Você está na página 1de 10

Machine Translated by Google

PADRÃO EUROPEU FLAX®


Machine Translated by Google

EUROPEAN FLAX® Standard versão 2.0

julho de 2019

EUROPEAN FLAX® Standard versão 2.0 - julho de 2019 Página 2 de 10


Machine Translated by Google

CONTENTE

Um objeto ........................................ .................................................. .................................................. ....4

B Descrição da cadeia de rastreabilidade............................................. .................................................. ........... 4

C Critérios técnicos para empresas ............................................. .................................................. ........ 7

1 REQUISITOS GERAIS ............................................. .................................................. ................... 7

2 FORNECIMENTO DE MATERIAIS ............................................. .................................................. .............................. 7

3 COMPOSIÇÃO DOS PRODUTOS................................................ .................................................. ................... 8

4 GRUPO DE PRODUTOS ............................................. .................................................. ....................... 8

5 CADEIA DE PRODUÇÃO................................................ ......................................................... ......................... 9

6 VENDAS................................................ .................................................. .................................................. .9

7 CONTROLE DE VOLUME ............................................. .................................................. .............................. 9

8 SUBCONTRATADO .............................................. .................................................. .................................. 10

EUROPEAN FLAX® Standard versão 2.0 - julho de 2019 Página 3 de 10


Machine Translated by Google

A - Objeto

Este documento fornece uma definição de critérios técnicos que devem ser cumpridos por cada empresa que deseja usar a marca
EUROPEAN FLAX®.

EUROPEAN FLAX® é uma marca registrada e propriedade da Confederação Europeia de Linho e Cânhamo (CELC) e sua subsidiária
CELC DEVELOPPEMENT. A CELC é a autoridade internacional para o linho/linho e a única organização agroindustrial europeia que
federa todas as fases de produção e transformação do linho/linho e do cânhamo.

EUROPEAN FLAX® é a garantia de rastreabilidade da fibra de linho premium cultivada na Europa. Uma fibra natural e sustentável,
cultivada sem irrigação artificial e livre de OGM. Representa 85% da produção mundial de fibra de linho.

B - Descrição da cadeia de rastreabilidade

A presente norma visa a certificação da cadeia de custódia EUROPEAN FLAX®. Em outras palavras, desde o produtor da fibra até o
produto acabado, todas as etapas da cadeia de suprimentos que tomam posse do material, incluindo as etapas de processamento e
comercialização, devem ser certificadas para garantir a rastreabilidade dos materiais EUROPEAN FLAX®. Um produto só pode ser
certificado se for produzido/comercializado por uma empresa certificada, feito de suprimentos de linho/linho que sejam 100%
certificados e tenha uma composição final ÿ50% linho/linho. As faturas, seguindo requisitos específicos de faturamento, são
fundamentais para evidenciar o fluxo de materiais certificados entre as etapas da cadeia de custódia europeia Flax®.

As empresas que comercializam fibra de linho, processam linho/linho, comercializam fios/tecidos/semi-produtos, fabricam produtos
acabados podem obter a certificação fazendo uma avaliação de conformidade com os critérios EUROPEAN FLAX® definidos na
presente norma. Após esta verificação, um certificado EUROPEAN FLAX® com número é emitido para a empresa. O Bureau Veritas
Certification realiza a avaliação da conformidade e entrega o certificado.

As empresas produtoras de fibra de linho (scutching) podem obter a certificação seguindo o processo de emissão de certificados
definido na Carta EUROPEAN FLAX®. Neste caso, um número de licença EUROPEAN FLAX® é entregue diretamente pela CELC
DEVELOPPEMENT.

Os varejistas também podem ser certificados pelo Bureau Veritas Certification.

Este processo de emissão de certificados é definido:

- neste documento Norma EUROPEAN FLAX®: critérios técnicos.

-
no documento Descrição do processo de certificação EUROPEAN FLAX®: processo de emissão.

A adesão ao CELC é obrigatória para as empresas europeias que solicitem a certificação das seguintes atividades: Cultivo de linho,
Scutching/Pré-processamento de fibras, Comércio e Processamento (exceto fabricação de produtos acabados).

Scutcher: no caso de venda de fibras a transformadores, nomeadamente fiandeiros e produtores de semi-produtos, esta actividade é
considerada como comercialização de fibras, sujeita à adesão CELC e Bureau Veritas Certification com o número BVAAXXXXX (ex.
certificado número: BVBE3008); se vender fibras apenas para comerciantes, o requisito é EUROPEAN FLAX® Charter e não auditoria
do Bureau Veritas Certification, resultando em um número de licença CEAAXXXXX (por exemplo, número do certificado: CEBE22093).

Pré-processador: nomeadamente actividades de resgate, corte, cardagem, penteação, cotonização, etc. antes da fiação. Scutchers
com atividades de pré-processamento de fibra devem cumprir o requisito da Carta EUROPEAN FLAX® e um número de licença é
entregue pela CELC como CEAAXXXXX, não válido para vendas a

EUROPEAN FLAX® Standard versão 2.0 - julho de 2019 Página 4 de 10


Machine Translated by Google

processadores. Os comerciantes de fibra com atividades de pré-processamento de fibra devem cumprir os requisitos relativos
aos processadores da presente norma EUROPEAN FLAX®.

Comerciante com processamento subcontratado: qualquer empresa que venda/exporte materiais de linho e subcontrate uma
atividade de processamento como fiação, tinturaria, tecelagem, malharia, fabricação de produtos acabados e armazenamento
em armazém (não é considerado um simples comerciante).

Transformadora: empresas que produzem ou transformam têxteis ou semiprodutos técnicos, nomeadamente fiandeiras,
tecelãs, tricoteiras, tintureiras, etc.

Os processadores devem comprar fibras de comerciantes de fibras certificados pelo Bureau Veritas Certification, com um
certificado válido: um número BVAAXXXXX e um escopo incluindo comércio de fibras; eles NÃO devem comprar de
fornecedores com número de licença CEAAXXXXX e escopo Scutching.

Os transformadores podem adquirir têxteis a empresas certificadas EUROPEAN FLAX® e Masters of Linen® e para as quais
o certificado foi entregue após uma auditoria por Centexbel/Centrocot/Legal Auditor. Esses certificados possuem 5 letras e 4
números CEAAAXXXX (por exemplo, CEITL7300) e são certificados Masters of Linen® especificados no banco de dados
CELC. Este número de certificado é especificado nas faturas usando a declaração: “EUROPEAN FLAX® Certified
CEAAAXXXX” ou Masters of Linen® Certified CEAAAXXXX”.

Marca/varejista: no caso de compra de tecidos e subcontratação de fabricação de produtos, esta atividade é considerada
como especificadora do produto final, sujeita à auditoria do Bureau Veritas Certification; se comprar produto acabado, a
auditoria do Bureau Veritas Certification não é necessária.

EUROPEAN FLAX® Standard versão 2.0 - julho de 2019 Página 5 de 10


Machine Translated by Google

A CADEIA DE RASTREABILIDADE EUROPEAN FLAX®

EUROPEAN FLAX® Standard versão 2.0 - julho de 2019 Página 6 de 10


Machine Translated by Google

C - Critérios Técnicos para Empresas

1 REQUISITOS GERAIS

1.1 A Empresa deverá dispor de procedimentos que assegurem o sistema de rastreabilidade.


Os procedimentos podem ser escritos ou não.

1.2 A empresa deve estabelecer e manter durante pelo menos 3 anos registos de conformidade com os requisitos
desta norma, nomeadamente: faturas de compra, lista de fornecedores, certificados de fornecedores, registos
de produção, faturas de venda, resultados de testes…

1.3 A empresa deve garantir que apenas linho/linho certificado seja usado como insumos em
produtos.

1.4 Caso a empresa utilize linho/linho não certificado, uma segregação física no espaço e/ou tempo
e/ou identificação devem ser implementados.

Avaliação e verificação: A Empresa deve fornecer uma descrição do sistema em vigor. Durante as auditorias no
local, o auditor deve ser capaz de rastrear o material e demonstrar que a segregação física é garantida.

2 FORNECIMENTO DE MATERIAIS

2.1 A empresa deve garantir que seus fornecedores de material certificado tenham certificado válido.
Os processadores que compram fibras devem garantir, conforme o Capítulo B, que seus fornecedores
possuam um certificado de comercialização de fibra do Bureau Veritas Certification e não apenas um
número de licença de scutching da CELC. A empresa deve estabelecer e manter uma lista atualizada
de seus fornecedores de roupa de cama. Os fornecedores EUROPEAN FLAX® são identificados e a
identificação inclui o nome do fornecedor, o número do certificado e a data de validade do certificado.
Esta lista deve ser atualizada pelo menos uma vez por ano, incluindo a verificação da validade dos
certificados dos fornecedores em www.europeanflax.com.

Avaliação e verificação: A empresa deve fornecer sua lista de fornecedores, incluindo a data da última atualização, e
uma cópia dos certificados válidos EUROPEAN FLAX® de seus fornecedores ou a captura de tela do site
www.europeanflax.com mostrando a validade do certificado dos fornecedores . A validade da certificação dos
fornecedores deve ser verificada.

2.2 Ao receber o material certificado, a empresa deverá verificar as reclamações nas notas fiscais de compra.
Cada material certificado deve ser claramente identificado na fatura do fornecedor, especificando a afirmação
«Certificado EUROPEAN FLAX®». Além disso, o número do certificado do fornecedor, em conformidade com
as regras descritas no capítulo B, deve ser escrito na fatura.

Avaliação e verificação: A empresa deve fornecer:

• Uma descrição do sistema de verificação em vigor ou uma instrução de trabalho apropriada.

• Uma amostra de faturas de compra, conforme definido pelo Bureau Veritas. Esta determinação da amostra é um
seleção representativa e confiável em conformidade com o padrão ISO 19011.

EUROPEAN FLAX® Standard versão 2.0 - julho de 2019 Página 7 de 10


Machine Translated by Google

3 COMPOSIÇÃO DE PRODUTOS

3.1 Somente produtos que apresentem a seguinte composição podem ser certificados:

• O conteúdo de linho/linho é 100% certificado.

• Composto por 100% de linho/linho ou teor majoritário de linho/linho: pelo menos 50% de linho/linho certificado.
A mistura pode, portanto, conter no máximo 50% de outros tipos de fibras, excluindo linho/linho não
certificados, não permitidos na composição do produto.

3.2 A empresa concorda em mencionar a composição exata e as porcentagens nos rótulos dos produtos certificados,
de acordo com as regras de rotulagem vigentes no país em que seu produto certificado é comercializado.

3.3 Uma vez certificadas, as empresas processadoras e empresas subcontratadas para


atividades de processamento devem realizar anualmente testes de composição de fibra em uma amostra de
produtos EUROPEAN FLAX® determinada pelo auditor, de acordo com a metodologia
aprovado pela « BAST FIBER AUTHORITY » e por um dos laboratórios acreditados.
Os laboratórios acreditados incluem Bureau Veritas, Centrocot e Centexbel, que podem incluir os ensaios de
composição na sua oferta de certificação. Caso contrário, a empresa pode selecionar outro laboratório e usar
o formulário de solicitação de teste apropriado disponível em www.europeanflax.com. O mínimo de 3 amostras
deve ser selecionado pelo auditor para o teste. A amostragem do produto a ser testada será definida pelo
organismo de certificação: será definida durante cada auditoria anual com base no resumo contábil anual por
referência (consulte o parágrafo abaixo Registros de referências dos produtos EUROPEAN FLAX®).

Nota: os testes de composição não são obrigatórios para desmanchadores, pré-processadores, comerciantes que
vendem materiais não transformados e fabricantes de produtos acabados.

Avaliação e verificação:

Regras de amostragem:

- 3 amostras de saída devem ser selecionadas pelo auditor, quando possível, em 3 referências de saída diferentes
que são as mais frequentemente produzidas.

Devem ser fornecidos os resultados dos testes de composição das fibras realizados por um dos laboratórios
acreditados nos produtos EUROPEAN FLAX® selecionados.

4 GRUPO DE PRODUTOS

4.1 A empresa deve estabelecer e atualizar a lista de referências dos produtos EUROPEAN FLAX®. Para cada
referência, deve ser indicada a composição exata das fibras.

Avaliação e verificação: A Empresa deve fornecer a lista de referências dos produtos certificados EUROPEAN
FLAX® indicando sua composição.

EUROPEAN FLAX® Standard versão 2.0 - julho de 2019 Página 8 de 10


Machine Translated by Google

5 CADEIA DE PRODUÇÃO

5.1 A empresa deve implementar e manter um sistema de rastreabilidade para rastreamento de matéria prima,
componentes, produtos e subprodutos Linho Europeu certificado através da cadeia produtiva. Este sistema deve
garantir que nenhuma mistura com material não selecionado ocorra durante a cadeia de produção.

Avaliação e verificação:

A empresa possui procedimentos de rastreabilidade (escritos ou não) caso não estejam escritos, os funcionários estão
cientes dos procedimentos e os implementam em campo.

O material pode ser rastreado em cada etapa do processo de produção por meio de sistema documental e/ ou software.

Da entrada à saída, em cada etapa do processo de produção:

- O material certificado é identificado fisicamente (por exemplo, adesivo, marcação não removível, etc.)
o número do lote.

- O material certificado é rastreado por sistema documental e/ ou software. Verificação de ordens de produção e
documentos de rastreabilidade associados ao material.

- O material vendido com certificação EUROPEAN FLAX® não pode ser originado de uma mistura entre certificados
Linho/ linho e Linho/ linho não certificado.

6 VENDAS

6.1 Cada material certificado deve ser claramente identificado na fatura, especificando a afirmação « EUROPEAN FLAX®
Certified » permitindo distingui-lo do material não certificado.

6.2 A composição exata e as porcentagens de produtos certificados devem ser escritas em cada
fatura relevante. Além disso, o número do certificado do titular do certificado deve ser escrito na fatura (pelo menos
uma vez na fatura).

Avaliação e verificação:

O auditor deve verificar uma amostra de faturas de vendas, conforme definido pelo organismo de certificação. Esta
determinação de amostra é uma seleção representativa e confiável em conformidade com o padrão ISO 19011.

Durante a auditoria no local, o organismo de certificação também pode verificar uma amostra de faturas de produtos não
certificados.

7 CONTROLE DE VOLUME

7.1 A empresa deve fazer um resumo contábil anual das entradas de materiais (fontes certificadas EUROPEAN FLAX®)
e saídas (vendas certificadas EUROPEAN FLAX®), para cada referência e, se relevante, explicação sobre o fator
de conversão (taxa de conversão de entrada/saída
, rendimento do material).

Avaliação e verificação: O resumo contábil anual pode incluir 2 tabelas separadas, uma para as entradas e outra para
as saídas. O resumo contábil anual deve incluir:

EUROPEAN FLAX® Standard versão 2.0 - julho de 2019 Página 9 de 10


Machine Translated by Google

Para as entradas

- Referência da fatura do fornecedor


- quantidade recebida (volume, peso, número de peças)
- Número do lote emitido pelo fornecedor
- Número de lote interno

Para a saída

- Referência(s) da(s) fatura(s) de venda


- Quantidade vendida (volume, peso, número de peças) por referência de fatura
- Quantidade em estoque (volume, peso, número de peças) por referência de fatura
- Número de lote interno

8 SUBCONTRATADA

Nota: usar um subcontratado significa terceirizar um trabalho em material certificado de linho/ linho. A compra e venda de produtos
certificados são gerenciadas pela Empresa e não pelo subcontratado. O material permanece propriedade da empresa certificada. O
faturamento entre o subcontratado e a Empresa está relacionado apenas às atividades terceirizadas.

8.1 Quando uma empresa terceiriza trabalhos em fibras/produtos certificados, os subcontratados envolvidos devem estar em
conformidade com os critérios técnicos relacionados à rastreabilidade no local.

8.2 A empresa deve estabelecer e manter uma lista atualizada de subcontratados relevantes
e informar o organismo de certificação de quaisquer alterações.

8.3 O subcontratado deve assinar um acordo com a empresa onde reconhece os seguintes requisitos:

- O subcontratado garante a rastreabilidade do material certificado EUROPEAN FLAX® desde a entrada até a
saída.

- O subcontratado deve identificar o material certificado EUROPEAN FLAX® em cada etapa do processo através de
separação física e/ou marca de identificação permanente.

- O subcontratado aceita a possibilidade de controles no local pela empresa e/ou


Bureau Veritas.

- O subcontratado compromete-se a não terceirizar o processamento, a menos que a empresa seja informada e
aceite.

8.4 A empresa deve auditar todos os seus subcontratados sobre os requisitos da norma em
menos uma vez por ano. Os relatórios de auditoria devem ser registrados.

8.5 Pedidos de produção e guias de entrega para cada lote de EUROPEAN FLAX® subcontratado
material certificado deve ser registrado.

Avaliação e verificação:

O auditor deve verificar os relatórios de auditoria de cada auditoria que a empresa realizou em todos os seus subcontratados. O
procedimento de rastreabilidade e o acordo para cada subcontratado devem estar disponíveis.

O auditor deve fazer uma auditoria in loco de uma amostra de subcontratados, conforme definido pelo organismo de certificação e
dependendo da atividade que a empresa está subcontratando (ou seja, o nível de risco). Consulte GP01
descrição do processo de certificação para detalhes sobre regras de amostragem para subcontratados.

EUROPEAN FLAX® Standard versão 2.0 - julho de 2019 Página 10 de 10

Você também pode gostar