Você está na página 1de 3

5. Redução da geração de resíduos

5.1 Alternativas

A questão dos efluentes industriais nos dias atuais exige uma

concientização urgente da sociedade como um todo. O desenvolvimento industrial permitiu o acesso ao consumo de muitos bens necessários ao desenvolvimento da humanidade, a substituição do trabalho braçal pelo mecânico, tudo contribuindo para aumentar enormemente o acesso à cultura, melhorar o nível de vida das pessoas e prolongar, com qualidade, o tempo de vida do ser humano. Por outro lado, nos dias atuais o conceito de economia globalizada pressupõe uma concorrência elevada entre empresas de produção de bens de consumo. Para se manterem nesta concorrência necessitam fabricar cada vez mais e com mais tecnologia e apresentar uma maior produtividade. Para atender esta lógica, é necessário que os produtos gerados sejam cada vez mais rapidamente substituídos.

O comentário acima é apresentado para que se possa contrapor

algumas questões para reflexão:

O desenvolvimento e crescimento sem controle, sem preocupação com o esgotamento dos recursos naturais e com

o meio ambiente, onde nos levará?

A preocupação em vender mais e mais produtos passa pela

necessidade de criar novos mercados que permitam continuar

o crescimento econômico, quando um determinado patamar já

se encontra saturado. Quais os critérios?

A produção de bens materiais esgota-se quando estiverem satisfeitas todas as necessidades dos consumidores. Neste momento torna-se necessário criar novas necessidades, que originem novos mercados. Qual a lógica?

Quantos estão preocupados se isto irá ou não provocar novos problemas para o ser humano e o meio ambiente?

A lógica do crescimento contínuo, permite uma comparação com as bactérias ou qualquer outra espécie de ser vivo: a espécie vai-se multiplicando até o esgotamento dos recursos, ou até que o desenvolvimento duma espécie antagônica reponha o equilíbrio. Com o domínio praticamente completo dos seus inimigos naturais, exceto os de menor tamanho, a sociedade humana enfrenta hoje um dilema: ou consegue auto-regular rapidamente a sua expansão, ou inevitavelmente vai perecer da mesma forma que algumas bactérias, isto é, por esgotamento dos recursos, ou devido a uma alteração tão drástica do seu meio ambiente que poderá pôr em risco a sua própria existência.

Paralelamente com o esgotamento dos recursos naturais, surge o problema dos resíduos gerados, tanto pelo próprio processo produtivo ou pelo descarte dos produtos após o seu ciclo de vida útil.

Uma abordagem possível para a problemática dos resíduos está no que se pode chamar de os 3R ´s : Reduzir, Reutilizar e Reciclar. Inclusive na sequência apresentada.

3.1.1- Redução, Reutilização e Reciclagem

i) Em primeiro lugar, verificar se não será possível evitar ou reduzir a produção do resíduo, como por exemplo, utilizando produtos fabricados de forma diferente (matérias primas ou processos), ou prolongando o tempo de vida útil do produto. A melhor forma de resolver um problema é evitar o seu aparecimento. Se cada vez que um problema surgir, nos limitarmos a procurar medidas para a sua remediação, poderemos estar, mesmo que inconscientemente, contribuindo para a manutenção da situação.

ii) Em segundo lugar, verificar se não é possível encontrar uma nova serventia para esse resíduo ou produto, em que grande parte das suas propriedades ainda possam ser mantidas (reutilização). Como exemplo pode-se citar o caso dos pneus recauchutados:

grande parte dos materiais usados para o seu fabrico e toda a tecnologia vão ser aproveitados, apenas se acrescentando a borracha gasta durante o seu primeiro ciclo de vida.

iii) Finalmente quando não é possível aproveitar grande parte do valor do produto podemos tentar a terceira alternativa, ou seja, aproveitar a matéria prima que o constitui, em alguns casos para fabricar produtos idênticos, como no caso do uso de sucatas de aço para produzir perfis e chapas com características similares ao do produto original. Neste caso estamos efetuando a operação denominada reciclagem.

Finalmente, se o resíduo já tiver sido produzido e não puder ser mais

reciclado, restam as seguintes opções:

Tratá-lo preferentemente de uma forma que passe a ser inerte.

Se não for possível torná-lo inerte, dar uma disposição final de

forma segura.

Depois de disposto, monitorá-lo quanto a aspectos de

infiltrações ou outros efeitos nocivos.

Entretanto a questão não é de solução tão simples. Existe uma corrente muito forte no sentido de inverter a lógica dos 3R ´s . Diminui-se o tempo de vida útil dos produtos, promovendo a sua substituição precoce. Simultaneamente apresenta-se a reciclagem como a forma amigável de recuperar o déficit ambiental gerado pela onda consumista. Combater a publicidade que conduz à espiral do consumo é uma das formas de evitar o esgotamento dos recursos e diminuir os subprodutos industriais que destroem o nosso equilíbrio ecológico. Os benefícios da reciclagem só terão efeitos práticos, se ao mesmo tempo se inverter a tendência de diminuição da vida útil dos produtos e se encontrar uma forma industrializada para sua reutilização.