Você está na página 1de 36

1.

Elaboração do Orçamento Anual


Estrutura do Capítulo

1.1. Natureza e objetivos do orçamento


1.2. Programas e orçamentos
1.3. Sistemas de orçamento
1.4. Implementação de um orçamento anual: os orçamentos
de exploração; orçamentos financeiros e de resultados e
demonstrações financeiras previsionais
Enquadramento do Tema

“Muitos dos planos empresariais


fracassam por falta de planeamento”
Estratégias e Planos

A análise estratégica estuda a forma como uma


organização pode combinar melhor as suas
próprias capacidades com as oportunidades de
mercado, com vista a alcançar os seus objetivos
gerais.
Estratégias e Planos

1. Quais são os objetivos gerais da organização?


2. Os mercados para os seus produtos/serviços são
locais, regionais ou globais? Quais as tendências
que afetaram os mercados? Como é que a
organização é afetada pela economia, a sua
industria e os concorrentes?
3. Quais as formas de estrutura organizacional e
financeira que melhor atendem à organização?
4. Quais são os riscos das estratégias alternativas e
quais são os planos de contingência da empresa se
o plano principal falhar?
Estratégias e Planos

O PLANEAMENTO ANUAL - O planeamento tem como


finalidade programar as atividades da empresa, de modo a
alcançar os objetivos previamente definidos.

Deste modo, o processo de planeamento abarca dois


períodos de tempo:
•Um a médio/longo prazo (feito a 3 ou 5 anos):
Planeamento estratégico;
•Um a curto prazo (feito para o próximo ano):
Planeamento operacional.

O planeamento operacional tem de estar em sintonia com


o planeamento estratégico, de forma a que este possa ser
concretizado no futuro.
Estratégias e Planos

Análise estratégica na formulação de orçamentos de l/c


prazo
Alguns conceitos

Natureza dos custos:

Custos de produção ou do serviço;


Custos diretos e indiretos
No caso do serviço de refeições, a sua produção obriga a gastos
diretos (MP e MOD) e indiretos (outras despesas);
Custos variáveis e custos fixos, variam ou não na razão
direta da maior ou menor atividade;
Gastos comerciais: são encargos relacionados com a venda
do serviço, incluindo a sua colocação no mercado;
Natureza e Objetivos do Orçamento
Natureza

- O Orçamento traça o rumo/trajeto de uma empresa delineando o


seu percurso em termos financeiros;

- O Orçamento tal como um mapa de estradas permite à empresa


operar durante um ano e reduzir os riscos e inconvenientes que daí
possam resultar;

- Permite antecipar situações difíceis e reagir em tempo útil face a


adversidades;

- Permite tomar decisões à priori.


A Gestão Orçamental abrange as funções de
planeamento e controlo, ou seja, não é mais do que
uma aplicação restrita dos princípios gerais da gestão
das empresas, abrangendo as referidas funções de
planeamento e controlo.

O orçamento envolve o estabelecimento de metas


específicas, a execução de planos para atingir as metas
e, por último, a comparação periódica dos resultados
efetivos com as metas.
Objetivos:

Os objetivos do orçamento centram-se em quatro


funções essenciais da gestão:

Planeamento
Organização / Direção
Controlo
1
12
Definir os
Tomar as
Objetivos
11 medidas
2
corretivas
Comparar os
Estabelecer os
resultados com
programas de
os padrões
ação
10
3
Medir os
resultados Determinar os
atuais Orçamentos

9 4

Formar Departamentalizar

5
8 Precisar as
relações de
Comunicar autoridade
7 6
Motivar Definir as
tarefas
Objetivo 1 - Planeamento:

Estabelecimento de metas específicas – O orçamento


exige o planeamento e todas as partes envolvidas
planeiam os seus objetivos para o período seguinte.

Melhorar a tomada de decisão


Objetivo 2 – Organização/Direção

Execução de planos para atingir metas

A coordenação de meios para atingir os fins


• Objetivo 3 - Controlo:

Comparação periódica dos resultados efetivos


com as metas Fornece feedback aos RH e
gestores sobre a sua performance

O Controlo
Programas e Orçamentos
Os programas/planos e orçamentos são conceitos complementares na
medida em que uns influenciam os outros;

Os programas dependem sempre de quantidades


estabelecem um nível de atividade que pode ser medido nas mais
diferentes medidas, nomeadamente:

- Quantidades a produzir, a vender e a comprar;


- Atividade (hm, Hf…);
- Mão de obra (Hh).

Os orçamentos são sempre expressos em unidades monetárias.


Sistemas de Orçamento
• Os sistemas orçamentais variam de empresa para empresa em virtude
de vários fatores, nomeadamente:

– Estrutura organizacional;
– Complexidade organizacional;
– Filosofia Administrativa;
– Tipos de negócios: Serviços, comércio, indústria.

De uma forma geral podemos identificar dois tipos fundamentais de orçamentos:

- ORÇAMENTO RÍGIDO;
- ORÇAMENTO FLEXÍVEL
• Orçamento Rígido: Mostra os resultados esperados de um centro de
responsabilidade para apenas um nível de atividade. Se a atividade de um
centro de responsabilidade mudar, o orçamento não acompanha essa
mudança, mantendo-se a previsão inicial e apurando-se as
responsabilidades nos desvios.

• De uma forma genérica podemos definir assim os orçamentos rígidos:


– Baseados num único nível de produção;
– Os desvios não implicam ajustamentos;
– Desvios estáticos que podem ser decompostos em desvios Flexíveis e
de Vendas.
• Orçamento Flexível: Mostra os resultados esperados para diferentes níveis de
atividade dos centros de responsabilidade.

• De uma forma genérica o orçamento flexível apresenta as seguintes características:

– Baseados nas previsões de vendas;


– Os desvios implicam ajustamentos ao novo nível de produção ou vendas;
– Permitem melhor conhecimento, análise e responsabilização dos desvios;
– São utilizados pela maioria das empresas.
• Podemos ainda referir um outro tipo de orçamento que apesar de ainda não se
utilizar muito a nível das empresas privadas começa a verificar-se nas
entidades públicas, isto é, o ORÇAMENTO BASE ZERO (ZBB-Zero Base
Budgeting), que apresenta com principais características:

• Cada setor justifica todas as suas despesas;


• A unidade organizacional ou de decisão é obrigada a operar de forma eficiente
e eficaz em relação a um dado nível de recursos.

• Iniciado pela TEXAS INSTRUMENTS no final da década de 60.

• Esta técnica orçamental parte do princípio de que todos os valores históricos


da empresa devem ser ignorados e/ou esquecidos. O orçamento será apenas a
tradução daquilo que a empresa conseguiria se iniciasse hoje a sua atividade.
• Os defensores do ZBB afirmam que, assim, a empresa conseguirá fixar no seu
orçamento a eficácia e a eficiência e, por conseguinte, maximizar a sua
competitividade.
Implementação de um Orçamento
Anual
Fases da Gestão Orçamental

– Definição de programas e orçamentos e sua interligação para o


período a planear, e que serão a base de atuação;
– Procedimentos gerais e orientações básicas a definir pela direção;
– Procedimentos de execução e aprovação dos orçamentos;
– Definição do órgão coordenador do orçamento;
– Acompanhamento e registo da atividade real da empresa e
comparação com os valores orçamentados;
– Apuramento dos desvios e suas causas;
– Medidas de correção de modo a evitar, no futuro, desvios
idênticos.
• Plano interno - Procurar conhecer os coeficientes
respeitantes a uma determinada atividade económica na
região e no país (associações profissionais e organismos
oficiais);

• Plano externo – Identificar, quer os fatores que exercem um


impacto direto e permanente sobre as vendas, quer os que
se manifestem de uma forma episódica: acontecimentos
desportivos, culturais, feiras, exposições,…

• Evolução da situação económica nacional e internacional…


• Orçamento – conceitos

“Verdadeiro contrato, que apresenta as previsões de um


programa de atividades, e define objetivos de gestão, de
curto prazo, para cada nível de decisão” Michel Leroy

“Sintetiza as projeções financeiras de todos os


orçamentos e planos setoriais, para um dado período,
geralmente um ano” Horngren
Período de elaboração do Orçamento:

• Existem duas formas de elaborar orçamentos:

– Primeira – Elabora-se durante o 4º trimestre do ano


permitindo que em dezembro esteja elaborado para os 12
meses imediatamente a seguir;

– Segunda – Elabora-se de uma forma contínua, isto é, em


cada mês o orçamento está sempre pronto para os doze
meses subsequentes.
Elaboração de um Orçamento (n+1):

• A elaboração de um orçamento anual para o ano seguinte àquele em que a


empresa se encontra, não pode ser feito de uma forma independente de vários
fatores que inevitavelmente têm que ser tidos em conta, nomeadamente:

– Orçamento do ano N;

– Previsões da atividade quantificadas e, posteriormente, valorizadas a preços


ou custos standard;

– Elaborar os orçamentos de forma descentralizada, e coordenados e


consolidados pelo órgão coordenador do orçamento;

– Ter em conta variáveis exógenas, taxa de juro, inflação, crescimento do PIB,


taxas de câmbio, setor etc.
Vantagens do Orçamento

• Hábitos de disciplina – Permite o planeamento e a fixação de


objetivos que por sua vez serão avaliados periodicamente;
• Avaliação de desempenho – Os órgãos hierárquicos superiores
bem como os próprios trabalhadores terão uma referência para
controlar os seus níveis de performance;
• Implica imaginação – Promove-se a imaginação entre as partes
como que se tratasse de uma concorrência interna saudável;
• Incentiva previsões – O incentivar previsões é o mesmo que dizer
que cada um dos envolvidos se auto avalia e projeta aquilo que se
julga capaz;
• Promove a comunicação, a motivação e a descentralização.
Esquema de um orçamento para uma empresa comercial

Orçamento de Orçamento dos


Orçamento
compras gastos
vendas
(inventario) comerciais

Orçamento de
Orçamento Orçamento de
gastos
Financeiro tesouraria
administrativos

Demonstração
Balanço
de resultados
Previsional
previsionais
Esquema de um orçamento para uma empresa transformadora

Orçamento de
Orçamento de
Orçamento vendas inventário de
produção (*)
produtos acabados

Orçamento de
Orçamento de Orçamento dos
gastos
tesouraria gastos comerciais
administrativos

Demonstração de
Orçamento
resultados Balanço Previsional
Financeiro
previsionais
Desdobramento do orçamento da produção

Orçamento de
produção

Orçamento dos Orçamento do Orçamento dos


inventários de consumo de gastos de
matérias matérias produção

Orçamento dos
Orçamento de
custos de
compras
produção
• Elaboração do ORÇAMENTO OPERACIONAL

– Os diversos orçamentos e aplicação prática (exercício


1)
• CAIADO, A, (2020). Contabilidade Analítica e de Gestão. 9ª Edição.
Lisboa: Áreas Editora. ISBN: 9789899010017.

• FRANCO et al. (2012). Temas de Contabilidade de Gestão - Gestão


orçamental e medidas financeiras de avaliação de desempenho.
3ª edição, Lisboa: Livros Horizonte Editora. ISBN: 9789722417617.

Você também pode gostar