da portaria que instaurou o presente processo administrativo
disciplinar, asseverando que não há na referida portaria a descrição completa e detalhada dos ilícitos
supostamente praticados pela processada, devendo ser declarada inepta.

A defesa não fez a defesa de mérito, uma vez que o faria após a declaração de nulidade do presente
12
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

processo administrativo.

Por fim, em 11/07/2022, conforme relatório colacionado no ID 1699252, a Comissão Processante concluiu
que os atos praticados pela processada Terezinha Carreiro Varão são graves, devendo ser aplicada a
pena condizente com a gravidade do ato praticado.

Para a Comissão Processante, no que toca à gravidade do ato praticado, considerando que são condutas
que são passíveis de punição na seara criminal, percebe-se que a repressão deve guardar o mesmo grau
de relevância e austeridade, com o fim de haver uma proteção deficiente dos princípios e balizas da
administração pública, levando à sociedade um sinal de descrédito ao serviço notarial e registral do
município de Santana do Araguaia, assim, a supracitada Comissão Processante recomendou a aplicação
da pena mais grave prevista na legislação de regência, qual seja, a pena de PERDA DA DELEGAÇÃO,
nos termos do artigo 32, da Lei 8.935/94, combinado com o artigo 1.201, V do Código de Normas dos
Serviços Notariais e Registrais do Estado do Pará.

Por fim, constatada a inobservância da legislação em regência, e as faltas graves cometidas, acolhendo o
Relatório Final da Comissão Processante e, considerando-a incursa, na conduta descrita no art. 31, inciso
I, da Lei n. 8.93594, a Corregedoria Geral de Justiça sugeriu a aplicação da penalidade de perda da
delegação, prevista no art. 35, II, do mesmo diploma, à Terezinha Carreiro Varão, Titular do Cartório do
Único Ofício da Comarca de Santana do Araguaia (CNS nº 06.737-1), conforme manifestação transcrita:

O Processo Administrativo Disciplinar em tela foi instruído de acordo com a Legislação pertinente, sendo
analisados de forma minuciosa todos os elementos e documentos constantes dos autos e in loco,
garantindo o contraditório e a ampla defesa conforme art. 5º, LV e LIV da Constituição Federal e art. 187
da Lei nº 5. 810/94.

Ressalte-se, que a processada se encontra afastada cautelarmente das suas atividades até decisão final
deste procedimento.

Afigura-se proveitoso tomar de empréstimo os fundamentos materializados no relatório da Comissão


Processante como parte das razões para decidir, iniciaremos pelo trecho da oitiva do Delegado Diego
Máximo:

Adentrando nas provas, tem-se o depoimento do delegado de polícia o Dr. Diego Máximo, em seu
depoimento, de início (segunda parte do depoimento a partir dos 0,37 segundos do vídeo) afirmou que não
tinha como afirmar a ocorrência dos delitos delimitados na portaria que instaurou o processo administrativo
disciplinar, uma vez que os fatos ainda estavam em investigação policial, contudo, tinham uma vasta
documentação que atestam a ocorrência de delitos, tais como, diferença de datas entre o recolhimento do
valor dos selos e a data da emissão dos documentos referente a esses selos emitidos, divergência entre o
registro do ato praticado e o ato verdadeiramente praticado.

O Delegado Dr. Diego Máximo afirmou também em seu depoimento (segunda parte do depoimento a partir
dos 2,08 minutos do vídeo) que alguns atos tiveram o recolhimento a menor do que deveria ter sido
recolhido, como também tiveram atos que teve o recolhimento a maior do que deveria ter sido recolhido,
havendo uma manipulação do que a serventia vinha arrecadando e demostrando ao Tribunal de Justiça do
Estado do Pará, mas não pode afirmar quanto a ocorrência da materialidade, uma vez que ainda estava
sendo apurado, e que ficou sabendo dos ilícitos que estavam supostamente ocorrendo no cartório de
Santana do Araguaia, uma vez que, em um almoço, estava ouvindo uma pessoa conhecida como Ari Boch
conversando ao telefone e reclamando que tinha pago um valor que não seria justo no cartório, momento
que interpelou o referido senhor e pediu mais informações sobre o fato (início da terceira parte do vídeo do
depoimento), e solicitou que o referido fosse depor na delegacia, sendo que, em depoimento perante a
autoridade policial o senhor Ari Boch afirmou que pechinchou o preço do ato notarial, tendo conseguido
um valor menor do que antes exigido pelo funcionário do cartório, sendo que o valor exigido era muito
superior ao valor da tabela de emolumentos, o que levou o delegado a procurar outras vítimas.

Em continuidade em seu depoimento, o delegado Dr. Diego Máximo asseverou que (terceira parte do
13
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

depoimento a partir do 1,34 minutos do vídeo) que houve a representação para o afastamento da titular do
cartório e de seus funcionários, que são seus filhos, tendo sido apreendidos documentos, entretanto os
documentos ainda não tinham sido analisados, e ainda não tinha sido produzido relatório. Às perguntas da
defesa, o delegado afirmou (aos 0,34 segundos da quarta parte do depoimento) que recebeu denúncias a
respeito do Cartório de Santana do Araguaia, mas nunca recebeu denúncia a respeito de uma pessoa
específica.

Ademais, observa-se do relato da Comissão Processante ter a mesma constatado, analisando os


depoimentos trazidos aos autos e cotejando com o depoimento do Delegado Diego Máximo, que os atos
ilícitos foram praticados por pessoa designada pela titular do Cartório de Santana do Araguaia, com
conhecimento amplo pelas pessoas da localidade, o que faz surgir culpa senão in vigilando, ao menos in
eligendo, ainda mais pelo fato do escrevente que praticou o ato ilícito ser parente de segundo grau (filho)
da titular do referido cartório, senão vejamos:

Assim, diante dos depoimentos trazidos, tem-se que a titular do Cartório de Santana do Araguaia, mesmo
que não tenha praticado diretamente os atos ilícitos acima descortinados, tem-se a culpa da referida
cartorária ao eleger seu filho Paulo Varão como escrevente que praticou o ato, bem como tem-se a culpa
por não fiscalizar (in vigilando) os atos praticados no cartório, já que era de conhecimento local outros atos
ocorridos, semelhantes ao aqui investigados.

Além disso, oportuno destacar trecho do relatório final da Comissão Processante que trata da oitiva da
testemunha Sr. Ari Boch que traduz indubitáveis as conclusões a que ora se chega:

Por sua vez, em depoimento a testemunha Sr. Ari Boch afirmou (depoimento a partir do 1,15 minutos do
vídeo) que foi até o Cartório de Santana do Araguaia para registrar uma cédula de crédito rural do Banco
do Brasil, no valor de R$117.000,00 (cento e dezessete mil reais), sendo que não estava lembrado do dia
exato.

Que estava com a tabela do Tribunal de Justiça nas mãos, sendo que o cartório cobrou o valor de
R$3.000,00 (três mil reais) para registrar o ato, momento em que disse que o valor estava fora da tabela.
Ato contínuo, tendo em vista a indagação do valor pela testemunha, o funcionário do cartório fez o valor de
R$2.500,00 (dois mil e quinhentos reais) para registrar o ato, sendo que depois de muita insistência foi
entregue um recibo em branco, além de que e o próprio funcionário do cartório preencheu o cheque para o
pagamento do ato, uma vez que a testemunha estava sem os óculos no momento.

Asseverou, ainda, o Sr. Ari Boch que pagou ao cartório o valor correspondente a 100% a mais do que era
devido e, ao sair do cartório, foi ao restaurante almoçar, indignado com o tinha acabado de acontecer,
momento em que que sua esposa ligou (a testemunha divagava sobre uma recordação de que todos
chamavam o cartório de Santana do Araguaia como cartório maldito) e conversaram que o cartório cobrou
2 mil reais pelo ato, e que estava fora da tabela, sendo que nesse momento foi interpelado por um
delegado de polícia que estava almoçando ao seu lado, determinando que ele fosse depor que estava
conversando em voz alta com sua esposa no telefone, já que o que estava sendo relatado entre eles era
um ato criminoso.

Continuando em seu depoimento, a testemunha Ari Boch disse que falou ao delegado que ia depor na
delegacia, principalmente se a denúncia for pra frente, já que todos sofrem com esse cartório há quinze
anos.

Continuando em seu depoimento, a testemunha disse pro presidente da comissão que houve um ajuste de
preço pra praticar o ato, e esse preço foi 2 mil reais, valor esse que era muito acima do que era praticado
em outros cartórios na localidade, bem como estava fora do valor de tabela. Afirmou a testemunha,
estreme de dúvidas, que o funcionário do cartório não queria lhe entregar a nota do serviço, e perguntou o
porquê que ele queira a nota, sendo justificado pela testemunha que teria que prestar contas com o seu
sócio, sendo depois entregue pelo funcionário do cartório um recibo de ¿feira¿, que não continha as
informações do ato praticado. Disse, ainda, que o nome do funcionário que o atendeu foi o senhor Paulo
Varão (terceira parte do depoimento, aos 0,38 segundos do vídeo), sendo conhecido como filho da dona
14
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

do cartório, tendo ainda no cartório mais dois filhos, sendo que esse outro filho se chama Teodoro.

Afirmou que teve alguns outros problemas com o cartório, e que ainda vai pedir ressarcimento do cartório,
já que em outros atos foi cobrado valores mais altos do que era da tabela e, além disso, o tratamento era
horrível, era como se o cartório não fizesse parte do Brasil. Para a defesa, o senhor Ari disse que o ato foi
realizado no ano de 2020 e que recebeu um recibo de 2 mil reais assinado e preenchido pelo senhor Paulo
Varão. Afirmou que não teve contato direto com a titular do Cartório, sendo que quem cobrou o ato foi o
senhor Paulo Varão, autorizado pela titular do cartório.

Respondeu ao advogado de defesa que não procurou o juiz da comarca, durante esses 15 anos, e que
não tem nenhuma reclamação direta contra a senhora Terezinha, mas que tem reclamação a fazer contra
o cartório, e que nunca estava com a titular do cartório.

Além das provas orais colhidas pela comissão processante, foi solicitado informações a respeito do
cartório à interventora que se encontra na gestão da serventia, sendo relatado por ela que o cartório
estava cheio de irregularidades trabalhistas sendo que em relação ao quadro de colaboradores, não
constavam o nome de alguns funcionário que efetivamente tralhavam no cartório, a saber, Eliana da Silva
Macedo, Ana Lúcia Rodrigues do Santos, Carol Varão, Paulo Varão, Theodoro Varão, Salomão Varão e
Zenaide.

O relatório ainda aponta que em cotejo com os depoimentos, gera valor pejorativo à atividade exercida
pelos filhos da titular do cartório, fato esse que se torna aliado ao entendimento de que a titular sabia ou
ao menos poderia saber das práticas ilícitas ocorridas dentro de sua serventia, principalmente pelo fato do
autor direto dos atos ilícitos não estar devidamente registrado como funcionário do cartório.

Ademais, foi relatado pela interventora do cartório que outras irregularidades foram encontradas na
serventia, entretanto, não teria como precisá-las, uma vez que muito dos materiais foram apreendidos pela
polícia civil, não tendo sido encontrados, inclusive, o livro caixa e o livro de controle de depósito prévio.

As conclusões constantes do relatório conclusivo informam ter incorrido a Senhora Terezinha Carreiro
Varão em inobservância dos deveres impostos aos registradores e notários pela lei 8.935/94 e pelo Código
de Normas do Tribunal de Justiça do Pará, mais especificamente o que está disposto no artigo 30, II, V,
VII, VIII, IX, X, e no artigo 31, I, II, III, V, ambos da Lei 8.935/94, combinado com o artigo 1.200, I, II, III, V,
VI, do Código de Normas do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, uma vez que o fato do filho da titular
do cartório, o senhor Paulo Varão, se passar por encarregado do cartório, sem ter qualquer registro na
folha de funcionários, cobrar valores de emolumentos acima dos indicados na tabela, exercendo a sua
função de forma contínua no cartório, fato relatado pela interventora, o que faz surgir a responsabilidade
da titular na modalidade in vigilando e in eligendo, devendo ser penalizada de acordo com a sua
gravidade.

É certo que a titular foi nomeada legalmente, sob regime anterior à Constituição de 1988, mas tal fato, não
lhe submete a regime de responsabilidade diferenciado, tampouco lhe exime de responsabilidades.

O delegatário no exercício da função delegada pelo poder público, submete-se aos princípios que regem
toda a administração pública, uma vez que presta serviço público à sociedade em nome do poder público,
pelo que deve, no desempenho de suas atividades, observar os princípios da legalidade, impessoalidade,
moralidade, publicidade e eficiência, art. 3º da Lei 8.935/1994 e art. 37 da Constituição da República.

Dentre os princípios precitados o da legalidade preconiza que o administrador deve agir, sempre, em
observância à lei, ou seja, na medida em que ela autoriza e como o determina. Assim, seu ato deve se
conformar ao que se encontra preconizado na norma.

O princípio da legalidade é certamente a diretriz básica da conduta dos agentes da Administração,


significa que toda e qualquer atividade administrativa deve ser autorizada por lei, não o sendo, a atividade
é ilícita.
15
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Assim, se não há autorização legal para atuação, não pode haver atuação administrativa e, por outro lado,
se esta existir, deve corresponder ao regramento existente.

A Lei nº 8.935/1994, em seu art. 30, expressamente elenca os deveres dos notários e oficiais de registro,
pelo que, a luz do princípio da legalidade, sua conduta não pode tergiversar destes, sob pena de
caracterização de infração disciplinar.

Ademais, pelo princípio da moralidade, os notários e registradores devem observar os padrões éticos,
sendo-lhes vedado qualquer comportamento astucioso que confunda ou dificulte o exercício do direito por
parte do cidadão.

O princípio da moralidade está estabelecido no art. 30 da Lei nº 8.935/94 e abrange desde regras de
conduta até obrigações próprias do exercício profissional. Os deveres são gerais e especiais: começam
pela exigência de comportamento dignificador da função na vida privada e incluem a probidade na
realização dos atos, no atendimento das partes, na conservação dos livros, papéis e documentos da
serventia, no encaminhamento de dúvidas e nos cuidados no recolhimento de tributos.

O descumprimento dos deveres imputados ao delegatório é expressamente tipificado como infração


disciplinar, o que pode, inclusive, ensejar a perda da delegação, conforme os art. 31 e 32 da Lei
8.935/1994.

Na situação em análise, restou devidamente demonstrado através do depoimento do Delegado Diego


Máximo a existência de prova material da ocorrência de ilícitos, que embora não poderiam ser qualificados
como ilícitos penais, podem ser classificados como ilícitos administrativos, que demandam a devida
repressão da administração pública, quais sejam, o ato de cobrar valores fora da tabela de emolumentos,
documentos autenticados com selos já utilizados ou emitidos em data anterior, registro de atos em valores
menores dos atos devidamente praticados e o registro de valores a maior dos valores realmente
praticados, como forma de manipular os danos arrecadatórios apresentados ao Tribunal de Justiça do
Estado do Pará.

Desse contexto não se apura o advento de erro eventual, equívoco simples, mero descuido ou
desencontro de informações, mas, sim, verdadeiro e inaceitável acinte aos deveres preconizados pela Lei
nº 8.935/1994, artigo 30, II, V, VII, VIII, IX, X, e artigo 31, I, II, III, V, combinado com o artigo 1.200, I, II, III,
V, VI, do

Código de Normas do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, consubstanciando-se em infração


contundente, de ordem relevantíssima, gerando impacto em todo o sistema cartorário, sob o prisma da
credibilidade.

Desse modo, submetida que se encontra à devida observância da legislação de regência, constata-se sua
inobservância, e as faltas graves cometidas, acolho o Relatório Final da Comissão Processante e,
considerando-a incursa na conduta descrita no art. 31, inciso I, da Lei nº 8.935/94, SUGIRO À
PRESIDÊNCIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARÁ que aplique a penalidade de PERDA
DA DELEGAÇÃO prevista no art.35, II do mesmo diploma, à Senhora TEREZINHA CARREIRO VARÃO.

Por fim, sendo dever desta autoridade a imediata comunicação aos órgãos competentes quando da
verificação da existência de indícios de prática criminosa, determino a remessa de cópia integral dos autos
ao Ministério Público do Estado do Pará, para conhecimento e adoção das medidas cabíveis.

Publique-se e intime-se e encaminhe-se à Presidência.¿

É o necessário relato.

De antemão, destaco a plena observância ao devido processo legal, de sorte que o presente feito
administrativo foi regularmente instruído com fiel atendimento às exigências legais, bem como foram
16
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

asseguradas as garantias constitucionais da ampla defesa e o contraditório ao requerido.

Destarte, o PAD nº 0002848-69.2020.00.2.0814, iniciou-se como encaminhamento da decisão judicial


proferida no processo-crime nº 0003143-79.2020.8.14.0050, movido em face da titular do Ofício Único de
Santana do Araguaia e outros.

Consta da referida decisão, além da medida de afastamento da titular, diversas outras medidas cautelares,
dentre as quais se destacam o afastamento de toda a cúpula do cartório, incluindo Teodoro Carvalho
Varão Neto - Escrevente Substituto, Paulo Carvalho Varão e Salomão Carreiro Varão Júnior, ambos
escreventes.

Observa-se, ainda, que os fundamentos fáticos expostos revelam que a titular e demais funcionários da
serventia estariam cometendo diversos delitos, consubstanciados em negociação de valores para a
expedição de certidões e outros atos cartorários em desacordo com as determinações legais e
administrativas, bem como fraudes referentes à emissão de selos que não corresponderiam a data de sua
efetiva emissão, mas a data anterior.

Assim, o afastamento foi medida cautelar determinada em decisão interlocutória proferida no dia
13.07.2020, ID 61.905, pelo Juiz da Comarca, após pedido da autoridade policial e oitiva do Ministério
Público, nos autos do Processo-crime nº 0003143-79.2020.814.0050, mediante fundamentos próprios.

Diante disso, a atuação da corregedoria, limitou-se a, diante do impedimento judicial da titular de exercer
suas funções, determinar o regime de intervenção, para garantir continuidade do serviço público, bem
assim, dada a notícia de irregularidade, instaurar o PROCESSO ADIMINISTRATIVO DISCIPLINAR para
apuração das irregularidades noticiadas.

A decisão de afastamento não pertenceu à esfera administrativa e, a designação da intervenção não


possuiu fundamentos na existência ou não de irregularidade funcional ou prática de crime dos indiciados,
mas na necessidade de continuidade do serviço, restando a titular afastada por ordem judicial, conforme
trecho transcrito abaixo:

A manutenção dos indiciados em seus postos de controle e comando é um obstáculo real, concreto, para
a investigação dos crimes relatados supostamente praticados. Com efeito, há volumosa atividade
financeira envolvida na delegação informada, o que demonstra a inequívoca necessidade do afastamento
temporário dos indiciados da função pública delegada.

Seus afastamentos temporários da função pública delegada contribuem para a escorreita investigação das
supostas atividades criminosas e igualmente para a reputação da própria atividade notarial na comarca de
Santana do Araguaia que, por via reflexa, é uma atividade deste Poder Judiciário.

O regramento dos atos notariais e de registradores, como na hipótese dos agentes públicos aqui tratados,
está disposto no Provimento Conjunto nº 002/2019 - CJRMB/CJCI do Tribunal de Justiça do Estado do
Pará. O ato jurisdicional de afastamento é determinado pelo Juízo, no entanto, o prazo do afastamento e o
modo de substituição dos afastados é feito consoante esse ato normativo secundário.

(...)

A hipótese narrada nos autos constitui hipotéticos crimes e faltas administrativas, também.

Ocorrendo o afastamento temporário do delegatário da função pública, há um vácuo de exercício de


atividade estatal. Todavia, não há vazios de poder estatal, dessa maneira, o Provimento Conjunto nº
002/2019 - CJRMB/CJCI Tribunal de Justiça do Estado do Pará, Livro I, Título III, Capítulo V, arts. 31 ao
36, disciplina os casos de vacância e exercício interino da citada delegação, devendo o agente público
temporário ser indicado pela egrégia Presidência do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, inclusive o
modo de sua remuneração.
17
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Deste modo, o afastamento dos integrantes da cúpula do Cartório Varão é medida necessária para a
perfectibilização da investigação criminal e da própria imagem do Poder Judiciário do Estado do Pará.

Portanto, com fundamento nos arts. 282, I, II e art. 319, VI, todos do CPP, bem como determinam os arts.
art. 1199 e arts. 31 ao 36, todos do Provimento Conjunto nº 002/2019-CJRMB/CJCI do Tribunal de Justiça
do Estado do Pará, DETERMINO OAFASTAMENTO TEMPORÁRIO da cúpula gerencial e administrativa
do Cartório Varão de todas as atividades finalísticas e de meio inseridas na delegação pública, PELO
PRAZOINICIAL de 90(noventa) dias, dos seguintes indiciados:

1-) TEREZINHA CARREIRO VARÃO, corroborando a decisão interlocutória prolatada em19/06/2020,


documento 202020200128722744); 2-) TEODORO CARVALHO VARÃO NETO; 3-) PAULO CARVALHO
VARÃO; 4-) SALOMÃO CARREIRO VARÃO JÚNIOR.

Em atenção ao disposto nos arts. 31 ao 36, todos do Provimento Conjunto nº 002/2019-CJRMB/CJCI do


Tribunal de Justiça do Estado do Pará, dê-se ciente desta Decisão Interlocutória à egrégia Presidência do
Tribunal de Justiça do Estado do Pará, órgão regularmente determinado para indicar o interventor no
órgão público pelo qual seus agentes foram judicialmente afastados temporariamente e, igualmente, à
egrégia Corregedoria das Comarcas do Interior do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, órgão
correcional da atividade delegatária das comarcas do interior do Estado.

Após a regular intimação do teor desta Decisão Interlocutória, ficam os indiciados advertidos que o não
cumprimento das medidas cautelares diversas da prisão aqui determinadas, pode ensejar o pedido de
prisão preventiva pelo Ministério Público, conforme a regra do art. 282, §4º do CPP.¿

Da análise contextual da instrução procedimental extrai-se a prática de gravíssima infração administrativa,


como se infere das conclusões constantes do relatório conclusivo informam ter incorrido a Senhora
Terezinha Carreiro Varão em inobservância dos deveres impostos aos registradores e notários pela lei
8.935/94 e pelo Código de Normas do Tribunal de Justiça do Pará, mais especificamente o que está
disposto no artigo 30, II, V, VII, VIII, IX, X, e no artigo 31, I, II, III, V, ambos da Lei 8.935/94, combinado
com o artigo 1.200, I, II, III, V, VI, do Código de Normas do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, uma
vez que o fato do filho da titular do cartório, o senhor Paulo Varão, se passar por encarregado do cartório,
sem ter qualquer registro na folha de funcionários, cobrar valores de emolumentos acima dos indicados na
tabela, exercendo a sua função de forma contínua no cartório, fato relatado pela interventora, o que faz
surgir a responsabilidade da titular na modalidade in vigilando e in eligendo, devendo ser penalizada de
acordo com a sua gravidade.

O art. 31 dispõe a inobservância das prescrições legais ou normativas são infrações disciplinares que
sujeitam os notários às penalidades:

Art. 31. São infrações disciplinares que sujeitam os notários e os oficiais de registro às penalidades
previstas nesta lei:

I - a inobservância das prescrições legais ou normativas;

Diante disso, resta comprovada a autoria e materialidade da infração administrativa praticada por
TEREZINHA CARREIRO VARÃO, Titular do Cartório do Único Ofício da Comarca de Santana do Araguaia
(CNS nº 06.737-1), por ter descumprido as obrigações referentes a inobservância das prescrições legais
ou normativas, violando, assim, a regra contida no art. 31, I, da Lei nº 8.935/94, consubstanciada em
negociação de valores para a expedição de certidões e outros atos cartorários em desacordo com as
determinações legais e administrativas, bem como outras fraudes referentes a emissão de selos que não
corresponderiam a data de sua efetiva emissão, mas a data anterior.

No que tange a aplicação da pena, deve se considerar os termos dos artigos 32, 33, 34 e 35 da Lei
nº.8.935/94 - Lei dos Cartórios, in verbis:
18
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Art. 32. Os notários e os oficiais de registro estão sujeitos, pelas infrações que praticarem, assegurado
amplo direito de defesa, às seguintes penas:

I - repreensão;

II - multa;

III - suspensão por noventa dias, prorrogável por mais trinta;

IV - perda da delegação.

Art. 33. As penas serão aplicadas:

I - a de repreensão, no caso de falta leve;

II - a de multa, em caso de reincidência ou de infração que não configure falta mais grave;

III - a de suspensão, em caso de reiterado descumprimento dos deveres ou de falta grave.

Art. 34. As penas serão impostas pelo juízo competente, independentemente da ordem de gradação,
conforme a gravidade do fato.

Art. 35. A perda da delegação dependerá:

I - de sentença judicial transitada em julgado; ou

II - de decisão decorrente de processo administrativo instaurado pelo juízo competente, assegurado amplo
direito de defesa.

Assim, em consonância com a manifestação da Corregedora Geral de Justiça, aplico a pena de PERDA
DE DELEGAÇÃO em desfavor de TEREZINHA CARREIRO VARÃO, Titular do Cartório do Único Ofício da
Comarca de Santana do Araguaia (CNS nº 06.737-1), declarando-o vago, nos termos do art. 32, inc. IV da
Lei dos Cartórios e, com fulcro no artigo 5º do Provimento nº 77/2018 do Conselho Nacional de Justiça,
designo para responder interinamente pelo Cartório do Único Ofício da Comarca de Santana do Araguaia
(CNSnº06.737-1) a Sra. MARIA DOLORES OLIVA DA FONSECA NETA, Titular da Serventia do Único
Ofício de Floresta do Araguaia (CNS nº 06.794-2), até outorga de delegação a um concursado.

À Divisão de Apoio Técnico Jurídico da Presidência para cumprimento do decidido, devendo dar ciência
deste ato ao requerente; à Corregedoria Geral de Justiça; à Comissão Permanente para Elaboração da
Lista de Serventias Vagas; ao Juiz de Direito da Comarca para que dê ciência à delegatária designada e à
Divisão de Controle e Fiscalização de Arrecadação Extrajudicial da Secretaria de Planejamento,
Coordenação e Finanças.

Registre-se, publique-se, cumpra-se.

Belém, 08 de setembro de 2022.

CÉLIA REGINA DE LIMA PINHEIRO

Desembargadora Presidente do TJPA

PORTARIA Nº 3211/2022-GP
19
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

A Desembargadora CÉLIA REGINA DE LIMA PINHEIRO, Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do


Pará, no uso de suas atribuições legais, etc,

CONSIDERANDO que nos autos do Processo Administrativo Disciplinar nº. 0002848-69.2020.2.00.0814


(TJPA-MEM-2022/38798), promovido pela Corregedoria Geral de Justiça, em que figura como indiciada a
oficiala TEREZINHA CARREIRO VARÃO, Titular do Cartório do Único Ofício da Comarca de Santana do
Araguaia (CNS nº 06.737-1), foram apuradas graves irregularidades praticadas pela aludida Oficiala;

CONSIDERANDO que esta Presidência, acolhendo manifestação da Corregedoria Geral de Justiça,


apoiada no Relatório Final da Comissão Processante, decidiu aplicar à Oficiala indiciada TEREZINHA
CARREIRO VARÃO a penalidade de perda de delegação, com fundamento nos artigos 33 e 34 por
descumprimento dos artigos 1°, 30, II e 31, I e V da Lei n°. 8.935/94, c/c o art.1° da Lei n°. 6015/73,

RESOLVE:

APLICAR a penalidade de PERDA DE DELEGAÇÃO à Oficiala do Cartório do Único Ofício da Comarca de


Santana do Araguaia (CNS nº 06.737-1), TEREZINHA CARREIRO VARÃO, com fundamento nos artigos
32 a 35 da Lei Federal n°. 8.935/94.

Publique-se, Registre-se, Intime-se e Cumpra-se.

Belém, 08 de setembro de 2022.

CÉLIA REGINA DE LIMA PINHEIRO

Desembargadora Presidente do TJPA

PORTARIA Nº 3212/2022-GP

A Desembargadora CÉLIA REGINA DE LIMA PINHEIRO, Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do


Pará, no uso de suas atribuições legais, etc,

CONSIDERANDO a decisão proferida no expediente SIGADOC registrado sob o nº TJPA-MEM-


2022/38798, por meio do qual esta Presidência determinou a PERDA DE DELEGAÇÃO de Oficial
Terezinha Carreiro Varão, Titular do Cartório do Único Ofício da Comarca de Santana do Araguaia (CNS
nº 06.737-1), declarando-o vago;

CONSIDERANDO o artigo 5º do Provimento nº 77/2018 do Conselho Nacional Justiça c/c o § 3º do art. 8º


da Lei n° 6.881/2006 que dispõe que a competência para a designação Cartorário Interino é do Presidente
do Tribunal de Justiça do Estado do Pará,

R E S O L V E:

Art. 1º DESIGNAR MARIA DOLORES OLIVA DA FONSECA NETA, Titular da Serventia do Único Ofício
de Floresta do Araguaia (CNS nº 06.794-2), para responder interinamente pelo Cartório do Único Ofício de
Santana do Araguaia (CNS: 06.737-1), com fundamento no artigo 5º do Provimento nº 77/2018 do
Conselho Nacional Justiça, até ulterior deliberação.

Art. 2º Esta portaria entra em vigor na data da sua publicação.

Publique-se, registre-se e cumpra-se.

Belém, 08 de setembro de 2022.


20
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

CÉLIA REGINA DE LIMA PINHEIRO

Desembargadora Presidente do TJPA


21
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

CORREGEDORIA GERAL DE JUSTIÇA

PORTARIA Nº 199/2022-CGJ

A DESEMBARGADORA ROSILEIDE MARIA DA COSTA CUNHA, CORREGEDORA GERAL DE


JUSTIÇA, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS E;

CONSIDERANDO a decisão ID 1879250 desta Corregedoria de Justiça, proferida na Reclamação


Disciplinar nº 0001265-78.2022.2.00.0814-PjeCor, que determinou abertura de Processo Administrativo
Disciplinar, autuado em apartado sob o nº 0002889-65.2022.2.00.0814-PJECor;

CONSIDERANDO o artigo 199 da Lei 5.810 de 24/01/1994.

RESOLVE:

I - INSTAURAR Processo Administrativo Disciplinar sob o rito sumário, na forma do art. 191 e 191 -A e
parágrafos da Lei nº 5.810/94, em face do ex-servidor ATILA FELIPE CORDEIRO DE OLIVEIRA, a fim de
apurar os fatos descritos nos autos 0002889-65.2022.2.00.0814-PjeCor;

II ¿ DELEGAR poderes à Comissão Disciplinar Permanente, designada pela Exma. Desembargadora


Presidente deste Egrégio Tribunal de Justiça, concedendo-lhe o prazo de 30 (trinta) dias para sua
conclusão.

Publique-se. Registre-se. Dê-se Ciência e Cumpra-se.

Belém, 09.09.2022.

Desembargadora ROSILEIDE MARIA DA COSTA CUNHA

Corregedora - Geral de Justiça

PORTARIA Nº 200/2022-CGJ

A DESEMBARGADORA ROSILEIDE MARIA DA COSTA CUNHA, CORREGEDORA GERAL DE


JUSTIÇA, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS E;
22
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

CONSIDERANDO a solicitação ID 1869978 da Comissão Disciplinar na Sindicância nº 0000845-


73.2022.2.00.0814-PjeCor e posterior despacho desta Corregedoria Geral de Justiça (ID 1897943).

R E S O L V E:

I - PRORROGAR por 30 (trinta) dias os trabalhos da Sindicância Administrativa nº 0000845-


73.2022.2.00.0814-PjeCor, instaurada pela Portaria nº 121/2022-CGJ, publicada no DJE em 23/05/2022.

Publique-se. Registre-se. Dê-se Ciência e Cumpra-se.

Belém, 09.09.2022.

Desembargadora ROSILEIDE MARIA DA COSTA CUNHA

Corregedora - Geral de Justiça

PORTARIA Nº 201/2022-CGJ

A DESEMBARGADORA ROSILEIDE MARIA DA COSTA CUNHA, CORREGEDORA GERAL DE


JUSTIÇA, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS E;

CONSIDERANDO a decisão ID 1880279 desta Corregedoria de Justiça, proferida nos autos da


Sindicância n.º 0002196-18.2021.2.00.0814-PjeCor, que determinou abertura de Processo Administrativo
Disciplinar, autuado em apartado sob o nº 0002916-48.2022.2.00.0814-PJECor;

RESOLVE:

I - INSTAURAR Processo Administrativo Disciplinar Simplificado, sob o rito sumário, na forma dos
artigos 191 (§§ 3º a 12) e 191-A, ambos da Lei 5.810/94, em desfavor da servidora ADRIANE FARIAS
SIMÕES, a fim de apurar os fatos descritos nos autos 0002916-48.2022.2.00.0814-PjeCor;

II ¿ DELEGAR poderes à Comissão Disciplinar Permanente nº 2, designada pela Exma. Desembargadora


Presidente deste Egrégio Tribunal de Justiça, concedendo-lhe o prazo de 30 (trinta) dias para sua
conclusão.

Publique-se. Registre-se. Dê-se Ciência e Cumpra-se.

Belém, 09.09.2022.
23
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Desembargadora ROSILEIDE MARIA DA COSTA CUNHA

Corregedora - Geral de Justiça

EDITAL DE ALTERAÇÃO DE CORREIÇÃO ORDINÁRIA

Nº 027/2022-CGJ*

A Excelentíssima
PROCESSO Senhora Desembargadora ROSILEIDE MARIA DA COSTA CUNHA, Corregedora Geral
Nº 0002175-08.2022.2.00.0814
de Justiça, no uso de suas atribuições legais e regimentais;
PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR
FAZ SABER através do presente Edital que fica alterada a Correição Geral Ordinária designada no Edital
n. 020/2022-CGJ, publicado
PROCESSADO: ANDERSON no Diário
GOMES de Justiça
ROCHA, de 11/08/2022,
OFICIAL DE para as seguintes
JUSTIÇA datas:
AVALIADOR LOTADO NA
CENTRAL DE MANDADOS DA COMARCA DE PARAUAPEBAS/PA

ADVOGADOS: MANUEL ALBINO RIBEIRO DE AZEVEDO JÚNIOR (OAB/PA 23.221), JOÃO PAULO
DE KÓS MIRANDA SIQUEIRA (OAB/PA 19.044), BERNARDO JOSÉ MENDES DE LIMA (OAB/PA
18.913), EUGEN BARBOSA ERICHSEN (OAB/PA 18.938), LORRAINE FERREIRA COELHO (OAB/PA
25.211), BRUNO SODRÉ LEÃO (OAB/PA 23.994), RICARDO COELHO DA SILVA (OAB/PA 29.755),
KARINA TUMA MAUÉS (OAB/PA 18.634), PAULO HENRIQUE CARNEIRO DE CASTRO (OAB/PA
24.362) E ROSILENE ALVES CAMPOS FERREIRA (OAB/PA 25.355)

DENUNCIANTES: EXMA. SRA. DRA. ELINE SALGADO VIEIRA, JUÍZA DE DIREITO TITULAR DA 2ª
VARA CÍVEL E EMPRESARIAL DA COMARCA DE PARAUAPEBAS/PA; EXMO. SR. DR. EUDES DE
AGUIAR AYRES, JUIZ DE DIREITO RESPONDENDO PELA 3ª VARA CÍVEL E EMPRESARIAL DA
COMARCA DE PARAUAPEBAS/PA; EXMO. SR. DR. LAURO FONTES JÚNIOR, JUIZ DE DIREITO
TITULAR DA VARA DA FAZENDA PÚBLICA E EXECUÇÃO FISCAL DA COMARCA DE
PARAUAPEBAS/PA; EXMA. SRA. DRA. PRISCILA MAMEDE MOUSINHO, JUÍZA DE DIREITO
RESPONDENDO PELA 2ª VARA CÍVEL E EMPRESARIAL DA COMARCA DE PARAUAPEBAS/PA E
EXMO. SR. DR. CELSO QUIM FILHO, JUIZ DE DIREITO DIRETOR DO FÓRUM DA COMARCA DE
PARAUAPEBAS/PA

EMENTA: PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR. OFICIAL DE JUSTIÇA AVALIADOR.


INDÍCIOS DE IRREGULARIDADES. NÃO DEVOLUÇÃO DE MANDADOS. APURAÇÃO LEVADA A
EFEITO DEMONSTROU O COMETIMENTO DE FALTA FUNCIONAL. ATRASO NO ANDAMENTOS DE
PROCESSOS. PENALIDADE DE SUSPENSÃO.

DECISÃO

(...) É o Relatório. Decido.

Inicialmente, adoto ¿in totum¿ o relatório conclusivo apresentado pela Comissão Processante constante
no documento Id. 1927036.

Outrossim, verifica-se que o Processo Administrativo Disciplinar instaurado por decisão proferida nos
autos da Reclamação Disciplinar n.º 0001433-80.2022.2.00.0814 foi instruído de maneira célere, rigorosa
24
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

e de acordo com a legislação pertinente, sendo analisados de forma minuciosa todos os documentos que
foram juntados, o interrogatório do acusado, garantindo desta forma, o contraditório e a ampla defesa
previstos no art. 5 º, LV e LIV da Constituição Federal e no art. 187 da Lei nº 5. 810/94.

A apuração realizada pela comissão veio elucidar suposta conduta desidiosa do Oficial de Justiça
Avaliador Anderson Gomes Rocha, consistente em excesso de prazo reiterado, superior a 30 (trinta) dias,
no cumprimento de mandados extraídos dos autos dos processos n.ºs 0808759-66.2019.8.14.0040,
0805792-77.2021.8.14.0040, 0808849-06.2021.8.14.0040, 0804916-59.2020.8.14.0040, 0004134-
95.2014.8.14.0040, 0808766-87.2021.8.14.0040, 0809720-36.2021.8.14.0040, 0804466-
82.2021.8.14.0040, 0806833-79.2021.8.14.0040, 0002309-58.2010.8.14.0040, 0002724-
94.2017.8.14.0040 e 0805093-23.2020.8.14.0040, em inobservância aos prazos estabelecidos no art. 9º
do Provimento Conjunto nº 009/2019-CJRMB/CJCI.

Em sua defesa escrita, o indiciado alegou: (1) ausência de cometimento de ato infracional, diante do
contexto (imprevisível) encontrado na Comarca de Parauapebas/PA que teria gerado um trabalho hercúleo
e até de impossível cumprimento pelos Oficiais de Justiça; (2) ausência de transgressão de normas legais;
(3) inexistência de prejuízo ao Poder Judiciário; (4) inexistência de desídia do servidor; (5) boa-fé do
servidor processado; e (6) orientação da D. Presidência do TJ/PA para que os Oficiais de Justiça
cumprissem tão somente dos Mandados urgentes.

Na defesa constam relacionados os 12 (doze) processos com mandados reclamados nestes autos e
discriminada a situação individualizada de cada um deles.

Em análise ao termo de indiciação do Oficial de Justiça Avaliador Anderson Gomes Rocha constante do
documento Id. 1855483, verifico que o seu teor apontou os fatos ilícitos que lhe foram imputados, bem
como as provas correspondentes e o respectivo enquadramento legal, refletindo a convicção preliminar do
colegiado, atendendo aos requisitos legais previstos no art. 217 da Lei da Lei nº 5.814/94 - Regime
Jurídico Único dos Servidores Públicos Civis do Estado do Pará[1].

Sabido que o termo de indiciação é peça essencial a defesa, a comissão perfeitamente procedeu a
conformação do fato comprovadamente praticado ao acusado à moldura abstrata descrita na Lei da Lei nº
5.814/94 - Regime Jurídico Único dos Servidores Públicos Civis do Estado do Pará, tipificando a conduta
do acusado como falta grave prevista no art. 189, caput, 1ª parte, do já referenciado diploma.

Por seu turno, defendeu o indiciado que sua conduta não decorreu de desídia ou má-fé, mas sim de
fatores alheios a sua vontade, decorrentes da conjuntura vivenciada durante a pandemia do novo corona
vírus, gerando sobrecarga de trabalho. Entretanto, como bem pontuou o colegiado, todos os mandados
reclamados foram recebidos pelo Oficial de Justiça Avaliador em período posterior ao auge da pandemia,
quando o expediente interno e externo já havia sido restabelecido e apenas os servidores componentes do
grupo de risco permaneciam em regime especial de trabalho remoto.

Assim sendo, a comissão concluiu que as justificativas apresentadas pelo servidor processado em sua
defesa não o isentam de suas responsabilidades, devendo o mesmo responder administrativamente pelos
seus atos.

Diante disso, a apuração levada a efeito, evidenciou que dos 12 (doze) mandados reclamados que foram
distribuídos ao Oficial de Justiça Avaliador Anderson Gomes Rocha, o servidor devolveu apenas 04
(quatro), deixou de devolver 02 (dois) e não restou comprovada a devolução de 06 (seis), dentro do prazo
normativo previsto no Provimento Conjunto nº 009/2019-CJRMB/CJCI, procrastinando mesmo que
culposamente, o regular andamento dos processos n.ºs 0808759-66.2019.8.14.0040, 0805792-
77.2021.8.14.0040, 0808849-06.2021.8.14.0040, 0804916-59.2020.8.14.0040, 0004134-
95.2014.8.14.0040, 0808766-87.2021.8.14.0040, 0809720-36.2021.8.14.0040, 0804466-
82.2021.8.14.0040, 0806833-79.2021.8.14.0040, 0002309-58.2010.8.14.0040, 0002724-
94.2017.8.14.0040 e 0805093-23.2020.8.14.0040.

Há nos autos comprovação de que, após instado, por meio de aplicativo de WhatsApp, para justificar e
25
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

devolver os mandados, o processado se manteve inerte.

Resta demonstrado que os fatos em questão são de natureza grave, uma vez que o Oficial de Justiça
Anderson Gomes Rocha, deixou de cumprir com seu mister, por não ter cumprido e devolvido dentro do
prazo normativo os mandados expedidos nos 12 (doze) processos acima identificados, que lhe foram
distribuídos, e alguns deles, na sua posse por quase 02 (dois) anos e ainda, por não ter prestado as
informações solicitadas pelos Magistrados denunciantes, inclusive pelo Diretor do Fórum da Comarca de
Parauapebas/PA e por este Órgão Correcional, quando solicitado, conforme provas juntadas nos
presentes autos.

Da análise do art. 184 da Lei nº 5.810/94, ficou comprovado que a conduta do servidor causou danos à
imagem do Poder Judiciário ao prejudicar, ainda que, culposamente, o regular andamento dos feitos dos
quais se extraíram os mandados distribuídos ao indiciado.

De igual modo, verificou-se a natureza culposa da infração decorrente da conduta negligente do servidor
processado, que se afigurou grave dada a quantidade de mandados e o tempo de retenção sem
cumprimento.

Desse modo, não parece ser razoável que este Órgão responsável pela promoção da normalidade e do
aperfeiçoamento da prestação jurisdicional não julgue pela necessidade de aplicação da penalidade
prevista em lei diante da falta disciplinar cometida pelo indiciado.

A administração visa à eficiência do serviço, e a não observância de prazos não significa eficiência. Assim,
esta Corregedoria vem a prestigiar conclusão do colegiado quanto ao cometimento da falta pelo indiciado
demonstrando negligência e falta de zelo pela imagem de sua instituição, no seu habitual proceder.

Considerando os fatos ocorridos e conhecidos do indiciado, bem como os atrasos causados ao andamento
dos processos, acolho o relatório conclusivo do trio processante, por entender que a conduta do servidor
ANDERSON GOMES ROCHA, Oficial de Justiça Avaliador, se enquadra nos termos do art. 189, caput,
1ª parte (falta grave) c/c art. 183, inciso II, ambos da Lei Estadual nº 5.810/94 (RJU/PA), devendo ser
responsabilizada administrativamente consoante o disposto no art. 183, II, do já referido diploma, com
pena de 60 (sessenta) dias de suspensão, levando em conta a análise do art. 184[2] realizada, pelo
conjunto dos fatos apurados.

Invocando os termos do art. 189, § 3º da Lei nº 5.810/94, determino a conversão da penalidade de


SUSPENSÃO de 60 (sessenta) dias, em pena de MULTA.

Dê-se ciência às partes.

Após ultrapassado o prazo recursal, expeça-se a competente Portaria e comunique-se à Secretaria de


Gestão de Pessoas para o devido registro nos assentamentos funcionais do servidor.

Utilize-se cópia da presente decisão como ofício.

À Secretaria para os devidos fins.

Belém (PA), 09/09/2022.

Desembargadora ROSILEIDE MARIA DA COSTA CUNHA

Corregedora-Geral de Justiça
26
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

PROCESSO Nº 0001647-71.2022.2.00.0814

SINDICÂNCIA INVESTIGATIVA

REQUERENTE: MM. JUIZ DE DIREITO CRISTIANO LOPES SEGLIA, TITULAR DA VARA ÚNICA DA
COMARCA DE SÃO FÉLIX DO XINGU

EMENTA: SINDICÂNCIA ADMINISTRATIVA DE NATUREZA INVESTIGATIVA. INDÍCIOS DE


VAZAMENTO DE INFORMAÇÕES SIGILOSAS CONSTANTES DE AUTOS JUDICIAIS - apuração
levada a efeito não constatou o envolvimento de servidor deste poder judiciário até o momento.
arquivamento.

DECISÃO

Tratam os autos de Sindicância Administrativa Investigativa instaurada por determinação deste Órgão
Correcional por meio da Portaria nº 132/2022 ¿ CGJ, (DJE 08/06/22) para investigar possível participação
de servidores do Poder Judiciário em suposto vazamento de informações sigilosa constante dos autos nº
0800191-17.2022.8.14.0053 e nº 0800630-28.2022.8.14.0053, em tramite na Vara Única da Comarca de
São Félix do Xingu.

O procedimento em epígrafe teve origem em Pedido de Providências formulado pelo Cristiano Lopes
Seglia, Titular da Vara Única da Comarca de São Felix do Xingu, por meio do qual notícia durante sua
atuação nos autos nº 0800191-17.2022.8.14.0053 e nº 0800630-28.2022.8.14.0053, classificados como
sigilosos e distribuídos pela Delegacia de São Félix do Xingu e Divisão de Combate a Crimes Econômicos
e Patrimoniais Praticados por Meios Cibernéticos, respectivamente, surgiram indícios de vazamento de
informações sigilosas, haja vista que os representantes dos investigados distribuíram petições especificas
no feito e registraram acessos pelo sistema.

Iniciado os trabalhos, em 27/06/2022, em ata (ID 1673436) a comissão deliberou, em síntese: 1) por
solicitar à Secretaria de Informática que informe: a) o nome, cargo, e o login da pessoa que distribuiu os
procedimentos 0800191-17.2022.8.14.0053 e nº 0800630-28.2022.8.14.0053, no PJE; b) a data e hora em
que os procedimentos nº 0800191-17.2022.8.14.0053 e nº 0800630-28.2022.8.14.0053 foram distribuídos
no PJE; c) quais as datas e horas que os representantes dos investigados peticionaram nos
procedimentos nº 0800191-17.2022.8.14.0053 e nº 0800630-28.2022.8.14.0053; d) qual a data e hora em
que os procedimentos nº 0800191-17.2022.8.14.0053 e nº 0800630-28.2022.8.14.0053 foram cadastrados
como sigilosos no PJE; 2) solicitar ao Juiz de Direito da Comarca de São Felix do Xingu, Dr. Cristiano
Lopes Seglia para designar data, hora e local para ser ouvido, sugerindo o Colegiado a data de
04/07/2022, às 14:30 hs.

Em ID 1673437, a Secretaria de Informática do TJPA apresentou as informações então requeridas pela


Comissão.

Em 01/07/2022 promoveu a tomada de declarações do MM. Juiz de Direito Cristiano Lopes Seglia, Titular
da Vara Única da Comarca de São Felix do Xingu.

O Colegiado em seu relatório (ID 1673439), pelo investigado até 01/07/2022, entendeu não haver
indícios de que servidores do Poder Judiciário tenham dado causa a quebra de sigilo do procedimento nº
0800630-28.2022.8.14.0053, concluindo seu relatório pelo arquivamento do presente procedimento.

É o Relatório.
27
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Decido.

A Sindicância Investigativa em epígrafe foi devidamente instruída de maneira célere e rigorosa, sendo
analisados os documentos constante dos autos e a oitiva realizada.

Inicialmente, observa-se que o presente procedimento objetivou investigar possível participação de


servidores do Poder Judiciário em suposto vazamento de informações sigilosa constante dos autos nº
0800191-17.2022.8.14.0053 e nº 0800630-28.2022.8.14.0053, em tramite na Vara Única da Comarca de
São Félix do Xingu.

A apuração levada a efeito pelo Colegiado constatou que dos dois procedimentos informados pelo MM.
Juiz de Direito Cristiano Lopes Seglia, Titular da Vara Única da Comarca de São Felix do Xingu, apenas o
procedimento nº 0800630-28.2022.8.14.0053 encontrava-se sob sigilo, e que o advogado Werbet Gama
teria tomado conhecimento das informações sigilosas através de agentes públicos da Polícia Civil.

Consoante levantado pela Comissão, o MM. Juiz de Direito Cristiano Lopes Seglia veio a requerer a
apuração dos fatos a este Órgão Correcional por haver tido conhecimento através do Promotor de Justiça
Odélio Divino Garcia Junior, extra autos, que o processo nº 0800630-28.2022.8.14.0053, tem uma
interceptação.

Segundo informou o magistrado ao Colegiado, o Promotor Odélio Divino Garcia Junior ouviu um
interlocutor dizer que ¿tinham que gratificar o menino do Fórum¿.

Entretanto, averiguou a comissão que o MM. Juiz de Direito Cristiano Lopes Seglia não teve acesso a
citada interceptação, que ainda não do consta dos citados autos, o que impossibilitou de se esclarecer
com precisão tal fato, diante do que, se comprometeu o magistrado perante o colegiado à dar ciência a
este Órgão Censor, em caso de envolvimento de servidor deste Poder Judiciário no episódio em questão.

A Lei n° 5.810, de 24 de janeiro de 1994, a qual dispõe sobre o Regime Jurídico Único dos Servidores
Públicos do Estado do Pará, em seu artigo 224, assim estabelece:

¿Art. 224 ¿ O julgamento acatará o relatório da Comissão, salvo quando contrário às provas dos
autos¿.

Por todo exposto, acolho o relatório final apresentado pela Comissão Sindicante e com fulcro no art. 91,
§3º, do Regimento Interno do TJPA e art. 201, I, da Lei Estadual nº 5.810/94, determino o
ARQUIVAMENTO da presente Sindicância Investigativa, por reputar com base no que consta destes
autos, que até o presente momento não há indícios de que servidores do Poder Judiciário tenham
dado causa a quebra de sigilo do procedimento nº 0800630-28.2022.8.14.0053.

Dê-se ciência.

Sirva a presente decisão como Ofício.

À Secretaria para os devidos fins.

Belém (PA), 09/09/2022.

Desa. ROSILEIDE MARIA DA COSTA CUNHA

Corregedora-Geral de Justiça
28
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

PROCESSO Nº 0000525-23.2022.2.00.0814

PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR

REQUERENTE: MM. JUIZ DE DIREITO JOSÉ LEONARDO PESSOA VALENÇA, TITULAR DA VARA
DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DE ALTAMIRA

REQUERIDO: OFICIAL DE JUSTIÇA PAULO VICTOR ASSIS DOS SANTOS

ADVOGADOS: MANUEL ALBINO DE AZEVEDO JUNIOR, OAB/PA 23.221

EUGEN BARBOSA ERICHSEN, OAB/PA 18.938

EMENTA: RECURSO ADMINISTRATIVO. ENCAMINHAMENTO AO C. CONSELHO DA


MAGISTRATURA.

DECISÃO

Trata-se de Recurso Administrativo (Id. 1939094) da decisão pela qual este Órgão Censório determinou a
aplicação da pena de suspensão de 10 (dez) dias ao Oficial de Justiça PAULO VICTOR ASSIS DOS
SANTOS (decisão Id. 1905979).

É o relatório.

Decido.

No que tange ao Recurso Administrativo, o Regimento Interno desta Egrégia Corte estabelece em seu art.
41 o prazo de 10 (dez) dias úteis para a interposição do recurso em epígrafe, verbis:

¿Art. 41. Da decisão da Corregedoria caberá recurso para o Conselho da Magistratura no prazo de 10
(dez) dias úteis, contados da ciência do(a) interessado(a), sem efeito suspensivo, salvo em se tratando de
matéria Disciplinar.¿

Posto isso, recebo o Recurso Administrativo e, por conseguinte, DETERMINO a remessa destes autos ao
Colendo Conselho da Magistratura, conforme o comando inserto no Art. 28, VII, do Regimento Interno
deste Tribunal de Justiça, para o competente processamento e julgamento.

Dê-se ciência às partes.

Sirva a presente decisão como Ofício.

À Secretaria para os devidos fins.

Belém(PA), 09/09/2022.

Desembargadora ROSILEIDE MARIA DA COSTA CUNHA

Corregedora-Geral de Justiça
29
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

PROCESSO Nº 0000749-29.2020.2.00.0614

PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR

RECLAMANTE: MM JUIZ DE DIREITO GERSON MARRA GOMES, TITULAR DA VARA DO JUIZADO


CÍVEL DA COMARCA DE SANTARÉM

RECLAMADO: MARCELO ANAICY SILVA CARVALHO, OFICIAL DE JUSTIÇA

ADVOGADOS: MANUEL ALBINO DE AZEVEDO JUNIOR, OAB/PA 23.221

EUGEN BARBOSA ERICHSEN, OAB/PA 18.938


EMENTA: RECURSO ADMINISTRATIVO. ENCAMINHAMENTO AO C. CONSELHO DA
MAGISTRATURA.

DECISÃO

Trata-se de Recurso Administrativo (Id. 1938353) da decisão pela qual este Órgão Censório determinou a
aplicação da pena de suspensão de 10 (dez) dias ao Oficial de Justiça MARCELO ANAICY SILVA
CARVALHO (decisão Id. 1854988).

É o relatório.

Decido.

No que tange ao Recurso Administrativo, o Regimento Interno desta Egrégia Corte estabelece em seu art.
41 o prazo de 10 (dez) dias úteis para a interposição do recurso em epígrafe, verbis:

¿Art. 41. Da decisão da Corregedoria caberá recurso para o Conselho da Magistratura no prazo de 10
(dez) dias úteis, contados da ciência do(a) interessado(a), sem efeito suspensivo, salvo em se tratando de
matéria Disciplinar.¿

Posto isso, recebo o Recurso Administrativo e, por conseguinte, DETERMINO a remessa destes autos ao
Colendo Conselho da Magistratura, conforme o comando inserto no Art. 28, VII, do Regimento Interno
deste Tribunal de Justiça, para o competente processamento e julgamento.

Dê-se ciência às partes.

Sirva a presente decisão como Ofício.

À Secretaria para os devidos fins.

Belém(PA), 09/09/2022.

Desembargadora ROSILEIDE MARIA DA COSTA CUNHA

Corregedora-Geral de Justiça
30
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

PROCESSO Nº 0002494-73.2022.2.00.0814

PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS

REQUERENTE: CELSO QUIM FILHO, JUIZ DE DIREITO TITULAR DA VARA DE JUIZADO ESPECIAL
E DIRETOR DO FÓRUM DA COMARCA DE PARAUAPEBAS/PA

REQUERIDO: LUIS CARLOS COELHO DE OLIVEIRA, ATENDENTE JUDICIÁRIO LOTADO NA


COMARCA DE PARAUAPEBAS/PA

EMENTA: RECLAMAÇAO DISCIPLINAR. EVENTUAL FALTA DISCIPLINAR. EXCEPCIONALIDADE DA


SITUAÇÃO. OCORRÊNCIA DE EQUÍVOCO. ARQUIVAMENTO.

DECISÃO :Cuida-se de Pedido de Providências encaminhado pelo magistrado CELSO QUIM FILHO, JUIZ
DE DIREITO TITULAR DA VARA DE JUIZADO ESPECIAL E DIRETOR DO FÓRUM DA COMARCA DE
PARAUAPEBAS/PA, a fim de dar conhecimento a esta Corregedoria Geral de Justiça acerca de eventual
falta disciplinar cometida pelo servidor LUIS CARLOS COELHO DE OLIVEIRA, ATENDENTE JUDICIÁRIO
LOTADO NA COMARCA DE PARAUAPEBAS/PA, em decorrência de episódio acontecido no dia
21/07/2022 no Fórum da Comarca de Parauapebas. (¿) É o que basta relatar. Passo a decidir.
Analisando as informações apontadas, percebe-se que o objetivo principal do presente expediente é
comunicar o fato ao Órgão Correcional para fins de apuração sobre eventual falta disciplinar cometida pelo
servidor LUÍS CARLOS COELHO DE OLIVEIRA. Desse modo, de tudo que foi apurado, constatou-se que
a falha funcional realmente aconteceu, é incontroversa, tendo em vista que não foi observado pelo servidor
os deveres impostos no art. 177, incisos IV e VI da Lei 5.810/94 (RJU)[i], no entanto, restou evidenciado
que foi um momento de descontrole emocional, dada as circunstâncias do fato, o que se encontra na
esfera da falibilidade humana. Observa-se a excepcionalidade da situação, tendo em vista o zelo com que
o servidor desenvolve seu mister, conforme evidenciado no documento de Id 1879891, o qual certifica que
não consta de seus registros funcionais expediente disciplinar ou aplicação de penalidade, ficando
suficientemente esclarecido de que houve um descontrole momentâneo do servidor, tendo ele
demonstrado arrependimento, inclusive, apresentando suas escusas ao vigilante do Fórum por sua
conduta reprovável.

Diante do exposto, considerando não haver a princípio qualquer outra medida a ser tomada por este
Órgão Correcional, DETERMINO o ARQUIVAMENTO do presente expediente, com fulcro no Art. 200,
Parágrafo único, da Lei nº 5.810/94, no entanto, RECOMENDO ao servidor LUIS CARLOS COELHO DE
OLIVEIRA que observe os regulamentos e normas vigentes, especialmente a Portaria nº 59/2022-DF que
estabelece medidas de segurança a serem adotadas no Fórum de Parauapebas, evitando, dessa
forma, que fatos dessa natureza ocorram novamente. Dê-se ciência às partes. Utilize-se cópia do presente
como ofício. À Secretaria para os devidos fins. Belém, 05 de setembro de 2022. Desembargadora
ROSILEIDE MARIA DA COSTA CUNHA Corregedora-Geral de Justiça
31
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS Nº 0002975-36.2022.2.00.0814

REQUERENTE: VARA AGRÁRIA DE MARABÁ

EMENTA: PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS. SERVENTIA EXTRAJUDICIAL. COMUNICAÇÃO DE


DESBLOQUEIO DE MATRÍCULA. REGULAR O PROCEDIMENTO. SATISFEITA A PRETENSÃO.
ARQUIVAMENTO.

DECISÃO: Trata-se de expediente encaminhado pela Vara Agrária de Marabá informando o conteúdo da
sentença com resolução de mérito que julgou procedente o pedido de desbloqueio da matrícula do imóvel
FAZENDA RIO BONITO (matrícula nº 13920, livro 2, folha 001, Cartório de Registro de Imóveis de Marabá
¿ PA, prenotada sob o nº 78073), em virtude de ter sido demonstrada a regularidade do domínio. Trata-se
de medida prevista no art. 10º do Prov. 004/2021/CJCI que disciplina os procedimentos para desbloqueio
de matrículas bloqueadas em razão do Prov. 013/2006-CJCI, estando regular o procedimento. Desta
feita, determino o registro e arquivamento em pasta própria de acompanhamento do Registro de
Atividades Judiciais. À Secretaria desta Corregedoria Geral de Justiça para os devidos fins. Após,
ARQUIVE-SE. Belém, 09 de setembro de 2022. DESEMBARGADORA ROSILEIDE MARIA DA COSTA
CUNHA Corregedora-Geral da Justiça do Estado do Pará

CorOrd nº 0002895-72.2022.2.00.0814

DECISÃO/OFÍCIO 2022

Trata-se de decisão exarada pelo Dr. Sérgio Augusto Andrade Lima, Juiz de Direito titular da 12ª Vara
Criminal de Belém, nos autos do processo nº 0002594-54.2018.814.0401, na qual julga-se impedido,
juntamente com a Diretora de Secretaria da unidade, para atuar no feito, entendendo inapropriado a
remessa do referido processo ao substituto automático, sendo mais viável sua redistribuição, o que
justifica seja provocada a Corregedoria Geral de Justiça - CGJ para análise e adoção das providências
cabíveis. É o relatório. A RESOLUÇÃO n.º 14/2016, instituiu o Código de Ética dos Servidores do Tribunal
de Justiça do Estado do Pará, dispondo que:

Art. 8º São deveres do servidor, sem prejuízo das demais obrigações legais e regulamentares:

XIX - declarar seu impedimento ou suspeição nas situações que possam afetar o desempenho de suas
funções com independência e imparcialidade.

Nesse sentido, oriento que servidor que se declarar suspeito ou impedido para funcionar em determinado
processo deve comunicar o fato, por escrito e nos respectivos autos, ao juiz da vara em que atua, a fim de
seja indicado outro servidor, com a mesma qualificação, para exercer a sua função no feito em que se deu
a suspeição. No que se refere ao impedimento do magistrado, o mesmo deve cumprir o disposto na
Portaria nº 2540/2020-GP, que define regras de aplicação da tabela de substituição automática nas
unidades judiciárias de 1º grau. Dê-se ciência ao Juiz de Direito titular da 12ª Vara Criminal de Belém.
Após, arquive-se o presente expediente. Belém/PA, data registrada no sistema. ROSILEIDE MARIA DA
COSTA CUNHA - Desembargadora Corregedora-Geral de Justiça
32
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

PROCESSO N.º 003005-71.2022.2.00.0814 - PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS

REQUERENTE: JUÍZO DE DIREITO DA VARA CRIMINAL DA COMARCA DE RIO DO SUL/SC

ENVOLVIDO: DENISON PEREIRA MELO

DECISÃO/OFÍCIO N.º /2022-CGJ

EMENTA: PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS. SOLICITAÇÃO DE CERTIDÃO DE ANTECEDENTES


CRIMINAIS. ENCAMINHAMENTO AO SETOR COMPETENTE. ARQUIVAMENTO.

Trata-se de expediente oriundo da Vara Criminal da Comarca de Rio do Sul no Estado de Santa Catarina,
solicitando o encaminhamento de Certidão de Antecedentes Criminais de DENISON PEREIRA MELO
(CPF n.º 868.227.802-20, RG n.º 5413543, nascido em 25/11/1987, filho de Francisca das Chagas Pereira
e Cosme da Conceição Melo), com o fito de instruir os autos da ação penal n.º 5010659-
06.2022.8.24.0054. Desse modo, DETERMINO a expedição de ofício à Distribuição de Feitos Criminais da
Comarca de Belém/PA, a fim de que atenda ao pedido formulado, encaminhando a mencionada certidão
de antecedentes criminais diretamente ao Juízo requerente. De outro vértice, dê-se ciência ao requerente
acerca da providência acima adotada por esta Corregedoria-Geral de Justiça, informando-lhe que, nas
próximas oportunidades, pode diligenciar, pesquisando e emitindo Certidão de Antecedentes
Criminais diretamente no Portal do TJ/PA no seguinte endereço eletrônico da internet:
https://consultas.tjpa.jus.br/certidao/pages/pesquisaGeralCentralCertidao.action. Utilize-se cópia do
presente como ofício. Por fim, ARQUIVE-SE. À Secretaria para os devidos fins. Belém (PA), data da
assinatura eletrônica. Desembargadora ROSILEIDE MARIA DA COSTA CUNHA - Corregedora-Geral de
Justiça

AUTOS PJECOR Nº 0000427-38.2022.2.00.0814

CLASSE: CONSULTA ADMINISTRATIVA

REQUERENTE: JUIZ LAURO FONTES JÚNIOR, Coordenador da UPJ Cível e Empresarial da


Comarca de Parauapebas e Diretor do Fórum de Parauapebas.

DECISÃO

Trata-se de Consulta Administrativa apresentada pelo Juiz Lauro Fontes Júnior, Coordenador da UPJ
Cível e Empresarial de Parauapebas, solicitando orientação a respeito de como proceder quanto aos
processos administrativos de competência correicional vinculada à jurisdição voluntária (ex.:
suscitação de dúvida, processos administrativos diversos, os quais normalmente são iniciados
pelos representantes das serventias extrajudiciais ou mesmo por sigadoc), em especial aqueles
vinculados à Lei 6.501/73, uma vez que se trata de feitos cujo fluxo é incompatível com os sistemas de
gestão utilizados pelo TJPA (Libra, PJE e Protocolo). Esclareceu o magistrado que em consulta por ele
realizada junto à Presidência desta Côrte, a orientação que lhes foi repassada (PA-REQ-2021/05644) foi
de que o trâmite dos referidos processos de natureza administrativa, deveriam continuar sendo por meio
do sistema SIGA-DOC. Diante da orientação da Presidência, o magistrado questionou a maneira pela qual
se daria a operacionalização, vez que tais feitos normalmente são iniciados por agentes externos a este
Poder Judiciário que não têm acesso ao SigaDoc, pelo que indagou: ¿1) Como se dará a distribuição de
tais expedientes? Quem será o responsável por fazê-la? 2) Uma vez distribuído o feito e encaminhado ao
Juiz Corregedor, como se dará o controle de prazo? 3) Havendo determinação do Juízo corregedor para
cumprimento de decisão/despacho, não pdoendo ser este efetivado de forma eletrônica, será cumprido por
33
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Oficial de Justiça? E se for por oficial de Justiça, como se dará a distribuição do expediente a um dos onze
atuantes na comarca de Parauapebas uma vez que o SigaDoc não conta com tal ferramenta? 4) Não
tendo o sistema SigaDoc mecanismo de controle de rastreabilidade de suas fases e tampouco apresenta
relatórios a possibilitar controle interno, além de não contar com prospecção dos índices de eficiência
(produtividade), como essas questões serão aferidas?¿ O feito foi remetido à Secretaria de Informática e
ao Departamento de Planejamento, Gestão e Estatística, para manifestação no prazo de 30 (trinta) dias (id
1177308). Em 21.02.2022 o Diretor do DPGE se manifestou apontando que as dúvidas lançadas pelo
consulente têm relação direta com a programação e funcionamento do sistema SigaDoc, pelo que a
Secretaria de Informática é quem seria o setor técnico competente para esclarecê-las (id 1212163). Em 14
de junho de 2022 o Secretário de Informática apresentou ¿Despaho Orientativo¿ acerca das indagações
apresentadas pelo consulente (id 1609788). Em 06 de julho de 2022 a Secretaria de informática
apresentou novamente o despacho orientativo acima referenciado. É o Relatório. Por se tratar de questão
que exige esclarecimentos técnicos, é de suma importância a análise da manifestação da Secretaria de
Informática consubstanciado no Despacho orientativo apresentado. O ¿Despacho Orientativo¿ contém 05
(cinco) laudas nas quais se buscou apresentar respostas aos questionamentos apresentados pelo Juiz
Lauro Fontes Júnior na inicial, e isso se deu através de casos: 1 ) Caso 01 ¿ Jurisdição Voluntária ¿
Exemplo: Solicitação de Dúvida Registral; 2) Caso 02 ¿ Processos Administrativos Diversos. Nota-se,
preliminarmente, que o setor técnico, para se pronunciar sobre os questionamentos, promoveu uma
diferenciação entre processos administrativos que envolvam provimentos judiciais, como é o caso da
suscitação de dúvida que possui código específico na tabela de classes do CNJ, e processos que eles
denominaram meramente administrativos, acerca dos quais não houve conceituação nem qualquer
exemplificação. Deve ser ressaltado que a orientação técnica exarada no mês de junho de 2022
deixou muito claro que, para os feitos do ¿Caso1¿, enquanto procedimentos de jurisdição
voluntária, o sistema a ser utilizado é o PJE, inclusive foi feito correlação de situação exemplificativa
(suscitação de dúvida) com a respectiva classificação na Tabela de Classes do CNJ e apontamentos no
sentido de que as demais indagações feitas pelo magistrado com relação a processos desta natureza
podem ser atendidas através de funcionalidades existentes no sistema PJE, a exemplo do controle de
prazo, distribuição de mandados aos oficiais de justiça, rastreabilidade de fases e outros. Ocorre que, a
partir de minudente análise da orientação técnica supramencionada oriunda da Secretaria de Informática,
restou constatado conflito com o que foi orientado pela Presidência desta Côrte em 05.11.2021 no
PA-REQ-2021/05644, quando da consulta feita pelo Juiz Lauro Fontes Júnior diretamente àquele órgão,
no que se refere ao sistema a ser utilizado para tramitação de processos administrativos que envolvam
matérias relativas a registros públicos (a exemplo, da suscitação de dúvida, averiguação de paternidade e
outros), haja vista que na consulta anterior datada de 05.11.2021(PA-REQ-2021/05644) ficou
estabelecido que ¿o trâmite dos referidos processos devem continuar sendo por meio do sistema SigaDoc,
plataforma em que se reúnem todos os feitos administrativos em tramitação do Poder Judiciário do Pará,
sendo inviável para administração deste Poder Judiciário que apenas os feitos da referida unidade passem
a tramitar no PJE¿. Na oportunidade, vale mencionar que a partir da diferenciação feita pela Secretaria de
Informática com relação a processos administrativos em trâmite neste Poder Judiciário (Caso 1 e Caso 2),
o objeto da presente consulta não alcança apenas os feitos em tramitação na UPJ Cível,
Empresarial, da fazenda e de Execução Fiscal de Parauapebas, mas também todos aqueles em
tramitação em qualquer unidade judicial deste TJPA, que possua competência para processar e
julgar feitos atinentes a registros públicos, os quais guardam relação com o estabelecido nas
tabelas de classes, assuntos e movimentos estabelecidas pelo Conselho Nacional de Justiça e que
a tramitação de qualquer feito relacionado a estas tabelas fora de sistemas capazes de estabelecer
fluxos processuais e parametrização, como é o caso do Siga-doc, pode provocar inconsistência no
que se refere a dados estatísticos das respectivas unidades que assim operarem. Ante o exposto,
diante das divergências acima apontadas, ENCAMINHE-SE cópia do inteiro teor da presente consulta
administrativa à Presidência desta Côrte para pronunciamento conclusivo acerca da questão. À Secretaria
para providências. Belém (PA), data registrada no sistema. Desembargadora ROSILEIDE MARIA DA
COSTA CUNHA - Corregedora-Geral de Justiça

PROCESSO Nº 0000639-59.2022.2.00.0814
34
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

SINDICÂNCIA ADMINISTRATIVA APURATÓRIA

SINDICADA: MEILI SILVA LIMA, AUXILIAR JUDICIÁRIO LOTADA NA VARA ÚNICA DA COMARCA
DE TOMÉ-AÇU/PA

ADVOGADOS: HAMILTON RIBAMAR GUALBERTO (OAB/PA 1.340), DANIEL ANTÔNIO SIMÕES


GUALBERTO (OAB/PA 21.296) e HAMILTON GABRIEL SIMÕES GUALBERTO (OAB/PA 22.738)

DENUNCIANTE: EXMO. SR. DR. IRAN FERREIRA SAMPAIO, JUIZ DE DIREITO TITULAR DA VARA
ÚNICA DA COMARCA DE CONCÓRDIA DO PARÁ/PA

EMENTA: SINDICÂNCIA ADMINISTRATIVA. APURATÓRIA. NÃO DISTRIBUIÇÃO DE CARTA


PRECATÓRIA. RELATÓRIO FINAL DA COMISSÃO SINDICANTE ACOLHIDO. APLICAÇÃO DA
PENALIDADE DE 10 DIAS DE SUSPENSÃO. CONVERSÃO DA PENA DE SUSPENSÃO EM MULTA,
NOS TERMOS DO QUE DISPÕE O § 3º DO ART. 189 DA LEI 5.810/94.

DECISÃO: (¿) É o Relatório. DECIDO: Analisando os autos, constata-se que a Sindicância Apuratória em
questão teve regular processamento, tendo sido observados os princípios do devido processo legal, do
contraditório e da ampla defesa, sendo a servidora sindicada devidamente notificada, participando da
instrução do feito, acompanhada de advogados, bem como, observa-se que o depoimento testemunhal e o
interrogatório estão resumidamente transcritos no Relatório Final da Comissão Processante. A instrução
evidencia que a servidora MEILI SILVA LIMA recebeu: I - Em 06.03.2020, a Carta Precatória enviada pelo
malote digital 40120206883878, figurando como deprecante o juízo da 4ª Vara Federal da Seção
Judiciária do Estado do Pará (TRF da 1ª Região) e deprecado o juízo da Comarca de Concórdia do Pará,
para oitiva de duas testemunhas arroladas no processo criminal n. 0006695-75.2019.4.01.3900, contudo,
não procedeu a distribuição dessa Carta Precatória; II - Em 21.05.2021 (14 meses depois), o malote
digital 40120218582869, enviado pelo Juízo Federal da 4ª Vara da Seção Judiciária do Estado do Pará, à
Comarca de Concórdia do Pará, solicitando informações acerca do cumprimento da carta precatória que
havia sido encaminhada anteriormente (via malote digital 40120206883878), contudo, a servidora se
manteve inerte mais uma vez, pois não procedeu a distribuição da aludida Carta Precatória, e
sequer comunicou à Chefia acerca da cobrança, nem prestou informações ao juízo
deprecante, retardando, assim, o cumprimento da ordem judicial, uma vez que a carta precatória
somente foi distribuída em 11.02.2022, após o Juízo de Concórdia ter sido instado a se manifestar
perante a Corregedoria Geral de Justiça, após Pedido de Providências instaurado no PJECor à
pedido do Juízo deprecante. Dessa forma, ficou suficientemente esclarecido de que a falha funcional
realmente aconteceu, a mesma é incontroversa, pois a servidora sindicada não só deixou de providenciar
a distribuição da carta precatória em questão à época do seu encaminhamento, ocorrido em 06/03/2020,
como, mesmo após ter sido cobrada cerca 1 ano e 2 depois pelo Juízo deprecante, especificamente em
21/05/2021, não adotou qualquer providência a fim de corrigir a falha pela não distribuição da referida
carta precatória, tampouco comunicou o fato a sua chefia. Desse modo, não se sustentam as alegações
da defesa de excesso de trabalho e de insuficiência de servidores na Vara de Concórdia do Pará, pois os
autos demostram no mínimo uma atitude negligente da servidora, a qual cometeu uma sequência de
falhas envolvendo o mesmo fato, pois se manteve inerte mesmo após ter sido cobrada acerca da
distribuição ou não da carta precatória que havia recebido há mais de 1 ano. Para além disso, constam
dos autos que essa não foi a primeira vez que a servidora deixou de distribuir carta precatória recebida, o
que foi inclusive objeto de apuração desse Órgão Correcional nos autos da Sindicância Apuratória nº.
0003625-20.2021.2.00.0814. Assim, em que pese a servidora não ter agido com dolo, os danos
processuais são indiscutíveis, uma vez que a conduta omissiva da servidora trouxe notório prejuízo às
partes, uma vez que não distribuiu a carta precatória no dia em que acusou recebimento no Malote Digital
(10/03/2020), tampouco quando recebeu em 21/05/2021 (14 meses depois), pedido de informações do
Juízo deprecante, e, sequer providenciou a imediata distribuição do expediente que havia recebido, o que
motivou, justificadamente, o Juízo deprecante a ingressar com o pedido de providências, pois verificou a
inércia do Juízo deprecado, como já exaustivamente exposto. Desse modo, não resta qualquer dúvida que
houve negligência da servidora, logo, caracterizada está a existência de infração disciplinar. De outra
banda, a Lei n.º 5.810/1994 no art. 177, incisos IV, VI e IX, assim determina: ¿Art. 177 - É vedado ao
servidor: (¿) IV - obediência às ordens superiores, exceto quando manifestamente ilegais; (¿) VI -
observância aos princípios éticos, morais, às leis e regulamentos; (¿) IX - atender com presteza: (¿) b) às
35
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

informações, documentos e providências solicitadas por autoridades judiciárias ou administrativas; (¿)¿


Tenha-se presente, ainda, o disposto nos artigos 184 e incisos, e 201, II ambos da Lei citada alhures, in
verbis: ¿Art. 184 ¿ Na aplicação das penalidades serão considerados cumulativamente: I ¿ os danos
decorrentes do fato para o serviço público; II ¿ a natureza e a gravidade da infração e as circunstâncias
em que foi praticado; III ¿ a repercussão do fato; IV ¿ os antecedentes funcionais.¿ ¿Art. 201 - Da
sindicância poderá resultar: (¿) II - aplicação de penalidade de repreensão ou suspensão de até 30 (trinta)
dias; (¿)¿ Da análise do que consta dos autos e dos artigos acima transcritos, apreende-se que a
sindicada falhou em seu dever. A infração administrativa está tipificada, na omissão que causa prejuízo ao
jurisdicionado e macula a imagem da Instituição. Falta grave que indica a SUSPENSÃO como punição a
aplicar (art. 201, II da Lei 5.810/94 ¿ RJU. Por tais razões, tendo em vista os motivos ao norte expostos e
invocando o princípio da razoabilidade e proporcionalidade, acato o relatório conclusivo da Comissão
Sindicante e, considerando as provas acostadas, imponho a penalidade de 10 (dez) dias de SUSPENSÃO
a teor do art. 201, II da Lei 5.810/94, à servidora MEILI SILVA LIMA, Auxiliar Judiciário lotada atualmente
Vara Única da Comarca de Tomé-Açu, por infringência ao art. 177, IV, VI , IX, b e art. 189, caput, 1ª
parte (falta grave) da Lei n.º 5.810/94 ¿ RJU. Ademais, para que não haja prejuízo aos trabalhos da
Comarca, determino a conversão da pena de suspensão em multa, nos termos do que dispõe o § 3º do
art. 189 da citada Lei. Findo o prazo recursal, lavre-se a competente Portaria e, após publicação no Diário
de Justiça, remeta-se cópia do ato à Secretaria de Gestão de Pessoas para a devida inscrição nos
assentamentos do referido servidor e à Direção do Fórum de Comarca de Itaituba para ciência ao servidor.
Cumpra-se. À Secretaria para os devidos fins. Servirá a presente Decisão como ofício. Belém, data da
assinatura eletrônica. Desembargadora ROSILEIDE MARIA DA COSTA CUNHA Corregedora-Geral de
Justiça

Ato do magistrado - MINUTAR" style="">PADServ 0003141-39.2020.2.00.0814

PROCESSADO: FERNANDO NAZARÉ ALVES FERREIRA - TITULAR DO ÚNICO OFÍCIO DA


COMARCA DE MARACANÃ

EMENTA:

PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR ¿ AUSÊNCIA DE PRESTAÇÃO DE CONTAS E NÃO


ATENDIMENTO ÀS NOTIFICAÇÕES DO SETOR DE FISCALIZAÇÃO - ALEGAÇÃO DE AUSÊNCIA DE
RESPONSABILIDADE PELO PERÍODO DE AFASTAMENTO PARA EXERCÍCIO DE CARGO POLÍTICO
E DE EFETIVO RECOLHIMENTO PELA OFICIAL RESPONSÁVEL - ALEGAÇÕES PARCIALMENTE
COMPROVADAS - OFICIAL TITULAR QUE NÃO REQUEREU A DISPENSA DA TITULARIDADE
CORRESPONDENTE AO SEGUNDO MANDATO ELETIVO - DOCUMENTOS APRESENTADOS QUE
NÃO DEMONSTRAM CORRESPONDÊNCIA ENTRE OS PAGAMENTOS E OS SELOS NÃO
DECLARADOS - RESPONSABILIDADE DO TITULAR PELO PERÍODO EM QUE NÃO REQUEREU
LICENÇA - PENALIDADE DE SUSPENSÃO - ARQUIVAMENTO.

DECISÃO / OFÍCIO Nº /2022- /CGJ

DECISÃO (...).
36
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Desse modo, urge que se analise o objeto do presente, qual seja a decorrência ou não de irregularidade
funcional da conduta do oficial que deixou de prestar contas e efetivar recolhimentos referentes a
significativo número de selos de segurança por período de 8 anos, conforme indicado pela SEPLAN em
relatório de pendências lavrado após inúmeras notificações.

A respeito do tema, o art. 30, XV da Lei 8.93594:

Art. 30. São deveres dos notários e dos oficiais de registro:

I - manter em ordem os livros, papéis e documentos de sua serventia, guardando-os em locais


seguros;

II - atender as partes com eficiência, urbanidade e presteza;

III - atender prioritariamente as requisições de papéis, documentos, informações ou providências que


lhes forem solicitadas pelas autoridades judiciárias ou administrativas para a defesa das pessoas jurídicas
de direito público em juízo;

IV - manter em arquivo as leis, regulamentos, resoluções, provimentos, regimentos, ordens de serviço


e quaisquer outros atos que digam respeito à sua atividade;

V - proceder de forma a dignificar a função exercida, tanto nas atividades profissionais como na vida
privada;

VI - guardar sigilo sobre a documentação e os assuntos de natureza reservada de que tenham


conhecimento em razão do exercício de sua profissão;

VII - afixar em local visível, de fácil leitura e acesso ao público, as tabelas de emolumentos em vigor;

VIII - observar os emolumentos fixados para a prática dos atos do seu ofício;

IX - dar recibo dos emolumentos percebidos;

X - observar os prazos legais fixados para a prática dos atos do seu ofício;

XI - fiscalizar o recolhimento dos impostos incidentes sobre os atos que devem praticar;

XII - facilitar, por todos os meios, o acesso à documentação existente às pessoas legalmente
habilitadas;

XIII - encaminhar ao juízo competente as dúvidas levantadas pelos interessados, obedecida a


sistemática processual fixada pela legislação respectiva;

XIV - observar as normas técnicas estabelecidas pelo juízo competente.

As Normas técnicas da Corregedoria de Justiça do Estado do Pará, conforme Provimento Conjunto


02\2019-CJRMB-CJCI, disciplinam:

Art. 1.200. São infrações administrativas que sujeitam os tabeliães e oficiais de registro às penalidades
previstas neste Código.
I - a inobservância das prescrições legais ou normativas;
II - a conduta atentatória às instituições notariais e de registro;
III - a cobrança indevida ou excessiva de emolumentos, ainda que sob a alegação de urgência;
37
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

IV - a violação do sigilo profissional;


V - o descumprimento de quaisquer dos deveres descritos no art. 30 da Lei nº 8.935/1994;
VI - fraudes e inclusões de dados inexistentes, em assentos, traslados e certidões. (NR);
VII - o descumprimento de qualquer dos artigos deste Código.

Art. 165. A Taxa de Fiscalização instituída pelo art. 3º, inciso XV, da Lei Complementar nº 21, de 28.02.94,
e alterações posteriores, deverá ser recolhida mensalmente, até o dia cinco (05) do mês subsequente,
mediante boleto bancário fornecido pelo Sistema Integrado de Arrecadação Extrajudicial ¿ Cartório
Extrajudicial, no site do Tribunal de Justiça do Estado em favor do Fundo de Reaparelhamento do Ju-
diciário ¿ FRJ.
Parágrafo único. As serventias não informatizadas também deverão observar o prazo previsto no caput
deste artigo, podendo, para evitar o pagamento de multas e demais encargos moratórios devidos ao
Fundo de Reaparelhamento do Poder Judiciário, formalizar, com a antecedência cabível, a solicitação
referida no § 2º do art. 164 deste Código.

Art. 167. Os responsáveis pelo recolhimento da Taxa de Fiscalização enviarão, até o dia cinco (05) de ca-
da mês, à Coordenação Geral de Arrecadação o Boletim de Emolumentos, através de meio eletrônico
de transmissão de dados ou do modelo anexo ao Provimento nº 003/2008, desta última forma somen-
te até o lote de fevereiro de 2016

Decorre dos normativos de regência que é obrigação do oficial proceder ao recolhimento do FRJ e FRC,
dentro pro prazo estabelecido, de sorte que não o fazendo, incorre em inobservância de dever funcional
passível de penalidade.

Depreende-se dos autos que os selos indicados em relatório gerado pelo órgão de fiscalização
ultrapassam os 9000 selos.

A defesa do processado sustentou ausência de responsabilidade com fundamento em dois eixos: seu
afastamento do serviço em função do exercício de cargo eletivo de vice-prefeito de Maracanã e o efetivo
pagamento dos valores devidos pelos selos conforme documentos que junta aos autos.

Quanto a primeira escusa de responsabilidade, observa-se que de fato o oficial titular exerceu cargo
político de vice-prefeito do município de Maracanã, no período de janeiro de 2009 a dezembro de 2012 (1º
mandato) e no período de janeiro de 2013 a dezembro de 2016.

Ocorre que a quando do primeiro mandato, conforme consta das informações disponíveis do acervo desta
Corregedoria Geral de Justiça, o Titular do ofício procedeu adequadamente, apresentando seu pedido de
afastamento à Presidência do Tribunal de Justiça que, considerando o impedimento, deferiu o pedido
designando para responder interinamente a então oficial substituta mais antiga, conforme portaria n.
2843/2009-GP, sendo pois promovidas todas as medidas e anotações pertinentes ao controle e
fiscalização pelos órgãos competentes.

Eis que a decisão da Presidência (fls. 4, id. 616224) fez constar expressa delimitação do período de
afastamento informado:

"DEFIRO o pedido de afastamento do cargo de titular do Cartório do Único Ofício da Comarca de


Maracanã, Fernando Nazaré Alves Ferreira, pelo período de quatro (04) anos - 01.01.2009 à 31.12.2012,
para exercício do cargo de Vice-Prefeito daquele Município, em razão de sua eleição 05.12.2008, bem
como acato a indicação da Senhora Ana Lúcia Dias Ferreira, a mais antiga na serventia, conforme
declaração prestada pelo titular, para responder interinamente pelos serviços, durante o impedimento do
delegatário".
(decisão deferimento do afastamento, Pedido de Providências n. 2009001001204)

Destarte, em que pese o oficial ter promovido a devida comunicação de impedimento, com pedido de
afastamento para o período do 1º mandato eletivo, conforme consta dos assentos da corregedoria, em
especial do PP.n. 2009001001204, no que concerne ao segundo mandato - iniciado em 1º.01.2013 e
38
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

extinto em 12.2016, não procedeu com o mesmo zelo, antes deixou de indicar qualquer noticia a respeito,
de sorte que a administração, permaneceu sem a correta indicação dos modos pelos quais o serviço
restava sendo prestado.

Assim, não promovendo as devidas comunicações e pedido de afastamento do exercício da delegação,


para fins de fiscalização, em especial de, responsabilidade pelos recolhimentos devidos, permaneceu
vinculado ao serviço, de sorte que não se cogita da ausência de responsabilidade, em especial pela
prestação de contas do período em que silente sobre fatos de extrema relevância para a atividade fiscal
correspondente.

No que tange ao argumento segundo o qual não lhe são inexigíveis os valores em função do efetivo
pagamento, verifica-se que não subsiste, uma vez que, havendo a Divisão de Arrecadação Extrajudicial
constatado o transcurso do prazo para recolhimento, declarando a existência de débito, constitui-se ônus
do oficial demonstrar que o débito fora quitado, ponto em que não logrou êxito, considerando que os
documentos juntados não possuem dados suficientes a correlacionar os valores pagos com os valores
devidos.

O prazo transcorreu sem que o oficial tenha efetivado o recolhimento e sem qualquer resposta que viesse
justificar a inconsistência.

Não houve remessa de comprovantes de pagamento.

Não configurada aptidão às escusas apresentadas, os deveres funcionais em análise restam violados, em
especial pela ausência de repasses de valores de caráter tributário e cujo pagamentos compõem os
emolumentos efetivamente pagos pelos usuários do serviço.

Assim, deixando de observar o disposto nos arts.165 e 167 do CNSNR/TJPA, inobservou os prazos para
recolhimento das taxas não apenas em meses, mais em anos, mitigando indevidamente o que dispõe,
ainda o art. 22. X do mesmo código.
Desse forma, a instrução demonstrou que não havendo o titular promovido as comunicações e pedido de
afastamento pertinente, restou vinculado às responsabilidades fiscais concernentes ao período
compreendido entre 10/2008 a 12/2008 e 01/2013 a 08/2016.

Ademais, não efetivados os recolhimentos obrigatórios no prazo, a despeito das notificações efetivadas
regularmente pelo órgão técnico fiscalizador, o oficial não procedeu ao pagamento nem após a
instauração do PAD, restando pois configurada a falta disciplinar, uma vez que deixou de recolher os
valores devidos, no prazo, sem responder à notificação de pendência da SEPLAN.

O grau de lesividade é intermediário, uma vez que não implica em prejuízo direto de um determinado
usuário, mas afeta o interesse público, com prejuízos ao efetivo potencial dos serviços sustentados pelo
FRJ e FRC, além de dificultar a atividade do órgão de atribuição fiscalizatória.

Ausentes causas agravantes e atenuantes.

Incurso, assim, o oficial na conduta descrita no art. 30, X, XI da Lei. 8.935\94 e art.1200, I, V e VII do
Código de Normas do Estado do Pará, razão porque acolho em parte o Relatório Final da Comissão
Processante, aplicando a pena de suspensão por 60 dias, por ser suficiente no contexto dos fatos
apurados no presente PAD, observada a gradação pertinente e a inexistência de antecedentes.

Ainda, considerando a absoluta obrigatoriedade de que sejam efetivados os recolhimentos dos valores
devidos aos cofres públicos, determino que o oficial efetive os pagamentos em 30 dias.

Durante o período de suspensão do Oficial Titular, caracterizado como impedimento temporário,


automaticamente autorizado o substituto mais antigo para responder pelo serviço, nos termos do que
dispõe o art. 20, §5 da Lei 8.935/94.
39
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

No mais, durante o período de suspensão, o substituto responsável pelo serviço, perceberá, a titulo de
remuneração, após pagamento das despesas do cartório, rendimento total de até 90,25% dos ministros do
STF.

Publique-se e intime-se.

Notifique-se o Juiz de Registros Públicos da Comarca.

Após, encaminhe-se os documentos necessários à SEPLAN.

Com os correspondentes assentamentos na pasta funcional, ARQUIVE-SE.

Sirva a presente decisão como ofício.

À Secretaria para as providências pertinentes.

Belém, data da assinatura eletrônica.

ROSILEIDE MARIA DA COSTA CUNHA Corregedora Geral de Justiça

PROCESSO Nº 0002815-11.2022.2.00.0814

PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS

REQUERENTE: MARIA JOSÉ BARBOSA GOMES

JOAQUIM HOLANDA CRUZ- OAB-CE 27.145

REQUERIDO: JUÍZO DE DIREITO DA 2a VARA DE FAMÍLIA DA COMARCA DE ANANINDEUA


EMENTA: PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS. DESARQUIVAMENTO DE PROCESSO. PROVIDÊNCIA
SATISFEITA. ARQUIVAMENTO.
DECISÃO : Cuida-se de expediente formulado por MARIA JOSÉ BARBOSA GOMES, por meio do qual
reclama providência junto ao SETOR SOCIAL DA COMARCA DE ANANINDEUA, referente ao processo nº
0804873-59.2022.8.14.0006, que tramita perante a 2a VARA DE FAMÍLIA DA COMARCA DE
ANANINDEUA. Relata que por decisão do Juízo do feito os autos foram encaminhados ao Setor Social
para a realização de estudo social, em virtude da gravidade do caso que envolve maus tratos e abandono
de menores. Ocorre, porém, que os autos se encontram paralisados naquele setor desde o dia
27/04/2022, apesar da urgência que o caso requer. Instado a se manifestar, o Setor Social, através
Analista Judiciária ¿ Assistente Social Greice da C. Vasconcelos, em Id 1902948, informou ¿que os
procedimentos referentes ao estudo social, em relação ao referido processo, já foram iniciados e estão em
fase de finalização, destacando-se que já foram realizados os seguintes: análise processual, solicitações
de comparecimento, entrevistas com o requerido e com os adolescentes envolvidos, mas ainda não foram
concluídas todas as intervenções necessárias à análise do caso, restando para uma melhor
fundamentação da avaliação técnica a realização de visitas domiciliares e institucionais (junto às escolas
dos adolescentes). Nesse sentido, esclarece que os demais procedimentos técnicos já estão sendo
providenciados, para encaminhar com a maior brevidade possível o relatório solicitado.¿ De outra banda,
justifica a delonga do processo no Setor Multidisciplinar em virtude de suspensão de expediente
presencial, o que gerou uma demanda intensa represada e atual para a realização de estudos sociais e
avaliações psicológicas, no entanto, alega que vem envidando esforços para normalizar a rotina de
40
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

atenção aos prazos processuais, zelando pela qualidade dos serviços prestados aos jurisdicionados. É o
Relatório. DECIDO. Analisando os fatos apresentados pelo requerente, percebe-se que a sua real
intenção é a finalização do estudo social para que o Processo nº 0804873-59.2022.8.14.0006 siga o seu
fluxo regular. Ocorre que, consoante às informações prestadas pelo Juízo requerido, observo que a
providência reclamada se encontra em vias de ser satisfeita, uma vez que os estudo social determinado
está em fase de finalização. Diante do exposto, considerando não haver a princípio qualquer outra medida
a ser tomada por este Órgão Correcional, DETERMINO o ARQUIVAMENTO do Pedido de Providências,
com fulcro no art. 9º, § 2º da Resolução nº 135 do Conselho Nacional de Justiça, antes, porém,
RECOMENDO ao Setor Social da Comarca de Ananindeua para que continue envidando esforços no
sentido de concluir os procedimentos técnicos que estão faltando o mais breve possível, encaminhando o
relatório conclusivo ao Juízo do feito, a fim de que a prestação jurisdicional alcance seu objetivo,
observando sempre o princípio constitucional da razoável duração do processo, disposto no Art. 5º,
LXXVIII, da Constituição Federal. Dê-se ciência às partes. Utilize-se cópia do presente como ofício. À
Secretaria para os devidos fins. Belém, 06 de setembro de 2022. Desembargadora ROSILEIDE MARIA
DA COSTA CUNHA Corregedora-Geral de Justiça
41
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

COORDENADORIA DOS PRECATÓRIOS

Número do processo: 0812641-88.2021.8.14.0000 Participação: REQUERENTE Nome: A. D. M. P. P.


Participação: ADVOGADO Nome: ALBERTO DE MORAES PAPALEO PAES OAB: 14858/PA
Participação: REQUERIDO Nome: E. D. P.

Em cumprimento ao que dispõe o art.100 da Constituição quanto ao regime de pagamento de precatórios


sob estrita ordem cronológica de apresentação, aliado ao prescrito nas Emendas Constitucionais – EC nº
94/2016, nº 99/2017, nº 109 nº 113 e nº 114/2021, intimem-se:

(1) as partes - credor e/ou beneficiário e ente devedor - para, no prazo comum de 08 (oito) dias, se
manifestarem sobre os cálculos ID10995691;

(2) o credor e/ou beneficiário para, no prazo acima referido, apresentar documentos pessoais (RG e CPF
ou CNPJ) e seus dados bancários para depósito do crédito, devendo informar, também, se autoriza a
dedução do montante das custas de expedição de alvará eletrônico ou se prefere pagá-las por conta
própria.

Transcorrido o prazo,- retornem os autos conclusos.

Intime-se. Cumpra-se.

Belém-PA, 12 de setembro de 2022.

CHARLES MENEZES BARROS

Juiz Auxiliar da Presidência TJPA, designado para a

Coordenadoria de Precatórios (Portaria nº 291/2022-GP)

Número do processo: 0813260-18.2021.8.14.0000 Participação: REQUERENTE Nome: G. M. N.


Participação: PROCURADOR Nome: SEBASTIANA APARECIDA SERPA SOUZA SAMPAIO OAB:
7035/PA Participação: REQUERIDO Nome: E. D. P.

Em cumprimento ao que dispõe o art.100 da Constituição quanto ao regime de pagamento de precatórios


sob estrita ordem cronológica de apresentação, aliado ao prescrito nas Emendas Constitucionais – EC nº
94/2016, nº 99/2017, nº 109 nº 113 e nº 114/2021, intimem-se:

(1) as partes - credor e/ou beneficiário e ente devedor - para, no prazo comum de 08 (oito) dias, se
manifestarem sobre os cálculos ID 10995686 ;

(2) o credor e/ou beneficiário para, no prazo acima referido, apresentar documentos pessoais (RG e CPF
ou CNPJ) e seus dados bancários para depósito do crédito, devendo informar, também, se autoriza a
dedução do montante das custas de expedição de alvará eletrônico ou se prefere pagá-las por conta
própria.

Transcorrido o prazo,- retornem os autos conclusos.

Intime-se. Cumpra-se.
42
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Belém-PA, 12 de setembro de 2022.

CHARLES MENEZES BARROS

Juiz Auxiliar da Presidência TJPA, designado para a

Coordenadoria de Precatórios (Portaria nº 291/2022-GP)


43
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

UNIDADE DE PROCESSAMENTO JUDICIAL DAS TURMAS DE DIREITO PÚBLICO E PRIVADO- UPJ

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARÁ

1ª Turma de Direito Público

Aos doze dias do mês de setembro de dois mil e vinte e dois, às 09h35min, havendo quórum legal,
cumprimentando a todos, a Desembargadora Ezilda Pastana Mutran, Presidente da Sessão, declarou
aberta a 30ª Sessão Ordinária por Videoconferência; colocou para aprovação a ata e resenha da sessão
anterior, que no silêncio foi aprovada; facultada a palavra, a Presidente elevou os pensamentos a Deus,
pedindo a proteção para que cuide de cada um de nós e que todos tenhamos uma semana abençoada.
Deu ciência que, em razão da ausência justificada da Desembargadora Rosileide Cunha, o feito de sua
relatoria pautado, fica adiado para a próxima sessão e, não havendo quem mais quisesse fazer uso da
palavra, deu-se início à sessão.

Processo Julgado

: 002

: 0805446-52.2021.8.14.0000

: AGRAVO DE INSTRUMENTO

: Desembargadora MARIA ELVINA GEMAQUE TAVEIRA

: DEVA VEICULOS LTDA e outros (3)

: PAULO HONORIO DE CASTRO JUNIOR e outros

: SUBSECRETÁRIO DA SUBSECRETARIA DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DA SECRETARIA DA


FAZENDA DO ESTADO DO PARÁ e outros (1)

: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ

: Desembargadora MARIA ELVINA GEMAQUE TAVEIRA

Decisão: A Turma Julgadora, à unanimidade de votos, conhece do recurso para negar provimento, tendo o
Desembargador Roberto Moura, vistor, convergido aos termos do voto da Eminente Relatora. O
Julgamento foi presidido pela Exma. Desembargadora Ezilda Mutran.

Turma Julgadora: EZILDA PASTANA MUTRAN, MARIA ELVINA GEMAQUE TAVEIRA e ROBERTO
GONCALVES DE MOURA

Processo Adiado

: 001

: 0801742-31.2021.8.14.0000
44
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

: AGRAVO DE INSTRUMENTO

: Desembargadora ROSILEIDE MARIA DA COSTA CUNHA

: AVX COMPONENTES DA AMAZONIA LTDA

: MONICA MENDONCA COSTA

: MUNICIPIO DE ULIANOPOLIS

: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ

Decisão: Adiado para a próxima sessão ordinária em razão da ausência justificada da Exma Desa.
Relatora.

E como, nada mais houvesse, foi encerrada a Sessão às 09h44min, sendo julgado um processo e um
adiado, lavrando eu, Eliane Vitória Amador Quaresma, Secretária da 1ª Turma de Direito Público, a
presente Ata, que subscrevi.

Desembargadora EZILDA PASTANA MUTRAN.

Presidente

UNIDADE DE PROCESSAMENTO JUDICIAL DAS TURMAS DE


DIREITO PÚBLICO E PRIVADO

NÚCLEO DE SESSÃO DE JULGAMENTO

2ª TURMA DE DIREITO PRIVADO

ATA DE JULGAMENTO

ATA DA 31ª Sessão Ordinária de 2022 da 2ª Turma de Direito PRIVADO, realizada por meio da
ferramenta plenário virtual, sistEma pje, com início às 14h Do dia 30 DE AGOSTO de 2022 e término
06 DE SETEMBRO de 2022, sob a presidência DO exmO. sr. des. RICARDO FEREIRA NUNES.

Procurador(a) de Justiça: LEILA MARIA MARQUES DE MORAES

PROCESSOS ELETRÔNICOS:

ORDEM 001

PROCESSO 0801102-62.2020.8.14.0000

CLASSE JUDICIAL AGRAVO DE INSTRUMENTO

ASSUNTO PRINCIPAL LIMINAR


45
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

RELATOR(A) DESEMBARGADOR RICARDO FERREIRA NUNES

POLO ATIVO

AGRAVANTE BANCO DA AMAZONIA SA [BASA DIRECAO GERAL]

ADVOGADO RENATO REBELO BARRETO - (OAB PA22119-A)

ADVOGADO FRANCISCO EDSON LOPES DA ROCHA JUNIOR - (OAB PA6861-A)

PROCURADORIA BANCO DA AMAZÔNIA S.A

POLO PASSIVO

AGRAVADO PESCA ENGENHARIA LTDA - ME

ADVOGADO ENIO PAZIN - (OAB PA23885-A)

Voto: Dou provimento ao recurso

Turma Julgadora: Des. Ricardo Ferreira Nunes, Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa.
Gleide Pereira de Moura

ORDEM 002

PROCESSO 0809998-26.2022.8.14.0000

CLASSE JUDICIAL AGRAVO INTERNO EM AGRAVO DE INSTRUMENTO

ASSUNTO PRINCIPAL ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

AGRAVANTE ADMINISTRADORA DE CONSORCIO NACIONAL HONDA LTDA

ADVOGADO AMANDIO FERREIRA TERESO JUNIOR - (OAB PA16837-A)

POLO PASSIVO

AGRAVADO ELAINE MOURA DOS SANTOS

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa. Gleide Pereira de Moura, Des.
Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes

ORDEM 003

PROCESSO 0809149-54.2022.8.14.0000
46
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

CLASSE JUDICIAL AGRAVO INTERNO EM AGRAVO DE INSTRUMENTO

ASSUNTO PRINCIPAL ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

AGRAVANTE ESPERANÇA SANTIAGO ARARIBOIA

ADVOGADO GABRIEL MOTA DE CARVALHO - (OAB PA23473-A)

POLO PASSIVO

AGRAVADO BANCO ITAUCARD S.A.

ADVOGADO CLAUDIO KAZUYOSHI KAWASAKI - (OAB PA18335-A)

PROCURADORIA BANCO ITAUCARD S/A

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa. Gleide Pereira de Moura, Des.
Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes

ORDEM 004

PROCESSO 0801253-91.2021.8.14.0000

CLASSE JUDICIAL EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM AGRAVO DE INSTRUMENTO

ASSUNTO PRINCIPAL FAMÍLIA

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

EMBARGADO/AGRAVANTE AMERICO TAVARES DA SILVA

ADVOGADO KATHIANE DA SILVA ALBUQUERQUE - (OAB PA20721-A)

ADVOGADO MARLUCE MARTINS DA SILVA - (OAB PA24633-A)

ADVOGADO ZENILDO SANTOS DE CARVALHO - (OAB PA26760-A)

POLO PASSIVO

EMBARGANTE/AGRAVADO MILENA BARBOSA DA SILVA

ADVOGADO JOSE BRUNO MODESTO ALVES DE SOUSA - (OAB PA29268-A)

OUTROS INTERESSADOS
47
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

AUTORIDADE MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ

PROCURADOR MARIZA MACHADO DA SILVA LIMA

PROCURADORIA MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa. Gleide Pereira de Moura, Des.
Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes

ORDEM 005

PROCESSO 0812379-41.2021.8.14.0000

CLASSE JUDICIAL AGRAVO DE INSTRUMENTO

ASSUNTO PRINCIPAL PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

AGRAVANTE UNIMED DE BELÉM COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO

ADVOGADO DIOGO DE AZEVEDO TRINDADE - (OAB PA11270-A)

POLO PASSIVO

AGRAVADO CASSIA MELINA FERREIRA COSTA

ADVOGADO BRENDA GISELE LOPES PEREIRA - (OAB PA012928)

ADVOGADO PAULO DAVID PEREIRA MERABET - (OAB PA12211-A)

OUTROS INTERESSADOS

AUTORIDADE MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ

PROCURADOR MARIO NONATO FALANGOLA

PROCURADORIA MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DO PARA

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa. Gleide Pereira de Moura, José
Torquato Araújo de Alencar

ORDEM 006

PROCESSO 0805379-53.2022.8.14.0000
48
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

CLASSE JUDICIAL AGRAVO DE INSTRUMENTO

ASSUNTO PRINCIPAL EXONERAÇÃO

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

AGRAVANTE ADRIEL REIS FARIAS

ADVOGADO PAMELA ALENCAR DE MORAES - (OAB PA18139-A)

ADVOGADO EDUARDO SOUSA DA SILVA - (OAB PA21742)

POLO PASSIVO

AGRAVADO ANTONIA MARCIA DOS SANTOS RIBEIRO FARIAS

DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ

OUTROS INTERESSADOS

AUTORIDADE MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ

PROCURADOR LEILA MARIA MARQUES DE MORAES

PROCURADORIA MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DO PARA

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa. Gleide Pereira de Moura, Des.
Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes

ORDEM 007

PROCESSO 0008195-51.2016.8.14.0000

CLASSE JUDICIAL AGRAVO DE INSTRUMENTO

ASSUNTO PRINCIPAL OBRIGAÇÃO DE FAZER / NÃO FAZER

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

REPRESENTANTE EQUATORIAL PARA DISTRIBUIDORA DE ENERGIA S.A

PROCURADORIA EQUATORIAL PARÁ DISTRIBUIDORA DE ENERGIA S.A

POLO PASSIVO

AUTORIDADE TERRA INDUSTRIAL S/A


49
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

ADVOGADO ANDRE LUIZ DOS REIS FERNANDES - (OAB PA11640-A)

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa. Gleide Pereira de Moura, Jose
Torquato Araújo de Alencar

ORDEM 008

PROCESSO 0808192-24.2020.8.14.0000

CLASSE JUDICIAL AGRAVO INTERNO EM AGRAVO DE INSTRUMENTO

ASSUNTO PRINCIPAL CORREÇÃO MONETÁRIA

RELATOR(A) DESEMBARGADORA GLEIDE PEREIRA DE MOURA

POLO ATIVO

AGRAVANTE LIBERALINO RIBEIRO DE ALMEIDA NETO

ADVOGADO ROBERTA CRISTINA DOS SANTOS FAGUNDES - (OAB PA31082-A)

ADVOGADO MANUEL CARLOS GARCIA GONCALVES - (OAB PA6492-A)

POLO PASSIVO

AGRAVADO ROSANGELA NUNES GALVAO

ADVOGADO KAREN LORRANE SILVA ROMANNI - (OAB MG183921)

ADVOGADO KAREM LORRANE LUZ DA SILVA - (OAB PA24886-A)

ADVOGADO ROBERTA CRISTINA DOS SANTOS FAGUNDES - (OAB PA31082-A)

ADVOGADO FLAVIA DA SILVA COSTA - (OAB PA28332-A)

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Gleide Pereira de Moura, Des. Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes, Jose
Torquato Araújo de Alencar

ORDEM 009

PROCESSO 0806518-79.2018.8.14.0000

CLASSE JUDICIAL AGRAVO INTERNO EM AGRAVO DE INSTRUMENTO

ASSUNTO PRINCIPAL ANTECIPAÇÃO DE TUTELA / TUTELA ESPECÍFICA

RELATOR(A) DESEMBARGADORA GLEIDE PEREIRA DE MOURA


50
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

POLO ATIVO

AGRAVANTE FUNERARIA INAPAX LTDA - ME

ADVOGADO LAIS ALBUQUERQUE GALVAO - (OAB PA018822)

ADVOGADO WILSON SAMPAIO PORTELA JUNIOR - (OAB PA016377)

ADVOGADO CRISTIANE ELLEN DIAS DE FIGUEIREDO - (OAB PA24816)

POLO PASSIVO

AGRAVADO CLÍNICA PAIF SERVICOS LTDA - ME

ADVOGADO LUIZ CARLOS DOS ANJOS CEREJA - (OAB PA6977-A)

Processo Retirado de Pauta.

ORDEM 010

PROCESSO 0811278-66.2021.8.14.0000

CLASSE JUDICIAL AGRAVO INTERNO EM AGRAVO DE INSTRUMENTO

ASSUNTO PRINCIPAL AGÊNCIA E DISTRIBUIÇÃO

RELATOR(A) DESEMBARGADORA GLEIDE PEREIRA DE MOURA

POLO ATIVO

AGRAVANTE COOPERATIVA HABITACIONAL DE BELEM

ADVOGADO GLAUCIA MELO MOURA - (OAB PA31527-A)

ADVOGADO NELSON FRANCISCO MARZULLO MAIA - (OAB PA7440-A)

ADVOGADO LEONY RIBEIRO DA SILVA - (OAB PA20740)

ADVOGADO IAN PIMENTEL GAMEIRO - (OAB PA19603-A)

ADVOGADO PAULO SERGIO DE SOUZA BORGES FILHO - (OAB PA19691-A)

POLO PASSIVO

AGRAVADO KATIA CILENE DA SILVA

AGRAVADO ARLENE COSTA DA CONCEICAO BARBOSA

AGRAVADO JOSE LEONIDAS SEGTOWICH ANDRADE

AGRAVADO ALCIDEA SUELY SALDANHA DE SOUZA


51
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

AGRAVADO EVALDO FERREIRA RODRIGUES

AGRAVADO TEREZINHA ALVES PACHECO

AGRAVADO GILBERTO MIRANDA DA SILVA

AGRAVADO EVALDO CELIO RABELO DA TRINDADE

ADVOGADO LEONY RIBEIRO DA SILVA - (OAB PA20740)

ADVOGADO IAN PIMENTEL GAMEIRO - (OAB PA19603-A)

ADVOGADO PAULO SERGIO DE SOUZA BORGES FILHO - (OAB PA19691-A)

OUTROS INTERESSADOS

TERCEIRO INTERESSADO ELIZABETH GOMES SOUZA

TERCEIRO INTERESSADO KATIA DO SOCORRO DA CUNHA MOURAO DE ALMEIDA

ADVOGADO ROBERTA KAROLINNY RODRIGUES ALVARES - (OAB PA26744-A)

ADVOGADO DANIEL LIMA DE ARAUJO - (OAB PA32316)

ADVOGADO ROBERTO DA SILVA ALVARES FILHO - (OAB PA32946)

Processo Retirado de Pauta.

ORDEM 011

PROCESSO 0802822-93.2022.8.14.0000

CLASSE JUDICIAL AGRAVO DE INSTRUMENTO

ASSUNTO PRINCIPAL BENFEITORIAS

RELATOR(A) DESEMBARGADORA GLEIDE PEREIRA DE MOURA

POLO ATIVO

AGRAVANTE N T MAGAZINE LTDA

AGRAVANTE NAGIB TUMA

AGRAVANTE JOSE ROBERTO TUMA NICOLAU

AGRAVANTE ANA MARIA DE ALMEIDA TUMA

ADVOGADO FRANCISCO POMPEU BRASIL FILHO - (OAB PA4433-A)

POLO PASSIVO
52
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

AGRAVADO FACULDADES INTEGRADAS BRASIL AMAZONIA S/S LTDA

ADVOGADO CORACY MARIA MARTINS DE ALMEIDA LINS - (OAB PA656-A)

ADVOGADO AFONSO ARINOS DE ALMEIDA LINS FILHO - (OAB PA6467-A)

Processo Retirado de Pauta.

ORDEM 012

PROCESSO 0800855-18.2019.8.14.0000

CLASSE JUDICIAL AGRAVO DE INSTRUMENTO

ASSUNTO PRINCIPAL INVENTÁRIO E PARTILHA

RELATOR(A) DESEMBARGADORA GLEIDE PEREIRA DE MOURA

POLO ATIVO

AGRAVANTE LUIZ GONZAGA DA SILVA

ADVOGADO KLEBSON TINOCO ARAUJO - (OAB PA9666-A)

POLO PASSIVO

AGRAVADO MARIA SUELY MATIAS PALHETA

PROCURADOR CRISTIANA PINHO MARTINS

ADVOGADO CRISTIANA PINHO MARTINS - (OAB PA9328-A)

Voto: Dou parcial provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Gleide Pereira de Moura, Des. Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes, Jose
Torquato Araújo de Alencar

ORDEM 013

PROCESSO 0000376-19.2011.8.14.0039

CLASSE JUDICIAL AGRAVO INTERNO EM APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL PRESCRIÇÃO E DECADÊNCIA

RELATOR(A) DESEMBARGADORA GLEIDE PEREIRA DE MOURA

POLO ATIVO

APELANTE BANCO DA AMAZÔNIA SA

ADVOGADO EDISON ANDRE GOMES RODRIGUES - (OAB PA16619-A)


53
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

ADVOGADO SAMUEL NYSTRON DE ALMEIDA BRITO - (OAB PA7535-A)

POLO PASSIVO

APELADO U GUAZU AGROPECUARIA SA

APELADO ALFREDO MANOEL FERNANDES FILHO

APELADO MARIA MARJORIE MENEZES KFHOURY FERNANDES

APELADO ALFREDO MANOEL FERNANDES

APELADO FAZENDA MIRONGA S/A

ADVOGADO JADER BENEDITO DA PAIXAO RIBEIRO - (OAB PA11216-A)

Processo Retirado de Pauta.

ORDEM 014

PROCESSO 0024840-92.2014.8.14.0301

CLASSE JUDICIAL EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL INTERPRETAÇÃO / REVISÃO DE CONTRATO

RELATOR(A) DESEMBARGADOR RICARDO FERREIRA NUNES

POLO ATIVO

APELANTE JEANCLAIR TEIXEIRA RODRIGUES CASTANHEIRA

ADVOGADO DOMINIQUE DE NAZARE DOS SANTOS SILVA - (OAB PA19813-A)

APELANTE PROJETO IMOBILIARIO SPE 46 LTDA.

ADVOGADO JORGE LUIZ FREITAS MARECO JUNIOR - (OAB PA18726-A)

ADVOGADO GABRIELLA DINELLY RABELO MARECO - (OAB PA14943-A)

ADVOGADO LENON WALLACE IZURU DA CONCEICAO YAMADA - (OAB PA14618-A)

ADVOGADO CARLOS ALBERTO CAMARA DE SOUZA JUNIOR - (OAB PA908-A)

PROCURADORIA VIVER INCORPORADORA E CONSTRUTORA S.A.

APELANTE ZAPPI CONSTRUCOES E EMPREENDIMENTOS IMOBILIARIOS LTDA - ME

ADVOGADO JORGE LUIZ FREITAS MARECO JUNIOR - (OAB PA18726-A)

ADVOGADO GABRIELLA DINELLY RABELO MARECO - (OAB PA14943-A)


54
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

ADVOGADO LENON WALLACE IZURU DA CONCEIÇÃO YAMADA - (OAB PA14618-A)

ADVOGADO CARLOS ALBERTO CAMARA DE SOUZA JUNIOR - (OAB PA908-A)

POLO PASSIVO

APELADO PROJETO IMOBILIARIO SPE 46 LTDA.

ADVOGADO FERNANDO MOREIRA DRUMMOND TEIXEIRA (OAB MG108112-A)

ADVOGADO JORGE LUIZ FREITAS MARECO JUNIOR - (OAB PA18726-A)

ADVOGADO GABRIELLA DINELLY RABELO MARECO - (OAB PA14943-A)

ADVOGADO LENON WALLACE IZURU DA CONCEICAO YAMADA - (OAB PA14618-A)

ADVOGADO CARLOS ALBERTO CAMARA DE SOUZA JUNIOR - (OAB PA908-A)

PROCURADORIA VIVER INCORPORADORA E CONSTRUTORA S.A.

APELADO ZAPPI CONSTRUCOES E EMPREENDIMENTOS IMOBILIARIOS LTDA - ME

ADVOGADO FERNANDO MOREIRA DRUMMOND TEIXEIRA (OAB MG108112-A)

ADVOGADO JORGE LUIZ FREITAS MARECO JUNIOR - (OAB PA18726-A)

ADVOGADO GABRIELLA DINELLY RABELO MARECO - (OAB PA14943-A)

ADVOGADO LENON WALLACE IZURU DA CONCEICAO YAMADA - (OAB PA14618-A)

ADVOGADO CARLOS ALBERTO CAMARA DE SOUZA JUNIOR - (OAB PA908-A)

APELADO JEANCLAIR TEIXEIRA RODRIGUES CASTANHEIRA

ADVOGADO DOMINIQUE DE NAZARE DOS SANTOS SILVA - (OAB PA19813-A)

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Des. Ricardo Ferreira Nunes, Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa.
Gleide Pereira de Moura

ORDEM 015

PROCESSO 0001547-86.2019.8.14.0085

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL EMPRÉSTIMO CONSIGNADO

RELATOR(A) DESEMBARGADOR RICARDO FERREIRA NUNES

POLO ATIVO
55
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

APELANTE VICENTINA MARINHO DA MOTA

ADVOGADO OCTAVIO CASCAES DOURADO JUNIOR - (OAB PA649-A)

ADVOGADO JOÃO DANIEL MACEDO SA - (OAB PA12989-A)

ADVOGADO FERNANDO AUGUSTO STIVAL MENDES DA ROCHA LOPES DA SILVA - (OAB PA26132-
A)

POLO PASSIVO

APELADO BANCO ITAU BMG CONSIGNADO S.A.

ADVOGADO LARISSA SENTO SE ROSSI - (OAB PA31830-A)

PROCURADORIA ITAÚ UNIBANCO S.A.

REPRESENTANTE ITAU UNIBANCO S.A.

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Des. Ricardo Ferreira Nunes, Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa.
Gleide Pereira de Moura

ORDEM 016

PROCESSO 0010428-23.2018.8.14.5150

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL RESPONSABILIDADE CIVIL

RELATOR(A) DESEMBARGADOR RICARDO FERREIRA NUNES

POLO ATIVO

APELANTE PEDRO PAULO GILEB DOS PRAZERES

DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ

POLO PASSIVO

APELADO INGLYD WANESSA FONSECA BARRA

DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ

OUTROS INTERESSADOS

AUTORIDADE MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DO PARÁ

PROCURADOR MARIA DA CONCEIÇÃO DE MATTOS SOUSA


56
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

PROCURADORIA MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DO PARÁ

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Des. Ricardo Ferreira Nunes, Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa.
Gleide Pereira de Moura

ORDEM 017

PROCESSO 0011164-80.2016.8.14.0051

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL ACIDENTE DE TRÂNSITO

RELATOR(A) DESEMBARGADOR RICARDO FERREIRA NUNES

POLO ATIVO

APELANTE JOSÉ GILIARD DA SILVA BARROS

APELANTE JOSÉ LIRA BARROS

ADVOGADO IRACEMA DA PAIXÃO MARQUES COHEN - (OAB PA3363-A)

POLO PASSIVO

APELADO JOAQUIM LUCIANO MOTA LOPES

ADVOGADO ALINE NEVES HOYOS - (OAB PA15712-A)

Voto: Dou provimento ao recurso

Turma Julgadora: Des. Ricardo Ferreira Nunes, Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa.
Gleide Pereira de Moura

ORDEM 018

PROCESSO 0802957-72.2019.8.14.0045

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL SEGURO

RELATOR(A) DESEMBARGADOR RICARDO FERREIRA NUNES

POLO ATIVO

APELANTE ELZA HELENA DE MORAIS REIS

ADVOGADO WDSON OLIVEIRA DE SOUZA RODRIGUES - (OAB PA27514-A)


57
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

ADVOGADO ILYLLIAN SILVA DA CRUZ - (OAB PA28265-A)

ADVOGADO LUIZ FERNANDO OLIVEIRA DO NASCIMENTO - (OAB PA28648-A)

POLO PASSIVO

APELADO SEGURADORA LIDER DOS CONSORCIOS DO SEGURO DPVAT S.A.

ADVOGADO ROBERTA MENEZES COELHO DE SOUZA - (OAB RJ118125-A)

PROCURADORIA SEGURADORA LÍDER DO CONSÓRCIO DO SEGURO DPVAT S.A.

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Des. Ricardo Ferreira Nunes, Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa.
Gleide Pereira de Moura

ORDEM 019

PROCESSO 0052508-38.2014.8.14.0301

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL DISSOLUÇÃO

RELATOR(A) DESEMBARGADOR RICARDO FERREIRA NUNES

POLO ATIVO

APELANTE RAIMUNDO RUFINO DE SOUSA

DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ

POLO PASSIVO

APELADO MARGARETH ROSA PAIXAO DE SOUZA

DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Des. Ricardo Ferreira Nunes, Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa.
Gleide Pereira de Moura

ORDEM 020

PROCESSO 0015363-81.2019.8.14.0006

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL RESPONSABILIDADE CIVIL


58
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

RELATOR(A) DESEMBARGADOR RICARDO FERREIRA NUNES

POLO ATIVO

APELANTE MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ

PROCURADORIA MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DO PARA

APELANTE JACQUELINE SILVA DA LUZ

POLO PASSIVO

APELADO RODRIGO FARIAS FRANCO

DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ

OUTROS INTERESSADOS

TERCEIRO INTERESSADO DEAM ANANINDEUA DELEGACIA ATENDIMENTO A MULHER

AUTORIDADE MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ

PROCURADOR JORGE DE MENDONCA ROCHA

PROCURADORIA MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DO PARA

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Des. Ricardo Ferreira Nunes, Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa.
Gleide Pereira de Moura

ORDEM 021

PROCESSO 0811499-53.2020.8.14.0301

CLASSE JUDICIAL EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL PERDAS E DANOS

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

APELANTE IZABELA MONIQUE DE OLIVEIRA VILHENA

APELANTE HEITOR RAFAEL VILHENA GAVINHO

ADVOGADO ROGERIO MATOS MARTINS - (OAB PA20558-A)

ADVOGADO HUGO PINTO BARROSO - (OAB PA12727-A)

ADVOGADO BRUNA CRISTINE DE MIRANDA SANTOS - (OAB PA21667-A)


59
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

APELANTE UNIMED DE BELEM COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO

ADVOGADO DIOGO DE AZEVEDO TRINDADE - (OAB PA11270-A)

ADVOGADO LUCAS SOUZA CHAVES - (OAB PA26498-A)

POLO PASSIVO

APELADO UNIMED DE BELEM COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO

ADVOGADO LUCAS SOUZA CHAVES - (OAB PA26498-A)

ADVOGADO DIOGO DE AZEVEDO TRINDADE - (OAB PA11270-A)

APELADO HEITOR RAFAEL VILHENA GAVINHO

APELADO IZABELA MONIQUE DE OLIVEIRA VILHENA

ADVOGADO BRUNA CRISTINE DE MIRANDA SANTOS - (OAB PA21667-A)

ADVOGADO ROGERIO MATOS MARTINS - (OAB PA20558-A)

ADVOGADO HUGO PINTO BARROSO - (OAB PA12727-A)

OUTROS INTERESSADOS

AUTORIDADE MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ

PROCURADOR MARIO NONATO FALANGOLA

PROCURADORIA MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DO PARA

Voto: Dou provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa. Gleide Pereira de Moura, Jose
Torquato Araújo de Alencar

ORDEM 022

PROCESSO 0129113-54.2016.8.14.0301

CLASSE JUDICIAL EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL OBRIGAÇÃO DE FAZER / NÃO FAZER

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

APELANTE UNIMED DE BELEM COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO

ADVOGADO DIOGO DE AZEVEDO TRINDADE - (OAB PA11270-A)


60
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

ADVOGADO LUCAS SOUZA CHAVES - (OAB PA26498-A)

POLO PASSIVO

APELADO ALCINEIA DE ARAUJO PALHETA

DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ

REPRESENTANTE DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARA

OUTROS INTERESSADOS

AUTORIDADE MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ

PROCURADOR JORGE DE MENDONÇA ROCHA

PROCURADORIA MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DO PARA

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa. Gleide Pereira de Moura, Jose
Torquato Araújo de Alencar

ORDEM 023

PROCESSO 0800467-22.2018.8.14.0301

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL INCLUSÃO INDEVIDA EM CADASTRO DE INADIMPLENTES

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

APELANTE BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A.

ADVOGADO JOÃO THOMAZ PRAZERES GONDIM - (OAB RJ62192-A)

PROCURADORIA BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A

POLO PASSIVO

APELADO MARIA JOSÉ BOTELHO DA COSTA

ADVOGADO TIAGO COIMBRA DE ARAUJO - (OAB PA14860-A)

Voto: Dou provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa. Gleide Pereira de Moura, Des.
Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes
61
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

ORDEM 024

PROCESSO 0013516-20.2014.8.14.0006

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

APELANTE BANCO ITAUCARD S.A.

ADVOGADO CARLA CRISTINA LOPES SCORTECCI - (OAB PA25727-A)

PROCURADORIA BANCO ITAUCARD S/A

POLO PASSIVO

APELADO MANOEL MARIA VIANA LEITE

ADVOGADO KENIA SOARES DA COSTA - (OAB PA15650-A)

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa. Gleide Pereira de Moura, Des.
Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes

ORDEM 025

PROCESSO 0800780-35.2019.8.14.0046

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

APELANTE BANCO BRADESCO S.A

ADVOGADO RENATO CHAGAS CORREA DA SILVA - (OAB PA5871-A)

ADVOGADO CRISTIANA VASCONCELOS BORGES MARTINS (OAB PA28125-A)

POLO PASSIVO

APELADO RENATA RODRIGUES BAHIA

ADVOGADO MARCIO RODRIGUES ALMEIDA - (OAB PA9881-A)


62
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Voto: Dou provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa. Gleide Pereira de Moura, Des.
Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes

ORDEM 026

PROCESSO 0017420-82.2013.8.14.0006

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

APELANTE BANCO ITAUCARD S.A.

ADVOGADO CARLA RENATA DE OLIVEIRA CARNEIRO - (OAB PA974-A)

ADVOGADO CELSO MARCON - (OAB ES10990-A)

PROCURADORIA BANCO ITAUCARD S/A

POLO PASSIVO

APELADO POTY MALCHER FREIRE

ADVOGADO HAROLDO SOARES DA COSTA - (OAB PA18004-A)

ADVOGADO KENIA SOARES DA COSTA - (OAB PA15650-A)

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa. Gleide Pereira de Moura, Des.
Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes

ORDEM 027

PROCESSO 0801922-02.2019.8.14.0070

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

APELANTE OSENILDA PIRES FERREIRA


63
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

ADVOGADO MARILENE PINHEIRO DA COSTA - (OAB PA5607-A)

ADVOGADO MARIA CRISTINA AIEZZA JAMBO - (OAB PA10847-A)

ADVOGADO KEYLLA SOLANGE FILOCREAO GONCALVES DOS SANTOS - (OAB PA15283-A)

ADVOGADO CANDIDA ALICE PAULO GOMES - (OAB PA25219-A)

ADVOGADO VERENA CARDOSO FARAGE FARIAS - (OAB PA14344-A)

ADVOGADO DENILSON FERREIRA DA CRUZ - (OAB PA11133-A)

ADVOGADO OSWALDO FERNANDES NAZARETH NETO - (OAB PA21776-A)

POLO PASSIVO

APELADO CNF ADMINIST CONSORCIO NACIONAL

ADVOGADO ANDRE LUIS FEDELI - (OAB SP193114)

ADVOGADO JEFERSON ALEX SALVIATO - (OAB SP236655-A)

ADVOGADO CLEOBER TADEU DE CAMPOS - (OAB PA21122-A)

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa. Gleide Pereira de Moura, Des.
Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes

ORDEM 028

PROCESSO 0801433-38.2017.8.14.0133

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL INDENIZAÇÃO POR DANO MORAL

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

APELANTE DIRECIONAL ENGENHARIA S/A

ADVOGADO AYARA FERNANDA OLIVEIRA COELHO - (OAB MG189123)

ADVOGADO ANDERSON COSTA RODRIGUES - (OAB PA9880-A)

POLO PASSIVO

APELADO DAWSON CHRISTIAN PATROCINIO DOS SANTOS

ADVOGADO FUAD DA SILVA PEREIRA - (OAB PA9658-A)


64
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa. Gleide Pereira de Moura, Des.
Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes

ORDEM 029

PROCESSO 0806437-91.2022.8.14.0000

CLASSE JUDICIAL AGRAVO DE INSTRUMENTO

ASSUNTO PRINCIPAL PRAZO

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

AGRAVANTE AURA GOLD MINERACAO LTDA

ADVOGADO RAFAEL BERTACHINI MOREIRA JACINTO - (OAB SP235654-A)

POLO PASSIVO

AGRAVADO ABADIO DO BOMFIM VALADARES

AGRAVADO MIKAELLEN DA SILVA VALADARES

ADVOGADO CARLOS EDUARDO TEIXEIRA CHAVES - (OAB PA12088-A)

ADVOGADO FERNANDA DE SOUZA TEODORO - (OAB PA12069-A)

OUTROS INTERESSADOS

AUTORIDADE MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ

PROCURADOR LEILA MARIA MARQUES DE MORAES

PROCURADORIA MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DO PARA

Voto: Dou provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa. Gleide Pereira de Moura, Des.
Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes

ORDEM 030

PROCESSO 0805073-26.2018.8.14.0000

CLASSE JUDICIAL AGRAVO DE INSTRUMENTO

ASSUNTO PRINCIPAL ANTECIPAÇÃO DE TUTELA / TUTELA ESPECÍFICA


65
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

AGRAVANTE ADRIANA DE LOURDES MOTA SIMOES COLARES

AGRAVANTE ANTONIO SARAIVA DE MELO

AGRAVANTE FERNANDO AUGUSTO RIBEIRO CARNEIRO

AGRAVANTE FN CRESPO NETO SERVICOS DE ENGENHARIA LTDA

AGRAVANTE NEUDJAN BARBOSA COLARES

AGRAVANTE ROBERTO BORGES LOUREIRO

AGRAVANTE ALICE CRISTINA DA COSTA LOUREIRO

ADVOGADO THIAGO BARBOSA BASTOS REZENDE - (OAB PA21442-A)

ADVOGADO ROBERTO TAMER XERFAN JUNIOR - (OAB PA9117-A)

ADVOGADO THIAGO ARAUJO PINHEIRO MENDES - (OAB PA21029-A)

ADVOGADO RAUL YUSSEF CRUZ FRAIHA - (OAB PA19047-A)

ADVOGADO ARTHUR CRUZ NOBRE - (OAB PA17387)

POLO PASSIVO

AGRAVADO MARROQUIM ENGENHARIA LTDA

ADVOGADO ANDRE ALVES PINTO DE FARIAS COSTA - (OAB AL8606)

OUTROS INTERESSADOS

AUTORIDADE MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ

PROCURADOR NELSON PEREIRA MEDRADO

PROCURADORIA MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DO PARA

Processo Retirado de Pauta.

ORDEM 031

PROCESSO 0804784-65.2021.8.14.0040

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL RESCISÃO / RESOLUÇÃO


66
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

APELANTE L.M.S.E. EMPREENDIMENTOS IMOBILIARIOS LTDA

ADVOGADO ROSEVAL RODRIGUES DA CUNHA FILHO - (OAB PA10652-A)

POLO PASSIVO

APELADO ALBERES YANK PEREIRA E SILVA

ADVOGADO ZULEIDE GUEDES SILVA DE CASTRO - (OAB PA15388-A)

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa. Gleide Pereira de Moura, Des.
Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes

ORDEM 032

PROCESSO 0800059-27.2019.8.14.0097

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL AGÊNCIA E DISTRIBUIÇÃO

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

APELANTE ASSOCIAÇÃO IRMAS MESTRAS DE SANTA DOROTEIA, FILHAS DOS SAGRADOS


CORACOES-SDVI

ADVOGADO MARIANA DO SOCORRO FURTADO MOREIRA - (OAB PA28017-A)

ADVOGADO DAYANE SENA DOS SANTOS - (OAB PA29597-A)

ADVOGADO JOAO ROGERIO DA SILVA RODRIGUES - (OAB PA15255-A)

POLO PASSIVO

APELADO VANESSA CORREA CARREIRA DE MELO EIRELI - ME

ADVOGADO DENIL JOSIVAN DE SOUZA PORTO - (OAB PA342560-A)

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa. Gleide Pereira de Moura, Des.
Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes

ORDEM 033
67
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

PROCESSO 0012689-55.2018.8.14.0107

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL RESCISÃO DO CONTRATO E DEVOLUÇÃO DO DINHEIRO

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

APELANTE MARIA JOSE DIAS SILVA

ADVOGADO THAYNA JAMYLLY DA SILVA GOMES - (OAB MA10288-A)

POLO PASSIVO

APELADO BANCO BMG SA

ADVOGADO ANTONIO DE MORAES DOURADO NETO - (OAB PE23255-A)

PROCURADORIA BANCO BMG S.A.

Voto: Dou provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa. Gleide Pereira de Moura, Des.
Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes

ORDEM 034

PROCESSO 0002296-55.1996.8.14.0006

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL NOTA PROMISSÓRIA

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

APELANTE BANCO BRADESCO SA

ADVOGADO EDSON ROSAS JUNIOR - (OAB PA25196-A)

ADVOGADO MAURO PAULO GALERA MARI - (OAB PA20455-A)

ADVOGADO JOSE RAIMUNDO FARIAS CANTO - (OAB PA3451-A)

ADVOGADO CAMILO CASSIANO RANGEL CANTO - (OAB PA14011-A)

ADVOGADO LUCIA CRISTINA PINHO ROSAS - (OAB AM5109-S)

POLO PASSIVO
68
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

APELADO UNION MADEIRAS LTDA

APELADO SANDRO BRACCHI

ADVOGADO ROSOMIRO CLODOALDO ARRAIS BATISTA TORRES DE CASTRO - (OAB PA977-A)

APELADO ENRICO BRACCHI

Voto: Dou provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa. Gleide Pereira de Moura, Des.
Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes

ORDEM 035

PROCESSO 0831670-36.2017.8.14.0301

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL INCLUSÃO INDEVIDA EM CADASTRO DE INADIMPLENTES

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

APELANTE TELEFÔNICA BRASIL

ADVOGADO WILKER BAUHER VIEIRA LOPES - (OAB GO29320-A)

PROCURADORIA TELEFÔNICA BRASIL S/A

POLO PASSIVO

APELADO JOSE WELLINGTON CAVALCANTE

ADVOGADO THIAGO MOREIRA RODRIGUES - (OAB MT21494-A)

Processo Retirado de Pauta.

ORDEM 036

PROCESSO 0800245-24.2021.8.14.0083

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL EXONERAÇÃO

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

APELANTE MARCOS VENICIO DA SILVA DAMASCENO


69
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

ADVOGADO HIDERALDO MARCELO DE AZEVEDO TAVARES - (OAB PA6543)

POLO PASSIVO

APELADO MARCOS VENICÍO DA SILVA DAMASCENO JUNIOR

ADVOGADO MARLON NOVAES DA SILVA - (OAB PA27852-A)

APELADO JHONATAM DE OLIVEIRA DAMASCENO

ADVOGADO MARLON NOVAES DA SILVA - (OAB PA27852-A)

OUTROS INTERESSADOS

AUTORIDADE MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ

PROCURADOR MARIZA MACHADO DA SILVA LIMA

PROCURADORIA MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DO PARA

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, Desa. Gleide Pereira de Moura, Des.
Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes

ORDEM 037

PROCESSO 0801820-24.2021.8.14.0065

CLASSE JUDICIAL EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL EFEITO SUSPENSIVO / IMPUGNAÇÃO / EMBARGOS À EXECUÇÃO

RELATOR(A) DESEMBARGADORA GLEIDE PEREIRA DE MOURA

POLO ATIVO

EMBARGADO/APELANTE ADELIO MOREIRA ALVES

EMBARGADO/APELANTE EROTILDES CONCEICAO ALVES

ADVOGADO TULIO JOSE FERREIRA LIMA - (OAB PA24671-A)

ADVOGADO TALLYTA SOUZA MAIONE OLIVEIRA - (OAB PA27044-A)

EMBARGANTE/APELANTE LARISSA PISOLER MORANDI E SILVA

EMBARGANTE/APELANTE RONNY MARINHO DOS SANTOS

ADVOGADO ANTONIO AURELIO PALMEIRA PACHECO - (OAB PA16535-A)

ADVOGADO JOEL CARVALHO LOBATO - (OAB PA11777-A)


70
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

ADVOGADO ADRIANA CUNHA FREIRE DE CARVALHO - (OAB PA28096-A)

POLO PASSIVO

EMBARGANTE/APELADO RONNY MARINHO DOS SANTOS

EMBARGANTE/APELADO LARISSA PISOLER MORANDI E SILVA

ADVOGADO ADRIANA CUNHA FREIRE DE CARVALHO - (OAB PA28096-A)

ADVOGADO JOEL CARVALHO LOBATO - (OAB PA11777-A)

ADVOGADO ANTONIO AURELIO PALMEIRA PACHECO - (OAB PA16535-A)

EMBARGADO/APELADO ADELIO MOREIRA ALVES

EMBARGADO/APELADO EROTILDES CONCEICAO ALVES

ADVOGADO TALLYTA SOUZA MAIONE OLIVEIRA - (OAB PA27044-A)

ADVOGADO TULIO JOSE FERREIRA LIMA - (OAB PA24671-A)

Voto: Embargos rejeitados

Turma Julgadora: Desa. Gleide Pereira de Moura, Des. Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes, Jose
Torquato Araújo de Alencar

ORDEM 038

PROCESSO 0831496-90.2018.8.14.0301

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL ALIENAÇÃO JUDICIAL

RELATOR(A) DESEMBARGADORA GLEIDE PEREIRA DE MOURA

POLO ATIVO

APELANTE IERECE PORTO ALEIXO

ADVOGADO MARCELO ANTONIO BARAUNA CARDOSO FILHO - (OAB PA29798-A)

ADVOGADO CAROLLINA ALVES PINTO - (OAB PA13327-A)

POLO PASSIVO

APELADO IEDA PORTO DE MELEM

DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ

OUTROS INTERESSADOS
71
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

AUTORIDADE MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ

PROCURADORIA MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DO PARA

REPRESENTANTE MINISTERIO DA FAZENDA

PROCURADORIA DA FAZENDA NACIONAL NO ESTADO DO PARÁ

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Gleide Pereira de Moura, Des. Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes, Jose
Torquato Araújo de Alencar

ORDEM 039

PROCESSO 0800362-43.2020.8.14.0085

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL INDENIZAÇÃO POR DANO MORAL

RELATOR(A) DESEMBARGADORA GLEIDE PEREIRA DE MOURA

POLO ATIVO

APELANTE BANCO BRADESCO SA

ADVOGADO GUILHERME DA COSTA FERREIRA PIGNANELI - (OAB RO5546-A)

PROCURADORIA BANCO BRADESCO S.A.

POLO PASSIVO

APELADO CONCEIÇÃO FARIAS DA SILVA

ADVOGADO ANDRELINO FLAVIO DA COSTA BITENCOURT JUNIOR - (OAB PA11112-A)

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Gleide Pereira de Moura, Des. Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes, Jose
Torquato Araújo de Alencar

ORDEM 040

PROCESSO 0800077-50.2020.8.14.0085

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL INDENIZAÇÃO POR DANO MORAL

RELATOR(A) DESEMBARGADORA GLEIDE PEREIRA DE MOURA


72
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

POLO ATIVO

APELANTE BANCO BRADESCO SA

ADVOGADO WILSON SALES BELCHIOR - (OAB PA20601-A)

PROCURADORIA BANCO BRADESCO S.A.

POLO PASSIVO

APELADO RAIMUNDO DE NAZARE PANTOJA

ADVOGADO ANDRELINO FLAVIO DA COSTA BITENCOURT JUNIOR - (OAB PA11112-A)

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Gleide Pereira de Moura, Des. Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes, Jose
Torquato Araújo de Alencar

ORDEM 041

PROCESSO 0807365-42.2022.8.14.0000

CLASSE JUDICIAL AGRAVO DE INSTRUMENTO

ASSUNTO PRINCIPAL FIXAÇÃO

RELATOR(A) DESEMBARGADORA GLEIDE PEREIRA DE MOURA

POLO ATIVO

AGRAVANTE RAFAEL AGRA DE CASTRO

ADVOGADO MARLUCE ALMEIDA DE MEDEIROS - (OAB PA6778-A)

POLO PASSIVO

AGRAVADO LORENZO AGRA ANDRADE PORTUGAL

PROCURADOR LARISSA DEOLINDO APOLINARIO

AGRAVADO MARIAN ANDRADE DE LIMA

PROCURADOR LARISSA DEOLINDO APOLINARIO

ADVOGADO ANTONIO DE NEZ MARTINS - (OAB SC56478)

OUTROS INTERESSADOS

AUTORIDADE MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ

PROCURADOR ROSA MARIA RODRIGUES CARVALHO


73
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

PROCURADORIA MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DO PARA

Processo Retirado de Pauta.

ORDEM 042

PROCESSO 0022188-68.2015.8.14.0301

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL OBRIGAÇÃO DE FAZER / NÃO FAZER

RELATOR(A) DESEMBARGADORA GLEIDE PEREIRA DE MOURA

POLO ATIVO

APELANTE GEAP AUTOGESTÃO EM SAUDE

ADVOGADO GABRIEL ALBANESE DINIZ DE ARAUJO - (OAB DF20334-A)

ADVOGADO EDUARDO DA SILVA CAVALCANTE - (OAB DF24923-A)

POLO PASSIVO

APELADO ELIETE DA COSTA DA SILVA

REPRESENTANTE DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARA

Processo Retirado de Pauta.

ORDEM 043

PROCESSO 0002523-98.2018.8.14.0030

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL INDENIZAÇÃO POR DANO MATERIAL

RELATOR(A) DESEMBARGADORA GLEIDE PEREIRA DE MOURA

POLO ATIVO

APELANTE CELPA - CENTRAIS ELÉTRICAS DO PARÁ S/A

ADVOGADO ANDRE LUIZ MONTEIRO DE OLIVEIRA - (OAB PA17515-A)

POLO PASSIVO

APELADO GAEL EMILSON DA SILVA BOTELHO

ADVOGADO NATALIA ALTIERI SANTOS DE OLIVEIRA - (OAB 23968-A)


74
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

APELADO GUILHERME DA SILVA BOTELHO

ADVOGADO NATALIA ALTIERI SANTOS DE OLIVEIRA - (OAB 23968-A)

APELADO GUSTAVO RUAN DA SILVA BOTELHO

ADVOGADO NATALIA ALTIERI SANTOS DE OLIVEIRA - (OAB 23968-A)

APELADO ROSICLEIA CONCEIÇÃO DA SILVA

ADVOGADO NATALIA ALTIERI SANTOS DE OLIVEIRA - (OAB 23968-A)

OUTROS INTERESSADOS

TERCEIRO INTERESSADO MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DO PARA

PROCURADOR MARIA TÉRCIA ÁVILA BASTOS DOS SANTOS

PROCURADORIA MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DO PARA

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Gleide Pereira de Moura, Des. Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes, Jose
Torquato Araújo de Alencar

ORDEM 044

PROCESSO 0408642-41.2016.8.14.0301

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL PERDAS E DANOS

RELATOR(A) DESEMBARGADORA GLEIDE PEREIRA DE MOURA

POLO ATIVO

APELANTE BANCO DO BRASIL SA

ADVOGADO SERVIO TULIO DE BARCELOS - (OAB MG44698-A)

ADVOGADO JOSE ARNALDO JANSSEN NOGUEIRA - (OAB MG79757-A)

POLO PASSIVO

APELADO MERIAN NUNES LOPES

APELADO MARIA DO SOCORRO NUNES LOPES

ADVOGADO MARCIO KISIOLAR VAZ FERREIRA - (OAB PA22221-A)

OUTROS INTERESSADOS
75
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

AUTORIDADE MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ

PROCURADOR MARIZA MACHADO DA SILVA LIMA

PROCURADORIA MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DO PARA

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Gleide Pereira de Moura, Des. Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes, Jose
Torquato Araújo de Alencar

ORDEM 045

PROCESSO 0006525-81.2018.8.14.0040

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL RESCISÃO / RESOLUÇÃO

RELATOR(A) DESEMBARGADORA GLEIDE PEREIRA DE MOURA

POLO ATIVO

APELANTE B.R.A. EMPREENDIMENTOS IMOBILIARIOS LTDA

ADVOGADO ROSEVAL RODRIGUES DA CUNHA FILHO - (OAB PA10652-A)

POLO PASSIVO

APELADO JACIRA AMARO DA SILVA

ADVOGADO FRANCYELLE PIETRO PESSOA - (OAB PA26074-A)

ADVOGADO HAWLLYTON NOTA DE SOUSA GONCALVES - (OAB PA22137-A)

ADVOGADO RODRIGO MATOS ARAUJO - (OAB PA16284-A)

ADVOGADO HELDER IGOR SOUSA GONCALVES - (OAB MA10192-A)

Voto: Dou parcial provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Gleide Pereira de Moura, Des. Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes, Jose
Torquato Araújo de Alencar

ORDEM 046

PROCESSO 0005061-05.2010.8.14.0201

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL DESPEJO POR DENÚNCIA VAZIA


76
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

RELATOR(A) DESEMBARGADORA GLEIDE PEREIRA DE MOURA

POLO ATIVO

APELANTE DELURDES SAMPAIO RAMOS

ADVOGADO ALVARO AUGUSTO DE PAULA VILHENA - (OAB PA4771-A)

POLO PASSIVO

APELADO LAILSON BARROS DA SILVA

ADVOGADO MARIA DO CARMO PROTAZIO LOUREIRO - (OAB PA3792-A)

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Gleide Pereira de Moura, Des. Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes, Jose
Torquato Araújo de Alencar

ORDEM 047

PROCESSO 0058986-28.2015.8.14.0301

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL PAGAMENTO EM CONSIGNAÇÃO

RELATOR(A) DESEMBARGADORA GLEIDE PEREIRA DE MOURA

POLO ATIVO

APELANTE C L M EMPREENDIMENTOS & PARTICIPACOES LTDA

ADVOGADO EDUARDO TADEU FRANCEZ BRASIL - (OAB PA13179-A)

ADVOGADO DANIELLE BARBOSA SILVA PEREIRA - (OAB PA21052-A)

POLO PASSIVO

APELADO GEMINI INCORPORADORA LTDA

ADVOGADO NATALIA DINIZ DA SILVA - (OAB SP289565-A)

ADVOGADO PAULO DORON REHDER DE ARAUJO - (OAB PA246516-A)

Voto: Dou parcial provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Gleide Pereira de Moura, Des. Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes, Jose
Torquato Araújo de Alencar

ORDEM 048
77
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

PROCESSO 0004800-84.2017.8.14.0301

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL OBRIGAÇÃO DE FAZER / NÃO FAZER

RELATOR(A) DESEMBARGADORA GLEIDE PEREIRA DE MOURA

POLO ATIVO

APELANTE AGRA EMPREENDIMENTOS IMOBILIARIOS S.A.

ADVOGADO PAULO DORON REHDER DE ARAUJO - (OAB PA246516-A)

APELANTE AGRA MALIGAWA INCORPORADORA LTDA

ADVOGADO PAULO DORON REHDER DE ARAUJO - (OAB PA246516-A)

ADVOGADO VINICIUS CARDOSO COSTA LOUREIRO - (OAB SP344871-A)

APELANTE RICARDO GUEDES ACCIOLY RAMOS

POLO PASSIVO

APELADO MAURICIO LEAL MOREIRA

APELADO TORRE DE FERRARA INCORPORADORA LTDA

APELADO TORRE DE RHODES INCORPODORA LTDA

APELADO ESPERANCA INCORPORADORA LTDA

APELADO GUNDEL INCORPORADORA LTDA.

APELADO CONSTRUTORA LEAL MOREIRA LTDA

ADVOGADO GUSTAVO FREIRE DA FONSECA - (OAB PA12724-A)

ADVOGADO BRAHIM BITAR DE SOUSA - (OAB PA16381-A)

APELADO ORION INCOPORADORA LTDA

APELADO DRAUZ CANDIDO DOS REIS FILHO

OUTROS INTERESSADOS

TERCEIRO INTERESSADO BANCO SANTANDER BRASIL SA

ADVOGADO AIRES FERNANDO CRUZ FRANCELINO - (OAB SP189371-A)

ASSISTENTE AIRES FERNANDO CRUZ FRANCELINO


78
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

TERCEIRO INTERESSADO BANCO ITAU UNIBANCO SA

Voto: Dou provimento ao recurso

Turma Julgadora: Desa. Gleide Pereira de Moura, Des. Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes, Jose
Torquato Araújo de Alencar

ORDEM 049

PROCESSO 0800014-55.2019.8.14.0054

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL CONTRATOS BANCÁRIOS

RELATOR(A) DESEMBARGADOR AMILCAR ROBERTO BEZERRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

APELANTE BANCO BRADESCO FINANCIAMENTOS S.A.

ADVOGADO NELSON WILIANS FRATONI RODRIGUES - (OAB PB128341-A)

PROCURADORIA BANCO BRADESCO S.A.

REPRESENTANTE BANCO BRADESCO S/A

POLO PASSIVO

APELADO IRACI RIBEIRO DOS SANTOS

ADVOGADO JOAO HENRIQUE GOMES CAMPELO - (OAB TO6591-A)

Voto: Julgo parcialmente procedente

Turma Julgadora: Des. Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes, Des. Ricardo Ferreira Nunes, Jose Torquato
Araújo de Alencar

ORDEM 050

PROCESSO 0800255-93.2021.8.14.0107

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL TARIFAS

RELATOR(A) DESEMBARGADOR AMILCAR ROBERTO BEZERRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

APELANTE FRANCISCO ADONEL DE ASSIS


79
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

ADVOGADO WAIRES TALMON COSTA JUNIOR - (OAB MA12234-A)

POLO PASSIVO

APELADO BANCO BRADESCO S.A

ADVOGADO GUILHERME DA COSTA FERREIRA PIGNANELI - (OAB RO5546-A)

Voto: Dou provimento ao recurso

Turma Julgadora: Des. Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes, Des. Ricardo Ferreira Nunes, Jose Torquato
Araújo de Alencar

ORDEM 051

PROCESSO 0801095-40.2020.8.14.0107

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL TARIFAS

RELATOR(A) DESEMBARGADOR AMILCAR ROBERTO BEZERRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

APELANTE ANTONIA SALVIANO DE SOUSA

ADVOGADO WAIRES TALMON COSTA JUNIOR - (OAB MA12234-A)

POLO PASSIVO

APELADO BANCO BRADESCO S.A

ADVOGADO NELSON WILIANS FRATONI RODRIGUES - (OAB PB128341-A)

Voto: Nego provimento ao recurso

Turma Julgadora: Des. Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes, Des. Ricardo Ferreira Nunes, Jose Torquato
Araújo de Alencar

ORDEM 052

PROCESSO 0800440-62.2020.8.14.0109

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL CONTRATOS BANCÁRIOS

RELATOR(A) DESEMBARGADOR AMILCAR ROBERTO BEZERRA GUIMARÃES

POLO ATIVO
80
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

APELANTE BANCO BRADESCO S.A

ADVOGADO KARINA DE ALMEIDA BATISTUCI - (OAB SP178033-A)

ADVOGADO FELIPE GAZOLA VIEIRA MARQUES - (OAB MG76696-A)

POLO PASSIVO

APELADO SILVIA MARIA DA SILVA SANTOS

ADVOGADO JOSE ANACLETO FERREIRA GARCIAS - (OAB PA22167-A)

Voto: Julgo parcialmente procedente

Turma Julgadora: Des. Amílcar Roberto Bezerra Guimaraes, Des. Ricardo Ferreira Nunes, Jose Torquato
Araújo de Alencar

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARÁ

UNIDADE DE PROCESSAMENTO JUDICIAL DAS TURMAS DE

DIREITO PÚBLICO E PRIVADO

NÚCLEO DE SESSÃO DE JULGAMENTO

2ª TURMA DE DIREITO PRIVADO

28ª SESSÃO ORDINÁRIA DE 2022 DA 2ª TURMA DE DIREITO PRIVADO, REALIZADA POR MEIO DE
VIDEOCONFERÊNCIA NO DIA 13 DE SETEMBRO DE 2022, ÀS 09H30MIN, SOB A PRESIDÊNCIA DO
EXMO. SR. DES. RICARDO FERREIRA NUNES. PRESENTES OS EXMOS. SRS.
DESEMBARGADORES: RICARDO FERREIRA NUNES, MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES,
GLEIDE PEREIRA DE MOURA, AMILCAR ROBERTO BEZERRA GUIMARÃES E JUIZ CONVOCADO
JOSÉ TORQUATO ARAÚJO DE ALENCAR. REPRESENTANTE DO MINISTÉRIO PÚBLICO:
PROCURADOR DE JUSTIÇA JORGE DE MENDONÇA ROCHA. SESSÃO INICIADA ÀS 09H30MIN.

PARTE ADMINISTRATIVA
O PRESIDENTE DA 2ª TURMA DE DIREITO PRIVADO, EXCELENTÍSSIMO DESEMBARGADOR
RICARDO FERREIRA NUNES, INVOCANDO A PROTEÇÃO DE DEUS, DECLAROU ABERTA A 28ª
SESSÃO ORDINÁRIA POR VIDEOCONFERÊNCIA DA 2ª TURMA DE DIREITO PRIVADO, DO ANO DE
2022, ÀS 09H30MIN. INICIALMENTE, FACULTADA A PALAVRA AOS DEMAIS INTEGRANTES DA
TURMA, ACERCA DA APROVAÇÃO DA ATA DA SESSÃO ANTERIOR, NÃO HAVENDO EMENDAS,
DECLAROU APROVADA. A SESSÃO ENCERROU-SE ÀS 11H00MIN.

PROCESSOS ELETRÔNICOS - PJE

ORDEM 001
81
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

PROCESSO 0806117-12.2020.8.14.0000

CLASSE JUDICIAL AGRAVO DE INSTRUMENTO

ASSUNTO PRINCIPAL REVISÃO

RELATOR(A) DESEMBARGADORA GLEIDE PEREIRA DE MOURA

POLO ATIVO

AGRAVANTE D. I. S.

ADVOGADO ALYDES DE ARAUJO LUSTOZA - (OAB PA20238-A)

POLO PASSIVO

AGRAVADO M. L. R. S.

ADVOGADO FERNANDO FLAVIO LOPES SILVA - (OAB PA5041-A)

ADVOGADO JOSUE DE FREITAS COSTA - (OAB PA23986-A)

OUTROS INTERESSADOS

AUTORIDADE MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ

PROCURADOR MARIA DA CONCEICAO DE MATTOS SOUSA

TURMA JULGADORA: DESEMBARGADORES GLEIDE PEREIRA DE MOURA, AMILCAR ROBERTO


BEZERRA GUIMARÃES E JUIZ CONVOCADO JOSÉ TORQUATO ARAÚJO DE ALENCAR.

DECISÃO: A TURMA JULGADORA, À UNANIMIDADE DE VOTOS, CONHECE E DÁ PARCIAL


PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO.

ORDEM 002

PROCESSO 0800106-69.2017.8.14.0000

CLASSE JUDICIAL AGRAVO DE INSTRUMENTO

ASSUNTO PRINCIPAL ANTECIPAÇÃO DE TUTELA / TUTELA ESPECÍFICA

RELATOR(A) DESEMBARGADORA GLEIDE PEREIRA DE MOURA

POLO ATIVO

AGRAVANTE UNIMED DE BELEM COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO

ADVOGADO DIOGO DE AZEVEDO TRINDADE - (OAB PA11270-A)

POLO PASSIVO
82
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

AGRAVADO ASSOCIACAO PARAENSE DE OFTALMOLOGIA - APO

PROCURADOR CARLOS HENRIQUE VASCONCELOS DE LIMA

ADVOGADO VALERIO AUGUSTO RIBEIRO - (OAB MG74204-A)

DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA

ORDEM 003

PROCESSO 0802001-94.2019.8.14.0000

CLASSE JUDICIAL AGRAVO DE INSTRUMENTO

ASSUNTO PRINCIPAL ANTECIPAÇÃO DE TUTELA / TUTELA ESPECÍFICA

RELATOR(A) DESEMBARGADORA GLEIDE PEREIRA DE MOURA

POLO ATIVO

AGRAVANTE HAPVIDA ASSISTENCIA MEDICA LTDA

ADVOGADO NELSON WILIANS FRATONI RODRIGUES - (OAB PA15201-A)

ADVOGADO ISAAC COSTA LAZARO FILHO - (OAB CE18663-A)

POLO PASSIVO

AGRAVADO FERNANDA TROPICO E SILVA

ADVOGADO CYNTHIA BRAZ REIS - (OAB PA19183-A)

ADVOGADO WENDELL DOS REMEDIOS SOUZA - (OAB PA19185-A)

DECISÃO:RETIRADO DE PAUTA

ORDEM 004

PROCESSO 0809617-39.2018.8.14.0006

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL RESCISÃO / RESOLUÇÃO

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

APELANTE ANA MARIA DE OLIVEIRA

ADVOGADO OTAVIO AUGUSTO DA SILVA SAMPAIO MELO - (OAB PA16676-A)


83
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

ADVOGADO ANA CAROLINA COURA BASTOS - (OAB PA23152-A)

POLO PASSIVO

APELADO SC2 SHOPPING PARA LTDA

ADVOGADO GABRIELLA DO VALE CALVINHO - (OAB PA17392-A)

ADVOGADO CARLOS AUGUSTO TEIXEIRA DE BRITO NOBRE - (OAB PA009316)

TURMA JULGADORA: DESEMBARGADORES MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES,


GLEIDE PEREIRA DE MOURA E AMILCAR ROBERTO BEZERRA GUIMARÃES.

DECISÃO: A TURMA JULGADORA, À UNANIMIDADE DE VOTOS, CONHECE E NEGA PROVIMENTO


AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO.

ORDEM 005

PROCESSO 0045610-97.2000.8.14.0301

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL SUSTAÇÃO DE PROTESTO

RELATOR(A) DESEMBARGADORA GLEIDE PEREIRA DE MOURA

POLO ATIVO

APELANTE NESTLE BRASIL LTDA.

ADVOGADO RAISSA MAMEDE LINS BRASILIENSE - (OAB DF65118)

ADVOGADO LUIZ CARLOS STURZENEGGER - (OAB DF1942-S)

ADVOGADO LUCIANO CORREA GOMES - (OAB DF07859)

ADVOGADO CLAUDIA NAHSSEN DE LACERDA FRANZE - (OAB SP124517-A)

POLO PASSIVO

APELADO CIRO SARAIVA LIMA & CIA LTDA

ADVOGADO ANA VIRGINIA DE CASTRO LIMA - (OAB PA17750-A)

TURMA JULGADORA: DESEMBARGADORES GLEIDE PEREIRA DE MOURA, AMILCAR ROBERTO


BEZERRA GUIMARÃES E JUIZ CONVOCADO JOSÉ TORQUATO ARAÚJO DE ALENCAR.

DECISÃO: A TURMA JULGADORA, À UNANIMIDADE DE VOTOS, REJEITA A PRELIMINAR DE NÃO


CONHECIMENTO DO RECURSO E, NO MÉRITO, CONHECE E NEGA PROVIMENTO AO RECURSO,
NOS TERMOS DO VOTO.

ORDEM 006
84
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

PROCESSO 0041598-15.2015.8.14.0301

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL DIREITOS / DEVERES DO CONDÔMINO

RELATOR(A) DESEMBARGADOR RICARDO FERREIRA NUNES

POLO ATIVO

APELANTE ANA CRISTINA KALIFF DE OLIVEIRA

ADVOGADO CARLA DE OLIVEIRA BRASIL MONTEIRO - (OAB PA9116-A)

ADVOGADO RAFAEL OLIVEIRA LIMA - (OAB PA21059-A)

APELANTE ANA CARMEN KALIFF DE OLIVEIRA CRUZ

ADVOGADO CARLA DE OLIVEIRA BRASIL MONTEIRO - (OAB PA9116-A)

ADVOGADO RAFAEL OLIVEIRA LIMA - (OAB PA21059-A)

APELANTE ANGELA CONCEICAO DE OLIVEIRA MONTEIRO

ADVOGADO CARLA DE OLIVEIRA BRASIL MONTEIRO - (OAB PA9116-A)

ADVOGADO RAFAEL OLIVEIRA LIMA - (OAB PA21059-A)

POLO PASSIVO

APELADO CONDOMINIO DO EDIFICIO PORTINARI

ADVOGADO IONE ARRAIS DE CASTRO OLIVEIRA - (OAB PA3609-A)

ADVOGADO CARLA DE OLIVEIRA BRASIL MONTEIRO - (OAB PA9116-A)

ADVOGADO BARBARA ARRAIS DE CASTRO CARVALHO - (OAB PA15352-A)

ADVOGADO CAMILA DE FATIMA SANTOS IMBIRIBA - (OAB PA30178-A)

TURMA JULGADORA: DESEMBARGADORES RICARDO FERREIRA NUNES, MARIA DE NAZARÉ


SAAVEDRA GUIMARÃES E JUIZ CONVOCADO JOSÉ TORQUATO ARAÚJO DE ALENCAR.

DECISÃO: A TURMA JULGADORA, À UNANIMIDADE DE VOTOS, CONHECE E NEGA PROVIMENTO


AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO.

ORDEM 007

PROCESSO 0803895-84.2020.8.14.0028

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL


85
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

ASSUNTO PRINCIPAL EMPRÉSTIMO CONSIGNADO

RELATOR(A) DESEMBARGADORA MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

APELANTE ITAU UNIBANCO S.A.

ADVOGADO MARIANA BARROS MENDONCA - (OAB RJ121891-A)

ADVOGADO LUIS CARLOS MONTEIRO LAURENCO - (OAB BA16780-A)

POLO PASSIVO

APELADO INES DE MORAES DA SILVA

ADVOGADO PAULO GABRIEL OLIVEIRA GOMES - (OAB PA27789-A)

ADVOGADO IVALDO ALENCAR DE SOUSA JUNIOR - (OAB PA22226-A)

ADVOGADO KESIA ZANONI BRITO DE SOUZA ALENCAR - (OAB PA21969-A)

OUTROS INTERESSADOS

AUTORIDADE MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ

PROCURADOR MARIA DA CONCEICAO DE MATTOS SOUSA

TURMA JULGADORA: DESEMBARGADORES MARIA DE NAZARÉ SAAVEDRA GUIMARÃES,


AMILCAR ROBERTO BEZERRA GUIMARÃES E JUIZ CONVOCADO JOSÉ TORQUATO ARAÚJO DE
ALENCAR.

DECISÃO: A TURMA JULGADORA, À UNANIMIDADE DE VOTOS, REJEITA A PRELIMINAR DE


INÉPCIA DA INICIAL E, NO MÉRITO, CONHECE E NEGA PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS
DO VOTO.

ORDEM 008

PROCESSO 0000194-44.2012.8.14.0121

CLASSE JUDICIAL APELAÇÃO CÍVEL

ASSUNTO PRINCIPAL RESPONSABILIDADE DO FORNECEDOR

RELATOR(A) DESEMBARGADOR AMILCAR ROBERTO BEZERRA GUIMARÃES

POLO ATIVO

APELANTE LUIZ ANASTACIO PEREIRA DE SOUSA

ADVOGADO ALINE TAKASHIMA - (OAB PA15740-A)


86
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

POLO PASSIVO

APELADO BV FINANCEIRA SA CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO

ADVOGADO DANIELLE FERREIRA SANTOS - (OAB PA18076-A)

ADVOGADO BRUNO HENRIQUE DE OLIVEIRA VANDERLEI - (OAB PE21678-A)

TURMA JULGADORA: DESEMBARGADORES RICARDO FERREIRA NUNES, AMILCAR ROBERTO


BEZERRA GUIMARÃES E JUIZ CONVOCADO JOSÉ TORQUATO ARAÚJO DE ALENCAR.

DECISÃO: A TURMA JULGADORA, À UNANIMIDADE DE VOTOS, CONHECE E NEGA PROVIMENTO


AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO.
87
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

CEJUSC

PRIMEIRO CEJUSC BELÉM

SESSÃO PRESENCIAL DE CONCILIAÇÃO/MEDIAÇÃO DO 1º CEJUSC DA CAPITAL, LOCAL: 1º


ANDAR DO FÓRUM CÍVEL, AO LADO DO GABINETE DA 1ª VARA DE FAMÍLIA

DIA 20/09/2022

HORA ATENDIMENTO 09:00H

1ª VARA DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

PROCESSO 0809668-87.2022.8.14.0301

AÇÃO VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

REQUERENTE: M A V D S

ADVOGADO: DEFENSORIA PÚBLICA

REQUERIDA: P D S N

DIA 20/09/2022

HORA ATENDIMENTO 09:00H

6ª VARA

PROCESSO 0847854-91.2022.8.14.0301

AÇÃO DE ALIMENTOS, GUARDA E DIREITO DE CONVIVÊNCIA

REQUERENTE: M D J D S

ADVOGADO: DEFENSORIA PÚBLICA

REQUERIDO: R D S P

DIA 20/09/2022

HORA ATENDIMENTO 09:00H


88
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

7ª VARA

PROCESSO 0817787-17.2020.8.14.0301

AÇÃO DE GUARDA, VISITAS E ALIMENTOS

REQUERENTE: E L D S

ADVOGADOS: ARIANA CARLA COSTA MARTINS FAVACHO e OMAR ADAMIL COSTA SARE E
OUTROS

REQUERIDA: R D C F

DIA 20/09/2022

HORA ATENDIMENTO 11:00H

4ª VARA

PROCESSO 0849602-61.2022.8.14.0301

AÇÃO DE ALIMENTOS E GUARDA

REQUERENTE: E N D C P

ADVOGADA: CAC ALEPA ¿ KARINA NEVES MOURA

REQUERIDO: J C
89
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

TURMAS DE DIREITO PENAL

UNIDADE DE PROCESSAMENTO JUDICIAL DAS TURMAS DE DIREITO PENAL - UPJ

ATA/RESENHA DA 27ª SESSÃO ORDINÁRIA DO PLENÁRIO VIRTUAL (SISTEMA PJe) - ANO 2022
DA EGRÉGIA 2ª TURMA DE DIREITO PENAL. Colegiado sob Presidência do Excelentíssimo
Desembargador RÔMULO NUNES. Sessão que também houve participação, além da Presidência da
Turma, dos Exmos. Desembargadores RONALDO VALLE, LEONAM GONDIM DA CRUZ JÚNIOR e
ALTEMAR DA SILVA PAES. Representante do Ministério Público Estadual habilitado no sistema,
Procurador de Justiça HAMILTON NOGUEIRA SALAME. Sessão realizada de forma virtual por meio da
ferramenta Plenário Virtual, disponibilizada no site oficial do TJ/PA, iniciada às 14H do DIA 05 DE
SETEMBRO DE 2022 E TÉRMINO ÀS 14H DO DIA 13 DE SETEMBRO DE 2022, cujas ocorrências em
processos pautados (informações extraídas via sistema), se encontram consignadas a seguir:

PROCESSOS JUDICIAIS ELETRÔNICOS PAUTADOS/JULGADOS (SISTEMA PJe)

1 - PROCESSO: 0001086-61.2015.8.14.0051 - RECURSO EM SENTIDO ESTRITO


RECORRENTE: MARCELO FERREIRA DE BRITO
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
RECORRIDA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. LUIZ CESAR TAVARES BIBAS
RELATOR: DES. RÔMULO NUNES
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

2 - PROCESSO: 0800132-91.2022.8.14.0000 - RECURSO EM SENTIDO ESTRITO


RECORRENTE: ECINALDO CARDOSO DA SILVA VULGO ERIQUE
REPRESENTANTE: EDER DOS SANTOS BEZERRA - (OAB PA27303-A)
RECORRIDA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. HEZEDEQUIAS MESQUITA DA COSTA
RELATOR: DES. RÔMULO NUNES
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

3 - PROCESSO: 0004628-65.2019.8.14.0013 - APELAÇÃO CRIMINAL - SEM REVISÃO


APELANTE: CATARINO FILHO MOREIRA DIAS
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. FRANCISCO BARBOSA DE OLIVEIRA
RELATOR: DES. RÔMULO NUNES
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Dou parcial provimento ao recurso

4 - PROCESSO: 0023601-31.2015.8.14.0006 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MIQUEIAS SANTOS DE ASSUNCAO
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADORA DE JUSTIÇA: DRA. ANA TEREZA DO SOCORRO DA SILVA ABUCATER
REVISOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
RELATOR: DES. RÔMULO NUNES
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Dou parcial provimento ao recurso

5 - PROCESSO: 0039863-35.2015.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: THAMYRES INES NASCIMENTO LOBATO
REPRESENTANTE: SANDRO MANOEL CUNHA MACEDO - (OAB PA21507)
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADORA DE JUSTIÇA: DRA. CANDIDA DE JESUS RIBEIRO DO NASCIMENTO
REVISOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
90
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

RELATOR: DES. RÔMULO NUNES


Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Dou parcial provimento ao recurso

6 - PROCESSO: 0015638-87.2015.8.14.0097 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: JEFFERSON PAULO DE OLIVEIRA ARNDT
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. HEZEDEQUIAS MESQUITA DA COSTA
REVISOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
RELATOR: DES. RÔMULO NUNES
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

7 - PROCESSO: 0000748-07.2015.8.14.0013 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: ANDERSON WILLEY NASCIMENTO DE FREITAS
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADORA DE JUSTIÇA: DRA. CANDIDA DE JESUS RIBEIRO DO NASCIMENTO
REVISOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
RELATOR: DES. RÔMULO NUNES
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Dou parcial provimento ao recurso

8 - PROCESSO: 0021607-73.2017.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MARIA DO SOCORRO DE SOUZA LIMA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
ASSISTENTE DE ACUSAÇÃO: CENTRAIS ELETRICA DO PARACELPA
REPRESENTANTES: AMANDA GOMES PAIXAO - (OAB PA29429-A), NELIZA APARECIDA BARBOSA
DE CASTRO SOUZA - (OAB PA15118-A), RODRIGO ALAN ELLERES MORAES - (OAB PA16959-A),
DORIVAN RODRIGUES LOPES JUNIOR - (OAB PA29176-A)
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. RICARDO ALBUQUERQUE DA SILVA
REVISOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
RELATOR: DES. RÔMULO NUNES
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

9 - PROCESSO: 0004424-73.2018.8.14.0007 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: OCELIO DE OLIVEIRA RAMOS
APELANTE: CARLENE SOARES FREITAS
REPRESENTANTE: MADSON NOGUEIRA DA SILVA - (OAB PA21227-A)
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. HAMILTON NOGUEIRA SALAME
REVISOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
RELATOR: DES. RÔMULO NUNES
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Dou parcial provimento ao recurso

10 - PROCESSO: 0026431-41.2018.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: DENILSON CRISTIANO SOUZA ALMEIDA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: WILLIAM HENRIQUE DA SILVA DAMASCENO
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: LEANDRO CRISTIANO SOUZA ALMEIDA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. LUIZ CESAR TAVARES BIBAS
REVISOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
RELATOR: DES. RÔMULO NUNES
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

11- PROCESSO: 0000142-51.2016.8.14.0010 - EMBARGOS DE DECLARAÇÃO CRIMINAL


91
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

EMBARGANTE: GERCIANE CARDOSO CHAVES


REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
EMBARGADOS: O V. ACÓRDÃO Nº 219.461 E JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. SERGIO TIBURCIO DOS SANTOS SILVA
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Embargos rejeitados

12 - PROCESSO: 0001796-78.2000.8.14.0028 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: RAIMUNDO VIEIRA DA SILVA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADORA DE JUSTIÇA: DRA. MARIA CELIA FILOCREAO GONCALVES
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

13 - PROCESSO: 0011310-90.2006.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: JORGE LEAO PACHECO
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADORA DE JUSTIÇA: DRA. MARIA CELIA FILOCREAO GONCALVES
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Dou parcial provimento ao recurso

14 - PROCESSO: 0000497-90.2007.8.14.0070 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: JOSE GUILHERME BARROS DE AMORIM
REPRESENTANTE: ANGELO JOSE LOBATO RODRIGUES - (OAB PA6908-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. HAMILTON NOGUEIRA SALAME
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Dou parcial provimento ao recurso

15 - PROCESSO: 0025350-03.2009.8.14.0133 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: WALBER BARBOSA DA ROCHA
REPRESENTANTE: ANGELO JOSE LOBATO RODRIGUES - (OAB PA6908-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. HAMILTON NOGUEIRA SALAME
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

16 - PROCESSO: 0000869-66.2009.8.14.0006 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: SIDNEY DA SILVA BRITO
REPRESENTANTE: ANGELO JOSE LOBATO RODRIGUES - (OAB PA6908-A)
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. ADELIO MENDES DOS SANTOS
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

17 - PROCESSO: 0013128-84.2011.8.14.0051 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE/APELADO: MAICKSON BILL SILVA DOS SANTOS
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADO/APELANTE: MINISTERIO PUBLICO ESTADUAL
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. HAMILTON NOGUEIRA SALAME
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
92
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

RELATOR: DES. RONALDO VALLE


Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Dou provimento ao recurso

18 - PROCESSO: 0000139-84.2011.8.14.0200 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: JOAO XAVIER DA SILVA
REPRESENTANTES: CAMILA DO SOCORRO RODRIGUES ALVES - (OAB PA14055), RODRIGO
TEIXEIRA SALES - (OAB PA11068-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. CLAUDIO BEZERRA DE MELO
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

19 - PROCESSO: 0001975-26.2011.8.14.0028 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MAX SANDRO DE JESUS REIS
REPRESENTANTE: ODILON VIEIRA NETO - (OAB PA13878-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADORA DE JUSTIÇA: DRA. DULCELINDA LOBATO PANTOJA
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

20 - PROCESSO: 0006810-68.2012.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MARCELO LIMA PEREIRA
REPRESENTANTE: NELSON FERNANDO DAMASCENO E SILVA - (OAB PA14092-A)
APELANTE: LUIZ CARLOS CABRAL
REPRESENTANTE: RODRIGO BARROS DE SOUZA - (OAB PA13748-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADORA DE JUSTIÇA: DRA. UBIRAGILDA SILVA PIMENTEL
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

21 - PROCESSO: 0002122-78.2012.8.14.0008 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: JOSE AUGUSTO BATISTA MONTEIRO
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. SERGIO TIBURCIO DOS SANTOS SILVA
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

22 - PROCESSO: 0011488-50.2012.8.14.0006 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: JOSE RIBAMAR DOS SANTOS BRAGA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTICA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. MARCOS ANTONIO FERREIRA DAS NEVES
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

23 - PROCESSO: 0003743-73.2013.8.14.0009 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: WANDERSON FERNANDO DA SILVA ALVES
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: LUAN CARLOS DIAS PASTANA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. LUIZ CESAR TAVARES BIBAS
93
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)


RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

24 - PROCESSO: 0005908-02.2014.8.14.0028 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: EDILON DA SILVA
REPRESENTANTE: ODILON VIEIRA NETO - (OAB PA13878-A)
APELANTE: THALYS RIOS AGUIAR
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. HAMILTON NOGUEIRA SALAME
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: Retirado de Pauta de Plenário Virtual por Solicitação do Relator

25 - PROCESSO: 0007420-86.2014.8.14.0006 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DO PARA
APELADO: ROBERTO DA SILVA MORAES
REPRESENTANTE: ALUIZIO MORAES DA SILVA - (OAB PA3478-A)
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. SERGIO TIBURCIO DOS SANTOS SILVA
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

26 - PROCESSO: 0001423-04.2014.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: ANDERSON MACARIO DOS SANTOS
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. HAMILTON NOGUEIRA SALAME
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Dou parcial provimento ao recurso

27 - PROCESSO: 0023930-22.2015.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE ASSISTENTE DE ACUSAÇÃO: LINDONOR MONTEIRO BAIA
REPRESENTANTES: JOAO PAULO DE CASTRO DUTRA - (OAB PA18859-A), ARTHUR KALLIN
OLIVEIRA MAIA - (OAB PA19600-A), ARLINDO DE JESUS SILVA COSTA - (OAB PA13998-A)
APELADO: MIQUEIAS AZEVEDO DA COSTA
APELADO: WELLINGTON DE SOUZA CAMPOS
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. HAMILTON NOGUEIRA SALAME
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

28 - PROCESSO: 0026459-06.2015.8.14.0048 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DO PARA
APELADA: TAMILI SANTA BRIGIDA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
PROCURADORA DE JUSTIÇA: DRA. UBIRAGILDA SILVA PIMENTEL
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

29 - PROCESSO: 0079177-11.2015.8.14.0070 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: ADILTON CARDOSO COSTA
REPRESENTANTE: DENILZA DE SOUZA TEIXEIRA - (OAB PA8020-A)
94
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA


PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. FRANCISCO BARBOSA DE OLIVEIRA
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Dou parcial provimento ao recurso

30 - PROCESSO: 0085386-76.2015.8.14.0011 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: ANGELICO LEAL
REPRESENTANTE: CLEBER LUIZ MORAES DA SILVA - (OAB PA22345-A)
APELANTE: JOSE RAIMUNDO BARBOSA FARIAS
REPRESENTANTE: CORDOLINA DO SOCORRO FERREIRA RIBEIRO - (OAB PA6766-A) -
DEFENSORA DATIVA
APELANTE: JOSE RICARDO BARBOSA AVELAR
REPRESENTANTE: CORDOLINA DO SOCORRO FERREIRA RIBEIRO - (OAB PA6766-A) -
DEFENSORA DATIVA
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADORA DE JUSTIÇA: DR. DE JUSTIÇA: DRA. DULCELINDA LOBATO PANTOJA
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

31 - PROCESSO: 0057496-14.2015.8.14.0028 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: FLAVIO ROBERTO SANTOS MAGALHAES
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: FRANCIELTON OLIVEIRA DA SILVA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. CLAUDIO BEZERRA DE MELO
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

32 - PROCESSO: 0003197-18.2015.8.14.0051 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: RAIMUNDA GISELE CASTRO DA SILVA ROCHA DE OLIVEIRA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. CLAUDIO BEZERRA DE MELO
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

33 - PROCESSO: 0010405-36.2016.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: LAURA MACHADO MACIEL
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. SERGIO TIBURCIO DOS SANTOS SILVA
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

34 - PROCESSO: 0019726-95.2016.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: JULINHO SILVA DE OLIVEIRA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. FRANCISCO BARBOSA DE OLIVEIRA
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso
95
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

35 - PROCESSO: 0012134-80.2016.8.14.0051 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: LUCAS FABRICIO RIBEIRO ZAMONE
REPRESENTANTES: MEIRY TOZZO FOLETTO - (OAB 21066-A), KAROLLYNA CASTRO DOS REIS -
(OAB AP2311-A), ALAN JONATAS SILVA DOS REIS - (OAB PA12411-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADORA DE JUSTIÇA: DRA. UBIRAGILDA SILVA PIMENTEL
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

36 - PROCESSO: 0011244-50.2016.8.14.0049 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: ANTONIO ERIMAR SILVA E SILVA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. MARCOS ANTONIO FERREIRA DAS NEVES
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Dou parcial provimento ao recurso

37 - PROCESSO: 0007993-35.2016.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: WAGNER DE SILVA FRANCA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. CLAUDIO BEZERRA DE MELO
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

38 - PROCESSO: 0002403-77.2017.8.14.0034 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: JESSICA DOS SANTOS SILVA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. CLAUDIO BEZERRA DE MELO
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

39 - PROCESSO: 0007728-90.2017.8.14.0015 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: ANTONIO MAGNO MOTA SILVA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADORA DE JUSTIÇA: DRA. MARIA DO SOCORRO MARTINS CARVALHO MENDO
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

40 - PROCESSO: 0001863-90.2017.8.14.0046 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DO PARA
APELADO: MATEUS PINHEIRO DA SILVA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
PROCURADORA DE JUSTIÇA:DRA. MARIA DO SOCORRO MARTINS CARVALHO MENDO
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

41 - PROCESSO: 0024895-29.2017.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: EDSON DO CARMO FERREIRA CARDOSO
96
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

REPRESENTANTE: DANIEL ANTONIO SIMOES GUALBERTO - (OAB PA21296-A)


APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADORA DE JUSTIÇA: DRA. MARIA DO SOCORRO MARTINS CARVALHO MENDO
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

42 - PROCESSO: 0003608-98.2018.8.14.0037 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: GABRIEL GOMES DE SOUZA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: ISRAEL SANTOS GUEDES
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. FRANCISCO BARBOSA DE OLIVEIRA
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

43 - PROCESSO: 0003143-83.2018.8.14.0039 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: AMANDA MAYARA LIRA MIRANDA
APELANTE: TAYRONE SOUZA MARTINS
REPRESENTANTE: DASSAEW KLINSMANN DE VASCONCELOS ROCHA - (OAB PA23577)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. SERGIO TIBURCIO DOS SANTOS SILVA
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

44 - PROCESSO: 0008548-81.2018.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: ROBERT DAVID FERREIRA PINHEIRO
REPRESENTANTE: RAIMUNDO PEREIRA CAVALCANTE - (OAB PA3776)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADORA DE JUSTIÇA: DRA. ANA TEREZA DO SOCORRO DA SILVA ABUCATER
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. RONALDO VALLE
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

45 - PROCESSO: 0019965-75.2011.8.14.0401 - EMBARGOS DE DECLARAÇÃO CRIMINAL


EMBARGANTE: VICTOR HUGO CARVALHO DA ROCHA
REPRESENTANTES: GILSON SARAIVA DA SILVA - (OAB PA28558-A), RODRIGO RIBEIRO DACIER
LOBATO - (OAB PA26987-A), ANTONIO MARIA DE FREITAS LEITE JUNIOR - (OAB PA9000-A)
EMBARGADOS: O V. ACÓRDÃO ID 10522762 E JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. LUIZ CESAR TAVARES BIBAS
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Embargos rejeitados

46 - PROCESSO: 0104410-75.2005.8.14.0097 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: ALEXANDRE GOMES DA SILVA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. HEZEDEQUIAS MESQUITA DA COSTA
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

47 - PROCESSO: 0013230-94.2009.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: OSMUNDO DA SILVA GOMES
97
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

REPRESENTANTES: IVANILDO FERREIRA ALVES - (OAB PA19922-A), CARLOS FELIPE ALVES


GUIMARAES - (OAB PA18307-A)
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADORA DE JUSTIÇA: DRA. ANA TEREZA DO SOCORRO DA SILVA ABUCATER
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
Decisão: Retirado de Pauta de Plenário Virtual por Solicitação do Relator

48 - PROCESSO: 0011060-68.2012.8.14.0006 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: ELDER PATRICK DAMASCENO DE SOUZA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADORA DE JUSTIÇA: DRA. DULCELINDA LOBATO PANTOJA
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

49 - PROCESSO: 0003783-22.2013.8.14.0020 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MAX JOSE CAMPOS ALVES
REPRESENTANTES: ALESSANDRO MARTINS MARQUES - (OAB PA20368-A), FABIO ROGERIO
MOURA - (OAB PA14220-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. GERALDO DE MENDONCA ROCHA
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Dou parcial provimento ao recurso

50 - PROCESSO: 0019065-87.2014.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: CRISTIANE PEREIRA DE SOUZA DA SILVA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. FRANCISCO BARBOSA DE OLIVEIRA
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

51 - PROCESSO: 0040213-75.2015.8.14.0028 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DO PARA
APELADO: HELIO NATALINO DE ALENCAR
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. ADELIO MENDES DOS SANTOS
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

52 - PROCESSO: 0008659-70.2015.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: LUIZ OTAVIO PARAENSE DE SOUZA
REPRESENTANTE: CAMILA DO SOCORRO RODRIGUES ALVES - (OAB PA14055), SANDRO MAURO
COSTA DA SILVEIRA - (OAB PA8707-A), NELSON FERNANDO DAMASCENO E SILVA - (OAB
PA14092-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. RICARDO ALBUQUERQUE DA SILVA
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

53 - PROCESSO: 0002062-06.2015.8.14.0201 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: CARLOS LUCIVAN SANTOS QUEIROZ
98
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

REPRESENTANTE: RAFAEL DO VALE QUADROS - (OAB PA23183-A)


APELANTE: ALEX ADRIANO LEMOS BANDEIRA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. FRANCISCO BARBOSA DE OLIVEIRA
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Julgo prejudicado

54 - PROCESSO: 0018092-81.2015.8.14.0051 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MIZAEL GOMES PEREIRA FILHO
REPRESENTANTE: IGOR CELIO DE MELO DOLZANIS - (OAB PA19567)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. CLAUDIO BEZERRA DE MELO
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

55 - PROCESSO: 0004582-18.2015.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: CASSIO BARROS SAMPAIO
REPRESENTANTE: KATIUSSYA CAROLINE PEREIRA SILVA - (OAB PA16829-A)
APELANTE: FABRICIO AGUIAR DA SILVEIRA
REPRESENTANTE: LEONARDO JOSE GUALBERTO ALMEIDA - (OAB PA25717-A)
APELANTE: RAIMUNDO DO SOCORRO DAVID GARCIA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. LUIZ CESAR TAVARES BIBAS
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

56 - PROCESSO: 0015224-16.2016.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ
APELADO: ELIZEU MENEZES DE SOUSA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. RICARDO ALBUQUERQUE DA SILVA
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

57 - PROCESSO: 0010225-20.2016.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: JESSE DE JESUS DE SOUZA PINHEIRO
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. CLAUDIO BEZERRA DE MELO
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Julgo parcialmente procedente

58 - PROCESSO: 0048029-50.2016.8.14.0133 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MICHAEL KILDERE MACHADO DA SILVA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADO: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADORA DE JUSTIÇA: DRA. ANA TEREZA DO SOCORRO DA SILVA ABUCATER
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso
99
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

59 - PROCESSO: 0013360-52.2016.8.14.0009 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: LUIS MELQUES PINHEIRO FURTADO
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: JEFFERSON WALACE DE SOUSA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADORA DE JUSTIÇA: : DRA. CANDIDA DE JESUS RIBEIRO DO NASCIMENTO
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

60 - PROCESSO: 0023142-71.2016.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: DOMINGOS DA PAIXAO OLIVEIRA NASCIMENTO FILHO
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: JESSICA ESTHEFANI DOS SANTOS SILVA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADORA DE JUSTIÇA: DRA. ANA TEREZA DO SOCORRO DA SILVA ABUCATER
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

61 - PROCESSO: 0005605-46.2017.8.14.0201 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: NATAN DE LIMA LOPES
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: EDEM LIMA RODRIGUES
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: CARLOS HENRIQUE COSTA CARDOSO
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. MARCOS ANTONIO FERREIRA DAS NEVES
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

62 - PROCESSO: 0022047-69.2017.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: YTALO EDUARDO OLIVEIRA BOTELHO
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: CAROLINE LUCIO BORGES
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. LUIZ CESAR TAVARES BIBAS
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Dou parcial provimento ao recurso

63 - PROCESSO: 0005645-32.2018.8.14.0059 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: CLEDSON MARLENO MARQUES CAMPOS
REPRESENTANTE: SUZY TAYRINE DA SILVA NEVES - (OAB 26054-A), BIANCA MACEDO
FERNANDES - (OAB PA26152)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADORA DE JUSTIÇA: DRA. MARIA CELIA FILOCREAO GONCALVES
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Dou provimento ao recurso

64 - PROCESSO: 0010157-02.2018.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: IGOR PINHEIRO DOS SANTOS
100
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ


APELANTE: WALLACE PATROCÍNIO OLIVEIRA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADORA DE JUSTIÇA: DRA. UBIRAGILDA SILVA PIMENTEL
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

65 - PROCESSO: 0011376-50.2018.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: PAULO SERGIO MATOS
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. FRANCISCO BARBOSA DE OLIVEIRA
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Dou parcial provimento ao recurso

66 - PROCESSO: 0004061-86.2018.8.14.0007 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: SUZANO DE SOUZA DE MOURA
REPRESENTANTE: MIZAEL VIRGILINO LOBO DIAS - (OAB PA18312-A) ¿ DEFENSOR DATIVO
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. CLAUDIO BEZERRA DE MELO
REVISOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
RELATOR: DES. LEONAM GONDIM DA CRUZ JUNIOR
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Dou parcial provimento ao recurso

67 - PROCESSO: 0813602-29.2021.8.14.0000 - AGRAVO DE EXECUÇÃO PENAL


AGRAVANTE: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ
AGRAVADO: HAILTON JORGE BRANCO DOS SANTOS
REPRESENTANTE: RAMON BARBOSA DA CRUZ - (OAB PA21714-A)
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. CLAUDIO BEZERRA DE MELO
RELATOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Dou provimento ao recurso

68 - PROCESSO: 0813529-57.2021.8.14.0000 - AGRAVO DE EXECUÇÃO PENAL


AGRAVANTE: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ
AGRAVADO: CHARLES PICANCO ROCHA
REPRESENTANTE: ALEXANDRO SERGIO BAIA DA SILVA - (OAB DF23093-A)
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. CLAUDIO BEZERRA DE MELO
RELATOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Dou provimento ao recurso

69 - PROCESSO: 0814159-16.2021.8.14.0000 - AGRAVO DE EXECUÇÃO PENAL


AGRAVANTE: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ
AGRAVADO: JOSIEVERTON DE ARAUJO MUNHOZ
REPRESENTANTE: IGOR CELIO DE MELO DOLZANIS - (OAB PA19567)
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. LUIZ CESAR TAVARES BIBAS
RELATOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Dou provimento ao recurso

70 - PROCESSO: 0011808-18.2017.8.14.0009 - APELAÇÃO CRIMINAL - SEM REVISÃO


APELANTE: ESMAELINO SILVA SOUSA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. GERALDO DE MENDONCA ROCHA
RELATOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso
101
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

71 - PROCESSO: 0012635-46.2019.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL - SEM REVISÃO


APELANTE: LUIZ EDUARDO NEVES FERREIRA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. HEZEDEQUIAS MESQUITA DA COSTA
RELATOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

72 - PROCESSO: 0000481-31.2020.8.14.0087 - APELAÇÃO CRIMINAL - SEM REVISÃO


APELANTE: OTONIEL MARTINS LEAL
REPRESENTANTE: VENINO TOURAO PANTOJA JUNIOR - (OAB PA11505-A)
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. HEZEDEQUIAS MESQUITA DA COSTA
RELATOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Julgo improcedente

73 - PROCESSO: 0002288-37.2013.8.14.0021 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: GEAN COSMO DE SOUZA
REPRESENTANTE: SAMARA SOBRINHA DOS SANTOS ALVES - (OAB PA21140-A)
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. HEZEDEQUIAS MESQUITA DA COSTA
REVISOR: DES. RÔMULO NUNES
RELATOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Dou parcial provimento ao recurso

74 - PROCESSO: 0012987-50.2018.8.14.0009 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: ADRIANA DE SOUZA E SOUZA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADORA DE JUSTIÇA: DRA. MARIA DO SOCORRO MARTINS CARVALHO MENDO
REVISOR: DES. RÔMULO NUNES
RELATOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Nego provimento ao recurso

75 - PROCESSO: 0020393-13.2018.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ
APELADO: JEFFERSON JEAN SANTANA ALVES
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. CLAUDIO BEZERRA DE MELO
REVISOR: DES. RÔMULO NUNES
RELATOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Dou provimento ao recurso

76 - PROCESSO: 0801449-22.2021.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: ANDERSON DE ALMEIDA NERI
REPRESENTANTES: ANTONIO CARLOS DA COSTA SILVA JUNIOR - (OAB PA24118-A), CRISTINA
LOBATO BARBOSA - (OAB PA22732-A)
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADORA DE JUSTIÇA: DRA. MARIA DO SOCORRO MARTINS CARVALHO MENDO
REVISOR: DES. RÔMULO NUNES
RELATOR: DES. ALTEMAR PAES (JUIZ CONVOCADO)
Decisão: A unanimidade egrégia corte julgou: Dou parcial provimento ao recurso

(*) NOME(S) DO(S) RÉU(S) ESCRITO(S) POR EXTENSO, CONFORME DETERMINAÇÃO DESTA
EGRÉGIA TURMA, EM CONSONÂNCIA COM ENTENDIMENTO DO COLENDO SUPERIOR TRIBUNAL
DE JUSTIÇA.
102
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Do que para constar, eu, Tânia Maria da Costa Martins, Secretária Geral da UPJ das Turmas Penais
do TJ-PA, consigno a presente Ata/Resenha com dados extraídos do sistema PJe em julgamento sob
ferramenta Plenário Virtual, para os devidos fins. DES. RÔMULO NUNES, Presidente. Belém/PA, 13 de
setembro de 2022.

ATA/RESENHA DA 19ª SESSÃO ORDINÁRIA DE PLENÁRIO VIRTUAL DA 1ª TDP - SISTEMA PJE

19ª Sessão Ordinária de 2022 de Plenário Virtual da 1ª Turma de Direito Penal, sob a Presidência da
Exma. Desembargadora Maria Edwiges de Miranda Lobato. Com participação da Exma. Desembargadora
Vânia Lúcia Carvalho da Silveira e do Exmo. Juiz Convocado Altemar da Silva Paes, convocado para esta
Sessão. Representante do Ministério Público habilitado no sistema, o Exmo. Procurador de Justiça Dr.
Geraldo de Mendonça Rocha. Sessão realizada de forma virtual por meio da ferramenta Plenário Virtual,
disponibilizada no site oficial do TJPA, iniciada às 14h do dia 25 de julho de 2022 e término às 14h do
dia 01 de agosto de 2022. Cuja as ocorrências em processos pautados (informações extraídas via
sistema PJe) se encontram consignadas a seguir:

001 - PROCESSO: 0008769-47.2018.8.14.0051 - EMBARGOS DE DECLARAÇÃO CRIMINAL


EMBARGANTE: RAIMUNDO GENALDO XAVIER BELO
ADVOGADO: PEDRO ANTONIO DE LIMA MARIALVA - (OAB/PA 1605-A)
EMBARGADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: MARIA DO SOCORRO MARTINS CARVALHO MENDO
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE REJEITOU OS EMBARGOS DE DECLARAÇÃO

002 - PROCESSO: 0800107-75.2021.8.14.0077 - RECURSO EM SENTIDO ESTRITO


RECORRENTE: VALBE LIMA COSTA
ADVOGADA: RICHELLE SAMANTA PINHEIRO FREITAS - (OAB/PA 24659-A)
RECORRIDA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: CLAUDIO BEZERRA DE MELO
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

003 - PROCESSO: 0010552-31.2017.8.14.0012 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: JOSE MARIA FARIAS MENDES
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: SERGIO TIBURCIO DOS SANTOS SILVA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
SEM REVISÃO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO

004 - PROCESSO: 0000046-87.2012.8.14.0006 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: RONALDO DAS CHAGAS TAVARES
ADVOGADO: EDGAR LIMA FLORENTINO - (OAB/PA 18546-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: HEZEDEQUIAS MESQUITA DA COSTA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
SEM REVISÃO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE JULGOU PELO NÃO CONHECIMENTO DO
RECURSO

005 - PROCESSO: 0000301-08.2020.8.14.0057 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: PAULO MAICON FURTADO DE ABREU
ADVOGADO: CARLOS VINICIUS DE ARAUJO AQUINO - (OAB/PA 20543-A)
103
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA


PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: FRANCISCO BARBOSA DE OLIVEIRA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
SEM REVISÃO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO

006 - PROCESSO: 0806883-89.2021.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: RICHARDSON DA SILVA HUANG
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: HEZEDEQUIAS MESQUITA DA COSTA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

007 - PROCESSO: 0803892-43.2021.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: WERBETE SODRE
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: ANA TEREZA DO SOCORRO DA SILVA ABUCATER
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

008 - PROCESSO: 0800380-82.2021.8.14.0100 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: ANA CLARA DA LUZ CONCEIÇÃO
ADVOGADA: LIVIA VIDAL CABRAL - (OAB/PA 26945-A)
APELANTE: MARCOS AUGUSTO DE MOURA AGUIAR
ADVOGADO: FELIPE EDUARDO NASCIMENTO ROCHA - (OAB/PA 29895-A)
APELANTE: VITORIA SANTOS DA SILVA
ADVOGADA: CASSIA MANUELA RIBEIRO DO NASCIMENTO - (OAB/PA 15761-B)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: DULCELINDA LOBATO PANTOJA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO

009 - PROCESSO: 0801281-09.2021.8.14.0049 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: GIOVANI RAIMUNDO TEIXEIRA BARROS
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: MATEUS REIS DOS SANTOS MATHIAS
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: GERALDO DE MENDONCA ROCHA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PACIAL PROVIMENTO AO RECURSO

010 - PROCESSO: 0008792-78.2016.8.14.0013 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: CLEBSON AFONSO BATISTA ARAUJO
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: HAMILTON NOGUEIRA SALAME
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

011 - PROCESSO: 0805409-83.2021.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


104
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

APELANTE: GILFRANK DE OLIVEIRA DE ALMEIDA


ADVOGADO: RAIMUNDO MAURICIO PINTO JUNIOR - (OAB/PA 29830-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA MPPA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: MARCOS ANTONIO FERREIRA DAS NEVES
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

012 - PROCESSO: 0800204-78.2022.8.14.0000 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: JORGE LUIS PEREIRA SOUZA FILHO
ADVOGADO: VILMA ROSA LEAL DE SOUZA - (OAB/PA 10289-S)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: DULCELINDA LOBATO PANTOJA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO

013 - PROCESSO: 0800083-45.2021.8.14.0110 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MATHEUS SILVA NUNES
ADVOGADA: MONISE DE BARROS BRITO - (OAB/PA 31125-A)
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: MAURÍCIO CARVALHO SERRA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA MPPA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: MARIA DO SOCORRO MARTINS CARVALHO MENDO
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO

014 - PROCESSO: 0011065-08.2019.8.14.0051 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: RAFAEL FONSECA DE OLIVEIRA
ADVOGADA: DEBORAH LAIS MENEZES AGUIAR - (OAB/PA 25840-A)
ADVOGADO: LUCAS LAVOR XIMENES - (OAB/PA 25843-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: DULCELINDA LOBATO PANTOJA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

015 - PROCESSO: 0005751-59.2014.8.14.0115 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: JOSIAS ALVES DOS SANTOS
ADVOGADO DATIVO: EDSON DA CRUZ DA SILVA - (OAB/PA 14271-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: CANDIDA DE JESUS RIBEIRO DO NASCIMENTO
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

016 - PROCESSO: 0003009-33.2019.8.14.0003 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: A. S.
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: DULCELINDA LOBATO PANTOJA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

017 - PROCESSO: 0000841-03.2020.8.14.0010 - APELAÇÃO CRIMINAL


105
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

APELANTE: MICHAEL GOMES PEREIRA


ADVOGADA: MILENE SERRAT BRITO DOS SANTOS MARINHO - (OAB/PA 24629-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: MARCOS ANTONIO FERREIRA DAS NEVES
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

018 - PROCESSO: 0009320-65.2018.8.14.0006 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MARCELO COSTA DA SILVA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: GERALDO DE MENDONCA ROCHA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

019 - PROCESSO: 0020024-19.2018.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MARCOS PAULO DE SOUZA ALMEIDA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: GERALDO DE MENDONCA ROCHA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

020 - PROCESSO: 0003799-46.2012.8.14.0008 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: RAIMUNDO ALBERTO MENEZES DIAS
ADVOGADO: MARCOS BAHIA BEGOT - (OAB/PA 8842-A)
ADVOGADA: REGINA MARIA SOARES BARRETO DE OLIVEIRA - (OAB/PA 7508-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: HAMILTON NOGUEIRA SALAME
ASSISTENTE DE ACUSAÇÃO: SANDRA ONEIDE DE LIMA GOUVEA
ADVOGADA: DENILZA DE SOUZA TEIXEIRA - (OAB/PA 8020-A)
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

021 - PROCESSO: 0008895-97.2018.8.14.0051 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: ARLISON MAIA COSTA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: CANDIDA DE JESUS RIBEIRO DO NASCIMENTO
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

022 - PROCESSO: 0015371-86.2009.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: DIEGO RODRIGUES NUNES
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: MARCOS ANTONIO FERREIRA DAS NEVES
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

023 - PROCESSO: 0814905-78.2021.8.14.0000 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: CLAUDIO NAZARENO DA SILVA PEREIRA
106
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ


APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: RICARDO ALBUQUERQUE DA SILVA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

024 - PROCESSO: 0005350-54.2019.8.14.0028 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: KEDSON DE SOUSA VIANA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

025 - PROCESSO: 0001729-84.2019.8.14.0081 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: CARLOS ALBERTO NEVES RODRIGUES JUNIOR
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: DIVALDO SOUZA CUNHA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: FRANCISCO BARBOSA DE OLIVEIRA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO

026 - PROCESSO: 0800232-62.2021.8.14.0006 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ
APELADO: ERIK HENRIQUE DO NASCIMENTO OLIVEIRA
ADVOGADA: PAMELA DANIELA PINHEIRO SAMPAIO - (OAB/PA 27721-A)
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: CANDIDA DE JESUS RIBEIRO DO NASCIMENTO
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

027 - PROCESSO: 0007890-92.2017.8.14.0045 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: PAULO HENRIQUE DIAS PEREIRA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: CANDIDA DE JESUS RIBEIRO DO NASCIMENTO
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

028 - PROCESSO: 0010785-43.2018.8.14.0028 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: CICERO DA SILVA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: DULCELINDA LOBATO PANTOJA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

029 - PROCESSO: 0000601-25.2015.8.14.0063 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: RONILDO CARDOSO TRINDADE
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: RAILANE BRITO DO NASCIMENTO
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
107
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA


PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: DULCELINDA LOBATO PANTOJA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO

030 - PROCESSO: 0001595-56.2019.8.14.0049 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MARIA ANTONIA BANDEIRA MARINHO
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: SERGIO TIBURCIO DOS SANTOS SILVA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO

031 - PROCESSO: 0006211-41.2019.8.14.0060 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: ESLEM PINHEIRO GAIA
ADVOGADA: MARGARETH CARVALHO MONTEIRO BARBOSA - (OAB/PA 17899-A)
ADVOGADO: LUIS CARLOS PEREIRA BARBOSA JUNIOR - (OAB/PA 26917-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: GERALDO DE MENDONCA ROCHA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

032 - PROCESSO: 0807734-31.2021.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: CAMILA SOARES DOS SANTOS
ADVOGADA: MARIANA BRANDAO PAIVA - (OAB/PA 29525-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: CANDIDA DE JESUS RIBEIRO DO NASCIMENTO
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

033 - PROCESSO: 0011956-12.2020.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MOIZEIS MIRANDA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: RICARDO ALBUQUERQUE DA SILVA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

034 - PROCESSO: 0013653-15.2013.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: RENATO DA SILVA FARIAS
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: MARIA CELIA FILOCREAO GONCALVES
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

035 - PROCESSO: 0012722-36.2018.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: WILAMIS MIRANDA AZEVEDO
ADVOGADO: AFONSO HENRIQUE REBELO FURTADO - (OAB/PA 19197-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: HAMILTON NOGUEIRA SALAME
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
108
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO


DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

036 - PROCESSO: 0814906-63.2021.8.14.0000 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: JOVELINO FAUSTINO DA SILVA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: DULCELINDA LOBATO PANTOJA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

037 - PROCESSO: 0003321-09.2020.8.14.0024 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: FRANCISCO CLEMENTINO DA SILVA
ADVOGADO: AUGUSTO VINICIUS FERNANDES MARTINS - (OAB/PA 29575-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: MARIA CELIA FILOCREAO GONCALVES
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO

038 - PROCESSO: 0000262-53.2020.8.14.0043 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: LENILDO BRABO DA SILVA
ADVOGADO: MIGUEL MOREIRA VALENTE - (OAB/PA 29150-A)
APELANTE: EDUARDO LACERDA DE ABREU
ADVOGADO: MIGUEL MOREIRA VALENTE - (OAB/PA 29150-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: HEZEDEQUIAS MESQUITA DA COSTA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

039 - PROCESSO: 0013113-37.2017.8.14.0009 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: EDIVAN DOS SANTOS REIS
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: FRANCISCO SANTOS DA SILVA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: CANDIDA DE JESUS RIBEIRO DO NASCIMENTO
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

040 - PROCESSO: 0801553-19.2022.8.14.0000 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: J. R. R. C.
ADVOGADO DATIVO: FRANCIONE COSTA DE FRANCA (OAB/PA 9736)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: ANA TEREZA DO SOCORRO DA SILVA ABUCATER
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

041 - PROCESSO: 0009575-70.2016.8.14.0013 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MARCOS RODRIGO FERREIRA DA SILVA MATOS
ADVOGADO: OMAR JOSE DE OLIVEIRA BUERES - (OAB/PA 4220-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: LUIZ CESAR TAVARES BIBAS
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
109
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO


DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

042 - PROCESSO: 0812355-13.2021.8.14.0000 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: JOBSON DA SILVA MELO
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: ADONIAS SOUSA LIMA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: CANDIDA DE JESUS RIBEIRO DO NASCIMENTO
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO

043 - PROCESSO: 0017966-14.2016.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: TARCISIO CHAVES DE LIMA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: EDMUNDO DA SILVA CARVALHO
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: ANA TEREZA DO SOCORRO DA SILVA ABUCATER
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PROVIMENTO AO RECURSO

044 - PROCESSO: 0000081-82.2019.8.14.0012 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: CLEISON DO SOCORRO WANZELER RODRIGUES
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: DULCELINDA LOBATO PANTOJA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

045 - PROCESSO: 0008877-93.2018.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: DIEGO HENRIQUE MENDES PUREZA
ADVOGADA: ANA CAROLINA MENDES PUREZA - (OAB/PA 26487-A)
ADVOGADO: ANTONIO JOSE MARTINS FERNANDES - (OAB/PA 26632-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: HAMILTON NOGUEIRA SALAME
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE JULGOU PREJUDICADO O RECURSO

046 - PROCESSO: 0015915-51.2016.8.14.0006 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: JEFFERSON RODRIGUES FERREIRA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTICA PUBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: HEZEDEQUIAS MESQUITA DA COSTA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

047 - PROCESSO: 0008021-24.2016.8.14.0006 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: KAIO DA COSTA RODRIGUES
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: HAMILTON NOGUEIRA SALAME
110
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA


REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

048 - PROCESSO: 0005706-93.2017.8.14.0133 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ
APELADO: FABIANA SILVA DE SOUZA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADO: ANDERSON GLEISON DA SILVA SANTOS
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: RICARDO ALBUQUERQUE DA SILVA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

049 - PROCESSO: 0008535-37.2018.8.14.0028 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: ILDEGLAN CASTRO DE OLIVEIRA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: CLAUDIO BEZERRA DE MELO
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

050 - PROCESSO: 0000622-68.2011.8.14.0086 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: J. C. DOS S.
ADVOGADO: ANTONIO JOAO TEIXEIRA CAMPOS SILVA - (OAB/PA 7271-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: MARIA DO SOCORRO MARTINS CARVALHO MENDO
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PROVIMENTO AO RECURSO

051 - PROCESSO: 0003427-78.2019.8.14.0032 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: RUBERVAN FARIAS LOBO
ADVOGADO: CARIM JORGE MELEM NETO - (OAB/PA 13789-A)
ADVOGADO: PAULO BOAVENTURA MAIA MEDEIROS - (OAB/PA 8409-A)
ADVOGADO: RUAN PATRIK NUNES DO NASCIMENTO - (OAB/PA 26925-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: RICARDO ALBUQUERQUE DA SILVA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

052 - PROCESSO: 0009801-53.2019.8.14.0051 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: RONILSON SOARES PEREIRA
ADVOGADO: IGOR CELIO DE MELO DOLZANIS - (OAB/PA 19567-A)
APELANTE: JAIME COSTA GOMES
ADVOGADO: WALDER PATRICIO CARVALHO FLORENZANO - (OAB/PA 11495-A)
APELANTE: DAMIAO RAMOS LEITAO
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: ANA TEREZA DO SOCORRO DA SILVA ABUCATER
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

053 - PROCESSO: 0000310-80.2006.8.14.0082 - APELAÇÃO CRIMINAL


111
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

APELANTE: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ


APELADO: RONDINELIS COSTA DE SOUSA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: ANA TEREZA DO SOCORRO DA SILVA ABUCATER
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

054 - PROCESSO: 0000561-92.2020.8.14.0087 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: WALDIR MALHEIRO GOMES
ADVOGADA: VERENA CERQUEIRA DOS SANTOS CARDOSO - (OAB/PA 17468-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: MARIA DO SOCORRO MARTINS CARVALHO MENDO
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

055 - PROCESSO: 0024449-35.2009.8.14.0133 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: PABLO HENRIQUE DA SILVA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: RAPHAEL MIRANDA COSTA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: SERGIO TIBURCIO DOS SANTOS SILVA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PROVIMENTO AO RECURSO

056 - PROCESSO: 0800056-58.2021.8.14.9100 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: ANDERSON DA SILVA DE CASTRO
ADVOGADO DATIVO: ARIOSTO CARDOSO PAES JUNIOR - (OAB/PA 6469-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO

057 - PROCESSO: 0800263-13.2020.8.14.0105 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: LUCIANA OLIVEIRA DOS SANTOS
ADVOGADO: WENDEL JOSE DE SOUZA MADEIRO - (OAB/PA 24031-A)
APELANTE: MARCOS ARAUJO CHAGAS
ADVOGADO: WENDEL JOSE DE SOUZA MADEIRO - (OAB/PA 24031-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: HEZEDEQUIAS MESQUITA DA COSTA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

058 - PROCESSO: 0001160-33.2011.8.14.0059 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: RAIMUNDO ELIAS PANTOJA DA SOUZA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: CLAUDIO BEZERRA DE MELO
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

059 - PROCESSO: 0806921-04.2021.8.14.0401 - EMBARGOS DE DECLARAÇÃO CRIMINAL


EMBARGANTE: F. G. DO E. S.
112
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

ADVOGADO: EDUARDO IMBIRIBA DE CASTRO - (OAB/PA 11816-A)


ADVOGADO: ANDRE SILVA TOCANTINS - (OAB/PA 15381-A)
ADVOGADA: GABRIELLA CASANOVA ATAIDE DOS SANTOS - (OAB/PA 27216-A)
ADVOGADO: JAMILLA COELHO MENDES - (OAB/PA 30691-A)
ADVOGADA: TATIANE FERREIRA MORAES - (OAB/PA 27215-A)
EMBARGADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: DULCELINDA LOBATO PANTOJA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

060 - PROCESSO: 0808192-53.2022.8.14.0000 - AGRAVO DE EXECUÇÃO PENAL


AGRAVANTE: YALLEN KLEITON RODRIGUES FIALHO
ADVOGADA: GILCIMARA DA SILVA PEREIRA GAMA - (OAB/PA 11191-A)
ADVOGADO: ROGERIO WILLIAM ARAUJO FERREIRA - (OAB/PA 33046)
AGRAVADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: RICARDO ALBUQUERQUE DA SILVA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

061 - PROCESSO: 0806828-46.2022.8.14.0000 - AGRAVO DE EXECUÇÃO PENAL


AGRAVANTE: DERBET JOSE RABELO FERREIRA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
AGRAVADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: HEZEDEQUIAS MESQUITA DA COSTA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

062 - PROCESSO: 0811859-94.2021.8.14.0028 - RECURSO EM SENTIDO ESTRITO


RECORRENTE/RECORRIDO: RAI DE SOUZA MELO
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
RECORRIDO/RECORRENTE: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: ANA TEREZA DO SOCORRO DA SILVA ABUCATER
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PROVIMENTO AO RECURSO DO MINISTÉRIO
PÚBLICO DO ESTADO E IMPROVIMENTO AO RECURSO DE RAI DE SOUZA MELO

063 - PROCESSO: 0019809-82.2014.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MARCELO SEBASTIAO SANTOS DA SILVA
ADVOGADO: TIAGO RAFAEL XERFAN BENTES - (OAB/PA 31271-A)
ADVOGADO: LEANDRO ATHAYDE FERNANDES - (OAB/PA 20855-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
ASSISTENTE DE ACUSAÇÃO: MONICA PIMENTEL ALVES PEREIRA
ADVOGADO: DIRCEU RIKER FRANCO - (OAB/PA 9297-A)
ADVOGADO: CORA BELEM VIEIRA DE OLIVEIRA BELEM - (OAB/PA 18199-A)
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: GERALDO DE MENDONCA ROCHA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
SEM REVISÃO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PROVIMENTO AO RECURSO

064 - PROCESSO: 0002164-26.2019.8.14.0124 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: APARECIDO DARI CORDEIRO
ADVOGADO: ANTONIO LOPES FILHO - (OAB/PA 16267-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: MARIA CELIA FILOCREAO GONCALVES
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
SEM REVISÃO
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO
113
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

065 - PROCESSO: 0003122-25.2017.8.14.0013 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: JULIO CESAR FRANCO PEREIRA
ADVOGADO: GEOVANO HONORIO SILVA DA SILVA - (OAB/PA 15927-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: HEZEDEQUIAS MESQUITA DA COSTA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO

066 - PROCESSO: 0000668-13.2018.8.14.0086 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MARCOS EDUARDO CANTO DUARTE
ADVOGADO DATIVO: SOCRATES GUIMARAES PINHEIRO - (OAB/PA 29129-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: FRANCISCO BARBOSA DE OLIVEIRA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

067 - PROCESSO: 0008796-34.2017.8.14.0061 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: JHONATAN DA CONCEICAO CORREA
ADVOGADO: FABRICIO MARTINS PEREIRA - (OAB/PA 15053-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: ANA TEREZA DO SOCORRO DA SILVA ABUCATER
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

068 - PROCESSO: 0000743-33.2010.8.14.0086 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: NELSON DA SILVA CORDEIRO
ADVOGADO: RAFAEL SANTOS DE MOURA - (OAB/PA 21735-A)
ADVOGADA: ANA PAULA CARDOSO SARMENTO - (OAB/PA 20180-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: HEZEDEQUIAS MESQUITA DA COSTA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

069 - PROCESSO: 0001792-21.2013.8.14.0049 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: DIEGO DO ROSARIO FREIRE
ADVOGADA: CIBELE DE NAZARE MONTEIRO SARMENTO - (OAB/PA 15011-A)
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: RUBENS DIAS FURTADO JUNIOR
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: MARIA DO SOCORRO MARTINS CARVALHO MENDO
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

070 - PROCESSO: 0000155-04.2012.8.14.0200 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ
APELADO: DILSON BARBOSA SOARES JUNIOR
ADVOGADA: CRISTIANE DO SOCORRO CUNHA DE OLIVEIRA - (OAB/PA 13558-A)
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: MARCOS ANTONIO FERREIRA DAS NEVES
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO
114
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

071 - PROCESSO: 0004251-36.2017.8.14.0055 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: JOSE LUIZ CARDOSO DE OLIVEIRA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: PAULO ANDRADE PENICHE TRAVASSOS
ADVOGADO: JOSE MARIA CARVALHO DE FARIAS - (OAB/PA 7986)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: HAMILTON NOGUEIRA SALAME
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

072 - PROCESSO: 0001705-58.2018.8.14.0124 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ
APELADO: EM APURAÇÃO
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: DULCELINDA LOBATO PANTOJA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PROVIMENTO AO RECURSO

073 - PROCESSO: 0807301-79.2021.8.14.0028 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: LEANDRO CURVINO SENA
ADVOGADO: EDUARDO SOARES BUTKOWSKY - (OAB/MA 13237-A)
ADVOGADO: WERBERTY ARAUJO DE OLIVEIRA - (OAB/PI 12004-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: CLAUDIO BEZERRA DE MELO
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

074 - PROCESSO: 0814602-64.2021.8.14.0000 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: FRANCISCO BRAGA LIMA JUNIOR
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: CANDIDA DE JESUS RIBEIRO DO NASCIMENTO
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO

075 - PROCESSO: 0003782-03.2020.8.14.0049 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: M. A. DA S. DOS S.
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: MARIA DO SOCORRO MARTINS CARVALHO MENDO
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

076 - PROCESSO: 0800383-02.2020.8.14.0026 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: ADRIANO MARQUES DE LIMA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: GERALDO DE MENDONCA ROCHA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO

077 - PROCESSO: 0540034-91.2019.8.14.0045 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: DOUGLAS SOUZA FERNANDES
115
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

ADVOGADO: CARLUCIO FERREIRA - (OAB/PA 8612-A)


ADVOGADO: KAIRO UBIRATAN DIAS BESSA - (OAB/PA 24315-A)
APELANTE: MAYCON JHION ALVES SOUSA
ADVOGADO: CARLUCIO FERREIRA - (OAB/PA 8612-A)
ADVOGADO: KAIRO UBIRATAN DIAS BESSA - (OAB/PA 24315-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: CANDIDA DE JESUS RIBEIRO DO NASCIMENTO
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO

078 - PROCESSO: 0814664-65.2021.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: GABRIEL DE LIMA SOUSA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: JEFERSON DA SILVA FONSECA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: CANDIDA DE JESUS RIBEIRO DO NASCIMENTO
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

079 - PROCESSO: 0000763-64.2010.8.14.0008 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: W. V. G.
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: MARCOS ANTONIO FERREIRA DAS NEVES
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

080 - PROCESSO: 0810906-78.2021.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: FABIO DOS SANTOS BAHIA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
ASSISTENTE DE ACUSAÇÃO: ALMIR COELHO DA SILVA
ADVOGADO: GEORGES AUGUSTO CORREA DA SILVA - (OAB/PA 28405-A)
ADVOGADO: GIOVANNI MESQUITA PANTOJA - (OAB/PA 12673-A)
ADVOGADA: BRUNA PAIVA JASSÉ - (OAB/PA 22912-A)
ADVOGADO: NELSON MAURICIO DE ARAUJO JASSE - (OAB/PA 18898-A)
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: LUIZ CESAR TAVARES BIBAS
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

081 - PROCESSO: 0019296-75.2018.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: SERGIO CONSTANCIO DIAS RAIOL
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: LUIZ CESAR TAVARES BIBAS
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

082 - PROCESSO: 0004410-75.2019.8.14.0065 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ
APELADO: J. R. S. DE S.
ADVOGADO: DIEGO LIMA MOREIRA - (OAB/PA 19114-A)
116
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: RICARDO ALBUQUERQUE DA SILVA


RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

083 - PROCESSO: 0006331-28.2014.8.14.0006 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: NATAN DOS SANTOS PEREIRA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: SERGIO TIBURCIO DOS SANTOS SILVA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

084 - PROCESSO: 0003378-26.2013.8.14.0039 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: DAVID ROCHA DOS SANTOS
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: HAMILTON NOGUEIRA SALAME
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

085 - PROCESSO: 0003145-16.2010.8.14.0045 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: EMERSON DA SILVA VALENTE
ADVOGADO: FRANCELINO DA SILVA PINTO NETO - (OAB/PA 14948-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: GERALDO DE MENDONCA ROCHA
ASSISTENTE DE ACUSAÇÃO: AROLDO JOSE DE ARAUJO
ADVOGADO: JOAO FERREIRA DA SILVA - (OAB/PA 10198-B-A)
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

086 - PROCESSO: 0024139-25.2014.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: ALFREDO JUNIOR CUNHA DA SILVA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: DULCELINDA LOBATO PANTOJA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

087 - PROCESSO: 0003105-73.2019.8.14.0124 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: YULI FERREIRA FONTINELE
ADVOGADO: CESAR AUGUSTO BARBOSA CHIAPPETTA - (OAB/PA 22501-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: MARIA DO SOCORRO MARTINS CARVALHO MENDO
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO

088 - PROCESSO: 0000393-09.2011.8.14.0022 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: EDINANDO MONTEIRO VARELA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: VALDINEI SERRÃO PANTOJA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
117
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: FRANCISCO BARBOSA DE OLIVEIRA


RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

089 - PROCESSO: 0017230-17.2016.8.14.0006 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: GEOVANI MAGNO BRITO
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: GERALDO DE MENDONCA ROCHA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

090 - PROCESSO: 0025016-86.2019.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: ADNA CRISTINA GOMES NUNES
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: ANA TEREZA DO SOCORRO DA SILVA ABUCATER
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

091 - PROCESSO: 0003225-24.2015.8.14.0006 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: JHONATAN DO ESPIRITO SANTO SILVA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: RÔMULO SOARES MONTERIO
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: MARIA DO SOCORRO MARTINS CARVALHO MENDO
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

092 - PROCESSO: 0002287-15.2020.8.14.0051 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: WILLIAME CALDAS DA SILVA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: MARIA DO SOCORRO MARTINS CARVALHO MENDO
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

093 - PROCESSO: 0000041-68.2016.8.14.0089 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: D. D. DA S.
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: HEZEDEQUIAS MESQUITA DA COSTA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

094 - PROCESSO: 0068907-47.2015.8.14.0095 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: JOSE RENATO PANTOJA DOS SANTOS
ADVOGADO DATIVO: WANDYR MARCELO TRINDADE DA FONSECA - (OAB/PA 23481-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: HAMILTON NOGUEIRA SALAME
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
118
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA


DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO

095 - PROCESSO: 0002592-53.2019.8.14.0012 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: RODRIGO TRINDADE DE FREITAS
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: DEIVISON SANTOS DA SILVA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: MARIA CELIA FILOCREAO GONCALVES
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO

096 - PROCESSO: 0013237-56.2019.8.14.0039 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DO PARA
APELADO: JOSE NILSON FERREIRA NOVAIS
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: RICARDO ALBUQUERQUE DA SILVA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PROVIMENTO AO RECURSO

097 - PROCESSO: 0005058-38.2019.8.14.0006 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: JOÃO PAULO ALMEIDA DE SOUZA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: GERALDO DE MENDONCA ROCHA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO

098 - PROCESSO: 0006597-86.2017.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: SANDRO CAPISTRANO DA CRUZ
ADVOGADO: EDILSON SILVA MOREIRA - (OAB/PA 7564-A)
ADVOGADO: ARMANDO AQUINO ARAUJO JUNIOR - (OAB/PA 014403-A)
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: RICARDO ALBUQUERQUE DA SILVA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

099 - PROCESSO: 0008134-10.2018.8.14.0005 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: ROMARIO ALVES DE ARAUJO FILHO
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: RICARDO ALBUQUERQUE DA SILVA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

100 - PROCESSO: 0010421-50.2012.8.14.0006 -APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: IRANILDO SOUSA DA COSTA
ADVOGADA: JULIANA DA SILVA BRABO - (OAB/PA 29565-A)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: MARIA CELIA FILOCREAO GONCALVES
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
119
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA


DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

101 - PROCESSO: 0011485-64.2018.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: SILAS DA SIVA MARTIRES
ADVOGADO: DENIEL RUIZ DE MORAES - (OAB/PA 23281-A)
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: ANA TEREZA DO SOCORRO DA SILVA ABUCATER
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

102 - PROCESSO: 0013842-38.2015.8.14.0040 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MARIA DAS NEVES SILVA DE LIMA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: GERALDO DE MENDONCA ROCHA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

103 - PROCESSO: 0002913-82.2014.8.14.0200 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: ANSELMO GUIMARAES PINTO
ADVOGADO: CLAYTON DAWSON DE MELO FERREIRA - (OAB/PA 014840)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: MARIA CELIA FILOCREAO GONCALVES
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

104 - PROCESSO: 0011438-27.2017.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: HELENA LUCIA PENA DE SOUSA
ADVOGADO: LEANDRO ATHAYDE FERNANDES - (OAB/PA 20855-A)
ADVOGADO: LUIZ GUILHERME CONCEICAO DE ALMEIDA - (OAB/PA 4533)
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: SERGIO TIBURCIO DOS SANTOS SILVA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

105 - PROCESSO: 0089843-63.2015.8.14.0008 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: JOHN GONCALVES MENEZES
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: FRANCISCO BARBOSA DE OLIVEIRA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO

106 - PROCESSO: 0104542-65.2015.8.14.0006 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: CLEIDSON GUEDES LIMA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: ANA TEREZA DO SOCORRO DA SILVA ABUCATER
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO
120
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

107 - PROCESSO: 0009571-91.2020.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: GLEMESON MACHADO TELES
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELANTE: KELVEN DOS SANTOS LOPES
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: HAMILTON NOGUEIRA SALAME
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

108 - PROCESSO: 0007694-11.2018.8.14.0200 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ
APELADO: CARLOS ANDRE PIEDADE DOS SANTOS
ADVOGADA: NAYARA REGO BORGES - (OAB/PA 21611-A)
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: CLAUDIO BEZERRA DE MELO
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE DEU PROVIMENTO AO RECURSO

109 - PROCESSO: 0014482-88.2016.8.14.0401 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: LUCILEUDO SANTOS GONCALVES
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: GERALDO DE MENDONCA ROCHA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE NEGOU PROVIMENTO AO RECURSO

110 - PROCESSO: 0013580-30.2014.8.14.0006 - APELAÇÃO CRIMINAL


APELANTE: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ
APELADO: JOAQUIM ANTONIO OLIVEIRA MENEZES
ADVOGADO: BRUNO COSTA MENDONCA - (OAB/PA 21520-A)
PROCURADOR(A) DE JUSTIÇA: LUIZ CESAR TAVARES BIBAS
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: À UNANIMIDADE A EGRÉGIA CORTE JULGOU PELO NÃO CONHECIMENTO DO
RECURSO

Do que para constar, eu, Ney Gonçalves Ramos, Secretário da 1ª Turma de Direito Penal, consigno a
presente Ata/Resenha com dados extraídos do sistema PJe em Julgamento sob ferramenta Plenário
Virtual, para os devidos fins. Desembargadora Maria Edwiges de Miranda Lobato, Presidente. Belém/PA,
04 de agosto de 2022.

ATA/RESENHA DA 20ª SESSÃO ORDINÁRIA DE PLENÁRIO VIRTUAL DA 1ª TDP - SISTEMA PJE

20ª Sessão Ordinária de 2022 de Plenário Virtual da 1ª Turma de Direito Penal, sob a Presidência da
Exma. Desembargadora Maria Edwiges de Miranda Lobato. Com participação da Exma. Desembargadora
Vânia Lúcia Carvalho da Silveira e do Exmo. Juiz Convocado Altemar da Silva Paes, convocado para esta
121
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Sessão. Representante do Ministério Público habilitado no sistema, a Exma. Procuradora de Justiça Dra.
Maria Célia Filocreão Gonçalves. Sessão realizada de forma virtual por meio da ferramenta Plenário
Virtual, disponibilizada no site oficial do TJPA, iniciada às 14h do dia 01 de agosto de 2022 e término às
14h do dia 08 de agosto de 2022. Cuja as ocorrências em processos pautados (informações extraídas
via sistema PJe) se encontram consignadas a seguir:

001 - EMBARGOS DE DECLARAÇÃO CRIMINAL - 0008352-06.2014.8.14.0061


EMBARGANTE: THAYGA DA SILVA PINHEIRO
REPRSENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
EMBARGADA: JUSTIÇA PÚBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. RICARDO ALBUQUERQUE DA SILVA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

002 - RECURSO EM SENTIDO ESTRITO - 0019649-10.2016.8.14.0006


RECORRENTE: CLEBERSON FERREIRA DE SOUSA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
RECORRIDA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. MARCOS ANTONIO FERREIRA DAS NEVES
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

003 - RECURSO EM SENTIDO ESTRITO - 0011285-12.2018.8.14.0028


RECORRENTE: FELIPE FREIRE SAMPAIO GOVEIA
ADVOGADO: JULIANNE ESPIRITO SANTO MACEDO - (OAB PA20959-A)
RECORRIDA: JUSTIÇA PUBLICA
ASSISTENTE DE ACUSAÇÃO: SEBASTIAO MORAES DOS SANTOS
ADVOGADO: RICARDO MOURA - (OAB PA17997-A)
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. FRANCISCO BARBOSA DE OLIVEIRA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

004 - RECURSO EM SENTIDO ESTRITO - 0805898-06.2021.8.14.0051


RECORRENTE: RAQUEL SILVA TRAVASSOS
ADVOGADO: ROGERIO CORREA BORGES - (OAB PA13795-A)
RECORRENTE: LIVELTON FERREIRA DOS SANTOS
ADVOGADOS: JESSICA ADRIANE FERREIRA DE SOUSA - (OAB PA21727-A) E ROMULO ALVES
FERREIRA SANTOS - (OAB PA30961-A)
RECORRIDA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. FRANCISCO BARBOSA DE OLIVEIRA
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

005 - APELAÇÃO CRIMINAL - 0000070-78.2009.8.14.0020


APELANTE: J. O. dos S. R.
ADVOGADA DATIVA: BARBIE CHAVES DA SILVA - (OAB PA28553-A)
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. CLAUDIO BEZERRA DE MELO
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

006 - APELAÇÃO CRIMINAL - 0022696-10.2012.8.14.0401


APELANTE: HERBERT RICHARD SILVA DO NASCIMENTO
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. CLAUDIO BEZERRA DE MELO
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
122
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA


DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

007 - APELAÇÃO CRIMINAL - 0009220-72.2018.8.14.0051


APELANTE: ERICLIS FERNANDES CORREA
ADVOGADOS: WAGNEY FABRICIO AZEVEDO LAGES - (OAB PA12406-A) E AMIL ROBERTO
MARINHO DE OLIVEIRA - (OAB CE28437-A)
APELANTE: JOSICLEI DE CASTRO GONZAGA
ADVOGADO: WAGNEY FABRICIO AZEVEDO LAGES - (OAB PA12406-A)
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. GERALDO DE MENDONCA ROCHA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

008 - APELAÇÃO CRIMINAL - 0003277-12.2019.8.14.0028


APELANTE: MARA LINE PEREIRA BRITO
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADO: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADORA DE JUSTIÇA: DRA CANDIDA DE JESUS RIBEIRO DO NASCIMENTO
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

009 - APELAÇÃO CRIMINAL - 0004837-28.2019.8.14.0015


APELANTE: RONIVALDO SOUSA RAIOL
ADVOGADAS: SABRYNA OLIVEIRA PINTO - (OAB PA27064-A) E SAMARA COELHO CRUZ - (OAB
TO5261-A)
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. HEZEDEQUIAS MESQUITA DA COSTA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

010 - APELAÇÃO CRIMINAL - 0008130-75.2020.8.14.0401


APELANTE: A. V. L.
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADORA DE JUSTIÇA: DRA. DULCELINDA LOBATO PANTOJA
REVISORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
RELATORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA SILVEIRA
DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

011 - RECURSO EM SENTIDO ESTRITO - 0005273-82.2017.8.14.0200


RECORRENTE: MINISTERIO PUBLICO ESTADUAL
RECORRIDA: JUSTIÇA PUBLICA
TERCEIRO INTERESSADO: CARLOS ALBERTO RIBEIRO LEAO
ADVOGADO: ALEXANDRE AUGUSTO DE PINHO PIRES - (OAB PA12401-A)
TERCEIRO INTERESSADO: RAFAEL ALFAIA FERREIRA
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. CLAUDIO BEZERRA DE MELO
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

012 - RECURSO EM SENTIDO ESTRITO - 0006410-65.2018.8.14.0200


RECORRENTE: MINISTERIO PUBLICO ESTADUAL
RECORRIDA: JUSTIÇA PUBLICA
TERCEIRO INTERESSADO: FREDSON SOUSA DOS SANTOS
123
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ


TERCEIRO INTERESSADO: RAIMUNDO CONCEICAO DA SILVA
ADVOGADOS: RODRIGO TEIXEIRA SALES - (OAB PA11068-A) E SANDRO MAURO COSTA DA
SILVEIRA - (OAB PA8707-A)
TERCEIRO INTERESSADO: JUCINEI OLIVEIRA DOS SANTOS
ADVOGADOS: RODRIGO TEIXEIRA SALES - (OAB PA11068-A) E SANDRO MAURO COSTA DA
SILVEIRA - (OAB PA8707-A)
TERCEIRO INTERESSADO: BRUNO DANIEL GUIMARAES COSTA
ADVOGADOS: RODRIGO TEIXEIRA SALES - (OAB PA11068-A) E SANDRO MAURO COSTA DA
SILVEIRA - (OAB PA8707-A)
TERCEIRO INTERESSADO: ANTONIO CARLOS DOS PASSO LOPES
ADVOGADO: RODRIGO TEIXEIRA SALES - (OAB PA11068-A)
TERCEIRO INTERESSADO: ADSON WESLEY PALHETA DE QUADROS
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. LUIZ CESAR TAVARES BIBAS
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

013 - APELAÇÃO CRIMINAL - 0000746-67.2006.8.14.0008


APELANTE: JONAS AGUIAR SANTOS
REPRESENTANTE: DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. FRANCISCO BARBOSA DE OLIVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA CARVALHO DA SILVEIRA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

014 - APELAÇÃO CRIMINAL - 0000120-06.2012.8.14.0051


APELANTE: MARCOS ANDRE RIBEIRO TEIXEIRA
ADVOGADA: JULIANE FONTENELE ZAMPIETRO - (OAB PA14519-A)
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
ASSISTENTE DE ACUSAÇÃO: JO DA SILVA PINTO
ADVOGADO: ALEXANDRE NASCIMENTO LOPES - (OAB PA9424-A)
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. FRANCISCO BARBOSA DE OLIVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA CARVALHO DA SILVEIRA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

015 - APELAÇÃO CRIMINAL - 0005481-74.2019.8.14.0401


APELANTE: ELIEZER MOREIRA ALVES
REPRESENTANTE:DEFENSORIA PUBLICA DO ESTADO DO PARÁ
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. GERALDO DE MENDONCA ROCHA
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA CARVALHO DA SILVEIRA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

016 - APELAÇÃO CRIMINAL - 0001122-43.2020.8.14.0079


APELANTE: LIELSON DA SILVA SOARES
ADVOGADO DATIVO: WADY CHARONE NETO - (OAB PA28194-A)
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. FRANCISCO BARBOSA DE OLIVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA CARVALHO DA SILVEIRA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

017 - APELAÇÃO CRIMINAL - 0000021-96.2019.8.14.0081


APELANTE: HERMERSON BOAVENTURA
124
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

ADVOGADA DATIVA: DANIELA PINHEIRO CATUNDA - (OAB PA28579-A)


APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. HAMILTON NOGUEIRA SALAME
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA CARVALHO DA SILVEIRA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

018 - APELAÇÃO CRIMINAL - 0000961-37.2020.8.14.0401


APELANTE: I. M. M.
ADVOGADO: ANTONIO PEDRO LEDO LEMOS - (OAB PA27491-A)
APELADA: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. RICARDO ALBUQUERQUE DA SILVA
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA CARVALHO DA SILVEIRA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

019 - APELAÇÃO CRIMINAL - 0017756-21.2020.8.14.0401


APELANTE: JEANYO JOSE FREITAS DA SILVA
ADVOGADOS: LUCIANA SA HIRAKAWA PRESTES - (OAB PA25753-A) E AUGUSTO FRANKLIN
GARCIA REIS - (OAB PA24129-A)
APELADO: JUSTIÇA PUBLICA
PROCURADOR DE JUSTIÇA: DR. FRANCISCO BARBOSA DE OLIVEIRA
REVISORA: DESEMBARGADORA VÂNIA LÚCIA CARVALHO DA SILVEIRA
RELATORA: DESEMBARGADORA MARIA EDWIGES DE MIRANDA LOBATO
DECISÃO: RETIRADO DE PAUTA DE PLENÁRIO VIRTUAL POR SOLICITAÇÃO DA RELATORA

Do que para constar, eu, Ney Gonçalves Ramos, Secretário da 1ª Turma de Direito Penal, consigno a
presente Ata/Resenha com dados extraídos do sistema PJe em Julgamento sob ferramenta Plenário
Virtual, para os devidos fins. Desembargadora Maria Edwiges de Miranda Lobato, Presidente. Belém/PA,
10 de agosto de 2022.
125
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

COORDENADORIA DOS JUIZADOS ESPECIAIS

SECRETARIA DA 2ª VARA DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL

Processo: 0000696-49.2008.814.0306

Reclamante: PEDRO PAULO DOS SANTOS

Advogado: VICTOR SOUZA DIAS - OAB/PA446

Reclamado: ESCORT CAR ESTACIONAMENTO

Decisão fls: 485

Vistos.

Considerando o pedido de atualização de cálculos, intime-se o exequente para apresentação de memorial


de atualização, na forma do art. 798, b), do CPC;

Em relação ao pedido de desconsideração da personalidade jurídica, deverá ser instaurado incidente de


desconsideração na forma prevista no art. 133 do CPC, devendo, para isso, o exequente apresentar a
qualificação completa do sócio para citação.

No que se refere ao pedido de extensão da execução a outra empresa em razão de suposta confusão
patrimonial, deverá também ser apresentada a qualificação completa da empresa que se pretende
executar.

Após, prestadas as informações, expeça-se citação com os valores informados pelo exequente, nos
seguintes termos:

1) Citação do sócio para responder ao pedido de desconsideração no prazo de 15 (quinze) dias;

2) Citação da empresa executada para responder à alegação de confusão patrimonial, no prazo de 15


(quinze) dias.

Após, conclusos. Belém,

29 de agosto de 2022

Ana Lúcia Bentes Lynch

Juíza de Direito
126
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Processo: 0000110-80.2006.814.0301

Reclamante: LUIZ CARLOS GARCIA DA SILVA

Reclamado: TELEFÔNICA BRASIL S.A

Advogado: WILKER BAUHER VIEIRA LOPES ¿ OAB/GO 29320

Decisão fls:181

Vistos.

Considerando o que consta das fls. 172 e 174, intime-se a empresa Telefonica para que traga aos autos
comprovação da permanência dos bloqueios informados na petição de fls. 179, no prazo de 30 (trinta)
dias.

Após com ou sem resposta, voltem conclusos.

Após, conclusos.

Belém, 29 de agosto de 2022

Ana Lúcia Bentes Lynch

Juíza de Direito

Processo: 0000057-65.2007.814.0306

Reclamante: JORGE ANDRE MONTEIRO

Reclamado: MAPFRE VERA CRUZ SEGURADORA S/A

Advogado: MARILIA DIAS ANDRADE ¿ OAB/PA 14351, LUANA SILVA SANTOS ¿ OAB/PA 16292

Decisão fls: 212

Vistos.

Considerando que não houve manifestação, arquive-se.

Belém, 29 de agosto de 2022

Ana Lúcia Bentes Lynch


127
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Juíza de Direito

Processo: 0000079-94.2005.814.0306

Promovida: MAPFRE VERA CRUZ SEGURADORA S/A

Advogado: BRUNO HENRIQUE DE OLIVEIRA VANDERLEI ¿ OAB/PE 21.673

Decisão fls:156

Vistos.

Esclareça, a executada, sobre os pedidos de fls. 146 e 151, já que no primeiro refere-se a 6 bloqueios, no
segundo refere-se a 7 bloqueios, mas em ambos apresentou telas de apenas dois (nos bancos Bradesco e
Barinsul).

Prazo de 30 (trinta) dias.

Após, conclusos.

Belém, 29 de agosto de 2022

Ana Lúcia Bentes Lynch

Juíza de Direito
128
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

SECRETARIA DA VARA DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL E CRIMINAL DE MOSQUEIRO

PROCESSO: 0800598-76.2018.8.14.0501. RECLAMANTE: BENEDITO MARTINHO DE SOUZA


CAVALLERO. ADVOGADOS DO RECLAMANTE: MARCELO NAZARENO LIMA ARRIFANO - OAB
SP269085. DIRCEU RIKER FRANCO - OAB PA9297. RECLAMADO: BANCO PAN S/A. ADVOGADO
DO RECLAMADO: ANTONIO DE MORAES DOURADO NETO - OAB PE23255-A. ¿ INTIMAÇÃO: Pelo
presente ficam intimadas ambas as partes, por meio de seus advogados, para apresentarem manifestação
sobre o acórdão ID: 75959660, no prazo de 15 (quinze) dias. Mosqueiro, 09 de setembro de 2022.
Wandrei Melo da Rocha, Analista Judiciário.
129
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

SECRETARIA DE GESTÃO DE PESSOAS

A Ilustríssima Senhora MARIA DE LOURDES CARNEIRO LOBATO, Secretária de Gestão de Pessoas


deste Egrégio Tribunal de Justiça do Estado do Pará, no uso de suas atribuições delegadas pela Portaria
nº 5903/2019-GP. RESOLVE:

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01275. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2021/16870 -


A;

Conceder progressão vertical para a referência 06 da classe B, na data de 05 de setembro de 2020, com
efeitos financeiros no mês da publicação, à servidora LUCILENE GEORGIA DE SOUZA TUNAS, matrícula
64866, ocupante do cargo de Auxiliar Judiciário - Área Judiciária.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01276. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/07448 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 04 da classe A, na data de 04 de setembro de 2020,


com efeitos financeiros no mês da publicação, ao servidor CARLOS EDUARDO VIEIRA DA SILVA,
matrícula 108235, ocupante do cargo de Analista Judiciário - Área Judiciária.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01277. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/27543 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 08 da classe B, na data de 20 de setembro de 2022, à


servidora MARLA KEITH DOS SANTOS LOPES, matrícula 50539, ocupante do cargo de Analista
Judiciário.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01278. Belém, 13 de setembro de 2022.


130
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/27668 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 03 da classe A, na data de 05 de setembro de 2022, à


servidora LAZARA GABRIELA MACHADO GOMES, matrícula 152234, ocupante do cargo de Auxiliar
Judiciário.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01279. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/28585 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 02 da classe A, na data de 17 de setembro de 2022, à


servidora FERNANDA CORREA PINHEIRO, matrícula 170160, ocupante do cargo de Analista Judiciário -
Ciências Contábeis.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01280. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/28750 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 02 da classe A, na data de 17 de setembro de 2022, ao


servidor FLAVIO PEDRO LOEFF BRANDT, matrícula 170038, ocupante do cargo de Oficial de Justiça
Avaliador.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01281. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/27867 -


A;
131
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Conceder progressão vertical para a referência 11 da classe C, na data de 01 de setembro de 2022, ao


servidor JOSE THEODULO BARROS DA SILVA, matrícula 57150, ocupante do cargo de Analista
Judiciário.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01282. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/29126 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 02 da classe A, na data de 04 de setembro de 2022, à


servidora WILLYANE BRUNA SOUSA PACHECO, matrícula 169609, ocupante do cargo de Analista
Judiciário - Área Judiciária.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01283. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/29378 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 03 da classe A, na data de 05 de setembro de 2022, à


servidora LEILA COSTA DA SILVA, matrícula 151891, ocupante do cargo de Oficial de Justiça Avaliador.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01284. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/29383 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 03 da classe A, na data de 05 de setembro de 2022, à


servidora NAYANA ZANELLA CELLA, matrícula 151874, ocupante do cargo de Oficial de Justiça
Avaliador.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01285. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;
132
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/29385 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 02 da classe A, na data de 03 de setembro de 2022, à


servidora RAISSA HELENA DE ANDRADE TEIXEIRA, matrícula 169722, ocupante do cargo de Oficial de
Justiça Avaliador.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01286. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/29419 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 02 da classe A, na data de 03 de setembro de 2022, à


servidora ALANA BEATRIZ RODRIGUES SILVA RAYOL, matrícula 169731, ocupante do cargo de Auxiliar
Judiciário.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01287. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/29732 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 05 da classe A, na data de 10 de setembro de 2022, à


servidora NIVEA MARIA ARACATY LOBATO, matrícula 107531, ocupante do cargo de Auxiliar Judiciário.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01288. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/29726 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 03 da classe A, na data de 05 de setembro de 2022, ao


servidor JOSE NAZARENO VIANA WANZELER, matrícula 152471, ocupante do cargo de Analista
Judiciário - Fiscal de Arrecadação.
133
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01289. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/29788 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 05 da classe A, na data de 04 de setembro de 2022, à


servidora MARIA DE NAZARE CAMPOS DE OLIVEIRA, matrícula 108405, ocupante do cargo de Oficial
de Justiça avaliador.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01290. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº RLT-2022/00221 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 07 da classe B, na data de 30 de setembro de 2022, à


servidora LEILANI DA MOTA LOPES, matrícula 34444, ocupante do cargo de Analista Judiciário.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01291. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº REQ-2022/08697 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 02 da classe A, na data de 03 de setembro de 2022, ao


servidor DOUGLAS DOS SANTOS ALMEIDA, matrícula 169480, ocupante do cargo de Analista Judiciário
- Área Judiciária.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01292. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/30066 -


134
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

A;

Conceder progressão horizontal para a referência 02 da classe A, na data de 17 de setembro de 2022, ao


servidor DIEGO ANDRADE PINHEIRO, matrícula 170089, ocupante do cargo de Analista Judiciário - Área
Judiciária.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01293. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº REQ-2022/08876 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 08 da classe B, na data de 01 de setembro de 2022, à


servidora JUDITH VIEIRA DE LIMA, matrícula 38342, ocupante do cargo de Analista Judiciário.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01294. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/30671 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 02 da classe A, na data de 03 de setembro de 2022, ao


servidor CAIO CEZAR SOUZA SODRE, matrícula 169641, ocupante do cargo de Auxiliar Judiciário.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01295. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/30877 -


A;

Conceder progressão vertical para a referência 06 da classe B, na data de 18 de setembro de 2022, ao


servidor JOSE EDSON TRINDADE ELERES, matrícula 48941, ocupante do cargo de Analista Judiciário.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01296. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;
135
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/30491 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 05 da classe A, na data de 04 de setembro de 2022, à


servidora RAQUEL DE SOUZA FILGUEIRA, matrícula 107565, ocupante do cargo de Auxiliar Judiciário.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01297. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº REQ-2022/08940 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 07 da classe B, na data de 03 de setembro de 2022, à


servidora LIDIA LOPES DOURADO MACIEL,, matrícula 64556, ocupante do cargo de Auxiliar Judiciario -
Area Judiciária.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01298. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº REQ-2022/09142 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 05 da classe A, na data de 03 de setembro de 2022, ao


servidor FERDINANDO DUARTE OGORODNIK JUNIOR, matrícula 107981, ocupante do cargo de
Auxiliar Judiciário.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01299. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/30237 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 02 da classe A, na data de 03 de setembro de 2022, à


servidora VANESSA DE FATIMA DANTAS ESPINOLA DE SOUSA, matrícula 169218 ocupante do cargo
de Analista Judiciário - Area Judiciária.
136
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01300. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/31669 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 02 da classe A, na data de 17 de setembro de 2022, ao


servidor LUIZ ALBERTO ASSUNÇÃO DE OLIVEIRA, matrícula 170178, ocupante do cargo de Analista
Judiciário - Área Judiciaria.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01301. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/31703 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 03 da classe A, na data de 19 de setembro de 2022, ao


servidor LUIZ CARLOS SANTOS DA SILVA, matrícula 152854, ocupante do cargo de Analista Judiciário -
Fiscal de Arrecadação.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01302. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº REQ-2022/09272 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 02 da classe A, na data de 17 de setembro de 2022, à


servidora GISELE MAFRA DO CARMO RAMOS, matrícula 170071 ocupante do cargo de Analista
Judiciário - Area Judiciária.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01303. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;
137
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº REQ-2022/09336 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 05 da classe A, na data de 04 de setembro de 2022, ao


servidor JOSE EMMERSON FERREIRA RODRIGUES, matrícula 107417, ocupante do cargo de Analista
Judiciário - Área Judiciária.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01304. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/31256 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 02 da classe A, na data de 03 de setembro de 2022, à


servidora MIKAELY RODRIGUES DE ALMONDES SILVA, matrícula 169706 ocupante do cargo de
Auxiliar Judiciário.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01305. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/32154 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 02 da classe A, na data de 03 de setembro de 2022, à


servidora DANIELE DA SILVA MACEDO, matrícula 169404 ocupante do cargo de Auxiliar Judiciário.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01306. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/32341 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 02 da classe A, na data de 03 de setembro de 2022, à


servidora NATASHA FALCÃO JOHNSON DO CARMO, matrícula 169528 ocupante do cargo de Analista
Judiciário - Área Judiciaria.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01307. Belém, 13 de setembro de 2022.


138
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/32368 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 08 da classe B, na data de 10 de setembro de 2022, ao


servidor JOSE WALDIR ALVES RODRIGUES, matrícula 3867, ocupante do cargo de Agente de
Segurança.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01308. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/31122 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 03 da classe A, na data de 05 de setembro de 2022, ao


servidor DANIEL BENEDITO DAS NEVES PAZ, matrícula 152102, ocupante do cargo de Analista
Judiciario - Pedagogia.

PORTARIA Nº PA-PGP-2022/01309. Belém, 13 de setembro de 2022.

Considerando os artigos do Capítulo VI da Lei 6.969/07 que tratam do desenvolvimento na carreira dos
Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando a Resolução 003/2010-GP, que dispõe acerca da instituição da sistemática de Avaliação


Periódica de Desempenho dos servidores efetivos do Poder Judiciário do Estado do Pará;

Considerando as homologações da Avaliação de Desempenho, conforme Processo nº MEM-2022/31397 -


A;

Conceder progressão horizontal para a referência 03 da classe A, na data de 05 de setembro de 2022, à


servidora ANDREA GIRARD DA SILVA ALVES, matrícula 152111, ocupante do cargo de Analista
Judiciário - Psicologia.
139
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

FÓRUM CÍVEL

UPJ DAS VARAS CÍVEIS E EMPRESARIAIS DA CAPITAL - 5 VARA CÍVEL E EMPRESARIAL

RESENHA: 13/09/2022 A 13/09/2022 - SECRETARIA 1ª UPJ VARAS


CIVEL,EMPRES,ORFÃO,INTERDITO, AUSENTE,RESIDUO,ACID DO TRABALHO,REG PUBLICO -
VARA: 5ª VARA CÍVEL E EMPRESARIAL DE BELÉM PROCESSO: 00160349720168140301
PROCESSO ANTIGO: ---- MAGISTRADO(A)/RELATOR(A)/SERVENTU?RIO(A): DIANE DA COSTA
FERREIRA A??o: Execução de Título Extrajudicial em: 13/09/2022 EXEQUENTE:BANCO DO BRASIL SA
Representante(s): SERVIO TULIO DE BARCELOS (ADVOGADO) EXECUTADO:LUMITEC COMERCIO E
SERVIÇO LTDA Representante(s): OAB 15229 - JOSE FRANCISCO CORREA DE OLIVEIRA
(ADVOGADO) OAB 28093 - MATEUS ALBUQUERQUE SILVA (ADVOGADO) OAB 13919 - SAULO
COELHO CAVALEIRO DE MACEDO PEREIRA (ADVOGADO) EXECUTADO:GECILDO MARINHO DE
LIMA JUNIOR Representante(s): OAB 15229 - JOSE FRANCISCO CORREA DE OLIVEIRA
(ADVOGADO) OAB 21504 - ANDRE LUIZ DE ALBUQUERQUE GAMA (ADVOGADO) OAB 28093 -
MATEUS ALBUQUERQUE SILVA (ADVOGADO) OAB 13919 - SAULO COELHO CAVALEIRO DE
MACEDO PEREIRA (ADVOGADO) EXECUTADO:MONIKA KAROLINE SOARES DIAS LIMA
Representante(s): OAB 28093 - MATEUS ALBUQUERQUE SILVA (ADVOGADO) OAB 13919 - SAULO
COELHO CAVALEIRO DE MACEDO PEREIRA (ADVOGADO) . ATO ORDINATÃRIO Em cumprimento ao
disposto no art. 1º, § 2º, inciso XXIV, do Provimento 006/2006-CJRMB, haja vista a não-
devolução dos autos no prazo legal, fica intimado(a) o(a) advogado(a), MATEUS ALBUQUERQUE
SILVA, OAB/PA 28.093, a restituir os autos do processo nº 0016034-97.2016.8.14.0301, no prazo de 03
(três) dias, sendo que, no caso de não-atendimento, tal conduta será levada ao conhecimento do
MMº. Juiz do feito. Belém-PA, 13 de Setembro de 2022. Diane da Costa Ferreira Servidora da 1ª UPJ
CÃ-vel e Empresarial de Belém PUBLICADO EM _____/____/____
140
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

UPJ DAS VARAS DA FAZENDA DA CAPITAL - 2 VARA DA FAZENDA

PROCESSO: 00303908020098140301 PROCESSO ANTIGO: 200910659729


MAGISTRADO(A)/RELATOR(A)/SERVENTU?RIO(A): JOAO BATISTA LOPES DO NASCIMENTO A??o:
Cumprimento de senten¿a em: 22/07/2022---AUTOR:MARIA SANTANA RODRIGUES DE SOUZA
Representante(s): ERIVANE FERNANDES BARROSO (ADVOGADO) REU:FUNDACAO SANTA CASA
DE MISERICORDIA DO ESTADO DO PARA Representante(s): PAULO SERGIO FERREIRA DE SOUZA
(ADVOGADO) . DESPACHO          Em atençÿo à peça da Requerente (fl. 201) e
considerando que o valor depositado pela Requerida (fls. 203/204) consiste no prÿprio valor nominal da
RPV de fl. 200, em desacordo com o comando exarado na sentença de fls. 198/199, determino a esta
ÿltima que proceda, no prazo de 10 (dez) dias, ao pagamento à quela do valor correspondente Ã
atualizaçÿo monetÿria da dita RPV (de acordo com os parÿmetros jÿ fixados em sentença), sob
pena de bloqueio do respectivo montante em sua(s) conta(s) bancÿria(s), via Sisbajud.
         Cumpra-se.          Belÿm, 22 de julho de 2022. Joÿo Batista Lopes do
Nascimento Juiz da 2¿ Vara da Fazenda A5
141
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

FÓRUM CRIMINAL

SECRETARIA DA 6ª VARA CRIMINAL DA CAPITAL

Ato Ordinatório

O Advogado LEILA GOMES GAYA OAB/PA Nº23.143, estar intimado da audiência designada para
o dia 27 de outubro de 2022, às 10h, processo nº 0014444-08.2018.814.0401, no Fórum Criminal,
Secretaria da 6ª Vara Criminal, bairro Cidade Velha, Belém-Pará.

Ato Ordinatório

Os Advogados CARLOS ALBERTO OLIVEIRA DO COUTO JÚNIOR, OAB/PA Nº10392 e


NICOLAS ALEXANDRE CAMPOLUNGO, estão intimados da audiência designada para o dia 27 de
outubro de 2022, às 13h, processo nº 0027427-10.2016.814.0401, no Fórum Criminal, Secretaria da 6ª
Vara Criminal, bairro Cidade Velha, Belém-Pará.
142
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

FÓRUM DE ICOARACI

SECRETARIA DA VARA DE FAMILIA DISTRITAL DE ICOARACI

RESENHA: 16/08/2022 A 12/09/2022 - SECRETARIA DA VARA DE FAMILIA DISTRITAL DE ICOARACI -


VARA: VARA DE FAMILIA DISTRITAL DE ICOARACI PROCESSO: 00016247520058140201
PROCESSO ANTIGO: 200510462986 MAGISTRADO(A)/RELATOR(A)/SERVENTU?RIO(A): MICHELLE
BRASIL FERREIRA AMORIM A??o: Cumprimento de sentença em: 06/09/2022 AUTOR:G. J. V. M.
Representante(s): IVONE COSTA LEITAO (ADVOGADO) EXEQUENTE:C. E. L. M. Representante(s):
OAB 17402 - YURI DE BORGONHA MONTEIRO RAIOL (ADVOGADO) OAB 14662 - DEBORA DO
COUTO RODRIGUES (ADVOGADO) OAB 17402 - YURI DE BORGONHA MONTEIRO RAIOL
(ADVOGADO) OAB 14662 - DEBORA DO COUTO RODRIGUES (ADVOGADO) . ATO ORDINATÃRIO
Em cumprimento aos termos do Provimento nº 006/2006-CGJ, de 05/10/2006, e alterações pelo
Provimento nº. 08/2014 da Corregedoria de Justiça da Região Metropolitana de Belém:
Considerando o deferimento de desarquivamento, serve o presente ato ordinatório para intimar o patrono
do solicitante para que tome conhecimento da abertura do prazo de 05 (quinze) dias para obter vista dos
autos, sob pena de retorno destes ao arquivo. Belém (PA), 06 de setembro de 2022 Michelle Brasil
Auxiliar Judiciário PROCESSO: 00007345520008140201 PROCESSO ANTIGO: 199710169939
MAGISTRADO(A)/RELATOR(A)/SERVENTU?RIO(A): GERALDO NEVES LEITE A??o: Cumprimento de
sentença em: 09/09/2022 ADVOGADO:ADILSON JOSE M. ALVES REPRESENTANTE:AZILENE
VILLASBOAS BRAGA Representante(s): OAB 5670 - INOCENCIO MARTIRES COELHO JUNIOR
(ADVOGADO) OAB 11043 - HELIO JOAO MARTINS E SILVA (ADVOGADO) OAB 14856 - FELIPE LEAO
FERRY (ADVOGADO) MARCIA DA SIVA ALMEIDA (ADVOGADO) LUIZ SERGIO PINHEIRO FILHO
(ADVOGADO) REU:ROSEMBERG ALENCAR VIANA Representante(s): OAB 9793 - ANTONIO ALBERTO
TAVEIRA DOS SANTOS (ADVOGADO) OAB 6218 - ADILSON JOSE MOTA ALVES (ADVOGADO)
FERNANDO ALVES SOARES (ADVOGADO) DR HELIO DE BARROS FAVACHO ALVES (ADVOGADO)
VINICIUS PINHEIRO CARVALHO (ADVOGADO) ELAYNE CHRISTINA OLIVEIRA PANTOJA
(ADVOGADO) . PODER JUDICIÃRIO DO ESTADO DO PARÃÂ VARA DE FAMÃLIA DISTRITAL DE
ICOARACI - COMARCA DE BELÃMÂ RUA MANOEL BARATA, 1107, BAIRRO PONTA GROSSA,
BELÃM/PA - CEP 66810-100Â E-mail: 1famicoaraci@tjpa.jus.br - Telefone: 3211-7070/3211-7071
Processo nº: 0000734-55.2000.8.14.0201 DESPACHO          Face à certidão de fls.33,
considerando a localização do processo acima epigrafado, sobretudo da sentença meritória de
fls.85/86, dou por prejudicado o pedido relacionado à restauração dos autos.          Não
havendo informações, certifique-se a Secretaria Judiciária quanto ao trânsito em julgado da
sentença ao norte mencionada e, ainda, acerca da expedição do competente de averbação.   Â
      Após, intime-se a parte requerente, através do advogado identificado na petição de
fls.19/27 para, no prazo de 05 (cinco) dias, requerer o que entender de direito. Â Â Â Â Â Â Â Â Â
Satisfeita as providências devidas, havendo petição pendente de análise judicial, certifique-se e
faça-se concluso. Do contrário, não havendo, observadas as formalidades legais, retornem os autos
ao arquivo.          Cumpra-se.           Icoaraci-Belém/PA, 06 de setembro de
2022. GERALDO NEVES LEITE Juiz de Direito PROCESSO: 00029401520068140201 PROCESSO
ANTIGO: 200610584383 MAGISTRADO(A)/RELATOR(A)/SERVENTU?RIO(A): GERALDO NEVES LEITE
A??o: Alimentos - Lei Especial Nº 5.478/68 em: 09/09/2022 AUTOR:MARCIO ANDRE FEITOSA
MALCHER Representante(s): TANIA LAURA LIMA DA SILVA (ADVOGADO) REQUERENTE:N. M. R.
Representante(s): OAB 197.202 - VALERIA DA COSTA VIEIRA (ADVOGADO) REQUERIDO:NAYARA
CLISSIA ROCHA MALCHER Representante(s): OAB 197.202 - VALERIA DA COSTA VIEIRA
(ADVOGADO) . PODER JUDICIÃRIO DO ESTADO DO PARÃÂ VARA DE FAMÃLIA DISTRITAL DE
ICOARACI - COMARCA DE BELÃMÂ RUA MANOEL BARATA, 1107, BAIRRO PONTA GROSSA,
BELÃM/PA - CEP 66810-100Â E-mail: 1famicoaraci@tjpa.jus.br - Telefone: 3211-7070/3211-7071
Processo nº: 0002940-15.2006.8.14.0201 DESPACHO          Intimem-se as partes,
através de seus causÃ-dicos para, querendo, apresentar manifestação quanto ao teor dos
expedientes de fls.79 e 83.          Após, havendo manifestação, faça-se concluso para
análise e deliberação. Do contrário, não havendo petição pendente de análise judicial,
certifique-se o necessário e, observadas as formalidades legais, retornem os autos ao aquivo.     Â
    Cumpra-se.           Icoaraci-Belém/PA, 25 de agosto de 2022. GERALDO NEVES
143
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

LEITE Juiz de Direito PROCESSO: 00030464620058140201 PROCESSO ANTIGO: 200510888059


MAGISTRADO(A)/RELATOR(A)/SERVENTU?RIO(A): GERALDO NEVES LEITE A??o: Alimentos - Lei
Especial Nº 5.478/68 em: 09/09/2022 REP LEGAL:G. S. D. Representante(s): MARCIA REGINA BELEM
PEREIRA (ADVOGADO) AUTOR:L. S. D. M. REQUERIDO:MAURO SERGIO DE SOUZA MATOSO
Representante(s): OAB 5382 - PAULO OLIVEIRA (ADVOGADO) . PODER JUDICIÃRIO DO ESTADO DO
PARÃÂ VARA DE FAMÃLIA DISTRITAL DE ICOARACI - COMARCA DE BELÃMÂ RUA MANOEL
BARATA, 1107, BAIRRO PONTA GROSSA, BELÃM/PA - CEP 66810-100Â E-mail:
1famicoaraci@tjpa.jus.br - Telefone: 3211-7070/3211-7071 Processo nº: 0003046-46.2005.8.14.0201Â
DESPACHO          Considerando a petição nº2022.00979396-96, bem como as
informações constantes na certidão nº2022.00996582-45, estando recolhidas as custas, DEFIRO o
pedido de desarquivamento dos autos. Â Â Â Â Â Â Â Â Â Entrementes, tendo em vista que o processo
não se encontra arquivado nas dependências deste Fórum Distrital (Vara de FamÃ-lia - Gabinete,
Secretaria e Arquivo), oficie-se ao Arquivo Geral de Belém para que desarquive os autos e o remeta a
este JuÃ-zo. Â Â Â Â Â Â Â Â Â Procedido o desarquivamento, abra-se vista dos autos ao(Ã ) advogado(a)
peticionante, pelo prazo de 05 (cinco) dias, para fins de retirada da(s) cópia(s) do(s) documento(s)
mencionado(s) no petitório acima referido.          Decorrido o prazo, não havendo outros
requerimentos pendentes de apreciação judicial, certifique-se o necessário e, observadas as
formalidades legais, retornem os autos ao arquivo. Â Â Â Â Â Â Â Â Â Cumpra-se. Â Â Â Â Â Â Â Â Â
Icoaraci-Belém/PA, 25 de agosto de 2022. GERALDO NEVES LEITE Juiz de Direito PROCESSO:
00536375320158140201 PROCESSO ANTIGO: ---- MAGISTRADO(A)/RELATOR(A)/SERVENTU?RIO(A):
GERALDO NEVES LEITE A??o: Divórcio Litigioso em: 09/09/2022 AUTOR:G. R. P. Representante(s):
OAB 13232-B - JOAO PERES DE ANDRADE FILHO (DEFENSOR) REU:L. M. P. . PODER JUDICIÃRIO
DO ESTADO DO PARÃÂ VARA DE FAMÃLIA DISTRITAL DE ICOARACI - COMARCA DE BELÃMÂ RUA
MANOEL BARATA, 1107, BAIRRO PONTA GROSSA, BELÃM/PA - CEP 66810-100Â E-mail:
1famicoaraci@tjpa.jus.br - Telefone: 3211-7070/3211-7071 Processo nº: 0053637-53.2015.8.14.0201
DESPACHO          Considerando a petição nº2022.00975436-45, bem como as
informações constantes na certidão nº2022.00996587-30, DEFIRO o pedido de desarquivamento
dos autos, independentemente do recolhimento de custas, na medida em que a parte solicitante é
patrocinada pela Defensoria Pública do Estado.          Procedido o desarquivamento,
certifique-se e faça-se concluso para análise dos demais pedidos constantes no petitório acima
referido.          Cumpra-se.           Icoaraci-Belém/PA, 25 de agosto de 2022.
GERALDO NEVES LEITE Juiz de Direito PROCESSO: 00007345520008140201 PROCESSO ANTIGO:
199710169939 MAGISTRADO(A)/RELATOR(A)/SERVENTU?RIO(A): GERALDO NEVES LEITE A??o:
Cumprimento de sentença em: 17/08/2022 ADVOGADO:ADILSON JOSE M. ALVES
REPRESENTANTE:AZILENE VILLASBOAS BRAGA Representante(s): OAB 5670 - INOCENCIO
MARTIRES COELHO JUNIOR (ADVOGADO) OAB 11043 - HELIO JOAO MARTINS E SILVA
(ADVOGADO) OAB 14856 - FELIPE LEAO FERRY (ADVOGADO) MARCIA DA SIVA ALMEIDA
(ADVOGADO) LUIZ SERGIO PINHEIRO FILHO (ADVOGADO) REU:ROSEMBERG ALENCAR VIANA
Representante(s): OAB 9793 - ANTONIO ALBERTO TAVEIRA DOS SANTOS (ADVOGADO) OAB 6218 -
ADILSON JOSE MOTA ALVES (ADVOGADO) FERNANDO ALVES SOARES (ADVOGADO) DR HELIO
DE BARROS FAVACHO ALVES (ADVOGADO) VINICIUS PINHEIRO CARVALHO (ADVOGADO)
ELAYNE CHRISTINA OLIVEIRA PANTOJA (ADVOGADO) . PODER JUDICIÃRIO DO ESTADO DO
PARÃÂ VARA DE FAMÃLIA DISTRITAL DE ICOARACI - COMARCA DE BELÃMÂ RUA MANOEL
BARATA, 1107, BAIRRO PONTA GROSSA, BELÃM/PA - CEP 66810-100Â E-mail:
1famicoaraci@tjpa.jus.br - Telefone: 3211-7070/3211-7071 Processo nº: 0000734-55.2000.8.14.0201Â
DESPACHO           Não havendo informações nos autos e, considerando, ainda, a
circunstância descrita na petição de fls.19/27, certifique-se a Secretaria Judiciária a respeito da
localização da integralidade do processo acima epigrafado, sobretudo acerca da possÃ-vel sentença
meritória relacionada ao reconhecimento de paternidade e fixação de alimentos.         Â
Após, satisfeita a providência, faça-se concluso para deliberação.                Â
   Icoaraci-Belém/PA, 15 de agosto de 2022. GERALDO NEVES LEITE Juiz de Direito
PROCESSO: 00016247520058140201 PROCESSO ANTIGO: 200510462986
MAGISTRADO(A)/RELATOR(A)/SERVENTU?RIO(A): GERALDO NEVES LEITE A??o: Cumprimento de
sentença em: 17/08/2022 AUTOR:G. J. V. M. Representante(s): IVONE COSTA LEITAO (ADVOGADO)
EXEQUENTE:C. E. L. M. Representante(s): OAB 17402 - YURI DE BORGONHA MONTEIRO RAIOL
(ADVOGADO) OAB 14662 - DEBORA DO COUTO RODRIGUES (ADVOGADO) OAB 17402 - YURI DE
BORGONHA MONTEIRO RAIOL (ADVOGADO) OAB 14662 - DEBORA DO COUTO RODRIGUES
(ADVOGADO) . PODER JUDICIÃRIO DO ESTADO DO PARÃÂ VARA DE FAMÃLIA DISTRITAL DE
144
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

ICOARACI - COMARCA DE BELÃMÂ RUA MANOEL BARATA, 1107, BAIRRO PONTA GROSSA,
BELÃM/PA - CEP 66810-100Â E-mail: 1famicoaraci@tjpa.jus.br - Telefone: 3211-7070/3211-7071
Processo nº: 0001624-75.2005.8.14.0201 DESPACHO          Considerando as petições
nº2022.00898162-37 e ID.2022.00720913-30, bem como as informações constantes nas certidões
nº2022.0090868105 e nº2022.0076253988, DEFIRO o pedido de desarquivamento dos autos,
independentemente do recolhimento de custas, face à gratuidade da justiça que ora defiro à parte
peticionante. Â Â Â Â Â Â Â Â Â Procedido o desarquivamento, abra-se vista ao(Ã ) Defensor(a)
Público(a) signatário(a), pelo prazo de 05 (cinco) dias, para fins de retirada da(s) cópia(s) do(s)
documento(s) mencionado(s) no petitório acima referido.          Decorrido o prazo, não
havendo outros requerimentos pendentes de apreciação judicial, certifique-se o necessário e,
observadas as formalidades legais, retornem os autos ao arquivo. Â Â Â Â Â Â Â Â Â Cumpra-se. Â Â Â Â
     Icoaraci-Belém/PA, 15 de agosto de 2022. GERALDO NEVES LEITE Juiz de Direito
PROCESSO: 00037997220108140201 PROCESSO ANTIGO: ----
MAGISTRADO(A)/RELATOR(A)/SERVENTU?RIO(A): GERALDO NEVES LEITE A??o: Divórcio Litigioso
em: 17/08/2022 REQUERENTE:J. B. S. Representante(s): OAB 9714 - FRANCIARA PEREIRA LEMOS
(DEFENSOR) REQUERIDO:M. F. S. . PODER JUDICIÃRIO DO ESTADO DO PARÃÂ VARA DE FAMÃLIA
DISTRITAL DE ICOARACI - COMARCA DE BELÃMÂ RUA MANOEL BARATA, 1107, BAIRRO PONTA
GROSSA, BELÃM/PA - CEP 66810-100Â E-mail: 1famicoaraci@tjpa.jus.br - Telefone: 3211-7070/3211-
7071 Ação de Divórcio Litigioso Processo nº 0003799-72.2010.8.14.0201            Â
DESPACHO      Considerando as informações constantes na certidão de fls.30, tendo a parte
requerente, em vida, recebido cópia do mandado de averbação pertinente, antes deste JuÃ-zo
deliberar acerca do pedido constante na petição de fls.43, não havendo informações nos autos,
oficie-se à Serventia Cartorial responsável pelo casamento, a fim de que informe, no prazo de 05 (cinco)
dias, acerca do eventual cumprimento da sentença de fls.18/19.      Após, certifique-se o
necessário e faça-se concluso para deliberação.      Icoaraci-Belém/PA, 15 de agosto de
2022. GERALDO NEVES LEITE Juiz de Direito PROCESSO: 00039089720118140201 PROCESSO
ANTIGO: ---- MAGISTRADO(A)/RELATOR(A)/SERVENTU?RIO(A): GERALDO NEVES LEITE A??o:
Divórcio Litigioso em: 17/08/2022 AUTOR:E. S. B. Representante(s): OAB 11503 - LUCIANA SANTOS
FILIZZOLA BRINGEL (DEFENSOR) REU:G. F. L. B. Representante(s): OAB 27215 - TATIANE FERREIRA
MORAES (ADVOGADO) . PODER JUDICIÃRIO DO ESTADO DO PARÃÂ VARA DE FAMÃLIA
DISTRITAL DE ICOARACI - COMARCA DE BELÃMÂ RUA MANOEL BARATA, 1107, BAIRRO PONTA
GROSSA, BELÃM/PA - CEP 66810-100Â E-mail: 1famicoaraci@tjpa.jus.br - Telefone: 3211-7070/3211-
7071 Ação de Divórcio Litigioso Processo nº 0003908-97.2011.8.14.0201 Requerente: E.D.S.B.
Requerida: G.F.L.B.             DESPACHO      Preliminarmente, não havendo
informações nos autos, certifique-se a Secretaria Judiciária acerca da expedição de eventual
mandado de averbação.      Satisfeita a providência, caso positivo, comunique-se a parte
peticionante e, não havendo outros requerimentos pendentes de apreciação judicial, arquive-se. Do
contrário, caso negativo, estando certificado o trânsito em julgado da sentença de fls.17, proceda-se
com os atos de comunicação necessários para fins de efetivação da averbação do divórcio
junto ao Cartório de Registro Civil responsável pelo casamento, retornando os autos ao arquivo após a
satisfação da referida diligência.      Cumpra-se.      Icoaraci-Belém/PA, 15 de agosto
de 2022. GERALDO NEVES LEITE Juiz de Direito PROCESSO: 00055356820138140201 PROCESSO
ANTIGO: ---- MAGISTRADO(A)/RELATOR(A)/SERVENTU?RIO(A): GERALDO NEVES LEITE A??o:
Arrolamento de Bens em: 17/08/2022 AUTOR:MARIA DE JESUS GONCALVES FERREIRA
Representante(s): OAB 13475 - LUIS DENIVAL NETO (ADVOGADO) REU:DURVAL COSTA FERREIRA
Representante(s): OAB 16319 - NADIA HELLEN GAIA DE ALMEIDA (ADVOGADO) . PODER
JUDICIÃRIO DO ESTADO DO PARÃÂ VARA DE FAMÃLIA DISTRITAL DE ICOARACI - COMARCA DE
BELÃMÂ RUA MANOEL BARATA, 1107, BAIRRO PONTA GROSSA, BELÃM/PA - CEP 66810-100Â E-
mail: 1famicoaraci@tjpa.jus.br - Telefone: 3211-7070/3211-7071 Processo nº: 0005535-
68.2013.8.14.0201 DESPACHO           Face às informações consignadas na certidão
de fls.413, não havendo petição pendente de análise judicial, observadas as formalidades legais,
retornem os autos ao arquivo.                    Icoaraci-Belém/PA, 15 de agosto
de 2022. GERALDO NEVES LEITEÂ Juiz de Direito PROCESSO: 00736126120158140201 PROCESSO
ANTIGO: ---- MAGISTRADO(A)/RELATOR(A)/SERVENTU?RIO(A): GERALDO NEVES LEITE A??o:
Execução de Título Extrajudicial em: 17/08/2022 AUTOR:A. N. M. A. Representante(s): OAB 12943 -
INGRID LEDA NORONHA MACEDO (DEFENSOR) REPRESENTANTE:M. N. M. M. REU:A. T. A. J. .
PODER JUDICIÃRIO DO ESTADO DO PARÃÂ VARA DE FAMÃLIA DISTRITAL DE ICOARACI -
COMARCA DE BELÃMÂ RUA MANOEL BARATA, 1107, BAIRRO PONTA GROSSA, BELÃM/PA - CEP
145
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

66810-100 E-mail: 1famicoaraci@tjpa.jus.br - Telefone: 3211-7070/3211-7071 Processo nº: 0073612-


61.2015.8.14.0201 DESPACHO          Considerando a petição nº2022.00949700-41,
bem como as informações constantes na certidão nº2022.00956725-15, DEFIRO o pedido de
desarquivamento dos autos, independentemente do recolhimento de custas, na medida em que a parte
solicitante é patrocinada pela Defensoria Pública do Estado.          Procedido o
desarquivamento, abra-se vista ao(à ) Defensor(a) Público(a) signatário(a), pelo prazo de 05 (cinco)
dias, para fins de retirada da(s) cópia(s) do(s) documento(s) mencionado(s) no petitório acima referido. Â
        Decorrido o prazo, não havendo outros requerimentos pendentes de apreciação
judicial, certifique-se o necessário e, observadas as formalidades legais, retornem os autos ao arquivo. Â
        Cumpra-se.          Icoaraci-Belém/PA, 15 de agosto de 2022. GERALDO
NEVES LEITE Juiz de Direito
146
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

SECRETARIA DA 2ª VARA CIVEL E EMPRESARIAL DISTRITAL DE ICOARACI

EDITAL DE INTERDIÇÃO

PROC. Nº 0800817-22.2022.8.14.0201

A Dra. EDNA MARIA DE MOURA PALHA ¿ Juíza de Direito, Auxiliar da 3ª Entrância, respondendo pela
2ª Vara Cível e Empresarial Distrital de Icoaraci, Comarca de Belém, Estado do Pará, no uso de suas
atribuições legais etc. FAZ SABER a todos quanto o presente EDITAL virem ou dele conhecimento tiver
que foi DECRETADA, POR SENTENÇA, A INTERDIÇÃO DE RAYSSA LIMA NEVES, brasileiro(a),
nascido(a) aos 22/04/2002, portador(a) do RG nº 8333298 PC/PA e CPF nº 053.532.002-76; filho(a) de
Edilson Pantoja Neves e Marília de Nazaré Pontes Lima, cujo registro de nascimento foi feito sob o nº
60397, Fls.20. Liv. A-71, no Cartório de Registro Civil de Icoaraci/Belém/PA, residente e domiciliado (a) no
mesmo endereço que seu curador(a) que se encontra na impossibilidade de reger os atos da vida civil,
nomeando como seu CURADOR (A) DEFINITIVO (A) o (a) senhor (a) MARÍLIA DE NAZARÉ PONTES
LIMA, brasileiro(a), portador(a) do RG nº 2929633 PC/PA e CPF nº 919.464.922-72, residente e
domiciliado(a), na Alameda Vasco da Gama nº 10-A (Fundos), Travessa Andradas e Paracuri, CEP:
66.811-400 Agulha/Icoaraci/Belém/PA, tudo de conformidade com a sentença prolatada nos autos cíveis
de CURATELA/INTERDIÇÃO (Proc. nº 0800817-77.2022.8.14.0201), tendo como autor (a) MARÍLIA DE
NAZARÉ PONTES LIMA e como interditando (a) RAYSSA LIMA NEVES, Dado e passado neste Distrito
de Icoaraci, aos doze (12) dias do mês de setembro do ano de dois mil e vinte e dois (2022). Eu, Kátia
Cristina Corrêa da Fonseca, Analista Judiciário, o digitei. (Artigo 1º, §3º do Provimento 006/2006-CJRMB).

ALISOLENE OLIVEIRA DA COSTA

Diretora de Secretaria da 2ª Vara Cível e Empresarial Distrital de Icoaraci


147
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

FÓRUM DE ANANINDEUA

SECRETARIA DA 4ª VARA CRIMINAL DE ANANINDEUA

EDITAL DE CITAÇÃO

PRAZO DE 20 DIAS

O Excelentíssimo Senhor Doutor EMANOEL JORGE DIAS MOUTA, Juiz de Direito Titular da 4ª Vara
Criminal da Comarca de Ananindeua, faz saber aos que este lerem ou dele tomarem conhecimento que
figura como REQUERIDO ROSICLEIDE MODESTO MOREIRA, brasileira, paraense, filha de Carlos
Alberto Damasceno Moreira e Leila do Socorro da Mota Modesto, residente e domiciliada à Av.
Castanheira, nº 192 ¿ Floresta Park ¿ Levilândia ¿ Ananindeua/PA, mas ATUALMENTE EM LUGAR
INCERTO E N¿O SABIDO, nos autos nº 0815832-89.2022.814.0006, como n¿o foi(ram) encontrado(s)
para ser(em) citado(s) pessoalmente, expede-se o presente EDITAL, para que a REQUERIDA tome
ciência da decisão que deferiu medidas protetivas em favor da requerente E.C.D.S.E.S. e caso queira,
apresente CONTESTAÇ¿O, por escrito, no prazo de 05 (CINCO) dias, sob pena dos fatos alegados pela
requerente (vítima), serem presumidos verdadeiros, nos termos do enunciado 43 do FONAVID e da
portaria 02/2021, a qual regulamenta o andamento das medidas protetivas nesta Vara. Eu, Vanessa
Gonçalves Bentes, Auxiliar Judiciário da 4ª Vara Criminal, o digitei, de ordem do Excelentíssimo Juiz.

Ananindeua, 13 de setembro de 2022.

EMANOEL JORGE DIAS MOUTA

Juiz de Direito Titular da 4ª Vara Criminal

Comarca de Ananindeua

EDITAL DE CITAÇÃO

PRAZO DE 20 DIAS

O Excelentíssimo Senhor Doutor EMANOEL JORGE DIAS MOUTA, Juiz de Direito Titular da 4ª Vara
Criminal da Comarca de Ananindeua, faz saber aos que este lerem ou dele tomarem conhecimento que
figura como DENUNCIADO: ALISSON ULISSE TEIXEIRA DA SILVA, brasileiro, natural de Brasília/DF,
filho de Tereza Cristina Teixeira da Silva, nascido em 23/04/1983. Endereço: VILA ESPERANÇA, RUA-A,
Nº 61 - CENTRO ¿ ANANINDEUA/PA, mas ATUALMENTE EM LUGAR INCERTO E N¿O SABIDO, nos
autos nº 0000517-25.2020.814.0006 como não foi(ram) encontrado(s) para ser(em) citado(s)
pessoalmente, para que apresente RESPOSTA À ACUSAÇÃO, por escrito, no prazo de 10(DEZ) dias,
através de sua defesa técnica, oportunidade em que deverá alegar tudo o que interesse à sua defesa,
oferecer documentos e justificações, especificar as provas pretendidas e arrolar testemunhas, tudo com
fulcro nos arts. 396 e 396-A, do CPP, SOB PENA DE SUSPENSÃO DO PROCESSO E DO CURSO DO
PRAZO PRESCRICIONAL. Eu, Vanessa Gonçalves Bentes, Auxiliar Judiciário da 4ª Vara Penal, o digitei,
de ordem do Excelentíssimo Juiz.

Ananindeua, 13 de setembro de 2022.

EMANOEL JORGE DIAS MOUTA


148
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Juiz de Direito Titular da 4ª Vara Criminal

Comarca de Ananindeua

ATO ORDINATÓRIO

(De acordo com o art. 93, XIV da CF/88, art. 162, §4º do CPC, do Provimento 006/2006-CJRMB, alterado
pelo Provimento 8/2014-CJRMB)

Processo: 0064717.17.2015.814.0006

Denunciado: J. O. D. S.

Advogado(a) de Defesa: Dr. EDIEL GAMA LOPES, OAB/PA 21906 (Procuração ID: 72858073, fls. 23)

DE ORDEM, e nos termos do Provimento 006/2006-CJRMB, alterado pelo Provimento nº 08/2014 ¿


CJRMB, FICA(M) INTIMADO(A)(S) o(a)(s) Advogado(a)(s) de Defesa acima identificado(a)(s), para
apresentar(em) Alegações Finais, nos termos do art. 403 do CPP.

Ananindeua, 13/09/2022.

Simone S da S Sampaio

Analista Judiciário lotada na 4ª Vara Criminal

Comarca de Ananindeua
149
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

EDITAIS

COMARCA DA CAPITAL - EDITAIS DE PROCLAMAS

EDITAL DE PROCLAMAS - 2º OFÍCIO

Luiziana Maria Henderson Guedes de Oliveira, Oficial do Cartório de Registros Civil Segundo Ofício da
Comarca de Belém do Estado do Pará, faz saber que pretendem contrair matrimônio os seguintes casais:

1- ROBERTH DA SILVA DIAS e TATIANNY FONSECA PINHEIRO. Ele é solteiro e Ela é solteira.

2- JOSÉ RICARDO GONÇALVES DA SILVA e CRISTIANE COSTA MÂNCIO. Ele é solteiro e Ela é
solteira.

3- RICARDO COSTA PINHEIRO e MANOELA GONÇALVES DE MORAES. Ele é solteiro e Ela é solteira.

4- JOSÉ CECIM RASSY FILHO e SHEYLA MUNIZ FURTADO. Ele é divorciado e Ela é solteira.

5- FELIPE AUGUSTO DA SILVA MACHADO e DANIELLY AMARAL BARRETO. Ele é solteiro e Ela é
solteira.

6- VITOR NAGAI YAMAKI e BRUNA FEIO DE OLIVEIRA. Ele é solteiro e Ela é solteira.

7- DANIEL TRINDADE RIBEIRO e BARBARA KELLY CAMPOS SALGADO. Ele é solteiro e Ela é solteira.

8- ULISSES TAVARES DE ARRUDA e ANALOU MESSIAS CASTRO. Ele é solteiro e Ela é solteira.

Eu, Luiziana Maria Henderson Guedes de Oliveira, oficial, o fiz publicar. Belém, 12 de setembro de 2022.

EDITAL DE PROCLAMAS - CARTORIO VAL DE CÃES

Faço saber por lei que pretendem casar-se e apresentaram os documentos exigidos por lei:

EVERALDO SALDANHA BRAGA e ERICA KEIDE RIBEIRO DOURADO. Ele divorciado, Ela solteira.

JOSÉ ROBERTO DE ARAGÃO SOUZA e LOURDES NAZARÉ DE LIMA SOUZA. Ele divorciado, Ela
divorciada.

Se alguém souber de impedimentos denuncie-o na forma da Lei. E Eu, Acilino Aragão Mendes, Oficial do
Cartório Val-de-Cães, Comarca de Belém Estado do Pará, faço afixação deste, neste Oficio e sua
publicação no Diário de Justiça. Belém, 13 de setembro de 2022.
150
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

EDITAL DE PROCLAMAS - 3º OFÍCIO

Conrrado Rezende Soares, Oficial Registrador do Cartório de Registros Civil do Terceiro Ofício da
Comarca de Belém, Estado do Pará, faz saber que pretendem contrair matrimônio os seguintes casais:

1. ANDRÉ BARBOSA DO CARMO e SOLANGE SILVA GONÇALVES. Ele é solteiro e Ela é solteira.

2. ALAN MARCOS PINTO COSTA e RISALVA JAYNE MONTEIRO DE LIMA. Ele é solteiro e Ela é
solteira.

3. LIDINALDO PACHECO MARINHO e ANNA MICHELLE DA SILVA GATO. Ele é solteiro e Ela é solteira.

4. EDUARDO ALBERTO SANTOS FURTADO e ANA VITÓRIA MORAES TORRES. Ele é solteiro e Ela é
solteira.

Eu, Conrrado Rezende Soares, Oficial Registrador, o fiz publicar.

Belém/PA, 13 de setembro de 2022.


151
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

UPJ DAS VARAS CÍVEIS E EMPRESARIAIS DA CAPITAL - 1 VARA - EDITAIS

EDITAL DE INTERDIÇÃO DE ISABELLA TRINDADE GOUVEIA DOS SANTOS

PROCESSO: 0829912-17.2020.8.14.0301

O(A) Dr(a). VALDEISE MARIA REIS BASTOS, Juiz(a) de Direito da 3ª Vara Cível e Empresarial de Belém,
faz saber a todos quanto o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem, que através deste Juízo e
Secretaria processaram-se os autos nº 0829912-17.2020.8.14.0301, da Ação de CURATELA que tem
como REQUERENTE: SILVANA MONTE TRINDADE DOS SANTOS, brasileira e FIRMINO GOUVEIA
DOS SANTOS, brasileiro, a interdição de ISABELLA TRINDADE GOUVEIA DOS SANTOS, brasileira,
nascida em 20/03/2002, filho(a) de Firmino Gouveia dos Santos e Silvana Monte Trindade dos Santos,
portadora de enfermidade mental que o impossibilita de praticar qualquer ato da vida civil, tendo sido
prolatada ao final da sentença, cuja parte final é a seguinte: ¿ ISTO POSTO, decido o
seguinte: Reconheço a incapacidade relativa do (a) interditando (a) ISABELLA TRINDADE GOUVEIA
DOS SANTOS, e, com fundamento no artigo 4º, III, do Código Civil, decreto-lhe a interdição, nomeando-
lhe, curadores os senhores FIRMINO GOUVEIA DOS SANTOS e SILVANA MONTE TRINDADE DOS
SANTOS, conforme artigo 1.767 e seguintes, do mesmo Código; Salvo os considerados personalíssimos
pelo ordenamento jurídico, fica o (a) interditado (a) impedido (a) de praticar pessoalmente, sem assistência
do (a) curador (a), todos os atos da vida civil que importem na assunção de obrigação perante terceiros,
para si, seus herdeiros e dependentes, podendo fazê-los somente se devidamente assistido pelo curador
(a); O (a) curador (a), ora nomeado (a), deverá comparecer na secretaria o Juízo a fim de prestar o
compromisso de bem e fielmente exercer o encargo, firmando o competente termo; O (a) curador (a) não
tem poderes para vender, permutar e onerar bens imóveis da (o) interditada (o). O (a) curador (a) não tem
poderes para contrair empréstimos em nome do (a) interditado (a). Ditas restrições devem constar nos
termos de curatela. Expeça-se Mandado de Registro da presente Interdição e Curatela, a fim de que o
Senhor Oficial do Cartório de Registro Civil Comarca promova o cumprimento ao artigo 92, Lei 6.015/73;
Expeça-se mandado de averbação para constar no registro de nascimento ou casamento do (a) interditado
(a) que foi decretada a interdição e nomeado curador (a) a (o) mesmo (a); e Oficie-se a Receita Federal
informando sobre a interdição e curatela, do (a) interditado (a). Caso seja eleitor, expeça-se oficio ao
Cartório Eleitoral comunicando da sentença que decretou interdição e curatela, do (a) interditado (a).
Custas pelo autor, caso não seja beneficiário da justiça gratuita. Transitada em julgado, cumprida a
decisão, arquive-se em definitivo, observando-se as cautelas de estilo. Publique-se em conformidade com
o art.755, §3º, do CPC. Registre-se. Intimem-se. Dê ciência ao Ministério Público. Expeça-se o necessário.
Cumpra-se. P.R.I.C. Após, com o trânsito em julgado, estando o feito devidamente certificado,
ARQUIVEM-SE, observadas as cautelas de praxe. Belém/PA; VALDEISE MARIA REIS BASTOS Juíza de
Direito Titular da 3ª Vara Cível e Empresarial da Capital. Belém, em 6 de setembro de 2022

Dr(a). VALDEISE MARIA REIS BASTOS

Juiz(a) de Direito
152
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

COMARCA DE MARABÁ

SECRETARIA DA VARA AGRÁRIA DE MARABÁ

PODER JUDICIÁRIO

ESTADO DO PARÁ

REGIÃO AGRÁRIA DE MARABÁ

EDITAL DE CITAÇÃO - PRAZO: 15 DIAS

O Excelentíssimo Sr. Dr. AMARILDO JOSÉ MAZUTTI, Juiz de Direito Titular da Região Agrária de
Marabá, Estado do Pará, república Federativa do Brasil na Forma da Lei etc... FAZ SABER a todos quanto
o presente Edital virem ou dele conhecimento tiverem que, perante o Juízo da Região Agrária de Marabá e
expediente da Secretaria da Região Agrária de Marabá e Comarca de Marabá, se processam os autos de
Ação Civil Pública - Processo Nº 0008557-08.2012.8.14.0028, em que figura como requerente:
ASSOCIAÇÃO RURAL TERRA PROMETIDA e requerida NEUZA MARIA SANTIS SEMINOTTI. Em
razão da notícia constante nos autos de que A REQUERIDA encontra-se em local incerto e não sabido,
pelo presente edital fica a requerida devidamente CITADA para, querendo, apresentar contestação ao
pedido no prazo de 15 (quinze) dias, sob pena de revelia e presunção de veracidade dos fatos articulados
na inicial, nos termos do art. 334 e 344 do CPC. E, para que ninguém possa alegar ignorância no presente
ou no futuro, será o edital publicado no Diário de Justiça Eletrônico do Estado do Pará e afixado no átrio
da Vara Agrária de Marabá, na forma da Lei, informando que este Juízo Funciona das 08:00 às 14:00
horas, na Rodovia Transamazônica, s/n Agrópolis do INCRA, Amapá, Estado do Pará. EXPEDIDO nesta
cidade de Marabá, 26 dias do mês de SETEMBRO de 2022. Eu, Alline Nazareth Raiol Sousa Pereira,
Diretora de Secretaria, este digitei e o subscrevo (art. 1º, § 3º do Provimento nº 006/2006-CJRMB c/c
006/2009-CJCI). Alline Nazareth Raiol Sousa Pereira. Diretora de Secretaria. Região Agrária de Marabá.
153
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

COMARCA DE SANTARÉM

UPJ DA VARA DE EXECUÇÃO PENAL DE SANTARÉM

E D I T A L D E I N T I M AÇÃO

P R A Z O 15 D I A S

Classe: Execução da Pena

Apenado: RODRIGO MARTINS DA SILVA

O Dr. Flávio Oliveira Lauande, MM. Juiz de Direito Titular da Vara de Execução Penal da Comarca de
Santarém, Estado do Pará, República Federativa do Brasil, no uso de suas atribuições legais, etc..

FAZ SABER a quem este ler ou dele tomar conhecimento, INTIME-SE o apenado RODRIGO MARTINS
DA SILVA, brasileiro, filho de Guilherme Martins da Silva e Maria Erlinda Martins da Silva, nascido em
07/04/1987, atualmente em lugar incerto e não sabido, para que mantenha contato com o setor
interdisciplinar da Vara de Execução Penal desta Comarca, através do aplicativo WhatsApp (93) 99134-
6704, com a finalidade de dar início ao cumprimento da pena que lhe foi imposta nos autos do processo nº
0004804-71.2012.814.0051, FICANDO DESDE JÁ CIENTE QUE CASO NÃO CUMPRA AO
DETERMINADO NESTE EDITAL ESTARÁ SUJEITO A REGRESSÃO DE REGIME OU A OUTRA
SANÇÃO. CUMPRA-SE. Dado e passado nesta cidade de Santarém, Estado do Pará, Secretaria da Vara
de Execução Penal de Santarém, aos 12 dias do mês de setembro de 2022. Eu, ____, Ádria Gonçalves
Vinhote, Analista Judiciário, digitei e subscrevo.

Ádria Gonçalves Vinhote

Analista Judiciário da VEP de Santarém

De ordem. Provimento 006/2006-CJCI


154
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

UPJ DA VARA DO JUIZADO ESPECIAL DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A


MULHER DE SANTARÉM

EDITAL DE INTIMAÇÃO-COM PRAZO DE 20 DIAS (Art.257, III do CPC)

Processo nº. 0807772-26.2021.8.14.0051

MEDIDAS PROTETIVAS DE URGÊNCIA (LEI MARIA DA PENHA) CRIMINAL (1268)

MEDIDAS PROTETIVAS

Requerente: A. M.C. D. S

REQUERIDO: MANOEL SANDOVAL CORREA, atualmente em local incerto e não sabido.

FINALIDADE: INTIMAR o REQUERIDO, acima qualificado, da ação em epigrafe, para que no prazo de 15
(cinco) dias apresente agravo de instrumento, quanto a matéria fática disponível, podendo ser-lhe
nomeado curador especial em caso de revelia (art.257, IV do CPC/2015) iniciando a contagem do primeiro
dia útil seguinte ao fim do prazo de 20 (vinte) dias (art.231,IV, CPC/2015: III ¿ DISPOSITIVO ANTE o
exposto, ANTE o exposto, tendo em vista estarem presentes os requisitos da medida antecipatória de
tutela prevista no art. 300 do CPC/15, DEFIRO, liminarmente, as seguintes medidas protetivas, conforme
previsto nos artigos 22 e 23 da Lei nº: 11.340/2006: EM DESFAVOR DO REQUERIDO: I) - Afastamento
do lar onde convive com a vítima, podendo retirar os seus pertences de uso pessoais, acompanhado do
Oficial de Justiça; II) ¿ PROIBIÇO DE APROXIMAÇO DA OFENDIDA, DE SEUS FAMILIARES E
TESTEMUNHAS, PELO QUE FIXO O LIMITE MÍNIMO DE 100 METROS DE DISTÂNCIA ENTRE O
AGRESSOR E ELA; III) Proibição de dirigir a palavra ou ter contato com a vítima, seus familiares e
testemunhas seja pessoalmente, seja por telefone ou qualquer outro meio de comunicação; IV) Proibição
de frequentar os lugares comumente frequentados pela vítima, notadamente o local de trabalho e/ou
estudo desta e sua residência. Intime-se o requerido para imediato cumprimento desta decisão,
advertindo-o de que, em caso de desobediência, sua prisão preventiva poderá ser decretada, caso haja
procedimento criminal em tramitação, ou, poderá acarretar a fixação de outras medidas mais rígidas,
inclusive multa pecuniária no valor de 01 a 10 salários mínimos revertidos para a ofendida, uma vez que o
descumprimento de ordem judicial configura ato atentatório à dignidade da justiça, conforme art. 77 do
CPC/15. Ademais, o descumprimento de medidas protetivas de urgência poderá acarretar a
caracterização do crime próprio, previsto no art. 24-A Lei nº 11.340/2006 (incluído pela Lei nº 13.641,
publicada em 04/04/2018). Intime-se a vítima para ciência desta decisão. PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL
DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARÁ Comarca de Santarém Av. Mendonça Furtado, s/n, Bairro
Liberdade, Santarém ¿ Pará, CEP 68040-050, Tel. 3064-9235 Advirta-se o requerido, que caso não haja a
interposição de agravo de instrumento, no prazo de 15 dias, a contar da intimação, a presente decisão
restará estabilizada, conforme prevê o art. 304 do NCPC e o processo será extinto. Na hipótese do
parágrafo anterior, deverá a secretaria certificar a inexistência de agravo de instrumento e remeter os
autos ao gabinete conclusos para sentença de extinção. Caso contrário, deverá aguardar o prazo previsto
no art. 1018, §2º do NCPC e, após certificado, fazer conclusão de rotina. Havendo recurso de agravo será
designada audiência de conciliação, caso pertinente, prosseguindo-se com as demais fases do rito
comum. Comunique-se à Autoridade Policial a fim de efetivar o cumprimento das medidas acima impostas.
Cumpra-se com urgência, em razão do perigo iminente que corre a vítima. Expedientes necessários.
Santarém, 05 de agosto de 2021. Gabriel veloso de Araújo Juiz de Direito Plantonista

Santarém-Pará, Vara do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher,12 de setembro de


2022.Eu, Vanderlucia Elias Mattos Portela, digitei.

EDITAL DE INTIMAÇÃO-COM PRAZO DE 20 DIAS (Art.257, III do CPC)


155
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Processo nº. 0805420-61.2022.8.14.0051

MEDIDAS PROTETIVAS DE URGÊNCIA (LEI MARIA DA PENHA) CRIMINAL (1268)

MEDIDAS PROTETIVAS

Requerente: L. S. B.

REQUERIDO: PAULO ALAN DO NASCIMENTO., atualmente em local incerto e não sabido.

FINALIDADE: INTIMAR o REQUERIDO, acima qualificado, da ação em epigrafe, para que no prazo de 15
(cinco) dias apresente agravo de instrumento, quanto a matéria fática disponível, podendo ser-lhe
nomeado curador especial em caso de revelia (art.257, IV do CPC/2015) iniciando a contagem do primeiro
dia útil seguinte ao fim do prazo de 20 (vinte) dias (art.231,IV, CPC/2015: III ¿ DISPOSITIVO ANTE o
exposto, tendo em vista estarem presentes os requisitos da medida antecipatória de tutela prevista no art.
300 do CPC/15, DEFIRO, liminarmente, as seguintes medidas protetivas, conforme previsto nos
artigos 22 e 23 da Lei nº: 11.340/2006:

I) ¿ Proibição de perseguir, intimidar, ameaçar a ofendida ou fazer uso de qualquer método que
prejudique ou ponha em risco a sua vida, sua integridade física e psíquica, bem como sua
propriedade;

II) ¿ Proibição de aproximação da vítima e seus familiares, pelo que fixo o limite mínimo de 100
metros de distância.

III) Proibição de dirigir a palavra ou ter contato com a requerente, seja pessoalmente, seja por
telefone ou qualquer outro meio de comunicação;

IV) Proibição de frequentar os lugares comumente frequentados pela vítima, notadamente a


residência e local de trabalho desta;

V) Estando em liberdade, comparecer ao CAPS-AD (Avenida Presidente Vargas, 2809, próximo à


Defensoria Pública, Aparecida ¿ 08 às 18 h), NO PRAZO DE CINCO DIAS, para que seja submetido
ao acompanhamento pelo Centro de Atenção Psicossocial de apoio a usuários de álcool e outras
drogas, pelo período mínimo de 03 (três) meses.

III. a - INTIMAÇÃO E ENCAMINHAMENTOS DA REQUERENTE

Intime-se a vítima por telefone, considerando medidas temporárias de prevenção ao contágio pelo
novo coronavírus (COVID-19). Caso infrutífera essa diligência, expeça-se, imediatamente, o
mandado de intimação que deverá ser cumprido pelo (a) Oficial (a) de Justiça, dentro do prazo
legal.

Deve o(a) oficial(a) de justiça ou a quem realizar a intimação da ofendida, esclarecê-la, nos termos
do art. 3º, § 3º, da RESOLUÇÃO nº 346, do Conselho Nacional de Justiça, que, em caso de
descumprimento das medidas, deverá comunicar imediatamente a autoridade policial, através
da Delegacia da Mulher (DEAM - Av. Sérgio Henn, 70, Bairro Interventoria, com atendimento presencial
de Segunda a sexta-feira, das 08h às 18h), ou da Seccional da Polícia Civil (Travessa Silvino Pinto, s/n
entre Marechal Rondon e Borges Leal, bairro Nossa Senhora das Graças, em finais de semana, feriado ou
turno da noite), bem como acionamento da Polícia Militar através do número 190, em caso de
atendimento imediato no local dos fatos.

Ademais, sobrevindo desinteresse na manutenção da medida em virtude de posterior reconciliação ou


desinteresse, deverá requerer sua revogação expressa em juízo, presencialmente (Fórum da Comarca
156
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

de Santarém, Av. Mendonça Furtado, s/n, Bairro Liberdade), através do telefone nº (93) 3064-9222, ou,
ainda, pelo e-mail mulhersantarem@tjpa.jus.br, devendo ser adotadas pela Vara as medidas
pertinentes para o acolhimento psicossocial da mulher e informações à mulher.

Consoante a Lei nº 13.894/2019, encaminho a vítima para atendimento prioritário nos serviços de
assistência judiciária, a fim de ajuizar as ações de divórcio, separação, anulação de casamento ou
dissolução de união estável, guarda/visitas e/ou alimentos junto à Defensoria Pública do Estado do
Pará ou junto ao CEJUSC, nesta Comarca.

III.b - INTIMAÇÃO E ADVERTÊNCIAS AO REQUERIDO

Nos termos do art. 20, § 1º da Portaria Conjunta 5/2020-GP/CJRMB/CJCI, intime-se o promovido ¿


preferencialmente por meio eletrônico - para imediato cumprimento desta decisão, advertindo-o que em
caso de desobediência sua PRISÃO PREVENTIVA poderá ser decretada (art. 313, III, CPP), ou,
poderá acarretar a fixação de outras medidas mais rígidas, inclusive multa pecuniária no valor de 01 a 10
salários mínimos revertido para a ofendida, uma vez que o descumprimento de ordem judicial configura
ato atentatório à dignidade da justiça, conforme art. 77 do CPC/15.

Para o aperfeiçoamento do ato de intimação do requerido por meio eletrônico, deve o Oficial de
Justiça certificar-se acerca da identificação do promovido, juntando aos autos cópia de um documento de
identidade com foto, bem como comprovação da intimação.

Observe o oficial de justiça o disposto no art. 252 do CPC/15.

Ademais, o descumprimento de medidas protetivas de urgência poderá acarretar a caracterização


do CRIME próprio, previsto no art. 24-A Lei Maria da Penha.

ADVIRTA-SE O REQUERIDO que, caso não haja a interposição de recurso agravo de instrumento no
prazo de 15 dias, ou outro tipo de defesa, a contar da juntada do mandado de intimação nos autos, a
presente decisão restará ESTABILIZADA e o processo será extinto, com MANUTENÇÃO DAS
MEDIDAS PROTETIVAS IMPOSTAS, INDEPENDENTEMENTE DE PRODUÇÃO DE PROVAS, com
prazo de validade a ser fixado por ocasião da prolação da sentença.

Na hipótese do parágrafo anterior, deverá a secretaria certificar a inexistência de agravo de instrumento ou


outro tipo de defesa e remeter os autos ao gabinete conclusos para sentença de extinção. Caso contrário,
deverá aguardar o prazo previsto no art. 1018, §2º do NCPC e, após certificado, fazer conclusão de rotina.

Havendo recurso de agravo ou qualquer outro meio de defesa, será designada audiência de justificação,
caso pertinente, prosseguindo-se com as demais fases do rito comum.

Não localizado o requerido, intime-se a promovente para indicar o endereço atualizado dele, em 05 dias.

Esgotadas todas as possibilidades de intimação pessoal do requerido, intime-se por edital (ENUNCIADO
43/FONAVID).

Cumpra-se com URGÊNCIA, dentro do PRAZO DE 48 HORAS, em razão do perigo iminente que corre a
vítima, nos termos da Resolução nº 346/2020 do CNJ, destacando que é cabível a intimação por hora
certa de medidas protetivas de urgência, nos termos do art. 362, do CPP e arts. 252,253,254, do CPC
(Enunciado 42/FONAVID). Caso necessário, autorizo o cumprimento do mandado no PLANTÃO.

III.c - DELIBERAÇÃO FINAIS

Por não vislumbrar na espécie, diante da natureza da controvérsia posta em debate, a possibilidade de
composição consensual, deixo de designar a audiência a que alude o disposto no artigo 334 do Código de
157
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Processo Civil.

Dispensável a comunicação por ofício à Autoridade Policial a fim de efetivar o cumprimento das medidas
acima impostas, vez que possui acesso ao sistema PJE.

Confiro a esta decisão força de MANDADO/OFICIO.

1. Ao Centro de Referência Maria do Pará, para atendimento psicossocial da promovente e


familiares, e demais encaminhamos para a rede de proteção local pertinentes;

2. CAPS-AD, dando ciência desta decisão, para os devidos fins.

3. Considerando a informação de que o requerido cumpre pena, dê-se ciência da


presente decisão ao Juízo da Execução, desta Comarca.

O presente feito deverá ser autuado em segredo de justiça, com base no art. 189, II e III, do Código de
Processo Civil - ENUNCIADO 34 do FONAVID.

Fica desde já deferido o cumprimento em horário especial e requisição de força policial, caso
necessário.

Expedientes necessários, inclusive carta precatória, se necessário.

Santarém - PA, 09 de maio de 2022.

(Assinado digitalmente)

MANUEL CARLOS DE JESUS MARIA

Juiz de Direito, titular da Vara Agrária, respondendo cumulativamente pela Vara do Juizado da Violência
Doméstica e

Familiar contra a Mulher de Santarém-PA ¿ Portaria 1342/2022-GP.

Santarém-Pará, Vara do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher,12 de setembro de


2022.Eu, Vanderlucia Elias Mattos Portela, digitei.

EDITAL DE INTIMAÇÃO-COM PRAZO DE 20 DIAS (Art.257, III do CPC)

Processo nº. 0803532-57.2022.8.14.0051

MEDIDAS PROTETIVAS DE URGÊNCIA (LEI MARIA DA PENHA) CRIMINAL (1268)

MEDIDAS PROTETIVAS

Requerente: J. D. M. B.

REQUERIDO: ALEX COSTA DA SILVA, atualmente em local incerto e não sabido.

FINALIDADE: INTIMAR o REQUERIDO, acima qualificado, da ação em epigrafe, para que no prazo de 15
(cinco) dias apresente agravo de instrumento, quanto a matéria fática disponível, podendo ser-lhe
nomeado curador especial em caso de revelia (art.257, IV do CPC/2015) iniciando a contagem do primeiro
dia útil seguinte ao fim do prazo de 20 (vinte) dias (art.231,IV, CPC/2015: III ¿ DISPOSITIVO ANTE o
158
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

exposto, tendo em vista estarem presentes os requisitos da medida antecipatória de tutela prevista no art.
300 do CPC/15, DEFIRO, liminarmente, as seguintes medidas protetivas, conforme previsto nos
artigos 22 e 23 da Lei nº: 11.340/2006:

I) ¿ Proibição de perseguir, intimidar, ameaçar a ofendida ou fazer uso de qualquer método que
prejudique ou ponha em risco a sua vida, sua integridade física e psíquica, bem como sua
propriedade;

II) ¿ Proibição de aproximação da vítima e seus familiares, pelo que fixo o limite mínimo de 100
metros de distância mantido o direito de convivência do requerido com o(s) filho(s) comum(s),
desde que através de terceira pessoa, a fim de garantir o cumprimento da medida;

III) Proibição de dirigir a palavra ou ter contato com a requerente, seja pessoalmente, seja por
telefone ou qualquer outro meio de comunicação;

IV) Proibição de frequentar os lugares comumente frequentados pela vítima, notadamente a


residência e local de trabalho desta;

III. a - INTIMAÇÃO E ENCAMINHAMENTOS DA REQUERENTE

Intime-se a vítima por telefone, considerando medidas temporárias de prevenção ao contágio pelo
novo coronavirus (COVID-19). Caso infrutífera essa diligência, expeça-se, imediatamente, o
mandado de intimação que deverá ser cumprido pelo(a) Oficial(a) de Justiça, dentro do prazo legal.

Deve o(a) oficial(a) de justiça ou a quem realizar a intimação da ofendida, esclarecê-la, nos termos
do art. 3º, § 3º, da RESOLUÇÃO nº 346, do Conselho Nacional de Justiça, que, em caso de
descumprimento das medidas, deverá comunicar imediatamente a autoridade policial, através
da Delegacia da Mulher (DEAM - Av. Sérgio Henn, 70, Bairro Interventoria, com atendimento presencial
de Segunda a sexta-feira, das 08h às 18h), ou da Seccional da Polícia Civil (Travessa Silvino Pinto, s/n
entre Marechal Rondon e Borges Leal, bairro Nossa Senhora das Graças, em finais de semana, feriado ou
turno da noite), bem como acionamento da Polícia Militar através do número 190, em caso de
atendimento imediato no local dos fatos.

Ademais, sobrevindo desinteresse na manutenção da medida em virtude de posterior reconciliação ou


desinteresse, deverá requerer sua revogação expressa em juízo, presencialmente (Fórum da Comarca
de Santarém, Av. Mendonça Furtado, s/n, Bairro Liberdade), através do telefone nº (93) 3064-9222, ou,
ainda, pelo e-mail mulhersantarem@tjpa.jus.br, devendo ser adotadas pela Vara as medidas
pertinentes para o acolhimento psicossocial da mulher e informações à mulher.

Consoante a Lei nº 13.894/2019, encaminho a vítima para atendimento prioritário nos serviços de
assistência judiciária, a fim de ajuizar as ações de divórcio, separação, anulação de casamento ou
dissolução de união estável, guarda/visitas e/ou alimentos junto à Defensoria Pública do Estado do
Pará ou junto ao CEJUSC, nesta Comarca.

III.b - INTIMAÇÃO E ADVERTÊNCIAS AO REQUERIDO

Nos termos do art. 20, § 1º da Portaria Conjunta 5/2020-GP/CJRMB/CJCI, intime-se o promovido ¿


preferencialmente por meio eletrônico - para imediato cumprimento desta decisão, advertindo-o que em
caso de desobediência sua PRISÃO PREVENTIVA poderá ser decretada (art. 313, III, CPP), ou,
poderá acarretar a fixação de outras medidas mais rígidas, inclusive multa pecuniária no valor de 01 a 10
salários mínimos revertido para a ofendida, uma vez que o descumprimento de ordem judicial configura
ato atentatório à dignidade da justiça, conforme art. 77 do CPC/15.

Para o aperfeiçoamento do ato de intimação do requerido por meio eletrônico, deve o Oficial de
Justiça certificar-se acerca da identificação do promovido, juntando aos autos cópia de um documento de
159
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

identidade com foto, bem como comprovação da intimação.

Observe o oficial de justiça o disposto no art. 252 do CPC/15.

Ademais, o descumprimento de medidas protetivas de urgência poderá acarretar a caracterização


do CRIME próprio, previsto no art. 24-A Lei Maria da Penha.

ADVIRTA-SE O REQUERIDO que, caso não haja a interposição de recurso agravo de instrumento no
prazo de 15 dias, ou outro tipo de defesa, a contar da juntada do mandado de intimação nos autos, a
presente decisão restará ESTABILIZADA e o processo será extinto, com MANUTENÇÃO DAS
MEDIDAS PROTETIVAS IMPOSTAS, INDEPENDENTEMENTE DE PRODUÇÃO DE PROVAS, com
prazo de validade a ser fixado por ocasião da prolação da sentença.

Na hipótese do parágrafo anterior, deverá a secretaria certificar a inexistência de agravo de instrumento ou


outro tipo de defesa e remeter os autos ao gabinete conclusos para sentença de extinção. Caso contrário,
deverá aguardar o prazo previsto no art. 1018, §2º do NCPC e, após certificado, fazer conclusão de rotina.

Havendo recurso de agravo ou qualquer outro meio de defesa, será designada audiência de justificação,
caso pertinente, prosseguindo-se com as demais fases do rito comum.

Não localizado o requerido, intime-se a promovente para indicar o endereço atualizado dele, em 05 dias.

Esgotadas todas as possibilidades de intimação pessoal do requerido, intime-se por edital (ENUNCIADO
43/FONAVID).

Cumpra-se com URGÊNCIA, dentro do PRAZO DE 48 HORAS, em razão do perigo iminente que corre a
vítima, nos termos da Resolução nº 346/2020 do CNJ, destacando que é cabível a intimação por hora
certa de medidas protetivas de urgência, nos termos do art. 362, do CPP e arts. 252,253,254, do CPC
(Enunciado 42/FONAVID). Caso necessário, autorizo o cumprimento do mandado no PLANTÃO.

III.c - DELIBERAÇÃO FINAIS

Por não vislumbrar na espécie, diante da natureza da controvérsia posta em debate, a possibilidade de
composição consensual, deixo de designar a audiência a que alude o disposto no artigo 334 do Código de
Processo Civil.

Dispensável a comunicação por ofício à Autoridade Policial a fim de efetivar o cumprimento das medidas
acima impostas, vez que possui acesso ao sistema PJE.

Confiro a esta decisão força de MANDADO/OFICIO.

Esta decisão serve como OFÍCIO/MANDADO

1. CEJUSC, para fins de solucionar questões relacionadas a pensão alimentícia, guarda de


filhos, direito de convivência, divórcio, reconhecimento e dissolução de união estável, partilha de bens, etc,
no que for cabível ao caso em tela.

Fica desde já deferido o cumprimento em horário especial e requisição de força policial, caso necessário.

O presente feito deverá ser autuado em segredo de justiça, com base no art. 189, II e III, do Código de
Processo Civil - ENUNCIADO 34 do FONAVID.

Expedientes necessários, inclusive carta precatória, se necessário.


160
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Santarém - PA, 1º de abril de 2022.

(Assinado digitalmente)

IB SALES TAPAJÓS

Juiz de Direito Substituto, respondendo cumulativamente pela Vara do Juizado da Violência

Doméstica e Familiar contra a Mulher de Santarém-PA ¿ Portaria nº 827/2022-GJ.

Santarém-Pará, Vara do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher,12 de setembro de


2022.Eu, Vanderlucia Elias Mattos Portela, digitei.

EDITAL DE INTIMAÇÃO-COM PRAZO DE 20 DIAS (Art.257, III do CPC)

Processo nº. 0804311-12.2022.8.14.0051

MEDIDAS PROTETIVAS DE URGÊNCIA (LEI MARIA DA PENHA) CRIMINAL (1268)

MEDIDAS PROTETIVAS

Requerente: S. P

REQUERIDO: ANGLESON WILLIAN DOS SANTOS, atualmente em local incerto e não sabido.

FINALIDADE: INTIMAR o REQUERIDO, acima qualificado, da ação em epigrafe, para que no prazo de 15
(cinco) dias apresente agravo de instrumento, quanto a matéria fática disponível, podendo ser-lhe
nomeado curador especial em caso de revelia (art.257, IV do CPC/2015) iniciando a contagem do primeiro
dia útil seguinte ao fim do prazo de 20 (vinte) dias (art.231,IV, CPC/2015: III ¿ DISPOSITIVO ANTE o
exposto, tendo em vista estarem presentes os requisitos da medida antecipatória de tutela prevista no art.
300 do CPC/15, DEFIRO, liminarmente, as seguintes medidas protetivas, conforme previsto nos
artigos 22 e 23 da Lei nº: 11.340/2006:

I) Afastamento do lar onde convive com a vítima, podendo retirar os seus pertences de uso
pessoais, acompanhado do Oficial de Justiça;

II) ¿ Proibição de perseguir, intimidar, ameaçar a ofendida ou fazer uso de qualquer método que
prejudique ou ponha em risco a sua vida, sua integridade física e psíquica, bem como sua
propriedade;

III) ¿ Proibição de aproximação da vítima e seus familiares, pelo que fixo o limite mínimo de 100
metros de distância mantido o direito de convivência do requerido com o(s) filho(s) comum(s),
desde que através de terceira pessoa, a fim de garantir o cumprimento da medida;

IV) Proibição de dirigir a palavra ou ter contato com a requerente, seja pessoalmente, seja por
telefone ou qualquer outro meio de comunicação;

V) Proibição de frequentar os lugares comumente frequentados pela vítima, notadamente a


residência e local de trabalho desta;

III. a - INTIMAÇÃO E ENCAMINHAMENTOS DA REQUERENTE

Intime-se a vítima por telefone, considerando medidas temporárias de prevenção ao contágio pelo
161
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

novo coronavirus (COVID-19). Caso infrutífera essa diligência, expeça-se, imediatamente, o


mandado de intimação que deverá ser cumprido pelo(a) Oficial(a) de Justiça, dentro do prazo legal.

Deve o(a) oficial(a) de justiça ou a quem realizar a intimação da ofendida, esclarecê-la, nos termos
do art. 3º, § 3º, da RESOLUÇÃO nº 346, do Conselho Nacional de Justiça, que, em caso de
descumprimento das medidas, deverá comunicar imediatamente a autoridade policial, através
da Delegacia da Mulher (DEAM - Av. Sérgio Henn, 70, Bairro Interventoria, com atendimento presencial
de Segunda a sexta-feira, das 08h às 18h), ou da Seccional da Polícia Civil (Travessa Silvino Pinto, s/n
entre Marechal Rondon e Borges Leal, bairro Nossa Senhora das Graças, em finais de semana, feriado ou
turno da noite), bem como acionamento da Polícia Militar através do número 190, em caso de
atendimento imediato no local dos fatos.

Ademais, sobrevindo desinteresse na manutenção da medida em virtude de posterior reconciliação ou


desinteresse, deverá requerer sua revogação expressa em juízo, presencialmente (Fórum da Comarca
de Santarém, Av. Mendonça Furtado, s/n, Bairro Liberdade), através do telefone nº (93) 3064-9222, ou,
ainda, pelo e-mail mulhersantarem@tjpa.jus.br, devendo ser adotadas pela Vara as medidas
pertinentes para o acolhimento psicossocial da mulher e informações à mulher.

Consoante a Lei nº 13.894/2019, encaminho a vítima para atendimento prioritário nos serviços de
assistência judiciária, a fim de ajuizar as ações de divórcio, separação, anulação de casamento ou
dissolução de união estável, guarda/visitas e/ou alimentos junto à Defensoria Pública do Estado do
Pará ou junto ao CEJUSC, nesta Comarca.

III.b - INTIMAÇÃO E ADVERTÊNCIAS AO REQUERIDO

Nos termos do art. 20, § 1º da Portaria Conjunta 5/2020-GP/CJRMB/CJCI, intime-se o promovido ¿


preferencialmente por meio eletrônico - para imediato cumprimento desta decisão, advertindo-o que em
caso de desobediência sua PRISÃO PREVENTIVA poderá ser decretada (art. 313, III, CPP), ou,
poderá acarretar a fixação de outras medidas mais rígidas, inclusive multa pecuniária no valor de 01 a 10
salários mínimos revertido para a ofendida, uma vez que o descumprimento de ordem judicial configura
ato atentatório à dignidade da justiça, conforme art. 77 do CPC/15.

Para o aperfeiçoamento do ato de intimação do requerido por meio eletrônico, deve o Oficial de
Justiça certificar-se acerca da identificação do promovido, juntando aos autos cópia de um documento de
identidade com foto, bem como comprovação da intimação.

Observe o oficial de justiça o disposto no art. 252 do CPC/15.

Ademais, o descumprimento de medidas protetivas de urgência poderá acarretar a caracterização


do CRIME próprio, previsto no art. 24-A Lei Maria da Penha.

ADVIRTA-SE O REQUERIDO que, caso não haja a interposição de recurso agravo de instrumento no
prazo de 15 dias, ou outro tipo de defesa, a contar da juntada do mandado de intimação nos autos, a
presente decisão restará ESTABILIZADA e o processo será extinto, com MANUTENÇÃO DAS
MEDIDAS PROTETIVAS IMPOSTAS, INDEPENDENTEMENTE DE PRODUÇÃO DE PROVAS, com
prazo de validade a ser fixado por ocasião da prolação da sentença.

Na hipótese do parágrafo anterior, deverá a secretaria certificar a inexistência de agravo de instrumento ou


outro tipo de defesa e remeter os autos ao gabinete conclusos para sentença de extinção. Caso contrário,
deverá aguardar o prazo previsto no art. 1018, §2º do NCPC e, após certificado, fazer conclusão de rotina.

Havendo recurso de agravo ou qualquer outro meio de defesa, será designada audiência de justificação,
caso pertinente, prosseguindo-se com as demais fases do rito comum.

Não localizado o requerido, intime-se a promovente para indicar o endereço atualizado dele, em 05 dias.
162
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Esgotadas todas as possibilidades de intimação pessoal do requerido, intime-se por edital (ENUNCIADO
43/FONAVID).

Cumpra-se com URGÊNCIA, dentro do PRAZO DE 48 HORAS, em razão do perigo iminente que corre a
vítima, nos termos da Resolução nº 346/2020 do CNJ, destacando que é cabível a intimação por hora
certa de medidas protetivas de urgência, nos termos do art. 362, do CPP e arts. 252,253,254, do CPC
(Enunciado 42/FONAVID). Caso necessário, autorizo o cumprimento do mandado no PLANTÃO.

III.c - DELIBERAÇÃO FINAIS

Por não vislumbrar na espécie, diante da natureza da controvérsia posta em debate, a possibilidade de
composição consensual, deixo de designar a audiência a que alude o disposto no artigo 334 do Código de
Processo Civil.

Dispensável a comunicação por ofício à Autoridade Policial a fim de efetivar o cumprimento das medidas
acima impostas, vez que possui acesso ao sistema PJE.

Confiro a esta decisão força de MANDADO/OFICIO.

Esta decisão serve como OFÍCIO/MANDADO

1. CEJUSC, para fins de solucionar questões relacionadas a pensão alimentícia, guarda de


filhos, direito de convivência, divórcio, reconhecimento e dissolução de união estável, partilha de bens, etc,
no que for cabível ao caso em tela.

Fica desde já deferido o cumprimento em horário especial e requisição de força policial, caso necessário.

O presente feito deverá ser autuado em segredo de justiça, com base no art. 189, II e III, do Código de
Processo Civil - ENUNCIADO 34 do FONAVID.

Expedientes necessários, inclusive carta precatória, se necessário.

Santarém - PA, 08 de abril de 2022.

IB SALES TAPAJÓS

Juiz de Direito Substituto auxiliando a Vara do Juizado da Violência Doméstica e

Familiar contra a Mulher de Santarém-PA ¿ Portaria 827/2022-GP.

Santarém-Pará, Vara do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher,13 de setembro de


2022.Eu, Vanderlucia Elias Mattos Portela, digitei.

EDITAL DE INTIMAÇÃO-COM PRAZO DE 20 DIAS (Art.257, III do CPC)

Processo nº. 0811190-69.2021.8.14.0051

MEDIDAS PROTETIVAS DE URGÊNCIA (LEI MARIA DA PENHA) CRIMINAL (1268)

MEDIDAS PROTETIVAS

Requerente: G.A. B
163
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

REQUERIDO: EDINELTON SILVA EZEQUIEL , atualmente em local incerto e não sabido.

FINALIDADE: INTIMAR o REQUERIDO, acima qualificado, da ação em epigrafe, para que no prazo de 15
(cinco) dias apresente agravo de instrumento, quanto a matéria fática disponível, podendo ser-lhe
nomeado curador especial em caso de revelia (art.257, IV do CPC/2015) iniciando a contagem do primeiro
dia útil seguinte ao fim do prazo de 20 (vinte) dias (art.231,IV, CPC/2015: III ¿ DISPOSITIVO ANTE o
exposto, tendo em vista estarem presentes os requisitos da medida antecipatória de tutela prevista no art.
300 do CPC/15, DEFIRO, liminarmente, as seguintes medidas protetivas, conforme previsto nos
artigos 22 e 23 da Lei nº: 11.340/2006:

I) ¿ Proibição de perseguir, intimidar, ameaçar a ofendida ou fazer uso de qualquer método que
prejudique ou ponha em risco a sua vida, sua integridade física e psíquica, bem como sua
propriedade;

II) ¿ Proibição de aproximação da vítima e seus familiares, pelo que fixo o limite mínimo de 100
metros de distância;

III) Proibição de dirigir a palavra ou ter contato com a requerente, seja pessoalmente, seja por
telefone ou qualquer outro meio de comunicação;

IV) Proibição de frequentar os lugares comumente frequentados pela vítima, notadamente a


residência e local de trabalho desta;

III. a - INTIMAÇÃO E ENCAMINHAMENTOS DA REQUERENTE

Intime-se a vítima por telefone, considerando medidas temporárias de prevenção ao contágio pelo
novo coronavirus (COVID-19). Caso infrutífera essa diligência, expeça-se, imediatamente, o
mandado de intimação que deverá ser cumprido pelo(a) Oficial(a) de Justiça, dentro do prazo legal.

Deve o(a) oficial(a) de justiça ou a quem realizar a intimação da ofendida, esclarecê-la, nos termos
do art. 3º, § 3º, da RESOLUÇÃO nº 346, do Conselho Nacional de Justiça, que, em caso de
descumprimento das medidas, deverá comunicar imediatamente a autoridade policial, através
da Delegacia da Mulher (DEAM - Av. Sérgio Henn, 70, Bairro Interventoria, com atendimento presencial
de Segunda a sexta-feira, das 08h às 18h), ou da Seccional da Polícia Civil (Travessa Silvino Pinto, s/n
entre Marechal Rondon e Borges Leal, bairro Nossa Senhora das Graças, em finais de semana, feriado ou
turno da noite), bem como acionamento da Polícia Militar através do número 190, em caso de
atendimento imediato no local dos fatos.

Ademais, sobrevindo desinteresse na manutenção da medida em virtude de posterior reconciliação ou


desinteresse, deverá requerer sua revogação expressa em juízo, presencialmente (Fórum da Comarca
de Santarém, Av. Mendonça Furtado, s/n, Bairro Liberdade), através do telefone nº (93) 3064-9222, ou,
ainda, pelo e-mail mulhersantarem@tjpa.jus.br, devendo ser adotadas pela Vara as medidas
pertinentes para o acolhimento psicossocial da mulher e informações à mulher.

Consoante a Lei nº 13.894/2019, encaminho a vítima para atendimento prioritário nos serviços de
assistência judiciária, a fim de ajuizar as ações de divórcio, separação, anulação de casamento ou
dissolução de união estável, guarda/visitas e/ou alimentos junto à Defensoria Pública do Estado do Pará
, a qual está excepcionalmente atendendo de forma remota, através do e-mail: dppa.nrba@gmail.com.br e
telefones (93) 99187-0815 e 998114-8216; ou junto ao CEJUSC, por meio do e-mail:
cejuscsantarem@tjpa.jus.br.

III.b - INTIMAÇÃO E ADVERTÊNCIAS AO REQUERIDO

Nos termos do art. 20, § 1º da Portaria Conjunta 5/2020-GP/CJRMB/CJCI, intime-se o promovido ¿


preferencialmente por meio eletrônico - para imediato cumprimento desta decisão, advertindo-o que em
164
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

caso de desobediência sua PRISÃO PREVENTIVA poderá ser decretada (art. 313, III, CPP), ou,
poderá acarretar a fixação de outras medidas mais rígidas, inclusive multa pecuniária no valor de 01 a 10
salários mínimos revertido para a ofendida, uma vez que o descumprimento de ordem judicial configura
ato atentatório à dignidade da justiça, conforme art. 77 do CPC/15.

Para o aperfeiçoamento do ato de intimação do requerido por meio eletrônico, deve o Oficial de
Justiça certificar-se acerca da identificação do promovido, juntando aos autos cópia de um documento de
identidade com foto, bem como comprovação da intimação.

Observe o oficial de justiça o disposto no art. 252 do CPC/15.

Ademais, o descumprimento de medidas protetivas de urgência poderá acarretar a caracterização


do CRIME próprio, previsto no art. 24-A Lei Maria da Penha.

ADVIRTA-SE O REQUERIDO que, caso não haja a interposição de recurso agravo de instrumento no
prazo de 15 dias, ou outro tipo de defesa, a contar da juntada do mandado de intimação nos autos, a
presente decisão restará ESTABILIZADA e o processo será extinto, com MANUTENÇÃO DAS
MEDIDAS PROTETIVAS IMPOSTAS, INDEPENDENTEMENTE DE PRODUÇÃO DE PROVAS, com
prazo de validade a ser fixado por ocasião da prolação da sentença.

Na hipótese do parágrafo anterior, deverá a secretaria certificar a inexistência de agravo de instrumento ou


outro tipo de defesa e remeter os autos ao gabinete conclusos para sentença de extinção. Caso contrário,
deverá aguardar o prazo previsto no art. 1018, §2º do NCPC e, após certificado, fazer conclusão de rotina.

Havendo recurso de agravo ou qualquer outro meio de defesa, será designada audiência de justificação,
caso pertinente, prosseguindo-se com as demais fases do rito comum.

Não localizado o requerido, intime-se a promovente para indicar o endereço atualizado dele, em 05 dias.

Esgotadas todas as possibilidades de intimação pessoal do requerido, intime-se por edital (ENUNCIADO
43/FONAVID).

Cumpra-se com URGÊNCIA, dentro do PRAZO DE 48 HORAS, em razão do perigo iminente que corre a
vítima, nos termos da Resolução nº 346/2020 do CNJ, destacando que é cabível a intimação por hora
certa de medidas protetivas de urgência, nos termos do art. 362, do CPP e arts. 252,253,254, do CPC
(Enunciado 42/FONAVID). Caso necessário, autorizo o cumprimento do mandado no PLANTÃO.

III.c - DELIBERAÇÃO FINAIS

Por não vislumbrar na espécie, diante da natureza da controvérsia posta em debate, a possibilidade de
composição consensual, deixo de designar a audiência a que alude o disposto no artigo 334 do Código de
Processo Civil.

Dispensável a comunicação por ofício à Autoridade Policial a fim de efetivar o cumprimento das medidas
acima impostas, vez que possui acesso ao sistema PJE.

Confiro a esta decisão força de MANDADO/OFICIO.

Fica desde já deferido o cumprimento em horário especial e requisição de força policial, caso necessário.

Expedientes necessários, inclusive carta precatória, se necessário.

Santarém - PA, 04 de novembro de 2021.


165
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

(Assinado digitalmente)

RAFAEL GREHS

Juiz de Direito, respondendo pela Vara do Juizado da Violência Doméstica e

Familiar contra a Mulher de Santarém-PA ¿ Portaria nº 3548/2021-GP.

Santarém-Pará, Vara do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher,13 de setembro de


2022.Eu, Vanderlucia Elias Mattos Portela, digitei.

EDITAL DE INTIMAÇÃO-COM PRAZO DE 20 DIAS (Art.257, III do CPC)

Processo nº. 0802264-02.2021.8.14.0051

MEDIDAS PROTETIVAS DE URGÊNCIA (LEI MARIA DA PENHA) CRIMINAL (1268)

MEDIDAS PROTETIVAS

Requerente: O. B. D. J. D. S

REQUERIDO: ODENILDO MENDES DOS SANTOS , atualmente em local incerto e não sabido.

FINALIDADE: INTIMAR o REQUERIDO, acima qualificado, da ação em epigrafe, para que no prazo de 15
(cinco) dias apresente agravo de instrumento, quanto a matéria fática disponível, podendo ser-lhe
nomeado curador especial em caso de revelia (art.257, IV do CPC/2015) iniciando a contagem do primeiro
dia útil seguinte ao fim do prazo de 20 (vinte) dias (art.231,IV, CPC/2015: III ¿ DISPOSITIVO ANTE o
exposto, Com fulcro nos dispositivos da Lei 11.340/06 concedo em favor da vítima as seguintes medidas
protetivas de urgência:

I) - PROIBIÇÃO DE APROXIMAÇÃO DA VÍTIMA E DE SEUS FAMILIARES E TESTEMUNHAS, PELO


QUE FIXO O LIMITE MAXIMO DE 200 METROS DE DISTÂNCIA ENTRE ESTES E O AGRESSOR;

II) ¿ Contato com a ofendida, seus familiares e testemunhas por qualquer meio de comunicação;

III) Proibição de frequentar bares, boates e estabelecimentos onde venda bebida alcoólica;
inclusive a residência da vítima.

Intime-se o requerido para imediato cumprimento desta decisão, advertindo-o de que, em caso de
desobediência, sua prisão preventiva poderá ser decretada, caso haja procedimento criminal em
tramitação, ou, poderá acarretar a fixação de outras medidas mais rígidas, inclusive multa pecuniária no
valor de 01 a 10 salários mínimos revertido para a ofendida, uma vez que o descumprimento de ordem
judicial configura ato atentatório à dignidade da justiça, conforme art. 77 do CPC/15.

Ademais, o descumprimento das medidas protetivas de urgência poderá acarretar a caracterização do


crime previsto no Artigo 24-A da Lei nº 11.340/2006, publicada em 04/04/2018.

Advirta-se o requerido, que caso não haja a interposição de agravo de instrumento, no prazo de 15 dias, a
contar da intimação, a presente decisão restará estabilizada, conforme prevê o art. 304 do NCPC e o
processo será extinto.
166
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Na hipótese do parágrafo anterior, deverá a secretaria certificar a inexistência de agravo de instrumento e


remeter os autos ao gabinete conclusos para sentença de extinção. Caso contrário, deverá aguardar o
prazo previsto no art. 1018, §2º do NCPC e, após certificado, fazer conclusão de rotina.

Havendo recurso de agravo será designada audiência de conciliação, caso pertinente, prosseguindo-se
com as demais fases do rito comum.

Intime-se a vítima para ciência desta decisão, bem como para constituir advogado para prosseguir com o
feito, não podendo, deve ser encaminhada à Defensoria Pública, nos termos do Artigo 18, II, da Lei
11.340/2006.

Comunique-se à Autoridade Policial a fim de efetivar o cumprimento das medidas acima impostas.

Dê-se ciência desta decisão ao Ministério Público, à Defensoria Pública.

Aguarde-se o Inquérito Policial.

Intimem-se. Com o fim do plantão distribua-se.

Santarém, 12 de março de 2021.

MANUEL CARLOS DE JESUS MARIA

Juiz de Direito Plantonista

Santarém-Pará, Vara do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher,13 de setembro de


2022.Eu, Vanderlucia Elias Mattos Portela, digitei.

EDITAL DE INTIMAÇÃO-COM PRAZO DE 20 DIAS (Art.257, III do CPC)

Processo nº. 0812288-89.2021.8.14.0051

MEDIDAS PROTETIVAS DE URGÊNCIA (LEI MARIA DA PENHA) CRIMINAL (1268)

MEDIDAS PROTETIVAS

Requerente: C. D. O. D

REQUERIDO: MARCUS ANTONIO ALVES DA SILVA, atualmente em local incerto e não sabido.

FINALIDADE: INTIMAR o REQUERIDO, acima qualificado, da ação em epigrafe, para que no prazo de 15
(cinco) dias apresente agravo de instrumento, quanto a matéria fática disponível, podendo ser-lhe
nomeado curador especial em caso de revelia (art.257, IV do CPC/2015) iniciando a contagem do primeiro
dia útil seguinte ao fim do prazo de 20 (vinte) dias (art.231,IV, CPC/2015: III ¿ DISPOSITIVO ANTE o
exposto, tendo em vista estarem presentes os requisitos da medida antecipatória de tutela prevista no art.
300 do CPC/15, DEFIRO, liminarmente, as seguintes medidas protetivas, conforme previsto nos
artigos 22 e 23 da Lei nº: 11.340/2006:

I) ¿ Proibição de perseguir, intimidar, ameaçar a ofendida ou fazer uso de qualquer método que
prejudique ou ponha em risco a sua vida, sua integridade física e psíquica, bem como sua
propriedade;

II) ¿ Proibição de aproximação da vítima e seus familiares, pelo que fixo o limite mínimo de 100
167
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

metros de distância;

III) Proibição de dirigir a palavra ou ter contato com a requerente, seja pessoalmente, seja por
telefone ou qualquer outro meio de comunicação;

IV) Proibição de frequentar os lugares comumente frequentados pela vítima, notadamente a


residência e local de trabalho desta;

III. a - INTIMAÇÃO E ENCAMINHAMENTOS DA REQUERENTE

Intime-se a vítima por telefone, considerando medidas temporárias de prevenção ao contágio pelo
novo coronavirus (COVID-19). Caso infrutífera essa diligência, expeça-se, imediatamente, o
mandado de intimação que deverá ser cumprido pelo(a) Oficial(a) de Justiça, dentro do prazo legal.

Deve o(a) oficial(a) de justiça ou a quem realizar a intimação da ofendida, esclarecê-la, nos termos
do art. 3º, § 3º, da RESOLUÇÃO nº 346, do Conselho Nacional de Justiça, que, em caso de
descumprimento das medidas, deverá comunicar imediatamente a autoridade policial, através
da Delegacia da Mulher (DEAM - Av. Sérgio Henn, 70, Bairro Interventoria, com atendimento presencial
de Segunda a sexta-feira, das 08h às 18h), ou da Seccional da Polícia Civil (Travessa Silvino Pinto, s/n
entre Marechal Rondon e Borges Leal, bairro Nossa Senhora das Graças, em finais de semana, feriado ou
turno da noite), bem como acionamento da Polícia Militar através do número 190, em caso de
atendimento imediato no local dos fatos.

Ademais, sobrevindo desinteresse na manutenção da medida em virtude de posterior reconciliação ou


desinteresse, deverá requerer sua revogação expressa em juízo, presencialmente (Fórum da Comarca
de Santarém, Av. Mendonça Furtado, s/n, Bairro Liberdade), através do telefone nº (93) 3064-9222, ou,
ainda, pelo e-mail mulhersantarem@tjpa.jus.br, devendo ser adotadas pela Vara as medidas
pertinentes para o acolhimento psicossocial da mulher e informações à mulher.

Consoante a Lei nº 13.894/2019, encaminho a vítima para atendimento prioritário nos serviços de
assistência judiciária, a fim de ajuizar as ações de divórcio, separação, anulação de casamento ou
dissolução de união estável, guarda/visitas e/ou alimentos junto à Defensoria Pública do Estado do Pará
, a qual está excepcionalmente atendendo de forma remota, através do e-mail: dppa.nrba@gmail.com.br e
telefones (93) 99187-0815 e 998114-8216; ou junto ao CEJUSC, por meio do e-mail:
cejuscsantarem@tjpa.jus.br.

III.b - INTIMAÇÃO E ADVERTÊNCIAS AO REQUERIDO

Nos termos do art. 20, § 1º da Portaria Conjunta 5/2020-GP/CJRMB/CJCI, intime-se o promovido ¿


preferencialmente por meio eletrônico - para imediato cumprimento desta decisão, advertindo-o que em
caso de desobediência sua PRISÃO PREVENTIVA poderá ser decretada (art. 313, III, CPP), ou,
poderá acarretar a fixação de outras medidas mais rígidas, inclusive multa pecuniária no valor de 01 a 10
salários mínimos revertido para a ofendida, uma vez que o descumprimento de ordem judicial configura
ato atentatório à dignidade da justiça, conforme art. 77 do CPC/15.

Para o aperfeiçoamento do ato de intimação do requerido por meio eletrônico, deve o Oficial de
Justiça certificar-se acerca da identificação do promovido, juntando aos autos cópia de um documento de
identidade com foto, bem como comprovação da intimação.

Observe o oficial de justiça o disposto no art. 252 do CPC/15.

Ademais, o descumprimento de medidas protetivas de urgência poderá acarretar a caracterização


do CRIME próprio, previsto no art. 24-A Lei Maria da Penha.

ADVIRTA-SE O REQUERIDO que, caso não haja a interposição de recurso agravo de instrumento no
168
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

prazo de 15 dias, ou outro tipo de defesa, a contar da juntada do mandado de intimação nos autos, a
presente decisão restará ESTABILIZADA e o processo será extinto, com MANUTENÇÃO DAS
MEDIDAS PROTETIVAS IMPOSTAS, INDEPENDENTEMENTE DE PRODUÇÃO DE PROVAS, com
prazo de validade a ser fixado por ocasião da prolação da sentença.

Na hipótese do parágrafo anterior, deverá a secretaria certificar a inexistência de agravo de instrumento ou


outro tipo de defesa e remeter os autos ao gabinete conclusos para sentença de extinção. Caso contrário,
deverá aguardar o prazo previsto no art. 1018, §2º do NCPC e, após certificado, fazer conclusão de rotina.

Havendo recurso de agravo ou qualquer outro meio de defesa, será designada audiência de justificação,
caso pertinente, prosseguindo-se com as demais fases do rito comum.

Não localizado o requerido, intime-se a promovente para indicar o endereço atualizado dele, em 05 dias.

Esgotadas todas as possibilidades de intimação pessoal do requerido, intime-se por edital (ENUNCIADO
43/FONAVID).

Cumpra-se com URGÊNCIA, dentro do PRAZO DE 48 HORAS, em razão do perigo iminente que corre a
vítima, nos termos da Resolução nº 346/2020 do CNJ, destacando que é cabível a intimação por hora
certa de medidas protetivas de urgência, nos termos do art. 362, do CPP e arts. 252,253,254, do CPC
(Enunciado 42/FONAVID). Caso necessário, autorizo o cumprimento do mandado no PLANTÃO.

III.c - DELIBERAÇÃO FINAIS

Por não vislumbrar na espécie, diante da natureza da controvérsia posta em debate, a possibilidade de
composição consensual, deixo de designar a audiência a que alude o disposto no artigo 334 do Código de
Processo Civil.

Dispensável a comunicação por ofício à Autoridade Policial a fim de efetivar o cumprimento das medidas
acima impostas, vez que possui acesso ao sistema PJE.

Confiro a esta decisão força de MANDADO/OFICIO.

EXPEÇA-SE OFÍCIO encaminhando-se a requerente a ¿CENTRO


PROFISSIONALIZA¿, para inclusão nas suas atividades.

Fica desde já deferido o cumprimento em horário especial e requisição de força policial, caso necessário.

Expedientes necessários, inclusive carta precatória, se necessário.

Santarém - PA, 1º de dezembro 2021.

(Assinado digitalmente)

CAROLINA CERQUEIRA DE MIRANDA MAIA

Juíza de Direito Titular da Vara do Juizado da Violência Doméstica e

Familiar contra a Mulher de Santarém-PA.

Santarém-Pará, Vara do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher,13 de setembro de


2022.Eu, Vanderlucia Elias Mattos Portela, digitei.
169
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

EDITAL DE INTIMAÇÃO-COM PRAZO DE 20 DIAS (Art.257, III do CPC)

Processo nº. 0801256-53.2022.8.14.0051

MEDIDAS PROTETIVAS DE URGÊNCIA (LEI MARIA DA PENHA) CRIMINAL (1268)

MEDIDAS PROTETIVAS

Requerente: S. M. P

REQUERIDO: RICHARD MANOEL DA SILVA, atualmente em local incerto e não sabido.

FINALIDADE: INTIMAR o REQUERIDO, acima qualificado, da ação em epigrafe, para que no prazo de 15
(cinco) dias apresente agravo de instrumento, quanto a matéria fática disponível, podendo ser-lhe
nomeado curador especial em caso de revelia (art.257, IV do CPC/2015) iniciando a contagem do primeiro
dia útil seguinte ao fim do prazo de 20 (vinte) dias (art.231,IV, CPC/2015: III ¿ DISPOSITIVO ANTE o
exposto, tendo em vista estarem presentes os requisitos da medida antecipatória de tutela prevista no art.
300 do CPC/15, DEFIRO, liminarmente, as seguintes medidas protetivas, conforme previsto nos
artigos 22 e 23 da Lei nº: 11.340/2006:

I) ¿ Proibição de perseguir, intimidar, ameaçar a ofendida ou fazer uso de qualquer método que
prejudique ou ponha em risco a sua vida, sua integridade física e psíquica, bem como sua
propriedade;

II) ¿ Proibição de aproximação da vítima e seus familiares, pelo que fixo o limite mínimo de 100
metros de distância, mantido o direito de convivência do requerido com o(s) filho(s) comum(s),
desde que através de terceira pessoa, a fim de garantir o cumprimento da medida;

III) Proibição de dirigir a palavra ou ter contato com a requerente, seja pessoalmente, seja por
telefone ou qualquer outro meio de comunicação;

IV) Proibição de frequentar os lugares comumente frequentados pela vítima, notadamente a


residência e local de trabalho desta;

V) ¿ Pagamento de alimentos pelo requerido em favor de seu(s) filho(s), PELO PRAZO DE 06 (SEIS)
MESES, no montante de 30% (trinta por cento) do salário mínimo, a partir da intimação do
requerido do teor desta decisão, devendo o pagamento ser realizado todo dia 10 (dez) de cada mês,
à genitora do(s) menor(es), mediante recibo, sendo entregue por um terceiro, com o fim de garantir
o efetivo cumprimento das presentes medidas.

III. a - INTIMAÇÃO E ENCAMINHAMENTOS DA REQUERENTE

Intime-se a vítima por telefone, considerando medidas temporárias de prevenção ao contágio pelo
novo coronavirus (COVID-19). Caso infrutífera essa diligência, expeça-se, imediatamente, o
mandado de intimação que deverá ser cumprido pelo(a) Oficial(a) de Justiça, dentro do prazo legal.

Deve o(a) oficial(a) de justiça ou a quem realizar a intimação da ofendida, esclarecê-la, nos termos
do art. 3º, § 3º, da RESOLUÇÃO nº 346, do Conselho Nacional de Justiça, que, em caso de
descumprimento das medidas, deverá comunicar imediatamente a autoridade policial, através
da Delegacia da Mulher (DEAM - Av. Sérgio Henn, 70, Bairro Interventoria, com atendimento presencial
de Segunda a sexta-feira, das 08h às 18h), ou da Seccional da Polícia Civil (Travessa Silvino Pinto, s/n
entre Marechal Rondon e Borges Leal, bairro Nossa Senhora das Graças, em finais de semana, feriado ou
turno da noite), bem como acionamento da Polícia Militar através do número 190, em caso de
atendimento imediato no local dos fatos.
170
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Ademais, sobrevindo desinteresse na manutenção da medida em virtude de posterior reconciliação


ou desinteresse, deverá requerer sua revogação expressa em juízo, presencialmente (Fórum da
Comarca de Santarém, Av. Mendonça Furtado, s/n, Bairro Liberdade), ou através do telefone nº
(DDD 93) 3064-9222 - Secretaria/(DDD 91) 99124-8667 - WhatsApp, ou, ainda, pelo e-mail
mulhersantarem@tjpa.jus.br, devendo ser adotadas pela Vara as medidas pertinentes para o
acolhimento psicossocial da mulher e informações à mulher.

Consoante a Lei nº 13.894/2019, encaminho a vítima para atendimento prioritário nos serviços de
assistência judiciária, a fim de ajuizar as ações de divórcio, separação, anulação de casamento ou
dissolução de união estável, guarda/visitas e/ou alimentos junto à Defensoria Pública do Estado do Pará
ou junto ao CEJUSC, nesta Comarca.

III.b - INTIMAÇÃO E ADVERTÊNCIAS AO REQUERIDO

Nos termos do art. 20, § 1º da Portaria Conjunta 5/2020-GP/CJRMB/CJCI, intime-se o promovido ¿


preferencialmente por meio eletrônico - para imediato cumprimento desta decisão, advertindo-o que em
caso de desobediência sua PRISÃO PREVENTIVA poderá ser decretada (art. 313, III, CPP), ou,
poderá acarretar a fixação de outras medidas mais rígidas, inclusive multa pecuniária no valor de 01 a 10
salários mínimos revertido para a ofendida, uma vez que o descumprimento de ordem judicial configura
ato atentatório à dignidade da justiça, conforme art. 77 do CPC/15.

Para o aperfeiçoamento do ato de intimação do requerido por meio eletrônico, deve o Oficial de
Justiça certificar-se acerca da identificação do promovido, juntando aos autos cópia de um documento de
identidade com foto, bem como comprovação da intimação.

Observe o oficial de justiça o disposto no art. 252 do CPC/15.

Ademais, o descumprimento de medidas protetivas de urgência poderá acarretar a caracterização


do CRIME próprio, previsto no art. 24-A Lei Maria da Penha.

ADVIRTA-SE O REQUERIDO que, caso não haja a interposição de recurso agravo de instrumento no
prazo de 15 dias, ou outro tipo de defesa, a contar da juntada do mandado de intimação nos autos, a
presente decisão restará ESTABILIZADA e o processo será extinto, com MANUTENÇÃO DAS
MEDIDAS PROTETIVAS IMPOSTAS, INDEPENDENTEMENTE DE PRODUÇÃO DE PROVAS, com
prazo de validade a ser fixado por ocasião da prolação da sentença.

Na hipótese do parágrafo anterior, deverá a secretaria certificar a inexistência de agravo de instrumento ou


outro tipo de defesa e remeter os autos ao gabinete conclusos para sentença de extinção. Caso contrário,
deverá aguardar o prazo previsto no art. 1018, §2º do NCPC e, após certificado, fazer conclusão de rotina.

Havendo recurso de agravo ou qualquer outro meio de defesa, será designada audiência de justificação,
caso pertinente, prosseguindo-se com as demais fases do rito comum.

Não localizado o requerido, intime-se a promovente para indicar o endereço atualizado dele, em 05 dias.

Esgotadas todas as possibilidades de intimação pessoal do requerido, intime-se por edital (ENUNCIADO
43/FONAVID).

Cumpra-se com URGÊNCIA, dentro do PRAZO DE 48 HORAS, em razão do perigo iminente que corre a
vítima, nos termos da Resolução nº 346/2020 do CNJ, destacando que é cabível a intimação por hora
certa de medidas protetivas de urgência, nos termos do art. 362, do CPP e arts. 252,253,254, do CPC
(Enunciado 42/FONAVID). Caso necessário, autorizo o cumprimento do mandado no PLANTÃO.

III.c - DELIBERAÇÃO FINAIS


171
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Por não vislumbrar na espécie, diante da natureza da controvérsia posta em debate, a possibilidade de
composição consensual, deixo de designar a audiência a que alude o disposto no artigo 334 do Código de
Processo Civil.

Dispensável a comunicação por ofício à Autoridade Policial a fim de efetivar o cumprimento das medidas
acima impostas, vez que possui acesso ao sistema PJE.

Confiro a esta decisão força de MANDADO/OFICIO.

1. CEJUSC, para fins de solucionar questões relacionadas a pensão alimentícia, guarda de


filhos, direito de convivência, divórcio, reconhecimento e dissolução de união estável, partilha de bens, etc,
no que for cabível ao caso em tela.

EXPEÇA-SE OFÍCIO encaminhando-se a requerente aos projetos: ¿LUTE POR ELAS¿ e


¿CIDADÃO DO FUTURO ¿ POLÍCIA MILITAR¿, para inclusão nas suas atividades.

Fica desde já deferido o cumprimento em horário especial e requisição de força policial, caso necessário.

O presente feito deverá ser autuado em segredo de justiça, com base no art. 189, II e III, do Código de
Processo Civil - ENUNCIADO 34 do FONAVID.

Expedientes necessários, inclusive carta precatória, se necessário.

Santarém - PA, 15 de fevereiro de 2022.

(Assinado digitalmente)

RAFAEL GREHS

Juiz de Direito, respondendo pela Vara do Juizado da Violência Doméstica e

Familiar contra a Mulher de Santarém-PA ¿ Portaria nº 219/2022-GP.

Santarém-Pará, Vara do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher,13 de setembro de


2022.Eu, Vanderlucia Elias Mattos Portela, digitei.

EDITAL DE INTIMAÇÃO-COM PRAZO DE 20 DIAS (Art.257, III do CPC)

Processo nº. 0801787-76.2021.8.14.0051

MEDIDAS PROTETIVAS DE URGÊNCIA (LEI MARIA DA PENHA) CRIMINAL (1268)

MEDIDAS PROTETIVAS

Requerente: E. L. D.S

REQUERIDO: ELCIO SILVA DO NASCIMENTO., atualmente em local incerto e não sabido.

FINALIDADE: INTIMAR o REQUERIDO, acima qualificado, da ação em epigrafe, para que no prazo de 15
(cinco) dias apresente agravo de instrumento, quanto a matéria fática disponível, podendo ser-lhe
nomeado curador especial em caso de revelia (art.257, IV do CPC/2015) iniciando a contagem do primeiro
dia útil seguinte ao fim do prazo de 20 (vinte) dias (art.231,IV, CPC/2015: III ¿ DISPOSITIVO ANTE o
exposto, tendo em vista estarem presentes os requisitos da medida antecipatória de tutela prevista no art.
172
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

300 do CPC/15, DEFIRO, liminarmente, as seguintes medidas protetivas, conforme previsto nos
artigos 22 e 23 da Lei nº: 11.340/2006:

I) ¿ Proibição de perseguir, intimidar, ameaçar a ofendida ou fazer uso de qualquer método que
prejudique ou ponha em risco a sua vida, sua integridade física e psíquica, bem como sua
propriedade;

II) ¿ Proibição de aproximação da vítima e seus familiares, pelo que fixo o limite mínimo de 100
metros de distância, mantido o direito de convivência com os filhos do casal, por meio de uma
terceira pessoa, para garantir o cumprimento das medidas protetivas;

III) Proibição de dirigir a palavra ou ter contato com a requerente, seja pessoalmente, seja por
telefone ou qualquer outro meio de comunicação;

IV) Proibição de frequentar os lugares comumente frequentados pela vítima, notadamente a


residência e local de trabalho desta;

III.a - INTIMAÇÃO E ENCAMINHAMENTOS DA REQUERENTE

Intime-se a vítima por telefone, considerando medidas temporárias de prevenção ao contágio pelo
novo coronavirus (COVID-19). Caso infrutífera essa diligência, expeça-se, imediatamente, o
mandado de intimação que deverá ser cumprido pelo(a) Oficial(a) de Justiça, dentro do prazo legal.

Deve o(a) oficial(a) de justiça ou a quem realizar a intimação da ofendida, esclarecê-la, nos termos
do art. 3º, § 3º, da RESOLUÇÃO nº 346, do Conselho Nacional de Justiça, que, em caso de
descumprimento das medidas, deverá comunicar imediatamente a autoridade policial, através
da Delegacia da Mulher (DEAM - Av. Sérgio Henn, 70, Bairro Interventoria, com atendimento presencial
de Segunda a sexta-feira, das 08h às 18h), ou da Seccional da Polícia Civil (Travessa Silvino Pinto, s/n
entre Marechal Rondon e Borges Leal, bairro Nossa Senhora das Graças, em finais de semana, feriado ou
turno da noite), bem como acionamento da Polícia Militar através do número 190, em caso de
atendimento imediato no local dos fatos.

Ademais, sobrevindo desinteresse na manutenção da medida em virtude de posterior reconciliação ou


desinteresse, deverá requerer sua revogação expressa em juízo, presencialmente pelo e-
mail mulhersantarem@tjpa.jus.br, neste período em que as atividades presenciais se encontram
suspensas, por conta da pandemia ¿ COVID 19, devendo ser adotadas pela Vara as medidas
pertinentes para o acolhimento psicossocial da mulher e informações à mulher.

Consoante a Lei nº 13.894/2019, encaminho a vítima para atendimento prioritário nos serviços de
assistência judiciária, a fim de ajuizar as ações de divórcio, separação, anulação de casamento ou
dissolução de união estável, guarda/visitas e/ou alimentos junto à Defensoria Pública do Estado do Pará
, a qual está excepcionalmente atendendo de forma remota, através do e-mail: dppa.nrba@gmail.com.br e
telefones (93) 99187-0815 e 998114-8216; ou junto ao CEJUSC, por meio do e-mail:
cejuscsantarem@tjpa.jus.br.

Encaminhe-se a promovente para o Centro de Referência Maria do Pará, para atendimento psicossocial e
demais atendimentos pela rede de proteção local pertinentes.

No ato da intimação, verifique-se se a requerente tem interesse em ser encaminhada para a Clínica
Escola do IESPES (atendimento psicológico), inserção nos projetos Lute por Elas (aulas de defesa
pessoal gratuitas por 3 meses) e o ¿Tem Saída Tapajós¿ (concorrência para vaga de emprego
formal).

III.b - INTIMAÇÃO E ADVERTÊNCIAS AO REQUERIDO


173
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Nos termos do art. 20, § 1º da Portaria Conjunta 5/2020-GP/CJRMB/CJCI, intime-se o promovido ¿


preferencialmente por meio eletrônico - para imediato cumprimento desta decisão, advertindo-o que em
caso de desobediência sua PRISÃO PREVENTIVA poderá ser decretada (art. 313, III, CPP), ou,
poderá acarretar a fixação de outras medidas mais rígidas, inclusive multa pecuniária no valor de 01 a 10
salários mínimos revertido para a ofendida, uma vez que o descumprimento de ordem judicial configura
ato atentatório à dignidade da justiça, conforme art. 77 do CPC/15.

Para o aperfeiçoamento do ato de intimação do requerido por meio eletrônico, deve o Oficial de
Justiça certificar-se acerca da identificação do promovido, juntando aos autos cópia de um documento de
identidade com foto, bem como comprovação da intimação.

Observe o oficial de justiça o disposto no art. 252 do CPC/15.

Ademais, o descumprimento de medidas protetivas de urgência poderá acarretar a caracterização


do CRIME próprio, previsto no art. 24-A Lei Maria da Penha.

ADVIRTA-SE O REQUERIDO que, caso não haja a interposição de recurso agravo de instrumento no
prazo de 15 dias, ou outro tipo de defesa, a contar da juntada do mandado de intimação nos autos, a
presente decisão restará ESTABILIZADA e o processo será extinto, com MANUTENÇÃO DAS
MEDIDAS PROTETIVAS IMPOSTAS, INDEPENDENTEMENTE DE PRODUÇÃO DE PROVAS, com
prazo de validade a ser fixado por ocasião da prolação da sentença.

Na hipótese do parágrafo anterior, deverá a secretaria certificar a inexistência de agravo de instrumento ou


outro tipo de defesa e remeter os autos ao gabinete conclusos para sentença de extinção. Caso contrário,
deverá aguardar o prazo previsto no art. 1018, §2º do NCPC e, após certificado, fazer conclusão de rotina.

Havendo recurso de agravo ou qualquer outro meio de defesa, será designada audiência de justificação,
caso pertinente, prosseguindo-se com as demais fases do rito comum.

Não localizado o requerido, intime-se a promovente para indicar o endereço atualizado dele, em 05 dias.

Esgotadas todas as possibilidades de intimação pessoal do requerido, intime-se por edital (ENUNCIADO
43/FONAVID).

Cumpra-se com URGÊNCIA, dentro do PRAZO DE 48 HORAS, em razão do perigo iminente que corre a
vítima, nos termos da Resolução nº 346/2020 do CNJ, destacando que é cabível a intimação por hora
certa de medidas protetivas de urgência, nos termos do art. 362, do CPP e arts. 252,253,254, do CPC
(Enunciado 42/FONAVID). Caso necessário, autorizo o cumprimento do mandado no PLANTÃO.

III.c - DELIBERAÇÃO FINAIS

Por não vislumbrar na espécie, diante da natureza da controvérsia posta em debate, a possibilidade de
composição consensual, deixo de designar a audiência a que alude o disposto no artigo 334 do Código de
Processo Civil.

Dispensável a comunicação por ofício à Autoridade Policial a fim de efetivar o cumprimento das medidas
acima impostas, vez que possui acesso ao sistema PJE.

Confiro a esta decisão força de MANDADO DE INTIMAÇÃO/BUSCA E APREENSÃO/OFICIO.

Esta decisão serve como OFÍCIO ao:

1. Centro de Referência Maria do Pará, para atendimento psicossocial da promovente e familiares,


e demais encaminhamos para a rede de proteção local pertinentes.
174
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Fica desde já deferido o cumprimento em horário especial e requisição de força policial, caso
necessário.

O presente feito deverá tramitar em segredo de justiça, com base no art. 189, II e III, do Código de
Processo Civil - ENUNCIADO 34 do FONAVID.

Expedientes necessários.

Santarém - PA, 05 de março de 2021.

CAROLINA CERQUEIRA DE MIRANDA MAIA

Juíza de Direito Titular da Vara do Juizado da Violência Doméstica e

Familiar contra a Mulher de Santarém-PA.

Santarém-Pará, Vara do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher,13 de setembro de


2022.Eu, Vanderlucia Elias Mattos Portela, digitei.

EDITAL DE INTIMAÇÃO-COM PRAZO DE 20 DIAS (Art.257, III do CPC)

Processo nº. 0805956-09.2021.8.14.0051

MEDIDAS PROTETIVAS DE URGÊNCIA (LEI MARIA DA PENHA) CRIMINAL (1268)

MEDIDAS PROTETIVAS

Requerente: S. A. C

REQUERIDO: JOÃO DA COSTA PEREIRA NETO

FINALIDADE: INTIMAR o REQUERIDO, acima qualificado, da ação em epigrafe, para que no prazo de 15
(cinco) dias apresente agravo de instrumento, quanto a matéria fática disponível, podendo ser-lhe
nomeado curador especial em caso de revelia (art.257, IV do CPC/2015) iniciando a contagem do primeiro
dia útil seguinte ao fim do prazo de 20 (vinte) dias (art.231,IV, CPC/2015: III ¿ DISPOSITIVO ANTE o
exposto, tendo em vista estarem presentes os requisitos da medida antecipatória de tutela prevista no art.
300 do CPC/15, DEFIRO, liminarmente, as seguintes medidas protetivas, conforme previsto nos
artigos 22 e 23 da Lei nº: 11.340/2006:

I) ¿ Proibição de perseguir, intimidar, ameaçar a ofendida ou fazer uso de qualquer método que
prejudique ou ponha em risco a sua vida, sua integridade física e psíquica, bem como sua
propriedade;

II) ¿ Proibição de aproximação da vítima e seus familiares, inclusiva da Fernanda, pelo que fixo
o limite mínimo de 100 metros de distância;

III) Proibição de dirigir a palavra ou ter contato com a requerente, seja pessoalmente, seja por
telefone ou qualquer outro meio de comunicação;

IV) Proibição de frequentar os lugares comumente frequentados pela vítima, notadamente a


residência e local de trabalho desta;
175
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

III. a - INTIMAÇÃO E ENCAMINHAMENTOS DA REQUERENTE

Intime-se a vítima por telefone, considerando medidas temporárias de prevenção ao contágio pelo
novo coronavirus (COVID-19). Caso infrutífera essa diligência, expeça-se, imediatamente, o
mandado de intimação que deverá ser cumprido pelo(a) Oficial(a) de Justiça, dentro do prazo legal.

Deve o(a) oficial(a) de justiça ou a quem realizar a intimação da ofendida, esclarecê-la, nos termos
do art. 3º, § 3º, da RESOLUÇÃO nº 346, do Conselho Nacional de Justiça, que, em caso de
descumprimento das medidas, deverá comunicar imediatamente a autoridade policial, através
da Delegacia da Mulher (DEAM - Av. Sérgio Henn, 70, Bairro Interventoria, com atendimento presencial
de Segunda a sexta-feira, das 08h às 18h), ou da Seccional da Polícia Civil (Travessa Silvino Pinto, s/n
entre Marechal Rondon e Borges Leal, bairro Nossa Senhora das Graças, em finais de semana, feriado ou
turno da noite), bem como acionamento da Polícia Militar através do número 190, em caso de
atendimento imediato no local dos fatos.

Ademais, sobrevindo desinteresse na manutenção da medida em virtude de posterior reconciliação ou


desinteresse, deverá requerer sua revogação expressa em juízo, presencialmente (Fórum da Comarca
de Santarém, Av. Mendonça Furtado, s/n, Bairro Liberdade), através do telefone nº (93) 3064-9222, ou,
ainda, pelo e-mail mulhersantarem@tjpa.jus.br, devendo ser adotadas pela Vara as medidas
pertinentes para o acolhimento psicossocial da mulher e informações à mulher.

Consoante a Lei nº 13.894/2019, encaminho a vítima para atendimento prioritário nos serviços de
assistência judiciária, a fim de ajuizar as ações de divórcio, separação, anulação de casamento ou
dissolução de união estável, guarda/visitas e/ou alimentos junto à Defensoria Pública do Estado do Pará
, a qual está excepcionalmente atendendo de forma remota, através do e-mail: dppa.nrba@gmail.com.br e
telefones (93) 99187-0815 e 998114-8216; ou junto ao CEJUSC, por meio do e-mail:
cejuscsantarem@tjpa.jus.br.

III.b - INTIMAÇÃO E ADVERTÊNCIAS AO REQUERIDO

Nos termos do art. 20, § 1º da Portaria Conjunta 5/2020-GP/CJRMB/CJCI, intime-se o promovido ¿


preferencialmente por meio eletrônico - para imediato cumprimento desta decisão, advertindo-o que em
caso de desobediência sua PRISÃO PREVENTIVA poderá ser decretada (art. 313, III, CPP), ou,
poderá acarretar a fixação de outras medidas mais rígidas, inclusive multa pecuniária no valor de 01 a 10
salários mínimos revertido para a ofendida, uma vez que o descumprimento de ordem judicial configura
ato atentatório à dignidade da justiça, conforme art. 77 do CPC/15.

Para o aperfeiçoamento do ato de intimação do requerido por meio eletrônico, deve o Oficial de
Justiça certificar-se acerca da identificação do promovido, juntando aos autos cópia de um documento de
identidade com foto, bem como comprovação da intimação.

Observe o oficial de justiça o disposto no art. 252 do CPC/15.

Ademais, o descumprimento de medidas protetivas de urgência poderá acarretar a caracterização


do CRIME próprio, previsto no art. 24-A Lei Maria da Penha.

ADVIRTA-SE O REQUERIDO que, caso não haja a interposição de recurso agravo de instrumento no
prazo de 15 dias, ou outro tipo de defesa, a contar da juntada do mandado de intimação nos autos, a
presente decisão restará ESTABILIZADA e o processo será extinto, com MANUTENÇÃO DAS
MEDIDAS PROTETIVAS IMPOSTAS, INDEPENDENTEMENTE DE PRODUÇÃO DE PROVAS, com
prazo de validade a ser fixado por ocasião da prolação da sentença.

Na hipótese do parágrafo anterior, deverá a secretaria certificar a inexistência de agravo de instrumento ou


outro tipo de defesa e remeter os autos ao gabinete conclusos para sentença de extinção. Caso contrário,
deverá aguardar o prazo previsto no art. 1018, §2º do NCPC e, após certificado, fazer conclusão de rotina.
176
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Havendo recurso de agravo ou qualquer outro meio de defesa, será designada audiência de justificação,
caso pertinente, prosseguindo-se com as demais fases do rito comum.

Não localizado o requerido, intime-se a promovente para indicar o endereço atualizado dele, em 05 dias.

Esgotadas todas as possibilidades de intimação pessoal do requerido, intime-se por edital (ENUNCIADO
43/FONAVID).

Cumpra-se com URGÊNCIA, dentro do PRAZO DE 48 HORAS, em razão do perigo iminente que corre a
vítima, nos termos da Resolução nº 346/2020 do CNJ, destacando que é cabível a intimação por hora
certa de medidas protetivas de urgência, nos termos do art. 362, do CPP e arts. 252,253,254, do CPC
(Enunciado 42/FONAVID). Caso necessário, autorizo o cumprimento do mandado no PLANTÃO.

III.c - DELIBERAÇÃO FINAIS

Por não vislumbrar na espécie, diante da natureza da controvérsia posta em debate, a possibilidade de
composição consensual, deixo de designar a audiência a que alude o disposto no artigo 334 do Código de
Processo Civil.

Dispensável a comunicação por ofício à Autoridade Policial a fim de efetivar o cumprimento das medidas
acima impostas, vez que possui acesso ao sistema PJE.

Confiro a esta decisão força de MANDADO/OFICIO.

Fica desde já deferido o cumprimento em horário especial e requisição de força policial, caso necessário.

Expedientes necessários, inclusive carta precatória, se necessário.

Santarém - PA, 23 de junho de 2021.

CAROLINA CERQUEIRA DE MIRANDA MAIA

Juíza Titular

Santarém-Pará, Vara do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher,13 de setembro de


2022.Eu, Vanderlucia Elias Mattos Portela, digitei.

EDITAL DE INTIMAÇÃO-COM PRAZO DE 20 DIAS (Art.257, III do CPC)

Processo nº. 0804430-70.2022.8.14.0051

MEDIDAS PROTETIVAS DE URGÊNCIA (LEI MARIA DA PENHA) CRIMINAL (1268)

MEDIDAS PROTETIVAS

Requerente: M. I. S. D.M

REQUERIDO: ARENILSON SOUSA DOS SANTOS, atualmente em local incerto e não sabido.

FINALIDADE: INTIMAR o REQUERIDO, acima qualificado, da ação em epigrafe, para que no prazo de 15
(cinco) dias apresente agravo de instrumento, quanto a matéria fática disponível, podendo ser-lhe
nomeado curador especial em caso de revelia (art.257, IV do CPC/2015) iniciando a contagem do primeiro
dia útil seguinte ao fim do prazo de 20 (vinte) dias (art.231,IV, CPC/2015: III ¿ DISPOSITIVO ANTE o
177
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

exposto, tendo em vista estarem presentes os requisitos da medida antecipatória de tutela prevista no art.
300 do CPC/15, DEFIRO, liminarmente, as seguintes medidas protetivas, conforme previsto nos
artigos 22 e 23 da Lei nº: 11.340/2006:

I) ¿ Afastamento do lar onde convive com a vítima, podendo retirar os seus pertences de uso
pessoais, acompanhado do Oficial de Justiça;

II) Proibição de perseguir, intimidar, ameaçar a ofendida ou fazer uso de qualquer método que
prejudique ou ponha em risco a sua vida, sua integridade física e psíquica, bem como sua
propriedade;

III) ¿ Proibição de aproximação da vítima e seus familiares, pelo que fixo o limite mínimo de 100
metros de distância.

IV) Proibição de dirigir a palavra ou ter contato com a requerente, seja pessoalmente, seja por
telefone ou qualquer outro meio de comunicação;

V) Proibição de frequentar os lugares comumente frequentados pela vítima, notadamente a


residência e local de trabalho desta;

III. a - INTIMAÇÃO E ENCAMINHAMENTOS DA REQUERENTE

Intime-se a vítima por telefone, considerando medidas temporárias de prevenção ao contágio pelo
novo coronavirus (COVID-19). Caso infrutífera essa diligência, expeça-se, imediatamente, o
mandado de intimação que deverá ser cumprido pelo(a) Oficial(a) de Justiça, dentro do prazo legal.

Deve o(a) oficial(a) de justiça ou a quem realizar a intimação da ofendida, esclarecê-la, nos termos
do art. 3º, § 3º, da RESOLUÇÃO nº 346, do Conselho Nacional de Justiça, que, em caso de
descumprimento das medidas, deverá comunicar imediatamente a autoridade policial, através
da Delegacia da Mulher (DEAM - Av. Sérgio Henn, 70, Bairro Interventoria, com atendimento presencial
de Segunda a sexta-feira, das 08h às 18h), ou da Seccional da Polícia Civil (Travessa Silvino Pinto, s/n
entre Marechal Rondon e Borges Leal, bairro Nossa Senhora das Graças, em finais de semana, feriado ou
turno da noite), bem como acionamento da Polícia Militar através do número 190, em caso de
atendimento imediato no local dos fatos.

Ademais, sobrevindo desinteresse na manutenção da medida em virtude de posterior reconciliação ou


desinteresse, deverá requerer sua revogação expressa em juízo, presencialmente (Fórum da Comarca
de Santarém, Av. Mendonça Furtado, s/n, Bairro Liberdade), através do telefone nº (93) 3064-9222, ou,
ainda, pelo e-mail mulhersantarem@tjpa.jus.br, devendo ser adotadas pela Vara as medidas
pertinentes para o acolhimento psicossocial da mulher e informações à mulher.

Consoante a Lei nº 13.894/2019, encaminho a vítima para atendimento prioritário nos serviços de
assistência judiciária, a fim de ajuizar as ações de divórcio, separação, anulação de casamento ou
dissolução de união estável, guarda/visitas e/ou alimentos junto à Defensoria Pública do Estado do
Pará ou junto ao CEJUSC, nesta Comarca.

III.b - INTIMAÇÃO E ADVERTÊNCIAS AO REQUERIDO

Nos termos do art. 20, § 1º da Portaria Conjunta 5/2020-GP/CJRMB/CJCI, intime-se o promovido ¿


preferencialmente por meio eletrônico - para imediato cumprimento desta decisão, advertindo-o que em
caso de desobediência sua PRISÃO PREVENTIVA poderá ser decretada (art. 313, III, CPP), ou,
poderá acarretar a fixação de outras medidas mais rígidas, inclusive multa pecuniária no valor de 01 a 10
salários mínimos revertido para a ofendida, uma vez que o descumprimento de ordem judicial configura
ato atentatório à dignidade da justiça, conforme art. 77 do CPC/15.
178
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Para o aperfeiçoamento do ato de intimação do requerido por meio eletrônico, deve o Oficial de
Justiça certificar-se acerca da identificação do promovido, juntando aos autos cópia de um documento de
identidade com foto, bem como comprovação da intimação.

Observe o oficial de justiça o disposto no art. 252 do CPC/15.

Ademais, o descumprimento de medidas protetivas de urgência poderá acarretar a caracterização


do CRIME próprio, previsto no art. 24-A Lei Maria da Penha.

ADVIRTA-SE O REQUERIDO que, caso não haja a interposição de recurso agravo de instrumento no
prazo de 15 dias, ou outro tipo de defesa, a contar da juntada do mandado de intimação nos autos, a
presente decisão restará ESTABILIZADA e o processo será extinto, com MANUTENÇÃO DAS
MEDIDAS PROTETIVAS IMPOSTAS, INDEPENDENTEMENTE DE PRODUÇÃO DE PROVAS, com
prazo de validade a ser fixado por ocasião da prolação da sentença.

Na hipótese do parágrafo anterior, deverá a secretaria certificar a inexistência de agravo de instrumento ou


outro tipo de defesa e remeter os autos ao gabinete conclusos para sentença de extinção. Caso contrário,
deverá aguardar o prazo previsto no art. 1018, §2º do NCPC e, após certificado, fazer conclusão de rotina.

Havendo recurso de agravo ou qualquer outro meio de defesa, será designada audiência de justificação,
caso pertinente, prosseguindo-se com as demais fases do rito comum.

Não localizado o requerido, intime-se a promovente para indicar o endereço atualizado dele, em 05 dias.

Esgotadas todas as possibilidades de intimação pessoal do requerido, intime-se por edital (ENUNCIADO
43/FONAVID).

Cumpra-se com URGÊNCIA, dentro do PRAZO DE 48 HORAS, em razão do perigo iminente que corre a
vítima, nos termos da Resolução nº 346/2020 do CNJ, destacando que é cabível a intimação por hora
certa de medidas protetivas de urgência, nos termos do art. 362, do CPP e arts. 252,253,254, do CPC
(Enunciado 42/FONAVID). Caso necessário, autorizo o cumprimento do mandado no PLANTÃO.

III.c - DELIBERAÇÃO FINAIS

Por não vislumbrar na espécie, diante da natureza da controvérsia posta em debate, a possibilidade de
composição consensual, deixo de designar a audiência a que alude o disposto no artigo 334 do Código de
Processo Civil.

Dispensável a comunicação por ofício à Autoridade Policial a fim de efetivar o cumprimento das medidas
acima impostas, vez que possui acesso ao sistema PJE.

Confiro a esta decisão força de MANDADO/OFICIO.

1. Centro de Referência Maria do Pará, para atendimento psicossocial da promovente e


familiares, e demais encaminhamos para a rede de proteção local pertinentes.

EXPEÇA-SE OFÍCIO encaminhando-se a requerente aos Projetos Sociais ¿CLÍNICA


ESCOLA DA FACULDADE DE PSICOLOGIA DO IESPES¿ para inclusão nas suas atividades.

Fica desde já deferido o cumprimento em horário especial e requisição de força policial, caso necessário.

Expedientes necessários, inclusive carta precatória, se necessário.

Santarém - PA, 12 de abril de 2022.


179
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

(Assinado digitalmente)

CAROLINA CERQUEIRA DE MIRANDA MAIA

Juíza de Direito Titular da Vara do Juizado da Violência Doméstica e

Familiar contra a Mulher de Santarém-PA.

Santarém-Pará, Vara do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher,13 de setembro de


2022.Eu, Vanderlucia Elias Mattos Portela, digitei.

EDITAL DE INTIMAÇÃO-COM PRAZO DE 20 DIAS (Art.257, III do CPC)

Processo nº. 0812694-13.2021.8.14.0051

MEDIDAS PROTETIVAS DE URGÊNCIA (LEI MARIA DA PENHA) CRIMINAL (1268)

MEDIDAS PROTETIVAS

Requerente: N.C. S.

REQUERIDO: CLAUBER ROBSON PEREIRA DOS REIS, atualmente em local incerto e não sabido.

FINALIDADE: INTIMAR o REQUERIDO, acima qualificado, da ação em epigrafe, para que no prazo de 15
(cinco) dias apresente agravo de instrumento, quanto a matéria fática disponível, podendo ser-lhe
nomeado curador especial em caso de revelia (art.257, IV do CPC/2015) iniciando a contagem do primeiro
dia útil seguinte ao fim do prazo de 20 (vinte) dias (art.231,IV, CPC/2015: III ¿ DISPOSITIVO ANTE o
exposto, tendo em vista estarem presentes os requisitos da medida antecipatória de tutela prevista no art.
300 do CPC/15, DEFIRO, liminarmente, as seguintes medidas protetivas, conforme previsto nos
artigos 22 e 23 da Lei nº: 11.340/2006:

I) ¿ Proibição de perseguir, intimidar, ameaçar a ofendida ou fazer uso de qualquer método que
prejudique ou ponha em risco a sua vida, sua integridade física e psíquica, bem como sua
propriedade;

II) ¿ Proibição de aproximação da vítima e seus familiares, pelo que fixo o limite mínimo de 100
metros de distância;

III) Proibição de dirigir a palavra ou ter contato com a requerente, seja pessoalmente, seja por
telefone ou qualquer outro meio de comunicação;

IV) Proibição de frequentar os lugares comumente frequentados pela vítima, notadamente a


residência e local de trabalho desta;

III. a - INTIMAÇÃO E ENCAMINHAMENTOS DA REQUERENTE

Intime-se a vítima por telefone, considerando medidas temporárias de prevenção ao contágio pelo
novo coronavirus (COVID-19). Caso infrutífera essa diligência, expeça-se, imediatamente, o
mandado de intimação que deverá ser cumprido pelo(a) Oficial(a) de Justiça, dentro do prazo legal.

Deve o(a) oficial(a) de justiça ou a quem realizar a intimação da ofendida, esclarecê-la, nos termos
do art. 3º, § 3º, da RESOLUÇÃO nº 346, do Conselho Nacional de Justiça, que, em caso de
descumprimento das medidas, deverá comunicar imediatamente a autoridade policial, através
180
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

da Delegacia da Mulher (DEAM - Av. Sérgio Henn, 70, Bairro Interventoria, com atendimento presencial
de Segunda a sexta-feira, das 08h às 18h), ou da Seccional da Polícia Civil (Travessa Silvino Pinto, s/n
entre Marechal Rondon e Borges Leal, bairro Nossa Senhora das Graças, em finais de semana, feriado ou
turno da noite), bem como acionamento da Polícia Militar através do número 190, em caso de
atendimento imediato no local dos fatos.

Ademais, sobrevindo desinteresse na manutenção da medida em virtude de posterior reconciliação ou


desinteresse, deverá requerer sua revogação expressa em juízo, presencialmente (Fórum da Comarca
de Santarém, Av. Mendonça Furtado, s/n, Bairro Liberdade), através do telefone nº (93) 3064-9222, ou,
ainda, pelo e-mail mulhersantarem@tjpa.jus.br, devendo ser adotadas pela Vara as medidas
pertinentes para o acolhimento psicossocial da mulher e informações à mulher.

Consoante a Lei nº 13.894/2019, encaminho a vítima para atendimento prioritário nos serviços de
assistência judiciária, a fim de ajuizar as ações de divórcio, separação, anulação de casamento ou
dissolução de união estável, guarda/visitas e/ou alimentos junto à Defensoria Pública do Estado do Pará
, a qual está excepcionalmente atendendo de forma remota, através do e-mail: dppa.nrba@gmail.com.br e
telefones (93) 99187-0815 e 998114-8216; ou junto ao CEJUSC, por meio do e-mail:
cejuscsantarem@tjpa.jus.br.

III.b - INTIMAÇÃO E ADVERTÊNCIAS AO REQUERIDO

Nos termos do art. 20, § 1º da Portaria Conjunta 5/2020-GP/CJRMB/CJCI, intime-se o promovido ¿


preferencialmente por meio eletrônico - para imediato cumprimento desta decisão, advertindo-o que em
caso de desobediência sua PRISÃO PREVENTIVA poderá ser decretada (art. 313, III, CPP), ou,
poderá acarretar a fixação de outras medidas mais rígidas, inclusive multa pecuniária no valor de 01 a 10
salários mínimos revertido para a ofendida, uma vez que o descumprimento de ordem judicial configura
ato atentatório à dignidade da justiça, conforme art. 77 do CPC/15.

Para o aperfeiçoamento do ato de intimação do requerido por meio eletrônico, deve o Oficial de
Justiça certificar-se acerca da identificação do promovido, juntando aos autos cópia de um documento de
identidade com foto, bem como comprovação da intimação.

Observe o oficial de justiça o disposto no art. 252 do CPC/15.

Ademais, o descumprimento de medidas protetivas de urgência poderá acarretar a caracterização


do CRIME próprio, previsto no art. 24-A Lei Maria da Penha.

ADVIRTA-SE O REQUERIDO que, caso não haja a interposição de recurso agravo de instrumento no
prazo de 15 dias, ou outro tipo de defesa, a contar da juntada do mandado de intimação nos autos, a
presente decisão restará ESTABILIZADA e o processo será extinto, com MANUTENÇÃO DAS
MEDIDAS PROTETIVAS IMPOSTAS, INDEPENDENTEMENTE DE PRODUÇÃO DE PROVAS, com
prazo de validade a ser fixado por ocasião da prolação da sentença.

Na hipótese do parágrafo anterior, deverá a secretaria certificar a inexistência de agravo de instrumento ou


outro tipo de defesa e remeter os autos ao gabinete conclusos para sentença de extinção. Caso contrário,
deverá aguardar o prazo previsto no art. 1018, §2º do NCPC e, após certificado, fazer conclusão de rotina.

Havendo recurso de agravo ou qualquer outro meio de defesa, será designada audiência de justificação,
caso pertinente, prosseguindo-se com as demais fases do rito comum.

Não localizado o requerido, intime-se a promovente para indicar o endereço atualizado dele, em 05 dias.

Esgotadas todas as possibilidades de intimação pessoal do requerido, intime-se por edital (ENUNCIADO
43/FONAVID).
181
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Cumpra-se com URGÊNCIA, dentro do PRAZO DE 48 HORAS, em razão do perigo iminente que corre a
vítima, nos termos da Resolução nº 346/2020 do CNJ, destacando que é cabível a intimação por hora
certa de medidas protetivas de urgência, nos termos do art. 362, do CPP e arts. 252,253,254, do CPC
(Enunciado 42/FONAVID). Caso necessário, autorizo o cumprimento do mandado no PLANTÃO.

III.c - DELIBERAÇÃO FINAIS

Por não vislumbrar na espécie, diante da natureza da controvérsia posta em debate, a possibilidade de
composição consensual, deixo de designar a audiência a que alude o disposto no artigo 334 do Código de
Processo Civil.

Dispensável a comunicação por ofício à Autoridade Policial a fim de efetivar o cumprimento das medidas
acima impostas, vez que possui acesso ao sistema PJE.

Confiro a esta decisão força de MANDADO/OFICIO.

1. CEJUSC, para fins de solucionar questões relacionadas a pensão alimentícia, guarda de


filhos, direito de convivência, divórcio, reconhecimento e dissolução de união estável, partilha de bens, etc,
no que for cabível ao caso em tela.

EXPEÇA-SE OFÍCIO encaminhando-se a requerente ao(s) ¿TEM SAÍDA TAPAJÓS¿ e


¿LUTE POR ELAS¿, para inclusão nas suas atividades.

Fica desde já deferido o cumprimento em horário especial e requisição de força policial, caso necessário.

Expedientes necessários, inclusive carta precatória, se necessário.

Santarém - PA, 13 de dezembro de 2021.

(Assinado digitalmente)

CAROLINA CERQUEIRA DE MIRANDA MAIA

Juíza de Direito Titular da Vara do Juizado da Violência Doméstica e

Familiar contra a Mulher de Santarém-PA.

Santarém-Pará, Vara do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher,13 de setembro de


2022.Eu, Vanderlucia Elias Mattos Portela, digitei.

EDITAL DE INTIMAÇÃO-COM PRAZO DE 20 DIAS (Art.257, III do CPC)

Processo nº. 0801765-81.2022.8.14.0051

MEDIDAS PROTETIVAS DE URGÊNCIA (LEI MARIA DA PENHA) CRIMINAL (1268)

MEDIDAS PROTETIVAS

Requerente: C.A. R. S.

REQUERIDO: JEFERSON JANDER SILVA, atualmente em local incerto e não sabido.


182
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

FINALIDADE: INTIMAR o REQUERIDO, acima qualificado, da ação em epigrafe, para que no prazo de 15
(cinco) dias apresente agravo de instrumento, quanto a matéria fática disponível, podendo ser-lhe
nomeado curador especial em caso de revelia (art.257, IV do CPC/2015) iniciando a contagem do primeiro
dia útil seguinte ao fim do prazo de 20 (vinte) dias (art.231,IV, CPC/2015: III ¿ DISPOSITIVO ANTE o
exposto, tendo em vista estarem presentes os requisitos da medida antecipatória de tutela prevista no art.
300 do CPC/15, DEFIRO, PARCIALMENTE, liminarmente, as seguintes medidas protetivas, conforme
previsto nos artigos 22 e 23 da Lei nº: 11.340/2006:

I) AFASTAMENTO DO LAR onde convive com a vítima, podendo retirar os seus pertences de uso
pessoais, acompanhado do Oficial de Justiça;

II) Proibição de perseguir, intimidar, ameaçar a ofendida ou fazer uso de qualquer método que
prejudique ou ponha em risco a sua vida, sua integridade física e psíquica, bem como sua
propriedade;

III) Proibição de aproximação da vítima e seus familiares, pelo que fixo o limite mínimo de 100
metros de distância, mantido o direito de convivência com o(s) filho(s) do casal, por intermédio de
uma terceira pessoa, para garantir o cumprimento das medidas protetivas;

IV) Proibição de dirigir a palavra ou ter contato com a requerente, seja pessoalmente, seja por
telefone ou qualquer outro meio de comunicação;

V) Proibição de frequentar os lugares comumente frequentados pela vítima, notadamente a


residência e local de trabalho desta;

III. a - INTIMAÇÃO E ENCAMINHAMENTOS DA REQUERENTE

Intime-se a vítima por telefone, considerando medidas temporárias de prevenção ao contágio pelo
novo coronavirus (COVID-19). Caso infrutífera essa diligência, expeça-se, imediatamente, o
mandado de intimação que deverá ser cumprido pelo(a) Oficial(a) de Justiça, dentro do prazo legal.

Deve o(a) oficial(a) de justiça ou a quem realizar a intimação da ofendida, esclarecê-la, nos termos
do art. 3º, § 3º, da RESOLUÇÃO nº 346, do Conselho Nacional de Justiça, que, em caso de
descumprimento das medidas, deverá comunicar imediatamente a autoridade policial, através
da Delegacia da Mulher (DEAM - Av. Sérgio Henn, 70, Bairro Interventoria, com atendimento presencial
de Segunda a sexta-feira, das 08h às 18h), ou da Seccional da Polícia Civil (Travessa Silvino Pinto, s/n
entre Marechal Rondon e Borges Leal, bairro Nossa Senhora das Graças, em finais de semana, feriado ou
turno da noite), bem como acionamento da Polícia Militar através do número 190, em caso de
atendimento imediato no local dos fatos.

Ademais, sobrevindo desinteresse na manutenção da medida em virtude de posterior reconciliação


ou desinteresse, deverá requerer sua revogação expressa em juízo, presencialmente (Fórum da
Comarca de Santarém, Av. Mendonça Furtado, s/n, Bairro Liberdade), através do telefone nº (DDD
93) 3064-9222 - Secretaria/(DDD 91) 99124-8667 - WhatsApp, ou, ainda, pelo e-mail
mulhersantarem@tjpa.jus.br, devendo ser adotadas pela Vara as medidas pertinentes para o
acolhimento psicossocial da mulher e informações à mulher.

Consoante a Lei nº 13.894/2019, encaminho a vítima para atendimento prioritário nos serviços de
assistência judiciária, a fim de ajuizar as ações de divórcio, separação, anulação de casamento ou
dissolução de união estável, guarda/visitas e/ou alimentos junto à Defensoria Pública do Estado do Pará
, a qual está excepcionalmente atendendo de forma remota, através do e-mail: dppa.nrba@gmail.com.br e
telefones (93) 99187-0815 e 998114-8216; ou junto ao CEJUSC, por meio do e-
mail: cejuscsantarem@tjpa.jus.br.

III.b - INTIMAÇÃO E ADVERTÊNCIAS AO REQUERIDO


183
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Nos termos do art. 20, § 1º da Portaria Conjunta 5/2020-GP/CJRMB/CJCI, intime-se o promovido ¿


preferencialmente por meio eletrônico - para imediato cumprimento desta decisão, advertindo-o que em
caso de desobediência sua PRISÃO PREVENTIVA poderá ser decretada (art. 313, III, CPP), ou,
poderá acarretar a fixação de outras medidas mais rígidas, inclusive multa pecuniária no valor de 01 a 10
salários mínimos revertido para a ofendida, uma vez que o descumprimento de ordem judicial configura
ato atentatório à dignidade da justiça, conforme art. 77 do CPC/15.

Para o aperfeiçoamento do ato de intimação do requerido por meio eletrônico, deve o Oficial de
Justiça certificar-se acerca da identificação do promovido, juntando aos autos cópia de um documento de
identidade com foto, bem como comprovação da intimação.

Observe o oficial de justiça o disposto no art. 252 do CPC/15.

Ademais, o descumprimento de medidas protetivas de urgência poderá acarretar a caracterização


do CRIME próprio, previsto no art. 24-A Lei Maria da Penha.

ADVIRTA-SE O REQUERIDO que, caso não haja a interposição de recurso agravo de instrumento no
prazo de 15 dias, ou outro tipo de defesa, a contar da juntada do mandado de intimação nos autos, a
presente decisão restará ESTABILIZADA e o processo será extinto, com MANUTENÇÃO DAS
MEDIDAS PROTETIVAS IMPOSTAS, INDEPENDENTEMENTE DE PRODUÇÃO DE PROVAS, com
prazo de validade a ser fixado por ocasião da prolação da sentença.

Na hipótese do parágrafo anterior, deverá a secretaria certificar a inexistência de agravo de instrumento ou


outro tipo de defesa e remeter os autos ao gabinete conclusos para sentença de extinção. Caso contrário,
deverá aguardar o prazo previsto no art. 1018, §2º do NCPC e, após certificado, fazer conclusão de rotina.

Havendo recurso de agravo ou qualquer outro meio de defesa, será designada audiência de justificação,
caso pertinente, prosseguindo-se com as demais fases do rito comum.

Não localizado o requerido, intime-se a promovente para indicar o endereço atualizado dele, em 05 dias.

Esgotadas todas as possibilidades de intimação pessoal do requerido, intime-se por edital (ENUNCIADO
43/FONAVID).

Cumpra-se com URGÊNCIA, dentro do PRAZO DE 48 HORAS, em razão do perigo iminente que corre a
vítima, nos termos da Resolução nº 346/2020 do CNJ, destacando que é cabível a intimação por hora
certa de medidas protetivas de urgência, nos termos do art. 362, do CPP e arts. 252,253,254, do CPC
(Enunciado 42/FONAVID). Caso necessário, autorizo o cumprimento do mandado no PLANTÃO.

III.c - DELIBERAÇÃO FINAIS

Por não vislumbrar na espécie, diante da natureza da controvérsia posta em debate, a possibilidade de
composição consensual, deixo de designar a audiência a que alude o disposto no artigo 334 do Código de
Processo Civil.

Dispensável a comunicação por ofício à Autoridade Policial a fim de efetivar o cumprimento das medidas
acima impostas, vez que possui acesso ao sistema PJE.

Confiro a esta decisão força de MANDADO/OFICIO.

O presente feito deverá ser autuado em segredo de justiça, com base no art. 189, II e III, do Código de
Processo Civil - ENUNCIADO 34 do FONAVID.

Fica desde já deferido o cumprimento em horário especial e requisição de força policial, caso necessário.
184
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Expedientes necessários.

Santarém - PA, 16 de fevereiro de 2022.

RAFAEL GREHS

Juiz de Direito

Santarém-Pará, Vara do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher,13 de setembro de


2022.Eu, Vanderlucia Elias Mattos Portela, digitei.

EDITAL DE INTIMAÇÃO-COM PRAZO DE 20 DIAS (Art.257, III do CPC)

Processo nº. 0812141-63.2021.8.14.0051

MEDIDAS PROTETIVAS DE URGÊNCIA (LEI MARIA DA PENHA) CRIMINAL (1268)

MEDIDAS PROTETIVAS

Requerente: L. T. S.

REQUERIDO: EDCLEI SILVA, atualmente em local incerto e não sabido.

FINALIDADE: INTIMAR o REQUERIDO, acima qualificado, da ação em epigrafe, para que no prazo de 15
(cinco) dias apresente agravo de instrumento, quanto a matéria fática disponível, podendo ser-lhe
nomeado curador especial em caso de revelia (art.257, IV do CPC/2015) iniciando a contagem do primeiro
dia útil seguinte ao fim do prazo de 20 (vinte) dias (art.231,IV, CPC/2015: III ¿ DISPOSITIVO ANTE o
exposto, vislumbrando presentes os requisitos da medida antecipatória de tutela prevista no art. 300 do
CPC/15, sem prejuízo de ampliação/modificação para outras pelo r. Juízo da Vara Especializada e, por
obvio, eventuais decisões judiciais em Varas de Família, DEFIRO, liminarmente, as seguintes medidas
protetivas, conforme previsto nos artigos 22 e 23 da Lei nº: 11.340/2006:

1) Afastamento do lar, domicílio ou local de convivência com a ofendida;

2) Proibição de aproximação da vítima e seus familiares, pelo que fixo o limite mínimo de 200 metros de
distância, mantido o direito de convivência do requerido com o(s) filho(s) comum(s), desde que através de
terceira pessoa, a fim de garantir o cumprimento da medida;

3) Proibição de dirigir a palavra ou ter contato com a vítima, seja pessoalmente, seja por telefone ou
qualquer outro meio de comunicação;

4) Proibição de frequentar os lugares comumente frequentados pela vítima, notadamente a residência,


escola e local de trabalho desta;

INTIME-SE a requerente para ciência desta decisão.

Deve o(a) oficial(a) de justiça esclarecer à ofendida de que, em caso de descumprimento da medida,
deverá comunicar imediatamente a autoridade policial, bem como que não havendo interesse na
manutenção da medida em virtude de posterior reconciliação ou desinteresse, deverá requerer sua
revogação expressa em juízo.

Intime-se o promovido para imediato cumprimento desta decisão, advertindo-o que em caso de
desobediência sua PRISÃO PREVENTIVA poderá ser decretada (art. 313, III, CPP), ou, poderá
185
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

acarretar a fixação de outras medidas mais rígidas, inclusive multa pecuniária no valor de 01 a 10 salários
mínimos revertido para a ofendida, uma vez que o descumprimento de ordem judicial configura ato
atentatório à dignidade da justiça, conforme art. 77 do CPC/15.

Ademais, o descumprimento de medidas protetivas de urgência poderá acarretar a caracterização


do CRIME próprio, previsto no art. 24-A Lei Maria da Penha (incluído pela Lei nº 13.641, publicada em
04/04/2018).

ADVIRTA-SE O REQUERIDO, que caso não haja a interposição de recurso agravo de instrumento no
prazo de 15 dias a contar da intimação, a presente decisão restará ESTABILIZADA, conforme prevê o
art. 304 do NCPC e o processo será extinto, com MANUTENÇÃO DAS MEDIDAS PROTETIVAS
IMPOSTAS, INDEPENDENTE DE PRODUÇÃO DE PROVAS.

Na hipótese do parágrafo anterior, deverá a secretaria certificar a inexistência de agravo de instrumento e


remeter os autos ao gabinete conclusos para sentença de extinção. Caso contrário, deverá aguardar o
prazo previsto no art. 1.018, §2º do NCPC e, após certificado, fazer conclusão de rotina.

Havendo recurso de agravo será designada audiência de conciliação, caso pertinente, prosseguindo-se
com as demais fases do rito comum.

Cumpra-se com urgência pelo oficial plantonista, destacando que é cabível a intimação com hora
certa de medidas protetivas de urgência, nos termos do art. 362, do CPP e arts. 252,253,254, do CPC
(Enunciado 42/FONAVID).

Intime-se à Autoridade Policial desta decisão.

Não localizado o requerido, intime-se a promovente para indicar o endereço atualizado do mesmo, em 05
dias.

Esgotadas todas as possibilidades de intimação pessoal do requerido, intime-se por edital (ENUNCIADO
43/FONAVID).

Expedientes necessários.

Santarém/PA, data registrada no sistema.

ROBERTO RODRIGUES BRITO JUNIOR

Juiz de Direito - Em Plantão Unificado

Santarém-Pará, Vara do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher,13 de setembro de


2022.Eu, Vanderlucia Elias Mattos Portela, digitei.

EDITAL DE INTIMAÇÃO-COM PRAZO DE 20 DIAS (Art.257, III do CPC)

Processo nº. 0806653-93.2022.8.14.0051

MEDIDAS PROTETIVAS DE URGÊNCIA (LEI MARIA DA PENHA) CRIMINAL (1268)

MEDIDAS PROTETIVAS

Requerente: J. D. S. B.
186
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

REQUERIDO: ERIK CASTRO BRITO LIRA., atualmente em local incerto e não sabido.

FINALIDADE: INTIMAR o REQUERIDO, acima qualificado, da ação em epigrafe, para que no prazo de 15
(cinco) dias apresente agravo de instrumento, quanto a matéria fática disponível, podendo ser-lhe
nomeado curador especial em caso de revelia (art.257, IV do CPC/2015) iniciando a contagem do primeiro
dia útil seguinte ao fim do prazo de 20 (vinte) dias (art.231,IV, CPC/2015: III ¿ DISPOSITIVO ANTE o
exposto, tendo em vista estarem presentes os requisitos da medida antecipatória de tutela prevista no art.
300 do CPC/15, DEFIRO, liminarmente, as seguintes medidas protetivas, conforme previsto nos
artigos 22 e 23 da Lei nº: 11.340/2006:

I) ¿ Afastamento do lar onde convive com a vítima, podendo retirar os seus pertences de uso
pessoais, acompanhado do Oficial de Justiça;

II) - Proibição de perseguir, intimidar, ameaçar a ofendida ou fazer uso de qualquer método que
prejudique ou ponha em risco a sua vida, sua integridade física e psíquica, bem como sua
propriedade;

III) ¿ Proibição de aproximação da vítima e seus familiares, pelo que fixo o limite mínimo de 100
metros de distância.

IV) - Proibição de dirigir a palavra ou ter contato com a requerente, seja pessoalmente, seja por
telefone ou qualquer outro meio de comunicação;

V) - Proibição de frequentar os lugares comumente frequentados pela vítima, notadamente a


residência e local de trabalho desta;

VI) - Comparecer ao CAPS-AD (Avenida Presidente Vargas, 2809, próximo à Defensoria Pública,
Aparecida ¿ 08 às 18 h), NO PRAZO DE CINCO DIAS, para que seja submetido ao acompanhamento
pelo Centro de Atenção Psicossocial de apoio a usuários de álcool e outras drogas, pelo período
mínimo de 03 (três) meses.

III. a - INTIMAÇÃO E ENCAMINHAMENTOS DA REQUERENTE

Intime-se a vítima por telefone, considerando medidas temporárias de prevenção ao contágio pelo
novo coronavirus (COVID-19). Caso infrutífera essa diligência, expeça-se, imediatamente, o
mandado de intimação que deverá ser cumprido pelo(a) Oficial(a) de Justiça, dentro do prazo legal.

Deve o(a) oficial(a) de justiça ou a quem realizar a intimação da ofendida, esclarecê-la, nos termos
do art. 3º, § 3º, da RESOLUÇÃO nº 346, do Conselho Nacional de Justiça, que, em caso de
descumprimento das medidas, deverá comunicar imediatamente a autoridade policial, através
da Delegacia da Mulher (DEAM - Av. Sérgio Henn, 70, Bairro Interventoria, com atendimento presencial
de Segunda a sexta-feira, das 08h às 18h), ou da Seccional da Polícia Civil (Travessa Silvino Pinto, s/n
entre Marechal Rondon e Borges Leal, bairro Nossa Senhora das Graças, em finais de semana, feriado ou
turno da noite), bem como acionamento da Polícia Militar através do número 190, em caso de
atendimento imediato no local dos fatos.

Ademais, sobrevindo desinteresse na manutenção da medida em virtude de posterior reconciliação ou


desinteresse, deverá requerer sua revogação expressa em juízo, presencialmente (Fórum da Comarca
de Santarém, Av. Mendonça Furtado, s/n, Bairro Liberdade), através do telefone nº (93) 3064-9222, ou,
ainda, pelo e-mail mulhersantarem@tjpa.jus.br, devendo ser adotadas pela Vara as medidas
pertinentes para o acolhimento psicossocial da mulher e informações à mulher.

Consoante a Lei nº 13.894/2019, encaminho a vítima para atendimento prioritário nos serviços de
assistência judiciária, a fim de ajuizar as ações de divórcio, separação, anulação de casamento ou
dissolução de união estável, guarda/visitas e/ou alimentos junto à Defensoria Pública do Estado do
187
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Pará ou junto ao CEJUSC, nesta Comarca.

III.b - INTIMAÇÃO E ADVERTÊNCIAS AO REQUERIDO

Nos termos do art. 20, § 1º da Portaria Conjunta 5/2020-GP/CJRMB/CJCI, intime-se o promovido ¿


preferencialmente por meio eletrônico - para imediato cumprimento desta decisão, advertindo-o que em
caso de desobediência sua PRISÃO PREVENTIVA poderá ser decretada (art. 313, III, CPP), ou,
poderá acarretar a fixação de outras medidas mais rígidas, inclusive multa pecuniária no valor de 01 a 10
salários mínimos revertido para a ofendida, uma vez que o descumprimento de ordem judicial configura
ato atentatório à dignidade da justiça, conforme art. 77 do CPC/15.

Para o aperfeiçoamento do ato de intimação do requerido por meio eletrônico, deve o Oficial de
Justiça certificar-se acerca da identificação do promovido, juntando aos autos cópia de um documento de
identidade com foto, bem como comprovação da intimação.

Observe o oficial de justiça o disposto no art. 252 do CPC/15.

Ademais, o descumprimento de medidas protetivas de urgência poderá acarretar a caracterização


do CRIME próprio, previsto no art. 24-A Lei Maria da Penha.

ADVIRTA-SE O REQUERIDO que, caso não haja a interposição de recurso agravo de instrumento no
prazo de 15 dias, ou outro tipo de defesa, a contar da juntada do mandado de intimação nos autos, a
presente decisão restará ESTABILIZADA e o processo será extinto, com MANUTENÇÃO DAS
MEDIDAS PROTETIVAS IMPOSTAS, INDEPENDENTEMENTE DE PRODUÇÃO DE PROVAS, com
prazo de validade a ser fixado por ocasião da prolação da sentença.

Na hipótese do parágrafo anterior, deverá a secretaria certificar a inexistência de agravo de instrumento ou


outro tipo de defesa e remeter os autos ao gabinete conclusos para sentença de extinção. Caso contrário,
deverá aguardar o prazo previsto no art. 1018, §2º do NCPC e, após certificado, fazer conclusão de rotina.

Havendo recurso de agravo ou qualquer outro meio de defesa, será designada audiência de justificação,
caso pertinente, prosseguindo-se com as demais fases do rito comum.

Não localizado o requerido, intime-se a promovente para indicar o endereço atualizado dele, em 05 dias.

Esgotadas todas as possibilidades de intimação pessoal do requerido, intime-se por edital (ENUNCIADO
43/FONAVID).

Cumpra-se com URGÊNCIA, dentro do PRAZO DE 48 HORAS, em razão do perigo iminente que corre a
vítima, nos termos da Resolução nº 346/2020 do CNJ, destacando que é cabível a intimação por hora
certa de medidas protetivas de urgência, nos termos do art. 362, do CPP e arts. 252,253,254, do CPC
(Enunciado 42/FONAVID). Caso necessário, autorizo o cumprimento do mandado no PLANTÃO.

III.c - DELIBERAÇÃO FINAIS

Por não vislumbrar na espécie, diante da natureza da controvérsia posta em debate, a possibilidade de
composição consensual, deixo de designar a audiência a que alude o disposto no artigo 334 do Código de
Processo Civil.

Dispensável a comunicação por ofício à Autoridade Policial a fim de efetivar o cumprimento das medidas
acima impostas, vez que possui acesso ao sistema PJE.

Confiro a esta decisão força de MANDADO/OFICIO.


188
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

1. CAPS-AD, dando ciência desta decisão, bem como para que encaminhe relatório mensal
de atendimento a estre Juízo, no prazo de 15 dias a contar do 1º atendimento ao requerido, devendo ser
realizada a busca ativa do paciente/requerido, preferencialmente por telefone, tão só para o primeiro
atendimento, caso necessário e haja condições estruturais pelo equipamento (Ofício nº 038/2019, datado
de 19/08/2019, subscrito pela Coordenadora do CAPS-AD). Deve, ainda, o CAPS fazer a avaliação da
possibilidade da internação (hospitalidade voluntária, por 15 dias) logo no primeiro atendimento.

Fica desde já deferido o cumprimento em horário especial e requisição de força policial, caso necessário.

Expedientes necessários, inclusive carta precatória, se necessário.

Santarém - PA, 02 de junho de 2022.

(Assinado digitalmente)

CAROLINA CERQUEIRA DE MIRANDA MAIA

Juíza de Direito Titular da Vara do Juizado da Violência Doméstica e

Familiar contra a Mulher de Santarém-PA.

Santarém-Pará, Vara do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher,13 de setembro de


2022.Eu, Vanderlucia Elias Mattos Portela, digitei.

EDITAL DE INTIMAÇÃO-COM PRAZO DE 20 DIAS (Art.257, III do CPC)

Processo nº. 0802410-43.2021.8.14.0051

MEDIDAS PROTETIVAS DE URGÊNCIA (LEI MARIA DA PENHA) CRIMINAL (1268)

MEDIDAS PROTETIVAS

Requerente: M. R. T. S.

Requerido: ISAIS MOURA SILVA , atualmente em local incerto e não sabido.

FINALIDADE: INTIMAR o REQUERIDO, acima qualificado, da ação em epigrafe, para que no prazo de
15 (cinco) dias apresente agravo de instrumento, quanto a matéria fática disponível, podendo ser-lhe
nomeado curador especial em caso de revelia (art.257, IV do CPC/2015) iniciando a contagem do primeiro
dia útil seguinte ao fim do prazo de 20 (vinte) dias (art.231,IV, CPC/2015, consoante as medidas
protetivas abaixo relacionadas e demais advertências exaradas na decisão:

I) Afastamento do lar onde convive com a vítima, podendo retirar os seus pertences de uso
pessoais, acompanhado do Oficial de Justiça;

II) ¿ Proibição de perseguir, intimidar, ameaçar a ofendida ou fazer uso de qualquer método que
prejudique ou ponha em risco a sua vida, sua integridade física e psíquica, bem como sua
propriedade;

III) ¿ Proibição de aproximação da vítima e seus familiares, pelo que fixo o limite mínimo de 100
metros de distância,

IV) Proibição de dirigir a palavra ou ter contato com a requerente, seja pessoalmente, seja por
189
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

telefone ou qualquer outro meio de comunicação;

V) Proibição de frequentar os lugares comumente frequentados pela vítima, notadamente a


residência e local de trabalho desta;

VI) Diante do relato da vítima de que já fora ameaçada com uma arma de fogo, nos termos do artigo
22, inciso I, da Lei n 11.340/2006, suspendo a posse e porte de armas de fogo que o requerido tenha
consigo, bem como determino a busca e apreensão de qualquer arma de fogo que estejam em seu
poder. Observem os executores do mandado de busca e apreensão, a ser realizada no endereço do
requerido, as disposições do artigo 536, §1º, §2º e §3º do CPC.

VII - Autorizada a requisição de força policial pelo oficial executor do mandado, bem como a
conclusão da diligência fora do período ordinário, nos termos do artigo 212, §1º, do CPC, devendo
a arma e o requerido serem apresentados na Delegacia de Polícia (caso o requerido não tenha o
devido porte ¿ crime de porte ilegal de arma de fogo) ou neste Fórum, a fim de ser acautelada em
arquivo próprio (no caso de ele possuir o devido porte).

III. a - INTIMAÇÃO E ENCAMINHAMENTOS DA REQUERENTE

Intime-se a vítima por telefone, considerando medidas temporárias de prevenção ao contágio pelo
novo coronavirus (COVID-19). Caso infrutífera essa diligência, expeça-se, imediatamente, o
mandado de intimação que deverá ser cumprido pelo(a) Oficial(a) de Justiça, dentro do prazo legal.

Deve o(a) oficial(a) de justiça ou a quem realizar a intimação da ofendida, esclarecê-la, nos termos
do art. 3º, § 3º, da RESOLUÇÃO nº 346, do Conselho Nacional de Justiça, que, em caso de
descumprimento das medidas, deverá comunicar imediatamente a autoridade policial, através
da Delegacia da Mulher (DEAM - Av. Sérgio Henn, 70, Bairro Interventoria, com atendimento presencial
de Segunda a sexta-feira, das 08h às 18h), ou da Seccional da Polícia Civil (Travessa Silvino Pinto, s/n
entre Marechal Rondon e Borges Leal, bairro Nossa Senhora das Graças, em finais de semana, feriado ou
turno da noite), bem como acionamento da Polícia Militar através do número 190, em caso de
atendimento imediato no local dos fatos.

Ademais, sobrevindo desinteresse na manutenção da medida em virtude de posterior reconciliação ou


desinteresse, deverá requerer sua revogação expressa em juízo, presencialmente (Fórum da Comarca
de Santarém, Av. Mendonça Furtado, s/n, Bairro Liberdade), através do telefone nº (93) 3064-9222, ou,
ainda, pelo e-mail mulhersantarem@tjpa.jus.br, devendo ser adotadas pela Vara as medidas
pertinentes para o acolhimento psicossocial da mulher e informações à mulher.

Consoante a Lei nº 13.894/2019, encaminho a vítima para atendimento prioritário nos serviços de
assistência judiciária, a fim de ajuizar as ações de divórcio, separação, anulação de casamento ou
dissolução de união estável, guarda/visitas e/ou alimentos junto à Defensoria Pública do Estado do Pará
, a qual está excepcionalmente atendendo de forma remota, através do e-mail: dppa.nrba@gmail.com.br e
telefones (93) 99187-0815 e 998114-8216; ou junto ao CEJUSC, por meio do e-mail:
cejuscsantarem@tjpa.jus.br.

Encaminhe-se a promovente para o Centro de Referência Maria do Pará, para atendimento psicossocial e
demais atendimentos pela rede de proteção local pertinentes.

A requerente manifestou interesse em ser encaminhada para a Clínica Escola do IESPES


(atendimento psicológico) - ID nº 24488736 - Pág. 11

III.b - INTIMAÇÃO E ADVERTÊNCIAS AO REQUERIDO

Nos termos do art. 20, § 1º da Portaria Conjunta 5/2020-GP/CJRMB/CJCI, intime-se o promovido ¿


preferencialmente por meio eletrônico - para imediato cumprimento desta decisão, advertindo-o que em
190
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

caso de desobediência sua PRISÃO PREVENTIVA poderá ser decretada (art. 313, III, CPP), ou,
poderá acarretar a fixação de outras medidas mais rígidas, inclusive multa pecuniária no valor de 01 a 10
salários mínimos revertido para a ofendida, uma vez que o descumprimento de ordem judicial configura
ato atentatório à dignidade da justiça, conforme art. 77 do CPC/15.

Para o aperfeiçoamento do ato de intimação do requerido por meio eletrônico, deve o Oficial de
Justiça certificar-se acerca da identificação do promovido, juntando aos autos cópia de um documento de
identidade com foto, bem como comprovação da intimação.

Observe o oficial de justiça o disposto no art. 252 do CPC/15.

Ademais, o descumprimento de medidas protetivas de urgência poderá acarretar a caracterização


do CRIME próprio, previsto no art. 24-A Lei Maria da Penha.

ADVIRTA-SE O REQUERIDO que, caso não haja a interposição de recurso agravo de instrumento no
prazo de 15 dias, ou outro tipo de defesa, a contar da juntada do mandado de intimação nos autos, a
presente decisão restará ESTABILIZADA e o processo será extinto, com MANUTENÇÃO DAS
MEDIDAS PROTETIVAS IMPOSTAS, INDEPENDENTEMENTE DE PRODUÇÃO DE PROVAS, com
prazo de validade a ser fixado por ocasião da prolação da sentença.

Na hipótese do parágrafo anterior, deverá a secretaria certificar a inexistência de agravo de instrumento ou


outro tipo de defesa e remeter os autos ao gabinete conclusos para sentença de extinção. Caso contrário,
deverá aguardar o prazo previsto no art. 1018, §2º do NCPC e, após certificado, fazer conclusão de rotina.

Havendo recurso de agravo ou qualquer outro meio de defesa, será designada audiência de justificação,
caso pertinente, prosseguindo-se com as demais fases do rito comum.

Não localizado o requerido, intime-se a promovente para indicar o endereço atualizado dele, em 05 dias.

Esgotadas todas as possibilidades de intimação pessoal do requerido, intime-se por edital (ENUNCIADO
43/FONAVID).

Cumpra-se com URGÊNCIA, dentro do PRAZO DE 48 HORAS, em razão do perigo iminente que corre a
vítima, nos termos da Resolução nº 346/2020 do CNJ, destacando que é cabível a intimação por hora
certa de medidas protetivas de urgência, nos termos do art. 362, do CPP e arts. 252,253,254, do CPC
(Enunciado 42/FONAVID). Caso necessário, autorizo o cumprimento do mandado no PLANTÃO.

III.c - DELIBERAÇÃO FINAIS

Por não vislumbrar na espécie, diante da natureza da controvérsia posta em debate, a possibilidade de
composição consensual, deixo de designar a audiência a que alude o disposto no artigo 334 do Código de
Processo Civil.

Dispensável a comunicação por ofício à Autoridade Policial a fim de efetivar o cumprimento das medidas
acima impostas, vez que possui acesso ao sistema PJE.

Confiro a esta decisão força de MANDADO/OFICIO.

Esta decisão serve como OFÍCIO ao:

1. Centro de Referência Maria do Pará, para atendimento psicossocial da promovente e familiares,


e demais encaminhamos para a rede de proteção local pertinentes.

2. CEJUSC, para fins de solucionar questões relacionadas a pensão alimentícia, guarda de filhos,
191
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

direito de convivência, divórcio, reconhecimento e dissolução de união estável, partilha de bens,


etc, no que for cabível ao caso em tela.

Expeça-se Ofício a Clínica Escola da Faculdade de Psicologia do IESPES, para atendimento da


requerente.

Fica desde já deferido o cumprimento em horário especial e requisição de força policial, caso
necessário.

Expedientes necessários.

Santarém - PA, 17 de março de 2021

CAROLINA CERQUEIRA DE MIRANDA MAIA

Juíza Titular

[1] GONÇALVES, Rui Abrunhosa (Coord.). Risco em situações de violência doméstica: manual de

aplicação da ficha de avaliação de risco. Lisboa: MAI, 2014.

Santarém-Pará, Vara do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher,3 de março de


2022. Eu, Vanessa Queiroz Amorim, Analista Judiciário, digitei o presente edital.

Assinado eletronicamente

De ordem da MM. Juíza

Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher

EDITAL DE INTIMAÇÃO-COM PRAZO DE 20 DIAS (Art.257, III do CPC)

Processo nº. 0813033-69.2021.8.14.0051

MEDIDAS PROTETIVAS DE URGÊNCIA (LEI MARIA DA PENHA) CRIMINAL (1268)

MEDIDAS PROTETIVAS

Requerente: A. D. S. R. M.

REQUERIDO: MARCELO LOPES MOTA, atualmente em local incerto e não sabido.

FINALIDADE: INTIMAR o REQUERIDO, acima qualificado, da ação em epigrafe, para que no prazo de 15
(cinco) dias apresente agravo de instrumento, quanto a matéria fática disponível, podendo ser-lhe
nomeado curador especial em caso de revelia (art.257, IV do CPC/2015) iniciando a contagem do primeiro
dia útil seguinte ao fim do prazo de 20 (vinte) dias (art.231,IV, CPC/2015: III ¿ DISPOSITIVO ANTE o
exposto, vislumbrando presentes os requisitos da medida antecipatória de tutela prevista no art. 300 do
CPC/15, DEFIRO, liminarmente, MEDIDAS PROTETIVAS DE URGÊNCIA PARA O AGRESSOR,
conforme previsto nos artigos 22 e 23 da Lei nº: 11.340/2006, sem prejuízo de revisão e/ou ampliação pelo
r. Juízo da Vara Privativa, consistente na proibição de condutas, na forma seguinte:
192
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

1) Proibição de aproximação da vítima e seus familiares, pelo que fixo o limite mínimo de 200 metros de
distância, mantido o direito de convivência do requerido com o(s) filho(s) comum(s), desde que através de
terceira pessoa, a fim de garantir o cumprimento da medida;

2) Proibição de dirigir a palavra ou ter contato com a vítima, seja pessoalmente, seja por telefone ou
qualquer outro meio de comunicação;

3) Proibição de frequentar os mesmos lugares que a ofendida, a fim de preservar a sua integridade física e
psicológica, inclusive a residência da vítima.

INTIME-SE a requerente para ciência desta decisão.

Deve o(a) oficial(a) de justiça esclarecer à ofendida de que, em caso de descumprimento da medida,
deverá comunicar imediatamente a autoridade policial, bem como que não havendo interesse na
manutenção da medida em virtude de posterior reconciliação ou desinteresse, deverá requerer sua
revogação expressa em juízo.

Intime-se o promovido para imediato cumprimento desta decisão, advertindo-o que em caso de
desobediência sua PRISÃO PREVENTIVA poderá ser decretada (art. 313, III, CPP), ou, poderá
acarretar a fixação de outras medidas mais rígidas, inclusive multa pecuniária no valor de 01 a 10 salários
mínimos revertido para a ofendida, uma vez que o descumprimento de ordem judicial configura ato
atentatório à dignidade da justiça, conforme art. 77 do CPC/15.

Ademais, o descumprimento de medidas protetivas de urgência poderá acarretar a caracterização


do CRIME próprio, previsto no art. 24-A Lei Maria da Penha (incluído pela Lei nº 13.641, publicada em
04/04/2018).

ADVIRTA-SE O REQUERIDO, que caso não haja a interposição de recurso agravo de instrumento no
prazo de 15 dias a contar da intimação, a presente decisão restará ESTABILIZADA, conforme prevê o
art. 304 do NCPC e o processo será extinto, com MANUTENÇÃO DAS MEDIDAS PROTETIVAS
IMPOSTAS, INDEPENDENTE DE PRODUÇÃO DE PROVAS.

Na hipótese do parágrafo anterior, deverá a secretaria certificar a inexistência de agravo de instrumento e


remeter os autos ao gabinete conclusos para sentença de extinção. Caso contrário, deverá aguardar o
prazo previsto no art. 1.018, §2º do NCPC e, após certificado, fazer conclusão de rotina.

Havendo recurso de agravo será designada audiência de conciliação, caso pertinente, prosseguindo-se
com as demais fases do rito comum.

Cumpra-se com urgência pelo oficial plantonista, destacando que é cabível a intimação com hora
certa de medidas protetivas de urgência, nos termos do art. 362, do CPP e arts. 252,253,254, do CPC
(Enunciado 42/FONAVID).

Intime-se à Autoridade Policial desta decisão.

Não localizado o requerido, intime-se a promovente para indicar o endereço atualizado do mesmo, em 05
dias.

Esgotadas todas as possibilidades de intimação pessoal do requerido, intime-se por edital (ENUNCIADO
43/FONAVID).

Expedientes necessários.

Santarém/PA, data registrada no sistema.


193
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

GERSON MARRA GOMES

Juiz de Direito - Em Plantão Unificado

Santarém-Pará, Vara do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher,13 de setembro de


2022.Eu, Vanderlucia Elias Mattos Portela, digitei.

EDITAL DE INTIMAÇÃO-COM PRAZO DE 20 DIAS (Art.257, III do CPC)

Processo nº. 0800141-94.2022.8.14.0051

MEDIDAS PROTETIVAS DE URGÊNCIA (LEI MARIA DA PENHA) CRIMINAL (1268)

MEDIDAS PROTETIVAS

Requerente: E. C. F. D. B.

REQUERIDO: GUSTAVO HENRIQUE CAMPOS COSTA, atualmente em local incerto e não sabido.

FINALIDADE: INTIMAR o REQUERIDO, acima qualificado, da ação em epigrafe, para que no prazo de 15
(cinco) dias apresente agravo de instrumento, quanto a matéria fática disponível, podendo ser-lhe
nomeado curador especial em caso de revelia (art.257, IV do CPC/2015) iniciando a contagem do primeiro
dia útil seguinte ao fim do prazo de 20 (vinte) dias (art.231,IV, CPC/2015: III ¿ DISPOSITIVO ANTE o
exposto, Com fulcro nos dispositivos da Lei 11.340/06 concedo em favor da vítima as seguintes medidas
protetivas de urgência:

I) - PROIBIÇÃO DE APROXIMAÇÃO DA VÍTIMA E DE SEUS FAMILIARES E TESTEMUNHAS, PELO


QUE FIXO O LIMITE MAXIMO DE 200 METROS DE DISTÂNCIA ENTRE ESTES E O AGRESSOR;

II) ¿ Proibição de contato com a ofendida, seus familiares e testemunhas por qualquer meio de
comunicação;

III) Proibição de frequentar A RESIDÊNCIA DA VÍTIMA E SEU LOCAL DE TRABALHO situado na Rua
Tome de Sousa (Academia Titanium), bairro Santarenzinho e na Av. Moaçara, bairro Diamantino
(Cross Experience).

Intime-se o requerido para imediato cumprimento desta decisão, advertindo-o de que, em caso de
desobediência, sua prisão preventiva poderá ser decretada, caso haja procedimento criminal em
tramitação, ou, poderá acarretar a fixação de outras medidas mais rígidas, inclusive multa pecuniária no
valor de 01 a 10 salários mínimos revertido para a ofendida, uma vez que o descumprimento de ordem
judicial configura ato atentatório à dignidade da justiça, conforme art. 77 do CPC/15.

Ademais, o descumprimento das medidas protetivas de urgência poderá acarretar a caracterização do


crime previsto no Artigo 24-A da Lei nº 11.340/2006, publicada em 04/04/2018.

Advirta-se o requerido, que caso não haja a interposição de agravo de instrumento, no prazo de 15 dias,
a contar da intimação, a presente decisão restará estabilizada, conforme prevê o art. 304 do NCPC e o
processo será extinto.

Na hipótese do parágrafo anterior, deverá a secretaria certificar a inexistência de agravo de instrumento e


remeter os autos ao gabinete conclusos para sentença de extinção. Caso contrário, deverá aguardar o
prazo previsto no art. 1018, §2º do NCPC e, após certificado, fazer conclusão de rotina.

Havendo recurso de agravo será designada audiência de conciliação, caso pertinente, prosseguindo-se
194
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

com as demais fases do rito comum.

Intime-se a vítima para ciência desta decisão, bem como para constituir advogado para prosseguir com o
feito, não podendo, deve ser encaminhada à Defensoria Pública, nos termos do Artigo 18, II, da Lei
11.340/2006.

Comunique-se à Autoridade Policial a fim de efetivar o cumprimento das medidas acima impostas.

Dê-se ciência desta decisão ao Ministério Público, à Defensoria Pública.

Aguarde-se o Inquérito Policial.

Intimem-se. Com o fim do plantão distribua-se.

Santarém, 08 de janeiro de 2022.

FLAVIO OLIVEIRA LAUANDE

Juiz de Direito Plantonista

Santarém-Pará, Vara do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher,13 de setembro de


2022.Eu, Vanderlucia Elias Mattos Portela, digitei.
195
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

COBRANÇA ADMINISTRATIVA DE SANTARÉM

Número do processo: 0807143-18.2022.8.14.0051 Participação: REQUERENTE Nome: TRIBUNAL DE


JUSTICA DO ESTADO DO PARA Participação: REQUERENTE Nome: BANCO DO BRASIL SA

NOTIFICAÇÃO

A UNIDADE DE ARRECADAÇÃO JUDICIÁRIA REGIONAL-UNAJ-SANTARÉM, subordinada à


Secretaria de Planejamento, Coordenação e Finanças do TJPA, por seu chefe subscritor, com fulcro no
§2º do art. 46 da Lei Estadual nº. 8.328/15 e §2º do art. 2º e art. 8º da Resolução nº. 20/2021-TJPA,
expede a presente NOTIFICAÇÃO nos termos abaixo delineados:

PAC: 0807143-18.2022.8.14.0051
NOTIFICADO(A): REQUERENTE: BANCO DO BRASIL SA

Adv.: Advogado(s) do reclamado: SERVIO TULIO DE BARCELOS - OAB MG44698, JOSE ARNALDO
JANSSEN NOGUEIRA - OAB PA21078-A

FINALIDADE: NOTIFICAR o(a) Senhor(a) : BANCO DO BRASIL SA


para que proceda, no prazo de 15 (quinze) dias, a contar da presente notificação, o pagamento das
CUSTAS E DEMAIS DESPESAS PROCESSUAIS, das quais foi condenado(a) em processo judicial com
sentença transitada em julgado, sob pena de expedição de Certidão de Crédito Judicial (CCJ) para fins de
protesto e inscrição em dívida ativa.

OBSERVAÇÕES:

1. O prazo para quitação das custas processuais não se confunde com o vencimento do boleto. Regularize
seu débito em até 15 (quinze) dias contados da ciência desta notificação.

2. O boleto bancário a ser pago está disponível no endereço: https://apps.tjpa.jus.br/custas/ , acessando a


opção “2ª Via do Boleto Bancário e do Relatório de Conta do Processo” e consultando o número do
PAC indicado acima. O boleto bancário também pode ser solicitado por mensagem eletrônica
encaminhada para o endereço 051unaj@tjpa.jus.br ou pelo telefone (93)3064-9230, nos dias úteis das 8h
às 14h.

Santarém/PA, 13 de setembro de 2022

Belª Maria do Socorro Cardoso Neves

Chefe de Arrecadação Judiciária Regional– UNAJ-Santarém

Número do processo: 0806374-10.2022.8.14.0051 Participação: REQUERENTE Nome: TRIBUNAL DE


JUSTICA DO ESTADO DO PARA Participação: REQUERENTE Nome: SAMUEL FREITAS DOS SANTOS
Participação: AUTORIDADE Nome: MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DO PARÁ

NOTIFICAÇÃO

A UNIDADE DE ARRECADAÇÃO JUDICIÁRIA REGIONAL-UNAJ-SANTARÉM, subordinada à


196
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Secretaria de Planejamento, Coordenação e Finanças do TJPA, por seu chefe subscritor, com fulcro no
§2º do art. 46 da Lei Estadual nº. 8.328/15 e §2º do art. 2º e art. 8º da Resolução nº. 20/2021-TJPA,
expede a presente NOTIFICAÇÃO nos termos abaixo delineados:

PAC: 0806374-10.2022.8.14.0051
NOTIFICADO(A): SAMUEL FREITAS DOS SANTOS

Adv.: Advogado(s) do reclamado: DANIEL MARQUES COHEN REGISTRADO(A) CIVILMENTE COMO


DANIEL MARQUES COHEN - OAB PA27584

FINALIDADE: NOTIFICAR o(a) Senhor(a) SAMUEL FREITAS DOS SANTOS


para que proceda, no prazo de 15 (quinze) dias, a contar da presente notificação, o pagamento das
CUSTAS E DEMAIS DESPESAS PROCESSUAIS, das quais foi condenado(a) em processo judicial com
sentença transitada em julgado, sob pena de expedição de Certidão de Crédito Judicial (CCJ) para fins de
protesto e inscrição em dívida ativa.

OBSERVAÇÕES:

1. O prazo para quitação das custas processuais não se confunde com o vencimento do boleto. Regularize
seu débito em até 15 (quinze) dias contados da ciência desta notificação.

2. O boleto bancário a ser pago está disponível no endereço: https://apps.tjpa.jus.br/custas/ , acessando a


opção “2ª Via do Boleto Bancário e do Relatório de Conta do Processo” e consultando o número do
PAC indicado acima. O boleto bancário também pode ser solicitado por mensagem eletrônica
encaminhada para o endereço 051unaj@tjpa.jus.br ou pelo telefone (93)3064-9230, nos dias úteis das 8h
às 14h.

Santarém/PA, 13 de setembro de 2022

Belª Maria do Socorro Cardoso Neves

Chefe de Arrecadação Judiciária Regional– UNAJ-Santarém


197
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

COMARCA DE ALTAMIRA

SECRETARIA DA 1ª VARA CÍVEL E EMPRESARIAL DE ALTAMIRA

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARÁ
SECRETARIA DA 1ª VARA CÍVEL E EMPRESARIAL DA COMARCA DE ALTAMIRA

EDITAL DE INTIMAÇÃO DE SENTENÇA

PRAZO: 20 (VINTE) DIAS.

Processo nº 0801332-60.2018.8.14.0005

O Dr. JOSÉ LEONARDO PESSOA VALENÇA, MM. Juiz de Direito da


1.ª Vara Cível e Empresarial, Infância e Juventude da Comarca de Altamira,
Estado do Pará, na forma da lei etc.

FAZ SABER, aos quantos o presente Edital virem ou dele conhecimento tiverem, que por este Juízo e
Secretaria da 1ª Vara e Infância e Juventude desta Comarca, tramitam os autos de Ação de ADOÇÃO
(1401), - Processo nº 0801332-60.2018.8.14.0005, em que é(são) REQUERENTES: WNATY XIPAYA, E
TJOPIN ARARA, e requerido(s): TAENA XIPAYA E TAKAGNHOTI KAYAPÓ, que por meio deste, pelo
prazo de 20 (vinte) dias, ficam INTIMADOS os pais biológicos, TAENA XIPAYA E TAKAGNHOTI
KAYAPÓ, para ciência do teor da sentença proferida nos autos, a seguir transcrita: ¿
SENTENÇA. Vistos. Trata-se de ação de guarda convertida em ação de adoção interposta por WNATY
XIPAYA e TJOPIN ARARA, devidamente qualificados, em favor da menor T. X. K., nascida em
05/06/2017, filha de TAENA XIPAYA e TAKAGNHOTI KAYAPÓ, em razão da entrega da menor
voluntariamente pelos pais biológicos, desde o seu nascimento. Com a inicial foram juntados documentos
pertinentes, dentre os quais documentos de identificação das partes, certidão de nascimento da infante,
dentre outros. Em prosseguimento foi deferida a guarda provisória da menor em favor dos autores (ID
7332015). Adiante, em audiência, foram colhidos os depoimentos dos requerentes e dos requeridos. Na
ocasião, os requerentes apresentaram manifestação no sentido de converter a ação de guarda em ação
de adoção, tendo em vista o parentesco entre a requerente e a requerida, além do consentimento dos pais
biológicos, o que foi deferido pelo MM. Juízo (ID 10702961). Em seguida, foi juntado relatório de Estudo
Social realizado pelo Setor Psicossocial desta Vara da Infância e Juventude da Comarca de Altamira/PA
(ID 61437540). Manifestação do Órgão Ministerial (ID 66683547). A Defensoria Pública apresentou
manifestação (ID 75960095). Nestes termos, vieram-me os autos conclusos. É o relatório.
Decido. Inicialmente, verifica-se o regular desenvolvimento do processo segundo as disposições do
Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e do Código de Processo Civil (CPC) aplicáveis, não havendo
falhas ou nulidades que maculem a sua validade. Com efeito, os pretensos adotantes revelaram que
receberam a guarda de fato da menor desde o seu nascimento, de forma livre, consciente e voluntária
pelos pais biológicos e, desde então, vêm imprimindo as diligências com vistas à regularização desta
guarda e a concretização do intuito de adoção. Somados à manifestação das partes, o estudo social
realizado pelo Setor Psicossocial desta Vara da Infância e Juventude da Comarca de Altamira/PA concluiu
que os requerentes moram na aldeia Pitjiptpjia, Rio Curuá, exercendo a atividade de agricultura e desejam
adotar a criança T., filha biológica da requerida, irmã da requerente; Que os requerentes e os requeridos
vivem em harmonia, moram na mesma aldeia e mantêm convivência diária; Consta, ainda, que a
requerente não conseguia engravidar e desejava constituir uma família; Que a requerida passou por duas
gestações próximas e juntamente com o seu companheiro decidiram entregar a criança T. para a
requerente que não tinha filhos e não conseguia engravidar; Que a criança tem desenvolvimento normal e
adequado para a sua idade, além do que é bem cuidada e amada; Que os vínculos afetivos entre o casal e
a criança são fortes e genuínos, além do que a convivência familiar é saudável oferecendo reais
198
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

vantagens para a infante, razão pela qual se manifestou favorável à adoção (ID 61437540). Acerca do
tema da adoção, faz-se mister ressaltar que a nova Lei 12.010/2009 instituiu a obrigatoriedade dos
pretensos adotantes figurarem num Cadastro Nacional mediante prévio processo de habilitação (arts. 50,
197-A e seguintes do ECA), excepcionando o deferimento de adoção a pretendentes não cadastrados
somente quando: I ¿ se tratar de pedido de adoção unilateral; II ¿ for formulado por parente com o qual a
criança ou adolescente mantenha vínculos de afinidade e afetividade; III ¿ oriundo o pedido de quem
detém a tutela ou guarda legal de criança maior de 3 (três) anos ou adolescente, desde que o lapso de
tempo de convivência comprove a fixação de laços de afinidade e afetividade, e não seja constatada a
ocorrência de má-fé ou qualquer das situações previstas nos arts. 237 ou do 238 do ECA. Estas três
hipóteses estão previstas no § 13 do art. 50 do ECA, com redação dada pela nova Lei 12.010/2009. In
casu, os pais biológicos entregaram a menor, desde o seu nascimento, de livre e espontânea vontade, aos
requerentes. Ademais, a criança foi acolhida pelos requerentes, os quais inicialmente tinham a guarda de
fato, obtiveram a guarda formal após o ajuizamento da presente demanda e vêm diligenciando para a
regularização da adoção, conforme manifestações uníssonas no processo. Restou constatado, ainda que,
atualmente, a menor possui mais de 05 anos de idade e a realização de estudo social atestou que a
infante vem recebendo o amparo devido, permanece saudável, é bem cuidada e mantém relacionamento
afetivo típico paterno e materno com os requerentes, demonstrando um bom relacionamento e harmonia
na convivência, o que se impõe reconhecer que a adoção pelo casal requerente atende aos melhores
interesse da criança. Enfim, restou esclarecido que o(a) menor tem assegurado um ambiente e uma
convivência familiar adequados, isto é, que a criança é querida na família dos requerentes, recebendo
amor, carinho e todos os cuidados necessários para um desenvolvimento saudável. Também
demonstraram idoneidade social, moral e emocional para adotar, sendo constatado pelo estudo realizado,
a adequação de seu ambiente familiar, profissão, entre outras condições que podem garantir o
atendimento às necessidades vitais básicas do adotando incluindo alimentação, saúde, lazer, vestuário,
educação e formação moral, psicológica e emocional. Ademais, os pais biológicos declararam, tanto em
audiência, quanto em estudo social, o consentimento quanto ao pedido de adoção pelos autores, estando
cientes das regras legais do procedimento de adoção, incluindo seu caráter definitivo e o rompimento das
relações originais e a criação de novos vínculos com os adotantes. ISTO POSTO, atento a tudo o mais
que consta nos autos, com base nas disposições legais contidas nos arts. 24, 41, 42, 43 e 45 da Lei
8.069/90 ECA e por fundar-se em motivo legítimo e apresentar reais vantagens para o adotando, decreto a
perda do poder familiar dos pais biológicos (TAKAGNHOTI KAYAPÓ e TAENA XIPAYA) em relação à
menor em epígrafe formulado na inicial para atribuir à infante T. X. K. a condição de filha de WNATY
XIPAYA e TJOPIN ARARA, com todas as consequências jurídico-legais, inclusive a aquisição do
sobrenome dos adotantes, passando a se chamar T. X. A.. Considerando o que dispõe o art. 199-A do
ECA, com redação dada pela Lei 12.010/09, expeça-se o pertinente mandado para inscrição no Registro
Civil como dispõe o art. 47 do ECA e, por consequência, o cancelamento do registro de nascimento
original (§ 2.º do art. 47 do ECA). Publique-se, registre-se e intimem-se, INCLUSIVE os pais biológicos
pelo DJE. Isento de custas nos termos do art. 141, § 2.º do ECA. Dê-se ciência à Defensoria Pública e ao
Ministério Público. Transitado em julgado, arquivem-se os autos. Altamira/PA, 5 de setembro de
2022. JOSÉ LEONARDO PESSOA VALENÇA. Juiz de Direito Titular". E para que não se alegue
ignorância, foi expedido o presente em três (03) vias de igual teor e forma, para um só efeito, que serão
publicadas nos termos da Lei. CUMPRA-SE. Dado e passado na cidade de Altamira, Estado do Pará, aos
6 de setembro de 2022. Eu, Antonio Ronaldo da S. Queiroz, Atendente Judiciário, o digitei e eu, Diretora
de Secretaria, conferi e assino.

LUIZ FERNANDO MENDES FAVACHO


Diretor de Secretaria
Conforme Prov. 006/2009-CJCI, Art. 1º, § 2º, Inciso IX
199
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

COBRANÇA ADMINISTRATIVA DE ALTAMIRA

Número do processo: 0804103-69.2022.8.14.0005 Participação: REQUERENTE Nome: TRIBUNAL DE


JUSTICA DO ESTADO DO PARA Participação: REQUERIDO Nome: SEGURADORA LIDER DOS
CONSORCIOS DO SEGURO DPVAT S.A. Participação: ADVOGADO Nome: LUANA SILVA SANTOS
OAB: 016292/PA

NOTIFICAÇÃO

A UNIDADE DE ARRECADAÇÃO - FRJ - ALTAMIRA, unidade judiciária subordinada à Secretaria de


Planejamento, Coordenação e Finanças do TJPA, por sua chefia subscritora, com fulcro no § 2º do Art. 46
da Lei Estadual nº. 8.328/15 e § 2º do Art. 2º e Art. 8º da Resolução nº. 20/2021-TJPA, expede a
presente NOTIFICAÇÃO nos termos abaixo delineados:
PAC:0804103-69.2022.8.14.0005
NOTIFICADO(A):REQUERIDO: SEGURADORA LIDER DOS CONSORCIOS DO SEGURO DPVAT S.A.
Advogado(s) do reclamado: LUANA SILVA SANTOS OAB PA 16292.
FINALIDADE: NOTIFICAR o(a) Senhor(a) REQUERIDO: SEGURADORA LIDER DOS CONSORCIOS
DO SEGURO DPVAT S.A. para que proceda, no prazo de 15 (quinze) dias, a contar da presente
notificação, o pagamento das CUSTAS E DEMAIS DESPESAS PROCESSUAIS, das quais foi
condenado(a) em processo judicial com sentença transitada em julgado, sob pena de expedição de
Certidão de Crédito Judicial (CCJ) para fins de protesto e inscrição em dívida ativa.
OBSERVAÇÕES:
1. O prazo para quitação das custas processuais não se confunde com o vencimento do boleto. Regularize
seu débito em até 15 (quinze) dias contados da ciência desta notificação.
2. O boleto bancário a ser pago está disponível no endereço: https://apps.tjpa.jus.br/custas/ , acessando a
opção “2ª Via do Boleto Bancário e do Relatório de Conta do Processo” e consultando o número do
PAC indicado acima. O boleto bancário também pode ser solicitado por mensagem eletrônica
encaminhada para o endereço 005unaj@tjpa.jus.br ou pelo telefone (93) 3502 -9107 nos dias úteis das 8h
às 14h.
Altamira/PA, 13 de setembro de 2022.
Ana Maria Duarte Oliveira, Chefe da Unidade de Arrecadação – UNAJ-Altamira

Número do processo: 0803885-41.2022.8.14.0005 Participação: REQUERENTE Nome: EDUARDO


SOARES DA ROCHA Participação: REQUERENTE Nome: SAMUEL ALMEIDA DA ROCHA Participação:
REQUERENTE Nome: TRIBUNAL DE JUSTICA DO ESTADO DO PARA Participação: REQUERIDO
Nome: SEGURADORA LIDER DOS CONSORCIOS DE SEGURO DPVAT Participação: ADVOGADO
Nome: LUANA SILVA SANTOS OAB: 016292/PA

NOTIFICAÇÃO

A UNIDADE DE ARRECADAÇÃO - FRJ - ALTAMIRA, unidade judiciária subordinada à Secretaria de


Planejamento, Coordenação e Finanças do TJPA, por sua chefia subscritora, com fulcro no § 2º do Art. 46
da Lei Estadual nº. 8.328/15 e § 2º do Art. 2º e Art. 8º da Resolução nº. 20/2021-TJPA, expede a
presente NOTIFICAÇÃO nos termos abaixo delineados:
PAC:0803885-41.2022.8.14.0005
NOTIFICADO(A):REQUERIDO: SEGURADORA LIDER DOS CONSORCIOS DE SEGURO DPVAT
Advogado(s) do reclamado: LUANA SILVA SANTOS OAB PA 16292
FINALIDADE: NOTIFICAR o(a) Senhor(a) REQUERIDO: SEGURADORA LIDER DOS CONSORCIOS
DE SEGURO DPVAT para que proceda, no prazo de 15 (quinze) dias, a contar da presente notificação, o
pagamento das CUSTAS E DEMAIS DESPESAS PROCESSUAIS, das quais foi condenado(a) em
processo judicial com sentença transitada em julgado, sob pena de expedição de Certidão de Crédito
200
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Judicial (CCJ) para fins de protesto e inscrição em dívida ativa.


OBSERVAÇÕES:
1. O prazo para quitação das custas processuais não se confunde com o vencimento do boleto. Regularize
seu débito em até 15 (quinze) dias contados da ciência desta notificação.
2. O boleto bancário a ser pago está disponível no endereço: https://apps.tjpa.jus.br/custas/ , acessando a
opção “2ª Via do Boleto Bancário e do Relatório de Conta do Processo” e consultando o número do
PAC indicado acima. O boleto bancário também pode ser solicitado por mensagem eletrônica
encaminhada para o endereço 005unaj@tjpa.jus.br ou pelo telefone (93) 3502 -9107 nos dias úteis das 8h
às 14h.
Altamira/PA, 13 de setembro de 2022.
Ana Maria Duarte Oliveira, Chefe da Unidade de Arrecadação – UNAJ-Altamira

Número do processo: 0803033-17.2022.8.14.0005 Participação: REQUERENTE Nome: THIAGO


HENRIQUE SOARES SOUZA Participação: REQUERENTE Nome: TRIBUNAL DE JUSTICA DO ESTADO
DO PARA Participação: REQUERIDO Nome: SEGURADORA LIDER DOS CONSORCIOS DO SEGURO
DPVAT S.A. Participação: ADVOGADO Nome: MARILIA DIAS ANDRADE OAB: 014351/PA

NOTIFICAÇÃO

A UNIDADE DE ARRECADAÇÃO - FRJ - ALTAMIRA, unidade judiciária subordinada à Secretaria de


Planejamento, Coordenação e Finanças do TJPA, por sua chefia subscritora, com fulcro no § 2º do Art. 46
da Lei Estadual nº. 8.328/15 e § 2º do Art. 2º e Art. 8º da Resolução nº. 20/2021-TJPA, expede a
presente NOTIFICAÇÃO nos termos abaixo delineados:
PAC:0803033-17.2022.8.14.0005
NOTIFICADO(A):REQUERIDO: SEGURADORA LIDER DOS CONSORCIOS DO SEGURO DPVAT S.A.
Advogado(s) do reclamado: MARILIA DIAS ANDRADE OAB PA 14351.
FINALIDADE: NOTIFICAR o(a) Senhor(a) REQUERIDO: SEGURADORA LIDER DOS CONSORCIOS
DO SEGURO DPVAT S.A. para que proceda, no prazo de 15 (quinze) dias, a contar da presente
notificação, o pagamento das CUSTAS E DEMAIS DESPESAS PROCESSUAIS, das quais foi
condenado(a) em processo judicial com sentença transitada em julgado, sob pena de expedição de
Certidão de Crédito Judicial (CCJ) para fins de protesto e inscrição em dívida ativa.
OBSERVAÇÕES:
1. O prazo para quitação das custas processuais não se confunde com o vencimento do boleto. Regularize
seu débito em até 15 (quinze) dias contados da ciência desta notificação.
2. O boleto bancário a ser pago está disponível no endereço: https://apps.tjpa.jus.br/custas/ , acessando a
opção “2ª Via do Boleto Bancário e do Relatório de Conta do Processo” e consultando o número do
PAC indicado acima. O boleto bancário também pode ser solicitado por mensagem eletrônica
encaminhada para o endereço 005unaj@tjpa.jus.br ou pelo telefone (93) 3502 -9107 nos dias úteis das 8h
às 14h.
Altamira/PA, 13 de setembro de 2022.
Ana Maria Duarte Oliveira, Chefe da Unidade de Arrecadação – UNAJ-Altamira

Número do processo: 0803230-69.2022.8.14.0005 Participação: REQUERENTE Nome: ANTONIO


RODRIGUES DE SOUSA FILHO Participação: REQUERENTE Nome: TRIBUNAL DE JUSTICA DO
ESTADO DO PARA Participação: REQUERIDO Nome: SEGURADORA LIDER DOS CONSORCIOS DO
SEGURO DPVAT S.A. Participação: ADVOGADO Nome: LUANA SILVA SANTOS OAB: 016292/PA
Participação: ADVOGADO Nome: MARILIA DIAS ANDRADE OAB: 014351/PA

NOTIFICAÇÃO
201
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

A UNIDADE DE ARRECADAÇÃO - FRJ - ALTAMIRA, unidade judiciária subordinada à Secretaria de


Planejamento, Coordenação e Finanças do TJPA, por sua chefia subscritora, com fulcro no § 2º do Art. 46
da Lei Estadual nº. 8.328/15 e § 2º do Art. 2º e Art. 8º da Resolução nº. 20/2021-TJPA, expede a
presente NOTIFICAÇÃO nos termos abaixo delineados:
PAC:0803230-69.2022.8.14.0005
NOTIFICADO(A):REQUERIDO: SEGURADORA LIDER DOS CONSORCIOS DO SEGURO DPVAT S.A.
Advogado(s) do reclamado: MARILIA DIAS ANDRADE OAB PA 14351, LUANA SILVA SANTOS OAB PA
16292.
FINALIDADE: NOTIFICAR o(a) Senhor(a) REQUERIDO: SEGURADORA LIDER DOS CONSORCIOS
DO SEGURO DPVAT S.A. para que proceda, no prazo de 15 (quinze) dias, a contar da presente
notificação, o pagamento das CUSTAS E DEMAIS DESPESAS PROCESSUAIS, das quais foi
condenado(a) em processo judicial com sentença transitada em julgado, sob pena de expedição de
Certidão de Crédito Judicial (CCJ) para fins de protesto e inscrição em dívida ativa.
OBSERVAÇÕES:
1. O prazo para quitação das custas processuais não se confunde com o vencimento do boleto. Regularize
seu débito em até 15 (quinze) dias contados da ciência desta notificação.
2. O boleto bancário a ser pago está disponível no endereço: https://apps.tjpa.jus.br/custas/ , acessando a
opção “2ª Via do Boleto Bancário e do Relatório de Conta do Processo” e consultando o número do
PAC indicado acima. O boleto bancário também pode ser solicitado por mensagem eletrônica
encaminhada para o endereço 005unaj@tjpa.jus.br ou pelo telefone (93) 3502 -9107 nos dias úteis das 8h
às 14h.
Altamira/PA, 13 de setembro de 2022.
Ana Maria Duarte Oliveira, Chefe da Unidade de Arrecadação – UNAJ-Altamira
202
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

COMARCA DE TUCURUÍ

COBRANÇA ADMINISTRATIVA DE TUCURUÍ

Número do processo: 0803822-42.2022.8.14.0061 Participação: REQUERENTE Nome: TRIBUNAL DE


JUSTICA DO ESTADO DO PARA Participação: REQUERIDO Nome: OTICA LUZ EIRELI

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARÁ

UNIDADE DE ARRECADAÇÃO JUDICIÁRIA REGIONAL DE TUCURUI (UNAJ-TU)

NOTIFICAÇÃO

A UNIDADE DE ARRECADAÇÃO JUDICIÁRIA REGIONAL DE TUCURUI (UNAJ-TU), unidade judiciária


subordinada à Secretaria de Planejamento, Coordenação e Finanças do TJPA, por seu chefe subscritor,
com fulcro no §2º do art. 46 da Lei Estadual nº. 8.328/15 e §2º do art. 2º e art. 8º da Resolução nº.
20/2021-TJPA, expede a presente NOTIFICAÇÃO nos termos abaixo delineados:

PAC n°: 0803822-42.2022.8.14.0061

NOTIFICADA: ÓTICA LUZ EIRELI

ADVOGADO: JOÃO BOSCO RODRIGUES DEMÉTRIO - OAB/PA 22.190

FINALIDADE: Notificar a REQUERIDA: OTICA LUZ EIRELI


, para que proceda, no prazo de 15 (quinze) dias, a contar da presente notificação, o pagamento das
CUSTAS E DEMAIS DESPESAS PROCESSUAIS, das quais foi condenado (a) em processo judicial com
sentença transitada em julgado, sob pena de expedição de Certidão de Crédito Judicial (CCJ) para fins de
protesto e inscrição em dívida ativa.

OBSERVAÇÕES:

1. O prazo para quitação das custas processuais não se confunde com o vencimento do boleto. Regularize
seu débito em até 15 (quinze) dias contados da ciência desta notificação.

2. O boleto bancário a ser pago está disponível no endereço: https://apps.tjpa.jus.br/custas/ , acessando


a opção "2ª Via do Boleto Bancário e do Relatório de Conta do Processo" e consultando o número do
PAC indicado acima. O boleto bancário também pode ser solicitado por mensagem eletrônica
encaminhada para o endereço 061unaj@tjpa.jus.br nos dias úteis das 08h às 14h.

Tucuruí, 13 de setembro de 2022

Bel. MÁRIO JORGE DOS SANTOS MENDES

Chefe da UNAJ-TU
203
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Matrícula 5116-0
204
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

COMARCA DE CASTANHAL

SECRETARIA DA VARA AGRÁRIA DE CASTANHAL

Número do processo: 0800213-42.2022.8.14.0064 Participação: REQUERENTE Nome: KILMA MAISA DE


LIMA GONDIM registrado(a) civilmente como KILMA MAISA DE LIMA GONDIM Participação:
REQUERIDO Nome: COMARCA DE VISEU Participação: AUTORIDADE Nome: MINISTERIO PUBLICO
DO ESTADO DO PARA Processo n° 0800213-42.2022

DECISÃO

Cuidam os presentes autos de suscitação de dúvida apresentada pelo Cartório de Registro de Imóveis
de Viseu/PA.

Consta dos autos que Javaes S/A ingressou naquela serventia com pedido de averbação de
cancelamento da matrícula nº 621, fls. 21, do Livro 2-B, das transcrições das transmissões daquela
serventia.

O pedido foi rejeitado pelo cartório de origem conforme nota devolutiva constante do ID 58460345.

Recebidos os autos neste juízo, ordenei sua remessa ao Ministério Público, que apresentou parecer no ID
69481932, opinando pela possibilidade do cancelamento administrativo pelo cartório de registro de imóveis
competente.

Éo relatório. Decido.

Cuidam os presentes autos de suscitação de dúvida formulada pelo Oficial Titular do Cartório de Registro
de Imóveis de Viseu/PA.

Analisando os presentes autos, observo que a dúvida apresentada deve ser julgada procedente. Senão
vejamos:

No caso dos autos, conforme relatado e demonstrado pelo registrador, não há a possibilidade de
cancelamento administrativo da escritura pública e matrícula conforme requerido pelo interessado, tendo
em vista a necessidade de decisão judicial, nos termos do que preceituam os arts. 233, I da Lei nº
6.015/73 e 966, I do Código de Normas dos Serviços Notariais e de Registro do Estado do Pará.

Isto porque as asserções apresentadas pela parte interessada devem ser objeto de análise, discussão e
decisão na via judicial própria, não cabendo, desse modo, por simples pedido de cancelamento
administrativo buscar-se cancelamento de matrícula de imóvel, especialmente porque, conforme
referido pela registradora, no caso em questão, teria ocorrido criação de uma segunda cadeia
dominial, supostamente no ano de 1986, havendo necessidade de saber que norma retirou a
atribuição do cartório de Viseu no que concerne à área em questão.

Assim, a matéria, sendo o caso, deve ser objeto de apreciação judicial, garantindo-se aos interessados
ampla participação, observados os princípios do contraditório e da ampla defesa.

Assim, diante da situação em questão, observa-se que assiste razão à registradora em não realizar o
cancelamento requerido.

Diante do exposto, data vênia do parecer do Ministério Público, julgo procedente a dúvida suscitada
, consignando que não é cabível, pelas razões acima descritas, o pedido de cancelamento
205
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

administrativo requerido, nos termos da fundamentação.

Cientifiquem-se a Oficial de Registro, o Ministério Público Agrário e a parte interessada.

Transitada em julgado, arquive-se, observadas as formalidades legais.

P.R.I.

Em, 29 de agosto de 2022.

André Luiz Filo-Creão G. da Fonseca

Juiz de Direito
206
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

COMARCA DE CURIONÓPOLIS

SECRETARIA DA VARA ÚNICA DE CURIONÓPOLIS

EDITAL DA LISTA PROVISÓRIA DE JURADOS - 2023

De ordem do Dr. Thiago Vinícius de Melo Quedas, MM. Juiz de Direito desta Comarca de Curionópolis,
Estado do Pará, República Federativa do Brasil, no uso de suas atribuições legais e etc.

Faço saber a todos quantos o presente edital virem, ou dele conhecimento tiverem, que através deste,
torna-se pública a LISTA PROVISÓRIA DOS JURADOS, que servirão ao TRIBUNAL DO JÚRI
POPULAR NO ANO DE 2023, os cidadãos abaixo relacionados, conforme determina o CPP.

Art. 436. O serviço do júri é obrigatório. O alistamento compreenderá os cidadãos maiores de 18 (dezoito)
anos de notória idoneidade. (Redação dada pela Lei n¿ 11.689, de 2008)

¿ 1o Nenhum cidadão poderá ser excluído dos trabalhos do júri ou deixar de ser alistado em razão
de cor ou etnia, raça, credo, sexo, profissão, classe social ou econômica, origem ou grau de instrução.
(Incluído pela Lei n¿ 11.689, de 2008)

¿ 2o A recusa injustificada ao serviço do júri acarretará multa no valor de 1 (um) a 10 (dez) salários
mínimos, a critério do juiz, de acordo com a condição econômica do jurado. (Incluído pela Lei n¿ 11.689,
de 2008)

Art. 437. Estão isentos do serviço do júri: (Redação dada pela Lei n¿ 11.689, de 2008)

I ¿ o Presidente da República e os Ministros de Estado; (Incluído pela Lei n¿ 11.689, de 2008)

II ¿ os Governadores e seus respectivos Secretários; (Incluído pela Lei n¿ 11.689, de 2008)

III ¿ os membros do Congresso Nacional, das Assembleias Legislativas e das Câmaras Distrital e
Municipais; (Incluído pela Lei n¿ 11.689, de 2008)

IV ¿ os Prefeitos Municipais; (Incluído pela Lei n¿ 11.689, de 2008)

V ¿ os Magistrados e membros do Ministério Público e da Defensoria Pública; (Incluído pela Lei n¿


11.689, de 2008)

VI ¿ os servidores do Poder Judiciário, do Ministério Público e da Defensoria Pública; (Incluído pela


Lei n¿ 11.689, de 2008)

VII ¿ as autoridades e os servidores da polícia e da segurança pública; (Incluído pela Lei n¿ 11.689,
de 2008)

VIII ¿ os militares em serviço ativo; (Incluído pela Lei n¿ 11.689, de 2008)


207
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

IX ¿ os cidadãos maiores de 70 (setenta) anos que requeiram sua dispensa; (Incluído pela Lei n¿
11.689, de 2008)

X ¿ aqueles que o requererem, demonstrando justo impedimento. (Incluído pela Lei n¿ 11.689, de
2008)

Art. 438. A recusa ao serviço do júri fundada em convicção religiosa, filosófica ou política importará
no dever de prestar serviço alternativo, sob pena de suspensão dos direitos políticos, enquanto não
prestar o serviço imposto. (Redação dada pela Lei n¿ 11.689, de 2008)

¿ 1 o Entende-se por serviço alternativo o exercício de atividades de caráter administrativo,


assistencial, filantrópico ou mesmo produtivo, no Poder Judiciário, na Defensoria Pública, no Ministério
Público ou em entidade conveniada para esses fins. (Incluído pela Lei n¿ 11.689, de 2008)

¿ 2 o O juiz fixará o serviço alternativo atendendo aos princípios da proporcionalidade e da


razoabilidade. (Incluído pela Lei n¿ 11.689, de 2008)

Art. 439. O exercício efetivo da função de jurado constituirá serviço público relevante, estabelecerá
presunção de idoneidade moral e assegurará prisão especial, em caso de crime comum, até o julgamento
definitivo. (Redação dada pela Lei n¿ 11.689, de 2008)

Art. 440. Constitui também direito do jurado, na condição do art. 439 deste Código, preferência, em
igualdade de condições, nas licitações públicas e no provimento, mediante concurso, de cargo ou função
pública, bem como nos casos de promoção funcional ou remoção voluntária. (Redação dada pela Lei n¿
11.689, de 2008)

Art. 441. Nenhum desconto será feito nos vencimentos ou salário do jurado sorteado que
comparecer à sessão do júri. (Redação dada pela Lei n¿ 11.689, de 2008)

Art. 442. Ao jurado que, sem causa legítima, deixar de comparecer no dia marcado para a sessão ou
retirar-se antes de ser dispensado pelo presidente será aplicada multa de 1 (um) a 10 (dez) salários
mínimos, a critério do juiz, de acordo com a sua condição econômica. (Redação dada pela Lei n¿ 11.689,
de 2008)

Art. 443. Somente será aceita escusa fundada em motivo relevante devidamente comprovado e
apresentada, ressalvadas as hipóteses de força maior, até o momento da chamada dos jurados. (Redação
dada pela Lei n¿ 11.689, de 2008)

Art. 444. O jurado somente será dispensado por decisão motivada do juiz presidente, consignada na
ata dos trabalhos. (Redação dada pela Lei n¿ 11.689, de 2008)

Art. 445. O jurado, no exercício da função ou a pretexto de exercê-la, será responsável


criminalmente nos mesmos termos em que o são os juízes togados. (Redação dada pela Lei n¿ 11.689, de
2008)

Art. 446. Aos suplentes, quando convocados, serão aplicáveis os dispositivos referentes às
dispensas, faltas e escusas e à equiparação de responsabilidade penal prevista no art. 445 deste Código.
(Redação dada pela Lei n¿ 11.689, de 2008).

1.Adriana Silva Sampaio da Silva, professora, rua Mogno 112, Centro, Curionópolis-Pará.
208
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

2.Adriano Lisboa da Silva, Assessor de Gabinete I, rua Tucupi, 207, Centro, Curionópolis-Pará.

3.Adriano Gatti Mesquita Cavalcanti, professor, lotado na Escola São Benedito Curionópolis-Pará.

4.Amanda Kelvia Cavalcante Dos Reis, empresária, av. Albernaz Qd 08, Lt. 28, bairro, Bandeirantes
Curionópolis ¿ Pará

5.Agamileia dos Santos Silva Ozorio, professora, av. Brasil, 32, Centro, Curionópolis-Pará.

6.Andrade Pereira Da Silva, empresário, av. Amazonas, 135, Centro Curionópolis-Pará.

7.Aldineia da Silva Lima, Auxiliar de Secretaria, à av. Rio de Janeiro, 169, Centro, Curionópolis-Pará.

8.Alexsandro Souza Nogueira, professor, av. São Paulo, 200, Centro, Curionópolis-Pará.

9.Ana Lúcia Honorato de Sousa, assist. Legislativo, com endereço à av. Amazonas, 326, Centro,
Curionópolis-Pará.

10.Antônia Oliveira da Silva, professora, Rua Santa Catarina, Qd. 03, lote 22, Planalto,
Curionópolis-Pará.

11.Antônia Simone Ferreira da Silva, Agente Administrativa- laboratório, av. Rio Grande do Sul, 79,
Centro, Curionópolis-Pará.

12.Alexandro dos Santos Aguiar, empresário, av. Guanabara, 128, Centro, Curionópolis-Pará.

13.Alex Santos Silva, médico veterinário, vigilância sanitária, Curionópolis-Pará.

14.Arlete Rodrigues de Lima, Assessora de Gabinete II, residente à av. Sergipe, 97, bairro da Paz,
Curionópolis-PA

15.Allison Oliveira Barbosa, professor, lotado na Escola Santos Dumont, Curionópolis-Pará.

16.Bernardo Lopes de Araújo, empresário, av. Gov. Carlos Santos, 70, Centro, Curionópolis-Pará.
209
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

17.Charles Lins, empresário, av. Carlos Santos, 76, Centro Curionópolis ¿ Pará

18.Celia Maria Sousa de Souza, Professora, av. Minas Gerais,75, Centro, Curionópolis-Pará.

19.Cláudia Rosa da Conceição Queluz, aux. de enfermagem, av. Piauí, 101, Centro, Curionópolis-
Pará.

20.Djair Araujo Sousa, empresário, rua Tucupi n°65 A, Centro, Curionópolis ¿ Pará

21.Davi Araújo Amorim, professor, Escola M. José Rodrigues, Curionópolis-Pará.

22.Dédalo Dorneles Ferraz de Oliveira, agente administrativo, Escola M. São Benedito, rua
Marajuba, 14, bairro da Paz, Curionópolis-Pará.

23.Diego Ramon Nina Rocha, agente administrativo, Escola M. Santos Dumont, rua Belém, quadra
16, lote 03-A, Jardim Panorama, Curionópolis-Pará.

24.Douglas Andrade dos Santos, professor, rua Ipê, 121, Centro, Curionópolis-Pará.

25.Eloide Lopes Herculano, Coordenadora, avenida Carlos Santos, 112, Centro, Curionópolis-Pará.

26.Elielson Alves Beserra Silva, professor, lotado na Escola Santos Dumont, Curionópolis-Pará.

27.Edison Sousa da Silva, motorista, avenida Espírito Santo, 34, Centro, Curionópolis-Pará.

28.Eliana Ribeiro Leal, professora, rua Jacarandá, 169, Centro, Curionópolis-Pará.

29.Elnice Ribeiro da Rocha Cunha, Professora, av. Rio de Janeiro, 156, Centro, Curionópolis-Pará.

30.Elvirene Rodrigues de S. Cruz, Professora, com endereço à rua Castanheira, 35, Centro, Curionópolis-
Pará.

31.Ellen White Lima Lopes, empresária, av. Minas Gerais n° 71, Centro, Curionópolis ¿ Pará.

32.Elmir Perez De Queiroz, empresário, av. Pernambuco,182, Centro Curionópolis ¿ Pará

33.Eunice Alves de Barros, Professora, rua Sumaúma, 219, Centro, Curionópolis- Pará.
210
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

34.Emerson de Oliveira Lima, professor, Escola Santos Dumont, Curionópolis-Pará.

35.Francelmir Da Costa Alves, empresário, av. Maranhão, 127, bairro da Paz Curionópolis ¿ Pará.

36.Francisca Eliete Da Silva, empresária, rua Belém Qd. 26 Lt. 03, bairro Jardim Panorama
Curionópolis ¿ Pará

37.Franciane dos Santos Costa, Mon. Ed. Física, av. São Paulo, 233, Centro, Curionópolis-Pará.

38.Francinalda dos Santos Costa, Professora, av. São Paulo, Centro, Curionópolis-Pará.

39.Francinete Conceição Silva, Ag. Com. Saúde, rua Jacarandá, 126, Centro, Curionópolis-Pará.

40.Francisca da Silva Lima Gomes, Professora, av. Alagoas, 132, Centro, Curionópolis-Pará.

41.Francisco Diassis Duarte, professor, rua Cedro, s/n, Centro, Curionópolis-Pará.

42.Francisco dos Anjos de Jesus, comerciante, rua Tucupi, 44, Centro, Curionópolis-Pará.

43.Francivânia Moreira da Silva, ag. De saúde, av. Mato Grosso, 187, Centro, Curionópolis-Pará.

44.Geovania Silva Lopes, professora, rua Gameleira, 08, bairro da Paz, Curionópolis-Pará.

45.Giumar Pantaleão de Sousa, professor, avenida Amazonas, 288, Centro, Curionópolis-Pará.

46.Gilmara Ferreira Alves, Aux. de Laboratório, av. Presidente Vargas, bairro Jardim Panorama,
Curionópolis-Pará.

47.Gilsilane Mendes Borges, professora, rua Babaçu, 07, Curionópolis-Pará.

48.Hellem Samara Oliveira de Oliveira, professora, lotada na Escola São Benedito, Curionópolis-
Pará.

49.Honório Vieira Neto, engenheiro agrônomo, secretaria do Meio Ambiente, rua 25 de Dezembro,
12,
211
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

50.Ivanusa Silva Santos, empresária, rua Palmeiras, 71, Centro Curionópolis ¿ Pará

51.Iranilde Medeiros Costa do Carmo, Professora, av. Amazonas, 20, Centro, Curionópolis-Pará.

52.Ivete Guerra Gomes, Professora, Rua Açaí, 93, Centro, Curionópolis-Pará.

53.Janaina Pereira da Silva, professora, av. Maranhão 179, bairro da Paz, Curionópolis-Pará.

54.Jozélia Vieira de Sousa, professora, com endereço à avenida Mato Grosso, 17, Centro,
Curionópolis-Pará.

55.Janeudy Reis Sousa, monitora, av. Rio de Janeiro, esq. Ipê, 190, Centro, Curionópolis-Pará.

56.Jeane Costa Cunha, tesoureira, quadra 11, lote 02, bairro Miguel Chamon, Curionópolis-Pará.

57.Jairo Pereira da Silva, professor, com endereço à rua Sumaúma, 219, Centro, Curionópolis-
Pará.

58.Joaquina Valmisa Evangelista Matos, professora, av. Guanabara, 148, Centro, Curionópolis-
Pará.

59.Janilson André Palheta dos Santos, professor, Escola Santos Dumont, Curionópolis-Pará.

60.José André Saraiva Carvalho, empresário, Javaé Auto Center, avenida Pará, 348, Centro,
Curionópolis-PA

61.José Cildo de Freitas, empresário, avenida Rio de Janeiro, 83, Centro, Curionópolis-PA

62.Jose Valério de Sousa, Instrutor Esportivo, rua Nova, 69, centro, Curionópolis-Pará.

63.José Vanderlei Barbosa, Controlador interno, rua Goiânia, 64, J. Panorama, Curionópolis-PA

64.José Zuqueta Marques, orient. Educacional, rua Cedro, 85, Centro, Curionópolis-Pará.

65.Josenilda Marques da Silva, ag. Saúde, av. Alagoas, 191, Centro, Curionópolis-Pará.
212
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

66.Juari Pereira da Silva, empresário, av. Amazonas, 135, Centro, Curionópolis-Pará.

67.Juciane da Silva dos Santos, aux. de secretaria, av. Rio Grande do Sul, 106, Centro,
Curionópolis-Pará.

68.Júlio Iglesias da Silva Matias, Agente de Trânsito, av 1 de maio, qd. 42, bairro Planalto,
Curionópolis-Pará.

69.Kássia Herculano Barros, auxiliar administrativo, rua Açaí, 08, Centro, Curionópolis-Pará

70.Kátia Francisca de Souza Moraes, professora, estrada da Cutia, 03, J. Panorama, Curionópolis-
Pará.

71.Kaline B. De Azevedo, empresária, av. 21 de Abril Q.20 Lt.01, bairro Planalto Curionópolis ¿
Pará.

72.Keiliane Francisca Oliveira da Silva, recepcionista, av. Maranhão, 155, bairro da Paz,
Curionópolis-Pará.

73.Keytt Cibele Muniz de Souza, recepcionista, rua Jacarandá, 163, Centro, Curionópolis-Pará.

74.Leda Viveiros da Silva, Professora, com endereço à Rua 03, Qd. 10, Lote 37, Bandeirantes.
Curionópolis-Pará.

75.Leonilda Araujo Santos, empresária, av. Piauí, 95, Centro Curionópolis ¿ Pará

76.Márcio Antônio Cardoso Rocha, professor, rua Itaúba, 94, Centro, Curionópolis-Pará.

77.Marcos Jonatas Alencar Do Nascimento, av. Rio de Janeiro, 155, Centro Curionópolis ¿ Pará.

78.Maria Ancelma Ferreira Santos, professora, rua Ipê, 280-A, Centro, Curionópolis-Pará.

79.Marcelo Duarte dos Santos, professor, rua 08 de Agosto, 18, bairro Planalto, Curionópolis-Pará.

80.Maria Aparecida da Mata Silva, aux. De enfermagem, av. Mato Grosso, 17, Centro, Curionópolis-
Pará.
213
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

81.Madevab Alves Azevedo, empresário, Casa Agropecuária, Av. Pará s/n, Centro Curionópolis ¿
Pará

82.Marinalva Fernandes Nunes, empresária, rua Tucupi, 35, Centro Curionópolis ¿ Pará

83.Maria da Paz Assunção Gomes, secretária, av. São Paulo, 225, Centro, Curionópolis-Pará.

84.Maria Dalva da Silva, professora, rua Mogno, 142, Centro, Curionópolis-Pará.

85.Maria dos Santos Costa, professora, rua Amapá, 24, Planalto, Curionópolis-Pará.

86.Maria Gorete Soares, professora, rua Açaí, 95, Centro, Curionópolis-Pará.

87.Maria Lucilene, vendedora, Avenida Carlos Santos, 116, Centro, Curionópolis-Pará.

88.Maria Nilza do Carmo Valente, Escola Betel, rua Nova, entre as avenidas Guanabara e Rio de
Janeiro, Centro, Curionópolis-Pará.

89.Marcos Estevam Lima Junior, empresário, rua Tucupi, 22, Centro Curionópolis ¿ Pará

90.Mateus Teixeira de Souza, economista, lotado na Prefeitura Municipal de Curionópolis-Pará.

91.Marinalva Pereira da Silva, professora, av. Goiás, 04, bairro da Paz, Curionópolis-Pará.

92.Maiany Belo Rezende Gomes, empresária, av. Rio De Janeiro, 182, Centro Curionópolis ¿ Pará.

93.Moiseis Emerson Pereira da Silva, professor, lotado na Escola Juscelino Kubitschek,


Curionópolis-Pará.

94.Neuracy Gomes dos Santos, escriturária, rua Palmeira, 08, Centro, Curionópolis-Pará.

95.Patrícia Alencar Pinto, Auxiliar Administrativo, rua Babaçu, 17, bairro da Paz, Curionópolis-Pará

96.Rafhael Heleno Andrade Monteiro, professor, lotado na Escola Juscelino Kubitschek,


Curionópolis-Pará.
214
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

97.Rayara Leandro Sousa, professora, av. Piauí, 73, Centro, Curionópolis-Pará.

98.Rejaneo Pacheco de Carvalho, assessor parlamentar, av. Santa Catarina, 169, Centro,
Curionópolis-Pará.

99.Renê Boa Ventura, empresário, avenida Pará, 122, Centro, Curionópolis-Pará.

100.Robson Jairo Dos Santos Secundino, empresário, rua Ibiriba, 120, Centro Curionópolis ¿ Pará

101.Rosineide Oliveira Alves Lemes, rua Cedro, 53, monitora, Centro, Curionópolis-Pará

102.Roniel Soares Costa, professor, lotado na Escola Adventista Maranata, Curionópolis-Pará.

103.Rui Pereira da Silva, empresário, avenida Pará, 398, Centro, Curionópolis-Pará.

104.Rafael Silva Carvalho, professor de informática, avenida São Paulo, 187, Centro, Curionópolis-
Pará.

105.Salmon Ariel Alves Monteiro, agente administrativo, Escola M. José Rodrigues, Avenida São
Paulo, 151, Centro, Curionópolis-Pará.

106.Tânia Regina Zuqueto Pinto Herculano, Professora, av. Alagoas, 82, Centro, Curionópolis-Pará.

107.Tânia Ribeiro da Silva, Professora, com endereço rua Açaí, 109, Centro, Curionópolis-Pará.

108.Thais Inácio de Lima, Técnico Administrativo, rua Tucupi, 151 B, Centro, Curionópolis-Pará.

109.Thalita Ferreira Lisboa, professora, lotada na Escola José Rodrigues, Curionópolis-Pará.

110.Valéria Araújo Quadros, professora, à av. Minas Gerais, 129, Centro, Curionópolis-Pará

111.Valdenora De Jesus Da Silva, empresária, rua Mogno, 78, Centro Curionópolis - Pará

112.Valdeir De Jesus Da Silva, empresário, avenida Alagoas, 134, Centro Curionópolis ¿ Pará
215
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

113.Valderez Ribeiro, empresária, avenida Maranhão,183, Centro, Curionópolis-Pará.

114.Vilson Cleber Fusco da Silva, agente de portaria, Escola Santos Dumont, Curionópolis-Pará.

115.Vitor Nunes dos Reis, professor, Escola Municipal São Sebastião, Curionópolis-Pará.

116.Waldenira Ferreira dos Santos, agente de saúde, rua 21 de Abril, 20, Centro, Curionópolis-
Pará.

117.Watillas Costa Lemes, empresário, av. Bahia, 68, Centro Curionópolis ¿ Pará

118.Wanderson Alves De Oliveira, empresário, rua Tucupi,35, Centro Curionópolis ¿ Pará

119.Wendy de Sousa Azevedo, Aux. De Secretaria, Escola J.K., rua Jacarandá, Curionópolis-Pará.

120.Wesley Francisco Rosa, empresário, avenida Pará, 144, Centro, Curionópolis-Pará.

121.Wellington Ferreira Borges, professor, Escola São Sebastião, Curionópolis-Pará.

E para que chegue ao conhecimento de todos os interessados e, no futuro ninguém possa alegar
ignorância, expede-se o presente edital, que será afixado no local de costume e publicado na forma da lei.
Dado e passado nesta cidade e Comarca de Curionópolis, aos 13 de setembro de 2022.

Isaias Pereira de Andrade

Atendente Judiciário

Matrícula 3275-1
216
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

COMARCA DE AFUÁ

SECRETARIA DA VARA ÚNICA DE AFUÁ

RESENHA: 31/05/2021 A 31/05/2021 - SECRETARIA DA VARA UNICA DE AFUA - VARA: VARA UNICA
DE AFUA PROCESSO: 00071284020198140002 PROCESSO ANTIGO: ----
MAGISTRADO(A)/RELATOR(A)/SERVENTU?RIO(A): ERICK COSTA FIGUEIRA A??o: Declaração de
Ausência em: 31/05/2021 AUTOR:MINISTERIO PUBLICO DE ESTADO DO PARA
REQUERENTE:JOANA VAZ DA SILVA REQUERIDO:RAIMUNDO BARBOSA DA SILVA. EDITAL Prazo
de 1 (um) ano Por ordem do Exmo. Dr. Erick Costa Figueira, Juiz de Direito Titular da Comarca de Afuá,
Estado do Pará, no uso de suas atribuições legais, etc. Pelo presente Edital, indo devidamente
assinado, extraÃ-do dos autos do Processo n.º 0007128-40.2019.8.14.0002 - DECLARAÃÃO DE
AUSÃNCIA, em que figura como requerido: RAIMUNDO BARBOSA DA SILVA que atualmente encontra-
se em lugar incerto e não sabido, vem, em atenção à Decisão Interlocutória de fl. 13, ANUNCIAR a
arrecadação dos bens do ausente supracitado e CHAMAR o mesmo a entrar na posse de seus bens,
nos termos do Art. 745 do CPC, referente aos autos do processo em epÃ-grafe, que tramita neste Fórum
da Comarca de Afuá, sito na Praça Albertino Baraúna, s/n, centro, Afuá (PA). Dado e passado nesta
cidade e Comarca de Afuá, Estado do Pará, República Federativa do Brasil, ao(s) vinte e oito (28)
dia(s) do mês de maio de dois mil e vinte e um (2021). Eu, Elimar de Lima Cardoso, Auxiliar Judiciário, o
digitei. Â Â Â Â Â Â Â Â Â Â Â Â Â Â Â Â Â Â Â Â Â ERICK COSTA FIGUEIRA Juiz de Direito Titular da
Comarca de Afuá CERTIDÃO DE PUBLICAÃÃO Certifico para os devidos fins, que, nesta data, publiquei
o presente edital, referente aos autos em epÃ-grafe, no mural do Fórum desta Comarca de Afuá(PA).
Afuá (PA), ____ /____ / 2021. Assinatura do servidor
217
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

COMARCA DE SENADOR JOSE PORFIRIO

SECRETARIA DA VARA ÚNICA DE SENADOR JOSE PORFIRIO

E D I T A L DE INTIMAÇÃO DE SENTENÇA - PRAZO DE 20 (VINTE) DIAS

O Excelentíssimo Senhor ÊNIO MAIA SARAIVA, Juiz de Direito Titular da Vara Única da Comarca de
Senador José Porfírio, faz saber à nacional MARIA MIRANILDES LIMA DE OLIVEIRA, com endereço
desconhecido, do que não tendo sido possível a intimação pessoal, pois encontrando-se em lugar incerto
e não sabido, expede-se o presente EDITAL com o prazo de 20 (vinte) dias a fim de tomar ciência da
sentença prolatada por este Juízo em 07/06/2021 nos autos da MEDIDA PROTETIVA DE URGÊNCIA nº
0000982-72.2020.8.14.0058, que, na íntegra, diz: ¿SENTENÇA MARIA MIRANILDES LIMA DE
OLIVEIRA, devidamente qualificada nos autos, alegando ser vítima de violência doméstica e familiar
contra a mulher, com incidência na Lei Maria da Penha, Lei nº 11.340/2006, ingressou com pedido de
medidas protetivas de urgência em face de MATEUS MALAQUIAS. Em decisão liminar foram deferidas as
medidas de proteção pretendidas pela requerente às fls. 09/10. O requerido foi regularmente intimado,
mas não apresentou contestação (fl. 13). Vieram-me os autos conclusos É o relatório. DECIDO. Em razão
da ausência de defesa tempestiva pelo requerido, embora devidamente citado, DECRETO A REVELIA, o
que faço nos termos do art. Do Entendo desnecessária a produção de provas em audiência, haja vista que
o objeto dos presentes autos é tão somente a apreciação da manutenção e/ou revogação da medida
protetiva de urgência. Tenho que a causa está suficientemente instruída para o seu julgamento, pelo que
passo a sua apreciação nos termos do artigo 355, I do Código de Processo Civil. A ocorrência traz a
descrição da violência sofrida pela vítima, a qual deu ensejo a decisão liminar concessiva das medidas
protetivas de urgência, perdurando-se até o presente momento. Consigno que a medida protetiva prevista
na lei nº 11.340/06 visa a garantia da ofendida que se encontra em situação de risco, resguardando, além
de sua incolumidade física e psíquica, o direito de uma vida sem violência e com harmonia, solidariedade,
respeito e dignidade, fundamentos esses que devem prevalecer dentro do âmbito familiar (parentes
próximos ou pessoas com quem convive ou já conviveu). Assim, considerando o caráter protetivo da
norma, prepondera em casos tais a palavra da vítima, que merece ser salvaguardada ante a alegada
situação de violência/ameaça. Demais, anoto que as lides domésticas e familiares, por serem relações
jurídicas continuativas, perduram no tempo e, por isso, são passíveis de modificações em sua situação de
fato e de direito. Em vista disso, a sentença que as resolve não transita materialmente em julgado, ou seja,
se porventura o requerido vier demonstrar posteriormente a imprescindibilidade de se aproximar e de
manter contato com a vítima, as medidas poderão ser revistas. Como também se faz possível que a
ofendida requeira a revogação das medidas concedidas. O novo CPC, claramente voltado à duração
razoável do processo e a efetividade da tutela jurisdicional, permite que a tutela satisfativa seja veiculada
de maneira antecedente, ou seja, em petição própria, antes da propositura da demanda principal (Artigo do
). Ocorre que, se a medida assim requerida (de modo antecedente) e deferida, não for confrontada pela
parte contraria pelo recurso cabível, qual seja o agravo de instrumento, ela se estabiliza, isto é, conservará
os seus efeitos práticos, independentemente da complementação da petição inicial e da defesa do réu. No
presente caso, conforme certificado nos autos, o requerido fora devidamente intimado da decisão
antecipatória de tutela e não interpôs recurso de agravo de instrumento, razão pela qual tenho como
estabilizado os efeitos da tutela de urgência e por via de consequência, procedo à extinção do processo.
DISPOSITIVO Diante do exposto, em observância às regras processuais acima dispostas, reconheço a
estabilização da tutela antecipada deferida no início do processo e mantenho as medidas protetivas já
fixadas, o que faço nos termos do art. , caput, do , e por via de consequência, JULGO EXTINTO o
processo sem resolução de mérito, de acordo com o art. , X do . Intime-se a requerente, advertindo-a que
eventual quebra das medidas protetivas, no transcurso do prazo supra determinado, deverá ser
comunicada a autoridade policial como descumprimento de medidas protetivas. Transcorrido referido
prazo deverá a requerente ingressar com novo pedido de medidas protetivas de urgência. Sem custas,
nos termos do art. 28 da Lei Maria da Penha. Ciente o MP. Façam-se as comunicações necessárias.
Certifique-se o trânsito em julgado, após, arquive-se promovendo-se as baixas no sistema. Publique-se.
Registre-se. Cumpra-se. Serve a presente decisão de ofício/mandado/carta precatória, aos fins a que se
destina, tudo nos termos dos Provimentos nº 003/2009 CJCI. Datado eletronicamente. Ênio Maia Saraiva
218
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Juiz de Direito.¿ Aos 25 (vinte e cinco) dias do mês de agosto do ano de 2022 (dois mil e vinte e dois). Eu,
Natália Franklin Silva e Carvalho, Analista Judiciária, subscrevi e assino em conformidade com o
Provimento 006/2009 da Corregedoria de Justiça das Comarcas do Interior.

E D I T A L DE INTIMAÇÃO DE SENTENÇA - PRAZO DE 20 (VINTE) DIAS

O Excelentíssimo Senhor ÊNIO MAIA SARAIVA, Juiz de Direito Titular da Vara Única da Comarca de
Senador José Porfírio, faz saber ao nacional MARCELO BARBOSA DA SILVA, com endereço
desconhecido, do que não tendo sido possível a intimação pessoal, pois encontrando-se em lugar incerto
e não sabido, expede-se o presente EDITAL com o prazo de 20 (vinte) dias a fim de tomar ciência da
sentença prolatada por este Juízo em 03/08/2022 nos autos da AÇÃO PENAL nº 0000359-
86.2012.8.14.0058, que, na íntegra, diz: ¿S E N T E N Ç A Tratam os autos de Ação Penal em tramitação
perante a Vara Única da Comarca de Senador José Porfírio, para apurar a suposta prática do crime
previsto no art. 34, parágrafo único, inciso II, da Lei 9.605/1998 ¿ Lei de Crimes Ambientais. Os Réus
foram presos em flagrante em 10/09/2012. A denúncia foi oferecida em 09/01/2014. A decisão que
recebeu a denúncia proferida em 14/01/2014. Após toda a tramitação do feito, vieram os autos conclusos.
Era o que cabia relatar. Passo à fundamentação. Compulsando-se os autos, verifica-se que é hipótese de
EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE dos acusados em decorrência da prescrição da pretensão punitiva virtual.
Explique-se com maior vagar. Doutrina majoritária entende ser o Direito Penal dividido basicamente em
duas vertentes, quais sejam: o Direito Penal Objetivo e o Subjetivo. O primeiro é traduzido nas normas
(latu sensu) que o Estado, enquanto regulador da vida em sociedade, elabora, a fim de que se previnam
ou reprimam a prática de infrações de natureza penal; o segundo é caracterizado pelo poder-dever que
tem aquela mesma entidade, possuidora exclusiva da jurisdição, de, em havendo a prática do delito,
exercer o seu jus puniendi (direito de punir) sobre o infrator. É a lição de ROGÉRIO GRECO1 ao afirmar
que: Direito Penal Subjetivo, a seu turno, é a possibilidade que tem o Estado de criar e fazer cumprir suas
normas, executando as decisões condenatórias proferidas pelo Poder Judiciário. É o próprio jus puniendi.
Se determinado agente praticar um fato típico, antijurídico e culpável, abre-se ao Estado o dever-poder de
iniciar a persecutio criminis in judicio, visando alcançar, quando for o caso e obedecido o devido processo
legal, um decreto condenatório. Ocorre que há circunstâncias expressamente previstas pela lei nas quais o
Estado pode, tanto quanto renunciar ao citado jus puniendi (graça, indulto ou anistia), perder dita
prerrogativa (morte do agente, retroatividade de lei que não mais considera o fato como criminoso,
prescrição, decadência, perempção etc.). São as intituladas causas extintivas da punibilidade previstas no
art. 107 do Código Penal Brasileiro (CP). Dentre as citadas causas extintivas da punibilidade,
especificamente no que tange às hipóteses legais de perda, pelo Estado, do jus puniendi, está o instituto
que de mais perto interessa ao presente caso: a prescrição penal. Denomina-se prescrição penal a perda
do jus puniendi pelo Estado em razão do decurso do tempo. Em outros termos, e usando da preciosa lição
daquele mesmo doutrinador: (...) poderíamos conceituar a prescrição como o instituto jurídico mediante o
qual o Estado, por não ter tido capacidade de fazer valer o seu direito de punir em determinado espaço de
tempo previsto pela lei, faz com que ocorra a extinção da punibilidade. O citado instituto (prescrição), por
sua vez, dentre outras, divide-se em duas espécies: prescrição da pretensão punitiva do Estado e
prescrição da pretensão executória do Estado, distinguindo-se a primeira da segunda porque aquela
ocorre antes do trânsito em julgado da decisão condenatória, ao que a segunda, somente ocorreria após.
A breve digressão fora necessária para demonstrar que no presente caso é possível a perfeita aplicação
do instituto da prescrição da pretensão punitiva do Estado, razão da necessidade de decretação da
extinção da punibilidade. E para que se demonstre tal assertiva, é mister que se esclareça aquilo que a
doutrina intitula de prescrição em perspectiva, virtual ou antecipada. Trata-se da possibilidade de se
reconhecer a ocorrência da prescrição e, portanto, concluir pela extinção da punibilidade do réu, tomando
por base a futura e provável pena a ser aplicada ao caso (pena in concreto). Em outros termos, quando da
aplicação do mencionado instituto, o magistrado, antes de aferir em quais dos incisos do art. 109 do
Código Penal (que enumera os prazos prescricionais da pretensão punitiva do estado) se enquadraria o
delito praticado, verificaria, de acordo com as peculiaridades do caso concreto, o quantum da pena que, na
ocasião da sentença condenatória, seria aplicada ao réu. Em suma, é a antecipação da PPP retroativa.
219
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Desta feita, fixada a futura pena aplicável, em sendo o caso, reconhece-se antecipadamente (ou em
perspectiva) a ocorrência da prescrição, decretando, antes mesmo da decisão final a ocorrência da
extinção da punibilidade do réu. Em que pesem as divergências doutrinária, jurisprudencial e sumulares
sobre o assunto, não há como fechar os olhos para desnecessidade de movimentação da máquina
judiciária em circunstância desse gênero. Neste sentido, segue observação de Rogério Greco3, cuja
clareza elucidativa merece transcrição, litteris: Qual seria a utilidade da ação penal, que movimentaria toda
a complexa e burocrática máquina judiciária, quando, de antemão, já se tem conhecimento de que ao final
da instrução processual, quando o julgador fosse aplicar a pena, a quantidade seria suficiente para que
fosse declarada a extinção da punibilidade com base na prescrição da pretensão punitiva estatal? Seria
fazer com que todos os envolvidos no processo penal trabalhassem em vão, pois que, desde o início da
ação penal, já se saberia que seria impossível a formação do título executivo penal. Como é sabido, a
prescrição virtual controlada pelo art. 109 do CPB, usando como referência a iminente pena em concreto,
tem no presente caso termo inicial de contagem no recebimento da denúncia (14/01/2014 ¿ id. 55204878
¿ pág. 9). Desta feita, há que se reconhecer a ocorrência do instituto da prescrição para o presente caso,
ainda que em perspectiva/virtual. Tomando por base a pena possivelmente aplicável ao caso (1 ano de
detenção), tendo em vista que os réus são primários e possuidores de bons antecedentes (Id. 55204883 ¿
pág. 15; e Id. 55204884 - pág. 01/02), é esperado que eles sejam sentenciados em pena em concreto cuja
o prazo prescricional já esteja neste momento atingido. Veja-se que o crime imputado aos réus tem pena
mínima de 1 (um) ano e máxima de 3 (três) anos de detenção e multa (art. 34, parágrafo único, da Lei
9.605/98). Embora os réus tenham sido citados por edital, o que suspende o prazo prescricional, nos
termos do art. 366 do CPP, somente o foram em 29/05/2019 (id. 55205070 ¿ pág. 15/16). Ou seja, quando
já alcançada a prescrição da pretensão punitiva, tendo como termo inicial a data de recebimento da
denúncia (14/01/2014), considerando, ainda, a pena mínima de 1 (um) ano de detenção para cada Réu,
que prescreve em 4 (quatro) anos, porém reduz-se à metade em razão do disposto no art. 115 do CP. Não
se pode olvidar ainda que o prazo prescricional in casu reduz-se da metade, pois os réus eram menores
de 21 (vinte um) anos de idade na data dos fatos (art. 115 do CPB), conforme id. 55204880 ¿ pág. 06/08.
Ora, se a pena possivelmente aplicável ao caso é de certa grandeza que, entre a data do recebimento da
denúncia (14/01/2014) e a data atual (28/03/2022), transcorrera por completo o prazo prescricional (art.
109, V, c/c art. 115, ambos do CP), a outra conclusão não se pode chegar senão a de que nesta data
extinguira-se a punibilidade dos autores do fato, ante a ocorrência da prescrição, conforme art. 107, IV, do
Código Penal. Ademais, o Código de Processo Penal, em seu artigo 61, autoriza o juiz a reconhecer uma
causa de extinção da punibilidade de ofício, razão pela qual esta é a medida mais acertada. Nesse ínterim,
ressalta-se a atenção aos artigos 115 e 119 do CPB. Portanto, não tendo o Estado exercido seu ius
puniendi em tempo hábil, o reconhecimento da extinção da punibilidade pela ocorrência da prescrição é
medida que se impõe, nos termos do art. 109, V, c/c art. 115 e art. 107, IV, todos do Código Penal.
Dispositivo Ante o exposto, DECLARO A OCORRÊNCIA DA PRESCRIÇÃO do suposto crime do art. 34,
parágrafo único, inciso II, da Lei nº 9.605/1998 e, a fortiori, EXTINGO A PUNIBILIDADE dos acusados
FELIPE BALIEIRO DA SILVA, ORISVAN ALBUQUERQUE SOARES e MARCELO BARBOSA DA SILVA,
com base nos artigos 109, inciso V, c/c art. 115 e 107, inciso IV, todos do Código Penal. Decreto a perda
da fiança, nos termos do art. 341, inciso I, do Código de Processo Penal. Condeno o Estado do Pará ao
pagamento de R$651,00 (seiscentos e cinquenta e um reais) a título de honorários advocatícios à Dra.
RUTILEIA EMILIANO DE FREITAS TOZETTI, OAB/PA 25.676-A, que patrocinou a defesa do réu
ORISVAN ALBUQUERQUER SOARES na condição de defensora dativa a partir da resposta à acusação,
em razão da inexistência de órgão da Defensoria Pública nesta Comarca. Publique-se. Registre-se.
Intimem-se os Réus da presente sentença. Intime-se o Ministério e a Defesa Dativa. Após o trânsito em
julgado desta sentença, dê-se baixa e arquivem-se imediatamente os presentes autos. Senador José
Porfírio (PA), datado e assinado eletronicamente. José Luís da Silva Tavares Juiz de Direito Substituto.¿
Aos 30 (trinta) dias do mês de agosto do ano de 2022 (dois mil e vinte e dois). Eu, Natália Franklin Silva e
Carvalho, Analista Judiciária, subscrevi e assino em conformidade com o Provimento 006/2009 da
Corregedoria de Justiça das Comarcas do Interior.

EDITAL DE CITAÇÃO
220
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

COM PRAZO DE 20 (VINTE) DIAS

O Excelentíssimo Senhor ÊNIO MAIA SARAIVA, Juiz de Direito Titular pela Comarca de Senador José
Porfírio-PA, Estado do Pará, República Federativa do Brasil, no uso das atribuições a mim conferidas por
Lei, etc... FAZ SABER, aos que este lerem ou dele tomarem conhecimento que por este Juízo e
expediente da Secretaria da Vara Única desta Comarca, tramita os autos da Ação de Alimentos. Lei nº
5.478/68 (69) sob o n° 0800002-24.2022.8.14.0058, na qual, Requerente: Emanuel Correa dos Santos,
representante legal Andrielle Mendes Correa, Residente na Estrada do Machacá, Zona Rural de Senador
José Porfírio, Elton Pereira dos Santos (REQUERIDO, com paradeiro incerto e não sabido, do que, como
não há como ser encontrada para ser citado pessoalmente, expede-se o presente EDITAL com prazo de
20 (vinte) dias, pelo qual CITA-SE o Requerido ELTON PEREIRA DOS SANTOS, plenamente capaz, do
inteiro teor da Peça Inicial oferecida pelo MINISTERIO PUBRICO DO ESTADO DO PARÁ que. ciente de
que que chegue ao conhecimento de todos os interessados e não possam no futuro alegar ignorância,
expediu-se este Edital que será publicado na forma da Lei. Dado e passado nesta cidade de Senador José
Porfírio, Estado do Pará, aos vinte e quatro dias do mês de agosto de dois mil e vinte e dois. Eu, ______
(Mario Lima de Oliveira) Auxiliar de Secretária, digitei, subscrevi.

EDITAL DE CITAÇÃO

Processo: 0800003-09.2022.8.14.8.14.0058

COM PRAZO DE 30 (TRINTA) DIAS

O Excelentíssimo Senhor ÊNIO MAIA SARAIVA, Juiz de Direito Titular pela Comarca de Senador José
Porfírio-PA, Estado do Pará, República Federativa do Brasil, no uso das atribuições a mim conferidas por
Lei, etc... FAZ SABER, aos que este lerem ou dele tomarem conhecimento que por este Juízo e
expediente da Secretaria da Vara Única desta Comarca, tramita os autos da Ação de Alimentos. Lei nº
5.478/68 (69) sob o n° 0800003-09.2022.8.14.0058, na qual, Requerente: Rayssa Lima de Andrade,
Milena Lima de Andrade e Rainara Lima de Andade, representante legal Marinete Macedo de Lima,
Residente na Rua Cloves Mendes, nº 865, Bairro Novo, na cidade de Senador José Porfírio-PA,
Requerido: Ronaldo Santos de Andrade, com paradeiro incerto e não sabido, do que, como não há como
ser encontrada para ser citado pessoalmente, expede-se o presente EDITAL com prazo de 30 (trinta) dias,
pelo qual CITA-SE o Requerido RONALDO SANTOS DE ANDRADE, plenamente capaz, do inteiro teor da
Peça Inicial oferecida pelo MINISTERIO PUBRICO DO ESTADO DO PARÁ que na integra diz O
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ, por meio de sua
apresentante que esta subscreve, vem, na qualidade de substituto processual de RAYSSA LIMA DE
ANDRADRE, MILENA LIMA DE ANDRADE E RAINARA LIMA DE ANDRADE, representados por
MARINETE MACEDO DE LIMA, portadora da cédula de identidade RG nº 7696296, inscrita no CPF nº
040.995.772-01, residente na Rua Clovis Mendes, nº 865, Bairro Novo, tel. 93-99147-8417 Zona Rural de
Senador Jose Porfírio/PA, propor, com fulcro na Lei n.º 5.478/1968, artigo 229 da Constituição Federal, e
em diversos artigos dos Códigos Civil e de Processo Civil,
AÇÃO DE ALIMENTOS C/C REGULARIZAÇÃO DE GUARDA E VISITAS
em face de RONALDO SANTOS DE ANDRADE, filho de Rosilda Santos de Andrade, tel. 93-99186-
3904, residente no Travessa5o do arrependido, casa do vereador Gilmar, na cidade de Placas-PA, pelas
razo5es de fato e de direito a seguir expostas.
RAZÕES FÁTICAS
MARINETE MACEDO DE LIMA compareceu a; Promotoria de Justiça e
informou que teve um relacionamento com RONALDO SANTOS DE ANDRADE, nascendo dessa unia5o
RAYSSA LIMA DE ANDRADRE, MILENA LIMA DE ANDRADE E RAINARA LIMA DE ANDRADE,
(certido5es de nascimentos anexos).
A reclamante informa que o genitor na5o ajuda regularmente na
subsistência dos menores, mesmo sendo procurado para a prestaça5o do referido auxílio.
221
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Assevera que RONALDO SANTOS DE ANDRADE e autônomo, auferindo


renda que lhe torna apto a pagar valores a título de pensa5o alimentícia. Acrescenta que na5o tem

PROMOTORIA DE JUSTIÇA DE SENADOR JOSÉ PORFÍRIO


condiço5es financeiras de arcar com as custas processuais e um advogado.
DIREITO
Por força do disposto no artigo 229, da Constituiça5o Federal, artigo 22,
da Lei Federal nº 8.069/90 e artigo 1.694, do Código Civil, o(a) demandado(a) tem o dever de auxiliar
na criaça5o, educaça5o, e sustento do(a) criança/adolescente interessado(a).
Conforme estabelece o Código Civil vigente:
Art. 1.694. Podem os parentes, os cônjuges ou companheiros pedir uns
aos outros os alimentos de que necessitem para viver de modo
compatível com a sua condiça5o social, inclusive para atender as
necessidades de sua educaça5o.
Considerando que o dispositivo mencionado estabelece que podem os
parentes pedir alimentos uns aos outros, verifica-se, portanto, que a obrigaça5o de prestar alimentos
decorre das relações de parentesco. Em linha reta, sa5o parentes as pessoas que esta5o umas para com
as outras na relaça5o de ascendentes e descendentes (Art. 1.591, CC). Em linha colateral ou transversal,
sa5o parentes, ate o quarto grau, as pessoas provenientes de um so tronco, sem descenderem uma da
outra (Art. 1.592 do CC). O direito a; prestaça5o de alimentos e recíproco entre pais e filhos, e extensivo a
todos os ascendentes, recaindo a obrigaça5o nos mais próximos em grau, uns em falta de outros.
Sao devidos os alimentos quando quem os pretende na5o tem bens
suficientes, nem pode prover, pelo seu trabalho, a; própria mantença, e aquele, de quem se reclama,
pode fornece-los, sem desfalque do necessário ao seu sustento (Art. 1.695 do CC).
Na falta dos ascendentes cabe a obrigaça5o aos descendentes, guardada a
ordem de sucessa5o e, faltando estes, aos irma5os, assim germanos como unilaterais (Art. 1.697, CC).
Ademais, a obrigaça5o de prestar alimentos transmite-se aos herdeiros do devedor (Art. 1.700, CC).
Alem disto, constitui crime de abandono material deixar, sem justa
causa, de prover a subsistência de filho/filha menor de 18 (dezoito) anos, na5o lhes proporcionando os
recursos necessários (art. 244 do Codigo Penal).
A parte demandada, portanto, vem descumprindo o disposto no artigo

PROMOTORIA DE JUSTIÇA DE SENADOR JOSÉ PORFÍRIO


22 da Lei Federal nº. 8.069/90 e 1.694, do Código Civil ao(a;) criança/adolescente interessado(a).
No que concerne a guarda e regulamentaça5o de visitas, ressalta-se que requerente ja exerce a guarda
de fato, e assim pretende permanecer, tendo em vista que apos a separaça5o ficou com seus filhos em
tempo integral.
No entanto, e direito fundamental da criança e do adolescente ter
consigo a presença dos pais, e na5o se nega que e direito do requerido, que na5o convive com o filho, de
lhe prestar visita nos termos do art. 19 da Lei 8.069/90 (Estatuto da Criança e do Adolescente).
O artigo 1.583, § 5º, do Código Civil diz que aquele que na detenha a
guarda tem a obrigaça5o de supervisionar os interesses do filho.
Maria Berenice Dias (Manual de Direito das Famílias, 2011, p. 447)
esclarece que:
A visitaça5o na5o e somente um direito assegurado ao pai ou a; ma5e, e
direito do próprio filho de com eles conviver, o que reforça os vínculos
paterno e materno-filial. Consagrado o princípio proteça5o integral,
em vez de regulamentar as visitas, e necessário estabelecer formas de
convivência, pois na5o ha proteça5o possível com a exclusa5o do outro
genitor.
Em consonância com o acatado e no melhor interesse dos filhos, a
requerente requer seja regulamentada a visita do requerido em momento oportuno durante a
instruça5o do presente feito.
DOS PEDIDOS
Ante o exposto, o Ministério Público do Estado do Para, por intermédio
do membro que subscreve esta peça vestibular, requer:
a) a fixaça5o de alimentos provisórios em favor do(as) crianças/adolescentes, em valor correspondente
222
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

a 30% (trinta por cento) do salário-mínimo ou 20% (vinte por cento) do salário líquido do requerido,
devendo ocorrer o que for mais vantajoso para os(as) menores, a ser depositado em conta judicial
aberta para esta finalidade;

PROMOTORIA DE JUSTIÇA DE SENADOR JOSÉ PORFÍRIO


b) a citaça5o da parte demandada nos endereços constante da qualificaça5o, para, querendo, responder a
presente aça5o, sob pena de revelia;
c) seja julgado procedente o pedido, condenando-se a parte demandada ao pagamento mensal de 30%
(trinta por cento) do salário-mínimo ou 20% (vinte por cento) do salário líquido do requerido,
devendo ocorrer o que for mais vantajoso para o(as) menores, a ser depositado em conta judicial
aberta para esta finalidade;
d) seja deferida a guarda definitiva dos menores supramencionados, em favor da ma5e, ora requerente,
uma vez que já a exerce de fato e desde o seu nascimento.
e) a condenaça5o dos demandados no ônus de sucumbência, revertendo-se os mesmos para o Fundo
Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (analogia ao disposto nos art. 154 e 214, da Lei nº
8.069/1990);
f) a tramitaça5o prioritária do presente feito, ex vi do disposto no artigo 4º, caput e parágrafo único,
alínea ¿b¿ c/c 152, paragrafo único, da Lei Federal nº. 8.069/1990, como decorrência do mencionado
princípio constitucional da prioridade absoluta à criança e ao adolescente, insculpido no artigo 227,
caput, de nossa Constituiça5o Federal.
A prova do alegado encontra sustentaça5o nos elementos ja existentes
nos autos e será corroborada pela oitiva de testemunhas que sera5o arroladas em momento oportuno.
Dá-se a; causa o valor de R$ 3.960,00 (tres mil e novecentos e sessenta
reais), conforme artigo 292, III, do Código de Processo Civil, apenas para efeitos fiscais.
Senador Jose Porfírio, 17 de dezembro de 2021.
OLÍVIA ROBERTA NOGUEIRA DE OLIVEIRA
Promotora Titular

. ciente de que que chegue ao conhecimento de todos os interessados e não possam no futuro alegar
ignorância, expediu-se este Edital que será publicado na forma da Lei. Dado e passado nesta cidade de
Senador José Porfírio, Estado do Pará, aos trinta e um dias do mês de agosto de dois mil e vinte e dois.
Eu, ______ (Mario Lima de Oliveira) Auxiliar de Secretaria, digitei, subscrevi e o Diretor(a) de Secretaria
assina.

EDITAL DE CITAÇÃO

Com prazo de 15 dias

Processo: 0800121-19.2021.8.14.0058

O EXCELENTÍSSIMO SENHOR ÊNIO MAIA SARAIVA, JUIZ DE DIREITO TITULAR DA VARA ÚNICA
DA COMARCA DE SENADOR JOSÉ PORFÍRIO, ESTADO DO PARÁ, REPÚBLICA FEDERATIVA DO
BRASIL, ETC... FAZ SABER aos que este lerem ou dele tomarem conhecimento, que PEDRO PAULO
CAETANO RIBEIRO, brasileiro, filho de Maria de Fátima Caetano Ribeiro, com endereço declarado nos
autos como sendo TRAVESSA EDISON, 593, BELA VISTA, SENADOR JOSé PORFíRIO - PA - CEP:
68360-000, pelo cometimento do crime tipificado no artigo 129, §9°, do Código Penal. E como não foi
encontrado (a) para ser citado (a) pessoalmente, expede-se o presente EDITAL, com o prazo de 15
(quinze) dias (art. 361 e 365 todos do CPP), para responder à acusação, por escrito, no prazo de 05
(cinco) dias.. DECISÃO - MANDADO/OFÍCIO/COMUNICAÇÃO (Provimento nº 003/2009 da CJMB-
TJE/PA, com redação dada pelo Provimento n. º 011/2009) A Autoridade Policial comunicou a este Juízo
que, no dia 11/08/2022, a vítima LUZIA DA SILVA, compareceu à Delegacia de Polícia de Senador José
223
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

Porfírio-Pa para comunicar que PEDRO PAULO CAETANO RIBEIRO, seu ex-companheiro, teria praticado
contra ela o crime de violência doméstica previsto no art. 7º, II e IV da Lei 11.340/2006, em razão do que a
vítima requer a concessão de Medidas Protetivas de Urgência. Em sua oitiva prestada perante a
Autoridade Policial, a requerente relatou que na data do dia 09/08/2022, durante uma conversando
mantida com o requerido na residência em que coabitavam, informou para ele que desejava romper o seu
relacionamento amoroso, quando este manifestou o seu inconformismo que este fato, puxando a filha do
casal de seus braços, dizendo-lhe ¿quando eu tirar o meu CPF, vou tirar tua filha de ti¿ (textuais). Ato
contínuo, o agressor ainda teria se apossado do aparelho celular da requerente, saindo de casa, levando-o
consigo, causando-lhe prejuízo patrimonial. Ao final, a requerente acrescentou que o rompimento da união
estável ocorreu em razão do agressor estar desempregado e não ajudar nas despesas da casa, tornando
o convívio entre ambos insustentável. Diante disso, requer Medidas Protetivas de Urgência para
resguardar a sua integridade física e psicológica. O pedido veio instruído com o boletim de ocorrência
policial, termo de declaração da ofendida e depoimento de testemunhas, assim como pelo termo de
requerimento de medidas protetivas. Suficientemente relatado, passo a decidir. Decido. Satisfeitos os
requisitos do art. 12, §1º, da Lei nº 11.340/2006, passo à apreciação do pedido de medidas protetivas de
urgência formulado pela Autoridade Policial em favor da vítima. As medidas protetivas, elencadas como de
urgência pelo legislador, devem obediência aos pressupostos processuais para concessão das cautelares
em geral, quais sejam, o periculum in mora (perigo da demora) e fumus boni júris (aparência do bom
direito). A mais abalizada doutrina entende que o fundamento das medidas em questão é assegurar à
mulher em situação de risco o direito a uma vida sem violência, sendo certo que a adoção da providência
cautelar ou satisfativa, pelo juiz está vinculada à vontade da vítima. (DIAS, Maria Berenice, A Lei Maria da
Penha na Justiça: a efetividade da Lei11.340/2006 de combate à violência doméstica e familiar contra a
mulher, 2ª ed, São Paulo: Revista dos Tribunais, 2010, p. 106). A Lei nº 11.340/2006 estabelece um rol de
medidas protetivas de urgência destinadas a salvaguardar a mulher vítima de violência de gênero no
âmbito da unidade doméstica e familiar e em qualquer relação íntima de afeto. O elenco de medidas
possui caráter exemplificativo e está previsto nos artigos 22 a 24 e em outras disposições esparsas da lei
em comento. Analisando os autos, entendo que a hipótese em análise é merecedora da intervenção
estatal, considerando que resta demonstrada, pelo menos em sede de cognição sumária, própria à
espécie, a prática de violência doméstica e familiar contra a mulher, como evidenciado no procedimento
encaminhado pela autoridade policial. DEFIRO as seguintes medidas protetivas requeridas pela vítima,
devendo as mesmas serem aplicadas de imediato, nos termos do art. 22, inciso III, alíneas ¿a¿, ¿b¿ e ¿c¿
da Lei n. 11.340/2006: I - CONTRA O AGRESSOR: a) Afastamento do lar, domicílio ou local de
convivência com a ofendida, caso se constate que ainda coabitam; b) Proibição de aproximação da
ofendida, de seus familiares e das testemunhas, fixando o limite mínimo de 100 (cem) metros de distância
entre estes e o agressor; c) Proibição de contato com a ofendida, seus familiares e testemunhas por
qualquer meio de comunicação, isto é, carta, telegrama, telefone, e-mail, mensagens de texto (sms); Por
outro lado, deixo de acolher os pedidos de alimentos provisórios e suspensão do direito de visitas, pois a
requerente não reuniu aos autos nenhum elemento que pudesse comprovar, em sede de cognição
sumária, o vínculo de parentalidade entre o menor e o requerido. Destaca-se que esta decisão não impede
que a requerente possa ingressar com a competente ação de alimentos ou guarda em prol de seu filho
menor, por meio de advogado ou da Defensoria Pública, caso queira, devendo instrui-las com os
documentos que entender pertinentes para subsidiar a apreciação de seus pedidos. O agressor deverá se
abster de perseguir, intimidar, ameaçar a ofendida ou fazer uso de qualquer método que prejudique ou
ponha em risco sua vida, sua integridade física e psíquica, bem como sua propriedade. Em caso de
descumprimento das medidas protetivas de urgência ao norte detalhadas por parte do representado,
poderá ser DECRETADA a sua PRISÃO PREVENTIVA, nos termos do artigo 313, IV, do CPP,
requisitando-se desde já o auxílio da força policial. Intimem-se, através de Oficial de Justiça, o agressor e
a vítima das determinações, nos termos do art. 21, da Lei n.º 11.340/2006. Comunique-se, na forma do art.
18, III, Lei n. 11.340/2006, ao Ministério Público a presente decisão para que adote as providências
cabíveis, com urgência. Cite-se pessoalmente o agressor, que poderá contestar o pedido, caso queira, no
prazo de 05 (cinco) dias. Oficie-se a autoridade policial, encaminhando-lhe cópia da decisão. Efetue-se as
anotações pertinentes ao direito de preferência constante do art. 33, parágrafo único da Lei nº
11.340/2006. SERVE A PRESENTE COMO MANDADO, na forma do provimento n.º 003/2009 da CJMB-
TJE/PA. Cumpra-se com urgência, observadas as formalidades e cautelas legais. Cumpra-se, com
urgência. Senador José Porfírio (PA), data e hora registradas pelo sistema. Ênio Maia Saraiva Juiz de
Direito. Assim, para que chegue ao conhecimento do interessado e ninguém possa alegar ignorância,
mandou expedir o presente Edital, na forma da Lei. Passado nesta comarca de Senador José Porfírio,
datado eletronicamente. Eu, Natália Franklin Silva e Carvalho, Analista Judiciária, subscrevi e assino em
224
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

conformidade com o artigo 1º, § 1º, inciso IX, do Provimento 006/2006-CJRMB, com aplicação autorizada
pelo Provimento nº 006/2009-CJCI.

E D I T A L DE INTIMAÇÃO DE SENTENÇA - PRAZO DE 20 (VINTE) DIAS

O Excelentíssimo Senhor ÊNIO MAIA SARAIVA, Juiz de Direito Titular da Vara Única da Comarca de
Senador José Porfírio, faz saber à nacional CHARLIANE BATISTA SOUZA, com endereço
desconhecido, do que não tendo sido possível a intimação pessoal, pois encontrando-se em lugar incerto
e não sabido, expede-se o presente EDITAL com o prazo de 20 (vinte) dias a fim de tomar ciência da
sentença prolatada por este Juízo em 03/08/2022 nos autos da MEDIDA PROTETIVA DE URGÊNCIA nº
0000581-73.2020.8.14.0058, que, na íntegra, diz: ¿SENTENÇA Trata-se de Medidas Protetivas de
Urgência (Lei Maria da Penha), pleiteadas por CHARLIANE BATISTA SOUZA em face de DERISVALDO
BRITO DOS SANTOS. Diante das declarações prestadas pela vítima no Boletim de Ocorrência Policial,
foram deferidas liminarmente as medidas protetivas pleiteadas em decisão proferida no dia 19 de junho de
2020 (id 47925647 - Págs. 03/07). Contudo, verificou-se por ocasião da tentativa de intimação das partes
acerca da citada decisão que ambas se encontravam em local incerto e não sabido, tento a diligência
intimatória restado inexitosa, conforme certidão acostada no id nº 47925649 - Págs. 3/4. Na cota de id nº
65780713 - Págs. 1/2, o Ministério Público manifestou-se pela extinção do feito com a consequente
revogação das medidas protetivas, em razão do decurso do tempo. Vieram os autos conclusos. É o
relatório. Decido Inicialmente, cumpre destacar que as medidas protetivas previstas no artigo 22, da Lei nº.
11.340 /2006, têm natureza excepcional/cautelar e possuem características de urgência e preventividade.
No caso em análise, em que pese a ausência de informações acerca do atual paradeiro da ofendida, não
existe comprovação dos requisitos legais de situação atual de risco e violência, para possibilitar a
manutenção das medidas protetivas de urgência, mormente porque desde o seu deferimento, ocorrido em
19/06/2020, ou seja, há mais de 2 (dois) anos, não houve registro de reiteração de qualquer conduta que
coloque em risco a integridade física e psicológica da ofendida, fato estes que juntos, levam à inarredável
conclusão de que seus efeitos já não se justificam em concreto. A vítima e o autuado sequer foram
localizados para intimação/citação. Isso porque, as medidas protetivas visam atender, em caráter
emergencial, situações temporárias e relevantes que buscam a proteção da vítima, razão pela qual, devem
perdurar apenas enquanto persistir a situação de violência, não podendo ser estendidas por tempo
indeterminado, sob pena de perder o caráter emergencial e preventivo. Ante o exposto, JULGO EXTINTO
o processo sem resolução de mérito, ante a perda do objeto, com fulcro no art. 485, VI, do Código de
Processo Civil. Diante disso, REVOGO as medidas protetivas outrora deferidas liminarmente em favor da
ofendida em decisão de id nº 47925647 - Págs. 03/07, em virtude da ausência de comprovação de
situação atual de necessidade, risco e violência. Advirta-se a vítima que a revogação das medidas não
implica na impossibilidade de a qualquer tempo, em caso de necessidade, ingressar com novo pedido,
diante de nova situação de risco e violência. Intimem-se as partes, por edital, com prazo de 20 (vinte)
dias. Ciência ao Ministério Público. Após o trânsito em julgado, certifique-se e arquivem-se os autos,
dando baixa no sistema eletrônico (PJE). Cumpra-se. Senador José Porfírio (PA), data e hora registradas
pelo sistema. Ênio Maia Saraiva Juiz de Direito.¿ Aos 19 (dezenove) dias do mês de agosto do ano de
2022 (dois mil e vinte e dois). Eu, Natália Franklin Silva e Carvalho, Analista Judiciária, subscrevi e assino
em conformidade com o Provimento 006/2009 da Corregedoria de Justiça das Comarcas do Interior.

E D I T A L DE INTIMAÇÃO DE SENTENÇA - PRAZO DE 20 (VINTE) DIAS

O Excelentíssimo Senhor ÊNIO MAIA SARAIVA, Juiz de Direito Titular da Vara Única da Comarca de
Senador José Porfírio, faz saber à nacional DERISVALDO BRITO DOS SANTOS, com endereço
225
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

desconhecido, do que não tendo sido possível a intimação pessoal, pois encontrando-se em lugar incerto
e não sabido, expede-se o presente EDITAL com o prazo de 20 (vinte) dias a fim de tomar ciência da
sentença prolatada por este Juízo em 03/08/2022 nos autos da MEDIDA PROTETIVA DE URGÊNCIA nº
0000581-73.2020.8.14.0058, que, na íntegra, diz: ¿SENTENÇA Trata-se de Medidas Protetivas de
Urgência (Lei Maria da Penha), pleiteadas por CHARLIANE BATISTA SOUZA em face de DERISVALDO
BRITO DOS SANTOS. Diante das declarações prestadas pela vítima no Boletim de Ocorrência Policial,
foram deferidas liminarmente as medidas protetivas pleiteadas em decisão proferida no dia 19 de junho de
2020 (id 47925647 - Págs. 03/07). Contudo, verificou-se por ocasião da tentativa de intimação das partes
acerca da citada decisão que ambas se encontravam em local incerto e não sabido, tento a diligência
intimatória restado inexitosa, conforme certidão acostada no id nº 47925649 - Págs. 3/4. Na cota de id nº
65780713 - Págs. 1/2, o Ministério Público manifestou-se pela extinção do feito com a consequente
revogação das medidas protetivas, em razão do decurso do tempo. Vieram os autos conclusos. É o
relatório. Decido Inicialmente, cumpre destacar que as medidas protetivas previstas no artigo 22, da Lei nº.
11.340 /2006, têm natureza excepcional/cautelar e possuem características de urgência e preventividade.
No caso em análise, em que pese a ausência de informações acerca do atual paradeiro da ofendida, não
existe comprovação dos requisitos legais de situação atual de risco e violência, para possibilitar a
manutenção das medidas protetivas de urgência, mormente porque desde o seu deferimento, ocorrido em
19/06/2020, ou seja, há mais de 2 (dois) anos, não houve registro de reiteração de qualquer conduta que
coloque em risco a integridade física e psicológica da ofendida, fato estes que juntos, levam à inarredável
conclusão de que seus efeitos já não se justificam em concreto. A vítima e o autuado sequer foram
localizados para intimação/citação. Isso porque, as medidas protetivas visam atender, em caráter
emergencial, situações temporárias e relevantes que buscam a proteção da vítima, razão pela qual, devem
perdurar apenas enquanto persistir a situação de violência, não podendo ser estendidas por tempo
indeterminado, sob pena de perder o caráter emergencial e preventivo. Ante o exposto, JULGO EXTINTO
o processo sem resolução de mérito, ante a perda do objeto, com fulcro no art. 485, VI, do Código de
Processo Civil. Diante disso, REVOGO as medidas protetivas outrora deferidas liminarmente em favor da
ofendida em decisão de id nº 47925647 - Págs. 03/07, em virtude da ausência de comprovação de
situação atual de necessidade, risco e violência. Advirta-se a vítima que a revogação das medidas não
implica na impossibilidade de a qualquer tempo, em caso de necessidade, ingressar com novo pedido,
diante de nova situação de risco e violência. Intimem-se as partes, por edital, com prazo de 20 (vinte)
dias. Ciência ao Ministério Público. Após o trânsito em julgado, certifique-se e arquivem-se os autos,
dando baixa no sistema eletrônico (PJE). Cumpra-se. Senador José Porfírio (PA), data e hora registradas
pelo sistema. Ênio Maia Saraiva Juiz de Direito.¿ Aos 19 (dezenove) dias do mês de agosto do ano de
2022 (dois mil e vinte e dois). Eu, Natália Franklin Silva e Carvalho, Analista Judiciária, subscrevi e assino
em conformidade com o Provimento 006/2009 da Corregedoria de Justiça das Comarcas do Interior.

E D I T A L DE INTIMAÇÃO DE SENTENÇA - PRAZO DE 60 (SESSENTA) DIAS

O Excelentíssimo Senhor ÊNIO MAIA SARAIVA, Juiz de Direito Titular da Vara Única da Comarca de
Senador José Porfírio, faz saber à nacional RAIMUNDO FREITAS DA SILVA, com endereço
desconhecido, do que não tendo sido possível a intimação pessoal, pois encontrando-se em lugar incerto
e não sabido, expede-se o presente EDITAL com o prazo de 60 (sessenta) dias a fim de tomar ciência da
sentença absolutória prolatada por este Juízo em 10/11/2021 nos autos da Ação Penal nº0011998-
56.2018.14.0005, que, na íntegra, diz: ¿ PROCESSO N° 0011998-56.2018.14.0005 SENTENÇA Vistos e
etc. O Ministério Público do Estado do Pará ofereceu denúncia contra os acusados BENEDITO SALES
FREITAS, RAIMUNDO FREITAS DA SILVA e JOSÉ AILTON BEZERRA, imputando-lhes a conduta
delituosa descrita no art. 14, do Estatuto do Desarmamento (Lei nº 10.826/2003). Segundo narra a inicial,
no dia 06 de setembro de 2018, por volta das 07h, a polícia civil se dirigiu até a região da Ressaca, neste
município, a fim de apurar o crime de homicídio que teve como vítima o vereador Izoeldo Batista Guedes.
Os policiais estavam à procura de Raimundo Freitas da Silva e Jose Ailton Bezerra, que ao serem
localizados, confessaram o crime de homicídio e informaram a onde estava a arma de fogo utilizada no
crime. A arma de fogo fora comprada por Benedito Sales Freitas e Raimundo Freitas da Silva, pela quantia
226
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

de R$ 1.500,00 (mil e quinhentos reais). Após diligências, os policiais encontraram: 01 (uma) carabina,
calibre 16; 52 (cinquenta e duas) munições, calibre 16; 02 (duas) luvas cirúrgicas e 01 (uma) luva cor
laranja nas proximidades da propriedade de Benedito Freitas. Auto / Termo de Exibição e Apreensão de
Objeto à fl. 18. Recebimento da denúncia em 20 de setembro de 2018 (fls. 33/34). Resposta à Acusação
dos acusados Benedito Sales Freitas e Raimundo Freitas da Silva oferecida às fls. 73/76, bem como a do
acusado José Ailton Bezerra às fls. 78/81. Audiência de Instrução, na qual se colheu o depoimento das
testemunhas Fernando Marcolino, Mhoabe Khayan Azevedo Lima e Hilder Alves da Silva, além do
interrogatório do réu Benedito Sales Freitas (fls. 97/99). Memoriais Finais apresentadas pelo Ministério
Público às fls. 100/102, em que se sustentou a absolvição dos denunciados José Ailton Bezerra e
Raimundo Freitas da Silva, além da condenação de Benedito Sales Freitas pelo crime de previsto no art.
14, da Lei nº 10.826/2003. Às fls. 105/109, Memoriais Finais da defesa de José Ailton Bezerra e Raimundo
Freitas da Silva e Benedito Sales Freitas, requerendo a absolvição dos acusados, alegando-se a ausência
de provas, outrossim, em caso de condenação, requereu-se a atenuante da confissão quanto ao réu
Benedito Freitas, nos termos do art. 65, III, d do CPB. Brevemente relatado. Decido. A presente ação
penal trata de acusação contra 3 (três) demandados como incursos as penas do crime previsto no art. 14,
caput, da Lei nº 10.826/2003: Porte ilegal de arma de fogo de uso permitido: Art. 14. Portar, deter, adquirir,
fornecer, receber, ter em depósito, transportar, ceder, ainda que gratuitamente, emprestar, remeter,
empregar, manter sob guarda ou ocultar arma de fogo, acessório ou munição, de uso permitido, sem
autorização e em desacordo com determinação legal ou regulamentar: Pena ¿ reclusão, de 2 (dois) a 4
(quatro) anos, e multa. A autoria e materialidade de porte ilegal de arma de fogo não restam devidamente
comprovadas nos autos com relação aos réus José Ailton Bezerra e Raimundo Freitas da Silva. Por outro
lado, pende contra BENEDITO SALES a responsabilidade pelo delito. A materialidade do crime está
demonstrada pelo Auto / Termo de Exibição e Apreensão de Objeto à fl. 18, onde consta a apreensão da
arma de fogo, do tipo espingarda, munições e luvas, na ocorrência policial que resultou na prisão dos réus.
Já a autoria, esta se perfaz pelos testemunhos colhidos e pela confissão. De acordo com o depoimento da
testemunha policial Fernando Cesar Marcolino da Silva Júnior, conforme consta em termo de audiência
(fls. 97/99), declarou: que tomou conhecimento do homicídio do vereador; que foram até o local dos fatos
para investigar tal crime; que após diligências os policiais civis localizaram uma arma de fogo que fora
utilizada para praticar o homicídio; que a espingarda estava escondida debaixo de uma árvore
desmontada, próxima à propriedade de Benedito Sales.. De acordo com o depoimento da testemunha
Mohab Khayan Azevedo Lima (fls. 97/99), o mesmo declara: que após o homicídio, foi montada uma
equipe e foi até a região da Ressaca, neste município; que no local do crime, foram feitas diligências para
identificar os autores do crime; que a polícia foi informada que um dos suspeitos era Benedito Freitas; que
o acusado Raimundo revelou ter escondido a arma de fogo e levou a polícia até o local em que haviam
escondido; que a arma estava enterrada à aproximadamente a 03 km de distância da residência de
Benedito; que a arma de fogo era do tipo espingarda.. A testemunha Hilder Alves da Silva (fls. 97/99)
afirmou em instrução: que José Ailton foi quem informou a polícia onde a arma de fogo estava escondida;
que a arma de fogo estava na região dos fundos da casa do acusado Benedito. Em seu interrogatório (fls.
97/99), o réu Benedito Sales de Freitas afirma: que a arma de fogo do tipo espingarda era de sua
propriedade; que haviam munições, mas não sabe precisar a quantidade; que comprou a espingarda em
uma propriedade próxima de sua residência; que a arma estava escondida próxima aos fundos de sua
residência; que a arma estava escondida debaixo de um pé de árvore; que o filho do acusado foi quem
escondeu a arma; que os demais acusados moravam com Benedito; que não foram os acusados que
esconderam a arma. José Ailton e Raimundo não foram localizados para interrogatório. Sendo assim,
observo do conjunto probatório e de tudo mais que compõe os autos, que não resta comprovado que os
réus José Ailton Bezerra e Raimundo Freitas da Silva concorreram para a infração penal prevista no art.
14, caput, da Lei nº 10.826/2003. Quando ao acusado Benedito Sales de Freitas, está cristalino que
praticou o crime de porte ilegal de arma de fogo, previsto no art. 14, da Lei nº 10.826/2003. A autoria está
demonstrada em razão dos depoimentos policiais, que foram unânimes em afirmar que o réu BENEDITO
mantinha sob a sua guarda a arma de fogo que fora localizada nas imediações de sua propriedade.
Durante o seu interrogatório, o réu BENEDITO confessou que a arma de fogo apreendida era sua,
afirmando ainda que os demais acusados não esconderam a arma. Portanto, provada a autoria e
materialidade da infração penal e não existindo justificativas ou dirimentes em favor do réu BENEDITO
SALES FREITAS, há de lhe ser aplicada as reprimendas do crime do 14, da Lei nº 10.826/2003.
Adentrando nas teses defensivas, não encontro amparo para seu acolhimento, vez que o conjunto
probatório constante nos autos, especialmente a prova testemunhal e confissão colhidas em audiência,
são suficientes para a condenação do demandado. DA REINCIDÊNCIA O réu BENEDITO SALES
FREITAS tem contra si condenação criminal transitada em julgado, conforme processo nº 0003967-
227
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

82.2018.8.14.0058, atualmente em execução definitiva de pena. Os fatos tratados naquele feito são
contemporâneos a estes ora julgados, pelo que não se configura a reincidência prevista no art. 61, I do
CP, que essencialmente tem aplicação para crimes cometidos após a condenação originária. Por outro
lado, entendo que a presença de condenação transitada em julgado não apta a configurar reincidência
ganha forma de maus antecedentes, a ser quantificado na dosimetria. Diante do exposto, julgo
parcialmente procedente a pretensão punitiva estatal para condenar

BENEDITO SALES FREITAS, pelo crime do art. 14, da Lei nº 10.826/2003. Absolvo RAIMUNDO FREITAS
DA SILVA e JOSÉ AILTON BEZERRA pela prática dos fatos ora tratado, com fundamento no art. 386, IV
do CPP. I ¿ Da Dosimetria do réu BENEDITO SALES: Analisando as circunstâncias judiciais do art. 59 do
CPB, observo que a culpabilidade do réu é normal à espécie. O réu é portador de maus antecedentes,
conforme setença condenatória transitada em julgado na ação nº 0003967-82.2018.8.14.0058, pelo que
valoro negativamente a circunstância confirme explanado na fundamentação acima. Sua conduta social e
personalidade não foram aferidas nos autos. O motivo é aquele previsto no próprio tipo legal, pelo que
valoro de forma neutra. Nada a valorar quando as circunstâncias do crime. As armas e muições foram
apreendidas pela policia, nada havendo a valorar quanto as conseqüências do crime. O comportamento da
vítima em nada concorreu para o crime. Diante disso, fixo a pena base em 2 (dois) anos e 4 (quatro)
meses de reclusão e multa. Não há agravante a ser valorada. Reconheço a atenuante descritas no art. 65,
inciso III, d, do CPB, pelo que atenuo a pena para 2 (dois) anos de reclusão, em atenção a Súmula 231 do
STJ. Não há circunstâncias de aumento ou diminuição de pena, pelo que fixo a pena em 2 (dois) anos de
reclusão. Estabeleço a multa ao condenado no importe de 10 (dez) dias-multa fixada na razão de 1/30 do
salário mínimo vigente à época do fato. Considerando a quantidade de pena aplicada, entendo por fixar o
regime aberto. Considerando o regime de pena aplicado, entendo que a detração não tem aptidão para
beneficiá-lo. Incabível a substituição da pena privativa de liberdade por restritiva de direitos, bem como o
sursis, tendo em vista que o requerido é portador de maus antecedentes. Disposições finais. Defiro ao
condenado BENEDITO SALES DE FREITAS o direito de recorrer em liberdade. Deixo de fixar indenização
civil, nos termos do Art. 387, IV do Código de Processo Penal, devido ausência de contraditório específico.
Após o trânsito em julgado da decisão, procedam-se as comunicações de praxe e expeça-se. Guia de
Recolhimento Definitivo ao juízo das execuções penais. Certificado pelo diretor de secretaria a ausência
de recolhimento da pena de multa após o decurso do prazo de 10 (dez) dias, a contar do trânsito em
julgado da sentença condenatória, determino a extração de certidão da sentença ¿ que deverá ser
instruída com as seguintes peças: I - denúncia ou queixa-crime e respectivos aditamentos; II - sentença ou
acórdão, com certidão do trânsito em julgado - e consequente encaminhamento em 05 (cinco) dias à
Procuradoria Geral do Estado para fins de aplicação da legislação relativa à dívida ativa da Fazenda
Pública, consoante Provimento nº 006/2008- CJCI e art. 51, do Código Penal. Em virtude da situação
econômica do acusado, deixo de condená-lo às custas processuais. Fixo honorários advocatícios à
advogada Rutileia Emiliano de Freitas Tozetti, OAB/PA 25.676-A, no importe de R$ 3.000,00 (três mil
reais), considerando que assumiu a defesa dos réus à partir da resposta à acusação, em razão da
ausência da Defensoria Pública nesta comarca. Publique-se. Registre-se. Intimem-se os condenados.
Intime-se, pessoalmente, a defesa por se tratar de defensor dativo. Ciência ao Ministério Público. P.R.I.
Senador José Porfírio-PA, 10 de novembro de 2021. Ênio Maia Saraiva Juíza de Direito.¿ Aos 19
(dezenove) dias do mês de agosto do ano de 2022 (dois mil e vinte e dois). Eu, Natália Franklin Silva e
Carvalho, Analista Judiciária, subscrevi e assino em conformidade com o Provimento 006/2009 da
Corregedoria de Justiça das Comarcas do Interior.

E D I T A L DE INTIMAÇÃO DE SENTENÇA - PRAZO DE 60 (SESSENTA) DIAS

O Excelentíssimo Senhor ÊNIO MAIA SARAIVA, Juiz de Direito Titular da Vara Única da Comarca de
Senador José Porfírio, faz saber à nacional JOSE AILTON BEZERRA, com endereço desconhecido, do
que não tendo sido possível a intimação pessoal, pois encontrando-se em lugar incerto e não sabido,
expede-se o presente EDITAL com o prazo de 60 (sessenta) dias a fim de tomar ciência da sentença
absolutória prolatada por este Juízo em 10/11/2021 nos autos da Ação Penal nº0011998-56.2018.14.0005,
228
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

que, na íntegra, diz: ¿ PROCESSO N° 0011998-56.2018.14.0005 SENTENÇA Vistos e etc. O Ministério


Público do Estado do Pará ofereceu denúncia contra os acusados BENEDITO SALES FREITAS,
RAIMUNDO FREITAS DA SILVA e JOSÉ AILTON BEZERRA, imputando-lhes a conduta delituosa descrita
no art. 14, do Estatuto do Desarmamento (Lei nº 10.826/2003). Segundo narra a inicial, no dia 06 de
setembro de 2018, por volta das 07h, a polícia civil se dirigiu até a região da Ressaca, neste município, a
fim de apurar o crime de homicídio que teve como vítima o vereador Izoeldo Batista Guedes. Os policiais
estavam à procura de Raimundo Freitas da Silva e Jose Ailton Bezerra, que ao serem localizados,
confessaram o crime de homicídio e informaram a onde estava a arma de fogo utilizada no crime. A arma
de fogo fora comprada por Benedito Sales Freitas e Raimundo Freitas da Silva, pela quantia de R$
1.500,00 (mil e quinhentos reais). Após diligências, os policiais encontraram: 01 (uma) carabina, calibre 16;
52 (cinquenta e duas) munições, calibre 16; 02 (duas) luvas cirúrgicas e 01 (uma) luva cor laranja nas
proximidades da propriedade de Benedito Freitas. Auto / Termo de Exibição e Apreensão de Objeto à fl.
18. Recebimento da denúncia em 20 de setembro de 2018 (fls. 33/34). Resposta à Acusação dos
acusados Benedito Sales Freitas e Raimundo Freitas da Silva oferecida às fls. 73/76, bem como a do
acusado José Ailton Bezerra às fls. 78/81. Audiência de Instrução, na qual se colheu o depoimento das
testemunhas Fernando Marcolino, Mhoabe Khayan Azevedo Lima e Hilder Alves da Silva, além do
interrogatório do réu Benedito Sales Freitas (fls. 97/99). Memoriais Finais apresentadas pelo Ministério
Público às fls. 100/102, em que se sustentou a absolvição dos denunciados José Ailton Bezerra e
Raimundo Freitas da Silva, além da condenação de Benedito Sales Freitas pelo crime de previsto no art.
14, da Lei nº 10.826/2003. Às fls. 105/109, Memoriais Finais da defesa de José Ailton Bezerra e Raimundo
Freitas da Silva e Benedito Sales Freitas, requerendo a absolvição dos acusados, alegando-se a ausência
de provas, outrossim, em caso de condenação, requereu-se a atenuante da confissão quanto ao réu
Benedito Freitas, nos termos do art. 65, III, d do CPB. Brevemente relatado. Decido. A presente ação
penal trata de acusação contra 3 (três) demandados como incursos as penas do crime previsto no art. 14,
caput, da Lei nº 10.826/2003: Porte ilegal de arma de fogo de uso permitido: Art. 14. Portar, deter, adquirir,
fornecer, receber, ter em depósito, transportar, ceder, ainda que gratuitamente, emprestar, remeter,
empregar, manter sob guarda ou ocultar arma de fogo, acessório ou munição, de uso permitido, sem
autorização e em desacordo com determinação legal ou regulamentar: Pena ¿ reclusão, de 2 (dois) a 4
(quatro) anos, e multa. A autoria e materialidade de porte ilegal de arma de fogo não restam devidamente
comprovadas nos autos com relação aos réus José Ailton Bezerra e Raimundo Freitas da Silva. Por outro
lado, pende contra BENEDITO SALES a responsabilidade pelo delito. A materialidade do crime está
demonstrada pelo Auto / Termo de Exibição e Apreensão de Objeto à fl. 18, onde consta a apreensão da
arma de fogo, do tipo espingarda, munições e luvas, na ocorrência policial que resultou na prisão dos réus.
Já a autoria, esta se perfaz pelos testemunhos colhidos e pela confissão. De acordo com o depoimento da
testemunha policial Fernando Cesar Marcolino da Silva Júnior, conforme consta em termo de audiência
(fls. 97/99), declarou: que tomou conhecimento do homicídio do vereador; que foram até o local dos fatos
para investigar tal crime; que após diligências os policiais civis localizaram uma arma de fogo que fora
utilizada para praticar o homicídio; que a espingarda estava escondida debaixo de uma árvore
desmontada, próxima à propriedade de Benedito Sales.. De acordo com o depoimento da testemunha
Mohab Khayan Azevedo Lima (fls. 97/99), o mesmo declara: que após o homicídio, foi montada uma
equipe e foi até a região da Ressaca, neste município; que no local do crime, foram feitas diligências para
identificar os autores do crime; que a polícia foi informada que um dos suspeitos era Benedito Freitas; que
o acusado Raimundo revelou ter escondido a arma de fogo e levou a polícia até o local em que haviam
escondido; que a arma estava enterrada à aproximadamente a 03 km de distância da residência de
Benedito; que a arma de fogo era do tipo espingarda.. A testemunha Hilder Alves da Silva (fls. 97/99)
afirmou em instrução: que José Ailton foi quem informou a polícia onde a arma de fogo estava escondida;
que a arma de fogo estava na região dos fundos da casa do acusado Benedito. Em seu interrogatório (fls.
97/99), o réu Benedito Sales de Freitas afirma: que a arma de fogo do tipo espingarda era de sua
propriedade; que haviam munições, mas não sabe precisar a quantidade; que comprou a espingarda em
uma propriedade próxima de sua residência; que a arma estava escondida próxima aos fundos de sua
residência; que a arma estava escondida debaixo de um pé de árvore; que o filho do acusado foi quem
escondeu a arma; que os demais acusados moravam com Benedito; que não foram os acusados que
esconderam a arma. José Ailton e Raimundo não foram localizados para interrogatório. Sendo assim,
observo do conjunto probatório e de tudo mais que compõe os autos, que não resta comprovado que os
réus José Ailton Bezerra e Raimundo Freitas da Silva concorreram para a infração penal prevista no art.
14, caput, da Lei nº 10.826/2003. Quando ao acusado Benedito Sales de Freitas, está cristalino que
praticou o crime de porte ilegal de arma de fogo, previsto no art. 14, da Lei nº 10.826/2003. A autoria está
demonstrada em razão dos depoimentos policiais, que foram unânimes em afirmar que o réu BENEDITO
229
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

mantinha sob a sua guarda a arma de fogo que fora localizada nas imediações de sua propriedade.
Durante o seu interrogatório, o réu BENEDITO confessou que a arma de fogo apreendida era sua,
afirmando ainda que os demais acusados não esconderam a arma. Portanto, provada a autoria e
materialidade da infração penal e não existindo justificativas ou dirimentes em favor do réu BENEDITO
SALES FREITAS, há de lhe ser aplicada as reprimendas do crime do 14, da Lei nº 10.826/2003.
Adentrando nas teses defensivas, não encontro amparo para seu acolhimento, vez que o conjunto
probatório constante nos autos, especialmente a prova testemunhal e confissão colhidas em audiência,
são suficientes para a condenação do demandado. DA REINCIDÊNCIA O réu BENEDITO SALES
FREITAS tem contra si condenação criminal transitada em julgado, conforme processo nº 0003967-
82.2018.8.14.0058, atualmente em execução definitiva de pena. Os fatos tratados naquele feito são
contemporâneos a estes ora julgados, pelo que não se configura a reincidência prevista no art. 61, I do
CP, que essencialmente tem aplicação para crimes cometidos após a condenação originária. Por outro
lado, entendo que a presença de condenação transitada em julgado não apta a configurar reincidência
ganha forma de maus antecedentes, a ser quantificado na dosimetria. Diante do exposto, julgo
parcialmente procedente a pretensão punitiva estatal para condenar

BENEDITO SALES FREITAS, pelo crime do art. 14, da Lei nº 10.826/2003. Absolvo RAIMUNDO FREITAS
DA SILVA e JOSÉ AILTON BEZERRA pela prática dos fatos ora tratado, com fundamento no art. 386, IV
do CPP. I ¿ Da Dosimetria do réu BENEDITO SALES: Analisando as circunstâncias judiciais do art. 59 do
CPB, observo que a culpabilidade do réu é normal à espécie. O réu é portador de maus antecedentes,
conforme setença condenatória transitada em julgado na ação nº 0003967-82.2018.8.14.0058, pelo que
valoro negativamente a circunstância confirme explanado na fundamentação acima. Sua conduta social e
personalidade não foram aferidas nos autos. O motivo é aquele previsto no próprio tipo legal, pelo que
valoro de forma neutra. Nada a valorar quando as circunstâncias do crime. As armas e muições foram
apreendidas pela policia, nada havendo a valorar quanto as conseqüências do crime. O comportamento da
vítima em nada concorreu para o crime. Diante disso, fixo a pena base em 2 (dois) anos e 4 (quatro)
meses de reclusão e multa. Não há agravante a ser valorada. Reconheço a atenuante descritas no art. 65,
inciso III, d, do CPB, pelo que atenuo a pena para 2 (dois) anos de reclusão, em atenção a Súmula 231 do
STJ. Não há circunstâncias de aumento ou diminuição de pena, pelo que fixo a pena em 2 (dois) anos de
reclusão. Estabeleço a multa ao condenado no importe de 10 (dez) dias-multa fixada na razão de 1/30 do
salário mínimo vigente à época do fato. Considerando a quantidade de pena aplicada, entendo por fixar o
regime aberto. Considerando o regime de pena aplicado, entendo que a detração não tem aptidão para
beneficiá-lo. Incabível a substituição da pena privativa de liberdade por restritiva de direitos, bem como o
sursis, tendo em vista que o requerido é portador de maus antecedentes. Disposições finais. Defiro ao
condenado BENEDITO SALES DE FREITAS o direito de recorrer em liberdade. Deixo de fixar indenização
civil, nos termos do Art. 387, IV do Código de Processo Penal, devido ausência de contraditório específico.
Após o trânsito em julgado da decisão, procedam-se as comunicações de praxe e expeça-se. Guia de
Recolhimento Definitivo ao juízo das execuções penais. Certificado pelo diretor de secretaria a ausência
de recolhimento da pena de multa após o decurso do prazo de 10 (dez) dias, a contar do trânsito em
julgado da sentença condenatória, determino a extração de certidão da sentença ¿ que deverá ser
instruída com as seguintes peças: I - denúncia ou queixa-crime e respectivos aditamentos; II - sentença ou
acórdão, com certidão do trânsito em julgado - e consequente encaminhamento em 05 (cinco) dias à
Procuradoria Geral do Estado para fins de aplicação da legislação relativa à dívida ativa da Fazenda
Pública, consoante Provimento nº 006/2008- CJCI e art. 51, do Código Penal. Em virtude da situação
econômica do acusado, deixo de condená-lo às custas processuais. Fixo honorários advocatícios à
advogada Rutileia Emiliano de Freitas Tozetti, OAB/PA 25.676-A, no importe de R$ 3.000,00 (três mil
reais), considerando que assumiu a defesa dos réus à partir da resposta à acusação, em razão da
ausência da Defensoria Pública nesta comarca. Publique-se. Registre-se. Intimem-se os condenados.
Intime-se, pessoalmente, a defesa por se tratar de defensor dativo. Ciência ao Ministério Público. P.R.I.
Senador José Porfírio-PA, 10 de novembro de 2021. Ênio Maia Saraiva Juíza de Direito.¿ Aos 19
(dezenove) dias do mês de agosto do ano de 2022 (dois mil e vinte e dois). Eu, Natália Franklin Silva e
Carvalho, Analista Judiciária, subscrevi e assino em conformidade com o Provimento 006/2009 da
Corregedoria de Justiça das Comarcas do Interior.
230
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

E D I T A L DE INTIMAÇÃO DE SENTENÇA - PRAZO DE 20 (VINTE) DIAS

O Excelentíssimo Senhor ÊNIO MAIA SARAIVA, Juiz de Direito Titular da Vara Única da Comarca de
Senador José Porfírio, faz saber à nacional MATEUS MALAQUIAS, com endereço desconhecido, do que
não tendo sido possível a intimação pessoal, pois encontrando-se em lugar incerto e não sabido, expede-
se o presente EDITAL com o prazo de 20 (vinte) dias a fim de tomar ciência da sentença prolatada por
este Juízo em 07/06/2021 nos autos da MEDIDA PROTETIVA DE URGÊNCIA nº 0000982-
72.2020.8.14.0058, que, na íntegra, diz: ¿SENTENÇA MARIA MIRANILDES LIMA DE OLIVEIRA,
devidamente qualificada nos autos, alegando ser vítima de violência doméstica e familiar contra a mulher,
com incidência na Lei Maria da Penha, Lei nº 11.340/2006, ingressou com pedido de medidas protetivas
de urgência em face de MATEUS MALAQUIAS. Em decisão liminar foram deferidas as medidas de
proteção pretendidas pela requerente às fls. 09/10. O requerido foi regularmente intimado, mas não
apresentou contestação (fl. 13). Vieram-me os autos conclusos É o relatório. DECIDO. Em razão da
ausência de defesa tempestiva pelo requerido, embora devidamente citado, DECRETO A REVELIA, o que
faço nos termos do art. Do Entendo desnecessária a produção de provas em audiência, haja vista que o
objeto dos presentes autos é tão somente a apreciação da manutenção e/ou revogação da medida
protetiva de urgência. Tenho que a causa está suficientemente instruída para o seu julgamento, pelo que
passo a sua apreciação nos termos do artigo 355, I do Código de Processo Civil. A ocorrência traz a
descrição da violência sofrida pela vítima, a qual deu ensejo a decisão liminar concessiva das medidas
protetivas de urgência, perdurando-se até o presente momento. Consigno que a medida protetiva prevista
na lei nº 11.340/06 visa a garantia da ofendida que se encontra em situação de risco, resguardando, além
de sua incolumidade física e psíquica, o direito de uma vida sem violência e com harmonia, solidariedade,
respeito e dignidade, fundamentos esses que devem prevalecer dentro do âmbito familiar (parentes
próximos ou pessoas com quem convive ou já conviveu). Assim, considerando o caráter protetivo da
norma, prepondera em casos tais a palavra da vítima, que merece ser salvaguardada ante a alegada
situação de violência/ameaça. Demais, anoto que as lides domésticas e familiares, por serem relações
jurídicas continuativas, perduram no tempo e, por isso, são passíveis de modificações em sua situação de
fato e de direito. Em vista disso, a sentença que as resolve não transita materialmente em julgado, ou seja,
se porventura o requerido vier demonstrar posteriormente a imprescindibilidade de se aproximar e de
manter contato com a vítima, as medidas poderão ser revistas. Como também se faz possível que a
ofendida requeira a revogação das medidas concedidas. O novo CPC, claramente voltado à duração
razoável do processo e a efetividade da tutela jurisdicional, permite que a tutela satisfativa seja veiculada
de maneira antecedente, ou seja, em petição própria, antes da propositura da demanda principal (Artigo do
). Ocorre que, se a medida assim requerida (de modo antecedente) e deferida, não for confrontada pela
parte contraria pelo recurso cabível, qual seja o agravo de instrumento, ela se estabiliza, isto é, conservará
os seus efeitos práticos, independentemente da complementação da petição inicial e da defesa do réu. No
presente caso, conforme certificado nos autos, o requerido fora devidamente intimado da decisão
antecipatória de tutela e não interpôs recurso de agravo de instrumento, razão pela qual tenho como
estabilizado os efeitos da tutela de urgência e por via de consequência, procedo à extinção do processo.
DISPOSITIVO Diante do exposto, em observância às regras processuais acima dispostas, reconheço a
estabilização da tutela antecipada deferida no início do processo e mantenho as medidas protetivas já
fixadas, o que faço nos termos do art. , caput, do , e por via de consequência, JULGO EXTINTO o
processo sem resolução de mérito, de acordo com o art. , X do . Intime-se a requerente, advertindo-a que
eventual quebra das medidas protetivas, no transcurso do prazo supra determinado, deverá ser
comunicada a autoridade policial como descumprimento de medidas protetivas. Transcorrido referido
prazo deverá a requerente ingressar com novo pedido de medidas protetivas de urgência. Sem custas,
nos termos do art. 28 da Lei Maria da Penha. Ciente o MP. Façam-se as comunicações necessárias.
Certifique-se o trânsito em julgado, após, arquive-se promovendo-se as baixas no sistema. Publique-se.
Registre-se. Cumpra-se. Serve a presente decisão de ofício/mandado/carta precatória, aos fins a que se
destina, tudo nos termos dos Provimentos nº 003/2009 CJCI. Datado eletronicamente. Ênio Maia Saraiva
Juiz de Direito.¿ Aos 25 (vinte e cinco) dias do mês de agosto do ano de 2022 (dois mil e vinte e dois). Eu,
Natália Franklin Silva e Carvalho, Analista Judiciária, subscrevi e assino em conformidade com o
Provimento 006/2009 da Corregedoria de Justiça das Comarcas do Interior.
231
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

E D I T A L DE INTIMAÇÃO DE SENTENÇA - PRAZO DE 20 (VINTE) DIAS

O Excelentíssimo Senhor ÊNIO MAIA SARAIVA, Juiz de Direito Titular da Vara Única da Comarca de
Senador José Porfírio, faz saber aos nacionais EDENILSON LIMA DA TRINDADE e ELANI MELO
COSTA, os quais não foram encontrados no endereço declarado nos autos para serem intimados
pessoalmente da sentença, encontrando-se em lugar incerto e não sabido, determinou a expedição do
presente EDITAL com o prazo de 20 (vinte) dias a fim de tomarem ciência da sentença prolatada por este
Juízo em 27/07/2022, nos autos da Ação de Medidas Protetivas de Urgência nº 0000501-
12.2020.8.14.0058, que, na íntegra, diz: ¿SENTENÇA/MANDADO. Trata-se de requerimento de Medidas
Protetivas com fundamento na ocorrência de situação fática que, em tese, configurou violência doméstica
e familiar contra a mulher. Inicialmente, o magistrado que me antecedeu no feito deferiu medidas
protetivas em favor da vítima, a teor da decisão de id nº 51584165 - Págs. 5/6. Posteriormente, a
requerente compareceu perante a Secretaria da 2ª Vara Criminal de Altamira/PA, para informar que não
possui mais interesse no prosseguimento das medidas protetivas, visto que retomou o convívio pacífico
com o requerido, reatando a relação amorosa que mantinham, conforme termo de declarações assinado
de próprio punho acostado aos autos no id nº 56007543 - Pág. 2. Instado a se manifestar, o Ministério
Público opinou favoravelmente à revogação das medidas protetivas com o consequente arquivamento do
feito, ante à expressa manifestação da vítima por sua desnecessidade (id nº 59732905 - Pág. 1). Vieram
os autos conclusos. É o relatório. Decido. A Lei nº 11.340/06, que trata da violência doméstica e familiar
contra a mulher, estabeleceu medidas protetivas em face das vítimas dos delitos nela previstos. Cabe ao
juiz conhecer do pedido e decidir a respeito da necessidade das medidas protetivas de urgência, que
poderão ser deferidas de imediato sem oitiva das partes ou do Ministério Público. Para tanto, como medida
cautelar, basta que se verifiquem os requisitos do fumus boni iuris e periculum in mora. A medida foi
deferida liminarmente, já que, naquele momento, verificava-se a presença dos requisitos. Agora, temos
de verificar a necessidade de sua conservação. As Medidas Protetivas são deferidas para resguarda a
integridade física e psicológica da ofendida em razão do periculum in mora, que, no caso em tela, entendo
já ter se esvaído, sobretudo pelas declarações firmadas pela própria requerente, tal como consta no termo
de declarações acostado aos autos no id nº id nº 56007543 - Pág. 2, porquanto relatou ter reatado o
relacionamento amoroso que mantinha com o requerido, informando não ter mais interesse na
manutenção das medidas que haviam sido deferidas em seu favor. Dessa forma, torna-se desnecessária a
tramitação destes autos, tendo em vista já ter atingido seu objetivo imediato. Com efeito, inexistindo
razões que justifiquem a manutenção das restrições impostas ao requerido, as medidas protetivas devem
ser revogadas, a fim de que não se perpetuarem no tempo. Ressalta-se, por oportuno, que esta decisão
não impede que, em havendo novo fato que viole a integridade física ou psicológica da ofendida, esta
venha a requer outras Medidas Protetivas para que tenha os seus direitos resguardados. Ante o exposto, e
por tudo mais que dos autos consta, JULGO EXTINTO O PROCESSO SEM RESOLUÇÃO DO MÉRITO,
com fundamento no art. 485, VI, do CPC, revogando as medidas protetivas deferidas
liminarmente. Intimem-se requerente e autuado pessoalmente. Servirá a presente, por cópia digitada,
como mandado. Outrossim, caso o requerido e/ou a requerente não sejam intimados pessoalmente, por
não residirem mais no endereço constate nos autos, que a intimação ocorra por edital com prazo de 20
(vinte) dias. Após o trânsito em julgado, dê-se baixa e arquive-se. Publique-se. Intimem-se. Cumpra-se.
Ênio Saraiva Maia. Juiz de Direito. Assinado eletronicamente por: ENIO MAIA SARAIVA - 27/07/2022
15:56:30¿. Aos 30 (dois) dias do mês agosto do ano de 2022 (dois mil e vinte e dois). Eu, Elder Savio
Alves Cavalcanti, Diretor de Secretaria de 1ª entrância, subscrevi e assino em conformidade com o
Provimento 006/2009 da Corregedoria de Justiça das Comarcas do Interior.

E D I T A L DE I N T I M A Ç Ã O D E S E N T E N Ç A

60 (SESSENTA) DIAS

O Doutor ÊNIO MAIA SARAIVA, Juiz de Direito Titular da Vara Única da Comarca de Senador José
Porfírio, Estado do Pará, República Federativa do Brasil, faz saber ao nacional MAURICIO PAULINO DA
232
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

SILVA, filho de José Angelo da Silva e Rosangela Paulino da Silva, natural de Vitória do Xingu-PA, CPF:
Nº 00416950205, nascido em 04/07/1985, ROSANGELA PAULINO DA SILVA, brasileira, natural de São
Gonçalo do Amarante, filha de Maria do Carmo Alves Paulino e Manoel Francelino Paulino, CPF: Nº
726.555.422-15, JOSÉ ANGELO DA SILVA, brasileiro, natural de Altamira-PA, filho de Osmarina Oliveira
da Silva, CPF: Nº 647.119.432-34, que devidos não ter sidos localizados para seres intimados
pessoalmente, expede-se o presente EDITAL com o prazo de 60 (sessenta) dias, a fim de tomar ciência
da sentença prolatada por este Juízo em 11/01/2022, nos autos do processo nº 0000061-
16.2020.8.14.0058 ¿ Medidas Protetivas de Urgência (Lei Maria da Penha) Criminal (1268) que, na
íntegra, diz: PROCESSO Nº. 0000061-16.2020.8.14.0058 SENTENÇA ROSANGELA PAULINO DA
SILVA e JOSÉ ANGELO DA SILVA, devidamente qualificados nos autos, alegando serem vítima de
violência doméstica e familiar, com incidência na Lei Maria da Penha, Lei nº 11.340/2006, ingressaram
com pedido de medidas protetivas de urgência em face de MAURICIO PAULINO DA SILVA. Em decisão
liminar foram deferidas as medidas de proteção pretendidas pela requerente às fls. 13/14. O requerido
apresentou contestação às fls. 21/24. Vieram-me os autos conclusos. É o relatório. DECIDO. Entendo
desnecessária a produção de provas em audiência, haja vista que o objeto dos presentes autos é tão
somente a apreciação da manutenção e/ou revogação da medida protetiva de urgência. Tenho que a
causa está suficientemente instruída para o seu julgamento, pelo que passo a sua apreciação nos termos
do artigo 355, I do Código de Processo Civil. A ocorrência traz a descrição da violência sofrida pelas
vítimas, a qual deu ensejo a decisão liminar concessiva das medidas protetivas de urgência, perdurando-
se até o presente momento. Consigno que a medida protetiva prevista na lei nº 11.340/06 visa a garantia
de vítimas que se encontram em situação de risco, resguardando, além de sua incolumidade física e
psíquica, o direito de uma vida sem violência e com harmonia, solidariedade, respeito e dignidade,
fundamentos esses que devem prevalecer dentro do âmbito familiar (parentes próximos ou pessoas com
quem convive ou já conviveu), como é o caso do requerido, que é prole das vítimas. Assim, considerando
o caráter protetivo da norma, prepondera em casos tais a palavra da vítima, que merece ser
salvaguardada ante a alegada situação de violência/ameaça. Demais, anoto que as lides domésticas e
familiares, por serem relações jurídicas continuativas, perduram no tempo e, por isso, são passíveis de
modificações em sua situação de fato e de direito. Em vista disso, a sentença que as resolve não transita
materialmente em julgado, ou seja, se porventura o requerido vier demonstrar posteriormente a
imprescindibilidade de se aproximar e de manter contato com a vítima, as medidas poderão ser revistas.
Como também se faz possível que a ofendida requeira a revogação das medidas concedidas. O novo
CPC, claramente voltado à duração razoável do processo e a efetividade da tutela jurisdicional, permite
que a tutela satisfativa seja veiculada de maneira antecedente, ou seja, em petição própria, antes da
propositura da demanda principal (Artigo 303 do CPC). Ocorre que, se a medida assim requerida (de
modo antecedente) e deferida, não for confrontada pela parte contraria pelo recurso cabível, qual seja o
agravo de instrumento, ela se estabiliza, isto é, conservará os seus efeitos práticos, independentemente
da complementação da petição inicial e da defesa do réu. No presente caso, conforme certificado nos
autos, o requerido fora devidamente intimado da decisão antecipatória de tutela e não interpôs recurso de
agravo de instrumento, razão pela qual tenho como estabilizado os efeitos da tutela de urgência e por via
de consequência, procedo à extinção do processo. DISPOSITIVO Diante do exposto, em observância às
regras processuais acima dispostas, reconheço a estabilização da tutela antecipada deferida no início do
processo e mantenho as medidas protetivas já fixadas, o que faço nos termos do art. 304, caput, do CPC,
e por via de consequência, JULGO EXTINTO o processo sem resolução de mérito, de acordo com o art.
485, X do CPC. Intime-se a requerente, advertindo-a que eventual quebra das medidas protetivas, deverá
ser comunicada à autoridade policial como descumprimento de medidas protetivas. Sem custas, nos
termos do art. 28 da Lei Maria da Penha. Ciente o MP. Façam-se as comunicações necessárias. Publique-
se. Registre-se. Cumpra-se. Senador José Porfírio, 11 de janeiro de 2022. Ênio Maia Saraiva Juiz de
Direito. Aos 31 (trinta e um) dias do mês de agosto do ano de 2022. (dois mil e vinte e dois) Eu, Mario
Lima de Oliveira) Auxiliar de Secretaria, digitei.

EDITAL DE INTIMAÇÃO
233
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

COM PRAZO DE 20 (VINTE) DIAS

O Excelentíssimo Senhor ÊNIO MAIA SARAIVA, Juiz de Direito Titular da Comarca de Senador José
Porfírio, Estado do Pará, República Federativa do Brasil, no uso das atribuições a mim conferidas por Lei,
etc... FAZ SABER, aos que este lerem ou dele tomarem conhecimento que por este Juízo e expediente da
Secretaria da Vara Única desta Comarca, tramita os autos da Ação Cível ¿ Investigação de Paternidade,
sob o n° 0800042-06.2022.8.14.0058, movido pelo BANCO VOLKSWAGEN S.A em face de MANOEL
CLEBESON DE OLIVEIRA, atualmente com paradeiro incerto e não sabido, do que, como não há como
ser encontrados para ser intimado pessoalmente, expede-se o presente EDITAL com prazo de 20 (vinte)
dias, pelo qual INTIMA-SE o requerido MANOEL CLEBESON DE OLIVEIRA plenamente capazes, do
inteiro teor da SENTENÇA JUDICIAL que, na íntegra, diz: ¿Sentença. BANCO VOLKSWAGEN S.A.,
devidamente qualificado, move Ação de Busca e Apreensão com pedido liminar em face de MANOEL
CLEBESON DE OLIVEIRA, também identificado, alegando que as partes celebraram contrato de
financiamento para aquisição de bem garantido por alienação fiduciária, relativo ao veículo Marca VW,
modelo GOL 1.0L MC4, chassi n.º 9BWAG45UXKT044677, ano de fabricação 2018 e modelo 2019, cor
BRANCA, placa QDV3397, renavam 01164512347. Aduz que a ré se tornou inadimplente por ter deixado
de pagar a parcela vencida em 30.04.2019, restando um débito de R$ 57.350,88. Assim, requereu a
apreensão do bem contratado, liminarmente, citando-se a requerida para contestar, e, ao final julgar
procedente o pedido, nos termos do Decreto Lei nº 911/69 e suas alterações. Com a inicial apresentou
documentos. Liminar deferida no Id. 54876041, determinando a citação da parte demandada após
apreensão do bem. O credor propôs requerimento de cumprimento de liminar de busca e apreensão nº
0801637-05.2022.8.14.0005, que foi distribuído à 3ª vara Cível de Altamira/PA. Conforme consta nos id.
58849975, fls. 07 e 08, aquele juízo logrou apreender o bem e citar o devedor. O réu não contestou. O
autor requereu a consolidação da posse e da propriedade do veículo, pugnando pela extinção do feito (id.
58871140). Eis o relato. Decido de forma antecipada. No presente caso, impõe-se a aplicação dos efeitos
da revelia decretada, dispostos no artigo 344 do NCPC/2015, que preceitua: ¿Se o réu não contestar a
ação, será considerado revel e presumir-se-ão verdadeiras as alegações de fato formuladas pelo autor¿.
AÇÃO ANULATÓRIA. CRÉDITO BANCÁRIO. FRAUDE. REVELIA. EFEITOS. ART. 319 DO CPC. SENDO
O RÉU REVEL, O AUTOR FICA DESOBRIGADO DE PROVAR A VERACIDADE DOS FATOS
DEDUZIDOS NA INICIAL COMO FUNDAMENTO DE SEU PEDIDO: INTELIGÊNCIA DO ARTIGO 319 DO
CPC. COM EFEITO, ANTE A ALEGAÇÃO DO AUTOR DE QUE OS DEPÓSITOS FEITOS NA CONTA-
CORRENTE DO RÉU REVEL SE DERAM DE FORMA FRAUDULENTA E FRENTE AOS DOCUMENTOS
ACOSTADOS AOS AUTOS QUE CORROBORAM A TESE SUSTENTADA(grifo nosso), DEVE SER
MANTIDA A SENTENÇA QUE JULGOU PROCEDENTE O PLEITO INAUGURAL (Classe do Processo :
APELAÇÃO CÍVEL 20040110372716APC DF - Registro do Acórdão Número : 244983 - Data de
Julgamento : 27/03/2006 - Órgão Julgador : 5ª Turma Cível - Relator : ASDRUBAL NASCIMENTO LIMA -
Publicação no DJU: 05/06/2006 Pág. : 272 - até 31/12/1993 na Seção 2, a partir de 01/01/1994 na Seção
3) Dos autos temos o contrato celebrado pelas partes, devidamente assinado pela ré, que corrobora com
as alegações do autor na inicial (id. 49691342). Por sua vez, a mora apontada na peça inaugural não foi
rechaçada pela parte ré. Sabe-se que a mora autoriza a rescisão contratual e a retomada da posse do
bem que passou a integrar o patrimônio e garantir o crédito do autor. PROCESSO CIVIL E CIVIL.
ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA. DL 911/69. AÇÃO DE BUSCA E APREENSÃO. PURGAÇÃO DA MORA. NÃO
EFETIVAÇÃO. I - A APELANTE, INJUSTIFICADAMENTE, NÃO EFETIVOU A PURGA DA MORA. DESSA
FORMA, NÃO HAVIA ALTERNATIVA JURÍDICA, SENÃO JULGAR PROCEDENTE A AÇÃO DE BUSCA E
APREENSÃO. II - NEGOU-SE PROVIMENTO. UNÂNIME (Classe do Processo : APELAÇÃO
CÍVEL 20030710171199APC DF - Registro do Acórdão Número : 248159 - Data de Julgamento :
27/03/2006 - Órgão Julgador : 1ª Turma Cível - Relator : JOSÉ DIVINO - Publicação no DJU: 01/08/2006
Pág. : 121 até 31/12/1993 na Seção 2, a partir de 01/01/1994 na Seção 3) Com a consolidação da
propriedade e posse do bem em mãos do autor proprietário fiduciário, é cabível a venda do bem, salvo por
preço vil, devendo o produto da venda ser aplicado no pagamento do seu crédito. ¿Mas o credor não
poderá vender o bem por preço vil, sob pena de se caracterizar abuso de direito¿. (RT 532/208). Pelo
exposto, JULGO PROCEDENTE o pedido inicial, ao passo em que confirmo a liminar, para consolidar a
propriedade e a posse plena e exclusiva do bem acima descrito, nas mãos do proprietário fiduciário, nos
termos do Decreto Lei 911/69. Condeno o requerido ao pagamento das custas e despesas processuais,
bem como honorários advocatícios que fixo em 10% (dez por cento) sobre o valor da causa, o que faço
com fulcro no art. 85, §2º do NCPC. Publique-se. Registre-se. Intimem-se as partes por seus advogados.
Não havendo pagamentos das custas finais, encaminhe-se à PGE para inscrição em dívida. Transitado em
julgado, certifique-se e arquive-se. Datado e assinado eletronicamente. Ênio Maia Saraiva Juiz de Direito¿
234
TJPA - DIÁRIO DA JUSTIÇA - Edição nº 7454/2022 - Quarta-feira, 14 de Setembro de 2022

E para que chegue ao conhecimento de todos os interessados e não possam no futuro alegar ignorância,
expediu-se este Edital que será publicado na forma da Lei. Dado e passado nesta cidade de Senador José
Porfírio, Estado do Pará, aos dois dias do mês de setembro de dois mil e vinte e dois. Eu, ___ (Áurea Lima
mendes de Sousa) Auxiliar de Secretaria, digitei e subscrevi.

E D I T A L DE INTIMAÇÃO DE SENTENÇA - PRAZO DE 20 (VINTE) DIAS

O Excelentíssimo Senhor ÊNIO MAIA SARAIVA, Juiz de Direito Titular da Vara Única da Comarca de
Senador José Porfírio, faz saber à nacional FRANCISCO DE OLIVEIRA PANTOJA, com endereço
desconhecido, do que não tendo sido possível a intimação pessoal, pois encontrando-se em lugar incerto
e não sabido, expede-se o presente EDITAL com o prazo de 20 (vinte) dias a fim de tomar ciência da
sentença prolatada por este Juízo em 02/05/2022 nos autos da MEDIDA PROTETIVA nº 0004709-
10.2018.8.14.0058, que, na íntegra, diz: ¿SENTENÇA/MANDADO Trata-se de Medidas Protetivas de
Urgência requeridas por FRANCISCO DE OLIVEIRA PANTOJA, idoso de 77 anos à época dos fatos, no
dia 29/11/2018 (id nº 38616276 - Pág. 3), contra seu filho JOSÉ MAGNO DE OLIVEIRA PANTOJA. Ao
analisar os autos, a magistrada que me antecedeu no presente feito entendeu por bem determinar o
cumprimento de diligências complementar pela autoridade policial, antes de decidir sobre a necessidade
da concessão do afastamento do lar ao requerente (id nº 38616278 - Pág. 3). Entretanto, decorridos mais
de 3 (três) anos desde aquela determinação, em que pese este juízo tenha empreendido diligências, não
houve resposta acerca do cumprimento das deliberações pendentes nos autos. O Ministério Público
opinou pelo arquivamento do feito, em razão do extenso lapso temporal que transcorreu desde o
requerimento das medidas pelo ofendido (id nº 55934782 - Pág. 1) Vieram os autos conclusos. É o
relatório. Passo a decidir. No caso dos autos, entendo que a providência jurisdicional pleiteada não se faz
mais necessária e adequada ao caso, mormente em razão do lapso temporal que atingiu o feito, visto que
decorridos mais de 03 (três) anos desde a comunicação do fato, não houve notícias de reiteração de
agressões ou manifestação superveniente de interesse da vítima declinando sobre a necessidade do
deferimento das medidas. As pretensas ameaças/agressões relatadas sequer estão bem provadas nos
autos, tanto que o feito baixou em diligência por 2 (duas) vezes à autoridade policial para que desse
continuidade às investigações, nunca advindo qualquer resposta. Diante disso, uma vez ausente o
requisito do periculum in mora, entendo que não subsistem razões que fundamentem o deferimento das
medidas protetivas. Ante o exposto, e por tudo mais que dos autos consta, JULGO EXTINTO O
PROCESSO SEM RESOLUÇÃO DO MÉRITO, ante a perda do objeto da ação cautelar, com fulcro no art.
485, VI, do CPC. Intimem-se as partes. Ciência ao Ministério Público. Após o trânsito em julgado, dê-se
baixa no sistema e arquivem-se os autos. Publique-se. Registre-se. Intimem-se. Cumpra-se. Cópia da
presente servirá como OFÍCIO/MANDADO, nos termos dos Provimentos nº 003/2009 CJCI. Assinado e
datado eletronicamente. Ênio Maia Saraiva Juiz de Direito.¿ Aos 06 (seis) dias do mês de setembro do
ano de 2022 (dois mil e vinte e dois). Eu, Natália Franklin Silva e Carvalho, Analista Judiciária, subscrevi e
assino em conformidade com o Provimento 006/2009 da Corregedoria de Justiça das Comarcas do
Interior.

Você também pode gostar