Você está na página 1de 1

O PODER DA ORAÇÃO - Isaías 38

“Então veio a palavra do Senhor a Isaías: 'Vai e dize a Ezequias: Assim diz o Senhor
, o Deus de Davi, teu pai: Ouvi a tua oração; Eu vi suas lágrimas... Livrarei você e
esta cidade das mãos do rei da Assíria ”(vv. 4–6).
Ontem, observamos que a palavra certa de Isaías a Ezequias de que Deus libertaria
Jerusalém ( Is 37: 5-7) não impediu o rei de interceder por seu povo. O rei sabia que
as promessas do Senhor não são feitas para nos tornar passivos, mas para nos
encorajar a agir, então ele foi ao templo e espalhou diante de Deus a carta do
Rabsaqué da Assíria que exigia a rendição de Jerusalém (vv. 14–20). Como João
Calvino comenta esses versículos, Ezequias não fez isso para que o Senhor pudesse
ler o texto e descobrir o que estava acontecendo; antes, Ezequias fez isso para se
encorajar a orar com mais fervor. Os comentaristas modernos afirmam que Ezequias
também fez isso para vindicar a honra do Senhor. Ao abrir a carta, era como se
Ezequias dissesse: “Ó Deus de Israel, esta blasfêmia, pela qual a Assíria pensa que
és apenas um deus entre muitos, não pode subsistir, pois tu és o único Deus, o
Criador de todos. Por favor, meu Senhor, responde à arrogância da Assíria e livra
Jerusalém para que a Assíria saiba que Tu és o único Deus que existe. ” O Senhor
disse sim à oração de Ezequias. A vida seria difícil a curto prazo e o alimento
escassearia por causa do que a Assíria infligiria à terra, mas Jerusalém seria
poupada (vv. 30–35). Então Deus enviou o anjo do Senhor ao acampamento da
Assíria, matando 185.000 homens. O anjo pode ter feito isso com uma praga de ratos,
pois o antigo historiador grego Heródoto registra uma praga que afligia o exército
assírio na fronteira perto do Egito mais ou menos nessa época. O próprio
Senaqueribe foi assassinado cerca de vinte anos depois por seus filhos enquanto
adorava seus deuses. Ironicamente, aquele que desafiou o único Deus verdadeiro
foi morto a serviço dos falsos deuses em quem confiava (vv. 36-38). A intercessão
de Ezequias mostra o poder da oração diante de nosso Criador soberano, o que
também é confirmado na passagem de hoje. Este registro da doença e recuperação
de Ezequias,Isaías 38: 6 revela, ocorreu antes dos eventos registrados no capítulo
37. (Os autores bíblicos às vezes não ordenam seus relatos cronologicamente.)
Portanto, a promessa que Isaías deu em 37: 5-7 não foi a primeira promessa do
Senhor de libertar Jerusalém de Assíria. Em Sua graça, Deus repete Suas promessas
para nós, aumentando nossa confiança em Sua Palavra. Ao contrário de seu pai,
Acaz, que não tinha fé para pedir um sinal de Deus, sabemos que Ezequias pediu
um sinal de sua recuperação e resgate de Jerusalém (2 Reis 20: 8). Deus concedeu
este sinal, curando Ezequias e acrescentando quinze anos à sua vida (Isaías 38:4-
6).
CORAM DEO Vivendo diante da face de Deus - Deus conceder mais quinze anos de vida a
Ezequias não significa que Ele mude de ideia como nós. Em vez disso, esses relatos nos mostram
que o Senhor tem um relacionamento real com Seu povo no tempo e responde às nossas orações
e ações. Ezequias não sabia como Deus responderia à Sua oração por cura, mas o Senhor sabia.
Da mesma forma, Deus sabe como responderá às nossas orações antes mesmo de oferecê-las,
mas isso não deve nos impedir de interceder por nós mesmos e pelos outros.

Você também pode gostar