Você está na página 1de 2

Por que é importante definir o esquema de aterramento: A 5410 possui medidas de proteção

contra sobrecarga, curto-circuito, medidas de proteção contra choque elétrico e medidas de


proteção contra sobretensões, que dependem diretamente do esquema de aterramento da
instalação para serem aplicadas. A escolha dos equipamentos para proteção do circuito depende
diretamente do esquema de aterramento adota na instalação elétrica

Aterramento TN-S: No esquema de aterramento TN-S, tem como objetivo aterrar o neutro
quando não é possível obter acesso à haste de aterramento do padrão de entrada. Teremos dessa
forma o padrão de entrada que estará condicionado de forma que atenda as normas de
aterramento da concessionária, padrão de entrada esse que estará o mais perto possível da
entrada, com o objetivo de levar o potencial do neutro aterrado o mais próximo possível do
potencial da terra, que por referência é 0.
Seguindo essas normas da distribuidora, é possível que a energia elétrica seja distribuída para a
edificação, que usará da NBR 5410 para projeção de seu esquema de aterramento. Norma essa
que determina que esse neutro aterrado (PEN) seja conectado ao BEP (barramento equipotencial
principal), esse que estará interligado ao eletrodo de aterramento da edificação que seguirá
também a NBR 5410, lembrando que o BEP deve estar localizado o mais próximo possível do
ponto de entrada.
No sistema de aterramento da edificação teremos o barramento neutro e o barramento terra
(BEP), os condutores de proteção da edificação estarão ligados ao BEP e os condutores neutros
estarão ligados ao barramento neutro, o barramento neutro e o barramento terra estarão
interligados com o objetivo de ter os dois equipotencializados.
Aterramento TN-C-S: No esquema de aterramento TN-C-S, o padrão de entrada será da
mesma forma que no esquema TN-S. A partir do ponto de entrada, não teremos mais o
barramento neutro e o PEN estará interligado ao BEP, que seguirá pela instalação e funcionará
como proteção e neutro (segundo a NBR 5410 é necessário que o PEN tenha secção mínima de
10mm²), esse condutor PEN ao ser conectado na carga, haverá dois condutores: um que será
ligado ao neutro do equipamento e outro que será ligada a carcaça. É possível que haja a
separação do neutro e terra na instalação, mas será necessário adicionar um barramento neutro
em um ponto e após esse ponto não poderá mais haver a junção do neutro com o terra
novamente.
Aterramento TN-C: Funcionará da mesma forma que o esquema TN-C-S com a distinção de
que não poderá haver a separação do PEN em neutro e terra em nenhum ponto da instalação, ou
seja, durante toda instalação haverá o PEN funcionando como proteção e neutro ao mesmo
tempo.

Aterramento TT com neutro: No padrão de entrada, teremos o neutro aterrado no padrão de


entrada (no eletrodo da concessionária), como o objetivo de agir como aterramento da
alimentação. No ponto de entrada haverá a total separação entre a proteção e o neutro, onde
cada um terá um barramento próprio que não estará interligado em hipótese alguma.
O barramento de proteção seguirá com o BEP regido pela NBR 5410, funcionando unicamente
como proteção das massas da edificação. E teremos o barramento neutro, que sairá os neutros da
edificação.
Aterramento TT sem neutro: Nesse esquema de aterramento, o padrão de entrada funciona
apenas como aterramento à caixa do medidor quando esse é metálico. No ponto de entrada o
BEP estará de acordo com a NBR 5410, ligada ao eletrodo de aterramento da edificação e do
BEP sai os condutores de proteção das massas da edificação.

Aterramento IT com neutro: Funcionará do mesmo modo do aterramento TT com neutro,


porém o aterramento da fonte (no padrão de entrada), estará isolado, ou seja, não será uma
ligação direta do neutro com o eletrodo de aterramento da concessionaria. Haverá uma
impedância, de valor elevado, proposital entre o neutro e o eletrodo de aterramento, com o
objetivo de limitar o valor da corrente fase-terra para que seja possível controlar o tempo de
abertura do dispositivo de proteção para que a carga continue funcionando por um certo tempo,
mesmo que haja um defeito no terra, pois o risco é maior da carga parar do que continuar
funcionando mesmo com defeito. No ponto de entrada funcionará da mesma forma que o
aterramento TT com neutro.

Você também pode gostar