Você está na página 1de 28

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO

INSTITUTO DE TECNOLOGIA
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA
DISCIPLINA: IT 134 - DRENAGEM

Drenagem Subterrânea
(Continuação – parte 2)

Prof. Dr. Conan Ayade Salvador

Seropédica - RJ, 11/08/2022


Programa da Disciplina
 Introdução;
 Estudos básicos para projeto de drenagem agrícola:
o Atributos do solo e da planta;
o Necessidade de lixiviação em solos salinos;
o Hidrologia subterrânea;
o Classificação de sistemas.
 Dimensionamento de sistemas:
o Drenagem Subterrânea;
o Drenagem Superficial.
Tópicos da Aula

 Espaçamento entre drenos utilizando o método de


Glover-Dumm.
Regime Não Permanente – Glover-Dumm

Exemplo 4: Para execução de um projeto de drenagem subterrânea para


uma determinada área, foram levantados os seguintes dados:
- Profundidade da camada de impedimento = 3,4 m;
- Condutividade hidráulica do solo saturado (k0) = 0,3 m d-1;
- Porosidade drenável (μ) = 5,5 %;
- Cultura a ser explorada = Hortaliças;
- Turno de rega = 7 d;
- Lâmina bruta para suprir as necessidades hídricas da cultura = 45 mm
- Condutividade elétrica da água de irrigação (CEi) = 1,0 dS m-1;
- Salinidade limiar da cultura mais sensível (CEes) = 1,5 dS m-1;
- Recarga calculada para chuva crítica = exercício anterior;
- Diâmetro interno dos drenos = 108,1 mm (Politejo 125 mm).

Diante desses dados, determine o espaçamento mais adequado para a


drenagem da área, utilizando o método de Glover-Dumm.
Critérios de Drenagem
 Época das Irrigações:

Demais culturas: N = 3 dias.


Regime Não Permanente – Glover-Dumm
Solução (Época das Irrigações)

Considerou-se que o valor do p = 0,8 m:

1. Determinação da profundidade dos drenos:

P = 1,5𝑝 = 1,5 × 0,8 = 1,2 𝑚

2. Recarga para época da irrigação:

𝐶𝐸𝑖 1,0
𝐹𝐿 = = = 0,154
5 × 𝐶𝐸𝑒𝑠 + 𝐶𝑒𝑖 5 × 1,5 − 1,0

𝐼𝑅𝑁 45
𝐼𝑇𝑁 = = = 53,2 𝑚𝑚
𝐸𝑎 1 − 𝐹𝐿 1 − 0,154

𝑅 = 53,2 − 45 = 8,2 𝑚𝑚
Critérios de Drenagem
 Época das Irrigações:

p
P

h0 hn ht

D
Camada impermeável
L
Regime Não Permanente – Glover-Dumm
Solução (Época das Irrigações)

3. Determinação da altura do lençol freático para um tempo igual ao


turno de rega (TR) (ht):

Passo I (calcula-se hN e ht1 )

ℎ𝑁 = 𝑃 − 𝑝 = 1,2 − 0,8 𝑚 = 0,4 𝑚

𝑅 𝑇𝑅 − 𝑁
ℎ𝑡(1) = ℎ𝑁 − Trabalhe sempre
𝜇 𝑇𝑅
com a três casas
decimais.

0,0082 7 − 3
ℎ𝑡(1) = 0,4 − = 0,315 𝑚
0,055 × 7
Regime Não Permanente – Glover-Dumm
Solução
3. Determinação da altura do lençol freático para um tempo igual ao
turno de rega (TR) (ht):

Passo II (calcula-se h0 e o hNcal )

𝑅 0,0082
ℎ𝑜(1) = ℎ𝑡(1) + = 0,315 + = 0,464 𝑚
𝜇 0,055

1,16ℎ𝑜(1) 1,16 × 0,464


ℎ𝑁𝑐𝑎𝑙(1) = 𝑁 = 3 = 0,428 𝑚
ℎ𝑜(1) 𝑇𝑅 0,464 7
1,16 1,16
ℎ𝑡(1) 0,315

Análise do resultado encontrado:

Se ℎ𝑁𝑐𝑎𝑙(𝑘) ≠ ℎ𝑁 Ir ao Passo III


Regime Não Permanente – Glover-Dumm
Solução
3. Determinação da altura do lençol freático para um tempo igual ao
turno de rega (TR) (ht):

Passo III (recalcula-se ht (2) )

𝑒𝑟𝑟𝑜 1 = ℎ𝑁𝑐𝑎𝑙 1 − ℎ𝑁 = 0,428 − 0,4 = 0,028 m

ℎ𝑡(2) = ℎ𝑡(1) − 𝑒𝑟𝑟𝑜 = 0,315 − 0,028 = 0,287 𝑚

Retornar ao Passo II
Regime Não Permanente – Glover-Dumm
Solução
3. Determinação da altura do lençol freático para um tempo igual ao
turno de rega (TR) (ht):

Passo II (calcula-se h0 (2) e o hNcal (2) )

𝑅
ℎ𝑜(2) = ℎ𝑡(2) + = 0,287 + 0,149 = 0,436 𝑚
𝜇

1,16ℎ𝑜(2) 1,16 × 0,436


ℎ𝑁𝑐𝑎𝑙(2) = 𝑁 = 3 = 0,397 𝑚
ℎ𝑜(2) 𝑇𝑅 0,436 7
1,16 1,16 0,287
ℎ𝑡(2)

Análise do resultado encontrado:

Se ℎ𝑁𝑐𝑎𝑙(𝑘) ≠ ℎ𝑁 Ir ao Passo III


Regime Não Permanente – Glover-Dumm
Solução
3. Determinação da altura do lençol freático para um tempo igual ao
turno de rega (TR) (ht):

Passo III (recalcula-se ht (3) )

𝑒𝑟𝑟𝑜 2 = ℎ𝑁𝑐𝑎𝑙 2 − ℎ𝑁 = 0,397 − 0,4 = −0,003 𝑚

ℎ𝑡(3) = ℎ𝑡(2) − 𝑒𝑟𝑟𝑜 2 = 0,287 + 0,003 = 0,290 𝑚

Retornar ao Passo II
Regime Não Permanente – Glover-Dumm
Solução
3. Determinação da altura do lençol freático para um tempo igual ao
turno de rega (TR) (ht):

Passo II (calcula-se h0 (3) e o hNcal (3) )

𝑅
ℎ𝑜(3) = ℎ𝑡(3) + = 0,290 + 0,149 = 0,439 𝑚
𝜇

1,16ℎ𝑜(3) 1,16 × 0,439


ℎ𝑁𝑐𝑎𝑙(3) = 𝑁 = 3 = 0,400 𝑚
ℎ𝑜(3) 𝑇𝑅 0,439 7
1,16 1,16
ℎ𝑡(3) 0,290

Análise do resultado encontrado:


Se ℎ𝑁𝑐𝑎𝑙(𝑘) = ℎ𝑁 Ir ao Passo IV
Regime Não Permanente – Glover-Dumm
Solução
4. Determinação do espaçamento entre drenos (L):

Passo IV (calcula-se o espaçamento entre drenos)

𝐷 = 𝑃𝑟𝑜𝑓. 𝑑𝑎 𝐶𝐼 − 𝑃 = 3,4 − 1,2 = 2,2 𝑚

ℎ𝑜 + ℎ𝑡 0,439 + 0,290
𝐷′ = 𝐷 + = 2,2 + = 2,565 𝑚
2 2

2 𝜋 2 𝑘0 𝐷 ′ 𝑡 1 2 𝜋 2 × 0,3 × 2,565 × 7
𝐿0 =
ℎ𝑜 𝐿0 = = 1716,74 𝑚2
𝜇 0,439
𝑙𝑛 1,16 0,055 × ln 1,16 0,290
ℎ𝑡

𝐿0 = 41, 4 𝑚
Regime Não Permanente – Glover-Dumm
Solução
4. Determinação do espaçamento entre drenos (L):

Passo IV (calcula-se o espaçamento entre drenos)

𝜋 2 𝑘𝑜 𝐷′ 𝑡 𝜋 2 . 0,3 . 2,565 . 7
𝐿0 = 41, 4 𝑚 = = 0,566 ≥ 0,2
𝜇𝐿𝑜2 0,055 . 1716,74

Correção:
0,1081 𝑚 OK!
𝑃𝑚 = 𝜋𝑟 = 𝜋 = 0,1698 𝑚
2

𝐷 2,2
𝐶𝑟 = 𝐷 × ln = 2,2 x ln = 5,6 𝑚
𝑃𝑚 0,1698

𝐿 = 𝐿0 − 𝐶r = 41, 4 − 5,6 = 35,8 m


UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO
INSTITUTO DE TECNOLOGIA
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA
DISCIPLINA: IT 134 - DRENAGEM

Drenagem Subterrânea
(Continuação – parte 2)

Prof. Dr. Conan Ayade Salvador

Seropédica - RJ, 18/08/2022


Critérios de Drenagem
 Época das Chuvas:
Critérios de Drenagem
 Época das Chuvas:

R (mm) (chuva de projeto)

p
P
h0
ht

D
Camada impermeável
L
Regime Não Permanente – Glover-Dumm
Solução (Época das Chuvas)
3° dia

1. Determinação da chuva crítica (recarga) (exercício anterior):


𝑅 = 67,32 𝑚𝑚 = 0,0673 𝑚

2. Determinação da altura de elevação do LF após uma recarga


instantânea (h0) :

𝑅 0,0673 𝑚 Lençol freático aflorou na


∆ℎ = = = 1,224 𝑚 = ℎ0 superfície!!!
𝜇 0,055
Considerando que a drenagem superficial escoará o excesso
superficial, tem-se que ho = 1,2 m.

3. Determinação da altura de elevação do LF após 3 dias (ht3) :

ℎ𝑡3 = 𝑃 − 𝑝3 = 1,2 − 0,8 = 0,4 𝑚


Regime Não Permanente – Glover-Dumm
Solução (Época das Chuvas - 3° dia)

4. Determinação do espaçamento entre drenos (L):

𝐷 = 𝑃𝑟𝑜𝑓. 𝑑𝑎 𝐶𝐼 − 𝑃 = 3,4 − 1,2 = 2,2 𝑚

ℎ𝑜 + ℎ𝑡3 1,2 + 0,4


𝐷′ =𝐷+ = 2,2 + = 3,0 𝑚
2 2

2 𝜋 2 𝑘0 𝐷 ′ 𝑡 1 2 𝜋 2 × 0, 3 × 3,0 × 3
𝐿0 =
ℎ𝑜 𝐿0 = = 388,53 𝑚2
𝜇 1,2
𝑙𝑛 1,16 0,055 × ln 1,16 0,40
ℎ𝑡

𝐿0 = 19,71 𝑚
Regime Não Permanente – Glover-Dumm
Solução (Época das Chuvas - 3° dia)

4. Determinação do espaçamento entre drenos (L):


𝜋 2 𝑘𝑜 𝐷′ 𝑡 𝜋 2 . 0,3 . 3,0 . 3
𝐿0 = 19,71 𝑚 = = 1,247 ≥ 0,2
𝜇𝐿𝑜2 0,055 . 388,53
Correção:
0,1081 OK!
𝑃𝑚 = 𝜋𝑟 = 𝜋 = 0,1698 𝑚
2

𝐷 2,2
𝐶𝑟 = 𝐷 × ln = 2,2 x ln = 5,6 𝑚
𝑃𝑚 0,1698

𝐿 = 𝐿0 − 𝐶r = 19,71 − 5,6 = 14,11 m


Regime Não Permanente – Glover-Dumm
Solução (Época das Chuvas)
2° dia

Parâmetros constantes:
𝑅 = 67,32 𝑚𝑚 = 0,0673 𝑚 ℎ0 = 1,20 𝑚

3. Determinação da altura de elevação do LF após 2 dias (ht2) :

ℎ𝑡2 = 𝑃 − 𝑝2 = 1,2 − 0,7 = 0,5 𝑚

4. Determinação do espaçamento entre drenos (L):

𝐷 = 𝑃𝑟𝑜𝑓. 𝑑𝑎 𝐶𝐼 − 𝑃 = 3,4 − 1,2 = 2,2 𝑚


ℎ𝑜 + ℎ2 1,2 + 0,5
𝐷 =𝐷+ = 2,2 + = 3,05 𝑚
2 2
Regime Não Permanente – Glover-Dumm
Solução (Época das Chuvas - 2° dia)

4. Determinação do espaçamento entre drenos (L):

2 𝜋 2 𝑘0 𝐷 ′ 𝑡 1 2 𝜋 2 × 0,3 × 3,05 × 2
𝐿0 =
ℎ𝑜 𝐿0 = = 320,723 𝑚2
𝜇 1,2
𝑙𝑛 1,16 0,055 × ln 1,16
ℎ𝑡 0,5

𝜋 2 𝑘𝑜 𝐷′ 𝑡 𝜋 2 . 0,3 . 3,0 . 2
𝐿0 = 17,91 𝑚 = = 1,01 ≥ 0,2
𝜇𝐿𝑜2 0,055 . 320,72

OK!
Correção:

𝐿 = 𝐿0 − 𝐶r = 17,91 − 5,6 = 12,31 m


Regime Não Permanente – Glover-Dumm
Solução (Época das Chuvas)
1° dia

Parâmetros constantes:
𝑅 = 67,32 𝑚𝑚 = 0,0673 𝑚 ℎ0 = 1,20 𝑚

3. Determinação da altura de elevação do LF após 2 dias (ht1) :

ℎ𝑡1 = 𝑃 − 𝑝1 = 1,2 − 0,5 = 0,7 𝑚

4. Determinação do espaçamento entre drenos (L):

𝐷 = 𝑃𝑟𝑜𝑓. 𝑑𝑎 𝐶𝐼 − 𝑃 = 3,4 − 1,2 = 2,2 𝑚


ℎ𝑜 + ℎ1 1,2 + 0,7
𝐷 =𝐷+ = 2,2 + = 3,15 𝑚
2 2
Regime Não Permanente – Glover-Dumm
Solução (Época das Chuvas - 1° dia)

4. Determinação do espaçamento entre drenos (L):

2 𝜋 2 𝑘0 𝐷 ′ 𝑡 1 2 𝜋 2 × 0,3 × 3,15 × 1
𝐿0 =
ℎ𝑜 𝐿0 = = 246, 69 𝑚2
𝜇 1,2
𝑙𝑛 1,16 0,055 × ln 1,16 0,7
ℎ𝑡

𝜋 2 𝑘𝑜 𝐷′ 𝑡 𝜋 2 . 0,3 . 3,0 . 1
𝐿0 = 15,71 𝑚 = = 0,65 ≥ 0,2
𝜇𝐿𝑜2 0,055 . 246,69

Correção: OK!

𝐿 = 𝐿0 − 𝐶r = 15,71 − 5,6 = 10, 1 m


Regime Não Permanente – Glover-Dumm
Solução (Época de Irrigação e Época das Chuvas)

Conclusão final:
A profundidade dos drenos será 1,2 m;
O espaçamento adequado é aquele que atende tanto ao critério da
época de irrigação quanto o de chuva, dessa forma o espaçamento de
10 m será o espaçamento definitivo.

𝐿(𝑖𝑟𝑟𝑖𝑔𝑎çã𝑜) = 35,8 m

𝐿(𝐶ℎ𝑢𝑣𝑎 − 3 𝑑𝑖𝑎) = 14,11 m


𝐿(𝐶ℎ𝑢𝑣𝑎 −2 𝑑𝑖𝑎) = 12,31 m
Espaçamento de maior
𝐿(𝐶ℎ𝑢𝑣𝑎 −1 𝑑𝑖𝑎) = 10,1 m exigência.
Critérios de Drenagem
 Época das Chuvas:
Dica na realização de projetos para época da chuva: conhecendo-se o valor do
ho, calcule previamente os valores de ht para cada um dos dias após a chuva
(conforme demonstrado abaixo). Assim, será possível identificar previamente
para quais dias será necessário o cálculo do espaçamento.
Veja a situação abaixo:

Considerando: ho = 0,6 m e P = 1,2 m

Dias Depois Profundidade Freática (p) Altura do Lençol Freático


da Chuva Classe A em relação aos drenos (ht)
0 0,3 m 0,9 m
1 0,5 m 0,7 m
2 0,7 m 0,5 m
3 0,8 m 0,4 m

ht3 = P – p3 = (1,2 – 0,8) m = 0,4 m Veja que o valor de ho é


inferior aos ht1 e ht0. Não
necessitando ser avaliados!
“Não existe caminho para a felicidade. A felicidade é
o caminho”

Buda

Você também pode gostar