Você está na página 1de 44

1

EXPEDIENTE

Políticas Culturais na Bahia 2007 - 2014


Publicação da Secretariade Cultura do Estado da bahia | Ano 1 - Nº1

Governador do Estado da Bahia: Jaques Wagner


Secretário de Cultura: Albino Rubim
Chefe de Gabinete: Rômulo Cravo
Diretor geral: Thiago Pereira
Superintendente de Promoção Cultural: Carlos Paiva
Superintendente de Desenvolvimento Territorial da Cultura: Taiane Fernandes
Diretora da Fundação Pedro Calmon: Fátima Fróes
Diretora da Fundação Cultural do Estado da Bahia: Nehle Franke
Diretora do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia: Elisabete Gândara
Diretora do Centro de Culturas Populares e Identitárias: Arany Santana

Apoio e Pesquisa
Rede de Assessores da SecultBA: Adriana Jacob, Leonardo Bião e Rodrigo Lago -
SecultBA, André Santana - FPC, Paula Berbert – Funceb, Geraldo Moniz - IPAC,
Windson Souza - CCPI, Gabriel Camões - TCA, Yara Vasku – DIMUS, Cátia
Albuquerque (MAM) e Eder Santana - Conselho Estadual de Cultura

Edição: Adriana Jacob


Projeto Gráfico: Tempo Propaganda

www.cultura.ba.gov.br

4
SUMÁRIO

Políticas Culturais na Bahia 6


Institucionalidade e organização do campo cultural 7
Reformas 7
Novos organismos 8
Legislações culturais 9
Formação em cultura 9
Participação popular 9
Ampliação dos diálogos interculturais 10
Projetos emblemáticos 10
Ações internacionais 11
Dinamização cultural 12
Debates culturais 16
Aprofundamento da territorialização das políticas culturais 18
Programas para territorialização 18
Centros e espaços culturais 20
Ações na área de patrimônio 20
Atividades culturais 21
Expedições culturais 22
Desenvolvimento da economia da cultura 24
Fundo de Cultura da Bahia e FazCultura 25
Outras modalidades de apoio 27
Apoio a eventos 28
Economia criativa 28
Alargamento das transversalidades da cultura 28
Projetos especiais 32
Ano Jorge Amado 32
Cultura em campo 32
Cultura inclusiva 32
Calendário SecultBA 34

5
POLÍTICAS CULTURAIS NA BAHIA 2007 - 2014

Desde 2003, com Gilberto Gil no Ministério da Cultura, as políticas culturais no


Brasil passaram por significativas transformações. Na Bahia, este processo foi
inaugurado pouco depois, em 2007. As novas políticas culturais colocaram no
horizonte a construção de uma cultura cidadã.

O campo da cultura desde 2003 buscou estar sintonizado com o signo das
mudanças. As políticas de cultura adotaram um conceito ampliado de cultura;
procuraram se desenvolver em âmbito nacional; ampliar a cidadania e os direitos
culturais e estimular a diversidade cultural brasileira, entendida como nossa
maior riqueza no campo da cultura.

Na Bahia, tais horizontes foram fontes inspiradoras das transformações


desencadeadas a partir de 2007 e continuadas / transformadas desde 2011.

As políticas culturais desenvolvidas desde então têm como seu horizonte a


construção de uma cultura cidadã, que permita a todos o acesso às diversas
modalidades de experimentação e fruição culturais, a participação na
construção das políticas culturais, a ampliação da cidadania e dos direitos
culturais, além de buscar a mudança dos valores presentes na sociedade.
Ela deve possibilitar a predominância de novos valores democráticos,
republicanos, solidários, fraternos, de transparência, de equidade, de paz e
de respeito à diversidade cultural, social, religiosa, étnica, etária, de gênero
e de orientação sexual, imprescindíveis a uma nova sociedade e a um novo
modelo de desenvolvimento.

Durante este período, o desenvolvimento econômico e social vivenciados pelo


Brasil e pela Bahia incluiu milhões de brasileiros e baianos, através da criação de
novos empregos, do aumento do salário mínimo, da bolsa-família, da educação
e de outros dispositivos que combinaram como nunca desenvolvimento
econômico e social. Os dados nesta perspectiva são incontestes.

Nesta circunstância, a construção da cultura cidadã busca colocar a cultura em


sintonia com a sociedade que está sendo construída, através deste processo de
transformações que acontece no país e no estado. O desenvolvimento do Brasil e
6
da Bahia não pode prescindir do desenvolvimento da cultura cidadã, da cidadania
e dos direitos culturais. Eles são dimensões essenciais do desenvolvimento e da
construção de uma sociedade mais justa, democrática e criativa.

INSTITUCIONALIDADE E ORGANIZAÇÃO
DO CAMPO CULTURAL

O processo de fortalecimento da institucionalidade e da organização do campo


cultural busca consolidar políticas, estruturas, formação, gestão democrática,
procedimentos republicanos e mecanismos de participação político-cultural. A
reforma de instalações existentes, a criação de novas instituições, a qualificação
da gestão, a formação de pessoal em cultura e a ampliação da participação são
vitais para este processo.

REFORMAS
De 2007 a 2013, a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) reformou
o Palácio Rio Branco, na capital baiana, com um investimento de R$ 7 milhões; o
Parque Histórico Castro Alves, em Cabaceiras do Paraguaçu; a Biblioteca Afrânio
Peixoto, em Lençóis; o Centro Cultural Amélio Amorim, em Feira de Santana,
e o Forte do Barbalho, em Salvador, para a implantação do Forte dos Serviços
Criativos, com investimento de R$ 1,2 milhão. Foram realizadas, ainda, reformas
menores nos centros culturais de Vitória da Conquista, Juazeiro, Alagoinhas e
Valença, além de Alagados, Cine Teatro Solar Boa Vista e Espaço Xisto Bahia, em
Salvador. Já o Quarteirão Cultural – formado pelo Liceu de Artes e Ofícios (Paço
do Saldanha), antiga Rádio Excelsior e antigos Cinema Liceu e Cine Popular –
ganhou um projeto arquitetônico de transformação do espaço em um centro de
cultura. O investimento foi de R$ 190 mil. Estão em andamento ou sendo iniciadas
obras nos centros culturais de Itabuna, Jequié, Vitória da Conquista e Guanambi.

7
PROJETO NOVO TCA

Foto: Acervo TCA

Atualmente, grandes reformas estão em andamento no Teatro Castro Alves,


com custo inicial de R$ 64 milhões e no Museu de Arte Moderna da Bahia, com
recursos da ordem de R$ 16,5 milhões. Também estão em curso reformas no
Arquivo Público do Estado da Bahia, envolvendo recursos de R$ 2 milhões.

NOVOS ORGANISMOS
Em 2007, foi criada a Diretoria de Espaços Culturais para gerir os 17 espaços culturais
da Secretaria localizados na Região Metropolitana de Salvador (seis) e no interior
(onze). No mês de dezembro do ano seguinte, foram implantados os representantes
territoriais da cultura, pois a SecultBA foi uma das secretarias que adotou de modo mais
pleno a proposição de territórios de identidade implantados pelo Governo Wagner.

O Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI) e o Centro de Formação em Artes


(CFA) foram instalados em 2011. O CCPI tem como objetivo atender à diversidade
cultural do estado: culturas dos sertões, de matrizes africanas, indígenas e ciganas,
além de tratar das culturas para a infância, juventude, idosos, mulher e LGBT. Já o
CFA desenvolve cursos de variadas modalidades em artes na capital e no interior.
Em dezembro de 2011, foi criada a Rede Estadual de Formação e Qualificação em
Cultura, que reúne secretarias, universidades, institutos federais, sistema S, ONGs
e Ministério da Cultura, visando ampliar a oferta de cursos em cultura na Bahia.

8
LEGISLAÇÕES CULTURAIS
Também em 2011, foi aprovada a Lei Orgânica da Cultura, que cria o Sistema
Estadual de Cultura, o Plano Estadual de Cultura e democratiza o Conselho
Estadual de Cultura. Foram elaborados, submetidos à consulta pública e estão
sendo encaminhados à Assembleia Legislativa: o Plano Estadual de Cultura, o
Plano Estadual do Livro e Leitura, construído com a Secretaria de Educação e a
sociedade civil, e a nova lei do Fundo de Cultura da Bahia. A Comenda do Mérito
Cultural recentemente foi criada e entra em vigor este ano com a premiação
de personalidades e instituições relevantes para a cultura da Bahia. Os novos
regimentos da Secretaria de Cultura e do Conselho Estadual de Cultura foram
encaminhados à Casa Civil.

FORMAÇÃO EM CULTURA
A formação é um das áreas prioritárias de atuação da Secretaria, pois tem sido uma
demanda constante da comunidade cultural expressa em todas as conferências
estaduais e inclusive nacionais. Com esta finalidade, foram criados programa;
rede; editais específicos e atividades de formação. Por toda a Bahia, aconteceram
cursos de formação nas mais diferentes áreas da cultura. As universidades e
institutos de educação públicos foram estimulados pela SecultBA a criar cursos
de graduação, pós-graduação e extensão em cultura. Além disso, foram lançadas
publicações para apoiar didaticamente as atividades de formação, a exemplo da
Coleção Cultura é o Quê e da Coleção Política e Gestão Culturais. Mais de 12 mil
pessoas participaram de cursos e treinamentos oferecidos pela SecultBA em
mais de 220 cidades baianas, no ano de 2013.

PARTICIPAÇÃO POPULAR
A Secretaria, desde 2007, vem instituindo diversos dispositivos de participação
popular nas políticas culturais. A cada dois anos, aconteceram Conferências
Estaduais de Cultura (2007, 2009, 2011 e 2013). Tais conferências têm etapas
municipais, territoriais, setoriais e estadual. A primeira conferência, realizada
em 2005, mobilizou apenas 21 municípios, enquanto a de 2013 envolveu 358
municípios. De 2007 a 2013, 162 mil pessoas participaram das conferências na
Bahia. As conferências são momentos privilegiados de mobilização, debate e
participação popular na elaboração democrática de políticas públicas de cultura.

Além das conferências realizadas, foram implantados, em 2012 e 2013, oito


colegiados setoriais de cultura – Artes Visuais, Audiovisual, Circo, Culturas 9
Digitais, Dança, Literatura, Música e Teatro – e outros estão em construção. O
Conselho Estadual de Cultura está sendo democratizado, com a ampliação do
número de conselheiros, a eleição de seus membros e o aumento da participação
de toda Bahia. A Secretaria tem apoiado as mais variadas modalidades de
organizações do campo cultural, a exemplo do Fórum dos Dirigentes Municipais
de Cultura e do Fórum dos Conselhos Municipais de Cultura; de associações
de amigos de instituições culturais, de redes e entidades do campo cultural.
A organização do campo é vital para o desenvolvimento da cultura.

AMPLIAÇÃO DOS DIÁLOGOS


INTERCULTURAIS

São muitos os sotaques que configuram a cultura baiana: afro-brasileiro,


dos sertões, dos povos originários, entre outras. A Secretaria busca ampliar
os diálogos interculturais entre os fluxos culturais estaduais, nacionais e
internacionais, em especial latino-americanas e africanas. É vital superar a
monocultura e imaginar a baianidade como complexa e composta de múltiplos
repertórios. Uma identidade produzida pela diversidade que constitui a Bahia.

PROJETOS EMBLEMÁTICOS
As Celebrações das Culturas dos Sertões e os Encontros das Culturas Negras,
acontecidos em 2012 e 2013, são projetos exemplares na perspectiva de
imaginar a baianidade como identidade conformada na diversidade. Eles buscam
expressar e dar visibilidade às culturas dos sertões e às culturas negras,
repertórios fundamentais da cultura baiana. Tais celebrações e encontros, mais
que eventos, são processos de mobilização, articulação e visibilidade destas
culturas e de seus agentes, visando afirmar a diversidade e promover novos
diálogos interculturais na Bahia.

AÇÕES INTERNACIONAIS
O Programa de Mobilidade Artística visa intensificar o intercâmbio cultural
internacional e nacional; desenvolver residências artístico-culturais para
profissionais da cultura na Bahia e no exterior; apoiar a participação de baianos
em eventos culturais fora do estado e difundir nossa cultura. O Programa tem um
10
investimento médio anual de R$ 800 mil. Destaque para o Bahia Music Export, que
tem levado músicos baianos ao exterior, participado de festivais internacionais e
já produziu cinco coletâneas musicais em CD para a divulgação de nossa música.

CAPAS DOS CD’S DO BAHIA MUSIC EXPORT

Foto: Acervo SecultBA

Outro destaque é a produção da coletânea literária Autores Baianos: Um


Panorama, que reuniu 18 escritores baianos selecionados, com versões
em português, alemão, espanhol e inglês, para ser difundida em eventos
internacionais, como a Feira do Livro de Frankfurt, a maior do mundo. Além
do programa, os corpos estáveis da SecultBA têm realizado apresentações
no exterior, a exemplo do Balé Teatro Castro Alves (BTCA), que dançou no
Festival de Veneza (2012) e fez 13 exibições em várias cidades belgas (2013), e
da Orquestra Sinfônica Juvenil da Bahia, grupo formado pelos mais avançados
instrumentistas do Neojiba - Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis
da Bahia, que se apresentou em Londres, Lisboa, Berlim, Genebra e em várias
cidades norte-americanos.

11
COLETÂNEA LITERÁRIA AUTORES BAIANOS:
UM PANORAMA

Foto: Acervo SecultBA

DINAMIZAÇÃO CULTURAL
O Complexo do Teatro Castro Alves – que inclui o Teatro Castro Alves, a
Concha Acústica e a Sala do Coro – recebe, por ano, cerca de 300 mil pessoas.
Entre os corpos artísticos do TCA, está a Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA).
Criada em 1982, a OSBA, desde 2011, tem como diretor artístico o maestro
Carlos Prazeres. De 2007 a 2013, a Orquestra se apresentou para um público
de mais de 175 mil pessoas. Já o Balé Teatro Castro Alves (BTCA), criado em
1982, é a companhia de dança oficial da Bahia. O BTCA conta com mais de 50
montagens em seu repertório. Em 2011, a companhia comemorou seus 30 anos
de existência sob a direção artística do ator e diretor paulista Jorge Vermelho.
Nesse período, a companhia já se apresentou para um público superior a 100
mil pessoas.
12
O Neojiba beneficia 750 crianças e jovens e possui uma rede que envolve oito
projetos no interior: Angical, Conceição do Coité, Jacobina, Porto Seguro, Santa
Cruz Cabrália, Serrinha e Vitória da Conquista, e um em Salvador, no Nordeste
de Amaralina. Entre 2007 e 2013, foram realizadas 329 apresentações públicas
para 190 mil pessoas, incluindo concertos em nove estados e cinco países.

O Quarta que Dança se configura, desde 1998, como um importante projeto


de difusão da produção atual de dança na Bahia. Em 2011, o projeto foi
redimensionado para além de Salvador, chegando pela primeira vez aos
palcos do interior, nas cidades de Juazeiro e Paulo Afonso. Entre 2007 e 2013, o
Quarta que Dança reuniu um público de 34 mil pessoas. Já o Festival Nacional 5
Minutos, que acontece desde 1994, busca incentivar a experimentação através
da produção audiovisual de até cinco minutos. Nos anos de 2008, 2009, 2011
e 2012, o Festival reuniu um público estimado em 16,3 mil pessoas. Em 2010 e
2013, o evento não foi realizado.

O Pelourinho Cultural, coordenado pelo CCPI, tem contribuído para a dinamização


cultural do Centro Histórico de Salvador através de uma programação mensal
diversificada. Mais de 930 atrações artísticas dos mais variados ritmos se
apresentaram nas ruas e praças do Pelourinho em 2013. As atividades culturais
no local recebem uma média de 500 mil pessoas por ano.

ORQUESTRA SINFÔNICA DA BAHIA

Foto: Adenor Gondim

13
BALÉ TEATRO CASTRO ALVES

Foto: Isabel Gouveia

A Secretaria de Cultura busca garantir e estimular a diversidade no carnaval


da Bahia. Ela atua no carnaval através dos programas Carnaval Ouro Negro;
Carnaval Pipoca; Carnaval do Pelô e Outros Carnavais. O Ouro Negro, desde
2009, valoriza os blocos de matriz africana: blocos afro, afoxés, blocos de
samba, reggae, percussão e de índios. O Ouro Negro é o maior investimento
da SecultBA no carnaval. Ele é fundamental para preservar a diversidade de
nosso carnaval e a manutenção dos blocos de cultura negra. O programa Outros
Carnavais em 2013 apoiou o Palco do Rock, o Camarote das Baianas e o Carnaval
de Maragojipe, registrado pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da
Bahia (IPAC) como patrimônio imaterial da Bahia. Entre 2008 e 2013, a SecultBA
investiu mais de R$ 67 milhões nos seus programas de incentivo ao carnaval. O
apoio da Secretaria às festas populares não se restringe ao carnaval. As festas
juninas no Pelourinho, a festa de Santa Bárbara e o Dia do Samba estão entre
outros eventos animados pelo CCPI.

14
CARNAVAL OURO NEGRO: ILÊ AIYÊ

Foto: Agnaldo Novais

CONCURSO DE MASCARADOS E FANTASIAS DE MARAGOJIPE

Foto: Tai Oliver


15
DEBATES CULTURAIS
Os diálogos se realizam também através debates (inter)culturais. Nesta
perspectiva, a Secretaria desenvolve diversificados projetos de debates. O
Fórum do Pensamento Crítico teve como temas: “Cultura e Cidades” (2012)
e “Cultura e Transformação Social” (2013). Neste ano, estiveram presentes
nomes como Marilena Chauí, que lotou o Teatro Castro Alves, e Nestor Garcia
Canclini, um dos maiores estudiosos da cultura no mundo atual. Em 2014, o tema
do evento foi Autoritarismo e Democracia no Brasil e na Bahia 1964-2014, com
palestras durante cinco dias no TCA.

As Conversas Plugadas, realizadas desde 2007 no TCA, tiveram entre seus


convidados o escritor angolano Agualusa; o moçambicano Mia Couto; o diretor
italiano Roberto Bacci; o paulista José Possi Neto; o baiano Antônio Torres,
membro da Academia Brasileira de Letras e o rapper Emicida. As Conversas
Plugadas são transmitidas pela TVE desde 2011.

MIA COUTO PARTICIPA DAS CONVERSAS PLUGADAS

Foto: Adenor Gondim


16
Os debates Conversando sobre Patrimônio, depois publicados na Coleção
Apostilas do IPAC, aconteceram mensalmente em 2011. Foram tratados
temas como Arquitetura e Paisagem de Salvador e do Recôncavo; Patrimônio
e Festas Populares; Circuitos Arqueológicos da Chapada Diamantina; ICMS
Cultural; Patrimônio Material e Imaterial do Cortejo do Dois de Julho; Planos de
Salvaguarda da Soledade e do Patrimônio Cultural Afro-Brasileiro. A História da
Bahia tem sido desvendada para professores, pesquisadores, alunos e público
interessado através do Conversando Sobre Sua História, promovido pela
Fundação Pedro Calmon, que acontece desde 2004, e já reuniu mais de 14,8 mil
pessoas.

Também as artes foram contempladas nas várias edições dos Diálogos nas Artes
e dos Ciclos de História da Arte. O Programa de Incentivo à Crítica das Artes da
Fundação Cultural do Estado da Bahia, que ampliou em 2011 o concurso antes
voltado especificamente para o cinema, agrega seminários, oficinas, concurso
para premiação de críticas, publicação da revista Cítrica e de livros, como:
Leituras Possíveis nas Frestas do Cotidiano; Memória de uma Crítica Encantada
e Panorama do Cinema Baiano.

FÓRUM DO PENSAMENTO CRÍTICO - AUTORITARISMO E DEMOCRACIA NA BAHIA

Foto: Rosilda Cruz


17
APROFUNDAMENTO DA TERRITORIALIZAÇÃO
DAS POLÍTICAS CULTURAIS

Levar as políticas culturais ao interior e à periferia de Salvador é o objetivo


da territorialização da cultura. Tornar a SecultBA uma secretaria estadual é
um dos nossos maiores compromissos. Para assegurar esse projeto, foram
realizadas Conferências de Cultura; criados os representantes territoriais de
cultura; instituídos fórum de dirigentes e conselheiros municipais; inaugura-
dos programas e expedições culturais, que percorrem a Bahia; desenvolvidas
atividades em muitos territórios e cidades; enfim, buscado incessantemente
levar a atuação da SecultBA a todos os territórios de identidade da Bahia, com a
constituição do Sistema Estadual de Cultura sintonizado com o Plano Estadual
de Cultura.

PROGRAMAS PARA TERRITORIALIZAÇÃO


A Secretaria instituiu inúmeros programas visando a uma atuação em todos
os territórios de identidade da Bahia, diversos deles em articulação com o
Ministério da Cultura (MinC). O mais visível destes programas, o Cultura Viva,
com investimento total de R$ 27,1 milhões, sendo R$ 18,1 milhões do MinC e
R$ 9 milhões do estado, está implantado em 27 territórios de identidade. Ele
compreende 220 Pontos de Cultura, sendo 150 conveniados com Estado e 70
relacionados diretamente com o Ministério da Cultura. Em fevereiro de 2014
foi lançado novo edital do programa na Bahia. São mais 150 pontos de cultura,
com um investimento de mais R$ 27 milhões de reais, com recursos do Governo
Federal e Estadual. Assim, em 2014, vamos ter 370 pontos de cultura em toda Bahia.

FEIRINHA DE LIVROS NO CAMPO GRANDE

Foto: Ascom Fundação Pedro Calmom


18
O programa abrange encontros estaduais e nacionais, denominados Teias, a
rede de pontos de cultura da Bahia e a comissão estadual de pontos de cultura,
que se reúne periodicamente com a SecultBA para tratar do programa. Em
2014, acontecem as Teias estadual em abril na cidade de Salvador e a nacional
em maio na capital do Rio Grande do Norte. Em fevereiro de 2012, por iniciativa
da SecultBA e apoio do Ministério da Cultura foi realizado, em Salvador,
o I Encontro dos Gestores Estaduais dos Pontos de Cultura, com a participação
de 18 estados, para propor sugestões e participar do redesenho do Programa
Nacional Cultura Viva. Também associado ao programa, a SecultBA premiou
54 projetos de Pontinhos de Cultura, voltados às culturas da infância, em
2012, para receber prêmio de R$ 18 mil cada, além de selecionar 129 Jovens
Multiplicadores para atuar nos Pontos de Cultura, com uma bolsa mensal de R$
250 por um ano, com recursos exclusivamente do Governo do Estado, através
do Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza.

CERIMÔNIA DE PREMIAÇÃO DOS PONTOS DE LEITURA

Foto: Acervo SecultBA


19
Foram desenvolvidos, ainda, programas voltados à leitura para ampliar a
atuação da Secretaria em todos os territórios de identidade da Bahia, através
da Fundação Pedro Calmon. Foram premiados 260 Pontos de Leitura com o
valor de R$ 20 mil cada; selecionados, premiados e capacitados 324 agentes
de leitura, com bolsas de R$ 250 mensais durante um ano. Foram abertos 40
Espaços de Leitura em 15 unidades prisionais e 25 em equipamentos sociais e
culturais.

De 2007 a 2012, foram adquiridos 332.889 livros, em um investimento de R$


25 milhões. Foi criada a Biblioteca Virtual 2 de Julho (www.bv2dejulho.ba.gov.
br), composta por materiais sobre a história da Bahia. A Biblioteca de Extensão
(BIBEX), com sua unidade móvel, percorre bairros de Salvador, como Calabar,
Fazenda Coutos, Nordeste de Amaralina, em cooperação com o Pacto pela
Vida – e cidades do interior. A Fundação Pedro Calmon apoiou cem bibliotecas
públicas municipais com kits de 1.300 livros, mobiliário e qualificação técnica
através de cursos. Além disto, 23 bibliotecas comunitárias foram premiadas
com R$ 50 mil cada uma.

CENTROS E ESPAÇOS CULTURAIS


A SecultBA administra 17 espaços culturais localizados em 13 municípios
baianos. São casas e centros de cultura, teatros e cine-teatros, que funcionam
como lugares de produção e difusão culturais e de sociabilidade nas cidades e
bairros onde estão situados. Os espaços culturais atraem um público médio
anual de 300 mil pessoas. Em 2012, foi lançado o Edital de Dinamização de
Espaços Culturais, que injetou R$ 1,5 milhão para ampliar atividades de centros
de cultura da capital e do interior, privados ou não.

AÇÕES NA ÁREA DE PATRIMÔNIO


• RESTAURO PATRIMÔNIO MATERIAL
Através do Programa Monumenta, o Instituto do Patrimônio Artístico e
Cultural da Bahia (IPAC) realizou obras de requalificação urbana em Cacho-
eira, São Félix e Lençóis, de 2007 a 2012, além de restaurar 12 monumentos.
Dentre eles, podem ser destacados: Igreja da Matriz; Igreja Nossa Senhora
do Monte; Quarteirão Leite Alves; Cine Teatro Glória; Casa de Cultura Afrânio
Peixoto e Igreja Nosso Senhor dos Passos. Em Salvador, foram recuperadas
as igrejas do Rosário dos Pretos, do Pilar e do Boqueirão, com recursos de
20
R$ 3 milhões, e a Casa das Sete Mortes, com investimento de R$ 3,1 milhões.
Também foram reformados o Palácio Episcopal de Barra e a Igreja de Piatã,
além do museu instalado no Terreiro Ilê Axé Opô Afonjá. A iluminação cêni-
ca de monumentos no Centro Histórico de Salvador até o momento já deu
visibilidade a sete igrejas e à Faculdade de Medicina localizada no Terreiro de
Jesus.

• TOMBAMENTO DE PATRIMÔNIO MATERIAL


De 2007 a 2013 foram tombados, isto é, reconhecidos como patrimônio material
da Bahia: Casa de Fazenda Pratigi do Barão (Rafael Jambeiro), Igreja Matriz de
São Miguel (Itacaré), Igreja de Nossa Senhora de Escada (Olivença), Aqueduto
do Antigo Horto Florestal (Juazeiro), Capela de Santo Antônio de Mataripe (São
Francisco do Conde), Usina Cinco Rios (São Sebastião do Passé), Poço de Petróleo
C-1 (Candeias), Igreja Presbiteriana, Grace Memorial Hospital e Instituto Ponte
Nova (Wagner), Capela Senhora Santana do Miradouro (Xique-Xique) e Igreja
Matriz do Senhor da Ascensão em Mirandela (Banzaê), além de três núcleos
urbanos: as áreas centrais das cidades de Cipó, Caetité e Iraporanga.

Em Salvador, foram tombados: Igreja de Nossa Senhora de Brotas, Solar


Bandeira, Largo de Madragoa, Quartel Corpo de Bombeiros, Hotel da Bahia,
Palácio da Aclamação, Antiga sede da Associação dos Empregados no Comércio
da Bahia, Hospital Aristides Maltez, edifícios A Tarde, Oceania, Dourado,
Caramuru, Sulacap, Cine-Teatro Jandaia (Salvador), Colégio Maristas, Instituto
Geográfico e Histórico da Bahia e Terreiro Ilê Asipá.

• REGISTRO DE PATRIMÔNIO IMATERIAL


Foram registrados, de 2007 a 2013, como patrimônio imaterial da Bahia: Festa
da Boa Morte (Cachoeira), Carnaval de Maragojipe, Bembé do Mercado (Santo
Amaro), Terreiros de Candomblé de Cachoeira e São Félix, além do Ofício de
Vaqueiro, Ofício das Baianas de Acarajé, Festa de Santa Bárbara e Desfile dos
Afoxés.

ATIVIDADES CULTURAIS
Lançado em 2009, o Programa de Apoio às Filarmônicas objetiva incentivar e
valorizar a tradição musical das filarmônicas do estado. Em sua primeira fase, a
iniciativa mapeou 183 filarmônicas localizadas em todos os territórios de identidade
21
baianos, sediadas em 170 municípios, e concedeu apoio para 87 delas, distribuindo
R$ 4 milhões de reais para aquisição, conserto e manutenção de instrumentos
musicais, além de aquisição de acessórios para instrumentos, fardamento e
equipamentos de informática. Em 2013, com patrocínio da Caixa Econômica, a
segunda fase do programa foi iniciada. Entre 2013 e 2014, serão mobilizados R$
3 milhões. A novidade do programa na segunda fase é a inclusão de oficinas e
encontros, objetivando o aprimoramento musical.

A programação dos centros culturais ganhou uma nova dinâmica a partir de 2007. Foi
priorizada a ocupação dos centros por atividades culturais. Conferências, encontros
e festivais, aliados à comemoração de datas históricas, incrementam a atuação
cultural dos centros. Em 2011, os centros foram integrados plenamente ao processo
de territorialização da cultura. Entre 2007 e 2013, aproximadamente 2 milhões de
pessoas frequentaram as atividades dos 17 centros culturais da SecultBA.

Outras ações culturais têm contribuído para a territorialização da cultura na Bahia.


São exemplos os Salões de Artes Visuais, antes denominados Salões Regionais de
Artes Visuais, com seus 21 anos de existência, e a Temporada Verão Cênico, que em
sua primeira edição, em 2011/2012, realizou 189 apresentações em cinco cidades
e na segunda, em 2013, alcançou mais de 14 municípios, levando aos teatros mais
de dez mil pessoas. Outro exemplo é o Mapa Musical da Bahia, que busca conhecer,
cadastrar e difundir a diversidade musical da Bahia. Em 2014, o Mapa e a Rádio
Educadora colocaram no ar programa para divulgar a música mapeada pelo projeto
em toda a Bahia.

EXPEDIÇÕES CULTURAIS
Para aprofundar o conhecimento sobre as culturas dos territórios baianos,
debater as políticas culturais da Secretaria e formular projetos sintonizados
com os territórios, a SecultBA realiza expedições que percorrem a Bahia.
As Caravanas Culturais reúnem o secretário estadual de Cultura, dirigentes
e técnicos da Secretaria em visitas a determinadas regiões do estado. A
comitiva assiste a evento das manifestações culturais da região, promove um
debate com a comunidade cultural e visita instituições e grupos culturais. Em
janeiro de 2012, a primeira caravana percorreu quatro municípios da Chapada
Diamantina: Lençóis, Nova Redenção, Wagner e Iraquara. A segunda caravana
aconteceu em outubro de 2012 e teve como destino o oeste da Bahia. Ela visitou
22
Ibotirama, Paratinga, Bom Jesus da Lapa, São Félix do Coribe, Santa Maria da
Vitória, Correntina, São Desidério e Barreiras. A terceira caravana percorreu 11
municípios do sul da Bahia: Teixeira de Freitas, Nova Viçosa, Caravelas, Alcobaça,
Prado, Itamaraju, Eunapólis, Itapebi, Belmonte, Santa Cruz Cabrália e Porto
Seguro.

Já a quarta caravana, em maio de 2014, tem como destino 12 cidades do Sertão


Baiano: Nova Soure, Cipó, Ribeira do Pombal, Banzaê, Tucano, Euclides da Cunha,
Canudos, Monte Santo, Itiúba, Valente, Conceição do Coité e Serrinha.

IDENTIDADES VISUAIS DAS CARAVANAS CULTURAIS

Foto: Acervo SecultBA

O FUNCEB Itinerante, outro projeto de expedições, realiza encontros com a


comunidade cultural dos municípios com o objetivo de estabelecer contato
com realidades distintas do estado e facilitar a concepção das políticas
públicas para as Artes Visuais, Audiovisual, Circo, Dança, Literatura, Música
e Teatro. Lançado em 2011, reúne anualmente os dirigentes da Fundação
Cultural do Estado da Bahia para visitar os territórios de identidade. Até
agora, já foram visitadas as cidades de Alagoinhas, Senhor do Bonfim,
Itaberaba, Barreiras, Vitória da Conquista, Ilhéus, Teixeira de Freitas, Jequié,
Santa Maria da Vitória, Seabra, Euclides da Cunha, Cruz das Almas, Valença,
Porto Seguro, Itapetinga, Macaúbas, Jacobina, Paulo Afonso e Serrinha.
23
FUNCEB ITINERANTE: ORQUESTRA EM SERRINHA

Foto: Alex Oliveira

DESENVOLVIMENTO DA ECONOMIA DA CULTURA

Uma das áreas econômicas de maior expansão no mundo contemporâneo


é a cultura. Na Bahia, nossa riqueza e diversidade culturais tornam enorme
este potencial de desenvolvimento. Deste modo, a cultura precisa ser
compreendida como vital ao desenvolvimento da Bahia e a economia criativa
deve ser entendida hoje como parte integrante do desenvolvimento no estado.
24
O financiamento é uma das dimensões essenciais da economia da cultura e
requer modalidades diferenciadas que envolvam, pelo menos, estado, públicos
e empresas. A SecultBA busca diversificar e tornar mais democráticos,
republicanos e transparentes seus procedimentos de financiamento à cultura,
através de seleções públicas, implantadas a partir de 2007.

Na atualidade, existem na Bahia quatro modalidades de financiamento estatal:


o Fundo de Cultura da Bahia (FCBA), o Calendário das Artes, o programa
de incentivo cultural intitulado Fazcultura e o microcrédito cultural. Além
do financiamento, a SecultBA desenvolve programas e projetos voltados
para potencializar a dimensão econômica da cultura, nas áreas em que isto
é pertinente e adequado. O programa Bahia Criativa merece destaque por
sintonizar a Bahia com dinâmicas culturais contemporâneas.

FUNDO DE CULTURA DA BAHIA E FAZCULTURA


A partir de 2007, o Fundo de Cultura passou a ser direcionado para apoio
exclusivo a projetos da comunidade cultural e da sociedade civil. A escolha
dos projetos a serem financiados passou a ser feita através de seleções
públicas realizadas por comissões de especialistas convidados para cada
área cultural e não mais por via da lógica do favor. Foram então criados editais
e chamadas públicas, dispositivos democráticos e republicanos de definição
dos recursos do Fundo de Cultura.

Desde 2007, foram implantados programas inovadores como aquele voltado


ao apoio de ações continuadas de instituições culturais privadas sem fins
lucrativos. Os eventos calendarizados passaram a ter um edital de apoio
plurianual em 2013, e em 2014 grupos e coletivos culturais passaram a ter
o mesmo tipo de apoio. Desde 2012, foi implantada uma dinâmica de editais
por setores culturais, substituindo a lógica anterior de editais por tipo de
projeto. Dessa forma, foi possível alargar a abrangência dos editais e tornar
sua periodicidade anual.

De 2007 a 2013, foram apoiados 1921 projetos com um investimento total de


R$ 154,41 milhões. O Fundo se tornou a principal fonte de financiamento da
cultura na Bahia. Em 2005, o Fundo apoiou 30 projetos no valor total de R$
7,6 milhões e em 2006, 40 projetos somando R$ 15,3 milhões. Entretanto,
25
a maior parte dos recursos era utilizada em atividades culturais do próprio
governo. A tabela 1 mostra a evolução do Fundo entre 2007 e 2013.

TABELA 1: FUNDO DE CULTURA DA BAHIA 2007/2013

2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013


Projetos
173 104 275 389 221 379 380
apoiados
Projetos inscritos 1148 1717 1150 661 838 2364 3013
Recursos
10,56 16,07 20,05 22,12 24,12 30,07 31,42
(milhões)

Fonte: Secretaria de Cultura do Estado da Bahia

A lei de incentivo, intitulada FazCultura, em 2007, aplicou R$ 6,8 milhões em


71 projetos, enquanto que em 2013 foram R$ 11,7 milhões em 56 projetos. A
partir de 2012, após estudo, o FazCultura passou a receber prioritariamente
projetos que já possuíam patrocínio, e, a partir de 2013, as inscrições ocorreram
exclusivamente pela internet. O programa tem patrocinado importantes
projetos, como o Festival Internacional Vivadança, Projeto Música no Parque,
Festival Bahia em Cena, Festa Literária de Cachoeira e Festival de Lençóis, entre
outros. Somados os recursos do Fundo e do FazCultura tem-se o resultado
expresso na tabela 2.

TABELA 2: RECURSOS SOMADOS DO FUNDO DE CULTURA DA BAHIA E FAZCULTURA

2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013


Em milhões 17,35 21,48 27,40 33,10 38,81 41,60 43,11

Fonte: Secretaria de Cultura do Estado da Bahia

A soma dos recursos acionados pelo Fundo de Cultura da Bahia e pelo FazCultura
pode também ser melhor visualizada através do gráfico a seguir.

26
GRÁFICO 01 – VALORES INVESTIDOS NO FCBA E NO FAZCULTURA

Fonte: Secretaria de Cultura do Estado da Bahia

OUTRAS MODALIDADES DE APOIO


Chamada pública periódica promovida pela Fundação Cultural do Estado da
Bahia (FUNCEB), o Calendário das Artes utiliza desde 2012 instrumentos
simplificados e com seleção realizada por macroterritórios. Em suas três
chamadas acontecidas em 2012 e 2013, disponibilizou R$ 1,742 milhão
de reais para a execução de 135 projetos de pequeno porte em 70 municípios,
contemplando todos os 27 territórios de identidade da Bahia.

O Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger chegou à sua quinta edição em


2013. Ele é um dos maiores concursos de fotografia no Brasil. O prêmio objetiva
incentivar, divulgar e valorizar a produção fotográfica brasileira. Na edição
mais recente, foram R$ 120 mil de reais distribuídos nas categorias “Livre
Temática e Livre Técnica”, “Fotografia Documental” e “Trabalhos de Inovação e
Experimentação na Área de Fotografia”.

A Fundação Pedro Calmon promove os prêmios Damário Dacruz e Nacional


de Novelas Históricas. O primeiro incentiva a publicação de poesias. Foram
selecionados 40 escritores, que terão suas poesias publicadas em um livro. Já o
Prêmio Nacional de Novelas Históricas contempla a publicação de cinco novelas
inéditas sobre episódios da História da Bahia: o Dois de Julho, Revolta dos Malês, A
Sabinada, Revolta dos Búzios e Guerra de Canudos.

27
APOIO A EVENTOS
Além do financiamento através de editais e premiações, a Secretaria apoia alguns
eventos culturais. Um dos destaques é a Bienal do Livro da Bahia, com edições
realizadas em 2007, 2009, 2011 e 2013. Neste último ano, o maior evento literário da
Bahia, que mobiliza um público de 275 mil pessoas, teve patrocínio do Governo da Bahia,
através das secretarias de Educação, Cultura, Fazenda e Turismo. O investimento foi
de R$ 1,3 milhão de reais, sendo R$ 600 mil em vale-livros. Entre os 385 expositores
presentes na Bienal – editores, livreiros, distribuidores, veículos de comunicação
e instituições do setor – destacaram-se dois importantes espaços dedicados
à literatura baiana: o estande institucional do Governo do Estado e um estande
destinado às editoras baianas, expressão da política estadual do livro e leitura.

ECONOMIA CRIATIVA
O programa Bahia Criativa objetiva planejar e promover ações de fomento
aos segmentos da economia criativa, considerado importante motor de
desenvolvimento no século XXI. O grupo de trabalho, constituído por 17
representantes de diversas secretarias, órgãos governamentais e entidades da
sociedade civil, elaborou o documento “Bahia Criativa: Diretrizes e Iniciativas para
o Desenvolvimento da Economia Criativa na Bahia”, que aponta diretrizes, metas
e fontes de recursos para ações voltadas para linhas de atuação do setor. Ele
sistematiza informações referentes à dimensão econômica do segmento criativo
na Bahia, com base nas estatísticas sobre o número e porte dos estabelecimentos
formais, emprego, rendimento do trabalhador e as características da mão de obra
ocupada. Cabe destacar que, diferente de outros estados brasileiros, a Bahia tem
no seu PPA um programa específico intitulado Economia Criativa, desde 2012.
Na contemporaneidade, é impossível desenvolver a cultura sem considerar sua

ALARGAMENTO DAS
TRANSVERSALIDADES DA CULTURA

articulação, cada dia mais essencial, com campos afins, como educação, comunicação,
ciência e tecnologia, turismo, economia, segurança pública, saúde, urbanismo,
trabalho, direitos humanos e outros. Não existem políticas culturais na atualidade sem
educação e comunicação e outras áreas afins. Por conseguinte, ênfase especial tem
sido dada ao trabalho conjunto com outras Secretarias de Estado.
28
Inúmeros são os projetos de trabalho colaborativo com a Secretaria da Educação.
O Plano Estadual do livro e Leitura (PELL) vai orientar as ações do setor nos pró-
ximos dez anos (2014-2023). Ele foi elaborado sob a coordenação das Secretarias
da Cultura e da Educação da Bahia, pelo Conselho Deliberativo do Plano Estadual
do Livro e Leitura do Estado da Bahia, composto também por membros da socie-
dade civil, entre julho de 2012 e janeiro de 2013. Durante o ano de 2013, o plano
foi submetido à consulta pública. Ele está organizado em torno de três eixos te-
máticos: democratização do acesso, valorização da leitura como prática social e
desenvolvimento da economia do livro. O PELL entra em vigor em 2014.

Outros exemplos de colaboração entre as secretarias podem ser citados. A


Restauração dos Murais da Escola Parque, através de um convênio firmado
entre o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC) e a Secretaria
da Educação do Estado da Bahia (SEC), foi iniciada em 2012. São nove obras de
arte – entre murais e painéis sobre madeira de grandes dimensões, além de uma
tela – do Centro Educacional Carneiro Ribeiro (Escola Parque e Escolas Classes
I, II e III). Além da restauração, o convênio no valor de R$ 1,2 milhão inclui ações
de educação patrimonial para a comunidade, produção de documentário e
elaboração de cartilhas em quadrinhos a serem distribuídas entre alunos da rede
pública de ensino.

Os cursos para a formação de bibliotecárias e sobre ensino de História da Bahia,


realizados com a mediação da Fundação Pedro Calmon e do Instituto Anísio
Teixeira, expressam também a colaboração entre as duas secretarias. A parceria
entre a SecultBA e a SEC faz parte da ação do Governo do Estado para inserir a
disciplina História da Bahia no currículo do Ensino Básico. Em 2013, o curso teve
a duração de cinco meses e envolveu 1.383 participantes. A colaboração entre a
Cultura e a Educação possibilitou a realização de edital para premiação de literatura
infantil. Ele seleciona 42 obras literárias. Os prêmios abrangem autores baianos
cujos textos literários tenham ênfase na tradição das culturas populares baianas
e sejam voltados para estudantes do primeiro ano do ensino fundamental. Cada
obra selecionada recebe R$ 10 mil reais.

A Bienal do Livro da Bahia acontece por meio do trabalho conjunto das secretarias
de Educação, Cultura, Fazenda e Turismo. Com a Secretaria de Turismo e a
Bahiatursa, a SecultBA desenvolve diversos projetos, dentre eles as festas
juninas realizadas no Pelourinho. Em 2013, elas tiveram um público estimado em
29
120 mil pessoas. Outra atividade colaborativa ocorreu em maio de 2012 no Salão
Baiano de Turismo, no qual a SecultBA, através do CCPI, ficou responsável pela
exposição da diversidade cultural da Bahia. As duas secretarias, em conjunto com
a do Meio Ambiente, têm apoiado o Festival de Lençóis, evento que acontece há
15 anos e envolve cultura e educação ambiental. A colaboração entre a Cultura e o
Meio Ambiente também se traduz no Parque de Pituaçu e no Espaço Mário Cravo.

BIENAL DO LIVRO DA BAHIA

Foto: Acervo FPC

O carnaval é outro evento que envolve a colaboração de inúmeras secretarias,


dentre elas a SecultBA, a Secretaria de Turismo e a Secretaria de Comunicação. O
CCPI e a Bahiatursa desempenham importante papel na realização desta grande
festa, definindo e apoiando muitas de suas atrações. Também em colaboração
com a Secretaria de Comunicação, a SecultBA tem construído a política estadual
de audiovisual. Ela envolve, dentre outros, o IRDEB, a Diretoria de Audiovisual da
FUNCEB, a Bahia Film Commission, o Programa de Fomento e Apoio à Produção
Audiovisual, o Festival Nacional 5 Minutos, o desenvolvimento de roteiros
de longa-metragem, o Programa Memória Audiovisual e Sonora da Bahia, o
Programa de Fomento e Apoio à Difusão, a Sala Walter da Silveira e o evento
Quartas Baianas.

O trabalho conjunto com a Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte e


a Coordenação de Juventude da Secretaria de Relações Institucionais acontece
através do Programa Na Trilha das Artes. Desde 2012, o programa promoveu na
capital e em diversas cidades do interior a formação em áreas da cultura como:
técnicas de palco, produção cultural, cultura digital e mobilização de redes sociais.
Com a Secretaria de Relações Institucionais e a Coordenação de Juventude, foi

30
realizada em dezembro de 2013 a VI Bienal dos Jovens Criadores da Comunidade
dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), pela primeira vez acontecida no Brasil.
Com o tema “Política de Juventude e Cultura Livre”, a Bienal, além dos jovens
brasileiros, contou com a participação de mais sete países da CPLP: Angola, Cabo
Verde, Guiné Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.

Em 2011, em conjunto com a então Secretaria de Relações Internacionais, a


SceultBA e a Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (SEPROMI) organizaram
o Encontro Ibero-americano do Ano Internacional dos Afrodescendentes (Afro
XXI). A SecultBA ficou responsável por apoiar a programação cultural do evento
realizado no Centro Histórico em novembro. Desde esta data, o CCPI representa a
Secretaria na Comissão de Sustentabilidade de Povos e Comunidades Tradicionais,
coordenada pela SEPROMI, que tem como objetivo traçar as políticas para povos
e comunidades tradicionais (povos ciganos, povos de santo, quilombolas, povos
indígenas). O CCPI também passou a integrar o Comitê Estadual de Promoção
da Cidadania e Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis
e Transexuais, órgão vinculado à Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos
Humanos. Com esta Secretaria, através da FPC, a SecultBA colabora no projeto
Memórias Reveladas das Lutas Políticas na Bahia (1964-1985). A Secretaria
participa também do Conselho Estadual da Pessoa com Deficiência, órgão
colegiado da estrutura da Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos.

A atuação da Secretaria de Cultura no Pacto pela Vida, programa do Governo


Estadual coordenado pela Secretaria de Segurança Pública, tem como destaque
duas ações: a unidade móvel da Biblioteca de Extensão, vinculada à Fundação
Pedro Calmon, e a implantação, pela Escola de Dança da FUNCEB, do Núcleo de
Formação em Dança, no Centro Social Urbano do Nordeste de Amaralina, cujo
programa de iniciação em dança atende 150 crianças e jovens. A biblioteca móvel
igualmente faz parte do projeto Rota da Independência da Bahia, realizado em
conjunto com a Secretaria de Administração do Estado da Bahia. O projeto circula
por oito municípios do Recôncavo.

Com a Secretaria do Planejamento, através da SEI, a SecultBA realizou pesquisas


sobre o carnaval e as festas juninas, além de desenvolver publicações conjuntas
como o Panorama Cultural da Bahia (2012) e um número especial da revista da SEI
dedicado à economia criativa (2013). Aliás, a elaboração conjunta do plano Bahia
31
Criativa: Diretrizes e Iniciativas para o Desenvolvimento da Economia Criativa
na Bahia é um dos exemplos mais consistentes de colaboração, pois reúne 17
instituições da administração pública estadual e entidades não governamentais,
dentre elas oito secretarias, sob a coordenação da SecultBA.

PROJETOS ESPECIAIS

ANO JORGE AMADO


A SecultBA celebrou em 2012 o centenário de um dos maiores protagonistas da
literatura brasileira, o escritor baiano Jorge Amado. O ano Jorge Amado contou
com uma série de atividades artístico-culturais: ciclos de palestras, exposições,
espetáculos, mostra de filmes, dentre outros. Cabe destacar a exposição Jorge,
Amado e Universal, realizada no Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM) e visitada
por mais de 17 mil pessoas, além do Festival Amar Amado em Ilhéus e do Concerto
Ao Amado Amar, com a Orquestra Sinfônica da Bahia e convidados, realizado no
dia 8 de agosto, data do centenário do escritor.

CULTURA EM CAMPO
Em 2013, durante a Copa das Confederações, a Secretaria preparou uma
programação especial em 22 espaços culturais da capital e do interior, com mais
de 120 eventos dentro do projeto Cultura em Campo. O público pôde aproveitar
a diversidade cultural baiana assistindo a apresentações de música, teatro, circo,
dança, exposições de artes visuais, performances, exibições de filmes, leituras
públicas, entre muitas outras atrações, como ações de formação e debates sobre
futebol e cultura. A agenda especial se estendeu durante os 15 dias da copa no mês
de junho.

CULTURA INCLUSIVA
A SecultBA desenvolve atividades voltadas para pessoas com deficiência. O
setor especializado em Braille da Biblioteca Pública do Estado da Bahia promove
a gravação de audiolivros e abriga o Grupo de Voluntários Copistas e Ledores
para Cegos, que desempenha atividades de leitura, transcrição de textos,
escrita em braille e digitação. A biblioteca conta com setor infantil especializado
no atendimento a crianças com deficiência. A Biblioteca Anísio Teixeira oferece
32
serviço de referência no atendimento aos deficientes auditivos. Cursos e oficinas
de libras (Língua Brasileira de Sinais), de expressão facial e corporal para ajudar
na comunicação e também de português para pessoas com deficiências são
realizados. A Primavera da Inclusão e o Dia Nacional de Luta da Pessoa com
Deficiência, comemorados em 21 de setembro, incluem workshops, rodas de
conversa e torneios de xadrez para cegos, além de palestras e oficinas. A Diretoria
de Museus realizou evento específico voltado para as pessoas com deficiência e,
na V Conferência Estadual de Cultura, além da temática ser debatida, foram eleitos
representantes da Bahia para a III Conferência Nacional de Cultura, vinculados a
esta luta.

33
CALENDÁRIO SECULT-BA 2014

JANEIRO
• Solar 40º Graus: “O Gostoso do Verão” (Sudecult/Cine Teatro Solar Boa Vista)
• 06, 20: Sarau da Casa da Música (Sudecult)
• 09, 23, 30: Cinema na Praça (Sudecult/Alagados)
• 10 a 18: Festival Nacional de Vale Curtas - Juazeiro
• 22: Lançamento do edital de 150 novos Pontos de Cultura
• 22: Lançamento da publicação Bahia – Terra da Cultura, no Vão Livre do
TCA, com performance do Grupo NATA
• 26: Encontros de Domingos – (Sudecult)
• Lançamento Plano Bahia Criativa (Suprocult)
• Projeto Férias na Biblioteca (FPC)
• Janeiro a dezembro: Visitas Guiadas à Casa de Cultura de Mutuípe (Sudecult)

FEVEREIRO
• 27/02 a 04/03: Carnaval da Cultura: Ouro Negro, Carnaval do Pelourinho
e Outros Carnavais, incluindo o Palco do Rock e os festejos tradicionais
do Carnaval de Maragojipe
• 06: Cinema na Praça (Sudecult/Alagados)
• 06 a 24: Oficinas de Verão (Sudecult/Xisto)
• 06, 13, 20, 27: Cinema na Praça (Sudecult/Alagados)
• 13: Viva o Abaeté (Sudecult)
• 15/02 a 15/03: Exposição Itapuã e sua gente, do fotógrafo Fernando
Barros, na Casa da Música – Abaeté. Em homenagem ao centenário de
Dorival Caymmi
• 17: Sarau da Casa da Música (Sudecult)
• 18 e 25: Circuito Popular de Cinema e Vídeo, em 13 Espaços
• Até dia 25: Solar 40º Graus: “O Gostoso do Verão” (Sudecult/Cine Teatro
Solar Boa Vista)
• 21: Lançamento do Credenciamento de artistas, bandas e grupos para
apresentação nos Espaços Culturais da Secult (Sudecult)
• 26: Resultado da 2ª Chamada de 2013 do Calendário das Artes (FUNCEB)
• Férias na Biblioteca (FPC)
• Projeto Verão (FPC)
• 23: Encontros de Domingo do Espaço Xisto (Sudecult)
34
• Fevereiro a Setembro: início do Projeto Ocupação Cultural – Centro de
Cultura Olívia Barradas em Valença (Sudecult)

MARÇO
• 03, 17, 31: Sarau da Casa da Música (Sudecult)
• 05, 19, 26: Sessão de Conversa (Sudecult/Espaço Cultural Alagados)
• 06: Vídeo Criança (Sudecult/Espaço Cultural Alagados)
• 10 e 11: I Encontro de Coordenadores dos Espaços Culturais 2014 (Sudecult)
• 13: Lançamento do Programa Xisto Amigo, com o espetáculo “O Indignado”
• 13: Início das inscrições do credenciamento de artistas, bandas e grupos
para os Espaços culturais da Secult
• 13 e 14: Show Elas por Elas, com Rosa Passos, Jussara Silveira, Marcia
Castro, Inaicyra, Juliana Ribeiro e Rebeca Matta
• 10 a 14: Formação para Representantes Territoriais de Cultura – Sistema
Municipal de Cultura (Sudecult)
• 11, 18, 25: Circuito Popular de Cinema e Vídeo (12 Espaços Culturais da
SECULT)
• 12: Lançamento DVD do Mapeamento e Memória do Circo da Bahia (FUNCEB)
• 13, 20, 27: Vídeo Criança (Sudecult/Espaço Cultural Alagados)
• 14: Aniversário de Castro Alves (Parque Histórico – Cabaceiras do Para-
guaçu - IPAC/DIMUS)
• 14: Prêmio Pierre Verger - Lançamento do Catálogo e abertura da Ex-
posição O Suicídio do Meu Pai, do fotógrafo André Penteado, na Galeria
Solar Ferrão (FUNCEB)
• 14 a 30: Festival Internacional de Artistas de Rua
• 17: Viva o Abaeté – Casa da Música (Sudecult)
• 18: Fórum do Pensamento Crítico nos Territórios, Centros de Cultura de
Alagoinhas, Santo Amaro, Feira de Santana e Juazeiro (Sudecult)
• 24 a 28: III Fórum do Pensamento Crítico Autoritarismo e Democracia no
Brasil e na Bahia: 1964 – 2014 (FPC - TCA)
• 25 a 27: I Seminário e Workshop Trançados, Torsos e Turbantes na Cul-
tura afrobrasileira: Estética, Moda, Arte e Religião, no Forte da Capoeira
• 25/03 a 6/04: Lançamento do Kit Difusão do Teatro da Bahia + Mostra
Baiana no FRINGE do Festival de Teatro de Curitiba (FUNCEB)
• 27: Mês do Teatro e Circo - Centro de Cultura Olívia Barradas em Valença
(Sudecult)
• 30: Encontros de Domingo do Espaço Xisto Bahia (Sudecult)

35
• Março a Novembro: Projeto de iniciação musical – Centro de Cultura João
Gilberto em Juazeiro (Sudecult)
• Educação Patrimonial - Circuitos Arqueológicos da Chapada Diamantina
2ª Etapa (IPAC/Boninal e Ibicoara)
• Curso de Libras (FPC)
• Lançamento Infocultura São João
• Por dentro da Casa (Sudecult/Plataforma)
• Entrega da reforma do Oratório da Cruz do Pascoal, no bairro do Santo
Antônio Além do Carmo, em Salvador-BA (IPAC)
• Toda quarta: Sessão de Conversa, Espaço Cultural Alagados (Sudecult)

ABRIL
• 01 a 30: Mostra de Dança – Quarta que Dança 2013 (FUNCEB)
• 01, 08, 15, 22: Circuito Popular de Cinema e Vídeo (13 Espaços Culturais
da SECULT)
• 02: Sessão de Conversa (Sudecult/Espaço Cultural Alagados)
• 02 a 04: Exposição Direito à Memória (FPC - Complexo Cultural dos Barris)
• 02 a 04: Gazeta histórica - Ditadura Militar (FPC)
• 03 e 04: “Simpósio Internacional Berlim/Salvador - Reapropriação Urbana
entre Marketing e Autoafirmação”, organização Instituto Cultural Brasil
Alemanha, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFBA e IPAC
• 03, 10, 17, 24: Vídeo Criança (Sudecult/Espaço Cultural Alagados)
• 04/04 a 02/08: Interação e Conectividade - Encontro de Dança
• 09, 16, 23: Sessão de Conversa (Sudecult/Espaço Cultural Alagados)
• 11: Abertura Salão de Artes Visuais da Bahia em Lençóis (FUNCEB). Até 25/05
• 11, 12, 13: DançAbril – V Encontro Interação em Dança - Centro de Cultura
Olívia Barradas em Valença (Sudecult)
• 14, 28: Sarau da Casa da Música (Sudecult)
• 21 a 25: Viva Dança (parceria Sudecult/Xisto)
• 25: Lançamento da Exposição em homenagem a Dorival Caymmi - Casa
da Música (Sudecult)
• 25 e 26: DançAbril – IV Festival Resistência Hip Hop (- Centro de Cultura
Olívia Barradas em Valença (Sudecult)
• 24/04 a 25/05: XVI Festival Nacional 5 Minutos Expandido – Paulo Afon-
so, Vitória da Conquista, Cachoeira e Salvador (FUNCEB)
• 27: Evento da Biblioteca Itinerante (FPC)
• 27: Encontros de Domingo do Espaço Xisto Bahia (Sudecult)
• 28: Sarau da Casa da Música (Sudecult)
36
• 28, 29 e 30: Itapuã Canta Caymmi - Casa da Música (Sudecult)
• 29: Circuito Popular de Cinema e Vídeo (13 Espaços Culturais da SECULT)
• 29: Lançamento da Incubadora Bahia Criativa (Suprocult)
• 29: Terça Cultural (Sudecult/Espaço Cultural Alagados)
• 29: Dançando nos Espaços – Diversas ações nos espaços culturais da
SECULT no Dia da Dança (Sudecult)
• 30: Centenário de Dorival Caymmi. Evento comemorativo “Caymmi: de
Itapuã para o mundo”
• Abril a outubro 2014: Conversando com a sua História (FPC)
• Oficinas Territoriais dos Sistemas Municipais de Cultura – nos 27 Terri-
tórios de Identidade (Sudecult)
• Encontro e Mostra Juazeirense de Dança - Centro de Cultura João Gil-
berto (Sudecult)
• Caravana Circuito Popular de Cinema e Vídeo (Sudecult)
• Semana do Livro e da Leitura (FPC)
• Simpósio Eu Guardo a Luz das Estrelas, a Alma de Cada Folha: o uso das
folhas pela sabedoria popular - Cultura, Ciência e Religião (CCPI)
• Seminário e Exposição Clara Claridade (CCPI)
• Lançamento do InfoCultura sobre Indicadores Culturais
• Reabertura Centro de Cultura ACM – Jequié (Sudecult)
• Curso de Qualificação em Artes – Espaços Culturais do Interior (Sude-
cult/FUNCEB)
• Bate-papo Musicado (Sudecult/Casa da Música)
• Encontros de Domingo – último domingo de cada mês (Sudecult/Xisto)
• Danças do Mundo - Ano II (Sudecult/Xisto)
• Edição dos anais do Curso Manuel Querino – Personalidades Negras
2010, 2011, 2012, 2013 (CCPI)
• Encontro com Gestores Estaduais de Fomento (Suprocult)

MAIO
• 01, 08, 15, 22, 29: Vídeo Criança (Sudecult/Espaço Cultural Alagados)
• 01 a 30: Oficinas Territoriais com os dirigentes municipais sobre SMC –
realizada pelos RTCs (Sudecult)
• 01 a 30: Cursos no Velho Chico e Sertão Produtivo (Sudecult)
• 03 a 15: FUNCEB Itinerante (FUNCEB)
• 06, 20, 27: Circuito Popular de Cinema e Vídeo (14 Espaços Culturais da
SECULT)
• 07: Centenário de Diógenes Rebouças
37
• 08 a 10: Teia Bahia – II Encontro da Rede de Pontos de Cultura da Bahia
• 10: Abertura do Salão de Artes Visuais da Bahia, em Barreiras (FUNCEB),
até 26 de junho
• 12 a 16: Semana de Política e Gestão Culturais do Itaú Cultural – Centro
de Cultura Amélio Amorim Feira de Santana (Sudecult)
• 13: Circuito Popular de Cinema e Vídeo (14 espaços culturais da SECULT)
• 14: Sessão de Conversa (Sudecult/Espaço Cultural Alagados)
• 15 a 18: VII Semana Literária de Porto Seguro - Centro de Cultura de Por-
to Seguro (Sudecult)
• 16: Abertura Salões de Artes Visuais - Lençóis (FUNCEB)
• 18: Dia Internacional dos Museus (IPAC/DIMUS)
• 19 a 23: Teia Nacional
• 25 a 30: IV Caravana Cultural – Sertão Baiano
• 23 a 25: Festival de Arte e Cultura de Mutuípe – Casa de Cultura de Mu-
tuípe (Sudecult)
• 25: Encontros de Domingo do Espaço Xisto Bahia (Sudecult)
• 26 a 30: Encontro de formação dos 150 novos Pontos de Cultura (Sudecult)
• 27 de maio a 07 de setembro: III Bienal da Bahia (Diversos equipamentos
em Salvador e outras cidades)
• 27 - Projeto Musicalizar – Música Sem Fronteiras – Centro de Cultura
Olívia Barradas em Valença (Sudecult)
• 29 de maio a 07 de setembro: III Bienal da Bahia, em Salvador e no interior
da Bahia
• 29.05 a 01.06: Festival de Cultura do Território Baixo Sul – Centro de Cul-
tura Olívia Barradas/Valença (Sudecult)
• Toda quarta: Sessão de Conversa, no Espaço Cultural Alagados (Sudecult)
• Salão Baiano de Turismo
• Maio a Dezembro: Escritas em Trânsito (FUNCEB)
• Educação Patrimonial - Circuitos Arqueológicos da Chapada Diamantina
2ª Etapa (IPAC/Andaraí e Mucugê)
• Semana de Museus (IPAC/DIMUS)
• Memória dos Bairros (FPC)
• Gazeta Histórica Memória dos Bairros (FPC)
• Projeto “Dois na Roda – Diálogos Sobre Capoeira” (CCPI)
• I Seminário Sociedades de Auxílio Mútuo e Irmandades de Cor – História
e Atualidade (CCPI)
• Lançamento da Exposição Memória de Nossa Terra – Casa de Cultura de
Mutuípe (Sudecult)
38
• Exposição “Memória Visual do Teatro Baiano”, no Espaço Xisto Bahia
(Sudecult)
• Maio na Música – Homenagem a Caymmi nos Espaços: Xisto, Solar Boa
Vista, Plataforma, Alagados, Casa da Música e Camilo de Jesus Lima em
Vitória da Conquista (Sudecult)
• Circulação de Paulinho Boca – 11 espaços Culturais da Secult (Sudecult)
• Curso de Gestores da FUNDAJ/Módulo Salvador

JUNHO
• 01 a 08: VIII Festival Caldeirão Cultural Centro Cultural Plataforma (Sudecult)
• 02, 03 e 04: Seminário “Danças e Esportes - Interfaces Possíveis” - Espaço
Xisto Bahia (Sudecult)
• 03 a 05: I Seminário Sociedades de Auxílio Mútuo e Irmandades de Cor –
História e Atualidade (CCPI) (transferido de maio para junho, devido a IV
Caravana Cultural – Semiárido)
• 03 a 08: III Festival de Arte e Cultura do Território do São Francisco -
Centro de Cultura João Gilberto em Juazeiro (Sudecult)
• 04: Abertura Salões de Artes Visuais - Vitória da Conquista (FUNCEB)
• 04, 05 e 06: Encontro de Política e Gestão Culturais (Sudecult)
• 11 a 13: Ações de Integração com a Comunidade de Santo Antônio Além
do Carmo + Tríduo de Santo Antônio (CCPI)
• 29: Encontros de Domingo do Espaço Xisto Bahia (Sudecult)
• III Bienal da Bahia (até 07 de setembro)
• São João no Pelô
• Seminário Edison Carneiro 100+2 (CCPI)

JULHO
• 01 a 31: Julho + Solar - Solar Boa Vista (Sudecult)
• 02: Comemorações da Independência do Brasil na Bahia
• 12 a 14: Cantoria de São Gabriel
• 15, 22 e 29: Circuito Popular de Cinema e Vídeo, em 13 espaços (Sudecult)
• 18: Abertura Salão de Artes Visuais da Bahia em Vitória da Conquista
(FUNCEB). Em cartaz até 31 de agosto
• 25: Lançamento da reedição dos Anais do II Congresso Afrobrasileiro de
1937 (Parceria FPC – CCPI)
• 27: Encontros de Domingo do Espaço Xisto Bahia (Sudecult)
• 30: Bate-papo com escritores do Território do Baixo Sul - Centro de Cul-
tura Olívia Barradas em Valença (Sudecult)
39
• 31 de julho a 02 de agosto: Festival de Corais Vozes na Chapada – Mucugê
• Toda quinta: Vídeo Criança - Espaço Cultural Alagados (Sudecult)
• Toda quarta: Sessão de Conversa - Espaço Cultural Alagados (Sudecult)
• Julho a Novembro: Circulação de Exposições nos espaços culturais (Sudecult)
• Seminário e lançamento de Revista História da Bahia – História Social do
Futebol (FPC)
• Lançamento do Infocultura Indicadores Culturais
• III Bienal da Bahia (até 07 de setembro)
• Julho a novembro: início das Oficinas Artísticas no Parque São Bartolomeu
(Sudecult)
• Julho a novembro: Implantação dos Núcleos de Formação Artística na
Casa da Música e Centros de Cultura de Plataforma, Alagados e Valença
(Sudecult)
• Ações de Literatura e Poesia - Casa de Cultura de Mutuípe (Sudecult)

AGOSTO
• Até 02 de agosto: Festival de Corais Vozes na Chapada – Mucugê
• 05, 12 , 19 e 26: Circuito Popular de Cinema e Vídeo, em 13 espaços (Sudecult)
• 12 e 13: Seminário Edison Carneiro 100+2 (CCPI)
• 14 e 15: Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultu-
ra (Salvador- BA)
• 17: Dia do Patrimônio Cultural (IPAC)
• 18: Centenário de Rômulo Barreto de Almeida
• 21, 22 e 23: Oficinas de Culturas Populares - Centro de Cultura Olívia
Barradas em Valença (Sudecult)
• 26 a 28: Simpósio Eu Guardo a Luz das Estrelas, a Alma de Cada Folha: o
uso das folhas pela sabedoria popular - Cultura, Ciência e Religião (CCPI)
• 31: Encontros de Domingo do Espaço Xisto Bahia (Sudecult)
• Toda quinta: Vídeo Criança - Espaço Cultural Alagados (Sudecult)
• Toda quarta: Sessão de Conversa, no Espaço Cultural Alagados (Sudecult)
• III Fórum de Arquivos e Bibliotecas Públicas (FPC)
• Curso de Libras (FPC)
• Semana da Cultura Popular (CCPI)
• Lançamento do Documentário D. Dalva, a Dama do Samba de Roda (CCPI)

SETEMBRO
• 01 a 06: Mostra Cinema Conquista - Vitória da Conquista
40
• 02, 09, 16, 23 e 30: Circuito Popular de Cinema e Vídeo, em 13 Espaços
(Sudecult)
• 03 a 08: CachoeiraDoc - Festival de Documentários de Cachoeira
• 04: Abertura Salão de Artes Visuais - Vitória da Conquista (FUNCEB)
• 11 a 21: FilteBahia
• 13: 47 anos do IPAC
• 16 a 19: Mostra Alagados em Cena – Ano III (Sudecult)
• 18: Lançamento da série ‘Cadernos do IPAC’ - Escola Parque (IPAC)
• 28: Encontros de Domingo do Espaço Xisto Bahia (Sudecult)
• Toda quinta: Vídeo Criança - Espaço Cultural Alagados (Sudecult)
• Toda quarta: Sessão de Conversa, no Espaço Cultural Alagados (Sudecult)
• Primavera da Inclusão (FPC)
• Setembro e Outubro: Quarta que Dança 2014 (FUNCEB)
• Setembro e Outubro: Eleições dos Colegiados Setoriais das Artes da
Bahia – 2º mandato (FUNCEB)
• Ação Poética nas Comunidades (FUNCEB)

OUTUBRO
• 01 a 25: Festival Xistinho – Arte, Brincadeira e Traquinagem - Ano III (Sudecult)
• 07, 14, 21 e 28: Circuito Popular de Cinema e Vídeo, em 13 espaços (Sudecult)
• 22: Lançamentos do Bahia Music Export vol. 6 (Ass./FUNCEB)
• 14 a 21: Festival de Música Instrumental da Bahia
• 24/10 a 01/11: FIAC Bahia
• 26: Encontros de Domingo do Espaço Xisto Bahia (Sudecult)
• 31/10 a 07/11: Panorama Internacional Coisa de Cinema
• Semana da Criança no Pelô (CCPI)
• Semana de Arte e Cultura do Litoral Norte e Agreste de Alagoinhas (Sudecult)
• Quartas e sextas: Oficinas de Dança Infantil Centro de Cultura Olívia Bar-
radas em Valença (Sudecult)
• Mês da Criança – Diversas Atividades Casa de Cultura de Mutuípe (Sudecult)
• Toda quinta: Vídeo Criança Espaço Cultural Alagados (Sudecult)
• Festival Mapa Musical da Bahia (FUNCEB)
• Toda quarta: Sessão de Conversa - Espaço Cultural Alagados (Sudecult)

NOVEMBRO
• 04, 11, 18 e 25: Circuito Popular de Cinema e Vídeo, em 13 espaços (Sudecult)
• 05: Dia da Cultura
41
• 07 a 09: Festival Umbuzada Sonora - Juazeiro
• 09 a 30: Festival de Filarmônicas do Recôncavo - São Félix
• 20: Dia da Consciência Negra
• 25: Dia da Baiana e Samba de Roda (CCPI)
• 29: Evento de Posse dos novos membros dos Colegiados Setoriais das
Artes (FUNCEB)
• 30: Encontros de Domingo do Espaço Xisto Bahia (Sudecult)
• Posse dos Colegiados Setoriais das Artes da Bahia – 2º mandato (FUNCEB)
• Abertura da mostra especial premiados Salões de Artes Visuais da Bahia
2013 no MAM (FUNCEB)
• III Encontro das Culturas Negras (CCPI)
• Novembro Negro em Porto Seguro - Centro de Cultura de Porto Seguro
(Sudecult)
• Toda quinta: Vídeo Criança - Espaço Cultural Alagados (Sudecult)
• Toda quarta: Sessão de Conversa - Espaço Cultural Alagados (Sudecult)

DEZEMBRO
• 01: Seminário e Exposição Clara Claridade (CCPI)
• 02: Dia do Samba (CCPI)
• 04: Festa de Santa Bárbara (CCPI)
• 05: Centenário de Lina Bo Bardi
• 13: Festa de Santa Luzia (CCPI)
• Revista História da Bahia (FPC)
• Temporada Verão Cênico 2014 (FUNCEB)
• Lançamento do Infocultura Eventos Calendarizados

OUTRAS ATIVIDADES:
• Formação em Cultura (PRONATEC, Qualicultura, CFA etc)
• 40 anos da FUNCEB/DIMAS
• 30 anos da Escola de Dança
• Salões de Artes Visuais da Bahia 2014 (FUNCEB)
• Cinema Expandido (FUNCEB)
• Programa de Qualificação nos Circos 2014 (FUNCEB)
• Kit Difusão da Dança da Bahia (FUNCEB)
• Programa de Qualificação em Música 2014 (FUNCEB)
• 100 Anos de Diógenes Rebouças (1914-1994) – Exposição no MAB

42

Você também pode gostar