29/11/2010

CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA
DL50 (V.O) (mg/Kg) CLASSIFICAÇÃO Sólido Líquido DL50 (dérmica) (Mg/Kg) Sólido Líquido CL50 (inalatória)

USO DE PRAGUICIDAS
Terceira etapa
PROF. PABLO FARIAS

CLASSE I A - Extremamente tóxico CLASSE I B - Extremamente tóxico CLASSE II Altamente tóxico CLASSE III Medianamente tóxico CLASSE IV Pouco tóxico < 100 >100 < 500

DL50 < 25mg/Kg V.O. ou 100mg/Kg Dérmica < 200 >500 < 2000 >2000 < 6000 > 6000 < 200 >200 < 1000 >1000 < 4000 > 4000 < 400 >400 < 4000 >4000 < 12000 >12000 < 0,2 >0,2 <2 >2 < 20 > 20

>500 < 2000 >2000

ANTICOLINESTERÁSICOS
• Capazes de inibir a AchE • Usados como gases de guerra
– Tabum e Sarin

• Atualmente – medicamentos
Capítulo 5 (FILHO, 2001)

– Fisiostigmina e neostigmina

ANTICOLINESTERÁSICOS

• Líquidos, pós, coleiras de cachorros...

ANTI-AChE
• Lipossolúveis
– Absorção
• Respiração>TGI>cutânea

LIGAÇÃO COM RECEPTOR
+

..

H

• Organofosforados Thions
– Não inibem a AchE
• P=S

– Após oxidados (fígado) tornam-se ativos
• P=O

1

29/11/2010 Drogas colinérgicas indiretas • Inibidores da colinesterase – Reversíveis • Endrofônio. glicemia. taquicardia. 2 . depressão do centro respiratório e coma. Aminas mono e bisquaternárias Carbamatos com aminas terciárias ou quaternárias (uso clínico) Carbamatos Organofosforados • 2º . função renal e hepática. convulsão.. radiografia de tórax. gasometria arterial. cefaléia...Exames complementares • Dosagem da AChE – Pseudocolinesterase • Carbamatos – Enzima recuperada em até 24h • Sintomas no adulto – Clássicos: miose e fasciculação • Organofosforados – Enzima recuperada após 72h até dias • CCD – Detectar agentes inibidores • Sintomas na criança – Depressão do SNC (100%) e hipotonia (100%) • Outros exames – Ionograma. sudorese. ANTI-AChE . lacrimejamento.manifestações nicotínicas – Fasciculação... cãimbras. carbamatos LIGAÇÃO COM A ACETILCOLINESTERASE Colina Acetil CoA Centro esteárico Centro aniônico Proteína – Irreversíveis • Organofosforados Ação dos anticolinesterásicos Centro esteárico Centro aniônico Proteína ANTI-AchE – Manifestações clínicas • Aparece com 50% da AChE inibida • Tempo da manifestação depende da via e da dose • 1º . sialorréia..A. tremores. – Sinal de gravidade ANTI-AchE – Manifestações clínicas • Comprometimento do SNC – Ansiedade. Respiratória..manifestações muscarínicas – Miose. cólicas. I. H.

câncer. uremia.suporte • Prognóstico – Suporte para respiração – Canular veia periférica – Atropina – Diazepam se convulsões • Drogas que diminuem a atividade da enzima – Sulfatos. fluoretos. herbicidas e fumigantes • Pós II GM • Proibidos nos EUA desde 1972 • Ligados a casos de câncer dentre outras ações ORGANOCLORADOS . citratos..Farmacologia • • • • Lipossolúveis Metabolizados pelo CYP450 São indutores enzimáticos Mecanismo pouco esclarecido – Modificam o fluxo de Na e K no axônio • Resulta em disparos repetitivos de impulsos nervosos – DDT inibe a Na/K ATPase – Ciclodienos. cirrose. gravidez e policitemia (aumento de hemácias) ANTI-AChE .. fenotiazinas.29/11/2010 ANTI-AChE – Diagnóstico diferencial • Doenças que diminuem a atividade da enzima – hepatite. raticidas. fungicidas. alergias.Tratamentos • Inicialmente . codeína. • Segundo passo – descontaminação – Lavagem • Não induzir vômito • Depende da agilidade do atendimento • A recuperação pode levar mais de 20 dias – Carvão ativado – Pralidoxima ORGANOCLORADOS • • • • • Toxafeno Hexaclorocicloexano Dodecacloro e clordecona DDT e análogos Ciclodienos Capítulo 34 (FILHO. hexaclorodienos e toxafeno • Inibição do GABA 3 . 2001) ORGANOCLORADOS E PIRETRÓIDES ORGANOCLORADOS • Inseticidas.

Observar por até 12h • Outros exames de acordo com o quadro clínico – Ionograma. CK. radiografia de tórax. Arritmia – Lidocaína Vômitos – metoclopramida i. convulsões. hiperexcitabilidade. função renal e hepática. desconforto abdominal e diarréia ORGANOCLORADOS – manifestações clínicas • Exposição crônica – Perda de peso. obnubilação. vertigem. arritmias. tremores.manifestações neurológicas – Cefaléia. ORGANOCLORADOS – Exames complementares • Níveis de organoclorado no sangue e na urina – Cromatografia gasosa • • • • • • • • • • • ORGANOCLORADOS – Tratamento Não há antídoto • Prognóstico Manutenção da vida • Bom se estiverem Remoção de roupas controladas: Banho rigoroso Não induzir vômito • Arritmias Lavagem até 2h Carvão ativado até 12h em 3 doses • Convulsões Convulsão – Diazepam i. anemia aplásica. • 2º . glicemia.. PIRETRÓIDES • Largamente utilizados • Usados em campanhas de saúde pública – Dengue PIRETRÓIDES • Não possui efeito residual • Sintetizado da piretrina Crisântemos 4 .v.v... anorexia. ataxia. agitação. parestesias.. incoordenação motora.29/11/2010 ORGANOCLORADOS – manifestações clínicas • Pode iniciar em 30min • 1º . ECG e análise do líquor. debilidade muscular.TGI – Náuseas. tremores. vômitos.

Farmacologia • Bem absorvidos pelo TGI • Maior estabilidade e menor toxicidade • No inseto – Paralisa o sistema de transporte iônico PIRETRÓIDES – Manifestações clínicas • Manifestações comuns – Cutâneas • Eritema. lavar o local com água fria e sabão alcalino – Se arde usar creme de vitamina E – Se hipersensibilidade – antialérgicos. adrenalina..Tratamento • Não há antídoto • Intoxicação dérmica – Tirar as roupas.29/11/2010 PIRETRÓIDES .. 2001) ESTRICNINA 5 . parestesias e sensação de ardência – Injetado • Abcessos – Ingestão • Náusea. nariz e garganta • Tosse. vômito. ESTRICNINA • Alcalóide da Noz vômica • Banida do Brasil pela letalidade • Já foi raticida e laxativo • Adulterante da heroína Capítulo 21 (FILHO. neurológicas e anafilaxia grave... broncoespasmo e dor torácica – Óbito raro por insuficiência respiratória PIRETRÓIDES – Exames complementares • Não há dosagem específica PIRETRÓIDES . • Em mamíferos – Metabolizado rapidademente – Ingestão maior que 200mL • Comprometimento do SNC e convulsões – Inalação • Irritação das vias aéreas. diarréia. • TGI – Lavagem gástrica – Carvão ativado – uma dose • Broncoespasmo – Beta-adrenérgicos • Prognóstico • Muito bom. exceto em: • Complicações respiratórias. vesículas.

gasometria arterial. barulho e outros I.Farmacologia • Altamente tóxico • Mucosa nasal e intestinal • Antagonista competitivo da glicina – Receptores pós-sinápticos medulares ESTRICNINA – Manifestações clínicas • • • • • • Suicídio ou criminoso 15min após a ingestão Movimentos abruptos. 2001) PARAQUAT • Extremamente tóxico • Fabricantes acrescentam odores fortes e eméticos • Inativado em contato com o solo 6 . função renal. acidose metabólica e rabdomiólise • Descontaminação gástrica • Prognóstico • Não induzir vômito • Sobrevivendo 5h é bom • Carvão ativado • Atentar para seqüela de • Proteger da luz. 1960 • Pequeno efeito residual – Frutas podem ser ingeridas após pulverização Capítulo 36 (FILHO. Renal A.Tratamento • Manter permeabilidade das vias aéreas • Controlar convulsões – Diazepam – Pancurônio – casos graves • Outros exames – CK.. urina ou no suco gástrico – Cromatografia líquida ou CD ESTRICNINA . nistagmo.. ionograma e mioglobinúria • Tratar hipertermia. Evolui para rigidez muscular esquelética Muita hipersensibilidade a estímulos externos Morte entre a 2ª e 5ª crise convulsiva ESTRICNINA – Exames complementares • Dosagem de Estricnina – Sangue. estímulos externos PARAQUAT • Usado desde a déc.29/11/2010 ESTRICNINA .

.Tratamento • Controverso – Mecanismo não esclarecido – Citrato de magnésio. manitol e sulfato de magnésio • Espirometria • Endoscopia • Desobstrução das vias aéreas • Não oxigenar • Deve-se induzir vômitos centrais • Diurese forçada • Se dor TGI – Opióides (meperidina) • Hemodiálise na lesão renal – Menos grave que os efeitos • Antioxidante – N-acetilcisteína (contínua) e deferoxamina – Adsorvente • Terra de Füller em manitol • Carvão ativado • Laxativos • Anticorpos monoclonais anti-paraquat 7 .Farmacologia • Sal de amônia quaternária solúvel em água • Alimentos no TGI diminui a intoxicação • Atravessa a placenta – Maior concentração no feto que na mãe PARAQUAT . edema.Farmacologia • Concentração pulmonar 50 x concentração plasmática – Diminui surfactante – Congestão. hemorragia e fibrose pulmonar – Morte por insuficiência respiratória ou falência múltipla dos órgãos • Acumula-se nos músculos • Mecanismo não elucidado – Reduzido a radicais livres • Forma superóxidos e peróxidos PARAQUAT – Manifestações clínicas • TGI – Ação cáustica PARAQUAT – Exames complementares • Dosagem sérica – Espectrofotometria.29/11/2010 PARAQUAT . – TC • Fibrose idiopática – lesão periférica • Paraquat – Lesão central PARAQUAT . cromatografia ou radioimunoensaio • SNC – Raros • Fígado – Destruição hepática • Icterícia • Coração – Lesões em 40% dos casos • Índice de gravidade por Paraquat Concentração inicial x horas decorridas – Teste álcali-ditionita + 10ml urina 2ml NaOH 1N + Ditionita sódico 1% OU • Rim – Lesões em até 48h POSITIVO PARAQUAT – Exames complementares • Função renal • Função hepática • Distúrbios hidroeletrolíticos • ECG • Imunológicos – Radiografia..

M. 34 e 36 NÃO DEIXEM ACUMULAR QUE FICA FÁCIL PROVAS • Terceira etapa: 08/12/2010 • Reposição: 15/12/2010 • Final: 22/12/2010 8 . Toxicologia na prática clínica. 2001. 21. Folium.. Belo Horizonte.29/11/2010 PARAQUAT . A. – CAPÍTULOS 5.Prognóstico • • • • Tratados como potencialmente fatal Depende da quantidade ingerida Depende do tempo de atendimento Grande parte dos pacientes desenvolvem fibrose cística POR ONDE ESTUDAR? • FILHO. A. B. CAMPOLINA.. D. DIAS.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful