Você está na página 1de 22
0
0

BIBLIOTECA DR. ROMEU RITTER DOS REIS

COMO ELABORAR UM PROJETO DE MONOGRAFIA DE FINAL DE CURSO:

TCCs, dissertações e teses

PORTO ALEGRE

2011

Reitor Flávio D’Almeida Reis

Pró-Reitora de Ensino Laura Coradini Frantz

1
1

Pró-Reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão Sidnei Renato Silveira

Diretora de Suporte Acadêmico Ivelone Nagel Reis

Equipe responsável pela compilação Ana Glenyr de Godoy Cláudio Maraschin Bianca Bischoff de Oliveira Luciane Alves Santini Robson Ferrão Barcellos

Revisão Rosana Pereira Gaston

Campus Porto Alegre: Rua Orfanotrófio, 555 Alto Teresópolis Porto Alegre/RS Fone: (51) 3230-3320 Campus Canoas: Rua Santos Dumont, 888 Niterói Canoas/RS Fone: (51) 3464-2045 Site: www.uniritter.edu.br/biblioteca E-mail: biblioteca@uniritter.edu.br

Canoas/RS – Fone: (51) 3464-2045 Site: www.uniritter.edu.br/biblioteca E-mail: biblioteca@uniritter.edu.br
2
2

Este manual refere-se às normas da ABNT para apresentação gráfica de Projetos de Monografias de Final de Curso - TCC, incluindo resumo, citações, notas de rodapé e referências, a partir do estudo das NBRs 15287, 10520, 6023, 6024 e 6027, servindo como exemplo para elaboração do projeto de TCC.

Este documento é uma adaptação da obra:

“Preparação ao projeto de pesquisa – PPP, Cadernos Acadêmicos UniRitter, 7 (2008)”.

Margem superior de 3 cm para todo o trabalho

3
3
Margem superior de 3 cm para todo o trabalho 3 Margem esquerda de 3 cm para

Margem esquerda de 3 cm para todo o trabalho

o trabalho 3 Margem esquerda de 3 cm para todo o trabalho NOME DO ALUNO Margem

NOME DO ALUNO

Margem direita de 2 cm para todo o trabalho

NOME DO ALUNO Margem direita de 2 cm para todo o trabalho TÍTULO DO PROJETO: subtítulo,

TÍTULO DO PROJETO: subtítulo, se houver

Cidade

Ano

Margem inferior de 2 cm para todo o trabalho

NOME DO ALUNO

4
4

TÍTULO DO PROJETO: subtítulo, se houver

Texto padrão recuado 8 cm

DO PROJETO: subtítulo, se houver Texto padrão recuado 8 cm Projeto de Trabalho de Conclusão de

Projeto de Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Centro Universitário Ritter dos Reis como requisito para elaboração da monografia de conclusão do curso de XXXXX.

Orientador: Prof. Dr./Ms. Nome do professor

Cidade

Ano

SUMÁRIO

5
5

1 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

6

2 PROBLEMA

7

3 JUSTIFICATIVA

8

4 OBJETIVOS

9

5 HIPÓTESE

10

6 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

11

7 CITAÇÕES

12

8 ASPECTOS METODOLÓGICOS

15

9 PROPOSTA DE SUMÁRIO

16

10

CRONOGRAMA

17

12

REFERÊNCIAL TEÓRICO

18

APÊNDICE A EXEMPLOS DE REFERÊNCIAS

20

Sumário alinhado à esquerda e à direita, com padrão dos títulos correspondente ao padrão definido no texto.

Cada seção (primária, secundária, terciária

ter um padrão tipográfico diferente (seguindo uniformemente até o final do trabalho).

)

deverá

Sugestão: Primárias em caixa- alta e em negrito, secundárias em caixa-alta sem negrito, terciárias em caixa-baixa e em negrito.

6

Títulos com
Títulos
com

fonte

12

1 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

[Um espaço 1,5 linha para separar o título do texto]

É a folha de rosto do trabalho. Devem constar as seguintes informações:

Texto com
Texto
com

fonte

12

a) nome(s) do(s) autor(es)

b) título

c) tipo de projeto, curso e orientador

d) local (cidade)

e) ano de entrega

O folha a ser utilizada no projeto é A4, branca ou reciclada. A fonte deve ser de cor preta ou automática.

No verso da folha, o número de página é inserido dentro da margem esquerda superior. No anverso da folha, o número é inserido na margem direita superior.

Os elementos pré-textuais são impressos no anverso da folha. Recomenda-se que os elementos textuais e pós- textuais sejam impressos no verso e anverso da folha.

2 PROBLEMA

[Um espaço 1,5 linha para separar o título do texto]

7
7

Considera-se o seguinte tema: O uso da Internet por estudantes de

graduação para elaborar trabalhos acadêmicos.

O problema é a questão a que o trabalho procurará dar resposta. Nesse item,

indica-se o problema sob a forma de uma pergunta. Por exemplo:

Que fatores exercem mais influência sobre os estudantes de graduação para

que usem a Internet com a finalidade de elaborar trabalhos acadêmicos?

Espaçamento

1,5

entrelinhas

É importante que o problema não seja nem muito simples, a ponto de não

justificar um trabalho de conclusão de curso, nem muito complicado, a ponto de

inviabilizar a investigação.

Embora o problema tenha de ser definido pelo próprio proponente do

trabalho, pois faz parte da atividade acadêmica, a ajuda de um professor orientador

pode ser crucial para a elaboração de um projeto interessante e viável. Entenda-se:

nem demasiado fácil, nem impossível de se executar.

Apresentação do problema: Este item é constituído por esclarecimentos a

respeito do problema indicado. Embora o projeto geralmente não se dirija ao público

leigo, esses esclarecimentos são importantes para evitar mal-entendidos.

Retomando o exemplo usado anteriormente, seria conveniente descrever, aqui, o

que é “usuário da Internet” e o que se entende por “trabalho acadêmico”. Alguns

possíveis direcionamentos podem ser tomados por essa investigação: a questão da

autoria necessária aos trabalhos acadêmicos e as implicações éticas relativas a

essa questão; o fator tempo do estudante que usa a Internet e sua vinculação com

comportamentos produtivistas; os novos comportamentos culturais e as formas de

escolha e de apropriação das informações. Ressalta-se a importância de se manter

apenas um foco no desenvolvimento do trabalho.

8

3 JUSTIFICATIVA

[Um espaço 1,5 linha para separar o título do texto]

Gráfico 1 - Chuvas

100

80

60

40

20

0

100 80 60 40 20 0
100 80 60 40 20 0
100 80 60 40 20 0
100 80 60 40 20 0
100 80 60 40 20 0
100 80 60 40 20 0
100 80 60 40 20 0
100 80 60 40 20 0
100 80 60 40 20 0

1° Trim

2° Trim

3° Trim

4° Trim

Fonte: IBGE, 2004 1

Leste Oeste Norte
Leste
Oeste
Norte

O item da justificativa serve para explicar por que o projeto de TCC a ser desenvolvido é importante. Exemplos:

a) Por que o problema relativo ao uso da Internet na elaboração de trabalhos acadêmicos é importante?

b) Que benefícios podem advir da resposta a essa questão?

c) Quem será beneficiado com este trabalho?

1 IBGE, 2004. Disponível em: <URL completo do site>. Acesso em: 15 abr. 2011.

4 OBJETIVOS

4 OBJETIVOS [Um espaço 1,5 linha para separar o título do texto] Geral: expressa o problema

[Um espaço 1,5 linha para separar o título do texto]

Geral: expressa o problema central ou principal da investigação, sintetizando aquilo que o trabalho quer atingir em termos de conhecimento. Específicos: são os objetivos que oferecem um maior suporte e detalhamento às questões da investigação do objetivo geral. Sendo assim, conhecidos e estabelecidos os focos menores, chega-se a respostas mais convincentes relativas ao problema maior da investigação.

5 HIPÓTESE

5 HIPÓTESE [Um espaço 1,5 linha para separar o título do texto] A hipótese é uma

[Um espaço 1,5 linha para separar o título do texto]

A hipótese é uma assertiva para responder ao problema. Ela precisa ser objetiva e reunir o mínimo de variáveis possíveis, a fim de que possa ser demonstrada. Hipóteses complexas não são passíveis de verificação, ou seja, não podem ser confirmadas ou desmentidas, como é sua função. Exemplos:

a) o fator que exerce mais influência sobre os estudantes de graduação para que usem a Internet é a ausência de parâmetros éticos clássicos; b) os fatores que influenciam o uso da Internet pelos estudantes constituem um novo tipo de comportamento cultural.

No caso de investigação de tipo qualitativo e de caráter exploratório, podem- se substituir as hipóteses por questões de pesquisa. Essas teriam origem na questão central ou no problema de investigação.

6 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

6 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA [Um espaço 1,5 linha para separar o título do texto] Este item deve

[Um espaço 1,5 linha para separar o título do texto]

Este item deve conter uma compilação interpretada do que de mais importante se produziu sobre o problema do trabalho ou se o problema ainda não foi enfrentado cientificamente daquilo capaz de ser útil para a sua solução. Trata- se, em outras palavras, de apresentar o estado da arte, a situação em que está a Ciência, no que se refere ao problema escolhido, no momento em que se começa o trabalho. A exigência de um marco referencial teórico pode parecer um fardo excessivo para o pesquisador iniciante, mas é crucial para que se saiba o que o projeto pode oferecer de nova contribuição e em que pode ser socialmente útil. A investigação científica, lembre-se, não se faz em benefício apenas do pesquisador, mas de toda a sociedade. Este capítulo deverá expor e analisar o pensamento dos doutrinadores, dos teóricos, dos estudiosos da área específica de pesquisa. O objetivo é identificar todos os estudos desenvolvidos por outros autores a respeito do mesmo tema. O importante é saber que há um autor ou alguns autores que devem ser obrigatoriamente citados quando se trata de um determinado assunto. Identificados os livros, verifique as referências cruzadas, isto é, os autores recorrentemente citados. De fundamental importância na fase de levantamento bibliográfico a elaboração de Fichas de Leitura, nas quais são registrados os dados bibliográficos de cada obra, além de breve resumo apontando os pontos relevantes para o trabalho, já incluindo as citações devidamente identificadas. Desta forma, ao elaborar o projeto, a formatação das citações já estará garantida. Também é importante recurso para comparação de ideias e eliminação de releituras de obras já descartadas anteriormente.

7 CITAÇÕES

12
12

[Um espaço 1,5 linha para separar o título do texto]

Sempre que utilizar uma ideia ou um conceito de outrem, deve-se ter o cuidado de indicar explicitamente a fonte. As citações podem ser indiretas, quando na forma de paráfrase, e diretas, quando se tratarem de transcrição. As citações de até três linhas são consideradas curtas e devem aparecer entre aspas junto ao texto; as citações com mais de três linhas são consideradas longas, devendo aparecer sem aspas em novo bloco, recuadas 4 cm da margem, em fonte tamanho 10 pt, espaço simples entrelinhas. Citações diretas deverão ter redação exatamente igual ao texto original,

podendo, entretanto, existir supressões de partes do texto indicadas por [

texto original apresente algum erro gráfico, palavras ou expressões que possam parecer errôneas, indicar essa ocorrência com a expressão latina [sic] junto ao termo

que se pretende destacar. A indicação da fonte das citações deverá seguir um destes sistemas: autor- data ou notas de referência. Qualquer que seja o método adotado deve ser seguido ao longo de todo o texto, e a referência completa deverá constar na lista de referências ao final do trabalho. Exemplos de citações nos dois sistemas serão mostrados a seguir. Ao selecionar a bibliografia, prefira sempre a utilização de textos originais, evitando a citação de citação. Usa-se apud quando o autor referenciado por alguém é muito importante e quando não se tem, efetivamente, acesso direto ao texto do autor, por se tratar de um livro esgotado ou raro. Em outras palavras, apud deve ser uma exceção.

]. Caso o

Exemplo de citação indireta no sistema autor-data: Segundo Clóvis do Couto e Silva (1988), o grau de proximidade ou distância das relações entre indivíduos é um dado juridicamente relevante. O grau mínimo de contato é a pertinência ao mesmo grupo social. Exemplo de citação direta curta no sistema autor-data: A consciência moral é moldada a partir da realização existencial da pessoa. “Pessoa é o ser humano capaz de viver uma vida ética, tendo sempre como seus constitutivos essenciais a subsistência e a manifestação.” (LIMA VAZ, 2000, p.234). Exemplo de citação direta longa no sistema autor-data: A consciência

13

moral é moldada a partir da realização existencial da pessoa. Segundo Lima Vaz (2000, p.234):

Citações diretas longas com recuo de 4 cm, fonte 10 e espaçamento simples entrelinhas

recuo de 4 cm, fonte 10 e espaçamento simples entrelinhas Pessoa é o ser humano capaz

Pessoa é o ser humano capaz de viver uma vida ética, tendo sempre como seus constitutivos essenciais a subsistência e a manifestação. O existir como pessoa, fundamento de todos os predicados que formam a singularidade do ser humano, é o que o distingue de todos os demais seres vivos.

Exemplo de citação de citação no sistema autor-data: A definição de pessoa para John Locke (1987 apud SINGER, 2002, p.97) vem de encontro a uma quebra de paradigmas das sociedades contemporâneas. Exemplo de citação indireta no sistema notas de referência: A consciência moral é moldada a partir da realização existencial da pessoa. Pessoa é o ser humano capaz de viver uma vida ética, tendo sempre como seus constitutivos essenciais a subsistência e a manifestação. 2 Exemplo de citação direta curta no sistema notas de referência: A consciência moral é moldada a partir da realização existencial da pessoa. “Pessoa é o ser humano capaz de viver uma vida ética, tendo sempre como seus constitutivos essenciais a subsistência e a manifestação.” 3 Exemplo de citação direta longa no sistema notas de referência: A consciência moral é moldada a partir da realização existencial da pessoa.

Pessoa é o ser humano capaz de viver uma vida ética, tendo sempre como seus constitutivos essenciais a subsistência e a manifestação. O existir como pessoa, fundamento de todos os predicados que formam a singularidade do ser humano, é o que o distingue de todos os demais seres vivos, sendo a pessoa um todo, mas paradoxalmente um todo aberto, porquanto no ápice da sua constituição ontológica ela se abre, pela inteligência e pela liberdade, à universalidade do Ser e do Bem. 4

A

definição de pessoa para John Locke 5 vem de encontro a uma quebra de paradigmas das sociedades contemporâneas.

Exemplo de citação de citação no sistema notas de referência:

2 LIMA VAZ, Henrique C. de. Escritos de filosofia. São Paulo: Loyola, 2000. p.17.
3

4 Ibidem, p.23. 5 LOCKE apud SINGER, Peter. Ética prática. São Paulo: Martins Fontes, 2002. p.97.

Ibidem, p.25.

14

Todo material que for citado deverá constar na lista de referências ao final do texto, bem como todo material indicado na referência deverá ter sido citado no corpo do trabalho.

Para mais informações sobre a confecção das referências, deve-se consultar a NBR 6023 ou o Caderno de Normas para TCCs, disponível para download na página da biblioteca.

8 ASPECTOS METODOLÓGICOS

15
15

[Um espaço 1,5 linha para separar o título do texto]

O pesquisador iniciante pode ter dificuldade para definir os pressupostos

metodológicos que nortearão seu trabalho. Portanto, é recomendável valer-se da ajuda do professor orientador ou tutor. É importante que o proponente de um projeto de investigação considere de maneira tão clara quanto possível as técnicas e os limites da pesquisa. Deve-se descrever a maneira como se fará a pesquisa, isto é, que recursos técnicos serão utilizados: experimentos, entrevistas, exame de trabalhos teóricos,

documentos, observação de casos, entre outros. Neste capítulo deverá ficar claro:

a) o tipo de pesquisa: Descritiva? Comparativa? Exploratória? Documental? Histórica? Estudo de caso?;

b) as fontes da pesquisa: bibliografia, pessoas-operadores, documentos, leis, doutrinas;

c) a forma de coleta de dados: como, quando e onde serão buscados os dados

da parte específica da pesquisa;

d) análise dos dados: como se procederá a análise dos dados obtidos na parte

específica da pesquisa.

9 PROPOSTA DE SUMÁRIO

16
16

[Um espaço 1,5 linha para separar o título do texto]

Na proposta de sumário, o autor deverá apresentar o sumário da monografia, especificando os capítulos e as subdivisões que serão abordados no Trabalho de Conclusão de Curso. Não confundir com o sumário do próprio projeto, que deverá constar logo após a folha de rosto indicando os capítulos. O sumário consiste na enumeração das divisões e subdivisões de um trabalho, apresentadas na mesma ordem e grafia em que os temas se sucedem (NBR 6027:2003). Para hierarquização do trabalho e, portanto, do sumário, deve-se utilizar numeração progressiva de acordo com a NBR 6024:2003, limitando-se a, no máximo, seções quinárias. Os títulos das seções são destacados gradativamente, usando-se racionalmente os recursos de caixa-alta ou baixa, negrito, itálico ou sublinhado. Não devem ser abertas seções terciárias caso não haja seção secundária subsequente.

10 CRONOGRAMA

17
17

[Um espaço 1,5 linha para separar o título do texto]

Apresentação esquemática das etapas previstas para a pesquisa. As fases do desenvolvimento da pesquisa, bem como seus pontos de culminância elaboração de relatórios, apresentações orais, entre outros, precisam ser explicitados e distribuídos no tempo previsto para a pesquisa. O quadro a seguir é apenas um exemplo.

I Bimestre II Bimestre III Bimestre IV Bimestre V Bimestre Levantamento, revisão e compilação bibliográfica
I Bimestre
II Bimestre
III Bimestre
IV Bimestre
V Bimestre
Levantamento,
revisão e
compilação
bibliográfica
Elaboração
dos
instrumentos
de pesquisa
Coleta de
dados
Análise e
discussão dos
dados
Redação de
Relatórios
Orientação
final
Apresentação
à banca
examinadora

12 REFERÊNCIAL TEÓRICO

18
18

[Um espaço 1,5 linha para separar o título do texto]

Relacionam-se todas as obras citadas e consultadas, em qualquer suporte (impressos, eletrônicos, entre outros), para a elaboração do projeto. Devem aparecer em lista denominada “Referências”, ordenadas alfabeticamente, alinhadas somente à margem esquerda do texto, em espaço simples, e separadas entre si por dois espaços simples. Para mais informações sobre a confecção das referências, deve-se consultar a NBR 6023 ou o Caderno de Normas para TCCs, disponível para download na página da biblioteca.

19
19

O título “Referências” não é numerado e, portanto, deve ser centralizado

não é numerado e, portanto, deve ser centralizado REFERÊNCIAS [Um espaço 1,5 linha para separar o

REFERÊNCIAS

[Um espaço 1,5 linha para separar o título do texto]

Um espaço

simples entre

referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Apresentação de citações em documentos: NBR 10520. Rio de Janeiro, 2002.

citações em documentos: NBR 10520. Rio de Janeiro, 2002. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Numeração

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Numeração progressiva das seções de um documento: NBR 6024. Rio de Janeiro, 1989.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Projetos de pesquisa: NBR 15287. Rio de Janeiro, 2005.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Projeto de pesquisa apresentação: NBR 15287. Rio de Janeiro, 2011.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Referências bibliográficas:

NBR 6023. Rio de Janeiro, 2002.

CAREGNATO, Célia Elizabete. Preparação ao projeto de pesquisa - PPP. Porto Alegre: Ed. UniRitter, 2008.

de pesquisa - PPP. Porto Alegre: Ed. UniRitter, 2008. Referências alinhadas à esquerda. Negritar somente o

Referências alinhadas à esquerda. Negritar somente o título da obra. Não negritar os dois pontos, nem o subtítulo.

20

APÊNDICE A EXEMPLOS DE REFERÊNCIAS

[Um espaço 1,5 linha para separar o título do texto]

Livros SOBRENOME, Prenome. Título: subtítulo (se houver). Edição. Local: Editora, data.

CANEZ, Anna Paula et al. Acervos Azevedo Moura & Gertum e João Alberto: imagem e construção da modernidade em Porto Alegre. Porto Alegre: Ed. UniRitter, 2004.

LOPES, Luiz Martins; VASCONCELLOS, Marcos Antonio Sandoval de (Org.). Manual de macroeconomia: nível intermediário. 2.ed. São Paulo: Atlas, 2000.

SILVA, Daiçon Maciel da; SOUTO, André Kraemer. Estruturas: uma abordagem arquitetônica. 2.ed. Porto Alegre: Sagra Luzzato, 2000.

Capítulos de livros

SOBRENOME, Prenome (do autor do capítulo). Título do capítulo. In: AUTOR DO LIVRO. Título do livro: subtítulo (se houver). Edição. Local: Editora, data. Capítulo, páginas inicial-final da parte.

BARCELOS, Jorge Luís Pacheco. Animação como ferramenta estratégica do design. In:

MARCHI, Salette (Org.). Design: múltiplos enfoques. Santa Maria: Centro Universitário Franciscano, 2009. p.75-84.

Dissertações e Teses

SOBRENOME, Prenome. Título: subtítulo (se houver). Ano. Número de folhas. Indicação de tipo de documento (tese, dissertação, monografia, trabalho de conclusão de curso). Grau (Bacharelado, Licenciatura, Especialização, Mestrado ou Doutorado) e área de concentração, entre parênteses Instituição, local, data.

CANDI, Nestor Rodolfo. Mutação da borboleta: o roteiro audiovisual como gênero literário de transição. 2009. 182 f. Dissertação (Mestrado) - Centro Universitário Ritter dos Reis, Curso de Letras, Porto Alegre, 2009.

PEREIRA, Liandra. Percursos de profissionalização docente no ensino superior:

trajetória e renovação na prática pedagógica. 2010. 270 f. Tese (Doutorado) - Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Programa de Pós-Graduação em Educação, Curitiba,

2010.

Artigos de periódicos

SOBRENOME, Prenome (do autor do artigo). Título: subtítulo do artigo (se houver). Título do periódico, local, número do volume, número do fascículo, páginas inicial- final, mês e ano.

21

SILVA, Aloísio Firmo Guimarães da. Reflexos da Lei de porte de arma sobre a competência da Justiça Federal. Jus Navigandi, Teresina, ano 2, n.25, jun. 1998. Disponível em:

<http://www1.jus.com.br/doutrina/texto.asp?id=1123>. Acesso em: 14 abr. 2003.

PACHECO, Roberto Carlos dos Santos; KERN, Vinícius Medina. Transparência e gestão do conhecimento por meio de um banco de teses e dissertações: a experiência do PPGEP/UFSC. Ciência da Informação, Brasília, v.30, n.3, 2001. DOI: 10.1590/S0100-

19652001000300009.

Trabalhos publicados em eventos

SOBRENOME, Prenome (do autor do trabalho). Título. In: NOME DO EVENTO,

número do evento, data, local. Título do documento realizou o evento, data. Páginas: inicial-final.

Local: Instituição em que se

TEMPLE, Giovana; POKER, José Geraldo A. B. Inteligência artificial e o Direito. In:

SEMINÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 2. 2000. Anais Euripides Soares da Rocha, 2000. p.55.

Marília: Fundação de Ensino

Legislação

NOME DO PAÍS, ESTADO OU MUNICÍPIO. Número da Lei e data da publicação. Objeto da Lei. Indicação de publicação que divulgou a Lei e outros dados da publicação, como volume, número, páginas e ano.

BRASIL. Lei n. 9.887, de 7 de dezembro de 1999. Disponível em:

<www.planalto.gov.br/ccivil/leis/2002/L10451.htm>. Acesso em: 22 dez. 1999.

Exemplo de Projeto de Lei:

BRASIL. Câmara dos Deputados. Projeto de Lei nº 1.876/99. Brasília, DF, 08 jun. 2010. 270f. Disponível em: <http://www.camara.gov.br/sileg/integras/777725.pdf>. Acesso em: 09 ago. 2010.

Jurisprudência

NOME DO PAÍS, ESTADO OU MUNICÍPIO. Órgão judiciário competente. Tipo e número do documento. Partes envolvidas. Nome do relator precedido da palavra “Relator”. Data (dia, mês, ano). Indicação da publicação.

BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. Recurso em Mandado de Segurança n. 76.087-0/SP. Recorrente: Solange do Couto Melo. Recorrido: Carlos Pierucci do Espírito Santo. Relator:

Ministro Sálvio de Figueiredo Teixeira. Brasília, 3 de março de 1998. Revista Forense, v.344, ano 94, p.322-325, out./dez. 1998.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Súmula n. 14. Disponível em:

<http://www.truenetm.com.br/jurisnet/sumusSTF.html>. Acesso em: 29 nov. 2007.